SlideShare uma empresa Scribd logo
EPI e EPC– Equipamento de
Proteção Individual e Coletiva
EPI
• 6.1 Todo dispositivo ou produto, de uso
individual utilizado pelo trabalhador, destinado à
proteção de riscos suscetíveis de ameaçar a
segurança e a saúde no trabalho.
A função básica do EPI é proteger o trabalhador das
exposições aos agentes ambientais.
Art. 167 - CLT
• 6.2 O EPI só poderá ser posto á venda ou
utilizado...
Portaria n. 3.214
Certificado de Aprovação
Portaria n.126 2/12/2009
Estabelece procedimentos para o cadastro de empresas e para a
emissão ou renovação do CA de EPI
Art. 2º O fabricante ou importador, para requerer CA, deve
estar cadastrado no MTE;
Portaria n.121 30/09/2009
Estabelece as normas técnicas de ensaios e os requisitos
obrigatórios aplicáveis aos EPI enquadrados no Anexo I da NR 6
• 6.3. A empresa é obrigada a fornecer aos
empregados, gratuitamente, EPI adequado ao
risco, em perfeito estado de conservação
funcionamento, nas condições:
a) Medidas de ordem geral;
b) Medidas de proteção coletiva;
c) Para atender situações de emergência;
6.5 Recomendação do EPI adequado
• SESMT;
• CIPA;
• Designado, mediante orientação de profissional
tecnicamente habilitado.
6.6 Cabe ao empregador:
• Aquisição;
• Exigir uso;
• Substituição;
• Higienização;
• Comunicar irregularidades - MTE.
b) Exigir o seu uso;
O não uso do EPI implica:
• Advertência verbal ou por escrito;
• Suspensão;
• Demissão.
• Art. 482 - CLT
– Constituem justa causa para rescisão do contrato
de trabalho pelo empregador:
e) desídia no desempenho das respectivas funções;
h) ato de indisciplina ou de insubordinação;
h) registrar o seu fornecimento;
FICHA DE
CONTROLE
• Nome do empregado
• Admissão
• Matrícula
• Setor de trabalho
DECLARAÇÃO
• Equipamento
• Data
• nº CA
• Tipo/modelo
 
Qt
 
Material
 
CA
 
Data
Recebimen
to
 
Data
Devolução
Visto do
Funcionário
 
           
           
           
           
           
           
           
           
           
           
           
Nome do
funcionário:________________________________________
_____
Setor:_____________________ Data de admissão: ....../..../..........
TERMO DE RESPONSABILIDADE
Declaro que recebi da _____________, os Equipamentos de
Proteção Individual – EPI, abaixo relacionados, assim como, as
orientações quanto ao uso correto, conservação e finalidade do EPI,
reconhecendo que os equipamentos se adaptam perfeitamente para
proteção de minha integridade física no desempenho de minhas
funções. Estou ciente da obrigatoriedade do uso, de sua devolução ao
término do meu contrato de trabalho.
_____________________________
Assinatura do funcionário
6.7 Cabe ao trabalhador:
• Guarda e conservação;
• Comunicar alteração;
• Uso adequado.
EPI
6.8 Cabe ao fabricante e ao importador
• Cadastro – MTE;
• Solicitar CA;
• Qualidade do EPI;
• Comercialização – CA;
• Providenciar avaliação conformidade;
• Informações limpeza e higienização.
Certificado de Aprovação - CA
• 5 anos ;
• Prazo SINMETRO
Ensaios
• SINMETRO;
• Laboratórios credenciados ao MTE (existem
laboratórios para tipos específicos de EPI’s);
6.11 Competência do Ministério do
Trabalho e Emprego:
Órgão Nacional:
• Cadastro: fabricante ou importador;
• Emissão de CA;
• Renovação de CA;
• Fiscalização a qualidade
do EPI;
• Cancelamento CA;
• Suspensão de cadastro;
Órgão Regional:
• Fiscalização
• Orientação
• Recolher amostras de EPI
• Penalidades
Todo EPI deverá apresentar...
• Nome comercial da empresa fabricante ou nome
do importador;
• Lote de fabricação;
• Número de CA;
• Na impossibilidade o MTE poderá autorizar forma
alternativa de gravação, a ser proposta pelo
fabricante ou importador.
Proteção da cabeça
• Capacetes
• Capuz
Proteção dos olhos e face
• Óculos
• Protetor facial
• Máscara de solda
Fonte: www.classificados-brasil.com
Proteção auditiva
• Protetor tipo conha
• Protetor tipo plug/inserção
Vantagens dos protetores – tipo
concha:
• Único tamanho
• Colocação rápida
• Atenuação uniforme nas duas
conchas
• Partes substituíveis
• Modelos variados
• Higiênicos
Desvantagens dos Protetores tipo
concha:
• Desconforto em áreas quentes
• Dificuldade em carregar e guardar
• Interfere no uso de outros EPI´s
• Pode restringir movimentos da cabeça
• Desconfortável para 8 horas de trabalho
• Não recomendado uso com cabelos compridos,
barba, óculos, etc.
Vantagens dos PlugsVantagens dos Plugs::
• Utilizado por pessoas de cabelos
compridos, barba, cicatriz
• Compatível com outros equipamentos
• Descartáveis
• Pequenos e facilmente transportados e
guardados
• Boa adaptação a ambientes com calor e
umidade excessiva
• Não restringe movimentos em áreas
muito pequenas
Desvantagens dos Plugs::
• Menor atenuação: movimentos (fala,
mastigação) podem deslocar o plug
• Necessidade de treinamento específico
• Bons níveis de atenuação dependem da boa
colocação
• Menos higiênicos
• Só pode ser utilizado em canais auditivos
saudáveis
• Fáceis de perder
• Menor durabilidade
Proteção respiratória
• Respiradores descartáveis
• Respiradores reutilizáveis
- Purificadores de ar
- Adutores de ar
- De fuga
Procedimentos Operacionais
Escritos
• Seleção dos EPR;
• Treinamento;
• Ensaios de vedação;
• Inspeção, limpeza, manutenção e guarda;
• Avaliação médica.
Seleção dos Equipamentos
• Substâncias tóxicas;
• Concentração das substâncias;
• Limite de tolerância – LT;
Proteção dos membros superiores
• Luvas
- Látex
- Nitrílica
- Raspa de couro
- Malha tricotada
AGENTE EPI
Produtos químicos contendo solventes
orgânicos
Luva nitrílica ou neopreno
Produtos químicos sólidos ou formulações
que não contém solventes orgânicos
Luva de látex ou PVC
Eletricidade - Choques elétricos em
circuitos energizados
Luvas de borracha
Agentes abrasivos e escoriantes Luvas em raspa e vaqueta
Proteção dos membros superiores
• Manga
• Braçadeira
• Dedeira
• Creme protetor – foram classificados como EPI’s
através da Portaria n. 26 (29/12/1994)
a)Grupo 1 - Água-resistente - são aqueles que, quando
aplicados à pele do usuário, não facilmente removíveis
com água.
b) Grupo 2 - óleo-resistente - são aqueles que, quando
aplicados à pele do usuário, não são facilmente
removíveis na presença de óleos ou substâncias apolares.
c) Grupo 3 - Cremes especiais - são aqueles com indicações
e usos definidos e bem especificados pelo fabricante.
Proteção dos membros inferiores
• Calçados
- Botas impermeáveis
- Botas cano curto
- Botas cano longo
• Meia
• Perneira
• Calça
SITUAÇÕES EPI
Torções, escoriações, derrapagens e
umidade
Calçado de proteção tipo botina de
couro (canos curto e médio)
Torções, escoriações, derrapagens , umidade
e animais peçonhentos
Calçado de proteção tipo botina de
couro (canos longo)
Umidade, derrapagens e agentes químicos
agressivos
Calçado de proteção tipo botina de
borracha
Choques elétricos - Trabalhos ao potencial Calçado de proteção tipo condutivo
Proteção do corpo inteiro
• Anti-chama
• Baixa temperatura
• Impermeável
Fonte: www.classificados-brasil.com
Equipamentos contra quedas
www.materialsegurancaepi.com.br
“EPI’s não foram desenvolvidos para
substituir cuidados, mas para
complementá-los”
EPC
• São equipamentos que se destinam a proteção
coletiva dos trabalhadores e/ou transeuntes,
substituindo em alguns casos o EPI.
EPC
• Extintor de incêndio
• Capela
• Capela de fluxo laminar
• Enclausuramento da fonte
• Proteção de tela
• Tapumes
• Cone e fita de sinalização e etc.
Extintor de incêndio
Extintor de incêndio
http://www.guiatrabalhista.com.br/legislacao/nr/nr23.htm
CAPELA
Capela de fluxo laminar
http://www1.univap.br/~amartin/pesquisas/Infraestrutura.htm
Enclausuramento da fonte
Proteção de tela
http://www.inovasegbrasil.com.br/detalhes/273/Tela-Fachadeira-15-mts-x-50mts
Tapumes
http://olapisverde.blogspot.com/2012/06/concurso-de-design-em-tapume-de-obra.html
GRADE METÁLICA DOBRÁVELGRADE METÁLICA DOBRÁVEL
Isolamento e sinalização de áreas de trabalho,
poços de inspeção, entrada de
galerias subterrâneas e situações semelhantes.
CONE E FITA DE SINALIZAÇÃO
Fonte: www.parasuaseguranca.blogspot.com
SINALIZADOR STROBOSINALIZADOR STROBO
BANQUETA ISOLANTEBANQUETA ISOLANTE
Isolar o operador do solo.
MANTA ISOLANTE /MANTA ISOLANTE /
COBERTURA ISOLANTECOBERTURA ISOLANTE
Isolar as partes
energizadas da rede
durante a execução de
tarefas.
Varas de Manobra- NBR 11854
- manuseio do detector de tensão;
- instalação e retirada de conjuntos de
aterramentos temporário e grampos de
linha viva;
- instalação de "linha de vida";
- poda de árvores;
- limpeza de redes;
- troca de lâmpadas, etc.
NBR 13018 - Corda para trabalho
em instalação energizada -
Transmissão
CAPACETE
Utilizado para proteção da cabeça do empregado
contra agentes meteorológicos (trabalho a céu
aberto) e trabalho confinado, impactos
provenientes de queda ou projeção de objetos,
queimaduras, choque elétrico e irradiação solar.
Aba Frontal Aba Total
http://www.deltamt.com.br/
COMPONENTES
• Cinta dupla: conjunto de
tiras que, repousando sobre
a cabeça, destina-se a
absorção de impactos.
• Carneira: parte da
suspensão que circunda a
cabeça.
www.geraisepi.com.br
• Testeira absorvedora de suor: Peça que integra a
carneira, revestida de material absorvente e que
fica em contato com a testa do usuário.
• Jugular: tira ajustável, pressa ao casco que
passando sob o queixo, auxilia à fixação do
capacete.
NBR - 8221
• Classe A
• Classe B:
1.Ensaio de Resistência ao Impacto.
2.Ensaio de Resistência à Penetração.
3.Ensaio de Inflamabilidade.
4.Ensaio de Absorção de Água.
5.Ensaio de Rigidez Dielétrica (para os capacetes
classe "B").
• Profissionais de companhias elétricas, como
técnicos e engenheiros, e outros profissionais
que precisam trabalhar com altas tensões e
correntes elétricas, precisam usar roupas
especiais contra a condução, evitando choques,
que quase sempre são fatais:
TIPOS DE LUVAS UTILIZADAS EM
TRABALHOS COM ELETRICIDADE
• Antes do uso, deve ser feito teste de inflamento
para avaliação visual da luva em busca de rasgos,
furos, ressecamentos.
http://profcide.blogspot.com/2012/07/como-sao-confeccionadas-as-luvas.html
• http://www.emprefour.com.br/produtos/luva-orion-classe
• -4/
• Usada exclusivamente como
proteção da luva isolante de
borracha.
redecasamais.com.br
MANGA DE PROTEÇÃO ISOLANTE
DE BORRACHA
• Utilizada para proteção do braço e ante braço do
empregado contra choque elétrico durante
trabalhos em circuitos elétricos energizados.
matrizsms.com
CALÇADO DE PROTEÇÃO TIPO
CONDUTIVO- NBR 12576
• Utilizada para proteção dos pés quando o
empregado realiza trabalhos ao potencial.
http://www.jrcipa.com.br
clickindiscreto.blogspot.com
jmsseg.blogspot.com
protecao.com.br
oglobo.globo.com
segtrabsabe.blogspot.com
segtrabsabe.blogspot.com
http://clubedasegurancadotrabalho.blogspot.com.br
http://gazetaonline.globo.com/
Epi e epc ifal
Epi e epc ifal

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Máquinas e equipamentos
Máquinas e equipamentosMáquinas e equipamentos
Máquinas e equipamentos
Mauricio Cesar Soares
 
Os de pedreiro
Os de pedreiroOs de pedreiro
Os de pedreiro
Sandro Da Silva Santos
 
Palestra: Prevenção de Acidentes de Trabalho
Palestra: Prevenção de Acidentes de TrabalhoPalestra: Prevenção de Acidentes de Trabalho
Palestra: Prevenção de Acidentes de Trabalho
HP Safety Engenharia
 
Treinamento nr 06 epi
Treinamento nr  06   epiTreinamento nr  06   epi
Treinamento nr 06 epi
Lorraine Ingrid
 
Capacitação nr 12
Capacitação nr 12Capacitação nr 12
Capacitação nr 12
Anderson Fluflu
 
TREINAMENTO DE EPI NR 06
TREINAMENTO DE EPI NR 06TREINAMENTO DE EPI NR 06
TREINAMENTO DE EPI NR 06
Fabio Sousa
 
Treinamento NR 12
Treinamento NR 12Treinamento NR 12
Treinamento NR 12
Mauro Sergio Vales de Souza
 
NR18-Treinamento-Integracao.pptx
NR18-Treinamento-Integracao.pptxNR18-Treinamento-Integracao.pptx
NR18-Treinamento-Integracao.pptx
Leomir Borghardt
 
Nr18
Nr18Nr18
Curso da CIPA
Curso da CIPACurso da CIPA
Curso da CIPA
Sergio Roberto Silva
 
Segurança e Saúde no Transporte, Movimentação e Armazenagem de Materiais - NR 11
Segurança e Saúde no Transporte, Movimentação e Armazenagem de Materiais - NR 11Segurança e Saúde no Transporte, Movimentação e Armazenagem de Materiais - NR 11
Segurança e Saúde no Transporte, Movimentação e Armazenagem de Materiais - NR 11
GAC CURSOS ONLINE
 
Regras de ouro
Regras de ouroRegras de ouro
Regras de ouro
AdrianaFrrer
 
NR - 06 EPI (Oficial)
NR - 06 EPI (Oficial)NR - 06 EPI (Oficial)
NR - 06 EPI (Oficial)
Claudio Cesar Pontes ن
 
Folheto para visitantes
Folheto para visitantesFolheto para visitantes
Folheto para visitantes
Sergio Silva
 
Nr 6 treinamento
Nr 6 treinamentoNr 6 treinamento
Nr 6 treinamento
André Kovtun Sliachticas
 
Epi e epc
Epi e epcEpi e epc
Epi e epc
Roberto Medina
 
Nr 6 apresentação completa
Nr 6 apresentação completaNr 6 apresentação completa
Nr 6 apresentação completa
Daniel Lira
 
Treinamento de Segurança no Trabalho e EPI
Treinamento de Segurança no Trabalho e EPITreinamento de Segurança no Trabalho e EPI
Treinamento de Segurança no Trabalho e EPI
Sergio Silva
 
NR-31.pptx
NR-31.pptxNR-31.pptx
NR-31.pptx
GiseleTavares18
 
Treinamento nr 12
Treinamento nr 12Treinamento nr 12
Treinamento nr 12
Alexandre Bastos
 

Mais procurados (20)

Máquinas e equipamentos
Máquinas e equipamentosMáquinas e equipamentos
Máquinas e equipamentos
 
Os de pedreiro
Os de pedreiroOs de pedreiro
Os de pedreiro
 
Palestra: Prevenção de Acidentes de Trabalho
Palestra: Prevenção de Acidentes de TrabalhoPalestra: Prevenção de Acidentes de Trabalho
Palestra: Prevenção de Acidentes de Trabalho
 
Treinamento nr 06 epi
Treinamento nr  06   epiTreinamento nr  06   epi
Treinamento nr 06 epi
 
Capacitação nr 12
Capacitação nr 12Capacitação nr 12
Capacitação nr 12
 
TREINAMENTO DE EPI NR 06
TREINAMENTO DE EPI NR 06TREINAMENTO DE EPI NR 06
TREINAMENTO DE EPI NR 06
 
Treinamento NR 12
Treinamento NR 12Treinamento NR 12
Treinamento NR 12
 
NR18-Treinamento-Integracao.pptx
NR18-Treinamento-Integracao.pptxNR18-Treinamento-Integracao.pptx
NR18-Treinamento-Integracao.pptx
 
Nr18
Nr18Nr18
Nr18
 
Curso da CIPA
Curso da CIPACurso da CIPA
Curso da CIPA
 
Segurança e Saúde no Transporte, Movimentação e Armazenagem de Materiais - NR 11
Segurança e Saúde no Transporte, Movimentação e Armazenagem de Materiais - NR 11Segurança e Saúde no Transporte, Movimentação e Armazenagem de Materiais - NR 11
Segurança e Saúde no Transporte, Movimentação e Armazenagem de Materiais - NR 11
 
Regras de ouro
Regras de ouroRegras de ouro
Regras de ouro
 
NR - 06 EPI (Oficial)
NR - 06 EPI (Oficial)NR - 06 EPI (Oficial)
NR - 06 EPI (Oficial)
 
Folheto para visitantes
Folheto para visitantesFolheto para visitantes
Folheto para visitantes
 
Nr 6 treinamento
Nr 6 treinamentoNr 6 treinamento
Nr 6 treinamento
 
Epi e epc
Epi e epcEpi e epc
Epi e epc
 
Nr 6 apresentação completa
Nr 6 apresentação completaNr 6 apresentação completa
Nr 6 apresentação completa
 
Treinamento de Segurança no Trabalho e EPI
Treinamento de Segurança no Trabalho e EPITreinamento de Segurança no Trabalho e EPI
Treinamento de Segurança no Trabalho e EPI
 
NR-31.pptx
NR-31.pptxNR-31.pptx
NR-31.pptx
 
Treinamento nr 12
Treinamento nr 12Treinamento nr 12
Treinamento nr 12
 

Destaque

Barreiras de contenção (EPI e EPC)
Barreiras de contenção (EPI e EPC)Barreiras de contenção (EPI e EPC)
Barreiras de contenção (EPI e EPC)
Talita Gonçalves
 
Treinamento epi epc
Treinamento epi epcTreinamento epi epc
Treinamento epi epc
Bellucio Ribeiro
 
Seminario epi e epc
Seminario epi e epcSeminario epi e epc
Seminario epi e epc
jaquelinemalta
 
Segurança e medicina do trabalho aula6
Segurança e medicina do trabalho aula6Segurança e medicina do trabalho aula6
Segurança e medicina do trabalho aula6
Augusto Junior
 
Aula 6 epc
Aula 6   epcAula 6   epc
Aula 6 epc
Daniel Moura
 
Apresentação nr6
Apresentação nr6Apresentação nr6
Apresentação nr6
Vanessa Guerra Coelho
 
Biossegurança na CME
Biossegurança na CMEBiossegurança na CME
Biossegurança na CME
Luciane Santana
 
Epi's e epc- Farmácia
Epi's e epc- FarmáciaEpi's e epc- Farmácia
Epi's e epc- Farmácia
nenhuma
 
Epi Equipamento De Protecao Individual Ultimo
Epi Equipamento De Protecao Individual UltimoEpi Equipamento De Protecao Individual Ultimo
Epi Equipamento De Protecao Individual Ultimo
Prifp2
 
Uso correto dos EPIs Sidinei
Uso correto dos EPIs   SidineiUso correto dos EPIs   Sidinei
Uso correto dos EPIs Sidinei
Sidiseguranca
 
5 epi epc
5 epi epc5 epi epc
5 epi epc
karol_ribeiro
 
Epc Epi 2009
Epc Epi 2009Epc Epi 2009
Epc Epi 2009
Almir Teixeira
 
EPIs
EPIsEPIs
EPIs
ticsagudo
 
Equipamento epi . envelope
Equipamento epi . envelopeEquipamento epi . envelope
Equipamento epi . envelope
Paulo Fernando de Oliveira
 
Biossegurança controle infecções servicos saude
Biossegurança controle infecções servicos saudeBiossegurança controle infecções servicos saude
Biossegurança controle infecções servicos saude
Letícia Spina Tapia
 
Envenenamento no trabalho organoclorado e organofosforado
Envenenamento no trabalho organoclorado e organofosforadoEnvenenamento no trabalho organoclorado e organofosforado
Envenenamento no trabalho organoclorado e organofosforado
Joao Kleber Capistana Farias
 
Eau sector construcao
Eau sector construcaoEau sector construcao
Eau sector construcao
miguelpmelo
 
Apresentação segurança
Apresentação segurançaApresentação segurança
Apresentação segurança
Carla Guerreiro
 
Combate a-incendio
Combate a-incendioCombate a-incendio
Combate a-incendio
adv bastos
 
COLETA SELETIVA DO LIXO
COLETA SELETIVA DO LIXOCOLETA SELETIVA DO LIXO
COLETA SELETIVA DO LIXO
Daniela Lourenço
 

Destaque (20)

Barreiras de contenção (EPI e EPC)
Barreiras de contenção (EPI e EPC)Barreiras de contenção (EPI e EPC)
Barreiras de contenção (EPI e EPC)
 
Treinamento epi epc
Treinamento epi epcTreinamento epi epc
Treinamento epi epc
 
Seminario epi e epc
Seminario epi e epcSeminario epi e epc
Seminario epi e epc
 
Segurança e medicina do trabalho aula6
Segurança e medicina do trabalho aula6Segurança e medicina do trabalho aula6
Segurança e medicina do trabalho aula6
 
Aula 6 epc
Aula 6   epcAula 6   epc
Aula 6 epc
 
Apresentação nr6
Apresentação nr6Apresentação nr6
Apresentação nr6
 
Biossegurança na CME
Biossegurança na CMEBiossegurança na CME
Biossegurança na CME
 
Epi's e epc- Farmácia
Epi's e epc- FarmáciaEpi's e epc- Farmácia
Epi's e epc- Farmácia
 
Epi Equipamento De Protecao Individual Ultimo
Epi Equipamento De Protecao Individual UltimoEpi Equipamento De Protecao Individual Ultimo
Epi Equipamento De Protecao Individual Ultimo
 
Uso correto dos EPIs Sidinei
Uso correto dos EPIs   SidineiUso correto dos EPIs   Sidinei
Uso correto dos EPIs Sidinei
 
5 epi epc
5 epi epc5 epi epc
5 epi epc
 
Epc Epi 2009
Epc Epi 2009Epc Epi 2009
Epc Epi 2009
 
EPIs
EPIsEPIs
EPIs
 
Equipamento epi . envelope
Equipamento epi . envelopeEquipamento epi . envelope
Equipamento epi . envelope
 
Biossegurança controle infecções servicos saude
Biossegurança controle infecções servicos saudeBiossegurança controle infecções servicos saude
Biossegurança controle infecções servicos saude
 
Envenenamento no trabalho organoclorado e organofosforado
Envenenamento no trabalho organoclorado e organofosforadoEnvenenamento no trabalho organoclorado e organofosforado
Envenenamento no trabalho organoclorado e organofosforado
 
Eau sector construcao
Eau sector construcaoEau sector construcao
Eau sector construcao
 
Apresentação segurança
Apresentação segurançaApresentação segurança
Apresentação segurança
 
Combate a-incendio
Combate a-incendioCombate a-incendio
Combate a-incendio
 
COLETA SELETIVA DO LIXO
COLETA SELETIVA DO LIXOCOLETA SELETIVA DO LIXO
COLETA SELETIVA DO LIXO
 

Semelhante a Epi e epc ifal

1 - NR 6 – EPI - EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL - R5 (1).pdf
1 - NR 6 – EPI - EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL - R5 (1).pdf1 - NR 6 – EPI - EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL - R5 (1).pdf
1 - NR 6 – EPI - EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL - R5 (1).pdf
AntonioSouzs
 
NR 06 - EPI.pptx
NR 06 - EPI.pptxNR 06 - EPI.pptx
NR 06 - EPI.pptx
RafaelPacopedra
 
Aula 1
Aula 1Aula 1
M07 Equipamento de Protecao Individual.pptx
M07 Equipamento de Protecao Individual.pptxM07 Equipamento de Protecao Individual.pptx
M07 Equipamento de Protecao Individual.pptx
soniaalmeida38
 
M7 Equipamento de Protecao Individual.pptx
M7 Equipamento de Protecao Individual.pptxM7 Equipamento de Protecao Individual.pptx
M7 Equipamento de Protecao Individual.pptx
soniaalmeida38
 
Item 58 procedimento de especificação, inspeção e uso de epi
Item 58   procedimento de especificação, inspeção e uso de epiItem 58   procedimento de especificação, inspeção e uso de epi
Item 58 procedimento de especificação, inspeção e uso de epi
R.A. DA SILVA BECKMA-ME
 
Treinamento de NR06 Sem os vídeos.pptx
Treinamento de NR06 Sem os vídeos.pptxTreinamento de NR06 Sem os vídeos.pptx
Treinamento de NR06 Sem os vídeos.pptx
eversonclaudino21
 
Equipamento de protecção individual-TREINAMENTO DE EPI
Equipamento de protecção individual-TREINAMENTO DE EPIEquipamento de protecção individual-TREINAMENTO DE EPI
Equipamento de protecção individual-TREINAMENTO DE EPI
Islania3
 
EPIs - NR6 - AULA 7.pdf
EPIs - NR6 - AULA 7.pdfEPIs - NR6 - AULA 7.pdf
EPIs - NR6 - AULA 7.pdf
GleicySantos11
 
NR06 - EPI.pptx
NR06 - EPI.pptxNR06 - EPI.pptx
NR06 - EPI.pptx
AlfaTreinamentoseAss
 
ANEXO III - CONJUNTO DE REQUISITOS DE SEGURANCA_ MEIO AMBIENTE E SAUDE PARA ...
ANEXO III -  CONJUNTO DE REQUISITOS DE SEGURANCA_ MEIO AMBIENTE E SAUDE PARA ...ANEXO III -  CONJUNTO DE REQUISITOS DE SEGURANCA_ MEIO AMBIENTE E SAUDE PARA ...
ANEXO III - CONJUNTO DE REQUISITOS DE SEGURANCA_ MEIO AMBIENTE E SAUDE PARA ...
LucianaFernandes219481
 
Aula - NR 06 - EPI.ppt
Aula - NR 06 - EPI.pptAula - NR 06 - EPI.ppt
Aula - NR 06 - EPI.ppt
Cristian Briet
 
Aula - NR 06 - EPI.ppt
Aula - NR 06 - EPI.pptAula - NR 06 - EPI.ppt
Aula - NR 06 - EPI.ppt
Cristian Briet
 
M7 Equipamento de Protecao Individual.pptx
M7 Equipamento de Protecao Individual.pptxM7 Equipamento de Protecao Individual.pptx
M7 Equipamento de Protecao Individual.pptx
soniaalmeida38
 
Condições de segurança e saúde no trbalaho na industria da construção - NR 18...
Condições de segurança e saúde no trbalaho na industria da construção - NR 18...Condições de segurança e saúde no trbalaho na industria da construção - NR 18...
Condições de segurança e saúde no trbalaho na industria da construção - NR 18...
CarolineNeves49
 
Nr 6 apresentação completa
Nr 6 apresentação completaNr 6 apresentação completa
Nr 6 apresentação completa
Daniel Lira
 
NR 18 - CONTRUÇÃO CIVIL TREINAMENTO JRC BETONEIRA.ppt
NR 18  - CONTRUÇÃO CIVIL TREINAMENTO JRC BETONEIRA.pptNR 18  - CONTRUÇÃO CIVIL TREINAMENTO JRC BETONEIRA.ppt
NR 18 - CONTRUÇÃO CIVIL TREINAMENTO JRC BETONEIRA.ppt
LuizHenrique1001
 
Apresentação11
Apresentação11Apresentação11
Apresentação11
Fernandoprotec
 
Treinamento para uso de epi
Treinamento para uso de epiTreinamento para uso de epi
Treinamento para uso de epi
Andressa Campani
 
AULA 07 Normas regulamentadoras - NR6; NR9; NR32.pptx
AULA 07 Normas regulamentadoras - NR6; NR9; NR32.pptxAULA 07 Normas regulamentadoras - NR6; NR9; NR32.pptx
AULA 07 Normas regulamentadoras - NR6; NR9; NR32.pptx
LanaMonteiro8
 

Semelhante a Epi e epc ifal (20)

1 - NR 6 – EPI - EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL - R5 (1).pdf
1 - NR 6 – EPI - EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL - R5 (1).pdf1 - NR 6 – EPI - EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL - R5 (1).pdf
1 - NR 6 – EPI - EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL - R5 (1).pdf
 
NR 06 - EPI.pptx
NR 06 - EPI.pptxNR 06 - EPI.pptx
NR 06 - EPI.pptx
 
Aula 1
Aula 1Aula 1
Aula 1
 
M07 Equipamento de Protecao Individual.pptx
M07 Equipamento de Protecao Individual.pptxM07 Equipamento de Protecao Individual.pptx
M07 Equipamento de Protecao Individual.pptx
 
M7 Equipamento de Protecao Individual.pptx
M7 Equipamento de Protecao Individual.pptxM7 Equipamento de Protecao Individual.pptx
M7 Equipamento de Protecao Individual.pptx
 
Item 58 procedimento de especificação, inspeção e uso de epi
Item 58   procedimento de especificação, inspeção e uso de epiItem 58   procedimento de especificação, inspeção e uso de epi
Item 58 procedimento de especificação, inspeção e uso de epi
 
Treinamento de NR06 Sem os vídeos.pptx
Treinamento de NR06 Sem os vídeos.pptxTreinamento de NR06 Sem os vídeos.pptx
Treinamento de NR06 Sem os vídeos.pptx
 
Equipamento de protecção individual-TREINAMENTO DE EPI
Equipamento de protecção individual-TREINAMENTO DE EPIEquipamento de protecção individual-TREINAMENTO DE EPI
Equipamento de protecção individual-TREINAMENTO DE EPI
 
EPIs - NR6 - AULA 7.pdf
EPIs - NR6 - AULA 7.pdfEPIs - NR6 - AULA 7.pdf
EPIs - NR6 - AULA 7.pdf
 
NR06 - EPI.pptx
NR06 - EPI.pptxNR06 - EPI.pptx
NR06 - EPI.pptx
 
ANEXO III - CONJUNTO DE REQUISITOS DE SEGURANCA_ MEIO AMBIENTE E SAUDE PARA ...
ANEXO III -  CONJUNTO DE REQUISITOS DE SEGURANCA_ MEIO AMBIENTE E SAUDE PARA ...ANEXO III -  CONJUNTO DE REQUISITOS DE SEGURANCA_ MEIO AMBIENTE E SAUDE PARA ...
ANEXO III - CONJUNTO DE REQUISITOS DE SEGURANCA_ MEIO AMBIENTE E SAUDE PARA ...
 
Aula - NR 06 - EPI.ppt
Aula - NR 06 - EPI.pptAula - NR 06 - EPI.ppt
Aula - NR 06 - EPI.ppt
 
Aula - NR 06 - EPI.ppt
Aula - NR 06 - EPI.pptAula - NR 06 - EPI.ppt
Aula - NR 06 - EPI.ppt
 
M7 Equipamento de Protecao Individual.pptx
M7 Equipamento de Protecao Individual.pptxM7 Equipamento de Protecao Individual.pptx
M7 Equipamento de Protecao Individual.pptx
 
Condições de segurança e saúde no trbalaho na industria da construção - NR 18...
Condições de segurança e saúde no trbalaho na industria da construção - NR 18...Condições de segurança e saúde no trbalaho na industria da construção - NR 18...
Condições de segurança e saúde no trbalaho na industria da construção - NR 18...
 
Nr 6 apresentação completa
Nr 6 apresentação completaNr 6 apresentação completa
Nr 6 apresentação completa
 
NR 18 - CONTRUÇÃO CIVIL TREINAMENTO JRC BETONEIRA.ppt
NR 18  - CONTRUÇÃO CIVIL TREINAMENTO JRC BETONEIRA.pptNR 18  - CONTRUÇÃO CIVIL TREINAMENTO JRC BETONEIRA.ppt
NR 18 - CONTRUÇÃO CIVIL TREINAMENTO JRC BETONEIRA.ppt
 
Apresentação11
Apresentação11Apresentação11
Apresentação11
 
Treinamento para uso de epi
Treinamento para uso de epiTreinamento para uso de epi
Treinamento para uso de epi
 
AULA 07 Normas regulamentadoras - NR6; NR9; NR32.pptx
AULA 07 Normas regulamentadoras - NR6; NR9; NR32.pptxAULA 07 Normas regulamentadoras - NR6; NR9; NR32.pptx
AULA 07 Normas regulamentadoras - NR6; NR9; NR32.pptx
 

Último

slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
JoeteCarvalho
 
A Evolução da história da Física - Albert Einstein
A Evolução da história da Física - Albert EinsteinA Evolução da história da Física - Albert Einstein
A Evolução da história da Física - Albert Einstein
WelberMerlinCardoso
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
TomasSousa7
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
rloureiro1
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
silvamelosilva300
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
LucianaCristina58
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
eaiprofpolly
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
TomasSousa7
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
Manuais Formação
 
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
CarinaSantos916505
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
AntnioManuelAgdoma
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
livrosjovert
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
TomasSousa7
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
LeticiaRochaCupaiol
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
PatriciaZanoli
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
MateusTavares54
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
SILVIAREGINANAZARECA
 

Último (20)

slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
 
A Evolução da história da Física - Albert Einstein
A Evolução da história da Física - Albert EinsteinA Evolução da história da Física - Albert Einstein
A Evolução da história da Física - Albert Einstein
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
 
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
 

Epi e epc ifal

  • 1. EPI e EPC– Equipamento de Proteção Individual e Coletiva
  • 2. EPI • 6.1 Todo dispositivo ou produto, de uso individual utilizado pelo trabalhador, destinado à proteção de riscos suscetíveis de ameaçar a segurança e a saúde no trabalho.
  • 3. A função básica do EPI é proteger o trabalhador das exposições aos agentes ambientais.
  • 4. Art. 167 - CLT • 6.2 O EPI só poderá ser posto á venda ou utilizado... Portaria n. 3.214
  • 6. Portaria n.126 2/12/2009 Estabelece procedimentos para o cadastro de empresas e para a emissão ou renovação do CA de EPI Art. 2º O fabricante ou importador, para requerer CA, deve estar cadastrado no MTE; Portaria n.121 30/09/2009 Estabelece as normas técnicas de ensaios e os requisitos obrigatórios aplicáveis aos EPI enquadrados no Anexo I da NR 6
  • 7. • 6.3. A empresa é obrigada a fornecer aos empregados, gratuitamente, EPI adequado ao risco, em perfeito estado de conservação funcionamento, nas condições: a) Medidas de ordem geral; b) Medidas de proteção coletiva; c) Para atender situações de emergência;
  • 8. 6.5 Recomendação do EPI adequado • SESMT; • CIPA; • Designado, mediante orientação de profissional tecnicamente habilitado.
  • 9. 6.6 Cabe ao empregador: • Aquisição; • Exigir uso; • Substituição; • Higienização; • Comunicar irregularidades - MTE.
  • 10.
  • 11. b) Exigir o seu uso; O não uso do EPI implica: • Advertência verbal ou por escrito; • Suspensão; • Demissão.
  • 12. • Art. 482 - CLT – Constituem justa causa para rescisão do contrato de trabalho pelo empregador: e) desídia no desempenho das respectivas funções; h) ato de indisciplina ou de insubordinação;
  • 13. h) registrar o seu fornecimento; FICHA DE CONTROLE • Nome do empregado • Admissão • Matrícula • Setor de trabalho DECLARAÇÃO • Equipamento • Data • nº CA • Tipo/modelo
  • 14.   Qt   Material   CA   Data Recebimen to   Data Devolução Visto do Funcionário                                                                                                                                      
  • 15. Nome do funcionário:________________________________________ _____ Setor:_____________________ Data de admissão: ....../..../.......... TERMO DE RESPONSABILIDADE Declaro que recebi da _____________, os Equipamentos de Proteção Individual – EPI, abaixo relacionados, assim como, as orientações quanto ao uso correto, conservação e finalidade do EPI, reconhecendo que os equipamentos se adaptam perfeitamente para proteção de minha integridade física no desempenho de minhas funções. Estou ciente da obrigatoriedade do uso, de sua devolução ao término do meu contrato de trabalho. _____________________________ Assinatura do funcionário
  • 16. 6.7 Cabe ao trabalhador: • Guarda e conservação; • Comunicar alteração; • Uso adequado.
  • 17. EPI
  • 18. 6.8 Cabe ao fabricante e ao importador • Cadastro – MTE; • Solicitar CA; • Qualidade do EPI;
  • 19. • Comercialização – CA; • Providenciar avaliação conformidade; • Informações limpeza e higienização.
  • 20. Certificado de Aprovação - CA • 5 anos ; • Prazo SINMETRO
  • 21. Ensaios • SINMETRO; • Laboratórios credenciados ao MTE (existem laboratórios para tipos específicos de EPI’s);
  • 22. 6.11 Competência do Ministério do Trabalho e Emprego: Órgão Nacional: • Cadastro: fabricante ou importador; • Emissão de CA; • Renovação de CA;
  • 23. • Fiscalização a qualidade do EPI; • Cancelamento CA; • Suspensão de cadastro;
  • 24. Órgão Regional: • Fiscalização • Orientação • Recolher amostras de EPI • Penalidades
  • 25. Todo EPI deverá apresentar... • Nome comercial da empresa fabricante ou nome do importador; • Lote de fabricação; • Número de CA; • Na impossibilidade o MTE poderá autorizar forma alternativa de gravação, a ser proposta pelo fabricante ou importador.
  • 26.
  • 27. Proteção da cabeça • Capacetes • Capuz
  • 28. Proteção dos olhos e face • Óculos • Protetor facial • Máscara de solda Fonte: www.classificados-brasil.com
  • 29. Proteção auditiva • Protetor tipo conha • Protetor tipo plug/inserção
  • 30. Vantagens dos protetores – tipo concha: • Único tamanho • Colocação rápida • Atenuação uniforme nas duas conchas • Partes substituíveis • Modelos variados • Higiênicos
  • 31. Desvantagens dos Protetores tipo concha: • Desconforto em áreas quentes • Dificuldade em carregar e guardar • Interfere no uso de outros EPI´s • Pode restringir movimentos da cabeça • Desconfortável para 8 horas de trabalho • Não recomendado uso com cabelos compridos, barba, óculos, etc.
  • 32. Vantagens dos PlugsVantagens dos Plugs:: • Utilizado por pessoas de cabelos compridos, barba, cicatriz • Compatível com outros equipamentos • Descartáveis • Pequenos e facilmente transportados e guardados • Boa adaptação a ambientes com calor e umidade excessiva • Não restringe movimentos em áreas muito pequenas
  • 33. Desvantagens dos Plugs:: • Menor atenuação: movimentos (fala, mastigação) podem deslocar o plug • Necessidade de treinamento específico • Bons níveis de atenuação dependem da boa colocação • Menos higiênicos • Só pode ser utilizado em canais auditivos saudáveis • Fáceis de perder • Menor durabilidade
  • 34.
  • 35.
  • 36. Proteção respiratória • Respiradores descartáveis • Respiradores reutilizáveis - Purificadores de ar - Adutores de ar - De fuga
  • 38. • Seleção dos EPR; • Treinamento; • Ensaios de vedação; • Inspeção, limpeza, manutenção e guarda; • Avaliação médica.
  • 39. Seleção dos Equipamentos • Substâncias tóxicas; • Concentração das substâncias; • Limite de tolerância – LT;
  • 40. Proteção dos membros superiores • Luvas - Látex - Nitrílica - Raspa de couro - Malha tricotada
  • 41. AGENTE EPI Produtos químicos contendo solventes orgânicos Luva nitrílica ou neopreno Produtos químicos sólidos ou formulações que não contém solventes orgânicos Luva de látex ou PVC Eletricidade - Choques elétricos em circuitos energizados Luvas de borracha Agentes abrasivos e escoriantes Luvas em raspa e vaqueta
  • 42. Proteção dos membros superiores • Manga • Braçadeira • Dedeira
  • 43. • Creme protetor – foram classificados como EPI’s através da Portaria n. 26 (29/12/1994) a)Grupo 1 - Água-resistente - são aqueles que, quando aplicados à pele do usuário, não facilmente removíveis com água. b) Grupo 2 - óleo-resistente - são aqueles que, quando aplicados à pele do usuário, não são facilmente removíveis na presença de óleos ou substâncias apolares. c) Grupo 3 - Cremes especiais - são aqueles com indicações e usos definidos e bem especificados pelo fabricante.
  • 44. Proteção dos membros inferiores • Calçados - Botas impermeáveis - Botas cano curto - Botas cano longo • Meia • Perneira • Calça
  • 45. SITUAÇÕES EPI Torções, escoriações, derrapagens e umidade Calçado de proteção tipo botina de couro (canos curto e médio) Torções, escoriações, derrapagens , umidade e animais peçonhentos Calçado de proteção tipo botina de couro (canos longo) Umidade, derrapagens e agentes químicos agressivos Calçado de proteção tipo botina de borracha Choques elétricos - Trabalhos ao potencial Calçado de proteção tipo condutivo
  • 46. Proteção do corpo inteiro • Anti-chama • Baixa temperatura • Impermeável Fonte: www.classificados-brasil.com
  • 48.
  • 49. “EPI’s não foram desenvolvidos para substituir cuidados, mas para complementá-los”
  • 50. EPC • São equipamentos que se destinam a proteção coletiva dos trabalhadores e/ou transeuntes, substituindo em alguns casos o EPI.
  • 51. EPC • Extintor de incêndio • Capela • Capela de fluxo laminar • Enclausuramento da fonte • Proteção de tela • Tapumes • Cone e fita de sinalização e etc.
  • 55. Capela de fluxo laminar http://www1.univap.br/~amartin/pesquisas/Infraestrutura.htm
  • 59. GRADE METÁLICA DOBRÁVELGRADE METÁLICA DOBRÁVEL Isolamento e sinalização de áreas de trabalho, poços de inspeção, entrada de galerias subterrâneas e situações semelhantes.
  • 60. CONE E FITA DE SINALIZAÇÃO Fonte: www.parasuaseguranca.blogspot.com
  • 63. MANTA ISOLANTE /MANTA ISOLANTE / COBERTURA ISOLANTECOBERTURA ISOLANTE Isolar as partes energizadas da rede durante a execução de tarefas.
  • 64. Varas de Manobra- NBR 11854 - manuseio do detector de tensão; - instalação e retirada de conjuntos de aterramentos temporário e grampos de linha viva; - instalação de "linha de vida"; - poda de árvores; - limpeza de redes; - troca de lâmpadas, etc.
  • 65. NBR 13018 - Corda para trabalho em instalação energizada - Transmissão
  • 66. CAPACETE Utilizado para proteção da cabeça do empregado contra agentes meteorológicos (trabalho a céu aberto) e trabalho confinado, impactos provenientes de queda ou projeção de objetos, queimaduras, choque elétrico e irradiação solar. Aba Frontal Aba Total http://www.deltamt.com.br/
  • 67. COMPONENTES • Cinta dupla: conjunto de tiras que, repousando sobre a cabeça, destina-se a absorção de impactos. • Carneira: parte da suspensão que circunda a cabeça. www.geraisepi.com.br
  • 68. • Testeira absorvedora de suor: Peça que integra a carneira, revestida de material absorvente e que fica em contato com a testa do usuário. • Jugular: tira ajustável, pressa ao casco que passando sob o queixo, auxilia à fixação do capacete.
  • 69. NBR - 8221 • Classe A • Classe B: 1.Ensaio de Resistência ao Impacto. 2.Ensaio de Resistência à Penetração. 3.Ensaio de Inflamabilidade. 4.Ensaio de Absorção de Água. 5.Ensaio de Rigidez Dielétrica (para os capacetes classe "B").
  • 70. • Profissionais de companhias elétricas, como técnicos e engenheiros, e outros profissionais que precisam trabalhar com altas tensões e correntes elétricas, precisam usar roupas especiais contra a condução, evitando choques, que quase sempre são fatais:
  • 71. TIPOS DE LUVAS UTILIZADAS EM TRABALHOS COM ELETRICIDADE • Antes do uso, deve ser feito teste de inflamento para avaliação visual da luva em busca de rasgos, furos, ressecamentos. http://profcide.blogspot.com/2012/07/como-sao-confeccionadas-as-luvas.html
  • 73. • Usada exclusivamente como proteção da luva isolante de borracha. redecasamais.com.br
  • 74. MANGA DE PROTEÇÃO ISOLANTE DE BORRACHA • Utilizada para proteção do braço e ante braço do empregado contra choque elétrico durante trabalhos em circuitos elétricos energizados. matrizsms.com
  • 75. CALÇADO DE PROTEÇÃO TIPO CONDUTIVO- NBR 12576 • Utilizada para proteção dos pés quando o empregado realiza trabalhos ao potencial. http://www.jrcipa.com.br
  • 82.

Notas do Editor

  1. As principais vias de absorção de agentes nocivos são: a pele no caso de substâncias químicas, por contato, boca através da contaminação, nariz ao inalar substâncias voláteis, olhos também por contaminação ao levar a mão suja aos mesmos ou pela própria exposição, como projeção de partículas.
  2. O anexo II da portaria 121, determina quais as normas técnicas aplicáveis aos ensaios de cada tipo de EPI. A portaria 126
  3. As medidas de ordem geral são a proteção coletiva: sinalização de segurança, proteção de partes móveis de máquinas, climatização do ambiente... Uma situação de emergência seria o caso de derramamento ou vazamento de produto químico...
  4. A importância de se orientar e treinar o trabalhador se dá justamente para resguardar o empregador quando, por acaso, vier acontecer algum acidente com o trabalhador;
  5. Cadastro de acordo com formulário modelo do anexo III da NR 6 juntamente com requerimento modelo do anexo II da Portaria 126 (2/12/2009); Os modelos para solicitar emissão e renovação constam na Portaria n.126 (2/12/2009); A Secretaria de Segurança e Saúde no Trabalho (SSST) está inserida no Departamento de Segurança e Saúde no Trabalho e este, por fim, ligado ao Ministério do Trabalho e Emprego (MTE).
  6. f) Alterações de dados cadastrais podem ser feitos mediante formulário modelo anexo III da Portaria n. 126;
  7. Os protetores tipo plug podem ser do tipo moldável ou pré moldado. Existem protetores com diferentes níveis de atenuação do ruído e a sua escolha vai se dar em função da avaliação ocupacional ao ruído;
  8. Usada para evitar a inalação de vapores orgânicos, névoas ou finas partículas tóxicas. Os purificadores protegem as vias contra poeiras, névoas, fumos, radionuclídeos, vapores orgânicos e gases; Os adutores permitem fornecer o ar geralmente para quem trabalha em ambientes confinados; Os de fuga protegem as vias contra agentes químicos em condições de escape, ou quando a concentração de oxigênio é inferior a 18%
  9. Solventes orgânicos são substâncias químicas que apresentam certa volatilidade e solubilidade, sendo utilizadas como diluentes, dispersantes ou solubilizantes. Existem vários tipos de luvas, por exemplo, específicas para diferentes substâncias a serem manipuladas, especialmente os produtos químicos bem como aquelas para as atividades com eletricidade. A luva de borracha nitrílica ou neoprene é impermeável aos solventes orgânicos. Hidrocarbonetos aromáticos (exemplos: benzeno, tolueno e xileno); Hidrocarbonetos alifáticos (exemplos: hexano, heptano e benzina); Álcoois (exemplos: álcool metílico, álcool etílico e álcool propílico); Cetonas (exemplos: acetona, metil etil cetona e metil isobutil cetona); Ésteres (exemplos: acetato de etilo e acetato de butilo); Éteres (exemplos: éter dibutílico, éter dimetílico e éter etílico); Hidrocarbonetos halogenados (exemplos: cloreto de metileno, dicloreto de etileno, tetra cloro etileno, tetracloreto de carbono, tricloro etano e tricloro etileno); Outros solventes orgânicos.
  10. Os cremes protetores são classificados em: Grupo 1 (água resistente), Grupo 2 (óleo resistente) e Grupo 3 ( cremes especiais).
  11. Equipamentos contra quedas para trabalhos em altura. Utilizados na construção civil, por exemplo. Na verdade, são usado um conjunto de equipamento auxiliares, como ostalabartes (reguláveis e com absorvição de energia) e o trava-quedas.
  12. CABINE DE SEGURANÇA QUÍMICA possui exaustão, evitando a inalação de vapores tóxicos. Ventilação local exaustora é a remoção dos contaminantes do ambiente, próximo de sua fonte de geração ou liberação, antes que possam se espalhar e alcançar a zona respiratória do trabalhador. Por isso é necessário garantir que o fluxo de ar seja suficiente e seu sentido apropriado, particularmente onde o processo gera movimentação do ar. 
  13. FLUXO LAMINAR impede a disseminação de microrganismos patogênicos no laboratório
  14. Luvas segurança isolantes em borracha para alta tensão, com tratamento onde dispensa o uso de luvas de suedine, luvas de tecido antichama e talcos para evitar alergias, dermatites e demais problemas de pele. Classe 00 / 2,5 kV, tensão máxima permitida de até 500 V. Classe 0 / 5 kV, tensão máxima permitida de até 1.000 V. Classe 1 / 10 kV, tensão máxima permitida de até 7.500 V. Classe 2 / 20 kV, tensão máxima permitida de até 17.000 V. Classe 3 / 30 kV, tensão máxima permitida de até 26.500 V. Classe 4 / 40 kV, tensão máxima permitida de até 36.000 V. Aplicações- Utilizada para proteção das mãos contra choques e arcos elétricos em trabalhos de redes elétrica.