SlideShare uma empresa Scribd logo
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
O IDEAL
O REAL
 
 
 
 
 
Apresentam-se dois novelistas — o idealista e o naturalista. Tu dás-lhe o teu assunto: uma menina que se chama Virgínia e que habita ali defronte. O idealista não a quer ver nem ouvir; não quer saber mais detalhes: Toma imediatamente a sua boa pena ..., recorda durante um momento os seus autores, e, num relance, cria-te a Virgínia. [...] TRECHO DE EÇA DE QUEIRÓS
Mas voltemos à nossa Virgínia... É agora o escritor naturalista que a vai pintar. Este homem começa por fazer uma coisa extraordinária: vai vê-la!... Não se riam: o simples fato de ir ver Virgínia quando se pretende descrever Virgínia, é uma revolução na Arte! É toda a filosofia cartesiana: significa que só a observação dos fenômenos dá à ciência das coisas. QUEIRÓS. Eça de. Cartas inéditas a Fradique Mendes. In: “Obras inéditas de Eça de Queirós”, v. III, págs. 913-916. Porto, 1958).
 
Gustave Courbet 10/06/1819  31/12/1877
Gustave Courbet expressam nenhuma emoção e mais parecem parte de uma paisagem do que seus personagens. Courbet se manteve, nesta etapa realista, muito longe do co-lorismo romântico, aproximando-se, em compen-sação, do realismo tenebroso espanhol do barroco, com uma profusão de pretos, ocres e marrons, banhados por uma pátina cinza.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Modernismo Europeu
Modernismo EuropeuModernismo Europeu
Modernismo Europeu
Kogen Gouveia
 
Encontro com...Ana Pessoa
Encontro com...Ana PessoaEncontro com...Ana Pessoa
Encontro com...Ana Pessoa
Conceição Aleixo
 
Texto "Mestre Finezas" de Manuel da Fonseca
Texto "Mestre Finezas" de Manuel da Fonseca Texto "Mestre Finezas" de Manuel da Fonseca
Texto "Mestre Finezas" de Manuel da Fonseca
franciscaf
 
Eça de queiroz
 Eça de queiroz Eça de queiroz
Eça de queiroz
sandra soares
 
ApresentaçãO De Pintura
ApresentaçãO De PinturaApresentaçãO De Pintura
ApresentaçãO De Pintura
florinda.pacheco
 
Opinião do conto "Mestre Finezas"
Opinião do conto "Mestre Finezas"Opinião do conto "Mestre Finezas"
Opinião do conto "Mestre Finezas"
franciscaf
 
1 clarice lispector
1 clarice lispector1 clarice lispector
1 clarice lispector
David Cavalcante
 
Dom casmurro - 3ª A - 2011
Dom casmurro - 3ª A - 2011Dom casmurro - 3ª A - 2011
Dom casmurro - 3ª A - 2011
Maria Inês de Souza Vitorino Justino
 
Salvador .. 1 final
Salvador .. 1 finalSalvador .. 1 final
Salvador .. 1 final
malikfasihabid
 
Estranhos
EstranhosEstranhos
Estranhos
FUNDAÇÃO EDP
 
Frida khalo
Frida khaloFrida khalo
Frida khalo
Helen Martines
 
Sorôco
SorôcoSorôco
Pablo Picasso
Pablo PicassoPablo Picasso
Pablo Picasso
Agostinho.Gouveia
 
Análise literária - Clarice Lispector
Análise literária - Clarice LispectorAnálise literária - Clarice Lispector
Análise literária - Clarice Lispector
Regina Gabriela
 
Mestre finezas autor
Mestre finezas autorMestre finezas autor
Mestre finezas autor
Tatiana Cruz
 
Joaquim machado de castro
Joaquim machado de castroJoaquim machado de castro
Joaquim machado de castro
nuno_viola
 
Julia hsuahsa
Julia hsuahsaJulia hsuahsa
Julia hsuahsa
Júlia Zanotelli
 
Singularidades de uma rapariga loura
Singularidades de uma rapariga louraSingularidades de uma rapariga loura
Singularidades de uma rapariga loura
Aline Araújo
 

Mais procurados (18)

Modernismo Europeu
Modernismo EuropeuModernismo Europeu
Modernismo Europeu
 
Encontro com...Ana Pessoa
Encontro com...Ana PessoaEncontro com...Ana Pessoa
Encontro com...Ana Pessoa
 
Texto "Mestre Finezas" de Manuel da Fonseca
Texto "Mestre Finezas" de Manuel da Fonseca Texto "Mestre Finezas" de Manuel da Fonseca
Texto "Mestre Finezas" de Manuel da Fonseca
 
Eça de queiroz
 Eça de queiroz Eça de queiroz
Eça de queiroz
 
ApresentaçãO De Pintura
ApresentaçãO De PinturaApresentaçãO De Pintura
ApresentaçãO De Pintura
 
Opinião do conto "Mestre Finezas"
Opinião do conto "Mestre Finezas"Opinião do conto "Mestre Finezas"
Opinião do conto "Mestre Finezas"
 
1 clarice lispector
1 clarice lispector1 clarice lispector
1 clarice lispector
 
Dom casmurro - 3ª A - 2011
Dom casmurro - 3ª A - 2011Dom casmurro - 3ª A - 2011
Dom casmurro - 3ª A - 2011
 
Salvador .. 1 final
Salvador .. 1 finalSalvador .. 1 final
Salvador .. 1 final
 
Estranhos
EstranhosEstranhos
Estranhos
 
Frida khalo
Frida khaloFrida khalo
Frida khalo
 
Sorôco
SorôcoSorôco
Sorôco
 
Pablo Picasso
Pablo PicassoPablo Picasso
Pablo Picasso
 
Análise literária - Clarice Lispector
Análise literária - Clarice LispectorAnálise literária - Clarice Lispector
Análise literária - Clarice Lispector
 
Mestre finezas autor
Mestre finezas autorMestre finezas autor
Mestre finezas autor
 
Joaquim machado de castro
Joaquim machado de castroJoaquim machado de castro
Joaquim machado de castro
 
Julia hsuahsa
Julia hsuahsaJulia hsuahsa
Julia hsuahsa
 
Singularidades de uma rapariga loura
Singularidades de uma rapariga louraSingularidades de uma rapariga loura
Singularidades de uma rapariga loura
 

Destaque

Naturalismo no Brasil
Naturalismo  no BrasilNaturalismo  no Brasil
Naturalismo no Brasil
José Ricardo Lima
 
Exercícios cda
Exercícios cdaExercícios cda
Exercícios cda
José Ricardo Lima
 
UFU 2013_A volta do marido pródigo
UFU 2013_A volta do marido pródigoUFU 2013_A volta do marido pródigo
UFU 2013_A volta do marido pródigo
José Ricardo Lima
 
Barroco 2.0
Barroco 2.0Barroco 2.0
Barroco 2.0
José Ricardo Lima
 
Drummond
DrummondDrummond
Camões 2.0
Camões 2.0Camões 2.0
Camões 2.0
José Ricardo Lima
 
Literatura simbolismo
Literatura simbolismoLiteratura simbolismo
Literatura simbolismo
José Ricardo Lima
 
O_Romantismo_A_Bela_e_a_Fera
O_Romantismo_A_Bela_e_a_FeraO_Romantismo_A_Bela_e_a_Fera
O_Romantismo_A_Bela_e_a_Fera
José Ricardo Lima
 
Vidas secas
Vidas secasVidas secas
Vidas secas
José Ricardo Lima
 
Romance é Show
Romance é ShowRomance é Show
Romance é Show
José Ricardo Lima
 
A Bela E A Fera
A Bela E A FeraA Bela E A Fera
A Bela E A Fera
José Ricardo Lima
 
Arcadismo 2.0
Arcadismo 2.0Arcadismo 2.0
Arcadismo 2.0
José Ricardo Lima
 
Gêneros Literários 2.0
Gêneros Literários 2.0Gêneros Literários 2.0
Gêneros Literários 2.0
José Ricardo Lima
 
Humanismo português
Humanismo portuguêsHumanismo português
Humanismo português
José Ricardo Lima
 

Destaque (15)

Naturalismo no Brasil
Naturalismo  no BrasilNaturalismo  no Brasil
Naturalismo no Brasil
 
Exercícios cda
Exercícios cdaExercícios cda
Exercícios cda
 
UFU 2013_A volta do marido pródigo
UFU 2013_A volta do marido pródigoUFU 2013_A volta do marido pródigo
UFU 2013_A volta do marido pródigo
 
Barroco 2.0
Barroco 2.0Barroco 2.0
Barroco 2.0
 
Drummond
DrummondDrummond
Drummond
 
Camões 2.0
Camões 2.0Camões 2.0
Camões 2.0
 
Literatura simbolismo
Literatura simbolismoLiteratura simbolismo
Literatura simbolismo
 
O_Romantismo_A_Bela_e_a_Fera
O_Romantismo_A_Bela_e_a_FeraO_Romantismo_A_Bela_e_a_Fera
O_Romantismo_A_Bela_e_a_Fera
 
Vidas secas
Vidas secasVidas secas
Vidas secas
 
Romance é Show
Romance é ShowRomance é Show
Romance é Show
 
A Bela E A Fera
A Bela E A FeraA Bela E A Fera
A Bela E A Fera
 
Arcadismo 2.0
Arcadismo 2.0Arcadismo 2.0
Arcadismo 2.0
 
Gêneros Literários 2.0
Gêneros Literários 2.0Gêneros Literários 2.0
Gêneros Literários 2.0
 
Camões
CamõesCamões
Camões
 
Humanismo português
Humanismo portuguêsHumanismo português
Humanismo português
 

Mais de José Ricardo Lima

Machado de Assis 2.0.ppt
Machado de Assis 2.0.pptMachado de Assis 2.0.ppt
Machado de Assis 2.0.ppt
José Ricardo Lima
 
Quincas Borba
Quincas Borba Quincas Borba
Quincas Borba
José Ricardo Lima
 
Claro enigma (Carlos Drummond de Andrade)
Claro enigma (Carlos Drummond de Andrade)Claro enigma (Carlos Drummond de Andrade)
Claro enigma (Carlos Drummond de Andrade)
José Ricardo Lima
 
O cortiço
O cortiçoO cortiço
O cortiço
José Ricardo Lima
 
Sobrevivendo no inferno (Unicamp)
Sobrevivendo no inferno (Unicamp)Sobrevivendo no inferno (Unicamp)
Sobrevivendo no inferno (Unicamp)
José Ricardo Lima
 
O bem-amado (Unicamp)
O bem-amado (Unicamp)O bem-amado (Unicamp)
O bem-amado (Unicamp)
José Ricardo Lima
 
Sonetos (Camões) UNICAMP
Sonetos (Camões) UNICAMPSonetos (Camões) UNICAMP
Sonetos (Camões) UNICAMP
José Ricardo Lima
 
O espelho (Machado de Assis) Unicamp
O espelho (Machado de Assis) UnicampO espelho (Machado de Assis) Unicamp
O espelho (Machado de Assis) Unicamp
José Ricardo Lima
 
Claro enigma
Claro enigma Claro enigma
Claro enigma
José Ricardo Lima
 
Maus: a história de um sobrevivente
Maus: a história de um sobreviventeMaus: a história de um sobrevivente
Maus: a história de um sobrevivente
José Ricardo Lima
 
Morte e vida severina
Morte e vida severinaMorte e vida severina
Morte e vida severina
José Ricardo Lima
 
Artigo sobre "A morte de Ivan Ilitch"
Artigo sobre "A morte de Ivan Ilitch"Artigo sobre "A morte de Ivan Ilitch"
Artigo sobre "A morte de Ivan Ilitch"
José Ricardo Lima
 
Romantismo 2.0
Romantismo 2.0Romantismo 2.0
Romantismo 2.0
José Ricardo Lima
 
Relações intertextuais 2.0
Relações intertextuais 2.0Relações intertextuais 2.0
Relações intertextuais 2.0
José Ricardo Lima
 
Manuel Bandeira (com textos)
Manuel Bandeira (com textos)Manuel Bandeira (com textos)
Manuel Bandeira (com textos)
José Ricardo Lima
 
Quinhentismo no Brasil 2.0
Quinhentismo no Brasil 2.0Quinhentismo no Brasil 2.0
Quinhentismo no Brasil 2.0
José Ricardo Lima
 
Semana 2.0
Semana 2.0Semana 2.0
Semana 2.0
José Ricardo Lima
 
Augusto dos Anjos 2.0
Augusto dos Anjos 2.0Augusto dos Anjos 2.0
Augusto dos Anjos 2.0
José Ricardo Lima
 
Monteiro Lobato
Monteiro LobatoMonteiro Lobato
Monteiro Lobato
José Ricardo Lima
 
Pré-Modernismo (Introdução) e Euclides da Cunha
Pré-Modernismo (Introdução) e Euclides da CunhaPré-Modernismo (Introdução) e Euclides da Cunha
Pré-Modernismo (Introdução) e Euclides da Cunha
José Ricardo Lima
 

Mais de José Ricardo Lima (20)

Machado de Assis 2.0.ppt
Machado de Assis 2.0.pptMachado de Assis 2.0.ppt
Machado de Assis 2.0.ppt
 
Quincas Borba
Quincas Borba Quincas Borba
Quincas Borba
 
Claro enigma (Carlos Drummond de Andrade)
Claro enigma (Carlos Drummond de Andrade)Claro enigma (Carlos Drummond de Andrade)
Claro enigma (Carlos Drummond de Andrade)
 
O cortiço
O cortiçoO cortiço
O cortiço
 
Sobrevivendo no inferno (Unicamp)
Sobrevivendo no inferno (Unicamp)Sobrevivendo no inferno (Unicamp)
Sobrevivendo no inferno (Unicamp)
 
O bem-amado (Unicamp)
O bem-amado (Unicamp)O bem-amado (Unicamp)
O bem-amado (Unicamp)
 
Sonetos (Camões) UNICAMP
Sonetos (Camões) UNICAMPSonetos (Camões) UNICAMP
Sonetos (Camões) UNICAMP
 
O espelho (Machado de Assis) Unicamp
O espelho (Machado de Assis) UnicampO espelho (Machado de Assis) Unicamp
O espelho (Machado de Assis) Unicamp
 
Claro enigma
Claro enigma Claro enigma
Claro enigma
 
Maus: a história de um sobrevivente
Maus: a história de um sobreviventeMaus: a história de um sobrevivente
Maus: a história de um sobrevivente
 
Morte e vida severina
Morte e vida severinaMorte e vida severina
Morte e vida severina
 
Artigo sobre "A morte de Ivan Ilitch"
Artigo sobre "A morte de Ivan Ilitch"Artigo sobre "A morte de Ivan Ilitch"
Artigo sobre "A morte de Ivan Ilitch"
 
Romantismo 2.0
Romantismo 2.0Romantismo 2.0
Romantismo 2.0
 
Relações intertextuais 2.0
Relações intertextuais 2.0Relações intertextuais 2.0
Relações intertextuais 2.0
 
Manuel Bandeira (com textos)
Manuel Bandeira (com textos)Manuel Bandeira (com textos)
Manuel Bandeira (com textos)
 
Quinhentismo no Brasil 2.0
Quinhentismo no Brasil 2.0Quinhentismo no Brasil 2.0
Quinhentismo no Brasil 2.0
 
Semana 2.0
Semana 2.0Semana 2.0
Semana 2.0
 
Augusto dos Anjos 2.0
Augusto dos Anjos 2.0Augusto dos Anjos 2.0
Augusto dos Anjos 2.0
 
Monteiro Lobato
Monteiro LobatoMonteiro Lobato
Monteiro Lobato
 
Pré-Modernismo (Introdução) e Euclides da Cunha
Pré-Modernismo (Introdução) e Euclides da CunhaPré-Modernismo (Introdução) e Euclides da Cunha
Pré-Modernismo (Introdução) e Euclides da Cunha
 

Gustav Courbet

  • 1.  
  • 2.  
  • 3.  
  • 4.  
  • 5.  
  • 6.  
  • 7.  
  • 8.  
  • 9.  
  • 10.  
  • 11.  
  • 14.  
  • 15.  
  • 16.  
  • 17.  
  • 18.  
  • 19. Apresentam-se dois novelistas — o idealista e o naturalista. Tu dás-lhe o teu assunto: uma menina que se chama Virgínia e que habita ali defronte. O idealista não a quer ver nem ouvir; não quer saber mais detalhes: Toma imediatamente a sua boa pena ..., recorda durante um momento os seus autores, e, num relance, cria-te a Virgínia. [...] TRECHO DE EÇA DE QUEIRÓS
  • 20. Mas voltemos à nossa Virgínia... É agora o escritor naturalista que a vai pintar. Este homem começa por fazer uma coisa extraordinária: vai vê-la!... Não se riam: o simples fato de ir ver Virgínia quando se pretende descrever Virgínia, é uma revolução na Arte! É toda a filosofia cartesiana: significa que só a observação dos fenômenos dá à ciência das coisas. QUEIRÓS. Eça de. Cartas inéditas a Fradique Mendes. In: “Obras inéditas de Eça de Queirós”, v. III, págs. 913-916. Porto, 1958).
  • 21.  
  • 22. Gustave Courbet 10/06/1819  31/12/1877
  • 23. Gustave Courbet expressam nenhuma emoção e mais parecem parte de uma paisagem do que seus personagens. Courbet se manteve, nesta etapa realista, muito longe do co-lorismo romântico, aproximando-se, em compen-sação, do realismo tenebroso espanhol do barroco, com uma profusão de pretos, ocres e marrons, banhados por uma pátina cinza.