SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 16
Baixar para ler offline
18/05/2015
1
Princípios e Diretrizes
___________________________
Sistema Único de Saúde
18/05/2015
2
DOS PRINCÍPIOS E DIRETRIZES
Lei Orgânica da Saúde – Lei n. 8.080 de 19 de setembro de
1990. Art. 7º:
I - universalidade de acesso aos serviços de saúde em
todos os níveis de assistência;
II - integralidade de assistência, entendida como conjunto
articulado e contínuo das ações e serviços preventivos e
curativos, individuais e coletivos, exigidos para cada caso
em todos os níveis de complexidade do sistema;
III - preservação da autonomia das pessoas na defesa de
sua integridade física e moral;
IV - igualdade da assistência à saúde, sem
preconceitos ou privilégios de qualquer espécie;
V - direito à informação, às pessoas assistidas, sobre
sua saúde;
VI - divulgação de informações quanto ao potencial
dos serviços de saúde e a sua utilização pelo usuário;
DOS PRINCÍPIOS E DIRETRIZES
18/05/2015
3
VII - utilização da epidemiologia para o estabelecimento de
prioridades, a alocação de recursos e a orientação
programática;
VIII - participação da comunidade;
IX - descentralização político-administrativa, com direção única
em cada esfera de governo:
a) ênfase na descentralização dos serviços para os municípios;
b) regionalização e hierarquização da rede de serviços de saúde;
X - integração em nível executivo das ações de saúde, meio
ambiente e saneamento básico;
DOS PRINCÍPIOS E DIRETRIZES
XI - conjugação dos recursos financeiros, tecnológicos,
materiais e humanos da União, dos Estados, do Distrito
Federal e dos Municípios na prestação de serviços de
assistência à saúde da população;
XII - capacidade de resolução dos serviços em todos os
níveis de assistência; e
XIII - organização dos serviços públicos de modo a
evitar duplicidade de meios para fins idênticos.
DOS PRINCÍPIOS E DIRETRIZES
18/05/2015
4
7
 Universalidade de acesso
 Eqüidade na assistência à saúde
 Integralidade da assistência
 Controle Social participação da comunidade
 Descentralização político-administrativa
PRINCÍPIOS DO SUS
Universalidade
Integralidade
Eqüidade
Descentralização
Regionalização
Hierarquização
8
IDEOLÓGICOS OU
DOUTRINÁRIOS
ORGANIZACIONAIS
CONTROLE
SOCIAL
PRINCÍPIOS DO SUS
18/05/2015
5
Princípios Doutrinários
___________________________
Sistema Único de Saúde
 Todas as pessoas têm direito ao atendimento
independente de cor, raça, religião, local de moradia,
situação de emprego ou renda, etc.
10
 Significa que a rede de serviços de saúde deve ser
atenta para as desigualdades existentes, com o
objetivo de ajustar as suas ações às necessidades de
cada parcela da população a ser coberta;
 Deve tratar as desigualmente os desiguais.
UNIVERSALIDADE
EQUIDADE
18/05/2015
6
 As ações de saúde devem ser combinadas e
voltadas ao mesmo tempo para prevenção e a cura.
 Os serviços de saúde devem funcionar atendendo
o indivíduo como um ser humano integral submetido
às mais diferentes situações de vida e trabalho, que o
leva a adoecer e a morrer.
 Atenção em quaisquer níveis de atenção à saúde,
desenvolvendo ações de promoção, prevenção,
diagnóstico, tratamento e reabilitação.
11
INTEGRALIDADE
 Serviços de saúde devem funcionar atendendo
ao indivíduo de maneira integral.
 Garantir acesso a todos os níveis de atenção à
saúde no sistema (atenção primária, atenção
secundária e atenção terciária).
 Necessidade de articular o setor saúde com as
demais áreas sociais relacionadas com a melhoria
da qualidade de vida.
12
ATENDIMENTO INTEGRAL
18/05/2015
7
(FCC - TRT - Analista Judiciário/2011) Lei Orgânica
da Saúde − Lei no 8.080/1990 − especifica em seu
Art. 7o que são princípios e diretrizes do Sistema
Único de Saúde:
(A) universalidade do acesso aos serviços,
igualdade da assistência à saúde e centralização
das decisões no nível federal.
(B) universalidade do acesso aos serviços,
igualdade da assistência à saúde e integralidade da
assistência.
FCC - TRT - Analista Judiciário/2011) Lei Orgânica da
Saúde − Lei no 8.080/1990 − especifica em seu Art. 7o
que são princípios e diretrizes do Sistema Único de
Saúde:
(C) universalidade do acesso aos serviços, priorização da
saúde suplementar e integralidade da assistência.
(D) centralização das decisões no nível federal, igualdade
da assistência à saúde e integralidade da assistência.
(E) universalidade do acesso aos serviços, igualdade da
assistência à saúde e priorização da saúde suplementar.
18/05/2015
8
(FUNIVERSA, SES-DF/2011) Entre os
princípios e as diretrizes do SUS, estão a:
(A) centralização e a universalidade.
(B) participação da comunidade e a
autonomia.
(C) universalidade e a integralidade.
(D) complexidade e a igualdade.
(E) integralidade e a centralização.
(ESAF, MPOG - Analista Técnico de Políticas Sociais -
Saúde/2012) Assinale a opção incorreta quanto aos
princípios e diretrizes do Sistema Único de Saúde – SUS,
conforme a Lei n. 8.080/90.
a) As ações e serviços públicos de saúde e os serviços
privados contratados ou conveniados que integram o
Sistema Único de Saúde - SUS são desenvolvidos de acordo
com as diretrizes previstas no artigo 198 da Constituição
Federal de 1988.
b) Prestar assistência às pessoas por intermédio de ações
de promoção, proteção e recuperação da saúde, com a
realização integrada das ações assistenciais e das
atividades preventivas é princípio do SUS.
18/05/2015
9
(ESAF, MPOG - Analista Técnico de Políticas Sociais -
Saúde/2012) Assinale a opção incorreta quanto aos
princípios e diretrizes do Sistema Único de Saúde – SUS,
conforme a Lei n. 8.080/90.
c) Igualdade da assistência à saúde, sem preconceitos ou
privilégios de qualquer espécie, e o direito à informação
às pessoas assistidas, são princípios do SUS.
d) A universalidade de acesso aos serviços de saúde em
todos os níveis de assistência é princípio do Sistema Único
de Saúde.
e) A utilização da epidemiologia para o estabelecimento
de prioridades, a alocação de recursos e a orientação
programática são princípios do SUS.
18/05/2015
10
Princípios Organizacionais
___________________________
Sistema Único de Saúde
 Descentralização político administrativa, com
direção em cada esfera de governo (federal, estadual e
municipal).
 Ênfase na descentralização do serviços para os
municípios; regionalização e hierarquização da rede
de serviços de saúde.
 Forma de organização que dá aos municípios o
poder de administrar os serviços de saúde locais.
20
DESCENTRALIZAÇÃO
18/05/2015
11
 Redistribuição das responsabilidades quanto as
ações e serviços de saúde entre os vários níveis de
governo.
 Os municípios assumem papel cada vez mais
importante na prestação e no gerenciamento dos
serviços de saúde.
 Transferências de recurso financeiro regular e
automática – Fundos de Saúde (nacional, estaduais e
municipais).
DESCENTRALIZAÇÃO
 Controle social – possibilita que a população,
através de seus representantes, defina, acompanhe a
execução e fiscalize a política de saúde.
 As duas formas de participação da comunidade na
gestão do SUS: Conferências de Saúde e Conselhos
de Saúde.
 A participação possibilita a população interferir na
gestão da saúde, colocando as ações na direção dos
interesses coletivos.
22
PARTICIPAÇÃO DA COMUNIDADE
18/05/2015
12
PRINCÍPIOS ORGANIZACIONAIS DO SUS
 Orienta o processo de descentralização
das ações e serviços de saúde.
 Possibilita a constituição de sistemas
regionais com a participação dos três entes
federados (municípios, estado e união)
visando garantir a integralidade da
atenção.
REGIONALIZAÇÃO
18/05/2015
13
Rio de Janeiro
DISTRITO FEDERAL
18/05/2015
14
MAPA DA REGIÃO INTEGRADA DE DESENVOLVIMENTO DO
DISTRITO FEDERAL E ENTORNO – RIDE/DF
HIERARQUIZAÇÃO
18/05/2015
15
(FUNCAB - Anápolis/2011) Ao longo da
década de 1990, identificou-se a evolução de
vários modelos de gestão. O avanço na
consolidação do Sistema Único de Saúde se
verifica no modelo segundo o qual:
a) a gestão do sistema permanece com o
Estado.
b) a gerência das unidades é definida em
parceria pelo gestor estadual e municipal.
(FUNCAB - Anápolis/2011) Ao longo da década de
1990, identificou-se a evolução de vários modelos
de gestão. O avanço na consolidação do Sistema
Único de Saúde se verifica no modelo segundo o
qual:
c) o sistema é organizado com base na hierarquia
de ações e serviços de saúde.
d) os municípios têm sua gestão fragmentada.
e) as unidades de saúde do município não têm
papel definido.
18/05/2015
16
(FUNCAB – MIGUEL PEREIRA) Considere as afirmações
abaixo sobre os princípios e diretrizes do Sistema Único de
Saúde.
I - Universalidade de acesso aos serviços de saúde apenas
no nível primário de assistência.
II - Integralidade de assistência, entendida como um
conjunto articulado e contínuo de ações e serviços
preventivos e curativos, individuais e coletivos, exigidos
para cada caso somente nos níveis de baixa e média
complexidade do sistema.
(FUNCAB – MIGUEL PEREIRA) Considere as
afirmações abaixo sobre os princípios e diretrizes
do Sistema Único de Saúde.
III - Participação da comunidade.
Marque a alternativa correta.
a) Apenas a II
b) Apenas a III
c) Apenas a I
d) I e II

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Princípios e diretrizes do sus
Princípios e diretrizes do susPrincípios e diretrizes do sus
Princípios e diretrizes do sus
Marcos Nery
 
O Sistema Único de Saúde Brasileiro
O Sistema Único de Saúde BrasileiroO Sistema Único de Saúde Brasileiro
O Sistema Único de Saúde Brasileiro
loirissimavivi
 
Reforma sanitaria e a consolidação
Reforma sanitaria e a consolidaçãoReforma sanitaria e a consolidação
Reforma sanitaria e a consolidação
Luanapqt
 

Mais procurados (20)

Regionalização da saúde
Regionalização da saúdeRegionalização da saúde
Regionalização da saúde
 
A regionalização da saúde e perspectivas – a visão dos estados
A regionalização da saúde e perspectivas – a visão dos estadosA regionalização da saúde e perspectivas – a visão dos estados
A regionalização da saúde e perspectivas – a visão dos estados
 
SUS
SUSSUS
SUS
 
Modelo de Gestão no SUS: papel coordenador do estado no processo de regionali...
Modelo de Gestão no SUS: papel coordenador do estado no processo de regionali...Modelo de Gestão no SUS: papel coordenador do estado no processo de regionali...
Modelo de Gestão no SUS: papel coordenador do estado no processo de regionali...
 
Apresentação - 8ª Conferência Estadual de Saúde
Apresentação - 8ª Conferência Estadual de SaúdeApresentação - 8ª Conferência Estadual de Saúde
Apresentação - 8ª Conferência Estadual de Saúde
 
Aula - SUS Princípios Doutrinários e Organizacionais
Aula - SUS Princípios Doutrinários e OrganizacionaisAula - SUS Princípios Doutrinários e Organizacionais
Aula - SUS Princípios Doutrinários e Organizacionais
 
Princípios e diretrizes do sus
Princípios e diretrizes do susPrincípios e diretrizes do sus
Princípios e diretrizes do sus
 
Apostila 50 questões de saude publica diversos cargos
Apostila 50 questões de saude publica diversos cargosApostila 50 questões de saude publica diversos cargos
Apostila 50 questões de saude publica diversos cargos
 
Apostila50questoes
Apostila50questoesApostila50questoes
Apostila50questoes
 
Sus
SusSus
Sus
 
O Sistema Único de Saúde Brasileiro
O Sistema Único de Saúde BrasileiroO Sistema Único de Saúde Brasileiro
O Sistema Único de Saúde Brasileiro
 
Exercícios sus lei 8080
Exercícios sus lei 8080Exercícios sus lei 8080
Exercícios sus lei 8080
 
O que é o SUS?
O que é o SUS?O que é o SUS?
O que é o SUS?
 
Pacto pela saúde aula seg, dia 25 a noite
Pacto pela saúde  aula seg, dia 25 a noitePacto pela saúde  aula seg, dia 25 a noite
Pacto pela saúde aula seg, dia 25 a noite
 
NOAS 01/2001
NOAS 01/2001NOAS 01/2001
NOAS 01/2001
 
Sus pas-2013
Sus pas-2013Sus pas-2013
Sus pas-2013
 
Noas
NoasNoas
Noas
 
Lei nº 8.142
Lei nº 8.142Lei nº 8.142
Lei nº 8.142
 
01 noas e inovacoes
01 noas e inovacoes01 noas e inovacoes
01 noas e inovacoes
 
Reforma sanitaria e a consolidação
Reforma sanitaria e a consolidaçãoReforma sanitaria e a consolidação
Reforma sanitaria e a consolidação
 

Semelhante a ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.

Aula1 politicasdesaudenobrasil-120402212322-phpapp01
Aula1 politicasdesaudenobrasil-120402212322-phpapp01Aula1 politicasdesaudenobrasil-120402212322-phpapp01
Aula1 politicasdesaudenobrasil-120402212322-phpapp01
Laercio Leao
 
HISTÓRIA DA SAÚDE PÚBLICA NO BRASIL AULA 01.ppt
HISTÓRIA DA SAÚDE PÚBLICA NO BRASIL AULA 01.pptHISTÓRIA DA SAÚDE PÚBLICA NO BRASIL AULA 01.ppt
HISTÓRIA DA SAÚDE PÚBLICA NO BRASIL AULA 01.ppt
ssuser1b1803
 
idoc.pub_constituiao-federal-art-196-a-200-sus-principios-e-diretrizes.pdf
idoc.pub_constituiao-federal-art-196-a-200-sus-principios-e-diretrizes.pdfidoc.pub_constituiao-federal-art-196-a-200-sus-principios-e-diretrizes.pdf
idoc.pub_constituiao-federal-art-196-a-200-sus-principios-e-diretrizes.pdf
LuziannyDias
 
Susaula2 100409090926-phpapp01
Susaula2 100409090926-phpapp01Susaula2 100409090926-phpapp01
Susaula2 100409090926-phpapp01
Leonardo Lima
 

Semelhante a ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP. (20)

Ética profissional: Direitos e deveres dos ACS e ACEs
Ética profissional: Direitos e deveres dos ACS e ACEsÉtica profissional: Direitos e deveres dos ACS e ACEs
Ética profissional: Direitos e deveres dos ACS e ACEs
 
Aula - SUS e RAS 1 ciclo Nutrição em Saúde.pdf
Aula - SUS e RAS 1 ciclo Nutrição em Saúde.pdfAula - SUS e RAS 1 ciclo Nutrição em Saúde.pdf
Aula - SUS e RAS 1 ciclo Nutrição em Saúde.pdf
 
Regionalização, Pactos Interfederativos e regulação das redes de atenção à sa...
Regionalização, Pactos Interfederativos e regulação das redes de atenção à sa...Regionalização, Pactos Interfederativos e regulação das redes de atenção à sa...
Regionalização, Pactos Interfederativos e regulação das redes de atenção à sa...
 
Aula1 politicasdesaudenobrasil-120402212322-phpapp01
Aula1 politicasdesaudenobrasil-120402212322-phpapp01Aula1 politicasdesaudenobrasil-120402212322-phpapp01
Aula1 politicasdesaudenobrasil-120402212322-phpapp01
 
HISTÓRIA DA SAÚDE PÚBLICA NO BRASIL AULA 01.ppt
HISTÓRIA DA SAÚDE PÚBLICA NO BRASIL AULA 01.pptHISTÓRIA DA SAÚDE PÚBLICA NO BRASIL AULA 01.ppt
HISTÓRIA DA SAÚDE PÚBLICA NO BRASIL AULA 01.ppt
 
SUS - Dos Aspectos Históricos à Rrealidade
SUS - Dos Aspectos Históricos à RrealidadeSUS - Dos Aspectos Históricos à Rrealidade
SUS - Dos Aspectos Históricos à Rrealidade
 
Aula 8 e 9 SUS
Aula 8 e 9   SUSAula 8 e 9   SUS
Aula 8 e 9 SUS
 
Aula 3 - SUS
Aula 3 - SUSAula 3 - SUS
Aula 3 - SUS
 
Slides grupo8
Slides grupo8Slides grupo8
Slides grupo8
 
AULA 01 SAÚDE COLETIVA (1).pptx
AULA 01 SAÚDE COLETIVA (1).pptxAULA 01 SAÚDE COLETIVA (1).pptx
AULA 01 SAÚDE COLETIVA (1).pptx
 
Slides sus aspectos historicos
Slides sus aspectos historicos Slides sus aspectos historicos
Slides sus aspectos historicos
 
idoc.pub_constituiao-federal-art-196-a-200-sus-principios-e-diretrizes.pdf
idoc.pub_constituiao-federal-art-196-a-200-sus-principios-e-diretrizes.pdfidoc.pub_constituiao-federal-art-196-a-200-sus-principios-e-diretrizes.pdf
idoc.pub_constituiao-federal-art-196-a-200-sus-principios-e-diretrizes.pdf
 
Sus Aula2
Sus Aula2Sus Aula2
Sus Aula2
 
Susaula2 100409090926-phpapp01
Susaula2 100409090926-phpapp01Susaula2 100409090926-phpapp01
Susaula2 100409090926-phpapp01
 
Ouvidoria Ativa do SUS
Ouvidoria Ativa do SUSOuvidoria Ativa do SUS
Ouvidoria Ativa do SUS
 
Manual do Ministério Público de Santa Catarina na Defesa da Saúde
Manual do Ministério Público de Santa Catarina na Defesa da SaúdeManual do Ministério Público de Santa Catarina na Defesa da Saúde
Manual do Ministério Público de Santa Catarina na Defesa da Saúde
 
Especialização em Saúde da Família UNA - SUS
Especialização em Saúde da Família UNA - SUSEspecialização em Saúde da Família UNA - SUS
Especialização em Saúde da Família UNA - SUS
 
Lei 8080 e lei 8142
Lei 8080 e lei 8142Lei 8080 e lei 8142
Lei 8080 e lei 8142
 
Slides sus
Slides susSlides sus
Slides sus
 
SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE - SUS - INTRODUÇÃO.pptx
SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE - SUS - INTRODUÇÃO.pptxSISTEMA ÚNICO DE SAÚDE - SUS - INTRODUÇÃO.pptx
SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE - SUS - INTRODUÇÃO.pptx
 

Mais de ANTONIO INACIO FERRAZ

ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ
 
AULA 3-ANATOMIA SISTEMA TEGUMENTAR-ANTONIO INACIO FERRAZ
AULA 3-ANATOMIA SISTEMA TEGUMENTAR-ANTONIO INACIO FERRAZAULA 3-ANATOMIA SISTEMA TEGUMENTAR-ANTONIO INACIO FERRAZ
AULA 3-ANATOMIA SISTEMA TEGUMENTAR-ANTONIO INACIO FERRAZ
ANTONIO INACIO FERRAZ
 
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ
 
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ
 
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ
 
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ
 
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ
 
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ
 
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ
 
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ
 
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ
 
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ
 
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ
 
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA-AGROTÓXICO.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA-AGROTÓXICO.ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA-AGROTÓXICO.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA-AGROTÓXICO.
ANTONIO INACIO FERRAZ
 
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ
 
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ
 

Mais de ANTONIO INACIO FERRAZ (20)

ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
 
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
 
AULA 3-ANATOMIA SISTEMA TEGUMENTAR-ANTONIO INACIO FERRAZ
AULA 3-ANATOMIA SISTEMA TEGUMENTAR-ANTONIO INACIO FERRAZAULA 3-ANATOMIA SISTEMA TEGUMENTAR-ANTONIO INACIO FERRAZ
AULA 3-ANATOMIA SISTEMA TEGUMENTAR-ANTONIO INACIO FERRAZ
 
AULA 3-ANATOMIA SISTEMA TEGUMENTAR-ANTONIO INACIO FERRAZ
AULA 3-ANATOMIA SISTEMA TEGUMENTAR-ANTONIO INACIO FERRAZAULA 3-ANATOMIA SISTEMA TEGUMENTAR-ANTONIO INACIO FERRAZ
AULA 3-ANATOMIA SISTEMA TEGUMENTAR-ANTONIO INACIO FERRAZ
 
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
 
AULA 3-ANATOMIA SISTEMA TEGUMENTAR-ANTONIO INACIO FERRAZ
AULA 3-ANATOMIA SISTEMA TEGUMENTAR-ANTONIO INACIO FERRAZAULA 3-ANATOMIA SISTEMA TEGUMENTAR-ANTONIO INACIO FERRAZ
AULA 3-ANATOMIA SISTEMA TEGUMENTAR-ANTONIO INACIO FERRAZ
 
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
 
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
 
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
 
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
 
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
 
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
 
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
 
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
 
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
 
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
 
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
 
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA-AGROTÓXICO.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA-AGROTÓXICO.ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA-AGROTÓXICO.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA-AGROTÓXICO.
 
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
 
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
 

ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.

  • 2. 18/05/2015 2 DOS PRINCÍPIOS E DIRETRIZES Lei Orgânica da Saúde – Lei n. 8.080 de 19 de setembro de 1990. Art. 7º: I - universalidade de acesso aos serviços de saúde em todos os níveis de assistência; II - integralidade de assistência, entendida como conjunto articulado e contínuo das ações e serviços preventivos e curativos, individuais e coletivos, exigidos para cada caso em todos os níveis de complexidade do sistema; III - preservação da autonomia das pessoas na defesa de sua integridade física e moral; IV - igualdade da assistência à saúde, sem preconceitos ou privilégios de qualquer espécie; V - direito à informação, às pessoas assistidas, sobre sua saúde; VI - divulgação de informações quanto ao potencial dos serviços de saúde e a sua utilização pelo usuário; DOS PRINCÍPIOS E DIRETRIZES
  • 3. 18/05/2015 3 VII - utilização da epidemiologia para o estabelecimento de prioridades, a alocação de recursos e a orientação programática; VIII - participação da comunidade; IX - descentralização político-administrativa, com direção única em cada esfera de governo: a) ênfase na descentralização dos serviços para os municípios; b) regionalização e hierarquização da rede de serviços de saúde; X - integração em nível executivo das ações de saúde, meio ambiente e saneamento básico; DOS PRINCÍPIOS E DIRETRIZES XI - conjugação dos recursos financeiros, tecnológicos, materiais e humanos da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios na prestação de serviços de assistência à saúde da população; XII - capacidade de resolução dos serviços em todos os níveis de assistência; e XIII - organização dos serviços públicos de modo a evitar duplicidade de meios para fins idênticos. DOS PRINCÍPIOS E DIRETRIZES
  • 4. 18/05/2015 4 7  Universalidade de acesso  Eqüidade na assistência à saúde  Integralidade da assistência  Controle Social participação da comunidade  Descentralização político-administrativa PRINCÍPIOS DO SUS Universalidade Integralidade Eqüidade Descentralização Regionalização Hierarquização 8 IDEOLÓGICOS OU DOUTRINÁRIOS ORGANIZACIONAIS CONTROLE SOCIAL PRINCÍPIOS DO SUS
  • 5. 18/05/2015 5 Princípios Doutrinários ___________________________ Sistema Único de Saúde  Todas as pessoas têm direito ao atendimento independente de cor, raça, religião, local de moradia, situação de emprego ou renda, etc. 10  Significa que a rede de serviços de saúde deve ser atenta para as desigualdades existentes, com o objetivo de ajustar as suas ações às necessidades de cada parcela da população a ser coberta;  Deve tratar as desigualmente os desiguais. UNIVERSALIDADE EQUIDADE
  • 6. 18/05/2015 6  As ações de saúde devem ser combinadas e voltadas ao mesmo tempo para prevenção e a cura.  Os serviços de saúde devem funcionar atendendo o indivíduo como um ser humano integral submetido às mais diferentes situações de vida e trabalho, que o leva a adoecer e a morrer.  Atenção em quaisquer níveis de atenção à saúde, desenvolvendo ações de promoção, prevenção, diagnóstico, tratamento e reabilitação. 11 INTEGRALIDADE  Serviços de saúde devem funcionar atendendo ao indivíduo de maneira integral.  Garantir acesso a todos os níveis de atenção à saúde no sistema (atenção primária, atenção secundária e atenção terciária).  Necessidade de articular o setor saúde com as demais áreas sociais relacionadas com a melhoria da qualidade de vida. 12 ATENDIMENTO INTEGRAL
  • 7. 18/05/2015 7 (FCC - TRT - Analista Judiciário/2011) Lei Orgânica da Saúde − Lei no 8.080/1990 − especifica em seu Art. 7o que são princípios e diretrizes do Sistema Único de Saúde: (A) universalidade do acesso aos serviços, igualdade da assistência à saúde e centralização das decisões no nível federal. (B) universalidade do acesso aos serviços, igualdade da assistência à saúde e integralidade da assistência. FCC - TRT - Analista Judiciário/2011) Lei Orgânica da Saúde − Lei no 8.080/1990 − especifica em seu Art. 7o que são princípios e diretrizes do Sistema Único de Saúde: (C) universalidade do acesso aos serviços, priorização da saúde suplementar e integralidade da assistência. (D) centralização das decisões no nível federal, igualdade da assistência à saúde e integralidade da assistência. (E) universalidade do acesso aos serviços, igualdade da assistência à saúde e priorização da saúde suplementar.
  • 8. 18/05/2015 8 (FUNIVERSA, SES-DF/2011) Entre os princípios e as diretrizes do SUS, estão a: (A) centralização e a universalidade. (B) participação da comunidade e a autonomia. (C) universalidade e a integralidade. (D) complexidade e a igualdade. (E) integralidade e a centralização. (ESAF, MPOG - Analista Técnico de Políticas Sociais - Saúde/2012) Assinale a opção incorreta quanto aos princípios e diretrizes do Sistema Único de Saúde – SUS, conforme a Lei n. 8.080/90. a) As ações e serviços públicos de saúde e os serviços privados contratados ou conveniados que integram o Sistema Único de Saúde - SUS são desenvolvidos de acordo com as diretrizes previstas no artigo 198 da Constituição Federal de 1988. b) Prestar assistência às pessoas por intermédio de ações de promoção, proteção e recuperação da saúde, com a realização integrada das ações assistenciais e das atividades preventivas é princípio do SUS.
  • 9. 18/05/2015 9 (ESAF, MPOG - Analista Técnico de Políticas Sociais - Saúde/2012) Assinale a opção incorreta quanto aos princípios e diretrizes do Sistema Único de Saúde – SUS, conforme a Lei n. 8.080/90. c) Igualdade da assistência à saúde, sem preconceitos ou privilégios de qualquer espécie, e o direito à informação às pessoas assistidas, são princípios do SUS. d) A universalidade de acesso aos serviços de saúde em todos os níveis de assistência é princípio do Sistema Único de Saúde. e) A utilização da epidemiologia para o estabelecimento de prioridades, a alocação de recursos e a orientação programática são princípios do SUS.
  • 10. 18/05/2015 10 Princípios Organizacionais ___________________________ Sistema Único de Saúde  Descentralização político administrativa, com direção em cada esfera de governo (federal, estadual e municipal).  Ênfase na descentralização do serviços para os municípios; regionalização e hierarquização da rede de serviços de saúde.  Forma de organização que dá aos municípios o poder de administrar os serviços de saúde locais. 20 DESCENTRALIZAÇÃO
  • 11. 18/05/2015 11  Redistribuição das responsabilidades quanto as ações e serviços de saúde entre os vários níveis de governo.  Os municípios assumem papel cada vez mais importante na prestação e no gerenciamento dos serviços de saúde.  Transferências de recurso financeiro regular e automática – Fundos de Saúde (nacional, estaduais e municipais). DESCENTRALIZAÇÃO  Controle social – possibilita que a população, através de seus representantes, defina, acompanhe a execução e fiscalize a política de saúde.  As duas formas de participação da comunidade na gestão do SUS: Conferências de Saúde e Conselhos de Saúde.  A participação possibilita a população interferir na gestão da saúde, colocando as ações na direção dos interesses coletivos. 22 PARTICIPAÇÃO DA COMUNIDADE
  • 12. 18/05/2015 12 PRINCÍPIOS ORGANIZACIONAIS DO SUS  Orienta o processo de descentralização das ações e serviços de saúde.  Possibilita a constituição de sistemas regionais com a participação dos três entes federados (municípios, estado e união) visando garantir a integralidade da atenção. REGIONALIZAÇÃO
  • 14. 18/05/2015 14 MAPA DA REGIÃO INTEGRADA DE DESENVOLVIMENTO DO DISTRITO FEDERAL E ENTORNO – RIDE/DF HIERARQUIZAÇÃO
  • 15. 18/05/2015 15 (FUNCAB - Anápolis/2011) Ao longo da década de 1990, identificou-se a evolução de vários modelos de gestão. O avanço na consolidação do Sistema Único de Saúde se verifica no modelo segundo o qual: a) a gestão do sistema permanece com o Estado. b) a gerência das unidades é definida em parceria pelo gestor estadual e municipal. (FUNCAB - Anápolis/2011) Ao longo da década de 1990, identificou-se a evolução de vários modelos de gestão. O avanço na consolidação do Sistema Único de Saúde se verifica no modelo segundo o qual: c) o sistema é organizado com base na hierarquia de ações e serviços de saúde. d) os municípios têm sua gestão fragmentada. e) as unidades de saúde do município não têm papel definido.
  • 16. 18/05/2015 16 (FUNCAB – MIGUEL PEREIRA) Considere as afirmações abaixo sobre os princípios e diretrizes do Sistema Único de Saúde. I - Universalidade de acesso aos serviços de saúde apenas no nível primário de assistência. II - Integralidade de assistência, entendida como um conjunto articulado e contínuo de ações e serviços preventivos e curativos, individuais e coletivos, exigidos para cada caso somente nos níveis de baixa e média complexidade do sistema. (FUNCAB – MIGUEL PEREIRA) Considere as afirmações abaixo sobre os princípios e diretrizes do Sistema Único de Saúde. III - Participação da comunidade. Marque a alternativa correta. a) Apenas a II b) Apenas a III c) Apenas a I d) I e II