SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 7
Baixar para ler offline
PROF. CADU
PROF. CADU
Formação do Território Brasileiro
FORMAÇÃO DO TERRITÓRIO BRASILEIRO
• Os contornos do nosso país, nem sempre foram
como atualmente.
• Muitas terras que pertencem atualmente ao Brasil
foram conquistadas em guerras, acordos, tratados e
compradas de outros países.
A expansão territorial brasileira recebeu diversas influências das
atividades econômicas. Inicialmente, com a economia colonial
(1500- 1822), tudo girava em função das produções ligadas aos
gêneros primários. Essa demanda também correspondia aos
anseios de exportação para atender os desejos da metrópole
portuguesa a qual o Brasil estava ligado.
DIVISÃO REGIONAL DO BRASIL
•IBGE;
•Complexos regionais/regiões geoeconômicas;
•Região concentrada.
FORMAÇÃO DO TERRITÓRIO BRASILEIRO
• A primeira divisão oficial do Brasil foi pelo TRATADO
DE TORDESILHAS, assinado entre Espanha e Portugal.
• Esse tratado, assinado em 7 de junho de 1494, em
Tordesilhas, na Espanha, estabeleceu uma linha
imaginária que passava a 370 léguas a oeste do
arquipélago de Cabo Verde (África).
O Tratado de Tordesilhas foi um acordo firmado em 7 de junho de
1494, entre os reis da Espanha e Portugal, com o objetivo de
dispor sobre a repartição das terras descobertas ou a descobrir
pelos dois países. O Tratado de Tordesilhas está estreitamente
relacionado com as Bulas Alexandrinas, e seus efeitos foram
imediatamente notados na América e na Ásia. Assim como as
Bulas Alexandrinas significaram um grande triunfo para os Reis
Católicos, o Tratado de Tordesilhas impôs a habilidade de
negociador do rei João II de Portugal, quando tudo estava a favor
de Castela. A partir de agosto de 1493, o monarca português
tentou modificações e ampliações na linha de demarcação. Após
muitos meses de duras negociações, embaixadores dos dois
países reuniram-se na vila de Tordesilhas e assinaram um
tratado. Estabelecia uma linha imaginária de demarcação, de
norte a sul, distante 370 léguas a oeste das ilhas de Cabo Verde.
Desta forma, tudo o que se descobrisse, a partir de então, a leste
da referida linha pertenceria a Portugal e o que se encontrasse a
oeste seria de Castela.
CAPITANIAS HEREDITÁRIAS
Imagem:LuísTeixeira/DomínioPúblico.
EVOLUÇÃO DA DIVISÃO REGIONAL BRASILEIRA
COMPONENTE CURRICULAR, 1º ano
Formação do Território BrasileiroFORMAÇÃO DO BRASIL NO SÉCULO XVIII
Imagens:PedroAguiar/GNUFreeDocumentationLicense.
1709 1789
EVOLUÇÃO DA DIVISÃO REGIONAL
BRASILEIRA
ALGUNS ESTADOS SOFRERAM MODIFICAÇÕES – PERNAMBUCO (1817)
Pernambuco
Comarca de
São Francisco
(PE)
Ceará
Paraíba
Rio Grande
do Norte
Bahia
Comarca de
Sergipe Del Rei
(BA)
Comarca das
Alagoas (PE)
Imagem: SEE-PE, redesenhado a partir de
ilustração de Autor Desconhecido.
• A formação do território brasileiro foi sendo
modificada com o decorrer do tempo.
• Alguns estados foram anexados de outros
países (Acre / Bolívia).
• Vários estados da federação foram criados e
divididos.
FORMAÇÃO DO TERRITÓRIO
BRASILEIRO
Recebe o nome de Tratado de Petrópolis o documento firmado
entre a Bolívia e o Brasil a 17 de novembro de 1903. Assinado
naquela cidade do estado do Rio de Janeiro, este tratado tornou
oficial a anexação do atual estado do Acre ao território brasileiro.
Por esse instrumento, ficou acordado que a Bolívia receberia
compensações territoriais em vários pontos da fronteira com o
Brasil. O governo brasileiro se comprometeria a construir a
Estrada de ferro Madeira-Mamoré, e preservaria a liberdade de
trânsito pela ferrovia e pelos rios até o oceano Atlântico,
facilitando o escoamento das exportações bolivianas. Como não
havia equivalência entre as áreas permutadas, estabeleceu-se,
ainda, uma indenização de dois milhões de libras esterlinas, a ser
paga pelo Brasil em duas parcelas.
A Bolívia cederia a parte meridional do Acre, reconhecidamente
boliviana, mas povoada por brasileiros, e desistiria da reclamação
da outra parte do território mais ao norte, também ocupada só por
brasileiros.
CAUSAS DAS MODIFICAÇÕES NO
TERRITÓRIO BRASILEIRO
• Expansão da ocupação portuguesa;
• As lutas entre os portugueses e os povos nativos;
• As disputa pela terra com invasores;
• Busca por riquezas ou ciclos econômicos.
1988
COMPLEXOS
REGIONAIS
1942
1967
GEÓGRAFO PINCHAS GEIGER
1- Amazônia: Brasil do futuro – Historicamente é uma
região despovoada e esquecida, mas que tem sido vista
com outros olhos nas últimas décadas devido a sua
potencialidade natural (recursos naturais).
2- Centro-Sul: Brasil do Presente – É o atual centro
financeiro e econômico do país. A industrialização do
Brasil consolidou a centralização do poder – abriga a
megalópole brasileira.
3- Nordeste: Brasil do Passado - marcado pela
colonização voltada para a exploração da cana.
Atualmente situa-se à margem do centro financeiro e
econômico do país.
COMPLEXOS REGIONAIS DE PEDRO PINCHAS GEIGER
MEIO-NORTE
SERTÃO
AGRESTE
ZONA DA MATA
O meio-norte corresponde à faixa de transição entre o sertão
semiárido do Nordeste e a região Amazônica, inclui os estados do
Maranhão e oeste do Piauí. A vegetação natural dessa área é a
mata de cocais, carnaúbas e babaçus, em sua maioria. Apresenta
índices pluviométricos maiores a oeste. As atividades econômicas
de maior destaque são o extrativismo vegetal, praticado na mata
de cocais remanescente, a pecuária extensiva e o cultivo do arroz
e do algodão.
O sertão é uma extensa área de clima semiárido, que
compreende o centro da região Nordeste, está presente em
quase todos os estados da região. As chuvas são escassas e mal
distribuídas. A vegetação típica é a caatinga. A bacia do rio São
Francisco é a maior da região e a única fonte de água perene
para as populações que habitam suas margens, é aproveitado
para irrigação e também é fonte de energia através de
hidrelétricas como a de Sobradinho (BA). As maiores
concentrações humanas estão nos vales dos rios Cariri e São
Francisco. A pecuária é a principal atividade econômica, ao lado
do cultivo irrigado de frutas e flores.
O agreste é a área de transição entre a zona da mata, úmida e
cheia de brejos, e o sertão semiárido. A principal atividade
econômica nos trechos mais secos do agreste é a pecuária
extensiva; nos trechos mais úmidos é a agricultura de
subsistência e a pecuária leiteira.
A zona da mata compreende uma faixa litorânea de até 200
quilômetros de largura que se estende do Rio Grande do Norte ao
sul da Bahia. É a sub-região mais urbanizada e populosa. O clima
é tropical úmido e o solo é fértil em razão da regularidade de
chuvas. A vegetação natural é a mata Atlântica, praticamente
extinta e substituída por cana de açúcar. Além da cana, do cacau,
do fumo e da lavoura de subsistência, destaca-se também a
produção de sal marinho, principalmente no Rio Grande do Norte.
REGIÃO CONCENTRADA
A REGIÃO CONCENTRADA
DO PROFESSOR MILTON SANTOS
A regionalização dos “4 Brasis” proposta pelo professor Milton
Santos em 1999, ficou conhecida como regionalização do "Meio
técnico-científico-informacional”.
Para Milton Santos, o Brasil poderia ser dividido em quatro regiões: A
Amazônia, a Nordeste, a Centro-Oeste (que inclui o Tocantins) e a que
foi denominada Região Concentrada (abrangendo SP, RJ, MG, ES,
PR, SC e RS). O critério dessa regionalização é o grau de acumulação
da ciência, da tecnologia e da informação.
PONTOS EXTREMOS DO BRASIL
Norte - nascente do Rio Ailã, no Monte Caburaí, em Roraima. Sul
- Arroio Chuí, no Rio Grande do Sul. Oeste - nascente do Rio
Moa, na Serra Contamana, no Acre. As distâncias máximas entre
os pontos extremos Norte e Sul (4.394km) e Leste e Oeste (4.319
km) são enormes e quase equivalentes.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Regiões brasileiras silmara
Regiões brasileiras silmaraRegiões brasileiras silmara
Regiões brasileiras silmara
Silmara Robles
 
Introducao do Espaco Geografico Brasileiro
Introducao do Espaco Geografico BrasileiroIntroducao do Espaco Geografico Brasileiro
Introducao do Espaco Geografico Brasileiro
Isabella Silva
 
Brasil regiões
Brasil regiõesBrasil regiões
Brasil regiões
gisandrade
 
Mod23 america sul I
Mod23 america sul IMod23 america sul I
Mod23 america sul I
Tiago Tomazi
 
Ocupacao e-formacao-do-espaco-brasileiro-–-g4
Ocupacao e-formacao-do-espaco-brasileiro-–-g4Ocupacao e-formacao-do-espaco-brasileiro-–-g4
Ocupacao e-formacao-do-espaco-brasileiro-–-g4
020604
 

Mais procurados (20)

Regiões brasileiras silmara
Regiões brasileiras silmaraRegiões brasileiras silmara
Regiões brasileiras silmara
 
Formação do território brasileiro
Formação do território brasileiroFormação do território brasileiro
Formação do território brasileiro
 
As grandes regiões brasileiras
As grandes regiões brasileirasAs grandes regiões brasileiras
As grandes regiões brasileiras
 
CONNSTRUÇÃO DAS FRONTEIRAS DO BRASIL
CONNSTRUÇÃO DAS FRONTEIRAS DO BRASILCONNSTRUÇÃO DAS FRONTEIRAS DO BRASIL
CONNSTRUÇÃO DAS FRONTEIRAS DO BRASIL
 
Introducao do Espaco Geografico Brasileiro
Introducao do Espaco Geografico BrasileiroIntroducao do Espaco Geografico Brasileiro
Introducao do Espaco Geografico Brasileiro
 
UE5 - Gênese Geoeconômica do Território Brasileiro
UE5 - Gênese Geoeconômica do Território BrasileiroUE5 - Gênese Geoeconômica do Território Brasileiro
UE5 - Gênese Geoeconômica do Território Brasileiro
 
América do sul
América do sulAmérica do sul
América do sul
 
América do sul
América do sulAmérica do sul
América do sul
 
America do-sul-1
America do-sul-1America do-sul-1
America do-sul-1
 
Formação do Território Brasileiro
Formação do Território BrasileiroFormação do Território Brasileiro
Formação do Território Brasileiro
 
Geografia
GeografiaGeografia
Geografia
 
As regiões
As regiõesAs regiões
As regiões
 
Brasil regiões
Brasil regiõesBrasil regiões
Brasil regiões
 
Regiões do Brasil
Regiões do BrasilRegiões do Brasil
Regiões do Brasil
 
Formação territorial brasileira
Formação territorial brasileiraFormação territorial brasileira
Formação territorial brasileira
 
Delimitação e formação do território brasileiro
Delimitação e formação do território brasileiroDelimitação e formação do território brasileiro
Delimitação e formação do território brasileiro
 
Ifes aula 15-a-formação_do_território_brasileiro https://youtu.be/VTZ69N1AqCw
Ifes aula 15-a-formação_do_território_brasileiro https://youtu.be/VTZ69N1AqCwIfes aula 15-a-formação_do_território_brasileiro https://youtu.be/VTZ69N1AqCw
Ifes aula 15-a-formação_do_território_brasileiro https://youtu.be/VTZ69N1AqCw
 
Formação territorial do brasil
Formação territorial do brasilFormação territorial do brasil
Formação territorial do brasil
 
Mod23 america sul I
Mod23 america sul IMod23 america sul I
Mod23 america sul I
 
Ocupacao e-formacao-do-espaco-brasileiro-–-g4
Ocupacao e-formacao-do-espaco-brasileiro-–-g4Ocupacao e-formacao-do-espaco-brasileiro-–-g4
Ocupacao e-formacao-do-espaco-brasileiro-–-g4
 

Destaque

Principais eventos da Guerra Fria
Principais eventos da Guerra FriaPrincipais eventos da Guerra Fria
Principais eventos da Guerra Fria
CADUCOC
 
L mat02(estudo.com)
L mat02(estudo.com)L mat02(estudo.com)
L mat02(estudo.com)
Arthur Prata
 

Destaque (18)

Lista 1 (I unidade Fente 2) Cadu
Lista 1 (I unidade  Fente 2) CaduLista 1 (I unidade  Fente 2) Cadu
Lista 1 (I unidade Fente 2) Cadu
 
Principais eventos da Guerra Fria
Principais eventos da Guerra FriaPrincipais eventos da Guerra Fria
Principais eventos da Guerra Fria
 
Aula 4 blocos economicos parte 1
Aula 4 blocos economicos parte 1Aula 4 blocos economicos parte 1
Aula 4 blocos economicos parte 1
 
Aula 2 Ordem Mundial
Aula 2 Ordem MundialAula 2 Ordem Mundial
Aula 2 Ordem Mundial
 
Texto brexit
Texto brexitTexto brexit
Texto brexit
 
Texto Ordens Mundiais_e_Globalização
Texto Ordens Mundiais_e_GlobalizaçãoTexto Ordens Mundiais_e_Globalização
Texto Ordens Mundiais_e_Globalização
 
Classificação e Propriedades da Matéria
Classificação e Propriedades da MatériaClassificação e Propriedades da Matéria
Classificação e Propriedades da Matéria
 
alotropia
alotropiaalotropia
alotropia
 
cálculos análise
cálculos análisecálculos análise
cálculos análise
 
aula01 rev bahiana
aula01 rev bahianaaula01 rev bahiana
aula01 rev bahiana
 
Simulado QUIMICA facebook
Simulado QUIMICA facebookSimulado QUIMICA facebook
Simulado QUIMICA facebook
 
Texto de apoio: Capitalismo
Texto de apoio: CapitalismoTexto de apoio: Capitalismo
Texto de apoio: Capitalismo
 
Estequiometriaextensivo
EstequiometriaextensivoEstequiometriaextensivo
Estequiometriaextensivo
 
mol, massa molar,etc
mol, massa molar,etcmol, massa molar,etc
mol, massa molar,etc
 
Bioquímica teoria
Bioquímica teoriaBioquímica teoria
Bioquímica teoria
 
Alotropia share
Alotropia shareAlotropia share
Alotropia share
 
L mat02(estudo.com)
L mat02(estudo.com)L mat02(estudo.com)
L mat02(estudo.com)
 
Símbolos usados em Matemática
Símbolos usados em MatemáticaSímbolos usados em Matemática
Símbolos usados em Matemática
 

Semelhante a Aula 1 Frente 2

Formação Territorial Do Brasil
Formação Territorial Do BrasilFormação Territorial Do Brasil
Formação Territorial Do Brasil
Luciano Pessanha
 
Lorinha amadora linda(cuidado ao abrir)
Lorinha amadora linda(cuidado ao abrir)Lorinha amadora linda(cuidado ao abrir)
Lorinha amadora linda(cuidado ao abrir)
João Bosco Sousa
 
TCD GEOGRAFIA DO BRASIL
TCD GEOGRAFIA DO BRASILTCD GEOGRAFIA DO BRASIL
TCD GEOGRAFIA DO BRASIL
Rodrigo Lopes
 

Semelhante a Aula 1 Frente 2 (20)

Formação do Território brasileiro.ppt
Formação do Território brasileiro.pptFormação do Território brasileiro.ppt
Formação do Território brasileiro.ppt
 
Formação do Território brasileiro.pdf
Formação do Território brasileiro.pdfFormação do Território brasileiro.pdf
Formação do Território brasileiro.pdf
 
BRASIL_FormaçãoTerritório-PE.ppt
BRASIL_FormaçãoTerritório-PE.pptBRASIL_FormaçãoTerritório-PE.ppt
BRASIL_FormaçãoTerritório-PE.ppt
 
Regiões Geoeconômicas: Centro-Sul
Regiões Geoeconômicas: Centro-SulRegiões Geoeconômicas: Centro-Sul
Regiões Geoeconômicas: Centro-Sul
 
AULAS EXPOSITIVAS.7 ANO.pdf
AULAS EXPOSITIVAS.7 ANO.pdfAULAS EXPOSITIVAS.7 ANO.pdf
AULAS EXPOSITIVAS.7 ANO.pdf
 
Formacao_do_Territorio_brasileiro.pdf
Formacao_do_Territorio_brasileiro.pdfFormacao_do_Territorio_brasileiro.pdf
Formacao_do_Territorio_brasileiro.pdf
 
Geografia formaçao do territorio brasileiro
Geografia   formaçao do territorio brasileiroGeografia   formaçao do territorio brasileiro
Geografia formaçao do territorio brasileiro
 
A formaçao territoral do Brasil
A formaçao territoral do Brasil A formaçao territoral do Brasil
A formaçao territoral do Brasil
 
OCUPAÇÃO E ORGANIZAÇÃO DO TERRITÓRIO BRASILEIRO.pptx
OCUPAÇÃO E ORGANIZAÇÃO DO TERRITÓRIO BRASILEIRO.pptxOCUPAÇÃO E ORGANIZAÇÃO DO TERRITÓRIO BRASILEIRO.pptx
OCUPAÇÃO E ORGANIZAÇÃO DO TERRITÓRIO BRASILEIRO.pptx
 
formação do território brasileiro
formação do território brasileiroformação do território brasileiro
formação do território brasileiro
 
Formação Territorial Do Brasil
Formação Territorial Do BrasilFormação Territorial Do Brasil
Formação Territorial Do Brasil
 
Lorinha amadora linda(cuidado ao abrir)
Lorinha amadora linda(cuidado ao abrir)Lorinha amadora linda(cuidado ao abrir)
Lorinha amadora linda(cuidado ao abrir)
 
Ocupacao fronteiras eee
Ocupacao fronteiras eeeOcupacao fronteiras eee
Ocupacao fronteiras eee
 
Presentacion de Bahia.pptx
Presentacion de Bahia.pptxPresentacion de Bahia.pptx
Presentacion de Bahia.pptx
 
7º ano unidade 6 - Nordeste do Brasil
7º ano   unidade 6 - Nordeste do Brasil7º ano   unidade 6 - Nordeste do Brasil
7º ano unidade 6 - Nordeste do Brasil
 
Região Sudeste do Brasil
Região Sudeste do BrasilRegião Sudeste do Brasil
Região Sudeste do Brasil
 
TCD GEOGRAFIA DO BRASIL
TCD GEOGRAFIA DO BRASILTCD GEOGRAFIA DO BRASIL
TCD GEOGRAFIA DO BRASIL
 
Formação do Território brasileiro.ppt
Formação do Território brasileiro.pptFormação do Território brasileiro.ppt
Formação do Território brasileiro.ppt
 
1º Mc Grupo 01
1º Mc   Grupo 011º Mc   Grupo 01
1º Mc Grupo 01
 
Complexos Econômicos
Complexos EconômicosComplexos Econômicos
Complexos Econômicos
 

Mais de CADUCOCFRENTE2 (7)

Parte 1 - Climatolgia: elementos do Clima
Parte 1 - Climatolgia: elementos do ClimaParte 1 - Climatolgia: elementos do Clima
Parte 1 - Climatolgia: elementos do Clima
 
PEDOLOGIA - COMPLEMENTO RELEVO DO BRASIL
PEDOLOGIA - COMPLEMENTO RELEVO DO BRASILPEDOLOGIA - COMPLEMENTO RELEVO DO BRASIL
PEDOLOGIA - COMPLEMENTO RELEVO DO BRASIL
 
AULA 2 - RELEVO DO BRASIL
AULA 2 - RELEVO DO BRASILAULA 2 - RELEVO DO BRASIL
AULA 2 - RELEVO DO BRASIL
 
Lista revisão I_unidade_2020_frente_2
Lista revisão I_unidade_2020_frente_2Lista revisão I_unidade_2020_frente_2
Lista revisão I_unidade_2020_frente_2
 
Texto Intemperismo e Erosão
Texto Intemperismo e ErosãoTexto Intemperismo e Erosão
Texto Intemperismo e Erosão
 
Leitura complementer introducao de relevo
Leitura complementer introducao de relevoLeitura complementer introducao de relevo
Leitura complementer introducao de relevo
 
Aula clima biomas brasil sartre frente2
Aula clima  biomas brasil sartre frente2Aula clima  biomas brasil sartre frente2
Aula clima biomas brasil sartre frente2
 

Último

ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
azulassessoria9
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
aulasgege
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
VALMIRARIBEIRO1
 
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdfHistoria-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
andreaLisboa7
 

Último (20)

As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfAs Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
 
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHASMARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
 
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdfo-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
 
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
 
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
 
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfAtividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
 
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
 
Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.
 
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docxUnidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
 
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é preciso
 
livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorial
 
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasLivro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
 
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdfHistoria-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de Infância
 

Aula 1 Frente 2

  • 1. PROF. CADU PROF. CADU Formação do Território Brasileiro FORMAÇÃO DO TERRITÓRIO BRASILEIRO • Os contornos do nosso país, nem sempre foram como atualmente. • Muitas terras que pertencem atualmente ao Brasil foram conquistadas em guerras, acordos, tratados e compradas de outros países. A expansão territorial brasileira recebeu diversas influências das atividades econômicas. Inicialmente, com a economia colonial (1500- 1822), tudo girava em função das produções ligadas aos gêneros primários. Essa demanda também correspondia aos anseios de exportação para atender os desejos da metrópole portuguesa a qual o Brasil estava ligado. DIVISÃO REGIONAL DO BRASIL •IBGE; •Complexos regionais/regiões geoeconômicas; •Região concentrada.
  • 2. FORMAÇÃO DO TERRITÓRIO BRASILEIRO • A primeira divisão oficial do Brasil foi pelo TRATADO DE TORDESILHAS, assinado entre Espanha e Portugal. • Esse tratado, assinado em 7 de junho de 1494, em Tordesilhas, na Espanha, estabeleceu uma linha imaginária que passava a 370 léguas a oeste do arquipélago de Cabo Verde (África). O Tratado de Tordesilhas foi um acordo firmado em 7 de junho de 1494, entre os reis da Espanha e Portugal, com o objetivo de dispor sobre a repartição das terras descobertas ou a descobrir pelos dois países. O Tratado de Tordesilhas está estreitamente relacionado com as Bulas Alexandrinas, e seus efeitos foram imediatamente notados na América e na Ásia. Assim como as Bulas Alexandrinas significaram um grande triunfo para os Reis Católicos, o Tratado de Tordesilhas impôs a habilidade de negociador do rei João II de Portugal, quando tudo estava a favor de Castela. A partir de agosto de 1493, o monarca português tentou modificações e ampliações na linha de demarcação. Após muitos meses de duras negociações, embaixadores dos dois países reuniram-se na vila de Tordesilhas e assinaram um tratado. Estabelecia uma linha imaginária de demarcação, de norte a sul, distante 370 léguas a oeste das ilhas de Cabo Verde. Desta forma, tudo o que se descobrisse, a partir de então, a leste da referida linha pertenceria a Portugal e o que se encontrasse a oeste seria de Castela. CAPITANIAS HEREDITÁRIAS Imagem:LuísTeixeira/DomínioPúblico. EVOLUÇÃO DA DIVISÃO REGIONAL BRASILEIRA
  • 3. COMPONENTE CURRICULAR, 1º ano Formação do Território BrasileiroFORMAÇÃO DO BRASIL NO SÉCULO XVIII Imagens:PedroAguiar/GNUFreeDocumentationLicense. 1709 1789 EVOLUÇÃO DA DIVISÃO REGIONAL BRASILEIRA ALGUNS ESTADOS SOFRERAM MODIFICAÇÕES – PERNAMBUCO (1817) Pernambuco Comarca de São Francisco (PE) Ceará Paraíba Rio Grande do Norte Bahia Comarca de Sergipe Del Rei (BA) Comarca das Alagoas (PE) Imagem: SEE-PE, redesenhado a partir de ilustração de Autor Desconhecido.
  • 4. • A formação do território brasileiro foi sendo modificada com o decorrer do tempo. • Alguns estados foram anexados de outros países (Acre / Bolívia). • Vários estados da federação foram criados e divididos. FORMAÇÃO DO TERRITÓRIO BRASILEIRO Recebe o nome de Tratado de Petrópolis o documento firmado entre a Bolívia e o Brasil a 17 de novembro de 1903. Assinado naquela cidade do estado do Rio de Janeiro, este tratado tornou oficial a anexação do atual estado do Acre ao território brasileiro. Por esse instrumento, ficou acordado que a Bolívia receberia compensações territoriais em vários pontos da fronteira com o Brasil. O governo brasileiro se comprometeria a construir a Estrada de ferro Madeira-Mamoré, e preservaria a liberdade de trânsito pela ferrovia e pelos rios até o oceano Atlântico, facilitando o escoamento das exportações bolivianas. Como não havia equivalência entre as áreas permutadas, estabeleceu-se, ainda, uma indenização de dois milhões de libras esterlinas, a ser paga pelo Brasil em duas parcelas. A Bolívia cederia a parte meridional do Acre, reconhecidamente boliviana, mas povoada por brasileiros, e desistiria da reclamação da outra parte do território mais ao norte, também ocupada só por brasileiros. CAUSAS DAS MODIFICAÇÕES NO TERRITÓRIO BRASILEIRO • Expansão da ocupação portuguesa; • As lutas entre os portugueses e os povos nativos; • As disputa pela terra com invasores; • Busca por riquezas ou ciclos econômicos. 1988 COMPLEXOS REGIONAIS 1942 1967
  • 5. GEÓGRAFO PINCHAS GEIGER 1- Amazônia: Brasil do futuro – Historicamente é uma região despovoada e esquecida, mas que tem sido vista com outros olhos nas últimas décadas devido a sua potencialidade natural (recursos naturais). 2- Centro-Sul: Brasil do Presente – É o atual centro financeiro e econômico do país. A industrialização do Brasil consolidou a centralização do poder – abriga a megalópole brasileira. 3- Nordeste: Brasil do Passado - marcado pela colonização voltada para a exploração da cana. Atualmente situa-se à margem do centro financeiro e econômico do país. COMPLEXOS REGIONAIS DE PEDRO PINCHAS GEIGER MEIO-NORTE SERTÃO AGRESTE ZONA DA MATA O meio-norte corresponde à faixa de transição entre o sertão semiárido do Nordeste e a região Amazônica, inclui os estados do Maranhão e oeste do Piauí. A vegetação natural dessa área é a mata de cocais, carnaúbas e babaçus, em sua maioria. Apresenta índices pluviométricos maiores a oeste. As atividades econômicas de maior destaque são o extrativismo vegetal, praticado na mata de cocais remanescente, a pecuária extensiva e o cultivo do arroz e do algodão. O sertão é uma extensa área de clima semiárido, que compreende o centro da região Nordeste, está presente em quase todos os estados da região. As chuvas são escassas e mal distribuídas. A vegetação típica é a caatinga. A bacia do rio São Francisco é a maior da região e a única fonte de água perene para as populações que habitam suas margens, é aproveitado para irrigação e também é fonte de energia através de hidrelétricas como a de Sobradinho (BA). As maiores concentrações humanas estão nos vales dos rios Cariri e São Francisco. A pecuária é a principal atividade econômica, ao lado do cultivo irrigado de frutas e flores. O agreste é a área de transição entre a zona da mata, úmida e cheia de brejos, e o sertão semiárido. A principal atividade econômica nos trechos mais secos do agreste é a pecuária extensiva; nos trechos mais úmidos é a agricultura de subsistência e a pecuária leiteira. A zona da mata compreende uma faixa litorânea de até 200
  • 6. quilômetros de largura que se estende do Rio Grande do Norte ao sul da Bahia. É a sub-região mais urbanizada e populosa. O clima é tropical úmido e o solo é fértil em razão da regularidade de chuvas. A vegetação natural é a mata Atlântica, praticamente extinta e substituída por cana de açúcar. Além da cana, do cacau, do fumo e da lavoura de subsistência, destaca-se também a produção de sal marinho, principalmente no Rio Grande do Norte. REGIÃO CONCENTRADA A REGIÃO CONCENTRADA DO PROFESSOR MILTON SANTOS A regionalização dos “4 Brasis” proposta pelo professor Milton Santos em 1999, ficou conhecida como regionalização do "Meio técnico-científico-informacional”. Para Milton Santos, o Brasil poderia ser dividido em quatro regiões: A Amazônia, a Nordeste, a Centro-Oeste (que inclui o Tocantins) e a que foi denominada Região Concentrada (abrangendo SP, RJ, MG, ES, PR, SC e RS). O critério dessa regionalização é o grau de acumulação da ciência, da tecnologia e da informação.
  • 7. PONTOS EXTREMOS DO BRASIL Norte - nascente do Rio Ailã, no Monte Caburaí, em Roraima. Sul - Arroio Chuí, no Rio Grande do Sul. Oeste - nascente do Rio Moa, na Serra Contamana, no Acre. As distâncias máximas entre os pontos extremos Norte e Sul (4.394km) e Leste e Oeste (4.319 km) são enormes e quase equivalentes.