SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 54
Baixar para ler offline
Instituto Federal de Educação, Ciência
      e Tecnologia do Norte de Minas Gerais
                 Campus Almenara




Instalações para Bovinos de Leite

              Disciplina: Construções Rurais e Ambiência
                 Professor: Luiz Fernando Rocha Botelho


                       Almenara- MG
                       Agosto - 2012
Sistema Intensivo
• Sistema mais adotado: “free stall”

  • Galpão para descanso das vacas
  • Área de comedouro e bebedouro
  • Ligação facilitada aos silos e fábrica de ração
  • Controle de limpeza
  • Pé direito : 4,0 a 4,5 m
  • Sala de ordenha normalmente automatizada
Sistema Extensivo
• Maioria: gado mestiço, dupla apitidão
• O leite é subproduto
• Uma ordenha diária
• Curral rústico e precário com pouca higiene
• Vacas soltas em cercado com os bezerros
• Bezerreiro
• Não é feito controle de cobertura  baixa
  eficiência reprodutiva
Sistema Semi-intensivo
• Adoção de gado mais selecionado em relação ao
  extensivo
• Divisão em lotes por categoria ou produtividade
• Comum rotação de pastagem
• Comum adotar IA Vacas problemas são
  descartadas
• Instalações mais elaboradas em relação ao
  extensivo
• Sistema de resfriamento e conservação do leite
• Adota-se: capineira, currais de alimentação e de
  espera
Fases do Sistema Semi-Intensivo
• 1ª Fase: Maternidade (piquete – pasto)
 • Raças Européias: de 1 a 3 dias de idade em
   companhia da vaca  colostro

• 2ª Fase: Bezerreiros
 • Baias individuais: 1,0 x 1,5 a 1,8 m até 30 a 60
   dias de idade
 • Baias Coletivas: até 8 animais/baia, de 30 a 60
   dias até 4 a 5 meses de idade  2 a 2,5 m2/cab
Cuidado com a Higiene
Fases do Sistema Semi-Intensivo
• 3ª Fase: Novilhas

  • 4º ou 5º mês de idade até 3 meses antes da 1ª
    parição
  • Piquete – pasto: 75 a 200 m2/cab
  • Abrigos: 2,5 m2/cab
  • Comedouro: 0,5 a 0,7 m / cab
  • 1ª Cobertura: 16 aos 18 meses de idade
  • 1ª Parição: volta de 27 meses de idade
Fases do Sistema Semi-Intensivo
• 4ª Fase: 90 dias antes do parto  novilhas
  manejadas no grupo de vacas secas
 • Piquetes de 300 m2/cab de área de pastejo
 • Abrigos, comedouros e bebedouros

• 5ª Fase: 1 semana antes do parto até 1 a 3 dias
  após o parto  maternidade
• 6ª Fase: Vacas voltam ao rebanho leiteiro
  • Bezerras  bezerreiro
  • Bezerros  descarte ou bezerreiros
Vacas em Produção
• Batedouros: piquetes cercados, localizados
  próximo ao estábulo (distância < 1,0km)
 • Saleiro, bebedouro, comedouros cobertos
• Curral de volumosos: pela manhã antes da
  1ª ordenha:
 • 5 a 8 m2/cab, contendo comedouros
   (0,7m/cab), e bebedouros (40L/cab/dia).
Comedouro de Volumosos
Comedouro para Volumosos
Curral de Volumosos
• Forma quadrada, circular ou retangular
• Comedouro simples (acesso por um lado)
  ou duplo
• Espaço à frente: comprimento da vaca (1,8 a
  2,0 m) + espaço para circulação (0,7 a 2,0m
  / vaca
• Piso: pedras graníticas retangulares,
  concreto capeado com argamassa a areia
  grossa
Curral de Volumoso
• Declividade: 1 a 3 %
• Divisórias:
  • altura de 1,35 a 1,6 m
  • seção de 15 a 20 cm
  • espaçados de 1,5 a 2,0 m
  • tábuas de (15 x 3cm. 17 x 3,5cm, 20 x 4cm)
  • Alternativa: 5 a 8 fios de arame liso ovalado,
    distância entre esteios de 6m e balancins a
    cada 2m
Curral de Espera
• Agrupar os animais que serão ordenhados
• 2,5 m2 / cab
• Exigido na produção de leite tipo “B”
  quando não dispõe de curral de
  volumosos concretado
• Conter apenas bebedouro
• Mesmas dimensões e técnicas para o
  curral de volumosos  apenas bebedouro
Curral de Espera
• Complementos:
 • Lava pés: 6,0 x 1,0 x 0,2 m
 • Pedilúvio coberto: 2,5 x 1,0 x 0,2 m contendo
   solução preventiva/curativa de cascos
 • Tronco de vacinações: 1,5 m/cab
 • Brete pulverizador
 • Balança
 • Embarcadouro
Sala de Espera: Brete
Salas de Ordenha
• Mais fechadas em relação às anteriores
• Modelos planos:
 • Traseiro x traseiro ou Cabeça x cabeça
• Modelos em fosso:
 • Espinha de peixe
 • Passagem ou caminhamento – fila indiana
 • Portão ou tandem
• Circular
Sala de Ordenha Plana
• Com bezerro ao pé: 1,3 a 1,5 m/vaca
• Sem bezerro ao pé: 1,2 a 1,25 m/vaca
• Rotativo: grupos de animais
• Piso: pode ser concretado, dotado de
  canaletas
• Pé direito: 2,7 a 3,0m
Sala de Ordenha Plana
• Divisórias:
  • Alvenaria (1,2 a 1,6 m de altura), revestidas
    de azulejo (produção de leite B) ou pintadas
    com tinta óleo
  • Tábuas, de cordoalho de aço ou de arame
    liso ovalado
Modelo Plano: Tras. X Tras.
Modelo Plano: Tras. X Tras.
Modelo Plano: Cab. X Cab.
Sala em Fosso
• Profundidade do Fosso: 0,75m
 • Conter dreno
• Plataforma para circulação das vacas: 0,9 a
  1,9m
 • Canaletas com grelha
• Espaço necessário por vaca:
 • 1,5m  espinha de peixe
 • 2,3m  portão
Sala em Fosso
• Contenção das vacas: tubos metálicos de 1’’
• Demais detalhes semelhantes a sala plana
• Anexos:
 • Sala de leite
 • Sala de máquinas
 • Farmácia
 • Escritório
 • Sanitários
 • Plataforma de Embarque de leite
Modelo em Fosso: Espinha de Peixe
Modelo em Fosso: Espinha de Peixe
Modelo em Fosso: Portão ou Tandem
Modelo em Fosso: Fila Indiana
Sala de leite
• Área: 20 a 25 m2
• Pé direito: 2,5 m
• Paredes azulejadas ou com pintura em
  tinta óleo até 2,5 m
• Piso lavável
• Portas e janelas teladas
• Cobertuta de laje ou forrada
Sala de Leite
• Conter:
 • Pia
 • torneiras com água quente
 • pré resfriador, resfriador
 • porta latões (caso utilizados)
Sala de Leite
Sala de Máquinas
• Abrigar o compressor do resfriador
• Bomba de vácuo do sistema de ordenha
  mecânica
• Bomba d’água gelada do resfriador ao pré
  resfriador
• Pé direito pode ser menor que na sala de
  leite

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Mais procurados (20)

Forragicultura aula1
Forragicultura aula1Forragicultura aula1
Forragicultura aula1
 
Instalações de aves
Instalações de avesInstalações de aves
Instalações de aves
 
Rafael Henrique - Fenação
Rafael Henrique - FenaçãoRafael Henrique - Fenação
Rafael Henrique - Fenação
 
Sistemas de criação para ovinos e caprinos
Sistemas de criação para ovinos e caprinosSistemas de criação para ovinos e caprinos
Sistemas de criação para ovinos e caprinos
 
Instalações para eqüinos
Instalações para eqüinosInstalações para eqüinos
Instalações para eqüinos
 
Métodos de pastejo
Métodos de pastejoMétodos de pastejo
Métodos de pastejo
 
Produção de ovinos e caprinos de corte
Produção de ovinos e caprinos de corteProdução de ovinos e caprinos de corte
Produção de ovinos e caprinos de corte
 
Avicultura
AviculturaAvicultura
Avicultura
 
Sistemas de produção de suínos
Sistemas de produção de suínosSistemas de produção de suínos
Sistemas de produção de suínos
 
Manejo de pastagem
Manejo de pastagemManejo de pastagem
Manejo de pastagem
 
Manejo De Pastagens
Manejo De PastagensManejo De Pastagens
Manejo De Pastagens
 
Manejo de pastagem 1
Manejo de pastagem 1Manejo de pastagem 1
Manejo de pastagem 1
 
Instalações e construções para suinocultura
Instalações e construções para suinoculturaInstalações e construções para suinocultura
Instalações e construções para suinocultura
 
Manejo da ordenha e qualidade do leite
Manejo da ordenha e qualidade do leite Manejo da ordenha e qualidade do leite
Manejo da ordenha e qualidade do leite
 
Avicultura
AviculturaAvicultura
Avicultura
 
Diferenças entre ovinos e caprinos
Diferenças entre ovinos e caprinosDiferenças entre ovinos e caprinos
Diferenças entre ovinos e caprinos
 
Higiene e Profilaxia - Criação de Suínos
Higiene e Profilaxia - Criação de SuínosHigiene e Profilaxia - Criação de Suínos
Higiene e Profilaxia - Criação de Suínos
 
Instalações caprinos e ovinos
Instalações caprinos e ovinosInstalações caprinos e ovinos
Instalações caprinos e ovinos
 
Manejo nutricional de ovinos de corte e leite
Manejo nutricional de ovinos de corte e leiteManejo nutricional de ovinos de corte e leite
Manejo nutricional de ovinos de corte e leite
 
Aula - Sistemas de Cria+º+úo de Aves.pptx
Aula - Sistemas de Cria+º+úo de Aves.pptxAula - Sistemas de Cria+º+úo de Aves.pptx
Aula - Sistemas de Cria+º+úo de Aves.pptx
 

Semelhante a 7 instalações para bovinos de leite

gado de leite instalação.infraestrutura, alimentação
gado de leite instalação.infraestrutura, alimentaçãogado de leite instalação.infraestrutura, alimentação
gado de leite instalação.infraestrutura, alimentação
cleber16
 
2º tour técnico abs fl-ga 2011
2º tour técnico abs   fl-ga 20112º tour técnico abs   fl-ga 2011
2º tour técnico abs fl-ga 2011
Katya_C
 
Criação e exploração dos equídeos
Criação e exploração dos equídeosCriação e exploração dos equídeos
Criação e exploração dos equídeos
Renato de Paula
 
Aula3 - introdução e linhagens de suínos.pptx
Aula3 - introdução e linhagens de suínos.pptxAula3 - introdução e linhagens de suínos.pptx
Aula3 - introdução e linhagens de suínos.pptx
helidaleao
 
Aula3 - introdução e linhagens de suínos.pptx
Aula3 - introdução e linhagens de suínos.pptxAula3 - introdução e linhagens de suínos.pptx
Aula3 - introdução e linhagens de suínos.pptx
helidaleao
 
Aula3 - introdução e linhagens de suínos.pptx
Aula3 - introdução e linhagens de suínos.pptxAula3 - introdução e linhagens de suínos.pptx
Aula3 - introdução e linhagens de suínos.pptx
helidaleao
 
Apresentação siepe palhada
Apresentação siepe palhadaApresentação siepe palhada
Apresentação siepe palhada
gepaunipampa
 

Semelhante a 7 instalações para bovinos de leite (20)

aula INSTALAÇÕES BOV LEITE.pptx
aula  INSTALAÇÕES BOV LEITE.pptxaula  INSTALAÇÕES BOV LEITE.pptx
aula INSTALAÇÕES BOV LEITE.pptx
 
gado de leite instalação.infraestrutura, alimentação
gado de leite instalação.infraestrutura, alimentaçãogado de leite instalação.infraestrutura, alimentação
gado de leite instalação.infraestrutura, alimentação
 
Projeto-gado-leite-instalcoes-Marcelli-Oliveira (1).pdf
Projeto-gado-leite-instalcoes-Marcelli-Oliveira (1).pdfProjeto-gado-leite-instalcoes-Marcelli-Oliveira (1).pdf
Projeto-gado-leite-instalcoes-Marcelli-Oliveira (1).pdf
 
2º tour técnico abs fl-ga 2011
2º tour técnico abs   fl-ga 20112º tour técnico abs   fl-ga 2011
2º tour técnico abs fl-ga 2011
 
2º Tour Técnico ABS 2011
2º Tour Técnico ABS 20112º Tour Técnico ABS 2011
2º Tour Técnico ABS 2011
 
Manejo reprodutivo na pecuária de leite e corte prof. hugo 2016 2
Manejo reprodutivo na pecuária de leite e corte prof. hugo 2016 2Manejo reprodutivo na pecuária de leite e corte prof. hugo 2016 2
Manejo reprodutivo na pecuária de leite e corte prof. hugo 2016 2
 
Aula 1 - Sistemas de produção - thon.pptx
Aula 1 - Sistemas de produção - thon.pptxAula 1 - Sistemas de produção - thon.pptx
Aula 1 - Sistemas de produção - thon.pptx
 
Criação e exploração dos equídeos
Criação e exploração dos equídeosCriação e exploração dos equídeos
Criação e exploração dos equídeos
 
Construção Rural.pptx
Construção Rural.pptxConstrução Rural.pptx
Construção Rural.pptx
 
ICSC48 - Criação e manejo de coelhos
ICSC48 - Criação e manejo de coelhosICSC48 - Criação e manejo de coelhos
ICSC48 - Criação e manejo de coelhos
 
Aula3 - introdução e linhagens de suínos.pptx
Aula3 - introdução e linhagens de suínos.pptxAula3 - introdução e linhagens de suínos.pptx
Aula3 - introdução e linhagens de suínos.pptx
 
Aula3 - introdução e linhagens de suínos.pptx
Aula3 - introdução e linhagens de suínos.pptxAula3 - introdução e linhagens de suínos.pptx
Aula3 - introdução e linhagens de suínos.pptx
 
Aula3 - introdução e linhagens de suínos.pptx
Aula3 - introdução e linhagens de suínos.pptxAula3 - introdução e linhagens de suínos.pptx
Aula3 - introdução e linhagens de suínos.pptx
 
Apostila suinocultura
Apostila suinoculturaApostila suinocultura
Apostila suinocultura
 
Aula 1 - Sistemas de produção - thon.pdf
Aula 1 - Sistemas de produção - thon.pdfAula 1 - Sistemas de produção - thon.pdf
Aula 1 - Sistemas de produção - thon.pdf
 
Rotina de ordenha mecânica1
Rotina de ordenha mecânica1Rotina de ordenha mecânica1
Rotina de ordenha mecânica1
 
Apresentação siepe palhada
Apresentação siepe palhadaApresentação siepe palhada
Apresentação siepe palhada
 
gado deLeite
gado deLeitegado deLeite
gado deLeite
 
Frango caipira avifran
Frango caipira avifranFrango caipira avifran
Frango caipira avifran
 
Reprodução e manejo reprodutivo.pptx
Reprodução e manejo reprodutivo.pptxReprodução e manejo reprodutivo.pptx
Reprodução e manejo reprodutivo.pptx
 

7 instalações para bovinos de leite

  • 1. Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Norte de Minas Gerais Campus Almenara Instalações para Bovinos de Leite Disciplina: Construções Rurais e Ambiência Professor: Luiz Fernando Rocha Botelho Almenara- MG Agosto - 2012
  • 2. Sistema Intensivo • Sistema mais adotado: “free stall” • Galpão para descanso das vacas • Área de comedouro e bebedouro • Ligação facilitada aos silos e fábrica de ração • Controle de limpeza • Pé direito : 4,0 a 4,5 m • Sala de ordenha normalmente automatizada
  • 3.
  • 4.
  • 5.
  • 6.
  • 7.
  • 8. Sistema Extensivo • Maioria: gado mestiço, dupla apitidão • O leite é subproduto • Uma ordenha diária • Curral rústico e precário com pouca higiene • Vacas soltas em cercado com os bezerros • Bezerreiro • Não é feito controle de cobertura  baixa eficiência reprodutiva
  • 9.
  • 10.
  • 11.
  • 12.
  • 13. Sistema Semi-intensivo • Adoção de gado mais selecionado em relação ao extensivo • Divisão em lotes por categoria ou produtividade • Comum rotação de pastagem • Comum adotar IA Vacas problemas são descartadas • Instalações mais elaboradas em relação ao extensivo • Sistema de resfriamento e conservação do leite • Adota-se: capineira, currais de alimentação e de espera
  • 14.
  • 15.
  • 16.
  • 17.
  • 18. Fases do Sistema Semi-Intensivo • 1ª Fase: Maternidade (piquete – pasto) • Raças Européias: de 1 a 3 dias de idade em companhia da vaca  colostro • 2ª Fase: Bezerreiros • Baias individuais: 1,0 x 1,5 a 1,8 m até 30 a 60 dias de idade • Baias Coletivas: até 8 animais/baia, de 30 a 60 dias até 4 a 5 meses de idade  2 a 2,5 m2/cab
  • 19.
  • 20.
  • 21.
  • 22.
  • 23.
  • 24.
  • 25. Cuidado com a Higiene
  • 26.
  • 27.
  • 28.
  • 29. Fases do Sistema Semi-Intensivo • 3ª Fase: Novilhas • 4º ou 5º mês de idade até 3 meses antes da 1ª parição • Piquete – pasto: 75 a 200 m2/cab • Abrigos: 2,5 m2/cab • Comedouro: 0,5 a 0,7 m / cab • 1ª Cobertura: 16 aos 18 meses de idade • 1ª Parição: volta de 27 meses de idade
  • 30. Fases do Sistema Semi-Intensivo • 4ª Fase: 90 dias antes do parto  novilhas manejadas no grupo de vacas secas • Piquetes de 300 m2/cab de área de pastejo • Abrigos, comedouros e bebedouros • 5ª Fase: 1 semana antes do parto até 1 a 3 dias após o parto  maternidade • 6ª Fase: Vacas voltam ao rebanho leiteiro • Bezerras  bezerreiro • Bezerros  descarte ou bezerreiros
  • 31. Vacas em Produção • Batedouros: piquetes cercados, localizados próximo ao estábulo (distância < 1,0km) • Saleiro, bebedouro, comedouros cobertos • Curral de volumosos: pela manhã antes da 1ª ordenha: • 5 a 8 m2/cab, contendo comedouros (0,7m/cab), e bebedouros (40L/cab/dia).
  • 34. Curral de Volumosos • Forma quadrada, circular ou retangular • Comedouro simples (acesso por um lado) ou duplo • Espaço à frente: comprimento da vaca (1,8 a 2,0 m) + espaço para circulação (0,7 a 2,0m / vaca • Piso: pedras graníticas retangulares, concreto capeado com argamassa a areia grossa
  • 35. Curral de Volumoso • Declividade: 1 a 3 % • Divisórias: • altura de 1,35 a 1,6 m • seção de 15 a 20 cm • espaçados de 1,5 a 2,0 m • tábuas de (15 x 3cm. 17 x 3,5cm, 20 x 4cm) • Alternativa: 5 a 8 fios de arame liso ovalado, distância entre esteios de 6m e balancins a cada 2m
  • 36. Curral de Espera • Agrupar os animais que serão ordenhados • 2,5 m2 / cab • Exigido na produção de leite tipo “B” quando não dispõe de curral de volumosos concretado • Conter apenas bebedouro • Mesmas dimensões e técnicas para o curral de volumosos  apenas bebedouro
  • 37. Curral de Espera • Complementos: • Lava pés: 6,0 x 1,0 x 0,2 m • Pedilúvio coberto: 2,5 x 1,0 x 0,2 m contendo solução preventiva/curativa de cascos • Tronco de vacinações: 1,5 m/cab • Brete pulverizador • Balança • Embarcadouro
  • 39. Salas de Ordenha • Mais fechadas em relação às anteriores • Modelos planos: • Traseiro x traseiro ou Cabeça x cabeça • Modelos em fosso: • Espinha de peixe • Passagem ou caminhamento – fila indiana • Portão ou tandem • Circular
  • 40. Sala de Ordenha Plana • Com bezerro ao pé: 1,3 a 1,5 m/vaca • Sem bezerro ao pé: 1,2 a 1,25 m/vaca • Rotativo: grupos de animais • Piso: pode ser concretado, dotado de canaletas • Pé direito: 2,7 a 3,0m
  • 41. Sala de Ordenha Plana • Divisórias: • Alvenaria (1,2 a 1,6 m de altura), revestidas de azulejo (produção de leite B) ou pintadas com tinta óleo • Tábuas, de cordoalho de aço ou de arame liso ovalado
  • 45. Sala em Fosso • Profundidade do Fosso: 0,75m • Conter dreno • Plataforma para circulação das vacas: 0,9 a 1,9m • Canaletas com grelha • Espaço necessário por vaca: • 1,5m  espinha de peixe • 2,3m  portão
  • 46. Sala em Fosso • Contenção das vacas: tubos metálicos de 1’’ • Demais detalhes semelhantes a sala plana • Anexos: • Sala de leite • Sala de máquinas • Farmácia • Escritório • Sanitários • Plataforma de Embarque de leite
  • 47. Modelo em Fosso: Espinha de Peixe
  • 48. Modelo em Fosso: Espinha de Peixe
  • 49. Modelo em Fosso: Portão ou Tandem
  • 50. Modelo em Fosso: Fila Indiana
  • 51. Sala de leite • Área: 20 a 25 m2 • Pé direito: 2,5 m • Paredes azulejadas ou com pintura em tinta óleo até 2,5 m • Piso lavável • Portas e janelas teladas • Cobertuta de laje ou forrada
  • 52. Sala de Leite • Conter: • Pia • torneiras com água quente • pré resfriador, resfriador • porta latões (caso utilizados)
  • 54. Sala de Máquinas • Abrigar o compressor do resfriador • Bomba de vácuo do sistema de ordenha mecânica • Bomba d’água gelada do resfriador ao pré resfriador • Pé direito pode ser menor que na sala de leite