SlideShare uma empresa Scribd logo
Prof. Ms. Guilherme Terra
Metodologia e Técnica da Pesquisa
1.    Capa;
2.    Folha de rosto;
3.    Ficha catalográfica;
4.    Folha de Aprovação;
5.    Dedicatória (opcional);
6.    Agradecimentos (opcional);
7.    Epígrafe (opcional);
8.    Resumo em Língua Vernácula;
9.    Resumo em Língua Estrangeira;
10.   Listas (opcional);
11.   Sumário.                        Terra, G.
 Nome     do autor;

 Título   do trabalho;

 Instituição   onde o trabalho foi executado;

 Cidade    e ano de conclusão do trabalho;

                                           Terra, G.
JOÃO MANOEL DA SILVA




TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA CONE BEAM X TOMOGRAFIA
            COMPUTADORIZADA HELICOIDAL”




             UNIVERSIDADE IBIRAPUERA
                   SÃO PAULO
                       2015
 As
   mesmas informações contidas na
 Capa;


 Informar   título ou grau a ser obtido;



                                            Terra, G.
JOÃO MANOEL DA SILVA




“TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA CONE BEAM X TOMOGRAFIA
             COMPUTADORIZADA HELICOIDAL”

                       Monografia apresentada ao Curso de Graduação em
                       Odontologia da Universidade Ibirapuera, como trabalho
                       de conclusão de curso para obtenção do Título de
                       Bacharel em Odontologia.
                       Orientador: Prof. MS. Guilherme T. Coelho Terra



                Universidade Ibirapuera
                      São Paulo
                         2013
 Confeccionada   no verso da folha de rosto.

 Confeccionada   por um bibliotecário.

 Deveser solicitada à biblioteca, somente
 após a apresentação do trabalho para a
 banca de defesa.

                                          Terra, G.
Catalogação na Publicação
                             Serviço de Documentação Odontológica
                                     Universidade Ibirapuera


T323a         Terra, Guilherme Teixeira Coelho
                  Avaliação da precisão em medidas lineares dos exames de tomografia
              computadorizada por feixe cônico e tomografia computadorizada helicoidal,
              realizadas em mandíbulas humanas / Guilherme Teixeira Coelho Terra;
              orientador Antônio Carlos Guedes-Pinto. - - São Paulo, 2011.
                  123p. il., 30cm.
                  Dissertação (Mestrado – Programa de Pós-Graduação em Odontologia.
                  Área de Concentração Bioodontologia) – Universidade Ibirapuera.
                  Orientador: Antônio Carlos Guedes-Pinto.


1.   Tomografia Computadorizada Espiral          3.   Tomografia Computadorizada de Feixe
                                                      Cônico
2.   Implantes Dentários                         4.   Imagem Tridimensional


                                                                                 CDD 617.6
AUTORIZO A REPRODUÇÃO E DIVULGAÇÃO, TOTAL OU PARCIAL DESTE TRABALHO,
POR QUALQUER MEIO, CONVENCIONAL OU ELETRÔNICO, PARA FINS DE ESTUDO E
PESQUISA, DESDE QUE CITADA A FONTE E COMUNICADO AO AUTOR A
REFERÊNCIA DA CITAÇÃO.

São Paulo, _____/_____/_____.

Assinatura:

E-mail: drguilhermeterra@yahoo.com.br
 Deve    conter:
 Nome    do curso.
 Data   da aprovação.
 Nome    completo do coordenador do curso.
 Nome    completo do orientador.
 Local   para assinatura dos mesmos.
                                         Terra, G.
Apresentação do Trabalho de conclusão de curso intitulado ___________________________________
___________________________________________________________________________ pelo aluno
____________________________________________________________________________________
em ______ / ______ / ______ ao curso de Graduação em Odontologia da Universidade Ibirapuera.

                                         Banca Examinadora

1) Prof(a). Dr(a). ___________________________________________________________________________________
Titulação:_________________________________________________________________________________________
Julgamento:____________________________________ Assinatura: _________________________________________


2) Prof(a). Dr(a). ___________________________________________________________________________________
Titulação:_________________________________________________________________________________________
Julgamento:____________________________________ Assinatura: _________________________________________


3) Prof(a). Dr(a). ___________________________________________________________________________________
Titulação:_________________________________________________________________________________________
Julgamento:____________________________________ Assinatura: _________________________________________
 Tem   a finalidade de se dedicar o trabalho
 a alguém, como uma homenagem de
 gratidão especial.


 Não   é obrigatório.

                                          Terra, G.
DEDICATÓRIA

À minha esposa por me
apoiar durante essa fase as
minha vida e por me
permitir    formar     uma
família.




                              Ao meu cachorro XXXXXX por
                              ficar no meu pé durante todas as
                              noites perdidas na frente do
                              computador.




                                                             Aos meus pais XXXXX e XXXXXXX
                                                             por toda dedicação, carinho e
                                                             amor durante todos esses anos
É a revelação de gratidão a todos àqueles
 que contribuíram na elaboração não
 científica do trabalho.

 Ex:  Tia do café, Técnico do laboratório ou
 do Biotério, alguém ou alguma instituição
 que emprestou algum equipamento
 utilizado no trabalho.

 Não   é obrigatório.
                                          Terra, G.
Agradecimentos


Aos Professores Guilherme, Cyro e Vanessa       por me
apresentarem a Odontologia com fundamentos para a minha
formação profissional.

Ao Prof. Guilherme Terra por apresentar a magnífica
disciplina de Metodologia Científica, tornando possível a
confecção desta monografia.

Aos meus colegas que me ajudaram, me conduzindo,
literalmente, ao bar mais próximo, por vários Happy Hours.

A todos que eu posso ter esquecido, que estiveram ao meu
lado durante o curso.
 Uma    citação, pensamento que, de certa
 forma embasou a pesquisa.


 Não   é obrigatório.



                                       Terra, G.
“Não sei ainda que espécie de raio é o X. Mas sei que vai operar milagres”

                     WILHELM CONRAD RÖENTGEN
                           (1845 – 1923)
 Elemento obrigatório, constituído de uma
 seqüência de frases concisas e objetivas e
 não de uma simples enumeração de tópicos.

 Elaborado   na Língua Vernácula.

 Máximo    de 500 palavras.

 Constar   as palavras-chave e/ou descritores.
                                             Terra, G.
Terra GTC. Tomografia computadorizada de feixe cônico x tomografia computadorizada
helicoidal: Avaliando sua precisão em medidas lineares [Dissertação de Mestrado]. São
Paulo: Universidade Ibirapuera. Mestrado em Bioodontologia. 2010.


RESUMO

Desde o advento da tomografia computadorizada por Ambrose e Hounsfield em 1972, o
planejamento dos tratamentos com implantes ganhou um grande aliado, sendo nos dias
de hoje indispensável. As tomografias Fan-Beam e Cone-Beam são técnicas
Imaginológicas onde se obtém imagens em diversos planos com uma fidelidade das
mensurações muito próximas à realidade. Este trabalho procurou avaliar a fidelidade das
Tomografias Fan-Beam e Cone-Beam em relação às medidas reais, utilizando quatro
implantes inseridos em uma mandíbula suína e dela sendo realizadas tomografias Fan-
Beam e Cone-Beam. Os resultados foram submetidos ao método estatístico t de Student
e não foram estatisticamente significantes. Ao avaliar a revisão da literatura e os
resultados deste trabalho, concluímos que os dois tipos de exame são válidos como
ferramenta auxiliar no planejamento de tratamentos com implantes osseointegrados,
sendo que a TC Cone-Beam têm a vantagem de propiciar uma menor dose de radiação
ao paciente, produzir menos artefatos radiológicos, possuir uma melhor qualidade da
imagem dos tecidos duros, ser menos custosa, mais rápida de ser realizada e pode ser
realizada em diversos Centros Radiológicos Odontológicos.




Palavras-chave: Tomografia Computadorizada Espiral, Tomografia Computadorizada de
Feixe Cônico, Implantes Dentários.
 Elemento obrigatório, constituído de uma
 seqüência de frases concisas e objetivas e
 não de uma simples enumeração de
 tópicos.

 Elaborado   na Língua Inglesa.

 Máximo    de 500 palavras.

 Constar   as Keywords.
                                        Terra, G.
Terra GTC. Cone Beam Computed Tomography x Fan Beam Computed Tomography:
Comparing the Accuracy [Monografia para obtenção do título de especialista em
Implantodontia]. São Paulo: Centro de Aperfeiçoamento Profissional e Especialização do
Sindicato dos Odontologistas do Estado de São Paulo. Especialização em Implantodontia.
2009.

ABSTRACT

Since the advent of computed tomography for Hounsfield and Ambrose in 1972, the treatment
planning with implants won a major ally, and today is indispensable. The CT Fan-Beam and
Cone-Beam imaging procedures are where you get images in different planes with fidelity of
measurements very close to reality. This study sought to evaluate the reliability of CT scans
Fan-Beam and Cone-Beam for actual measurements, using four implants inserted in a fever
and her jaw being held CT Fan-Beam and Cone-Beam. The results were submitted to
statistical method and were not statistically significant. In assessing the literature review and
the results of this study, we conclude that both types of examination are valid tool to assist in
planning treatment with osseointegrated implants, and the Cone-Beam CT has the advantage
of providing a lower radiation dose to patient, radiological produce fewer artifacts, has a better
image quality of the hard tissues, less expensive, faster to perform and can be accomplished in
several Centers Dental Radiology




Keywords: Spiral Computed Tomography, Cone-Beam Computed Tomography, Dental
Implants.
   Elemento opcional.


   De acordo com a ordem apresentada no texto.


   Recomenda-se que as listas sejam elaboradas a
    partir de, no mínimo, cinco ilustrações.


                                               Terra, G.
LISTA DE ILUSTRAÇÕES
                                            Pág.

Figura 1 – xxxxxxxxxxxxxxxxx                 XX
Figura 2 - Xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx          XX
Quadro 1 -Xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx          XX
Quadro 2 –Xxxxxxxxxxxxxxxxxx                 XX
Gráfico 1 – Xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx      XX
Gráfico 3 - Xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx    XX
LISTA DE TABELAS
                                             Pág.

Tabela 1 – Xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx       XX
Tabela 2 – Xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx     XX
Tabela 3 - Xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx    XX
Tabela 4 - Xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx    XX
Tabela 5 - Xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx    XX
Tabela 6 - Xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx     XX
Tabela 7 - Xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx     XX
 Elemento   opcional.


 Relação    alfabética das abreviaturas e
 siglas utilizadas no texto, seguidas das
 palavras ou expressões correspondentes.


                                       Terra, G.
LISTA DE ABREVIATURAS E SIGLAS

TC Cone Beam – Tomografia Computadorizada de feixe cônico

TC Fan-Beam – Tomografia Computadorizada de feixe em leque

TC – Tomografia convencional

Rx – Raios-X

USA – United States of America (Estados Unidos da América)
 Elemento   opcional.


 Deve   ser elaborado de acordo com a
 ordem apresentada no texto, com devido
 significado.

                                    Terra, G.
LISTA DE SÍMBOLOS



CrCo – Cromo Cobalto

NiTi – Níquel Titânio

TiO2 – Dióxido de Titânio

AgPd – Prata Paládio
 Enumeração   das principais divisões,
 seções e outras partes de um documento,
 na mesma ordem em que a matéria nele
 se sucede.

A  indicação das páginas localiza-se à
 direita de cada seção.


                                     Terra, G.
SUMÁRIO

                                                             PÁG.


1.   INTRODUÇÃO______________________________________________01

2.   REVISÃO DA LITERATURA_____________________________________03

3.   PROPOSIÇÃO______________________________________________04

4.   MATERIAL E MÉTODO _______________________________________17

5.   RESULTADO _______________________________________________20

6.   DISCUSSÃO_______________________________________________22

7.   CONCLUSÃO ______________________________________________25

REFERÊNCIAS _________________________________________________26
1 - SEÇÃO PRIMÁRIA

1.1 - SEÇÃO SECUNDÁRIA

1.1.1 - Seção Terciária

1.1.1.1. - Seção Quaternária

1.1.1.1.1 - Seção Quinária
                               Terra, G.
SUMÁRIO

                                                                                 PÁG.



1.   INTRODUÇÃO_________________________________________________________________01

2.   REVISÃO DA LITERATURA________________________________________________________03

3.   PROPOSIÇÃO__________________________________________________________________04

4.   MATERIAL E MÉTODO __________________________________________________________17

     4.1 Material _________________________________________________________________17

     4.2 Método _________________________________________________________________23

5.   RESULTADO __________________________________________________________________20

6.   DISCUSSÃO___________________________________________________________________22

7.   CONCLUSÃO __________________________________________________________________25

8.   REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS____________________________________________________26
SUMÁRIO

                                                                                 PÁG.



1.   INTRODUÇÃO_________________________________________________________________01

2.   REVISÃO DA LITERATURA________________________________________________________03

3.   PROPOSIÇÃO__________________________________________________________________04

4.   MATERIAL E MÉTODO __________________________________________________________17

     4.1 Material _________________________________________________________________17

     4.2 Método _________________________________________________________________23

5.   RESULTADO __________________________________________________________________20

6.   DISCUSSÃO___________________________________________________________________22

7.   CONCLUSÃO __________________________________________________________________25

8.   REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS____________________________________________________26
 Partedo trabalho em que é exposto o
 conteúdo principal do trabalho.


 Sua  organização é determinada pela
 natureza do trabalho.



                                  Terra, G.
   Introdução;

   Desenvolvimento;

   Conclusão;



                       Terra, G.
   É a apresentação sucinta e objetiva do
    trabalho, fornecendo informações sobre sua
    natureza, sua importância e sobre como foi
    elaborado: objetivo, métodos e procedimentos
    seguidos;



                                             Terra, G.
   Parte principal do texto, descrevendo
    com detalhes a pesquisa e como foi
    desenvolvida;




                                      Terra, G.
É   a síntese dos resultados do trabalho e
 tem       por     finalidade    recapitular
 sinteticamente os resultados da pesquisa
 elaborada.



                                         Terra, G.
 Introdução;


 Revisão   da Literatura;

 Proposição;


 Discussão;


 Conclusão;
                             Terra, G.
 Introdução;

 Revisão    da Literatura;
 Proposição;

 Material   e Método;
 Resultado;

 Discussão;

 Conclusão;

                              Terra, G.
O   tema é apresentado e esclarecido aos
 leitores.

 Lendo a introdução, o leitor deve sentir-se
 esclarecido a respeito do tema do trabalho
 como do raciocínio a ser desenvolvido.

 Deve   ser escrito em sua totalidade pelo
 autor, porém com certo embasamento
 científico.
                                          Terra, G.
 Parte   do elemento desenvolvimento.

 Onde   será       apresentado       todo
 embasamento científico para o trabalho.


 Serve   para     dar   crédito   à   criação
 intelectual.
                                           Terra, G.
 Abrir
      um espaço para evidenciar que seu
 campo     de   conhecimento   já  está
 estabelecido, mas pode e deve receber
 novas pesquisas.

 Discutiras questões relacionadas ao
 estado da arte da área em que sua
 pesquisa se insere.
                                    Terra, G.
 Diversos
         tipos de literatura, segundo a
 ABNT e Vancouver, podem ser utilizados
 como base científica para o trabalho.

 Porém, o ideal é que se use somente
 Artigos de periódicos, Livros Científicos,
 Anais de Congressos, TCCs, Monografias,
 Dissertações e Teses.

                                        Terra, G.
 As  citações podem ser realizadas no
 sistema Autor-Data ou no sistema
 numérico.

 Podem  ser divididas em Tópicos, porém
 respeitando em todo o trabalho o sistema
 de chamada.


                                      Terra, G.
 Cita-seo sobrenome do autor e a data de
 publicação.

 Os autores são dispostos no texto em
 ordem cronológica.

 As referências bibliográficas são expostas
 no final do trabalho em ordem alfabética.

                                         Terra, G.
 Misch   et al. (2008) afirmou que...
Ou
 Em   2008, Misch et al. afirmou que...
Ou
 Hoje em dia, a tomografia computadorizada
 de feixe cônico já é amplamente utilizada na
 Implantodontia (CHILVAQUER et al., 2008).

                                           Terra, G.
A indicação da fonte é feita por uma
 numeração única e consecutiva.

A numeração deve ser seguida pela ordem
 de aparecimento no texto.

A indicação da numeração deve ser feita
 um pouco acima da linha do texto
 (sobrescrito).
                                     Terra, G.
 Alguns  autores1,5-6,9 indicam que a estabilidade
 primaria é a palavra chave para que seja
 realizado o protocolo de carga imediata com a
 utilização de implantes osseointegrados.

                       Ou

O  uso de expansores de tecido ósseo tem sido
 indicado na literatura5 para o aumento da
 estabilidade primária.
                                               Terra, G.
 Parte   do elemento desenvolvimento.

 Apresentar   o objetivo da pesquisa.

 Deve    ser de maneira clara e concisa.

 Expressarcoerência entre o título, a
 Revisão da Literatura e o Material e
 Método.
                                            Terra, G.
3 – PROPOSIÇÃO:



     A proposta do presente trabalho foi comparar a precisão
dos exames de tomografia de feixe cônico e da tomografia de
feixe em leque, confrontando as medidas obtidas nos exames
tomográficos com as medidas reais, realizadas em um padrão
ouro.
 Parte   do elemento desenvolvimento.
 Discorrer,com todos os detalhes,              a
 seqüência da pesquisa científica.
 Separar,     de preferência, os materiais e os
 métodos.
 Citar  marcas, modelos, particularidade,
 enfim, qualquer diferença que possa
 influenciar no resultado final da pesquisa.

                                             Terra, G.
 Em   pesquisas com seres humanos, deve
 constar os critérios de exclusão e/ou
 inclusão do sujeito da pesquisa.




                                     Terra, G.
 Parte   do elemento desenvolvimento.

 Expor   o obtido em sua pesquisa.

 Poderão   estar expressos em quadros,
 gráficos, tabelas ou texto corrido.

 Os  dados expressos não devem ser
 repetidos.

                                         Terra, G.
• Parte do elemento desenvolvimento.


• Discutir os conceitos dos autores pesquisados entre
    si.

• Estabelecer conexão entre seus resultados e outros
    conceitos presentes na literatura revisada.

   Todos os autores da discussão precisam estar
    na revisão da literatura.
                                                  Terra, G.
 Nesta  fase    deve-se    responder      à
 Proposição.

A  conclusão é a parte onde o autor se
 coloca com liberdade científica, avaliando
 os resultados obtidos e propondo soluções
 e aplicações práticas.


                                        Terra, G.
 São os elementos que tem relação com o
 texto, mas que, para torná-lo menos denso
 e não prejudicá-lo, costumam vir
 apresentados após a parte textual.

 Dentre  os    elementos     pós-textuais,
 destacam-se as referências e os anexo.


                                        Terra, G.
 Conjunto     padronizado   de     elementos

 descritivos, retirados de documentos, de

 forma    e     permitir   sua    identificação

 individual.

                                            Terra, G.
É   um texto não elaborado pelo autor, que
 serve de fundamentação, comprovação e
 ilustração do trabalho.


 Um   exemplo é a aprovação do comitê de
 ética em pesquisa para a execução da
 presente pesquisa.
                                        Terra, G.
A  Citação é a menção no texto de uma
 informação extraída de outra fonte.

 • Citação Direta;


 • Citação indireta;


 • Citação de citação;


                                   Terra, G.
 Transcrição     textual de partes da obra do
 autor consultado.


 Utilizar   o mínimo possível.


                                           Terra, G.
 Texto    baseado    na   obra   do   autor
 consultado.


 Texto   feito pelo autor, transcrevendo as
 idéias do trabalho original.

                                         Terra, G.
 Citaçãodireta ou indireta de um texto em
 que não se teve acesso ao original.

 Evitar   este tipo de citação.

 Utiliza-se
           apenas quando não foi possível
 ter acesso ao trabalho original.

                                       Terra, G.
 Não dar crédito ao autor original da
 pesquisa.

 Qualquer dado retirado de outra pesquisa
 tem, que ser citado o autor.




                                       Terra, G.
A  cópia de trechos integrais da pesquisa
 de terceiro, sem citação da fonte de
 informação, configura o plágio vedado
 expressamente pela Lei nº 9.610/98.

 Em decisão unânime, a 9ª Câmara Cível
 do TJRS confirmou a condenação do
 dentista, que publicou artigo reproduzindo
 parte da dissertação de mestrado da
 colega de profissão.
                                        Terra, G.
 Para  disfarçar a cópia, o réu utilizou-se de
 instrumentos lingüísticos como alterações
 das orações, inversões de palavras e a
 retirada de algumas frases para composição
 de seu texto. O material foi veiculado nos
 anais de congresso especializado em
 odontologia.

A autora da ação de indenização por danos
 morais relatou que, anteriormente, o dentista
 também utilizou o estudo científico dela, sem
 indicação da autoria, na dissertação de
 mestrado que ele fez.
                                            Terra, G.
 Copiar pesquisa de terceiros e conferir a si
 a autoria configura a conduta do plágio”.

 Ainda que as passagens reproduzidas não
 constituam parte expressiva do artigo
 publicado pelo réu, subsiste o direito da
 demandante ter seu nome identificado
 como autora dos trechos reproduzidos.

                                           Terra, G.
O valor da indenização foi de R$ 10 mil
por dano moral devida à demandante, com
acréscimo de juros legais e correção
monetária pelo IGP-M.

O juiz determinou ao réu publicar errata,
por três vezes consecutivas, em revista de
expressão no meio da odontologia,
identificando a autoria dos trechos
copiados.
                                       Terra, G.
Terra, G.
 ABNT




 Vancouver




              Terra, G.
 Associação    Brasileira   de    Normas
 Técnicas.


 Utilizada para elaboração de Referências
 Bibliográficas para trabalhos e artigos de
 qualquer área, seja ela Biológicas,
 Humanas ou Exatas.
                                        Terra, G.
 Referencia-se o(s) autor(e)s pelo seu
 sobrenome em maiúscula, seguida do(s)
 nome(s) abreviado(s) com ponto.

 Separa-se   o sobrenome do prenome por
 vírgula.

 Ex.:Guilherme   Teixeira Coelho Terra
  • TERRA, G. T. C.
                                          Terra, G.
 Atétrês autores, os nomes devem ser
 separados por ponto-e-vírgula, seguido de
 espaço.

 Quando   existirem mais de três autores,
 indica-se       apenas    o      primeiro,
 acrescentando-se a expressão latina et al.


                                        Terra, G.
   SOBRENOME, PRENOME (abreviado); Título: subtítulo
    (se houver). Nome do periódico (em Itálico), Local de
    publicação, volume, número ou fascículo, paginação,
    data de publicação do periódico.

   TERRA, G. T. C. Utilização de expansores rosqueáveis
    na confecção de alvéolos cirúrgicos. Revista Paulista de
    Odontologia, São Paulo, v. 32, n. 4, p. 45-57, 2010.



                                                        Terra, G.
   SOBRENOME, PRENOME(s) abreviado. Título: subtítulo
    (se houver). Nome do periódico (em itálico), local de
    publicação, volume, número ou fascículo, mês(s)
    abreviado. ano. <endereço da URL>. Data de acesso:

   TERRA, G. T. C. Utilização de expansores rosqueáveis
    na confecção de alvéolos cirúrgicos. Revista Paulista de
    Odontologia, São Paulo, v. 32, n. 4, out./dez. 2010.
    <www.soesp.org.br/revista/artigoexpansoresguilhermeter
    ra.html>. Data de acesso: 10/03/2011.


                                                        Terra, G.
   SOBRENOME, PRENOME abreviado do autor do capítulo.
    Título: subtítulo (se houver) do capítulo. In: AUTOR DO
    LIVRO. Título do livro (em itálico): subtítulo do livro (se
    houver). Local de publicação: Editora, data de publicação.
    paginação referente ao capítulo.



   RESNIK, R. R.; KIRCOS, L.T.; MISCH, C. E.
    Técnicas e diagnostico por imagem. In: MISCH, C.
    E. Implantes dentais contemporâneos. Rio de
    Janeiro: Elsevier, 2008. p. 38-67.
                                                           Terra, G.
   Manual proposto pelo Comitê Internacional de
    Editores de Revistas Médicas (International
    Committee of Medical Journal Editors - ICMJE).


   Em 1978, um pequeno grupo de editores de
    revistas internacionais da área Biomédica,
    reunidos em Vancouver, Canadá, estabeleceu as
    diretrizes para a formatação de Referências
    Bibliográfica e suas citações no texto.

                                               Terra, G.
 Periodicamente, este Comitê reúne-se a
 fim de revisar estes requisitos e fazer as
 adequações necessárias.

 Atualmente,fazem parte deste Comitê os
 editores das revistas internacionais de
 maior impacto na área Biomédica.

                                        Terra, G.
 Referencia-se o(s) autor(e)s pelo seu
 sobrenome, sendo que apenas a letra
 inicial é em maiúscula, seguida do(s)
 nome(s) abreviado(s) e sem o ponto.


 Ex:   Guilherme Teixeira Coelho Terra
  • Terra GTC.

                                          Terra, G.
 Quando  o documento possui de um até seis
 autores, citar todos os autores, separados
 por vírgula.

 Ex:Halpern SD, Ubel PA, Caplan AL. Solid-
 organ transplantation in HIV-infected
 patients. N Engl J Med. 2002;347(4):284-7.

                                        Terra, G.
 Quando     o documento possui mais de seis
    autores, citar todos os seis primeiros autores
    seguidos da expressão latina “et al”.


   Ex: Rose ME, Huerbin MB, Melick J, Marion DW, Palmer
    AM, Schiding JK, et al. Regulation of interstitial excitatory
    amino acid concentrations after cortical contusion injury.
    Brain Res. 2002;935(1):40-6.


                                                             Terra, G.
 Indicar
       o(s) nome(s) da(s) organização(ões)
 quando esta(s) assume(m) a autoria do
 documento consultado.

 Ex:
    CRA Foundation. Why resin curing lights
 do not increase tooth lightening. CRA
 Newsletter. 2000 Aug;57(1):61-5.


                                        Terra, G.
 Artigos   de periódicos;

 Artigos   de periódicos eletrônicos;

 Livros;


 Trabalhos   de conclusão de curso;

 Anais   de Congressos;
                                         Terra, G.
 Conhecidos   também como revistas e jornais;


 Autor(es)
          do artigo. Título do artigo. Título do
 periódico abreviado. Data de publicação;
 volume (número): página inicial-final do
 artigo.


                                            Terra, G.
   Cotrim-Ferreira FA, Lascala CA, Costa C, Garib DG,
    Chilvarquer I, Cavalcanti MGP, et al. Modernos métodos
    de radiologia e Imaginologia para uso ortodôntico.
    Ortodontia. 2008;41(1):62-71.

   Danforth RA, Peck J, Hall P. Cone Beam volume
    tomography: an imaging option for diagnosis of complex
    mandibular third molar anatomical relationships. J Calif
    Dent Assoc. 2003;31(11):847-52.



                                                        Terra, G.
   Autor do artigo. Título do artigo. Título do periódico abreviado.
    Data da publicação [data de acesso com a expressão “acesso
    em”]; volume(número): [número de páginas aproximado].
    Endereço do site com a expressão “Disponível em:”


   Miles DA. Clinical Experience with Cone-beam Volumetric
    Imaging. US Dentistry. 2006 [acesso em 2009 Jul 18]; 32(2):
    [aproximadamente          6      p.].   Disponível      em:
    www.learndigital.net/articles/2007/CBCT_Touch_Briefings.pdf.



                                                                Terra, G.
 Autor(es)   do livro. Título do livro. Edição. Cidade
 de publicação: Editora; Ano de publicação.


 Misch   CE. Implantes dentais contemporâneos.
 3ª ed. Rio de Janeiro: Elsevier; 2008.



                                                   Terra, G.
   Autor(es) do capítulo. Título do capítulo. “In”: nome(s) do(s)
    autor(es) ou editor(es). Título do livro. Edição. Cidade de
    publicação: Editora; Ano de publicação. página inicial-final do
    capítulo.


   Resnik RR, Kircos LT, Misch CE. Técnicas e diagnostico por
    imagem. In: Misch CE. Implantes dentais contemporâneos. 3ª
    ed. Rio de Janeiro: Elsevier; 2008. p. 38-67.



                                                                  Terra, G.
 Pode    ser    TCC,     Monografia    de
 especialização, Dissertação de Mestrado e
 Teses de Doutorado, Pós Doutorado e
 Livre Docência.




                                       Terra, G.
   Autor. Título do trabalho [tipo do documento].
    Cidade de publicação: Editora; Ano de defesa do
    trabalho.


   Saddy MS. Estudo comparativo entre a tomografia
    computadorizada e a tomografia volumétrica na
    confecção de modelos de prototipagem. [Tese de
    Doutorado]. São Paulo: Faculdade de Odontologia
    da USP; 2006.

                                               Terra, G.
   Autor(es) do trabalho. Título do trabalho. Título do
    evento; data do evento; local do evento. Cidade de
    publicação: Editora; Ano de publicação.


   Terra VHTC, Terra GTC, Domingos VBTC. Visão que o
    aluno de Odontologia tem da Multidisciplinaridade
    Odontologia – Fonoaudiologia no curso de Graduação
    em Odontologia. 19ª Reunião científica da SBPQO;
    2000; Águas de Lindóia. SBPQO; 2000.

                                                    Terra, G.
   Bireme
    http://www.bireme.br


   Scielo
    http://www.scielo.br


   Sites de Universidades
    http://www.fo.usp.br/sdo

                               Terra, G.
   Sites de Revistas
    http://jada.ada.org/


   Site Periódicos Capes
    http://www.periodicos.capes.gov.br


   Google

                                         Terra, G.
Prof. Guilherme Teixeira Coelho Terra

                     Mestre em Odontologia
           Especialista em Implantodontia e Dentística
Professor e Assistente da Coordenação do Curso de Odontologia da
                      Universidade Ibirapuera

                 drguilhermeterra@yahoo.com.br

                                                                Terra, G.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Relatório de estágio de joão areias
Relatório de estágio de joão areiasRelatório de estágio de joão areias
Relatório de estágio de joão areias
João Areias
 
Relatorio de estágio final.de estagio Supervisionado Kamilla Martins Rodrigues
Relatorio de estágio final.de estagio Supervisionado Kamilla Martins RodriguesRelatorio de estágio final.de estagio Supervisionado Kamilla Martins Rodrigues
Relatorio de estágio final.de estagio Supervisionado Kamilla Martins Rodrigues
Kamilla Rodrigues
 
Movimento retilíneo uniforme - MRU
Movimento retilíneo uniforme - MRUMovimento retilíneo uniforme - MRU
Movimento retilíneo uniforme - MRU
O mundo da FÍSICA
 
Manual de portugol
Manual de portugolManual de portugol
Manual de portugol
Gabriel Faustino
 
Relatório de Estágio - Curso Técnico em Biblioteconomia
Relatório de Estágio - Curso Técnico em BiblioteconomiaRelatório de Estágio - Curso Técnico em Biblioteconomia
Relatório de Estágio - Curso Técnico em Biblioteconomia
Vanessa Souza Pereira
 
Minha História de vida
Minha História de vida   Minha História de vida
Minha História de vida
Doralice dos Santos Bernardino
 
Apresentação da Dissertação de Mestrado
Apresentação da Dissertação de MestradoApresentação da Dissertação de Mestrado
Apresentação da Dissertação de Mestrado
giselle_trajano
 
Tabela met
Tabela metTabela met
Tabela met
Camilla Colina
 
RELATÓRIO DE ESTÁGIO I
RELATÓRIO DE ESTÁGIO IRELATÓRIO DE ESTÁGIO I
RELATÓRIO DE ESTÁGIO I
Magno Araújo
 
Modelo de currículo para estágio - sem experiência
Modelo de currículo para estágio - sem experiênciaModelo de currículo para estágio - sem experiência
Modelo de currículo para estágio - sem experiência
Nilo Barrozo da Luz
 
FORMAÇÃO TUTORIA.pptx
FORMAÇÃO TUTORIA.pptxFORMAÇÃO TUTORIA.pptx
FORMAÇÃO TUTORIA.pptx
Paul Roger Gonçalves Ocampos .'.
 
Mru movimento retilineo uniforme
Mru   movimento retilineo uniformeMru   movimento retilineo uniforme
Mru movimento retilineo uniforme
Vlamir Gama Rocha
 
Relatorio de estagio
Relatorio de estagio Relatorio de estagio
Relatorio de estagio
Emerson Rodrigues Dias
 
Estação topografia: o que é e como operar?
Estação topografia: o que é e como operar?Estação topografia: o que é e como operar?
Estação topografia: o que é e como operar?
Adenilson Giovanini
 
Leitura da mira
Leitura da miraLeitura da mira
TUTORIA - NOVO ENSINO MÉDIO
TUTORIA - NOVO ENSINO MÉDIOTUTORIA - NOVO ENSINO MÉDIO
TUTORIA - NOVO ENSINO MÉDIO
Dellon Sousa
 
ANATOMIA PEDIÁTRICA: PARTICULARIDADES
ANATOMIA PEDIÁTRICA: PARTICULARIDADESANATOMIA PEDIÁTRICA: PARTICULARIDADES
ANATOMIA PEDIÁTRICA: PARTICULARIDADES
Thassiany Sarmento
 
Biomecânica - Aula 7 cinematica linear
Biomecânica - Aula 7   cinematica linearBiomecânica - Aula 7   cinematica linear
Biomecânica - Aula 7 cinematica linear
Felipe P Carpes - Universidade Federal do Pampa
 
Cinesiologia alavancas
Cinesiologia   alavancasCinesiologia   alavancas
Cinesiologia alavancas
Wando Pagani
 
Modulo 07
Modulo 07Modulo 07
Modulo 07
FormacaoBaiao
 

Mais procurados (20)

Relatório de estágio de joão areias
Relatório de estágio de joão areiasRelatório de estágio de joão areias
Relatório de estágio de joão areias
 
Relatorio de estágio final.de estagio Supervisionado Kamilla Martins Rodrigues
Relatorio de estágio final.de estagio Supervisionado Kamilla Martins RodriguesRelatorio de estágio final.de estagio Supervisionado Kamilla Martins Rodrigues
Relatorio de estágio final.de estagio Supervisionado Kamilla Martins Rodrigues
 
Movimento retilíneo uniforme - MRU
Movimento retilíneo uniforme - MRUMovimento retilíneo uniforme - MRU
Movimento retilíneo uniforme - MRU
 
Manual de portugol
Manual de portugolManual de portugol
Manual de portugol
 
Relatório de Estágio - Curso Técnico em Biblioteconomia
Relatório de Estágio - Curso Técnico em BiblioteconomiaRelatório de Estágio - Curso Técnico em Biblioteconomia
Relatório de Estágio - Curso Técnico em Biblioteconomia
 
Minha História de vida
Minha História de vida   Minha História de vida
Minha História de vida
 
Apresentação da Dissertação de Mestrado
Apresentação da Dissertação de MestradoApresentação da Dissertação de Mestrado
Apresentação da Dissertação de Mestrado
 
Tabela met
Tabela metTabela met
Tabela met
 
RELATÓRIO DE ESTÁGIO I
RELATÓRIO DE ESTÁGIO IRELATÓRIO DE ESTÁGIO I
RELATÓRIO DE ESTÁGIO I
 
Modelo de currículo para estágio - sem experiência
Modelo de currículo para estágio - sem experiênciaModelo de currículo para estágio - sem experiência
Modelo de currículo para estágio - sem experiência
 
FORMAÇÃO TUTORIA.pptx
FORMAÇÃO TUTORIA.pptxFORMAÇÃO TUTORIA.pptx
FORMAÇÃO TUTORIA.pptx
 
Mru movimento retilineo uniforme
Mru   movimento retilineo uniformeMru   movimento retilineo uniforme
Mru movimento retilineo uniforme
 
Relatorio de estagio
Relatorio de estagio Relatorio de estagio
Relatorio de estagio
 
Estação topografia: o que é e como operar?
Estação topografia: o que é e como operar?Estação topografia: o que é e como operar?
Estação topografia: o que é e como operar?
 
Leitura da mira
Leitura da miraLeitura da mira
Leitura da mira
 
TUTORIA - NOVO ENSINO MÉDIO
TUTORIA - NOVO ENSINO MÉDIOTUTORIA - NOVO ENSINO MÉDIO
TUTORIA - NOVO ENSINO MÉDIO
 
ANATOMIA PEDIÁTRICA: PARTICULARIDADES
ANATOMIA PEDIÁTRICA: PARTICULARIDADESANATOMIA PEDIÁTRICA: PARTICULARIDADES
ANATOMIA PEDIÁTRICA: PARTICULARIDADES
 
Biomecânica - Aula 7 cinematica linear
Biomecânica - Aula 7   cinematica linearBiomecânica - Aula 7   cinematica linear
Biomecânica - Aula 7 cinematica linear
 
Cinesiologia alavancas
Cinesiologia   alavancasCinesiologia   alavancas
Cinesiologia alavancas
 
Modulo 07
Modulo 07Modulo 07
Modulo 07
 

Destaque

Princípios de Oclusao e ajuste oclusal
Princípios de Oclusao e ajuste oclusalPrincípios de Oclusao e ajuste oclusal
Princípios de Oclusao e ajuste oclusal
profguilhermeterra
 
Elementos pré textuais
Elementos pré textuaisElementos pré textuais
Elementos pré textuais
profguilhermeterra
 
Elementos do trabalho científico
Elementos do trabalho científicoElementos do trabalho científico
Elementos do trabalho científico
profguilhermeterra
 
Oclusão e ajuste oclusal
Oclusão e ajuste oclusalOclusão e ajuste oclusal
Oclusão e ajuste oclusal
profguilhermeterra
 
Tipos e partes dos trabalhos científicos
Tipos e partes dos trabalhos científicosTipos e partes dos trabalhos científicos
Tipos e partes dos trabalhos científicos
profguilhermeterra
 
Exame clínico em Dentística
Exame clínico em DentísticaExame clínico em Dentística
Exame clínico em Dentística
profguilhermeterra
 
Princípios de oclusão e ajuste oclusal
Princípios de oclusão e ajuste oclusalPrincípios de oclusão e ajuste oclusal
Princípios de oclusão e ajuste oclusal
profguilhermeterra
 
Preparo e restauração classes II e V em amálgama
Preparo e restauração classes II e V em amálgamaPreparo e restauração classes II e V em amálgama
Preparo e restauração classes II e V em amálgama
profguilhermeterra
 
Exame clínico em Dentística
Exame clínico em DentísticaExame clínico em Dentística
Exame clínico em Dentística
profguilhermeterra
 
éTica em pesquisa
éTica em pesquisaéTica em pesquisa
éTica em pesquisa
profguilhermeterra
 
Resolução 196/96
Resolução 196/96Resolução 196/96
Resolução 196/96
profguilhermeterra
 
Fundamentos do conhecimento científico
Fundamentos do conhecimento científicoFundamentos do conhecimento científico
Fundamentos do conhecimento científico
profguilhermeterra
 
Adesivos dentinários e Restaurações Anteriores em Resinas Compostas
Adesivos dentinários e Restaurações Anteriores em Resinas CompostasAdesivos dentinários e Restaurações Anteriores em Resinas Compostas
Adesivos dentinários e Restaurações Anteriores em Resinas Compostas
profguilhermeterra
 
Cimento de ionômero de vidro
Cimento de ionômero de vidroCimento de ionômero de vidro
Cimento de ionômero de vidro
profguilhermeterra
 
Restaurações posteriores em resinas compostas
Restaurações posteriores em resinas compostasRestaurações posteriores em resinas compostas
Restaurações posteriores em resinas compostas
profguilhermeterra
 
Proteção do complexo dentino-pulpar
Proteção do complexo dentino-pulparProteção do complexo dentino-pulpar
Proteção do complexo dentino-pulpar
profguilhermeterra
 
Preparo e restauração classes II e V em amálgama
Preparo e restauração classes II e V em amálgamaPreparo e restauração classes II e V em amálgama
Preparo e restauração classes II e V em amálgama
profguilhermeterra
 
Restaurações em resinas compostas
Restaurações em resinas compostasRestaurações em resinas compostas
Restaurações em resinas compostas
profguilhermeterra
 

Destaque (18)

Princípios de Oclusao e ajuste oclusal
Princípios de Oclusao e ajuste oclusalPrincípios de Oclusao e ajuste oclusal
Princípios de Oclusao e ajuste oclusal
 
Elementos pré textuais
Elementos pré textuaisElementos pré textuais
Elementos pré textuais
 
Elementos do trabalho científico
Elementos do trabalho científicoElementos do trabalho científico
Elementos do trabalho científico
 
Oclusão e ajuste oclusal
Oclusão e ajuste oclusalOclusão e ajuste oclusal
Oclusão e ajuste oclusal
 
Tipos e partes dos trabalhos científicos
Tipos e partes dos trabalhos científicosTipos e partes dos trabalhos científicos
Tipos e partes dos trabalhos científicos
 
Exame clínico em Dentística
Exame clínico em DentísticaExame clínico em Dentística
Exame clínico em Dentística
 
Princípios de oclusão e ajuste oclusal
Princípios de oclusão e ajuste oclusalPrincípios de oclusão e ajuste oclusal
Princípios de oclusão e ajuste oclusal
 
Preparo e restauração classes II e V em amálgama
Preparo e restauração classes II e V em amálgamaPreparo e restauração classes II e V em amálgama
Preparo e restauração classes II e V em amálgama
 
Exame clínico em Dentística
Exame clínico em DentísticaExame clínico em Dentística
Exame clínico em Dentística
 
éTica em pesquisa
éTica em pesquisaéTica em pesquisa
éTica em pesquisa
 
Resolução 196/96
Resolução 196/96Resolução 196/96
Resolução 196/96
 
Fundamentos do conhecimento científico
Fundamentos do conhecimento científicoFundamentos do conhecimento científico
Fundamentos do conhecimento científico
 
Adesivos dentinários e Restaurações Anteriores em Resinas Compostas
Adesivos dentinários e Restaurações Anteriores em Resinas CompostasAdesivos dentinários e Restaurações Anteriores em Resinas Compostas
Adesivos dentinários e Restaurações Anteriores em Resinas Compostas
 
Cimento de ionômero de vidro
Cimento de ionômero de vidroCimento de ionômero de vidro
Cimento de ionômero de vidro
 
Restaurações posteriores em resinas compostas
Restaurações posteriores em resinas compostasRestaurações posteriores em resinas compostas
Restaurações posteriores em resinas compostas
 
Proteção do complexo dentino-pulpar
Proteção do complexo dentino-pulparProteção do complexo dentino-pulpar
Proteção do complexo dentino-pulpar
 
Preparo e restauração classes II e V em amálgama
Preparo e restauração classes II e V em amálgamaPreparo e restauração classes II e V em amálgama
Preparo e restauração classes II e V em amálgama
 
Restaurações em resinas compostas
Restaurações em resinas compostasRestaurações em resinas compostas
Restaurações em resinas compostas
 

Semelhante a Elementos do trabalho científico

Adesão à superfície de esmalte clareado
Adesão à superfície de esmalte clareadoAdesão à superfície de esmalte clareado
Adesão à superfície de esmalte clareado
mauronunes2011
 
Avaliação in situ da microdureza do esmalte dental
Avaliação in situ da microdureza do esmalte dentalAvaliação in situ da microdureza do esmalte dental
Avaliação in situ da microdureza do esmalte dental
mauronunes2011
 
1. A pobreza e a mente_perspectiva da ciência cognitiva (2).pdf
1. A pobreza e a mente_perspectiva da ciência cognitiva (2).pdf1. A pobreza e a mente_perspectiva da ciência cognitiva (2).pdf
1. A pobreza e a mente_perspectiva da ciência cognitiva (2).pdf
PatrciaDaSilvaGaldin1
 
291197
291197291197
Arborizacao x temperatura
Arborizacao x temperaturaArborizacao x temperatura
Arborizacao x temperatura
arboreo.net
 
Eugenio gabrielkeglerpangrazio
Eugenio gabrielkeglerpangrazioEugenio gabrielkeglerpangrazio
Eugenio gabrielkeglerpangrazio
Vivian Bertoglio Gazzola
 
eBook Muito além das palavras: leituras multimodais a partir da semiótica soc...
eBook Muito além das palavras: leituras multimodais a partir da semiótica soc...eBook Muito além das palavras: leituras multimodais a partir da semiótica soc...
eBook Muito além das palavras: leituras multimodais a partir da semiótica soc...
Pimenta Cultural
 
Protocolo flatabutmant
Protocolo flatabutmantProtocolo flatabutmant
Protocolo flatabutmant
droliv
 
Anais 11 cio 2015
Anais 11 cio 2015Anais 11 cio 2015
Anais 11 cio 2015
CIOUNIAN
 
“Influência do formol utilizado para conservação de cadáveres na obtenção de ...
“Influência do formol utilizado para conservação de cadáveres na obtenção de ...“Influência do formol utilizado para conservação de cadáveres na obtenção de ...
“Influência do formol utilizado para conservação de cadáveres na obtenção de ...
José Antonio Paniagua
 
Mateus donega
Mateus donegaMateus donega
Mateus donega
rfoltran
 
Metodologia automatizada para seleção de áreas para disposição de resíduos só...
Metodologia automatizada para seleção de áreas para disposição de resíduos só...Metodologia automatizada para seleção de áreas para disposição de resíduos só...
Metodologia automatizada para seleção de áreas para disposição de resíduos só...
Maria José Brollo
 
Dissertação implicações mutualismo trofobiótico
Dissertação implicações mutualismo trofobióticoDissertação implicações mutualismo trofobiótico
Dissertação implicações mutualismo trofobiótico
Carlos Alberto Monteiro
 
Sustentabilidade de Empreendimentos Habitacionais Populares: Desenvolvimento ...
Sustentabilidade de Empreendimentos Habitacionais Populares: Desenvolvimento ...Sustentabilidade de Empreendimentos Habitacionais Populares: Desenvolvimento ...
Sustentabilidade de Empreendimentos Habitacionais Populares: Desenvolvimento ...
Atena Editora
 
Luiz fernandoferrazsilva
Luiz fernandoferrazsilvaLuiz fernandoferrazsilva
Luiz fernandoferrazsilva
danielserra2306
 
CONTAMINAÇÃO TOXICA
CONTAMINAÇÃO TOXICACONTAMINAÇÃO TOXICA
CONTAMINAÇÃO TOXICA
Jose Geraldo Salvador Silva
 
Jornal aengenharia Maio 2017
Jornal aengenharia Maio 2017Jornal aengenharia Maio 2017
Jornal aengenharia Maio 2017
LMBN
 
Caracterização e detecção moleculares
Caracterização e detecção molecularesCaracterização e detecção moleculares
Caracterização e detecção moleculares
Valesca Lima
 
Biological Sciences Foundantions
Biological Sciences Foundantions Biological Sciences Foundantions
Biological Sciences Foundantions
Atena Editora
 
Alex jonesflorescassenote
Alex jonesflorescassenoteAlex jonesflorescassenote
Alex jonesflorescassenote
EnosEmerick
 

Semelhante a Elementos do trabalho científico (20)

Adesão à superfície de esmalte clareado
Adesão à superfície de esmalte clareadoAdesão à superfície de esmalte clareado
Adesão à superfície de esmalte clareado
 
Avaliação in situ da microdureza do esmalte dental
Avaliação in situ da microdureza do esmalte dentalAvaliação in situ da microdureza do esmalte dental
Avaliação in situ da microdureza do esmalte dental
 
1. A pobreza e a mente_perspectiva da ciência cognitiva (2).pdf
1. A pobreza e a mente_perspectiva da ciência cognitiva (2).pdf1. A pobreza e a mente_perspectiva da ciência cognitiva (2).pdf
1. A pobreza e a mente_perspectiva da ciência cognitiva (2).pdf
 
291197
291197291197
291197
 
Arborizacao x temperatura
Arborizacao x temperaturaArborizacao x temperatura
Arborizacao x temperatura
 
Eugenio gabrielkeglerpangrazio
Eugenio gabrielkeglerpangrazioEugenio gabrielkeglerpangrazio
Eugenio gabrielkeglerpangrazio
 
eBook Muito além das palavras: leituras multimodais a partir da semiótica soc...
eBook Muito além das palavras: leituras multimodais a partir da semiótica soc...eBook Muito além das palavras: leituras multimodais a partir da semiótica soc...
eBook Muito além das palavras: leituras multimodais a partir da semiótica soc...
 
Protocolo flatabutmant
Protocolo flatabutmantProtocolo flatabutmant
Protocolo flatabutmant
 
Anais 11 cio 2015
Anais 11 cio 2015Anais 11 cio 2015
Anais 11 cio 2015
 
“Influência do formol utilizado para conservação de cadáveres na obtenção de ...
“Influência do formol utilizado para conservação de cadáveres na obtenção de ...“Influência do formol utilizado para conservação de cadáveres na obtenção de ...
“Influência do formol utilizado para conservação de cadáveres na obtenção de ...
 
Mateus donega
Mateus donegaMateus donega
Mateus donega
 
Metodologia automatizada para seleção de áreas para disposição de resíduos só...
Metodologia automatizada para seleção de áreas para disposição de resíduos só...Metodologia automatizada para seleção de áreas para disposição de resíduos só...
Metodologia automatizada para seleção de áreas para disposição de resíduos só...
 
Dissertação implicações mutualismo trofobiótico
Dissertação implicações mutualismo trofobióticoDissertação implicações mutualismo trofobiótico
Dissertação implicações mutualismo trofobiótico
 
Sustentabilidade de Empreendimentos Habitacionais Populares: Desenvolvimento ...
Sustentabilidade de Empreendimentos Habitacionais Populares: Desenvolvimento ...Sustentabilidade de Empreendimentos Habitacionais Populares: Desenvolvimento ...
Sustentabilidade de Empreendimentos Habitacionais Populares: Desenvolvimento ...
 
Luiz fernandoferrazsilva
Luiz fernandoferrazsilvaLuiz fernandoferrazsilva
Luiz fernandoferrazsilva
 
CONTAMINAÇÃO TOXICA
CONTAMINAÇÃO TOXICACONTAMINAÇÃO TOXICA
CONTAMINAÇÃO TOXICA
 
Jornal aengenharia Maio 2017
Jornal aengenharia Maio 2017Jornal aengenharia Maio 2017
Jornal aengenharia Maio 2017
 
Caracterização e detecção moleculares
Caracterização e detecção molecularesCaracterização e detecção moleculares
Caracterização e detecção moleculares
 
Biological Sciences Foundantions
Biological Sciences Foundantions Biological Sciences Foundantions
Biological Sciences Foundantions
 
Alex jonesflorescassenote
Alex jonesflorescassenoteAlex jonesflorescassenote
Alex jonesflorescassenote
 

Mais de profguilhermeterra

Da orientação à apresentação do tcc
Da orientação à apresentação do tccDa orientação à apresentação do tcc
Da orientação à apresentação do tcc
profguilhermeterra
 
Periódicos científicos
Periódicos científicosPeriódicos científicos
Periódicos científicos
profguilhermeterra
 
Princípios de Oclusao e ajuste oclusal
Princípios de Oclusao e ajuste oclusalPrincípios de Oclusao e ajuste oclusal
Princípios de Oclusao e ajuste oclusal
profguilhermeterra
 
Fotopolimerização e fatores de contração
Fotopolimerização e fatores de contraçãoFotopolimerização e fatores de contração
Fotopolimerização e fatores de contração
profguilhermeterra
 
Classificações das Resinas Compostas
Classificações das Resinas CompostasClassificações das Resinas Compostas
Classificações das Resinas Compostas
profguilhermeterra
 
Isolamento do Campo Operatório
Isolamento do Campo OperatórioIsolamento do Campo Operatório
Isolamento do Campo Operatório
profguilhermeterra
 
Classificações das resinas compostas
Classificações das resinas compostasClassificações das resinas compostas
Classificações das resinas compostas
profguilhermeterra
 
Instrumentos para Restaurações em Amálgama
Instrumentos para Restaurações em AmálgamaInstrumentos para Restaurações em Amálgama
Instrumentos para Restaurações em Amálgama
profguilhermeterra
 
Restaurações em Amálgama
Restaurações em AmálgamaRestaurações em Amálgama
Restaurações em Amálgama
profguilhermeterra
 
Revisão anatômica dental
Revisão anatômica dentalRevisão anatômica dental
Revisão anatômica dental
profguilhermeterra
 
Nomenclatura e Classificação das Cavidades
Nomenclatura e Classificação das CavidadesNomenclatura e Classificação das Cavidades
Nomenclatura e Classificação das Cavidades
profguilhermeterra
 
Cárie com interesse à Dentística
Cárie com interesse à DentísticaCárie com interesse à Dentística
Cárie com interesse à Dentística
profguilhermeterra
 

Mais de profguilhermeterra (12)

Da orientação à apresentação do tcc
Da orientação à apresentação do tccDa orientação à apresentação do tcc
Da orientação à apresentação do tcc
 
Periódicos científicos
Periódicos científicosPeriódicos científicos
Periódicos científicos
 
Princípios de Oclusao e ajuste oclusal
Princípios de Oclusao e ajuste oclusalPrincípios de Oclusao e ajuste oclusal
Princípios de Oclusao e ajuste oclusal
 
Fotopolimerização e fatores de contração
Fotopolimerização e fatores de contraçãoFotopolimerização e fatores de contração
Fotopolimerização e fatores de contração
 
Classificações das Resinas Compostas
Classificações das Resinas CompostasClassificações das Resinas Compostas
Classificações das Resinas Compostas
 
Isolamento do Campo Operatório
Isolamento do Campo OperatórioIsolamento do Campo Operatório
Isolamento do Campo Operatório
 
Classificações das resinas compostas
Classificações das resinas compostasClassificações das resinas compostas
Classificações das resinas compostas
 
Instrumentos para Restaurações em Amálgama
Instrumentos para Restaurações em AmálgamaInstrumentos para Restaurações em Amálgama
Instrumentos para Restaurações em Amálgama
 
Restaurações em Amálgama
Restaurações em AmálgamaRestaurações em Amálgama
Restaurações em Amálgama
 
Revisão anatômica dental
Revisão anatômica dentalRevisão anatômica dental
Revisão anatômica dental
 
Nomenclatura e Classificação das Cavidades
Nomenclatura e Classificação das CavidadesNomenclatura e Classificação das Cavidades
Nomenclatura e Classificação das Cavidades
 
Cárie com interesse à Dentística
Cárie com interesse à DentísticaCárie com interesse à Dentística
Cárie com interesse à Dentística
 

Último

Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
felipescherner
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
marcos oliveira
 
_jogo-brinquedo-brincadeira-e-a-e-ducacao-tizuko-morchida-kishimoto-leandro-p...
_jogo-brinquedo-brincadeira-e-a-e-ducacao-tizuko-morchida-kishimoto-leandro-p..._jogo-brinquedo-brincadeira-e-a-e-ducacao-tizuko-morchida-kishimoto-leandro-p...
_jogo-brinquedo-brincadeira-e-a-e-ducacao-tizuko-morchida-kishimoto-leandro-p...
marcos oliveira
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
shirleisousa9166
 
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
antonio carlos
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
Espanhol Online
 
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
marcos oliveira
 
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptxLicao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
jetroescola
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
DirceuSilva26
 
Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!
Mary Alvarenga
 
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptxA perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
marcos oliveira
 
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptxSlides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdfIdeais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Anesio2
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Colaborar Educacional
 
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Mary Alvarenga
 

Último (20)

Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
 
_jogo-brinquedo-brincadeira-e-a-e-ducacao-tizuko-morchida-kishimoto-leandro-p...
_jogo-brinquedo-brincadeira-e-a-e-ducacao-tizuko-morchida-kishimoto-leandro-p..._jogo-brinquedo-brincadeira-e-a-e-ducacao-tizuko-morchida-kishimoto-leandro-p...
_jogo-brinquedo-brincadeira-e-a-e-ducacao-tizuko-morchida-kishimoto-leandro-p...
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
 
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
 
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
 
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptxLicao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
 
Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!
 
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptxA perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
 
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptxSlides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
 
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdfIdeais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
 
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
 
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
 
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
 

Elementos do trabalho científico

  • 1. Prof. Ms. Guilherme Terra Metodologia e Técnica da Pesquisa
  • 2. 1. Capa; 2. Folha de rosto; 3. Ficha catalográfica; 4. Folha de Aprovação; 5. Dedicatória (opcional); 6. Agradecimentos (opcional); 7. Epígrafe (opcional); 8. Resumo em Língua Vernácula; 9. Resumo em Língua Estrangeira; 10. Listas (opcional); 11. Sumário. Terra, G.
  • 3.  Nome do autor;  Título do trabalho;  Instituição onde o trabalho foi executado;  Cidade e ano de conclusão do trabalho; Terra, G.
  • 4. JOÃO MANOEL DA SILVA TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA CONE BEAM X TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA HELICOIDAL” UNIVERSIDADE IBIRAPUERA SÃO PAULO 2015
  • 5.  As mesmas informações contidas na Capa;  Informar título ou grau a ser obtido; Terra, G.
  • 6. JOÃO MANOEL DA SILVA “TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA CONE BEAM X TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA HELICOIDAL” Monografia apresentada ao Curso de Graduação em Odontologia da Universidade Ibirapuera, como trabalho de conclusão de curso para obtenção do Título de Bacharel em Odontologia. Orientador: Prof. MS. Guilherme T. Coelho Terra Universidade Ibirapuera São Paulo 2013
  • 7.  Confeccionada no verso da folha de rosto.  Confeccionada por um bibliotecário.  Deveser solicitada à biblioteca, somente após a apresentação do trabalho para a banca de defesa. Terra, G.
  • 8. Catalogação na Publicação Serviço de Documentação Odontológica Universidade Ibirapuera T323a Terra, Guilherme Teixeira Coelho Avaliação da precisão em medidas lineares dos exames de tomografia computadorizada por feixe cônico e tomografia computadorizada helicoidal, realizadas em mandíbulas humanas / Guilherme Teixeira Coelho Terra; orientador Antônio Carlos Guedes-Pinto. - - São Paulo, 2011. 123p. il., 30cm. Dissertação (Mestrado – Programa de Pós-Graduação em Odontologia. Área de Concentração Bioodontologia) – Universidade Ibirapuera. Orientador: Antônio Carlos Guedes-Pinto. 1. Tomografia Computadorizada Espiral 3. Tomografia Computadorizada de Feixe Cônico 2. Implantes Dentários 4. Imagem Tridimensional CDD 617.6 AUTORIZO A REPRODUÇÃO E DIVULGAÇÃO, TOTAL OU PARCIAL DESTE TRABALHO, POR QUALQUER MEIO, CONVENCIONAL OU ELETRÔNICO, PARA FINS DE ESTUDO E PESQUISA, DESDE QUE CITADA A FONTE E COMUNICADO AO AUTOR A REFERÊNCIA DA CITAÇÃO. São Paulo, _____/_____/_____. Assinatura: E-mail: drguilhermeterra@yahoo.com.br
  • 9.  Deve conter:  Nome do curso.  Data da aprovação.  Nome completo do coordenador do curso.  Nome completo do orientador.  Local para assinatura dos mesmos. Terra, G.
  • 10. Apresentação do Trabalho de conclusão de curso intitulado ___________________________________ ___________________________________________________________________________ pelo aluno ____________________________________________________________________________________ em ______ / ______ / ______ ao curso de Graduação em Odontologia da Universidade Ibirapuera. Banca Examinadora 1) Prof(a). Dr(a). ___________________________________________________________________________________ Titulação:_________________________________________________________________________________________ Julgamento:____________________________________ Assinatura: _________________________________________ 2) Prof(a). Dr(a). ___________________________________________________________________________________ Titulação:_________________________________________________________________________________________ Julgamento:____________________________________ Assinatura: _________________________________________ 3) Prof(a). Dr(a). ___________________________________________________________________________________ Titulação:_________________________________________________________________________________________ Julgamento:____________________________________ Assinatura: _________________________________________
  • 11.  Tem a finalidade de se dedicar o trabalho a alguém, como uma homenagem de gratidão especial.  Não é obrigatório. Terra, G.
  • 12. DEDICATÓRIA À minha esposa por me apoiar durante essa fase as minha vida e por me permitir formar uma família. Ao meu cachorro XXXXXX por ficar no meu pé durante todas as noites perdidas na frente do computador. Aos meus pais XXXXX e XXXXXXX por toda dedicação, carinho e amor durante todos esses anos
  • 13. É a revelação de gratidão a todos àqueles que contribuíram na elaboração não científica do trabalho.  Ex: Tia do café, Técnico do laboratório ou do Biotério, alguém ou alguma instituição que emprestou algum equipamento utilizado no trabalho.  Não é obrigatório. Terra, G.
  • 14. Agradecimentos Aos Professores Guilherme, Cyro e Vanessa por me apresentarem a Odontologia com fundamentos para a minha formação profissional. Ao Prof. Guilherme Terra por apresentar a magnífica disciplina de Metodologia Científica, tornando possível a confecção desta monografia. Aos meus colegas que me ajudaram, me conduzindo, literalmente, ao bar mais próximo, por vários Happy Hours. A todos que eu posso ter esquecido, que estiveram ao meu lado durante o curso.
  • 15.  Uma citação, pensamento que, de certa forma embasou a pesquisa.  Não é obrigatório. Terra, G.
  • 16. “Não sei ainda que espécie de raio é o X. Mas sei que vai operar milagres” WILHELM CONRAD RÖENTGEN (1845 – 1923)
  • 17.  Elemento obrigatório, constituído de uma seqüência de frases concisas e objetivas e não de uma simples enumeração de tópicos.  Elaborado na Língua Vernácula.  Máximo de 500 palavras.  Constar as palavras-chave e/ou descritores. Terra, G.
  • 18. Terra GTC. Tomografia computadorizada de feixe cônico x tomografia computadorizada helicoidal: Avaliando sua precisão em medidas lineares [Dissertação de Mestrado]. São Paulo: Universidade Ibirapuera. Mestrado em Bioodontologia. 2010. RESUMO Desde o advento da tomografia computadorizada por Ambrose e Hounsfield em 1972, o planejamento dos tratamentos com implantes ganhou um grande aliado, sendo nos dias de hoje indispensável. As tomografias Fan-Beam e Cone-Beam são técnicas Imaginológicas onde se obtém imagens em diversos planos com uma fidelidade das mensurações muito próximas à realidade. Este trabalho procurou avaliar a fidelidade das Tomografias Fan-Beam e Cone-Beam em relação às medidas reais, utilizando quatro implantes inseridos em uma mandíbula suína e dela sendo realizadas tomografias Fan- Beam e Cone-Beam. Os resultados foram submetidos ao método estatístico t de Student e não foram estatisticamente significantes. Ao avaliar a revisão da literatura e os resultados deste trabalho, concluímos que os dois tipos de exame são válidos como ferramenta auxiliar no planejamento de tratamentos com implantes osseointegrados, sendo que a TC Cone-Beam têm a vantagem de propiciar uma menor dose de radiação ao paciente, produzir menos artefatos radiológicos, possuir uma melhor qualidade da imagem dos tecidos duros, ser menos custosa, mais rápida de ser realizada e pode ser realizada em diversos Centros Radiológicos Odontológicos. Palavras-chave: Tomografia Computadorizada Espiral, Tomografia Computadorizada de Feixe Cônico, Implantes Dentários.
  • 19.  Elemento obrigatório, constituído de uma seqüência de frases concisas e objetivas e não de uma simples enumeração de tópicos.  Elaborado na Língua Inglesa.  Máximo de 500 palavras.  Constar as Keywords. Terra, G.
  • 20. Terra GTC. Cone Beam Computed Tomography x Fan Beam Computed Tomography: Comparing the Accuracy [Monografia para obtenção do título de especialista em Implantodontia]. São Paulo: Centro de Aperfeiçoamento Profissional e Especialização do Sindicato dos Odontologistas do Estado de São Paulo. Especialização em Implantodontia. 2009. ABSTRACT Since the advent of computed tomography for Hounsfield and Ambrose in 1972, the treatment planning with implants won a major ally, and today is indispensable. The CT Fan-Beam and Cone-Beam imaging procedures are where you get images in different planes with fidelity of measurements very close to reality. This study sought to evaluate the reliability of CT scans Fan-Beam and Cone-Beam for actual measurements, using four implants inserted in a fever and her jaw being held CT Fan-Beam and Cone-Beam. The results were submitted to statistical method and were not statistically significant. In assessing the literature review and the results of this study, we conclude that both types of examination are valid tool to assist in planning treatment with osseointegrated implants, and the Cone-Beam CT has the advantage of providing a lower radiation dose to patient, radiological produce fewer artifacts, has a better image quality of the hard tissues, less expensive, faster to perform and can be accomplished in several Centers Dental Radiology Keywords: Spiral Computed Tomography, Cone-Beam Computed Tomography, Dental Implants.
  • 21. Elemento opcional.  De acordo com a ordem apresentada no texto.  Recomenda-se que as listas sejam elaboradas a partir de, no mínimo, cinco ilustrações. Terra, G.
  • 22. LISTA DE ILUSTRAÇÕES Pág. Figura 1 – xxxxxxxxxxxxxxxxx XX Figura 2 - Xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx XX Quadro 1 -Xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx XX Quadro 2 –Xxxxxxxxxxxxxxxxxx XX Gráfico 1 – Xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx XX Gráfico 3 - Xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx XX
  • 23. LISTA DE TABELAS Pág. Tabela 1 – Xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx XX Tabela 2 – Xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx XX Tabela 3 - Xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx XX Tabela 4 - Xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx XX Tabela 5 - Xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx XX Tabela 6 - Xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx XX Tabela 7 - Xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx XX
  • 24.  Elemento opcional.  Relação alfabética das abreviaturas e siglas utilizadas no texto, seguidas das palavras ou expressões correspondentes. Terra, G.
  • 25. LISTA DE ABREVIATURAS E SIGLAS TC Cone Beam – Tomografia Computadorizada de feixe cônico TC Fan-Beam – Tomografia Computadorizada de feixe em leque TC – Tomografia convencional Rx – Raios-X USA – United States of America (Estados Unidos da América)
  • 26.  Elemento opcional.  Deve ser elaborado de acordo com a ordem apresentada no texto, com devido significado. Terra, G.
  • 27. LISTA DE SÍMBOLOS CrCo – Cromo Cobalto NiTi – Níquel Titânio TiO2 – Dióxido de Titânio AgPd – Prata Paládio
  • 28.  Enumeração das principais divisões, seções e outras partes de um documento, na mesma ordem em que a matéria nele se sucede. A indicação das páginas localiza-se à direita de cada seção. Terra, G.
  • 29. SUMÁRIO PÁG. 1. INTRODUÇÃO______________________________________________01 2. REVISÃO DA LITERATURA_____________________________________03 3. PROPOSIÇÃO______________________________________________04 4. MATERIAL E MÉTODO _______________________________________17 5. RESULTADO _______________________________________________20 6. DISCUSSÃO_______________________________________________22 7. CONCLUSÃO ______________________________________________25 REFERÊNCIAS _________________________________________________26
  • 30. 1 - SEÇÃO PRIMÁRIA 1.1 - SEÇÃO SECUNDÁRIA 1.1.1 - Seção Terciária 1.1.1.1. - Seção Quaternária 1.1.1.1.1 - Seção Quinária Terra, G.
  • 31. SUMÁRIO PÁG. 1. INTRODUÇÃO_________________________________________________________________01 2. REVISÃO DA LITERATURA________________________________________________________03 3. PROPOSIÇÃO__________________________________________________________________04 4. MATERIAL E MÉTODO __________________________________________________________17 4.1 Material _________________________________________________________________17 4.2 Método _________________________________________________________________23 5. RESULTADO __________________________________________________________________20 6. DISCUSSÃO___________________________________________________________________22 7. CONCLUSÃO __________________________________________________________________25 8. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS____________________________________________________26
  • 32. SUMÁRIO PÁG. 1. INTRODUÇÃO_________________________________________________________________01 2. REVISÃO DA LITERATURA________________________________________________________03 3. PROPOSIÇÃO__________________________________________________________________04 4. MATERIAL E MÉTODO __________________________________________________________17 4.1 Material _________________________________________________________________17 4.2 Método _________________________________________________________________23 5. RESULTADO __________________________________________________________________20 6. DISCUSSÃO___________________________________________________________________22 7. CONCLUSÃO __________________________________________________________________25 8. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS____________________________________________________26
  • 33.  Partedo trabalho em que é exposto o conteúdo principal do trabalho.  Sua organização é determinada pela natureza do trabalho. Terra, G.
  • 34. Introdução;  Desenvolvimento;  Conclusão; Terra, G.
  • 35. É a apresentação sucinta e objetiva do trabalho, fornecendo informações sobre sua natureza, sua importância e sobre como foi elaborado: objetivo, métodos e procedimentos seguidos; Terra, G.
  • 36. Parte principal do texto, descrevendo com detalhes a pesquisa e como foi desenvolvida; Terra, G.
  • 37. É a síntese dos resultados do trabalho e tem por finalidade recapitular sinteticamente os resultados da pesquisa elaborada. Terra, G.
  • 38.  Introdução;  Revisão da Literatura;  Proposição;  Discussão;  Conclusão; Terra, G.
  • 39.  Introdução;  Revisão da Literatura;  Proposição;  Material e Método;  Resultado;  Discussão;  Conclusão; Terra, G.
  • 40. O tema é apresentado e esclarecido aos leitores.  Lendo a introdução, o leitor deve sentir-se esclarecido a respeito do tema do trabalho como do raciocínio a ser desenvolvido.  Deve ser escrito em sua totalidade pelo autor, porém com certo embasamento científico. Terra, G.
  • 41.  Parte do elemento desenvolvimento.  Onde será apresentado todo embasamento científico para o trabalho.  Serve para dar crédito à criação intelectual. Terra, G.
  • 42.  Abrir um espaço para evidenciar que seu campo de conhecimento já está estabelecido, mas pode e deve receber novas pesquisas.  Discutiras questões relacionadas ao estado da arte da área em que sua pesquisa se insere. Terra, G.
  • 43.  Diversos tipos de literatura, segundo a ABNT e Vancouver, podem ser utilizados como base científica para o trabalho.  Porém, o ideal é que se use somente Artigos de periódicos, Livros Científicos, Anais de Congressos, TCCs, Monografias, Dissertações e Teses. Terra, G.
  • 44.  As citações podem ser realizadas no sistema Autor-Data ou no sistema numérico.  Podem ser divididas em Tópicos, porém respeitando em todo o trabalho o sistema de chamada. Terra, G.
  • 45.  Cita-seo sobrenome do autor e a data de publicação.  Os autores são dispostos no texto em ordem cronológica.  As referências bibliográficas são expostas no final do trabalho em ordem alfabética. Terra, G.
  • 46.  Misch et al. (2008) afirmou que... Ou  Em 2008, Misch et al. afirmou que... Ou  Hoje em dia, a tomografia computadorizada de feixe cônico já é amplamente utilizada na Implantodontia (CHILVAQUER et al., 2008). Terra, G.
  • 47. A indicação da fonte é feita por uma numeração única e consecutiva. A numeração deve ser seguida pela ordem de aparecimento no texto. A indicação da numeração deve ser feita um pouco acima da linha do texto (sobrescrito). Terra, G.
  • 48.  Alguns autores1,5-6,9 indicam que a estabilidade primaria é a palavra chave para que seja realizado o protocolo de carga imediata com a utilização de implantes osseointegrados. Ou O uso de expansores de tecido ósseo tem sido indicado na literatura5 para o aumento da estabilidade primária. Terra, G.
  • 49.  Parte do elemento desenvolvimento.  Apresentar o objetivo da pesquisa.  Deve ser de maneira clara e concisa.  Expressarcoerência entre o título, a Revisão da Literatura e o Material e Método. Terra, G.
  • 50. 3 – PROPOSIÇÃO: A proposta do presente trabalho foi comparar a precisão dos exames de tomografia de feixe cônico e da tomografia de feixe em leque, confrontando as medidas obtidas nos exames tomográficos com as medidas reais, realizadas em um padrão ouro.
  • 51.  Parte do elemento desenvolvimento.  Discorrer,com todos os detalhes, a seqüência da pesquisa científica.  Separar, de preferência, os materiais e os métodos.  Citar marcas, modelos, particularidade, enfim, qualquer diferença que possa influenciar no resultado final da pesquisa. Terra, G.
  • 52.  Em pesquisas com seres humanos, deve constar os critérios de exclusão e/ou inclusão do sujeito da pesquisa. Terra, G.
  • 53.  Parte do elemento desenvolvimento.  Expor o obtido em sua pesquisa.  Poderão estar expressos em quadros, gráficos, tabelas ou texto corrido.  Os dados expressos não devem ser repetidos. Terra, G.
  • 54. • Parte do elemento desenvolvimento. • Discutir os conceitos dos autores pesquisados entre si. • Estabelecer conexão entre seus resultados e outros conceitos presentes na literatura revisada.  Todos os autores da discussão precisam estar na revisão da literatura. Terra, G.
  • 55.  Nesta fase deve-se responder à Proposição. A conclusão é a parte onde o autor se coloca com liberdade científica, avaliando os resultados obtidos e propondo soluções e aplicações práticas. Terra, G.
  • 56.  São os elementos que tem relação com o texto, mas que, para torná-lo menos denso e não prejudicá-lo, costumam vir apresentados após a parte textual.  Dentre os elementos pós-textuais, destacam-se as referências e os anexo. Terra, G.
  • 57.  Conjunto padronizado de elementos descritivos, retirados de documentos, de forma e permitir sua identificação individual. Terra, G.
  • 58. É um texto não elaborado pelo autor, que serve de fundamentação, comprovação e ilustração do trabalho.  Um exemplo é a aprovação do comitê de ética em pesquisa para a execução da presente pesquisa. Terra, G.
  • 59. A Citação é a menção no texto de uma informação extraída de outra fonte. • Citação Direta; • Citação indireta; • Citação de citação; Terra, G.
  • 60.  Transcrição textual de partes da obra do autor consultado.  Utilizar o mínimo possível. Terra, G.
  • 61.  Texto baseado na obra do autor consultado.  Texto feito pelo autor, transcrevendo as idéias do trabalho original. Terra, G.
  • 62.  Citaçãodireta ou indireta de um texto em que não se teve acesso ao original.  Evitar este tipo de citação.  Utiliza-se apenas quando não foi possível ter acesso ao trabalho original. Terra, G.
  • 63.  Não dar crédito ao autor original da pesquisa.  Qualquer dado retirado de outra pesquisa tem, que ser citado o autor. Terra, G.
  • 64. A cópia de trechos integrais da pesquisa de terceiro, sem citação da fonte de informação, configura o plágio vedado expressamente pela Lei nº 9.610/98.  Em decisão unânime, a 9ª Câmara Cível do TJRS confirmou a condenação do dentista, que publicou artigo reproduzindo parte da dissertação de mestrado da colega de profissão. Terra, G.
  • 65.  Para disfarçar a cópia, o réu utilizou-se de instrumentos lingüísticos como alterações das orações, inversões de palavras e a retirada de algumas frases para composição de seu texto. O material foi veiculado nos anais de congresso especializado em odontologia. A autora da ação de indenização por danos morais relatou que, anteriormente, o dentista também utilizou o estudo científico dela, sem indicação da autoria, na dissertação de mestrado que ele fez. Terra, G.
  • 66.  Copiar pesquisa de terceiros e conferir a si a autoria configura a conduta do plágio”.  Ainda que as passagens reproduzidas não constituam parte expressiva do artigo publicado pelo réu, subsiste o direito da demandante ter seu nome identificado como autora dos trechos reproduzidos. Terra, G.
  • 67. O valor da indenização foi de R$ 10 mil por dano moral devida à demandante, com acréscimo de juros legais e correção monetária pelo IGP-M. O juiz determinou ao réu publicar errata, por três vezes consecutivas, em revista de expressão no meio da odontologia, identificando a autoria dos trechos copiados. Terra, G.
  • 70.  Associação Brasileira de Normas Técnicas.  Utilizada para elaboração de Referências Bibliográficas para trabalhos e artigos de qualquer área, seja ela Biológicas, Humanas ou Exatas. Terra, G.
  • 71.  Referencia-se o(s) autor(e)s pelo seu sobrenome em maiúscula, seguida do(s) nome(s) abreviado(s) com ponto.  Separa-se o sobrenome do prenome por vírgula.  Ex.:Guilherme Teixeira Coelho Terra • TERRA, G. T. C. Terra, G.
  • 72.  Atétrês autores, os nomes devem ser separados por ponto-e-vírgula, seguido de espaço.  Quando existirem mais de três autores, indica-se apenas o primeiro, acrescentando-se a expressão latina et al. Terra, G.
  • 73. SOBRENOME, PRENOME (abreviado); Título: subtítulo (se houver). Nome do periódico (em Itálico), Local de publicação, volume, número ou fascículo, paginação, data de publicação do periódico.  TERRA, G. T. C. Utilização de expansores rosqueáveis na confecção de alvéolos cirúrgicos. Revista Paulista de Odontologia, São Paulo, v. 32, n. 4, p. 45-57, 2010. Terra, G.
  • 74. SOBRENOME, PRENOME(s) abreviado. Título: subtítulo (se houver). Nome do periódico (em itálico), local de publicação, volume, número ou fascículo, mês(s) abreviado. ano. <endereço da URL>. Data de acesso:  TERRA, G. T. C. Utilização de expansores rosqueáveis na confecção de alvéolos cirúrgicos. Revista Paulista de Odontologia, São Paulo, v. 32, n. 4, out./dez. 2010. <www.soesp.org.br/revista/artigoexpansoresguilhermeter ra.html>. Data de acesso: 10/03/2011. Terra, G.
  • 75. SOBRENOME, PRENOME abreviado do autor do capítulo. Título: subtítulo (se houver) do capítulo. In: AUTOR DO LIVRO. Título do livro (em itálico): subtítulo do livro (se houver). Local de publicação: Editora, data de publicação. paginação referente ao capítulo.  RESNIK, R. R.; KIRCOS, L.T.; MISCH, C. E. Técnicas e diagnostico por imagem. In: MISCH, C. E. Implantes dentais contemporâneos. Rio de Janeiro: Elsevier, 2008. p. 38-67. Terra, G.
  • 76. Manual proposto pelo Comitê Internacional de Editores de Revistas Médicas (International Committee of Medical Journal Editors - ICMJE).  Em 1978, um pequeno grupo de editores de revistas internacionais da área Biomédica, reunidos em Vancouver, Canadá, estabeleceu as diretrizes para a formatação de Referências Bibliográfica e suas citações no texto. Terra, G.
  • 77.  Periodicamente, este Comitê reúne-se a fim de revisar estes requisitos e fazer as adequações necessárias.  Atualmente,fazem parte deste Comitê os editores das revistas internacionais de maior impacto na área Biomédica. Terra, G.
  • 78.  Referencia-se o(s) autor(e)s pelo seu sobrenome, sendo que apenas a letra inicial é em maiúscula, seguida do(s) nome(s) abreviado(s) e sem o ponto.  Ex: Guilherme Teixeira Coelho Terra • Terra GTC. Terra, G.
  • 79.  Quando o documento possui de um até seis autores, citar todos os autores, separados por vírgula.  Ex:Halpern SD, Ubel PA, Caplan AL. Solid- organ transplantation in HIV-infected patients. N Engl J Med. 2002;347(4):284-7. Terra, G.
  • 80.  Quando o documento possui mais de seis autores, citar todos os seis primeiros autores seguidos da expressão latina “et al”.  Ex: Rose ME, Huerbin MB, Melick J, Marion DW, Palmer AM, Schiding JK, et al. Regulation of interstitial excitatory amino acid concentrations after cortical contusion injury. Brain Res. 2002;935(1):40-6. Terra, G.
  • 81.  Indicar o(s) nome(s) da(s) organização(ões) quando esta(s) assume(m) a autoria do documento consultado.  Ex: CRA Foundation. Why resin curing lights do not increase tooth lightening. CRA Newsletter. 2000 Aug;57(1):61-5. Terra, G.
  • 82.  Artigos de periódicos;  Artigos de periódicos eletrônicos;  Livros;  Trabalhos de conclusão de curso;  Anais de Congressos; Terra, G.
  • 83.  Conhecidos também como revistas e jornais;  Autor(es) do artigo. Título do artigo. Título do periódico abreviado. Data de publicação; volume (número): página inicial-final do artigo. Terra, G.
  • 84. Cotrim-Ferreira FA, Lascala CA, Costa C, Garib DG, Chilvarquer I, Cavalcanti MGP, et al. Modernos métodos de radiologia e Imaginologia para uso ortodôntico. Ortodontia. 2008;41(1):62-71.  Danforth RA, Peck J, Hall P. Cone Beam volume tomography: an imaging option for diagnosis of complex mandibular third molar anatomical relationships. J Calif Dent Assoc. 2003;31(11):847-52. Terra, G.
  • 85. Autor do artigo. Título do artigo. Título do periódico abreviado. Data da publicação [data de acesso com a expressão “acesso em”]; volume(número): [número de páginas aproximado]. Endereço do site com a expressão “Disponível em:”  Miles DA. Clinical Experience with Cone-beam Volumetric Imaging. US Dentistry. 2006 [acesso em 2009 Jul 18]; 32(2): [aproximadamente 6 p.]. Disponível em: www.learndigital.net/articles/2007/CBCT_Touch_Briefings.pdf. Terra, G.
  • 86.  Autor(es) do livro. Título do livro. Edição. Cidade de publicação: Editora; Ano de publicação.  Misch CE. Implantes dentais contemporâneos. 3ª ed. Rio de Janeiro: Elsevier; 2008. Terra, G.
  • 87. Autor(es) do capítulo. Título do capítulo. “In”: nome(s) do(s) autor(es) ou editor(es). Título do livro. Edição. Cidade de publicação: Editora; Ano de publicação. página inicial-final do capítulo.  Resnik RR, Kircos LT, Misch CE. Técnicas e diagnostico por imagem. In: Misch CE. Implantes dentais contemporâneos. 3ª ed. Rio de Janeiro: Elsevier; 2008. p. 38-67. Terra, G.
  • 88.  Pode ser TCC, Monografia de especialização, Dissertação de Mestrado e Teses de Doutorado, Pós Doutorado e Livre Docência. Terra, G.
  • 89. Autor. Título do trabalho [tipo do documento]. Cidade de publicação: Editora; Ano de defesa do trabalho.  Saddy MS. Estudo comparativo entre a tomografia computadorizada e a tomografia volumétrica na confecção de modelos de prototipagem. [Tese de Doutorado]. São Paulo: Faculdade de Odontologia da USP; 2006. Terra, G.
  • 90. Autor(es) do trabalho. Título do trabalho. Título do evento; data do evento; local do evento. Cidade de publicação: Editora; Ano de publicação.  Terra VHTC, Terra GTC, Domingos VBTC. Visão que o aluno de Odontologia tem da Multidisciplinaridade Odontologia – Fonoaudiologia no curso de Graduação em Odontologia. 19ª Reunião científica da SBPQO; 2000; Águas de Lindóia. SBPQO; 2000. Terra, G.
  • 91. Bireme http://www.bireme.br  Scielo http://www.scielo.br  Sites de Universidades http://www.fo.usp.br/sdo Terra, G.
  • 92. Sites de Revistas http://jada.ada.org/  Site Periódicos Capes http://www.periodicos.capes.gov.br  Google Terra, G.
  • 93. Prof. Guilherme Teixeira Coelho Terra Mestre em Odontologia Especialista em Implantodontia e Dentística Professor e Assistente da Coordenação do Curso de Odontologia da Universidade Ibirapuera drguilhermeterra@yahoo.com.br Terra, G.