O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.

Aula patrimônio cultural

Aula do Curso Letrados

  • Entre para ver os comentários

Aula patrimônio cultural

  1. 1. PATRIMÔNIO CULTURAL MATERIAL E IMATERIAL
  2. 2. DIVERSIDADE CULTURAL DO POVO BRASILEIRO
  3. 3. VAMOS CONCEITUAR: MUNDO • O patrimônio é o legado que recebemos do passado, vivemos no presente e transmitimos às futuras gerações. É fonte insubstituível de vida e inspiração, ponto de referência, identidade. • O que faz com que o conceito de Patrimônio Mundial seja excepcional é sua aplicação universal. Os sítios do Patrimônio Mundial pertencem a todos os povos do mundo, estando em qualquer lugar.
  4. 4. VAMOS CONCEITUAR: BRASIL O Patrimônio Cultural pode ser definido como um bem (ou bens) de natureza material e imaterial considerado importante para a identidade da sociedade brasileira.
  5. 5. QUEM FAZ... O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) é responsável por promover e coordenar o processo de preservação e valorização do Patrimônio Cultural Brasileiro, em suas dimensões material e imaterial.
  6. 6. A palavra tombamento tem origem portuguesa e significa fazer um registro do patrimônio de alguém em livros específicos num órgão de Estado que cumpre tal função. Utiliza-se a palavra no sentido de registrar algo que é de valor para uma comunidade protegendo-o por meio de legislação específica. O Tombamento pode ser feito pela União, através do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, pelo Governo Estadual, através da Secretaria de Estado da Cultura - CPC, ou pelas administrações municipais que dispuserem de leis específicas. O tombamento também pode ocorrer em escala mundial, reconhecendo algo como Patrimônio da Humanidade, o que é feito pelo ICOMOS/UNESCO.
  7. 7. IMPORTANTE SABER... • Segundo artigo 216 da Constituição Federal, configuram patrimônio "as formas de expressão; os modos de criar; as criações científicas, artísticas e tecnológicas; as obras, objetos, documentos, edificações e demais espaços destinados às manifestações artístico- culturais; além de conjuntos urbanos e sítios de valor histórico, paisagístico, artístico, arqueológico, paleontológico, ecológico e científico."
  8. 8. PATRIMÔNIO CULTURAL
  9. 9. PATRIMÔNIO Ritual indígena de MT é declarado patrimônio cultural brasileiro O Conselho Consultivo do Patrimônio Cultural definiu o sistema agrícola tradicional do Rio Negro, no Amazonas, e o ritual yaokwa dos índios enawenê nawê, de Mato Grosso, sejam considerados patrimônios culturais brasileiros. A decisão faz com que ambos esses bens imateriais passem a ser protegidos pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). http://www.globoamazonia.com/Amazonia/0,,MUL1628526-16052,00.html
  10. 10. PATRIMÔNIO Iphan tomba encontro do Rio Negro com o Solimões, em Manaus. Medida não inviabiliza construção de portos a 2 km do Encontro das Águas. Segundo decisão, ficam protegidos 10 km contínuos onde rios se misturam.
  11. 11. CONCEITOS ESSENCIAIS • Os bens culturais imateriais estão relacionados aos saberes, às habilidades, às crenças, às práticas, ao modo de ser das pessoas. • O patrimônio material é formado por um conjunto de bens culturais classificados segundo sua natureza: arqueológico, paisagístico e etnográfico; histórico; belas artes; e das artes aplicadas.
  12. 12. PATRIMÔNIO IMATERIAL • Conhecimentos enraizados no cotidiano das comunidades; manifestações literárias, musicais, plásticas, cênicas e lúdicas; rituais e festas que marcam a vivência coletiva da religiosidade, • do entretenimento e de outras práticas da vida social; além de mercados, feiras, santuários, praças e demais espaços onde se concentram e se reproduzem práticas culturais.
  13. 13. PATRIMÔNIO IMATERIAL • Na lista de bens imateriais brasileiros estão a festa do Círio de Nossa Senhora de Nazaré, a Feira de Caruaru, o Frevo, a capoeira, o modo artesanal de fazer Queijo de Minas e as matrizes do Samba no Rio de Janeiro.
  14. 14. PATRIMÔNIO IMATERIAL
  15. 15. DIVISÃO DO PATRIMÔNIO MATERIAL • bens imóveis – núcleos urbanos, sítios arqueológicos e paisagísticos e bens individuais • móveis – coleções arqueológicas, acervos museológicos, documentais, bibliográficos, arquivísticos, videográficos, fotográficos e cinematográficos
  16. 16. PATRIMÔNIO MATERIAL O (Iphan) registra a existência de 2 000 sítios arqueológicos com pinturas e inscrições pré- históricas, mas estima-se que esse número possa ser dez vezes maior. Esses registros gravados em rochas datam de até 40 000 anos atrás e constituem um patrimônio precioso e frágil por natureza, exposto que é à ação do tempo e das mudanças climáticas. PINTURA PRESERVADA Parque Nacional Serra da Capivara, Piauí: 10 000 visitas guiadas por ano e adeus ao vandalismo
  17. 17. LINKDOIPHANCOMA RELAÇÃO DOSBENS MATERIAIS TOMBADOS http://www.iphan.gov.br/baixaFcdAnexo.do?id=3263
  18. 18. QUESTÃO
  19. 19. QUESTÃO
  20. 20. QUESTÃO
  21. 21. QUESTÃO Gabarito C
  22. 22. No ENEM, foi assim... As ruínas do povoado de Canudos, no sertão norte da Bahia, além de significativas para a identidade cultural dessa região, são úteis às investigações sobre a Guerra de Canudos e o modo de vida dos antigos revoltosos. Essas ruínas foram reconhecidas como patrimônio cultural material pelo Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional) porque reúnem um conjunto de A)objetos arqueológicos e paisagísticos. B)acervos museológicos e bibliográficos. C)núcleos urbanos e etnográficos. D)práticas e representações de uma sociedade. E) expressões e técnicas de uma sociedade extinta.
  23. 23. INFORMAÇÕES ADICIONAIS
  24. 24. CONCEITO DE FOLCLORE Folclore, ou saber popular, significa um conjunto de todas as tradições, lendas e crenças de um país. Conhecendo o folclore de um local é possível compreender o povo e parte de sua história. Entre as características dessa manifestação cultural estão a transmissão oral dos conhecimentos através de gerações, a aceitação por parte das comunidades, envolvimento de classes populares e o caráter não-oficial das manifestações culturais. São gestos, símbolos, receitas de comidas, motivos dos bordados e até mesmo maneiras de chamar e dar comandos aos animais. Todas essas manifestações são muito próprias de cada cultura e são diferentes em cada região do Brasil. http://www.brasil.gov.br/sobre/cultura/cultura-brasileira/folclore
  25. 25. IMPORTANTESABER!!! O Centro Nacional de Folclore e Cultura Popular possui acervo digital onde é possível acessar os tipos mais variados de arte e artesanato brasileiros, como as artes e festa do Divino, em Pirenópolis (GO); o trabalho com capim dourado no Jalapão (TO); as rendas da Ilha do Ferro (AL); peças de madeira entalhada do Aracaju (SE); as bonecas de cerâmica ritxôkô do povo Karajá, de Manaus (AM); renda de birô de Florianópolis (SC); os brinquedos artesanais de Recife (PE); as garrafas com desenhos de areia de Aracati (CE); as tramas de palha chamada de traiado da região sul da Bahia, entre outros. O folclore também inclui a tradição da palavra “cantada ou falada”, daí entram os mitos, lendas, contos populares, brincadeiras, provérbios, adivinhações, orações, maldições, encantamentos, juras, xingamentos, gírias, apelidos de pessoas e de lugares, desafios, saudações, despedidas, trava-línguas. Também engloba festas, encenações, artesanato, medicina popular, danças, música instrumental, canções (inclusive as baladas e canções de ninar).
  26. 26. COMPLEMENTANDO!!! Entre os personagens mais conhecidos das histórias populares do Brasil estão o Boitatá, o Boto Rosa, Curupira, Iara, Mula-sem-cabeça, Saci-Pererê.
  27. 27. MANIFESTAÇÕESCULTURAISBRASILEIRAS Folia de Reis A partir do Natal, durante 12 dias até 6 de janeiro, o Alferes da Folia, chefe dos foliões, bate à porta das casas, de manhãzinha, seguido dos palhaços do Reisado e de seus instrumentos barulhentos. Vai despertar quem está dormindo, pedir permissão para entrar, tomar café e recolher dinheiro para a Folia de Reis, uma festa popular de origem portuguesa que ainda sobrevive em cidadezinhas brasileiras. Vai oferecer uma bandeira colorida, enfeitada com fitas e santinhos, enquanto, do lado de fora, os palhaços vão dançar ao som do violão, do pandeiro, do cavaquinho, recitando versos. Esta festa comemora o nascimento de Cristo. Seu enredo lembra a viagem que os três reis magos - Baltazar, Belchior e Gaspar - fizeram a Belém para encontrar o Menino Jesus. Os palhaços, vestidos a caráter e cobertos por máscaras, representam os soldados do rei Herodes, em Jerusalém. Os foliões abrem alas com uma bandeira, que - dizem! - é abençoada e protege das más influências. Depois de 12 dias de jornada, o dinheiro arrecadado é gasto em comes e bebes para todos.
  28. 28. MANIFESTAÇÕESCULTURAISBRASILEIRAS O Maracatu No Carnaval, reis, rainhas, princesas, índios emplumados e baianas cruzam as ruas do Recife, dançando, pulando, passando de mão em mão as calungas - bonecas de pano vestidas, em geral, de branco e cobertas com um manto azul. Teve origem nas Congadas, cerimônias de escolha e coroação do rei e da rainha da "nação" negra. Atrás da folia vai a procissão - em Goiás são os Aruendas, no Rio de Janeiro, os Afoxés, em Pernambuco, os Maracatus. A coroação dos reis do Congo já era realizada na Igreja de Nossa Senhora do Rosário dos Homens Pretos do Recife, em 1674. Mas cada paróquia ou comarca tinha sua própria "corte" e a elas cabiam escolher seu rei. A coroação e posse do rei dos negros aconteciam em Pernambuco, em março. Nessa mesma época, o Rio de Janeiro dividia-se em diferentes "nações" de negros para comemorar o fato. Dançavam e entoavam cantos africanos ao som de instrumentos primitivos. No início do século XX, as calungas, representando ancestrais africanos, passaram a marcar mais presença na procissão. Alguns instrumentos novos também foram incluídos: o clarinete, o pistom e o trombone. Aos primeiros acordes do maracatu, a rainha ergue a calunga para abençoar a "nação".
  29. 29. MANIFESTAÇÕESCULTURAISBRASILEIRAS A Festa do Divino Contando-se sete semanas depois do Domingo de Páscoa, é o dia de Pentecostes, data em que a Igreja Católica comemora a descida do Espírito Santo sobre os apóstolos. A Festa do Divino, é uma tradição trazida pelos jesuítas do Reino de Portugal, onde D. Isabel, esposa do Rei D. Diniz, mandou construir, no século XIV, uma igreja em Alenquer em louvor ao Espírito Santo. Os festejos começam no final de maio com novenas, leilões, quermesses e muita música. Danças folclóricas como: as Catiras (dança com cantos, sapateado e palmas), congadas e moçambiques (dança de origem africana), se sucedem, enquanto uma comitiva vai de casa em casa pedir donativos. Durante a festa, a bandeira do Divino é hasteada. No dia de Pentecostes, ganham vida os personagens que simbolizam o imperador, sua esposa e os membros da Corte. Há também aqueles que representam os dons e os frutos do Espírito Santo, os apóstolos e a Virgem Maria. As crianças formam a Roda dos Anjos e levam o estandarte do Divino. Atrás vão os bonecos gigantes: João Paulino, sua mulher Maria Angu e a velha faladeira Miota. No encerramento, 24 homens a cavalo opõem os mouros e os cristãos. Depois, é sentar-se à mesa, pois será servido um cozido de carne com arroz e farinha de mandioca.
  30. 30. MANIFESTAÇÕESCULTURAISBRASILEIRAS Bumba-meu-boi O Bumba-meu-boi, é uma das principais manifestações culturais brasileiras. Este auto (teatro popular), relata a história de Pai Francisco e Mãe Catirina, retirantes negros. Por influência da tradição portuguesa - as vaquejadas e as touradas -, o enredo básico se desenvolve a partir do roubo de uma novilha de predileção da fazenda, mas ganha cores locais de região para região. Bumba-meu-Boi-Bumbá, no Maranhão; Boi-de-Mamão, em Santa Catarina; Boi-Santo, no Ceará; esta dança - primeira manifestação teatral nacional- surgiu provavelmente no final do século XVIII e logo se espalhou. Seja qual for a versão, existem alguns personagens obrigatórios - o vaqueiro Arreliquim, o fazendeiro, o delegado de polícia, o casal de escravos.
  31. 31. MANIFESTAÇÕESCULTURAISBRASILEIRAS A Congada Esta manifestação cultural tem origem no catolicismo e nas sangrentas histórias de guerra do povo africano, como a do assassinato do rei de Angola, Gola Bândi. A Congada é chamada também de Congo, Cucumbi, Terno do Congo. A primeira notícia da realização de uma Festa da Congada no Brasil data de 1674, na Igreja de Nossa Senhora do Rosário dos Homens Pretos do Recife, em Pernambuco. Desde então, a festa acontece a cada ano, com algumas variações de temas de uma região para outra. A Congada é uma procissão de escravos feiticeiros, capatazes, damas de companhia e guerreiros que levam o rei e a rainha até a Igreja, onde serão coroados. O cortejo vai parando durante o trajeto para realizar danças e exercícios de simulação de guerra ao som de tambores, pandeiros, reco-recos, chocalhos e violas. As Congadas podem ser apreciadas em festas dedicadas a Nossa Senhora do Rosário e São Benedito, nos dias consagrados a eles, isto é, 7 de outubro e 26 de dezembro.
  32. 32. -RESUMO DE ALGUMAS MANIFESTAÇÕES DO BRASIL • FOLIA DE REIS • MARACATU • FESTA DO DIVINO • BUMBA MEU BOI • CONGADA • CARNAVAL • FESTAS DE PADROEIRAS • LAVAGENS NA BAHIA

×