SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 53
BIOSSEGURANÇA
1
PROFª. ANDRIELLY FERNANDA
CONTEUDOS DA DISCIPLINA
Conceitos
Risco em Clinicas de Estética
Medidas de contenção de Risco
Normas básicas de Biossegurança
Procedimentos de limpeza e esterelização de artigos
Normas de segurança utilizadas no manuseio ,
preparo e armazenamento de produtos químicos;
Sinalização de segurança / medidas de emergência;
Níveis de Biossegurança em Saude;
Gerenciamento de residuaos em saude
Níveis de Biossegurança
2
Aula 1: Introdução a Biossegurança
3
OBJETIVOS
Após o termino da aula o aluno deverá ser capaz de:
Definir biossegurança;
Conhecer os riscos de contaminação em clínicas
de estética;
Reconhecer os principais métodos de contenção de
riscos;
Conhecer as normas básicas de Biossegurança;
Conhecer os EPIs, utilizados nas Clinicas de Estética;
Biossegurança
4
Bio (raiz grega) = vida
Segurança = estado, qualidade ou
condição de quem ou do que está livre de
perigos, incertezas; situação em que nada há
a temer.
Biossegurança = Segurança da vida
Medidas de Biossegurança
Conjunto de procedimentos, ações, técnicas,
metodologias, equipamentos e dispositivos
capazes de ELIMINAR OU MINIMIZAR
RISCOS inerentes as atividades profissionais
que podem comprometer a saúde do homem,
dos animais, do meio ambiente ou a
qualidade
dos trabalhos desenvolvidos
6
Indústrias
• Clinicas
UBS
Universidades
Laboratório
Hospitais
Biossegurança
Risco para a Saúde
7
É qualquer fator que coloque o trabalhador
em situação vulnerável, que possa afetar
sua integridade e seu bem estar físico e
psíquico.
Atividade de risco são as capazes de
proporcionar dano, doença ou morte
TIPOS DE RISCOS
Riscos Físicos
Riscos Químicos
Riscos Biológicos
Riscos Ergonômicos
8
Risco para a Saúde
9
Riscos Físicos: formas de energia como
ruídos, vibrações, pressões anormais, radiações
ionizantes ou não, ultra e infra-som.
Riscos Biológicos: bactérias, fungos, bacilos,
parasitas, protozoários, vírus, etc.
10
Riscos Químicos: contato produtos químicos
que possam entrar no organismo do indivíduo
por via respiratória, nas formas de poeiras,
fumos, gases, neblinas, névoas ou vapores.
Riscos Ergonômicos: qualquer fator que
interfira nas características psicofisiológicas tais
como: postura inadequada que pode levar a
problemas de coluna, ritmo excessivo de
trabalho, movimentos repetitivos;
Biossegurança em Clínicas de Estética
Crescimento do mercado de estética =
exigência da qualidade dos serviços prestados =
necessidade de redução de riscos por possíveis
contaminações.
EX: Transmissão de doenças de pele podem ser contraídas
através de pincéis, pinças, extratores de comedões e
pústulas, lixas de caneta diamantada, compartilhamento
de toalhas, etc.
Procedimentos podológicos que possuem alto risco de
infecção cruzada, pois se faz o uso de alicates, cortador de
unhas, espátulas, que são instrumentais perfuro cortantes,
e há uma grande rotatividade de clientes;
Conceito: é o termo usado para descrever
os métodos de segurança utilizados na
manipulação de materiais potencialmente
perigosos para reduzir ou eliminar a
exposição da equipe de trabalho, de outras
pessoas e do meio ambiente.
Contenção de Riscos
13
Incluem 3 Pontos:
1Boas práticas nas técnicas clinicas-
laboratoriais
2O equipamento de segurança (Barreiras
primárias)
3O projeto e construção das instalações
(Barreiras secundárias)
Contenção de Riscos
Elementos de contenção
forma
1-Prática e técnicas realizadas de
adequada
Adesão rígida às práticas e técnicas padrão para
clinicas de estética (NR - ABNT, 2012)
Conscientização e treinamento para
manuseio seguro dos materiais;
Risco ao Trabalhador
Risco ao Cliente
Normas básicas de Biossegurança
O profissional deve apresentar-se ao trabalho
utilizando :
Uniforme limpo e cabelos presos;
Recomenda-senão usar jóias, bijuterias e
relógios;
As unhas aparadas, limpas e
preferencialmente sem esmalte;
Deve-se vestircalças compridas e
sapatos fechados.
As mãos devem estar sempre higienizadas;
15
Higienização das mãos
16
É a medida individual mais simples e menos
dispendiosa para prevenir a propagação das
infecções relacionadas à assistência à saúde.
Higienização das mãos = lavagem das mãos
Indicação da lavagem das mãos
17
após tocar fluidos, secreções e itens contaminados;
após a retirada das luvas;
antes de procedimentos no cliente;
entre contatos com clientes;
antes e depois de atos fisiológicos;
Antes de iniciar qualquer uma dessas técnicas, é
necessário retirar jóias (anéis, pulseiras, relógio),
pois sob tais objetos podem acumular
microrganismos. (Exigência da NR-32)
Higienização Simples das Mãos
19
Finalidade
Remover os microrganismos que colonizam as
camadas superficiais da pele, assim como o suor,
a oleosidade e as células mortas, retirando a
sujidade que propícia à permanência e à
proliferação de microrganismos.
Duração do procedimento: 40 a 60 seg.
Na lavagem rotineira das mão o uso de sabão
neutro é o suficiente para a remoção da sujeira,
da flora transitória e parte da flora residente.
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
Importante
30
No caso de torneiras com contato manual para
fechamento, sempre utilize papel-toalha
31
Manipulação de Instrumentos e Materiais
Cortantes e de Punção
Instrumentos pérfuro-cortantes devem ser
descartados em caixas apropriadas,
rígidas e impermeáveis que devem ser
colocadas próximo a área em que os
materiais são usados.
Normas básicas de Biossegurança
32
33
Manipulação de Instrumentos e Materiais
Cortantes e de Punção
Nunca deve-se reencapar agulhas após o uso.
Não remover com as mãos agulhas usadas das
seringas descartáveis e não as quebrar
ou entortar.
Normas básicas de Biossegurança
34
Normas básicas de Biossegurança
35
Normas básicas de Biossegurança
Touca e faixas devem ser descartáveis;
Utilizar instrumentos esterilizados ou
descartáveis.
•Limpeza
•Desinfecção
•Esterilização
Calor
- Calor úmido (vapor sob
pressão) – Autoclave, maior
poder de penetração e redução
do número de
microrganismos.
- Calor seco - Incineração,
flambagem, ar quente (estufa)
Esterilização
AUTOCLAVE - Dispositivo selado que permite a entrada de
vapor sob pressão.
Esterilização
ESTUFA - Calor seco
Ação: desnaturação das proteínas microbiana
Esterilização
Produtos Químicos – Desinfetantes e Esterilizantes
Esterilização
Elementos de contenção
2-EQUIPAMENTOS DE SEGURANÇA -BARREIRAS PRIMÁRIAS
EPCs
EPIs
EPIs
Proteção para a cabeça
Óculos - Devem ser usados para a proteção dos
olhos, durante a manipulação de produtos químicos.
Exemplo: ao manipular tinturas e químicas para
alisamentos.
41
EPIs
Proteção para a cabeça
Máscaras - Devem ser usadas para evitar o
contato com aerossóis (lixamento plantar) contra
gases durante a manipulação de produtos químicos,
para evitar a inalação dos mesmos.
42
risco
que exista
com o sangue,
de contato
no caso das
atividades desempenhadas por
manicuros,
outros,
pedicuros,
devendo
dentre
ser
desprezadas após o uso em cada
cliente.
43
EPIs
Proteção para os membros superiores
Luvas - As luvas são de uso obrigatório
nos procedimentos potencialmente
invasivos, em
44
EPIs
Proteção para os membros superiores
Devem ser usadas, também, no
contato com produtos químicos de
ação corrosiva, cáustica, alergênica,
tóxica e térmica
(como por exemplo, as
tinturas e as composições químicas para
alisamento de cabelos).
No caso da preparação de cera quente para
depilação (quando manipulada em panela), devem
ser usadas luvas resistentes ao calor (couro) até a
altura dos cotovelos, devido ao risco de
EPIs
Escolha das luvas
Natureza do risco
Agentes de risco
Tipos de atividades a serem executadas
Luvas de algodão e tecido
Luvas de látex
Luvas borracha natural, neoprene, nitrílicas,
buton (mais resistentes).
Tamanho adequado às mãos
Proteção do tronco
Aventais -
Devem ser usados
aventais
impermeáveis, resistentes
aos
produtos químicos e
ao calor, capase
ou outras vestimentas para
situações
em que haja risco de lesões
provocadas por agentes químicos
46
EPIs
Proteção para membros inferiores
Sapatos - Usar sapatos fechados. Calçados impermeáveis
impermeáveis e
para trabalhos realizados em lugares úmidos; calçados
resistentes a agentes químicos agressivos;
calçados de proteção contra agentes biológicos agressivos e
calçados de proteção contra riscos de origem elétrica
47
EPIs
Elementos de contenção
3-PROJETO E CONSTRUÇÃO DAS INSTALAÇÕES
(BARREIRAS SECUNDÁRIAS)
Gerência-zelar para que as instalações estejam de
acordo com o funcionamento da Clinica e com o nível
de Biossegurança recomendado para os agentes ali
manipulados. Podem Incluir:
Isolamento da área de trabalho para acesso ao
público
Dependência para descontaminação (autoclave)
Dependências para lavagem de mãos
Obs: Independente do nível de
biossegurança deve haver uma pia para
lavagem de mãos
49
Todo estabelecimento de beleza devem respeitar as
seguintes normas sanitárias:
Possuir paredes e pisos lisos e impermeáveis para não acumular
microorganismos, poeira ou resquícios de secreções;
Deve ter: lixeira de pedal com saco plástico para descarte de
material contaminado, lavatório com sabonete líquido e papel
toalha.
Maca com superfície lisa ou lavável, forrada de lençol TNT ou
papel branco (resistente). Todos descartáveis devem ser trocados
a cada cliente.
Mesa auxiliar (carrinho) com superfície lisa e lavável, para
acomodar bandeja forrada com papel toalha para os materiais de
uso;
50
Elementos de contenção
Atividade 1
Pesquise
clinicas
sobre boas praticas em laboratórios e
(Anvisa) e monte um manual sobre os
principais cuidados que devem ser observados no
dia-a-dia de uma clinica de estética.
Exemplo
Higiene ambiental:Piso,
mobiliário, banheiros, portas
e paredes, roupas,
limpeza de filtro de ar
condicionado, etc.
Procedimentos de limpeza e
esterilizaçãode materiais
51
Atividade 2
Pesquise sobre os EPIs e elabore um folder para fazer
uma campanha de conscientização na sua clinica
sobre o tipo e função dos seguintes itens:
Luvas;
Aventais;
Mascara;
Óculos de proteção;
52
53
“Nenhum trabalho é tão urgente, que não
possa ser planejado e executado com
segurança”
“Você é responsável pela sua segurança
e dos seus colegas”
Biossegurança
Responsabilidades

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Esterilização e desinfecção
Esterilização e desinfecção Esterilização e desinfecção
Esterilização e desinfecção
dapab
 
Aula biossegurança
Aula biossegurançaAula biossegurança
Aula biossegurança
Renatbar
 
Limpeza e preparo de materiais para esterilização - Central de Material Ester...
Limpeza e preparo de materiais para esterilização - Central de Material Ester...Limpeza e preparo de materiais para esterilização - Central de Material Ester...
Limpeza e preparo de materiais para esterilização - Central de Material Ester...
Teresa Oliveira
 
Aula residuos de serviços da saúde
Aula   residuos de serviços da saúdeAula   residuos de serviços da saúde
Aula residuos de serviços da saúde
santhdalcin
 
Biossegurança na enfermagem
Biossegurança na enfermagemBiossegurança na enfermagem
Biossegurança na enfermagem
Juliana Maciel
 
Comissão de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH)
 Comissão de  Controle de Infecção Hospitalar (CCIH) Comissão de  Controle de Infecção Hospitalar (CCIH)
Comissão de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH)
ivanaferraz
 

Mais procurados (20)

Esterilização e desinfecção
Esterilização e desinfecção Esterilização e desinfecção
Esterilização e desinfecção
 
Aula 2. boas práticas biossegurança
Aula 2. boas práticas biossegurançaAula 2. boas práticas biossegurança
Aula 2. boas práticas biossegurança
 
Aula 4 biossegurança ii
Aula 4   biossegurança iiAula 4   biossegurança ii
Aula 4 biossegurança ii
 
Aula biossegurança
Aula biossegurançaAula biossegurança
Aula biossegurança
 
Limpeza e preparo de materiais para esterilização - Central de Material Ester...
Limpeza e preparo de materiais para esterilização - Central de Material Ester...Limpeza e preparo de materiais para esterilização - Central de Material Ester...
Limpeza e preparo de materiais para esterilização - Central de Material Ester...
 
Treinamento de política de higienização das mãos
Treinamento de política de higienização das mãos Treinamento de política de higienização das mãos
Treinamento de política de higienização das mãos
 
Biossegurança
BiossegurançaBiossegurança
Biossegurança
 
Aula residuos de serviços da saúde
Aula   residuos de serviços da saúdeAula   residuos de serviços da saúde
Aula residuos de serviços da saúde
 
Biossegurança
BiossegurançaBiossegurança
Biossegurança
 
Biossegurana 2012
Biossegurana 2012Biossegurana 2012
Biossegurana 2012
 
Biossegurança na enfermagem
Biossegurança na enfermagemBiossegurança na enfermagem
Biossegurança na enfermagem
 
Limpeza, desinfecção e esterilização de artigos como medidas de prevenção e c...
Limpeza, desinfecção e esterilização de artigos como medidas de prevenção e c...Limpeza, desinfecção e esterilização de artigos como medidas de prevenção e c...
Limpeza, desinfecção e esterilização de artigos como medidas de prevenção e c...
 
nr-32.ppt
nr-32.pptnr-32.ppt
nr-32.ppt
 
Desinfecção e Esterilização
Desinfecção e EsterilizaçãoDesinfecção e Esterilização
Desinfecção e Esterilização
 
Comissão de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH)
 Comissão de  Controle de Infecção Hospitalar (CCIH) Comissão de  Controle de Infecção Hospitalar (CCIH)
Comissão de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH)
 
Avaliação da cena e da vítima
Avaliação da cena e da vítimaAvaliação da cena e da vítima
Avaliação da cena e da vítima
 
Aula 1 biossegurança e mais fundamentos
Aula 1   biossegurança e mais fundamentosAula 1   biossegurança e mais fundamentos
Aula 1 biossegurança e mais fundamentos
 
Assepsia+e
Assepsia+eAssepsia+e
Assepsia+e
 
Assepsia e antissepsia
Assepsia e antissepsiaAssepsia e antissepsia
Assepsia e antissepsia
 
Aula Central de material Esterilizado
Aula Central de material EsterilizadoAula Central de material Esterilizado
Aula Central de material Esterilizado
 

Semelhante a BIOSSEGURANÇA.ppt

Aula 8 - LIMPEZA, DESINFECÇÃO E ESTERILIZAÇÃO OK.pdf
Aula 8 - LIMPEZA, DESINFECÇÃO E ESTERILIZAÇÃO OK.pdfAula 8 - LIMPEZA, DESINFECÇÃO E ESTERILIZAÇÃO OK.pdf
Aula 8 - LIMPEZA, DESINFECÇÃO E ESTERILIZAÇÃO OK.pdf
HerikaValenzuelaferr
 

Semelhante a BIOSSEGURANÇA.ppt (20)

Aula biossegurança dna
Aula biossegurança   dnaAula biossegurança   dna
Aula biossegurança dna
 
Aula 03.pdf
Aula 03.pdfAula 03.pdf
Aula 03.pdf
 
2ªaula - biossegurana.ppt
2ªaula  -  biossegurana.ppt2ªaula  -  biossegurana.ppt
2ªaula - biossegurana.ppt
 
Aula biossegurança 2
Aula biossegurança 2Aula biossegurança 2
Aula biossegurança 2
 
Aula esterilizacao
Aula esterilizacaoAula esterilizacao
Aula esterilizacao
 
Biosseguranca 2012
Biosseguranca 2012Biosseguranca 2012
Biosseguranca 2012
 
Biossegurana 2012
Biossegurana 2012Biossegurana 2012
Biossegurana 2012
 
K_AISA_Aula4_biosseguranca.pdf
K_AISA_Aula4_biosseguranca.pdfK_AISA_Aula4_biosseguranca.pdf
K_AISA_Aula4_biosseguranca.pdf
 
Aula_CME_Atualizada.pptx
Aula_CME_Atualizada.pptxAula_CME_Atualizada.pptx
Aula_CME_Atualizada.pptx
 
AULA DE BISSEGURANÇA TURMA DE ENFERMAGEM E FARMÁCIA
AULA DE BISSEGURANÇA TURMA DE ENFERMAGEM  E FARMÁCIAAULA DE BISSEGURANÇA TURMA DE ENFERMAGEM  E FARMÁCIA
AULA DE BISSEGURANÇA TURMA DE ENFERMAGEM E FARMÁCIA
 
introdução semiologia
introdução semiologiaintrodução semiologia
introdução semiologia
 
Biosegurança.pdf
Biosegurança.pdfBiosegurança.pdf
Biosegurança.pdf
 
Biosseguranca_ambiente_cirurgico.pptx
Biosseguranca_ambiente_cirurgico.pptxBiosseguranca_ambiente_cirurgico.pptx
Biosseguranca_ambiente_cirurgico.pptx
 
processodeesterilizaodemateriaismdicoshospitalares-240313195632-86dbc181.pdf
processodeesterilizaodemateriaismdicoshospitalares-240313195632-86dbc181.pdfprocessodeesterilizaodemateriaismdicoshospitalares-240313195632-86dbc181.pdf
processodeesterilizaodemateriaismdicoshospitalares-240313195632-86dbc181.pdf
 
Processo de esterilização de materiais médicos_hospitalares.pptx
Processo de esterilização de materiais médicos_hospitalares.pptxProcesso de esterilização de materiais médicos_hospitalares.pptx
Processo de esterilização de materiais médicos_hospitalares.pptx
 
Biossegurança
BiossegurançaBiossegurança
Biossegurança
 
Aula de Biossegurança em ambientes de Saúde
Aula de Biossegurança em ambientes de SaúdeAula de Biossegurança em ambientes de Saúde
Aula de Biossegurança em ambientes de Saúde
 
Aula 8 - LIMPEZA, DESINFECÇÃO E ESTERILIZAÇÃO OK.pdf
Aula 8 - LIMPEZA, DESINFECÇÃO E ESTERILIZAÇÃO OK.pdfAula 8 - LIMPEZA, DESINFECÇÃO E ESTERILIZAÇÃO OK.pdf
Aula 8 - LIMPEZA, DESINFECÇÃO E ESTERILIZAÇÃO OK.pdf
 
5 epi epc
5 epi epc5 epi epc
5 epi epc
 
Esterilizantes slides (2)
Esterilizantes   slides (2)Esterilizantes   slides (2)
Esterilizantes slides (2)
 

Mais de AndriellyFernanda1 (13)

segurança do paciente.ppt
segurança do paciente.pptsegurança do paciente.ppt
segurança do paciente.ppt
 
1 WEBINAR CULTURA DE PREV INFECÇÃO 21012016.ppt
1 WEBINAR CULTURA DE PREV INFECÇÃO 21012016.ppt1 WEBINAR CULTURA DE PREV INFECÇÃO 21012016.ppt
1 WEBINAR CULTURA DE PREV INFECÇÃO 21012016.ppt
 
Cultura de Segurança do Paciente por onde começar_Final.ppt
Cultura de Segurança do Paciente por onde começar_Final.pptCultura de Segurança do Paciente por onde começar_Final.ppt
Cultura de Segurança do Paciente por onde começar_Final.ppt
 
aulaacessosvenosos-140517001241-phpapp01.pdf
aulaacessosvenosos-140517001241-phpapp01.pdfaulaacessosvenosos-140517001241-phpapp01.pdf
aulaacessosvenosos-140517001241-phpapp01.pdf
 
SISTEMA TEGUMENTAR.ppt
SISTEMA TEGUMENTAR.pptSISTEMA TEGUMENTAR.ppt
SISTEMA TEGUMENTAR.ppt
 
DEPILAÇÃO A LASER - PUC.pptx
DEPILAÇÃO A LASER - PUC.pptxDEPILAÇÃO A LASER - PUC.pptx
DEPILAÇÃO A LASER - PUC.pptx
 
PSICOLOGIA_APLICADA_A_ESTETICA_APOSTILA.ppt
PSICOLOGIA_APLICADA_A_ESTETICA_APOSTILA.pptPSICOLOGIA_APLICADA_A_ESTETICA_APOSTILA.ppt
PSICOLOGIA_APLICADA_A_ESTETICA_APOSTILA.ppt
 
TECNICAS DE BANHO.ppt
TECNICAS DE BANHO.pptTECNICAS DE BANHO.ppt
TECNICAS DE BANHO.ppt
 
psicologiadodesenvolvimento-160417000111.pdf
psicologiadodesenvolvimento-160417000111.pdfpsicologiadodesenvolvimento-160417000111.pdf
psicologiadodesenvolvimento-160417000111.pdf
 
priscilaferrari-final-150628021110-lva1-app6891-convertido.pptx
priscilaferrari-final-150628021110-lva1-app6891-convertido.pptxpriscilaferrari-final-150628021110-lva1-app6891-convertido.pptx
priscilaferrari-final-150628021110-lva1-app6891-convertido.pptx
 
Sistema Linfático aula 1.ppt
Sistema Linfático aula 1.pptSistema Linfático aula 1.ppt
Sistema Linfático aula 1.ppt
 
criofrequencia.pdf
criofrequencia.pdfcriofrequencia.pdf
criofrequencia.pdf
 
carboxiterapia 4p estetica.ppt
carboxiterapia 4p estetica.pptcarboxiterapia 4p estetica.ppt
carboxiterapia 4p estetica.ppt
 

BIOSSEGURANÇA.ppt

  • 2. CONTEUDOS DA DISCIPLINA Conceitos Risco em Clinicas de Estética Medidas de contenção de Risco Normas básicas de Biossegurança Procedimentos de limpeza e esterelização de artigos Normas de segurança utilizadas no manuseio , preparo e armazenamento de produtos químicos; Sinalização de segurança / medidas de emergência; Níveis de Biossegurança em Saude; Gerenciamento de residuaos em saude Níveis de Biossegurança 2
  • 3. Aula 1: Introdução a Biossegurança 3 OBJETIVOS Após o termino da aula o aluno deverá ser capaz de: Definir biossegurança; Conhecer os riscos de contaminação em clínicas de estética; Reconhecer os principais métodos de contenção de riscos; Conhecer as normas básicas de Biossegurança; Conhecer os EPIs, utilizados nas Clinicas de Estética;
  • 4. Biossegurança 4 Bio (raiz grega) = vida Segurança = estado, qualidade ou condição de quem ou do que está livre de perigos, incertezas; situação em que nada há a temer. Biossegurança = Segurança da vida
  • 5. Medidas de Biossegurança Conjunto de procedimentos, ações, técnicas, metodologias, equipamentos e dispositivos capazes de ELIMINAR OU MINIMIZAR RISCOS inerentes as atividades profissionais que podem comprometer a saúde do homem, dos animais, do meio ambiente ou a qualidade dos trabalhos desenvolvidos
  • 7. Risco para a Saúde 7 É qualquer fator que coloque o trabalhador em situação vulnerável, que possa afetar sua integridade e seu bem estar físico e psíquico. Atividade de risco são as capazes de proporcionar dano, doença ou morte
  • 8. TIPOS DE RISCOS Riscos Físicos Riscos Químicos Riscos Biológicos Riscos Ergonômicos 8 Risco para a Saúde
  • 9. 9 Riscos Físicos: formas de energia como ruídos, vibrações, pressões anormais, radiações ionizantes ou não, ultra e infra-som. Riscos Biológicos: bactérias, fungos, bacilos, parasitas, protozoários, vírus, etc.
  • 10. 10 Riscos Químicos: contato produtos químicos que possam entrar no organismo do indivíduo por via respiratória, nas formas de poeiras, fumos, gases, neblinas, névoas ou vapores. Riscos Ergonômicos: qualquer fator que interfira nas características psicofisiológicas tais como: postura inadequada que pode levar a problemas de coluna, ritmo excessivo de trabalho, movimentos repetitivos;
  • 11. Biossegurança em Clínicas de Estética Crescimento do mercado de estética = exigência da qualidade dos serviços prestados = necessidade de redução de riscos por possíveis contaminações. EX: Transmissão de doenças de pele podem ser contraídas através de pincéis, pinças, extratores de comedões e pústulas, lixas de caneta diamantada, compartilhamento de toalhas, etc. Procedimentos podológicos que possuem alto risco de infecção cruzada, pois se faz o uso de alicates, cortador de unhas, espátulas, que são instrumentais perfuro cortantes, e há uma grande rotatividade de clientes;
  • 12. Conceito: é o termo usado para descrever os métodos de segurança utilizados na manipulação de materiais potencialmente perigosos para reduzir ou eliminar a exposição da equipe de trabalho, de outras pessoas e do meio ambiente. Contenção de Riscos
  • 13. 13 Incluem 3 Pontos: 1Boas práticas nas técnicas clinicas- laboratoriais 2O equipamento de segurança (Barreiras primárias) 3O projeto e construção das instalações (Barreiras secundárias) Contenção de Riscos
  • 14. Elementos de contenção forma 1-Prática e técnicas realizadas de adequada Adesão rígida às práticas e técnicas padrão para clinicas de estética (NR - ABNT, 2012) Conscientização e treinamento para manuseio seguro dos materiais; Risco ao Trabalhador Risco ao Cliente
  • 15. Normas básicas de Biossegurança O profissional deve apresentar-se ao trabalho utilizando : Uniforme limpo e cabelos presos; Recomenda-senão usar jóias, bijuterias e relógios; As unhas aparadas, limpas e preferencialmente sem esmalte; Deve-se vestircalças compridas e sapatos fechados. As mãos devem estar sempre higienizadas; 15
  • 16. Higienização das mãos 16 É a medida individual mais simples e menos dispendiosa para prevenir a propagação das infecções relacionadas à assistência à saúde. Higienização das mãos = lavagem das mãos
  • 17. Indicação da lavagem das mãos 17 após tocar fluidos, secreções e itens contaminados; após a retirada das luvas; antes de procedimentos no cliente; entre contatos com clientes; antes e depois de atos fisiológicos;
  • 18. Antes de iniciar qualquer uma dessas técnicas, é necessário retirar jóias (anéis, pulseiras, relógio), pois sob tais objetos podem acumular microrganismos. (Exigência da NR-32)
  • 19. Higienização Simples das Mãos 19 Finalidade Remover os microrganismos que colonizam as camadas superficiais da pele, assim como o suor, a oleosidade e as células mortas, retirando a sujidade que propícia à permanência e à proliferação de microrganismos. Duração do procedimento: 40 a 60 seg. Na lavagem rotineira das mão o uso de sabão neutro é o suficiente para a remoção da sujeira, da flora transitória e parte da flora residente.
  • 20. 20
  • 21. 21
  • 22. 22
  • 23. 23
  • 24. 24
  • 25. 25
  • 26. 26
  • 27. 27
  • 28. 28
  • 29. 29
  • 30. Importante 30 No caso de torneiras com contato manual para fechamento, sempre utilize papel-toalha
  • 31. 31 Manipulação de Instrumentos e Materiais Cortantes e de Punção Instrumentos pérfuro-cortantes devem ser descartados em caixas apropriadas, rígidas e impermeáveis que devem ser colocadas próximo a área em que os materiais são usados. Normas básicas de Biossegurança
  • 32. 32
  • 33. 33 Manipulação de Instrumentos e Materiais Cortantes e de Punção Nunca deve-se reencapar agulhas após o uso. Não remover com as mãos agulhas usadas das seringas descartáveis e não as quebrar ou entortar. Normas básicas de Biossegurança
  • 34. 34 Normas básicas de Biossegurança
  • 35. 35 Normas básicas de Biossegurança Touca e faixas devem ser descartáveis; Utilizar instrumentos esterilizados ou descartáveis. •Limpeza •Desinfecção •Esterilização
  • 36. Calor - Calor úmido (vapor sob pressão) – Autoclave, maior poder de penetração e redução do número de microrganismos. - Calor seco - Incineração, flambagem, ar quente (estufa) Esterilização
  • 37. AUTOCLAVE - Dispositivo selado que permite a entrada de vapor sob pressão. Esterilização
  • 38. ESTUFA - Calor seco Ação: desnaturação das proteínas microbiana Esterilização
  • 39. Produtos Químicos – Desinfetantes e Esterilizantes Esterilização
  • 40. Elementos de contenção 2-EQUIPAMENTOS DE SEGURANÇA -BARREIRAS PRIMÁRIAS EPCs EPIs
  • 41. EPIs Proteção para a cabeça Óculos - Devem ser usados para a proteção dos olhos, durante a manipulação de produtos químicos. Exemplo: ao manipular tinturas e químicas para alisamentos. 41
  • 42. EPIs Proteção para a cabeça Máscaras - Devem ser usadas para evitar o contato com aerossóis (lixamento plantar) contra gases durante a manipulação de produtos químicos, para evitar a inalação dos mesmos. 42
  • 43. risco que exista com o sangue, de contato no caso das atividades desempenhadas por manicuros, outros, pedicuros, devendo dentre ser desprezadas após o uso em cada cliente. 43 EPIs Proteção para os membros superiores Luvas - As luvas são de uso obrigatório nos procedimentos potencialmente invasivos, em
  • 44. 44 EPIs Proteção para os membros superiores Devem ser usadas, também, no contato com produtos químicos de ação corrosiva, cáustica, alergênica, tóxica e térmica (como por exemplo, as tinturas e as composições químicas para alisamento de cabelos). No caso da preparação de cera quente para depilação (quando manipulada em panela), devem ser usadas luvas resistentes ao calor (couro) até a altura dos cotovelos, devido ao risco de
  • 45. EPIs Escolha das luvas Natureza do risco Agentes de risco Tipos de atividades a serem executadas Luvas de algodão e tecido Luvas de látex Luvas borracha natural, neoprene, nitrílicas, buton (mais resistentes). Tamanho adequado às mãos
  • 46. Proteção do tronco Aventais - Devem ser usados aventais impermeáveis, resistentes aos produtos químicos e ao calor, capase ou outras vestimentas para situações em que haja risco de lesões provocadas por agentes químicos 46 EPIs
  • 47. Proteção para membros inferiores Sapatos - Usar sapatos fechados. Calçados impermeáveis impermeáveis e para trabalhos realizados em lugares úmidos; calçados resistentes a agentes químicos agressivos; calçados de proteção contra agentes biológicos agressivos e calçados de proteção contra riscos de origem elétrica 47 EPIs
  • 48. Elementos de contenção 3-PROJETO E CONSTRUÇÃO DAS INSTALAÇÕES (BARREIRAS SECUNDÁRIAS) Gerência-zelar para que as instalações estejam de acordo com o funcionamento da Clinica e com o nível de Biossegurança recomendado para os agentes ali manipulados. Podem Incluir: Isolamento da área de trabalho para acesso ao público Dependência para descontaminação (autoclave) Dependências para lavagem de mãos Obs: Independente do nível de biossegurança deve haver uma pia para lavagem de mãos
  • 49. 49
  • 50. Todo estabelecimento de beleza devem respeitar as seguintes normas sanitárias: Possuir paredes e pisos lisos e impermeáveis para não acumular microorganismos, poeira ou resquícios de secreções; Deve ter: lixeira de pedal com saco plástico para descarte de material contaminado, lavatório com sabonete líquido e papel toalha. Maca com superfície lisa ou lavável, forrada de lençol TNT ou papel branco (resistente). Todos descartáveis devem ser trocados a cada cliente. Mesa auxiliar (carrinho) com superfície lisa e lavável, para acomodar bandeja forrada com papel toalha para os materiais de uso; 50 Elementos de contenção
  • 51. Atividade 1 Pesquise clinicas sobre boas praticas em laboratórios e (Anvisa) e monte um manual sobre os principais cuidados que devem ser observados no dia-a-dia de uma clinica de estética. Exemplo Higiene ambiental:Piso, mobiliário, banheiros, portas e paredes, roupas, limpeza de filtro de ar condicionado, etc. Procedimentos de limpeza e esterilizaçãode materiais 51
  • 52. Atividade 2 Pesquise sobre os EPIs e elabore um folder para fazer uma campanha de conscientização na sua clinica sobre o tipo e função dos seguintes itens: Luvas; Aventais; Mascara; Óculos de proteção; 52
  • 53. 53 “Nenhum trabalho é tão urgente, que não possa ser planejado e executado com segurança” “Você é responsável pela sua segurança e dos seus colegas” Biossegurança Responsabilidades