SlideShare uma empresa Scribd logo
Governo do Estado de Rondônia
                 Secretaria de Estado da Educação – SEDUC
                  E.E.E.F.M. Cel. Aluízio Pinheiro Ferreira
                            Rolim de Moura – RO




        Es c r av i dão
                &
       Cul t ur a Af r o-
         Br as i l ei r a
Profª: Daniela Fontana Almenara
A História da Escravidão
Tráfico de
      escravos
 Os comerciantes de escravos
portugueses vendiam os africanos
como se fossem mercadorias aqui
  no Brasil. Os mais saudáveis
    chegavam a valer o dobro
 daqueles mais fracos ou velhos
No Brasil, a escravidão teve
início com a produção de açúcar
  na primeira metade do século
XVI. Os portugueses traziam os
    negros africanos de suas
colônias na África para utilizar
 como mão-de-obra escrava nos
     engenhos de açúcar do
Navios Negreiros
O transporte era feito
    da África para o
   Brasil nos porões
       dos navios
       negreiros.
    Amontoados, em
       condições
 desumanas, muitos
   morriam antes de
    chegar ao Brasil,
     sendo que os
      corpos eram
   lançados ao mar.
Engenhos e Minas de
Nas fazendas de
                Ouro
    açúcar ou nas
  minas de ouro os
   escravos eram
  tratados da pior
   forma possível.
Trabalhavam muito
    (de sol a sol),
 recebendo apenas
 trapos de roupa e
uma alimentação de
péssima qualidade.
Castigos
Passavam as noites nas senzalas
 (galpões escuros, úmidos e com
pouca higiene) acorrentados para
evitar fugas. Eram constantemente
castigados fisicamente, sendo que
    o açoite era a punição mais
     comum no Brasil Colônia.
Quilombos
O negro também reagiu à escravidão, buscando
   uma vida digna. Foram comuns as revoltas
    nas fazendas em que grupos de escravos
   fugiam, formando nas florestas os famosos
    quilombos. Estes, eram comunidades bem
   organizadas, onde os integrantes viviam em
      liberdade, através de uma organização
    comunitária aos moldes do que existia na
   África. Nos quilombos, podiam praticar sua
  cultura, falar sua língua e exercer seus rituais
  religiosos. O mais famoso foi o Quilombo de
         Palmares, comandado por Zumbi.
Leis
    Abolicionistas
 Lei Eusébio de Queiroz – 1850:
  Proibição do tráfico negreiro.
 Lei do Ventre Livre – 1871: Declarava
  livre os filhos de mulher escrava a partir
  desta data.
 Lei dos Sexagenários – 1885: Libertava
  escravos com mais de 65 anos.
Lei Áurea
  A Lei Áurea foi
 assinada em 13 de
 maio de 1888 pela
 Princesa Isabel e o
Conselheiro Rodrigo
  Augusto da Silva
    extinguindo a
   escravidão no
        Brasil.
Inicialmente, todas as manifestações
     culturais afro-brasileiras eram
        proibidas, desprezadas,
 desestimuladas e perseguidas porque
  não eram parte do universo cultural
europeu, não representavam civilidade,
   mas sim, uma cultura selvagem e
atrasada em contra-ponto à Europa em
           desenvolvimento.
Entretanto, a partir de meados do
século XX, as expressões culturais
 afro-brasileiras começaram a ser
gradualmente aceitas, admiradas e
celebradas pelas elites brasileiras
    como expressões artísticas
     genuinamente nacionais.
Religiões
 Os negros trazidos da África na
 condição de escravo, geralmente
 eram imediatamente batizados e
 obrigados a seguir o catolicismo.
A conversão era apenas superficial
 e as religiões de origem africana
    conseguiram permanecer,
   geralmente através de prática
              secreta.
Algumas religiões afro-
     brasileiras ainda
    mantém quase que
    totalmente as suas
  raízes africanas, como
 é o caso do Candomblé
      e Xangô, outras
 formaram-se através do
   sincretismo religioso
     como o Batuque,
    Xambá e Umbanda.
Culinária
A cozinha brasileira deriva em
   grande parte da cozinha
   africana, mesclada com
elementos da cozinha indígena
        e portuguesa.
A culinária baiana
   é a que mais
   demonstra a
     influência
   africana nos
    seus pratos
   típicos como
  acarajé , vatapá
    e moqueca.
A feijoada é
considerado o
prato nacional
 do Brasil. É
basicamente a
  mistura de
feijões pretos
  e carne de
    porco.
Capoeira
Capoeira é uma arte marcial criada por
  escravos negros no Brasil durante o
   período colonial. Conta-se que os
 escravos diziam aos senhores que era
  apenas uma dança e, então, o treino
   era permitido. Assim, a capoeira é
sempre praticada com instrumentos de
  percussão, música cantada, dança e,
   em algumas versões, acrobacias.
A capoeira é marcada por
 movimentos que enganam o
oponente, geralmente feitos no
    solo ou completamente
          invertidos.
Música e Dança
As expressões de
   música afro-
  brasileira mais
 conhecidas são o
 samba, maracatu,
    ijexá, jongo,
 carimbó, lambada
     e o maxixe.
Como aconteceu em toda
    parte do continente
  americano onde houve
   escravos africanos, a
  música feita pelos afro-
     descendentes foi
        inicialmente
  desprezada e mantida
   na marginalidade, até
        que ganhou
   notoriedade no início
     do século XX e se
  tornou a mais popular
      nos dias atuais.
Lei 10.609/2003
   No dia 9 de janeiro de 2003 foi
decretada pelo Presidente Luiz Inácio
Lula da Silva, a Lei 10.639 que torna
obrigatório o ensino da História e
Cultura Afro-Brasileiras nas escolas
brasileiras, tem como um dos objetivos
o    combate      ao  racismo   e    a
discriminação.
Dentro da mesma Lei, o calendário
escolar incluiu o dia 20 de novembro
como o “Dia Nacional da Consciência
Negra”
Trabalho para o Dia da
Consciência Negra – 5,0 pontos
• Influência Afro-descendente no Brasil
• Entregar até o dia 15/11
• Encontro para maiores instruções dia
  06/11 às 9:15 h no LIE
• Construir vídeos com imagens e/ou
  trechos de vídeos do youtube,
  narrando as informações (usem o
  programa audacity), com as seguintes
  temáticas:
• 1. Influência Afro-descendente na dança
  (Danças de salão, samba ou danças
  típicas)
• 2. Influência Afro-descendente Na música
  (Samba, Jazz, Regae, etc)
• 3. Influência Afro-descendente na Arte
• 4. Personalidades negras do Brasil,
  artistas ou não (Zumbí dos Palmares,
  Cartola, Xica da Silva, Joaquim Barbosa,
  etc)
• 5.    Influência  Afro-descendente      na
  Colonização do Brasil
• 6. Religiões de matriz africana
• 7. Culinária (Pratos como o vatapá,
  acarajé, caruru, feijoada, mungunzá,
  sarapatel, baba de moça, cocada, bala de
  coco e muitos outros exemplos são
  iguarias da cozinha brasileira e admirados
  em todo o mundo).
• No final do vídeo deve conter o Nome da
  Escola, Disciplina, Série e turma e nomes
  dos alunos.
• Exemplo de como deve ser o vídeo.




               Clique na imagem
Proposta
• Como o próximo tópico de estudo é
  Teatro Brasileiro e já viram Música e
  Dança, que tal produzir uma peça onde
  uniríamos esses três elementos?
• A peça seria apresentada no dia em que
  comemoraremos o Dia da Consciência
  Negra aqui na escola (17/11)
• Cada grupo ficaria responsável por algo
  na organização, por exemplo:
• 1 e 2 – Providenciar o figurino
• 3 – Providenciar músicas (Um Negro e
  outras de origem Afro) e cuidar da parte
  musical durante a apresentação
• 4, 5 e 6 Coreografia
• 7 – Declamação da 4ª parte do poema
  Navio Negreiro.
“Ninguém nasce odiando outra
  pessoa pela cor de sua pele,
  por sua origem ou ainda por
          sua religião.
     Para odiar, as pessoas
    precisam aprender, e se
    podem aprender a odiar,
 podem ser ensinadas a amar.”

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Racismo para debate e reflexão
Racismo para debate e reflexãoRacismo para debate e reflexão
Racismo para debate e reflexão
Adriana Gomes Messias
 
Power Point "Racismo e Desigualdades Raciais no Brasil"
Power Point "Racismo e Desigualdades Raciais no Brasil"Power Point "Racismo e Desigualdades Raciais no Brasil"
Power Point "Racismo e Desigualdades Raciais no Brasil"
ANDI - Comunicação e Direitos
 
Diversidade etnica
Diversidade etnicaDiversidade etnica
Diversidade etnica
Cristina de Souza
 
Dia da consciência negra
Dia da consciência negraDia da consciência negra
Dia da consciência negra
Marcelo Fernandes
 
A formação do povo brasileiro
A formação do povo brasileiroA formação do povo brasileiro
A formação do povo brasileiro
João Marcelo
 
Composição étnica do povo brasileiro
Composição étnica do povo brasileiroComposição étnica do povo brasileiro
Composição étnica do povo brasileiro
Rodrigo Baglini
 
Influências Indígenas na Cultura Brasileira
Influências Indígenas na Cultura BrasileiraInfluências Indígenas na Cultura Brasileira
Influências Indígenas na Cultura Brasileira
Gisele Finatti Baraglio
 
Cultura
CulturaCultura
Cultura
Jhonatan Max
 
História Cultural dos Povos Africanos
História Cultural dos Povos AfricanosHistória Cultural dos Povos Africanos
História Cultural dos Povos Africanos
Isaquel Silva
 
Escravidão no Brasil
Escravidão no BrasilEscravidão no Brasil
Escravidão no Brasil
bastianbe
 
História e cultura afro brasileira e indígena
História e cultura afro brasileira e indígenaHistória e cultura afro brasileira e indígena
História e cultura afro brasileira e indígena
Valeria Santos
 
Cultura indígena
Cultura indígenaCultura indígena
Cultura indígena
Paula Naranjo
 
Raça, cor , cor da pele e etnia
Raça, cor , cor da pele e etniaRaça, cor , cor da pele e etnia
Raça, cor , cor da pele e etnia
Myla Sousa
 
Discriminação étnico racial atual
Discriminação étnico racial atualDiscriminação étnico racial atual
Discriminação étnico racial atual
Marcia Miranda
 
O trabalho escravo
O trabalho escravoO trabalho escravo
O trabalho escravo
Rebeca Neiva
 
Desigualdade Social
Desigualdade SocialDesigualdade Social
Desigualdade Social
Marcos Alencar
 
Índios brasileiros
Índios brasileirosÍndios brasileiros
Índios brasileiros
Paulo Alexandre
 
Maranhão
Maranhão Maranhão
Maranhão
Jaqueline Souza
 
2 série ética ubuntu - perspectiva africana da moralidade - aula 16
2 série   ética ubuntu - perspectiva africana da moralidade - aula 162 série   ética ubuntu - perspectiva africana da moralidade - aula 16
2 série ética ubuntu - perspectiva africana da moralidade - aula 16
Antonio Gilberto De Aquino e Silva
 
Preconceito e intolerência
Preconceito e intolerênciaPreconceito e intolerência
Preconceito e intolerência
Victor Claudio
 

Mais procurados (20)

Racismo para debate e reflexão
Racismo para debate e reflexãoRacismo para debate e reflexão
Racismo para debate e reflexão
 
Power Point "Racismo e Desigualdades Raciais no Brasil"
Power Point "Racismo e Desigualdades Raciais no Brasil"Power Point "Racismo e Desigualdades Raciais no Brasil"
Power Point "Racismo e Desigualdades Raciais no Brasil"
 
Diversidade etnica
Diversidade etnicaDiversidade etnica
Diversidade etnica
 
Dia da consciência negra
Dia da consciência negraDia da consciência negra
Dia da consciência negra
 
A formação do povo brasileiro
A formação do povo brasileiroA formação do povo brasileiro
A formação do povo brasileiro
 
Composição étnica do povo brasileiro
Composição étnica do povo brasileiroComposição étnica do povo brasileiro
Composição étnica do povo brasileiro
 
Influências Indígenas na Cultura Brasileira
Influências Indígenas na Cultura BrasileiraInfluências Indígenas na Cultura Brasileira
Influências Indígenas na Cultura Brasileira
 
Cultura
CulturaCultura
Cultura
 
História Cultural dos Povos Africanos
História Cultural dos Povos AfricanosHistória Cultural dos Povos Africanos
História Cultural dos Povos Africanos
 
Escravidão no Brasil
Escravidão no BrasilEscravidão no Brasil
Escravidão no Brasil
 
História e cultura afro brasileira e indígena
História e cultura afro brasileira e indígenaHistória e cultura afro brasileira e indígena
História e cultura afro brasileira e indígena
 
Cultura indígena
Cultura indígenaCultura indígena
Cultura indígena
 
Raça, cor , cor da pele e etnia
Raça, cor , cor da pele e etniaRaça, cor , cor da pele e etnia
Raça, cor , cor da pele e etnia
 
Discriminação étnico racial atual
Discriminação étnico racial atualDiscriminação étnico racial atual
Discriminação étnico racial atual
 
O trabalho escravo
O trabalho escravoO trabalho escravo
O trabalho escravo
 
Desigualdade Social
Desigualdade SocialDesigualdade Social
Desigualdade Social
 
Índios brasileiros
Índios brasileirosÍndios brasileiros
Índios brasileiros
 
Maranhão
Maranhão Maranhão
Maranhão
 
2 série ética ubuntu - perspectiva africana da moralidade - aula 16
2 série   ética ubuntu - perspectiva africana da moralidade - aula 162 série   ética ubuntu - perspectiva africana da moralidade - aula 16
2 série ética ubuntu - perspectiva africana da moralidade - aula 16
 
Preconceito e intolerência
Preconceito e intolerênciaPreconceito e intolerência
Preconceito e intolerência
 

Destaque

Cultura Afro Brasileira
Cultura Afro   BrasileiraCultura Afro   Brasileira
Cultura Afro Brasileira
martinsramon
 
Introduzindo a Cultura Afro-Brasileira na Educação Infantil
Introduzindo a Cultura Afro-Brasileira na Educação InfantilIntroduzindo a Cultura Afro-Brasileira na Educação Infantil
Introduzindo a Cultura Afro-Brasileira na Educação Infantil
ElaineCristiana
 
Cultura afro-brasileira
Cultura afro-brasileiraCultura afro-brasileira
Cultura afro-brasileira
culturaafro
 
Cultura afro descendente
Cultura afro descendenteCultura afro descendente
Cultura afro descendente
Valentina Queiroz
 
Projeto afrodescendente
Projeto afrodescendenteProjeto afrodescendente
Projeto afrodescendente
nogcaritas
 
Cultura Afro Brasileira
Cultura Afro BrasileiraCultura Afro Brasileira
Cultura Afro Brasileira
brendazarza
 
Trabalho religioes afro brasileira
Trabalho religioes afro brasileiraTrabalho religioes afro brasileira
Trabalho religioes afro brasileira
Gabriel Mayer
 
Projeto conhecendo a cultura afro brasileira
Projeto conhecendo a cultura afro brasileiraProjeto conhecendo a cultura afro brasileira
Projeto conhecendo a cultura afro brasileira
Fagner Santana
 
Cultura negra
Cultura negraCultura negra
Cultura negra
Daniele Lino
 
Projeto arte e africanidades
Projeto arte e africanidadesProjeto arte e africanidades
Projeto arte e africanidades
campacheco
 
Reconstruindo a áfrica
Reconstruindo a áfricaReconstruindo a áfrica
Reconstruindo a áfrica
Jana Bento
 
Influência da-cultura-africana-no-brasil
Influência da-cultura-africana-no-brasilInfluência da-cultura-africana-no-brasil
Influência da-cultura-africana-no-brasil
Nancihorta
 
Escravidão africana no brasil
Escravidão africana no brasilEscravidão africana no brasil
Escravidão africana no brasil
Fatima Freitas
 
Projeto Cultura Afro Brasileira e africana
Projeto Cultura Afro Brasileira e africanaProjeto Cultura Afro Brasileira e africana
Projeto Cultura Afro Brasileira e africana
lucianazanetti
 

Destaque (14)

Cultura Afro Brasileira
Cultura Afro   BrasileiraCultura Afro   Brasileira
Cultura Afro Brasileira
 
Introduzindo a Cultura Afro-Brasileira na Educação Infantil
Introduzindo a Cultura Afro-Brasileira na Educação InfantilIntroduzindo a Cultura Afro-Brasileira na Educação Infantil
Introduzindo a Cultura Afro-Brasileira na Educação Infantil
 
Cultura afro-brasileira
Cultura afro-brasileiraCultura afro-brasileira
Cultura afro-brasileira
 
Cultura afro descendente
Cultura afro descendenteCultura afro descendente
Cultura afro descendente
 
Projeto afrodescendente
Projeto afrodescendenteProjeto afrodescendente
Projeto afrodescendente
 
Cultura Afro Brasileira
Cultura Afro BrasileiraCultura Afro Brasileira
Cultura Afro Brasileira
 
Trabalho religioes afro brasileira
Trabalho religioes afro brasileiraTrabalho religioes afro brasileira
Trabalho religioes afro brasileira
 
Projeto conhecendo a cultura afro brasileira
Projeto conhecendo a cultura afro brasileiraProjeto conhecendo a cultura afro brasileira
Projeto conhecendo a cultura afro brasileira
 
Cultura negra
Cultura negraCultura negra
Cultura negra
 
Projeto arte e africanidades
Projeto arte e africanidadesProjeto arte e africanidades
Projeto arte e africanidades
 
Reconstruindo a áfrica
Reconstruindo a áfricaReconstruindo a áfrica
Reconstruindo a áfrica
 
Influência da-cultura-africana-no-brasil
Influência da-cultura-africana-no-brasilInfluência da-cultura-africana-no-brasil
Influência da-cultura-africana-no-brasil
 
Escravidão africana no brasil
Escravidão africana no brasilEscravidão africana no brasil
Escravidão africana no brasil
 
Projeto Cultura Afro Brasileira e africana
Projeto Cultura Afro Brasileira e africanaProjeto Cultura Afro Brasileira e africana
Projeto Cultura Afro Brasileira e africana
 

Semelhante a Cultura afro

Apresentação maria dos negros
Apresentação maria dos negrosApresentação maria dos negros
Apresentação maria dos negros
Hérika Diniz
 
_África.ppt
_África.ppt_África.ppt
_África.ppt
dayanasouza53
 
Africa ApresentaÇÃO
Africa ApresentaÇÃOAfrica ApresentaÇÃO
Africa ApresentaÇÃO
guestb74f0c
 
Trabalho sobre influencia da africa no espaço brasileiro
Trabalho sobre influencia da africa no espaço brasileiroTrabalho sobre influencia da africa no espaço brasileiro
Trabalho sobre influencia da africa no espaço brasileiro
Hudson Giovanni
 
InfluêNcia Da Cultura Africana No Brasil
InfluêNcia Da Cultura Africana No BrasilInfluêNcia Da Cultura Africana No Brasil
InfluêNcia Da Cultura Africana No Brasil
guestb74f0c
 
InfluêNcia Da Cultura Africana No Brasil
InfluêNcia Da Cultura Africana No BrasilInfluêNcia Da Cultura Africana No Brasil
InfluêNcia Da Cultura Africana No Brasil
josé Augusto Dias
 
Raizes_Culturais_Brasileiras__Africanos__ensino_basico.pdf
Raizes_Culturais_Brasileiras__Africanos__ensino_basico.pdfRaizes_Culturais_Brasileiras__Africanos__ensino_basico.pdf
Raizes_Culturais_Brasileiras__Africanos__ensino_basico.pdf
Maria Claudia F.Graca
 
Arte Afro Brasileira PóS
Arte Afro Brasileira PóSArte Afro Brasileira PóS
Arte Afro Brasileira PóS
Norma Almeida
 
Cultura afro-brasileira
Cultura afro-brasileiraCultura afro-brasileira
Cultura afro-brasileira
Victor Mattos
 
Africanidades Brasil
Africanidades BrasilAfricanidades Brasil
Africanidades Brasil
izoldaferreira
 
Atividades os povos africanos topico 4 historia fund
Atividades os povos africanos topico 4 historia fundAtividades os povos africanos topico 4 historia fund
Atividades os povos africanos topico 4 historia fund
Atividades Diversas Cláudia
 
Atividades os povos africanos topico 4 historia fund
Atividades os povos africanos topico 4 historia fundAtividades os povos africanos topico 4 historia fund
Atividades os povos africanos topico 4 historia fund
Atividades Diversas Cláudia
 
Slide francisco
Slide franciscoSlide francisco
Slide francisco
Francisco Neto
 
Cultura afro-brasileira
Cultura afro-brasileiraCultura afro-brasileira
Cultura afro-brasileira
Breno Lacerda
 
cultura-afro-brasileira (1).ppt
cultura-afro-brasileira (1).pptcultura-afro-brasileira (1).ppt
cultura-afro-brasileira (1).ppt
vitoriapereira42
 
Cultura afro-brasileira
Cultura afro-brasileira Cultura afro-brasileira
Cultura afro-brasileira
Professor de História
 
Os negros no brasil colônia
Os negros no brasil colôniaOs negros no brasil colônia
Os negros no brasil colônia
Nelia Salles Nantes
 
Os negros no brasil colônia
Os negros no brasil colôniaOs negros no brasil colônia
Os negros no brasil colônia
Nelia Salles Nantes
 
Cultura Afro Brasileira
Cultura Afro BrasileiraCultura Afro Brasileira
Cultura Afro Brasileira
luizschinemann
 
Afro Brasileira
Afro BrasileiraAfro Brasileira
Afro Brasileira
luizschinemann
 

Semelhante a Cultura afro (20)

Apresentação maria dos negros
Apresentação maria dos negrosApresentação maria dos negros
Apresentação maria dos negros
 
_África.ppt
_África.ppt_África.ppt
_África.ppt
 
Africa ApresentaÇÃO
Africa ApresentaÇÃOAfrica ApresentaÇÃO
Africa ApresentaÇÃO
 
Trabalho sobre influencia da africa no espaço brasileiro
Trabalho sobre influencia da africa no espaço brasileiroTrabalho sobre influencia da africa no espaço brasileiro
Trabalho sobre influencia da africa no espaço brasileiro
 
InfluêNcia Da Cultura Africana No Brasil
InfluêNcia Da Cultura Africana No BrasilInfluêNcia Da Cultura Africana No Brasil
InfluêNcia Da Cultura Africana No Brasil
 
InfluêNcia Da Cultura Africana No Brasil
InfluêNcia Da Cultura Africana No BrasilInfluêNcia Da Cultura Africana No Brasil
InfluêNcia Da Cultura Africana No Brasil
 
Raizes_Culturais_Brasileiras__Africanos__ensino_basico.pdf
Raizes_Culturais_Brasileiras__Africanos__ensino_basico.pdfRaizes_Culturais_Brasileiras__Africanos__ensino_basico.pdf
Raizes_Culturais_Brasileiras__Africanos__ensino_basico.pdf
 
Arte Afro Brasileira PóS
Arte Afro Brasileira PóSArte Afro Brasileira PóS
Arte Afro Brasileira PóS
 
Cultura afro-brasileira
Cultura afro-brasileiraCultura afro-brasileira
Cultura afro-brasileira
 
Africanidades Brasil
Africanidades BrasilAfricanidades Brasil
Africanidades Brasil
 
Atividades os povos africanos topico 4 historia fund
Atividades os povos africanos topico 4 historia fundAtividades os povos africanos topico 4 historia fund
Atividades os povos africanos topico 4 historia fund
 
Atividades os povos africanos topico 4 historia fund
Atividades os povos africanos topico 4 historia fundAtividades os povos africanos topico 4 historia fund
Atividades os povos africanos topico 4 historia fund
 
Slide francisco
Slide franciscoSlide francisco
Slide francisco
 
Cultura afro-brasileira
Cultura afro-brasileiraCultura afro-brasileira
Cultura afro-brasileira
 
cultura-afro-brasileira (1).ppt
cultura-afro-brasileira (1).pptcultura-afro-brasileira (1).ppt
cultura-afro-brasileira (1).ppt
 
Cultura afro-brasileira
Cultura afro-brasileira Cultura afro-brasileira
Cultura afro-brasileira
 
Os negros no brasil colônia
Os negros no brasil colôniaOs negros no brasil colônia
Os negros no brasil colônia
 
Os negros no brasil colônia
Os negros no brasil colôniaOs negros no brasil colônia
Os negros no brasil colônia
 
Cultura Afro Brasileira
Cultura Afro BrasileiraCultura Afro Brasileira
Cultura Afro Brasileira
 
Afro Brasileira
Afro BrasileiraAfro Brasileira
Afro Brasileira
 

Mais de Daniela F Almenara

Trabalho mandalas
Trabalho mandalasTrabalho mandalas
Trabalho mandalas
Daniela F Almenara
 
Aec 9º-ano-1º-bim
Aec 9º-ano-1º-bimAec 9º-ano-1º-bim
Aec 9º-ano-1º-bim
Daniela F Almenara
 
Atividade em classe 1º bim 6º ano
Atividade em classe 1º bim 6º anoAtividade em classe 1º bim 6º ano
Atividade em classe 1º bim 6º ano
Daniela F Almenara
 
Atividade extraclasse 1º ano
Atividade extraclasse 1º anoAtividade extraclasse 1º ano
Atividade extraclasse 1º ano
Daniela F Almenara
 
Mandalas
MandalasMandalas
Mandalas
MandalasMandalas
Pg
PgPg
Função horária das posições
Função horária das posiçõesFunção horária das posições
Função horária das posições
Daniela F Almenara
 
Atividade de reforço algarismos romanos
Atividade de reforço algarismos romanosAtividade de reforço algarismos romanos
Atividade de reforço algarismos romanos
Daniela F Almenara
 
Dilatação térmica
Dilatação térmicaDilatação térmica
Dilatação térmica
Daniela F Almenara
 
6º ano-avaliação-diagnótica-2016
6º ano-avaliação-diagnótica-20166º ano-avaliação-diagnótica-2016
6º ano-avaliação-diagnótica-2016
Daniela F Almenara
 
Avaliação de diagnóstica 8º ano
Avaliação de diagnóstica 8º ano Avaliação de diagnóstica 8º ano
Avaliação de diagnóstica 8º ano
Daniela F Almenara
 
As formas geométricas espaciais
As formas geométricas espaciaisAs formas geométricas espaciais
As formas geométricas espaciais
Daniela F Almenara
 
2º atv em classe 2º bim 2014
2º atv em classe  2º bim 20142º atv em classe  2º bim 2014
2º atv em classe 2º bim 2014
Daniela F Almenara
 
Álbum 7º C
Álbum 7º CÁlbum 7º C
Álbum 7º C
Daniela F Almenara
 
Álbum 7º B
Álbum  7º BÁlbum  7º B
Álbum 7º B
Daniela F Almenara
 
Álbum 7º A
Álbum 7º  AÁlbum 7º  A
Álbum 7º A
Daniela F Almenara
 
Dilatação térmica dos líquidos
Dilatação térmica dos líquidosDilatação térmica dos líquidos
Dilatação térmica dos líquidos
Daniela F Almenara
 
Atividade extraclasse 2º ano
Atividade extraclasse 2º anoAtividade extraclasse 2º ano
Atividade extraclasse 2º ano
Daniela F Almenara
 
Aula 1 temperatura
Aula 1   temperaturaAula 1   temperatura
Aula 1 temperatura
Daniela F Almenara
 

Mais de Daniela F Almenara (20)

Trabalho mandalas
Trabalho mandalasTrabalho mandalas
Trabalho mandalas
 
Aec 9º-ano-1º-bim
Aec 9º-ano-1º-bimAec 9º-ano-1º-bim
Aec 9º-ano-1º-bim
 
Atividade em classe 1º bim 6º ano
Atividade em classe 1º bim 6º anoAtividade em classe 1º bim 6º ano
Atividade em classe 1º bim 6º ano
 
Atividade extraclasse 1º ano
Atividade extraclasse 1º anoAtividade extraclasse 1º ano
Atividade extraclasse 1º ano
 
Mandalas
MandalasMandalas
Mandalas
 
Mandalas
MandalasMandalas
Mandalas
 
Pg
PgPg
Pg
 
Função horária das posições
Função horária das posiçõesFunção horária das posições
Função horária das posições
 
Atividade de reforço algarismos romanos
Atividade de reforço algarismos romanosAtividade de reforço algarismos romanos
Atividade de reforço algarismos romanos
 
Dilatação térmica
Dilatação térmicaDilatação térmica
Dilatação térmica
 
6º ano-avaliação-diagnótica-2016
6º ano-avaliação-diagnótica-20166º ano-avaliação-diagnótica-2016
6º ano-avaliação-diagnótica-2016
 
Avaliação de diagnóstica 8º ano
Avaliação de diagnóstica 8º ano Avaliação de diagnóstica 8º ano
Avaliação de diagnóstica 8º ano
 
As formas geométricas espaciais
As formas geométricas espaciaisAs formas geométricas espaciais
As formas geométricas espaciais
 
2º atv em classe 2º bim 2014
2º atv em classe  2º bim 20142º atv em classe  2º bim 2014
2º atv em classe 2º bim 2014
 
Álbum 7º C
Álbum 7º CÁlbum 7º C
Álbum 7º C
 
Álbum 7º B
Álbum  7º BÁlbum  7º B
Álbum 7º B
 
Álbum 7º A
Álbum 7º  AÁlbum 7º  A
Álbum 7º A
 
Dilatação térmica dos líquidos
Dilatação térmica dos líquidosDilatação térmica dos líquidos
Dilatação térmica dos líquidos
 
Atividade extraclasse 2º ano
Atividade extraclasse 2º anoAtividade extraclasse 2º ano
Atividade extraclasse 2º ano
 
Aula 1 temperatura
Aula 1   temperaturaAula 1   temperatura
Aula 1 temperatura
 

Cultura afro

  • 1. Governo do Estado de Rondônia Secretaria de Estado da Educação – SEDUC E.E.E.F.M. Cel. Aluízio Pinheiro Ferreira Rolim de Moura – RO Es c r av i dão & Cul t ur a Af r o- Br as i l ei r a Profª: Daniela Fontana Almenara
  • 2. A História da Escravidão
  • 3. Tráfico de escravos Os comerciantes de escravos portugueses vendiam os africanos como se fossem mercadorias aqui no Brasil. Os mais saudáveis chegavam a valer o dobro daqueles mais fracos ou velhos
  • 4. No Brasil, a escravidão teve início com a produção de açúcar na primeira metade do século XVI. Os portugueses traziam os negros africanos de suas colônias na África para utilizar como mão-de-obra escrava nos engenhos de açúcar do
  • 5. Navios Negreiros O transporte era feito da África para o Brasil nos porões dos navios negreiros. Amontoados, em condições desumanas, muitos morriam antes de chegar ao Brasil, sendo que os corpos eram lançados ao mar.
  • 6. Engenhos e Minas de Nas fazendas de Ouro açúcar ou nas minas de ouro os escravos eram tratados da pior forma possível. Trabalhavam muito (de sol a sol), recebendo apenas trapos de roupa e uma alimentação de péssima qualidade.
  • 7. Castigos Passavam as noites nas senzalas (galpões escuros, úmidos e com pouca higiene) acorrentados para evitar fugas. Eram constantemente castigados fisicamente, sendo que o açoite era a punição mais comum no Brasil Colônia.
  • 8.
  • 9. Quilombos O negro também reagiu à escravidão, buscando uma vida digna. Foram comuns as revoltas nas fazendas em que grupos de escravos fugiam, formando nas florestas os famosos quilombos. Estes, eram comunidades bem organizadas, onde os integrantes viviam em liberdade, através de uma organização comunitária aos moldes do que existia na África. Nos quilombos, podiam praticar sua cultura, falar sua língua e exercer seus rituais religiosos. O mais famoso foi o Quilombo de Palmares, comandado por Zumbi.
  • 10. Leis Abolicionistas  Lei Eusébio de Queiroz – 1850: Proibição do tráfico negreiro.  Lei do Ventre Livre – 1871: Declarava livre os filhos de mulher escrava a partir desta data.  Lei dos Sexagenários – 1885: Libertava escravos com mais de 65 anos.
  • 11. Lei Áurea A Lei Áurea foi assinada em 13 de maio de 1888 pela Princesa Isabel e o Conselheiro Rodrigo Augusto da Silva extinguindo a escravidão no Brasil.
  • 12.
  • 13.
  • 14. Inicialmente, todas as manifestações culturais afro-brasileiras eram proibidas, desprezadas, desestimuladas e perseguidas porque não eram parte do universo cultural europeu, não representavam civilidade, mas sim, uma cultura selvagem e atrasada em contra-ponto à Europa em desenvolvimento.
  • 15. Entretanto, a partir de meados do século XX, as expressões culturais afro-brasileiras começaram a ser gradualmente aceitas, admiradas e celebradas pelas elites brasileiras como expressões artísticas genuinamente nacionais.
  • 16. Religiões Os negros trazidos da África na condição de escravo, geralmente eram imediatamente batizados e obrigados a seguir o catolicismo. A conversão era apenas superficial e as religiões de origem africana conseguiram permanecer, geralmente através de prática secreta.
  • 17. Algumas religiões afro- brasileiras ainda mantém quase que totalmente as suas raízes africanas, como é o caso do Candomblé e Xangô, outras formaram-se através do sincretismo religioso como o Batuque, Xambá e Umbanda.
  • 18. Culinária A cozinha brasileira deriva em grande parte da cozinha africana, mesclada com elementos da cozinha indígena e portuguesa.
  • 19. A culinária baiana é a que mais demonstra a influência africana nos seus pratos típicos como acarajé , vatapá e moqueca.
  • 20. A feijoada é considerado o prato nacional do Brasil. É basicamente a mistura de feijões pretos e carne de porco.
  • 21. Capoeira Capoeira é uma arte marcial criada por escravos negros no Brasil durante o período colonial. Conta-se que os escravos diziam aos senhores que era apenas uma dança e, então, o treino era permitido. Assim, a capoeira é sempre praticada com instrumentos de percussão, música cantada, dança e, em algumas versões, acrobacias.
  • 22. A capoeira é marcada por movimentos que enganam o oponente, geralmente feitos no solo ou completamente invertidos.
  • 23. Música e Dança As expressões de música afro- brasileira mais conhecidas são o samba, maracatu, ijexá, jongo, carimbó, lambada e o maxixe.
  • 24. Como aconteceu em toda parte do continente americano onde houve escravos africanos, a música feita pelos afro- descendentes foi inicialmente desprezada e mantida na marginalidade, até que ganhou notoriedade no início do século XX e se tornou a mais popular nos dias atuais.
  • 25.
  • 26.
  • 27.
  • 28. Lei 10.609/2003 No dia 9 de janeiro de 2003 foi decretada pelo Presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a Lei 10.639 que torna obrigatório o ensino da História e Cultura Afro-Brasileiras nas escolas brasileiras, tem como um dos objetivos o combate ao racismo e a discriminação.
  • 29. Dentro da mesma Lei, o calendário escolar incluiu o dia 20 de novembro como o “Dia Nacional da Consciência Negra”
  • 30. Trabalho para o Dia da Consciência Negra – 5,0 pontos • Influência Afro-descendente no Brasil • Entregar até o dia 15/11 • Encontro para maiores instruções dia 06/11 às 9:15 h no LIE • Construir vídeos com imagens e/ou trechos de vídeos do youtube, narrando as informações (usem o programa audacity), com as seguintes temáticas:
  • 31. • 1. Influência Afro-descendente na dança (Danças de salão, samba ou danças típicas) • 2. Influência Afro-descendente Na música (Samba, Jazz, Regae, etc) • 3. Influência Afro-descendente na Arte • 4. Personalidades negras do Brasil, artistas ou não (Zumbí dos Palmares, Cartola, Xica da Silva, Joaquim Barbosa, etc)
  • 32. • 5. Influência Afro-descendente na Colonização do Brasil • 6. Religiões de matriz africana • 7. Culinária (Pratos como o vatapá, acarajé, caruru, feijoada, mungunzá, sarapatel, baba de moça, cocada, bala de coco e muitos outros exemplos são iguarias da cozinha brasileira e admirados em todo o mundo).
  • 33. • No final do vídeo deve conter o Nome da Escola, Disciplina, Série e turma e nomes dos alunos. • Exemplo de como deve ser o vídeo. Clique na imagem
  • 34. Proposta • Como o próximo tópico de estudo é Teatro Brasileiro e já viram Música e Dança, que tal produzir uma peça onde uniríamos esses três elementos? • A peça seria apresentada no dia em que comemoraremos o Dia da Consciência Negra aqui na escola (17/11)
  • 35. • Cada grupo ficaria responsável por algo na organização, por exemplo: • 1 e 2 – Providenciar o figurino • 3 – Providenciar músicas (Um Negro e outras de origem Afro) e cuidar da parte musical durante a apresentação • 4, 5 e 6 Coreografia • 7 – Declamação da 4ª parte do poema Navio Negreiro.
  • 36. “Ninguém nasce odiando outra pessoa pela cor de sua pele, por sua origem ou ainda por sua religião. Para odiar, as pessoas precisam aprender, e se podem aprender a odiar, podem ser ensinadas a amar.”