SlideShare uma empresa Scribd logo
 CRIAÇÕES FLUÍDICAS
Conhecida também por IDEOPLASTIA
Palavra de origem grega que trata do estudo das formas através do
pensamento. Na literatura espírita, também podemos encontrar outras
designações com o mesmo significado: criações fluídicas, formas de
pensamento, imagens fluídicas, ou, ainda, construções mentais.
Sendo os fluidos espirituais a atmosfera dos seres espirituais, os
Espíritos tiram desse elemento os materiais sobre os quais operam; é nesse
meio que ocorrem os fenômenos perceptíveis a sua visão e a sua audição.
O fluído espiritual, um dos estados assumidos pelo fluído cósmico
universal, fornece aos Espíritos o elemento de onde eles extraem os materiais
sobre que operam. Essa atuação se faz usando o pensamento a vontade.
A Gênese, cap. 14.
14. Os espíritos agem sobre os fluidos espirituais, não os manipulando como
os homens manipulam os gases, mas com a ajuda do pensamento e da
vontade. O pensamento e a vontade são para os espíritos o que a mão é para
o homem. Pelo pensamento, eles imprimem aos fluidos espirituais esta ou
aquela direção; eles os aglomeram, combinam ou dispersam; com eles formam
conjuntos tendo uma aparência, uma forma e uma cor determinadas; mudam
as suas propriedades, como um químico muda a dos gases ou de outras
substâncias, combinando-as segundo certas leis. É a grande oficina ou
laboratório da vida espiritual.
Algumas vezes, essas transformações são o resultado de uma intenção,
outras, são o produto de um pensamento inconsciente. Ao espírito basta
pensar em uma coisa para que ela se produza.
 MECANISMO E DURAÇÃO
Os Espíritos atuam sobre os fluidos espirituais empregando o pensamento e a
vontade, seus principais instrumentos de ação. Por este mecanismo, eles
podem imprimir aos fluidos, direção, pode lhes aglomerar, combinar, dispersar,
organizar, podendo também, mudar-lhes as propriedades. É dessa forma que
as águas podem ser fluidificadas, adquirindo certas qualidades curadoras. O
pensamento reflete -se no perispírito, que é sua base e meio de ação; ele
reproduz todos os movimentos e matizes. Na medida em que o pensamento se
faz, instantaneamente o corpo fluídico retrata as formas criadas, deixando de
existir tão logo o mesmo pensamento cesse de agir naquele sentido. Para o
Espírito que é, também ele, fluídico, todas as criações mentais são tão reais
como eram no estado material quando encarnado; mas, pela razão de serem
fruto do pensamento, sua existência é tão fugidia quanto a deste. O
pensamento pode materializar se criando formas de longa duração conforme a
persistência da onda em que se expressa.
 MATÉRIA MENTAL E MATÉRIA FÍSICA
Em posição vulgar, acomodados às impressões comuns da criatura
humana normal, os átomos mentais inteiros, regularmente excitados, na esfera
dos pensamentos, produzirão ondas muito longas ou de simples sustentação
da individualidade, correspondendo à manutenção de calor. Se forem os
elétrons mentais, nas órbitas dos átomos da mesma natureza, a causa da
agitação, em estados menos comuns da mente, quais se iam os de atenção ou
tensão pacífica, em virtude de reflexão ou oração natural, o campo dos
pensamentos exprimir-se-á em ondas de comprimento médio ou de aquisição
de experiência, por parte da alma, correspondendo à produção de luz interior.
E se a excitação nasce dos diminutos núcleos atômicos, em situações
extraordinárias da mente, quais sejam as emoções profundas, as dores
indizíveis, as laboriosas e aturadas concentrações de força mental ou as
súplicas aflitivas, o domínio dos pensamentos emitirá raios muito curtos ou de
imenso poder transformador do campo espiritual, teoricamente semelhantes
aos que se aproximam dos raios gama.
"(...) o pensamento pode materializar-se, criando formas que muitas vezes
revestem de longa duração, conforme a persistência da onda em que se
expressam.(...)"
Características das criações fluídicas
 CLASSIFICAÇÃO
As construções mentais podem resultar de uma intenção (voluntária) ou de
um pensamento inconsciente (involuntária). As criações fluídicas inconscientes
retratam as preocupações habituais do indivíduo, seus desejos, seus projetos,
seus anseios, desígnios bom ou maus. Elas surgem e se desfazem
alternadamente. As idéias, as lembranças vividas, em nível inconsciente,
também gravitam em torno de quem as elabora. As criações fluídicas, que são
fruto de uma intenção, são programadas com um objetivo específico. Podem
ser promovidas por mentores espirituais ou obsessores. A técnica utilizada,
tanto por Espíritos bons quanto por Espíritos inferiores, é a mesma. Os
mentores espirituais atiram as lembranças construtivas e plasmam quadros
superiores que irão gerar renovação e força, equilíbrio, serenidade e confiança
em Deus. Durante o passe, enquanto a pessoa se encontra predisposta, mais
eficazmente as construções superiores são registradas.
 TRANSMISSÃO OCULTA DO PENSAMENTO
L.E - 419. Qual a razão por que a ideia de uma descoberta, por exemplo, surge
ao mesmo tempo em muitos pontos?
-- Já dissemos que, durante o sono, os Espíritos se comunicam entre si. Pois
bem, quando o corpo desperta, o Espírito se recorda do que aprendeu, e o
homem julga ter inventado. Assim, muitos podem encontrar a mesma coisa ao
mesmo tempo. Quando dizeis que uma ideia está no ar, fazeis uma figura mais
exata do que pensais; cada um contribui, sem o suspeitar, para propagá-la.
Nota de A. Kardec: Nosso Espírito revela assim, muitas vezes, a outros
Espíritos, e à nossa revelia, aquilo que constitui o objeto das nossas
preocupações de vigília.
420. Os Espíritos podem comunicar-se, se o corpo estiver completamente
acordado?
-- O Espírito não está encerrado no corpo como numa caixa: ele irradia em todo
o seu redor; eis porque poderá comunicar-se com outros Espíritos, mesmo no
estado de vigília, embora o faça mais dificilmente.
421. Por que duas pessoas, perfeitamente despertas, têm muitas vezes,
nstantaneamente, o mesmo pensamento?
- São dois Espíritos simpáticos que se comunicam e vêem reciprocamente os
seus PENSAMENTOS, mesmo quando não dormem.
Nota de A. Kardec: Há entre os Espíritos afins uma comunicação de
PENSAMENTOS permitindo que duas pessoas se vejam e se compreendam
sem a necessidade dos signos exteriores da linguagem. Poderia dizer-se que
elas falam a linguagem dos Espíritos.
 CONCLUSÃO
A manifestação ocorre através da aglutinação de energia dos planos
superiores para que se possa trazê-la ao plano físico através de uma Vontade
treinada. Simples? Não na prática. Sendo a mente um espelho para a
manifestação da Vontade de nosso Eu Superior, precisamos limpá-la de toda
influência como divagações, devaneios e emoções negativas ligadas ao
pensamento. Por isto que é muito difícil a um ser humano que não realiza
práticas de concentração, visualização e meditação realizar algo através deste
princípio e, quando consegue, chama-o de milagre ou coincidência. Por isto é
importante praticar!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Vigiando o pensamento-1,5h
Vigiando o pensamento-1,5hVigiando o pensamento-1,5h
Vigiando o pensamento-1,5h
home
 
O Passe
O PasseO Passe
O Passe
paikachambi
 
13ª aula da obsessão - conceitos e causas - coem
13ª aula   da obsessão - conceitos e causas - coem13ª aula   da obsessão - conceitos e causas - coem
13ª aula da obsessão - conceitos e causas - coem
Wagner Quadros
 
Evangeliza - Mediunidade com Jesus
Evangeliza - Mediunidade com JesusEvangeliza - Mediunidade com Jesus
Evangeliza - Mediunidade com Jesus
Antonino Silva
 
04 A categoria de médiuns de efeitos físicos
04   A categoria de médiuns de efeitos físicos04   A categoria de médiuns de efeitos físicos
04 A categoria de médiuns de efeitos físicos
jcevadro
 
11ª aula – perigos e inconvenientes da mediunidade coem
11ª aula – perigos e inconvenientes da mediunidade   coem11ª aula – perigos e inconvenientes da mediunidade   coem
11ª aula – perigos e inconvenientes da mediunidade coem
Wagner Quadros
 
Simpatia e antipatia
Simpatia e antipatiaSimpatia e antipatia
Simpatia e antipatia
Graça Maciel
 
Olm 100922-médiuns escreventes-especiais-formação dos médiuns
Olm 100922-médiuns escreventes-especiais-formação dos médiunsOlm 100922-médiuns escreventes-especiais-formação dos médiuns
Olm 100922-médiuns escreventes-especiais-formação dos médiuns
Carlos Alberto Freire De Souza
 
Espírito E Matéria
Espírito E MatériaEspírito E Matéria
Espírito E Matéria
Grupo Espírita Cristão
 
Obsessão e desobsessão (suely caldas schubert)
Obsessão e desobsessão (suely caldas schubert)Obsessão e desobsessão (suely caldas schubert)
Obsessão e desobsessão (suely caldas schubert)
Helio Cruz
 
Obsessão
ObsessãoObsessão
Obsessão
paikachambi
 
AULA 112 EAE DM - ESTUDO DO PERISPÍRITO E DOS CENTROS DE FORÇA - 20210709v1
AULA 112 EAE DM - ESTUDO DO PERISPÍRITO E DOS CENTROS DE FORÇA - 20210709v1AULA 112 EAE DM - ESTUDO DO PERISPÍRITO E DOS CENTROS DE FORÇA - 20210709v1
AULA 112 EAE DM - ESTUDO DO PERISPÍRITO E DOS CENTROS DE FORÇA - 20210709v1
Daniel de Melo
 
Espirito perispírito-corpo
Espirito perispírito-corpoEspirito perispírito-corpo
Espirito perispírito-corpo
Ailton Guimaraes
 
Fase2 aula 09 slides
Fase2 aula 09 slidesFase2 aula 09 slides
Fase2 aula 09 slides
Iara Paiva
 
Estados de emancipação da alma-1,5hs
Estados de emancipação da alma-1,5hsEstados de emancipação da alma-1,5hs
Estados de emancipação da alma-1,5hs
home
 
Quarto Módulo - 2ª aula - Tipo de mediunidade
Quarto Módulo - 2ª  aula - Tipo de mediunidadeQuarto Módulo - 2ª  aula - Tipo de mediunidade
Quarto Módulo - 2ª aula - Tipo de mediunidade
CeiClarencio
 
2.1.5 diferentes ordens de espiritos - escala espirita
2.1.5   diferentes ordens de espiritos - escala espirita2.1.5   diferentes ordens de espiritos - escala espirita
2.1.5 diferentes ordens de espiritos - escala espirita
Marta Gomes
 
Mediunidade com Jesus - n.17
Mediunidade com Jesus - n.17Mediunidade com Jesus - n.17
Mediunidade com Jesus - n.17
Graça Maciel
 
FLUIDO CÓSMICO UNIVERSAL
FLUIDO CÓSMICO UNIVERSALFLUIDO CÓSMICO UNIVERSAL
FLUIDO CÓSMICO UNIVERSAL
Denise Aguiar
 
O PENSAMENTO Uma abordagem espírita
O PENSAMENTO Uma abordagem espíritaO PENSAMENTO Uma abordagem espírita
O PENSAMENTO Uma abordagem espírita
Jorge Luiz dos Santos
 

Mais procurados (20)

Vigiando o pensamento-1,5h
Vigiando o pensamento-1,5hVigiando o pensamento-1,5h
Vigiando o pensamento-1,5h
 
O Passe
O PasseO Passe
O Passe
 
13ª aula da obsessão - conceitos e causas - coem
13ª aula   da obsessão - conceitos e causas - coem13ª aula   da obsessão - conceitos e causas - coem
13ª aula da obsessão - conceitos e causas - coem
 
Evangeliza - Mediunidade com Jesus
Evangeliza - Mediunidade com JesusEvangeliza - Mediunidade com Jesus
Evangeliza - Mediunidade com Jesus
 
04 A categoria de médiuns de efeitos físicos
04   A categoria de médiuns de efeitos físicos04   A categoria de médiuns de efeitos físicos
04 A categoria de médiuns de efeitos físicos
 
11ª aula – perigos e inconvenientes da mediunidade coem
11ª aula – perigos e inconvenientes da mediunidade   coem11ª aula – perigos e inconvenientes da mediunidade   coem
11ª aula – perigos e inconvenientes da mediunidade coem
 
Simpatia e antipatia
Simpatia e antipatiaSimpatia e antipatia
Simpatia e antipatia
 
Olm 100922-médiuns escreventes-especiais-formação dos médiuns
Olm 100922-médiuns escreventes-especiais-formação dos médiunsOlm 100922-médiuns escreventes-especiais-formação dos médiuns
Olm 100922-médiuns escreventes-especiais-formação dos médiuns
 
Espírito E Matéria
Espírito E MatériaEspírito E Matéria
Espírito E Matéria
 
Obsessão e desobsessão (suely caldas schubert)
Obsessão e desobsessão (suely caldas schubert)Obsessão e desobsessão (suely caldas schubert)
Obsessão e desobsessão (suely caldas schubert)
 
Obsessão
ObsessãoObsessão
Obsessão
 
AULA 112 EAE DM - ESTUDO DO PERISPÍRITO E DOS CENTROS DE FORÇA - 20210709v1
AULA 112 EAE DM - ESTUDO DO PERISPÍRITO E DOS CENTROS DE FORÇA - 20210709v1AULA 112 EAE DM - ESTUDO DO PERISPÍRITO E DOS CENTROS DE FORÇA - 20210709v1
AULA 112 EAE DM - ESTUDO DO PERISPÍRITO E DOS CENTROS DE FORÇA - 20210709v1
 
Espirito perispírito-corpo
Espirito perispírito-corpoEspirito perispírito-corpo
Espirito perispírito-corpo
 
Fase2 aula 09 slides
Fase2 aula 09 slidesFase2 aula 09 slides
Fase2 aula 09 slides
 
Estados de emancipação da alma-1,5hs
Estados de emancipação da alma-1,5hsEstados de emancipação da alma-1,5hs
Estados de emancipação da alma-1,5hs
 
Quarto Módulo - 2ª aula - Tipo de mediunidade
Quarto Módulo - 2ª  aula - Tipo de mediunidadeQuarto Módulo - 2ª  aula - Tipo de mediunidade
Quarto Módulo - 2ª aula - Tipo de mediunidade
 
2.1.5 diferentes ordens de espiritos - escala espirita
2.1.5   diferentes ordens de espiritos - escala espirita2.1.5   diferentes ordens de espiritos - escala espirita
2.1.5 diferentes ordens de espiritos - escala espirita
 
Mediunidade com Jesus - n.17
Mediunidade com Jesus - n.17Mediunidade com Jesus - n.17
Mediunidade com Jesus - n.17
 
FLUIDO CÓSMICO UNIVERSAL
FLUIDO CÓSMICO UNIVERSALFLUIDO CÓSMICO UNIVERSAL
FLUIDO CÓSMICO UNIVERSAL
 
O PENSAMENTO Uma abordagem espírita
O PENSAMENTO Uma abordagem espíritaO PENSAMENTO Uma abordagem espírita
O PENSAMENTO Uma abordagem espírita
 

Semelhante a Criações fluídicas

Mecanismo das comunicações - Afinidade - Sintonia
Mecanismo das comunicações - Afinidade  - SintoniaMecanismo das comunicações - Afinidade  - Sintonia
Mecanismo das comunicações - Afinidade - Sintonia
jcevadro
 
Irradiação
IrradiaçãoIrradiação
Irradiação
Luciano Portilho
 
Espírito , Materia e Fluidos - Kardec - Espiritismo
Espírito , Materia e Fluidos - Kardec - EspiritismoEspírito , Materia e Fluidos - Kardec - Espiritismo
Espírito , Materia e Fluidos - Kardec - Espiritismo
ssusere70e46
 
Quarto Módulo - 9ª aula intuição e audição
Quarto Módulo - 9ª aula   intuição e audiçãoQuarto Módulo - 9ª aula   intuição e audição
Quarto Módulo - 9ª aula intuição e audição
CeiClarencio
 
Ideoplastia
IdeoplastiaIdeoplastia
2013 cem - modus operandi dos espíritos - parte a -12a aula
2013   cem - modus operandi dos espíritos - parte a -12a aula2013   cem - modus operandi dos espíritos - parte a -12a aula
2013 cem - modus operandi dos espíritos - parte a -12a aula
Artomy Jado
 
O Perispirito
O PerispiritoO Perispirito
O Perispirito
Ceile Bernardo
 
Sintonia e vibração
Sintonia e vibraçãoSintonia e vibração
Sintonia e vibração
Louis Oliver
 
Laboratorio do mundo invisivel
Laboratorio do mundo invisivel Laboratorio do mundo invisivel
Laboratorio do mundo invisivel
Ceile Bernardo
 
O poder do pensamento
O poder do pensamentoO poder do pensamento
O poder do pensamento
Francisco de Assis Alencar
 
Assistência espiritual, obsessão e desobsessão
Assistência espiritual, obsessão e desobsessãoAssistência espiritual, obsessão e desobsessão
Assistência espiritual, obsessão e desobsessão
Rivaldo Guedes Corrêa. Jr
 
Parte ii chacras principais
Parte ii   chacras principaisParte ii   chacras principais
Parte ii chacras principais
Lívia Maria Pereira
 
Wagner Borges - Viagem Espiritual II [A Projeção da Consciência].pdf
Wagner Borges - Viagem Espiritual II [A Projeção da Consciência].pdfWagner Borges - Viagem Espiritual II [A Projeção da Consciência].pdf
Wagner Borges - Viagem Espiritual II [A Projeção da Consciência].pdf
ssuser1aec64
 
Apostila 2
Apostila 2Apostila 2
Apostila 2
Apostila 2Apostila 2
Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade
Leonardo Pereira
 
Vícios e pensamentos.
Vícios e pensamentos.Vícios e pensamentos.
Vícios e pensamentos.
Dr. Walter Cury
 
Tratamento das Víciações
Tratamento das VíciaçõesTratamento das Víciações
Tratamento das Víciações
Dr. Walter Cury
 
Formas pensamento
Formas pensamentoFormas pensamento
Formas pensamento
Wagner Júnior
 
Perispirito
PerispiritoPerispirito
Perispirito
Angelespirita
 

Semelhante a Criações fluídicas (20)

Mecanismo das comunicações - Afinidade - Sintonia
Mecanismo das comunicações - Afinidade  - SintoniaMecanismo das comunicações - Afinidade  - Sintonia
Mecanismo das comunicações - Afinidade - Sintonia
 
Irradiação
IrradiaçãoIrradiação
Irradiação
 
Espírito , Materia e Fluidos - Kardec - Espiritismo
Espírito , Materia e Fluidos - Kardec - EspiritismoEspírito , Materia e Fluidos - Kardec - Espiritismo
Espírito , Materia e Fluidos - Kardec - Espiritismo
 
Quarto Módulo - 9ª aula intuição e audição
Quarto Módulo - 9ª aula   intuição e audiçãoQuarto Módulo - 9ª aula   intuição e audição
Quarto Módulo - 9ª aula intuição e audição
 
Ideoplastia
IdeoplastiaIdeoplastia
Ideoplastia
 
2013 cem - modus operandi dos espíritos - parte a -12a aula
2013   cem - modus operandi dos espíritos - parte a -12a aula2013   cem - modus operandi dos espíritos - parte a -12a aula
2013 cem - modus operandi dos espíritos - parte a -12a aula
 
O Perispirito
O PerispiritoO Perispirito
O Perispirito
 
Sintonia e vibração
Sintonia e vibraçãoSintonia e vibração
Sintonia e vibração
 
Laboratorio do mundo invisivel
Laboratorio do mundo invisivel Laboratorio do mundo invisivel
Laboratorio do mundo invisivel
 
O poder do pensamento
O poder do pensamentoO poder do pensamento
O poder do pensamento
 
Assistência espiritual, obsessão e desobsessão
Assistência espiritual, obsessão e desobsessãoAssistência espiritual, obsessão e desobsessão
Assistência espiritual, obsessão e desobsessão
 
Parte ii chacras principais
Parte ii   chacras principaisParte ii   chacras principais
Parte ii chacras principais
 
Wagner Borges - Viagem Espiritual II [A Projeção da Consciência].pdf
Wagner Borges - Viagem Espiritual II [A Projeção da Consciência].pdfWagner Borges - Viagem Espiritual II [A Projeção da Consciência].pdf
Wagner Borges - Viagem Espiritual II [A Projeção da Consciência].pdf
 
Apostila 2
Apostila 2Apostila 2
Apostila 2
 
Apostila 2
Apostila 2Apostila 2
Apostila 2
 
Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade
 
Vícios e pensamentos.
Vícios e pensamentos.Vícios e pensamentos.
Vícios e pensamentos.
 
Tratamento das Víciações
Tratamento das VíciaçõesTratamento das Víciações
Tratamento das Víciações
 
Formas pensamento
Formas pensamentoFormas pensamento
Formas pensamento
 
Perispirito
PerispiritoPerispirito
Perispirito
 

Último

Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Nilson Almeida
 
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdfPROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
Nelson Pereira
 
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
ESCRIBA DE CRISTO
 
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
ESCRIBA DE CRISTO
 
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOSDIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
ESCRIBA DE CRISTO
 
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdfAula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
SrgioLinsPessoa
 
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptxBíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Igreja Jesus é o Verbo
 
PEDRO NUNCA FOI PAPA [COM COMENTÁRIOS]
PEDRO NUNCA FOI PAPA   [COM COMENTÁRIOS]PEDRO NUNCA FOI PAPA   [COM COMENTÁRIOS]
PEDRO NUNCA FOI PAPA [COM COMENTÁRIOS]
ESCRIBA DE CRISTO
 
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução AnimicaEscola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
AlessandroSanches8
 
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptxLição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Celso Napoleon
 
Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024
Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024
Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024
HerverthRibeiro1
 
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimentoHabacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
ayronleonardo
 
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxasMalleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Lourhana
 
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptxLição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Celso Napoleon
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Nilson Almeida
 
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptxLição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Celso Napoleon
 
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdfO-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
WELITONNOGUEIRA3
 
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino FinalTornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
André Ricardo Marcondes
 

Último (18)

Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
 
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdfPROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
 
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
 
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
 
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOSDIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
 
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdfAula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
 
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptxBíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
 
PEDRO NUNCA FOI PAPA [COM COMENTÁRIOS]
PEDRO NUNCA FOI PAPA   [COM COMENTÁRIOS]PEDRO NUNCA FOI PAPA   [COM COMENTÁRIOS]
PEDRO NUNCA FOI PAPA [COM COMENTÁRIOS]
 
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução AnimicaEscola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
 
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptxLição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
 
Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024
Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024
Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024
 
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimentoHabacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
 
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxasMalleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
 
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptxLição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
 
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptxLição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
 
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdfO-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
 
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino FinalTornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
 

Criações fluídicas

  • 1.  CRIAÇÕES FLUÍDICAS Conhecida também por IDEOPLASTIA Palavra de origem grega que trata do estudo das formas através do pensamento. Na literatura espírita, também podemos encontrar outras designações com o mesmo significado: criações fluídicas, formas de pensamento, imagens fluídicas, ou, ainda, construções mentais. Sendo os fluidos espirituais a atmosfera dos seres espirituais, os Espíritos tiram desse elemento os materiais sobre os quais operam; é nesse meio que ocorrem os fenômenos perceptíveis a sua visão e a sua audição. O fluído espiritual, um dos estados assumidos pelo fluído cósmico universal, fornece aos Espíritos o elemento de onde eles extraem os materiais sobre que operam. Essa atuação se faz usando o pensamento a vontade. A Gênese, cap. 14. 14. Os espíritos agem sobre os fluidos espirituais, não os manipulando como os homens manipulam os gases, mas com a ajuda do pensamento e da vontade. O pensamento e a vontade são para os espíritos o que a mão é para o homem. Pelo pensamento, eles imprimem aos fluidos espirituais esta ou aquela direção; eles os aglomeram, combinam ou dispersam; com eles formam conjuntos tendo uma aparência, uma forma e uma cor determinadas; mudam as suas propriedades, como um químico muda a dos gases ou de outras substâncias, combinando-as segundo certas leis. É a grande oficina ou laboratório da vida espiritual. Algumas vezes, essas transformações são o resultado de uma intenção, outras, são o produto de um pensamento inconsciente. Ao espírito basta pensar em uma coisa para que ela se produza.  MECANISMO E DURAÇÃO Os Espíritos atuam sobre os fluidos espirituais empregando o pensamento e a vontade, seus principais instrumentos de ação. Por este mecanismo, eles podem imprimir aos fluidos, direção, pode lhes aglomerar, combinar, dispersar, organizar, podendo também, mudar-lhes as propriedades. É dessa forma que as águas podem ser fluidificadas, adquirindo certas qualidades curadoras. O pensamento reflete -se no perispírito, que é sua base e meio de ação; ele reproduz todos os movimentos e matizes. Na medida em que o pensamento se faz, instantaneamente o corpo fluídico retrata as formas criadas, deixando de existir tão logo o mesmo pensamento cesse de agir naquele sentido. Para o Espírito que é, também ele, fluídico, todas as criações mentais são tão reais como eram no estado material quando encarnado; mas, pela razão de serem
  • 2. fruto do pensamento, sua existência é tão fugidia quanto a deste. O pensamento pode materializar se criando formas de longa duração conforme a persistência da onda em que se expressa.  MATÉRIA MENTAL E MATÉRIA FÍSICA Em posição vulgar, acomodados às impressões comuns da criatura humana normal, os átomos mentais inteiros, regularmente excitados, na esfera dos pensamentos, produzirão ondas muito longas ou de simples sustentação da individualidade, correspondendo à manutenção de calor. Se forem os elétrons mentais, nas órbitas dos átomos da mesma natureza, a causa da agitação, em estados menos comuns da mente, quais se iam os de atenção ou tensão pacífica, em virtude de reflexão ou oração natural, o campo dos pensamentos exprimir-se-á em ondas de comprimento médio ou de aquisição de experiência, por parte da alma, correspondendo à produção de luz interior. E se a excitação nasce dos diminutos núcleos atômicos, em situações extraordinárias da mente, quais sejam as emoções profundas, as dores indizíveis, as laboriosas e aturadas concentrações de força mental ou as súplicas aflitivas, o domínio dos pensamentos emitirá raios muito curtos ou de imenso poder transformador do campo espiritual, teoricamente semelhantes aos que se aproximam dos raios gama. "(...) o pensamento pode materializar-se, criando formas que muitas vezes revestem de longa duração, conforme a persistência da onda em que se expressam.(...)" Características das criações fluídicas  CLASSIFICAÇÃO As construções mentais podem resultar de uma intenção (voluntária) ou de um pensamento inconsciente (involuntária). As criações fluídicas inconscientes retratam as preocupações habituais do indivíduo, seus desejos, seus projetos, seus anseios, desígnios bom ou maus. Elas surgem e se desfazem alternadamente. As idéias, as lembranças vividas, em nível inconsciente, também gravitam em torno de quem as elabora. As criações fluídicas, que são fruto de uma intenção, são programadas com um objetivo específico. Podem ser promovidas por mentores espirituais ou obsessores. A técnica utilizada, tanto por Espíritos bons quanto por Espíritos inferiores, é a mesma. Os mentores espirituais atiram as lembranças construtivas e plasmam quadros superiores que irão gerar renovação e força, equilíbrio, serenidade e confiança em Deus. Durante o passe, enquanto a pessoa se encontra predisposta, mais eficazmente as construções superiores são registradas.
  • 3.  TRANSMISSÃO OCULTA DO PENSAMENTO L.E - 419. Qual a razão por que a ideia de uma descoberta, por exemplo, surge ao mesmo tempo em muitos pontos? -- Já dissemos que, durante o sono, os Espíritos se comunicam entre si. Pois bem, quando o corpo desperta, o Espírito se recorda do que aprendeu, e o homem julga ter inventado. Assim, muitos podem encontrar a mesma coisa ao mesmo tempo. Quando dizeis que uma ideia está no ar, fazeis uma figura mais exata do que pensais; cada um contribui, sem o suspeitar, para propagá-la. Nota de A. Kardec: Nosso Espírito revela assim, muitas vezes, a outros Espíritos, e à nossa revelia, aquilo que constitui o objeto das nossas preocupações de vigília. 420. Os Espíritos podem comunicar-se, se o corpo estiver completamente acordado? -- O Espírito não está encerrado no corpo como numa caixa: ele irradia em todo o seu redor; eis porque poderá comunicar-se com outros Espíritos, mesmo no estado de vigília, embora o faça mais dificilmente. 421. Por que duas pessoas, perfeitamente despertas, têm muitas vezes, nstantaneamente, o mesmo pensamento? - São dois Espíritos simpáticos que se comunicam e vêem reciprocamente os seus PENSAMENTOS, mesmo quando não dormem. Nota de A. Kardec: Há entre os Espíritos afins uma comunicação de PENSAMENTOS permitindo que duas pessoas se vejam e se compreendam sem a necessidade dos signos exteriores da linguagem. Poderia dizer-se que elas falam a linguagem dos Espíritos.  CONCLUSÃO A manifestação ocorre através da aglutinação de energia dos planos superiores para que se possa trazê-la ao plano físico através de uma Vontade treinada. Simples? Não na prática. Sendo a mente um espelho para a manifestação da Vontade de nosso Eu Superior, precisamos limpá-la de toda influência como divagações, devaneios e emoções negativas ligadas ao pensamento. Por isto que é muito difícil a um ser humano que não realiza práticas de concentração, visualização e meditação realizar algo através deste princípio e, quando consegue, chama-o de milagre ou coincidência. Por isto é importante praticar!