SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 26
Sistema
Linfático
DOCENTE: ANDRIELLY FERNANDA
Sistema Linfático
o O sistema linfático tem a função de absorver e filtrar os líquidos e proteínas no interstício,
devolvendo para o plasma.
o O coração bombeia o sangue para todo o corpo, e esse sangue retorna para ele com auxilio do
sistema venoso e linfático. Tem-se então um sistema de irrigação (arterial), e dois sistemas de
drenagem (venoso e linfático).
o A circulação sanguínea e linfática estão intimamente ligadas. As moléculas pequenas vão em sua
maioria, diretamente para o sangue, conduzidas pelos capilares sanguíneos; já as grandes
partícula alcançam a circulação em grande parte através de reabsorção venosa pelo sistema
linfático.
Sistema Linfático
o O liquido rico em elementos nutritivos, deixa a luz do capilar arterial, chega no meio
intersticial e banha as células. Elas retiram o que precisam para o seu metabolismo, e
eliminam os produtos de degradação celular. Em seguida esse liquido intersticial é
reabsorvido pela rede de capilares venosos.
o Existe um excesso de eliminação em relação a reabsorção venosa (sobra liquido). O liquido
excedente que banha as células, no meio intersticial, e as macromoléculas são absorvidas pelo
sistema linfático, e denomina-se então, linfa.
A Linfa
“ O aspecto incolor da linfa certamente contribui para que lhe fosse atribuído um papel discreto, a
principio, e teve de esperar muito tempo ate que os pesquisadores realmente se interessassem por
ele.” LEDUC
o A linfa é um líquido que se acumula no espaço intersticial, ou seja, entre os tecidos e que está
presente nos vasos linfáticos.
o Sua composição é semelhante a do plasma, exceto pela baixa concentração de proteínas. Possui
grande quantidade de leucócitos, particularmente linfócitos.
o Geralmente é um líquido claro, porém a do intestino delgado torna-se leitosa pela ação dos lipídios
digestivos.
o A Linfa é reabsorvida por vãos linfáticos distribuídos por todo o corpo. Através destes vasos, a linfa
é carregada ate os gânglios linfáticos onde é filtrada, e devolvida para o sangue posteriormente.
Componentes do sistema linfático
O sistema linfático é composto por:
1. Capilares linfáticos;
2. Vasos linfáticos;
3. Ductos linfáticos;
4. Linfonodos.
Capilares linfáticos
o São os menores vasos condutores do sistema linfático e consistem de tubos
de paredes finas formadas por uma única camada de células endoteliais
superpostas.
o As células superpostas agem como valvas formando aberturas nos capilares
por onde o líquido entra. Quando se fecham, evitam o refluxo para fora.
o São os capilares linfáticos que dão origem aos vasos linfáticos.
Vasos linfáticos
Os vasos linfáticos encontram-se dispostos em dois planos,
um superficial e outro profundo. Podem comunicar-se por
anastomoses linfáticas (canais), onde os vasos coletores
acabam por se reunir os coletores profundos.
Originados dos capilares, possuem paredes de 3 camadas,
semelhantes as paredes das veias, e um número maior de
valvas, que permitem a linfa fluir em uma única direção.
Vasos linfáticos
CAPILAR (aspirador):
o Tem origem no interstício;
o Transportam a linfa do espaço intersticial ate os vasos linfáticos;
o São formados por células justapostas;
o São presos ao tecido conjuntivo circundante por meio de filamentos de sustentação;
o Quando a pressão intersticial aumenta, os filamentos de sustentação são tensionados,
abrindo luz do canal linfático e facilitando a reabsorção;
o São permeáveis a grandes moléculas;
o O citoplasma das células que compõem a membrana dos capilares linfáticos contem
actomiosina (proteínas musculares).
Vasos linfáticos
PRÉ COLETORES:
 Possuem válvulas, diferente dos vasos linfáticos iniciais e precedem os coletores. (válvulas =
impedem o refluxo).
COLETORES:
 Conduzem a linfa ate os gânglios ou linfonodos;
 Dão origem aos canais linfáticos;
 Porção entre duas válvulas: denomina-se linfangion – unidade contrátil;
TRONCOS LINFÁTICOS:
 Vasos de maior calibre;
 DUCTO TORÁCICO (veia subclávia E) o DUCTO LINFATICO DIREITO (veia subclávia D)
Bombas linfáticas
São ações bombeadoras da linfa:
1. Ação dos músculos esqueléticos sobre os vasos.
2. Variações de pressão decorrentes da respiração.
3. Contração da musculatura lisa dos vasos.
4. Formação de nova linfa, empurrando a velha.
Ductos linfáticos
Ducto torácico: É o maior vaso linfático do corpo. Se origina
no abdome e desemboca na veia subclávia esquerda na sua
junção com a veia jugular interna esquerda. Linfonodos
Vasos Linfáticos.
Ducto linfático direito: Possui aproximadamente 4 cm de
comprimento e desemboca na veia subclávia direita em sua
junção com a veia jugular interna direita.
Funções do sistema linfático
O sistema linfático possui 3 funções básicas:
1. Conservação das proteínas plasmáticas: A circulação da linfa faz voltar à corrente
sanguínea substâncias vitais que escapam dos capilares, como proteínas.
2. Absorção de lipídios: Os vasos linfáticos intestinais são as vias de absorção de
lipídios.
3. Defesa contra doenças: O sistema linfático protege o corpo contra microrganismos
e outros agentes invasores de 2 maneiras:
a) Pela fagocitose: Processo de englobamento e digestão de material estranho.
b) Pela resposta imunológica: 2 tipos de linfócitos proliferam em resposta ao
contato com substâncias estranhas, dando origem a células que fabricam anticorpos
Importância do fluxo de Linfa
Foi estimado, a partir de pesquisas, que cerca de 50% da proteína
perdida nos capilares é recuperada pela circulação linfática.
A drenagem insuficiente pode levar a um acúmulo de líquido
intersticial denominado edema.
Alguns Lifedemas podem causar deformidades. Um exemplo é a
Elefantíase, um linfedema ocasionado pelo bloqueio dos vasos
linfáticos.
Linfonodos ou gânglios linfáticos
A principal função do gânglio linfático é a preservação do organismo contra
qualquer agressão de substancias estranhas. São encontrados em maior
quantidade em pescoço, clavícula, axilas, abdômen e região inguinal.
Possuem forma oval em cerca de 1 a 20 mm de comprimento, podendo ser
gânglios linfáticos superficiais e profundos.
Os gânglios POSSUEM CELULAS DE DEFESA que destroem as toxinas
acompanhantes da linfa, impedindo a propagação destes pelo corpo. Possui
então, função imunológica.
Linfonodos ou gânglios linfáticos
Sua função é criar uma barreira ou filtro contra a
penetração, na corrente sanguínea, de microrganismos,
toxinas ou substâncias estranhas e/ou nocivas ao
organismo.
Como resposta a uma inflamação, o linfonodo pode
aumentar de tamanho e tornar-se doloroso formando o que
vulgarmente se conhece como íngua.
Órgãos relacionados ao sistema linfático
São 3 os órgãos relacionados ao sistema linfático, e todos são
caracterizados pela presença de tecido linfoide e Linfócitos.
1) Baço
2) Timo
3) Tonsilas
O baço
Localização e estrutura: O baço é um órgão oval com
aproximadamente 12 cm de comprimento por 7 cm de largura e
pesa cerca de 200 g. Está localizado na parte superior esquerda
da cavidade abdominal, logo abaixo do m. diafragma.
A região por onde entram e saem os vasos no baço é chamada
de hilo esplênico.
Seu corpo é revestido por uma cápsula de tecido fibroelástico e
algumas células musculares lisas.
Funções do baço
O baço possui 4 funções básicas:
1. Destruição do sangue: Os eritrócitos “velhos” (120 dias) são destruídos, na sua maioria, no
baço.
2. Função imunológica: O baço, junto com outros tecidos linfóides, participa na resposta
imune.
3. Armazenamento de sangue: O baço atua como um reservatório de sangue, mais
precisamente de eritrócitos, e os libera de acordo com a demanda.
4. Filtragem de sangue: O baço filtra microrganismos do sangue no mecanismo de defesa do
corpo.
Tonsilas
Vários grupos de tonsilas formam um anel de tecido linfóide que
protegem a entrada dos tratos, alimentar e respiratório contra
microrganismos.
As tonsilas que compõem esse anel são:
1. Tonsilas palatinas (amígdalas)
2. Tonsilas faríngeas (adenóide)
3. Tonsilas linguais
O timo
O timo é uma glândula que participa da regulação da defesa imunológica do
organismo. É considerado um órgão linfoide primário
O timo é um órgão achatado com 2 lobos localizado na parte ântero-superior
da cavidade torácica na frente da a. aorta e atrás do osso esterno.
Atua no desenvolvimento de sistema imunológico e é desproporcional em
relação ao corpo durante o período fetal e nos primeiros 2 anos de vida.
Ele aumenta de tamanho até a puberdade, quando então, começa a atrofiar.
Resposta imunológica
A resposta imunológica protege nosso corpo contra a invasão de
microrganismos infecciosos e identifica e destrói qualquer coisa considerada
“estranha” como órgãos transplantados e células malignas.
Existem 2 sistemas imunológicos distintos:
1. Sistema de linfócitos B, que atuam em infecções bacterianas agudas
(estreptococos).
2. Sistema de linfócitos T, que atuam em infecções bacterianas crônicas
(tuberculose).

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Sistema circulatorio
Sistema circulatorioSistema circulatorio
Sistema circulatorioDigux
 
Anatomia do sistema respiratório
Anatomia do sistema respiratórioAnatomia do sistema respiratório
Anatomia do sistema respiratórioFlávia Salame
 
Sistema urinario anato
Sistema urinario anatoSistema urinario anato
Sistema urinario anatocesarromero13
 
Sistema circulatorio slides da aula
Sistema circulatorio slides da aulaSistema circulatorio slides da aula
Sistema circulatorio slides da aulaFabiano Reis
 
Sistema respiratorio slides da aula
Sistema respiratorio slides da aulaSistema respiratorio slides da aula
Sistema respiratorio slides da aulaFabiano Reis
 
Aula 10 sistema circulatório - anatomia e fisiologia
Aula 10   sistema circulatório - anatomia e fisiologiaAula 10   sistema circulatório - anatomia e fisiologia
Aula 10 sistema circulatório - anatomia e fisiologiaHamilton Nobrega
 
Aula 13 sistema urinário - anatomia e fisiologia
Aula 13   sistema urinário - anatomia e fisiologiaAula 13   sistema urinário - anatomia e fisiologia
Aula 13 sistema urinário - anatomia e fisiologiaHamilton Nobrega
 
Sistema urinario apresentação de slides
Sistema urinario apresentação de slidesSistema urinario apresentação de slides
Sistema urinario apresentação de slidesFabiano Reis
 
1a aula sangue (composição, caracterização geral e origem das células sangü...
1a aula   sangue (composição, caracterização geral e origem das células sangü...1a aula   sangue (composição, caracterização geral e origem das células sangü...
1a aula sangue (composição, caracterização geral e origem das células sangü...Rodolfo Pimentel Oliveira
 
1195246600 sistema linfatico
1195246600 sistema linfatico1195246600 sistema linfatico
1195246600 sistema linfaticoPelo Siro
 
Aula 11 Sistema urinário/excretor - anatomia
Aula 11   Sistema urinário/excretor - anatomiaAula 11   Sistema urinário/excretor - anatomia
Aula 11 Sistema urinário/excretor - anatomiaHamilton Nobrega
 

Mais procurados (20)

Sistema urinário
Sistema urinárioSistema urinário
Sistema urinário
 
Sistema linfático
Sistema linfáticoSistema linfático
Sistema linfático
 
Sistema urinário
Sistema urinárioSistema urinário
Sistema urinário
 
Sistema circulatorio
Sistema circulatorioSistema circulatorio
Sistema circulatorio
 
Anatomia do sistema respiratório
Anatomia do sistema respiratórioAnatomia do sistema respiratório
Anatomia do sistema respiratório
 
Sistema urinario anato
Sistema urinario anatoSistema urinario anato
Sistema urinario anato
 
Sistema linfático
Sistema linfáticoSistema linfático
Sistema linfático
 
Sistema circulatorio slides da aula
Sistema circulatorio slides da aulaSistema circulatorio slides da aula
Sistema circulatorio slides da aula
 
Sistema respiratorio slides da aula
Sistema respiratorio slides da aulaSistema respiratorio slides da aula
Sistema respiratorio slides da aula
 
Aula 10 sistema circulatório - anatomia e fisiologia
Aula 10   sistema circulatório - anatomia e fisiologiaAula 10   sistema circulatório - anatomia e fisiologia
Aula 10 sistema circulatório - anatomia e fisiologia
 
Aula 13 sistema urinário - anatomia e fisiologia
Aula 13   sistema urinário - anatomia e fisiologiaAula 13   sistema urinário - anatomia e fisiologia
Aula 13 sistema urinário - anatomia e fisiologia
 
Cap 04 circulação e excreção
Cap 04 circulação e excreçãoCap 04 circulação e excreção
Cap 04 circulação e excreção
 
M3 fev
M3 fevM3 fev
M3 fev
 
Sistema urinario apresentação de slides
Sistema urinario apresentação de slidesSistema urinario apresentação de slides
Sistema urinario apresentação de slides
 
Sistema linfático
Sistema linfáticoSistema linfático
Sistema linfático
 
1a aula sangue (composição, caracterização geral e origem das células sangü...
1a aula   sangue (composição, caracterização geral e origem das células sangü...1a aula   sangue (composição, caracterização geral e origem das células sangü...
1a aula sangue (composição, caracterização geral e origem das células sangü...
 
Sistema cardiovascular
Sistema cardiovascular Sistema cardiovascular
Sistema cardiovascular
 
Sistema linfático
Sistema linfáticoSistema linfático
Sistema linfático
 
1195246600 sistema linfatico
1195246600 sistema linfatico1195246600 sistema linfatico
1195246600 sistema linfatico
 
Aula 11 Sistema urinário/excretor - anatomia
Aula 11   Sistema urinário/excretor - anatomiaAula 11   Sistema urinário/excretor - anatomia
Aula 11 Sistema urinário/excretor - anatomia
 

Semelhante a Sistema Linfático aula 1.ppt

Sistema linfáticovaneideceafi
Sistema linfáticovaneideceafiSistema linfáticovaneideceafi
Sistema linfáticovaneideceafiKarla Carmo
 
Sistema linfáticovaneideceafi
Sistema linfáticovaneideceafiSistema linfáticovaneideceafi
Sistema linfáticovaneideceafiKarla Carmo
 
Powerpoint Sistema Circulatório Linfático
Powerpoint Sistema Circulatório LinfáticoPowerpoint Sistema Circulatório Linfático
Powerpoint Sistema Circulatório Linfáticostoricardo
 
Sistema circulatorio
Sistema circulatorioSistema circulatorio
Sistema circulatorioMarcos Anicio
 
SISTEMA LINFATICO PDF.pdf
SISTEMA LINFATICO PDF.pdfSISTEMA LINFATICO PDF.pdf
SISTEMA LINFATICO PDF.pdfJoyce Andre
 
Powerpointsistemacirculatrio parteiii-090506093501-phpapp02
Powerpointsistemacirculatrio parteiii-090506093501-phpapp02Powerpointsistemacirculatrio parteiii-090506093501-phpapp02
Powerpointsistemacirculatrio parteiii-090506093501-phpapp02Simone Alvarenga
 
Sistema linfático.pptx
Sistema linfático.pptxSistema linfático.pptx
Sistema linfático.pptxIsauraSilva13
 
314198883-Aula-de-Sistema-Linfatico.pdf
314198883-Aula-de-Sistema-Linfatico.pdf314198883-Aula-de-Sistema-Linfatico.pdf
314198883-Aula-de-Sistema-Linfatico.pdfStefanieVilela2
 
drenagem-linftica-ps-cirrgica-apostila01.pdf
drenagem-linftica-ps-cirrgica-apostila01.pdfdrenagem-linftica-ps-cirrgica-apostila01.pdf
drenagem-linftica-ps-cirrgica-apostila01.pdfssusera83413
 
SISTEMA CIRCULATÓRIO II novo.pptx
SISTEMA CIRCULATÓRIO II novo.pptxSISTEMA CIRCULATÓRIO II novo.pptx
SISTEMA CIRCULATÓRIO II novo.pptxssuser51d27c1
 
Sistema linfático
Sistema linfáticoSistema linfático
Sistema linfáticoleiciana
 
Sistema linfático
Sistema linfáticoSistema linfático
Sistema linfáticoleiciana
 
Sangue e Linfa (cont.).pptx
Sangue e Linfa (cont.).pptxSangue e Linfa (cont.).pptx
Sangue e Linfa (cont.).pptxmariagrave
 

Semelhante a Sistema Linfático aula 1.ppt (20)

Sistema linfáticovaneideceafi
Sistema linfáticovaneideceafiSistema linfáticovaneideceafi
Sistema linfáticovaneideceafi
 
Sistema linfáticovaneideceafi
Sistema linfáticovaneideceafiSistema linfáticovaneideceafi
Sistema linfáticovaneideceafi
 
Powerpoint Sistema Circulatório Linfático
Powerpoint Sistema Circulatório LinfáticoPowerpoint Sistema Circulatório Linfático
Powerpoint Sistema Circulatório Linfático
 
Sistema circulatorio
Sistema circulatorioSistema circulatorio
Sistema circulatorio
 
Drenagem linfática
Drenagem linfática Drenagem linfática
Drenagem linfática
 
SISTEMA LINFATICO PDF.pdf
SISTEMA LINFATICO PDF.pdfSISTEMA LINFATICO PDF.pdf
SISTEMA LINFATICO PDF.pdf
 
Powerpointsistemacirculatrio parteiii-090506093501-phpapp02
Powerpointsistemacirculatrio parteiii-090506093501-phpapp02Powerpointsistemacirculatrio parteiii-090506093501-phpapp02
Powerpointsistemacirculatrio parteiii-090506093501-phpapp02
 
Sistema linfático.pptx
Sistema linfático.pptxSistema linfático.pptx
Sistema linfático.pptx
 
314198883-Aula-de-Sistema-Linfatico.pdf
314198883-Aula-de-Sistema-Linfatico.pdf314198883-Aula-de-Sistema-Linfatico.pdf
314198883-Aula-de-Sistema-Linfatico.pdf
 
drenagem-linftica-ps-cirrgica-apostila01.pdf
drenagem-linftica-ps-cirrgica-apostila01.pdfdrenagem-linftica-ps-cirrgica-apostila01.pdf
drenagem-linftica-ps-cirrgica-apostila01.pdf
 
SISTEMA CIRCULATÓRIO II novo.pptx
SISTEMA CIRCULATÓRIO II novo.pptxSISTEMA CIRCULATÓRIO II novo.pptx
SISTEMA CIRCULATÓRIO II novo.pptx
 
Trabalho anatomia
Trabalho anatomiaTrabalho anatomia
Trabalho anatomia
 
Sistema veno linfático
Sistema veno linfáticoSistema veno linfático
Sistema veno linfático
 
Trabalho de sistema linfático
Trabalho de sistema linfáticoTrabalho de sistema linfático
Trabalho de sistema linfático
 
Sistema linfático
Sistema linfáticoSistema linfático
Sistema linfático
 
Sistema linfático
Sistema linfáticoSistema linfático
Sistema linfático
 
Fisio linfático
Fisio linfáticoFisio linfático
Fisio linfático
 
2016 Frente 2 módulo 8 sistema linfático
2016 Frente 2 módulo 8 sistema linfático2016 Frente 2 módulo 8 sistema linfático
2016 Frente 2 módulo 8 sistema linfático
 
Sangue e Linfa (cont.).pptx
Sangue e Linfa (cont.).pptxSangue e Linfa (cont.).pptx
Sangue e Linfa (cont.).pptx
 
Drenagem linfática
Drenagem linfáticaDrenagem linfática
Drenagem linfática
 

Mais de AndriellyFernanda1

1 WEBINAR CULTURA DE PREV INFECÇÃO 21012016.ppt
1 WEBINAR CULTURA DE PREV INFECÇÃO 21012016.ppt1 WEBINAR CULTURA DE PREV INFECÇÃO 21012016.ppt
1 WEBINAR CULTURA DE PREV INFECÇÃO 21012016.pptAndriellyFernanda1
 
Cultura de Segurança do Paciente por onde começar_Final.ppt
Cultura de Segurança do Paciente por onde começar_Final.pptCultura de Segurança do Paciente por onde começar_Final.ppt
Cultura de Segurança do Paciente por onde começar_Final.pptAndriellyFernanda1
 
aulaacessosvenosos-140517001241-phpapp01.pdf
aulaacessosvenosos-140517001241-phpapp01.pdfaulaacessosvenosos-140517001241-phpapp01.pdf
aulaacessosvenosos-140517001241-phpapp01.pdfAndriellyFernanda1
 
DEPILAÇÃO A LASER - PUC.pptx
DEPILAÇÃO A LASER - PUC.pptxDEPILAÇÃO A LASER - PUC.pptx
DEPILAÇÃO A LASER - PUC.pptxAndriellyFernanda1
 
PSICOLOGIA_APLICADA_A_ESTETICA_APOSTILA.ppt
PSICOLOGIA_APLICADA_A_ESTETICA_APOSTILA.pptPSICOLOGIA_APLICADA_A_ESTETICA_APOSTILA.ppt
PSICOLOGIA_APLICADA_A_ESTETICA_APOSTILA.pptAndriellyFernanda1
 
psicologiadodesenvolvimento-160417000111.pdf
psicologiadodesenvolvimento-160417000111.pdfpsicologiadodesenvolvimento-160417000111.pdf
psicologiadodesenvolvimento-160417000111.pdfAndriellyFernanda1
 
priscilaferrari-final-150628021110-lva1-app6891-convertido.pptx
priscilaferrari-final-150628021110-lva1-app6891-convertido.pptxpriscilaferrari-final-150628021110-lva1-app6891-convertido.pptx
priscilaferrari-final-150628021110-lva1-app6891-convertido.pptxAndriellyFernanda1
 
carboxiterapia 4p estetica.ppt
carboxiterapia 4p estetica.pptcarboxiterapia 4p estetica.ppt
carboxiterapia 4p estetica.pptAndriellyFernanda1
 

Mais de AndriellyFernanda1 (13)

BIOSSEGURANÇA.ppt
BIOSSEGURANÇA.pptBIOSSEGURANÇA.ppt
BIOSSEGURANÇA.ppt
 
segurança do paciente.ppt
segurança do paciente.pptsegurança do paciente.ppt
segurança do paciente.ppt
 
1 WEBINAR CULTURA DE PREV INFECÇÃO 21012016.ppt
1 WEBINAR CULTURA DE PREV INFECÇÃO 21012016.ppt1 WEBINAR CULTURA DE PREV INFECÇÃO 21012016.ppt
1 WEBINAR CULTURA DE PREV INFECÇÃO 21012016.ppt
 
Cultura de Segurança do Paciente por onde começar_Final.ppt
Cultura de Segurança do Paciente por onde começar_Final.pptCultura de Segurança do Paciente por onde começar_Final.ppt
Cultura de Segurança do Paciente por onde começar_Final.ppt
 
aulaacessosvenosos-140517001241-phpapp01.pdf
aulaacessosvenosos-140517001241-phpapp01.pdfaulaacessosvenosos-140517001241-phpapp01.pdf
aulaacessosvenosos-140517001241-phpapp01.pdf
 
SISTEMA TEGUMENTAR.ppt
SISTEMA TEGUMENTAR.pptSISTEMA TEGUMENTAR.ppt
SISTEMA TEGUMENTAR.ppt
 
DEPILAÇÃO A LASER - PUC.pptx
DEPILAÇÃO A LASER - PUC.pptxDEPILAÇÃO A LASER - PUC.pptx
DEPILAÇÃO A LASER - PUC.pptx
 
PSICOLOGIA_APLICADA_A_ESTETICA_APOSTILA.ppt
PSICOLOGIA_APLICADA_A_ESTETICA_APOSTILA.pptPSICOLOGIA_APLICADA_A_ESTETICA_APOSTILA.ppt
PSICOLOGIA_APLICADA_A_ESTETICA_APOSTILA.ppt
 
TECNICAS DE BANHO.ppt
TECNICAS DE BANHO.pptTECNICAS DE BANHO.ppt
TECNICAS DE BANHO.ppt
 
psicologiadodesenvolvimento-160417000111.pdf
psicologiadodesenvolvimento-160417000111.pdfpsicologiadodesenvolvimento-160417000111.pdf
psicologiadodesenvolvimento-160417000111.pdf
 
priscilaferrari-final-150628021110-lva1-app6891-convertido.pptx
priscilaferrari-final-150628021110-lva1-app6891-convertido.pptxpriscilaferrari-final-150628021110-lva1-app6891-convertido.pptx
priscilaferrari-final-150628021110-lva1-app6891-convertido.pptx
 
criofrequencia.pdf
criofrequencia.pdfcriofrequencia.pdf
criofrequencia.pdf
 
carboxiterapia 4p estetica.ppt
carboxiterapia 4p estetica.pptcarboxiterapia 4p estetica.ppt
carboxiterapia 4p estetica.ppt
 

Sistema Linfático aula 1.ppt

  • 2. Sistema Linfático o O sistema linfático tem a função de absorver e filtrar os líquidos e proteínas no interstício, devolvendo para o plasma. o O coração bombeia o sangue para todo o corpo, e esse sangue retorna para ele com auxilio do sistema venoso e linfático. Tem-se então um sistema de irrigação (arterial), e dois sistemas de drenagem (venoso e linfático). o A circulação sanguínea e linfática estão intimamente ligadas. As moléculas pequenas vão em sua maioria, diretamente para o sangue, conduzidas pelos capilares sanguíneos; já as grandes partícula alcançam a circulação em grande parte através de reabsorção venosa pelo sistema linfático.
  • 3. Sistema Linfático o O liquido rico em elementos nutritivos, deixa a luz do capilar arterial, chega no meio intersticial e banha as células. Elas retiram o que precisam para o seu metabolismo, e eliminam os produtos de degradação celular. Em seguida esse liquido intersticial é reabsorvido pela rede de capilares venosos. o Existe um excesso de eliminação em relação a reabsorção venosa (sobra liquido). O liquido excedente que banha as células, no meio intersticial, e as macromoléculas são absorvidas pelo sistema linfático, e denomina-se então, linfa.
  • 4. A Linfa “ O aspecto incolor da linfa certamente contribui para que lhe fosse atribuído um papel discreto, a principio, e teve de esperar muito tempo ate que os pesquisadores realmente se interessassem por ele.” LEDUC o A linfa é um líquido que se acumula no espaço intersticial, ou seja, entre os tecidos e que está presente nos vasos linfáticos. o Sua composição é semelhante a do plasma, exceto pela baixa concentração de proteínas. Possui grande quantidade de leucócitos, particularmente linfócitos. o Geralmente é um líquido claro, porém a do intestino delgado torna-se leitosa pela ação dos lipídios digestivos. o A Linfa é reabsorvida por vãos linfáticos distribuídos por todo o corpo. Através destes vasos, a linfa é carregada ate os gânglios linfáticos onde é filtrada, e devolvida para o sangue posteriormente.
  • 5. Componentes do sistema linfático O sistema linfático é composto por: 1. Capilares linfáticos; 2. Vasos linfáticos; 3. Ductos linfáticos; 4. Linfonodos.
  • 6. Capilares linfáticos o São os menores vasos condutores do sistema linfático e consistem de tubos de paredes finas formadas por uma única camada de células endoteliais superpostas. o As células superpostas agem como valvas formando aberturas nos capilares por onde o líquido entra. Quando se fecham, evitam o refluxo para fora. o São os capilares linfáticos que dão origem aos vasos linfáticos.
  • 7.
  • 8.
  • 9. Vasos linfáticos Os vasos linfáticos encontram-se dispostos em dois planos, um superficial e outro profundo. Podem comunicar-se por anastomoses linfáticas (canais), onde os vasos coletores acabam por se reunir os coletores profundos. Originados dos capilares, possuem paredes de 3 camadas, semelhantes as paredes das veias, e um número maior de valvas, que permitem a linfa fluir em uma única direção.
  • 10. Vasos linfáticos CAPILAR (aspirador): o Tem origem no interstício; o Transportam a linfa do espaço intersticial ate os vasos linfáticos; o São formados por células justapostas; o São presos ao tecido conjuntivo circundante por meio de filamentos de sustentação; o Quando a pressão intersticial aumenta, os filamentos de sustentação são tensionados, abrindo luz do canal linfático e facilitando a reabsorção; o São permeáveis a grandes moléculas; o O citoplasma das células que compõem a membrana dos capilares linfáticos contem actomiosina (proteínas musculares).
  • 11. Vasos linfáticos PRÉ COLETORES:  Possuem válvulas, diferente dos vasos linfáticos iniciais e precedem os coletores. (válvulas = impedem o refluxo). COLETORES:  Conduzem a linfa ate os gânglios ou linfonodos;  Dão origem aos canais linfáticos;  Porção entre duas válvulas: denomina-se linfangion – unidade contrátil; TRONCOS LINFÁTICOS:  Vasos de maior calibre;  DUCTO TORÁCICO (veia subclávia E) o DUCTO LINFATICO DIREITO (veia subclávia D)
  • 12.
  • 13. Bombas linfáticas São ações bombeadoras da linfa: 1. Ação dos músculos esqueléticos sobre os vasos. 2. Variações de pressão decorrentes da respiração. 3. Contração da musculatura lisa dos vasos. 4. Formação de nova linfa, empurrando a velha.
  • 14. Ductos linfáticos Ducto torácico: É o maior vaso linfático do corpo. Se origina no abdome e desemboca na veia subclávia esquerda na sua junção com a veia jugular interna esquerda. Linfonodos Vasos Linfáticos. Ducto linfático direito: Possui aproximadamente 4 cm de comprimento e desemboca na veia subclávia direita em sua junção com a veia jugular interna direita.
  • 15.
  • 16.
  • 17. Funções do sistema linfático O sistema linfático possui 3 funções básicas: 1. Conservação das proteínas plasmáticas: A circulação da linfa faz voltar à corrente sanguínea substâncias vitais que escapam dos capilares, como proteínas. 2. Absorção de lipídios: Os vasos linfáticos intestinais são as vias de absorção de lipídios. 3. Defesa contra doenças: O sistema linfático protege o corpo contra microrganismos e outros agentes invasores de 2 maneiras: a) Pela fagocitose: Processo de englobamento e digestão de material estranho. b) Pela resposta imunológica: 2 tipos de linfócitos proliferam em resposta ao contato com substâncias estranhas, dando origem a células que fabricam anticorpos
  • 18. Importância do fluxo de Linfa Foi estimado, a partir de pesquisas, que cerca de 50% da proteína perdida nos capilares é recuperada pela circulação linfática. A drenagem insuficiente pode levar a um acúmulo de líquido intersticial denominado edema. Alguns Lifedemas podem causar deformidades. Um exemplo é a Elefantíase, um linfedema ocasionado pelo bloqueio dos vasos linfáticos.
  • 19. Linfonodos ou gânglios linfáticos A principal função do gânglio linfático é a preservação do organismo contra qualquer agressão de substancias estranhas. São encontrados em maior quantidade em pescoço, clavícula, axilas, abdômen e região inguinal. Possuem forma oval em cerca de 1 a 20 mm de comprimento, podendo ser gânglios linfáticos superficiais e profundos. Os gânglios POSSUEM CELULAS DE DEFESA que destroem as toxinas acompanhantes da linfa, impedindo a propagação destes pelo corpo. Possui então, função imunológica.
  • 20. Linfonodos ou gânglios linfáticos Sua função é criar uma barreira ou filtro contra a penetração, na corrente sanguínea, de microrganismos, toxinas ou substâncias estranhas e/ou nocivas ao organismo. Como resposta a uma inflamação, o linfonodo pode aumentar de tamanho e tornar-se doloroso formando o que vulgarmente se conhece como íngua.
  • 21. Órgãos relacionados ao sistema linfático São 3 os órgãos relacionados ao sistema linfático, e todos são caracterizados pela presença de tecido linfoide e Linfócitos. 1) Baço 2) Timo 3) Tonsilas
  • 22. O baço Localização e estrutura: O baço é um órgão oval com aproximadamente 12 cm de comprimento por 7 cm de largura e pesa cerca de 200 g. Está localizado na parte superior esquerda da cavidade abdominal, logo abaixo do m. diafragma. A região por onde entram e saem os vasos no baço é chamada de hilo esplênico. Seu corpo é revestido por uma cápsula de tecido fibroelástico e algumas células musculares lisas.
  • 23. Funções do baço O baço possui 4 funções básicas: 1. Destruição do sangue: Os eritrócitos “velhos” (120 dias) são destruídos, na sua maioria, no baço. 2. Função imunológica: O baço, junto com outros tecidos linfóides, participa na resposta imune. 3. Armazenamento de sangue: O baço atua como um reservatório de sangue, mais precisamente de eritrócitos, e os libera de acordo com a demanda. 4. Filtragem de sangue: O baço filtra microrganismos do sangue no mecanismo de defesa do corpo.
  • 24. Tonsilas Vários grupos de tonsilas formam um anel de tecido linfóide que protegem a entrada dos tratos, alimentar e respiratório contra microrganismos. As tonsilas que compõem esse anel são: 1. Tonsilas palatinas (amígdalas) 2. Tonsilas faríngeas (adenóide) 3. Tonsilas linguais
  • 25. O timo O timo é uma glândula que participa da regulação da defesa imunológica do organismo. É considerado um órgão linfoide primário O timo é um órgão achatado com 2 lobos localizado na parte ântero-superior da cavidade torácica na frente da a. aorta e atrás do osso esterno. Atua no desenvolvimento de sistema imunológico e é desproporcional em relação ao corpo durante o período fetal e nos primeiros 2 anos de vida. Ele aumenta de tamanho até a puberdade, quando então, começa a atrofiar.
  • 26. Resposta imunológica A resposta imunológica protege nosso corpo contra a invasão de microrganismos infecciosos e identifica e destrói qualquer coisa considerada “estranha” como órgãos transplantados e células malignas. Existem 2 sistemas imunológicos distintos: 1. Sistema de linfócitos B, que atuam em infecções bacterianas agudas (estreptococos). 2. Sistema de linfócitos T, que atuam em infecções bacterianas crônicas (tuberculose).