SlideShare uma empresa Scribd logo
Brasil Império:
Da Regência ao Governo de Pedro II




                       HISTÓRIA | Prof. Eduardo Miranda
HISTÓRIA | Prof. Eduardo Miranda


    Para relembrar..., o Primeiro Reinado.

        A     Independência     do
        Brasil, em 1822, fez nascer
        o governo monárquico de
        D. Pedro I.

         A Independência do Brasil, de Pedro Américo.


    Seu governo foi caracterizado:
   Pela centralização do poder;                        Descontentamento das
   Pelo autoritarismo;                                 províncias, pois não
   Pela Constituição de 1824.                          tinham autonomia.
  Em 1831, Pedro I voltou para Portugal e o trono ficou para seu filho.
HISTÓRIA | Prof. Eduardo Miranda


        Começa, então, o Segundo Reinado.
     Pedro de Alcântara, com apenas 5 anos, não poderia subir ao
     trono, por isso foi criado um governo regencial.

         Regentes eram os representantes do rei que governavam
         enquanto aquele não atingisse a maioridade.

      Nesta época dois partidos se destacaram para assumir o poder:


                       Partido                            Partido
                     Conservador         X                Liberal



   Defendia a monarquia com poder         Desejava mais autonomia às províncias,
   centralizado “totalmente” no rei.      mesmo com o rei no poder.
HISTÓRIA | Prof. Eduardo Miranda


               As disputas se intensificaram...
   Mesmo com os conservadores no poder, os liberais conseguiram mais
   autonomia para as províncias com o Ato Adicional de 1834, o que gerou diversas
   revoltas provinciais.

                                                   Cabanagem

                                                      Balaiada




                                                          Sabinada




                                            Farroupilha
HISTÓRIA | Prof. Eduardo Miranda


              (Revoltas do período regencial)
   Cabanagem (1835-1840): ocorreu na província do Grão-Pará com
     participação da elite local e forte apoio popular. Desejavam a
     instituição de uma república e, alguns, o fim da escravidão;

   Balaiada (1838-1841): no Maranhão, a revolta significou a
     insatisfação com o governo central e luta por mais autonomia.

   Sabinada (1837-1838): os baianos desejavam tornar a província
     independente até a maioridade do imperador.

   Farroupilha (1835-1845): a mais longa de todas as revoltas
     ocorreu no Sul e tinha caráter separatista.

   Praieira (1848-1850): desejavam mais autonomia e a expulsão dos
     portugueses que comandavam o comércio em Pernambuco.
HISTÓRIA | Prof. Eduardo Miranda



                                        Revolução Farroupilha




                   Recife à época da
                   Revolução Praieira
HISTÓRIA | Prof. Eduardo Miranda


            ... e veio o golpe da maioridade.
   Como as revoltas ameaçavam o poder dos conservadores, estes
   decidiram aprovar a Lei Interpretativa do Ato Adicional de
   1834, revogando a autonomia da províncias.


                                             • Os liberais reagiram e, em
                                             1840, deram o golpe da
                                             maioridade;

                                             • Pedro assumiu o trono com
                                             15 anos incompletos.

    A ameaça ao fim da escravidão levou os
    conservadores a reprimirem as revoltas
    nas províncias.
HISTÓRIA | Prof. Eduardo Miranda



                       O governo de D. Pedro II
  Características:

   Estabilidade política;

   Manutenção da escravidão;

   Restabelecimento  do poder
     Moderador    (direito    ao
     imperador de vetar qualquer
     lei);

   “Parlamentarismo               às
     avessas”, pois o primeiro-
     ministro era escolhido pelo rei e
     não pela Assembleia Geral.
Brasil Regencial
HISTÓRIA | Prof. Eduardo Miranda



              Economia no Segundo Reinado


                                        EXPORTAÇÃO
   • Café: principal
     produto (Vale do                                   • Escravidão
     Paraíba-RJ);                  • Mercados europeu     negra;
                                     e americano;
   • Cacau (BA) e                                       • Imigrantes
     Algodão (MA)                  • Avanço nos           europeus.
                                     transportes.
             PRODUTOS                                     MÃO-DE-OBRA
As ferrovias foram fundamentais   para   o
escoamento da produção de café.                                 Imigrantes na lavoura cafeeira




                              Porto de Santos, um dos mais importantes na exportação do café.
HISTÓRIA | Prof. Eduardo Miranda


                        Escravidão X Imigração
                                    Mas os imigrantes que
    Com a assinatura da Lei         aqui      chegaram      já
    Eusébio de Queiroz, em          possuíam as dívidas da
    1850, ficou proibido o          viagem, hospedagem e
    tráfico de escravos no          alimentação.
    Atlântico. A saída para os      Eram muito explorados e
    produtores do Sul foi           não tinham condições de
    comprar     escravos    do      possuir terra, pois a Lei
    Nordeste. Porém, com o          de Terras, também de
    tempo, essa situação ficou      1850, só permitia a venda
    insustentável e optou-se        de grandes propriedades
    pela imigração europeia         com pagamento à vista.
    como forma de suprir a
    falta mão-de-obra.
HISTÓRIA | Prof. Eduardo Miranda



             Referências:

   Sites:

   www.cafehistoria.ning.br
   www.humaniteonline.blogspot.com

   Obras:

   BOTELHO, Ângela Viana. Dicionário Histórico do Brasil. Belo
   Horizonte: Autêntica, 2002.
   SENISE, Elaine e Maria Helena. História Fundamental 9. São Paulo:
   Atual, 2011.
HISTÓRIA | Prof. Eduardo Miranda

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

America espanhola
America espanholaAmerica espanhola
America espanhola
Carlos Zaranza
 
PeríOdo RegêNcial
PeríOdo RegêNcialPeríOdo RegêNcial
PeríOdo RegêNcial
YANBGA
 
Esquema de aula período regencial
Esquema de aula   período regencialEsquema de aula   período regencial
Esquema de aula período regencial
Alcidon Cunha
 
8°ano d. pedro I e o período regencial
8°ano d. pedro I e o período regencial8°ano d. pedro I e o período regencial
8°ano d. pedro I e o período regencial
Kaique Alves
 
Conquista e Colonização da América (Espanhola e Portuguesa)
Conquista e Colonização da América (Espanhola e Portuguesa)Conquista e Colonização da América (Espanhola e Portuguesa)
Conquista e Colonização da América (Espanhola e Portuguesa)
Juliana
 
O reinado de dom pedro II
O reinado de dom pedro IIO reinado de dom pedro II
O reinado de dom pedro II
Suelen Andreatti
 
Astecas, Maias, Incas e Tupis
Astecas, Maias, Incas e TupisAstecas, Maias, Incas e Tupis
Astecas, Maias, Incas e Tupis
Isabel Aguiar
 
Roma 2020
Roma 2020Roma 2020
Período regencial
Período regencialPeríodo regencial
Período regencial
Lucas Cardoso
 
História da Monarquia Brasileira
História da Monarquia BrasileiraHistória da Monarquia Brasileira
História da Monarquia Brasileira
Laudiene Maciel
 
Aula 11 colonização na américa espanhola
Aula 11   colonização na américa espanholaAula 11   colonização na américa espanhola
Aula 11 colonização na américa espanhola
Dalton Lopes Reis Jr.
 
Pernambuco (imortal)
Pernambuco (imortal)Pernambuco (imortal)
Pernambuco (imortal)
Leonardo Cabral
 
Periodo regencial
Periodo regencialPeriodo regencial
Periodo regencial
Zeze Silva
 
A conquista e a colonização espanhola na américa
A conquista e a colonização espanhola na américaA conquista e a colonização espanhola na américa
A conquista e a colonização espanhola na américa
Fernando Fagundes
 
Revolução Francesa e Era Napoleonica
Revolução Francesa e Era NapoleonicaRevolução Francesa e Era Napoleonica
Revolução Francesa e Era Napoleonica
Isabel Aguiar
 
Brasil imperial
Brasil imperialBrasil imperial
Brasil imperial
Vivihistoria
 
2ª licenciatura curso de história trabalho de slide brasil imperio
2ª licenciatura   curso de história trabalho de slide brasil imperio2ª licenciatura   curso de história trabalho de slide brasil imperio
2ª licenciatura curso de história trabalho de slide brasil imperio
Andréia Matos
 
Independência da América Espanhola
Independência da América EspanholaIndependência da América Espanhola
Independência da América Espanhola
Luciano Emanuel Silva
 
Brasil regencia e 2º império 2012
Brasil regencia e 2º império 2012Brasil regencia e 2º império 2012
Brasil regencia e 2º império 2012
Janaina Flavia Santos Azevedo
 
Período Regencial
Período Regencial Período Regencial
Período Regencial
Edenilson Morais
 

Mais procurados (20)

America espanhola
America espanholaAmerica espanhola
America espanhola
 
PeríOdo RegêNcial
PeríOdo RegêNcialPeríOdo RegêNcial
PeríOdo RegêNcial
 
Esquema de aula período regencial
Esquema de aula   período regencialEsquema de aula   período regencial
Esquema de aula período regencial
 
8°ano d. pedro I e o período regencial
8°ano d. pedro I e o período regencial8°ano d. pedro I e o período regencial
8°ano d. pedro I e o período regencial
 
Conquista e Colonização da América (Espanhola e Portuguesa)
Conquista e Colonização da América (Espanhola e Portuguesa)Conquista e Colonização da América (Espanhola e Portuguesa)
Conquista e Colonização da América (Espanhola e Portuguesa)
 
O reinado de dom pedro II
O reinado de dom pedro IIO reinado de dom pedro II
O reinado de dom pedro II
 
Astecas, Maias, Incas e Tupis
Astecas, Maias, Incas e TupisAstecas, Maias, Incas e Tupis
Astecas, Maias, Incas e Tupis
 
Roma 2020
Roma 2020Roma 2020
Roma 2020
 
Período regencial
Período regencialPeríodo regencial
Período regencial
 
História da Monarquia Brasileira
História da Monarquia BrasileiraHistória da Monarquia Brasileira
História da Monarquia Brasileira
 
Aula 11 colonização na américa espanhola
Aula 11   colonização na américa espanholaAula 11   colonização na américa espanhola
Aula 11 colonização na américa espanhola
 
Pernambuco (imortal)
Pernambuco (imortal)Pernambuco (imortal)
Pernambuco (imortal)
 
Periodo regencial
Periodo regencialPeriodo regencial
Periodo regencial
 
A conquista e a colonização espanhola na américa
A conquista e a colonização espanhola na américaA conquista e a colonização espanhola na américa
A conquista e a colonização espanhola na américa
 
Revolução Francesa e Era Napoleonica
Revolução Francesa e Era NapoleonicaRevolução Francesa e Era Napoleonica
Revolução Francesa e Era Napoleonica
 
Brasil imperial
Brasil imperialBrasil imperial
Brasil imperial
 
2ª licenciatura curso de história trabalho de slide brasil imperio
2ª licenciatura   curso de história trabalho de slide brasil imperio2ª licenciatura   curso de história trabalho de slide brasil imperio
2ª licenciatura curso de história trabalho de slide brasil imperio
 
Independência da América Espanhola
Independência da América EspanholaIndependência da América Espanhola
Independência da América Espanhola
 
Brasil regencia e 2º império 2012
Brasil regencia e 2º império 2012Brasil regencia e 2º império 2012
Brasil regencia e 2º império 2012
 
Período Regencial
Período Regencial Período Regencial
Período Regencial
 

Semelhante a Brasil Regencial

Revisopas 2pptx-101126170357-phpapp01
Revisopas 2pptx-101126170357-phpapp01Revisopas 2pptx-101126170357-phpapp01
Revisopas 2pptx-101126170357-phpapp01
Zeze Silva
 
I reinado - Período Regencial e II Reinado
I reinado -  Período Regencial e II ReinadoI reinado -  Período Regencial e II Reinado
I reinado - Período Regencial e II Reinado
Educandário Imaculada Conceição
 
Revisão pas.2pptx
Revisão pas.2pptxRevisão pas.2pptx
Revisão pas.2pptx
Elaine Bogo Pavani
 
Segundo reinado
Segundo reinadoSegundo reinado
Segundo reinado
Hallan de Oliveira
 
brasilimperial-120820125603-phpapp02.pptx
brasilimperial-120820125603-phpapp02.pptxbrasilimperial-120820125603-phpapp02.pptx
brasilimperial-120820125603-phpapp02.pptx
FranciscoFlorencio6
 
2º SEGUNDO REINADO.ppt
2º SEGUNDO REINADO.ppt2º SEGUNDO REINADO.ppt
2º SEGUNDO REINADO.ppt
HelderHenrique8
 
2° ano Primeiro Reinado e Regências
2° ano   Primeiro Reinado e Regências2° ano   Primeiro Reinado e Regências
2° ano Primeiro Reinado e Regências
Daniel Alves Bronstrup
 
D. Pedro I e As Regências.ppt
D. Pedro I e As Regências.pptD. Pedro I e As Regências.ppt
D. Pedro I e As Regências.ppt
LoureleiMarinho
 
Brasil monárquico
Brasil monárquicoBrasil monárquico
Brasil monárquico
Marcela Marangon Ribeiro
 
Regência e reinado
Regência e reinadoRegência e reinado
Regência e reinado
Estude Mais
 
Primeiro Reinado (25 03 2010)
Primeiro Reinado (25 03 2010)Primeiro Reinado (25 03 2010)
Primeiro Reinado (25 03 2010)
Luis
 
Período Regencial
Período RegencialPeríodo Regencial
Período Regencial
seixasmarianas
 
Breve histórico
Breve históricoBreve histórico
REGÊNCIA NO BRASIL
REGÊNCIA NO BRASILREGÊNCIA NO BRASIL
REGÊNCIA NO BRASIL
Isabel Aguiar
 
D. Pedro I e As Regências.ppt
D. Pedro I e As Regências.pptD. Pedro I e As Regências.ppt
D. Pedro I e As Regências.ppt
JAQUELINECABRALDESEN1
 
Segundo Império Brasileiro
Segundo Império BrasileiroSegundo Império Brasileiro
Segundo Império Brasileiro
Valéria Shoujofan
 
3° ano - Brasil Império - segundo reinado
3° ano - Brasil Império - segundo reinado3° ano - Brasil Império - segundo reinado
3° ano - Brasil Império - segundo reinado
Daniel Alves Bronstrup
 
D. Pedro I e As Regências.pdf
D. Pedro I e As Regências.pdfD. Pedro I e As Regências.pdf
D. Pedro I e As Regências.pdf
IgorJuliano1
 
D. Pedro I e As Regências.ppt
D. Pedro I e As Regências.pptD. Pedro I e As Regências.ppt
D. Pedro I e As Regências.ppt
ANDREIA SANTOS VENTURA NEVES
 
D. Pedro I e As Regências (1).ppt
D. Pedro I e As Regências (1).pptD. Pedro I e As Regências (1).ppt
D. Pedro I e As Regências (1).ppt
BrandoneLeeOficial
 

Semelhante a Brasil Regencial (20)

Revisopas 2pptx-101126170357-phpapp01
Revisopas 2pptx-101126170357-phpapp01Revisopas 2pptx-101126170357-phpapp01
Revisopas 2pptx-101126170357-phpapp01
 
I reinado - Período Regencial e II Reinado
I reinado -  Período Regencial e II ReinadoI reinado -  Período Regencial e II Reinado
I reinado - Período Regencial e II Reinado
 
Revisão pas.2pptx
Revisão pas.2pptxRevisão pas.2pptx
Revisão pas.2pptx
 
Segundo reinado
Segundo reinadoSegundo reinado
Segundo reinado
 
brasilimperial-120820125603-phpapp02.pptx
brasilimperial-120820125603-phpapp02.pptxbrasilimperial-120820125603-phpapp02.pptx
brasilimperial-120820125603-phpapp02.pptx
 
2º SEGUNDO REINADO.ppt
2º SEGUNDO REINADO.ppt2º SEGUNDO REINADO.ppt
2º SEGUNDO REINADO.ppt
 
2° ano Primeiro Reinado e Regências
2° ano   Primeiro Reinado e Regências2° ano   Primeiro Reinado e Regências
2° ano Primeiro Reinado e Regências
 
D. Pedro I e As Regências.ppt
D. Pedro I e As Regências.pptD. Pedro I e As Regências.ppt
D. Pedro I e As Regências.ppt
 
Brasil monárquico
Brasil monárquicoBrasil monárquico
Brasil monárquico
 
Regência e reinado
Regência e reinadoRegência e reinado
Regência e reinado
 
Primeiro Reinado (25 03 2010)
Primeiro Reinado (25 03 2010)Primeiro Reinado (25 03 2010)
Primeiro Reinado (25 03 2010)
 
Período Regencial
Período RegencialPeríodo Regencial
Período Regencial
 
Breve histórico
Breve históricoBreve histórico
Breve histórico
 
REGÊNCIA NO BRASIL
REGÊNCIA NO BRASILREGÊNCIA NO BRASIL
REGÊNCIA NO BRASIL
 
D. Pedro I e As Regências.ppt
D. Pedro I e As Regências.pptD. Pedro I e As Regências.ppt
D. Pedro I e As Regências.ppt
 
Segundo Império Brasileiro
Segundo Império BrasileiroSegundo Império Brasileiro
Segundo Império Brasileiro
 
3° ano - Brasil Império - segundo reinado
3° ano - Brasil Império - segundo reinado3° ano - Brasil Império - segundo reinado
3° ano - Brasil Império - segundo reinado
 
D. Pedro I e As Regências.pdf
D. Pedro I e As Regências.pdfD. Pedro I e As Regências.pdf
D. Pedro I e As Regências.pdf
 
D. Pedro I e As Regências.ppt
D. Pedro I e As Regências.pptD. Pedro I e As Regências.ppt
D. Pedro I e As Regências.ppt
 
D. Pedro I e As Regências (1).ppt
D. Pedro I e As Regências (1).pptD. Pedro I e As Regências (1).ppt
D. Pedro I e As Regências (1).ppt
 

Mais de eduardodemiranda

Revolução Russa_Prof. Eduardo Miranda
Revolução Russa_Prof. Eduardo MirandaRevolução Russa_Prof. Eduardo Miranda
Revolução Russa_Prof. Eduardo Miranda
eduardodemiranda
 
Revolução Socialista Russa_Prof. Eduardo Miranda
Revolução Socialista Russa_Prof. Eduardo MirandaRevolução Socialista Russa_Prof. Eduardo Miranda
Revolução Socialista Russa_Prof. Eduardo Miranda
eduardodemiranda
 
Revolução russa
Revolução russaRevolução russa
Revolução russa
eduardodemiranda
 
Revolução russa
Revolução russaRevolução russa
Revolução russa
eduardodemiranda
 
Revolução russa
Revolução russaRevolução russa
Revolução russa
eduardodemiranda
 
Disputas Absolutistas
Disputas AbsolutistasDisputas Absolutistas
Disputas Absolutistas
eduardodemiranda
 
Disputas absolutistas
Disputas absolutistasDisputas absolutistas
Disputas absolutistas
eduardodemiranda
 
Disputas absolutistas
Disputas absolutistasDisputas absolutistas
Disputas absolutistas
eduardodemiranda
 
Industrialização e Imperialismo
Industrialização e ImperialismoIndustrialização e Imperialismo
Industrialização e Imperialismo
eduardodemiranda
 
Industrialização e Imperialismo
Industrialização e ImperialismoIndustrialização e Imperialismo
Industrialização e Imperialismo
eduardodemiranda
 
Industrialização e Imperialismo
Industrialização e ImperialismoIndustrialização e Imperialismo
Industrialização e Imperialismo
eduardodemiranda
 
O Brasil na Era do Capitalismo Industrial
O Brasil na Era do Capitalismo IndustrialO Brasil na Era do Capitalismo Industrial
O Brasil na Era do Capitalismo Industrial
eduardodemiranda
 
O Brasil na Era do Capitalismo Industrial
O Brasil na Era do Capitalismo IndustrialO Brasil na Era do Capitalismo Industrial
O Brasil na Era do Capitalismo Industrial
eduardodemiranda
 
Absolutismo
AbsolutismoAbsolutismo
Absolutismo
eduardodemiranda
 
Revolução Industrial
Revolução IndustrialRevolução Industrial
Revolução Industrial
eduardodemiranda
 
Revolução Industrial Inglesa
Revolução Industrial InglesaRevolução Industrial Inglesa
Revolução Industrial Inglesa
eduardodemiranda
 
Ideias revolucionárias dos séculos XVII e XVIII
Ideias revolucionárias dos séculos XVII e XVIIIIdeias revolucionárias dos séculos XVII e XVIII
Ideias revolucionárias dos séculos XVII e XVIII
eduardodemiranda
 

Mais de eduardodemiranda (17)

Revolução Russa_Prof. Eduardo Miranda
Revolução Russa_Prof. Eduardo MirandaRevolução Russa_Prof. Eduardo Miranda
Revolução Russa_Prof. Eduardo Miranda
 
Revolução Socialista Russa_Prof. Eduardo Miranda
Revolução Socialista Russa_Prof. Eduardo MirandaRevolução Socialista Russa_Prof. Eduardo Miranda
Revolução Socialista Russa_Prof. Eduardo Miranda
 
Revolução russa
Revolução russaRevolução russa
Revolução russa
 
Revolução russa
Revolução russaRevolução russa
Revolução russa
 
Revolução russa
Revolução russaRevolução russa
Revolução russa
 
Disputas Absolutistas
Disputas AbsolutistasDisputas Absolutistas
Disputas Absolutistas
 
Disputas absolutistas
Disputas absolutistasDisputas absolutistas
Disputas absolutistas
 
Disputas absolutistas
Disputas absolutistasDisputas absolutistas
Disputas absolutistas
 
Industrialização e Imperialismo
Industrialização e ImperialismoIndustrialização e Imperialismo
Industrialização e Imperialismo
 
Industrialização e Imperialismo
Industrialização e ImperialismoIndustrialização e Imperialismo
Industrialização e Imperialismo
 
Industrialização e Imperialismo
Industrialização e ImperialismoIndustrialização e Imperialismo
Industrialização e Imperialismo
 
O Brasil na Era do Capitalismo Industrial
O Brasil na Era do Capitalismo IndustrialO Brasil na Era do Capitalismo Industrial
O Brasil na Era do Capitalismo Industrial
 
O Brasil na Era do Capitalismo Industrial
O Brasil na Era do Capitalismo IndustrialO Brasil na Era do Capitalismo Industrial
O Brasil na Era do Capitalismo Industrial
 
Absolutismo
AbsolutismoAbsolutismo
Absolutismo
 
Revolução Industrial
Revolução IndustrialRevolução Industrial
Revolução Industrial
 
Revolução Industrial Inglesa
Revolução Industrial InglesaRevolução Industrial Inglesa
Revolução Industrial Inglesa
 
Ideias revolucionárias dos séculos XVII e XVIII
Ideias revolucionárias dos séculos XVII e XVIIIIdeias revolucionárias dos séculos XVII e XVIII
Ideias revolucionárias dos séculos XVII e XVIII
 

Brasil Regencial

  • 1. Brasil Império: Da Regência ao Governo de Pedro II HISTÓRIA | Prof. Eduardo Miranda
  • 2. HISTÓRIA | Prof. Eduardo Miranda Para relembrar..., o Primeiro Reinado. A Independência do Brasil, em 1822, fez nascer o governo monárquico de D. Pedro I. A Independência do Brasil, de Pedro Américo. Seu governo foi caracterizado:  Pela centralização do poder; Descontentamento das  Pelo autoritarismo; províncias, pois não  Pela Constituição de 1824. tinham autonomia. Em 1831, Pedro I voltou para Portugal e o trono ficou para seu filho.
  • 3. HISTÓRIA | Prof. Eduardo Miranda Começa, então, o Segundo Reinado. Pedro de Alcântara, com apenas 5 anos, não poderia subir ao trono, por isso foi criado um governo regencial. Regentes eram os representantes do rei que governavam enquanto aquele não atingisse a maioridade. Nesta época dois partidos se destacaram para assumir o poder: Partido Partido Conservador X Liberal Defendia a monarquia com poder Desejava mais autonomia às províncias, centralizado “totalmente” no rei. mesmo com o rei no poder.
  • 4. HISTÓRIA | Prof. Eduardo Miranda As disputas se intensificaram... Mesmo com os conservadores no poder, os liberais conseguiram mais autonomia para as províncias com o Ato Adicional de 1834, o que gerou diversas revoltas provinciais. Cabanagem Balaiada Sabinada Farroupilha
  • 5. HISTÓRIA | Prof. Eduardo Miranda (Revoltas do período regencial)  Cabanagem (1835-1840): ocorreu na província do Grão-Pará com participação da elite local e forte apoio popular. Desejavam a instituição de uma república e, alguns, o fim da escravidão;  Balaiada (1838-1841): no Maranhão, a revolta significou a insatisfação com o governo central e luta por mais autonomia.  Sabinada (1837-1838): os baianos desejavam tornar a província independente até a maioridade do imperador.  Farroupilha (1835-1845): a mais longa de todas as revoltas ocorreu no Sul e tinha caráter separatista.  Praieira (1848-1850): desejavam mais autonomia e a expulsão dos portugueses que comandavam o comércio em Pernambuco.
  • 6. HISTÓRIA | Prof. Eduardo Miranda Revolução Farroupilha Recife à época da Revolução Praieira
  • 7. HISTÓRIA | Prof. Eduardo Miranda ... e veio o golpe da maioridade. Como as revoltas ameaçavam o poder dos conservadores, estes decidiram aprovar a Lei Interpretativa do Ato Adicional de 1834, revogando a autonomia da províncias. • Os liberais reagiram e, em 1840, deram o golpe da maioridade; • Pedro assumiu o trono com 15 anos incompletos. A ameaça ao fim da escravidão levou os conservadores a reprimirem as revoltas nas províncias.
  • 8. HISTÓRIA | Prof. Eduardo Miranda O governo de D. Pedro II Características:  Estabilidade política;  Manutenção da escravidão;  Restabelecimento do poder Moderador (direito ao imperador de vetar qualquer lei);  “Parlamentarismo às avessas”, pois o primeiro- ministro era escolhido pelo rei e não pela Assembleia Geral.
  • 10. HISTÓRIA | Prof. Eduardo Miranda Economia no Segundo Reinado EXPORTAÇÃO • Café: principal produto (Vale do • Escravidão Paraíba-RJ); • Mercados europeu negra; e americano; • Cacau (BA) e • Imigrantes Algodão (MA) • Avanço nos europeus. transportes. PRODUTOS MÃO-DE-OBRA
  • 11. As ferrovias foram fundamentais para o escoamento da produção de café. Imigrantes na lavoura cafeeira Porto de Santos, um dos mais importantes na exportação do café.
  • 12. HISTÓRIA | Prof. Eduardo Miranda Escravidão X Imigração Mas os imigrantes que Com a assinatura da Lei aqui chegaram já Eusébio de Queiroz, em possuíam as dívidas da 1850, ficou proibido o viagem, hospedagem e tráfico de escravos no alimentação. Atlântico. A saída para os Eram muito explorados e produtores do Sul foi não tinham condições de comprar escravos do possuir terra, pois a Lei Nordeste. Porém, com o de Terras, também de tempo, essa situação ficou 1850, só permitia a venda insustentável e optou-se de grandes propriedades pela imigração europeia com pagamento à vista. como forma de suprir a falta mão-de-obra.
  • 13. HISTÓRIA | Prof. Eduardo Miranda Referências: Sites: www.cafehistoria.ning.br www.humaniteonline.blogspot.com Obras: BOTELHO, Ângela Viana. Dicionário Histórico do Brasil. Belo Horizonte: Autêntica, 2002. SENISE, Elaine e Maria Helena. História Fundamental 9. São Paulo: Atual, 2011.
  • 14. HISTÓRIA | Prof. Eduardo Miranda