SlideShare uma empresa Scribd logo
Predicado
Análise Sintática
Predicado
Predicado é aquilo que se declara a respeito do sujeito. Nele é obrigatória a presença de um
verbo ou locução verbal. Quando se identifica o sujeito de uma oração, identifica-se também o
predicado. Em termos, tudo o que difere do sujeito (e do vocativo, quando ocorrer) numa oração é o
seu predicado. Veja alguns exemplos:
As mulheres compraram roupas novas.
Predicado
Durante o ano, muitos alunos desistem do curso.
Predicado Predicado
A natureza é bela.
Predicado
Predicação verbal
Chama-se predicação verbal o resultado da ligação
que se estabelece entre o sujeito e o verbo e entre os
verbos e os complementos. Quanto à predicação, os
verbos podem ser transitivos, intransitivos ou de
ligação.
Verbos Transitivos
São verbos que não podem constituir o predicado
sozinhos, exigindo, portanto, um COMPLEMENTO.
1) A intérprete estudou a letra da música.
2) Vani pensava no antigo namorado.
3) Eles enviaram o convite para você.
Transitivos diretos
Verbos que necessitam de um complemento ligado a eles SEM preposição
(objeto direto).
Nós estudamos matemática.
Eu faço samba e amor até mais tarde e tenho muito sono de manhã. (Chico
Buarque)
Predicado
ESTRUTURA ARGUMENTATIVA DE UM V.T.D.
(sujeito) X faz Y (complemento)
X compra Y
X conhece Y
X vende Y
X percebe Y
X vê Y
Transitivos Indiretos
Verbos que necessitam de um complemento ligado a eles
COM preposição (objeto indireto).
1) Mônica dependia dos pais.
2) Ele pensava nos antigos amigos.
3) Nós desistimos da candidatura.
4) A bondosa mãe intercedeu pelo filho.
ESTRUTURA ARGUMENTATIVA DE UM V.T.I.
(sujeito) X precisa de Y (complemento)
X necessita de Y
X pensa em Y
X depende de Y
X intercede por Y
X acredita em Y
Transitivos diretos e indiretos
(bitransitivos)
Verbos que necessitam dos DOIS complementos, o
OD e o OI.
1) Neusa ofereceu ajuda ao vizinho.
2) Nós entregamos as notas aos alunos.
3) Cátia solicitou ajuda aos amigos.
4) Eles escreveram cartas para a mãe.
ESTRUTURA ARGUMENTATIVA DE UM V.T.D. E I.
(sujeito) X envia Y a Z (complementos)
X solicita Y a Z
X escreve Y para Z
X entrega Y para Z
X oferece Y para Z
X conta Y para Z
Verbos Intransitivos
São verbos que podem constituir o predicado sozinhos, pois têm sentido
completo, sem a necessidade de um complemento.
Morreram de causa desconhecida.
Como é bom viver!
Alguma coisa estranha aconteceu.
“Fico besta com quem perde a
compostura por não gostar de algo ou
alguém: tão mais simples desconectar.
Não ouça, não leia, não prestigie. Dê
atenção ao que tem sintonia com você.
E toque sua vida, sem agredir.”
(Martha Medeiros)
ESTRUTURA ARGUMENTATIVA DE UM V.I.
(sujeito) X vive.
X morre.
X dança.
X cai.
X acontece.
X mente.
IMPORTANTE
É sempre o CONTEXTO FRASAL que vai
determinar qual é a estrutura argumentativa do
verbo que nela figura. Alguns verbos
apresentam mais de uma predicação
dependendo do contexto em que são
empregados.
Observe estes exemplos:
Ela dança realmente muito bem.
Sílvia dança samba como ninguém.
Aquela mulher mente demais.
A mãe mentia muito para os filhos.
Verbos de ligação
São verbos que servem para estabelecer uma ligação
entre o sujeito e um termo que expressa qualidades desse
sujeito (predicativo do sujeito).
Maristela continuava inquieta.
Celeste era uma moça encantadora.
Os dois permaneceram calados.
PREDICATIVO DO SUJEITO
Pode ser representado por:
a) Adjetivo ou locução adjetiva:
Por Exemplo:
O seu telefonema foi especial. (especial = adjetivo)
Este bolo está sem sabor. (sem sabor = locução adjetiva)
b) Substantivo ou palavra substantivada:
Por Exemplo:
Esta figura parece um peixe. (peixe = substantivo)
Amar é um eterno recomeçar. (recomeçar = verbo substantivado)
c) Pronome Substantivo:
Por Exemplo:
Meu boletim não é esse. (esse = pronome substantivo)
d) Numeral:
Por Exemplo:
Nós somos dez ao todo. (dez = numeral)
Verbos de estado = verbos de ligação
SER, ESTAR, PERMANECER, FICAR,
TORNAR-SE, ANDAR, PARECER, VIRAR,
CONTINUAR…
Ligam um estado (característica) ao sujeito
da oração.
O verbo de ligação pode expressar:
a) estado permanente: ser, viver.
Sandra é alegre.
Sandra vive alegre.
b) estado transitório: estar, andar, achar-se, encontrar-se
Mamãe está bem.
Mamãe encontra-se bem.
c) estado mutatório: ficar, virar, tornar-se, fazer-se
Júlia ficou brava.
Júlia fez-se brava.
d) continuidade de estado: continuar, permanecer
Renato continua mal.
Renato permanece mal.
e) estado aparente: parecer
Marta parece melhor.
Ela parece triste.
Ela está triste.
Ela continua triste.
Ela é triste.
Ela anda triste.
Ela se tornou triste.
Repare nas frases:
Eles são nossos amigos.
Eles estão preocupados.
Eles viraram vegetarianos.
Eles viraram na esquina.
Eles não estão aqui.
Não esqueça:
Um verbo só poderá ser analisado
como DE LIGAÇÃO se, de fato,
funcionar como ponte entre um
SUJEITO e o seu PREDICATIVO.
Observação: a classificação do verbo quanto à
predicação deve ser feita de acordo com o contexto e
não isoladamente. Um mesmo verbo pode aparecer
ora como intransitivo, ora como de ligação. Veja:
1 - O jovem anda devagar.
anda = verbo intransitivo, expressa uma ação.
2 - O jovem anda preocupado.
anda= verbo de ligação, expressa um estado.
Classificação do predicado
Para o estudo do predicado, é necessário verificar se seu núcleo significativo está num nome
ou num verbo. Além disso, devemos considerar se as palavras que formam o predicado referem-se
apenas ao verbo ou também ao sujeito da oração. Veja o exemplo abaixo:
Os animais necessitam de cuidados especiais.
Sujeito Predicado
O predicado, apesar de ser formado por muitas palavras, apresenta apenas uma que se refere
ao sujeito:necessitam. As demais palavras ligam-se direta ou indiretamente ao verbo (necessitar é,
no caso, de algo), que assume, assim, o papel de núcleo significativo do predicado.
Classificação do predicado
A natureza é bela.
Sujeito Predicado
No exemplo acima, o nome bela se refere, por intermédio do verbo, ao sujeito da oração. O
verbo agora atua como elemento de ligação entre sujeito e a palavra a ele relacionada. O núcleo do
predicado é bela. Veja o próximo exemplo:
O dia amanheceu ensolarado.
Sujeito Predicado
Percebemos que as duas palavras que formam o predicado estão diretamente relacionadas ao
sujeito: amanheceu (verbo significativo) e ensolarado (nome que se refere ao sujeito). O predicado
apresenta, portanto, dois núcleos: amanheceu e ensolarado.
Tomando por base o núcleo do que está sendo declarado, podemos reconhecer três tipos de
predicado: verbal,nominal e verbo-nominal.
Predicado Verbal
Apresenta as seguintes características:
a) Tem um verbo como núcleo;
b) Não possui predicativo do sujeito (termo que caracteriza o sujeito da oração);
c) Indica ação.
Por exemplo:
Eles revelaram toda a verdade para a filha.
Predicado Verbal
Para ser núcleo do predicado verbal, é necessário que o verbo seja significativo, isto é, que
traga uma ideia de ação. Veja os exemplos abaixo:
O dia clareou. (núcleo do predicado verbal = clareou)
Chove muito nos estados do sul do país. (núcleo do predicado verbal = Chove)
Ocorreu um acidente naquela rua. (núcleo do predicado verbal = Ocorreu)
A antiga casa foi demolida. (núcleo do predicado verbal = demolida)
PREDICADO NOMINAL
Apresenta as seguintes características:
a) Possui um nome (substantivo ou adjetivo) como núcleo;
b) É formado por um verbo de ligação mais o predicativo do sujeito;
c) Indica estado ou qualidade.
Por Exemplo:
Leonardo é competente.
Predicado Nominal
No predicado nominal, o núcleo é sempre um nome, que desempenha a função de
predicativo do sujeito. O predicativo do sujeito é um termo que caracteriza o sujeito, tendo como
intermediário um verbo de ligação. Veja:
Ele está triste. (triste = predicativo do sujeito, está = verbo de ligação)
A natureza é bela. (bela = predicativo do sujeito, é = verbo de ligação)
O homem parecia nervoso. (nervoso = predicativo do sujeito, parecia = verbo de ligação)
Nosso herói acabou derrotado. (derrotado = predicativo do sujeito, acabou = verbo de ligação)
Predicado Verbo-Nominal
Apresenta as seguintes características:
a) Possui dois núcleos: um verbo e um nome;
b) Possui predicativo do sujeito ou do objeto;
c) Indica ação ou atividade do sujeito e uma qualidade.
Por Exemplo:
Os alunos saíram da aula alegres.
Predicado Verbo-Nominal
O predicado é verbo-nominal porque seus núcleos são um verbo (saíram - verbo intransitivo),
que indica uma ação praticada pelo sujeito, e um predicativo do sujeito (alegres), que indica o
estado do sujeito no momento em que se desenvolve o processo verbal.
ESTRUTURA DO PREDICADO VERBO-NOMINAL
O predicado verbo-nominal pode ser formado de:
1 - Verbo Intransitivo + Predicativo do Sujeito
Por Exemplo:
Joana partiu contente.
Sujeito Verbo Intransitivo Predicativo do Sujeito
2 - Verbo Transitivo + Objeto + Predicativo do Objeto
Por Exemplo:
A despedida deixou a mãe aflita.
Sujeito Verbo Transitivo Objeto Direto Predicativo do Objeto
3 - Verbo Transitivo + Objeto + Predicativo do Sujeito
Por Exemplo:
Os alunos cantaram emocionados aquela canção.
Sujeito Verbo Transitivo Predicativo do Sujeito Objeto Direto

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Verbos
VerbosVerbos
Verbos
whybells
 
Período Composto por Coordenação e Subordinação
Período Composto por Coordenação e SubordinaçãoPeríodo Composto por Coordenação e Subordinação
Período Composto por Coordenação e Subordinação
Joyce de Oliveira
 
Regência nominal e verbal
Regência nominal e verbalRegência nominal e verbal
Regência nominal e verbal
Sadrak Silva
 
Orações reduzidas
Orações reduzidasOrações reduzidas
Orações reduzidas
sandra
 
Oracoes Coordenadas
Oracoes CoordenadasOracoes Coordenadas
Oracoes Coordenadas
guest7174ad
 
Adverbio
AdverbioAdverbio
Adverbio
Karla Costa
 
Estrutura e formação das palavras
Estrutura e formação das palavrasEstrutura e formação das palavras
Estrutura e formação das palavras
Keu Oliveira
 
Transitividade verbal
Transitividade verbalTransitividade verbal
Transitividade verbal
PaolaLins
 
Aposto e vocativo
Aposto e vocativoAposto e vocativo
Aposto e vocativo
Cynthia Funchal
 
Adjunto Adnominal
Adjunto AdnominalAdjunto Adnominal
Adjunto Adnominal
Aliffer Murillo Laguna
 
Adjunto adverbial, Adjunto adnominal e Complemento Nominal
Adjunto adverbial, Adjunto adnominal e Complemento NominalAdjunto adverbial, Adjunto adnominal e Complemento Nominal
Adjunto adverbial, Adjunto adnominal e Complemento Nominal
Cynthia Funchal
 
Orações adjetivas
Orações adjetivasOrações adjetivas
Orações adjetivas
Cassandra Cruz
 
Orações Subordinadas Substantivas
Orações Subordinadas SubstantivasOrações Subordinadas Substantivas
Orações Subordinadas Substantivas
Blog Estudo
 
Orações subordinadas substantivas
Orações subordinadas substantivasOrações subordinadas substantivas
Orações subordinadas substantivas
Carolina Loçasso Pereira
 
Artigo aula 8
Artigo   aula 8Artigo   aula 8
Artigo aula 8
Alice Silva
 
Predicado
PredicadoPredicado
Transitividade verbal
Transitividade verbalTransitividade verbal
Transitividade verbal
Flávio Ferreira
 
Slide onde e aonde
Slide  onde e aondeSlide  onde e aonde
Slide onde e aonde
lahanarafisa
 
AdvéRbios
AdvéRbiosAdvéRbios
AdvéRbios
Mara Virginia
 
Verbos
Verbos  Verbos
Verbos
Juliana Mota
 

Mais procurados (20)

Verbos
VerbosVerbos
Verbos
 
Período Composto por Coordenação e Subordinação
Período Composto por Coordenação e SubordinaçãoPeríodo Composto por Coordenação e Subordinação
Período Composto por Coordenação e Subordinação
 
Regência nominal e verbal
Regência nominal e verbalRegência nominal e verbal
Regência nominal e verbal
 
Orações reduzidas
Orações reduzidasOrações reduzidas
Orações reduzidas
 
Oracoes Coordenadas
Oracoes CoordenadasOracoes Coordenadas
Oracoes Coordenadas
 
Adverbio
AdverbioAdverbio
Adverbio
 
Estrutura e formação das palavras
Estrutura e formação das palavrasEstrutura e formação das palavras
Estrutura e formação das palavras
 
Transitividade verbal
Transitividade verbalTransitividade verbal
Transitividade verbal
 
Aposto e vocativo
Aposto e vocativoAposto e vocativo
Aposto e vocativo
 
Adjunto Adnominal
Adjunto AdnominalAdjunto Adnominal
Adjunto Adnominal
 
Adjunto adverbial, Adjunto adnominal e Complemento Nominal
Adjunto adverbial, Adjunto adnominal e Complemento NominalAdjunto adverbial, Adjunto adnominal e Complemento Nominal
Adjunto adverbial, Adjunto adnominal e Complemento Nominal
 
Orações adjetivas
Orações adjetivasOrações adjetivas
Orações adjetivas
 
Orações Subordinadas Substantivas
Orações Subordinadas SubstantivasOrações Subordinadas Substantivas
Orações Subordinadas Substantivas
 
Orações subordinadas substantivas
Orações subordinadas substantivasOrações subordinadas substantivas
Orações subordinadas substantivas
 
Artigo aula 8
Artigo   aula 8Artigo   aula 8
Artigo aula 8
 
Predicado
PredicadoPredicado
Predicado
 
Transitividade verbal
Transitividade verbalTransitividade verbal
Transitividade verbal
 
Slide onde e aonde
Slide  onde e aondeSlide  onde e aonde
Slide onde e aonde
 
AdvéRbios
AdvéRbiosAdvéRbios
AdvéRbios
 
Verbos
Verbos  Verbos
Verbos
 

Destaque

Tópicos de sintaxe
Tópicos de sintaxeTópicos de sintaxe
Tópicos de sintaxe
Greice Lisian Folk Fonseca
 
Tipos de predicados
Tipos de predicadosTipos de predicados
Tipos de predicados
Dany Pimentel
 
Predicão verbal
Predicão verbalPredicão verbal
Predicão verbal
Sônia Marques
 
Predicação verbal
Predicação verbal Predicação verbal
Predicação verbal
Edson Alves
 
Sujeito e predicado
Sujeito e predicadoSujeito e predicado
Sujeito e predicado
Neily Alves
 
Predicação Verbal
Predicação VerbalPredicação Verbal
Predicação Verbal
Laura Penha
 
Predicação verbal
Predicação verbal Predicação verbal
Predicação verbal
Sâmara Souza de Azevedo
 
Aula de predicado verbal
Aula de predicado verbalAula de predicado verbal
Aula de predicado verbal
elaniasf
 
Análise sintática
Análise sintáticaAnálise sintática
Análise sintática
Lidiane Rodrigues
 
Predicação verbal
Predicação verbalPredicação verbal
Predicação verbal
Mara Virginia
 
Complemento verbal
Complemento verbalComplemento verbal
Complemento verbal
Simone Peixoto
 
Aula de transitividade verbal
Aula de transitividade verbalAula de transitividade verbal
Aula de transitividade verbal
Monica Montenegro
 
Revisão inicial 9º ano.
Revisão inicial 9º ano.Revisão inicial 9º ano.
Revisão inicial 9º ano.
Carolina Loçasso Pereira
 
Transitividade Verbal
Transitividade VerbalTransitividade Verbal
Transitividade Verbal
Angela Santos
 
Sujeito, Núcleo do Sujeito, Predicado e Predicativo.
Sujeito, Núcleo do Sujeito, Predicado e Predicativo.Sujeito, Núcleo do Sujeito, Predicado e Predicativo.
Sujeito, Núcleo do Sujeito, Predicado e Predicativo.
Ana Paula Brisolar
 
Funções de linguagem
Funções de linguagemFunções de linguagem
Funções de linguagem
Lilian Lima
 
Funções sintáticas e modificadores
Funções sintáticas e modificadoresFunções sintáticas e modificadores
Funções sintáticas e modificadores
Margarida Tomaz
 
Funções da linguagem
Funções da linguagemFunções da linguagem
Funções da linguagem
Verônica Carvalho
 
Funções sintáticas da frase
Funções sintáticas da fraseFunções sintáticas da frase
Funções sintáticas da frase
Vanda Marques
 

Destaque (19)

Tópicos de sintaxe
Tópicos de sintaxeTópicos de sintaxe
Tópicos de sintaxe
 
Tipos de predicados
Tipos de predicadosTipos de predicados
Tipos de predicados
 
Predicão verbal
Predicão verbalPredicão verbal
Predicão verbal
 
Predicação verbal
Predicação verbal Predicação verbal
Predicação verbal
 
Sujeito e predicado
Sujeito e predicadoSujeito e predicado
Sujeito e predicado
 
Predicação Verbal
Predicação VerbalPredicação Verbal
Predicação Verbal
 
Predicação verbal
Predicação verbal Predicação verbal
Predicação verbal
 
Aula de predicado verbal
Aula de predicado verbalAula de predicado verbal
Aula de predicado verbal
 
Análise sintática
Análise sintáticaAnálise sintática
Análise sintática
 
Predicação verbal
Predicação verbalPredicação verbal
Predicação verbal
 
Complemento verbal
Complemento verbalComplemento verbal
Complemento verbal
 
Aula de transitividade verbal
Aula de transitividade verbalAula de transitividade verbal
Aula de transitividade verbal
 
Revisão inicial 9º ano.
Revisão inicial 9º ano.Revisão inicial 9º ano.
Revisão inicial 9º ano.
 
Transitividade Verbal
Transitividade VerbalTransitividade Verbal
Transitividade Verbal
 
Sujeito, Núcleo do Sujeito, Predicado e Predicativo.
Sujeito, Núcleo do Sujeito, Predicado e Predicativo.Sujeito, Núcleo do Sujeito, Predicado e Predicativo.
Sujeito, Núcleo do Sujeito, Predicado e Predicativo.
 
Funções de linguagem
Funções de linguagemFunções de linguagem
Funções de linguagem
 
Funções sintáticas e modificadores
Funções sintáticas e modificadoresFunções sintáticas e modificadores
Funções sintáticas e modificadores
 
Funções da linguagem
Funções da linguagemFunções da linguagem
Funções da linguagem
 
Funções sintáticas da frase
Funções sintáticas da fraseFunções sintáticas da frase
Funções sintáticas da frase
 

Semelhante a Predicado

14ª lista de exercícios português
14ª lista de exercícios   português14ª lista de exercícios   português
14ª lista de exercícios português
José M Lourenço
 
Tipos de predicado
Tipos de predicadoTipos de predicado
Tipos de predicado
Itamar Franco
 
Sintaxe do períododo simples
Sintaxe do períododo simplesSintaxe do períododo simples
Sintaxe do períododo simples
Aprova Saúde
 
AnáLise SintáTica 3 Em
AnáLise SintáTica 3 EmAnáLise SintáTica 3 Em
AnáLise SintáTica 3 Em
Brenda Tacchelli
 
PORTUGUES
PORTUGUESPORTUGUES
PORTUGUES
EDILENE CABRAL
 
Sujeito e predicado
Sujeito e predicadoSujeito e predicado
Sujeito e predicado
ricardo melo
 
transitividade.pdf
transitividade.pdftransitividade.pdf
transitividade.pdf
AnaPaulaJorgeDeOlive1
 
4 apostila analise sintatico
4 apostila analise sintatico4 apostila analise sintatico
4 apostila analise sintatico
maria edineuma marreira
 
Aula 03 predicação verbal e complementos verbais
Aula 03   predicação verbal e complementos verbaisAula 03   predicação verbal e complementos verbais
Aula 03 predicação verbal e complementos verbais
Jonatas Carlos
 
Estudo do Predicado
Estudo do PredicadoEstudo do Predicado
Estudo do Predicado
Sâmara Souza de Azevedo
 
Gramática - Predicação Verbal e Complementos Verbais
Gramática - Predicação Verbal e Complementos VerbaisGramática - Predicação Verbal e Complementos Verbais
Gramática - Predicação Verbal e Complementos Verbais
Carson Souza
 
Sujeito
SujeitoSujeito
Período simples.pptx
Período simples.pptxPeríodo simples.pptx
Período simples.pptx
GabrielVictor4010
 
Estudo do predicado
Estudo do predicadoEstudo do predicado
Estudo do predicado
Sâmara Souza de Azevedo
 
Tipos de predicados
Tipos de predicadosTipos de predicados
Tipos de predicados
Dany Pimentel
 
Aula 13
Aula 13Aula 13
Aula 13
gsbq
 
Predicados
PredicadosPredicados
Predicados
SEDF
 
Termos da oração
Termos da oraçãoTermos da oração
Termos da oração
Carla Farinha
 
Elementos Da OraçãO
Elementos Da OraçãOElementos Da OraçãO
Elementos Da OraçãO
Escola EB 2,3 de S.Lourenço
 
Orações subordianada substantivas subjetivas
Orações subordianada substantivas subjetivasOrações subordianada substantivas subjetivas
Orações subordianada substantivas subjetivas
Cyntia Borges
 

Semelhante a Predicado (20)

14ª lista de exercícios português
14ª lista de exercícios   português14ª lista de exercícios   português
14ª lista de exercícios português
 
Tipos de predicado
Tipos de predicadoTipos de predicado
Tipos de predicado
 
Sintaxe do períododo simples
Sintaxe do períododo simplesSintaxe do períododo simples
Sintaxe do períododo simples
 
AnáLise SintáTica 3 Em
AnáLise SintáTica 3 EmAnáLise SintáTica 3 Em
AnáLise SintáTica 3 Em
 
PORTUGUES
PORTUGUESPORTUGUES
PORTUGUES
 
Sujeito e predicado
Sujeito e predicadoSujeito e predicado
Sujeito e predicado
 
transitividade.pdf
transitividade.pdftransitividade.pdf
transitividade.pdf
 
4 apostila analise sintatico
4 apostila analise sintatico4 apostila analise sintatico
4 apostila analise sintatico
 
Aula 03 predicação verbal e complementos verbais
Aula 03   predicação verbal e complementos verbaisAula 03   predicação verbal e complementos verbais
Aula 03 predicação verbal e complementos verbais
 
Estudo do Predicado
Estudo do PredicadoEstudo do Predicado
Estudo do Predicado
 
Gramática - Predicação Verbal e Complementos Verbais
Gramática - Predicação Verbal e Complementos VerbaisGramática - Predicação Verbal e Complementos Verbais
Gramática - Predicação Verbal e Complementos Verbais
 
Sujeito
SujeitoSujeito
Sujeito
 
Período simples.pptx
Período simples.pptxPeríodo simples.pptx
Período simples.pptx
 
Estudo do predicado
Estudo do predicadoEstudo do predicado
Estudo do predicado
 
Tipos de predicados
Tipos de predicadosTipos de predicados
Tipos de predicados
 
Aula 13
Aula 13Aula 13
Aula 13
 
Predicados
PredicadosPredicados
Predicados
 
Termos da oração
Termos da oraçãoTermos da oração
Termos da oração
 
Elementos Da OraçãO
Elementos Da OraçãOElementos Da OraçãO
Elementos Da OraçãO
 
Orações subordianada substantivas subjetivas
Orações subordianada substantivas subjetivasOrações subordianada substantivas subjetivas
Orações subordianada substantivas subjetivas
 

Mais de Andriane Cursino

Resumos obras - Romantismo
Resumos obras - RomantismoResumos obras - Romantismo
Resumos obras - Romantismo
Andriane Cursino
 
Simple present tense - Answers
Simple present tense - AnswersSimple present tense - Answers
Simple present tense - Answers
Andriane Cursino
 
Gabarito - Romantismo
Gabarito -  RomantismoGabarito -  Romantismo
Gabarito - Romantismo
Andriane Cursino
 
Romantismo - Prosa
Romantismo - ProsaRomantismo - Prosa
Romantismo - Prosa
Andriane Cursino
 
2ª e 3ª geração romântica
2ª e 3ª geração romântica2ª e 3ª geração romântica
2ª e 3ª geração romântica
Andriane Cursino
 
Romantismo - introdução e 1ª geração
Romantismo - introdução e 1ª geraçãoRomantismo - introdução e 1ª geração
Romantismo - introdução e 1ª geração
Andriane Cursino
 
Exercises simple past - Answers
Exercises simple past - AnswersExercises simple past - Answers
Exercises simple past - Answers
Andriane Cursino
 
Gabarito Barroco/ Arcadismo
Gabarito Barroco/ ArcadismoGabarito Barroco/ Arcadismo
Gabarito Barroco/ Arcadismo
Andriane Cursino
 
Quinhentismo
QuinhentismoQuinhentismo
Quinhentismo
Andriane Cursino
 
Camões / Os Lusíadas
Camões / Os LusíadasCamões / Os Lusíadas
Camões / Os Lusíadas
Andriane Cursino
 
Classicismo / Renascimento
Classicismo / RenascimentoClassicismo / Renascimento
Classicismo / Renascimento
Andriane Cursino
 
O velho da horta - Gil Vicente
O velho da horta - Gil VicenteO velho da horta - Gil Vicente
O velho da horta - Gil Vicente
Andriane Cursino
 
Farsa de Inês Pereira - Gil Vicente
Farsa de Inês Pereira - Gil VicenteFarsa de Inês Pereira - Gil Vicente
Farsa de Inês Pereira - Gil Vicente
Andriane Cursino
 
Humanismo - Literatura
Humanismo - LiteraturaHumanismo - Literatura
Humanismo - Literatura
Andriane Cursino
 
Função do paralelismo nas cantigas (trovadorismo)
Função do paralelismo nas cantigas (trovadorismo)Função do paralelismo nas cantigas (trovadorismo)
Função do paralelismo nas cantigas (trovadorismo)
Andriane Cursino
 
O PARALELISMO COMO RECURSO ESTILÍSTICO DAS CANTIGAS DE MARTIM CODAX
O PARALELISMO COMO RECURSO ESTILÍSTICO DAS CANTIGAS DE MARTIM CODAXO PARALELISMO COMO RECURSO ESTILÍSTICO DAS CANTIGAS DE MARTIM CODAX
O PARALELISMO COMO RECURSO ESTILÍSTICO DAS CANTIGAS DE MARTIM CODAX
Andriane Cursino
 
Trovadorismo
TrovadorismoTrovadorismo
Trovadorismo
Andriane Cursino
 
Exercícios sobre gêneros literários
Exercícios sobre gêneros literáriosExercícios sobre gêneros literários
Exercícios sobre gêneros literários
Andriane Cursino
 
Modernismo (1945 - atuais) 3ª fase / Concretismo
Modernismo (1945 - atuais) 3ª fase / ConcretismoModernismo (1945 - atuais) 3ª fase / Concretismo
Modernismo (1945 - atuais) 3ª fase / Concretismo
Andriane Cursino
 
2ª fase Modernismo (1930-1945)
2ª fase Modernismo (1930-1945) 2ª fase Modernismo (1930-1945)
2ª fase Modernismo (1930-1945)
Andriane Cursino
 

Mais de Andriane Cursino (20)

Resumos obras - Romantismo
Resumos obras - RomantismoResumos obras - Romantismo
Resumos obras - Romantismo
 
Simple present tense - Answers
Simple present tense - AnswersSimple present tense - Answers
Simple present tense - Answers
 
Gabarito - Romantismo
Gabarito -  RomantismoGabarito -  Romantismo
Gabarito - Romantismo
 
Romantismo - Prosa
Romantismo - ProsaRomantismo - Prosa
Romantismo - Prosa
 
2ª e 3ª geração romântica
2ª e 3ª geração romântica2ª e 3ª geração romântica
2ª e 3ª geração romântica
 
Romantismo - introdução e 1ª geração
Romantismo - introdução e 1ª geraçãoRomantismo - introdução e 1ª geração
Romantismo - introdução e 1ª geração
 
Exercises simple past - Answers
Exercises simple past - AnswersExercises simple past - Answers
Exercises simple past - Answers
 
Gabarito Barroco/ Arcadismo
Gabarito Barroco/ ArcadismoGabarito Barroco/ Arcadismo
Gabarito Barroco/ Arcadismo
 
Quinhentismo
QuinhentismoQuinhentismo
Quinhentismo
 
Camões / Os Lusíadas
Camões / Os LusíadasCamões / Os Lusíadas
Camões / Os Lusíadas
 
Classicismo / Renascimento
Classicismo / RenascimentoClassicismo / Renascimento
Classicismo / Renascimento
 
O velho da horta - Gil Vicente
O velho da horta - Gil VicenteO velho da horta - Gil Vicente
O velho da horta - Gil Vicente
 
Farsa de Inês Pereira - Gil Vicente
Farsa de Inês Pereira - Gil VicenteFarsa de Inês Pereira - Gil Vicente
Farsa de Inês Pereira - Gil Vicente
 
Humanismo - Literatura
Humanismo - LiteraturaHumanismo - Literatura
Humanismo - Literatura
 
Função do paralelismo nas cantigas (trovadorismo)
Função do paralelismo nas cantigas (trovadorismo)Função do paralelismo nas cantigas (trovadorismo)
Função do paralelismo nas cantigas (trovadorismo)
 
O PARALELISMO COMO RECURSO ESTILÍSTICO DAS CANTIGAS DE MARTIM CODAX
O PARALELISMO COMO RECURSO ESTILÍSTICO DAS CANTIGAS DE MARTIM CODAXO PARALELISMO COMO RECURSO ESTILÍSTICO DAS CANTIGAS DE MARTIM CODAX
O PARALELISMO COMO RECURSO ESTILÍSTICO DAS CANTIGAS DE MARTIM CODAX
 
Trovadorismo
TrovadorismoTrovadorismo
Trovadorismo
 
Exercícios sobre gêneros literários
Exercícios sobre gêneros literáriosExercícios sobre gêneros literários
Exercícios sobre gêneros literários
 
Modernismo (1945 - atuais) 3ª fase / Concretismo
Modernismo (1945 - atuais) 3ª fase / ConcretismoModernismo (1945 - atuais) 3ª fase / Concretismo
Modernismo (1945 - atuais) 3ª fase / Concretismo
 
2ª fase Modernismo (1930-1945)
2ª fase Modernismo (1930-1945) 2ª fase Modernismo (1930-1945)
2ª fase Modernismo (1930-1945)
 

Último

Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdfIdeais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Anesio2
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
arodatos81
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
C4io99
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Mary Alvarenga
 
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsxSe A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Luzia Gabriele
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
pattyhsilva271204
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
LeilaVilasboas
 
NR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.ppt
NR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.pptNR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.ppt
NR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.ppt
Vanessa F. Rezende
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Centro Jacques Delors
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
LuizHenriquedeAlmeid6
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
Sandra Pratas
 
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptxA perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
marcos oliveira
 
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptxSlides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
mozalgebrista
 
Seminário de Gestão Pública e Defesa Civil
Seminário de Gestão Pública e Defesa CivilSeminário de Gestão Pública e Defesa Civil
Seminário de Gestão Pública e Defesa Civil
EduardoLealSilva
 
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Falcão Brasil
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Colaborar Educacional
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
felipescherner
 
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 

Último (20)

Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdfIdeais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
 
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsxSe A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
 
NR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.ppt
NR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.pptNR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.ppt
NR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.ppt
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
 
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptxA perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
 
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptxSlides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
 
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
 
Seminário de Gestão Pública e Defesa Civil
Seminário de Gestão Pública e Defesa CivilSeminário de Gestão Pública e Defesa Civil
Seminário de Gestão Pública e Defesa Civil
 
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
 
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
 
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
 

Predicado

  • 2. Predicado Predicado é aquilo que se declara a respeito do sujeito. Nele é obrigatória a presença de um verbo ou locução verbal. Quando se identifica o sujeito de uma oração, identifica-se também o predicado. Em termos, tudo o que difere do sujeito (e do vocativo, quando ocorrer) numa oração é o seu predicado. Veja alguns exemplos: As mulheres compraram roupas novas. Predicado Durante o ano, muitos alunos desistem do curso. Predicado Predicado A natureza é bela. Predicado
  • 3. Predicação verbal Chama-se predicação verbal o resultado da ligação que se estabelece entre o sujeito e o verbo e entre os verbos e os complementos. Quanto à predicação, os verbos podem ser transitivos, intransitivos ou de ligação.
  • 4. Verbos Transitivos São verbos que não podem constituir o predicado sozinhos, exigindo, portanto, um COMPLEMENTO. 1) A intérprete estudou a letra da música. 2) Vani pensava no antigo namorado. 3) Eles enviaram o convite para você.
  • 5. Transitivos diretos Verbos que necessitam de um complemento ligado a eles SEM preposição (objeto direto). Nós estudamos matemática. Eu faço samba e amor até mais tarde e tenho muito sono de manhã. (Chico Buarque)
  • 7. ESTRUTURA ARGUMENTATIVA DE UM V.T.D. (sujeito) X faz Y (complemento) X compra Y X conhece Y X vende Y X percebe Y X vê Y
  • 8. Transitivos Indiretos Verbos que necessitam de um complemento ligado a eles COM preposição (objeto indireto). 1) Mônica dependia dos pais. 2) Ele pensava nos antigos amigos. 3) Nós desistimos da candidatura. 4) A bondosa mãe intercedeu pelo filho.
  • 9. ESTRUTURA ARGUMENTATIVA DE UM V.T.I. (sujeito) X precisa de Y (complemento) X necessita de Y X pensa em Y X depende de Y X intercede por Y X acredita em Y
  • 10. Transitivos diretos e indiretos (bitransitivos) Verbos que necessitam dos DOIS complementos, o OD e o OI. 1) Neusa ofereceu ajuda ao vizinho. 2) Nós entregamos as notas aos alunos. 3) Cátia solicitou ajuda aos amigos. 4) Eles escreveram cartas para a mãe.
  • 11. ESTRUTURA ARGUMENTATIVA DE UM V.T.D. E I. (sujeito) X envia Y a Z (complementos) X solicita Y a Z X escreve Y para Z X entrega Y para Z X oferece Y para Z X conta Y para Z
  • 12. Verbos Intransitivos São verbos que podem constituir o predicado sozinhos, pois têm sentido completo, sem a necessidade de um complemento. Morreram de causa desconhecida. Como é bom viver! Alguma coisa estranha aconteceu.
  • 13. “Fico besta com quem perde a compostura por não gostar de algo ou alguém: tão mais simples desconectar. Não ouça, não leia, não prestigie. Dê atenção ao que tem sintonia com você. E toque sua vida, sem agredir.” (Martha Medeiros)
  • 14. ESTRUTURA ARGUMENTATIVA DE UM V.I. (sujeito) X vive. X morre. X dança. X cai. X acontece. X mente.
  • 15. IMPORTANTE É sempre o CONTEXTO FRASAL que vai determinar qual é a estrutura argumentativa do verbo que nela figura. Alguns verbos apresentam mais de uma predicação dependendo do contexto em que são empregados.
  • 16. Observe estes exemplos: Ela dança realmente muito bem. Sílvia dança samba como ninguém. Aquela mulher mente demais. A mãe mentia muito para os filhos.
  • 17. Verbos de ligação São verbos que servem para estabelecer uma ligação entre o sujeito e um termo que expressa qualidades desse sujeito (predicativo do sujeito). Maristela continuava inquieta. Celeste era uma moça encantadora. Os dois permaneceram calados.
  • 18. PREDICATIVO DO SUJEITO Pode ser representado por: a) Adjetivo ou locução adjetiva: Por Exemplo: O seu telefonema foi especial. (especial = adjetivo) Este bolo está sem sabor. (sem sabor = locução adjetiva) b) Substantivo ou palavra substantivada: Por Exemplo: Esta figura parece um peixe. (peixe = substantivo) Amar é um eterno recomeçar. (recomeçar = verbo substantivado) c) Pronome Substantivo: Por Exemplo: Meu boletim não é esse. (esse = pronome substantivo) d) Numeral: Por Exemplo: Nós somos dez ao todo. (dez = numeral)
  • 19. Verbos de estado = verbos de ligação SER, ESTAR, PERMANECER, FICAR, TORNAR-SE, ANDAR, PARECER, VIRAR, CONTINUAR… Ligam um estado (característica) ao sujeito da oração.
  • 20. O verbo de ligação pode expressar: a) estado permanente: ser, viver. Sandra é alegre. Sandra vive alegre. b) estado transitório: estar, andar, achar-se, encontrar-se Mamãe está bem. Mamãe encontra-se bem. c) estado mutatório: ficar, virar, tornar-se, fazer-se Júlia ficou brava. Júlia fez-se brava. d) continuidade de estado: continuar, permanecer Renato continua mal. Renato permanece mal. e) estado aparente: parecer Marta parece melhor.
  • 21. Ela parece triste. Ela está triste. Ela continua triste. Ela é triste. Ela anda triste. Ela se tornou triste.
  • 22. Repare nas frases: Eles são nossos amigos. Eles estão preocupados. Eles viraram vegetarianos. Eles viraram na esquina. Eles não estão aqui.
  • 23. Não esqueça: Um verbo só poderá ser analisado como DE LIGAÇÃO se, de fato, funcionar como ponte entre um SUJEITO e o seu PREDICATIVO.
  • 24. Observação: a classificação do verbo quanto à predicação deve ser feita de acordo com o contexto e não isoladamente. Um mesmo verbo pode aparecer ora como intransitivo, ora como de ligação. Veja: 1 - O jovem anda devagar. anda = verbo intransitivo, expressa uma ação. 2 - O jovem anda preocupado. anda= verbo de ligação, expressa um estado.
  • 25. Classificação do predicado Para o estudo do predicado, é necessário verificar se seu núcleo significativo está num nome ou num verbo. Além disso, devemos considerar se as palavras que formam o predicado referem-se apenas ao verbo ou também ao sujeito da oração. Veja o exemplo abaixo: Os animais necessitam de cuidados especiais. Sujeito Predicado O predicado, apesar de ser formado por muitas palavras, apresenta apenas uma que se refere ao sujeito:necessitam. As demais palavras ligam-se direta ou indiretamente ao verbo (necessitar é, no caso, de algo), que assume, assim, o papel de núcleo significativo do predicado.
  • 26. Classificação do predicado A natureza é bela. Sujeito Predicado No exemplo acima, o nome bela se refere, por intermédio do verbo, ao sujeito da oração. O verbo agora atua como elemento de ligação entre sujeito e a palavra a ele relacionada. O núcleo do predicado é bela. Veja o próximo exemplo: O dia amanheceu ensolarado. Sujeito Predicado Percebemos que as duas palavras que formam o predicado estão diretamente relacionadas ao sujeito: amanheceu (verbo significativo) e ensolarado (nome que se refere ao sujeito). O predicado apresenta, portanto, dois núcleos: amanheceu e ensolarado. Tomando por base o núcleo do que está sendo declarado, podemos reconhecer três tipos de predicado: verbal,nominal e verbo-nominal.
  • 27. Predicado Verbal Apresenta as seguintes características: a) Tem um verbo como núcleo; b) Não possui predicativo do sujeito (termo que caracteriza o sujeito da oração); c) Indica ação. Por exemplo: Eles revelaram toda a verdade para a filha. Predicado Verbal Para ser núcleo do predicado verbal, é necessário que o verbo seja significativo, isto é, que traga uma ideia de ação. Veja os exemplos abaixo: O dia clareou. (núcleo do predicado verbal = clareou) Chove muito nos estados do sul do país. (núcleo do predicado verbal = Chove) Ocorreu um acidente naquela rua. (núcleo do predicado verbal = Ocorreu) A antiga casa foi demolida. (núcleo do predicado verbal = demolida)
  • 28. PREDICADO NOMINAL Apresenta as seguintes características: a) Possui um nome (substantivo ou adjetivo) como núcleo; b) É formado por um verbo de ligação mais o predicativo do sujeito; c) Indica estado ou qualidade. Por Exemplo: Leonardo é competente. Predicado Nominal No predicado nominal, o núcleo é sempre um nome, que desempenha a função de predicativo do sujeito. O predicativo do sujeito é um termo que caracteriza o sujeito, tendo como intermediário um verbo de ligação. Veja: Ele está triste. (triste = predicativo do sujeito, está = verbo de ligação) A natureza é bela. (bela = predicativo do sujeito, é = verbo de ligação) O homem parecia nervoso. (nervoso = predicativo do sujeito, parecia = verbo de ligação) Nosso herói acabou derrotado. (derrotado = predicativo do sujeito, acabou = verbo de ligação)
  • 29. Predicado Verbo-Nominal Apresenta as seguintes características: a) Possui dois núcleos: um verbo e um nome; b) Possui predicativo do sujeito ou do objeto; c) Indica ação ou atividade do sujeito e uma qualidade. Por Exemplo: Os alunos saíram da aula alegres. Predicado Verbo-Nominal O predicado é verbo-nominal porque seus núcleos são um verbo (saíram - verbo intransitivo), que indica uma ação praticada pelo sujeito, e um predicativo do sujeito (alegres), que indica o estado do sujeito no momento em que se desenvolve o processo verbal.
  • 30. ESTRUTURA DO PREDICADO VERBO-NOMINAL O predicado verbo-nominal pode ser formado de: 1 - Verbo Intransitivo + Predicativo do Sujeito Por Exemplo: Joana partiu contente. Sujeito Verbo Intransitivo Predicativo do Sujeito 2 - Verbo Transitivo + Objeto + Predicativo do Objeto Por Exemplo: A despedida deixou a mãe aflita. Sujeito Verbo Transitivo Objeto Direto Predicativo do Objeto 3 - Verbo Transitivo + Objeto + Predicativo do Sujeito Por Exemplo: Os alunos cantaram emocionados aquela canção. Sujeito Verbo Transitivo Predicativo do Sujeito Objeto Direto