SlideShare uma empresa Scribd logo
Professora Enfermeira Giza Carla Nitz
Especialista em Urgência e Emergência
Capacitação de
Primeiros Socorros nas
escolas para
professores, e na grade
curricular de ensino dos
alunos pode
salvar vidas???
• LEI Nº 13.722
Lei Lucas: escolas são
recomendadas a capacitar
profissionais em primeiros
socorros.
Depois que o estudante
Lucas Begalli Zamora,
de 10 anos,
faleceu após se engasgar
durante um passeio
promovido pela instituição
de ensino em que estudava,
em 2017,
a lei nº 13.722/2018
foi criada.
Projeto de lei que institui o programa lições de Primeiros Socorros
na educação básica da rede escolar em todo estado de São Paulo.
Introdução:
1. PCR -Parada Cardiorrespiratória
2. Desmaio
3. Epilepsia e Convulsões
4. Fraturas
5. Hemorragia
6. Choque elétrico
7. Queimaduras
8. IAM- Infarto agudo do miocárdio (ataque cardíaco)
9. AVC - Acidente vascular encefálico (derrame
cerebral)
Introdução:
10. Engasgo
11. Engasgo em bebe
12. Afogamento
13. Intoxicação e envenenamento
14. Mordida de cachorro ou gato
15. Ataque por animal peçonhento
16. Sangramento nasal
17. Diabetes - hipoglicemia
18. Febre
Introdução:
19. Crise asmática
20. Reação alérgica
21. Corpo estranho no olho
22. Corpo estranho no ouvido
23. Corona vírus
24. Protocolo Retorno a aulas presenciais
(pandemia)
24. Depressão e ideias suicidas em crianças e
adolescentes
1. PCR -Parada Cardiorrespiratória
emergência.
1. PCR -Parada Cardiorrespiratória
emergência.
1. PCR -Parada Cardiorrespiratória
emergência.
1. PCR -Parada Cardiorrespiratória
emergência.
1. PCR -Parada Cardiorrespiratória
emergência.
PCR -Parada Cardiorrespiratória
Video: https://www.youtube.com/watch?v=odjgA7IMtns
PCR -Parada Cardiorrespiratória RN(profissional)
• Aferição de batimentos cardíacos na
artéria braquial;
• 10 séries de 15 compressões e 2
ventilações (reavalia);
• uso de aparelhos como AMBU
(ventilação E DESFIBRILADOR cardíaco
para choque e monitoração da RCP.
PCR -Parada Cardiorrespiratória RN(profissional)
1 2 3
PCR -Parada Cardiorrespiratória RN(profissional)
1 2 3
1. PCR -Parada Cardiorrespiratória
Técnica de descompressão
da veia cava.
1. PCR -Parada Cardiorrespiratória
Técnica de descompressão
da veia cava.
Alguns especialistas
defendem que
as gestantes devem dormir
sobre o lado esquerdo, pois
essa posição diminui a
compressão da veia
cava inferior, que é
responsável por levar o
sangue do corpo para o
coração, aumentando a
circulação sanguínea.
Essa pode ser a posição
mais confortável para as
futuras mamães
1. PCR -Parada Cardiorrespiratória
Técnica de descompressão
da veia cava.
À medida que o útero aumenta ao longo da gravidez,
pode ocorrer compressão da vascularização pélvica e
abdominal, especialmente quando a paciente está em
posição supina. A compressão da veia cava inferior
pode diminuir o retorno venoso materno e reduzir o
débito cardíaco de 10 a 30%, sendo que, em gestantes
com mais de 20 semanas, a diminuição do débito
cardíaco pode superar 30%.
Isso pode contribuir para o aparecimento de
hipotensão ortostática que ocorre cerca de 30 minutos
na posição supina. Portanto, deve-se colocar qualquer
paciente no terceiro trimestre da gravidez em posição
de decúbito lateral esquerdo quando em sofrimento
hemodinâmico ou hipotensão.
1. PCR -Parada Cardiorrespiratória
Técnica de descompressão
da veia cava.
Ao se manejar pacientes gestantes
em parada cardiorrespiratória
(PCR), uma das principais
mudanças em relação ao
protocolo habitual de
atendimento é em relação ao
posicionamento. Deve-se colocar
a paciente em posição de
decúbitolateralesquerdo
durante a ressuscitação ou o
deslocamentolateralpara a
esquerdado útero, aumentando
o débito cardíaco e a chance de
retorno a circulação espontânea.
1. PCR -Parada Cardiorrespiratória
emergência.
Leigos
Profissionais
PCR -Parada Cardiorrespiratória RN(profissional)
PCR -Parada Cardiorrespiratória RN(profissional)
Atividades:
1. Como identificar uma parada
cardiorrespiratória?
2. Defina RCP.
3. Qual primeiro passo após
identificar uma PCR?
4. Como realizar uma RCP até a
chegada do socorro
especializado?
5. Descreva a técnica de
recuperação após reanimação.
6. Hora de praticar!!!
Recomendações

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Aula 1 - Primeiros Socorros - PARADA CARDIO RESPIRATÓRIA .pdf

Arritmais cardíacas na infância e adolescência
Arritmais cardíacas na infância e adolescênciaArritmais cardíacas na infância e adolescência
Arritmais cardíacas na infância e adolescência
gisa_legal
 
Laec liga acadêmica de emergências clínicas - rcp 2015 atualizado
Laec   liga acadêmica de emergências clínicas - rcp 2015 atualizadoLaec   liga acadêmica de emergências clínicas - rcp 2015 atualizado
Laec liga acadêmica de emergências clínicas - rcp 2015 atualizado
LAEC UNIVAG
 
Aula 5 Primeiros Socorros.pdf
Aula 5 Primeiros Socorros.pdfAula 5 Primeiros Socorros.pdf
Aula 5 Primeiros Socorros.pdf
ontimiza
 
5- Parada cardiorrespiratória (PCR), Suporte básico de vida (DEA)
5- Parada cardiorrespiratória (PCR), Suporte básico de vida (DEA)5- Parada cardiorrespiratória (PCR), Suporte básico de vida (DEA)
5- Parada cardiorrespiratória (PCR), Suporte básico de vida (DEA)
ElioenaiAlmeida1
 
Obesidade
ObesidadeObesidade
Obesidade
guestedbc3e
 
Suporte avançado de vida em pediatria
Suporte avançado de vida em pediatriaSuporte avançado de vida em pediatria
Suporte avançado de vida em pediatria
gisa_legal
 
Obesidade
ObesidadeObesidade
Obesidade
rosaalves
 
Fisioterapia Neonatal
Fisioterapia NeonatalFisioterapia Neonatal
Fisioterapia Neonatal
Mel Medina
 
Novas diretrizes de Reanimação Cardiopulmonar em Adultos
Novas diretrizes de Reanimação Cardiopulmonar em AdultosNovas diretrizes de Reanimação Cardiopulmonar em Adultos
Novas diretrizes de Reanimação Cardiopulmonar em Adultos
resenfe2013
 
Anestesia para criança cardiopata submetida à cirurgia não cardíaca
Anestesia para criança cardiopata submetida à cirurgia não cardíacaAnestesia para criança cardiopata submetida à cirurgia não cardíaca
Anestesia para criança cardiopata submetida à cirurgia não cardíaca
gisa_legal
 
Fisioterapia Neonatal
Fisioterapia NeonatalFisioterapia Neonatal
Fisioterapia Neonatal
Mel Medina
 
Recomendacao afogamento com parada respiratoria e pcr 2013
Recomendacao afogamento com parada respiratoria e pcr 2013Recomendacao afogamento com parada respiratoria e pcr 2013
Recomendacao afogamento com parada respiratoria e pcr 2013
RamodrigoPeruniz
 
Guia ha
Guia haGuia ha
Guia ha
KarenSouza61
 
Livro clinica medica kroton
Livro clinica medica krotonLivro clinica medica kroton
Pcr
PcrPcr
Suporte basico de vida em pediatria
Suporte basico de vida em pediatriaSuporte basico de vida em pediatria
Suporte basico de vida em pediatria
FlaviaMota33
 
Aula 8 - Primeiros Socorros - IAM- INFARTO AGUDO DO MIOCARDIO.pdf
Aula 8 - Primeiros Socorros - IAM- INFARTO AGUDO DO MIOCARDIO.pdfAula 8 - Primeiros Socorros - IAM- INFARTO AGUDO DO MIOCARDIO.pdf
Aula 8 - Primeiros Socorros - IAM- INFARTO AGUDO DO MIOCARDIO.pdf
Giza Carla Nitz
 
Novas diretrizes de Reanimação Cardiopulmonar Neopediátrica
Novas diretrizes de Reanimação Cardiopulmonar NeopediátricaNovas diretrizes de Reanimação Cardiopulmonar Neopediátrica
Novas diretrizes de Reanimação Cardiopulmonar Neopediátrica
resenfe2013
 
Aula PCR.pptx
Aula PCR.pptxAula PCR.pptx
Aula PCR.pptx
FrancielleConstantin
 
Cap 09-rcp
Cap 09-rcpCap 09-rcp
Cap 09-rcp
Prof Silvio Rosa
 

Semelhante a Aula 1 - Primeiros Socorros - PARADA CARDIO RESPIRATÓRIA .pdf (20)

Arritmais cardíacas na infância e adolescência
Arritmais cardíacas na infância e adolescênciaArritmais cardíacas na infância e adolescência
Arritmais cardíacas na infância e adolescência
 
Laec liga acadêmica de emergências clínicas - rcp 2015 atualizado
Laec   liga acadêmica de emergências clínicas - rcp 2015 atualizadoLaec   liga acadêmica de emergências clínicas - rcp 2015 atualizado
Laec liga acadêmica de emergências clínicas - rcp 2015 atualizado
 
Aula 5 Primeiros Socorros.pdf
Aula 5 Primeiros Socorros.pdfAula 5 Primeiros Socorros.pdf
Aula 5 Primeiros Socorros.pdf
 
5- Parada cardiorrespiratória (PCR), Suporte básico de vida (DEA)
5- Parada cardiorrespiratória (PCR), Suporte básico de vida (DEA)5- Parada cardiorrespiratória (PCR), Suporte básico de vida (DEA)
5- Parada cardiorrespiratória (PCR), Suporte básico de vida (DEA)
 
Obesidade
ObesidadeObesidade
Obesidade
 
Suporte avançado de vida em pediatria
Suporte avançado de vida em pediatriaSuporte avançado de vida em pediatria
Suporte avançado de vida em pediatria
 
Obesidade
ObesidadeObesidade
Obesidade
 
Fisioterapia Neonatal
Fisioterapia NeonatalFisioterapia Neonatal
Fisioterapia Neonatal
 
Novas diretrizes de Reanimação Cardiopulmonar em Adultos
Novas diretrizes de Reanimação Cardiopulmonar em AdultosNovas diretrizes de Reanimação Cardiopulmonar em Adultos
Novas diretrizes de Reanimação Cardiopulmonar em Adultos
 
Anestesia para criança cardiopata submetida à cirurgia não cardíaca
Anestesia para criança cardiopata submetida à cirurgia não cardíacaAnestesia para criança cardiopata submetida à cirurgia não cardíaca
Anestesia para criança cardiopata submetida à cirurgia não cardíaca
 
Fisioterapia Neonatal
Fisioterapia NeonatalFisioterapia Neonatal
Fisioterapia Neonatal
 
Recomendacao afogamento com parada respiratoria e pcr 2013
Recomendacao afogamento com parada respiratoria e pcr 2013Recomendacao afogamento com parada respiratoria e pcr 2013
Recomendacao afogamento com parada respiratoria e pcr 2013
 
Guia ha
Guia haGuia ha
Guia ha
 
Livro clinica medica kroton
Livro clinica medica krotonLivro clinica medica kroton
Livro clinica medica kroton
 
Pcr
PcrPcr
Pcr
 
Suporte basico de vida em pediatria
Suporte basico de vida em pediatriaSuporte basico de vida em pediatria
Suporte basico de vida em pediatria
 
Aula 8 - Primeiros Socorros - IAM- INFARTO AGUDO DO MIOCARDIO.pdf
Aula 8 - Primeiros Socorros - IAM- INFARTO AGUDO DO MIOCARDIO.pdfAula 8 - Primeiros Socorros - IAM- INFARTO AGUDO DO MIOCARDIO.pdf
Aula 8 - Primeiros Socorros - IAM- INFARTO AGUDO DO MIOCARDIO.pdf
 
Novas diretrizes de Reanimação Cardiopulmonar Neopediátrica
Novas diretrizes de Reanimação Cardiopulmonar NeopediátricaNovas diretrizes de Reanimação Cardiopulmonar Neopediátrica
Novas diretrizes de Reanimação Cardiopulmonar Neopediátrica
 
Aula PCR.pptx
Aula PCR.pptxAula PCR.pptx
Aula PCR.pptx
 
Cap 09-rcp
Cap 09-rcpCap 09-rcp
Cap 09-rcp
 

Mais de Giza Carla Nitz

Aula 6 - Primeiros Socorros - Choque Elétrico .pdf
Aula 6 - Primeiros Socorros - Choque Elétrico .pdfAula 6 - Primeiros Socorros - Choque Elétrico .pdf
Aula 6 - Primeiros Socorros - Choque Elétrico .pdf
Giza Carla Nitz
 
Aula 3 - Primeiros Socorros - FRATURA - HEMORRAGIA .pdf
Aula 3 - Primeiros Socorros - FRATURA - HEMORRAGIA .pdfAula 3 - Primeiros Socorros - FRATURA - HEMORRAGIA .pdf
Aula 3 - Primeiros Socorros - FRATURA - HEMORRAGIA .pdf
Giza Carla Nitz
 
Aula 6 - Rotina Enfermagem no Centro Cirúrgico.pdf
Aula 6 - Rotina Enfermagem no Centro Cirúrgico.pdfAula 6 - Rotina Enfermagem no Centro Cirúrgico.pdf
Aula 6 - Rotina Enfermagem no Centro Cirúrgico.pdf
Giza Carla Nitz
 
Aula 4 - Centro Cirúrgico -Materiais.pdf
Aula 4 - Centro Cirúrgico -Materiais.pdfAula 4 - Centro Cirúrgico -Materiais.pdf
Aula 4 - Centro Cirúrgico -Materiais.pdf
Giza Carla Nitz
 
Aula 3- CME - Tipos de Instrumentais - Pacotes -.pdf
Aula 3- CME - Tipos de Instrumentais -  Pacotes -.pdfAula 3- CME - Tipos de Instrumentais -  Pacotes -.pdf
Aula 3- CME - Tipos de Instrumentais - Pacotes -.pdf
Giza Carla Nitz
 
Aula 3- Conhecendo o Instrumental Cirúrgico.pdf
Aula 3-  Conhecendo o Instrumental Cirúrgico.pdfAula 3-  Conhecendo o Instrumental Cirúrgico.pdf
Aula 3- Conhecendo o Instrumental Cirúrgico.pdf
Giza Carla Nitz
 
Aula 7 - Tempos Cirurgicos - A Cirurgia Passo A Passo - PARTE 2.pdf
Aula 7 - Tempos Cirurgicos - A Cirurgia Passo A Passo -  PARTE 2.pdfAula 7 - Tempos Cirurgicos - A Cirurgia Passo A Passo -  PARTE 2.pdf
Aula 7 - Tempos Cirurgicos - A Cirurgia Passo A Passo - PARTE 2.pdf
Giza Carla Nitz
 
Aula 7 - Tempos Cirurgicos - A Cirurgia Passo A Passo - PARTE 1.pdf
Aula 7 - Tempos Cirurgicos - A Cirurgia Passo A Passo - PARTE 1.pdfAula 7 - Tempos Cirurgicos - A Cirurgia Passo A Passo - PARTE 1.pdf
Aula 7 - Tempos Cirurgicos - A Cirurgia Passo A Passo - PARTE 1.pdf
Giza Carla Nitz
 
Aula 2- CME - Central de Material Esterelizado - Parte III.pdf
Aula 2- CME - Central de Material Esterelizado - Parte III.pdfAula 2- CME - Central de Material Esterelizado - Parte III.pdf
Aula 2- CME - Central de Material Esterelizado - Parte III.pdf
Giza Carla Nitz
 
Aula 2- CME - Central de Material Esterelizado - Parte II.pdf
Aula 2- CME - Central de Material Esterelizado - Parte II.pdfAula 2- CME - Central de Material Esterelizado - Parte II.pdf
Aula 2- CME - Central de Material Esterelizado - Parte II.pdf
Giza Carla Nitz
 
Aula 2- CME - Central de Material Esterelizado - Parte 1.pdf
Aula 2- CME - Central de Material Esterelizado - Parte 1.pdfAula 2- CME - Central de Material Esterelizado - Parte 1.pdf
Aula 2- CME - Central de Material Esterelizado - Parte 1.pdf
Giza Carla Nitz
 
Aula 1 - Clínica Cirurgica -organização, estrutura, funcionamento.pdf
Aula 1 - Clínica Cirurgica -organização, estrutura, funcionamento.pdfAula 1 - Clínica Cirurgica -organização, estrutura, funcionamento.pdf
Aula 1 - Clínica Cirurgica -organização, estrutura, funcionamento.pdf
Giza Carla Nitz
 
Aula 14 - SAUDE COLETIVA - Programa Saúde da Família.pdf
Aula 14 - SAUDE COLETIVA -  Programa Saúde da Família.pdfAula 14 - SAUDE COLETIVA -  Programa Saúde da Família.pdf
Aula 14 - SAUDE COLETIVA - Programa Saúde da Família.pdf
Giza Carla Nitz
 
Aula 12 - SAUDE COLETIVA- Imunização .pdf
Aula 12 - SAUDE COLETIVA- Imunização .pdfAula 12 - SAUDE COLETIVA- Imunização .pdf
Aula 12 - SAUDE COLETIVA- Imunização .pdf
Giza Carla Nitz
 
Aula 11 - Prevenção e Controle da Hanseníase e Tuberculose - Parte II.pdf
Aula 11 - Prevenção e Controle da Hanseníase e Tuberculose - Parte II.pdfAula 11 - Prevenção e Controle da Hanseníase e Tuberculose - Parte II.pdf
Aula 11 - Prevenção e Controle da Hanseníase e Tuberculose - Parte II.pdf
Giza Carla Nitz
 
Aula 11 - Prevenção e Controle da Hanseníase e Tuberculose - Parte I.pdf
Aula 11 - Prevenção e Controle da Hanseníase e Tuberculose - Parte I.pdfAula 11 - Prevenção e Controle da Hanseníase e Tuberculose - Parte I.pdf
Aula 11 - Prevenção e Controle da Hanseníase e Tuberculose - Parte I.pdf
Giza Carla Nitz
 
Aula 10 - Doenças Causadas Por Ectoparasitas.pdf
Aula 10 - Doenças Causadas Por Ectoparasitas.pdfAula 10 - Doenças Causadas Por Ectoparasitas.pdf
Aula 10 - Doenças Causadas Por Ectoparasitas.pdf
Giza Carla Nitz
 
Aula 9 - Doenças Transmitidas Por Vetores.pdf
Aula 9 - Doenças Transmitidas Por Vetores.pdfAula 9 - Doenças Transmitidas Por Vetores.pdf
Aula 9 - Doenças Transmitidas Por Vetores.pdf
Giza Carla Nitz
 
Aula 8 - Doenças Veiculadas Por Água e Alimentos.pdf
Aula 8 - Doenças Veiculadas Por Água e Alimentos.pdfAula 8 - Doenças Veiculadas Por Água e Alimentos.pdf
Aula 8 - Doenças Veiculadas Por Água e Alimentos.pdf
Giza Carla Nitz
 
Aula 7 - Doenças Previníveis por Vacinação - Parte II.pdf
Aula 7 - Doenças Previníveis por Vacinação - Parte II.pdfAula 7 - Doenças Previníveis por Vacinação - Parte II.pdf
Aula 7 - Doenças Previníveis por Vacinação - Parte II.pdf
Giza Carla Nitz
 

Mais de Giza Carla Nitz (20)

Aula 6 - Primeiros Socorros - Choque Elétrico .pdf
Aula 6 - Primeiros Socorros - Choque Elétrico .pdfAula 6 - Primeiros Socorros - Choque Elétrico .pdf
Aula 6 - Primeiros Socorros - Choque Elétrico .pdf
 
Aula 3 - Primeiros Socorros - FRATURA - HEMORRAGIA .pdf
Aula 3 - Primeiros Socorros - FRATURA - HEMORRAGIA .pdfAula 3 - Primeiros Socorros - FRATURA - HEMORRAGIA .pdf
Aula 3 - Primeiros Socorros - FRATURA - HEMORRAGIA .pdf
 
Aula 6 - Rotina Enfermagem no Centro Cirúrgico.pdf
Aula 6 - Rotina Enfermagem no Centro Cirúrgico.pdfAula 6 - Rotina Enfermagem no Centro Cirúrgico.pdf
Aula 6 - Rotina Enfermagem no Centro Cirúrgico.pdf
 
Aula 4 - Centro Cirúrgico -Materiais.pdf
Aula 4 - Centro Cirúrgico -Materiais.pdfAula 4 - Centro Cirúrgico -Materiais.pdf
Aula 4 - Centro Cirúrgico -Materiais.pdf
 
Aula 3- CME - Tipos de Instrumentais - Pacotes -.pdf
Aula 3- CME - Tipos de Instrumentais -  Pacotes -.pdfAula 3- CME - Tipos de Instrumentais -  Pacotes -.pdf
Aula 3- CME - Tipos de Instrumentais - Pacotes -.pdf
 
Aula 3- Conhecendo o Instrumental Cirúrgico.pdf
Aula 3-  Conhecendo o Instrumental Cirúrgico.pdfAula 3-  Conhecendo o Instrumental Cirúrgico.pdf
Aula 3- Conhecendo o Instrumental Cirúrgico.pdf
 
Aula 7 - Tempos Cirurgicos - A Cirurgia Passo A Passo - PARTE 2.pdf
Aula 7 - Tempos Cirurgicos - A Cirurgia Passo A Passo -  PARTE 2.pdfAula 7 - Tempos Cirurgicos - A Cirurgia Passo A Passo -  PARTE 2.pdf
Aula 7 - Tempos Cirurgicos - A Cirurgia Passo A Passo - PARTE 2.pdf
 
Aula 7 - Tempos Cirurgicos - A Cirurgia Passo A Passo - PARTE 1.pdf
Aula 7 - Tempos Cirurgicos - A Cirurgia Passo A Passo - PARTE 1.pdfAula 7 - Tempos Cirurgicos - A Cirurgia Passo A Passo - PARTE 1.pdf
Aula 7 - Tempos Cirurgicos - A Cirurgia Passo A Passo - PARTE 1.pdf
 
Aula 2- CME - Central de Material Esterelizado - Parte III.pdf
Aula 2- CME - Central de Material Esterelizado - Parte III.pdfAula 2- CME - Central de Material Esterelizado - Parte III.pdf
Aula 2- CME - Central de Material Esterelizado - Parte III.pdf
 
Aula 2- CME - Central de Material Esterelizado - Parte II.pdf
Aula 2- CME - Central de Material Esterelizado - Parte II.pdfAula 2- CME - Central de Material Esterelizado - Parte II.pdf
Aula 2- CME - Central de Material Esterelizado - Parte II.pdf
 
Aula 2- CME - Central de Material Esterelizado - Parte 1.pdf
Aula 2- CME - Central de Material Esterelizado - Parte 1.pdfAula 2- CME - Central de Material Esterelizado - Parte 1.pdf
Aula 2- CME - Central de Material Esterelizado - Parte 1.pdf
 
Aula 1 - Clínica Cirurgica -organização, estrutura, funcionamento.pdf
Aula 1 - Clínica Cirurgica -organização, estrutura, funcionamento.pdfAula 1 - Clínica Cirurgica -organização, estrutura, funcionamento.pdf
Aula 1 - Clínica Cirurgica -organização, estrutura, funcionamento.pdf
 
Aula 14 - SAUDE COLETIVA - Programa Saúde da Família.pdf
Aula 14 - SAUDE COLETIVA -  Programa Saúde da Família.pdfAula 14 - SAUDE COLETIVA -  Programa Saúde da Família.pdf
Aula 14 - SAUDE COLETIVA - Programa Saúde da Família.pdf
 
Aula 12 - SAUDE COLETIVA- Imunização .pdf
Aula 12 - SAUDE COLETIVA- Imunização .pdfAula 12 - SAUDE COLETIVA- Imunização .pdf
Aula 12 - SAUDE COLETIVA- Imunização .pdf
 
Aula 11 - Prevenção e Controle da Hanseníase e Tuberculose - Parte II.pdf
Aula 11 - Prevenção e Controle da Hanseníase e Tuberculose - Parte II.pdfAula 11 - Prevenção e Controle da Hanseníase e Tuberculose - Parte II.pdf
Aula 11 - Prevenção e Controle da Hanseníase e Tuberculose - Parte II.pdf
 
Aula 11 - Prevenção e Controle da Hanseníase e Tuberculose - Parte I.pdf
Aula 11 - Prevenção e Controle da Hanseníase e Tuberculose - Parte I.pdfAula 11 - Prevenção e Controle da Hanseníase e Tuberculose - Parte I.pdf
Aula 11 - Prevenção e Controle da Hanseníase e Tuberculose - Parte I.pdf
 
Aula 10 - Doenças Causadas Por Ectoparasitas.pdf
Aula 10 - Doenças Causadas Por Ectoparasitas.pdfAula 10 - Doenças Causadas Por Ectoparasitas.pdf
Aula 10 - Doenças Causadas Por Ectoparasitas.pdf
 
Aula 9 - Doenças Transmitidas Por Vetores.pdf
Aula 9 - Doenças Transmitidas Por Vetores.pdfAula 9 - Doenças Transmitidas Por Vetores.pdf
Aula 9 - Doenças Transmitidas Por Vetores.pdf
 
Aula 8 - Doenças Veiculadas Por Água e Alimentos.pdf
Aula 8 - Doenças Veiculadas Por Água e Alimentos.pdfAula 8 - Doenças Veiculadas Por Água e Alimentos.pdf
Aula 8 - Doenças Veiculadas Por Água e Alimentos.pdf
 
Aula 7 - Doenças Previníveis por Vacinação - Parte II.pdf
Aula 7 - Doenças Previníveis por Vacinação - Parte II.pdfAula 7 - Doenças Previníveis por Vacinação - Parte II.pdf
Aula 7 - Doenças Previníveis por Vacinação - Parte II.pdf
 

Último

Medicamentos que atuam no Sistema Digestório.pdf
Medicamentos que atuam no Sistema Digestório.pdfMedicamentos que atuam no Sistema Digestório.pdf
Medicamentos que atuam no Sistema Digestório.pdf
jhordana1
 
AULA 04.06. BOTOX.pdfHarmonizaçao Facia
AULA 04.06. BOTOX.pdfHarmonizaçao  FaciaAULA 04.06. BOTOX.pdfHarmonizaçao  Facia
AULA 04.06. BOTOX.pdfHarmonizaçao Facia
AntonioXavier35
 
Descubra os segredos do emagrecimento sustentável: Dicas práticas e estratégi...
Descubra os segredos do emagrecimento sustentável: Dicas práticas e estratégi...Descubra os segredos do emagrecimento sustentável: Dicas práticas e estratégi...
Descubra os segredos do emagrecimento sustentável: Dicas práticas e estratégi...
Lenilson Souza
 
Saúde coletiva para técnicos em enfermagem
Saúde coletiva para técnicos em enfermagemSaúde coletiva para técnicos em enfermagem
Saúde coletiva para técnicos em enfermagem
DavyllaVerasMenezes
 
A-Importancia-da-Saude-Mental-na-Juventude.pptx
A-Importancia-da-Saude-Mental-na-Juventude.pptxA-Importancia-da-Saude-Mental-na-Juventude.pptx
A-Importancia-da-Saude-Mental-na-Juventude.pptx
walterjose20
 
Sistema Reprodutor Feminino curso tec. de enfermagem
Sistema Reprodutor Feminino curso tec. de enfermagemSistema Reprodutor Feminino curso tec. de enfermagem
Sistema Reprodutor Feminino curso tec. de enfermagem
BarbaraKelle
 
saúde coletiva para tecnico em enfermagem
saúde coletiva para tecnico em enfermagemsaúde coletiva para tecnico em enfermagem
saúde coletiva para tecnico em enfermagem
DavyllaVerasMenezes
 
higienização de espaços e equipamentos
higienização de    espaços e equipamentoshigienização de    espaços e equipamentos
higienização de espaços e equipamentos
Manuel Pacheco Vieira
 
aula 06 - Distúrbios Hemodinâmicos ( circulatórios).pdf
aula 06 - Distúrbios Hemodinâmicos ( circulatórios).pdfaula 06 - Distúrbios Hemodinâmicos ( circulatórios).pdf
aula 06 - Distúrbios Hemodinâmicos ( circulatórios).pdf
ADRIANEGOMESDASILVA
 
higienização de espaços e equipamentos
higienização de espaços    e equipamentoshigienização de espaços    e equipamentos
higienização de espaços e equipamentos
Manuel Pacheco Vieira
 
8. Medicamentos que atuam no Sistema Endócrino.pdf
8. Medicamentos que atuam no Sistema Endócrino.pdf8. Medicamentos que atuam no Sistema Endócrino.pdf
8. Medicamentos que atuam no Sistema Endócrino.pdf
jhordana1
 

Último (11)

Medicamentos que atuam no Sistema Digestório.pdf
Medicamentos que atuam no Sistema Digestório.pdfMedicamentos que atuam no Sistema Digestório.pdf
Medicamentos que atuam no Sistema Digestório.pdf
 
AULA 04.06. BOTOX.pdfHarmonizaçao Facia
AULA 04.06. BOTOX.pdfHarmonizaçao  FaciaAULA 04.06. BOTOX.pdfHarmonizaçao  Facia
AULA 04.06. BOTOX.pdfHarmonizaçao Facia
 
Descubra os segredos do emagrecimento sustentável: Dicas práticas e estratégi...
Descubra os segredos do emagrecimento sustentável: Dicas práticas e estratégi...Descubra os segredos do emagrecimento sustentável: Dicas práticas e estratégi...
Descubra os segredos do emagrecimento sustentável: Dicas práticas e estratégi...
 
Saúde coletiva para técnicos em enfermagem
Saúde coletiva para técnicos em enfermagemSaúde coletiva para técnicos em enfermagem
Saúde coletiva para técnicos em enfermagem
 
A-Importancia-da-Saude-Mental-na-Juventude.pptx
A-Importancia-da-Saude-Mental-na-Juventude.pptxA-Importancia-da-Saude-Mental-na-Juventude.pptx
A-Importancia-da-Saude-Mental-na-Juventude.pptx
 
Sistema Reprodutor Feminino curso tec. de enfermagem
Sistema Reprodutor Feminino curso tec. de enfermagemSistema Reprodutor Feminino curso tec. de enfermagem
Sistema Reprodutor Feminino curso tec. de enfermagem
 
saúde coletiva para tecnico em enfermagem
saúde coletiva para tecnico em enfermagemsaúde coletiva para tecnico em enfermagem
saúde coletiva para tecnico em enfermagem
 
higienização de espaços e equipamentos
higienização de    espaços e equipamentoshigienização de    espaços e equipamentos
higienização de espaços e equipamentos
 
aula 06 - Distúrbios Hemodinâmicos ( circulatórios).pdf
aula 06 - Distúrbios Hemodinâmicos ( circulatórios).pdfaula 06 - Distúrbios Hemodinâmicos ( circulatórios).pdf
aula 06 - Distúrbios Hemodinâmicos ( circulatórios).pdf
 
higienização de espaços e equipamentos
higienização de espaços    e equipamentoshigienização de espaços    e equipamentos
higienização de espaços e equipamentos
 
8. Medicamentos que atuam no Sistema Endócrino.pdf
8. Medicamentos que atuam no Sistema Endócrino.pdf8. Medicamentos que atuam no Sistema Endócrino.pdf
8. Medicamentos que atuam no Sistema Endócrino.pdf
 

Aula 1 - Primeiros Socorros - PARADA CARDIO RESPIRATÓRIA .pdf

  • 1. Professora Enfermeira Giza Carla Nitz Especialista em Urgência e Emergência
  • 2. Capacitação de Primeiros Socorros nas escolas para professores, e na grade curricular de ensino dos alunos pode salvar vidas???
  • 3. • LEI Nº 13.722 Lei Lucas: escolas são recomendadas a capacitar profissionais em primeiros socorros. Depois que o estudante Lucas Begalli Zamora, de 10 anos, faleceu após se engasgar durante um passeio promovido pela instituição de ensino em que estudava, em 2017, a lei nº 13.722/2018 foi criada.
  • 4.
  • 5. Projeto de lei que institui o programa lições de Primeiros Socorros na educação básica da rede escolar em todo estado de São Paulo.
  • 6. Introdução: 1. PCR -Parada Cardiorrespiratória 2. Desmaio 3. Epilepsia e Convulsões 4. Fraturas 5. Hemorragia 6. Choque elétrico 7. Queimaduras 8. IAM- Infarto agudo do miocárdio (ataque cardíaco) 9. AVC - Acidente vascular encefálico (derrame cerebral)
  • 7. Introdução: 10. Engasgo 11. Engasgo em bebe 12. Afogamento 13. Intoxicação e envenenamento 14. Mordida de cachorro ou gato 15. Ataque por animal peçonhento 16. Sangramento nasal 17. Diabetes - hipoglicemia 18. Febre
  • 8. Introdução: 19. Crise asmática 20. Reação alérgica 21. Corpo estranho no olho 22. Corpo estranho no ouvido 23. Corona vírus 24. Protocolo Retorno a aulas presenciais (pandemia) 24. Depressão e ideias suicidas em crianças e adolescentes
  • 9. 1. PCR -Parada Cardiorrespiratória emergência.
  • 10. 1. PCR -Parada Cardiorrespiratória emergência.
  • 11. 1. PCR -Parada Cardiorrespiratória emergência.
  • 12. 1. PCR -Parada Cardiorrespiratória emergência.
  • 13. 1. PCR -Parada Cardiorrespiratória emergência.
  • 14. PCR -Parada Cardiorrespiratória Video: https://www.youtube.com/watch?v=odjgA7IMtns
  • 15. PCR -Parada Cardiorrespiratória RN(profissional) • Aferição de batimentos cardíacos na artéria braquial; • 10 séries de 15 compressões e 2 ventilações (reavalia); • uso de aparelhos como AMBU (ventilação E DESFIBRILADOR cardíaco para choque e monitoração da RCP.
  • 16. PCR -Parada Cardiorrespiratória RN(profissional) 1 2 3
  • 17. PCR -Parada Cardiorrespiratória RN(profissional) 1 2 3
  • 18. 1. PCR -Parada Cardiorrespiratória Técnica de descompressão da veia cava.
  • 19. 1. PCR -Parada Cardiorrespiratória Técnica de descompressão da veia cava. Alguns especialistas defendem que as gestantes devem dormir sobre o lado esquerdo, pois essa posição diminui a compressão da veia cava inferior, que é responsável por levar o sangue do corpo para o coração, aumentando a circulação sanguínea. Essa pode ser a posição mais confortável para as futuras mamães
  • 20. 1. PCR -Parada Cardiorrespiratória Técnica de descompressão da veia cava. À medida que o útero aumenta ao longo da gravidez, pode ocorrer compressão da vascularização pélvica e abdominal, especialmente quando a paciente está em posição supina. A compressão da veia cava inferior pode diminuir o retorno venoso materno e reduzir o débito cardíaco de 10 a 30%, sendo que, em gestantes com mais de 20 semanas, a diminuição do débito cardíaco pode superar 30%. Isso pode contribuir para o aparecimento de hipotensão ortostática que ocorre cerca de 30 minutos na posição supina. Portanto, deve-se colocar qualquer paciente no terceiro trimestre da gravidez em posição de decúbito lateral esquerdo quando em sofrimento hemodinâmico ou hipotensão.
  • 21. 1. PCR -Parada Cardiorrespiratória Técnica de descompressão da veia cava. Ao se manejar pacientes gestantes em parada cardiorrespiratória (PCR), uma das principais mudanças em relação ao protocolo habitual de atendimento é em relação ao posicionamento. Deve-se colocar a paciente em posição de decúbitolateralesquerdo durante a ressuscitação ou o deslocamentolateralpara a esquerdado útero, aumentando o débito cardíaco e a chance de retorno a circulação espontânea.
  • 22. 1. PCR -Parada Cardiorrespiratória emergência. Leigos Profissionais
  • 25. Atividades: 1. Como identificar uma parada cardiorrespiratória? 2. Defina RCP. 3. Qual primeiro passo após identificar uma PCR? 4. Como realizar uma RCP até a chegada do socorro especializado? 5. Descreva a técnica de recuperação após reanimação. 6. Hora de praticar!!!