SlideShare uma empresa Scribd logo
www.aspercom.com.br
Auto-organização
e Gestão por Metas Flexíveis
        Rodrigo Yoshima e José Paulo Papo
野中 郁次郎        Ikujiro Nonaka



           The new new product development game



Hirotaka Takeuchi   遶ケ蜀蠑倬ォ
De c nfo
  s o rto
Autonomia
Transcendência
inter fertilização
Aprendizado
Auto rg niza ã
    -o a ç o
Pensar de maneira nova em vez de
só usar ferramentas
   “In matters of principle, stand like a rock; in
    matters of taste, swim witg the current.” --
    Thomas Jefferson
“Antes de construir software,
devemos construir pessoas!”
Taylorismo e Pós-taylorismo


   Taylorismo gera sistema empurrado. Dentro
    para fora. Desperdício por causa da
    hierarquia e burocracia

   Pós-taylorismo gera sistema puxado. Fora
    para dentro. Melhoria numa rede
    autogerenciada.
Você é X ou Y?
   X é o estilo de gestão autoritário e top-down.
    Pressupõe que as pessoas só se motivam
    por valores externos e tendem a evitar o
    trabalho quando possível.

   Y é o estilo de liderança servidora.
    Pressupõe que as pessoas são auto-
    motivadas e podem cumprir por conta
    própria metas da organização.
Metas flexíveis e Beyond
Budgeting
   Definir metas aspiracionais e móveis
   Recompensar sucesso obtido em equipe, nunca
    metas fixas individuais
   Tornar o planejamento algo contínuo
   Criar métricas e controles baseados em indicadores
    relativos de mercado
   Organizar a alocação de recursos de forma iterativa
    e ad hoc
   Coordenar estratégia através de mecanismos de
    mercado
Liderança devolvida
   Focar o esforço para melhor resultados dos clientes
   Criar rede de pequenas equipes multifuncionais e
    autônomas
   Promover sucesso em equipe, comparando com
    mercado
   Ceder às equipes liberdade, capacidade e
    autoridade para agir
   Basear governança em metas flexíveis claras e em
    princípios
   Promover informação compartilhada e aberta
Pioneiros
   “Deveríamos supor que adultos responsáveis simplesmente não
    vão aparecer no local de trabalho mesmo quando prometeram fazer
    isso? Essa seria uma imagem lamentável da humanidade” –
    Ricardo Semler, Semco
   “Somos mais rápidos, somos melhores do que o padrão externo?” –
    Jack Welch, GE
   “Adotar uma rota prefixada em águas desconhecidas é o
    procedimento perfeito para navegar diretamente de encontro a um
    iceberg! Muitas vezes é melhor seguir incrementalmente, sem
    uma estratégia fixa que acaba se tornando uma camisa de força” –
    Henry Mintzberg, guru de teorias de estratégia empresarial
   “Existe aqui a crença sólida de que pessoas espertas e motivadas
    tem a capacidade de fazer o que é certo. Tudo o que impede isso,
    como uma hierarquia rígida, é ruim” – Wayne Rosing, Google
Bibliografia

   Ikujiro Nonaka, Hirotaka Takeuchi – The new new product
    development game

   Pflaeging, Niels - Liderando com Metas Flexíveis
   Liker, Jeffrey -O Modelo Toyota: 14 Princípios de Gestão

   Semler, Ricardo - Virando a própria mesa

   Zanini, Marco Túlio - Confiança: Ativo intangível de inestimável
    valor econômico

   Seddon, John - Freedom from Command and Control: The
    Toyota System for Service Organizations
Auto OrganizaçãO E Gestão Por Metas Flexíveis

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Auto OrganizaçãO E Gestão Por Metas Flexíveis

Agile Brazil 2018 - Como ser Gerente de Projetos em uma equipe auto-organizável?
Agile Brazil 2018 - Como ser Gerente de Projetos em uma equipe auto-organizável?Agile Brazil 2018 - Como ser Gerente de Projetos em uma equipe auto-organizável?
Agile Brazil 2018 - Como ser Gerente de Projetos em uma equipe auto-organizável?
Kenedy Araujo
 
Como ser gerente de projetos em uma equipe auto-organizável?
Como ser gerente de projetos em uma equipe auto-organizável?Como ser gerente de projetos em uma equipe auto-organizável?
Como ser gerente de projetos em uma equipe auto-organizável?
Marcely Santos
 
Líder do futuro em um Mundo Exponencial - Manhã com RH
Líder do futuro em um Mundo Exponencial - Manhã com RHLíder do futuro em um Mundo Exponencial - Manhã com RH
Líder do futuro em um Mundo Exponencial - Manhã com RH
Andreza Brandão
 
Como ser Gerente de Projetos em uma equipe auto-organizavel - Marcely Santos ...
Como ser Gerente de Projetos em uma equipe auto-organizavel - Marcely Santos ...Como ser Gerente de Projetos em uma equipe auto-organizavel - Marcely Santos ...
Como ser Gerente de Projetos em uma equipe auto-organizavel - Marcely Santos ...
Kenedy Araujo
 
TDC2018SP | Trilha Management II - Como ser gerente de projetos em uma equipe...
TDC2018SP | Trilha Management II - Como ser gerente de projetos em uma equipe...TDC2018SP | Trilha Management II - Como ser gerente de projetos em uma equipe...
TDC2018SP | Trilha Management II - Como ser gerente de projetos em uma equipe...
tdc-globalcode
 
Slides - Palestra CBTD - Arthur Diniz
Slides - Palestra CBTD - Arthur Diniz Slides - Palestra CBTD - Arthur Diniz
Slides - Palestra CBTD - Arthur Diniz
Andreza Brandão
 
3m organiz --
3m organiz --3m organiz --
3m organiz --
Milton Santos
 
Gestão & Liderança para o Alto Desempenho
Gestão & Liderança  para o Alto DesempenhoGestão & Liderança  para o Alto Desempenho
Gestão & Liderança para o Alto Desempenho
Roberto Rinaldi Jr
 
Management 3.0 - Um Novo Olhar sob a Gestão Tradicional
Management 3.0 - Um Novo Olhar sob a Gestão TradicionalManagement 3.0 - Um Novo Olhar sob a Gestão Tradicional
Management 3.0 - Um Novo Olhar sob a Gestão Tradicional
Jamil Jende
 
Criando Equipes Altamente Produtivas
Criando Equipes Altamente ProdutivasCriando Equipes Altamente Produtivas
Criando Equipes Altamente Produtivas
Adeildo Caboclo
 
Gestão 3.0
Gestão 3.0 Gestão 3.0
Gestão 3.0
Teresa Maciel
 
.10.10.intelig.emocional.
.10.10.intelig.emocional..10.10.intelig.emocional.
.10.10.intelig.emocional.
Governo do Estado do Ceará
 
Gestão Agile: como introduzir e influenciar
Gestão Agile: como introduzir e influenciarGestão Agile: como introduzir e influenciar
Gestão Agile: como introduzir e influenciar
Henrique Imbertti Jr.
 
Um engenheiro civil e o seu papel de gerente na obra de engenharia
Um engenheiro civil e o seu papel de gerente na obra de engenhariaUm engenheiro civil e o seu papel de gerente na obra de engenharia
Um engenheiro civil e o seu papel de gerente na obra de engenharia
Lowrrayny Franchesca
 
Palestra ABRH 2018 - Arthur Diniz
Palestra ABRH 2018 - Arthur DinizPalestra ABRH 2018 - Arthur Diniz
Palestra ABRH 2018 - Arthur Diniz
Andreza Brandão
 
Liderandocommetasflexiveis
LiderandocommetasflexiveisLiderandocommetasflexiveis
Liderandocommetasflexiveis
Gebhard Borck
 
10.000 horas como um “gerente” ágil - Você sabia que a liberdade existe?
10.000 horas como um “gerente” ágil - Você sabia que a liberdade existe?10.000 horas como um “gerente” ágil - Você sabia que a liberdade existe?
10.000 horas como um “gerente” ágil - Você sabia que a liberdade existe?
Fernando Ultremare
 
Verdadeiro poder-falconi
Verdadeiro poder-falconiVerdadeiro poder-falconi
Verdadeiro poder-falconi
Ana
 
Desafios do gestor na indústria automotiva pdf
Desafios do gestor na indústria automotiva pdfDesafios do gestor na indústria automotiva pdf
Desafios do gestor na indústria automotiva pdf
Cleiton Morais de Melo
 
[PT] Liderando na Complexidade. Por que o management é dispensável, palestra ...
[PT] Liderando na Complexidade. Por que o management é dispensável, palestra ...[PT] Liderando na Complexidade. Por que o management é dispensável, palestra ...
[PT] Liderando na Complexidade. Por que o management é dispensável, palestra ...
Niels Pflaeging
 

Semelhante a Auto OrganizaçãO E Gestão Por Metas Flexíveis (20)

Agile Brazil 2018 - Como ser Gerente de Projetos em uma equipe auto-organizável?
Agile Brazil 2018 - Como ser Gerente de Projetos em uma equipe auto-organizável?Agile Brazil 2018 - Como ser Gerente de Projetos em uma equipe auto-organizável?
Agile Brazil 2018 - Como ser Gerente de Projetos em uma equipe auto-organizável?
 
Como ser gerente de projetos em uma equipe auto-organizável?
Como ser gerente de projetos em uma equipe auto-organizável?Como ser gerente de projetos em uma equipe auto-organizável?
Como ser gerente de projetos em uma equipe auto-organizável?
 
Líder do futuro em um Mundo Exponencial - Manhã com RH
Líder do futuro em um Mundo Exponencial - Manhã com RHLíder do futuro em um Mundo Exponencial - Manhã com RH
Líder do futuro em um Mundo Exponencial - Manhã com RH
 
Como ser Gerente de Projetos em uma equipe auto-organizavel - Marcely Santos ...
Como ser Gerente de Projetos em uma equipe auto-organizavel - Marcely Santos ...Como ser Gerente de Projetos em uma equipe auto-organizavel - Marcely Santos ...
Como ser Gerente de Projetos em uma equipe auto-organizavel - Marcely Santos ...
 
TDC2018SP | Trilha Management II - Como ser gerente de projetos em uma equipe...
TDC2018SP | Trilha Management II - Como ser gerente de projetos em uma equipe...TDC2018SP | Trilha Management II - Como ser gerente de projetos em uma equipe...
TDC2018SP | Trilha Management II - Como ser gerente de projetos em uma equipe...
 
Slides - Palestra CBTD - Arthur Diniz
Slides - Palestra CBTD - Arthur Diniz Slides - Palestra CBTD - Arthur Diniz
Slides - Palestra CBTD - Arthur Diniz
 
3m organiz --
3m organiz --3m organiz --
3m organiz --
 
Gestão & Liderança para o Alto Desempenho
Gestão & Liderança  para o Alto DesempenhoGestão & Liderança  para o Alto Desempenho
Gestão & Liderança para o Alto Desempenho
 
Management 3.0 - Um Novo Olhar sob a Gestão Tradicional
Management 3.0 - Um Novo Olhar sob a Gestão TradicionalManagement 3.0 - Um Novo Olhar sob a Gestão Tradicional
Management 3.0 - Um Novo Olhar sob a Gestão Tradicional
 
Criando Equipes Altamente Produtivas
Criando Equipes Altamente ProdutivasCriando Equipes Altamente Produtivas
Criando Equipes Altamente Produtivas
 
Gestão 3.0
Gestão 3.0 Gestão 3.0
Gestão 3.0
 
.10.10.intelig.emocional.
.10.10.intelig.emocional..10.10.intelig.emocional.
.10.10.intelig.emocional.
 
Gestão Agile: como introduzir e influenciar
Gestão Agile: como introduzir e influenciarGestão Agile: como introduzir e influenciar
Gestão Agile: como introduzir e influenciar
 
Um engenheiro civil e o seu papel de gerente na obra de engenharia
Um engenheiro civil e o seu papel de gerente na obra de engenhariaUm engenheiro civil e o seu papel de gerente na obra de engenharia
Um engenheiro civil e o seu papel de gerente na obra de engenharia
 
Palestra ABRH 2018 - Arthur Diniz
Palestra ABRH 2018 - Arthur DinizPalestra ABRH 2018 - Arthur Diniz
Palestra ABRH 2018 - Arthur Diniz
 
Liderandocommetasflexiveis
LiderandocommetasflexiveisLiderandocommetasflexiveis
Liderandocommetasflexiveis
 
10.000 horas como um “gerente” ágil - Você sabia que a liberdade existe?
10.000 horas como um “gerente” ágil - Você sabia que a liberdade existe?10.000 horas como um “gerente” ágil - Você sabia que a liberdade existe?
10.000 horas como um “gerente” ágil - Você sabia que a liberdade existe?
 
Verdadeiro poder-falconi
Verdadeiro poder-falconiVerdadeiro poder-falconi
Verdadeiro poder-falconi
 
Desafios do gestor na indústria automotiva pdf
Desafios do gestor na indústria automotiva pdfDesafios do gestor na indústria automotiva pdf
Desafios do gestor na indústria automotiva pdf
 
[PT] Liderando na Complexidade. Por que o management é dispensável, palestra ...
[PT] Liderando na Complexidade. Por que o management é dispensável, palestra ...[PT] Liderando na Complexidade. Por que o management é dispensável, palestra ...
[PT] Liderando na Complexidade. Por que o management é dispensável, palestra ...
 

Mais de Rodrigo Yoshima

Kanban: O Método preferido para Desenvolvedores de Alta Performance
Kanban: O Método preferido para Desenvolvedores de Alta PerformanceKanban: O Método preferido para Desenvolvedores de Alta Performance
Kanban: O Método preferido para Desenvolvedores de Alta Performance
Rodrigo Yoshima
 
Como o KMM pode ajudar o Agile Coach?
Como o KMM pode ajudar o Agile Coach?Como o KMM pode ajudar o Agile Coach?
Como o KMM pode ajudar o Agile Coach?
Rodrigo Yoshima
 
Introduzindo o Kanban Maturity Model
Introduzindo o Kanban Maturity ModelIntroduzindo o Kanban Maturity Model
Introduzindo o Kanban Maturity Model
Rodrigo Yoshima
 
Entendendo o Kanban Maturity Model
Entendendo o Kanban Maturity ModelEntendendo o Kanban Maturity Model
Entendendo o Kanban Maturity Model
Rodrigo Yoshima
 
Workshop STATIK - Caipira Ágil 2017
Workshop STATIK - Caipira Ágil 2017Workshop STATIK - Caipira Ágil 2017
Workshop STATIK - Caipira Ágil 2017
Rodrigo Yoshima
 
Além do Agile Coaching
Além do Agile CoachingAlém do Agile Coaching
Além do Agile Coaching
Rodrigo Yoshima
 
Leading The Antifragile Tribe
Leading The Antifragile TribeLeading The Antifragile Tribe
Leading The Antifragile Tribe
Rodrigo Yoshima
 
O que é agilidade sob as lentes do kanban
O que é agilidade sob as lentes do kanbanO que é agilidade sob as lentes do kanban
O que é agilidade sob as lentes do kanban
Rodrigo Yoshima
 
Show Me Your Board (#SuperTrends2016)
Show Me Your Board (#SuperTrends2016)Show Me Your Board (#SuperTrends2016)
Show Me Your Board (#SuperTrends2016)
Rodrigo Yoshima
 
Kanban e a análise de negócios
Kanban e a análise de negóciosKanban e a análise de negócios
Kanban e a análise de negócios
Rodrigo Yoshima
 
Kanban: agilidade para ambientes conservadores
Kanban: agilidade para ambientes conservadoresKanban: agilidade para ambientes conservadores
Kanban: agilidade para ambientes conservadores
Rodrigo Yoshima
 
Cost of delay - Comunicando o impacto do tempo no valor
Cost of delay - Comunicando o impacto do tempo no valorCost of delay - Comunicando o impacto do tempo no valor
Cost of delay - Comunicando o impacto do tempo no valor
Rodrigo Yoshima
 
Porque estimar e porque deixar de estimar
Porque estimar e porque deixar de estimarPorque estimar e porque deixar de estimar
Porque estimar e porque deixar de estimar
Rodrigo Yoshima
 
Como cultivar uma cultura Kaizen?
Como cultivar uma cultura Kaizen?Como cultivar uma cultura Kaizen?
Como cultivar uma cultura Kaizen?
Rodrigo Yoshima
 
Management and Change - avoiding the rocks
Management and Change - avoiding the rocksManagement and Change - avoiding the rocks
Management and Change - avoiding the rocks
Rodrigo Yoshima
 
Liderança e Kanban
Liderança e KanbanLiderança e Kanban
Liderança e Kanban
Rodrigo Yoshima
 
Fighting the cost monster
Fighting the cost monsterFighting the cost monster
Fighting the cost monster
Rodrigo Yoshima
 
O programador lean
O programador leanO programador lean
O programador lean
Rodrigo Yoshima
 
Kanban Avançado - Além de Visualizações e Limites
Kanban Avançado - Além de Visualizações e LimitesKanban Avançado - Além de Visualizações e Limites
Kanban Avançado - Além de Visualizações e Limites
Rodrigo Yoshima
 
Kanban: Aplicando TDD à melhoria contínua do seu processo
Kanban: Aplicando TDD à melhoria contínua do seu processoKanban: Aplicando TDD à melhoria contínua do seu processo
Kanban: Aplicando TDD à melhoria contínua do seu processo
Rodrigo Yoshima
 

Mais de Rodrigo Yoshima (20)

Kanban: O Método preferido para Desenvolvedores de Alta Performance
Kanban: O Método preferido para Desenvolvedores de Alta PerformanceKanban: O Método preferido para Desenvolvedores de Alta Performance
Kanban: O Método preferido para Desenvolvedores de Alta Performance
 
Como o KMM pode ajudar o Agile Coach?
Como o KMM pode ajudar o Agile Coach?Como o KMM pode ajudar o Agile Coach?
Como o KMM pode ajudar o Agile Coach?
 
Introduzindo o Kanban Maturity Model
Introduzindo o Kanban Maturity ModelIntroduzindo o Kanban Maturity Model
Introduzindo o Kanban Maturity Model
 
Entendendo o Kanban Maturity Model
Entendendo o Kanban Maturity ModelEntendendo o Kanban Maturity Model
Entendendo o Kanban Maturity Model
 
Workshop STATIK - Caipira Ágil 2017
Workshop STATIK - Caipira Ágil 2017Workshop STATIK - Caipira Ágil 2017
Workshop STATIK - Caipira Ágil 2017
 
Além do Agile Coaching
Além do Agile CoachingAlém do Agile Coaching
Além do Agile Coaching
 
Leading The Antifragile Tribe
Leading The Antifragile TribeLeading The Antifragile Tribe
Leading The Antifragile Tribe
 
O que é agilidade sob as lentes do kanban
O que é agilidade sob as lentes do kanbanO que é agilidade sob as lentes do kanban
O que é agilidade sob as lentes do kanban
 
Show Me Your Board (#SuperTrends2016)
Show Me Your Board (#SuperTrends2016)Show Me Your Board (#SuperTrends2016)
Show Me Your Board (#SuperTrends2016)
 
Kanban e a análise de negócios
Kanban e a análise de negóciosKanban e a análise de negócios
Kanban e a análise de negócios
 
Kanban: agilidade para ambientes conservadores
Kanban: agilidade para ambientes conservadoresKanban: agilidade para ambientes conservadores
Kanban: agilidade para ambientes conservadores
 
Cost of delay - Comunicando o impacto do tempo no valor
Cost of delay - Comunicando o impacto do tempo no valorCost of delay - Comunicando o impacto do tempo no valor
Cost of delay - Comunicando o impacto do tempo no valor
 
Porque estimar e porque deixar de estimar
Porque estimar e porque deixar de estimarPorque estimar e porque deixar de estimar
Porque estimar e porque deixar de estimar
 
Como cultivar uma cultura Kaizen?
Como cultivar uma cultura Kaizen?Como cultivar uma cultura Kaizen?
Como cultivar uma cultura Kaizen?
 
Management and Change - avoiding the rocks
Management and Change - avoiding the rocksManagement and Change - avoiding the rocks
Management and Change - avoiding the rocks
 
Liderança e Kanban
Liderança e KanbanLiderança e Kanban
Liderança e Kanban
 
Fighting the cost monster
Fighting the cost monsterFighting the cost monster
Fighting the cost monster
 
O programador lean
O programador leanO programador lean
O programador lean
 
Kanban Avançado - Além de Visualizações e Limites
Kanban Avançado - Além de Visualizações e LimitesKanban Avançado - Além de Visualizações e Limites
Kanban Avançado - Além de Visualizações e Limites
 
Kanban: Aplicando TDD à melhoria contínua do seu processo
Kanban: Aplicando TDD à melhoria contínua do seu processoKanban: Aplicando TDD à melhoria contínua do seu processo
Kanban: Aplicando TDD à melhoria contínua do seu processo
 

Auto OrganizaçãO E Gestão Por Metas Flexíveis

  • 2. Auto-organização e Gestão por Metas Flexíveis Rodrigo Yoshima e José Paulo Papo
  • 3. 野中 郁次郎 Ikujiro Nonaka The new new product development game Hirotaka Takeuchi 遶ケ蜀蠑倬ォ
  • 4. De c nfo s o rto
  • 9. Auto rg niza ã -o a ç o
  • 10. Pensar de maneira nova em vez de só usar ferramentas  “In matters of principle, stand like a rock; in matters of taste, swim witg the current.” -- Thomas Jefferson
  • 11. “Antes de construir software, devemos construir pessoas!”
  • 12. Taylorismo e Pós-taylorismo  Taylorismo gera sistema empurrado. Dentro para fora. Desperdício por causa da hierarquia e burocracia  Pós-taylorismo gera sistema puxado. Fora para dentro. Melhoria numa rede autogerenciada.
  • 13. Você é X ou Y?  X é o estilo de gestão autoritário e top-down. Pressupõe que as pessoas só se motivam por valores externos e tendem a evitar o trabalho quando possível.  Y é o estilo de liderança servidora. Pressupõe que as pessoas são auto- motivadas e podem cumprir por conta própria metas da organização.
  • 14. Metas flexíveis e Beyond Budgeting  Definir metas aspiracionais e móveis  Recompensar sucesso obtido em equipe, nunca metas fixas individuais  Tornar o planejamento algo contínuo  Criar métricas e controles baseados em indicadores relativos de mercado  Organizar a alocação de recursos de forma iterativa e ad hoc  Coordenar estratégia através de mecanismos de mercado
  • 15. Liderança devolvida  Focar o esforço para melhor resultados dos clientes  Criar rede de pequenas equipes multifuncionais e autônomas  Promover sucesso em equipe, comparando com mercado  Ceder às equipes liberdade, capacidade e autoridade para agir  Basear governança em metas flexíveis claras e em princípios  Promover informação compartilhada e aberta
  • 16. Pioneiros  “Deveríamos supor que adultos responsáveis simplesmente não vão aparecer no local de trabalho mesmo quando prometeram fazer isso? Essa seria uma imagem lamentável da humanidade” – Ricardo Semler, Semco  “Somos mais rápidos, somos melhores do que o padrão externo?” – Jack Welch, GE  “Adotar uma rota prefixada em águas desconhecidas é o procedimento perfeito para navegar diretamente de encontro a um iceberg! Muitas vezes é melhor seguir incrementalmente, sem uma estratégia fixa que acaba se tornando uma camisa de força” – Henry Mintzberg, guru de teorias de estratégia empresarial  “Existe aqui a crença sólida de que pessoas espertas e motivadas tem a capacidade de fazer o que é certo. Tudo o que impede isso, como uma hierarquia rígida, é ruim” – Wayne Rosing, Google
  • 17. Bibliografia  Ikujiro Nonaka, Hirotaka Takeuchi – The new new product development game  Pflaeging, Niels - Liderando com Metas Flexíveis  Liker, Jeffrey -O Modelo Toyota: 14 Princípios de Gestão  Semler, Ricardo - Virando a própria mesa  Zanini, Marco Túlio - Confiança: Ativo intangível de inestimável valor econômico  Seddon, John - Freedom from Command and Control: The Toyota System for Service Organizations