SlideShare uma empresa Scribd logo
CEI JULIO MOREIRA
ÁFRICA DE TODOS NÓS –
RELIGIOSIDADE E CULTURA
PROFESSORA KARIN WILLMS
ENSINO RELIGIOSO
karinwillms4@hotmail.com
profkarinensinoreligioso.blogspot.com
OBJETIVOS
1 Refletir sobre a alteridade e o respeito às
diferenças, reconhecendo o direito a liberdade
de expressão religiosa do outro.
2 Conhecer a espiritualidade presente nas
tradições religiosas, identificando-as como
métodos e práticas de relação com o sagrado.
CONTEÚDOS

• Alteridade:
• - A valorização de si mesmo e do outro.
• - As pessoas e suas diferentes crenças.
• - a diversidade das opções religiosas.
• - Valores éticos que aproximam as pessoas de diferentes religiões.
• Espiritualidade.
• - As práticas religiosas no cotidiano das pessoas.
• - Espiritualidade presente nas tradições religiosas.
CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO
Verificar se o estudante:
- Reconhece o outro, vivenciando o respeito às
diferenças religiosas no convívio social.
Verificar se o estudante:
- Reconhece a espiritualidade presente nas tradições
religiosas, analisando-as enquanto métodos para
relacionar-se com o sagrado.
Sequencia DIDÁTICA
1º pesquisa:
Foi sugerido aos alunos que, com o auxílio dos netbooks
(projeto UCA), fizessem uma pesquisa sobre a África:
cultura, língua, localização, etc.
2º utilizando os dados coletados:
Após a pesquisa, as crianças usaram os dados
coletados para observar a presença de
características da cultura africana dentro de nossa
3º observando imagens:
As crianças recolheram (de diferentes fontes) imagens
sobre a cultura africana no Brasil e fizeram
observações a fim de distinguir o que era cultural e o
que era religioso.
4º filme:
Assistimos ao filme “Kiriku e a feiticeira” – animação.
O filme mostra como, possivelmente, viveria
(antigamente) uma comunidade na África.
5º documentário:
Candomblé – religião de resistência.
O documentário é curto e, nos mostra parte do
fenômeno religioso afro-brasileiro com linguagem
simples.
6º leitura:
O mito de nascimento de um rio
O texto lido, apresenta de forma mitológica, o nascimento de
um rio segundo a tradição candomblecista. Durante o texto
aparecem diferentes orixás e suas representações na
natureza.
O nascimento de um rio
Na África contou-se a seguinte história,
escutem bem meus amigos, nela há muita
sabedoria. Muita gente acredita que a
água brota da terra, mas não vê o que
acontece antes disso. Preparem-se, que
agora vou lhes contar tudo:
Primeiro o nosso Deus, OLORUM, utilizando o calor do sol,
aquece as águas dos lagos e oceanos. Então, o belo
OXUMARÉ, com seu arco-íris, leva todo esse vapor que
emana das águas aquecidas para as nuvens.
XANGÔ, com sua força, anuncia,
por meio de seu trovão que a
impetuosa IANSÃ está juntando
as nuvens com seu vento
mágico, que ela faz surgir toda
vez que balança suas saias.
Quando as nuvens estão todas
arrumadas, XANGÔ lança sobre
a terra o EDUM-ARÁ, uma pedra
de raio. Desse modo ele avisa à
terra, conhecida como ODUDUA,
que prepare seu ventre, pois a
chuva virá em breve
Agora a grande maravilha está para acontecer: a chuva cai, reunindo
em si todas essas forças, e tão grandiosa e plena ela é, que alimenta a
terra e todos os seus seres. ODUDUA acolhe toda a água da chuva, e
então, em seu interior, se forma um enorme lago cheio de energia,
cheio de AXÉ.
O parto aconte e
ODUDUA dá à luz o rio,
OXUM, que, brotando de
seu interior, desliza por
toda a terra, nutrindo-a,
refrescando-a e levando
a todos os seres a
possibilidade da vida.
Depois de um certo
tempo, tudo isso
acontecerá novamente,
e assim será por todos
os tempos...
7º produção de maquetes:
As maquetes foram construídas de forma coletiva
(uma por turma) com desenhos produzidos pelas
crianças.
8º leitura:
O livro conta a história de dois meninos que, devido ao
preconceito da mãe de um deles, precisam deixar de ser
amigos.
9º produção de fios de contas
10º palestra:
Um dos alunos, Bruno, se dispôs a trazer seus fios de contas e sua
faixa de Ogum para mostrar aos colegas e explicar mais sobre sua
religião.
MATERIAIS E RECURSOS DIDÁTICOS
-

Netbooks com acesso à internet;
Textos, gráficos e fotos;
Filme de animação;
Documentário;
Contas;
Barbante;
Papel cartão, cartolina, tesoura, cola, lápis de cor, etc.
RESULTADOS

As crianças e suas famílias passaram a conhecer
e respeitar mais as religiões de matriz
africana. Grande parte do preconceito se deve à
ignorância e, este trabalho trouxe luz à toda a
comunidade escolar.
Fizemos, ao final da sequencia didática, uma
exposição com os materiais produzidos e usados
nas aulas:
África de todos nós
Para minha surpresa, no dia em que montava a exposição, o
pintor (que fazia reparos na escola) ficou me observando
e, depois, pediu que eu explicasse como foram as aulas e
como as crianças receberam este conteúdo. Ele é
umbandista e sofre muito preconceito por isso.
Uma coisa interessante a se colocar é que, antes da sequencia
didática, apenas uma família havia colocado na
entrevista (realizada no início do ano) que era
candomblecista. Ao término do trabalho cinco famílias já
assumiram sua religião pois viram que não é necessário
esconder.
REFERÊNCIAS
PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA. Plano curricular: Diretrizes para as escolas municipais. Curitiba, 1977.
_________. Políticas de educação para o município de Curitiba. Curitiba, 1983 (digitado)
BRASIL. Diretrizes curriculares de ensino religioso. Curitiba: Secretaria de Estado de Educação,
2006.
Kirikú e a feiticeira  [gravação de vídeo]   /   direção  Michel Ocelot.   --    [Paris]  :  IMOVISION,
2001.   --   1 vídeo-disco (71 min.)  :  son., color.  ;   4 3/4 pol.
Candomblé, religião de resistência. http://www.youtube.com/watch?v=BZE4zKyGXaE&hd=1
ANTONIO, Luiz. Minhas contas. São Paulo, CosacNaify, 2008.
http://www.youtube.com/watch?v=jLP18s6x8_k
http://www.inzotumbansi.org
http://quatrocantosdomundo.wordpress.com/2012/05/27/as-lendas-da-baobab-africa/
Alteridade, culturas & tradições - atividades do Ensino Religioso para o Ensino Fundamental
http://www.mundoislamico.com
http://romarioevangelista.blogspot.com.br
http://www.pessegadoro.com/2013/10/deuses-africanos-retratados-em-incrivel.html
“ Se Deus é um só em
todas as religiões,
por que as pessoas se
preocupam com o jeito
com que os outros
amam esse Deus? (...)
Todo mundo tem o
direito de ter a sua
religião. De usar um
crucifixo, um quipá,
um turbante, um
manto colorido ou fios
de contas.” Luiz

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Livros, histórias, lembranças
Livros, histórias, lembrançasLivros, histórias, lembranças
Livros, histórias, lembranças
Ana Campana
 
Ensino religioso
Ensino religiosoEnsino religioso
Ensino religioso
Maria Bethania Borges Costa
 
Aulas de ensino religioso
Aulas de ensino religiosoAulas de ensino religioso
Aulas de ensino religioso
Adriana Cunha
 
As pessoas e suas espiritualidades texto e palavras cruzadas
As pessoas e suas espiritualidades texto e palavras cruzadasAs pessoas e suas espiritualidades texto e palavras cruzadas
As pessoas e suas espiritualidades texto e palavras cruzadas
Prefeitura Municipal de Curitiba
 
Querendo encontrar Deus
Querendo encontrar DeusQuerendo encontrar Deus
Querendo encontrar Deus
Ana Campana
 
Plano de ensino religião
Plano de ensino  religiãoPlano de ensino  religião
Plano de ensino religião
simonclark
 
Plano de aula diversidade religiosa
Plano de aula diversidade religiosaPlano de aula diversidade religiosa
Plano de aula diversidade religiosa
Roseane Ribeiro
 
Apostila ensinoreligioso
Apostila ensinoreligiosoApostila ensinoreligioso
Apostila ensinoreligioso
Ronaldo Russou
 
Ensino religioso 2 ano
Ensino religioso 2 anoEnsino religioso 2 ano
Ensino religioso 2 ano
Antonio de Jesus Freitas Fernandes
 
Avaliação de Ensino Religioso
Avaliação de Ensino ReligiosoAvaliação de Ensino Religioso
Avaliação de Ensino Religioso
Éder Oliveira
 
Ensino religioso 7ano
Ensino religioso 7anoEnsino religioso 7ano
Ensino religioso 7ano
Ana Alves de Souza
 
Ensino religioso
Ensino religiosoEnsino religioso
Ensino religioso
Francisquinha Rodrigues
 
Plano de habilidades e competências, ensino religioso
Plano de habilidades e competências, ensino religiosoPlano de habilidades e competências, ensino religioso
Plano de habilidades e competências, ensino religioso
pibiduergsmontenegro
 
Ensino religioso (2)
Ensino religioso  (2)Ensino religioso  (2)
Ensino religioso (2)
pricilasantos2015
 
Religiao simbolos (1)
Religiao  simbolos (1)Religiao  simbolos (1)
Religiao simbolos (1)
cadernodigitalmaluh
 
Currículo segundo ano ensino religioso versão inicial 2014
Currículo segundo ano ensino religioso versão inicial 2014Currículo segundo ano ensino religioso versão inicial 2014
Currículo segundo ano ensino religioso versão inicial 2014
Edilene Avellar Do Nascimento Santos
 
Sacralidade dos textos
Sacralidade dos textosSacralidade dos textos
Sacralidade dos textos
Ana Campana
 
Caderno 7.5 ens religioso
Caderno 7.5   ens religiosoCaderno 7.5   ens religioso
Caderno 7.5 ens religioso
Sheila Sheilinha
 
Aulas de-ensino-religioso-2003
Aulas de-ensino-religioso-2003Aulas de-ensino-religioso-2003
Aulas de-ensino-religioso-2003
Prefeitura Municipal de Seropédica
 

Mais procurados (19)

Livros, histórias, lembranças
Livros, histórias, lembrançasLivros, histórias, lembranças
Livros, histórias, lembranças
 
Ensino religioso
Ensino religiosoEnsino religioso
Ensino religioso
 
Aulas de ensino religioso
Aulas de ensino religiosoAulas de ensino religioso
Aulas de ensino religioso
 
As pessoas e suas espiritualidades texto e palavras cruzadas
As pessoas e suas espiritualidades texto e palavras cruzadasAs pessoas e suas espiritualidades texto e palavras cruzadas
As pessoas e suas espiritualidades texto e palavras cruzadas
 
Querendo encontrar Deus
Querendo encontrar DeusQuerendo encontrar Deus
Querendo encontrar Deus
 
Plano de ensino religião
Plano de ensino  religiãoPlano de ensino  religião
Plano de ensino religião
 
Plano de aula diversidade religiosa
Plano de aula diversidade religiosaPlano de aula diversidade religiosa
Plano de aula diversidade religiosa
 
Apostila ensinoreligioso
Apostila ensinoreligiosoApostila ensinoreligioso
Apostila ensinoreligioso
 
Ensino religioso 2 ano
Ensino religioso 2 anoEnsino religioso 2 ano
Ensino religioso 2 ano
 
Avaliação de Ensino Religioso
Avaliação de Ensino ReligiosoAvaliação de Ensino Religioso
Avaliação de Ensino Religioso
 
Ensino religioso 7ano
Ensino religioso 7anoEnsino religioso 7ano
Ensino religioso 7ano
 
Ensino religioso
Ensino religiosoEnsino religioso
Ensino religioso
 
Plano de habilidades e competências, ensino religioso
Plano de habilidades e competências, ensino religiosoPlano de habilidades e competências, ensino religioso
Plano de habilidades e competências, ensino religioso
 
Ensino religioso (2)
Ensino religioso  (2)Ensino religioso  (2)
Ensino religioso (2)
 
Religiao simbolos (1)
Religiao  simbolos (1)Religiao  simbolos (1)
Religiao simbolos (1)
 
Currículo segundo ano ensino religioso versão inicial 2014
Currículo segundo ano ensino religioso versão inicial 2014Currículo segundo ano ensino religioso versão inicial 2014
Currículo segundo ano ensino religioso versão inicial 2014
 
Sacralidade dos textos
Sacralidade dos textosSacralidade dos textos
Sacralidade dos textos
 
Caderno 7.5 ens religioso
Caderno 7.5   ens religiosoCaderno 7.5   ens religioso
Caderno 7.5 ens religioso
 
Aulas de-ensino-religioso-2003
Aulas de-ensino-religioso-2003Aulas de-ensino-religioso-2003
Aulas de-ensino-religioso-2003
 

Destaque

Cómic 10 10
Cómic 10 10Cómic 10 10
Cómic 10 10
Howlerdog
 
Preludio
PreludioPreludio
Preludio
tDam
 
Família
FamíliaFamília
Família
flaviooshakur
 
Didatica projeto final
Didatica  projeto finalDidatica  projeto final
Didatica projeto final
monnavasconcelos
 
Sexualidade Diversidade Diferença
Sexualidade Diversidade DiferençaSexualidade Diversidade Diferença
Sexualidade Diversidade Diferença
Mariângela Padilha
 
71 a preconceito feminino - 4
71 a   preconceito feminino - 471 a   preconceito feminino - 4
71 a preconceito feminino - 4
TrabalhoMeninas
 
Machismo
MachismoMachismo
Machismo
tagasapa
 
Sobre a Cor de Rosa, uma reflexão sobre o machismo (Apresentação de Projeto d...
Sobre a Cor de Rosa, uma reflexão sobre o machismo (Apresentação de Projeto d...Sobre a Cor de Rosa, uma reflexão sobre o machismo (Apresentação de Projeto d...
Sobre a Cor de Rosa, uma reflexão sobre o machismo (Apresentação de Projeto d...
Ladeira Costa
 
RELATO DE EXPERIÊNCIA DO MUNICÍPIO DE SÃO PEDRO NO SEMINÁRIO FINAL DO PNAIC 2014
RELATO DE EXPERIÊNCIA DO MUNICÍPIO DE SÃO PEDRO NO SEMINÁRIO FINAL DO PNAIC 2014RELATO DE EXPERIÊNCIA DO MUNICÍPIO DE SÃO PEDRO NO SEMINÁRIO FINAL DO PNAIC 2014
RELATO DE EXPERIÊNCIA DO MUNICÍPIO DE SÃO PEDRO NO SEMINÁRIO FINAL DO PNAIC 2014
Claudio Pessoa
 
Mulher do século xx vs mulher do século xxi
Mulher do século xx vs mulher do século xxiMulher do século xx vs mulher do século xxi
Mulher do século xx vs mulher do século xxi
WAGNER OLIVEIRA
 
Direitos da mulher
Direitos da mulherDireitos da mulher
Direitos da mulher
mluisavalente
 
A mulher na sociedade.
A mulher na sociedade.A mulher na sociedade.
A mulher na sociedade.
interatividade
 
Mulheres na História
Mulheres na HistóriaMulheres na História
Mulheres na História
Gleisi Hoffmann
 
O empoderamento feminino na publicidade digital
O empoderamento feminino na publicidade digitalO empoderamento feminino na publicidade digital
O empoderamento feminino na publicidade digital
Cristal Bittencourt
 

Destaque (14)

Cómic 10 10
Cómic 10 10Cómic 10 10
Cómic 10 10
 
Preludio
PreludioPreludio
Preludio
 
Família
FamíliaFamília
Família
 
Didatica projeto final
Didatica  projeto finalDidatica  projeto final
Didatica projeto final
 
Sexualidade Diversidade Diferença
Sexualidade Diversidade DiferençaSexualidade Diversidade Diferença
Sexualidade Diversidade Diferença
 
71 a preconceito feminino - 4
71 a   preconceito feminino - 471 a   preconceito feminino - 4
71 a preconceito feminino - 4
 
Machismo
MachismoMachismo
Machismo
 
Sobre a Cor de Rosa, uma reflexão sobre o machismo (Apresentação de Projeto d...
Sobre a Cor de Rosa, uma reflexão sobre o machismo (Apresentação de Projeto d...Sobre a Cor de Rosa, uma reflexão sobre o machismo (Apresentação de Projeto d...
Sobre a Cor de Rosa, uma reflexão sobre o machismo (Apresentação de Projeto d...
 
RELATO DE EXPERIÊNCIA DO MUNICÍPIO DE SÃO PEDRO NO SEMINÁRIO FINAL DO PNAIC 2014
RELATO DE EXPERIÊNCIA DO MUNICÍPIO DE SÃO PEDRO NO SEMINÁRIO FINAL DO PNAIC 2014RELATO DE EXPERIÊNCIA DO MUNICÍPIO DE SÃO PEDRO NO SEMINÁRIO FINAL DO PNAIC 2014
RELATO DE EXPERIÊNCIA DO MUNICÍPIO DE SÃO PEDRO NO SEMINÁRIO FINAL DO PNAIC 2014
 
Mulher do século xx vs mulher do século xxi
Mulher do século xx vs mulher do século xxiMulher do século xx vs mulher do século xxi
Mulher do século xx vs mulher do século xxi
 
Direitos da mulher
Direitos da mulherDireitos da mulher
Direitos da mulher
 
A mulher na sociedade.
A mulher na sociedade.A mulher na sociedade.
A mulher na sociedade.
 
Mulheres na História
Mulheres na HistóriaMulheres na História
Mulheres na História
 
O empoderamento feminino na publicidade digital
O empoderamento feminino na publicidade digitalO empoderamento feminino na publicidade digital
O empoderamento feminino na publicidade digital
 

Semelhante a África de todos nós

CONSCIENCIA NEGRA.docx
CONSCIENCIA NEGRA.docxCONSCIENCIA NEGRA.docx
CONSCIENCIA NEGRA.docx
EscolaEstadualTancre
 
Unid3 ativ2 plancomhipermidiaouintern
Unid3 ativ2 plancomhipermidiaouinternUnid3 ativ2 plancomhipermidiaouintern
Unid3 ativ2 plancomhipermidiaouintern
elzaluz
 
Modos De Interagir
Modos De InteragirModos De Interagir
Modos De Interagir
Nádia Rabelo
 
Modos de interagir
Modos de interagirModos de interagir
Modos de interagir
culturaafro
 
Roteirodeleitura.acabecavoadora
Roteirodeleitura.acabecavoadoraRoteirodeleitura.acabecavoadora
Roteirodeleitura.acabecavoadora
santosmcc
 
Roteiro diversidade autoral_1
Roteiro diversidade autoral_1Roteiro diversidade autoral_1
Roteiro diversidade autoral_1
escolacaiosergio
 
Tema
TemaTema
Cultura iorubá maria inez couto de almeida
Cultura iorubá   maria inez couto de almeidaCultura iorubá   maria inez couto de almeida
Cultura iorubá maria inez couto de almeida
Daniel Torquato
 
Www.dialogarts.uerj.br admin arquivos_emquestao_[1]ioruba
Www.dialogarts.uerj.br admin arquivos_emquestao_[1]iorubaWww.dialogarts.uerj.br admin arquivos_emquestao_[1]ioruba
Www.dialogarts.uerj.br admin arquivos_emquestao_[1]ioruba
Nika Play
 
Apresentação fernandosilvinhaemarineide
Apresentação fernandosilvinhaemarineideApresentação fernandosilvinhaemarineide
Apresentação fernandosilvinhaemarineide
Fernando
 
Apresentação fernandosilvinhaemarineide
Apresentação fernandosilvinhaemarineideApresentação fernandosilvinhaemarineide
Apresentação fernandosilvinhaemarineide
Fernando
 
Un3 atv2 planodeaula_elzaluz
Un3 atv2 planodeaula_elzaluzUn3 atv2 planodeaula_elzaluz
Un3 atv2 planodeaula_elzaluz
elzaluz
 
Un3 atv2 planodeaula_elzaluz2222
Un3 atv2 planodeaula_elzaluz2222Un3 atv2 planodeaula_elzaluz2222
Un3 atv2 planodeaula_elzaluz2222
elzaluz
 
Un3 atv2 planodeaula_elzaluz2222
Un3 atv2 planodeaula_elzaluz2222Un3 atv2 planodeaula_elzaluz2222
Un3 atv2 planodeaula_elzaluz2222
elzaluz
 
Un3 atv2 planodeaula_elzaluz2222
Un3 atv2 planodeaula_elzaluz2222Un3 atv2 planodeaula_elzaluz2222
Un3 atv2 planodeaula_elzaluz2222
elzaluz
 
Un3 atv2 planodeaula_elzaluz
Un3 atv2 planodeaula_elzaluzUn3 atv2 planodeaula_elzaluz
Un3 atv2 planodeaula_elzaluz
elzaluz
 
Plano de aula consciencia negra
Plano de aula consciencia negraPlano de aula consciencia negra
Plano de aula consciencia negra
Luciasf
 
PROJETO DIDÁTICO 3 ANO PNAIC unidade 6
PROJETO DIDÁTICO 3 ANO PNAIC unidade 6PROJETO DIDÁTICO 3 ANO PNAIC unidade 6
PROJETO DIDÁTICO 3 ANO PNAIC unidade 6
Marisa Seara
 
Projeto Consciência Negra - Minha pele de ébano...
Projeto Consciência Negra - Minha pele de ébano...Projeto Consciência Negra - Minha pele de ébano...
Projeto Consciência Negra - Minha pele de ébano...
Cintia Pereira
 
Formação continuada 2015 Ensino Religioso
Formação continuada 2015  Ensino ReligiosoFormação continuada 2015  Ensino Religioso
Formação continuada 2015 Ensino Religioso
Robertino Lopes
 

Semelhante a África de todos nós (20)

CONSCIENCIA NEGRA.docx
CONSCIENCIA NEGRA.docxCONSCIENCIA NEGRA.docx
CONSCIENCIA NEGRA.docx
 
Unid3 ativ2 plancomhipermidiaouintern
Unid3 ativ2 plancomhipermidiaouinternUnid3 ativ2 plancomhipermidiaouintern
Unid3 ativ2 plancomhipermidiaouintern
 
Modos De Interagir
Modos De InteragirModos De Interagir
Modos De Interagir
 
Modos de interagir
Modos de interagirModos de interagir
Modos de interagir
 
Roteirodeleitura.acabecavoadora
Roteirodeleitura.acabecavoadoraRoteirodeleitura.acabecavoadora
Roteirodeleitura.acabecavoadora
 
Roteiro diversidade autoral_1
Roteiro diversidade autoral_1Roteiro diversidade autoral_1
Roteiro diversidade autoral_1
 
Tema
TemaTema
Tema
 
Cultura iorubá maria inez couto de almeida
Cultura iorubá   maria inez couto de almeidaCultura iorubá   maria inez couto de almeida
Cultura iorubá maria inez couto de almeida
 
Www.dialogarts.uerj.br admin arquivos_emquestao_[1]ioruba
Www.dialogarts.uerj.br admin arquivos_emquestao_[1]iorubaWww.dialogarts.uerj.br admin arquivos_emquestao_[1]ioruba
Www.dialogarts.uerj.br admin arquivos_emquestao_[1]ioruba
 
Apresentação fernandosilvinhaemarineide
Apresentação fernandosilvinhaemarineideApresentação fernandosilvinhaemarineide
Apresentação fernandosilvinhaemarineide
 
Apresentação fernandosilvinhaemarineide
Apresentação fernandosilvinhaemarineideApresentação fernandosilvinhaemarineide
Apresentação fernandosilvinhaemarineide
 
Un3 atv2 planodeaula_elzaluz
Un3 atv2 planodeaula_elzaluzUn3 atv2 planodeaula_elzaluz
Un3 atv2 planodeaula_elzaluz
 
Un3 atv2 planodeaula_elzaluz2222
Un3 atv2 planodeaula_elzaluz2222Un3 atv2 planodeaula_elzaluz2222
Un3 atv2 planodeaula_elzaluz2222
 
Un3 atv2 planodeaula_elzaluz2222
Un3 atv2 planodeaula_elzaluz2222Un3 atv2 planodeaula_elzaluz2222
Un3 atv2 planodeaula_elzaluz2222
 
Un3 atv2 planodeaula_elzaluz2222
Un3 atv2 planodeaula_elzaluz2222Un3 atv2 planodeaula_elzaluz2222
Un3 atv2 planodeaula_elzaluz2222
 
Un3 atv2 planodeaula_elzaluz
Un3 atv2 planodeaula_elzaluzUn3 atv2 planodeaula_elzaluz
Un3 atv2 planodeaula_elzaluz
 
Plano de aula consciencia negra
Plano de aula consciencia negraPlano de aula consciencia negra
Plano de aula consciencia negra
 
PROJETO DIDÁTICO 3 ANO PNAIC unidade 6
PROJETO DIDÁTICO 3 ANO PNAIC unidade 6PROJETO DIDÁTICO 3 ANO PNAIC unidade 6
PROJETO DIDÁTICO 3 ANO PNAIC unidade 6
 
Projeto Consciência Negra - Minha pele de ébano...
Projeto Consciência Negra - Minha pele de ébano...Projeto Consciência Negra - Minha pele de ébano...
Projeto Consciência Negra - Minha pele de ébano...
 
Formação continuada 2015 Ensino Religioso
Formação continuada 2015  Ensino ReligiosoFormação continuada 2015  Ensino Religioso
Formação continuada 2015 Ensino Religioso
 

Último

Livro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdf
Livro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdfLivro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdf
Livro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdf
CarolineSaback2
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Falcão Brasil
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
Mary Alvarenga
 
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Miguel Delamontagne
 
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
valdeci17
 
A Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptx
A Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptxA Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptx
A Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptx
tamirissousa11
 
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.pptAnálise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Falcão Brasil
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Falcão Brasil
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
Sandra Pratas
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Falcão Brasil
 
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdfAPRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
portaladministradores
 
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamasConhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
edusegtrab
 
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Falcão Brasil
 
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdfP0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
Ceiça Martins Vital
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Falcão Brasil
 
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptxVOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
mailabueno45
 

Último (20)

Livro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdf
Livro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdfLivro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdf
Livro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdf
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
 
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
 
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
 
A Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptx
A Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptxA Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptx
A Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptx
 
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.pptAnálise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
 
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdfAPRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
 
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
 
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
 
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamasConhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
 
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
 
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdfP0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
 
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptxVOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
 

África de todos nós

  • 1. CEI JULIO MOREIRA ÁFRICA DE TODOS NÓS – RELIGIOSIDADE E CULTURA
  • 2. PROFESSORA KARIN WILLMS ENSINO RELIGIOSO karinwillms4@hotmail.com profkarinensinoreligioso.blogspot.com
  • 3. OBJETIVOS 1 Refletir sobre a alteridade e o respeito às diferenças, reconhecendo o direito a liberdade de expressão religiosa do outro. 2 Conhecer a espiritualidade presente nas tradições religiosas, identificando-as como métodos e práticas de relação com o sagrado.
  • 4. CONTEÚDOS • Alteridade: • - A valorização de si mesmo e do outro. • - As pessoas e suas diferentes crenças. • - a diversidade das opções religiosas. • - Valores éticos que aproximam as pessoas de diferentes religiões. • Espiritualidade. • - As práticas religiosas no cotidiano das pessoas. • - Espiritualidade presente nas tradições religiosas.
  • 5. CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO Verificar se o estudante: - Reconhece o outro, vivenciando o respeito às diferenças religiosas no convívio social. Verificar se o estudante: - Reconhece a espiritualidade presente nas tradições religiosas, analisando-as enquanto métodos para relacionar-se com o sagrado.
  • 6. Sequencia DIDÁTICA 1º pesquisa: Foi sugerido aos alunos que, com o auxílio dos netbooks (projeto UCA), fizessem uma pesquisa sobre a África: cultura, língua, localização, etc. 2º utilizando os dados coletados: Após a pesquisa, as crianças usaram os dados coletados para observar a presença de características da cultura africana dentro de nossa
  • 7. 3º observando imagens: As crianças recolheram (de diferentes fontes) imagens sobre a cultura africana no Brasil e fizeram observações a fim de distinguir o que era cultural e o que era religioso.
  • 8. 4º filme: Assistimos ao filme “Kiriku e a feiticeira” – animação. O filme mostra como, possivelmente, viveria (antigamente) uma comunidade na África.
  • 9. 5º documentário: Candomblé – religião de resistência. O documentário é curto e, nos mostra parte do fenômeno religioso afro-brasileiro com linguagem simples.
  • 10. 6º leitura: O mito de nascimento de um rio O texto lido, apresenta de forma mitológica, o nascimento de um rio segundo a tradição candomblecista. Durante o texto aparecem diferentes orixás e suas representações na natureza.
  • 11. O nascimento de um rio Na África contou-se a seguinte história, escutem bem meus amigos, nela há muita sabedoria. Muita gente acredita que a água brota da terra, mas não vê o que acontece antes disso. Preparem-se, que agora vou lhes contar tudo:
  • 12. Primeiro o nosso Deus, OLORUM, utilizando o calor do sol, aquece as águas dos lagos e oceanos. Então, o belo OXUMARÉ, com seu arco-íris, leva todo esse vapor que emana das águas aquecidas para as nuvens.
  • 13. XANGÔ, com sua força, anuncia, por meio de seu trovão que a impetuosa IANSÃ está juntando as nuvens com seu vento mágico, que ela faz surgir toda vez que balança suas saias. Quando as nuvens estão todas arrumadas, XANGÔ lança sobre a terra o EDUM-ARÁ, uma pedra de raio. Desse modo ele avisa à terra, conhecida como ODUDUA, que prepare seu ventre, pois a chuva virá em breve
  • 14. Agora a grande maravilha está para acontecer: a chuva cai, reunindo em si todas essas forças, e tão grandiosa e plena ela é, que alimenta a terra e todos os seus seres. ODUDUA acolhe toda a água da chuva, e então, em seu interior, se forma um enorme lago cheio de energia, cheio de AXÉ.
  • 15. O parto aconte e ODUDUA dá à luz o rio, OXUM, que, brotando de seu interior, desliza por toda a terra, nutrindo-a, refrescando-a e levando a todos os seres a possibilidade da vida. Depois de um certo tempo, tudo isso acontecerá novamente, e assim será por todos os tempos...
  • 16. 7º produção de maquetes: As maquetes foram construídas de forma coletiva (uma por turma) com desenhos produzidos pelas crianças.
  • 18. O livro conta a história de dois meninos que, devido ao preconceito da mãe de um deles, precisam deixar de ser amigos.
  • 19. 9º produção de fios de contas
  • 20. 10º palestra: Um dos alunos, Bruno, se dispôs a trazer seus fios de contas e sua faixa de Ogum para mostrar aos colegas e explicar mais sobre sua religião.
  • 21. MATERIAIS E RECURSOS DIDÁTICOS - Netbooks com acesso à internet; Textos, gráficos e fotos; Filme de animação; Documentário; Contas; Barbante; Papel cartão, cartolina, tesoura, cola, lápis de cor, etc.
  • 22. RESULTADOS As crianças e suas famílias passaram a conhecer e respeitar mais as religiões de matriz africana. Grande parte do preconceito se deve à ignorância e, este trabalho trouxe luz à toda a comunidade escolar. Fizemos, ao final da sequencia didática, uma exposição com os materiais produzidos e usados nas aulas:
  • 24. Para minha surpresa, no dia em que montava a exposição, o pintor (que fazia reparos na escola) ficou me observando e, depois, pediu que eu explicasse como foram as aulas e como as crianças receberam este conteúdo. Ele é umbandista e sofre muito preconceito por isso. Uma coisa interessante a se colocar é que, antes da sequencia didática, apenas uma família havia colocado na entrevista (realizada no início do ano) que era candomblecista. Ao término do trabalho cinco famílias já assumiram sua religião pois viram que não é necessário esconder.
  • 25. REFERÊNCIAS PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA. Plano curricular: Diretrizes para as escolas municipais. Curitiba, 1977. _________. Políticas de educação para o município de Curitiba. Curitiba, 1983 (digitado) BRASIL. Diretrizes curriculares de ensino religioso. Curitiba: Secretaria de Estado de Educação, 2006. Kirikú e a feiticeira  [gravação de vídeo]   /   direção  Michel Ocelot.   --    [Paris]  :  IMOVISION, 2001.   --   1 vídeo-disco (71 min.)  :  son., color.  ;   4 3/4 pol. Candomblé, religião de resistência. http://www.youtube.com/watch?v=BZE4zKyGXaE&hd=1 ANTONIO, Luiz. Minhas contas. São Paulo, CosacNaify, 2008. http://www.youtube.com/watch?v=jLP18s6x8_k http://www.inzotumbansi.org http://quatrocantosdomundo.wordpress.com/2012/05/27/as-lendas-da-baobab-africa/ Alteridade, culturas & tradições - atividades do Ensino Religioso para o Ensino Fundamental http://www.mundoislamico.com http://romarioevangelista.blogspot.com.br http://www.pessegadoro.com/2013/10/deuses-africanos-retratados-em-incrivel.html
  • 26. “ Se Deus é um só em todas as religiões, por que as pessoas se preocupam com o jeito com que os outros amam esse Deus? (...) Todo mundo tem o direito de ter a sua religião. De usar um crucifixo, um quipá, um turbante, um manto colorido ou fios de contas.” Luiz