SlideShare uma empresa Scribd logo
1.2 – Pessoa e cultura 
E s t e p r o f e s s o r e s c r e v e e m d e s a c o r d o c o m o A c o r d o
1.2 – Pessoa e cultura 
• CULTURA – O QUE É ? 
• Sentido corrente 
Conjunto de conhecimentos em domínios considerados «nobres» . 
Ex: considera-se culta uma pessoa que domine bem 
conhecimentos de literatura, filosofia, música ou arte. 
• Sentido sociológico 
Conjunto de maneiras de pensar, sentir e agir específicas de um 
grupo social 
Ex: cumprimentar baixando a cabeça com respeito, comer peixe 
cru, praticar o desporto “sumo” e colocar os interesses 
colectivos acima dos individuais são alguns dos traços da 
cultura japonesa. 
E s t e p r o f e s s o r e s c r e v e e m d e s a c o r d o c o m o A c o r d o
1.2 – Pessoa e cultura 
• Em termos antropológicos (e na sociedade ocidental) 
cultura é também sinónimo de nação, povo ou etnia, existindo por 
vezes dentro de uma certa cultura conjuntos de subculturas 
• Em resumo e em sentido mais restrito 
• qualquer manifestação de hábitos ou costumes da vida do dia a dia, 
como a gastronomia, a maneira de vestir, as artes e os ofícios, entre 
outros, é sentida como manifestações culturais, ou seja, facetas do 
conhecimento e da tradição de uma sociedade. 
• é muitas vezes impossível definir as fronteiras da cultura ou das 
culturas, nomeadamente com significados, costumes e hábitos 
pouco estanques. 
• Na realidade, a cultura é, na maior parte das vezes, uma realidade 
mutante e evolutiva que tanto pode ser um factor de aglutinação, 
como é o caso das novas tecnologias que funcionam como factores 
de globalização, como de separação ao estabelecer fossos cada 
vez mais profundos entre os seres humanos. 
E s t e p r o f e s s o r e s c r e v e e m d e s a c o r d o c o m o A c o r d o
As vantagens da cultura 
Seria um erro pensar que o Homem desenvolve a cultura por puro capricho. Ele obteve 
muitas vantagens reais com as suas invenções extrabiológicas. 
Destas, nenhuma é mais importante do que a flexibilidade na luta com o ambiente. 
Enquanto todos os mamíferos têm algum meio biológico que lhes permite manterem-se 
quentes, só os seres humanos podem adaptar casas, meios de aquecimento ou vestuário 
que proporcionam grande variedade de maneiras culturais de conservar o calor.[ ... ] 
Outra vantagem importante da cultura é a maneira pela qual ela pode apoiar a fraqueza 
biológica ou, até certo ponto, executar o trabalho da biologia. Antes de cultura ter 
atingido um alto grau de eficiência, o Homem não tinha maneira de tornar saborosos os 
alimentos que eram impróprios para serem comidos no seu estado natural; se desejava 
deslocar-se com pressa a um local distante não tinha outro recurso a não ser correr ou 
ser carregado por outros; [ ... ] Hoje em dia cada um desses assuntos pode ser tratado de 
outra forma: a arte de cozinhar e outros métodos de preparação de alimentos tornam 
comestíveis muitas coisas que previamente eram impróprias para o consumo humano; as 
pessoas que desejam alcançar depressa locais distantes empregam toda a espécie de 
veículos, em vez de correrem ou de serem transportadas por outros seres humanos [ ... ]. 
Mischa Titiev, Introdução à Antropologia Cultural, pp. 15-16 
1.2 – Pessoa e cultura 
E s t e p r o f e s s o r e s c r e v e e m d e s a c o r d o c o m o A c o r d o
A CULTURA COMO RESPOSTA ADAPTATIVA 
1.2 – Pessoa e cultura 
Se compararmos um bebé de 6 meses e um cachorro ou um bezerro com igual idade, 
imediatamente reparamos que o bebé dificilmente sobreviveria sem o acompanhamento 
dos pais, enquanto que qualquer animal com aquela idade sobrevive autonomamente. 
Ao fim de algumas horas, um bezerro aguenta-se de pé; quanto ao bebé, iremos ter de 
esperar bastantes meses antes que isso aconteça. Existe, pois, uma fragilidade biológica 
inicial no caso do ser humano. 
Será através das relações com os outros, integrado no meio protector da família, 
cooperando em sociedade, desenvolvendo um mundo de artifícios técnicos e 
tecnológicos que o Homem irá vencer e progredir num meio que também possui, a par 
de oportunidades, os seus obstáculos e perigos. 
A cultura irá ajudar a compensar as debilidades genéticas e biológicas e a vencer as 
ameaças do meio, dominando a Natureza. 
À medida que progride, o papel da cultura vai ser cada vez maior, ajudando o Homem a 
adaptar o meio e a Natureza às suas necessidades e aspirações, tornando o mundo cada 
vez mais habitável.
1.2 – Pessoa e cultura 
Na análise dos elementos culturais é comum a separação entre a 
cultura material 
ou seja os elementos que têm uma concretização física: 
monumentos, livros, pinturas, trajes, instrumentos ……. 
e a cultura imaterial 
que compreende elementos vivenciais como são os valores, as 
normas, as tradições ou as crenças de um povo. 
E s t e p r o f e s s o r e s c r e v e e m d e s a c o r d o c o m o A c o r d o
1.2 – Pessoa e cultura 
Elementos da 
cultura 
Elementos materiais 
casas 
alimentos 
templos/igrejas 
Elementos imateriais 
arquitectura 
gastronomia 
religião 
E s t e p r o f e s s o r e s c r e v e e m d e s a c o r d o c o m o A c o r d o
1.2 – Pessoa e cultura 
• Padrões de cultura: 
Conjuntos específicos de maneiras de pensar, sentir e 
agir e exclusivos dos grupos sociais. 
Os padrões de cultura – como o modo de vestir, a 
alimentação, as crenças ou os valores – permitem-nos 
identificar pessoas como pertencentes a esta ou aquela 
cultura. Os padrões de cultura são os elementos culturais 
tidos como normais no seio de uma comunidade, de uma 
cultura. Quanto mais diferem duas culturas mais evidentes 
serão os padrões de cultura de cada uma. 
E s t e p r o f e s s o r e s c r e v e e m d e s a c o r d o c o m o A c o r d o
1.2 – Pessoa e cultura 
Ao longo dos séculos o contínuo contacto entre povos 
promoveu a troca de elementos culturais entre si, numa 
permanente recriação da cultura. 
Na relação entre diferentes culturas ocorre por vezes o 
processo de aculturação. A aculturação é a adaptação 
global de um grupo populacional a outra cultura que não a 
sua. 
E s t e p r o f e s s o r e s c r e v e e m d e s a c o r d o c o m o A c o r d o
1.2 – Pessoa e cultura 
Actualmente, com o progresso tecnológico, 
principalmente na área das TIC e dos transportes, 
acontece um fenómeno complexo que se designou de 
“globalização” e que veio intensificar o fenómeno da 
ACULTURAÇÃO 
Como em tudo na vida, a aculturação possui aspectos 
POSITIVOS 
Na medida em que, em contacto com a diversidade, 
as culturas vão ficando enriquecidas. 
NEGATIVOS 
Se se perderem muitos dos seus traços culturais, 
correm a cultura o risco de desaparecer. 
Podendo haver a perda ou destruição do património 
cultural. DESCULTURAÇÃO 
E s t e p r o f e s s o r e s c r e v e e m d e s a c o r d o c o m o A c o r d o
1.2 – Pessoa e cultura 
Assim, perante toda a diversidade cultural existente no 
planeta, e perante o crescente contacto (mesmo sem ser 
in loco) entre as diferentes culturas, torna-se inevitável 
que se originem “sentimentos” e atitudes em relação às 
diversas culturas. 
Essas atitudes podem assumir vários aspectos, como por 
exemplo: 
 Etnocentrismo; 
 Relativismo cultural; 
 Xenofobia; 
 Racismo; 
 …e outras variantes. 
E s t e p r o f e s s o r e s c r e v e e m d e s a c o r d o c o m o A c o r d o
1.2 – Pessoa e cultura 
ETNOCENTRISMO 
É a atitude, uma visão do mundo, pela qual um 
indivíduo, ou um grupo, toma como referência os 
valores partilhados no seu próprio grupo, quando 
avalia os mais variados assuntos. Dito de outra 
forma, é uma atitude que encara o próprio grupo 
como se fosse o centro da realidade. Pode assumir 
formas bastante exageradas, levando a sentimentos 
de superioridade relativamente a outros grupos, 
etnias, nacionalidades, etc… 
E s t e p r o f e s s o r e s c r e v e e m d e s a c o r d o c o m o A c o r d o
1.2 – Pessoa e cultura 
E s t e p r o f e s s o r e s c r e v e e m d e s a c o r d o c o m o A c o r d o
1.2 – Pessoa e cultura 
RACISMO 
teoria que afirma a superioridade de 
certas raças e nela assenta a 
defesa do direito de dominar ou 
mesmo suprimir as outras 
E s t e p r o f e s s o r e s c r e v e e m d e s a c o r d o c o m o A c o r d o
1.2 – Pessoa e cultura 
… um pouco de tudo 
Skinhead 
jovens com o cabelo rapado que normalmente pertence a um grupo 
que manifesta comportamento violento e defende posições racistas; 
cabeça-rapada 
Nazismo e neo-nazismo 
doutrina político-social, de carácter totalitário, baseada em ideias 
de superioridade de raça, cujos princípios foram adoptados pelo 
Partido Nacional-Socialista, fundado por Hitler na Alemanha; 
nacional-socialismo 
E s t e p r o f e s s o r e s c r e v e e m d e s a c o r d o c o m o A c o r d o
1.2 – Pessoa e cultura 
E subculturas …. 
E s t e p r o f e s s o r e s c r e v e e m d e s a c o r d o c o m o A c o r d o
1.2 – Pessoa e cultura 
E s t e p r o f e s s o r e s c r e v e e m d e s a c o r d o c o m o A c o r d o
1.2 – Pessoa e cultura 
E s t e p r o f e s s o r e s c r e v e e m d e s a c o r d o c o m o A c o r d o

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Vantagens e desvantagens da globalização
Vantagens e desvantagens da globalizaçãoVantagens e desvantagens da globalização
Vantagens e desvantagens da globalização
Zé Stinson
 
Identidade regional
Identidade regionalIdentidade regional
Identidade regional
cattonia
 
Identidade cultural
Identidade culturalIdentidade cultural
Identidade cultural
MariaGabrielaBorgesd
 
Direitos humanos
Direitos humanosDireitos humanos
Direitos humanos
Luis De Sousa Rodrigues
 
Socialização
SocializaçãoSocialização
Socialização
Biaa
 
Direitos Humanos
Direitos HumanosDireitos Humanos
Direitos Humanos
MINV
 
A comunicação e a construção do indivíduo
A comunicação e a construção do indivíduoA comunicação e a construção do indivíduo
A comunicação e a construção do indivíduo
Nuno Cunha
 
Distribuição da população portuguesa
Distribuição da população portuguesaDistribuição da população portuguesa
Distribuição da população portuguesa
Ilda Bicacro
 
Diversidade Cultural
Diversidade CulturalDiversidade Cultural
Diversidade Cultural
Paula Melo
 
Pessoa e personalidade portoed
Pessoa e personalidade portoedPessoa e personalidade portoed
Pessoa e personalidade portoed
aintazambuja
 
Globalização cultural
Globalização culturalGlobalização cultural
Globalização cultural
Jessie1r98
 
Área de Integração - Tema - Identidade Regional Módulo 1
Área de Integração - Tema - Identidade Regional Módulo 1Área de Integração - Tema - Identidade Regional Módulo 1
Área de Integração - Tema - Identidade Regional Módulo 1
LilyLx
 
A socialização
A socializaçãoA socialização
A socialização
aintazambuja
 
Papéis e estatutos sociais
Papéis e estatutos sociaisPapéis e estatutos sociais
Papéis e estatutos sociais
Núriaa Gourgel
 
Trabalho feito globalizacao
Trabalho feito globalizacaoTrabalho feito globalizacao
Trabalho feito globalizacao
Viegas Constantino Ripanga
 
Deseq regionais.pptx
Deseq regionais.pptxDeseq regionais.pptx
Deseq regionais.pptx
cattonia
 
Sociologia identidade cultural
Sociologia   identidade culturalSociologia   identidade cultural
Sociologia identidade cultural
Gustavo Soares
 
Area de integracao modulo 6
Area de integracao   modulo 6Area de integracao   modulo 6
Area de integracao modulo 6
Alfredo Garcia
 
Globalização cultural
Globalização culturalGlobalização cultural
Globalização cultural
Alexandra Soares
 
Cultura
CulturaCultura

Mais procurados (20)

Vantagens e desvantagens da globalização
Vantagens e desvantagens da globalizaçãoVantagens e desvantagens da globalização
Vantagens e desvantagens da globalização
 
Identidade regional
Identidade regionalIdentidade regional
Identidade regional
 
Identidade cultural
Identidade culturalIdentidade cultural
Identidade cultural
 
Direitos humanos
Direitos humanosDireitos humanos
Direitos humanos
 
Socialização
SocializaçãoSocialização
Socialização
 
Direitos Humanos
Direitos HumanosDireitos Humanos
Direitos Humanos
 
A comunicação e a construção do indivíduo
A comunicação e a construção do indivíduoA comunicação e a construção do indivíduo
A comunicação e a construção do indivíduo
 
Distribuição da população portuguesa
Distribuição da população portuguesaDistribuição da população portuguesa
Distribuição da população portuguesa
 
Diversidade Cultural
Diversidade CulturalDiversidade Cultural
Diversidade Cultural
 
Pessoa e personalidade portoed
Pessoa e personalidade portoedPessoa e personalidade portoed
Pessoa e personalidade portoed
 
Globalização cultural
Globalização culturalGlobalização cultural
Globalização cultural
 
Área de Integração - Tema - Identidade Regional Módulo 1
Área de Integração - Tema - Identidade Regional Módulo 1Área de Integração - Tema - Identidade Regional Módulo 1
Área de Integração - Tema - Identidade Regional Módulo 1
 
A socialização
A socializaçãoA socialização
A socialização
 
Papéis e estatutos sociais
Papéis e estatutos sociaisPapéis e estatutos sociais
Papéis e estatutos sociais
 
Trabalho feito globalizacao
Trabalho feito globalizacaoTrabalho feito globalizacao
Trabalho feito globalizacao
 
Deseq regionais.pptx
Deseq regionais.pptxDeseq regionais.pptx
Deseq regionais.pptx
 
Sociologia identidade cultural
Sociologia   identidade culturalSociologia   identidade cultural
Sociologia identidade cultural
 
Area de integracao modulo 6
Area de integracao   modulo 6Area de integracao   modulo 6
Area de integracao modulo 6
 
Globalização cultural
Globalização culturalGlobalização cultural
Globalização cultural
 
Cultura
CulturaCultura
Cultura
 

Destaque

Pessoa e Cultura - Luís Rodrigues
Pessoa e Cultura - Luís RodriguesPessoa e Cultura - Luís Rodrigues
Pessoa e Cultura - Luís Rodrigues
Nuno Cunha
 
Pessoa e cultura
Pessoa e culturaPessoa e cultura
Pessoa e cultura
Tânia Pinho
 
Ficha Informativa 1 Pessoa E Cultura
Ficha Informativa   1 Pessoa E CulturaFicha Informativa   1 Pessoa E Cultura
Ficha Informativa 1 Pessoa E Cultura
abarros
 
Pessoa e cultura
Pessoa e culturaPessoa e cultura
Pessoa e cultura
Telmo Santos
 
Ficha Informativa 2 Pessoa E Cultura
Ficha Informativa   2 Pessoa E CulturaFicha Informativa   2 Pessoa E Cultura
Ficha Informativa 2 Pessoa E Cultura
abarros
 
Identidade regional
 Identidade regional Identidade regional
Identidade regional
teresacasquilho
 
Identidade regional
Identidade regionalIdentidade regional
Identidade regional
Marco Caetano
 
Escola cultura e personalidade
Escola cultura e personalidadeEscola cultura e personalidade
Escola cultura e personalidade
ozgauche
 
Trabalho - Identidade Regional
Trabalho - Identidade RegionalTrabalho - Identidade Regional
Trabalho - Identidade Regional
profsecretariadoescacilhastejo
 
A diversidade cultural
A diversidade culturalA diversidade cultural
A diversidade cultural
Paulo Gomes
 
Modulo 5 actividade 2
Modulo 5 actividade 2Modulo 5 actividade 2
Modulo 5 actividade 2
Karyn XP
 
Ser humano agente social e produtor de cultura
Ser humano agente social e produtor de culturaSer humano agente social e produtor de cultura
Ser humano agente social e produtor de cultura
Tom Marinho
 
Power point espaço europeu
Power point espaço europeuPower point espaço europeu
Power point espaço europeu
mariasilva3851
 
Libertismo
Libertismo Libertismo
Libertismo
Isabel Moura
 
Identidade regional
Identidade regionalIdentidade regional
Identidade regional
Bruno Rafael Tavares Sousa
 
O solo sagrado e sua identidade slides
O solo sagrado e sua identidade slidesO solo sagrado e sua identidade slides
O solo sagrado e sua identidade slides
Márcio Cantalicio
 
Identidade regional
Identidade regionalIdentidade regional
Identidade regional
Mariana Rei Ferreira
 
FICHA DE LEITURA - TURISMO
FICHA DE LEITURA - TURISMOFICHA DE LEITURA - TURISMO
FICHA DE LEITURA - TURISMO
abarros
 
Influência da globalização na educação
Influência da globalização na educaçãoInfluência da globalização na educação
Influência da globalização na educação
RoseColombero
 
Formas geométricas
Formas geométricasFormas geométricas
Formas geométricas
Tah Roany
 

Destaque (20)

Pessoa e Cultura - Luís Rodrigues
Pessoa e Cultura - Luís RodriguesPessoa e Cultura - Luís Rodrigues
Pessoa e Cultura - Luís Rodrigues
 
Pessoa e cultura
Pessoa e culturaPessoa e cultura
Pessoa e cultura
 
Ficha Informativa 1 Pessoa E Cultura
Ficha Informativa   1 Pessoa E CulturaFicha Informativa   1 Pessoa E Cultura
Ficha Informativa 1 Pessoa E Cultura
 
Pessoa e cultura
Pessoa e culturaPessoa e cultura
Pessoa e cultura
 
Ficha Informativa 2 Pessoa E Cultura
Ficha Informativa   2 Pessoa E CulturaFicha Informativa   2 Pessoa E Cultura
Ficha Informativa 2 Pessoa E Cultura
 
Identidade regional
 Identidade regional Identidade regional
Identidade regional
 
Identidade regional
Identidade regionalIdentidade regional
Identidade regional
 
Escola cultura e personalidade
Escola cultura e personalidadeEscola cultura e personalidade
Escola cultura e personalidade
 
Trabalho - Identidade Regional
Trabalho - Identidade RegionalTrabalho - Identidade Regional
Trabalho - Identidade Regional
 
A diversidade cultural
A diversidade culturalA diversidade cultural
A diversidade cultural
 
Modulo 5 actividade 2
Modulo 5 actividade 2Modulo 5 actividade 2
Modulo 5 actividade 2
 
Ser humano agente social e produtor de cultura
Ser humano agente social e produtor de culturaSer humano agente social e produtor de cultura
Ser humano agente social e produtor de cultura
 
Power point espaço europeu
Power point espaço europeuPower point espaço europeu
Power point espaço europeu
 
Libertismo
Libertismo Libertismo
Libertismo
 
Identidade regional
Identidade regionalIdentidade regional
Identidade regional
 
O solo sagrado e sua identidade slides
O solo sagrado e sua identidade slidesO solo sagrado e sua identidade slides
O solo sagrado e sua identidade slides
 
Identidade regional
Identidade regionalIdentidade regional
Identidade regional
 
FICHA DE LEITURA - TURISMO
FICHA DE LEITURA - TURISMOFICHA DE LEITURA - TURISMO
FICHA DE LEITURA - TURISMO
 
Influência da globalização na educação
Influência da globalização na educaçãoInfluência da globalização na educação
Influência da globalização na educação
 
Formas geométricas
Formas geométricasFormas geométricas
Formas geométricas
 

Semelhante a Ai 1 2_pessoa e cultura

CONCEITO_ANTROPOLOGICO_DE_CULTURA.ppt
CONCEITO_ANTROPOLOGICO_DE_CULTURA.pptCONCEITO_ANTROPOLOGICO_DE_CULTURA.ppt
CONCEITO_ANTROPOLOGICO_DE_CULTURA.ppt
RubensMartins36
 
Cultura e diversidade cultural
Cultura e diversidade culturalCultura e diversidade cultural
Cultura e diversidade cultural
Antonio Tavares
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
aulasgege
 
Trabalho de sociologia
Trabalho de sociologiaTrabalho de sociologia
Trabalho de sociologia
Edvilson Itb
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
aulasgege
 
Cultura sociologia. 3 ano 1 semestre parcial
Cultura sociologia. 3 ano 1 semestre parcialCultura sociologia. 3 ano 1 semestre parcial
Cultura sociologia. 3 ano 1 semestre parcial
EEEP MCVM - Secretariado 3'
 
Sociologia, Cultura e Sociedade.ppSociologia, Cultura e Sociedadetx
Sociologia, Cultura e Sociedade.ppSociologia, Cultura e SociedadetxSociologia, Cultura e Sociedade.ppSociologia, Cultura e Sociedadetx
Sociologia, Cultura e Sociedade.ppSociologia, Cultura e Sociedadetx
marioaraujorosas1
 
Cultura
CulturaCultura
Cultura
Jornal Ovale
 
CULTURA.ppt
CULTURA.pptCULTURA.ppt
CULTURA.ppt
JosWilliam14
 
Sociologia1
Sociologia1Sociologia1
Sociologia1
Edvilson Itb
 
Antropologia e o desenvolvimento antropológico do conceito de cultura
Antropologia e o desenvolvimento antropológico do conceito de culturaAntropologia e o desenvolvimento antropológico do conceito de cultura
Antropologia e o desenvolvimento antropológico do conceito de cultura
NathanDosSantos7
 
O Ser Humano e sua Dimensão Cultural (1).pdf
O Ser Humano e sua Dimensão Cultural (1).pdfO Ser Humano e sua Dimensão Cultural (1).pdf
O Ser Humano e sua Dimensão Cultural (1).pdf
Luziane Santos
 
Questões de antropologia_01
Questões de antropologia_01Questões de antropologia_01
Questões de antropologia_01
roberto mosca junior
 
Sociologia1
Sociologia1Sociologia1
Sociologia1
Edvilson Itb
 
Matrizes culturais I
Matrizes culturais IMatrizes culturais I
Matrizes culturais I
felipedacarpereira
 
Aula 01 - Cultura e suas definições, no senso comum, na sociologia e na antro...
Aula 01 - Cultura e suas definições, no senso comum, na sociologia e na antro...Aula 01 - Cultura e suas definições, no senso comum, na sociologia e na antro...
Aula 01 - Cultura e suas definições, no senso comum, na sociologia e na antro...
ssuser2af87a
 
Sociologia unidade V
Sociologia unidade VSociologia unidade V
Sociologia unidade V
joao paulo
 
Cp aula 4
Cp aula 4Cp aula 4
Cp aula 4
Maira Conde
 
cultura e alteridadade (itinerário).pptx
cultura e alteridadade (itinerário).pptxcultura e alteridadade (itinerário).pptx
cultura e alteridadade (itinerário).pptx
Antonio Gilberto De Aquino e Silva
 
Sociologia cultura - 2º ano- estudar para prova
Sociologia  cultura - 2º ano- estudar para provaSociologia  cultura - 2º ano- estudar para prova
Sociologia cultura - 2º ano- estudar para prova
Socorro Vasconcelos
 

Semelhante a Ai 1 2_pessoa e cultura (20)

CONCEITO_ANTROPOLOGICO_DE_CULTURA.ppt
CONCEITO_ANTROPOLOGICO_DE_CULTURA.pptCONCEITO_ANTROPOLOGICO_DE_CULTURA.ppt
CONCEITO_ANTROPOLOGICO_DE_CULTURA.ppt
 
Cultura e diversidade cultural
Cultura e diversidade culturalCultura e diversidade cultural
Cultura e diversidade cultural
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
 
Trabalho de sociologia
Trabalho de sociologiaTrabalho de sociologia
Trabalho de sociologia
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
 
Cultura sociologia. 3 ano 1 semestre parcial
Cultura sociologia. 3 ano 1 semestre parcialCultura sociologia. 3 ano 1 semestre parcial
Cultura sociologia. 3 ano 1 semestre parcial
 
Sociologia, Cultura e Sociedade.ppSociologia, Cultura e Sociedadetx
Sociologia, Cultura e Sociedade.ppSociologia, Cultura e SociedadetxSociologia, Cultura e Sociedade.ppSociologia, Cultura e Sociedadetx
Sociologia, Cultura e Sociedade.ppSociologia, Cultura e Sociedadetx
 
Cultura
CulturaCultura
Cultura
 
CULTURA.ppt
CULTURA.pptCULTURA.ppt
CULTURA.ppt
 
Sociologia1
Sociologia1Sociologia1
Sociologia1
 
Antropologia e o desenvolvimento antropológico do conceito de cultura
Antropologia e o desenvolvimento antropológico do conceito de culturaAntropologia e o desenvolvimento antropológico do conceito de cultura
Antropologia e o desenvolvimento antropológico do conceito de cultura
 
O Ser Humano e sua Dimensão Cultural (1).pdf
O Ser Humano e sua Dimensão Cultural (1).pdfO Ser Humano e sua Dimensão Cultural (1).pdf
O Ser Humano e sua Dimensão Cultural (1).pdf
 
Questões de antropologia_01
Questões de antropologia_01Questões de antropologia_01
Questões de antropologia_01
 
Sociologia1
Sociologia1Sociologia1
Sociologia1
 
Matrizes culturais I
Matrizes culturais IMatrizes culturais I
Matrizes culturais I
 
Aula 01 - Cultura e suas definições, no senso comum, na sociologia e na antro...
Aula 01 - Cultura e suas definições, no senso comum, na sociologia e na antro...Aula 01 - Cultura e suas definições, no senso comum, na sociologia e na antro...
Aula 01 - Cultura e suas definições, no senso comum, na sociologia e na antro...
 
Sociologia unidade V
Sociologia unidade VSociologia unidade V
Sociologia unidade V
 
Cp aula 4
Cp aula 4Cp aula 4
Cp aula 4
 
cultura e alteridadade (itinerário).pptx
cultura e alteridadade (itinerário).pptxcultura e alteridadade (itinerário).pptx
cultura e alteridadade (itinerário).pptx
 
Sociologia cultura - 2º ano- estudar para prova
Sociologia  cultura - 2º ano- estudar para provaSociologia  cultura - 2º ano- estudar para prova
Sociologia cultura - 2º ano- estudar para prova
 

Mais de Carlos Henrique Tavares

Classificações do turismo
Classificações do turismoClassificações do turismo
Classificações do turismo
Carlos Henrique Tavares
 
Cheias e inundações
Cheias e inundaçõesCheias e inundações
Cheias e inundações
Carlos Henrique Tavares
 
1 3 a comunicacao
1 3  a comunicacao1 3  a comunicacao
1 3 a comunicacao
Carlos Henrique Tavares
 
Ébola
ÉbolaÉbola
AI subtema 8.2
AI subtema 8.2AI subtema 8.2
AI subtema 8.2
Carlos Henrique Tavares
 
Area integracao - subtema 2_3 - A construcao da democracia
Area integracao - subtema 2_3 - A construcao da democraciaArea integracao - subtema 2_3 - A construcao da democracia
Area integracao - subtema 2_3 - A construcao da democracia
Carlos Henrique Tavares
 

Mais de Carlos Henrique Tavares (6)

Classificações do turismo
Classificações do turismoClassificações do turismo
Classificações do turismo
 
Cheias e inundações
Cheias e inundaçõesCheias e inundações
Cheias e inundações
 
1 3 a comunicacao
1 3  a comunicacao1 3  a comunicacao
1 3 a comunicacao
 
Ébola
ÉbolaÉbola
Ébola
 
AI subtema 8.2
AI subtema 8.2AI subtema 8.2
AI subtema 8.2
 
Area integracao - subtema 2_3 - A construcao da democracia
Area integracao - subtema 2_3 - A construcao da democraciaArea integracao - subtema 2_3 - A construcao da democracia
Area integracao - subtema 2_3 - A construcao da democracia
 

Último

TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
ProfessoraTatianaT
 
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdfAula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
AntonioAngeloNeves
 
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Mary Alvarenga
 
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....pptA Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
WilianeBarbosa2
 
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdfAula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
Marília Pacheco
 
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.pptFUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
MarceloMonteiro213738
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
beatrizsilva525654
 
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
samucajaime015
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
fran0410
 
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
CarlosJean21
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
Eró Cunha
 
A importância das conjunções- Ensino Médio
A importância das conjunções- Ensino MédioA importância das conjunções- Ensino Médio
A importância das conjunções- Ensino Médio
nunesly
 
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
vinibolado86
 
Atividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docxAtividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docx
MARCELARUBIAGAVA
 
Gênero Textual sobre Crônicas, 8º e 9º
Gênero Textual sobre Crônicas,  8º e  9ºGênero Textual sobre Crônicas,  8º e  9º
Gênero Textual sobre Crônicas, 8º e 9º
sjcelsorocha
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Simone399395
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
Manuais Formação
 
AUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃO
AUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃOAUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃO
AUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃO
FernandaOliveira758273
 
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdfUFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
Manuais Formação
 

Último (20)

TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
 
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdfAula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
 
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
 
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....pptA Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
 
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdfAula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
 
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.pptFUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
 
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
 
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
 
A importância das conjunções- Ensino Médio
A importância das conjunções- Ensino MédioA importância das conjunções- Ensino Médio
A importância das conjunções- Ensino Médio
 
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
 
Atividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docxAtividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docx
 
Gênero Textual sobre Crônicas, 8º e 9º
Gênero Textual sobre Crônicas,  8º e  9ºGênero Textual sobre Crônicas,  8º e  9º
Gênero Textual sobre Crônicas, 8º e 9º
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
 
AUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃO
AUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃOAUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃO
AUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃO
 
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdfUFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
 

Ai 1 2_pessoa e cultura

  • 1. 1.2 – Pessoa e cultura E s t e p r o f e s s o r e s c r e v e e m d e s a c o r d o c o m o A c o r d o
  • 2. 1.2 – Pessoa e cultura • CULTURA – O QUE É ? • Sentido corrente Conjunto de conhecimentos em domínios considerados «nobres» . Ex: considera-se culta uma pessoa que domine bem conhecimentos de literatura, filosofia, música ou arte. • Sentido sociológico Conjunto de maneiras de pensar, sentir e agir específicas de um grupo social Ex: cumprimentar baixando a cabeça com respeito, comer peixe cru, praticar o desporto “sumo” e colocar os interesses colectivos acima dos individuais são alguns dos traços da cultura japonesa. E s t e p r o f e s s o r e s c r e v e e m d e s a c o r d o c o m o A c o r d o
  • 3. 1.2 – Pessoa e cultura • Em termos antropológicos (e na sociedade ocidental) cultura é também sinónimo de nação, povo ou etnia, existindo por vezes dentro de uma certa cultura conjuntos de subculturas • Em resumo e em sentido mais restrito • qualquer manifestação de hábitos ou costumes da vida do dia a dia, como a gastronomia, a maneira de vestir, as artes e os ofícios, entre outros, é sentida como manifestações culturais, ou seja, facetas do conhecimento e da tradição de uma sociedade. • é muitas vezes impossível definir as fronteiras da cultura ou das culturas, nomeadamente com significados, costumes e hábitos pouco estanques. • Na realidade, a cultura é, na maior parte das vezes, uma realidade mutante e evolutiva que tanto pode ser um factor de aglutinação, como é o caso das novas tecnologias que funcionam como factores de globalização, como de separação ao estabelecer fossos cada vez mais profundos entre os seres humanos. E s t e p r o f e s s o r e s c r e v e e m d e s a c o r d o c o m o A c o r d o
  • 4. As vantagens da cultura Seria um erro pensar que o Homem desenvolve a cultura por puro capricho. Ele obteve muitas vantagens reais com as suas invenções extrabiológicas. Destas, nenhuma é mais importante do que a flexibilidade na luta com o ambiente. Enquanto todos os mamíferos têm algum meio biológico que lhes permite manterem-se quentes, só os seres humanos podem adaptar casas, meios de aquecimento ou vestuário que proporcionam grande variedade de maneiras culturais de conservar o calor.[ ... ] Outra vantagem importante da cultura é a maneira pela qual ela pode apoiar a fraqueza biológica ou, até certo ponto, executar o trabalho da biologia. Antes de cultura ter atingido um alto grau de eficiência, o Homem não tinha maneira de tornar saborosos os alimentos que eram impróprios para serem comidos no seu estado natural; se desejava deslocar-se com pressa a um local distante não tinha outro recurso a não ser correr ou ser carregado por outros; [ ... ] Hoje em dia cada um desses assuntos pode ser tratado de outra forma: a arte de cozinhar e outros métodos de preparação de alimentos tornam comestíveis muitas coisas que previamente eram impróprias para o consumo humano; as pessoas que desejam alcançar depressa locais distantes empregam toda a espécie de veículos, em vez de correrem ou de serem transportadas por outros seres humanos [ ... ]. Mischa Titiev, Introdução à Antropologia Cultural, pp. 15-16 1.2 – Pessoa e cultura E s t e p r o f e s s o r e s c r e v e e m d e s a c o r d o c o m o A c o r d o
  • 5. A CULTURA COMO RESPOSTA ADAPTATIVA 1.2 – Pessoa e cultura Se compararmos um bebé de 6 meses e um cachorro ou um bezerro com igual idade, imediatamente reparamos que o bebé dificilmente sobreviveria sem o acompanhamento dos pais, enquanto que qualquer animal com aquela idade sobrevive autonomamente. Ao fim de algumas horas, um bezerro aguenta-se de pé; quanto ao bebé, iremos ter de esperar bastantes meses antes que isso aconteça. Existe, pois, uma fragilidade biológica inicial no caso do ser humano. Será através das relações com os outros, integrado no meio protector da família, cooperando em sociedade, desenvolvendo um mundo de artifícios técnicos e tecnológicos que o Homem irá vencer e progredir num meio que também possui, a par de oportunidades, os seus obstáculos e perigos. A cultura irá ajudar a compensar as debilidades genéticas e biológicas e a vencer as ameaças do meio, dominando a Natureza. À medida que progride, o papel da cultura vai ser cada vez maior, ajudando o Homem a adaptar o meio e a Natureza às suas necessidades e aspirações, tornando o mundo cada vez mais habitável.
  • 6. 1.2 – Pessoa e cultura Na análise dos elementos culturais é comum a separação entre a cultura material ou seja os elementos que têm uma concretização física: monumentos, livros, pinturas, trajes, instrumentos ……. e a cultura imaterial que compreende elementos vivenciais como são os valores, as normas, as tradições ou as crenças de um povo. E s t e p r o f e s s o r e s c r e v e e m d e s a c o r d o c o m o A c o r d o
  • 7. 1.2 – Pessoa e cultura Elementos da cultura Elementos materiais casas alimentos templos/igrejas Elementos imateriais arquitectura gastronomia religião E s t e p r o f e s s o r e s c r e v e e m d e s a c o r d o c o m o A c o r d o
  • 8. 1.2 – Pessoa e cultura • Padrões de cultura: Conjuntos específicos de maneiras de pensar, sentir e agir e exclusivos dos grupos sociais. Os padrões de cultura – como o modo de vestir, a alimentação, as crenças ou os valores – permitem-nos identificar pessoas como pertencentes a esta ou aquela cultura. Os padrões de cultura são os elementos culturais tidos como normais no seio de uma comunidade, de uma cultura. Quanto mais diferem duas culturas mais evidentes serão os padrões de cultura de cada uma. E s t e p r o f e s s o r e s c r e v e e m d e s a c o r d o c o m o A c o r d o
  • 9. 1.2 – Pessoa e cultura Ao longo dos séculos o contínuo contacto entre povos promoveu a troca de elementos culturais entre si, numa permanente recriação da cultura. Na relação entre diferentes culturas ocorre por vezes o processo de aculturação. A aculturação é a adaptação global de um grupo populacional a outra cultura que não a sua. E s t e p r o f e s s o r e s c r e v e e m d e s a c o r d o c o m o A c o r d o
  • 10. 1.2 – Pessoa e cultura Actualmente, com o progresso tecnológico, principalmente na área das TIC e dos transportes, acontece um fenómeno complexo que se designou de “globalização” e que veio intensificar o fenómeno da ACULTURAÇÃO Como em tudo na vida, a aculturação possui aspectos POSITIVOS Na medida em que, em contacto com a diversidade, as culturas vão ficando enriquecidas. NEGATIVOS Se se perderem muitos dos seus traços culturais, correm a cultura o risco de desaparecer. Podendo haver a perda ou destruição do património cultural. DESCULTURAÇÃO E s t e p r o f e s s o r e s c r e v e e m d e s a c o r d o c o m o A c o r d o
  • 11. 1.2 – Pessoa e cultura Assim, perante toda a diversidade cultural existente no planeta, e perante o crescente contacto (mesmo sem ser in loco) entre as diferentes culturas, torna-se inevitável que se originem “sentimentos” e atitudes em relação às diversas culturas. Essas atitudes podem assumir vários aspectos, como por exemplo:  Etnocentrismo;  Relativismo cultural;  Xenofobia;  Racismo;  …e outras variantes. E s t e p r o f e s s o r e s c r e v e e m d e s a c o r d o c o m o A c o r d o
  • 12. 1.2 – Pessoa e cultura ETNOCENTRISMO É a atitude, uma visão do mundo, pela qual um indivíduo, ou um grupo, toma como referência os valores partilhados no seu próprio grupo, quando avalia os mais variados assuntos. Dito de outra forma, é uma atitude que encara o próprio grupo como se fosse o centro da realidade. Pode assumir formas bastante exageradas, levando a sentimentos de superioridade relativamente a outros grupos, etnias, nacionalidades, etc… E s t e p r o f e s s o r e s c r e v e e m d e s a c o r d o c o m o A c o r d o
  • 13. 1.2 – Pessoa e cultura E s t e p r o f e s s o r e s c r e v e e m d e s a c o r d o c o m o A c o r d o
  • 14. 1.2 – Pessoa e cultura RACISMO teoria que afirma a superioridade de certas raças e nela assenta a defesa do direito de dominar ou mesmo suprimir as outras E s t e p r o f e s s o r e s c r e v e e m d e s a c o r d o c o m o A c o r d o
  • 15. 1.2 – Pessoa e cultura … um pouco de tudo Skinhead jovens com o cabelo rapado que normalmente pertence a um grupo que manifesta comportamento violento e defende posições racistas; cabeça-rapada Nazismo e neo-nazismo doutrina político-social, de carácter totalitário, baseada em ideias de superioridade de raça, cujos princípios foram adoptados pelo Partido Nacional-Socialista, fundado por Hitler na Alemanha; nacional-socialismo E s t e p r o f e s s o r e s c r e v e e m d e s a c o r d o c o m o A c o r d o
  • 16. 1.2 – Pessoa e cultura E subculturas …. E s t e p r o f e s s o r e s c r e v e e m d e s a c o r d o c o m o A c o r d o
  • 17. 1.2 – Pessoa e cultura E s t e p r o f e s s o r e s c r e v e e m d e s a c o r d o c o m o A c o r d o
  • 18. 1.2 – Pessoa e cultura E s t e p r o f e s s o r e s c r e v e e m d e s a c o r d o c o m o A c o r d o