SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 29
Participação social
Afinal, do que se trata?
CURSO
Curso EaD
Participação Social
Aula 1
Participação
vem da palavra parte.
Participação é fazer
parte, tomar parte
ou ter parte.
(Bordenave,1994, p.22)
Participação é...
 Uma forma de ação individual ou coletiva que
implica um esforço racional e intencional de
indivíduos e grupos nos processos de tomada
de decisão, por meio de uma conduta
colaborativa e coletiva, de inserção em espaços
formais e informais de deliberação e
desenvolvimento de uma democracia.
 A participação facilita o crescimento da
consciência crítica da população, fortalece seu
poder de reivindicação e a prepara para adquirir
mais poder na sociedade (BORDENAVE, 1994).
 Participação significa acesso ao poder. Poder
para tomar decisões, para alocar recursos, para
iniciar e encerrar projetos (BROSE, 2001).
 Um processo que se inicia quando várias
pessoas decidem compartilhar suas
necessidades, aspirações e experiências, com
o objetivo de melhorar suas condições de vida.
Participação é...
Tomar parte
é um estado
intenso de
participação!!
O que as
organizações
internacionais
dizem sobre
participação:
 Programa das Nações Unidas
Para o Desenvolvimento - PNUD:
“A participação é um elemento essencial do
desenvolvimento humano” e “as pessoas
desejam avanços permanentes em direção a
uma participação total”.
 Banco Interamericano
de Desenvolvimento – BID:
“A participação não é simplesmente uma
ideia, mas uma nova forma de cooperação
para o desenvolvimento”.
 Organização para a Cooperação e
Desenvolvimento Econômico – OECD:
Reconhece que “a participação mais
ampla de todas as pessoas é o principal
fator para fortalecer a cooperação para
o desenvolvimento”.
Valores da Participação
 Apresenta ação individual e coletiva
 Implica tomar parte no processo de decisão
 Tem uma conduta coletiva
 Tem uma conduta colaborativa
 Estabelece um processo de troca
Pressupostos
 Perspectiva de direitos humanos
 Respeito ao consenso
 Conhecimento informado
 Reconhecimento e respeito à interculturalidade
 Reconhecimento de sua complexidade
Princípios gerais
da participação
 É um recurso para o desenvolvimento social
 Deve levar em conta a realidade da
população e seu território
 Para que se manifeste, é necessário que
se “empodere” as pessoas nos direitos
que as assistem
 A privatização e a burocratização dos
espaços de participação provocam a
desmobilização dos movimentos sociais
Princípios gerais
da participação
 A privatização e a burocratização dos
espaços de participação provocam a
desmobilização dos movimentos sociais
 Gera competência e capacidade na
população
 Garante a continuidade dos processos
 Melhora o relacionamento entre
a comunidade e o poder público
 Transforma as dificuldades/problemas
em uma construção coletiva
Participar para quê?
 É necessário ter claro o porquê
de participar e a capacidade
 Fomentar a habilidade de construção
das capacidades relativas às políticas
de negociação
 Níveis de participação: necessidade de
ampliar os espaços de participação nos
diferentes contextos e ao longo da vida
Etapas pedagógicas
da participação
 Reflexão
 Escuta e Diálogo
 Deliberação e Consenso
 Ação Propositiva
PARTICIPAÇÃO DIVERSA
PARTICIPAÇÃO ABERTA
PARTICIPAÇÃO ATIVA
Democracia participativa
A democracia participativa seria então aquela em
que os cidadãos sentem que, por “fazerem parte”
da nação, “têm parte” real na sua condução e por
isso “tomam parte” – cada qual em seu ambiente -
na construção de uma nova sociedade da qual se
“sentem parte”.
A prova de fogo da participação não é o quanto
se toma parte, mas como se toma parte.
Construção de uma
visão de conjunto
Participação Cidadã
Redefine os laços entre o espaço institucional
e as práticas da sociedade civil organizada, de
forma que não haja nem a recusa à participação
da sociedade civil organizada, nem a
participação movida pela polaridade do
antagonismo a priori, e nem sua absorção pela
máquina estatal. Isso se dá porque o Estado
reconhece a existência dos conflitos na
sociedade e as divergências nas formas de
equacionamento e resolução das questões
sociais, entre os diferentes grupos,
e participa da arena de negociação entre eles.
Reflexões sobre
Participação Social
 A participação da sociedade civil na esfera pública - via
conselhos e outras formas institucionalizadas - não é
para substituir o Estado, mas para lutar para que este
cumpra seu dever: propiciar educação, saúde e demais
serviços sociais com QUALIDADE e para todos.
 Essa participação deve ser ativa e deve considerar a
experiência de cada cidadão que nela se insere. Não
tratá-los como corpos amorfos a serem enquadrados
em estruturas prévias, num modelo pragmatista.
Reflexões sobre
Participação Social
 Existem entidades que buscam a mera integração
dos excluídos por meio da participação comunitária
em políticas sociais exclusivamente compensatórias.
 Outras que, por meio de redes e fóruns sociais,
inspirados em um novo modelo civilizatório, no qual a
cidadania, a ética, a justiça e a igualdade social sejam
imperativos, prioritários e inegociáveis. Estas podem
ser chamadas de "reativas”.
Reflexões sobre
Participação Social
 Desenhos institucionais dos canais de participação
social devem priorizar a garantia da pluralidade e o
fortalecimento da sociedade civil, elementos
fundamentais para o aprofundamento da democracia.
 É imprescindível que haja engajamento institucional
das organizações da sociedade civil e dos
movimentos sociais em instituições participativas
sobre seus padrões de ação coletiva. Além disso, é
importante expor a complexidade do processo de
conflito e cooperação inerente à relação entre poder
público e atores da sociedade civil.
Perspectivas
 Desenvolvimento de uma nova CULTURA
POLÍTICA PÚBLICA no país, construída a partir
de critérios do campo dos direitos (sociais,
econômicos, políticos e culturais). Uma nova
cultura ética com civilidade e respeito ao outro.
 Essa nova cultura política se contrapõe à
tradição autoritária que desconhece a existência
de esferas públicas, assim como se contrapõe,
também, às práticas clientelistas ou corporativas
de grupos patrimonialistas, oligárquicos, ou
modernos/privatistas.
Perspectivas
 Trata-se de uma cultura política gerada por
processos nos quais os diferentes interesses
são reconhecidos, representados e negociados,
via mediações sociopolíticas e culturais.
Algumas dificuldades
 Poucas avaliações em relação à participação
e ao desenvolvimento de políticas públicas
 A baixa representatividade da liderança comunitária
 Burocracia
 Falta de vínculo entre as diferentes classes sociais
Desafios
a) Qualificação da participação da sociedade civil
b) Ampliação da esfera pública
c) Fortalecimento da participação e do controle social
nos espaços instituídos formais e não formais
Priorização da formação,
utilizando metodologias
que compartilhem o saber,
o poder e o fazer.
Recomendações
 Desenvolver metodologias essencialmente
participativas de mobilização das comunidades
 Confiança: a participação requer acreditar
 É necessário mudar o modelo: promover que as
pessoas participem ao invés de esperar que as
instituições convidem as pessoas a participarem
 Compartilhar valores e trocar experiências
 É necessário que se estabeleça uma construção
coletiva do conhecimento
Recomendações
 Reconhecer a existência de níveis de
participação e compreender os processos
de poder identificando o impacto e os
resultados da participação
 Estar atento às relações do Estado
com a sociedade civil
 Estimular a sistematização de experiências
de participação
 Promover processos de formação de liderança
com vistas à participação
Leituras recomendadas
Brasil. Presidência da República. Secretaria-Geral. Revista Democracia e
Participação / Secretaria Geral. – v. 1, n. 1 (abril-jun.2014). Edição Especial –
Brasília : SG, 2014-v. : il. – Trimestral
http://www.secretariageral.gov.br/iniciativas/revista-democracia-e-participacao/revista-1-1
FONSECA, Poty Colaço. A Intersetorialidade na Agenda das Políticas
Sociais. Rev. adm. contemp., Curitiba , v. 19, n. 1, p.
169, Feb. 2015. http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-
65552015000100013&lng=en&nrm=iso
Leituras recomendadas
Gohn, Maria da Gloria: Educação não-formal, participação
da sociedade civil e estruturas colegiadas nas escolas:
http://www.scielo.br/pdf/ensaio/v14n50/30405
Gohn, Maria da Gloria: Empoderamento e participação
da comunidade em políticas sociais.
http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0104-12902004000200003&script=sci_arttext
GOHN, Maria da Glória. Movimentos Sociais e Redes de Mobilizações
Civis no Brasil Contemporâneo. Petrópolis, RJ: Vozes, 2010. Resenha em
http://periodicos.unb.br/index.php/SER_Social/article/view/1025/685
Leituras recomendadas
Gohn, Maria da Gloria: Participação de representantes
da sociedade civil na esfera pública na América Latina.
https://periodicos.ufsc.br/index.php/politica/article/download/2175-7984.2011v10n18p233/17542
LUCHMANN, Lígia Helena Hahn. A representação
no interior das experiências de participação. Revista
Lua Nova.São Paulo: Cedec, n. 70, p. 139-170, 2007.
http://www.scielo.br/pdf/ln/n70/a07n70.pdf
Bibliografia
BORDENAVE, Juan E. Dias. O que é Participação. (7ª
ed.) São Paulo: Editora Brasiliense, 1992 (Coleção
Primeiros Passos, nº 95).
CASTELLS, Manuel. A sociedade em rede. São Paulo:
Paz e Terra, 1999. 698 p. (A era da informação:
economia, sociedade e cultura; v. 1)
DALLARI, Dalmo de Abreu. O que é participação política.
5. ed. São Paulo: Abril Cultural: Brasiliense, 1984. 99 p.
(Coleção primeiros passos; v.104)
DEMO, Pedro. Participação é conquista. São Paulo:
Cortez, 1999
Bibliografia
DOWBOR, Ladislau. A reprodução social,
descentralização e participação: as novas tendências.
Ed. em três volumes, rev. e atual. Petrópolis, RJ: Vozes,
2003. 126 p.
GOHN, Maria da Glória Marcondes. Conselhos gestores
e participação sociopolítica. 3. ed. São Paulo: Cortez,
2007. 120 p. (Questões da nossa época; v. 84)
GOHN, Maria da Gloria: Empoderamento e participação
da comunidade em políticas sociais.
http://www.revistas.usp.br/sausoc/article/download/7113/8586
Aula1- Participação Social

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

Aula de Filosofia - 2ª Série do Ensino Médio
Aula de Filosofia - 2ª Série do Ensino MédioAula de Filosofia - 2ª Série do Ensino Médio
Aula de Filosofia - 2ª Série do Ensino Médio
 
Sociologia e Sociedade
Sociologia e SociedadeSociologia e Sociedade
Sociologia e Sociedade
 
Individuo sociedade
Individuo sociedadeIndividuo sociedade
Individuo sociedade
 
Filosofia Política
Filosofia PolíticaFilosofia Política
Filosofia Política
 
Movimentos Sociais
Movimentos SociaisMovimentos Sociais
Movimentos Sociais
 
Socialização
SocializaçãoSocialização
Socialização
 
Cidadania
CidadaniaCidadania
Cidadania
 
Comunidade & Sociedade
Comunidade & SociedadeComunidade & Sociedade
Comunidade & Sociedade
 
O QUE É SOCIOLOGIA?
O QUE É SOCIOLOGIA?O QUE É SOCIOLOGIA?
O QUE É SOCIOLOGIA?
 
Escola para o sec XXI
Escola para o sec XXIEscola para o sec XXI
Escola para o sec XXI
 
Surgimento da Sociologia
Surgimento da SociologiaSurgimento da Sociologia
Surgimento da Sociologia
 
Minorias Sociais
Minorias SociaisMinorias Sociais
Minorias Sociais
 
Introdução à Sociologia
Introdução à SociologiaIntrodução à Sociologia
Introdução à Sociologia
 
Sociologia, Cultura e Sociedade
Sociologia, Cultura e SociedadeSociologia, Cultura e Sociedade
Sociologia, Cultura e Sociedade
 
Democracia
DemocraciaDemocracia
Democracia
 
Aula 15 - Estado e Governo
Aula 15 - Estado e GovernoAula 15 - Estado e Governo
Aula 15 - Estado e Governo
 
Democracia
DemocraciaDemocracia
Democracia
 
Diversidade ppt
Diversidade pptDiversidade ppt
Diversidade ppt
 
Introduçao a sociologia
Introduçao a sociologiaIntroduçao a sociologia
Introduçao a sociologia
 
Processo de socialização
Processo de socializaçãoProcesso de socialização
Processo de socialização
 

Destaque

Modulo de lazer e participação social final
Modulo de lazer e participação social finalModulo de lazer e participação social final
Modulo de lazer e participação social final3Terapeutasocupacionais
 
Um sistema estatal de participação social?
Um sistema estatal de participação social?Um sistema estatal de participação social?
Um sistema estatal de participação social?augustodefranco .
 
Participação social via projetos
Participação social via projetosParticipação social via projetos
Participação social via projetosUTFPR
 
Aula2 Participação nas Políticas
Aula2 Participação nas PolíticasAula2 Participação nas Políticas
Aula2 Participação nas Políticaseadcedaps
 
Aula2 Participação nas Políticas
Aula2 Participação nas PolíticasAula2 Participação nas Políticas
Aula2 Participação nas Políticaseadcedaps
 
Aula 2 - Uso de dados
Aula 2 - Uso de dadosAula 2 - Uso de dados
Aula 2 - Uso de dadoseadcedaps
 
Aula 1 - Uso de dados
Aula 1 - Uso de dadosAula 1 - Uso de dados
Aula 1 - Uso de dadoseadcedaps
 
Aula 3 - Exemplos de uso
Aula 3 - Exemplos de usoAula 3 - Exemplos de uso
Aula 3 - Exemplos de usoeadcedaps
 
Aula 2 Intersetorialidade
Aula 2   IntersetorialidadeAula 2   Intersetorialidade
Aula 2 Intersetorialidadeeadcedaps
 
Aula 1 Intersetorialidade
Aula 1   IntersetorialidadeAula 1   Intersetorialidade
Aula 1 Intersetorialidadeeadcedaps
 
Intersetorialidade divulgacao (1)
Intersetorialidade divulgacao (1)Intersetorialidade divulgacao (1)
Intersetorialidade divulgacao (1)Rosane Domingues
 
Desenvolvimento local ok pronta pra enviar
Desenvolvimento local  ok pronta pra enviarDesenvolvimento local  ok pronta pra enviar
Desenvolvimento local ok pronta pra enviarsoljeniffer
 
Gestão pública e transformação social no brasil
Gestão pública e transformação social no brasilGestão pública e transformação social no brasil
Gestão pública e transformação social no brasilJuuh Rodrigues
 
Aula 3 Metodologia Instrumentos
Aula 3 Metodologia InstrumentosAula 3 Metodologia Instrumentos
Aula 3 Metodologia Instrumentoseadcedaps
 
Rede - Intersetorialidade - Necessidades em saúde
Rede - Intersetorialidade - Necessidades em saúdeRede - Intersetorialidade - Necessidades em saúde
Rede - Intersetorialidade - Necessidades em saúdeferaps
 

Destaque (20)

Modulo de lazer e participação social final
Modulo de lazer e participação social finalModulo de lazer e participação social final
Modulo de lazer e participação social final
 
Um sistema estatal de participação social?
Um sistema estatal de participação social?Um sistema estatal de participação social?
Um sistema estatal de participação social?
 
Participação social via projetos
Participação social via projetosParticipação social via projetos
Participação social via projetos
 
Aula2 Participação nas Políticas
Aula2 Participação nas PolíticasAula2 Participação nas Políticas
Aula2 Participação nas Políticas
 
Aula2 Participação nas Políticas
Aula2 Participação nas PolíticasAula2 Participação nas Políticas
Aula2 Participação nas Políticas
 
Aula 2 - Uso de dados
Aula 2 - Uso de dadosAula 2 - Uso de dados
Aula 2 - Uso de dados
 
Aula 1 - Uso de dados
Aula 1 - Uso de dadosAula 1 - Uso de dados
Aula 1 - Uso de dados
 
Aula 3 - Exemplos de uso
Aula 3 - Exemplos de usoAula 3 - Exemplos de uso
Aula 3 - Exemplos de uso
 
Aula 2 Intersetorialidade
Aula 2   IntersetorialidadeAula 2   Intersetorialidade
Aula 2 Intersetorialidade
 
Politica e participação social
Politica e participação socialPolitica e participação social
Politica e participação social
 
Aula 1 Intersetorialidade
Aula 1   IntersetorialidadeAula 1   Intersetorialidade
Aula 1 Intersetorialidade
 
Intersetorialidade
IntersetorialidadeIntersetorialidade
Intersetorialidade
 
Intersetorialidade divulgacao (1)
Intersetorialidade divulgacao (1)Intersetorialidade divulgacao (1)
Intersetorialidade divulgacao (1)
 
Desenvolvimento local ok pronta pra enviar
Desenvolvimento local  ok pronta pra enviarDesenvolvimento local  ok pronta pra enviar
Desenvolvimento local ok pronta pra enviar
 
Participação Social
Participação SocialParticipação Social
Participação Social
 
Gestão pública e transformação social no brasil
Gestão pública e transformação social no brasilGestão pública e transformação social no brasil
Gestão pública e transformação social no brasil
 
Intersetorialidade e políticas socias
Intersetorialidade e políticas sociasIntersetorialidade e políticas socias
Intersetorialidade e políticas socias
 
Aula 3 Metodologia Instrumentos
Aula 3 Metodologia InstrumentosAula 3 Metodologia Instrumentos
Aula 3 Metodologia Instrumentos
 
Gestão pública e intersetorialidade
Gestão pública e intersetorialidadeGestão pública e intersetorialidade
Gestão pública e intersetorialidade
 
Rede - Intersetorialidade - Necessidades em saúde
Rede - Intersetorialidade - Necessidades em saúdeRede - Intersetorialidade - Necessidades em saúde
Rede - Intersetorialidade - Necessidades em saúde
 

Semelhante a Aula1- Participação Social

Participação social (Definição de conceitos).pptx
Participação social (Definição de conceitos).pptxParticipação social (Definição de conceitos).pptx
Participação social (Definição de conceitos).pptxEvertonDemetrio
 
6ª cnferência estadual de saúde do ceará 20 a 23.09.2011 - participação e c...
6ª cnferência estadual de saúde do ceará   20 a 23.09.2011 - participação e c...6ª cnferência estadual de saúde do ceará   20 a 23.09.2011 - participação e c...
6ª cnferência estadual de saúde do ceará 20 a 23.09.2011 - participação e c...Alinebrauna Brauna
 
Democracia, participação social e saúde
Democracia, participação social e saúdeDemocracia, participação social e saúde
Democracia, participação social e saúdeRegina M F Gomes
 
Apresentação mmmmmm
 Apresentação mmmmmm Apresentação mmmmmm
Apresentação mmmmmmlovvyy
 
A participação da comunidade na gestão escolar dádiva ou conquista
A participação da comunidade na gestão escolar   dádiva ou conquistaA participação da comunidade na gestão escolar   dádiva ou conquista
A participação da comunidade na gestão escolar dádiva ou conquistaUBIRAJARA COUTO LIMA
 
12 cp5prof. rodrigo ovídio
12 cp5prof. rodrigo ovídio12 cp5prof. rodrigo ovídio
12 cp5prof. rodrigo ovídioOvidioMauricio
 
Atps de desenvolvimento Local e Territorialização 8º semestre
Atps de desenvolvimento Local e Territorialização  8º semestre Atps de desenvolvimento Local e Territorialização  8º semestre
Atps de desenvolvimento Local e Territorialização 8º semestre Adryanna Silva
 
Pluralidade Cultural e Etnia
Pluralidade Cultural e EtniaPluralidade Cultural e Etnia
Pluralidade Cultural e EtniaWelton Castro
 
União da juventude do campo e cidade
União da juventude do campo e  cidadeUnião da juventude do campo e  cidade
União da juventude do campo e cidadeAdilson P Motta Motta
 
Metodologias Participativas -Slides Mini Curso, dez 2013
Metodologias Participativas -Slides Mini Curso, dez 2013Metodologias Participativas -Slides Mini Curso, dez 2013
Metodologias Participativas -Slides Mini Curso, dez 2013Cleide Magáli dos Santos
 
Sociedade civil, participação e cidadania.de que estamos falando
Sociedade civil, participação e cidadania.de que estamos falandoSociedade civil, participação e cidadania.de que estamos falando
Sociedade civil, participação e cidadania.de que estamos falandoAlvaro Gomes
 
Cidadania e poder local
Cidadania e poder localCidadania e poder local
Cidadania e poder localKarla Cardoso
 
Plano de Ação do Compromisso Nacional pela Participação Social - Guia Técnico...
Plano de Ação do Compromisso Nacional pela Participação Social - Guia Técnico...Plano de Ação do Compromisso Nacional pela Participação Social - Guia Técnico...
Plano de Ação do Compromisso Nacional pela Participação Social - Guia Técnico...Colaborativismo
 
Plano de Ação do Compromisso Nacional pela Participação Social - Guia Técnico...
Plano de Ação do Compromisso Nacional pela Participação Social - Guia Técnico...Plano de Ação do Compromisso Nacional pela Participação Social - Guia Técnico...
Plano de Ação do Compromisso Nacional pela Participação Social - Guia Técnico...Danilo de Azevedo
 
Deafios da contemporaneidade
Deafios da contemporaneidadeDeafios da contemporaneidade
Deafios da contemporaneidadeWhennya Cabral
 

Semelhante a Aula1- Participação Social (20)

Participação social (Definição de conceitos).pptx
Participação social (Definição de conceitos).pptxParticipação social (Definição de conceitos).pptx
Participação social (Definição de conceitos).pptx
 
6ª cnferência estadual de saúde do ceará 20 a 23.09.2011 - participação e c...
6ª cnferência estadual de saúde do ceará   20 a 23.09.2011 - participação e c...6ª cnferência estadual de saúde do ceará   20 a 23.09.2011 - participação e c...
6ª cnferência estadual de saúde do ceará 20 a 23.09.2011 - participação e c...
 
Conselhos gestores
Conselhos gestoresConselhos gestores
Conselhos gestores
 
Conselhos gestores
Conselhos gestoresConselhos gestores
Conselhos gestores
 
Democracia, participação social e saúde
Democracia, participação social e saúdeDemocracia, participação social e saúde
Democracia, participação social e saúde
 
Apresentação mmmmmm
 Apresentação mmmmmm Apresentação mmmmmm
Apresentação mmmmmm
 
A participação da comunidade na gestão escolar dádiva ou conquista
A participação da comunidade na gestão escolar   dádiva ou conquistaA participação da comunidade na gestão escolar   dádiva ou conquista
A participação da comunidade na gestão escolar dádiva ou conquista
 
Conselho Gestores de Políticas Públicas
Conselho Gestores de Políticas PúblicasConselho Gestores de Políticas Públicas
Conselho Gestores de Políticas Públicas
 
Artigo_Conselho Gestores de Políticas Públicas
Artigo_Conselho Gestores de Políticas PúblicasArtigo_Conselho Gestores de Políticas Públicas
Artigo_Conselho Gestores de Políticas Públicas
 
12 cp5prof. rodrigo ovídio
12 cp5prof. rodrigo ovídio12 cp5prof. rodrigo ovídio
12 cp5prof. rodrigo ovídio
 
Atps de desenvolvimento Local e Territorialização 8º semestre
Atps de desenvolvimento Local e Territorialização  8º semestre Atps de desenvolvimento Local e Territorialização  8º semestre
Atps de desenvolvimento Local e Territorialização 8º semestre
 
Pluralidade Cultural e Etnia
Pluralidade Cultural e EtniaPluralidade Cultural e Etnia
Pluralidade Cultural e Etnia
 
Artigogadotti final
Artigogadotti finalArtigogadotti final
Artigogadotti final
 
União da juventude do campo e cidade
União da juventude do campo e  cidadeUnião da juventude do campo e  cidade
União da juventude do campo e cidade
 
Metodologias Participativas -Slides Mini Curso, dez 2013
Metodologias Participativas -Slides Mini Curso, dez 2013Metodologias Participativas -Slides Mini Curso, dez 2013
Metodologias Participativas -Slides Mini Curso, dez 2013
 
Sociedade civil, participação e cidadania.de que estamos falando
Sociedade civil, participação e cidadania.de que estamos falandoSociedade civil, participação e cidadania.de que estamos falando
Sociedade civil, participação e cidadania.de que estamos falando
 
Cidadania e poder local
Cidadania e poder localCidadania e poder local
Cidadania e poder local
 
Plano de Ação do Compromisso Nacional pela Participação Social - Guia Técnico...
Plano de Ação do Compromisso Nacional pela Participação Social - Guia Técnico...Plano de Ação do Compromisso Nacional pela Participação Social - Guia Técnico...
Plano de Ação do Compromisso Nacional pela Participação Social - Guia Técnico...
 
Plano de Ação do Compromisso Nacional pela Participação Social - Guia Técnico...
Plano de Ação do Compromisso Nacional pela Participação Social - Guia Técnico...Plano de Ação do Compromisso Nacional pela Participação Social - Guia Técnico...
Plano de Ação do Compromisso Nacional pela Participação Social - Guia Técnico...
 
Deafios da contemporaneidade
Deafios da contemporaneidadeDeafios da contemporaneidade
Deafios da contemporaneidade
 

Último

"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"Ilda Bicacro
 
Acróstico - Maio Laranja
Acróstico  - Maio Laranja Acróstico  - Maio Laranja
Acróstico - Maio Laranja Mary Alvarenga
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...azulassessoria9
 
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdfTema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdfAnaAugustaLagesZuqui
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.HandersonFabio
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxIlda Bicacro
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdfaulasgege
 
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdfTestes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdfCsarBaltazar1
 
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdfROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdfMarcianaClaudioClaud
 
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptxAspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptxprofbrunogeo95
 
transcrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de línguatranscrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de línguaKelly Mendes
 
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdfLindinhaSilva1
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoVALMIRARIBEIRO1
 
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasLivro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasMonizeEvellin2
 
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigasPeça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigasBibliotecaViatodos
 
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfSQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfAndersonW5
 
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdfUFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdfManuais Formação
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteLeonel Morgado
 
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVASAPRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVASricardo644666
 

Último (20)

662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
 
Acróstico - Maio Laranja
Acróstico  - Maio Laranja Acróstico  - Maio Laranja
Acróstico - Maio Laranja
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
 
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdfTema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
 
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdfTestes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
 
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdfROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
 
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptxAspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
 
transcrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de línguatranscrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de língua
 
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
 
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasLivro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
 
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigasPeça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
 
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfSQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
 
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdfUFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
 
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVASAPRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
 

Aula1- Participação Social

  • 1. Participação social Afinal, do que se trata? CURSO Curso EaD Participação Social Aula 1
  • 2. Participação vem da palavra parte. Participação é fazer parte, tomar parte ou ter parte. (Bordenave,1994, p.22)
  • 3. Participação é...  Uma forma de ação individual ou coletiva que implica um esforço racional e intencional de indivíduos e grupos nos processos de tomada de decisão, por meio de uma conduta colaborativa e coletiva, de inserção em espaços formais e informais de deliberação e desenvolvimento de uma democracia.  A participação facilita o crescimento da consciência crítica da população, fortalece seu poder de reivindicação e a prepara para adquirir mais poder na sociedade (BORDENAVE, 1994).
  • 4.  Participação significa acesso ao poder. Poder para tomar decisões, para alocar recursos, para iniciar e encerrar projetos (BROSE, 2001).  Um processo que se inicia quando várias pessoas decidem compartilhar suas necessidades, aspirações e experiências, com o objetivo de melhorar suas condições de vida. Participação é... Tomar parte é um estado intenso de participação!!
  • 5. O que as organizações internacionais dizem sobre participação:  Programa das Nações Unidas Para o Desenvolvimento - PNUD: “A participação é um elemento essencial do desenvolvimento humano” e “as pessoas desejam avanços permanentes em direção a uma participação total”.  Banco Interamericano de Desenvolvimento – BID: “A participação não é simplesmente uma ideia, mas uma nova forma de cooperação para o desenvolvimento”.  Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico – OECD: Reconhece que “a participação mais ampla de todas as pessoas é o principal fator para fortalecer a cooperação para o desenvolvimento”.
  • 6. Valores da Participação  Apresenta ação individual e coletiva  Implica tomar parte no processo de decisão  Tem uma conduta coletiva  Tem uma conduta colaborativa  Estabelece um processo de troca
  • 7. Pressupostos  Perspectiva de direitos humanos  Respeito ao consenso  Conhecimento informado  Reconhecimento e respeito à interculturalidade  Reconhecimento de sua complexidade
  • 8. Princípios gerais da participação  É um recurso para o desenvolvimento social  Deve levar em conta a realidade da população e seu território  Para que se manifeste, é necessário que se “empodere” as pessoas nos direitos que as assistem  A privatização e a burocratização dos espaços de participação provocam a desmobilização dos movimentos sociais
  • 9. Princípios gerais da participação  A privatização e a burocratização dos espaços de participação provocam a desmobilização dos movimentos sociais  Gera competência e capacidade na população  Garante a continuidade dos processos  Melhora o relacionamento entre a comunidade e o poder público  Transforma as dificuldades/problemas em uma construção coletiva
  • 10. Participar para quê?  É necessário ter claro o porquê de participar e a capacidade  Fomentar a habilidade de construção das capacidades relativas às políticas de negociação  Níveis de participação: necessidade de ampliar os espaços de participação nos diferentes contextos e ao longo da vida
  • 11. Etapas pedagógicas da participação  Reflexão  Escuta e Diálogo  Deliberação e Consenso  Ação Propositiva PARTICIPAÇÃO DIVERSA PARTICIPAÇÃO ABERTA PARTICIPAÇÃO ATIVA
  • 12. Democracia participativa A democracia participativa seria então aquela em que os cidadãos sentem que, por “fazerem parte” da nação, “têm parte” real na sua condução e por isso “tomam parte” – cada qual em seu ambiente - na construção de uma nova sociedade da qual se “sentem parte”. A prova de fogo da participação não é o quanto se toma parte, mas como se toma parte.
  • 14. Participação Cidadã Redefine os laços entre o espaço institucional e as práticas da sociedade civil organizada, de forma que não haja nem a recusa à participação da sociedade civil organizada, nem a participação movida pela polaridade do antagonismo a priori, e nem sua absorção pela máquina estatal. Isso se dá porque o Estado reconhece a existência dos conflitos na sociedade e as divergências nas formas de equacionamento e resolução das questões sociais, entre os diferentes grupos, e participa da arena de negociação entre eles.
  • 15. Reflexões sobre Participação Social  A participação da sociedade civil na esfera pública - via conselhos e outras formas institucionalizadas - não é para substituir o Estado, mas para lutar para que este cumpra seu dever: propiciar educação, saúde e demais serviços sociais com QUALIDADE e para todos.  Essa participação deve ser ativa e deve considerar a experiência de cada cidadão que nela se insere. Não tratá-los como corpos amorfos a serem enquadrados em estruturas prévias, num modelo pragmatista.
  • 16. Reflexões sobre Participação Social  Existem entidades que buscam a mera integração dos excluídos por meio da participação comunitária em políticas sociais exclusivamente compensatórias.  Outras que, por meio de redes e fóruns sociais, inspirados em um novo modelo civilizatório, no qual a cidadania, a ética, a justiça e a igualdade social sejam imperativos, prioritários e inegociáveis. Estas podem ser chamadas de "reativas”.
  • 17. Reflexões sobre Participação Social  Desenhos institucionais dos canais de participação social devem priorizar a garantia da pluralidade e o fortalecimento da sociedade civil, elementos fundamentais para o aprofundamento da democracia.  É imprescindível que haja engajamento institucional das organizações da sociedade civil e dos movimentos sociais em instituições participativas sobre seus padrões de ação coletiva. Além disso, é importante expor a complexidade do processo de conflito e cooperação inerente à relação entre poder público e atores da sociedade civil.
  • 18. Perspectivas  Desenvolvimento de uma nova CULTURA POLÍTICA PÚBLICA no país, construída a partir de critérios do campo dos direitos (sociais, econômicos, políticos e culturais). Uma nova cultura ética com civilidade e respeito ao outro.  Essa nova cultura política se contrapõe à tradição autoritária que desconhece a existência de esferas públicas, assim como se contrapõe, também, às práticas clientelistas ou corporativas de grupos patrimonialistas, oligárquicos, ou modernos/privatistas.
  • 19. Perspectivas  Trata-se de uma cultura política gerada por processos nos quais os diferentes interesses são reconhecidos, representados e negociados, via mediações sociopolíticas e culturais.
  • 20. Algumas dificuldades  Poucas avaliações em relação à participação e ao desenvolvimento de políticas públicas  A baixa representatividade da liderança comunitária  Burocracia  Falta de vínculo entre as diferentes classes sociais
  • 21. Desafios a) Qualificação da participação da sociedade civil b) Ampliação da esfera pública c) Fortalecimento da participação e do controle social nos espaços instituídos formais e não formais Priorização da formação, utilizando metodologias que compartilhem o saber, o poder e o fazer.
  • 22. Recomendações  Desenvolver metodologias essencialmente participativas de mobilização das comunidades  Confiança: a participação requer acreditar  É necessário mudar o modelo: promover que as pessoas participem ao invés de esperar que as instituições convidem as pessoas a participarem  Compartilhar valores e trocar experiências  É necessário que se estabeleça uma construção coletiva do conhecimento
  • 23. Recomendações  Reconhecer a existência de níveis de participação e compreender os processos de poder identificando o impacto e os resultados da participação  Estar atento às relações do Estado com a sociedade civil  Estimular a sistematização de experiências de participação  Promover processos de formação de liderança com vistas à participação
  • 24. Leituras recomendadas Brasil. Presidência da República. Secretaria-Geral. Revista Democracia e Participação / Secretaria Geral. – v. 1, n. 1 (abril-jun.2014). Edição Especial – Brasília : SG, 2014-v. : il. – Trimestral http://www.secretariageral.gov.br/iniciativas/revista-democracia-e-participacao/revista-1-1 FONSECA, Poty Colaço. A Intersetorialidade na Agenda das Políticas Sociais. Rev. adm. contemp., Curitiba , v. 19, n. 1, p. 169, Feb. 2015. http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415- 65552015000100013&lng=en&nrm=iso
  • 25. Leituras recomendadas Gohn, Maria da Gloria: Educação não-formal, participação da sociedade civil e estruturas colegiadas nas escolas: http://www.scielo.br/pdf/ensaio/v14n50/30405 Gohn, Maria da Gloria: Empoderamento e participação da comunidade em políticas sociais. http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0104-12902004000200003&script=sci_arttext GOHN, Maria da Glória. Movimentos Sociais e Redes de Mobilizações Civis no Brasil Contemporâneo. Petrópolis, RJ: Vozes, 2010. Resenha em http://periodicos.unb.br/index.php/SER_Social/article/view/1025/685
  • 26. Leituras recomendadas Gohn, Maria da Gloria: Participação de representantes da sociedade civil na esfera pública na América Latina. https://periodicos.ufsc.br/index.php/politica/article/download/2175-7984.2011v10n18p233/17542 LUCHMANN, Lígia Helena Hahn. A representação no interior das experiências de participação. Revista Lua Nova.São Paulo: Cedec, n. 70, p. 139-170, 2007. http://www.scielo.br/pdf/ln/n70/a07n70.pdf
  • 27. Bibliografia BORDENAVE, Juan E. Dias. O que é Participação. (7ª ed.) São Paulo: Editora Brasiliense, 1992 (Coleção Primeiros Passos, nº 95). CASTELLS, Manuel. A sociedade em rede. São Paulo: Paz e Terra, 1999. 698 p. (A era da informação: economia, sociedade e cultura; v. 1) DALLARI, Dalmo de Abreu. O que é participação política. 5. ed. São Paulo: Abril Cultural: Brasiliense, 1984. 99 p. (Coleção primeiros passos; v.104) DEMO, Pedro. Participação é conquista. São Paulo: Cortez, 1999
  • 28. Bibliografia DOWBOR, Ladislau. A reprodução social, descentralização e participação: as novas tendências. Ed. em três volumes, rev. e atual. Petrópolis, RJ: Vozes, 2003. 126 p. GOHN, Maria da Glória Marcondes. Conselhos gestores e participação sociopolítica. 3. ed. São Paulo: Cortez, 2007. 120 p. (Questões da nossa época; v. 84) GOHN, Maria da Gloria: Empoderamento e participação da comunidade em políticas sociais. http://www.revistas.usp.br/sausoc/article/download/7113/8586