SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 22
Coordenadora: Magda Marques Melo
Luziânia, 11 de novembro de 2015.
o que
chamamos de arte?
A Arte está associada à beleza, ao talento, está
ligada à criação do homem.Traduz a filosofia, a
forma de vida, as lutas, os medos, os desejos
de uma época. Através da Arte expressamos
desejos, pensamentos, visões e medos que
através da simples linguagem oral ou escrita
não conseguimos expressar.
A Arte não pode ser vista como
exclusividade de uma determinada cultura
ou grupo social, que acredita na criação
artística individual e espontânea, oriunda
apenas do saber erudito e do uso de
técnicas artísticas, mas sim, como fruto de
diferentes práticas e relações sociais , e
em determinado momento histórico.
A importância e a riqueza da arte vêm
exatamente da sua capacidade de reunir
todas as dimensões humanas - a emotiva, a
racional, a mística, a corporal. O tipo de
experiência que a arte é capaz de
proporcionar é único, e não pode ser
substituído por nenhuma outra área do
conhecimento humano. Isso significa que sem
a arte nosso entendimento do mundo e
também de nós mesmos fica empobrecido.
Conhecer e entender a arte produzida pelo
grupo cultural a que pertencemos é
fundamental na construção da nossa
identidade. Por outro lado, o contato com a
arte de outras culturas dá oportunidade de
perceber o que temos de singular, e também
amplia nossa visão do mundo.
Qual a
importância da
Arte?
Arte na escola? Por quê?
A educação em Arte propicia o desenvolvimento do pensamento
artístico e da percepção estética, que caracterizam um modo
próprio de ordenar e dar sentido à experiência humana. O aluno
desenvolve sua sensibilidade, percepção e imaginação, tanto ao
realizar formas artísticas, quanto na ação de apreciar formas
produzidas por ele e os colegas.
A Arte favorece a formação da identidade e de uma nova cidadania,
contribuindo para a aquisição de competências culturais e sociais no
mundo no qual estão inseridos.
A Arte solicita a visão, a escuta e os
demais sentidos como portas de entrada
para uma compreensão mais significativa
das questões sociais. Esta área também
favorece ao aluno relacionar-se
creadoramente com outras disciplinas do
currículo.
O que distingue essencialmente a criação artística
das outras modalidades de conhecimento
humano é a qualidade de comunicação entre os
seres humanos que a obra de arte propicia, por
uma utilização particular das formas de
linguagem.
Dentro das variadas linguagens que a Arte utiliza,
temos os eixos norteadores, no que se refere ao
currículo escolar: artes visuais, música, teatro e
dança.
O ensino de Arte é área de
conhecimento com conteúdos
específicos e deve ser consolidada como
parte constitutiva dos currículos
escolares, requerendo, portanto,
capacitação dos professores para
orientar a formação do aluno.
Cabe ao professor escolher os modos e
recursos didáticos adequados para
apresentar as informações, observando
sempre a necessidade de introduzir
formas artísticas.
Também cabe à escola orientar seu
trabalho com o objetivo de preservar e
impulsionar a dinâmica do
desenvolvimento e da aprendizagem
preservando a autonomia do aluno.
Ensinar Arte em consonância com os modos de
aprendizagem do aluno significa, então, não isolar a
escola da informação sobre a produção histórica e
social da arte, e ao mesmo tempo, garantir ao aluno a
liberdade de imaginar e edificar propostas artísticas,
pessoais ou grupais com base em interações próprias.
a Para a seleção e a ordenação dos conteúdos gerais de
Artes Visuais, Música, Teatro e Dança por ciclo, é preciso
considerar os seguintes critérios:
• conteúdos compatíveis com as possibilidades de
aprendizagem do aluno;
• valorização do ensino de conteúdos básicos de arte
necessários à formação do cidadão, considerando, ao
longo dos ciclos de escolaridade, manifestações
artísticas de povos e culturas de diferentes épocas,
incluindo a contemporaneidade;
• especificidades do conhecimento e da ação artística.
Eixos
norteadores
ARTES VISUAIS
As artes visuais, além das formas tradicionais
(pintura, escultura, desenho, gravura, arquitetura,
artefato, desenho industrial), incluem outras
modalidades que resultam dos avanços tecnológicos
e transformações estéticas a partir da modernidade
(fotografia, artes gráficas, cinema, televisão, vídeo,
computação, performance).
DANÇA
A arte da dança faz parte das culturas humanas e sempre
integrou o trabalho, as religiões e as atividades de lazer. Os
povos sempre privilegiaram a dança, sendo esta um bem
cultural e uma atividade inerente à natureza do homem.
Toda ação humana envolve a atividade corporal. A criança é
um ser em constante mobilidade e utiliza-se dela para buscar
conhecimento de si mesma e daquilo que a rodeia,
relacionando-se com objetos e pessoas. A ação física é
necessária para que a criança harmonize de maneira
integradora as potencialidades motoras, afetivas e cognitivas.
Teatro
O ato de dramatizar está potencialmente contido em
cada um, como necessidade de compreender e
representar uma realidade. A dramatização acompanha
o desenvolvimento da criança como manifestação
espontânea, assumindo feições e funções diversas, sem
perder jamais o caráter de interação e de promoção de
equilibrio entre ela e o meio ambiente. Essa atividade
evolui do jogo espontâneo para o jogo de regras, do
individual para o coletivo.
Ao participar de atividades teatrais, o indivíduo tem a
oportunidade de se desenvolver dentro de um
determinado grupo social de maneira responsável,
legitimando os seus direitos dentro desse contexto,
estabelecendo relações entre o individual e o coletivo,
aprendendo a ouvir, a acolher e a ordenar opiniões,
respeitando as diferentes manifestações, com a
finalidade de organizar a expressão de um grupo.
O teatro, no processo de formação da criança, cumpre
não só função integradora, mas dá oportunidade para
que ela se aproprie crítica e construtivamente dos
conteúdos sociais e culturais de sua comunidade
mediante trocas com os seus grupos
MÚSICA
Qualquer proposta de ensino que considere essa diversidade
precisa abrir espaço para o aluno trazer música para a sala de
aula, acolhendo-a, contextualizando-a e oferecendo acesso a
obras que possam ser significativas para o seu
desenvolvimento pessoal em atividades de apreciação e
produção. A diversidade permite ao aluno a construção de
hipóteses sobre o lugar de cada obra no patrimônio musical
da humanidade, aprimorando sua condição de avaliar a
qualidade das próprias produções e as dos outros.
Composições, improvisações e interpretações são os produtos
da música.
avaliando
CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO
Avaliar é uma ação pedagógica guiada pela atribuição
de valor apurada e responsável que o professor realiza
das atividades dos alunos. É também considerar o
modo de ensinar os conteúdos que estão em jogo nas
situações de aprendizagem.
Avaliar implica conhecer como os conteúdos de Arte
são assimilados pelos estudantes a cada momento da
escolaridade e reconhecer os limites e a flexibilidade
necessários para dar oportunidade à coexistência de
distintos níveis de aprendizagem, num mesmo grupo
de alunos.
Bibliografia
• Brasil. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros
curriculares nacionais : arte / Secretaria de Educação Fundamental.
– Brasília : MEC/SEF, 1997. 130p.
• Práticas pedagógicas em Arte: espaço, tempo e corporeidade/
Carlos Roberto Modinger… [et al.]; ilustrações de Eloar uazzelli. –
Erechim: Edelbra, 2012.
• Imagens retiradas da internet.
Tudo que é existe é Arte e é gerada
por ela.
Renata Cibele
Foi maravilhoso estar com vocês!
Bom trabalho!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

As linguagens da arte
As linguagens da arteAs linguagens da arte
As linguagens da artedpport
 
História da Arte
História da ArteHistória da Arte
História da ArteJaiza Nobre
 
Plano de curso de arte E.M BNCC 2019
Plano de curso de arte E.M BNCC 2019Plano de curso de arte E.M BNCC 2019
Plano de curso de arte E.M BNCC 2019Vera Britto
 
Metodologia do ensino de artes
Metodologia do ensino de artesMetodologia do ensino de artes
Metodologia do ensino de artesAna Guimaraes
 
A Dança e seus elementos
A Dança e seus elementosA Dança e seus elementos
A Dança e seus elementosLuan Lucena
 
LUDICIDADE NA EDUCAÇÃO INFANTIL
LUDICIDADE NA EDUCAÇÃO INFANTILLUDICIDADE NA EDUCAÇÃO INFANTIL
LUDICIDADE NA EDUCAÇÃO INFANTILritagatti
 
Projeto nos passos da dança 6º, 7º, 8º e 9º ano cest
Projeto nos passos da dança   6º, 7º, 8º e 9º ano  cestProjeto nos passos da dança   6º, 7º, 8º e 9º ano  cest
Projeto nos passos da dança 6º, 7º, 8º e 9º ano cestSimoneHelenDrumond
 
A IMPORTANCIA DO ENSINO DA ARTE PARA OS ALUNOS DA PRIMEIRA SÉRIE DO ENSINO MÉ...
A IMPORTANCIA DO ENSINO DA ARTE PARA OS ALUNOS DA PRIMEIRA SÉRIE DO ENSINO MÉ...A IMPORTANCIA DO ENSINO DA ARTE PARA OS ALUNOS DA PRIMEIRA SÉRIE DO ENSINO MÉ...
A IMPORTANCIA DO ENSINO DA ARTE PARA OS ALUNOS DA PRIMEIRA SÉRIE DO ENSINO MÉ...Vis-UAB
 

Mais procurados (20)

O que é a arte
O que é a arteO que é a arte
O que é a arte
 
As linguagens da arte
As linguagens da arteAs linguagens da arte
As linguagens da arte
 
O que é arte?
O que é arte?O que é arte?
O que é arte?
 
Componente curricular de arte
Componente curricular de arteComponente curricular de arte
Componente curricular de arte
 
História da Arte
História da ArteHistória da Arte
História da Arte
 
Artes Visuais
Artes VisuaisArtes Visuais
Artes Visuais
 
Elementos visuais I
Elementos visuais IElementos visuais I
Elementos visuais I
 
OT O Ensino de Arte nas Series Iniciais
OT O Ensino de Arte nas Series IniciaisOT O Ensino de Arte nas Series Iniciais
OT O Ensino de Arte nas Series Iniciais
 
Arte
ArteArte
Arte
 
Plano de curso de arte E.M BNCC 2019
Plano de curso de arte E.M BNCC 2019Plano de curso de arte E.M BNCC 2019
Plano de curso de arte E.M BNCC 2019
 
Projeto de arte
Projeto de arteProjeto de arte
Projeto de arte
 
Dança
DançaDança
Dança
 
Arte contemporânea
Arte contemporâneaArte contemporânea
Arte contemporânea
 
Metodologia do ensino de artes
Metodologia do ensino de artesMetodologia do ensino de artes
Metodologia do ensino de artes
 
A Dança e seus elementos
A Dança e seus elementosA Dança e seus elementos
A Dança e seus elementos
 
Artes cênicas
Artes cênicasArtes cênicas
Artes cênicas
 
Os vários tipos de teatro
Os vários tipos de teatroOs vários tipos de teatro
Os vários tipos de teatro
 
LUDICIDADE NA EDUCAÇÃO INFANTIL
LUDICIDADE NA EDUCAÇÃO INFANTILLUDICIDADE NA EDUCAÇÃO INFANTIL
LUDICIDADE NA EDUCAÇÃO INFANTIL
 
Projeto nos passos da dança 6º, 7º, 8º e 9º ano cest
Projeto nos passos da dança   6º, 7º, 8º e 9º ano  cestProjeto nos passos da dança   6º, 7º, 8º e 9º ano  cest
Projeto nos passos da dança 6º, 7º, 8º e 9º ano cest
 
A IMPORTANCIA DO ENSINO DA ARTE PARA OS ALUNOS DA PRIMEIRA SÉRIE DO ENSINO MÉ...
A IMPORTANCIA DO ENSINO DA ARTE PARA OS ALUNOS DA PRIMEIRA SÉRIE DO ENSINO MÉ...A IMPORTANCIA DO ENSINO DA ARTE PARA OS ALUNOS DA PRIMEIRA SÉRIE DO ENSINO MÉ...
A IMPORTANCIA DO ENSINO DA ARTE PARA OS ALUNOS DA PRIMEIRA SÉRIE DO ENSINO MÉ...
 

Semelhante a Arte na escola

Currículo referência arte 6º ao 9º ano
Currículo referência arte 6º ao 9º anoCurrículo referência arte 6º ao 9º ano
Currículo referência arte 6º ao 9º anotecnicossme
 
Spe 2013 novo_ef71_arte_programacao
Spe 2013 novo_ef71_arte_programacaoSpe 2013 novo_ef71_arte_programacao
Spe 2013 novo_ef71_arte_programacaoSimoni Santos
 
PCN Ensino Fundamental - 3 e 4 ciclos
PCN Ensino Fundamental - 3 e 4 ciclosPCN Ensino Fundamental - 3 e 4 ciclos
PCN Ensino Fundamental - 3 e 4 cicloscorescolar
 
A educação artística na escola
A educação artística na escola A educação artística na escola
A educação artística na escola João Lima
 
Curriculo Ensino Médio -DF
Curriculo Ensino Médio -DFCurriculo Ensino Médio -DF
Curriculo Ensino Médio -DFcorescolar
 
Arte, infância e formação de professores
Arte, infância e formação de professoresArte, infância e formação de professores
Arte, infância e formação de professoresConvenção Cimadeba
 
1º aula artes na educacao
1º aula artes na educacao1º aula artes na educacao
1º aula artes na educacaoEmily Peixoto
 
Pcn Arte
Pcn ArtePcn Arte
Pcn ArteBeatriz
 
Arte o elo de interação na interdisciplinaridade - plácido suares
Arte   o elo de interação na interdisciplinaridade - plácido suaresArte   o elo de interação na interdisciplinaridade - plácido suares
Arte o elo de interação na interdisciplinaridade - plácido suaresPlácido Suares
 
PCN Ensino Fundamental - 1a a 4a serie
PCN Ensino Fundamental - 1a a 4a seriePCN Ensino Fundamental - 1a a 4a serie
PCN Ensino Fundamental - 1a a 4a seriecorescolar
 
Educacao das artes_visuais_na_perspectiva_da_cultura_visual_conceituacoes_pro...
Educacao das artes_visuais_na_perspectiva_da_cultura_visual_conceituacoes_pro...Educacao das artes_visuais_na_perspectiva_da_cultura_visual_conceituacoes_pro...
Educacao das artes_visuais_na_perspectiva_da_cultura_visual_conceituacoes_pro...Priscila Macedo
 
3347791 apostila-ensino-fundamental-vol3-artes
3347791 apostila-ensino-fundamental-vol3-artes3347791 apostila-ensino-fundamental-vol3-artes
3347791 apostila-ensino-fundamental-vol3-artesJORGE ISSAO ZENSQUE
 
3347791 apostila-ensino-fundamental-vol3-artes
3347791 apostila-ensino-fundamental-vol3-artes3347791 apostila-ensino-fundamental-vol3-artes
3347791 apostila-ensino-fundamental-vol3-artesEduardo Lopes
 
4ª etapa 2° ciclo.docx
4ª etapa 2° ciclo.docx4ª etapa 2° ciclo.docx
4ª etapa 2° ciclo.docxIvete Diniz
 
Ensinodearte outubro2013-131004091610-phpapp02
Ensinodearte outubro2013-131004091610-phpapp02Ensinodearte outubro2013-131004091610-phpapp02
Ensinodearte outubro2013-131004091610-phpapp02Fundação Casa
 

Semelhante a Arte na escola (20)

Currículo referência arte 6º ao 9º ano
Currículo referência arte 6º ao 9º anoCurrículo referência arte 6º ao 9º ano
Currículo referência arte 6º ao 9º ano
 
Spe 2013 novo_ef71_arte_programacao
Spe 2013 novo_ef71_arte_programacaoSpe 2013 novo_ef71_arte_programacao
Spe 2013 novo_ef71_arte_programacao
 
PCN Ensino Fundamental - 3 e 4 ciclos
PCN Ensino Fundamental - 3 e 4 ciclosPCN Ensino Fundamental - 3 e 4 ciclos
PCN Ensino Fundamental - 3 e 4 ciclos
 
Vol3 arte
Vol3 arteVol3 arte
Vol3 arte
 
Eja arte
Eja arteEja arte
Eja arte
 
Artes na EJA
Artes na EJAArtes na EJA
Artes na EJA
 
A educação artística na escola
A educação artística na escola A educação artística na escola
A educação artística na escola
 
Curriculo Ensino Médio -DF
Curriculo Ensino Médio -DFCurriculo Ensino Médio -DF
Curriculo Ensino Médio -DF
 
Arte, infância e formação de professores
Arte, infância e formação de professoresArte, infância e formação de professores
Arte, infância e formação de professores
 
1º aula artes na educacao
1º aula artes na educacao1º aula artes na educacao
1º aula artes na educacao
 
Pcn Arte
Pcn ArtePcn Arte
Pcn Arte
 
Arte o elo de interação na interdisciplinaridade - plácido suares
Arte   o elo de interação na interdisciplinaridade - plácido suaresArte   o elo de interação na interdisciplinaridade - plácido suares
Arte o elo de interação na interdisciplinaridade - plácido suares
 
PCN Ensino Fundamental - 1a a 4a serie
PCN Ensino Fundamental - 1a a 4a seriePCN Ensino Fundamental - 1a a 4a serie
PCN Ensino Fundamental - 1a a 4a serie
 
Educacao das artes_visuais_na_perspectiva_da_cultura_visual_conceituacoes_pro...
Educacao das artes_visuais_na_perspectiva_da_cultura_visual_conceituacoes_pro...Educacao das artes_visuais_na_perspectiva_da_cultura_visual_conceituacoes_pro...
Educacao das artes_visuais_na_perspectiva_da_cultura_visual_conceituacoes_pro...
 
3347791 apostila-ensino-fundamental-vol3-artes
3347791 apostila-ensino-fundamental-vol3-artes3347791 apostila-ensino-fundamental-vol3-artes
3347791 apostila-ensino-fundamental-vol3-artes
 
3347791 apostila-ensino-fundamental-vol3-artes
3347791 apostila-ensino-fundamental-vol3-artes3347791 apostila-ensino-fundamental-vol3-artes
3347791 apostila-ensino-fundamental-vol3-artes
 
TCC ARTE KERLINI.doc
TCC ARTE KERLINI.docTCC ARTE KERLINI.doc
TCC ARTE KERLINI.doc
 
4ª etapa 2° ciclo.docx
4ª etapa 2° ciclo.docx4ª etapa 2° ciclo.docx
4ª etapa 2° ciclo.docx
 
Pibid
PibidPibid
Pibid
 
Ensinodearte outubro2013-131004091610-phpapp02
Ensinodearte outubro2013-131004091610-phpapp02Ensinodearte outubro2013-131004091610-phpapp02
Ensinodearte outubro2013-131004091610-phpapp02
 

Mais de Magda Marques

Formação continuada de professores.
Formação continuada de professores.Formação continuada de professores.
Formação continuada de professores.Magda Marques
 
Sequência didática chocolate
Sequência didática chocolateSequência didática chocolate
Sequência didática chocolateMagda Marques
 
Cartilha de Santa Luzia a Luziânia- A História de todos nós.
Cartilha de Santa Luzia a Luziânia- A História de todos nós.Cartilha de Santa Luzia a Luziânia- A História de todos nós.
Cartilha de Santa Luzia a Luziânia- A História de todos nós.Magda Marques
 
Alfabetização-Psicogênese da Língua escrita
Alfabetização-Psicogênese da Língua escritaAlfabetização-Psicogênese da Língua escrita
Alfabetização-Psicogênese da Língua escritaMagda Marques
 
Alfabetização e letramento matemático pnaic
Alfabetização e letramento matemático pnaicAlfabetização e letramento matemático pnaic
Alfabetização e letramento matemático pnaicMagda Marques
 
Encontro sobre alfabetização
Encontro sobre alfabetizaçãoEncontro sobre alfabetização
Encontro sobre alfabetizaçãoMagda Marques
 
Alfabetização e letramento
Alfabetização e letramentoAlfabetização e letramento
Alfabetização e letramentoMagda Marques
 
Apropiação do sistema de escrita alfabética
Apropiação do sistema de escrita alfabéticaApropiação do sistema de escrita alfabética
Apropiação do sistema de escrita alfabéticaMagda Marques
 
Ii encontro de supervisores escolares
Ii encontro de supervisores escolaresIi encontro de supervisores escolares
Ii encontro de supervisores escolaresMagda Marques
 
Educação infantil, para quê?
Educação infantil, para quê?Educação infantil, para quê?
Educação infantil, para quê?Magda Marques
 
Sequência Didática
Sequência DidáticaSequência Didática
Sequência DidáticaMagda Marques
 
Encontro pedagógico
Encontro pedagógicoEncontro pedagógico
Encontro pedagógicoMagda Marques
 
Organização do trabalho pedagógico
Organização do trabalho pedagógicoOrganização do trabalho pedagógico
Organização do trabalho pedagógicoMagda Marques
 
Avaliação no ciclo
Avaliação no cicloAvaliação no ciclo
Avaliação no cicloMagda Marques
 
Formação historia2
Formação historia2Formação historia2
Formação historia2Magda Marques
 
Formação história
Formação históriaFormação história
Formação históriaMagda Marques
 
Apresentação pnaic1
Apresentação pnaic1Apresentação pnaic1
Apresentação pnaic1Magda Marques
 

Mais de Magda Marques (19)

Formação continuada de professores.
Formação continuada de professores.Formação continuada de professores.
Formação continuada de professores.
 
Sequência didática chocolate
Sequência didática chocolateSequência didática chocolate
Sequência didática chocolate
 
Cartilha de Santa Luzia a Luziânia- A História de todos nós.
Cartilha de Santa Luzia a Luziânia- A História de todos nós.Cartilha de Santa Luzia a Luziânia- A História de todos nós.
Cartilha de Santa Luzia a Luziânia- A História de todos nós.
 
Alfabetização-Psicogênese da Língua escrita
Alfabetização-Psicogênese da Língua escritaAlfabetização-Psicogênese da Língua escrita
Alfabetização-Psicogênese da Língua escrita
 
Alfabetização e letramento matemático pnaic
Alfabetização e letramento matemático pnaicAlfabetização e letramento matemático pnaic
Alfabetização e letramento matemático pnaic
 
Encontro sobre alfabetização
Encontro sobre alfabetizaçãoEncontro sobre alfabetização
Encontro sobre alfabetização
 
Alfabetização e letramento
Alfabetização e letramentoAlfabetização e letramento
Alfabetização e letramento
 
Apropiação do sistema de escrita alfabética
Apropiação do sistema de escrita alfabéticaApropiação do sistema de escrita alfabética
Apropiação do sistema de escrita alfabética
 
Ii encontro de supervisores escolares
Ii encontro de supervisores escolaresIi encontro de supervisores escolares
Ii encontro de supervisores escolares
 
Educação infantil, para quê?
Educação infantil, para quê?Educação infantil, para quê?
Educação infantil, para quê?
 
Sequência Didática
Sequência DidáticaSequência Didática
Sequência Didática
 
Encontro pedagógico
Encontro pedagógicoEncontro pedagógico
Encontro pedagógico
 
Sequencia didática
Sequencia didáticaSequencia didática
Sequencia didática
 
Organização do trabalho pedagógico
Organização do trabalho pedagógicoOrganização do trabalho pedagógico
Organização do trabalho pedagógico
 
Avaliação no ciclo
Avaliação no cicloAvaliação no ciclo
Avaliação no ciclo
 
Formação projovem
Formação projovemFormação projovem
Formação projovem
 
Formação historia2
Formação historia2Formação historia2
Formação historia2
 
Formação história
Formação históriaFormação história
Formação história
 
Apresentação pnaic1
Apresentação pnaic1Apresentação pnaic1
Apresentação pnaic1
 

Último

O desenvolvimento é um conceito mais amplo, pode ter um contexto biológico ou...
O desenvolvimento é um conceito mais amplo, pode ter um contexto biológico ou...O desenvolvimento é um conceito mais amplo, pode ter um contexto biológico ou...
O desenvolvimento é um conceito mais amplo, pode ter um contexto biológico ou...azulassessoria9
 
O estudo do controle motor nada mais é do que o estudo da natureza do movimen...
O estudo do controle motor nada mais é do que o estudo da natureza do movimen...O estudo do controle motor nada mais é do que o estudo da natureza do movimen...
O estudo do controle motor nada mais é do que o estudo da natureza do movimen...azulassessoria9
 
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdfUFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdfManuais Formação
 
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdfCarinaSofiaDiasBoteq
 
No processo de aprendizagem motora, a forma como o indivíduo processa as info...
No processo de aprendizagem motora, a forma como o indivíduo processa as info...No processo de aprendizagem motora, a forma como o indivíduo processa as info...
No processo de aprendizagem motora, a forma como o indivíduo processa as info...azulassessoria9
 
ATIVIDADE 2 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 2 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024ATIVIDADE 2 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 2 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024azulassessoria9
 
Quando a escola é de vidro, de Ruth Rocha
Quando a escola é de vidro, de Ruth RochaQuando a escola é de vidro, de Ruth Rocha
Quando a escola é de vidro, de Ruth RochaREGIANELAURALOUREIRO1
 
Acróstico - Maio Laranja
Acróstico  - Maio Laranja Acróstico  - Maio Laranja
Acróstico - Maio Laranja Mary Alvarenga
 
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentesMaio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentesMary Alvarenga
 
M0 Atendimento – Definição, Importância .pptx
M0 Atendimento – Definição, Importância .pptxM0 Atendimento – Definição, Importância .pptx
M0 Atendimento – Definição, Importância .pptxJustinoTeixeira1
 
Apresentação | Símbolos e Valores da União Europeia
Apresentação | Símbolos e Valores da União EuropeiaApresentação | Símbolos e Valores da União Europeia
Apresentação | Símbolos e Valores da União EuropeiaCentro Jacques Delors
 
13_mch9_hormonal.pptx............................
13_mch9_hormonal.pptx............................13_mch9_hormonal.pptx............................
13_mch9_hormonal.pptx............................mariagrave
 
Prova nivel 3 da XXII OBA DE 2019 - GABARITO POWER POINT.pptx
Prova nivel 3 da XXII OBA DE 2019 - GABARITO POWER POINT.pptxProva nivel 3 da XXII OBA DE 2019 - GABARITO POWER POINT.pptx
Prova nivel 3 da XXII OBA DE 2019 - GABARITO POWER POINT.pptxLucasFCapistrano
 
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São PauloCurrículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Pauloririg29454
 
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024azulassessoria9
 
atividade-de-portugues-pontuação-4º-ou-5º-ano-respostas.pdf
atividade-de-portugues-pontuação-4º-ou-5º-ano-respostas.pdfatividade-de-portugues-pontuação-4º-ou-5º-ano-respostas.pdf
atividade-de-portugues-pontuação-4º-ou-5º-ano-respostas.pdfAutonoma
 
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEEdital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEblogdoelvis
 
O desenvolvimento é um conceito mais amplo, pode ter um contexto biológico ou...
O desenvolvimento é um conceito mais amplo, pode ter um contexto biológico ou...O desenvolvimento é um conceito mais amplo, pode ter um contexto biológico ou...
O desenvolvimento é um conceito mais amplo, pode ter um contexto biológico ou...azulassessoria9
 
Aula de ampliação e redução - matemática
Aula de ampliação e redução - matemáticaAula de ampliação e redução - matemática
Aula de ampliação e redução - matemáticaJulianeNassaralla1
 

Último (20)

O desenvolvimento é um conceito mais amplo, pode ter um contexto biológico ou...
O desenvolvimento é um conceito mais amplo, pode ter um contexto biológico ou...O desenvolvimento é um conceito mais amplo, pode ter um contexto biológico ou...
O desenvolvimento é um conceito mais amplo, pode ter um contexto biológico ou...
 
O estudo do controle motor nada mais é do que o estudo da natureza do movimen...
O estudo do controle motor nada mais é do que o estudo da natureza do movimen...O estudo do controle motor nada mais é do que o estudo da natureza do movimen...
O estudo do controle motor nada mais é do que o estudo da natureza do movimen...
 
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdfUFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
 
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
 
No processo de aprendizagem motora, a forma como o indivíduo processa as info...
No processo de aprendizagem motora, a forma como o indivíduo processa as info...No processo de aprendizagem motora, a forma como o indivíduo processa as info...
No processo de aprendizagem motora, a forma como o indivíduo processa as info...
 
ATIVIDADE 2 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 2 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024ATIVIDADE 2 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 2 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
 
Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja
 
Quando a escola é de vidro, de Ruth Rocha
Quando a escola é de vidro, de Ruth RochaQuando a escola é de vidro, de Ruth Rocha
Quando a escola é de vidro, de Ruth Rocha
 
Acróstico - Maio Laranja
Acróstico  - Maio Laranja Acróstico  - Maio Laranja
Acróstico - Maio Laranja
 
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentesMaio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
 
M0 Atendimento – Definição, Importância .pptx
M0 Atendimento – Definição, Importância .pptxM0 Atendimento – Definição, Importância .pptx
M0 Atendimento – Definição, Importância .pptx
 
Apresentação | Símbolos e Valores da União Europeia
Apresentação | Símbolos e Valores da União EuropeiaApresentação | Símbolos e Valores da União Europeia
Apresentação | Símbolos e Valores da União Europeia
 
13_mch9_hormonal.pptx............................
13_mch9_hormonal.pptx............................13_mch9_hormonal.pptx............................
13_mch9_hormonal.pptx............................
 
Prova nivel 3 da XXII OBA DE 2019 - GABARITO POWER POINT.pptx
Prova nivel 3 da XXII OBA DE 2019 - GABARITO POWER POINT.pptxProva nivel 3 da XXII OBA DE 2019 - GABARITO POWER POINT.pptx
Prova nivel 3 da XXII OBA DE 2019 - GABARITO POWER POINT.pptx
 
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São PauloCurrículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
 
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
 
atividade-de-portugues-pontuação-4º-ou-5º-ano-respostas.pdf
atividade-de-portugues-pontuação-4º-ou-5º-ano-respostas.pdfatividade-de-portugues-pontuação-4º-ou-5º-ano-respostas.pdf
atividade-de-portugues-pontuação-4º-ou-5º-ano-respostas.pdf
 
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEEdital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
 
O desenvolvimento é um conceito mais amplo, pode ter um contexto biológico ou...
O desenvolvimento é um conceito mais amplo, pode ter um contexto biológico ou...O desenvolvimento é um conceito mais amplo, pode ter um contexto biológico ou...
O desenvolvimento é um conceito mais amplo, pode ter um contexto biológico ou...
 
Aula de ampliação e redução - matemática
Aula de ampliação e redução - matemáticaAula de ampliação e redução - matemática
Aula de ampliação e redução - matemática
 

Arte na escola

  • 1. Coordenadora: Magda Marques Melo Luziânia, 11 de novembro de 2015.
  • 3.
  • 4. A Arte está associada à beleza, ao talento, está ligada à criação do homem.Traduz a filosofia, a forma de vida, as lutas, os medos, os desejos de uma época. Através da Arte expressamos desejos, pensamentos, visões e medos que através da simples linguagem oral ou escrita não conseguimos expressar.
  • 5. A Arte não pode ser vista como exclusividade de uma determinada cultura ou grupo social, que acredita na criação artística individual e espontânea, oriunda apenas do saber erudito e do uso de técnicas artísticas, mas sim, como fruto de diferentes práticas e relações sociais , e em determinado momento histórico.
  • 6. A importância e a riqueza da arte vêm exatamente da sua capacidade de reunir todas as dimensões humanas - a emotiva, a racional, a mística, a corporal. O tipo de experiência que a arte é capaz de proporcionar é único, e não pode ser substituído por nenhuma outra área do conhecimento humano. Isso significa que sem a arte nosso entendimento do mundo e também de nós mesmos fica empobrecido. Conhecer e entender a arte produzida pelo grupo cultural a que pertencemos é fundamental na construção da nossa identidade. Por outro lado, o contato com a arte de outras culturas dá oportunidade de perceber o que temos de singular, e também amplia nossa visão do mundo. Qual a importância da Arte?
  • 7. Arte na escola? Por quê? A educação em Arte propicia o desenvolvimento do pensamento artístico e da percepção estética, que caracterizam um modo próprio de ordenar e dar sentido à experiência humana. O aluno desenvolve sua sensibilidade, percepção e imaginação, tanto ao realizar formas artísticas, quanto na ação de apreciar formas produzidas por ele e os colegas. A Arte favorece a formação da identidade e de uma nova cidadania, contribuindo para a aquisição de competências culturais e sociais no mundo no qual estão inseridos.
  • 8. A Arte solicita a visão, a escuta e os demais sentidos como portas de entrada para uma compreensão mais significativa das questões sociais. Esta área também favorece ao aluno relacionar-se creadoramente com outras disciplinas do currículo.
  • 9. O que distingue essencialmente a criação artística das outras modalidades de conhecimento humano é a qualidade de comunicação entre os seres humanos que a obra de arte propicia, por uma utilização particular das formas de linguagem. Dentro das variadas linguagens que a Arte utiliza, temos os eixos norteadores, no que se refere ao currículo escolar: artes visuais, música, teatro e dança.
  • 10. O ensino de Arte é área de conhecimento com conteúdos específicos e deve ser consolidada como parte constitutiva dos currículos escolares, requerendo, portanto, capacitação dos professores para orientar a formação do aluno. Cabe ao professor escolher os modos e recursos didáticos adequados para apresentar as informações, observando sempre a necessidade de introduzir formas artísticas. Também cabe à escola orientar seu trabalho com o objetivo de preservar e impulsionar a dinâmica do desenvolvimento e da aprendizagem preservando a autonomia do aluno.
  • 11. Ensinar Arte em consonância com os modos de aprendizagem do aluno significa, então, não isolar a escola da informação sobre a produção histórica e social da arte, e ao mesmo tempo, garantir ao aluno a liberdade de imaginar e edificar propostas artísticas, pessoais ou grupais com base em interações próprias.
  • 12. a Para a seleção e a ordenação dos conteúdos gerais de Artes Visuais, Música, Teatro e Dança por ciclo, é preciso considerar os seguintes critérios: • conteúdos compatíveis com as possibilidades de aprendizagem do aluno; • valorização do ensino de conteúdos básicos de arte necessários à formação do cidadão, considerando, ao longo dos ciclos de escolaridade, manifestações artísticas de povos e culturas de diferentes épocas, incluindo a contemporaneidade; • especificidades do conhecimento e da ação artística.
  • 14. ARTES VISUAIS As artes visuais, além das formas tradicionais (pintura, escultura, desenho, gravura, arquitetura, artefato, desenho industrial), incluem outras modalidades que resultam dos avanços tecnológicos e transformações estéticas a partir da modernidade (fotografia, artes gráficas, cinema, televisão, vídeo, computação, performance).
  • 15. DANÇA A arte da dança faz parte das culturas humanas e sempre integrou o trabalho, as religiões e as atividades de lazer. Os povos sempre privilegiaram a dança, sendo esta um bem cultural e uma atividade inerente à natureza do homem. Toda ação humana envolve a atividade corporal. A criança é um ser em constante mobilidade e utiliza-se dela para buscar conhecimento de si mesma e daquilo que a rodeia, relacionando-se com objetos e pessoas. A ação física é necessária para que a criança harmonize de maneira integradora as potencialidades motoras, afetivas e cognitivas.
  • 16. Teatro O ato de dramatizar está potencialmente contido em cada um, como necessidade de compreender e representar uma realidade. A dramatização acompanha o desenvolvimento da criança como manifestação espontânea, assumindo feições e funções diversas, sem perder jamais o caráter de interação e de promoção de equilibrio entre ela e o meio ambiente. Essa atividade evolui do jogo espontâneo para o jogo de regras, do individual para o coletivo.
  • 17. Ao participar de atividades teatrais, o indivíduo tem a oportunidade de se desenvolver dentro de um determinado grupo social de maneira responsável, legitimando os seus direitos dentro desse contexto, estabelecendo relações entre o individual e o coletivo, aprendendo a ouvir, a acolher e a ordenar opiniões, respeitando as diferentes manifestações, com a finalidade de organizar a expressão de um grupo. O teatro, no processo de formação da criança, cumpre não só função integradora, mas dá oportunidade para que ela se aproprie crítica e construtivamente dos conteúdos sociais e culturais de sua comunidade mediante trocas com os seus grupos
  • 18. MÚSICA Qualquer proposta de ensino que considere essa diversidade precisa abrir espaço para o aluno trazer música para a sala de aula, acolhendo-a, contextualizando-a e oferecendo acesso a obras que possam ser significativas para o seu desenvolvimento pessoal em atividades de apreciação e produção. A diversidade permite ao aluno a construção de hipóteses sobre o lugar de cada obra no patrimônio musical da humanidade, aprimorando sua condição de avaliar a qualidade das próprias produções e as dos outros. Composições, improvisações e interpretações são os produtos da música.
  • 20. CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO Avaliar é uma ação pedagógica guiada pela atribuição de valor apurada e responsável que o professor realiza das atividades dos alunos. É também considerar o modo de ensinar os conteúdos que estão em jogo nas situações de aprendizagem. Avaliar implica conhecer como os conteúdos de Arte são assimilados pelos estudantes a cada momento da escolaridade e reconhecer os limites e a flexibilidade necessários para dar oportunidade à coexistência de distintos níveis de aprendizagem, num mesmo grupo de alunos.
  • 21. Bibliografia • Brasil. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais : arte / Secretaria de Educação Fundamental. – Brasília : MEC/SEF, 1997. 130p. • Práticas pedagógicas em Arte: espaço, tempo e corporeidade/ Carlos Roberto Modinger… [et al.]; ilustrações de Eloar uazzelli. – Erechim: Edelbra, 2012. • Imagens retiradas da internet.
  • 22. Tudo que é existe é Arte e é gerada por ela. Renata Cibele Foi maravilhoso estar com vocês! Bom trabalho!