SlideShare uma empresa Scribd logo
KARIN WILLMS
ensinoreligioso@sme.curitiba.pr.gov.br
kwillms@sme.curitiba.pr.gov.br
3350-3153
Permanência Concentrada –
Núcleo Regional da Educação
Legislação
Superação de preconceitos
Conhecimento científico + Conhecimento sobre o
fenômeno religioso
= Escolarização do Ensino Religioso
Matrizes Religiosas
SÍMBOLOS RELIGIOSOS
1º ANO
SIMBOLOGIA NATURAL E CONSTRUÍDA
2º ANO
ALIMENTOS SAGRADOS
3º ANO
ARQUITETURA RELIGIOSA
4º ANO
VESTIMENTA RELIGIOSA
5º ANO
ANIMAIS SAGRADOS
Os símbolos religiosos
representam o sagrado,
a fé, a esperança, a
natureza, a vida, o
universo e se tornaram
tradicionais entre seus
fiéis uma vez que
funcionam como
elementos de
identificação e
comunicação.
LUGARES SAGRADOS
1º ANO
NATURAIS E CONSTRUÍDOS - COMUNIDADE
2º ANO
NATURAIS E CONSTRUÍDOS - COMUNIDADE
3º ANO
NATURAIS E CONSTRUÍDOS - BRASIL
4º ANO
NATURAIS E CONSTRUÍDOS - BRASIL
5º ANO
NATURAIS E CONSTRUÍDOS - MUNDO
Se consultarmos os
dicionários usuais
veremos que sagrado é
"relativo ou inerente a
um deus, a uma
divindade, à religião, ao
culto ou aos ritos;
sacro, santo”.
FESTAS RELIGIOSAS
1º ANO
POPULARES E RELIGIOSAS DA COMUNIDADE
2º ANO
POPULARES E RELIGIOSAS DA COMUNIDADE
3º ANO
POPULARES E RELIGIOSAS DO BRASIL
4º ANO
POPULARES E RELIGIOSAS DO BRASIL
5º ANO
TEMPORALIDADE SAGRADA
Festividades religiosas são
manifestações culturais presentes
em diversas religiões do mundo. São
comemorações de acontecimentos,
personalidades, fatos ou mistérios
que, ao manifestarem publicamente
as convicções religiosas de um grupo
social, fortalecem a pertença de
cada pessoa ao grupo de símiles que
comungam das mesmas convicções
religiosas.
As festividades listadas neste artigo e
na categoria que as agrupa são, em
geral, de caráter público.
RITOS E RITUAIS
1º ANO
INICIAÇÃO
2º ANO
PASSAGEM
3º ANO
CELEBRATIVOS E PURIFICAÇÃO
4º ANO
MORTUÁRIOS E FUNERÁRIOS
5º ANO
ADIVINHATÓRIOS E CURA
O termo RITO tem vários
sentidos. Rito é totalmente
diferente de ritual. No sentido
mais geral, um rito é uma
sucessão de palavras, gestos e
atos que, repetidamente,
compõe uma cerimônia (religiosa
ou civil, na maior parte das
vezes). Apesar de seguir um
padrão, o rito não é mecanizado,
pois pode atualizar um mito e,
assim, segue ensinamentos
ancestrais e sagrados
RITUAL é um processo continuado
de atividades organizadas cuja
prática está relacionada a ritos, que
envolvem cultos, doutrinas e seitas,
encontrados não só na vida religiosa,
mas em todas as esferas culturais.
No sentido figurado ritual é uma
rotina, aquilo que habitualmente se
pratica, é uma etiqueta, uma regra,
um estilo usado no trato entre as
pessoas.
ORGANIZAÇÕES RELIGIOSAS
1º ANO
COMUNIDADE E ESPAÇOS DE VIVÊNCIA E REFERÊNCIA.
2º ANO
COMUNIDADE E ESPAÇOS DE VIVÊNCIA E REFERÊNCIA.
3º ANO
ORGANIZAÇÕES RELIGIOSAS DO BRASIL
ESTRUTURA HIERÁRQUICA
4º ANO
ATUAÇÃO DE HOMENS E MULHERES
5º ANO
SAGRADO FEMININO
Organização religiosa é uma
associação ou instituição
ligada aos assuntos
religiosos. Pode também
ser chamada de sistema
religioso, religião ou igreja
institucionalizada, religião
ou igreja jurídica.
LINGUAGENS SAGRADAS
1º ANO
TEXTOS ORAIS E ESCRITOS - MITOS
2º ANO
TEXTOS ORAIS E ESCRITOS - MITOS
3º ANO
LIVROS SAGRADOS - MITOS
4º ANO
ARTE SAGRADA
5º ANO
ARTE SAGRADA
Linguagem é o sistema
através do qual o
homem comunica suas
ideias e sentimentos,
seja através da fala, da
escrita ou de outros
signos como sons,
movimentos e imagens
(música, dança,
desenhos, etc).
Ofícios orientadores
Sugestões de
organização de
sequência didática
4º ano
Sugestão de encaminhamento:
Símbolos religiosos - arquitetura religiosa
4º ano – Ciclo II
Organização da
sequência didática de
acordo com a proposta de
organização trimestral.
https://www.youtube.com/watch?v=EMCoVstZQbg
Sugestão de atividade
- Trazer a letra da música impressa para os alunos, para que acompanhem com a leitura;
- Realizar uma roda de conversa sobre o Taj Mahal, deixando que os alunos falem o que eles
sabem sobre o monumento;
- Apresentar um mapa mundi mostrando onde fica localizado este monumento;
- Contar aos alunos a história do Taj Mahal, como e porque foi construído.
Sugestão de atividade - maquete
Diferentes túmulos
Símbolos presentes
Sugestão de atividades
- Perguntar aos alunos se conhecem algum símbolo religioso, convidar para que venham ao
quadro desenhar e falar sobre o símbolo;
- Falar sobre a importância do símbolo e o que ele significa para os seguidores de determinada
religião;
- Levar os alunos ao laboratório de informática para que pesquisem diferentes símbolos
religiosos e seus significados;
- Propor que a turma se divida em 4 grupos, (um para cada matriz religiosa) para escolher um
símbolo e expor para o restante da turma.
Festas religiosas populares
https://www.youtube.com/watch?v=uo1TeUP3AZQ
Festa de dia dos mortos
Festival de Tradições de Vida e
Morte todo ano, de 30 de
outubro a 02 de novembro
Comemorado em 15 de agosto (e no dia 15 de
julho, na região de Kanto), o dia é um
momento especial, no qual os japoneses
prestam homenagens aos seus ancestrais
Trata-se de uma celebração de origem
indígena, há relatos que os Astecas, Maias,
Purépechas, Náuatles e
Totonacas praticavam este culto que celebra
a vida dos ancestrais, pelo menos há três
mil anos.
Sugestão de atividade
- Roda de conversa sobre o filme;
-Pesquisa sobre o dia dos mortos (finados) no Brasil;
- Permitir que os alunos falem sobre as festas religiosas populares da sua comunidade(carnaval,
festa junina, folia de reis, lavagem das escadarias, etc.);
- Pedir que, aqueles que tiverem, alguma foto de festas religiosas populares tragam para fazer
uma exposição na sala de aula.
Dando continuidade ao plano pode-se acrescentar o conteúdo ritos e rituais – mortuários e funerários.
3º ano
Sugestão de encaminhamento: Organizações
religiosas – estrutura hierárquica
3º ano – Ciclo I
Organização da
sequência didática de
acordo com a proposta de
organização trimestral.
https://www.youtube.com/watch?v=n6Cni_UVB00
Sugestão de atividade
- Trazer a letra da música em um cartaz, fazer a leitura apontada junto com a turma. Pedir que
eles apontem palavras que lhes parecem de origem indígena.
- Dentro deste conjunto de palavras, a professora/professor deverá destacar as palavras cacique
e pajé, explicando a função de cada um dentro da comunidade indígena. A partir daí perguntar
se as crianças conhecem algum líder religioso.
- Fazer uma lista com os líderes religiosos apontados pelas crianças e perguntar se elas sabem à
qual religião cada líder pertence.
- Apresentar às crianças alguns líderes religiosos.
Líderes religiosos - exemplo
Mãe Ilza
Mahatma Gandhi
Rabino Davi Gourarie
Sheikh Mohamad Al Bukai
Dom Odilo Scherer
Pajé Sapaim
É importante que as crianças compreendam a diferença entre líder e fundador da religião, neste
caso as histórias auxiliam bastante.
Exemplo: CATOLICISMO
Líder
Líderes e fundadores
“Tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei
a minha Igreja” (Mt XVI,18).
Fundador
Sugestão de atividade
Construir, com os alunos, um jogo de memória cujas peças tenham 1- líder religioso, 1- lugar
sagrado 1- nome da religião.
Neste jogo se utilizam trios (e não pares como no tradicional). As peças devem ser organizadas,
viradas para baixo em três colunas. Na sua vez a criança deve virar uma peça de cada coluna,
ganha quem conseguir montar o trio líder/lugar/nome.
Este jogo pode ser confeccionado pelas próprias crianças, utilizando sucata para montar as
peças, por exemplo tampinhas de extrato de tomate.
Peças para o jogo
UMBANDA
HINDUISMO
JUDAÍSMO
ISLAMISMO
CATOLICISMO
INDÍGENA
(XINGU)
A partir desta atividade a professora/professor poderá iniciar o conteúdo “Lugares Sagrados”.
1º ano
Sugestão de encaminhamento: Ritos e
rituais - iniciação
Ao pesquisar sobre os termos na literatura, você pode se deparar com afirmações de que Rito é
a teoria e Ritual é a prática. Ou que Rito é conteúdo e Ritual é forma. Para explicar isso para os
pequenos sugerimos:
- Uma roda de conversa sobre o que fazem pela manhã. Acordam, escovam os dentes, tomam
café, trocam de roupa, etc. Para ilustrar este “ritual” podemos usar imagens e/ou vídeos
1º ano – Ciclo I
Organização da
sequência didática de
acordo com a proposta de
organização trimestral.
Ritual secular da manhã - rotina
https://www.youtube.com/watch?v=aF3eUxax2ag
Conversando sobre...
A partir do vídeo podemos apresentar às crianças a ideia de que o ritual é algo que todas as
pessoas de uma determinada comunidade fazem, a partir de um conhecimento ou texto e que
tem uma finalidade. Ou seja, pela manhã acordamos, escovamos os dentes (pois sabemos que a
higiene é necessária), tomamos café (porque sentimos fome e precisamos de energia), trocamos
de roupa (porque não é conveniente sair de casa de pijama) e vamos para a escola. Nosso
objetivo é começar bem o dia.
No âmbito religioso o ritual acontece a partir de uma história ou texto sagrado e segue várias
etapas de acordo com o objetivo. No primeiro ano falamos sobre ritos de iniciação, eles diferem
na forma e nas etapas, mas todos tem como objetivo iniciar a pessoa na religião. Para que as
crianças entendam isso sugerimos a seguinte abordagem:
Ritos de iniciação - exemplos
O ritual de iniciação no Candomblé, a
feitura no santo, representa um
renascimento, tudo será novo na vida
do yàwó, ele receberá inclusive um
nome pelo qual passará a ser
chamado dentro da comunidade do
Candomblé.
A primeira iniciação dos meninos
Karajá (MT/TO) se dá por volta dos
sete ou oito anos de idade. Consiste
na perfuração do lábio inferior, que irá
receber um adorno. A perfuração é
feita com a clavícula de um macaco, e
se dá na presença dos pais.
Quando você nasce, recebe um nome
baseado em seu corpo. Em outras
vidas tinha outros nomes. Todos
temporários e mundanos. Quando
você de fato compreender que não é
seu corpo e aceita um mestre
espiritual, e ele o aceita, você recebe
um nome que diz respeito a sua
natureza espiritual. Assim, quando
somos iniciados, ou seja, quando
estamos no ponto de seriamente
seguir o processo de consciência de
Krishna, recebemos um nome
espiritual. Esses são nomes de Deus,
ou de Seus associados eternos,
seguidos pela palavra Das (para
homens) e Dasi (para mulheres). Das e
Dasi significa servo e serva.
No judaísmo existe uma prática
conhecida como Brit Milá. Neste ritual
a criança (recém-nascida) é
apresentada para a comunidade
religiosa na Sinagoga.
Sugestão de atividade:
- Dividir uma folha sulfite em 4 partes
(dobrando) e sugerir que cada criança
desenhe o que faz pela manhã.
- Fazer uma roda de conversa sobre os ritos
de iniciação (que devem ser selecionados
pela(o) professora/professor de acordo com
a sua turma)
- Falar que, assim como nós temos fases na
vida, nas religiões também há fases, ou seja,
níveis de crescimento e que, a cada nível, há
rituais que marcam isso:
Atividade com a família
- Pedir, através de agenda ou caderno próprio, que cada aluno traga imagens de ritos de
iniciação que fazem parte de sua religião ou que eles conhecem.
- Permitir que cada criança mostre a imagem para a turma e fale sobre ela.
- Construir um livro coletivo de “Ritos e Rituais de iniciação” com as imagens trazidas pelas
crianças e aquelas apresentadas pela(o) professora/professor, devidamente contextualizadas
com pequenos textos.
- Este material poderá ficar disponível na sala de aula (canto da leitura) ou na biblioteca da
escola.
Sugestão de vídeos
Série: Religiões do mundo – Histórias animadas (disponível no youtube) há links em nossa
página.
Grata por sua participação!!
DEPARTAMENTO DE ENSINO FUNDAMENTAL – GERÊNCIA DE
CURRÍCULO
Karin Willms – Beth Carassai
ensinoreligioso@sme.curitiba.pr.gov.br
3350-3153
ASSINTEC – Associação Inter-religiosa de Educação de Curitiba
Adriana Mello – Brigida Karina – Eloi Corrêa – Valmir Biaca
assintecpr@yahoo.com.br
3251-6542

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Plano de habilidades e competências, ensino religioso
Plano de habilidades e competências, ensino religiosoPlano de habilidades e competências, ensino religioso
Plano de habilidades e competências, ensino religioso
pibiduergsmontenegro
 
ENSINO RELIGIOSO - ORGANIZAÇÕES RELIGIOSAS
ENSINO RELIGIOSO - ORGANIZAÇÕES RELIGIOSASENSINO RELIGIOSO - ORGANIZAÇÕES RELIGIOSAS
ENSINO RELIGIOSO - ORGANIZAÇÕES RELIGIOSAS
Rodrigo Basílio da Silva
 
A paz - Análise e entendimento da música
A paz   - Análise e entendimento da músicaA paz   - Análise e entendimento da música
A paz - Análise e entendimento da música
Mary Alvarenga
 
Pareceres do 1º ano 2º semestre
Pareceres do 1º ano    2º semestrePareceres do 1º ano    2º semestre
Pareceres do 1º ano 2º semestre
Araceli Kleemann
 
Ensino religioso
Ensino religiosoEnsino religioso
Ensino religioso
departamentojt
 
AVALIAÇÃO DE ENSINO RELIGIOSO - 1º BIMESTRE - 3º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 1 ...
AVALIAÇÃO DE ENSINO RELIGIOSO - 1º BIMESTRE - 3º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 1 ...AVALIAÇÃO DE ENSINO RELIGIOSO - 1º BIMESTRE - 3º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 1 ...
AVALIAÇÃO DE ENSINO RELIGIOSO - 1º BIMESTRE - 3º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 1 ...
Secretaria de Estado de Educação e Qualidade do Ensino
 
Atividades inclusão (1)
Atividades  inclusão (1)Atividades  inclusão (1)
Atividades inclusão (1)
Atividades Diversas Cláudia
 
Gênero textual - anúncio
Gênero textual - anúncio Gênero textual - anúncio
Gênero textual - anúncio
Mary Alvarenga
 
Texto e interpretação - A origem do Carnaval
Texto e interpretação - A origem do Carnaval Texto e interpretação - A origem do Carnaval
Texto e interpretação - A origem do Carnaval
Mary Alvarenga
 
Alfabetização_28 palavras completa
Alfabetização_28 palavras completaAlfabetização_28 palavras completa
Alfabetização_28 palavras completa
Isa ...
 
Vamos construir de Sandy e Júnior - Análise e entendimento da música
Vamos construir  de  Sandy e Júnior  - Análise e entendimento da música Vamos construir  de  Sandy e Júnior  - Análise e entendimento da música
Vamos construir de Sandy e Júnior - Análise e entendimento da música
Mary Alvarenga
 
Avaliação de ciências 4ºbim 2º ano
Avaliação de ciências 4ºbim 2º anoAvaliação de ciências 4ºbim 2º ano
Avaliação de ciências 4ºbim 2º ano
Dayenne Sousa Alencar
 
Era Uma Vez de Sandy & Júnior e Toquinho - Análise e entendimento da música
Era Uma Vez de Sandy & Júnior e Toquinho - Análise e entendimento da músicaEra Uma Vez de Sandy & Júnior e Toquinho - Análise e entendimento da música
Era Uma Vez de Sandy & Júnior e Toquinho - Análise e entendimento da música
Mary Alvarenga
 
Ficha de leitura sílabas complexas
Ficha de leitura sílabas complexasFicha de leitura sílabas complexas
Ficha de leitura sílabas complexas
GeaneFerreira15
 
Atividade ortográfica - Caçada aos erros
Atividade ortográfica - Caçada aos errosAtividade ortográfica - Caçada aos erros
Atividade ortográfica - Caçada aos erros
Mary Alvarenga
 
Avaliação de Língua Portuguesa - 4º bimestre - 4º ano
Avaliação de Língua Portuguesa - 4º bimestre - 4º anoAvaliação de Língua Portuguesa - 4º bimestre - 4º ano
Avaliação de Língua Portuguesa - 4º bimestre - 4º ano
Secretaria de Estado de Educação e Qualidade do Ensino
 
Apostila da Educação Infantil Nível I e II e Ciclo de Alfabetização
Apostila da Educação Infantil Nível I e II e Ciclo de AlfabetizaçãoApostila da Educação Infantil Nível I e II e Ciclo de Alfabetização
Apostila da Educação Infantil Nível I e II e Ciclo de Alfabetização
Iolanda Sá
 
Deveres da Criança, Day Viana
 Deveres da Criança, Day Viana Deveres da Criança, Day Viana
Deveres da Criança, Day Viana
Mary Alvarenga
 
Sequência Didática PARLENDA
Sequência Didática PARLENDASequência Didática PARLENDA
Sequência Didática PARLENDA
Eleúzia Lins Silva
 
Almir Sater - Tocando em Frente análise e entendimento da letra da música
Almir Sater - Tocando em Frente análise e entendimento  da letra da  músicaAlmir Sater - Tocando em Frente análise e entendimento  da letra da  música
Almir Sater - Tocando em Frente análise e entendimento da letra da música
Mary Alvarenga
 

Mais procurados (20)

Plano de habilidades e competências, ensino religioso
Plano de habilidades e competências, ensino religiosoPlano de habilidades e competências, ensino religioso
Plano de habilidades e competências, ensino religioso
 
ENSINO RELIGIOSO - ORGANIZAÇÕES RELIGIOSAS
ENSINO RELIGIOSO - ORGANIZAÇÕES RELIGIOSASENSINO RELIGIOSO - ORGANIZAÇÕES RELIGIOSAS
ENSINO RELIGIOSO - ORGANIZAÇÕES RELIGIOSAS
 
A paz - Análise e entendimento da música
A paz   - Análise e entendimento da músicaA paz   - Análise e entendimento da música
A paz - Análise e entendimento da música
 
Pareceres do 1º ano 2º semestre
Pareceres do 1º ano    2º semestrePareceres do 1º ano    2º semestre
Pareceres do 1º ano 2º semestre
 
Ensino religioso
Ensino religiosoEnsino religioso
Ensino religioso
 
AVALIAÇÃO DE ENSINO RELIGIOSO - 1º BIMESTRE - 3º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 1 ...
AVALIAÇÃO DE ENSINO RELIGIOSO - 1º BIMESTRE - 3º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 1 ...AVALIAÇÃO DE ENSINO RELIGIOSO - 1º BIMESTRE - 3º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 1 ...
AVALIAÇÃO DE ENSINO RELIGIOSO - 1º BIMESTRE - 3º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 1 ...
 
Atividades inclusão (1)
Atividades  inclusão (1)Atividades  inclusão (1)
Atividades inclusão (1)
 
Gênero textual - anúncio
Gênero textual - anúncio Gênero textual - anúncio
Gênero textual - anúncio
 
Texto e interpretação - A origem do Carnaval
Texto e interpretação - A origem do Carnaval Texto e interpretação - A origem do Carnaval
Texto e interpretação - A origem do Carnaval
 
Alfabetização_28 palavras completa
Alfabetização_28 palavras completaAlfabetização_28 palavras completa
Alfabetização_28 palavras completa
 
Vamos construir de Sandy e Júnior - Análise e entendimento da música
Vamos construir  de  Sandy e Júnior  - Análise e entendimento da música Vamos construir  de  Sandy e Júnior  - Análise e entendimento da música
Vamos construir de Sandy e Júnior - Análise e entendimento da música
 
Avaliação de ciências 4ºbim 2º ano
Avaliação de ciências 4ºbim 2º anoAvaliação de ciências 4ºbim 2º ano
Avaliação de ciências 4ºbim 2º ano
 
Era Uma Vez de Sandy & Júnior e Toquinho - Análise e entendimento da música
Era Uma Vez de Sandy & Júnior e Toquinho - Análise e entendimento da músicaEra Uma Vez de Sandy & Júnior e Toquinho - Análise e entendimento da música
Era Uma Vez de Sandy & Júnior e Toquinho - Análise e entendimento da música
 
Ficha de leitura sílabas complexas
Ficha de leitura sílabas complexasFicha de leitura sílabas complexas
Ficha de leitura sílabas complexas
 
Atividade ortográfica - Caçada aos erros
Atividade ortográfica - Caçada aos errosAtividade ortográfica - Caçada aos erros
Atividade ortográfica - Caçada aos erros
 
Avaliação de Língua Portuguesa - 4º bimestre - 4º ano
Avaliação de Língua Portuguesa - 4º bimestre - 4º anoAvaliação de Língua Portuguesa - 4º bimestre - 4º ano
Avaliação de Língua Portuguesa - 4º bimestre - 4º ano
 
Apostila da Educação Infantil Nível I e II e Ciclo de Alfabetização
Apostila da Educação Infantil Nível I e II e Ciclo de AlfabetizaçãoApostila da Educação Infantil Nível I e II e Ciclo de Alfabetização
Apostila da Educação Infantil Nível I e II e Ciclo de Alfabetização
 
Deveres da Criança, Day Viana
 Deveres da Criança, Day Viana Deveres da Criança, Day Viana
Deveres da Criança, Day Viana
 
Sequência Didática PARLENDA
Sequência Didática PARLENDASequência Didática PARLENDA
Sequência Didática PARLENDA
 
Almir Sater - Tocando em Frente análise e entendimento da letra da música
Almir Sater - Tocando em Frente análise e entendimento  da letra da  músicaAlmir Sater - Tocando em Frente análise e entendimento  da letra da  música
Almir Sater - Tocando em Frente análise e entendimento da letra da música
 

Semelhante a Conteúdos e sugestões de Ensino Religioso

Caderno 1º BIM 6º ANO.pdf
Caderno 1º BIM 6º ANO.pdfCaderno 1º BIM 6º ANO.pdf
Caderno 1º BIM 6º ANO.pdf
Mirian Roberta
 
Livros, histórias, lembranças
Livros, histórias, lembrançasLivros, histórias, lembranças
Livros, histórias, lembranças
Ana Campana
 
Sugestões de atividades na área de Ensino Religioso - Anos Iniciais EF.pdf
Sugestões de atividades na área de Ensino Religioso - Anos Iniciais  EF.pdfSugestões de atividades na área de Ensino Religioso - Anos Iniciais  EF.pdf
Sugestões de atividades na área de Ensino Religioso - Anos Iniciais EF.pdf
AntonioMarcoDiasCast
 
ensino religioso 8ano.pdf
ensino religioso 8ano.pdfensino religioso 8ano.pdf
ensino religioso 8ano.pdf
carinabresolin
 
Ensino Religioso Ensino Religioso Ensino Religioso
Ensino Religioso Ensino Religioso Ensino ReligiosoEnsino Religioso Ensino Religioso Ensino Religioso
Ensino Religioso Ensino Religioso Ensino Religioso
LUZIATRAVASSO1
 
Apostila ensinoreligioso
Apostila ensinoreligiosoApostila ensinoreligioso
Apostila ensinoreligioso
AntoniaVieiradeSouza
 
Apostila ensinoreligioso
Apostila ensinoreligiosoApostila ensinoreligioso
Apostila ensinoreligioso
Donato Nunes
 
LIDERANÇAS RELIGIOSAS E A BUSCA PELO BEM COMUM.pptx
LIDERANÇAS RELIGIOSAS E A BUSCA PELO BEM COMUM.pptxLIDERANÇAS RELIGIOSAS E A BUSCA PELO BEM COMUM.pptx
LIDERANÇAS RELIGIOSAS E A BUSCA PELO BEM COMUM.pptx
agromaisrh
 
5º ano Caminhos de Encontro
5º ano Caminhos de Encontro5º ano Caminhos de Encontro
5º ano Caminhos de Encontro
origamistas
 
Artigo legislação do ensino religioso-iv unidade (2)
Artigo  legislação do ensino religioso-iv unidade (2)Artigo  legislação do ensino religioso-iv unidade (2)
Artigo legislação do ensino religioso-iv unidade (2)
Verônica Sylva
 
Candomblé (intolerância religiosa)
Candomblé (intolerância religiosa)Candomblé (intolerância religiosa)
Candomblé (intolerância religiosa)
Suany Reis
 
Ensino religioso 1 ano
Ensino religioso 1 anoEnsino religioso 1 ano
Ensino religioso 1 ano
Glacielle Antunes
 
Ensino religioso 1 ano
Ensino religioso 1 anoEnsino religioso 1 ano
Ensino religioso 1 ano
Fco Barros
 
APOSTILA-de-ENS_-RELIGIOSO-6-ANO-1-BIMESTRE.pdf
APOSTILA-de-ENS_-RELIGIOSO-6-ANO-1-BIMESTRE.pdfAPOSTILA-de-ENS_-RELIGIOSO-6-ANO-1-BIMESTRE.pdf
APOSTILA-de-ENS_-RELIGIOSO-6-ANO-1-BIMESTRE.pdf
LedaMariadaSilva1
 
ENSINO RELIGIOSO 7º ANO INOVE NA ESCOLA.pdf
ENSINO RELIGIOSO 7º ANO INOVE NA ESCOLA.pdfENSINO RELIGIOSO 7º ANO INOVE NA ESCOLA.pdf
ENSINO RELIGIOSO 7º ANO INOVE NA ESCOLA.pdf
LeloIurk1
 
O centro espírita
O centro espíritaO centro espírita
O centro espírita
Eduardo Manoel Araujo
 
FESTAS RELIGIOSAS
FESTAS RELIGIOSASFESTAS RELIGIOSAS
FESTAS RELIGIOSAS
Antonio Marcos
 
A lei 10.639/03 e a Formação Contínua.
A lei 10.639/03 e a Formação Contínua.A lei 10.639/03 e a Formação Contínua.
A lei 10.639/03 e a Formação Contínua.
lucavao2010
 
468829063-8º-Ano-Modulo-2-Ensino-Religioso-pdf.pdf
468829063-8º-Ano-Modulo-2-Ensino-Religioso-pdf.pdf468829063-8º-Ano-Modulo-2-Ensino-Religioso-pdf.pdf
468829063-8º-Ano-Modulo-2-Ensino-Religioso-pdf.pdf
LeloIurk1
 
Nossa seara 72
Nossa seara 72Nossa seara 72

Semelhante a Conteúdos e sugestões de Ensino Religioso (20)

Caderno 1º BIM 6º ANO.pdf
Caderno 1º BIM 6º ANO.pdfCaderno 1º BIM 6º ANO.pdf
Caderno 1º BIM 6º ANO.pdf
 
Livros, histórias, lembranças
Livros, histórias, lembrançasLivros, histórias, lembranças
Livros, histórias, lembranças
 
Sugestões de atividades na área de Ensino Religioso - Anos Iniciais EF.pdf
Sugestões de atividades na área de Ensino Religioso - Anos Iniciais  EF.pdfSugestões de atividades na área de Ensino Religioso - Anos Iniciais  EF.pdf
Sugestões de atividades na área de Ensino Religioso - Anos Iniciais EF.pdf
 
ensino religioso 8ano.pdf
ensino religioso 8ano.pdfensino religioso 8ano.pdf
ensino religioso 8ano.pdf
 
Ensino Religioso Ensino Religioso Ensino Religioso
Ensino Religioso Ensino Religioso Ensino ReligiosoEnsino Religioso Ensino Religioso Ensino Religioso
Ensino Religioso Ensino Religioso Ensino Religioso
 
Apostila ensinoreligioso
Apostila ensinoreligiosoApostila ensinoreligioso
Apostila ensinoreligioso
 
Apostila ensinoreligioso
Apostila ensinoreligiosoApostila ensinoreligioso
Apostila ensinoreligioso
 
LIDERANÇAS RELIGIOSAS E A BUSCA PELO BEM COMUM.pptx
LIDERANÇAS RELIGIOSAS E A BUSCA PELO BEM COMUM.pptxLIDERANÇAS RELIGIOSAS E A BUSCA PELO BEM COMUM.pptx
LIDERANÇAS RELIGIOSAS E A BUSCA PELO BEM COMUM.pptx
 
5º ano Caminhos de Encontro
5º ano Caminhos de Encontro5º ano Caminhos de Encontro
5º ano Caminhos de Encontro
 
Artigo legislação do ensino religioso-iv unidade (2)
Artigo  legislação do ensino religioso-iv unidade (2)Artigo  legislação do ensino religioso-iv unidade (2)
Artigo legislação do ensino religioso-iv unidade (2)
 
Candomblé (intolerância religiosa)
Candomblé (intolerância religiosa)Candomblé (intolerância religiosa)
Candomblé (intolerância religiosa)
 
Ensino religioso 1 ano
Ensino religioso 1 anoEnsino religioso 1 ano
Ensino religioso 1 ano
 
Ensino religioso 1 ano
Ensino religioso 1 anoEnsino religioso 1 ano
Ensino religioso 1 ano
 
APOSTILA-de-ENS_-RELIGIOSO-6-ANO-1-BIMESTRE.pdf
APOSTILA-de-ENS_-RELIGIOSO-6-ANO-1-BIMESTRE.pdfAPOSTILA-de-ENS_-RELIGIOSO-6-ANO-1-BIMESTRE.pdf
APOSTILA-de-ENS_-RELIGIOSO-6-ANO-1-BIMESTRE.pdf
 
ENSINO RELIGIOSO 7º ANO INOVE NA ESCOLA.pdf
ENSINO RELIGIOSO 7º ANO INOVE NA ESCOLA.pdfENSINO RELIGIOSO 7º ANO INOVE NA ESCOLA.pdf
ENSINO RELIGIOSO 7º ANO INOVE NA ESCOLA.pdf
 
O centro espírita
O centro espíritaO centro espírita
O centro espírita
 
FESTAS RELIGIOSAS
FESTAS RELIGIOSASFESTAS RELIGIOSAS
FESTAS RELIGIOSAS
 
A lei 10.639/03 e a Formação Contínua.
A lei 10.639/03 e a Formação Contínua.A lei 10.639/03 e a Formação Contínua.
A lei 10.639/03 e a Formação Contínua.
 
468829063-8º-Ano-Modulo-2-Ensino-Religioso-pdf.pdf
468829063-8º-Ano-Modulo-2-Ensino-Religioso-pdf.pdf468829063-8º-Ano-Modulo-2-Ensino-Religioso-pdf.pdf
468829063-8º-Ano-Modulo-2-Ensino-Religioso-pdf.pdf
 
Nossa seara 72
Nossa seara 72Nossa seara 72
Nossa seara 72
 

Mais de Karin Willms

Apresentação currículo Ensino Religioso
Apresentação currículo   Ensino ReligiosoApresentação currículo   Ensino Religioso
Apresentação currículo Ensino Religioso
Karin Willms
 
Ensino Religioso, um desafio para o Ensino Fundamental
Ensino Religioso, um desafio para o Ensino FundamentalEnsino Religioso, um desafio para o Ensino Fundamental
Ensino Religioso, um desafio para o Ensino Fundamental
Karin Willms
 
O coração do Baobá - sequência didática
O coração do Baobá - sequência didáticaO coração do Baobá - sequência didática
O coração do Baobá - sequência didática
Karin Willms
 
África de todos nós
África de todos nósÁfrica de todos nós
África de todos nós
Karin Willms
 
Bruxas e bruxinhas
Bruxas e bruxinhasBruxas e bruxinhas
Bruxas e bruxinhas
Karin Willms
 
Portfólio manhã
Portfólio manhãPortfólio manhã
Portfólio manhã
Karin Willms
 
Portfólio 2011
Portfólio 2011Portfólio 2011
Portfólio 2011
Karin Willms
 

Mais de Karin Willms (7)

Apresentação currículo Ensino Religioso
Apresentação currículo   Ensino ReligiosoApresentação currículo   Ensino Religioso
Apresentação currículo Ensino Religioso
 
Ensino Religioso, um desafio para o Ensino Fundamental
Ensino Religioso, um desafio para o Ensino FundamentalEnsino Religioso, um desafio para o Ensino Fundamental
Ensino Religioso, um desafio para o Ensino Fundamental
 
O coração do Baobá - sequência didática
O coração do Baobá - sequência didáticaO coração do Baobá - sequência didática
O coração do Baobá - sequência didática
 
África de todos nós
África de todos nósÁfrica de todos nós
África de todos nós
 
Bruxas e bruxinhas
Bruxas e bruxinhasBruxas e bruxinhas
Bruxas e bruxinhas
 
Portfólio manhã
Portfólio manhãPortfólio manhã
Portfólio manhã
 
Portfólio 2011
Portfólio 2011Portfólio 2011
Portfólio 2011
 

Último

Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
CarlosJean21
 
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇOPALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
ARIADNEMARTINSDACRUZ
 
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptxVivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Mauricio Alexandre Silva
 
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdfCD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
Manuais Formação
 
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdfAula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
vitorreissouzasilva
 
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptxVivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Mauricio Alexandre Silva
 
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptxO século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
geiseortiz1
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Simone399395
 
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
beatrizsilva525654
 
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
MatheusSousa716350
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
DouglasMoraes54
 
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicosDNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
jonny615148
 
Concurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdf
Concurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdfConcurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdf
Concurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdf
TathyLopes1
 
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptxDEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
ConservoConstrues
 
said edward w - orientalismo. livro de história pdf
said edward w - orientalismo. livro de história pdfsaid edward w - orientalismo. livro de história pdf
said edward w - orientalismo. livro de história pdf
ThiagoRORISDASILVA1
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
fran0410
 
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junhoATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
Crisnaiara
 
Copia de cartilla de portugués 1 2024.pdf
Copia de cartilla de portugués 1 2024.pdfCopia de cartilla de portugués 1 2024.pdf
Copia de cartilla de portugués 1 2024.pdf
davidreyes364666
 

Último (20)

Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
 
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇOPALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
 
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptxVivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
 
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdfCD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
 
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdfAula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
 
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptxVivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
 
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptxO século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
 
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
 
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
 
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicosDNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
 
Concurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdf
Concurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdfConcurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdf
Concurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdf
 
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptxDEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
 
said edward w - orientalismo. livro de história pdf
said edward w - orientalismo. livro de história pdfsaid edward w - orientalismo. livro de história pdf
said edward w - orientalismo. livro de história pdf
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
 
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junhoATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
 
Copia de cartilla de portugués 1 2024.pdf
Copia de cartilla de portugués 1 2024.pdfCopia de cartilla de portugués 1 2024.pdf
Copia de cartilla de portugués 1 2024.pdf
 

Conteúdos e sugestões de Ensino Religioso

  • 2. Legislação Superação de preconceitos Conhecimento científico + Conhecimento sobre o fenômeno religioso = Escolarização do Ensino Religioso Matrizes Religiosas
  • 3. SÍMBOLOS RELIGIOSOS 1º ANO SIMBOLOGIA NATURAL E CONSTRUÍDA 2º ANO ALIMENTOS SAGRADOS 3º ANO ARQUITETURA RELIGIOSA 4º ANO VESTIMENTA RELIGIOSA 5º ANO ANIMAIS SAGRADOS Os símbolos religiosos representam o sagrado, a fé, a esperança, a natureza, a vida, o universo e se tornaram tradicionais entre seus fiéis uma vez que funcionam como elementos de identificação e comunicação.
  • 4. LUGARES SAGRADOS 1º ANO NATURAIS E CONSTRUÍDOS - COMUNIDADE 2º ANO NATURAIS E CONSTRUÍDOS - COMUNIDADE 3º ANO NATURAIS E CONSTRUÍDOS - BRASIL 4º ANO NATURAIS E CONSTRUÍDOS - BRASIL 5º ANO NATURAIS E CONSTRUÍDOS - MUNDO Se consultarmos os dicionários usuais veremos que sagrado é "relativo ou inerente a um deus, a uma divindade, à religião, ao culto ou aos ritos; sacro, santo”.
  • 5. FESTAS RELIGIOSAS 1º ANO POPULARES E RELIGIOSAS DA COMUNIDADE 2º ANO POPULARES E RELIGIOSAS DA COMUNIDADE 3º ANO POPULARES E RELIGIOSAS DO BRASIL 4º ANO POPULARES E RELIGIOSAS DO BRASIL 5º ANO TEMPORALIDADE SAGRADA Festividades religiosas são manifestações culturais presentes em diversas religiões do mundo. São comemorações de acontecimentos, personalidades, fatos ou mistérios que, ao manifestarem publicamente as convicções religiosas de um grupo social, fortalecem a pertença de cada pessoa ao grupo de símiles que comungam das mesmas convicções religiosas. As festividades listadas neste artigo e na categoria que as agrupa são, em geral, de caráter público.
  • 6. RITOS E RITUAIS 1º ANO INICIAÇÃO 2º ANO PASSAGEM 3º ANO CELEBRATIVOS E PURIFICAÇÃO 4º ANO MORTUÁRIOS E FUNERÁRIOS 5º ANO ADIVINHATÓRIOS E CURA O termo RITO tem vários sentidos. Rito é totalmente diferente de ritual. No sentido mais geral, um rito é uma sucessão de palavras, gestos e atos que, repetidamente, compõe uma cerimônia (religiosa ou civil, na maior parte das vezes). Apesar de seguir um padrão, o rito não é mecanizado, pois pode atualizar um mito e, assim, segue ensinamentos ancestrais e sagrados RITUAL é um processo continuado de atividades organizadas cuja prática está relacionada a ritos, que envolvem cultos, doutrinas e seitas, encontrados não só na vida religiosa, mas em todas as esferas culturais. No sentido figurado ritual é uma rotina, aquilo que habitualmente se pratica, é uma etiqueta, uma regra, um estilo usado no trato entre as pessoas.
  • 7. ORGANIZAÇÕES RELIGIOSAS 1º ANO COMUNIDADE E ESPAÇOS DE VIVÊNCIA E REFERÊNCIA. 2º ANO COMUNIDADE E ESPAÇOS DE VIVÊNCIA E REFERÊNCIA. 3º ANO ORGANIZAÇÕES RELIGIOSAS DO BRASIL ESTRUTURA HIERÁRQUICA 4º ANO ATUAÇÃO DE HOMENS E MULHERES 5º ANO SAGRADO FEMININO Organização religiosa é uma associação ou instituição ligada aos assuntos religiosos. Pode também ser chamada de sistema religioso, religião ou igreja institucionalizada, religião ou igreja jurídica.
  • 8. LINGUAGENS SAGRADAS 1º ANO TEXTOS ORAIS E ESCRITOS - MITOS 2º ANO TEXTOS ORAIS E ESCRITOS - MITOS 3º ANO LIVROS SAGRADOS - MITOS 4º ANO ARTE SAGRADA 5º ANO ARTE SAGRADA Linguagem é o sistema através do qual o homem comunica suas ideias e sentimentos, seja através da fala, da escrita ou de outros signos como sons, movimentos e imagens (música, dança, desenhos, etc).
  • 10.
  • 13. Sugestão de encaminhamento: Símbolos religiosos - arquitetura religiosa 4º ano – Ciclo II Organização da sequência didática de acordo com a proposta de organização trimestral. https://www.youtube.com/watch?v=EMCoVstZQbg
  • 14. Sugestão de atividade - Trazer a letra da música impressa para os alunos, para que acompanhem com a leitura; - Realizar uma roda de conversa sobre o Taj Mahal, deixando que os alunos falem o que eles sabem sobre o monumento; - Apresentar um mapa mundi mostrando onde fica localizado este monumento; - Contar aos alunos a história do Taj Mahal, como e porque foi construído.
  • 18. Sugestão de atividades - Perguntar aos alunos se conhecem algum símbolo religioso, convidar para que venham ao quadro desenhar e falar sobre o símbolo; - Falar sobre a importância do símbolo e o que ele significa para os seguidores de determinada religião; - Levar os alunos ao laboratório de informática para que pesquisem diferentes símbolos religiosos e seus significados; - Propor que a turma se divida em 4 grupos, (um para cada matriz religiosa) para escolher um símbolo e expor para o restante da turma.
  • 20. Festa de dia dos mortos Festival de Tradições de Vida e Morte todo ano, de 30 de outubro a 02 de novembro Comemorado em 15 de agosto (e no dia 15 de julho, na região de Kanto), o dia é um momento especial, no qual os japoneses prestam homenagens aos seus ancestrais Trata-se de uma celebração de origem indígena, há relatos que os Astecas, Maias, Purépechas, Náuatles e Totonacas praticavam este culto que celebra a vida dos ancestrais, pelo menos há três mil anos.
  • 21. Sugestão de atividade - Roda de conversa sobre o filme; -Pesquisa sobre o dia dos mortos (finados) no Brasil; - Permitir que os alunos falem sobre as festas religiosas populares da sua comunidade(carnaval, festa junina, folia de reis, lavagem das escadarias, etc.); - Pedir que, aqueles que tiverem, alguma foto de festas religiosas populares tragam para fazer uma exposição na sala de aula. Dando continuidade ao plano pode-se acrescentar o conteúdo ritos e rituais – mortuários e funerários.
  • 23. Sugestão de encaminhamento: Organizações religiosas – estrutura hierárquica 3º ano – Ciclo I Organização da sequência didática de acordo com a proposta de organização trimestral. https://www.youtube.com/watch?v=n6Cni_UVB00
  • 24. Sugestão de atividade - Trazer a letra da música em um cartaz, fazer a leitura apontada junto com a turma. Pedir que eles apontem palavras que lhes parecem de origem indígena. - Dentro deste conjunto de palavras, a professora/professor deverá destacar as palavras cacique e pajé, explicando a função de cada um dentro da comunidade indígena. A partir daí perguntar se as crianças conhecem algum líder religioso. - Fazer uma lista com os líderes religiosos apontados pelas crianças e perguntar se elas sabem à qual religião cada líder pertence. - Apresentar às crianças alguns líderes religiosos.
  • 25. Líderes religiosos - exemplo Mãe Ilza Mahatma Gandhi Rabino Davi Gourarie Sheikh Mohamad Al Bukai Dom Odilo Scherer Pajé Sapaim
  • 26. É importante que as crianças compreendam a diferença entre líder e fundador da religião, neste caso as histórias auxiliam bastante. Exemplo: CATOLICISMO Líder Líderes e fundadores “Tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja” (Mt XVI,18). Fundador
  • 27. Sugestão de atividade Construir, com os alunos, um jogo de memória cujas peças tenham 1- líder religioso, 1- lugar sagrado 1- nome da religião. Neste jogo se utilizam trios (e não pares como no tradicional). As peças devem ser organizadas, viradas para baixo em três colunas. Na sua vez a criança deve virar uma peça de cada coluna, ganha quem conseguir montar o trio líder/lugar/nome. Este jogo pode ser confeccionado pelas próprias crianças, utilizando sucata para montar as peças, por exemplo tampinhas de extrato de tomate.
  • 28. Peças para o jogo UMBANDA HINDUISMO JUDAÍSMO ISLAMISMO CATOLICISMO INDÍGENA (XINGU) A partir desta atividade a professora/professor poderá iniciar o conteúdo “Lugares Sagrados”.
  • 30. Sugestão de encaminhamento: Ritos e rituais - iniciação Ao pesquisar sobre os termos na literatura, você pode se deparar com afirmações de que Rito é a teoria e Ritual é a prática. Ou que Rito é conteúdo e Ritual é forma. Para explicar isso para os pequenos sugerimos: - Uma roda de conversa sobre o que fazem pela manhã. Acordam, escovam os dentes, tomam café, trocam de roupa, etc. Para ilustrar este “ritual” podemos usar imagens e/ou vídeos 1º ano – Ciclo I Organização da sequência didática de acordo com a proposta de organização trimestral.
  • 31. Ritual secular da manhã - rotina https://www.youtube.com/watch?v=aF3eUxax2ag
  • 32. Conversando sobre... A partir do vídeo podemos apresentar às crianças a ideia de que o ritual é algo que todas as pessoas de uma determinada comunidade fazem, a partir de um conhecimento ou texto e que tem uma finalidade. Ou seja, pela manhã acordamos, escovamos os dentes (pois sabemos que a higiene é necessária), tomamos café (porque sentimos fome e precisamos de energia), trocamos de roupa (porque não é conveniente sair de casa de pijama) e vamos para a escola. Nosso objetivo é começar bem o dia. No âmbito religioso o ritual acontece a partir de uma história ou texto sagrado e segue várias etapas de acordo com o objetivo. No primeiro ano falamos sobre ritos de iniciação, eles diferem na forma e nas etapas, mas todos tem como objetivo iniciar a pessoa na religião. Para que as crianças entendam isso sugerimos a seguinte abordagem:
  • 33. Ritos de iniciação - exemplos O ritual de iniciação no Candomblé, a feitura no santo, representa um renascimento, tudo será novo na vida do yàwó, ele receberá inclusive um nome pelo qual passará a ser chamado dentro da comunidade do Candomblé. A primeira iniciação dos meninos Karajá (MT/TO) se dá por volta dos sete ou oito anos de idade. Consiste na perfuração do lábio inferior, que irá receber um adorno. A perfuração é feita com a clavícula de um macaco, e se dá na presença dos pais. Quando você nasce, recebe um nome baseado em seu corpo. Em outras vidas tinha outros nomes. Todos temporários e mundanos. Quando você de fato compreender que não é seu corpo e aceita um mestre espiritual, e ele o aceita, você recebe um nome que diz respeito a sua natureza espiritual. Assim, quando somos iniciados, ou seja, quando estamos no ponto de seriamente seguir o processo de consciência de Krishna, recebemos um nome espiritual. Esses são nomes de Deus, ou de Seus associados eternos, seguidos pela palavra Das (para homens) e Dasi (para mulheres). Das e Dasi significa servo e serva. No judaísmo existe uma prática conhecida como Brit Milá. Neste ritual a criança (recém-nascida) é apresentada para a comunidade religiosa na Sinagoga.
  • 34. Sugestão de atividade: - Dividir uma folha sulfite em 4 partes (dobrando) e sugerir que cada criança desenhe o que faz pela manhã. - Fazer uma roda de conversa sobre os ritos de iniciação (que devem ser selecionados pela(o) professora/professor de acordo com a sua turma) - Falar que, assim como nós temos fases na vida, nas religiões também há fases, ou seja, níveis de crescimento e que, a cada nível, há rituais que marcam isso:
  • 35. Atividade com a família - Pedir, através de agenda ou caderno próprio, que cada aluno traga imagens de ritos de iniciação que fazem parte de sua religião ou que eles conhecem. - Permitir que cada criança mostre a imagem para a turma e fale sobre ela. - Construir um livro coletivo de “Ritos e Rituais de iniciação” com as imagens trazidas pelas crianças e aquelas apresentadas pela(o) professora/professor, devidamente contextualizadas com pequenos textos. - Este material poderá ficar disponível na sala de aula (canto da leitura) ou na biblioteca da escola.
  • 36. Sugestão de vídeos Série: Religiões do mundo – Histórias animadas (disponível no youtube) há links em nossa página.
  • 37. Grata por sua participação!! DEPARTAMENTO DE ENSINO FUNDAMENTAL – GERÊNCIA DE CURRÍCULO Karin Willms – Beth Carassai ensinoreligioso@sme.curitiba.pr.gov.br 3350-3153 ASSINTEC – Associação Inter-religiosa de Educação de Curitiba Adriana Mello – Brigida Karina – Eloi Corrêa – Valmir Biaca assintecpr@yahoo.com.br 3251-6542