SlideShare uma empresa Scribd logo
1
www.regibio.com
Cuidados na higiene,
conforto e eliminação
Enf Rui Carvalho
2014
Carga horária:
50 horas
www.regibio.com
Introdução
• Devido a uma crescente preocupação com a qualidade de vida dos
cidadãos surge a necessidade de criação de estruturas de apoio à família.
• Neste contexto revela-se fundamental a formação específica que permita
aumentar as competências nesta área (apoio à comunidade).
• Neste contexto o agente em geriatria assume um papel essencial na
prestação de cuidados humanos básicos, necessários para garantir a
continuidade e qualidade de vida de todos aqueles que necessitam dos
seus serviços.
Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD
6574
www.regibio.com
Higiene corporal
Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD
6574
www.regibio.com
Objectivos dos cuidados de higiene:
Conforto e relaxamento (por exemplo, sentir-se
fresco e relaxar os músculos tensos);
Estimular a circulação (por exemplo, massagem);
Limpeza (por exemplo, remoção de tecido
necrosado, microorganismos e secreções);
Cuidados de Higiene e conforto
Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD
6574
www.regibio.com
Melhorar a auto-imagem (por exemplo, remoção
de odores desagradáveis, melhoria da aparência);
Tratar da pele (por exemplo, limpando,
estimulando a circulação e hidratando);
Proporcionar conforto físico e psicológico.
Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD
6574
www.regibio.com
Pele
a epiderme não se renova tão facilmente;
 perda da elasticidade da pele;
 atrofia dos capilares da pele (consequente
diminuição do aporte sanguíneo, sobretudo
nas extremidades);
Alterações da pele e tegumentos nos idosos
Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD
6574
www.regibio.com
perda de tecido adiposo (“gordura”) que se
deposita nas ancas e ao nível do abdómen;
 aparecimento de rugas;
 aparecimento de manchas;
 diminuição da actividade das glândulas
sebáceas, com perda da oleosidade natural da
pele.
Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD
6574
www.regibio.com
 diminuição da quantidade de pêlos, excepto na
cara;
 diminuição da espessura e embranquecimento
dos cabelos;
 diminuição do crescimento das unhas e
espessamento por diminuição da circulação
periférica.
Tegumentos (pêlos, unhas e cabelo)
Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD
6574
www.regibio.com
Uma pele integra ajuda a prevenir
infecções e outras complicações e promove
a auto-estima.
Considerações Gerais
Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD
6574
www.regibio.com
Existem conceitos errados sobre o banho. Por
exemplo, algumas pessoas acreditam que
durante a doença o banho é prejudicial ou
que, os arrepios durante o banho provocam
constipações.
O banho geral deve ser realizado pelo menos
uma vez por semana, incluindo o cabelo.
Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD
6574
www.regibio.com
Contudo é muito importante uma higiene diária a
zonas mais sensíveis do corpo por exemplo, a face,
as axilas, os genitais e os pés, uma vez que são áreas
que transpiram facilmente ficando irritadas,
levando à ocorrência de infecções.
Todas as pessoas devem participar em todas as
etapas do banho.
Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD
6574
www.regibio.com
O Banho é uma boa ocasião para se examinar a pele
(presença de lesões, escarras e hematomas), as unhas e
cabelos.
Cada pessoa tem a sua privacidade, que deve ser sempre
mantida e respeitada.
Além das falsas ideias acerca dos cuidados de higiene
pessoal dificultar a higiene no idoso, também o estado
físico de cada um (destreza, coordenação, força
muscular, equilíbrio) faz com que a higiene se torne mais
difícil.
Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD
6574
www.regibio.com
Pele
 Alternar banhos gerais e parciais (face, axilas, região
genital e pés);
 A lavagem deve ser feita das zonais mais limpas para
as zonas mais sujas (face, pescoço, membros
superiores, tórax, abdómen, membros inferiores,
genitais e ânus);
Cuidados de Higiene
Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD
6574
www.regibio.com
 Passar água em abundância pela pele, sobretudo
ao nível das axilas, região inguinal, infra-mamária,
genital e entre os dedos dos pés);
 Secar bem estas zonas evitando a fricção;
 Utilizar um hidratante depois do banho, ajudando
a reduzir a secura da pele;
Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD
6574
www.regibio.com
 Evitar a utilização de cremes agressivos e álcool
etílico uma vez que estes produtos secam a pele;
 Evitar utilizar pó-de-talco, dado que, ao absorver a
humidade natural seca a pele;
 Uma lavagem cuidadosa constitui o melhor método
de eliminação dos cheiros e riscos de infecção.
Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD
6574
www.regibio.com
Genitais
 A lavagem e hidratação das zonas genitais são
intervenções que ajudam a prevenir alterações da
integridade da pele;
 As fezes e a urina tornam a pele húmida e aceleram
a proliferação bacteriana, levando à ocorrência de
infecções;
Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD
6574
www.regibio.com
É necessário utilizar sabão neutro para não alterar o
pH da pele;
Lavar sempre a região genital no sentido anterior
para posterior;
Depois da higiene aplica-se um creme protector para
impedir a irritação;
Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD
6574
www.regibio.com
Pés
Ter o cuidado de lavar os pés diariamente com
água e sabão neutro e depois de secar, aplicar
creme hidratante;
Mudar diariamente de meias ou com maior
frequência se necessário;
Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD
6574
www.regibio.com
 Os idosos tem dificuldade em cortar as unhas
(quer devido à limitação de movimento, quer
devido a défices visuais) pelo que devem ser
ajudados nesta tarefa.
Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD
6574
www.regibio.com
Os cuidados com o pé diabético
- a circulação e a sensibilidade das pernas são mais
afectadas pelos diabéticos, que pode ainda causar
dificuldade de cicatrização de feridas;
- o diabético deve dar máxima atenção aos pés,
cuidando da higiene e escolhendo bem o calçado.
Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD
6574
www.regibio.com
 Nunca andar descalço, mesmo dentro de casa;
 Usar sapatos de pele confortáveis e bem ajustados,
mas nunca a apertar ao pé para não magoar;
 Antes de calçar os sapatos, verifique se há algum
objecto no interior, defeito ou prego saliente;
Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD
6574
www.regibio.com
evitar sapatos de borracha ou de material sintético
que não deixam respirar os pés;
 evitar os sacos de água quente na cama e se
aproxime de aquecedores. Pois pode queimar os pés
sem o sentir;
Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD
6574
www.regibio.com
lavar os pés em água tépida e sabão suave e depois
enxugando muito bem sem friccionar,
especialmente entre os dedos;
usar meias de algodão, ou de lã;
cortar as unhas direitas e não rentes;
Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD
6574
www.regibio.com
observar os pés diariamente, se vir alguma
ferida, calo, inchaço, inflamação ou alteração
da cor, deve contactar o médico;
se não conseguir observar o pé sozinho peça
ajuda.
Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD
6574
www.regibio.com
Dentes e próteses dentárias
 Escovar os dentes depois das refeições e antes de
se deitar;
 Escovar ligeiramente a língua e mucosa oral;
 Examinar a boca a fim de detectar lesões;
 Escovar regularmente as próteses.
Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD
6574
www.regibio.com
Além de uma boa higiene corporal,
importante para o conforto da pessoa, é
igualmente importante o vestuário que esta
utiliza e as condições em que o mesmo se
encontra. Assim devem-se ter algumas
considerações quanto ao vestuário.
Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD
6574
www.regibio.com
Vestuário
Utilizar roupa interior de algodão;
Usar roupa larga, evitando elásticos;
Não usar meias com ligas muito justas;
Mudar frequentemente a roupa interior;
Evitar calçado derrapante.
Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD
6574
www.regibio.com
 Promover a segurança e prevenir quedas;
Fazer o levantamento das necessidades físicas e
psicológicas;
Determinar as capacidades para o auto-cuidado,
conhecendo as limitações à actividade e encorajando
a auto-ajuda se não for contra-indicada;
Normas úteis a todos os banhos
Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD
6574
www.regibio.com
 Envolver a pessoa em todo o processo do banho e
higiene;
 Individualizar o ensino de acordo com as
necessidades de cada pessoa;
 Promover banhos frequentes para as pessoas
incontinentes;
Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD
6574
www.regibio.com
 Limpar imediatamente a pele das secreções
corporais (urinas e fezes) para prevenir irritações;
 Providenciar ambiente adequado e privacidade
durante o banho.
Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD
6574
www.regibio.com
A higiene
Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD
6574
www.regibio.com
O conforto
Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD
6574
www.regibio.com
“O sofrimento só é intolerável se
ninguém cuida…”
Dame Cicely Saunders
Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD
6574
www.regibio.com
A Organização Mundial de Saúde (1990) e a
Associação Nacional de Cuidados Paliativos (1996),
consideram que: “cuidados paliativos são cuidados
globais e activos prestados aos doentes cuja doença
não responde ao tratamento curativo, com o
objectivo de obter a melhor qualidade de vida
possível até que a morte ocorra, controlando a dor
e outros sintomas, integrando aspectos
psicológicos, sociais e espirituais nesses cuidados; é
também fundamental a atenção aos problemas da
família durante a doença e após a morte do
doente.”
Conforto
Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD
6574
www.regibio.com
Eliminação
Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD
6574
www.regibio.com
NECESSIDADES DE ELIMINAÇÃO
• Uma parte importante dos cuidados prestados, ao
paciente, centra-se em ajudá-lo a superar as
dificuldades de eliminação de fezes e urina
• Consiste em ensinar, supervisionar, ajudar ou
realizar procedimentos
• Sempre que possível tornar o paciente autônomo,
dando-se especial importância à higiene e ao
conforto
Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD
6574
www.regibio.com
• Antes de se estabelecer qualquer plano de cuidados:
• Deverá ser avaliada a capacidade do paciente em
identificar a localização do WC, chegar até ele, tirar a
roupa, sentar-se no vaso sanitário, alcançar e utilizar
os utensílios de higiene, levantar-se, voltar e vestir-
se e lavar as mãos.
Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD
6574
www.regibio.com
A eliminação urinária como uma necessidade
humana básica
• Princípios relativos a eliminação urinária
– O adulto mediano elimina 1.000 a 1.500 ml de
urina em 24 horas.
– A relação anatômica íntima do trato urinário e o
trato genital, torna o funcionamento urinário um
tópico sensível para a maioria das pessoas.
– A localização do meato urinário em íntima
proximidade do ânus e órgãos genitais externos,
faz o trato urinário vulnerável à infecção
oriundas destas fontes.
Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD
6574
www.regibio.com
Considerações Sobre a Eliminação
• Para manter um funcionamento efetivo, o organismo
humano deve livrar-se de substâncias indesejadas
(dejetos).
• Ele dispõe de quatro mecanismos de eliminação dos
produtos residuais: trato urinário (urina), trato
gastrintestinal (fezes), através da pele (como
perspiração) e através do trato respiratório (ar
expirado).
• Cada mecanismo tem sua função específica na
depuração dos resíduos resultantes do
processamento dos nutrientes e sua subseqüente
utilização nas células.
Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD
6574
www.regibio.com
Considerações Sobre a Eliminação
• A maioria dos resíduos nitrogenados do
metabolismo celular é excretada na urina.
• O sistema urinário desempenha um papel
importante na manutenção do equilíbrio
hidroeletrolítico.
• O controle da micção representa para as pessoas um
ato independente, que é aprendido na infância, e a
perda desta independência, significa uma ameaça ao
bem estar social e emocional, pondo em risco os
sentimentos de auto-estima.
Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD
6574
www.regibio.com
FATORES QUE INFLUENCIAM A EXCREÇÃO
URINÁRIA
• Crescimento e Desenvolvimento
• Fatores Psicológicos
• Hábitos Pessoais
• Tono Muscular
• Ingestão de Líquidos
• Condições Patológicas
• Intervenções Cirúrgicas
• Ação de Medicamentos
• Exames com Finalidade Diagnóstica
Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD
6574
www.regibio.com
Anatomia e funcionamento do
aparelho urinário
• O aparelho urinário é o conjunto de
órgãos que se encarrega da formação e
excreção de urina. É composto pelos
rins(3), os ureteres(4), a bexiga(5) e a
uretra(6). Através da urina, são
eliminados os produtos que resultam do
metabolismo e as substâncias tóxicas
que circulam no sangue. A urina é
armazenada na bexiga, que tem uma
capacidade de 250 a 550 ml, fazendo-se
a sua evacuação através do esfíncter
uretral. O controle da micção é
voluntário e consciente, e a eliminação
produz-se quando a uretra se abre e a
bexiga se contrai. Esta ação coordenada
depende do sistema nervoso.
Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD
6574
www.regibio.com
Eliminação Urinária
• Características da urina
• Composição: água, ureia e electrólitos (Na+ e
Cl-)
• Volume: 50-80 ml/h => 1000-2000 ml/24h
Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD
6574
www.regibio.com
Depende
• - Ingestão de líquidos
- Líquidos perdidos por outras vias
- Febre
- Temperatura ambiente
- Idade
- Ingestão de proteínas
- Terapêutica com diuréticos
Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD
6574
www.regibio.com
Cor: varia entre o amarelo pálido e o âmbar
(normal); em contacto com o ar oxida
• Variações:
- Vermelho vivo
- Vermelho escuro
- Amarelo escuro
- Amarelo vivo
- Esbranquiçada opaca
Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD
6574
www.regibio.com
• Aspeto: transparente
- Se turva (presença de bactérias, de esperma
ou líquido prostático)
• Odor: característico
- Amoniacal (ação bacteriana)
- Adocicado (corpos cetónicos)
• Densidade: entre 1003-1030; mede a
concentração de solutos dissolvidos na urina
• pH: entre 4.5-7.5; determina a concentração
de hidrogénios na urina.
Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD
6574
www.regibio.com
PLANEJAMENTO PARA A EXCREÇÃO URINÁRIA
• Fazer o paciente entender o processo normal de
excreção urinária.
• Estimular a micção normal, com esvaziamento
completo da bexiga.
• Prevenir infecções.
• Manter a integridade da pele.
• Promover o maior conforto possível para o paciente.
• Promover o funcionamento normal da bexiga.
Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD
6574
www.regibio.com
AVALIAÇÃO DA EXCREÇÃO URINÁRIA
• A diurese medida deve ser igual à ingestão de líquidos.
• A bexiga é impalpável após a micção.
• A urocultura não deve revelar o crescimento de bactérias.
• O paciente não deve tem queixas de disúria, sensação de prurido
ou de queimação no meato uretral, urgência miccional ou
freqüência anormal.
• Observe se a urina é transparente.
• A inspeção do períneo não revela sinais de inflamação ou se
escoriação.
• O paciente nega desconforto devido à colocação de cateter.
Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD
6574
www.regibio.com
AVALIAÇÃO DA EXCREÇÃO URINÁRIA
• Exame de Urina
– Coleta das Amostras de Urina
– Exames Diagnósticos
– Visualização Indireta
– Visualização Direta
• Resultados Normais do Exame de Urina
– pH (4,6 a 8.0)
– Albumina (ausente)
– Glicose (ausente)
– Corpos Cetônicos (ausentes)
– Densidade Específica (1.010 a 1.025)
Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD
6574
www.regibio.com
Eliminação Intestinal
• Movimento e evacuação das fezes pela
defecação
• Habitualmente uma vez por dia
• Fezes moles e moldadas
• Pode ser influenciada por fatores físicos e/ou
psicológicos.
Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD
6574
www.regibio.com
Fatores que afetam a defecação
normal
• Factores psico-sociais:
• Estado mental
• Experiência ligada ao treino
intestinal
• Hábitos culturais
• Privacidade
• Hábitos pessoais
• Sedentarismo
• Factores fisiológicos:
• Ingestão de alimentos
• Tónus muscular
• Medicamentos
• Procedimentos cirúrgicos
• Exames de diagnóstico
• Idade
• Distúrbios motores / sensoriais
• Patologia intestinal
Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD
6574
www.regibio.com
Atividade gastrointestinal
• Reflexo gastrocólico: quando o bolo
alimentar entra no estômago. (é mais
forte quando a pessoa come após um
período de jejum).
• Peristaltismo: movimenta o que sobrou
dos nutrientes através do cólon e
sigmóide na direcção do ânus.
• Reflexo da defecação: tem início quando
a massa fecal ou os gases se movem da
sigmoideia para o recto. Os esfíncteres
anais relaxam.
Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD
6574
www.regibio.com
Exame da eliminação intestinal
Padrão de eliminação
• Existem inúmeras variações
do normal
• É fundamental determinar o
que é peculiar a cada
doente (frequência, esforço
para expelir as fezes,
recursos utilizados para a
eliminação)
Características das fezes
• Cor
• Odor
• Consistência
• Formato
• Existência de componentes
incomuns
Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD
6574
www.regibio.com
Cuidados a ter antes, durante e
após a eliminação
Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD
6574
www.regibio.com
Colocação e remoção de
arrastadeiras
Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD
6574
www.regibio.com
Colocação e remoção de
arrastadeiras
Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD
6574
www.regibio.com
Colocação do urinol
Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD
6574
www.regibio.com
Dispositivo de apoia a eliminação
Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD
6574
www.regibio.com
Dispositivo de apoia a eliminação
Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD
6574
www.regibio.com
Dispositivo de apoia a eliminação
Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD
6574
www.regibio.com
Dispositivo de apoia a eliminação
Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD
6574
www.regibio.com
Cuidados na desinfeção
Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD
6574
www.regibio.com
Cuidar
• Tratar é técnico. “Cuidar, é um ato de humanidade,
que em contexto de saúde, inclui o tratamento.
Cuidar é olhar o outro como alguém igual a nós e
não como um moribundo que nos faz perder tempo
útil para tratar dos outros doentes ou para preencher
mais algum papel. Cuidar é quando o nosso olhar
repousa no olhar do outro, quando a nossa mão
encontra a mão do outro, quando o nosso sorriso
abre um sorriso do outro”. (Raposo, João. P. 95,
2003)
Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD
6574
www.regibio.com
Conceito de Saúde
• O conceito de saúde possui implicações legais,
sociais e económicas dos estados de saúde e
doença.
• Sem dúvida, a definição mais difundida é a
da Organização Mundial da Saúde: “saúde é um
estado de completo bem-estar físico, mental e
social, e não apenas a ausência de doença”.
Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD
6574

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Agente de Geriatria - Cuidados Humanos Básicos
Agente de Geriatria - Cuidados Humanos BásicosAgente de Geriatria - Cuidados Humanos Básicos
Agente de Geriatria - Cuidados Humanos Básicos
Frederico Brandão
 
UFCD_6575_Cuidados na alimentação e hidratação
UFCD_6575_Cuidados na alimentação e hidrataçãoUFCD_6575_Cuidados na alimentação e hidratação
UFCD_6575_Cuidados na alimentação e hidratação
Manuais Formação
 
Tarefas e funções do Técnico Auxiliar de Saúde no Bloco Operatório e no Servi...
Tarefas e funções do Técnico Auxiliar de Saúde no Bloco Operatório e no Servi...Tarefas e funções do Técnico Auxiliar de Saúde no Bloco Operatório e no Servi...
Tarefas e funções do Técnico Auxiliar de Saúde no Bloco Operatório e no Servi...
I.Braz Slideshares
 
Banho de leito.atualizada
Banho de leito.atualizadaBanho de leito.atualizada
Banho de leito.atualizada
hospital
 
Processo de esterilização
Processo de esterilizaçãoProcesso de esterilização
Processo de esterilização
Amanda Amate
 
Código de ética dos profissionais de enfermagem
Código de ética dos profissionais de enfermagemCódigo de ética dos profissionais de enfermagem
Código de ética dos profissionais de enfermagem
Centro Universitário Ages
 
Tarefas do tas higiene seguranca e saude
Tarefas do tas higiene seguranca e saudeTarefas do tas higiene seguranca e saude
Tarefas do tas higiene seguranca e saude
Lurdesmartins17
 
Primeiros Socorros - Emergências Pediátricas e Geriátricas
Primeiros Socorros - Emergências Pediátricas e GeriátricasPrimeiros Socorros - Emergências Pediátricas e Geriátricas
Primeiros Socorros - Emergências Pediátricas e Geriátricas
Welisson Porto
 
Prevenção e Controlo da Infeção: Esterilização
Prevenção e Controlo da Infeção: EsterilizaçãoPrevenção e Controlo da Infeção: Esterilização
Prevenção e Controlo da Infeção: Esterilização
I.Braz Slideshares
 
Teste de glicemia capilar slide
Teste de glicemia capilar   slideTeste de glicemia capilar   slide
Teste de glicemia capilar slide
Renata Nobre
 
Paciente em fase terminal
Paciente em fase terminalPaciente em fase terminal
Paciente em fase terminal
Rodrigo Abreu
 
UFCD - 6575 - CUIDADOS NA ALIMENTAÇÃO E NA HIDRATAÇÃO
UFCD - 6575 - CUIDADOS NA ALIMENTAÇÃO E NA HIDRATAÇÃOUFCD - 6575 - CUIDADOS NA ALIMENTAÇÃO E NA HIDRATAÇÃO
UFCD - 6575 - CUIDADOS NA ALIMENTAÇÃO E NA HIDRATAÇÃO
Manualis
 
Cuidador de Idoso
Cuidador de Idoso Cuidador de Idoso
Cuidador de Idoso
Ana Hollanders
 
Agente de Geriatria - Apresentação Pessoal
Agente de Geriatria - Apresentação PessoalAgente de Geriatria - Apresentação Pessoal
Agente de Geriatria - Apresentação Pessoal
Frederico Brandão
 
Trabalho em equipas multidisciplinares de saúde
Trabalho em equipas multidisciplinares de saúdeTrabalho em equipas multidisciplinares de saúde
Trabalho em equipas multidisciplinares de saúde
Susana Cardoso
 
Higiene Pessoal Do Idoso
Higiene Pessoal Do IdosoHigiene Pessoal Do Idoso
Higiene Pessoal Do Idoso
guest5629953
 
Ufcd 6582 cuidados de saúde a pessoas em fim de vida e post mortem_índice
Ufcd 6582 cuidados de saúde a pessoas em fim de vida e post mortem_índiceUfcd 6582 cuidados de saúde a pessoas em fim de vida e post mortem_índice
Ufcd 6582 cuidados de saúde a pessoas em fim de vida e post mortem_índice
Manuais Formação
 
Teoria das 14 necessidades fundamentais, de Virginia Henderson - No Caminho d...
Teoria das 14 necessidades fundamentais, de Virginia Henderson - No Caminho d...Teoria das 14 necessidades fundamentais, de Virginia Henderson - No Caminho d...
Teoria das 14 necessidades fundamentais, de Virginia Henderson - No Caminho d...
Lucas Fontes
 
Atenção à Saúde do Idoso
Atenção à Saúde do Idoso Atenção à Saúde do Idoso
Afogamento
AfogamentoAfogamento
Afogamento
Wallace Silva
 

Mais procurados (20)

Agente de Geriatria - Cuidados Humanos Básicos
Agente de Geriatria - Cuidados Humanos BásicosAgente de Geriatria - Cuidados Humanos Básicos
Agente de Geriatria - Cuidados Humanos Básicos
 
UFCD_6575_Cuidados na alimentação e hidratação
UFCD_6575_Cuidados na alimentação e hidrataçãoUFCD_6575_Cuidados na alimentação e hidratação
UFCD_6575_Cuidados na alimentação e hidratação
 
Tarefas e funções do Técnico Auxiliar de Saúde no Bloco Operatório e no Servi...
Tarefas e funções do Técnico Auxiliar de Saúde no Bloco Operatório e no Servi...Tarefas e funções do Técnico Auxiliar de Saúde no Bloco Operatório e no Servi...
Tarefas e funções do Técnico Auxiliar de Saúde no Bloco Operatório e no Servi...
 
Banho de leito.atualizada
Banho de leito.atualizadaBanho de leito.atualizada
Banho de leito.atualizada
 
Processo de esterilização
Processo de esterilizaçãoProcesso de esterilização
Processo de esterilização
 
Código de ética dos profissionais de enfermagem
Código de ética dos profissionais de enfermagemCódigo de ética dos profissionais de enfermagem
Código de ética dos profissionais de enfermagem
 
Tarefas do tas higiene seguranca e saude
Tarefas do tas higiene seguranca e saudeTarefas do tas higiene seguranca e saude
Tarefas do tas higiene seguranca e saude
 
Primeiros Socorros - Emergências Pediátricas e Geriátricas
Primeiros Socorros - Emergências Pediátricas e GeriátricasPrimeiros Socorros - Emergências Pediátricas e Geriátricas
Primeiros Socorros - Emergências Pediátricas e Geriátricas
 
Prevenção e Controlo da Infeção: Esterilização
Prevenção e Controlo da Infeção: EsterilizaçãoPrevenção e Controlo da Infeção: Esterilização
Prevenção e Controlo da Infeção: Esterilização
 
Teste de glicemia capilar slide
Teste de glicemia capilar   slideTeste de glicemia capilar   slide
Teste de glicemia capilar slide
 
Paciente em fase terminal
Paciente em fase terminalPaciente em fase terminal
Paciente em fase terminal
 
UFCD - 6575 - CUIDADOS NA ALIMENTAÇÃO E NA HIDRATAÇÃO
UFCD - 6575 - CUIDADOS NA ALIMENTAÇÃO E NA HIDRATAÇÃOUFCD - 6575 - CUIDADOS NA ALIMENTAÇÃO E NA HIDRATAÇÃO
UFCD - 6575 - CUIDADOS NA ALIMENTAÇÃO E NA HIDRATAÇÃO
 
Cuidador de Idoso
Cuidador de Idoso Cuidador de Idoso
Cuidador de Idoso
 
Agente de Geriatria - Apresentação Pessoal
Agente de Geriatria - Apresentação PessoalAgente de Geriatria - Apresentação Pessoal
Agente de Geriatria - Apresentação Pessoal
 
Trabalho em equipas multidisciplinares de saúde
Trabalho em equipas multidisciplinares de saúdeTrabalho em equipas multidisciplinares de saúde
Trabalho em equipas multidisciplinares de saúde
 
Higiene Pessoal Do Idoso
Higiene Pessoal Do IdosoHigiene Pessoal Do Idoso
Higiene Pessoal Do Idoso
 
Ufcd 6582 cuidados de saúde a pessoas em fim de vida e post mortem_índice
Ufcd 6582 cuidados de saúde a pessoas em fim de vida e post mortem_índiceUfcd 6582 cuidados de saúde a pessoas em fim de vida e post mortem_índice
Ufcd 6582 cuidados de saúde a pessoas em fim de vida e post mortem_índice
 
Teoria das 14 necessidades fundamentais, de Virginia Henderson - No Caminho d...
Teoria das 14 necessidades fundamentais, de Virginia Henderson - No Caminho d...Teoria das 14 necessidades fundamentais, de Virginia Henderson - No Caminho d...
Teoria das 14 necessidades fundamentais, de Virginia Henderson - No Caminho d...
 
Atenção à Saúde do Idoso
Atenção à Saúde do Idoso Atenção à Saúde do Idoso
Atenção à Saúde do Idoso
 
Afogamento
AfogamentoAfogamento
Afogamento
 

Destaque

A importância da higiene para a saúde
A importância da higiene para a saúdeA importância da higiene para a saúde
A importância da higiene para a saúde
Os Sabichões
 
Aula 4 Noções básicas de higiene e saúde: cuidados importantes!!
Aula 4 Noções básicas de higiene e saúde: cuidados importantes!!Aula 4 Noções básicas de higiene e saúde: cuidados importantes!!
Aula 4 Noções básicas de higiene e saúde: cuidados importantes!!
Ana Filadelfi
 
Hábitos saudáveis e higiene oral
Hábitos saudáveis e higiene oralHábitos saudáveis e higiene oral
Hábitos saudáveis e higiene oral
Queimadarquivo
 
Higiene
HigieneHigiene
Higiene
Célia Pinho
 
Higiene e saúde
Higiene e saúdeHigiene e saúde
Higiene e saúde
Msaude
 
Higiene
HigieneHigiene
Higiene
veronicasilva
 
A IMPORTÂNCIA DA HIGIENE PESSOAL EM NOSSA VIDA
A IMPORTÂNCIA DA HIGIENE PESSOAL EM NOSSA VIDAA IMPORTÂNCIA DA HIGIENE PESSOAL EM NOSSA VIDA
A IMPORTÂNCIA DA HIGIENE PESSOAL EM NOSSA VIDA
VALÉRIA MORAES FARIAS
 
Projeto higiene e saúde
Projeto higiene e saúde Projeto higiene e saúde
Projeto higiene e saúde
Clenice Matheus
 
Higiene pessoal
Higiene pessoalHigiene pessoal
Higiene pessoal
Maryanne Guimarães
 
Higiene e Saúde
Higiene e SaúdeHigiene e Saúde
Higiene e Saúde
Paulo Coelho
 

Destaque (10)

A importância da higiene para a saúde
A importância da higiene para a saúdeA importância da higiene para a saúde
A importância da higiene para a saúde
 
Aula 4 Noções básicas de higiene e saúde: cuidados importantes!!
Aula 4 Noções básicas de higiene e saúde: cuidados importantes!!Aula 4 Noções básicas de higiene e saúde: cuidados importantes!!
Aula 4 Noções básicas de higiene e saúde: cuidados importantes!!
 
Hábitos saudáveis e higiene oral
Hábitos saudáveis e higiene oralHábitos saudáveis e higiene oral
Hábitos saudáveis e higiene oral
 
Higiene
HigieneHigiene
Higiene
 
Higiene e saúde
Higiene e saúdeHigiene e saúde
Higiene e saúde
 
Higiene
HigieneHigiene
Higiene
 
A IMPORTÂNCIA DA HIGIENE PESSOAL EM NOSSA VIDA
A IMPORTÂNCIA DA HIGIENE PESSOAL EM NOSSA VIDAA IMPORTÂNCIA DA HIGIENE PESSOAL EM NOSSA VIDA
A IMPORTÂNCIA DA HIGIENE PESSOAL EM NOSSA VIDA
 
Projeto higiene e saúde
Projeto higiene e saúde Projeto higiene e saúde
Projeto higiene e saúde
 
Higiene pessoal
Higiene pessoalHigiene pessoal
Higiene pessoal
 
Higiene e Saúde
Higiene e SaúdeHigiene e Saúde
Higiene e Saúde
 

Semelhante a Cuidados de higiene e eliminação 2

AULA_07 CUIDADOS RELACIONADOS À HIGIENE E MOVIMENTAÇÃO DO IDOSO.pdf
AULA_07 CUIDADOS RELACIONADOS À HIGIENE E MOVIMENTAÇÃO DO IDOSO.pdfAULA_07 CUIDADOS RELACIONADOS À HIGIENE E MOVIMENTAÇÃO DO IDOSO.pdf
AULA_07 CUIDADOS RELACIONADOS À HIGIENE E MOVIMENTAÇÃO DO IDOSO.pdf
LviaParanaguNevesdeL
 
Higiene e saude
Higiene e saudeHigiene e saude
Higiene e saude
ANABISMARCHI1
 
Higiene corporea do cliente
Higiene corporea do clienteHigiene corporea do cliente
Higiene corporea do cliente
Viviane da Silva
 
Apresentação para blog.pps
Apresentação  para blog.ppsApresentação  para blog.pps
Apresentação para blog.pps
VICTORNEGAO
 
Apresentação para blog
Apresentação  para blogApresentação  para blog
Apresentação para blog
VICTORNEGAO
 
Apresentação para blog
Apresentação  para blogApresentação  para blog
Apresentação para blog
VICTORNEGAO
 
HIGIENE E PROFffrILÁXIA - aula 2 -.pptx
HIGIENE E PROFffrILÁXIA  - aula 2 -.pptxHIGIENE E PROFffrILÁXIA  - aula 2 -.pptx
HIGIENE E PROFffrILÁXIA - aula 2 -.pptx
JooHenriqueCarvallho
 
Avd's
Avd'sAvd's
Higiene Conforto e segurança do pcte.pptx
Higiene Conforto e segurança do pcte.pptxHigiene Conforto e segurança do pcte.pptx
Higiene Conforto e segurança do pcte.pptx
tuttitutti1
 
Prof. da costura. 1º e 2° aula. completa.
Prof. da costura.   1º e 2° aula. completa.Prof. da costura.   1º e 2° aula. completa.
Prof. da costura. 1º e 2° aula. completa.
Bruno Ledo
 
26 dicas mais saúde
26 dicas mais saúde26 dicas mais saúde
26 dicas mais saúde
luiz ribeiro
 
26 dicas mais saúde
26 dicas mais saúde26 dicas mais saúde
26 dicas mais saúde
luiz ribeiro
 
EDUCAÇÃO FÍSICA. CADERNO DO 3º CICLO.docx
EDUCAÇÃO FÍSICA. CADERNO DO 3º CICLO.docxEDUCAÇÃO FÍSICA. CADERNO DO 3º CICLO.docx
EDUCAÇÃO FÍSICA. CADERNO DO 3º CICLO.docx
AltairFDuarte
 
Apostila+Profissional+-+Limpeza+de+Pele+by+Lidiane+Sousa.pdf
Apostila+Profissional+-+Limpeza+de+Pele+by+Lidiane+Sousa.pdfApostila+Profissional+-+Limpeza+de+Pele+by+Lidiane+Sousa.pdf
Apostila+Profissional+-+Limpeza+de+Pele+by+Lidiane+Sousa.pdf
alineneri10
 
A importância da higiene para a promoção da qualidade de vida.ppt
A importância da higiene para a promoção da qualidade de vida.pptA importância da higiene para a promoção da qualidade de vida.ppt
A importância da higiene para a promoção da qualidade de vida.ppt
Lázaro Leite
 
FUNDAMENTOS DE ENFERMAGEM.pptx...........
FUNDAMENTOS DE ENFERMAGEM.pptx...........FUNDAMENTOS DE ENFERMAGEM.pptx...........
FUNDAMENTOS DE ENFERMAGEM.pptx...........
SimoneDoCarmodeJesus2
 
Higiene pessoal e social
Higiene pessoal e socialHigiene pessoal e social
Higiene pessoal e social
NocasBastos
 
Dicas para o cuidador
Dicas para o cuidadorDicas para o cuidador
Dicas para o cuidador
Telma Cacém E Juromenha
 
higiene aula 3.ppt
higiene aula 3.ppthigiene aula 3.ppt
higiene aula 3.ppt
LucilaMoreno9
 
Cuidador De Idosos.pdf
Cuidador De Idosos.pdfCuidador De Idosos.pdf
Cuidador De Idosos.pdf
FlavioDuccini
 

Semelhante a Cuidados de higiene e eliminação 2 (20)

AULA_07 CUIDADOS RELACIONADOS À HIGIENE E MOVIMENTAÇÃO DO IDOSO.pdf
AULA_07 CUIDADOS RELACIONADOS À HIGIENE E MOVIMENTAÇÃO DO IDOSO.pdfAULA_07 CUIDADOS RELACIONADOS À HIGIENE E MOVIMENTAÇÃO DO IDOSO.pdf
AULA_07 CUIDADOS RELACIONADOS À HIGIENE E MOVIMENTAÇÃO DO IDOSO.pdf
 
Higiene e saude
Higiene e saudeHigiene e saude
Higiene e saude
 
Higiene corporea do cliente
Higiene corporea do clienteHigiene corporea do cliente
Higiene corporea do cliente
 
Apresentação para blog.pps
Apresentação  para blog.ppsApresentação  para blog.pps
Apresentação para blog.pps
 
Apresentação para blog
Apresentação  para blogApresentação  para blog
Apresentação para blog
 
Apresentação para blog
Apresentação  para blogApresentação  para blog
Apresentação para blog
 
HIGIENE E PROFffrILÁXIA - aula 2 -.pptx
HIGIENE E PROFffrILÁXIA  - aula 2 -.pptxHIGIENE E PROFffrILÁXIA  - aula 2 -.pptx
HIGIENE E PROFffrILÁXIA - aula 2 -.pptx
 
Avd's
Avd'sAvd's
Avd's
 
Higiene Conforto e segurança do pcte.pptx
Higiene Conforto e segurança do pcte.pptxHigiene Conforto e segurança do pcte.pptx
Higiene Conforto e segurança do pcte.pptx
 
Prof. da costura. 1º e 2° aula. completa.
Prof. da costura.   1º e 2° aula. completa.Prof. da costura.   1º e 2° aula. completa.
Prof. da costura. 1º e 2° aula. completa.
 
26 dicas mais saúde
26 dicas mais saúde26 dicas mais saúde
26 dicas mais saúde
 
26 dicas mais saúde
26 dicas mais saúde26 dicas mais saúde
26 dicas mais saúde
 
EDUCAÇÃO FÍSICA. CADERNO DO 3º CICLO.docx
EDUCAÇÃO FÍSICA. CADERNO DO 3º CICLO.docxEDUCAÇÃO FÍSICA. CADERNO DO 3º CICLO.docx
EDUCAÇÃO FÍSICA. CADERNO DO 3º CICLO.docx
 
Apostila+Profissional+-+Limpeza+de+Pele+by+Lidiane+Sousa.pdf
Apostila+Profissional+-+Limpeza+de+Pele+by+Lidiane+Sousa.pdfApostila+Profissional+-+Limpeza+de+Pele+by+Lidiane+Sousa.pdf
Apostila+Profissional+-+Limpeza+de+Pele+by+Lidiane+Sousa.pdf
 
A importância da higiene para a promoção da qualidade de vida.ppt
A importância da higiene para a promoção da qualidade de vida.pptA importância da higiene para a promoção da qualidade de vida.ppt
A importância da higiene para a promoção da qualidade de vida.ppt
 
FUNDAMENTOS DE ENFERMAGEM.pptx...........
FUNDAMENTOS DE ENFERMAGEM.pptx...........FUNDAMENTOS DE ENFERMAGEM.pptx...........
FUNDAMENTOS DE ENFERMAGEM.pptx...........
 
Higiene pessoal e social
Higiene pessoal e socialHigiene pessoal e social
Higiene pessoal e social
 
Dicas para o cuidador
Dicas para o cuidadorDicas para o cuidador
Dicas para o cuidador
 
higiene aula 3.ppt
higiene aula 3.ppthigiene aula 3.ppt
higiene aula 3.ppt
 
Cuidador De Idosos.pdf
Cuidador De Idosos.pdfCuidador De Idosos.pdf
Cuidador De Idosos.pdf
 

Cuidados de higiene e eliminação 2

  • 1. 1 www.regibio.com Cuidados na higiene, conforto e eliminação Enf Rui Carvalho 2014 Carga horária: 50 horas
  • 2. www.regibio.com Introdução • Devido a uma crescente preocupação com a qualidade de vida dos cidadãos surge a necessidade de criação de estruturas de apoio à família. • Neste contexto revela-se fundamental a formação específica que permita aumentar as competências nesta área (apoio à comunidade). • Neste contexto o agente em geriatria assume um papel essencial na prestação de cuidados humanos básicos, necessários para garantir a continuidade e qualidade de vida de todos aqueles que necessitam dos seus serviços. Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD 6574
  • 3. www.regibio.com Higiene corporal Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD 6574
  • 4. www.regibio.com Objectivos dos cuidados de higiene: Conforto e relaxamento (por exemplo, sentir-se fresco e relaxar os músculos tensos); Estimular a circulação (por exemplo, massagem); Limpeza (por exemplo, remoção de tecido necrosado, microorganismos e secreções); Cuidados de Higiene e conforto Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD 6574
  • 5. www.regibio.com Melhorar a auto-imagem (por exemplo, remoção de odores desagradáveis, melhoria da aparência); Tratar da pele (por exemplo, limpando, estimulando a circulação e hidratando); Proporcionar conforto físico e psicológico. Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD 6574
  • 6. www.regibio.com Pele a epiderme não se renova tão facilmente;  perda da elasticidade da pele;  atrofia dos capilares da pele (consequente diminuição do aporte sanguíneo, sobretudo nas extremidades); Alterações da pele e tegumentos nos idosos Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD 6574
  • 7. www.regibio.com perda de tecido adiposo (“gordura”) que se deposita nas ancas e ao nível do abdómen;  aparecimento de rugas;  aparecimento de manchas;  diminuição da actividade das glândulas sebáceas, com perda da oleosidade natural da pele. Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD 6574
  • 8. www.regibio.com  diminuição da quantidade de pêlos, excepto na cara;  diminuição da espessura e embranquecimento dos cabelos;  diminuição do crescimento das unhas e espessamento por diminuição da circulação periférica. Tegumentos (pêlos, unhas e cabelo) Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD 6574
  • 9. www.regibio.com Uma pele integra ajuda a prevenir infecções e outras complicações e promove a auto-estima. Considerações Gerais Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD 6574
  • 10. www.regibio.com Existem conceitos errados sobre o banho. Por exemplo, algumas pessoas acreditam que durante a doença o banho é prejudicial ou que, os arrepios durante o banho provocam constipações. O banho geral deve ser realizado pelo menos uma vez por semana, incluindo o cabelo. Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD 6574
  • 11. www.regibio.com Contudo é muito importante uma higiene diária a zonas mais sensíveis do corpo por exemplo, a face, as axilas, os genitais e os pés, uma vez que são áreas que transpiram facilmente ficando irritadas, levando à ocorrência de infecções. Todas as pessoas devem participar em todas as etapas do banho. Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD 6574
  • 12. www.regibio.com O Banho é uma boa ocasião para se examinar a pele (presença de lesões, escarras e hematomas), as unhas e cabelos. Cada pessoa tem a sua privacidade, que deve ser sempre mantida e respeitada. Além das falsas ideias acerca dos cuidados de higiene pessoal dificultar a higiene no idoso, também o estado físico de cada um (destreza, coordenação, força muscular, equilíbrio) faz com que a higiene se torne mais difícil. Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD 6574
  • 13. www.regibio.com Pele  Alternar banhos gerais e parciais (face, axilas, região genital e pés);  A lavagem deve ser feita das zonais mais limpas para as zonas mais sujas (face, pescoço, membros superiores, tórax, abdómen, membros inferiores, genitais e ânus); Cuidados de Higiene Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD 6574
  • 14. www.regibio.com  Passar água em abundância pela pele, sobretudo ao nível das axilas, região inguinal, infra-mamária, genital e entre os dedos dos pés);  Secar bem estas zonas evitando a fricção;  Utilizar um hidratante depois do banho, ajudando a reduzir a secura da pele; Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD 6574
  • 15. www.regibio.com  Evitar a utilização de cremes agressivos e álcool etílico uma vez que estes produtos secam a pele;  Evitar utilizar pó-de-talco, dado que, ao absorver a humidade natural seca a pele;  Uma lavagem cuidadosa constitui o melhor método de eliminação dos cheiros e riscos de infecção. Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD 6574
  • 16. www.regibio.com Genitais  A lavagem e hidratação das zonas genitais são intervenções que ajudam a prevenir alterações da integridade da pele;  As fezes e a urina tornam a pele húmida e aceleram a proliferação bacteriana, levando à ocorrência de infecções; Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD 6574
  • 17. www.regibio.com É necessário utilizar sabão neutro para não alterar o pH da pele; Lavar sempre a região genital no sentido anterior para posterior; Depois da higiene aplica-se um creme protector para impedir a irritação; Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD 6574
  • 18. www.regibio.com Pés Ter o cuidado de lavar os pés diariamente com água e sabão neutro e depois de secar, aplicar creme hidratante; Mudar diariamente de meias ou com maior frequência se necessário; Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD 6574
  • 19. www.regibio.com  Os idosos tem dificuldade em cortar as unhas (quer devido à limitação de movimento, quer devido a défices visuais) pelo que devem ser ajudados nesta tarefa. Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD 6574
  • 20. www.regibio.com Os cuidados com o pé diabético - a circulação e a sensibilidade das pernas são mais afectadas pelos diabéticos, que pode ainda causar dificuldade de cicatrização de feridas; - o diabético deve dar máxima atenção aos pés, cuidando da higiene e escolhendo bem o calçado. Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD 6574
  • 21. www.regibio.com  Nunca andar descalço, mesmo dentro de casa;  Usar sapatos de pele confortáveis e bem ajustados, mas nunca a apertar ao pé para não magoar;  Antes de calçar os sapatos, verifique se há algum objecto no interior, defeito ou prego saliente; Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD 6574
  • 22. www.regibio.com evitar sapatos de borracha ou de material sintético que não deixam respirar os pés;  evitar os sacos de água quente na cama e se aproxime de aquecedores. Pois pode queimar os pés sem o sentir; Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD 6574
  • 23. www.regibio.com lavar os pés em água tépida e sabão suave e depois enxugando muito bem sem friccionar, especialmente entre os dedos; usar meias de algodão, ou de lã; cortar as unhas direitas e não rentes; Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD 6574
  • 24. www.regibio.com observar os pés diariamente, se vir alguma ferida, calo, inchaço, inflamação ou alteração da cor, deve contactar o médico; se não conseguir observar o pé sozinho peça ajuda. Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD 6574
  • 25. www.regibio.com Dentes e próteses dentárias  Escovar os dentes depois das refeições e antes de se deitar;  Escovar ligeiramente a língua e mucosa oral;  Examinar a boca a fim de detectar lesões;  Escovar regularmente as próteses. Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD 6574
  • 26. www.regibio.com Além de uma boa higiene corporal, importante para o conforto da pessoa, é igualmente importante o vestuário que esta utiliza e as condições em que o mesmo se encontra. Assim devem-se ter algumas considerações quanto ao vestuário. Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD 6574
  • 27. www.regibio.com Vestuário Utilizar roupa interior de algodão; Usar roupa larga, evitando elásticos; Não usar meias com ligas muito justas; Mudar frequentemente a roupa interior; Evitar calçado derrapante. Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD 6574
  • 28. www.regibio.com  Promover a segurança e prevenir quedas; Fazer o levantamento das necessidades físicas e psicológicas; Determinar as capacidades para o auto-cuidado, conhecendo as limitações à actividade e encorajando a auto-ajuda se não for contra-indicada; Normas úteis a todos os banhos Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD 6574
  • 29. www.regibio.com  Envolver a pessoa em todo o processo do banho e higiene;  Individualizar o ensino de acordo com as necessidades de cada pessoa;  Promover banhos frequentes para as pessoas incontinentes; Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD 6574
  • 30. www.regibio.com  Limpar imediatamente a pele das secreções corporais (urinas e fezes) para prevenir irritações;  Providenciar ambiente adequado e privacidade durante o banho. Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD 6574
  • 31. www.regibio.com A higiene Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD 6574
  • 32. www.regibio.com O conforto Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD 6574
  • 33. www.regibio.com “O sofrimento só é intolerável se ninguém cuida…” Dame Cicely Saunders Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD 6574
  • 34. www.regibio.com A Organização Mundial de Saúde (1990) e a Associação Nacional de Cuidados Paliativos (1996), consideram que: “cuidados paliativos são cuidados globais e activos prestados aos doentes cuja doença não responde ao tratamento curativo, com o objectivo de obter a melhor qualidade de vida possível até que a morte ocorra, controlando a dor e outros sintomas, integrando aspectos psicológicos, sociais e espirituais nesses cuidados; é também fundamental a atenção aos problemas da família durante a doença e após a morte do doente.” Conforto Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD 6574
  • 36. www.regibio.com NECESSIDADES DE ELIMINAÇÃO • Uma parte importante dos cuidados prestados, ao paciente, centra-se em ajudá-lo a superar as dificuldades de eliminação de fezes e urina • Consiste em ensinar, supervisionar, ajudar ou realizar procedimentos • Sempre que possível tornar o paciente autônomo, dando-se especial importância à higiene e ao conforto Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD 6574
  • 37. www.regibio.com • Antes de se estabelecer qualquer plano de cuidados: • Deverá ser avaliada a capacidade do paciente em identificar a localização do WC, chegar até ele, tirar a roupa, sentar-se no vaso sanitário, alcançar e utilizar os utensílios de higiene, levantar-se, voltar e vestir- se e lavar as mãos. Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD 6574
  • 38. www.regibio.com A eliminação urinária como uma necessidade humana básica • Princípios relativos a eliminação urinária – O adulto mediano elimina 1.000 a 1.500 ml de urina em 24 horas. – A relação anatômica íntima do trato urinário e o trato genital, torna o funcionamento urinário um tópico sensível para a maioria das pessoas. – A localização do meato urinário em íntima proximidade do ânus e órgãos genitais externos, faz o trato urinário vulnerável à infecção oriundas destas fontes. Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD 6574
  • 39. www.regibio.com Considerações Sobre a Eliminação • Para manter um funcionamento efetivo, o organismo humano deve livrar-se de substâncias indesejadas (dejetos). • Ele dispõe de quatro mecanismos de eliminação dos produtos residuais: trato urinário (urina), trato gastrintestinal (fezes), através da pele (como perspiração) e através do trato respiratório (ar expirado). • Cada mecanismo tem sua função específica na depuração dos resíduos resultantes do processamento dos nutrientes e sua subseqüente utilização nas células. Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD 6574
  • 40. www.regibio.com Considerações Sobre a Eliminação • A maioria dos resíduos nitrogenados do metabolismo celular é excretada na urina. • O sistema urinário desempenha um papel importante na manutenção do equilíbrio hidroeletrolítico. • O controle da micção representa para as pessoas um ato independente, que é aprendido na infância, e a perda desta independência, significa uma ameaça ao bem estar social e emocional, pondo em risco os sentimentos de auto-estima. Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD 6574
  • 41. www.regibio.com FATORES QUE INFLUENCIAM A EXCREÇÃO URINÁRIA • Crescimento e Desenvolvimento • Fatores Psicológicos • Hábitos Pessoais • Tono Muscular • Ingestão de Líquidos • Condições Patológicas • Intervenções Cirúrgicas • Ação de Medicamentos • Exames com Finalidade Diagnóstica Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD 6574
  • 42. www.regibio.com Anatomia e funcionamento do aparelho urinário • O aparelho urinário é o conjunto de órgãos que se encarrega da formação e excreção de urina. É composto pelos rins(3), os ureteres(4), a bexiga(5) e a uretra(6). Através da urina, são eliminados os produtos que resultam do metabolismo e as substâncias tóxicas que circulam no sangue. A urina é armazenada na bexiga, que tem uma capacidade de 250 a 550 ml, fazendo-se a sua evacuação através do esfíncter uretral. O controle da micção é voluntário e consciente, e a eliminação produz-se quando a uretra se abre e a bexiga se contrai. Esta ação coordenada depende do sistema nervoso. Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD 6574
  • 43. www.regibio.com Eliminação Urinária • Características da urina • Composição: água, ureia e electrólitos (Na+ e Cl-) • Volume: 50-80 ml/h => 1000-2000 ml/24h Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD 6574
  • 44. www.regibio.com Depende • - Ingestão de líquidos - Líquidos perdidos por outras vias - Febre - Temperatura ambiente - Idade - Ingestão de proteínas - Terapêutica com diuréticos Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD 6574
  • 45. www.regibio.com Cor: varia entre o amarelo pálido e o âmbar (normal); em contacto com o ar oxida • Variações: - Vermelho vivo - Vermelho escuro - Amarelo escuro - Amarelo vivo - Esbranquiçada opaca Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD 6574
  • 46. www.regibio.com • Aspeto: transparente - Se turva (presença de bactérias, de esperma ou líquido prostático) • Odor: característico - Amoniacal (ação bacteriana) - Adocicado (corpos cetónicos) • Densidade: entre 1003-1030; mede a concentração de solutos dissolvidos na urina • pH: entre 4.5-7.5; determina a concentração de hidrogénios na urina. Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD 6574
  • 47. www.regibio.com PLANEJAMENTO PARA A EXCREÇÃO URINÁRIA • Fazer o paciente entender o processo normal de excreção urinária. • Estimular a micção normal, com esvaziamento completo da bexiga. • Prevenir infecções. • Manter a integridade da pele. • Promover o maior conforto possível para o paciente. • Promover o funcionamento normal da bexiga. Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD 6574
  • 48. www.regibio.com AVALIAÇÃO DA EXCREÇÃO URINÁRIA • A diurese medida deve ser igual à ingestão de líquidos. • A bexiga é impalpável após a micção. • A urocultura não deve revelar o crescimento de bactérias. • O paciente não deve tem queixas de disúria, sensação de prurido ou de queimação no meato uretral, urgência miccional ou freqüência anormal. • Observe se a urina é transparente. • A inspeção do períneo não revela sinais de inflamação ou se escoriação. • O paciente nega desconforto devido à colocação de cateter. Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD 6574
  • 49. www.regibio.com AVALIAÇÃO DA EXCREÇÃO URINÁRIA • Exame de Urina – Coleta das Amostras de Urina – Exames Diagnósticos – Visualização Indireta – Visualização Direta • Resultados Normais do Exame de Urina – pH (4,6 a 8.0) – Albumina (ausente) – Glicose (ausente) – Corpos Cetônicos (ausentes) – Densidade Específica (1.010 a 1.025) Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD 6574
  • 50. www.regibio.com Eliminação Intestinal • Movimento e evacuação das fezes pela defecação • Habitualmente uma vez por dia • Fezes moles e moldadas • Pode ser influenciada por fatores físicos e/ou psicológicos. Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD 6574
  • 51. www.regibio.com Fatores que afetam a defecação normal • Factores psico-sociais: • Estado mental • Experiência ligada ao treino intestinal • Hábitos culturais • Privacidade • Hábitos pessoais • Sedentarismo • Factores fisiológicos: • Ingestão de alimentos • Tónus muscular • Medicamentos • Procedimentos cirúrgicos • Exames de diagnóstico • Idade • Distúrbios motores / sensoriais • Patologia intestinal Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD 6574
  • 52. www.regibio.com Atividade gastrointestinal • Reflexo gastrocólico: quando o bolo alimentar entra no estômago. (é mais forte quando a pessoa come após um período de jejum). • Peristaltismo: movimenta o que sobrou dos nutrientes através do cólon e sigmóide na direcção do ânus. • Reflexo da defecação: tem início quando a massa fecal ou os gases se movem da sigmoideia para o recto. Os esfíncteres anais relaxam. Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD 6574
  • 53. www.regibio.com Exame da eliminação intestinal Padrão de eliminação • Existem inúmeras variações do normal • É fundamental determinar o que é peculiar a cada doente (frequência, esforço para expelir as fezes, recursos utilizados para a eliminação) Características das fezes • Cor • Odor • Consistência • Formato • Existência de componentes incomuns Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD 6574
  • 54. www.regibio.com Cuidados a ter antes, durante e após a eliminação Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD 6574
  • 55. www.regibio.com Colocação e remoção de arrastadeiras Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD 6574
  • 56. www.regibio.com Colocação e remoção de arrastadeiras Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD 6574
  • 57. www.regibio.com Colocação do urinol Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD 6574
  • 58. www.regibio.com Dispositivo de apoia a eliminação Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD 6574
  • 59. www.regibio.com Dispositivo de apoia a eliminação Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD 6574
  • 60. www.regibio.com Dispositivo de apoia a eliminação Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD 6574
  • 61. www.regibio.com Dispositivo de apoia a eliminação Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD 6574
  • 62. www.regibio.com Cuidados na desinfeção Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD 6574
  • 63. www.regibio.com Cuidar • Tratar é técnico. “Cuidar, é um ato de humanidade, que em contexto de saúde, inclui o tratamento. Cuidar é olhar o outro como alguém igual a nós e não como um moribundo que nos faz perder tempo útil para tratar dos outros doentes ou para preencher mais algum papel. Cuidar é quando o nosso olhar repousa no olhar do outro, quando a nossa mão encontra a mão do outro, quando o nosso sorriso abre um sorriso do outro”. (Raposo, João. P. 95, 2003) Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD 6574
  • 64. www.regibio.com Conceito de Saúde • O conceito de saúde possui implicações legais, sociais e económicas dos estados de saúde e doença. • Sem dúvida, a definição mais difundida é a da Organização Mundial da Saúde: “saúde é um estado de completo bem-estar físico, mental e social, e não apenas a ausência de doença”. Curso Técnico/a Auxiliares de Saúde, UFCD 6574