SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 5
Baixar para ler offline
Material complementar para estudar Análise Sintática

Preposições mais comuns
a, ante, após, até, com, contra, de, desde, em, entre, para, perante, por, sem, sob, sobre, trás

Verbos de ligação mais comuns
SER (O carro é novo ≠ São seis horas)
ESTAR (João está feliz ≠ João está no quarto)
PARECER (Joice parece cansada ≠ Joice se parece com a mãe)
PERMANECER (A moça permanece aflita ≠ A moça permaneceu no recinto)
FICAR (Nicole ficou triste ≠ Nicole ficou em São Paulo)
CONTINUAR (Diana continua feliz ≠ Diana continuou sua tarefa)
ANDAR (Cláudia anda nervosa ≠ Cláudia andou rápido)
VIRAR (As crianças viraram anjos ≠ As crianças viraram a rua)
TORNAR-SE (Manuel tornou-se estudioso ≠ Manuel tornou-se um novo aluno)
Verbos de ligação indicam a existência de estado ou qualidade do sujeito, sem que ele pratique uma ação.

Adjuntos adverbiais
De afirmação        Sim, com certeza, deveras etc.
De assunto          Sobre política, sobre time, etc.
De causa            Por necessidade etc.
De companhia        Com meus irmãos etc.
De concessão        Apesar etc.
De dúvida           Talvez, porventura, quiçá, acaso etc.
De lugar            Aqui, ali, acolá, abaixo, atrás, dentro, lá etc.
De instrumento      Com a pá etc.
De intensidade      Muito, pouco, *bastante, mais, tão, quão etc.
De matéria          Com mármore etc.
De meio             De ônibus, de carro etc.
De modo             Bem, mal, devagar, depressa, palavra + mente: carinhosamente, educadamente etc.
De negação          Não, em hipótese alguma etc.
De tempo            Ontem, hoje, agora, cedo, tarde, breve etc.

Adjuntos Adnominais
É o termo da oração que sempre se refere a um substantivo. Vem representado por artigos, adjetivos, locuções
adjetivas, pronomes adjetivos e numerais. Os adjuntos adnominais modificam o substantivo, qualquer que seja a função
que ele exerça na oração.

1) ADJETIVOS
- O alegre espetáculo começou tarde.
Alegre: Adjunto Adnominal
Espetáculo: Substantivos

- Meninos tristes chegaram.
Tristes: Adjunto Adnominal
Meninos: Substantivos
- As construções antigas eram mais trabalhadas artisticamente.
Antigas: Adjunto Adnominal
Construções: Substantivos

2) LOCUÇÕES ADJETIVAS
Era uma noite de inverno.
De inverno = hibernal
Noite: subst.
De inverno: AA (Loc. Adj.)

3)PRONOMES ADJETIVOS
Você pegou meu livro.
Meu: AA
Livro: Subst.

4) NUMERAIS
Conheço aqueles dois alunos.
Dois: AA
Alunos: Subst.

5) ARTIGO
Onde estão os alunos?
Os: AA
Alunos: Subst.

Os fogos iluminavam a noite.
Os: AA
A: AA
Noite: Subst.

Conheci umas pessoas maravilhosas
Umas, maravilhosas: AA
Pessoas: Subst.

O meu estimado vizinho comprou dois papagaios.
O/ meu/ estimado/ dois: adjuntos adnominais
Vizinho/ papagaio: substantivos

As pipas coloridas contrastavam com o céu azul.
As/ coloridas/ o/ azul: AA
Pipas/ céu: subst.

LOCUÇÃO ADJETIVA – Locução adjetiva é a expressão que exerce a função de um adjetivo.
Noite de tempestade: noite tempestuosa
Pessoa com fome: pessoa faminta
PRONOME ADJETIVO – O pronome adj. acompanha o subst. com o qual se relaciona.
Trouxe o meu livro.
Meu:Pron. Adj.
Livro: subst.

Alguns alunos estudam o suficiente.
Alguns: PA
Alunos: subst.



  Predicado verbal e seus objetos

  Temos predicado verbal quando o núcleo do predicado encontra-se no verbo.
  Exemplo: Os meninos da classe compraram pipocas.
  verbo= núcleo do predicado verbal
  Isto se dá com verbos transitivos:

     Os meninos da classe compraram pipocas. e intransitivos

     As meninas sorriram.

  A - Que é verbo transitivo?
  É o verbo de sentido incompleto que pede algum objeto, ao qual passa a ação.

  Há dois tipos:
  1) Transitivo direto - pede objeto direto.
  Os meninos da classe compraram pipocas.

  2) Transitivo indireto - pede objeto indireto
  As meninas gostam de paçoca.

  Que é objeto direto?
  Consiste em fazer ao verbo uma das perguntas: - QUEM? ou O QUÊ? A reposta será objeto direto.
  Exemplo: João pegou a chave. (Pergunta-se: João pegou o quê? Reposta - a chave. Objeto direto: a chave.)
  O cão pegou o menino. (Pergunta-se: - O cão pegou quem? Resposta: - o menino. Objeto direto: o menino.)
Que é objeto indireto?
  Acha-se o objeto indireto, fazendo ao verbo, uma das seguintes perguntas:
  A QUÊ? DE QUÊ? PARA QUÊ?
  A QUEM? DE QUEM? PARA QUEM?
  Exemplo: André obedece aos pais. Obedece a quem? - aos pais. Este é o objeto indireto, está indiretamente
  ligado ao verbo, isto é, por meio de uma preposição.

  Que é verbo intransitivo?
  É intransitivo o verbo que não pede objeto.
  A ação que ele exprime, não passa necessariamente a outro elemento.
  Exemplo: A criança dorme.
  O verbo intransitivo poderá vir acompanhado de adjuntos adverbiais, mas continua sendo intransitivo.
  Exemplos: A criança dorme bem. (bem: adjunto adverbial de modo)
  A criança dorme em sua caminha. (em sua caminha: adjunto adverbial de lugar)

  Observações:
  1. Há verbos transitivos que pedem dois objetos: um, direto e outro, indireto.

  Exemplos: Dar, mostrar, pedir, devolver, entregar, oferecer.
  O namorado deu a Célia (indireto) um buquê (direto).


  2. Pode haver objetos diretos preposicionados. Reflita-se para distinguir.
  Exemplos: Deus ama aos homens. Aos homens é objeto direto porque indica os seres a quem se dirige o
  sentimento do amor de Deus.

  Quanto às formas pronominais oblíquas.
  1. lhe, lhes - representam objeto indireto.
  Exemplo: Deu-lhe o paletó.

  2. O, a, os, as - representam o objeto direto.
  Exemplo: Chamo-a.

  3. Me, te, se, nos, vos - dependerá do sentido do verbo, Podem representar objetos diretos o indiretos. Será
  preciso refletir.
  Exemplos: Deu-me a bola. (Objeto indireto.)
  Cumprimentou-me. (Objeto direto.)
  Ofereceu-nos um livro. ( Objeto indireto.)
  Alcançou-te, enfim. (Objeto direto.)


                            Diferença entre adjunto adnominal e complemento nominal

Há nomes que, por não terem sentido completo, exigem um termo para completá-los. Esse termo é chamado
complemento nominal e inicia-se sempre por preposição.

Exemplos:

Impedimos a derrubada da mata.

DERRUBADA: nome incompleto (substantivo)

DA MATA: complemento nominal

Você é igual a ele.

IGUAL: nome incompleto (adjetivo)

A ELE: complemento nominal

Todos tiveram medo do ladrão.

MEDO: nome incompleto (substantivo)
DO LADRÃO: complemento nominal

OBSERVAÇÃO. O adjunto adnominal pode, às vezes, ser iniciado por preposição.

Exemplo: A casa de madeira caiu.

O complemento nominal sempre é iniciado por preposição. Isso pode gerar, em certas frases, sérias dúvidas quanto à
função do termo em estudo.

Assim, quando um termo estiver se referindo a um nome e estiver iniciado por preposição, ele será ou adjunto
adnominal ou complemento nominal. Para distinguir um do outro, é conveniente usar, como critério auxiliar da análise,
as orientações seguintes:

Principais diferenças entre o complemento nominal e o adjunto adnominal.

1.ª diferença:

O adjunto adnominal só se refere a substantivos (tanto concretos como abstratos).

O complemento nominal refere-se a substantivos (só abstratos), a adjetivos e a advérbios.

2.ª diferença:

O adjunto adnominal pratica a ação expressa pelo nome a que se refere.

O complemento nominal recebe a ação expressa pelo nome a que se refere.

3.ª diferença:

O adjunto adnominal pode indicar posse.

O complemento nominal nunca indica posse.

Exemplos de aplicação dos critérios acima:

As ruas de terra serão asfaltadas.

RUAS: nome (substantivo)

DE TERRA é adjunto adnominal ou complemento nominal?

Note que DE TERRA refere-se ao nome RUAS, que é um substantivo concreto (considerando a classe gramatical). Pelo
1.º critério, podemos concluir que DE TERRA só pode ser adjunto adnominal, pois o complemento nominal não se refere
a substantivo concreto. Então, DE TERRA: adjunto adnominal.

A rua é paralela ao rio.

PARALELA: nome (adjetivo)

AO RIO: complemento nominal ou adjunto adnominal?

O termo AO RIO está se referindo a PARALELA, que é um adjetivo (considerando a classe gramatical). Usando o 1.º
critério, podemos concjuir eu ao rio só pode ser complemento nominal, já que o adjunto adnominal nunca se refere a
adjetivo.

As críticas ao diretor eram infundadas.

CRÍTICAS: nome (substantivo)

AO DIRETOR: complemento nominal ou adjunto adnominal?
Observe que CRÍTICAS expressa uma ação (ação de criticar). O termo AO DIRETOR é que recebe as críticas (o diretor
é criticado). Usando o segundo critério, podemos concluir que AO DIRETOR é um complemento nominal.

As críticas do diretor eram infundadas.

CRÍTICAS: nome (substantivo)

Agora, o termo DO DIRETOR é adjunto adnominal, pois ele pratica a ação expressa pelo nome CRÍTICAS.

Do livro Novo Manual Nova Cultural – Redação, Gramática e Literatura. Professores: Emília Amaral, Severino
Antônio e Mauro Ferreira do Patrocínio.

Sobre o Adjetivo

O adjetivo só pode ser adjunto adnominal e predicativo. Assim, temos:

a) Ligado diretamente ao substantivo, é adjunto adnominal.

Ex.: O bom menino fez a redação.

O sujeito da oração é quot;O bom meninoquot;. Nota-se, então, que o adjetivo bom está dentro do sujeito. Isso é característica
de adjunto adnominal, que sempre pertence a um determinado termo da oração.

b) Junto de verbo, é predicativo.

Ex.: O menino é bom.

Agora o adjetivo bom está ao lado de um verbo, ou seja, longe do substantivo. Trata-se de um predicativo do sujeito,
pois qualifica o sujeito da oração, que é quot;O meninoquot;.

Há frases, no entanto, em que o adjetivo, mesmo junto de um substantivo, é predicativo. Como fazer a distinção?
Analisemos duas frases de estrutura semelhante, que realmente podem confundir. É bastante comum alunos, em sala
de aula, me pedirem explicação a respeito desse assunto. Veja como explico para eles, com base nas duas frases
abaixo.

1) Comprei uma casa linda.
2) Deixei o corredor limpo.

Na primeira, temos casa linda; na segunda, corredor limpo. Nos dois casos, um substantivo seguido de um adjetivo.
Será a mesma coisa? Com certeza, não. Vejamos as diferenças. Na primeira frase, observa-se o seguinte:

a) O verbo comprar é transitivo direto. Quem compra compra alguma coisa. Qual é a coisa comprada? Responde-se:
quot;uma casa lindaquot;, que é o objeto direto. A prova disso é que, substituindo o objeto por um pronome oblíquo átono,
temos: quot;Comprei-aquot;. Assim, o adjetivo linda pertence ao objeto direto, está dentro dele. É, portanto, um adjunto
adnominal da palavra casa.

b) Se a explicação acima não foi suficiente, tentemos uma outra, bastante interessante. Desloquemos a palavra linda.
Diríamos: quot;Comprei uma linda casaquot;. Observa-se que linda continua ligado ao substantivo, imediatamente antes dele.
Quando isso ocorre, o adjetivo é adjunto adnominal.

c) Outro truque que podemos usar é colocar a frase na voz passiva. Teríamos: quot;Uma linda casa foi comprada por mimquot;.
Da mesma forma, o adjetivo continua imediatamente antes do substantivo. É, pois, adjunto adnominal.

Agora vamos fazer o mesmo com a segunda frase. Você perceberá a diferença com facilidade.

a) O verbo deixar também é transitivo direto. Quem deixa deixa alguma coisa. Qual a coisa deixada? Responde-se: quot;o
corredorquot;, que é o objeto direto. A palavra limpo está fora do objeto. A prova disso é a troca por um pronome oblíquo
átono: quot;Deixei-o limpoquot;. Assim, limpo é predicativo do objeto direto, e não adjunto adnominal.

b) Agora, vamos deslocar o adjetivo limpo. A frase será: quot;Deixei limpo o corredorquot;. Viu a diferença? O adjetivo limpo
não ficou imediatamente antes do substantivo; entre eles está o artigo o. Dessa forma, trata-se de um predicativo do
objeto.

c) Finalmente, o macete da mudança da voz verbal. Na passiva, temos: quot;O corredor foi deixado limpo por mimquot;.
Igualmente, limpo ficou afastado do substantivo corredor. É um predicativo do objeto.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Predicados e-termos-da-oracao1
Predicados e-termos-da-oracao1Predicados e-termos-da-oracao1
Predicados e-termos-da-oracao1
Flávio Ferreira
 
Gramática: Termos da oração
Gramática: Termos da oraçãoGramática: Termos da oração
Gramática: Termos da oração
Gleicy Almeida
 
Análise sintática
Análise sintáticaAnálise sintática
Análise sintática
Karla Costa
 

Mais procurados (18)

www.AulasDePortuguesApoio.com - Português - Termos da Oração
www.AulasDePortuguesApoio.com     - Português -  Termos da Oraçãowww.AulasDePortuguesApoio.com     - Português -  Termos da Oração
www.AulasDePortuguesApoio.com - Português - Termos da Oração
 
Elementos de análise sintática: sujeito
Elementos de análise sintática: sujeitoElementos de análise sintática: sujeito
Elementos de análise sintática: sujeito
 
Sintaxe Volume 1
Sintaxe Volume 1Sintaxe Volume 1
Sintaxe Volume 1
 
Sintaxe sintaxe
Sintaxe   sintaxeSintaxe   sintaxe
Sintaxe sintaxe
 
Termos da oração
Termos da oraçãoTermos da oração
Termos da oração
 
Predicados e-termos-da-oracao1
Predicados e-termos-da-oracao1Predicados e-termos-da-oracao1
Predicados e-termos-da-oracao1
 
Dica ingles afa
Dica ingles afaDica ingles afa
Dica ingles afa
 
www.AulasDePortuguesApoio.com - Português - Sujeito e Predicado
www.AulasDePortuguesApoio.com  -  Português -  Sujeito e Predicadowww.AulasDePortuguesApoio.com  -  Português -  Sujeito e Predicado
www.AulasDePortuguesApoio.com - Português - Sujeito e Predicado
 
Predicado
PredicadoPredicado
Predicado
 
Gramática: Termos da oração
Gramática: Termos da oraçãoGramática: Termos da oração
Gramática: Termos da oração
 
Complemento nominal
Complemento nominalComplemento nominal
Complemento nominal
 
Sintaxe do periodo simples
Sintaxe do periodo simplesSintaxe do periodo simples
Sintaxe do periodo simples
 
Análise sintática
Análise sintáticaAnálise sintática
Análise sintática
 
Tópicos de sintaxe
Tópicos de sintaxeTópicos de sintaxe
Tópicos de sintaxe
 
3450 classes-de-palavras-morfologia-zambeli
3450 classes-de-palavras-morfologia-zambeli3450 classes-de-palavras-morfologia-zambeli
3450 classes-de-palavras-morfologia-zambeli
 
Materia do 9º ano portugues
Materia do 9º ano portuguesMateria do 9º ano portugues
Materia do 9º ano portugues
 
SINTAXE
SINTAXESINTAXE
SINTAXE
 
Período Simples
Período SimplesPeríodo Simples
Período Simples
 

Destaque

- PALAVRAS CRUZADAS - MODELOS ATÔMICOS
- PALAVRAS CRUZADAS - MODELOS ATÔMICOS- PALAVRAS CRUZADAS - MODELOS ATÔMICOS
- PALAVRAS CRUZADAS - MODELOS ATÔMICOS
Ricardo Bruno Nunes
 

Destaque (14)

- PALAVRAS CRUZADAS - MODELOS ATÔMICOS
- PALAVRAS CRUZADAS - MODELOS ATÔMICOS- PALAVRAS CRUZADAS - MODELOS ATÔMICOS
- PALAVRAS CRUZADAS - MODELOS ATÔMICOS
 
Slide de filmes de pedagogia
Slide de filmes de pedagogia   Slide de filmes de pedagogia
Slide de filmes de pedagogia
 
Atividade avaliativa sobre o filme Mãos Talentosas
Atividade avaliativa sobre o filme Mãos TalentosasAtividade avaliativa sobre o filme Mãos Talentosas
Atividade avaliativa sobre o filme Mãos Talentosas
 
INDEPENDÊNCIAS NA AMÉRICA
INDEPENDÊNCIAS NA AMÉRICA INDEPENDÊNCIAS NA AMÉRICA
INDEPENDÊNCIAS NA AMÉRICA
 
A SOCIEDADE MINERADORA NO BRASIL COLONIAL
A SOCIEDADE MINERADORA NO BRASIL COLONIALA SOCIEDADE MINERADORA NO BRASIL COLONIAL
A SOCIEDADE MINERADORA NO BRASIL COLONIAL
 
Rebelioes regenciais blog
Rebelioes regenciais blogRebelioes regenciais blog
Rebelioes regenciais blog
 
ABOLIÇÃO E REPÚBLICA NO BRASIL
ABOLIÇÃO E REPÚBLICA NO BRASILABOLIÇÃO E REPÚBLICA NO BRASIL
ABOLIÇÃO E REPÚBLICA NO BRASIL
 
A EUROPA NO SÉCULO XIX
A EUROPA NO SÉCULO XIXA EUROPA NO SÉCULO XIX
A EUROPA NO SÉCULO XIX
 
O REINADO DE D. PEDRO I
O REINADO DE D. PEDRO IO REINADO DE D. PEDRO I
O REINADO DE D. PEDRO I
 
AFRICANOS NO BRASIL
AFRICANOS NO BRASILAFRICANOS NO BRASIL
AFRICANOS NO BRASIL
 
QUESTÕES DE HISTÓRIA - BRASIL IMPÉRIO
QUESTÕES DE HISTÓRIA - BRASIL IMPÉRIOQUESTÕES DE HISTÓRIA - BRASIL IMPÉRIO
QUESTÕES DE HISTÓRIA - BRASIL IMPÉRIO
 
Slide imigração e fim trafico negreiro
Slide imigração e fim trafico negreiro Slide imigração e fim trafico negreiro
Slide imigração e fim trafico negreiro
 
SEGUNDO REINADO 1840-1889
SEGUNDO REINADO 1840-1889SEGUNDO REINADO 1840-1889
SEGUNDO REINADO 1840-1889
 
GUERRA DO PARAGUAI 1864-1870
GUERRA DO PARAGUAI 1864-1870GUERRA DO PARAGUAI 1864-1870
GUERRA DO PARAGUAI 1864-1870
 

Semelhante a AnáLise SintáTica 3 Em

Curso Grátis Concurso Correios (Português)
Curso Grátis Concurso Correios (Português)Curso Grátis Concurso Correios (Português)
Curso Grátis Concurso Correios (Português)
Cris Marini
 
Classes Palavras 7ano
Classes Palavras 7anoClasses Palavras 7ano
Classes Palavras 7ano
Teresa Pombo
 
Português-Pronome
Português-PronomePortuguês-Pronome
Português-Pronome
Jaicinha
 
Resumo de portugues
Resumo de portuguesResumo de portugues
Resumo de portugues
Rita Pereira
 

Semelhante a AnáLise SintáTica 3 Em (20)

7.4 pronomes
7.4   pronomes7.4   pronomes
7.4 pronomes
 
7 161029234052
7 1610292340527 161029234052
7 161029234052
 
Aula 3 - Gramática Normativa: Pronome I
Aula 3 - Gramática Normativa: Pronome IAula 3 - Gramática Normativa: Pronome I
Aula 3 - Gramática Normativa: Pronome I
 
Tempos verbais dicas
Tempos verbais dicasTempos verbais dicas
Tempos verbais dicas
 
Aula 3 lp em
Aula 3   lp emAula 3   lp em
Aula 3 lp em
 
analise-sintatica-zambeli
 analise-sintatica-zambeli analise-sintatica-zambeli
analise-sintatica-zambeli
 
Pronomes - Prof. Ana Glades
Pronomes - Prof. Ana GladesPronomes - Prof. Ana Glades
Pronomes - Prof. Ana Glades
 
1 SLIDESClasses-de-palavras - importantes.pptx
1 SLIDESClasses-de-palavras - importantes.pptx1 SLIDESClasses-de-palavras - importantes.pptx
1 SLIDESClasses-de-palavras - importantes.pptx
 
PORTUGUÊS - REVISÃO
PORTUGUÊS - REVISÃOPORTUGUÊS - REVISÃO
PORTUGUÊS - REVISÃO
 
Pronomes marlos
Pronomes marlosPronomes marlos
Pronomes marlos
 
3450-classes-de-palavras-morfologia-zambeli.pdf
3450-classes-de-palavras-morfologia-zambeli.pdf3450-classes-de-palavras-morfologia-zambeli.pdf
3450-classes-de-palavras-morfologia-zambeli.pdf
 
quadrinhos nao apagar.pptx
quadrinhos nao apagar.pptxquadrinhos nao apagar.pptx
quadrinhos nao apagar.pptx
 
Regência+..
Regência+..Regência+..
Regência+..
 
Curso Grátis Concurso Correios (Português)
Curso Grátis Concurso Correios (Português)Curso Grátis Concurso Correios (Português)
Curso Grátis Concurso Correios (Português)
 
Curso Grátis Concurso Correios (Português)
Curso Grátis Concurso Correios (Português)Curso Grátis Concurso Correios (Português)
Curso Grátis Concurso Correios (Português)
 
Classes-de-palavras.pptx
Classes-de-palavras.pptxClasses-de-palavras.pptx
Classes-de-palavras.pptx
 
Classes Palavras 7ano
Classes Palavras 7anoClasses Palavras 7ano
Classes Palavras 7ano
 
Português-Pronome
Português-PronomePortuguês-Pronome
Português-Pronome
 
14ª lista de exercícios português
14ª lista de exercícios   português14ª lista de exercícios   português
14ª lista de exercícios português
 
Resumo de portugues
Resumo de portuguesResumo de portugues
Resumo de portugues
 

Mais de Brenda Tacchelli (20)

RecuperaçãO Final 2 Em
RecuperaçãO Final 2 EmRecuperaçãO Final 2 Em
RecuperaçãO Final 2 Em
 
RecuperaçãO Final 1 Em
RecuperaçãO Final 1 EmRecuperaçãO Final 1 Em
RecuperaçãO Final 1 Em
 
Notas 4 Bim 2009
Notas 4 Bim 2009Notas 4 Bim 2009
Notas 4 Bim 2009
 
Prova Enem 2
Prova Enem 2Prova Enem 2
Prova Enem 2
 
Prova Enem 1
Prova Enem 1Prova Enem 1
Prova Enem 1
 
Tarefa 22 09 2009
Tarefa 22 09 2009Tarefa 22 09 2009
Tarefa 22 09 2009
 
Tarefa 2EM 25-08-2009
Tarefa 2EM 25-08-2009Tarefa 2EM 25-08-2009
Tarefa 2EM 25-08-2009
 
Tarefa 17
Tarefa 17Tarefa 17
Tarefa 17
 
Tarefa 15
Tarefa 15Tarefa 15
Tarefa 15
 
Tarefa 14
Tarefa 14Tarefa 14
Tarefa 14
 
Tarefa 13 3 Em
Tarefa 13   3 EmTarefa 13   3 Em
Tarefa 13 3 Em
 
Tarefa 13 2 Em
Tarefa 13   2 EmTarefa 13   2 Em
Tarefa 13 2 Em
 
Tarefa 13 1 Em
Tarefa 13   1 EmTarefa 13   1 Em
Tarefa 13 1 Em
 
Para Estudar Metro Ritmo E Rima
Para Estudar Metro Ritmo E RimaPara Estudar Metro Ritmo E Rima
Para Estudar Metro Ritmo E Rima
 
Tarefa 12 3 Em
Tarefa 12   3 EmTarefa 12   3 Em
Tarefa 12 3 Em
 
Tarefa 12 2 Em
Tarefa 12   2 EmTarefa 12   2 Em
Tarefa 12 2 Em
 
Tarefa 12 1 Em
Tarefa 12   1 EmTarefa 12   1 Em
Tarefa 12 1 Em
 
Tarefa 11 3 Em
Tarefa 11   3 EmTarefa 11   3 Em
Tarefa 11 3 Em
 
Tarefa 11 2 Em
Tarefa 11   2 EmTarefa 11   2 Em
Tarefa 11 2 Em
 
Tarefa 10
Tarefa 10Tarefa 10
Tarefa 10
 

AnáLise SintáTica 3 Em

  • 1. Material complementar para estudar Análise Sintática Preposições mais comuns a, ante, após, até, com, contra, de, desde, em, entre, para, perante, por, sem, sob, sobre, trás Verbos de ligação mais comuns SER (O carro é novo ≠ São seis horas) ESTAR (João está feliz ≠ João está no quarto) PARECER (Joice parece cansada ≠ Joice se parece com a mãe) PERMANECER (A moça permanece aflita ≠ A moça permaneceu no recinto) FICAR (Nicole ficou triste ≠ Nicole ficou em São Paulo) CONTINUAR (Diana continua feliz ≠ Diana continuou sua tarefa) ANDAR (Cláudia anda nervosa ≠ Cláudia andou rápido) VIRAR (As crianças viraram anjos ≠ As crianças viraram a rua) TORNAR-SE (Manuel tornou-se estudioso ≠ Manuel tornou-se um novo aluno) Verbos de ligação indicam a existência de estado ou qualidade do sujeito, sem que ele pratique uma ação. Adjuntos adverbiais De afirmação Sim, com certeza, deveras etc. De assunto Sobre política, sobre time, etc. De causa Por necessidade etc. De companhia Com meus irmãos etc. De concessão Apesar etc. De dúvida Talvez, porventura, quiçá, acaso etc. De lugar Aqui, ali, acolá, abaixo, atrás, dentro, lá etc. De instrumento Com a pá etc. De intensidade Muito, pouco, *bastante, mais, tão, quão etc. De matéria Com mármore etc. De meio De ônibus, de carro etc. De modo Bem, mal, devagar, depressa, palavra + mente: carinhosamente, educadamente etc. De negação Não, em hipótese alguma etc. De tempo Ontem, hoje, agora, cedo, tarde, breve etc. Adjuntos Adnominais É o termo da oração que sempre se refere a um substantivo. Vem representado por artigos, adjetivos, locuções adjetivas, pronomes adjetivos e numerais. Os adjuntos adnominais modificam o substantivo, qualquer que seja a função que ele exerça na oração. 1) ADJETIVOS - O alegre espetáculo começou tarde. Alegre: Adjunto Adnominal Espetáculo: Substantivos - Meninos tristes chegaram. Tristes: Adjunto Adnominal Meninos: Substantivos - As construções antigas eram mais trabalhadas artisticamente. Antigas: Adjunto Adnominal Construções: Substantivos 2) LOCUÇÕES ADJETIVAS Era uma noite de inverno. De inverno = hibernal Noite: subst. De inverno: AA (Loc. Adj.) 3)PRONOMES ADJETIVOS Você pegou meu livro. Meu: AA Livro: Subst. 4) NUMERAIS
  • 2. Conheço aqueles dois alunos. Dois: AA Alunos: Subst. 5) ARTIGO Onde estão os alunos? Os: AA Alunos: Subst. Os fogos iluminavam a noite. Os: AA A: AA Noite: Subst. Conheci umas pessoas maravilhosas Umas, maravilhosas: AA Pessoas: Subst. O meu estimado vizinho comprou dois papagaios. O/ meu/ estimado/ dois: adjuntos adnominais Vizinho/ papagaio: substantivos As pipas coloridas contrastavam com o céu azul. As/ coloridas/ o/ azul: AA Pipas/ céu: subst. LOCUÇÃO ADJETIVA – Locução adjetiva é a expressão que exerce a função de um adjetivo. Noite de tempestade: noite tempestuosa Pessoa com fome: pessoa faminta PRONOME ADJETIVO – O pronome adj. acompanha o subst. com o qual se relaciona. Trouxe o meu livro. Meu:Pron. Adj. Livro: subst. Alguns alunos estudam o suficiente. Alguns: PA Alunos: subst. Predicado verbal e seus objetos Temos predicado verbal quando o núcleo do predicado encontra-se no verbo. Exemplo: Os meninos da classe compraram pipocas. verbo= núcleo do predicado verbal Isto se dá com verbos transitivos: Os meninos da classe compraram pipocas. e intransitivos As meninas sorriram. A - Que é verbo transitivo? É o verbo de sentido incompleto que pede algum objeto, ao qual passa a ação. Há dois tipos: 1) Transitivo direto - pede objeto direto. Os meninos da classe compraram pipocas. 2) Transitivo indireto - pede objeto indireto As meninas gostam de paçoca. Que é objeto direto? Consiste em fazer ao verbo uma das perguntas: - QUEM? ou O QUÊ? A reposta será objeto direto. Exemplo: João pegou a chave. (Pergunta-se: João pegou o quê? Reposta - a chave. Objeto direto: a chave.) O cão pegou o menino. (Pergunta-se: - O cão pegou quem? Resposta: - o menino. Objeto direto: o menino.)
  • 3. Que é objeto indireto? Acha-se o objeto indireto, fazendo ao verbo, uma das seguintes perguntas: A QUÊ? DE QUÊ? PARA QUÊ? A QUEM? DE QUEM? PARA QUEM? Exemplo: André obedece aos pais. Obedece a quem? - aos pais. Este é o objeto indireto, está indiretamente ligado ao verbo, isto é, por meio de uma preposição. Que é verbo intransitivo? É intransitivo o verbo que não pede objeto. A ação que ele exprime, não passa necessariamente a outro elemento. Exemplo: A criança dorme. O verbo intransitivo poderá vir acompanhado de adjuntos adverbiais, mas continua sendo intransitivo. Exemplos: A criança dorme bem. (bem: adjunto adverbial de modo) A criança dorme em sua caminha. (em sua caminha: adjunto adverbial de lugar) Observações: 1. Há verbos transitivos que pedem dois objetos: um, direto e outro, indireto. Exemplos: Dar, mostrar, pedir, devolver, entregar, oferecer. O namorado deu a Célia (indireto) um buquê (direto). 2. Pode haver objetos diretos preposicionados. Reflita-se para distinguir. Exemplos: Deus ama aos homens. Aos homens é objeto direto porque indica os seres a quem se dirige o sentimento do amor de Deus. Quanto às formas pronominais oblíquas. 1. lhe, lhes - representam objeto indireto. Exemplo: Deu-lhe o paletó. 2. O, a, os, as - representam o objeto direto. Exemplo: Chamo-a. 3. Me, te, se, nos, vos - dependerá do sentido do verbo, Podem representar objetos diretos o indiretos. Será preciso refletir. Exemplos: Deu-me a bola. (Objeto indireto.) Cumprimentou-me. (Objeto direto.) Ofereceu-nos um livro. ( Objeto indireto.) Alcançou-te, enfim. (Objeto direto.) Diferença entre adjunto adnominal e complemento nominal Há nomes que, por não terem sentido completo, exigem um termo para completá-los. Esse termo é chamado complemento nominal e inicia-se sempre por preposição. Exemplos: Impedimos a derrubada da mata. DERRUBADA: nome incompleto (substantivo) DA MATA: complemento nominal Você é igual a ele. IGUAL: nome incompleto (adjetivo) A ELE: complemento nominal Todos tiveram medo do ladrão. MEDO: nome incompleto (substantivo)
  • 4. DO LADRÃO: complemento nominal OBSERVAÇÃO. O adjunto adnominal pode, às vezes, ser iniciado por preposição. Exemplo: A casa de madeira caiu. O complemento nominal sempre é iniciado por preposição. Isso pode gerar, em certas frases, sérias dúvidas quanto à função do termo em estudo. Assim, quando um termo estiver se referindo a um nome e estiver iniciado por preposição, ele será ou adjunto adnominal ou complemento nominal. Para distinguir um do outro, é conveniente usar, como critério auxiliar da análise, as orientações seguintes: Principais diferenças entre o complemento nominal e o adjunto adnominal. 1.ª diferença: O adjunto adnominal só se refere a substantivos (tanto concretos como abstratos). O complemento nominal refere-se a substantivos (só abstratos), a adjetivos e a advérbios. 2.ª diferença: O adjunto adnominal pratica a ação expressa pelo nome a que se refere. O complemento nominal recebe a ação expressa pelo nome a que se refere. 3.ª diferença: O adjunto adnominal pode indicar posse. O complemento nominal nunca indica posse. Exemplos de aplicação dos critérios acima: As ruas de terra serão asfaltadas. RUAS: nome (substantivo) DE TERRA é adjunto adnominal ou complemento nominal? Note que DE TERRA refere-se ao nome RUAS, que é um substantivo concreto (considerando a classe gramatical). Pelo 1.º critério, podemos concluir que DE TERRA só pode ser adjunto adnominal, pois o complemento nominal não se refere a substantivo concreto. Então, DE TERRA: adjunto adnominal. A rua é paralela ao rio. PARALELA: nome (adjetivo) AO RIO: complemento nominal ou adjunto adnominal? O termo AO RIO está se referindo a PARALELA, que é um adjetivo (considerando a classe gramatical). Usando o 1.º critério, podemos concjuir eu ao rio só pode ser complemento nominal, já que o adjunto adnominal nunca se refere a adjetivo. As críticas ao diretor eram infundadas. CRÍTICAS: nome (substantivo) AO DIRETOR: complemento nominal ou adjunto adnominal?
  • 5. Observe que CRÍTICAS expressa uma ação (ação de criticar). O termo AO DIRETOR é que recebe as críticas (o diretor é criticado). Usando o segundo critério, podemos concluir que AO DIRETOR é um complemento nominal. As críticas do diretor eram infundadas. CRÍTICAS: nome (substantivo) Agora, o termo DO DIRETOR é adjunto adnominal, pois ele pratica a ação expressa pelo nome CRÍTICAS. Do livro Novo Manual Nova Cultural – Redação, Gramática e Literatura. Professores: Emília Amaral, Severino Antônio e Mauro Ferreira do Patrocínio. Sobre o Adjetivo O adjetivo só pode ser adjunto adnominal e predicativo. Assim, temos: a) Ligado diretamente ao substantivo, é adjunto adnominal. Ex.: O bom menino fez a redação. O sujeito da oração é quot;O bom meninoquot;. Nota-se, então, que o adjetivo bom está dentro do sujeito. Isso é característica de adjunto adnominal, que sempre pertence a um determinado termo da oração. b) Junto de verbo, é predicativo. Ex.: O menino é bom. Agora o adjetivo bom está ao lado de um verbo, ou seja, longe do substantivo. Trata-se de um predicativo do sujeito, pois qualifica o sujeito da oração, que é quot;O meninoquot;. Há frases, no entanto, em que o adjetivo, mesmo junto de um substantivo, é predicativo. Como fazer a distinção? Analisemos duas frases de estrutura semelhante, que realmente podem confundir. É bastante comum alunos, em sala de aula, me pedirem explicação a respeito desse assunto. Veja como explico para eles, com base nas duas frases abaixo. 1) Comprei uma casa linda. 2) Deixei o corredor limpo. Na primeira, temos casa linda; na segunda, corredor limpo. Nos dois casos, um substantivo seguido de um adjetivo. Será a mesma coisa? Com certeza, não. Vejamos as diferenças. Na primeira frase, observa-se o seguinte: a) O verbo comprar é transitivo direto. Quem compra compra alguma coisa. Qual é a coisa comprada? Responde-se: quot;uma casa lindaquot;, que é o objeto direto. A prova disso é que, substituindo o objeto por um pronome oblíquo átono, temos: quot;Comprei-aquot;. Assim, o adjetivo linda pertence ao objeto direto, está dentro dele. É, portanto, um adjunto adnominal da palavra casa. b) Se a explicação acima não foi suficiente, tentemos uma outra, bastante interessante. Desloquemos a palavra linda. Diríamos: quot;Comprei uma linda casaquot;. Observa-se que linda continua ligado ao substantivo, imediatamente antes dele. Quando isso ocorre, o adjetivo é adjunto adnominal. c) Outro truque que podemos usar é colocar a frase na voz passiva. Teríamos: quot;Uma linda casa foi comprada por mimquot;. Da mesma forma, o adjetivo continua imediatamente antes do substantivo. É, pois, adjunto adnominal. Agora vamos fazer o mesmo com a segunda frase. Você perceberá a diferença com facilidade. a) O verbo deixar também é transitivo direto. Quem deixa deixa alguma coisa. Qual a coisa deixada? Responde-se: quot;o corredorquot;, que é o objeto direto. A palavra limpo está fora do objeto. A prova disso é a troca por um pronome oblíquo átono: quot;Deixei-o limpoquot;. Assim, limpo é predicativo do objeto direto, e não adjunto adnominal. b) Agora, vamos deslocar o adjetivo limpo. A frase será: quot;Deixei limpo o corredorquot;. Viu a diferença? O adjetivo limpo não ficou imediatamente antes do substantivo; entre eles está o artigo o. Dessa forma, trata-se de um predicativo do objeto. c) Finalmente, o macete da mudança da voz verbal. Na passiva, temos: quot;O corredor foi deixado limpo por mimquot;. Igualmente, limpo ficou afastado do substantivo corredor. É um predicativo do objeto.