SlideShare uma empresa Scribd logo
ESCOLA TÉCNICA ESTADUAL AGRÍCOLA DE PALMARES

ETEAP

Construções e Instalações Rurais
MATERIAIS
DE
CONSTRUÇÃO

Construções e Instalações Rurais
Área de Zootecnia - ETEAP
Materiais de Construção
1. Materiais Litóides (Denomina-se pedra de

construção toda classe de rochas que pode ser empregada na

 
Pedra
Areia
Saibro
Gesso
Cal
Betume
Cimento

construção).

•
•
•
•
•
•
•
.Pedra








As mais utilizadas são as sílico-argilosas, gnais, granitos e
alguns calcários.
Não devem sofrer decomposição por agentes externos como a
umidade e o calor.
Pode ser empregada:
Em bruto: sob a forma de pedra britada;
Aparelhada: para serviços de cantaria.
A pedra britada é classificada de 0 a 4, em ordem crescente,
conforme o tamanho das suas partículas. O uso dos vários
tipos de brita dependerá dos fins a que se destinam.
.









Areia
Forma-se na superfície da Terra pela fragmentação das rochas
por erosão, por ação do vento ou da água. Material de origem
mineral finalmente dividido em grânulos, composta
basicamente de dióxido de silício.
É utilizada nas construções em aterros, execução de
argamassas e concretos e também no fabrico de vidro. Deve
ser procedente de rios ou de minas, não podendo ser usadas
as provenientes de regiões salinas ou de praia à beira-mar.
O tamanho de seus grãos tem importância nas características
dos materiais que a utilizam como componente.
Classificadas em:
- Fina e média: são utilizadas para serviços de revestimento
fino;
- Grossa: composição de argamassas para emboço e na
confecção do concreto simples.
.Saibro


Resulta da decomposição de rochas do tipo gnais. Material que
mistura argila e areia, muito utilizado em quadras de tênis.



Encontrado em 2 tipos: áspero e macio.



Quanto mais macio, maior é o seu teor de argila, conseqüentemente,
de melhor qualidade.



Na construção é utilizado no preparo de argamassas para
assentamento de tijolos, ladrilhos e certos tipos de revestimento.
.Gesso







Obtido através da decomposição da gipsita (sulfato de cálcio
biidratado).
Triturado e levado ao forno a 128º C e depois pulverizado.
Misturado com água, endurece rapidamente, adquirindo forma
definitiva de 8 a 12 minutos.
Existem vários tipos de gesso, cada um preparado para uma
determinada função: cerâmica, decoração, moldes dentários e
também na modelagem e fixação de placas para forro e na
fundição de molduras.
Na construção é empregado na fabricação de placas e na
ornamentação interna das construções.
.Cal











Obtida pela decomposição, através do calor (900º a 1000ºC), do
calcário (carbonato de cálcio - CaCO3) e também pela calcinação de
conchas.
Tipos:
- Cal viva: óxido de cálcio (CaO);
- Cal hidratada (Ca(OH)2): reação da cal virgem com água.
Usos da cal:
- Estabilização de solos como aglomerante e cimentante (na
proporção de 5 a 8% em volume da mistura solo-cal);
- Obtenção de argamassas de assentamento e revestimento como
plastificante, retentor de água e de incorporação de agregados (com
ou sem aditivos, em geral nas proporções de 13 a 17% dos volumes);
- Misturas asfálticas como neutralizador de acidez e reforçador de
propriedades físicas (em geral, 1% das misturas);
- Fabricação de blocos construtivos como agente aglomerante e
cimentante (em geral, 5 a 7% do volume do bloco).
.Betume









Mistura sólida, pastosa ou mesmo líquida de compostos
químicos (hidrocarbonetos) que pode aparecer na natureza ou
obtida em processo de destilação do petróleo, chamado
betume asfáltico ou asfalto.
Substância facilmente inflamável, de cor escura e pegajosa. É
constituído de carbono e hidrogênio, dentre outras
substâncias.
Do betume são obtidos vernizes, massas de revestimento e
bases para pintura.
Na construção é empregado na impermeabilização e
pavimentação de ruas e estradas.
O betume é popularmente conhecido como piche.
Dentre suas inúmeras utilidades é usado para tratar madeiras,
como de curral por exemplo, prolonga a vida útil e protege de
cupim.
.Cimento







Aglomerante artificial básico, principal material usado na
construção.
Na sua fabricação utiliza-se como matéria-prima o calcário,
que é a matéria-prima principal, argila e gesso.
Geralmente fornecido em embalagem original de fábrica com
caracteres bem visíveis de marca, peso líquido, marca da
fábrica e local da fabricação.
Nacional: 25kg ou 50kg.
Deve ser armazenado em local seco e abrigado. Se estiver em
depósito por mais de 4 meses, deve-se fazer uma verificação
prévia do seu poder de pega.
Materiais de Construção

2. Produtos Cerâmicos
Materiais cuja matéria-prima básica é a
argila, a qual resulta da decomposição das
rochas feldspáticas, chamada argila gorda,
como também pode ser formada pela ação
dos ventos e das chuvas, denominando-se
assim argila magra.
Materiais de Construção
 Tijolo

São denominados: - Tijolo cru;
- Tijolo cozido.
Tipos: - Maciço;
- Furado (lajotas).
.Tijolo












Para sua fabricação deve-se ter cuidado na escolha da argila, que
deve ser isenta de matéria orgânica (MO), CaCO3 e compostos
sulforosos.
De acordo com o tipo de preparo são denominados em:
- Tijolo cru;
- Tijolo cozido.
O tijolo de boa qualidade deve ser cozido, não ter manchas escuras,
nem areia em excesso. Quando percurtido, emite um som
característico.
Tipos:
- Maciço: dimensões variando de 25 a 26 cm de comprimento, 11 a 13
de largura e 6 a 7 cm de altura;
- Furado (lajotas): dimensões de 10 x 20 x 20 cm e 10 x 20 x 30 cm.
As lajotas são os tijolos mais utilizados na construção para
fechamento de vãos, paredes que suportam pequenas cargas e
também em pisos isolantes de calor e ruído.
Materiais de Construção
 Telha

Tipos: - Canal ou canoa;
- Francesa:
 Manilha

- Tubo de barro instalado no subterrâneo para
conduzir águas servidas;
- Devem ser resistentes, não porosas e apresentar a
superfície interna vidrada.
.Telha








Deve-se observar os mesmos cuidados na escolha
da argila, que deve ser “gorda”.
Tipos:
- Canal ou canoa;
- Francesa: geralmente mais utilizada por ser mais
econômica, resistente, exigindo madeiramento do
telhado mais leve e de fácil colocação.
A telha de boa qualidade deve apresentar as
mesmas características de um bom tijolo.
.Manilha







Processo de fabricação praticamente igual ao do
tijolo e da telha.
Tubo de barro, de grandes dimensões, instalado no
subterrâneo para conduzir águas servidas.
As roscas são feitas antes de ser colocada no forno.
As manilhas devem ser resistentes, não porosas e
apresentar a superfície interna vidrada, o que se
consegue adicionando-se sal durante a permanência
no forno.
Materiais de Construção
 Azulejos

e Ladrilhos

Produtos cerâmicos chamados compactos.
Cuidados especiais:
- Bem cozidos;
- Superfície perfeitamente acabada;
- Impermeáveis e de boa resistência.
.Azulejos e Ladrilhos










Produtos cerâmicos chamados compactos.
Azulejo - uma peça de cerâmica de pouca espessura,
geralmente quadrada, em que uma das faces é vidrada,
resultado da cozedura de uma substância à base de esmalte
que se torna impermeável e brilhante.
Ladrilho - pequena placa de cerâmica, mármore, mosaico, etc.,
de vários formatos, utilizada para constituir um revestimento.
São peças em geral quadradas ou retangulares, de cerâmica,
de barro cozido ou de cimento, empregada no revestimento de
paredes ou de pavimentos.
Cuidados especiais:
- Bem cozidos;
- Superfície perfeitamente acabada;
- Impermeáveis e de boa resistência.
Materiais de Construção
3. Madeira
Utilização: instalações para pequenos animais;
economicamente mais vantajosa; facilidade e rapidez na
execução dos serviços.
Defeitos: - Ocos na parte interna;
- Falta de retidão do eixo da árvore.
 
Características mecânicas e de resistência:
- De lei: peroba do campo, aroeira, angico, ipê, eucalipto, etc;
- Branca: pinho, jequitibá, jenipapo, etc.
.Madeira














Um dos materiais mais empregados em todos os ramos da indústria da
construção, pois resisti bem aos esforços mecânicos, sendo mais leve e mais
trabalhável que o aço.
Sua utilização é de suma importância tratando-se de construções rurais,
principalmente nas instalações para pequenos animais, sendo economicamente
vantajosa, como também proporcionando facilidade e rapidez na execução dos
serviços.
Para a escolha da madeira de boa qualidade deve-se observar que ela seja
seca, desempenada e sem furos. A madeira verde com a perda da umidade se
contrai, aparecendo rachaduras.
Principais defeitos:
- Ocos na parte interna (podridão seca);
- Falta de retidão do eixo da árvore: proveniente do abaixamento brusco da
temperatura na fase do crescimento da árvore.
De acordo com as características mecânicas e de resistência:
- De lei: pesadas e raramente atacadas por insetos – peroba do campo, aroeira,
angico, ipê, eucalipto, etc;
- Branca: mais leves, de pouca resistência, durabilidade e cor clara – pinho,
jequitibá, jenipapo, etc.
Materiais de Construção
 Conservação
-

das madeiras:

Pintura com piche ou creosoto;

- Pintura à base de outros produtos químicos;
-

Queima superficial;

- Envenenamento da madeira.
Materiais de Construção
4. Outros produtos industriais
 Ferro
Metal mais empregado nas construções.
Composição: C , Si, Cr, V e Ni;
Vergalhões: Fe e C - 0,30 a 0,40% (aço doce)
.Ferro

 Metal

mais empregado nas construções. O
ferro industrial é uma liga em que entra o C
e, em casos especiais, outros metais como:
Si, Cr, V e Ni.
 Os vergalhões utilizados na construção são
fabricados de aço, que é uma liga de Fe e
C, onde o C entra na proporção de 0,30 a
0,40%, resultando o aço doce.
Materiais de Construção


Amianto ou Fibro-cimento

- + de 90% de cimento e - de 10% de fibras de amianto
crisotila;
- Material com grande flexibilidade e resistências tênsil,
química, térmica e elétrica muito elevadas;
- Encontra-se no mercado produtos de cimento-amianto
de marcas conhecidas, como: Eternit, Brasilit, Civilit,
Tecno, Sano, etc;
- Os principais são: telhas, calhas, condutores, caixasd’água e caixas de descarga.
Materiais de Construção
•

 Plásticos – PVC
- Um dos materiais mais recentes da indústria
química.

Utilização: - Nas tubulações de água e esgotos;
Vantagens: - Não sofrem ações corrosivas;
- Facilidade de manuseio.
Desvantagens: - Pouca resistência aos choques;
- Não utilizar em abastecimento de
água quente e gás.
Materiais de Construção
Materiais de Construção
Exercício de Fixação
1. Fale sobre a utilização, procedência e classificação
da areia.
2. Indique a matéria-prima e explique quais os
cuidados que devemos tomar no armazenamento do
cimento.
3. Fale sobre como a pedra pode ser empregada e a
classificação que recebe quando britada.
4. Indique as formas de obtenção do betume e
explique suas formas de utilização nas construções
rurais.
Materiais de Construção
Exercício de Fixação
5. Enumere a segunda coluna de acordo com a primeira:
( 1 ) Pedra
( ) Deve ser seca, desempenada e sem furos.
( 2 ) Gesso ( ) Apresenta superfície interna vidrada.
( 3 ) Cimento ( ) Não deve sofrer decomposição por agentes externos.
( 4 ) Tijolo ( ) Obtido através da decomposição da gipsita.
( 5 ) Manilha ( ) Metal mais empregado nas construções.
( 6 ) Azulejo ( ) Principal material usado na construção.
( 7 ) Madeira ( ) Quando percutido, emite um som característico.
( 8 ) Ferro ( ) Destinados às instalações elétricas, hidráulicas e outros .
( 9 ) Amianto ( ) Material com grande flexibilidade e resistência
(10) Plásticos ( ) Peça cerâmica em que uma das faces é vidrada.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Manejo e conservação do solo - Terraceamento
Manejo e conservação do solo - Terraceamento Manejo e conservação do solo - Terraceamento
Manejo e conservação do solo - Terraceamento
Ediney Dias
 
Aula instalacoes aves
Aula instalacoes avesAula instalacoes aves
Aula instalacoes aves
nice1961
 
07 oficina rural
07   oficina rural07   oficina rural
07 oficina rural
Romulo Vinicius Tio Rominho
 
Instalações e construções para suinocultura
Instalações e construções para suinoculturaInstalações e construções para suinocultura
Instalações e construções para suinocultura
velton12
 
Ambiência em edificações rurais
Ambiência em edificações ruraisAmbiência em edificações rurais
Ambiência em edificações rurais
Josimar Oliveira
 
Origem e formação do solo
Origem e formação do soloOrigem e formação do solo
Origem e formação do solo
Fabíola Mello
 
Silagem (milho, sorgo, capim)
Silagem (milho, sorgo, capim)Silagem (milho, sorgo, capim)
Silagem (milho, sorgo, capim)
Brenda Bueno
 
Dimensionamento de silos
Dimensionamento de silosDimensionamento de silos
Dimensionamento de silos
Aurielle Medeiros
 
Instalações de aves
Instalações de avesInstalações de aves
Instalações de aves
Layane Ribeiro Mascarenhas
 
Manejo Integrado de Pragas
Manejo Integrado de PragasManejo Integrado de Pragas
Manejo Integrado de Pragas
AgriculturaSustentavel
 
Morfologia do solo
Morfologia do soloMorfologia do solo
Morfologia do solo
Elvio Giasson
 
Sistemas de produção de suínos
Sistemas de produção de suínosSistemas de produção de suínos
Sistemas de produção de suínos
Marília Gomes
 
Apostila forragicultura.
Apostila forragicultura.Apostila forragicultura.
Apostila forragicultura.
Denysson Amorim
 
Características físicas gerais dos solos
Características físicas gerais dos solosCaracterísticas físicas gerais dos solos
Características físicas gerais dos solos
Jadson Belem de Moura
 
Métodos de pastejo
Métodos de pastejoMétodos de pastejo
Métodos de pastejo
Aurielle Medeiros
 
Manejo e conservação dos solos
Manejo e conservação dos solosManejo e conservação dos solos
Manejo e conservação dos solos
Jadson Belem de Moura
 
Aula 1.1 classificação dos tratores agrícolas
Aula 1.1   classificação dos tratores agrícolasAula 1.1   classificação dos tratores agrícolas
Aula 1.1 classificação dos tratores agrícolas
Paski333
 
Sistemas de criação para ovinos e caprinos
Sistemas de criação para ovinos e caprinosSistemas de criação para ovinos e caprinos
Sistemas de criação para ovinos e caprinos
Killer Max
 
Melhoramento genético e produção de semente para a cultura do Milho
Melhoramento genético e produção de semente para a cultura do MilhoMelhoramento genético e produção de semente para a cultura do Milho
Melhoramento genético e produção de semente para a cultura do Milho
Geagra UFG
 
Gestão da propriedade agrícola modulo iii
Gestão da propriedade agrícola modulo iiiGestão da propriedade agrícola modulo iii
Gestão da propriedade agrícola modulo iii
Rita de Cássia Freitas
 

Mais procurados (20)

Manejo e conservação do solo - Terraceamento
Manejo e conservação do solo - Terraceamento Manejo e conservação do solo - Terraceamento
Manejo e conservação do solo - Terraceamento
 
Aula instalacoes aves
Aula instalacoes avesAula instalacoes aves
Aula instalacoes aves
 
07 oficina rural
07   oficina rural07   oficina rural
07 oficina rural
 
Instalações e construções para suinocultura
Instalações e construções para suinoculturaInstalações e construções para suinocultura
Instalações e construções para suinocultura
 
Ambiência em edificações rurais
Ambiência em edificações ruraisAmbiência em edificações rurais
Ambiência em edificações rurais
 
Origem e formação do solo
Origem e formação do soloOrigem e formação do solo
Origem e formação do solo
 
Silagem (milho, sorgo, capim)
Silagem (milho, sorgo, capim)Silagem (milho, sorgo, capim)
Silagem (milho, sorgo, capim)
 
Dimensionamento de silos
Dimensionamento de silosDimensionamento de silos
Dimensionamento de silos
 
Instalações de aves
Instalações de avesInstalações de aves
Instalações de aves
 
Manejo Integrado de Pragas
Manejo Integrado de PragasManejo Integrado de Pragas
Manejo Integrado de Pragas
 
Morfologia do solo
Morfologia do soloMorfologia do solo
Morfologia do solo
 
Sistemas de produção de suínos
Sistemas de produção de suínosSistemas de produção de suínos
Sistemas de produção de suínos
 
Apostila forragicultura.
Apostila forragicultura.Apostila forragicultura.
Apostila forragicultura.
 
Características físicas gerais dos solos
Características físicas gerais dos solosCaracterísticas físicas gerais dos solos
Características físicas gerais dos solos
 
Métodos de pastejo
Métodos de pastejoMétodos de pastejo
Métodos de pastejo
 
Manejo e conservação dos solos
Manejo e conservação dos solosManejo e conservação dos solos
Manejo e conservação dos solos
 
Aula 1.1 classificação dos tratores agrícolas
Aula 1.1   classificação dos tratores agrícolasAula 1.1   classificação dos tratores agrícolas
Aula 1.1 classificação dos tratores agrícolas
 
Sistemas de criação para ovinos e caprinos
Sistemas de criação para ovinos e caprinosSistemas de criação para ovinos e caprinos
Sistemas de criação para ovinos e caprinos
 
Melhoramento genético e produção de semente para a cultura do Milho
Melhoramento genético e produção de semente para a cultura do MilhoMelhoramento genético e produção de semente para a cultura do Milho
Melhoramento genético e produção de semente para a cultura do Milho
 
Gestão da propriedade agrícola modulo iii
Gestão da propriedade agrícola modulo iiiGestão da propriedade agrícola modulo iii
Gestão da propriedade agrícola modulo iii
 

Destaque

Manual de Ordenha
Manual de OrdenhaManual de Ordenha
Manual de Ordenha
Portal Canal Rural
 
Inst gado leit_bio_digest_apres
Inst gado leit_bio_digest_apresInst gado leit_bio_digest_apres
Inst gado leit_bio_digest_apres
Cristina Marino de Souza
 
Materiais de construções
Materiais de construçõesMateriais de construções
Materiais de construções
charlessousa192
 
gado deLeite
gado deLeitegado deLeite
gado deLeite
Silvio Lopes
 
Instalações e equipamentos bovino de corte pasto e confinamento
Instalações e equipamentos bovino de corte   pasto e confinamentoInstalações e equipamentos bovino de corte   pasto e confinamento
Instalações e equipamentos bovino de corte pasto e confinamento
Lucas Camilo
 
Rotina de ordenha mecânica1
Rotina de ordenha mecânica1Rotina de ordenha mecânica1
Rotina de ordenha mecânica1
UTAD
 
Aula 1 - materiais de construção - cimento
Aula 1 - materiais de construção - cimentoAula 1 - materiais de construção - cimento
Aula 1 - materiais de construção - cimento
profNICODEMOS
 
Boas praticas de manejo na ordenha
Boas praticas de manejo na ordenhaBoas praticas de manejo na ordenha
Boas praticas de manejo na ordenha
Mario Eduardo Bianconi Baldini
 
Introdução Etologia e bem-estar animal - etologia e bem-estar animal
Introdução Etologia e bem-estar animal - etologia e bem-estar animalIntrodução Etologia e bem-estar animal - etologia e bem-estar animal
Introdução Etologia e bem-estar animal - etologia e bem-estar animal
Marília Gomes
 
Manual de Construções Rurais Soja Plus
Manual de Construções Rurais   Soja PlusManual de Construções Rurais   Soja Plus
Manual de Construções Rurais Soja Plus
equipeagroplus
 
Manual de Ordenha Manual de Bovinos
Manual de Ordenha Manual de BovinosManual de Ordenha Manual de Bovinos
Manual de Ordenha Manual de Bovinos
Sérgio Amaral
 
Manual de Confinamento de Bovinos de Corte da Guabi
Manual de Confinamento de Bovinos de Corte da GuabiManual de Confinamento de Bovinos de Corte da Guabi
Manual de Confinamento de Bovinos de Corte da Guabi
Sérgio Amaral
 
Apostila de materiais de construçao
Apostila de materiais de construçaoApostila de materiais de construçao
Apostila de materiais de construçao
Engenharia em Perspectiva
 
Aglomerantes
AglomerantesAglomerantes
Aglomerantes
Adalberto Vieira
 
Metais (construções)
Metais (construções)Metais (construções)
Metais (construções)
Ana Cristina
 
Projeto Terminação em Semi Confinamento
Projeto Terminação em Semi ConfinamentoProjeto Terminação em Semi Confinamento
Projeto Terminação em Semi Confinamento
TopBrasil
 
Materiais utilizados na Construção de Edificações
Materiais utilizados na Construção de EdificaçõesMateriais utilizados na Construção de Edificações
Materiais utilizados na Construção de Edificações
Marcelo Magalhaes Barbosa
 
Bovinocultura de Corte
Bovinocultura de Corte Bovinocultura de Corte
Bovinocultura de Corte
Carlos Robério Maia Bandeira
 
Ação civil1
Ação civil1Ação civil1
Ação civil1
Tudo Sobre Floripa
 
A metamorfose da rocha
A metamorfose da rocha  A metamorfose da rocha
A metamorfose da rocha
Cícero Alves
 

Destaque (20)

Manual de Ordenha
Manual de OrdenhaManual de Ordenha
Manual de Ordenha
 
Inst gado leit_bio_digest_apres
Inst gado leit_bio_digest_apresInst gado leit_bio_digest_apres
Inst gado leit_bio_digest_apres
 
Materiais de construções
Materiais de construçõesMateriais de construções
Materiais de construções
 
gado deLeite
gado deLeitegado deLeite
gado deLeite
 
Instalações e equipamentos bovino de corte pasto e confinamento
Instalações e equipamentos bovino de corte   pasto e confinamentoInstalações e equipamentos bovino de corte   pasto e confinamento
Instalações e equipamentos bovino de corte pasto e confinamento
 
Rotina de ordenha mecânica1
Rotina de ordenha mecânica1Rotina de ordenha mecânica1
Rotina de ordenha mecânica1
 
Aula 1 - materiais de construção - cimento
Aula 1 - materiais de construção - cimentoAula 1 - materiais de construção - cimento
Aula 1 - materiais de construção - cimento
 
Boas praticas de manejo na ordenha
Boas praticas de manejo na ordenhaBoas praticas de manejo na ordenha
Boas praticas de manejo na ordenha
 
Introdução Etologia e bem-estar animal - etologia e bem-estar animal
Introdução Etologia e bem-estar animal - etologia e bem-estar animalIntrodução Etologia e bem-estar animal - etologia e bem-estar animal
Introdução Etologia e bem-estar animal - etologia e bem-estar animal
 
Manual de Construções Rurais Soja Plus
Manual de Construções Rurais   Soja PlusManual de Construções Rurais   Soja Plus
Manual de Construções Rurais Soja Plus
 
Manual de Ordenha Manual de Bovinos
Manual de Ordenha Manual de BovinosManual de Ordenha Manual de Bovinos
Manual de Ordenha Manual de Bovinos
 
Manual de Confinamento de Bovinos de Corte da Guabi
Manual de Confinamento de Bovinos de Corte da GuabiManual de Confinamento de Bovinos de Corte da Guabi
Manual de Confinamento de Bovinos de Corte da Guabi
 
Apostila de materiais de construçao
Apostila de materiais de construçaoApostila de materiais de construçao
Apostila de materiais de construçao
 
Aglomerantes
AglomerantesAglomerantes
Aglomerantes
 
Metais (construções)
Metais (construções)Metais (construções)
Metais (construções)
 
Projeto Terminação em Semi Confinamento
Projeto Terminação em Semi ConfinamentoProjeto Terminação em Semi Confinamento
Projeto Terminação em Semi Confinamento
 
Materiais utilizados na Construção de Edificações
Materiais utilizados na Construção de EdificaçõesMateriais utilizados na Construção de Edificações
Materiais utilizados na Construção de Edificações
 
Bovinocultura de Corte
Bovinocultura de Corte Bovinocultura de Corte
Bovinocultura de Corte
 
Ação civil1
Ação civil1Ação civil1
Ação civil1
 
A metamorfose da rocha
A metamorfose da rocha  A metamorfose da rocha
A metamorfose da rocha
 

Semelhante a Aula de construções

Tijolo ceramico
Tijolo ceramicoTijolo ceramico
Tijolo ceramico
Carlos Elson Cunha
 
Ceramica e betuminoso
Ceramica e betuminosoCeramica e betuminoso
Ceramica e betuminoso
Simone Reis
 
Aula 2 cimento e outros aglomerantes v3
Aula 2  cimento e outros aglomerantes v3Aula 2  cimento e outros aglomerantes v3
Aula 2 cimento e outros aglomerantes v3
profNICODEMOS
 
Cerâmicas
CerâmicasCerâmicas
Cerâmicas
Aquiles Campagnaro
 
Aula 2 cimento e outros aglomerantes
Aula 2  cimento e outros aglomerantes Aula 2  cimento e outros aglomerantes
Aula 2 cimento e outros aglomerantes
profNICODEMOS
 
Aglomerantes cimento-cal-gesso-material auxiliar mc2015
Aglomerantes cimento-cal-gesso-material auxiliar mc2015Aglomerantes cimento-cal-gesso-material auxiliar mc2015
Aglomerantes cimento-cal-gesso-material auxiliar mc2015
profNICODEMOS
 
Apresentação de rochas
Apresentação de rochasApresentação de rochas
Apresentação de rochas
Lucas Samuel Rosa
 
Pedras Naturais e PisosLaminados
Pedras Naturais e PisosLaminados Pedras Naturais e PisosLaminados
Pedras Naturais e PisosLaminados
francibiondo
 
Revestimento industrial
Revestimento industrialRevestimento industrial
Revestimento industrial
rayssaaelias
 
Aula indústria de cerâmicas.pdf
Aula indústria de cerâmicas.pdfAula indústria de cerâmicas.pdf
Aula indústria de cerâmicas.pdf
MAITSILVA5
 
3º e 4 aula agregados e concreto
3º e 4 aula   agregados e concreto3º e 4 aula   agregados e concreto
3º e 4 aula agregados e concreto
profNICODEMOS
 
Industria do Cimento
Industria do CimentoIndustria do Cimento
Industria do Cimento
Aldo Henrique
 
Aula 06 cimento
Aula 06  cimentoAula 06  cimento
Aula 06 cimento
Maria Izala
 
Aula8materiais 120604063301-phpapp01
Aula8materiais 120604063301-phpapp01Aula8materiais 120604063301-phpapp01
Aula8materiais 120604063301-phpapp01
Rebeca Conceição da Silva Reis
 
AULA COSNTRUÇÃO 09.05.pptx
AULA COSNTRUÇÃO 09.05.pptxAULA COSNTRUÇÃO 09.05.pptx
AULA COSNTRUÇÃO 09.05.pptx
BebelSantos4
 
Deterioração de Paredes em Alvenaria de Tijolo Furado
Deterioração de Paredes em Alvenaria de Tijolo FuradoDeterioração de Paredes em Alvenaria de Tijolo Furado
Deterioração de Paredes em Alvenaria de Tijolo Furado
Pequicho , Filomeno
 
Aula 7 argamassas
Aula 7   argamassasAula 7   argamassas
Aula 7 argamassas
profNICODEMOS
 
Paredes Tipos, funções e processos construtivos
Paredes  Tipos, funções e processos construtivosParedes  Tipos, funções e processos construtivos
Paredes Tipos, funções e processos construtivos
ancostar
 
Materiais Cimentícios - aglomerantes, agregados, argamassas, concreto
Materiais  Cimentícios - aglomerantes, agregados, argamassas, concretoMateriais  Cimentícios - aglomerantes, agregados, argamassas, concreto
Materiais Cimentícios - aglomerantes, agregados, argamassas, concreto
Matheus Garcia
 
aula 4 CIMENTO 2023.pptx
aula 4 CIMENTO 2023.pptxaula 4 CIMENTO 2023.pptx
aula 4 CIMENTO 2023.pptx
CamilaCamposGomezFam
 

Semelhante a Aula de construções (20)

Tijolo ceramico
Tijolo ceramicoTijolo ceramico
Tijolo ceramico
 
Ceramica e betuminoso
Ceramica e betuminosoCeramica e betuminoso
Ceramica e betuminoso
 
Aula 2 cimento e outros aglomerantes v3
Aula 2  cimento e outros aglomerantes v3Aula 2  cimento e outros aglomerantes v3
Aula 2 cimento e outros aglomerantes v3
 
Cerâmicas
CerâmicasCerâmicas
Cerâmicas
 
Aula 2 cimento e outros aglomerantes
Aula 2  cimento e outros aglomerantes Aula 2  cimento e outros aglomerantes
Aula 2 cimento e outros aglomerantes
 
Aglomerantes cimento-cal-gesso-material auxiliar mc2015
Aglomerantes cimento-cal-gesso-material auxiliar mc2015Aglomerantes cimento-cal-gesso-material auxiliar mc2015
Aglomerantes cimento-cal-gesso-material auxiliar mc2015
 
Apresentação de rochas
Apresentação de rochasApresentação de rochas
Apresentação de rochas
 
Pedras Naturais e PisosLaminados
Pedras Naturais e PisosLaminados Pedras Naturais e PisosLaminados
Pedras Naturais e PisosLaminados
 
Revestimento industrial
Revestimento industrialRevestimento industrial
Revestimento industrial
 
Aula indústria de cerâmicas.pdf
Aula indústria de cerâmicas.pdfAula indústria de cerâmicas.pdf
Aula indústria de cerâmicas.pdf
 
3º e 4 aula agregados e concreto
3º e 4 aula   agregados e concreto3º e 4 aula   agregados e concreto
3º e 4 aula agregados e concreto
 
Industria do Cimento
Industria do CimentoIndustria do Cimento
Industria do Cimento
 
Aula 06 cimento
Aula 06  cimentoAula 06  cimento
Aula 06 cimento
 
Aula8materiais 120604063301-phpapp01
Aula8materiais 120604063301-phpapp01Aula8materiais 120604063301-phpapp01
Aula8materiais 120604063301-phpapp01
 
AULA COSNTRUÇÃO 09.05.pptx
AULA COSNTRUÇÃO 09.05.pptxAULA COSNTRUÇÃO 09.05.pptx
AULA COSNTRUÇÃO 09.05.pptx
 
Deterioração de Paredes em Alvenaria de Tijolo Furado
Deterioração de Paredes em Alvenaria de Tijolo FuradoDeterioração de Paredes em Alvenaria de Tijolo Furado
Deterioração de Paredes em Alvenaria de Tijolo Furado
 
Aula 7 argamassas
Aula 7   argamassasAula 7   argamassas
Aula 7 argamassas
 
Paredes Tipos, funções e processos construtivos
Paredes  Tipos, funções e processos construtivosParedes  Tipos, funções e processos construtivos
Paredes Tipos, funções e processos construtivos
 
Materiais Cimentícios - aglomerantes, agregados, argamassas, concreto
Materiais  Cimentícios - aglomerantes, agregados, argamassas, concretoMateriais  Cimentícios - aglomerantes, agregados, argamassas, concreto
Materiais Cimentícios - aglomerantes, agregados, argamassas, concreto
 
aula 4 CIMENTO 2023.pptx
aula 4 CIMENTO 2023.pptxaula 4 CIMENTO 2023.pptx
aula 4 CIMENTO 2023.pptx
 

Aula de construções

  • 1. ESCOLA TÉCNICA ESTADUAL AGRÍCOLA DE PALMARES ETEAP Construções e Instalações Rurais
  • 3. Materiais de Construção 1. Materiais Litóides (Denomina-se pedra de construção toda classe de rochas que pode ser empregada na   Pedra Areia Saibro Gesso Cal Betume Cimento construção). • • • • • • •
  • 4. .Pedra      As mais utilizadas são as sílico-argilosas, gnais, granitos e alguns calcários. Não devem sofrer decomposição por agentes externos como a umidade e o calor. Pode ser empregada: Em bruto: sob a forma de pedra britada; Aparelhada: para serviços de cantaria. A pedra britada é classificada de 0 a 4, em ordem crescente, conforme o tamanho das suas partículas. O uso dos vários tipos de brita dependerá dos fins a que se destinam.
  • 5. .       Areia Forma-se na superfície da Terra pela fragmentação das rochas por erosão, por ação do vento ou da água. Material de origem mineral finalmente dividido em grânulos, composta basicamente de dióxido de silício. É utilizada nas construções em aterros, execução de argamassas e concretos e também no fabrico de vidro. Deve ser procedente de rios ou de minas, não podendo ser usadas as provenientes de regiões salinas ou de praia à beira-mar. O tamanho de seus grãos tem importância nas características dos materiais que a utilizam como componente. Classificadas em: - Fina e média: são utilizadas para serviços de revestimento fino; - Grossa: composição de argamassas para emboço e na confecção do concreto simples.
  • 6. .Saibro  Resulta da decomposição de rochas do tipo gnais. Material que mistura argila e areia, muito utilizado em quadras de tênis.  Encontrado em 2 tipos: áspero e macio.  Quanto mais macio, maior é o seu teor de argila, conseqüentemente, de melhor qualidade.  Na construção é utilizado no preparo de argamassas para assentamento de tijolos, ladrilhos e certos tipos de revestimento.
  • 7. .Gesso      Obtido através da decomposição da gipsita (sulfato de cálcio biidratado). Triturado e levado ao forno a 128º C e depois pulverizado. Misturado com água, endurece rapidamente, adquirindo forma definitiva de 8 a 12 minutos. Existem vários tipos de gesso, cada um preparado para uma determinada função: cerâmica, decoração, moldes dentários e também na modelagem e fixação de placas para forro e na fundição de molduras. Na construção é empregado na fabricação de placas e na ornamentação interna das construções.
  • 8. .Cal         Obtida pela decomposição, através do calor (900º a 1000ºC), do calcário (carbonato de cálcio - CaCO3) e também pela calcinação de conchas. Tipos: - Cal viva: óxido de cálcio (CaO); - Cal hidratada (Ca(OH)2): reação da cal virgem com água. Usos da cal: - Estabilização de solos como aglomerante e cimentante (na proporção de 5 a 8% em volume da mistura solo-cal); - Obtenção de argamassas de assentamento e revestimento como plastificante, retentor de água e de incorporação de agregados (com ou sem aditivos, em geral nas proporções de 13 a 17% dos volumes); - Misturas asfálticas como neutralizador de acidez e reforçador de propriedades físicas (em geral, 1% das misturas); - Fabricação de blocos construtivos como agente aglomerante e cimentante (em geral, 5 a 7% do volume do bloco).
  • 9. .Betume       Mistura sólida, pastosa ou mesmo líquida de compostos químicos (hidrocarbonetos) que pode aparecer na natureza ou obtida em processo de destilação do petróleo, chamado betume asfáltico ou asfalto. Substância facilmente inflamável, de cor escura e pegajosa. É constituído de carbono e hidrogênio, dentre outras substâncias. Do betume são obtidos vernizes, massas de revestimento e bases para pintura. Na construção é empregado na impermeabilização e pavimentação de ruas e estradas. O betume é popularmente conhecido como piche. Dentre suas inúmeras utilidades é usado para tratar madeiras, como de curral por exemplo, prolonga a vida útil e protege de cupim.
  • 10. .Cimento      Aglomerante artificial básico, principal material usado na construção. Na sua fabricação utiliza-se como matéria-prima o calcário, que é a matéria-prima principal, argila e gesso. Geralmente fornecido em embalagem original de fábrica com caracteres bem visíveis de marca, peso líquido, marca da fábrica e local da fabricação. Nacional: 25kg ou 50kg. Deve ser armazenado em local seco e abrigado. Se estiver em depósito por mais de 4 meses, deve-se fazer uma verificação prévia do seu poder de pega.
  • 11. Materiais de Construção 2. Produtos Cerâmicos Materiais cuja matéria-prima básica é a argila, a qual resulta da decomposição das rochas feldspáticas, chamada argila gorda, como também pode ser formada pela ação dos ventos e das chuvas, denominando-se assim argila magra.
  • 12. Materiais de Construção  Tijolo São denominados: - Tijolo cru; - Tijolo cozido. Tipos: - Maciço; - Furado (lajotas).
  • 13. .Tijolo          Para sua fabricação deve-se ter cuidado na escolha da argila, que deve ser isenta de matéria orgânica (MO), CaCO3 e compostos sulforosos. De acordo com o tipo de preparo são denominados em: - Tijolo cru; - Tijolo cozido. O tijolo de boa qualidade deve ser cozido, não ter manchas escuras, nem areia em excesso. Quando percurtido, emite um som característico. Tipos: - Maciço: dimensões variando de 25 a 26 cm de comprimento, 11 a 13 de largura e 6 a 7 cm de altura; - Furado (lajotas): dimensões de 10 x 20 x 20 cm e 10 x 20 x 30 cm. As lajotas são os tijolos mais utilizados na construção para fechamento de vãos, paredes que suportam pequenas cargas e também em pisos isolantes de calor e ruído.
  • 14. Materiais de Construção  Telha Tipos: - Canal ou canoa; - Francesa:  Manilha - Tubo de barro instalado no subterrâneo para conduzir águas servidas; - Devem ser resistentes, não porosas e apresentar a superfície interna vidrada.
  • 15. .Telha      Deve-se observar os mesmos cuidados na escolha da argila, que deve ser “gorda”. Tipos: - Canal ou canoa; - Francesa: geralmente mais utilizada por ser mais econômica, resistente, exigindo madeiramento do telhado mais leve e de fácil colocação. A telha de boa qualidade deve apresentar as mesmas características de um bom tijolo.
  • 16. .Manilha     Processo de fabricação praticamente igual ao do tijolo e da telha. Tubo de barro, de grandes dimensões, instalado no subterrâneo para conduzir águas servidas. As roscas são feitas antes de ser colocada no forno. As manilhas devem ser resistentes, não porosas e apresentar a superfície interna vidrada, o que se consegue adicionando-se sal durante a permanência no forno.
  • 17. Materiais de Construção  Azulejos e Ladrilhos Produtos cerâmicos chamados compactos. Cuidados especiais: - Bem cozidos; - Superfície perfeitamente acabada; - Impermeáveis e de boa resistência.
  • 18. .Azulejos e Ladrilhos        Produtos cerâmicos chamados compactos. Azulejo - uma peça de cerâmica de pouca espessura, geralmente quadrada, em que uma das faces é vidrada, resultado da cozedura de uma substância à base de esmalte que se torna impermeável e brilhante. Ladrilho - pequena placa de cerâmica, mármore, mosaico, etc., de vários formatos, utilizada para constituir um revestimento. São peças em geral quadradas ou retangulares, de cerâmica, de barro cozido ou de cimento, empregada no revestimento de paredes ou de pavimentos. Cuidados especiais: - Bem cozidos; - Superfície perfeitamente acabada; - Impermeáveis e de boa resistência.
  • 19. Materiais de Construção 3. Madeira Utilização: instalações para pequenos animais; economicamente mais vantajosa; facilidade e rapidez na execução dos serviços. Defeitos: - Ocos na parte interna; - Falta de retidão do eixo da árvore.   Características mecânicas e de resistência: - De lei: peroba do campo, aroeira, angico, ipê, eucalipto, etc; - Branca: pinho, jequitibá, jenipapo, etc.
  • 20. .Madeira          Um dos materiais mais empregados em todos os ramos da indústria da construção, pois resisti bem aos esforços mecânicos, sendo mais leve e mais trabalhável que o aço. Sua utilização é de suma importância tratando-se de construções rurais, principalmente nas instalações para pequenos animais, sendo economicamente vantajosa, como também proporcionando facilidade e rapidez na execução dos serviços. Para a escolha da madeira de boa qualidade deve-se observar que ela seja seca, desempenada e sem furos. A madeira verde com a perda da umidade se contrai, aparecendo rachaduras. Principais defeitos: - Ocos na parte interna (podridão seca); - Falta de retidão do eixo da árvore: proveniente do abaixamento brusco da temperatura na fase do crescimento da árvore. De acordo com as características mecânicas e de resistência: - De lei: pesadas e raramente atacadas por insetos – peroba do campo, aroeira, angico, ipê, eucalipto, etc; - Branca: mais leves, de pouca resistência, durabilidade e cor clara – pinho, jequitibá, jenipapo, etc.
  • 21. Materiais de Construção  Conservação - das madeiras: Pintura com piche ou creosoto; - Pintura à base de outros produtos químicos; - Queima superficial; - Envenenamento da madeira.
  • 22. Materiais de Construção 4. Outros produtos industriais  Ferro Metal mais empregado nas construções. Composição: C , Si, Cr, V e Ni; Vergalhões: Fe e C - 0,30 a 0,40% (aço doce)
  • 23. .Ferro  Metal mais empregado nas construções. O ferro industrial é uma liga em que entra o C e, em casos especiais, outros metais como: Si, Cr, V e Ni.  Os vergalhões utilizados na construção são fabricados de aço, que é uma liga de Fe e C, onde o C entra na proporção de 0,30 a 0,40%, resultando o aço doce.
  • 24. Materiais de Construção  Amianto ou Fibro-cimento - + de 90% de cimento e - de 10% de fibras de amianto crisotila; - Material com grande flexibilidade e resistências tênsil, química, térmica e elétrica muito elevadas; - Encontra-se no mercado produtos de cimento-amianto de marcas conhecidas, como: Eternit, Brasilit, Civilit, Tecno, Sano, etc; - Os principais são: telhas, calhas, condutores, caixasd’água e caixas de descarga.
  • 25. Materiais de Construção •  Plásticos – PVC - Um dos materiais mais recentes da indústria química. Utilização: - Nas tubulações de água e esgotos; Vantagens: - Não sofrem ações corrosivas; - Facilidade de manuseio. Desvantagens: - Pouca resistência aos choques; - Não utilizar em abastecimento de água quente e gás.
  • 27. Materiais de Construção Exercício de Fixação 1. Fale sobre a utilização, procedência e classificação da areia. 2. Indique a matéria-prima e explique quais os cuidados que devemos tomar no armazenamento do cimento. 3. Fale sobre como a pedra pode ser empregada e a classificação que recebe quando britada. 4. Indique as formas de obtenção do betume e explique suas formas de utilização nas construções rurais.
  • 28. Materiais de Construção Exercício de Fixação 5. Enumere a segunda coluna de acordo com a primeira: ( 1 ) Pedra ( ) Deve ser seca, desempenada e sem furos. ( 2 ) Gesso ( ) Apresenta superfície interna vidrada. ( 3 ) Cimento ( ) Não deve sofrer decomposição por agentes externos. ( 4 ) Tijolo ( ) Obtido através da decomposição da gipsita. ( 5 ) Manilha ( ) Metal mais empregado nas construções. ( 6 ) Azulejo ( ) Principal material usado na construção. ( 7 ) Madeira ( ) Quando percutido, emite um som característico. ( 8 ) Ferro ( ) Destinados às instalações elétricas, hidráulicas e outros . ( 9 ) Amianto ( ) Material com grande flexibilidade e resistência (10) Plásticos ( ) Peça cerâmica em que uma das faces é vidrada.