SlideShare uma empresa Scribd logo
NARRAÇÃO


Consiste em arranjar uma sequência de fatos
na qual os personagens se movimentam num
determinado espaço à medida que o tempo
passa.
Tudo se resume a uma pergunta:
você tem algo a dizer? ― Martin
           Scorsese
Elementos da narrativa

         Enredo
        Narrador
      Personagens
         Tempo
        Espaço
Estrutura do Enredo

       Apresentação
Complicação ou desenvolvimento
            Clímax
          Desfecho
PARA SE ESCREVER UMA
            NARRATIVA...
   O QUÊ? - o(s) fato(s) que determina(n) a
    história;
    QUEM? - a personagem ou personagens;
    COMO? - o enredo, o modo como se
    tecem os fatos;
    ONDE? - o lugar ou lugares da
    ocorrência
    QUANDO? - o momento ou momentos em
    que se passam os fatos;
    POR QUÊ? - a causa do acontecimento.
ENREDO LINEAR                 ENREDO NÃO-LINEAR

SEQUÊNCIA LÓGICA E                 APRESENTA
   PROGRESSIVA DE                DESCONTINUIDADE
   AÇÕES. SITUAÇÃO               TEMPORAL, UTILIZA
 INICIAL, COMPLICAÇÃ             RECURSOS COMO O
      O, CLÍMAX E                   FLASHBACK.
      DESFECHO




ENREDO –           ORGANIZA AS AÇÕES OU ACONTECIMENTOS DA
                     NARRAÇÃO.
NARRADOR

VOZ IMAGINÁRIA QUE NOS CONTA A
           HISTÓRIA
Narrador-observador
                               Narrador conta a
                                história como
                                observador dos
Narrador-personagem
                                personagens e
                                acontecimentos.
   Narrador participa da
    história como
    personagem
   NARRADOR-ONISCIENTE

   O narrador conhece os pensamentos e
    sentimentos dos personagens.
   A Bruxa surgiu à janela da sua casa, como à boca de uma
     fornalha acesa. Estava horrível; nunca fora tão bruxa. O
     seu moreno trigueiro, de cabocla velha, reluzia que nem
    metal em brasa; a sua crina preta, desgrenhada, escorrida
       e abundante como as das éguas selvagens, dava-lhe
      umcaráter fantástico de fúria saída do inferno. E ela ria-
      se,ébria de satisfação, sem sentir as queimaduras e as
    feridas, vitoriosa no meio daquela orgia de fogo, com que
        ultimamente vivia a sonhar em segredo a sua alma
     extravagante de maluca. Ia atirar-se cá para fora, quando
    se ouviu estalar o madeiramento da casa incendiada, que
     abateu rapidamente, sepultando a louca num montão de
                               brasas.
TIPOS DE DISCURSO
Discurso
  direto
o narrador
apresenta a própria
personagem
falando
diretamente, permiti
ndo ao autor
mostrar o que
acontece em lugar
de simplesmente
contar.
   Lavador de carros, Juarez de Castro, 28
    anos, ficou desolado, apontando para os
    entulhos: “Alá minha frigideira, alá meu
    escorredor de arroz. Minha lata de
    pegar água era aquela. Ali meu outro
    tênis.”

                          Jornal do Brasil, 29 de maio 1989
Discurso indireto



   o narrador interfere na fala da personagem.
    Ele conta aos leitores o que a personagem
    disse, mas conta em 3ª pessoa. As
    palavras da personagem não são
    reproduzidas, mas traduzidas na linguagem
    do narrador.
Elementos da narrativa
 Dario vinha apressado, o guarda-chuva no braço
  esquerdo e, assim que dobrou a esquina, diminuiu o
  passo até parar, encostando-se à parede de uma casa.
  Foi escorregando por ela, de costas, sentou-se na
  calçada, ainda úmida da chuva, e descansou no chão o
  cachimbo.
  Dois ou três passantes rodearam-no, indagando se não
  estava se sentindo bem. Dario abriu a boca, moveu os
  lábios, mas não se ouviu resposta. Um senhor gordo, de
  branco, sugeriu que ele devia sofrer de ataque.
 Dalton Trevisan.


                     Cemitério de elefantes. Rio de Janeiro,
                                 Civilização Brasileira, 1964.

Discurso indireto
                                      livre




é uma combinação dos dois
anteriores, confundindo as
intervenções do narrador com as dos
personagens. É uma forma de narrar
econômica e dinâmica, pois permite
mostrar e contar os fatos a um só
tempo.
   Enlameado até a cintura, Tiãozinho cresce de
    ódio. Se pudesse matar o carreiro... Deixa eu
    crescer!... Deixa eu ficar grande!... Hei de dar
    conta deste danisco... Se uma cobra picasse seu
    Soronho... Tem tanta cascavel nos pastos... Tanta
    urutu, perto de casa... se uma onça comesse o
    carreiro, de noite... Um onção grande, da
    pintada... Que raiva!...
    Mas os bois estão caminhando diferente.
    Começaram a prestar atenção, escutando a
    conversa de boi Brilhante.

                     Guimarães Rosa. Sagarana. Rio de Janeiro,
                                           José Olympio, 1976.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

SLIDES – TIRINHAS.
SLIDES – TIRINHAS.SLIDES – TIRINHAS.
SLIDES – TIRINHAS.
Tissiane Gomes
 
Anúncio publicitário
Anúncio publicitárioAnúncio publicitário
Anúncio publicitário
Maurício Marques
 
Artigo de opinião slides
Artigo de opinião slidesArtigo de opinião slides
Artigo de opinião slides
Isis Barros
 
Conjunções
ConjunçõesConjunções
Conjunções
Alice Silva
 
Aula sinais de pontuação
Aula sinais de pontuaçãoAula sinais de pontuação
Aula sinais de pontuação
Péricles Penuel
 
AULA 01 - TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO - ESTRUTURA
AULA 01 - TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO - ESTRUTURAAULA 01 - TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO - ESTRUTURA
AULA 01 - TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO - ESTRUTURA
Marcelo Cordeiro Souza
 
Crônica
CrônicaCrônica
Crônica
Valeria Nunes
 
Estrutura do-artigo-de-opinião
Estrutura do-artigo-de-opiniãoEstrutura do-artigo-de-opinião
Estrutura do-artigo-de-opinião
Nastrilhas da lingua portuguesa
 
Gêneros textuais
Gêneros textuaisGêneros textuais
Gêneros textuais
leticiararek
 
Artigo de opinião
Artigo de opiniãoArtigo de opinião
Artigo de opinião
Kátia Silva da Costa
 
Conotacao e denotacao
Conotacao e denotacaoConotacao e denotacao
Conotacao e denotacao
bubble13
 
Gêneros literários
Gêneros literáriosGêneros literários
Gêneros literários
Carolina Loçasso Pereira
 
Pronomes
PronomesPronomes
Pronomes
Rita Tramonte
 
1 coesão textual - referencial e sequencial
1   coesão textual - referencial e sequencial1   coesão textual - referencial e sequencial
1 coesão textual - referencial e sequencial
Luciene Gomes
 
Aula intertextualidade
Aula intertextualidadeAula intertextualidade
Aula intertextualidade
Abrahão Costa de Freitas
 
Verbete teoria
Verbete teoriaVerbete teoria
Verbete teoria
carla Furlan
 
Gênero de texto conto
Gênero de texto contoGênero de texto conto
Gênero de texto conto
guestd9a4ef3c
 
Discurso direto, indireto e indireto livre
Discurso direto, indireto e indireto livreDiscurso direto, indireto e indireto livre
Discurso direto, indireto e indireto livre
Caique Fernando Silva Fistarol
 
Relato
RelatoRelato
Relato
Scheyla Lima
 
Linguagem Formal e Informal
Linguagem Formal e InformalLinguagem Formal e Informal
Linguagem Formal e Informal
Kelvin Illitch Santos
 

Mais procurados (20)

SLIDES – TIRINHAS.
SLIDES – TIRINHAS.SLIDES – TIRINHAS.
SLIDES – TIRINHAS.
 
Anúncio publicitário
Anúncio publicitárioAnúncio publicitário
Anúncio publicitário
 
Artigo de opinião slides
Artigo de opinião slidesArtigo de opinião slides
Artigo de opinião slides
 
Conjunções
ConjunçõesConjunções
Conjunções
 
Aula sinais de pontuação
Aula sinais de pontuaçãoAula sinais de pontuação
Aula sinais de pontuação
 
AULA 01 - TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO - ESTRUTURA
AULA 01 - TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO - ESTRUTURAAULA 01 - TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO - ESTRUTURA
AULA 01 - TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO - ESTRUTURA
 
Crônica
CrônicaCrônica
Crônica
 
Estrutura do-artigo-de-opinião
Estrutura do-artigo-de-opiniãoEstrutura do-artigo-de-opinião
Estrutura do-artigo-de-opinião
 
Gêneros textuais
Gêneros textuaisGêneros textuais
Gêneros textuais
 
Artigo de opinião
Artigo de opiniãoArtigo de opinião
Artigo de opinião
 
Conotacao e denotacao
Conotacao e denotacaoConotacao e denotacao
Conotacao e denotacao
 
Gêneros literários
Gêneros literáriosGêneros literários
Gêneros literários
 
Pronomes
PronomesPronomes
Pronomes
 
1 coesão textual - referencial e sequencial
1   coesão textual - referencial e sequencial1   coesão textual - referencial e sequencial
1 coesão textual - referencial e sequencial
 
Aula intertextualidade
Aula intertextualidadeAula intertextualidade
Aula intertextualidade
 
Verbete teoria
Verbete teoriaVerbete teoria
Verbete teoria
 
Gênero de texto conto
Gênero de texto contoGênero de texto conto
Gênero de texto conto
 
Discurso direto, indireto e indireto livre
Discurso direto, indireto e indireto livreDiscurso direto, indireto e indireto livre
Discurso direto, indireto e indireto livre
 
Relato
RelatoRelato
Relato
 
Linguagem Formal e Informal
Linguagem Formal e InformalLinguagem Formal e Informal
Linguagem Formal e Informal
 

Semelhante a Elementos da narrativa

Elementos da narrativa
Elementos da narrativaElementos da narrativa
Elementos da narrativa
ma.no.el.ne.ves
 
Gênero textual narrativo
Gênero textual narrativoGênero textual narrativo
Gênero textual narrativo
Paulo Alexandre
 
Oficina de jornalismo literário 2013
Oficina de jornalismo literário   2013Oficina de jornalismo literário   2013
Oficina de jornalismo literário 2013
aulasdejornalismo
 
Texto narrativo
Texto narrativoTexto narrativo
Texto narrativo
Helia Coelho Mello
 
Oficina de jornalismo literário 2014
Oficina de jornalismo literário   2014Oficina de jornalismo literário   2014
Oficina de jornalismo literário 2014
aulasdejornalismo
 
Produção de-texto-9º-ano-narrativa (1)
Produção de-texto-9º-ano-narrativa (1)Produção de-texto-9º-ano-narrativa (1)
Produção de-texto-9º-ano-narrativa (1)
Julia Nogueira
 
06. Os Ratos no Sótão de Uma Memória Rock'n'roll. Ano I, Nº 06 - Volume I - ...
06.  Os Ratos no Sótão de Uma Memória Rock'n'roll. Ano I, Nº 06 - Volume I - ...06.  Os Ratos no Sótão de Uma Memória Rock'n'roll. Ano I, Nº 06 - Volume I - ...
06. Os Ratos no Sótão de Uma Memória Rock'n'roll. Ano I, Nº 06 - Volume I - ...
estevaofernandes
 
Modernismo de 45
Modernismo de 45Modernismo de 45
Modernismo de 45
Andre Guerra
 
Narração
NarraçãoNarração
Especificidade do Texto Literário
Especificidade do Texto LiterárioEspecificidade do Texto Literário
Especificidade do Texto Literário
Joselaine
 
3° ano - Contos e crônicas
3° ano - Contos e crônicas3° ano - Contos e crônicas
3° ano - Contos e crônicas
ProfFernandaBraga
 
Narracao
NarracaoNarracao
Narracao
Dior FG
 
Aulas de Redação: narração
Aulas de Redação: narraçãoAulas de Redação: narração
Aulas de Redação: narração
WALTER ALENCAR DE SOUSA
 
Aula 2 redacao_2011
Aula 2 redacao_2011Aula 2 redacao_2011
Aula 2 redacao_2011
Cooperativa do Saber
 
Teoria do texto literário
Teoria do texto literárioTeoria do texto literário
Teoria do texto literário
Herlan Ribeiro de Souza
 
Narracao
NarracaoNarracao
Narracao
Andreza Viegas
 
Vidas Secas
Vidas SecasVidas Secas
Vidas Secas
andreguerra
 
Texto narrativo.pptx
Texto narrativo.pptxTexto narrativo.pptx
Texto narrativo.pptx
anaquelhas6
 
Texto narrativo.pptx
Texto narrativo.pptxTexto narrativo.pptx
Texto narrativo.pptx
ssuserf30d0a1
 
Modernismo geração de 45: Clarice Lispector e Guimarães Rosa
Modernismo geração de 45: Clarice Lispector e Guimarães RosaModernismo geração de 45: Clarice Lispector e Guimarães Rosa
Modernismo geração de 45: Clarice Lispector e Guimarães Rosa
Tamara Amaral
 

Semelhante a Elementos da narrativa (20)

Elementos da narrativa
Elementos da narrativaElementos da narrativa
Elementos da narrativa
 
Gênero textual narrativo
Gênero textual narrativoGênero textual narrativo
Gênero textual narrativo
 
Oficina de jornalismo literário 2013
Oficina de jornalismo literário   2013Oficina de jornalismo literário   2013
Oficina de jornalismo literário 2013
 
Texto narrativo
Texto narrativoTexto narrativo
Texto narrativo
 
Oficina de jornalismo literário 2014
Oficina de jornalismo literário   2014Oficina de jornalismo literário   2014
Oficina de jornalismo literário 2014
 
Produção de-texto-9º-ano-narrativa (1)
Produção de-texto-9º-ano-narrativa (1)Produção de-texto-9º-ano-narrativa (1)
Produção de-texto-9º-ano-narrativa (1)
 
06. Os Ratos no Sótão de Uma Memória Rock'n'roll. Ano I, Nº 06 - Volume I - ...
06.  Os Ratos no Sótão de Uma Memória Rock'n'roll. Ano I, Nº 06 - Volume I - ...06.  Os Ratos no Sótão de Uma Memória Rock'n'roll. Ano I, Nº 06 - Volume I - ...
06. Os Ratos no Sótão de Uma Memória Rock'n'roll. Ano I, Nº 06 - Volume I - ...
 
Modernismo de 45
Modernismo de 45Modernismo de 45
Modernismo de 45
 
Narração
NarraçãoNarração
Narração
 
Especificidade do Texto Literário
Especificidade do Texto LiterárioEspecificidade do Texto Literário
Especificidade do Texto Literário
 
3° ano - Contos e crônicas
3° ano - Contos e crônicas3° ano - Contos e crônicas
3° ano - Contos e crônicas
 
Narracao
NarracaoNarracao
Narracao
 
Aulas de Redação: narração
Aulas de Redação: narraçãoAulas de Redação: narração
Aulas de Redação: narração
 
Aula 2 redacao_2011
Aula 2 redacao_2011Aula 2 redacao_2011
Aula 2 redacao_2011
 
Teoria do texto literário
Teoria do texto literárioTeoria do texto literário
Teoria do texto literário
 
Narracao
NarracaoNarracao
Narracao
 
Vidas Secas
Vidas SecasVidas Secas
Vidas Secas
 
Texto narrativo.pptx
Texto narrativo.pptxTexto narrativo.pptx
Texto narrativo.pptx
 
Texto narrativo.pptx
Texto narrativo.pptxTexto narrativo.pptx
Texto narrativo.pptx
 
Modernismo geração de 45: Clarice Lispector e Guimarães Rosa
Modernismo geração de 45: Clarice Lispector e Guimarães RosaModernismo geração de 45: Clarice Lispector e Guimarães Rosa
Modernismo geração de 45: Clarice Lispector e Guimarães Rosa
 

Mais de Ana Castro

Humanismo
HumanismoHumanismo
Humanismo
Ana Castro
 
Verbos
Verbos Verbos
Verbos
Ana Castro
 
RANKING ENEM 2014 - NRE 20 - BAHIA
RANKING ENEM 2014 - NRE 20 - BAHIARANKING ENEM 2014 - NRE 20 - BAHIA
RANKING ENEM 2014 - NRE 20 - BAHIA
Ana Castro
 
Análise do Sermão da Sexagésima
Análise do Sermão da SexagésimaAnálise do Sermão da Sexagésima
Análise do Sermão da Sexagésima
Ana Castro
 
Tipos de argumentos
Tipos de argumentosTipos de argumentos
Tipos de argumentos
Ana Castro
 
Tenda dos Milagres -
Tenda dos Milagres -Tenda dos Milagres -
Tenda dos Milagres -
Ana Castro
 
Identidade baiana: Mazelas sociais x Turismo
Identidade baiana: Mazelas sociais x TurismoIdentidade baiana: Mazelas sociais x Turismo
Identidade baiana: Mazelas sociais x Turismo
Ana Castro
 
Sertão da Bahia
Sertão da BahiaSertão da Bahia
Sertão da Bahia
Ana Castro
 
10.funções da linguagem
10.funções da linguagem10.funções da linguagem
10.funções da linguagem
Ana Castro
 
9. funções da linguagem delimitar o texto literário
9. funções da linguagem   delimitar o texto literário9. funções da linguagem   delimitar o texto literário
9. funções da linguagem delimitar o texto literário
Ana Castro
 
Funcoes da-linguagem
Funcoes da-linguagemFuncoes da-linguagem
Funcoes da-linguagem
Ana Castro
 
Princípios da arte através dos tempos
Princípios da arte através dos temposPrincípios da arte através dos tempos
Princípios da arte através dos tempos
Ana Castro
 
Competências básicas para o ensino de arte
Competências básicas para o ensino de arteCompetências básicas para o ensino de arte
Competências básicas para o ensino de arte
Ana Castro
 
Concordância verbal sujeito simples
Concordância verbal   sujeito simplesConcordância verbal   sujeito simples
Concordância verbal sujeito simples
Ana Castro
 
Pronomes demonstrativos
Pronomes demonstrativosPronomes demonstrativos
Pronomes demonstrativos
Ana Castro
 
Pronomes possessivos
Pronomes possessivosPronomes possessivos
Pronomes possessivos
Ana Castro
 
Tempos verbais
Tempos verbaisTempos verbais
Tempos verbais
Ana Castro
 
Figuras de linguagem
Figuras de linguagemFiguras de linguagem
Figuras de linguagem
Ana Castro
 
Romantismo versus realismo
Romantismo versus realismoRomantismo versus realismo
Romantismo versus realismo
Ana Castro
 
Pré modernismo
Pré modernismoPré modernismo
Pré modernismo
Ana Castro
 

Mais de Ana Castro (20)

Humanismo
HumanismoHumanismo
Humanismo
 
Verbos
Verbos Verbos
Verbos
 
RANKING ENEM 2014 - NRE 20 - BAHIA
RANKING ENEM 2014 - NRE 20 - BAHIARANKING ENEM 2014 - NRE 20 - BAHIA
RANKING ENEM 2014 - NRE 20 - BAHIA
 
Análise do Sermão da Sexagésima
Análise do Sermão da SexagésimaAnálise do Sermão da Sexagésima
Análise do Sermão da Sexagésima
 
Tipos de argumentos
Tipos de argumentosTipos de argumentos
Tipos de argumentos
 
Tenda dos Milagres -
Tenda dos Milagres -Tenda dos Milagres -
Tenda dos Milagres -
 
Identidade baiana: Mazelas sociais x Turismo
Identidade baiana: Mazelas sociais x TurismoIdentidade baiana: Mazelas sociais x Turismo
Identidade baiana: Mazelas sociais x Turismo
 
Sertão da Bahia
Sertão da BahiaSertão da Bahia
Sertão da Bahia
 
10.funções da linguagem
10.funções da linguagem10.funções da linguagem
10.funções da linguagem
 
9. funções da linguagem delimitar o texto literário
9. funções da linguagem   delimitar o texto literário9. funções da linguagem   delimitar o texto literário
9. funções da linguagem delimitar o texto literário
 
Funcoes da-linguagem
Funcoes da-linguagemFuncoes da-linguagem
Funcoes da-linguagem
 
Princípios da arte através dos tempos
Princípios da arte através dos temposPrincípios da arte através dos tempos
Princípios da arte através dos tempos
 
Competências básicas para o ensino de arte
Competências básicas para o ensino de arteCompetências básicas para o ensino de arte
Competências básicas para o ensino de arte
 
Concordância verbal sujeito simples
Concordância verbal   sujeito simplesConcordância verbal   sujeito simples
Concordância verbal sujeito simples
 
Pronomes demonstrativos
Pronomes demonstrativosPronomes demonstrativos
Pronomes demonstrativos
 
Pronomes possessivos
Pronomes possessivosPronomes possessivos
Pronomes possessivos
 
Tempos verbais
Tempos verbaisTempos verbais
Tempos verbais
 
Figuras de linguagem
Figuras de linguagemFiguras de linguagem
Figuras de linguagem
 
Romantismo versus realismo
Romantismo versus realismoRomantismo versus realismo
Romantismo versus realismo
 
Pré modernismo
Pré modernismoPré modernismo
Pré modernismo
 

Último

Planejamento_Anual_Ensino_Fundamental_2020.docx
Planejamento_Anual_Ensino_Fundamental_2020.docxPlanejamento_Anual_Ensino_Fundamental_2020.docx
Planejamento_Anual_Ensino_Fundamental_2020.docx
marcos oliveira
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
felipescherner
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
marcos oliveira
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
marcos oliveira
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Leonel Morgado
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
Ligia Galvão
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Luzia Gabriele
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Mary Alvarenga
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
marcos oliveira
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Centro Jacques Delors
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
Sandra Pratas
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
shirleisousa9166
 
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
Espanhol Online
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
shirleisousa9166
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
arodatos81
 
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptxLicao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
jetroescola
 
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
AngelicaCostaMeirele2
 

Último (20)

Planejamento_Anual_Ensino_Fundamental_2020.docx
Planejamento_Anual_Ensino_Fundamental_2020.docxPlanejamento_Anual_Ensino_Fundamental_2020.docx
Planejamento_Anual_Ensino_Fundamental_2020.docx
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
 
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
 
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptxLicao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
 
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
 

Elementos da narrativa

  • 1. NARRAÇÃO Consiste em arranjar uma sequência de fatos na qual os personagens se movimentam num determinado espaço à medida que o tempo passa.
  • 2. Tudo se resume a uma pergunta: você tem algo a dizer? ― Martin Scorsese
  • 3. Elementos da narrativa  Enredo  Narrador  Personagens  Tempo  Espaço
  • 4. Estrutura do Enredo Apresentação Complicação ou desenvolvimento Clímax Desfecho
  • 5. PARA SE ESCREVER UMA NARRATIVA...  O QUÊ? - o(s) fato(s) que determina(n) a história; QUEM? - a personagem ou personagens; COMO? - o enredo, o modo como se tecem os fatos; ONDE? - o lugar ou lugares da ocorrência QUANDO? - o momento ou momentos em que se passam os fatos; POR QUÊ? - a causa do acontecimento.
  • 6. ENREDO LINEAR ENREDO NÃO-LINEAR SEQUÊNCIA LÓGICA E APRESENTA PROGRESSIVA DE DESCONTINUIDADE AÇÕES. SITUAÇÃO TEMPORAL, UTILIZA INICIAL, COMPLICAÇÃ RECURSOS COMO O O, CLÍMAX E FLASHBACK. DESFECHO ENREDO – ORGANIZA AS AÇÕES OU ACONTECIMENTOS DA NARRAÇÃO.
  • 7. NARRADOR VOZ IMAGINÁRIA QUE NOS CONTA A HISTÓRIA
  • 8. Narrador-observador  Narrador conta a história como observador dos Narrador-personagem personagens e acontecimentos.  Narrador participa da história como personagem
  • 9. NARRADOR-ONISCIENTE  O narrador conhece os pensamentos e sentimentos dos personagens.
  • 10. A Bruxa surgiu à janela da sua casa, como à boca de uma fornalha acesa. Estava horrível; nunca fora tão bruxa. O seu moreno trigueiro, de cabocla velha, reluzia que nem metal em brasa; a sua crina preta, desgrenhada, escorrida e abundante como as das éguas selvagens, dava-lhe umcaráter fantástico de fúria saída do inferno. E ela ria- se,ébria de satisfação, sem sentir as queimaduras e as feridas, vitoriosa no meio daquela orgia de fogo, com que ultimamente vivia a sonhar em segredo a sua alma extravagante de maluca. Ia atirar-se cá para fora, quando se ouviu estalar o madeiramento da casa incendiada, que abateu rapidamente, sepultando a louca num montão de brasas.
  • 12. Discurso direto o narrador apresenta a própria personagem falando diretamente, permiti ndo ao autor mostrar o que acontece em lugar de simplesmente contar.
  • 13. Lavador de carros, Juarez de Castro, 28 anos, ficou desolado, apontando para os entulhos: “Alá minha frigideira, alá meu escorredor de arroz. Minha lata de pegar água era aquela. Ali meu outro tênis.”  Jornal do Brasil, 29 de maio 1989
  • 14. Discurso indireto  o narrador interfere na fala da personagem. Ele conta aos leitores o que a personagem disse, mas conta em 3ª pessoa. As palavras da personagem não são reproduzidas, mas traduzidas na linguagem do narrador.
  • 16.  Dario vinha apressado, o guarda-chuva no braço esquerdo e, assim que dobrou a esquina, diminuiu o passo até parar, encostando-se à parede de uma casa. Foi escorregando por ela, de costas, sentou-se na calçada, ainda úmida da chuva, e descansou no chão o cachimbo. Dois ou três passantes rodearam-no, indagando se não estava se sentindo bem. Dario abriu a boca, moveu os lábios, mas não se ouviu resposta. Um senhor gordo, de branco, sugeriu que ele devia sofrer de ataque.  Dalton Trevisan.  Cemitério de elefantes. Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 1964. 
  • 17. Discurso indireto livre é uma combinação dos dois anteriores, confundindo as intervenções do narrador com as dos personagens. É uma forma de narrar econômica e dinâmica, pois permite mostrar e contar os fatos a um só tempo.
  • 18. Enlameado até a cintura, Tiãozinho cresce de ódio. Se pudesse matar o carreiro... Deixa eu crescer!... Deixa eu ficar grande!... Hei de dar conta deste danisco... Se uma cobra picasse seu Soronho... Tem tanta cascavel nos pastos... Tanta urutu, perto de casa... se uma onça comesse o carreiro, de noite... Um onção grande, da pintada... Que raiva!... Mas os bois estão caminhando diferente. Começaram a prestar atenção, escutando a conversa de boi Brilhante.  Guimarães Rosa. Sagarana. Rio de Janeiro, José Olympio, 1976.