SlideShare uma empresa Scribd logo
Exercício para 3ªº série, Colégio Salvatoriano Imaculada Conceição, elaborado por Rafael Ascari. Contexto
didático entre conteúdo conceitual (aula) e materialidade contextual (material didático/pesquisa/exercício)
sobre o componente curricular de história. A IGREJA E ACULTURA MEDIEVAL
1 2 3 4
5 6
7
8 9
10
11
12 13
14 15
16
17
18
19
20
21
22
Horizontal
6. A existência de dois papas convoca o ............. .. ................ o qual
elege um terceiro Papa, tornando a situação ainda pior.
8. Em 1122 através da ............. de ................., se definiu que
Monarcas poderiam sim investir bispos porém sua autoridade seria
secular,ou seja,não teriam autoridade sagrada,essa sim quem teria
o poder de investir eram os papas.
12. Evento também conhecido como Cativeiro da Babilônia 1309 -
1377 – Felipe “O Belo”, impõe a Clemente V, mudar a sede do
papado de Roma para Avignon na França.
16. Como resultado dos Ditado do Papa surgiu a ............. ... ...............
com o imperador Henrique V.
17. Do grego significa escolha, porém com o advento do cristianismo
a palavra recebeu uma interpretação pejorativa de pecado.
Vertical
1. Assim chamada por que seusclérigos viviam com
o povo nas comunidades.
2. Negava a doutrina papal católica. Segundo os
..............o mundo era dividido entre o bem e o
mal.
3. Urbano VI, violento e arrogante. Os Cardeais
elegem outro Papa Clemente VII, monta sua cúria
em Avignion.
4. A literatura medieval salientava .................,
............. e a ................. .
5. “O Papa esta abaixo de Deus, porém sempre
estará acima do rei e do povo”, tal frase foi
atribuída a qual papa?
18. O Papa Gregório VII proíbe leigos de investirem clérigos. Assim
surgem os .........Favoráveis ao Papa e os ............ Favoráveis ao rei.
19. Dentre as ações sociais da Igreja durante a idade média podemos
citar: ................ .................. Casas de Leprosos Apoio aos
desafortunados Apoio intelectual e psicológico
20. A Canção dos Nibelungos, literatura medieval tem origem
................ .
21. A canção de Rolando, primeira obra em língua vulgar tem origem
........... .
22. Em 1073 Hildebrando conhecido como Gregório VII, criou os
............ .. ............que consistia em: I A Igreja Católica foi fundada
por Deus; II O pontífice romano é o único que pode,
verdadeiramente, ser chamado de universal; XII Só o Papa pode
depor os Imperadores; XXII A Igreja Católica nunca errou, e como
dizem os textos das escrituras, jamais errará; XXVII O Papa pode
Libertar os súditos dos juramentos de fidelidade feitos aos
príncipes injustos.
7. A cultura medieval foi uma .............. de
elementos grego-romanos, cristãos germânicos
todos adaptados a nova sociedade. Criação das
línguas .............. . Cópia manuscrita de toda
............... grega e romana.
9. O Poema de Cid, literatura medieval tem origem
............ .
10. Pedro Valdo, pregava uma vida simples em
comunas cristãs. Tal figura foi o criador dos?
11. Os Tribunais Eclesiásticos defendiam a ideia de
que todo direito se baseava na cultura
...............(dogmático).
13. Papa de Roma excomunga o Papa de
Constantinopla.
14. Assim chamado por que era isolado, um dos
produtores de conhecimento da época medieval.
15. O ................ foiuma das artes mais populares da
idade média A partir do século XIII, tornou-se
profano.
1- Com a queda do Império Romano do Ocidente, a Igreja Católica foi a instituição que conseguiu
se manter coesana Europa do início do feudalismo. Muitas eram as interpretações possíveis para
o cristianismo durante o período, já que os romanos eram sinônimo de cosmopolitismo, com
grande quantidade de culturas e etnias em suas terras. As interpretações que que pudessemcausar
constrangimento ouestranhamento aos promulgadores danova doutrina, eram tido como hereges.
Sendo assim discorra de forma dissertativa sobreo que você conhece de Jesus Cristo e a forma a
qual a Igreja que carrega seu nome se organizou a partir da autonomia e poder com a hegemonia
social após queda do Império Romano do Ocidente. Saliente os pontos que são congruentes e os
pontos divergentes sobre o que Jesus difundiu em vida. Máximo 15 linhas.
2- Durante o período medieval a Igreja Católica possuía uma organização muito singular, sendo
responsável por influenciar inclusive em questões ligadas aos códigos jurídicos daquela
contemporaneidade. Relate de forma resumida como se dividia o clero e como se distribuíam as
atribuições aos religiosos da época. Dê ênfase aos “Dois Gládios”.
3- O que foi declarado no Ditados do Papa por Gregório VII? O que isso desencadeia dentro da
doutrina Católica quanto aos clérigos de maior poder?
4- Relacione a seita Katara com acontecimentos da idade contemporânea.
5- Sobreo período medieval fundamente porquê pormuito tempo foi considerado como “uma noite
de mil anos”, um período deescuridão histórica. Escreva um texto narrativo buscando relacionar
os acontecimentos debatidos em aula para contrapor tais informações.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

09. aula de história geral - reforma protestante
09. aula de história geral - reforma protestante09. aula de história geral - reforma protestante
09. aula de história geral - reforma protestante
Darlan Campos
 
História da Igreja I: Aula 7: Desenvolvimento da Igreja Católica
História da Igreja I: Aula 7: Desenvolvimento da Igreja CatólicaHistória da Igreja I: Aula 7: Desenvolvimento da Igreja Católica
História da Igreja I: Aula 7: Desenvolvimento da Igreja Católica
Andre Nascimento
 
Reforma protestante slide
Reforma protestante slideReforma protestante slide
Reforma protestante slide
Eduardo Gomes
 
História da Igreja - Os gloriosos séculos XII e XIII
História da Igreja - Os gloriosos séculos XII e XIIIHistória da Igreja - Os gloriosos séculos XII e XIII
História da Igreja - Os gloriosos séculos XII e XIII
Glauco Gonçalves
 
Reforma
ReformaReforma
Reforma
luizmourao23
 
Curso modular (1)
Curso modular (1)Curso modular (1)
Reforma e contra reforma
Reforma e contra reformaReforma e contra reforma
Reforma e contra reforma
MargarethFranklim
 
Igreja na Idade Média
Igreja na Idade MédiaIgreja na Idade Média
Igreja na Idade Média
Glauco Gonçalves
 
História da Igreja II: Aula 9: Movimentos Espiritualistas
História da Igreja II: Aula 9: Movimentos EspiritualistasHistória da Igreja II: Aula 9: Movimentos Espiritualistas
História da Igreja II: Aula 9: Movimentos Espiritualistas
Andre Nascimento
 
História da Igreja II: Aula 7: Cristianismo Americano
História da Igreja II: Aula 7: Cristianismo AmericanoHistória da Igreja II: Aula 7: Cristianismo Americano
História da Igreja II: Aula 7: Cristianismo Americano
Andre Nascimento
 
04 ist - história da igreja ii
04   ist - história da igreja ii04   ist - história da igreja ii
04 ist - história da igreja ii
Léo Mendonça
 
A igreja medieval
A igreja medievalA igreja medieval
A igreja medieval
Mi v
 
História da Igreja - A queda do Império Romano
História da Igreja - A queda do Império RomanoHistória da Igreja - A queda do Império Romano
História da Igreja - A queda do Império Romano
Glauco Gonçalves
 
História da Igreja II: Aula 4: Reforma Radical: Muntzer e os Anabatistas
História da Igreja II: Aula 4: Reforma Radical: Muntzer e os AnabatistasHistória da Igreja II: Aula 4: Reforma Radical: Muntzer e os Anabatistas
História da Igreja II: Aula 4: Reforma Radical: Muntzer e os Anabatistas
Andre Nascimento
 
03 ist - história da igreja i
03   ist - história da igreja i03   ist - história da igreja i
03 ist - história da igreja i
Léo Mendonça
 
Reforma Protestante
Reforma ProtestanteReforma Protestante
Reforma Protestante
Susana Simões
 
06a ist - história da igreja iv
06a   ist - história da igreja iv06a   ist - história da igreja iv
06a ist - história da igreja iv
Léo Mendonça
 
História da Igreja - O Cisma do Oriente
História da Igreja - O Cisma do OrienteHistória da Igreja - O Cisma do Oriente
História da Igreja - O Cisma do Oriente
Glauco Gonçalves
 
História da Igreja II: Aula 1: Pré Reforma
História da Igreja II: Aula 1: Pré ReformaHistória da Igreja II: Aula 1: Pré Reforma
História da Igreja II: Aula 1: Pré Reforma
Andre Nascimento
 
O tempo das reformas religiosas parte 1
O tempo das reformas religiosas parte 1O tempo das reformas religiosas parte 1
O tempo das reformas religiosas parte 1
Carla Teixeira
 

Mais procurados (20)

09. aula de história geral - reforma protestante
09. aula de história geral - reforma protestante09. aula de história geral - reforma protestante
09. aula de história geral - reforma protestante
 
História da Igreja I: Aula 7: Desenvolvimento da Igreja Católica
História da Igreja I: Aula 7: Desenvolvimento da Igreja CatólicaHistória da Igreja I: Aula 7: Desenvolvimento da Igreja Católica
História da Igreja I: Aula 7: Desenvolvimento da Igreja Católica
 
Reforma protestante slide
Reforma protestante slideReforma protestante slide
Reforma protestante slide
 
História da Igreja - Os gloriosos séculos XII e XIII
História da Igreja - Os gloriosos séculos XII e XIIIHistória da Igreja - Os gloriosos séculos XII e XIII
História da Igreja - Os gloriosos séculos XII e XIII
 
Reforma
ReformaReforma
Reforma
 
Curso modular (1)
Curso modular (1)Curso modular (1)
Curso modular (1)
 
Reforma e contra reforma
Reforma e contra reformaReforma e contra reforma
Reforma e contra reforma
 
Igreja na Idade Média
Igreja na Idade MédiaIgreja na Idade Média
Igreja na Idade Média
 
História da Igreja II: Aula 9: Movimentos Espiritualistas
História da Igreja II: Aula 9: Movimentos EspiritualistasHistória da Igreja II: Aula 9: Movimentos Espiritualistas
História da Igreja II: Aula 9: Movimentos Espiritualistas
 
História da Igreja II: Aula 7: Cristianismo Americano
História da Igreja II: Aula 7: Cristianismo AmericanoHistória da Igreja II: Aula 7: Cristianismo Americano
História da Igreja II: Aula 7: Cristianismo Americano
 
04 ist - história da igreja ii
04   ist - história da igreja ii04   ist - história da igreja ii
04 ist - história da igreja ii
 
A igreja medieval
A igreja medievalA igreja medieval
A igreja medieval
 
História da Igreja - A queda do Império Romano
História da Igreja - A queda do Império RomanoHistória da Igreja - A queda do Império Romano
História da Igreja - A queda do Império Romano
 
História da Igreja II: Aula 4: Reforma Radical: Muntzer e os Anabatistas
História da Igreja II: Aula 4: Reforma Radical: Muntzer e os AnabatistasHistória da Igreja II: Aula 4: Reforma Radical: Muntzer e os Anabatistas
História da Igreja II: Aula 4: Reforma Radical: Muntzer e os Anabatistas
 
03 ist - história da igreja i
03   ist - história da igreja i03   ist - história da igreja i
03 ist - história da igreja i
 
Reforma Protestante
Reforma ProtestanteReforma Protestante
Reforma Protestante
 
06a ist - história da igreja iv
06a   ist - história da igreja iv06a   ist - história da igreja iv
06a ist - história da igreja iv
 
História da Igreja - O Cisma do Oriente
História da Igreja - O Cisma do OrienteHistória da Igreja - O Cisma do Oriente
História da Igreja - O Cisma do Oriente
 
História da Igreja II: Aula 1: Pré Reforma
História da Igreja II: Aula 1: Pré ReformaHistória da Igreja II: Aula 1: Pré Reforma
História da Igreja II: Aula 1: Pré Reforma
 
O tempo das reformas religiosas parte 1
O tempo das reformas religiosas parte 1O tempo das reformas religiosas parte 1
O tempo das reformas religiosas parte 1
 

Semelhante a Exercício 3ªº série a igreja e acultura medieval

Exercício 7º ano reformas protestantes
Exercício 7º ano reformas protestantesExercício 7º ano reformas protestantes
Exercício 7º ano reformas protestantes
Ócio do Ofício
 
A institucionalização da dogmática jurídico-canônica medieval_ppt.
A institucionalização da dogmática jurídico-canônica medieval_ppt.A institucionalização da dogmática jurídico-canônica medieval_ppt.
A institucionalização da dogmática jurídico-canônica medieval_ppt.
Eduardo Severo
 
A história-da-igreja-duncan-reily
A história-da-igreja-duncan-reilyA história-da-igreja-duncan-reily
A história-da-igreja-duncan-reily
leniogravacoes
 
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ
 
- HISTÓRIA DA IGREJA-ANTONIO INACIO FERRAZ, TÉCNICO EM ELETRONICA/PRODUÇÃO/AG...
- HISTÓRIA DA IGREJA-ANTONIO INACIO FERRAZ, TÉCNICO EM ELETRONICA/PRODUÇÃO/AG...- HISTÓRIA DA IGREJA-ANTONIO INACIO FERRAZ, TÉCNICO EM ELETRONICA/PRODUÇÃO/AG...
- HISTÓRIA DA IGREJA-ANTONIO INACIO FERRAZ, TÉCNICO EM ELETRONICA/PRODUÇÃO/AG...
Antonio Inácio Ferraz
 
A historia da igreja
A historia da igrejaA historia da igreja
A historia da igreja
leniogravacoes
 
Reformas religiosasppt
Reformas religiosaspptReformas religiosasppt
Reformas religiosasppt
andrecarlosocosta
 
Centesimus Annus
Centesimus AnnusCentesimus Annus
Centesimus Annus
Carlinhos Pregador
 
Centesimus Annus
Centesimus AnnusCentesimus Annus
Centesimus Annus
Carlinhos Pregador
 
Lista exercícios reformaprotestante
Lista exercícios reformaprotestanteLista exercícios reformaprotestante
Lista exercícios reformaprotestante
Elisângela Martins Rodrigues
 
Documentário o estado do vaticano.
Documentário o estado do vaticano.Documentário o estado do vaticano.
Documentário o estado do vaticano.
REFORMADOR PROTESTANTE
 
Feudalismo
FeudalismoFeudalismo
Feudalismo
Ivan Furmann
 
A igreja medieval
A igreja medievalA igreja medieval
A igreja medieval
nany1523
 
Aula - História da Igreja.pptx
Aula - História da Igreja.pptxAula - História da Igreja.pptx
Aula - História da Igreja.pptx
DenisAurlio2
 
William law e o monaquismo na igreja anglicana
William law e o monaquismo na igreja anglicanaWilliam law e o monaquismo na igreja anglicana
William law e o monaquismo na igreja anglicana
Victor Hugo de Oliveira Marques
 
Catolicismo romano
Catolicismo romanoCatolicismo romano
Catolicismo romano
REFORMADOR PROTESTANTE
 
10 Os pré-reformadores do cristianismo - 10ª aula
10   Os pré-reformadores do cristianismo - 10ª aula10   Os pré-reformadores do cristianismo - 10ª aula
10 Os pré-reformadores do cristianismo - 10ª aula
PIB Penha
 
Reforma protestante
Reforma protestanteReforma protestante
Reforma protestante
Adriana Gomes Messias
 
Igreja e cultura medieval
Igreja e cultura medievalIgreja e cultura medieval
Igreja e cultura medieval
Marilia Pimentel
 
Teste Renascimento.docx
Teste Renascimento.docxTeste Renascimento.docx
Teste Renascimento.docx
Francisco Brito
 

Semelhante a Exercício 3ªº série a igreja e acultura medieval (20)

Exercício 7º ano reformas protestantes
Exercício 7º ano reformas protestantesExercício 7º ano reformas protestantes
Exercício 7º ano reformas protestantes
 
A institucionalização da dogmática jurídico-canônica medieval_ppt.
A institucionalização da dogmática jurídico-canônica medieval_ppt.A institucionalização da dogmática jurídico-canônica medieval_ppt.
A institucionalização da dogmática jurídico-canônica medieval_ppt.
 
A história-da-igreja-duncan-reily
A história-da-igreja-duncan-reilyA história-da-igreja-duncan-reily
A história-da-igreja-duncan-reily
 
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
 
- HISTÓRIA DA IGREJA-ANTONIO INACIO FERRAZ, TÉCNICO EM ELETRONICA/PRODUÇÃO/AG...
- HISTÓRIA DA IGREJA-ANTONIO INACIO FERRAZ, TÉCNICO EM ELETRONICA/PRODUÇÃO/AG...- HISTÓRIA DA IGREJA-ANTONIO INACIO FERRAZ, TÉCNICO EM ELETRONICA/PRODUÇÃO/AG...
- HISTÓRIA DA IGREJA-ANTONIO INACIO FERRAZ, TÉCNICO EM ELETRONICA/PRODUÇÃO/AG...
 
A historia da igreja
A historia da igrejaA historia da igreja
A historia da igreja
 
Reformas religiosasppt
Reformas religiosaspptReformas religiosasppt
Reformas religiosasppt
 
Centesimus Annus
Centesimus AnnusCentesimus Annus
Centesimus Annus
 
Centesimus Annus
Centesimus AnnusCentesimus Annus
Centesimus Annus
 
Lista exercícios reformaprotestante
Lista exercícios reformaprotestanteLista exercícios reformaprotestante
Lista exercícios reformaprotestante
 
Documentário o estado do vaticano.
Documentário o estado do vaticano.Documentário o estado do vaticano.
Documentário o estado do vaticano.
 
Feudalismo
FeudalismoFeudalismo
Feudalismo
 
A igreja medieval
A igreja medievalA igreja medieval
A igreja medieval
 
Aula - História da Igreja.pptx
Aula - História da Igreja.pptxAula - História da Igreja.pptx
Aula - História da Igreja.pptx
 
William law e o monaquismo na igreja anglicana
William law e o monaquismo na igreja anglicanaWilliam law e o monaquismo na igreja anglicana
William law e o monaquismo na igreja anglicana
 
Catolicismo romano
Catolicismo romanoCatolicismo romano
Catolicismo romano
 
10 Os pré-reformadores do cristianismo - 10ª aula
10   Os pré-reformadores do cristianismo - 10ª aula10   Os pré-reformadores do cristianismo - 10ª aula
10 Os pré-reformadores do cristianismo - 10ª aula
 
Reforma protestante
Reforma protestanteReforma protestante
Reforma protestante
 
Igreja e cultura medieval
Igreja e cultura medievalIgreja e cultura medieval
Igreja e cultura medieval
 
Teste Renascimento.docx
Teste Renascimento.docxTeste Renascimento.docx
Teste Renascimento.docx
 

Mais de Ócio do Ofício

A DA INTERDISCIPLINARIDADE NO ENSINO DE HISTÓRIA
A DA INTERDISCIPLINARIDADE NO ENSINO DE HISTÓRIA A DA INTERDISCIPLINARIDADE NO ENSINO DE HISTÓRIA
A DA INTERDISCIPLINARIDADE NO ENSINO DE HISTÓRIA
Ócio do Ofício
 
Constituicoes brasileiras v1_1824
Constituicoes brasileiras v1_1824Constituicoes brasileiras v1_1824
Constituicoes brasileiras v1_1824
Ócio do Ofício
 
A identidade nacional brasileira
A identidade nacional brasileiraA identidade nacional brasileira
A identidade nacional brasileira
Ócio do Ofício
 
Era meiji
Era meijiEra meiji
Era meiji
Ócio do Ofício
 
Cultura e sociedade década de 1960 a 1980
Cultura e sociedade década de 1960 a 1980Cultura e sociedade década de 1960 a 1980
Cultura e sociedade década de 1960 a 1980
Ócio do Ofício
 
Cultura e sociedade decada de 1960 a 1980
Cultura e sociedade decada de 1960 a 1980Cultura e sociedade decada de 1960 a 1980
Cultura e sociedade decada de 1960 a 1980
Ócio do Ofício
 
Antigo do regime 1
Antigo do regime 1Antigo do regime 1
Antigo do regime 1
Ócio do Ofício
 
Era meiji
Era meijiEra meiji
Era meiji
Ócio do Ofício
 
Contrato pedagógico
Contrato pedagógicoContrato pedagógico
Contrato pedagógico
Ócio do Ofício
 
Bobbio
BobbioBobbio
Confissões de um assassino econmico
Confissões de um assassino econmicoConfissões de um assassino econmico
Confissões de um assassino econmico
Ócio do Ofício
 
A rebelião das massas
A rebelião das massasA rebelião das massas
A rebelião das massas
Ócio do Ofício
 
Redemocratização brasileira 1985 2002
Redemocratização brasileira 1985 2002Redemocratização brasileira 1985 2002
Redemocratização brasileira 1985 2002
Ócio do Ofício
 
Exercício 3ªº série período mi litar 1964 – 1985
Exercício 3ªº série período mi litar 1964 – 1985Exercício 3ªº série período mi litar 1964 – 1985
Exercício 3ªº série período mi litar 1964 – 1985
Ócio do Ofício
 
Exercício 3ªº informações sobre abreviaturas e síglas usadas durante a ditadura
Exercício  3ªº informações sobre abreviaturas e síglas usadas durante a ditaduraExercício  3ªº informações sobre abreviaturas e síglas usadas durante a ditadura
Exercício 3ªº informações sobre abreviaturas e síglas usadas durante a ditadura
Ócio do Ofício
 
Exercício 3ªº séire era getúlio 1930 1945
Exercício 3ªº séire era getúlio 1930   1945Exercício 3ªº séire era getúlio 1930   1945
Exercício 3ªº séire era getúlio 1930 1945
Ócio do Ofício
 
Exercício 3ªº política populista brasileira 1945 1964
Exercício 3ªº política populista brasileira 1945   1964Exercício 3ªº política populista brasileira 1945   1964
Exercício 3ªº política populista brasileira 1945 1964
Ócio do Ofício
 
Exercício 2º série belle époque
Exercício 2º série belle époqueExercício 2º série belle époque
Exercício 2º série belle époque
Ócio do Ofício
 
Exercício avaliativo 3ªº período regencial e primeiro reinado 1841 – 1850.
Exercício avaliativo 3ªº período regencial e primeiro reinado 1841 – 1850.Exercício avaliativo 3ªº período regencial e primeiro reinado 1841 – 1850.
Exercício avaliativo 3ªº período regencial e primeiro reinado 1841 – 1850.
Ócio do Ofício
 
Exercício 9º ano populismo brasileiro 1946 1964
Exercício 9º ano populismo brasileiro 1946  1964Exercício 9º ano populismo brasileiro 1946  1964
Exercício 9º ano populismo brasileiro 1946 1964
Ócio do Ofício
 

Mais de Ócio do Ofício (20)

A DA INTERDISCIPLINARIDADE NO ENSINO DE HISTÓRIA
A DA INTERDISCIPLINARIDADE NO ENSINO DE HISTÓRIA A DA INTERDISCIPLINARIDADE NO ENSINO DE HISTÓRIA
A DA INTERDISCIPLINARIDADE NO ENSINO DE HISTÓRIA
 
Constituicoes brasileiras v1_1824
Constituicoes brasileiras v1_1824Constituicoes brasileiras v1_1824
Constituicoes brasileiras v1_1824
 
A identidade nacional brasileira
A identidade nacional brasileiraA identidade nacional brasileira
A identidade nacional brasileira
 
Era meiji
Era meijiEra meiji
Era meiji
 
Cultura e sociedade década de 1960 a 1980
Cultura e sociedade década de 1960 a 1980Cultura e sociedade década de 1960 a 1980
Cultura e sociedade década de 1960 a 1980
 
Cultura e sociedade decada de 1960 a 1980
Cultura e sociedade decada de 1960 a 1980Cultura e sociedade decada de 1960 a 1980
Cultura e sociedade decada de 1960 a 1980
 
Antigo do regime 1
Antigo do regime 1Antigo do regime 1
Antigo do regime 1
 
Era meiji
Era meijiEra meiji
Era meiji
 
Contrato pedagógico
Contrato pedagógicoContrato pedagógico
Contrato pedagógico
 
Bobbio
BobbioBobbio
Bobbio
 
Confissões de um assassino econmico
Confissões de um assassino econmicoConfissões de um assassino econmico
Confissões de um assassino econmico
 
A rebelião das massas
A rebelião das massasA rebelião das massas
A rebelião das massas
 
Redemocratização brasileira 1985 2002
Redemocratização brasileira 1985 2002Redemocratização brasileira 1985 2002
Redemocratização brasileira 1985 2002
 
Exercício 3ªº série período mi litar 1964 – 1985
Exercício 3ªº série período mi litar 1964 – 1985Exercício 3ªº série período mi litar 1964 – 1985
Exercício 3ªº série período mi litar 1964 – 1985
 
Exercício 3ªº informações sobre abreviaturas e síglas usadas durante a ditadura
Exercício  3ªº informações sobre abreviaturas e síglas usadas durante a ditaduraExercício  3ªº informações sobre abreviaturas e síglas usadas durante a ditadura
Exercício 3ªº informações sobre abreviaturas e síglas usadas durante a ditadura
 
Exercício 3ªº séire era getúlio 1930 1945
Exercício 3ªº séire era getúlio 1930   1945Exercício 3ªº séire era getúlio 1930   1945
Exercício 3ªº séire era getúlio 1930 1945
 
Exercício 3ªº política populista brasileira 1945 1964
Exercício 3ªº política populista brasileira 1945   1964Exercício 3ªº política populista brasileira 1945   1964
Exercício 3ªº política populista brasileira 1945 1964
 
Exercício 2º série belle époque
Exercício 2º série belle époqueExercício 2º série belle époque
Exercício 2º série belle époque
 
Exercício avaliativo 3ªº período regencial e primeiro reinado 1841 – 1850.
Exercício avaliativo 3ªº período regencial e primeiro reinado 1841 – 1850.Exercício avaliativo 3ªº período regencial e primeiro reinado 1841 – 1850.
Exercício avaliativo 3ªº período regencial e primeiro reinado 1841 – 1850.
 
Exercício 9º ano populismo brasileiro 1946 1964
Exercício 9º ano populismo brasileiro 1946  1964Exercício 9º ano populismo brasileiro 1946  1964
Exercício 9º ano populismo brasileiro 1946 1964
 

Último

Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
felipescherner
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
Espanhol Online
 
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Colaborar Educacional
 
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
LeilaVilasboas
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Mary Alvarenga
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
C4io99
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
shirleisousa9166
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Leonel Morgado
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Centro Jacques Delors
 
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Caça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafosCaça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafos
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Mary Alvarenga
 
_jogo-brinquedo-brincadeira-e-a-e-ducacao-tizuko-morchida-kishimoto-leandro-p...
_jogo-brinquedo-brincadeira-e-a-e-ducacao-tizuko-morchida-kishimoto-leandro-p..._jogo-brinquedo-brincadeira-e-a-e-ducacao-tizuko-morchida-kishimoto-leandro-p...
_jogo-brinquedo-brincadeira-e-a-e-ducacao-tizuko-morchida-kishimoto-leandro-p...
marcos oliveira
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
Sandra Pratas
 
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdfCaderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
SupervisoEMAC
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Centro Jacques Delors
 
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdfIdeais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Anesio2
 
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
antonio carlos
 

Último (20)

Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
 
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
 
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
 
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Caça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafosCaça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafos
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
 
_jogo-brinquedo-brincadeira-e-a-e-ducacao-tizuko-morchida-kishimoto-leandro-p...
_jogo-brinquedo-brincadeira-e-a-e-ducacao-tizuko-morchida-kishimoto-leandro-p..._jogo-brinquedo-brincadeira-e-a-e-ducacao-tizuko-morchida-kishimoto-leandro-p...
_jogo-brinquedo-brincadeira-e-a-e-ducacao-tizuko-morchida-kishimoto-leandro-p...
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
 
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdfCaderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
 
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdfIdeais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
 
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
 

Exercício 3ªº série a igreja e acultura medieval

  • 1. Exercício para 3ªº série, Colégio Salvatoriano Imaculada Conceição, elaborado por Rafael Ascari. Contexto didático entre conteúdo conceitual (aula) e materialidade contextual (material didático/pesquisa/exercício) sobre o componente curricular de história. A IGREJA E ACULTURA MEDIEVAL 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 Horizontal 6. A existência de dois papas convoca o ............. .. ................ o qual elege um terceiro Papa, tornando a situação ainda pior. 8. Em 1122 através da ............. de ................., se definiu que Monarcas poderiam sim investir bispos porém sua autoridade seria secular,ou seja,não teriam autoridade sagrada,essa sim quem teria o poder de investir eram os papas. 12. Evento também conhecido como Cativeiro da Babilônia 1309 - 1377 – Felipe “O Belo”, impõe a Clemente V, mudar a sede do papado de Roma para Avignon na França. 16. Como resultado dos Ditado do Papa surgiu a ............. ... ............... com o imperador Henrique V. 17. Do grego significa escolha, porém com o advento do cristianismo a palavra recebeu uma interpretação pejorativa de pecado. Vertical 1. Assim chamada por que seusclérigos viviam com o povo nas comunidades. 2. Negava a doutrina papal católica. Segundo os ..............o mundo era dividido entre o bem e o mal. 3. Urbano VI, violento e arrogante. Os Cardeais elegem outro Papa Clemente VII, monta sua cúria em Avignion. 4. A literatura medieval salientava ................., ............. e a ................. . 5. “O Papa esta abaixo de Deus, porém sempre estará acima do rei e do povo”, tal frase foi atribuída a qual papa?
  • 2. 18. O Papa Gregório VII proíbe leigos de investirem clérigos. Assim surgem os .........Favoráveis ao Papa e os ............ Favoráveis ao rei. 19. Dentre as ações sociais da Igreja durante a idade média podemos citar: ................ .................. Casas de Leprosos Apoio aos desafortunados Apoio intelectual e psicológico 20. A Canção dos Nibelungos, literatura medieval tem origem ................ . 21. A canção de Rolando, primeira obra em língua vulgar tem origem ........... . 22. Em 1073 Hildebrando conhecido como Gregório VII, criou os ............ .. ............que consistia em: I A Igreja Católica foi fundada por Deus; II O pontífice romano é o único que pode, verdadeiramente, ser chamado de universal; XII Só o Papa pode depor os Imperadores; XXII A Igreja Católica nunca errou, e como dizem os textos das escrituras, jamais errará; XXVII O Papa pode Libertar os súditos dos juramentos de fidelidade feitos aos príncipes injustos. 7. A cultura medieval foi uma .............. de elementos grego-romanos, cristãos germânicos todos adaptados a nova sociedade. Criação das línguas .............. . Cópia manuscrita de toda ............... grega e romana. 9. O Poema de Cid, literatura medieval tem origem ............ . 10. Pedro Valdo, pregava uma vida simples em comunas cristãs. Tal figura foi o criador dos? 11. Os Tribunais Eclesiásticos defendiam a ideia de que todo direito se baseava na cultura ...............(dogmático). 13. Papa de Roma excomunga o Papa de Constantinopla. 14. Assim chamado por que era isolado, um dos produtores de conhecimento da época medieval. 15. O ................ foiuma das artes mais populares da idade média A partir do século XIII, tornou-se profano. 1- Com a queda do Império Romano do Ocidente, a Igreja Católica foi a instituição que conseguiu se manter coesana Europa do início do feudalismo. Muitas eram as interpretações possíveis para o cristianismo durante o período, já que os romanos eram sinônimo de cosmopolitismo, com grande quantidade de culturas e etnias em suas terras. As interpretações que que pudessemcausar constrangimento ouestranhamento aos promulgadores danova doutrina, eram tido como hereges. Sendo assim discorra de forma dissertativa sobreo que você conhece de Jesus Cristo e a forma a qual a Igreja que carrega seu nome se organizou a partir da autonomia e poder com a hegemonia social após queda do Império Romano do Ocidente. Saliente os pontos que são congruentes e os pontos divergentes sobre o que Jesus difundiu em vida. Máximo 15 linhas. 2- Durante o período medieval a Igreja Católica possuía uma organização muito singular, sendo responsável por influenciar inclusive em questões ligadas aos códigos jurídicos daquela contemporaneidade. Relate de forma resumida como se dividia o clero e como se distribuíam as atribuições aos religiosos da época. Dê ênfase aos “Dois Gládios”. 3- O que foi declarado no Ditados do Papa por Gregório VII? O que isso desencadeia dentro da doutrina Católica quanto aos clérigos de maior poder? 4- Relacione a seita Katara com acontecimentos da idade contemporânea. 5- Sobreo período medieval fundamente porquê pormuito tempo foi considerado como “uma noite de mil anos”, um período deescuridão histórica. Escreva um texto narrativo buscando relacionar os acontecimentos debatidos em aula para contrapor tais informações.