SlideShare uma empresa Scribd logo
KARIN WILLMS
ensinoreligioso@sme.curitiba.pr.gov.br
3350-3153
SÍMBOLOS RELIGIOSOS
1º ANO
SIMBOLOGIA NATURAL E CONSTRUÍDA
2º ANO
ALIMENTOS SAGRADOS
3º ANO
ARQUITETURA RELIGIOSA
4º ANO
VESTIMENTA RELIGIOSA
5º ANO
ANIMAIS SAGRADOS
Os símbolos religiosos,
presentes em todas as
religiões, representam o
sagrado, a fé, a
esperança, a natureza, a
vida, o universo e se
tornaram tradicionais
entre seus fiéis uma vez
que funcionam como
elementos poderosos de
identificação e
comunicação.
LUGARES SAGRADOS
1º ANO
NATURAIS E CONSTRUÍDOS - COMUNIDADE
2º ANO
NATURAIS E CONSTRUÍDOS - COMUNIDADE
3º ANO
NATURAIS E CONSTRUÍDOS - BRASIL
4º ANO
NATURAIS E CONSTRUÍDOS - BRASIL
5º ANO
NATURAIS E CONSTRUÍDOS - MUNDO
Se consultarmos os
dicionários usuais veremos
que sagrado é "relativo ou
inerente a Deus, a uma
divindade, à religião, ao
culto ou aos ritos; sacro,
santo. Que recebeu a
consagração, que se
sagrou, o lugar sagrado é,
portanto, aquele que
recebeu um significado
sagrado.
FESTAS RELIGIOSAS
1º ANO
POPULARES E RELIGIOSAS DA COMUNIDADE
2º ANO
POPULARES E RELIGIOSAS DA COMUNIDADE
3º ANO
POPULARES E RELIGIOSAS DO BRASIL
4º ANO
POPULARES E RELIGIOSAS DO BRASIL
5º ANO
TEMPORALIDADE SAGRADA
Festividades religiosas são
manifestações culturais presentes
em diversas religiões do mundo. São
comemorações de acontecimentos,
personalidades, fatos ou mistérios
que, ao manifestarem publicamente
as convicções religiosas de um grupo
social, fortalecem a pertença de
cada pessoa ao grupo de símiles que
comungam das mesmas convicções
religiosas.
As festividades listadas neste artigo e
na categoria que as agrupa são, em
geral, de caráter público.
RITOS E RITUAIS
1º ANO
INICIAÇÃO
2º ANO
PASSAGEM
3º ANO
CELEBRATIVOS E PURIFICAÇÃO
4º ANO
MORTUÁRIOS E FUNERÁRIOS
5º ANO
ADIVINHATÓRIOS E CURA
O termo RITO tem vários
sentidos. Rito é totalmente
diferente que rituais. Muitas
pessoas acham que essas duas
palavras vêm do mesmo
significado mas rito e rituais têm
significados diferentes. No
sentido mais geral, um rito é uma
sucessão de palavras, gestos e
atos que, repetida, compõe uma
cerimônia (religiosa ou civil, na
maior parte das vezes). Apesar
de seguir um padrão, o rito não é
mecanizado, pois pode atualizar
um mito e, assim, segue
ensinamentos ancestrais e
sagrados
É um conjunto de atividades
organizadas, no qual as pessoas se
expressam por meio de gestos,
símbolos, linguagem e
comportamento, transmitindo um
sentido coerente ao ritual. O caráter
comunicativo do rito é de extrema
importância, pois não é qualquer
atividades padronizada que constitui
um rito. Rito é aquilo que você faz
todo dia, como escovar os dentes.
Isso é um rito. Você não para e se
pergunta porque está escovando os
dentes, mas você sabe que aquilo é
uma coisa que você sempre faz. A
palavra "rito" pode também designar
tipo de velocidade no ritual de
processo jurídico.
ORGANIZAÇÕES RELIGIOSAS
1º ANO
COMUNIDADE E ESPAÇOS DE VIVÊNCIA E REFERÊNCIA.
2º ANO
COMUNIDADE E ESPAÇOS DE VIVÊNCIA E REFERÊNCIA.
3º ANO
ORGANIZAÇÕES RELIGIOSAS DO BRASIL
ESTRUTURA HIERÁRQUICA
4º ANO
ATUAÇÃO DE HOMENS E MULHERES
5º ANO
SAGRADO FEMININO
Organização religiosa é uma
associação ou instituição
ligada aos assuntos
religiosos. Pode também
ser chamada de sistema
religioso, religião ou igreja
institucionalizada, religião
ou igreja jurídica.
LINGUAGENS SAGRADAS
1º ANO
TEXTOS ORAIS E ESCRITOS - MITOS
2º ANO
TEXTOS ORAIS E ESCRITOS - MITOS
3º ANO
LIVROS SAGRADOS - MITOS
4º ANO
ARTE SAGRADA
5º ANO
ARTE SAGRADA
Linguagem é o sistema
através do qual o
homem comunica suas
ideias e sentimentos,
seja através da fala, da
escrita ou de outros
signos convencionais.
Linguística é o nome da
ciência que se dedica ao
estudo da linguagem.
Sugestão de encaminhamento –
arquitetura religiosa
Sugestão de atividade
- Trazer a letra da música impressa para os alunos, para que acompanhem com a leitura;
- Realizar uma roda de conversa sobre o Taj Mahal, deixando que os alunos falem o que eles
sabem sobre o monumento;
- Apresentar um mapa mundi mostrando onde fica localizado este monumento;
- Contar aos alunos a história do Taj Mahal, como e porque foi construído.
Taj Mahal
O músico Jorge Benjor já cantava: "Foi uma linda história de amor..." Não, não estamos falando de
Romeu e Julieta, mas da paixão de um imperador indiano do século 17 por uma de suas mulheres, o
romance que deixou a mais incrível herança arquitetônica de todos os tempos. A construção do
complexo de Taj Mahal, na cidade de Agra, no norte da Índia, foi mesmo uma bela declaração de
amor. A idéia saiu da mente de Shah Jahan, líder do Império Mogol, uma dinastia muçulmana que
governou a região norte da Índia entre os séculos 16 e 17. Em 1631, o imperador perdeu uma de suas
esposas durante um parto, Arjumand Banu Baygam. Para homenageá-la e demonstrar toda sua
paixão por ela, Shah Jahan ordenou que um magnífico mausoléu fosse erguido para abrigar os restos
mortais de sua amada. Arjumand era chamada de Mumtaz Mahal ("a preferida do palácio") e o nome
que batizaria o imponente local, Taj Mahal, é só uma corruptela do apelido.
O mausoléu propriamente dito é só uma das várias construções do complexo, que ainda possui uma
mesquita, um magnífico jardim, torres e outros dois prédios. Para erguer tudo isso foram necessários
cerca de 20 anos e mais de 20 mil trabalhadores. É claro que tal obra rende até hoje histórias
fantásticas. Uma lenda famosa diz que, após o mausoléu ficar pronto, Shah Jahan teria mandado
cortar a mão direita do mestre-de-obras para que nenhuma outra construção igual ao Taj Mahal
pudesse ser feita. Se o operário foi mesmo amputado, é difícil dizer, mas uma coisa é certa: realmente
não há nada no resto do planeta parecido com essa jóia da história e da cultura indiana.
Foi preciso 22 anos e o trabalho de milhares de
operários e animais (incluindo elefantes) para
erguer o complexo, composto por três edifícios,
quatro torres e gigantescos jardins, totalizando
17 mil m2. O mausoléu (mostrado na imagem)
foi construído para abrigar o corpo da rainha
Mumtaz Mahal em Agra, norte da Índia.
Preferida do rei Shah Jahan entre sete esposas,
era influente a ponto de convencê-lo a não ter
filhos com as outras mulheres e a construir para
ela uma tumba tão grandiosa quanto as outras
da família real. Mumtaz morreu em 1631 e a
construção começou no ano seguinte. Em 1654,
assim que o Taj Mahal (“coroa de Mahal”, em
persa) ficou pronto, o rei foi deposto pelo filho.
Jahan passou mais 12 anos preso até morrer. Em
1666, foi enterrado ao lado da rainha Mumtaz –
quebrando a simetria arquitetônica do local, já
que a tumba dela estava no centro. Atualmente,
o complexo recebe 2 milhões de turistas por
ano.
Sugestão de atividade - maquete
Diferentes túmulos
Símbolos presentes
Sugestão de atividades
- Perguntar aos alunos se conhecem algum símbolo religioso, convidar para que venham ao
quadro desenhar e falar sobre o símbolo;
- Falar sobre a importância do símbolo e o que ele significa para os seguidores de determinada
religião;
- Levar os alunos ao laboratório de informática para que pesquisem diferentes símbolos
religiosos e seus significados;
- Propor que a turma se divida em 4 grupos, (um para cada matriz religiosa) para escolher um
símbolo e expor para o restante da turma.
Festas religiosas populares
Festa de dia dos mortos
Festival de Tradições de Vida e
Morte todo ano, de 30 de
outubro a 02 de novembro
Comemorado em 15 de agosto (e no dia 15 de
julho, na região de Kanto), o dia é um
momento especial, no qual os japoneses
prestam homenagens aos seus ancestrais
Trata-se de uma celebração de origem
indígena, há relatos que os Astecas, Maias,
Purépechas, Náuatles e
Totonacas praticavam este culto que celebra
a vida dos ancestrais, pelo menos há três
mil anos.
Sugestão de atividade
- Roda de conversa sobre o filme;
-Pesquisa sobre o dia dos mortos (finados) no Brasil;
- Permitir que os alunos falem sobre as festas religiosas populares da sua comunidade(carnaval,
festa junina, folia de reis, lavagem das escadarias, etc.);
- Pedir que, aqueles que tiverem, alguma foto de festas religiosas populares tragam para fazer
uma exposição na sala de aula.
SUGESTÃO DE BLOGS
Professora Adriana
ensinoreligiosoemsala.blogspot.com.br
Professora Karin
profkarinensinoreligioso.blogspot.com.br
Professora Eliane
pluralreligioso.blogspot.com.br
Sugestão de vídeos para abordagem:
Série “Sagrado” – youtube
Grata por sua participação!!
Karin Willms
ensinoreligioso@sme.curitiba.pr.gov.br
3350-3153

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Gênero textual: O Poema 3º Ano do Ensino Fundamental
Gênero textual: O Poema 3º Ano do Ensino FundamentalGênero textual: O Poema 3º Ano do Ensino Fundamental
Gênero textual: O Poema 3º Ano do Ensino Fundamental
Paulo Alves de Araujo
 
A paz - Análise e entendimento da música
A paz   - Análise e entendimento da músicaA paz   - Análise e entendimento da música
A paz - Análise e entendimento da música
Mary Alvarenga
 
Gênero textual - anúncio
Gênero textual - anúncio Gênero textual - anúncio
Gênero textual - anúncio
Mary Alvarenga
 
Avaliação de Matematica 2º ano
Avaliação de Matematica 2º anoAvaliação de Matematica 2º ano
Avaliação de Matematica 2º ano
Maria Élia David de Assis Ferreira
 
7 ano atividades complementares 4 semana
7 ano atividades complementares 4 semana7 ano atividades complementares 4 semana
7 ano atividades complementares 4 semana
Washington Rocha
 
Desenhos de tarsila do amaral para colorir
Desenhos de tarsila do amaral para colorirDesenhos de tarsila do amaral para colorir
Desenhos de tarsila do amaral para colorir
SimoneHelenDrumond
 
Atividade interdisciplinar portugues ensino religioso sobre familia.doc
Atividade interdisciplinar portugues ensino religioso sobre  familia.docAtividade interdisciplinar portugues ensino religioso sobre  familia.doc
Atividade interdisciplinar portugues ensino religioso sobre familia.doc
Atividades Diversas Cláudia
 
Atividade de Arte - Música
Atividade de Arte  - MúsicaAtividade de Arte  - Música
Atividade de Arte - Música
Mary Alvarenga
 
Apostila de Arte Ensino Fundamental I
Apostila de Arte Ensino Fundamental IApostila de Arte Ensino Fundamental I
Apostila de Arte Ensino Fundamental I
Eliane Sanches
 
Cores primárias
Cores primáriasCores primárias
Cores primárias
Mary Alvarenga
 
Apostila 28 palavras parte 1
Apostila 28 palavras parte 1Apostila 28 palavras parte 1
Apostila 28 palavras parte 1
Isa ...
 
Atividades sobre cultura negra
Atividades sobre cultura negraAtividades sobre cultura negra
Atividades sobre cultura negra
Atividades Diversas Cláudia
 
Tribalistas / Velha Infância - Análise e entendimento da letra da música
Tribalistas / Velha Infância  - Análise e entendimento da letra da música Tribalistas / Velha Infância  - Análise e entendimento da letra da música
Tribalistas / Velha Infância - Análise e entendimento da letra da música
Mary Alvarenga
 
Atividade de-historia os-tres-poderes-5-ano_respostas
Atividade de-historia os-tres-poderes-5-ano_respostasAtividade de-historia os-tres-poderes-5-ano_respostas
Atividade de-historia os-tres-poderes-5-ano_respostas
Luiza Bussolo
 
Gênero textual: Fabulas e contos
Gênero textual: Fabulas e contos Gênero textual: Fabulas e contos
Gênero textual: Fabulas e contos
Mary Alvarenga
 
1ª Sequência Didática - Género textual: Lista de compras
1ª Sequência Didática - Género textual: Lista de compras1ª Sequência Didática - Género textual: Lista de compras
1ª Sequência Didática - Género textual: Lista de compras
Eleúzia Lins Silva
 
Poema o menino azul de Cecília Meireles - Análise e entendimento
Poema  o menino azul de  Cecília Meireles - Análise e entendimento Poema  o menino azul de  Cecília Meireles - Análise e entendimento
Poema o menino azul de Cecília Meireles - Análise e entendimento
Mary Alvarenga
 
Tela: Família de Tarsila do Amaral
Tela: Família de Tarsila do AmaralTela: Família de Tarsila do Amaral
Tela: Família de Tarsila do Amaral
Letras Mágicas
 
Artes O Teatro e Atividades
Artes O Teatro e AtividadesArtes O Teatro e Atividades
Artes O Teatro e Atividades
Geo Honório
 
Gênero textual: cartão, convite. biografia, narração, história em quedrinho (...
Gênero textual: cartão, convite. biografia, narração, história em quedrinho (...Gênero textual: cartão, convite. biografia, narração, história em quedrinho (...
Gênero textual: cartão, convite. biografia, narração, história em quedrinho (...
Mary Alvarenga
 

Mais procurados (20)

Gênero textual: O Poema 3º Ano do Ensino Fundamental
Gênero textual: O Poema 3º Ano do Ensino FundamentalGênero textual: O Poema 3º Ano do Ensino Fundamental
Gênero textual: O Poema 3º Ano do Ensino Fundamental
 
A paz - Análise e entendimento da música
A paz   - Análise e entendimento da músicaA paz   - Análise e entendimento da música
A paz - Análise e entendimento da música
 
Gênero textual - anúncio
Gênero textual - anúncio Gênero textual - anúncio
Gênero textual - anúncio
 
Avaliação de Matematica 2º ano
Avaliação de Matematica 2º anoAvaliação de Matematica 2º ano
Avaliação de Matematica 2º ano
 
7 ano atividades complementares 4 semana
7 ano atividades complementares 4 semana7 ano atividades complementares 4 semana
7 ano atividades complementares 4 semana
 
Desenhos de tarsila do amaral para colorir
Desenhos de tarsila do amaral para colorirDesenhos de tarsila do amaral para colorir
Desenhos de tarsila do amaral para colorir
 
Atividade interdisciplinar portugues ensino religioso sobre familia.doc
Atividade interdisciplinar portugues ensino religioso sobre  familia.docAtividade interdisciplinar portugues ensino religioso sobre  familia.doc
Atividade interdisciplinar portugues ensino religioso sobre familia.doc
 
Atividade de Arte - Música
Atividade de Arte  - MúsicaAtividade de Arte  - Música
Atividade de Arte - Música
 
Apostila de Arte Ensino Fundamental I
Apostila de Arte Ensino Fundamental IApostila de Arte Ensino Fundamental I
Apostila de Arte Ensino Fundamental I
 
Cores primárias
Cores primáriasCores primárias
Cores primárias
 
Apostila 28 palavras parte 1
Apostila 28 palavras parte 1Apostila 28 palavras parte 1
Apostila 28 palavras parte 1
 
Atividades sobre cultura negra
Atividades sobre cultura negraAtividades sobre cultura negra
Atividades sobre cultura negra
 
Tribalistas / Velha Infância - Análise e entendimento da letra da música
Tribalistas / Velha Infância  - Análise e entendimento da letra da música Tribalistas / Velha Infância  - Análise e entendimento da letra da música
Tribalistas / Velha Infância - Análise e entendimento da letra da música
 
Atividade de-historia os-tres-poderes-5-ano_respostas
Atividade de-historia os-tres-poderes-5-ano_respostasAtividade de-historia os-tres-poderes-5-ano_respostas
Atividade de-historia os-tres-poderes-5-ano_respostas
 
Gênero textual: Fabulas e contos
Gênero textual: Fabulas e contos Gênero textual: Fabulas e contos
Gênero textual: Fabulas e contos
 
1ª Sequência Didática - Género textual: Lista de compras
1ª Sequência Didática - Género textual: Lista de compras1ª Sequência Didática - Género textual: Lista de compras
1ª Sequência Didática - Género textual: Lista de compras
 
Poema o menino azul de Cecília Meireles - Análise e entendimento
Poema  o menino azul de  Cecília Meireles - Análise e entendimento Poema  o menino azul de  Cecília Meireles - Análise e entendimento
Poema o menino azul de Cecília Meireles - Análise e entendimento
 
Tela: Família de Tarsila do Amaral
Tela: Família de Tarsila do AmaralTela: Família de Tarsila do Amaral
Tela: Família de Tarsila do Amaral
 
Artes O Teatro e Atividades
Artes O Teatro e AtividadesArtes O Teatro e Atividades
Artes O Teatro e Atividades
 
Gênero textual: cartão, convite. biografia, narração, história em quedrinho (...
Gênero textual: cartão, convite. biografia, narração, história em quedrinho (...Gênero textual: cartão, convite. biografia, narração, história em quedrinho (...
Gênero textual: cartão, convite. biografia, narração, história em quedrinho (...
 

Semelhante a Apresentação currículo Ensino Religioso

Conteúdos e sugestões de Ensino Religioso
Conteúdos e sugestões de Ensino ReligiosoConteúdos e sugestões de Ensino Religioso
Conteúdos e sugestões de Ensino Religioso
Karin Willms
 
Aula 1 - Lugares Sagrados.pptx
Aula 1 - Lugares Sagrados.pptxAula 1 - Lugares Sagrados.pptx
Aula 1 - Lugares Sagrados.pptx
benjamin35767
 
História em movimento vol. 01
História em movimento vol. 01História em movimento vol. 01
História em movimento vol. 01
marcosfm32
 
Lugares sagrados - caderno pedagógico de ensino religioso Estado do Paraná.pdf
Lugares sagrados - caderno pedagógico de ensino religioso Estado do Paraná.pdfLugares sagrados - caderno pedagógico de ensino religioso Estado do Paraná.pdf
Lugares sagrados - caderno pedagógico de ensino religioso Estado do Paraná.pdf
magborga
 
Festa de Caboclo: um olhar etnográfico
Festa de Caboclo: um olhar etnográficoFesta de Caboclo: um olhar etnográfico
Festa de Caboclo: um olhar etnográfico
Funcionário Público
 
Trabalho de historia
Trabalho de historiaTrabalho de historia
Trabalho de historia
Nicolly Ramires
 
Histor 04
Histor 04Histor 04
Curso de introducao ao candomble
Curso de introducao ao candombleCurso de introducao ao candomble
Curso de introducao ao candomble
Stanley Domeniquini
 
Hendrix silveira -_a_cultura_religiosa_dos_iorubas
Hendrix silveira -_a_cultura_religiosa_dos_iorubasHendrix silveira -_a_cultura_religiosa_dos_iorubas
Hendrix silveira -_a_cultura_religiosa_dos_iorubas
Rodrigo Botelho
 
Atividades sobre povos e reinos africanos
Atividades sobre povos e reinos africanosAtividades sobre povos e reinos africanos
Atividades sobre povos e reinos africanos
Zé Knust
 
Castro celso evolucionismo-cultural
Castro celso evolucionismo-culturalCastro celso evolucionismo-cultural
Castro celso evolucionismo-cultural
Salomao Lucio Dos Santos
 
Jb news informativo nr. 0242
Jb news   informativo nr. 0242Jb news   informativo nr. 0242
Jb news informativo nr. 0242
JB News
 
Antniorodrigues radiestesiaclassicaecabalistica-130414130341-phpapp02
Antniorodrigues radiestesiaclassicaecabalistica-130414130341-phpapp02Antniorodrigues radiestesiaclassicaecabalistica-130414130341-phpapp02
Antniorodrigues radiestesiaclassicaecabalistica-130414130341-phpapp02
Carlos Quaresma
 
Tccpavulagemfinal
TccpavulagemfinalTccpavulagemfinal
Tccpavulagemfinal
CleideeAndrey Pais Do Eros
 
VI ENCONTO DE PROFESSORES DE ARTE DE MS E II SEMINÁRIO DIÁLOGOS VISUAIS E CUL...
VI ENCONTO DE PROFESSORES DE ARTE DE MS E II SEMINÁRIO DIÁLOGOS VISUAIS E CUL...VI ENCONTO DE PROFESSORES DE ARTE DE MS E II SEMINÁRIO DIÁLOGOS VISUAIS E CUL...
VI ENCONTO DE PROFESSORES DE ARTE DE MS E II SEMINÁRIO DIÁLOGOS VISUAIS E CUL...
ProfessoresMS
 
Xintoísmo
XintoísmoXintoísmo
Bibliografia_das_religioes_dos_orixas_voduns_inquices_e_encantados_0.pdf
Bibliografia_das_religioes_dos_orixas_voduns_inquices_e_encantados_0.pdfBibliografia_das_religioes_dos_orixas_voduns_inquices_e_encantados_0.pdf
Bibliografia_das_religioes_dos_orixas_voduns_inquices_e_encantados_0.pdf
AlexandreSanGoes
 
Cursodeintroducaoaocandomble 120328221052-phpapp01
Cursodeintroducaoaocandomble 120328221052-phpapp01Cursodeintroducaoaocandomble 120328221052-phpapp01
Cursodeintroducaoaocandomble 120328221052-phpapp01
Regina Freitas
 
Jb news informativo nr. 0099
Jb news   informativo nr. 0099Jb news   informativo nr. 0099
Jb news informativo nr. 0099
JB News
 
O poder da cabala - yehuda berg
O poder da cabala -  yehuda bergO poder da cabala -  yehuda berg
O poder da cabala - yehuda berg
Daniela Petito
 

Semelhante a Apresentação currículo Ensino Religioso (20)

Conteúdos e sugestões de Ensino Religioso
Conteúdos e sugestões de Ensino ReligiosoConteúdos e sugestões de Ensino Religioso
Conteúdos e sugestões de Ensino Religioso
 
Aula 1 - Lugares Sagrados.pptx
Aula 1 - Lugares Sagrados.pptxAula 1 - Lugares Sagrados.pptx
Aula 1 - Lugares Sagrados.pptx
 
História em movimento vol. 01
História em movimento vol. 01História em movimento vol. 01
História em movimento vol. 01
 
Lugares sagrados - caderno pedagógico de ensino religioso Estado do Paraná.pdf
Lugares sagrados - caderno pedagógico de ensino religioso Estado do Paraná.pdfLugares sagrados - caderno pedagógico de ensino religioso Estado do Paraná.pdf
Lugares sagrados - caderno pedagógico de ensino religioso Estado do Paraná.pdf
 
Festa de Caboclo: um olhar etnográfico
Festa de Caboclo: um olhar etnográficoFesta de Caboclo: um olhar etnográfico
Festa de Caboclo: um olhar etnográfico
 
Trabalho de historia
Trabalho de historiaTrabalho de historia
Trabalho de historia
 
Histor 04
Histor 04Histor 04
Histor 04
 
Curso de introducao ao candomble
Curso de introducao ao candombleCurso de introducao ao candomble
Curso de introducao ao candomble
 
Hendrix silveira -_a_cultura_religiosa_dos_iorubas
Hendrix silveira -_a_cultura_religiosa_dos_iorubasHendrix silveira -_a_cultura_religiosa_dos_iorubas
Hendrix silveira -_a_cultura_religiosa_dos_iorubas
 
Atividades sobre povos e reinos africanos
Atividades sobre povos e reinos africanosAtividades sobre povos e reinos africanos
Atividades sobre povos e reinos africanos
 
Castro celso evolucionismo-cultural
Castro celso evolucionismo-culturalCastro celso evolucionismo-cultural
Castro celso evolucionismo-cultural
 
Jb news informativo nr. 0242
Jb news   informativo nr. 0242Jb news   informativo nr. 0242
Jb news informativo nr. 0242
 
Antniorodrigues radiestesiaclassicaecabalistica-130414130341-phpapp02
Antniorodrigues radiestesiaclassicaecabalistica-130414130341-phpapp02Antniorodrigues radiestesiaclassicaecabalistica-130414130341-phpapp02
Antniorodrigues radiestesiaclassicaecabalistica-130414130341-phpapp02
 
Tccpavulagemfinal
TccpavulagemfinalTccpavulagemfinal
Tccpavulagemfinal
 
VI ENCONTO DE PROFESSORES DE ARTE DE MS E II SEMINÁRIO DIÁLOGOS VISUAIS E CUL...
VI ENCONTO DE PROFESSORES DE ARTE DE MS E II SEMINÁRIO DIÁLOGOS VISUAIS E CUL...VI ENCONTO DE PROFESSORES DE ARTE DE MS E II SEMINÁRIO DIÁLOGOS VISUAIS E CUL...
VI ENCONTO DE PROFESSORES DE ARTE DE MS E II SEMINÁRIO DIÁLOGOS VISUAIS E CUL...
 
Xintoísmo
XintoísmoXintoísmo
Xintoísmo
 
Bibliografia_das_religioes_dos_orixas_voduns_inquices_e_encantados_0.pdf
Bibliografia_das_religioes_dos_orixas_voduns_inquices_e_encantados_0.pdfBibliografia_das_religioes_dos_orixas_voduns_inquices_e_encantados_0.pdf
Bibliografia_das_religioes_dos_orixas_voduns_inquices_e_encantados_0.pdf
 
Cursodeintroducaoaocandomble 120328221052-phpapp01
Cursodeintroducaoaocandomble 120328221052-phpapp01Cursodeintroducaoaocandomble 120328221052-phpapp01
Cursodeintroducaoaocandomble 120328221052-phpapp01
 
Jb news informativo nr. 0099
Jb news   informativo nr. 0099Jb news   informativo nr. 0099
Jb news informativo nr. 0099
 
O poder da cabala - yehuda berg
O poder da cabala -  yehuda bergO poder da cabala -  yehuda berg
O poder da cabala - yehuda berg
 

Mais de Karin Willms

Ensino Religioso, um desafio para o Ensino Fundamental
Ensino Religioso, um desafio para o Ensino FundamentalEnsino Religioso, um desafio para o Ensino Fundamental
Ensino Religioso, um desafio para o Ensino Fundamental
Karin Willms
 
O coração do Baobá - sequência didática
O coração do Baobá - sequência didáticaO coração do Baobá - sequência didática
O coração do Baobá - sequência didática
Karin Willms
 
África de todos nós
África de todos nósÁfrica de todos nós
África de todos nós
Karin Willms
 
Bruxas e bruxinhas
Bruxas e bruxinhasBruxas e bruxinhas
Bruxas e bruxinhas
Karin Willms
 
Portfólio manhã
Portfólio manhãPortfólio manhã
Portfólio manhã
Karin Willms
 
Portfólio 2011
Portfólio 2011Portfólio 2011
Portfólio 2011
Karin Willms
 

Mais de Karin Willms (6)

Ensino Religioso, um desafio para o Ensino Fundamental
Ensino Religioso, um desafio para o Ensino FundamentalEnsino Religioso, um desafio para o Ensino Fundamental
Ensino Religioso, um desafio para o Ensino Fundamental
 
O coração do Baobá - sequência didática
O coração do Baobá - sequência didáticaO coração do Baobá - sequência didática
O coração do Baobá - sequência didática
 
África de todos nós
África de todos nósÁfrica de todos nós
África de todos nós
 
Bruxas e bruxinhas
Bruxas e bruxinhasBruxas e bruxinhas
Bruxas e bruxinhas
 
Portfólio manhã
Portfólio manhãPortfólio manhã
Portfólio manhã
 
Portfólio 2011
Portfólio 2011Portfólio 2011
Portfólio 2011
 

Último

Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
CarinaSantos916505
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
todorokillmepls
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vidakarl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
KleginaldoPaz2
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
fran0410
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
TomasSousa7
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
silvamelosilva300
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Zenir Carmen Bez Trombeta
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
mamaeieby
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
joseanesouza36
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
MarceloMonteiro213738
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
LILIANPRESTESSCUDELE
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
Eró Cunha
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIAAPRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
karinenobre2033
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Professor Belinaso
 
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdfAULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
SthafaniHussin1
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
eaiprofpolly
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
lveiga112
 

Último (20)

Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vidakarl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
 
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIAAPRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
 
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdfAULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
 

Apresentação currículo Ensino Religioso

  • 2. SÍMBOLOS RELIGIOSOS 1º ANO SIMBOLOGIA NATURAL E CONSTRUÍDA 2º ANO ALIMENTOS SAGRADOS 3º ANO ARQUITETURA RELIGIOSA 4º ANO VESTIMENTA RELIGIOSA 5º ANO ANIMAIS SAGRADOS Os símbolos religiosos, presentes em todas as religiões, representam o sagrado, a fé, a esperança, a natureza, a vida, o universo e se tornaram tradicionais entre seus fiéis uma vez que funcionam como elementos poderosos de identificação e comunicação.
  • 3. LUGARES SAGRADOS 1º ANO NATURAIS E CONSTRUÍDOS - COMUNIDADE 2º ANO NATURAIS E CONSTRUÍDOS - COMUNIDADE 3º ANO NATURAIS E CONSTRUÍDOS - BRASIL 4º ANO NATURAIS E CONSTRUÍDOS - BRASIL 5º ANO NATURAIS E CONSTRUÍDOS - MUNDO Se consultarmos os dicionários usuais veremos que sagrado é "relativo ou inerente a Deus, a uma divindade, à religião, ao culto ou aos ritos; sacro, santo. Que recebeu a consagração, que se sagrou, o lugar sagrado é, portanto, aquele que recebeu um significado sagrado.
  • 4. FESTAS RELIGIOSAS 1º ANO POPULARES E RELIGIOSAS DA COMUNIDADE 2º ANO POPULARES E RELIGIOSAS DA COMUNIDADE 3º ANO POPULARES E RELIGIOSAS DO BRASIL 4º ANO POPULARES E RELIGIOSAS DO BRASIL 5º ANO TEMPORALIDADE SAGRADA Festividades religiosas são manifestações culturais presentes em diversas religiões do mundo. São comemorações de acontecimentos, personalidades, fatos ou mistérios que, ao manifestarem publicamente as convicções religiosas de um grupo social, fortalecem a pertença de cada pessoa ao grupo de símiles que comungam das mesmas convicções religiosas. As festividades listadas neste artigo e na categoria que as agrupa são, em geral, de caráter público.
  • 5. RITOS E RITUAIS 1º ANO INICIAÇÃO 2º ANO PASSAGEM 3º ANO CELEBRATIVOS E PURIFICAÇÃO 4º ANO MORTUÁRIOS E FUNERÁRIOS 5º ANO ADIVINHATÓRIOS E CURA O termo RITO tem vários sentidos. Rito é totalmente diferente que rituais. Muitas pessoas acham que essas duas palavras vêm do mesmo significado mas rito e rituais têm significados diferentes. No sentido mais geral, um rito é uma sucessão de palavras, gestos e atos que, repetida, compõe uma cerimônia (religiosa ou civil, na maior parte das vezes). Apesar de seguir um padrão, o rito não é mecanizado, pois pode atualizar um mito e, assim, segue ensinamentos ancestrais e sagrados É um conjunto de atividades organizadas, no qual as pessoas se expressam por meio de gestos, símbolos, linguagem e comportamento, transmitindo um sentido coerente ao ritual. O caráter comunicativo do rito é de extrema importância, pois não é qualquer atividades padronizada que constitui um rito. Rito é aquilo que você faz todo dia, como escovar os dentes. Isso é um rito. Você não para e se pergunta porque está escovando os dentes, mas você sabe que aquilo é uma coisa que você sempre faz. A palavra "rito" pode também designar tipo de velocidade no ritual de processo jurídico.
  • 6. ORGANIZAÇÕES RELIGIOSAS 1º ANO COMUNIDADE E ESPAÇOS DE VIVÊNCIA E REFERÊNCIA. 2º ANO COMUNIDADE E ESPAÇOS DE VIVÊNCIA E REFERÊNCIA. 3º ANO ORGANIZAÇÕES RELIGIOSAS DO BRASIL ESTRUTURA HIERÁRQUICA 4º ANO ATUAÇÃO DE HOMENS E MULHERES 5º ANO SAGRADO FEMININO Organização religiosa é uma associação ou instituição ligada aos assuntos religiosos. Pode também ser chamada de sistema religioso, religião ou igreja institucionalizada, religião ou igreja jurídica.
  • 7. LINGUAGENS SAGRADAS 1º ANO TEXTOS ORAIS E ESCRITOS - MITOS 2º ANO TEXTOS ORAIS E ESCRITOS - MITOS 3º ANO LIVROS SAGRADOS - MITOS 4º ANO ARTE SAGRADA 5º ANO ARTE SAGRADA Linguagem é o sistema através do qual o homem comunica suas ideias e sentimentos, seja através da fala, da escrita ou de outros signos convencionais. Linguística é o nome da ciência que se dedica ao estudo da linguagem.
  • 8. Sugestão de encaminhamento – arquitetura religiosa
  • 9. Sugestão de atividade - Trazer a letra da música impressa para os alunos, para que acompanhem com a leitura; - Realizar uma roda de conversa sobre o Taj Mahal, deixando que os alunos falem o que eles sabem sobre o monumento; - Apresentar um mapa mundi mostrando onde fica localizado este monumento; - Contar aos alunos a história do Taj Mahal, como e porque foi construído.
  • 10. Taj Mahal O músico Jorge Benjor já cantava: "Foi uma linda história de amor..." Não, não estamos falando de Romeu e Julieta, mas da paixão de um imperador indiano do século 17 por uma de suas mulheres, o romance que deixou a mais incrível herança arquitetônica de todos os tempos. A construção do complexo de Taj Mahal, na cidade de Agra, no norte da Índia, foi mesmo uma bela declaração de amor. A idéia saiu da mente de Shah Jahan, líder do Império Mogol, uma dinastia muçulmana que governou a região norte da Índia entre os séculos 16 e 17. Em 1631, o imperador perdeu uma de suas esposas durante um parto, Arjumand Banu Baygam. Para homenageá-la e demonstrar toda sua paixão por ela, Shah Jahan ordenou que um magnífico mausoléu fosse erguido para abrigar os restos mortais de sua amada. Arjumand era chamada de Mumtaz Mahal ("a preferida do palácio") e o nome que batizaria o imponente local, Taj Mahal, é só uma corruptela do apelido. O mausoléu propriamente dito é só uma das várias construções do complexo, que ainda possui uma mesquita, um magnífico jardim, torres e outros dois prédios. Para erguer tudo isso foram necessários cerca de 20 anos e mais de 20 mil trabalhadores. É claro que tal obra rende até hoje histórias fantásticas. Uma lenda famosa diz que, após o mausoléu ficar pronto, Shah Jahan teria mandado cortar a mão direita do mestre-de-obras para que nenhuma outra construção igual ao Taj Mahal pudesse ser feita. Se o operário foi mesmo amputado, é difícil dizer, mas uma coisa é certa: realmente não há nada no resto do planeta parecido com essa jóia da história e da cultura indiana.
  • 11. Foi preciso 22 anos e o trabalho de milhares de operários e animais (incluindo elefantes) para erguer o complexo, composto por três edifícios, quatro torres e gigantescos jardins, totalizando 17 mil m2. O mausoléu (mostrado na imagem) foi construído para abrigar o corpo da rainha Mumtaz Mahal em Agra, norte da Índia. Preferida do rei Shah Jahan entre sete esposas, era influente a ponto de convencê-lo a não ter filhos com as outras mulheres e a construir para ela uma tumba tão grandiosa quanto as outras da família real. Mumtaz morreu em 1631 e a construção começou no ano seguinte. Em 1654, assim que o Taj Mahal (“coroa de Mahal”, em persa) ficou pronto, o rei foi deposto pelo filho. Jahan passou mais 12 anos preso até morrer. Em 1666, foi enterrado ao lado da rainha Mumtaz – quebrando a simetria arquitetônica do local, já que a tumba dela estava no centro. Atualmente, o complexo recebe 2 milhões de turistas por ano.
  • 15. Sugestão de atividades - Perguntar aos alunos se conhecem algum símbolo religioso, convidar para que venham ao quadro desenhar e falar sobre o símbolo; - Falar sobre a importância do símbolo e o que ele significa para os seguidores de determinada religião; - Levar os alunos ao laboratório de informática para que pesquisem diferentes símbolos religiosos e seus significados; - Propor que a turma se divida em 4 grupos, (um para cada matriz religiosa) para escolher um símbolo e expor para o restante da turma.
  • 17. Festa de dia dos mortos Festival de Tradições de Vida e Morte todo ano, de 30 de outubro a 02 de novembro Comemorado em 15 de agosto (e no dia 15 de julho, na região de Kanto), o dia é um momento especial, no qual os japoneses prestam homenagens aos seus ancestrais Trata-se de uma celebração de origem indígena, há relatos que os Astecas, Maias, Purépechas, Náuatles e Totonacas praticavam este culto que celebra a vida dos ancestrais, pelo menos há três mil anos.
  • 18. Sugestão de atividade - Roda de conversa sobre o filme; -Pesquisa sobre o dia dos mortos (finados) no Brasil; - Permitir que os alunos falem sobre as festas religiosas populares da sua comunidade(carnaval, festa junina, folia de reis, lavagem das escadarias, etc.); - Pedir que, aqueles que tiverem, alguma foto de festas religiosas populares tragam para fazer uma exposição na sala de aula.
  • 19. SUGESTÃO DE BLOGS Professora Adriana ensinoreligiosoemsala.blogspot.com.br Professora Karin profkarinensinoreligioso.blogspot.com.br Professora Eliane pluralreligioso.blogspot.com.br
  • 20. Sugestão de vídeos para abordagem: Série “Sagrado” – youtube
  • 21. Grata por sua participação!! Karin Willms ensinoreligioso@sme.curitiba.pr.gov.br 3350-3153