SlideShare uma empresa Scribd logo
CLIMAS E
BIOMAS
BRASILEIROS
PROF. CADU
CLIMATOLOGIA NO BRASIL
 Predominância de climas quentes e úmidos
(posição geográfica tropical);
 A latitude interfere bastante nos climas do
Brasil, (grande extensão no sentido norte-sul);
 O relevo exerce influência, apesar do país não
possuir grandes elevações.
Clima Brasileiro.
MASSAS DE AR - BRASIL
CLIMAS E BIOMAS BRASILEIROS
HOTSPOT
O conceito foi criado em 1988 pelo ecólogo
inglês Norman Myers = regiões com os mais
altos níveis de biodiversidade em risco.
CONCEITO: É toda área de alta
biodiversidade ameaçada (média de 1.500
espécies endêmicas de plantas) e que
perdeu + 3/4 de sua vegetação original.
MATA ATLÂNTICA e CERRADO
CLIMAS E BIOMAS DO
BRASIL
HOTSPOTS BRASILEIROSHOTSPOTS BRASILEIROS
Equatorial = quente e úmido, temperaturas variando muito
pouco durante o ano (média térmica 24°C e 26°C).
Altos índices pluviométricos anuais (acima de 2.000
mm), não há estação seca definida = Região Amazônica.
AMAZÔNIA
A Floresta está distribuída em ecossistemas: mata de terra
firme, a mata de várzeas (ribeirinhas) e os igapós, além
de campos. O solo é do tipo lixiviado (pobre em sais
minerais e rico em humus).
LATIFOLIADA; PERENIFÓLIA.
PRESENÇA DE HIGRÓFILAS E HIDRÓFILAS
• Tropical- Duas estações bem
definidas, a chuvosa (verão) e a
seca (inverno). A temp. média
anual de 22°C e pluviosidade de
1.500 mm.
CERRADO
Este bioma é encontrado em MT, MS, GO e TO. Tem rica
biodiversidade (gramíneas e árvores...). Os solos são
ácidos (LATOSSOLO), devido e possuem baixa
fertilidade natural.
TROPÓFILA; MEGATÉRMICA; ARBUSTIVA; LENHOSA
• Tropical de altitude - o relevo
é o fator preponderante para as
temp. amenas (17°C e 22°C) e
índices pluviométricos por volta de
1.500 mm (chuvas torrenciais).
Regiões mais altas do
Sudeste.
Tropical úmido - com temp.
médias anuais de 25°C e
pluviosidade média entre 1.250
mm e 2.000 mm. As chuvas
concentram-se no outono­-
inverno no litoral nordestino
e na primavera-verão no
litoral do Sudeste.
MATA ATLÂNTICA
Neste bioma existem diversos ecossistemas. Ocupa cerca
de 7% da área original. A vegetação está dividida florestas,
Manguezais, Restingas, Campos de Altitude e Brejos.
O solo é de origem vulcânica antiga.
LATIFOLIADA; PERENIFÓLIA
RELEVO DO LITORAL
1- Planalto
2- Escarpa
3- Planície Litorânea
 Semi-árido - típico do interior
nordestino. Quente e seco, temp.
variam pouco ao ano (médias
entre 26°C e 28°C). As chuvas
são irregulares e mal
distribuí­das, com pluviosidade
inferior a 750 mm.
Concentração das chuvas de
fevereiro a junho.
CAATINGA
Vegetação de arbustos de porte médio, secos e com
galhos retorcidos. O solo é raso, pedregoso e alcalino
(LITOSSOLO) e não armazena a chuva que cai. As altas
temp. causam evaporação intensa e a salinização do solo.
VEGETAÇÃO XERÓFILA
 Subtropical – Ocorre na região
Sul do país, apresenta chuvas
que bem distribuídas pelo ano.
 Índices pluviométricos superiores
a 1.250 mm anuais e as
maiores amplitudes térmicas
do país. A temp. média anual fica
em torno de 18°C.
ANOTE:
NA REGIÃO DA SERRA GAÚCHA PODE
NEVAR DEVIDO A INFLUÊNCIA DA
LATITUDE E DA ALTITUDE
NAS REGIÕES DE MAIOR LATITUDE A
INCIDÊNCIA DE RAIOS SOLARES É
DIFUSA, ISSO PROMOVE BAIXAS
TEMPERATURAS MÉDIAS.
MATA DOS PINHAIS
Esse Bioma é conhecido como Mata de Araucárias. Ocorre
no sul do Brasil, caracteriza-se por pinheiros (floresta
fechada). O solo é bastante variado de boa qualidade.
ACICULIFOLIADA; HOMOGÊNEA
CAMPOS SULINOS
Este bioma abrange uma área que se estende pelo RS e
ultrapassa as fronteiras com o URU e ARG. Também é
conhecido pelo de nome de PAMPAS.
GRAMÍNEAS - HERBÁCEAS
PANTANAL
Bioma presente nos estados de MT e MS. Nele ocorrem gramíneas, arbustos e
palmeiras. Onde ocorre inundação, há presença de árvores do tipo floresta tropical.
Os solos, em sua maioria, são arenosos e pobres, com pequenas manchas
argilosas e calcárias, mais ricas.
PRESENÇA DE HIGRÓFILAS
MATA DOS COCAIS
A Mata dos Cocais é uma floresta de transição, entre a Caatinga, Amazônia e
cerrado. Ocorre principalmente no norte dos estados do Maranhão e Piauí. As
vegetações típicas da Mata dos Cocais são: babaçu (em maior quantidade),
carnaúba, oiticica e buriti.
PALMEIRAS

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Floresta Tropical
Floresta TropicalFloresta Tropical
Floresta Tropical
CoordTic
 
Clima Equatorial
Clima EquatorialClima Equatorial
Clima Equatorial
Robson Júnior
 
Bioma: Cerrado
Bioma: CerradoBioma: Cerrado
Bioma: Cerrado
Malu Anacleto
 
Campos sulinos
Campos sulinosCampos sulinos
Campos sulinos
Tania Knittel
 
O domínio amazônico e seus ecossistemas
O domínio amazônico e seus ecossistemasO domínio amazônico e seus ecossistemas
O domínio amazônico e seus ecossistemas
Portal do Vestibulando
 
Aula do pré vest sobre climas do brasil e do mundo
Aula do pré vest sobre climas do brasil e do mundoAula do pré vest sobre climas do brasil e do mundo
Aula do pré vest sobre climas do brasil e do mundo
Gabriel Lecoque Francisco
 
Slides biomas da amazonia
Slides biomas da amazoniaSlides biomas da amazonia
Slides biomas da amazonia
Lianny Siqueira
 
Cerrado (4)
Cerrado (4)Cerrado (4)
Cerrado (4)
Jéssica Muniz
 
O clima e a vegetação
O clima e a vegetaçãoO clima e a vegetação
O clima e a vegetação
Rosângela Ferreira Luz
 
Biologia 3 ecossistemas terrestres e aquáticos
Biologia 3   ecossistemas terrestres e aquáticosBiologia 3   ecossistemas terrestres e aquáticos
Biologia 3 ecossistemas terrestres e aquáticos
Filho João Evangelista
 
Cerrado do Brasil
Cerrado do BrasilCerrado do Brasil
Cerrado do Brasil
Dani Santos
 
Amazônia
AmazôniaAmazônia
Amazônia
Edmar Souza
 
Clima equatorial
Clima equatorialClima equatorial
Clima equatorial
gibs007
 
Floresta amazônica
Floresta amazônica Floresta amazônica
Floresta amazônica
Elisa Mitye Akiyama
 
Vegetaaoclima 1210597869548258-8
Vegetaaoclima 1210597869548258-8Vegetaaoclima 1210597869548258-8
Vegetaaoclima 1210597869548258-8
Fernando Silva
 
Floresta amazônica 1 B
Floresta amazônica 1 BFloresta amazônica 1 B
Floresta amazônica 1 B
Maria Teresa Iannaco Grego
 
Apresenta[1]..
Apresenta[1]..Apresenta[1]..
Apresenta[1]..
diegovicari
 
Devastação do Cerrado
Devastação do CerradoDevastação do Cerrado
Devastação do Cerrado
Unidos Do Grauu Rio Acima
 
Os grandes biomas da Terra
Os grandes biomas da TerraOs grandes biomas da Terra
Os grandes biomas da Terra
Prof. João Oliveira
 
Biomas
BiomasBiomas

Mais procurados (20)

Floresta Tropical
Floresta TropicalFloresta Tropical
Floresta Tropical
 
Clima Equatorial
Clima EquatorialClima Equatorial
Clima Equatorial
 
Bioma: Cerrado
Bioma: CerradoBioma: Cerrado
Bioma: Cerrado
 
Campos sulinos
Campos sulinosCampos sulinos
Campos sulinos
 
O domínio amazônico e seus ecossistemas
O domínio amazônico e seus ecossistemasO domínio amazônico e seus ecossistemas
O domínio amazônico e seus ecossistemas
 
Aula do pré vest sobre climas do brasil e do mundo
Aula do pré vest sobre climas do brasil e do mundoAula do pré vest sobre climas do brasil e do mundo
Aula do pré vest sobre climas do brasil e do mundo
 
Slides biomas da amazonia
Slides biomas da amazoniaSlides biomas da amazonia
Slides biomas da amazonia
 
Cerrado (4)
Cerrado (4)Cerrado (4)
Cerrado (4)
 
O clima e a vegetação
O clima e a vegetaçãoO clima e a vegetação
O clima e a vegetação
 
Biologia 3 ecossistemas terrestres e aquáticos
Biologia 3   ecossistemas terrestres e aquáticosBiologia 3   ecossistemas terrestres e aquáticos
Biologia 3 ecossistemas terrestres e aquáticos
 
Cerrado do Brasil
Cerrado do BrasilCerrado do Brasil
Cerrado do Brasil
 
Amazônia
AmazôniaAmazônia
Amazônia
 
Clima equatorial
Clima equatorialClima equatorial
Clima equatorial
 
Floresta amazônica
Floresta amazônica Floresta amazônica
Floresta amazônica
 
Vegetaaoclima 1210597869548258-8
Vegetaaoclima 1210597869548258-8Vegetaaoclima 1210597869548258-8
Vegetaaoclima 1210597869548258-8
 
Floresta amazônica 1 B
Floresta amazônica 1 BFloresta amazônica 1 B
Floresta amazônica 1 B
 
Apresenta[1]..
Apresenta[1]..Apresenta[1]..
Apresenta[1]..
 
Devastação do Cerrado
Devastação do CerradoDevastação do Cerrado
Devastação do Cerrado
 
Os grandes biomas da Terra
Os grandes biomas da TerraOs grandes biomas da Terra
Os grandes biomas da Terra
 
Biomas
BiomasBiomas
Biomas
 

Semelhante a Aula clima biomas brasil sartre frente2

Biomas brasileiros
Biomas brasileirosBiomas brasileiros
Biomas brasileiros
ricardohenri
 
Biomas brasileiros
Biomas brasileirosBiomas brasileiros
Biomas brasileiros
Márcio Júlio
 
Climatologia no brasil
Climatologia no brasilClimatologia no brasil
Climatologia no brasil
karolpoa
 
Biomas
BiomasBiomas
Biomas
URCA
 
Domínios morfoclimáticos brasileiros
Domínios morfoclimáticos brasileirosDomínios morfoclimáticos brasileiros
Domínios morfoclimáticos brasileiros
Alessandra Vieira da Silva
 
Biomasdobrasil 1
Biomasdobrasil 1Biomasdobrasil 1
Biomasdobrasil 1
Italo Alan
 
Biomas do mundo e do brasil
Biomas do mundo e do brasilBiomas do mundo e do brasil
Biomas do mundo e do brasil
Italo Alan
 
Biomas do mundo e do brasil
Biomas do mundo e do brasilBiomas do mundo e do brasil
Biomas do mundo e do brasil
Washington sucupira
 
Biomas do mundo e do brasil
Biomas do mundo e do brasilBiomas do mundo e do brasil
Biomas do mundo e do brasil
Washington sucupira
 
Biomas do brasil
Biomas do brasilBiomas do brasil
Biomas do brasil
Washington sucupira
 
biomas-brasileiros-150221214431-conversion-gate01.ppt
biomas-brasileiros-150221214431-conversion-gate01.pptbiomas-brasileiros-150221214431-conversion-gate01.ppt
biomas-brasileiros-150221214431-conversion-gate01.ppt
andrenespoli3
 
Vegeta. brasileira 2010
Vegeta. brasileira 2010Vegeta. brasileira 2010
Vegeta. brasileira 2010
petrivanacarvalho
 
Clima e os biomas
Clima e os biomasClima e os biomas
Clima e os biomas
flaviocosac
 
Prof Demétrio Melo - Brasil: Domínios Morfoclimáticos
Prof Demétrio Melo - Brasil: Domínios MorfoclimáticosProf Demétrio Melo - Brasil: Domínios Morfoclimáticos
Prof Demétrio Melo - Brasil: Domínios Morfoclimáticos
Deto - Geografia
 
Capacitação biodiversidade
Capacitação biodiversidadeCapacitação biodiversidade
Capacitação biodiversidade
itamyr
 
Capacitação biodiversidade
Capacitação biodiversidadeCapacitação biodiversidade
Capacitação biodiversidade
itamyr
 
Geografia do Brasil
Geografia do BrasilGeografia do Brasil
Geografia do Brasil
Marcela Marangon Ribeiro
 
4 biomas
4   biomas4   biomas
Biomas Brasileiros segundo ano do ensino medio
Biomas Brasileiros segundo ano do ensino medioBiomas Brasileiros segundo ano do ensino medio
Biomas Brasileiros segundo ano do ensino medio
JulianaAraujo840650
 
Aula6 biomas
Aula6 biomasAula6 biomas
Aula6 biomas
Carolina Lisboa
 

Semelhante a Aula clima biomas brasil sartre frente2 (20)

Biomas brasileiros
Biomas brasileirosBiomas brasileiros
Biomas brasileiros
 
Biomas brasileiros
Biomas brasileirosBiomas brasileiros
Biomas brasileiros
 
Climatologia no brasil
Climatologia no brasilClimatologia no brasil
Climatologia no brasil
 
Biomas
BiomasBiomas
Biomas
 
Domínios morfoclimáticos brasileiros
Domínios morfoclimáticos brasileirosDomínios morfoclimáticos brasileiros
Domínios morfoclimáticos brasileiros
 
Biomasdobrasil 1
Biomasdobrasil 1Biomasdobrasil 1
Biomasdobrasil 1
 
Biomas do mundo e do brasil
Biomas do mundo e do brasilBiomas do mundo e do brasil
Biomas do mundo e do brasil
 
Biomas do mundo e do brasil
Biomas do mundo e do brasilBiomas do mundo e do brasil
Biomas do mundo e do brasil
 
Biomas do mundo e do brasil
Biomas do mundo e do brasilBiomas do mundo e do brasil
Biomas do mundo e do brasil
 
Biomas do brasil
Biomas do brasilBiomas do brasil
Biomas do brasil
 
biomas-brasileiros-150221214431-conversion-gate01.ppt
biomas-brasileiros-150221214431-conversion-gate01.pptbiomas-brasileiros-150221214431-conversion-gate01.ppt
biomas-brasileiros-150221214431-conversion-gate01.ppt
 
Vegeta. brasileira 2010
Vegeta. brasileira 2010Vegeta. brasileira 2010
Vegeta. brasileira 2010
 
Clima e os biomas
Clima e os biomasClima e os biomas
Clima e os biomas
 
Prof Demétrio Melo - Brasil: Domínios Morfoclimáticos
Prof Demétrio Melo - Brasil: Domínios MorfoclimáticosProf Demétrio Melo - Brasil: Domínios Morfoclimáticos
Prof Demétrio Melo - Brasil: Domínios Morfoclimáticos
 
Capacitação biodiversidade
Capacitação biodiversidadeCapacitação biodiversidade
Capacitação biodiversidade
 
Capacitação biodiversidade
Capacitação biodiversidadeCapacitação biodiversidade
Capacitação biodiversidade
 
Geografia do Brasil
Geografia do BrasilGeografia do Brasil
Geografia do Brasil
 
4 biomas
4   biomas4   biomas
4 biomas
 
Biomas Brasileiros segundo ano do ensino medio
Biomas Brasileiros segundo ano do ensino medioBiomas Brasileiros segundo ano do ensino medio
Biomas Brasileiros segundo ano do ensino medio
 
Aula6 biomas
Aula6 biomasAula6 biomas
Aula6 biomas
 

Mais de CADUCOCFRENTE2

Parte 1 - Climatolgia: elementos do Clima
Parte 1 - Climatolgia: elementos do ClimaParte 1 - Climatolgia: elementos do Clima
Parte 1 - Climatolgia: elementos do Clima
CADUCOCFRENTE2
 
PEDOLOGIA - COMPLEMENTO RELEVO DO BRASIL
PEDOLOGIA - COMPLEMENTO RELEVO DO BRASILPEDOLOGIA - COMPLEMENTO RELEVO DO BRASIL
PEDOLOGIA - COMPLEMENTO RELEVO DO BRASIL
CADUCOCFRENTE2
 
AULA 2 - RELEVO DO BRASIL
AULA 2 - RELEVO DO BRASILAULA 2 - RELEVO DO BRASIL
AULA 2 - RELEVO DO BRASIL
CADUCOCFRENTE2
 
Lista revisão I_unidade_2020_frente_2
Lista revisão I_unidade_2020_frente_2Lista revisão I_unidade_2020_frente_2
Lista revisão I_unidade_2020_frente_2
CADUCOCFRENTE2
 
Texto Intemperismo e Erosão
Texto Intemperismo e ErosãoTexto Intemperismo e Erosão
Texto Intemperismo e Erosão
CADUCOCFRENTE2
 
Leitura complementer introducao de relevo
Leitura complementer introducao de relevoLeitura complementer introducao de relevo
Leitura complementer introducao de relevo
CADUCOCFRENTE2
 
Lista 1 (I unidade Fente 2) Cadu
Lista 1 (I unidade  Fente 2) CaduLista 1 (I unidade  Fente 2) Cadu
Lista 1 (I unidade Fente 2) Cadu
CADUCOCFRENTE2
 
Aula 1 Frente 2
Aula 1 Frente 2 Aula 1 Frente 2
Aula 1 Frente 2
CADUCOCFRENTE2
 

Mais de CADUCOCFRENTE2 (8)

Parte 1 - Climatolgia: elementos do Clima
Parte 1 - Climatolgia: elementos do ClimaParte 1 - Climatolgia: elementos do Clima
Parte 1 - Climatolgia: elementos do Clima
 
PEDOLOGIA - COMPLEMENTO RELEVO DO BRASIL
PEDOLOGIA - COMPLEMENTO RELEVO DO BRASILPEDOLOGIA - COMPLEMENTO RELEVO DO BRASIL
PEDOLOGIA - COMPLEMENTO RELEVO DO BRASIL
 
AULA 2 - RELEVO DO BRASIL
AULA 2 - RELEVO DO BRASILAULA 2 - RELEVO DO BRASIL
AULA 2 - RELEVO DO BRASIL
 
Lista revisão I_unidade_2020_frente_2
Lista revisão I_unidade_2020_frente_2Lista revisão I_unidade_2020_frente_2
Lista revisão I_unidade_2020_frente_2
 
Texto Intemperismo e Erosão
Texto Intemperismo e ErosãoTexto Intemperismo e Erosão
Texto Intemperismo e Erosão
 
Leitura complementer introducao de relevo
Leitura complementer introducao de relevoLeitura complementer introducao de relevo
Leitura complementer introducao de relevo
 
Lista 1 (I unidade Fente 2) Cadu
Lista 1 (I unidade  Fente 2) CaduLista 1 (I unidade  Fente 2) Cadu
Lista 1 (I unidade Fente 2) Cadu
 
Aula 1 Frente 2
Aula 1 Frente 2 Aula 1 Frente 2
Aula 1 Frente 2
 

Último

As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
C4io99
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
marcos oliveira
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
Mary Alvarenga
 
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Luzia Gabriele
 
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
AngelicaCostaMeirele2
 
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Mary Alvarenga
 
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
DirceuSilva26
 
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptxLicao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
jetroescola
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
LeideLauraCenturionL
 
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTAEstudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
deboracorrea21
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Colaborar Educacional
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
Espanhol Online
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
felipescherner
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
shirleisousa9166
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
pattyhsilva271204
 

Último (20)

As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
 
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
 
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
 
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
 
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
 
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptxLicao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
 
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTAEstudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
 
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
 

Aula clima biomas brasil sartre frente2

  • 2. CLIMATOLOGIA NO BRASIL  Predominância de climas quentes e úmidos (posição geográfica tropical);  A latitude interfere bastante nos climas do Brasil, (grande extensão no sentido norte-sul);  O relevo exerce influência, apesar do país não possuir grandes elevações.
  • 4. MASSAS DE AR - BRASIL
  • 5. CLIMAS E BIOMAS BRASILEIROS HOTSPOT O conceito foi criado em 1988 pelo ecólogo inglês Norman Myers = regiões com os mais altos níveis de biodiversidade em risco. CONCEITO: É toda área de alta biodiversidade ameaçada (média de 1.500 espécies endêmicas de plantas) e que perdeu + 3/4 de sua vegetação original. MATA ATLÂNTICA e CERRADO
  • 6. CLIMAS E BIOMAS DO BRASIL HOTSPOTS BRASILEIROSHOTSPOTS BRASILEIROS
  • 7. Equatorial = quente e úmido, temperaturas variando muito pouco durante o ano (média térmica 24°C e 26°C). Altos índices pluviométricos anuais (acima de 2.000 mm), não há estação seca definida = Região Amazônica.
  • 8. AMAZÔNIA A Floresta está distribuída em ecossistemas: mata de terra firme, a mata de várzeas (ribeirinhas) e os igapós, além de campos. O solo é do tipo lixiviado (pobre em sais minerais e rico em humus). LATIFOLIADA; PERENIFÓLIA. PRESENÇA DE HIGRÓFILAS E HIDRÓFILAS
  • 9. • Tropical- Duas estações bem definidas, a chuvosa (verão) e a seca (inverno). A temp. média anual de 22°C e pluviosidade de 1.500 mm.
  • 10. CERRADO Este bioma é encontrado em MT, MS, GO e TO. Tem rica biodiversidade (gramíneas e árvores...). Os solos são ácidos (LATOSSOLO), devido e possuem baixa fertilidade natural. TROPÓFILA; MEGATÉRMICA; ARBUSTIVA; LENHOSA
  • 11. • Tropical de altitude - o relevo é o fator preponderante para as temp. amenas (17°C e 22°C) e índices pluviométricos por volta de 1.500 mm (chuvas torrenciais). Regiões mais altas do Sudeste.
  • 12. Tropical úmido - com temp. médias anuais de 25°C e pluviosidade média entre 1.250 mm e 2.000 mm. As chuvas concentram-se no outono­- inverno no litoral nordestino e na primavera-verão no litoral do Sudeste.
  • 13. MATA ATLÂNTICA Neste bioma existem diversos ecossistemas. Ocupa cerca de 7% da área original. A vegetação está dividida florestas, Manguezais, Restingas, Campos de Altitude e Brejos. O solo é de origem vulcânica antiga. LATIFOLIADA; PERENIFÓLIA
  • 14. RELEVO DO LITORAL 1- Planalto 2- Escarpa 3- Planície Litorânea
  • 15.  Semi-árido - típico do interior nordestino. Quente e seco, temp. variam pouco ao ano (médias entre 26°C e 28°C). As chuvas são irregulares e mal distribuí­das, com pluviosidade inferior a 750 mm. Concentração das chuvas de fevereiro a junho.
  • 16. CAATINGA Vegetação de arbustos de porte médio, secos e com galhos retorcidos. O solo é raso, pedregoso e alcalino (LITOSSOLO) e não armazena a chuva que cai. As altas temp. causam evaporação intensa e a salinização do solo. VEGETAÇÃO XERÓFILA
  • 17.  Subtropical – Ocorre na região Sul do país, apresenta chuvas que bem distribuídas pelo ano.  Índices pluviométricos superiores a 1.250 mm anuais e as maiores amplitudes térmicas do país. A temp. média anual fica em torno de 18°C. ANOTE: NA REGIÃO DA SERRA GAÚCHA PODE NEVAR DEVIDO A INFLUÊNCIA DA LATITUDE E DA ALTITUDE NAS REGIÕES DE MAIOR LATITUDE A INCIDÊNCIA DE RAIOS SOLARES É DIFUSA, ISSO PROMOVE BAIXAS TEMPERATURAS MÉDIAS.
  • 18. MATA DOS PINHAIS Esse Bioma é conhecido como Mata de Araucárias. Ocorre no sul do Brasil, caracteriza-se por pinheiros (floresta fechada). O solo é bastante variado de boa qualidade. ACICULIFOLIADA; HOMOGÊNEA
  • 19. CAMPOS SULINOS Este bioma abrange uma área que se estende pelo RS e ultrapassa as fronteiras com o URU e ARG. Também é conhecido pelo de nome de PAMPAS. GRAMÍNEAS - HERBÁCEAS
  • 20. PANTANAL Bioma presente nos estados de MT e MS. Nele ocorrem gramíneas, arbustos e palmeiras. Onde ocorre inundação, há presença de árvores do tipo floresta tropical. Os solos, em sua maioria, são arenosos e pobres, com pequenas manchas argilosas e calcárias, mais ricas. PRESENÇA DE HIGRÓFILAS
  • 21. MATA DOS COCAIS A Mata dos Cocais é uma floresta de transição, entre a Caatinga, Amazônia e cerrado. Ocorre principalmente no norte dos estados do Maranhão e Piauí. As vegetações típicas da Mata dos Cocais são: babaçu (em maior quantidade), carnaúba, oiticica e buriti. PALMEIRAS

Notas do Editor

  1. Na visão global, o Brasil esta localizado em duas áreas climáticas - 92% do território está na zona tropical. Apenas a região sul (e o sul de São Paulo) está localizada na zona temperada. Outro fator marcante do Brasil é seu grande e extenso litoral, fazendo assim um país bastante úmido.
  2. LATIFOLIADA: FOLHAS LARGAS PERENIFÓLIA: FOLHAS QUE NÃO CAEM HIGRÓFILAS: VIVEM EM AMBIENTES DE GRANDE UMIDADE HIDRÓFILAS: VIVE NA ÁGUA DURANTE PARTE DO ANO – Ex.: VITÓRIA-RÉGIA
  3. VEGETAÇÃO TROPÓFILA: ADAPTADA A VARIAÇÃO DE UMIDADE – CHEGAM A SER CADUCIFÓLIAS. MEGATÉRMICA: SE ADAPTAM AO CALOR ARBUSTIVA: FORMAÇÃO DE ARBUSTOS E ÁRVORES DE BAIXO PORTE
  4. LATIFOLIADA: FOLHAS LARGAS PERENIFÓLIA: FOLHAS QUE NÃO CAEM
  5. XERÓFILA: ADAPTADA A FALTA DE ÁGUA
  6. ACICULIFOLIADA: FOLHAS PONTIAGUDAS HOMOGÊNEA: VEGETAÇÃO DE APARÊNCIA UNIFORME (MONÔTONA)
  7. GRAMÍNEAS: VEGETAÇÃO RASTEIRA HERBÁCEAS: ERVAS
  8. HIGRÓFILAS: AMBIENTES MUITO ÚMIDOS