SlideShare uma empresa Scribd logo
Adolescência e Sexualidade
Autor: Rosbergue Lúcio
O que está acontecendo?
Puberdade
Puberdade é o conjunto de
modificações biológicas que
prepara o indivíduo para a
função reprodutiva.
Estas mudanças são especialmente no
aparelho reprodutor e levam a
alterações no restante do corpo.
São os chamados caracteres sexuais
secundários.
As modificações
Crescimento das
mamas
Cintura mais marcada
Alargamento dos
quadris
Pernas mais
grossas e pele mais
oleosa
Surgimento de pêlos
pubianos.
Os ovários crescem e
o primeiro óvulo
amadurece .
Crescem pêlos no
rosto
A laringe aumenta e a voz
fica mais grossa
Alargamento do tronco e ombros.
Os músculos se desenvolvem
Podem crescer
pêlos no peito
Os pêlos dos braços e
pernas ficam mais
visíveis
Os testículos crescem e o
pênis fica maior.
Nesta fase pode ocorrer a
primeira ejaculação
Início da
puberdade
Meninas:
A partir dos
9 anos
Meninos:
A partir
dos 11 anos.
O crescimento
Velocidade
de crescimento
cm/ano
Idade cronológica (em anos)
O que causa essas mudanças?
São os hormônios sexuais que fazem as mudanças
nos corpos de crianças desenvolvendo-os em corpos
adultos. Tanto os meninos e meninas produzem os
mesmo hormônios sexuais. Os principais são a
testosterona e o estrogênio.
Os meninos apresentam muitam testosterona e
pouco estrogênio.
As meninas apresentam muito estrogênio, e pouca
testosterona.
Estágios do desenvolvimento?
Por dentro do corpo
Nos Meninos
Os hormônios da hipófise fazem os testículos
crescerem, que começam produzir mais
espermatozóides e mais testosterona.
Após a puberdade produzem 200.000 - 400.000
espermatozóides por dia pelo resto de sua vida.
Os espermatozóides são armazenados em tubos em
torno dos testículos.
Eles viajam ao longo de alguns tubos e misturam-se
com os fluidos das glândulas (seminais, próstata e
bulbouretrais).
Por dentro do corpo
Nos Meninos
Espermatozóides + fluidos =
Sêmen
Ainda nos Meninos
A Ereção
O pênis se enche de
sangue para ficar ereto,
reação que tem início
quando o homem
recebe algum estímulo
erótico.
A Ereção
Pensamentos eróticos,
revistas com mulheres
nuas ou a visualização
de algo muito sensual
pode excitar os rapazes,
fazendo com que
tenham ereção do pênis.
A Ereção
Se um menino acorda e encontra uma
mancha molhada, pegajosa no
pijama, é o sêmen, saiu quando ele
estava dormindo. Isso é chamado de
“polução noturna”
Se um menino toca ou roça seu pênis
e ele fica ereto e sai sêmen. Isto é
chamado de masturbação.
Alguns rapazes têm polução noturna,
outros não.
Alguns meninos se masturbam,
outros não.
No entanto, se uma dessas coisas
acontecer não existe mal algum.
Então, o que é normal para um
garoto?
Alguns pensam em garotas, beijando-as e tocando-as.
Alguns pensam em garotos, beijando-os e tocando-os.
Alguns caras não pensam sobre nenhuma dessas coisas
Alguns namoram e se apaixonam
outros não.
Por dentro do corpo
Nas Meninas
As garotas começam a passar por ciclos
reprodutivos mensais regulados pelo
hipotálamo, hipófise e ovários. Através
de hormônios liberados por estas
glândulas, esses ciclos preparam o
sistema reprodutor para a gravidez.
Esses hormônios induzem o
crescimento dos folículos e do
endométrio.
O endométrio, se prepara durante
cada ciclo menstrual para receber o
ovo (óvulo fecundado). Se a gravidez
não ocorrer, esse tecido se desprende e
é eliminado, através da menstruação.
Ainda nas Meninas
A fecundação
As meninas nascem com centenas
de milhares de ovos pequenos,
chamados óvulos. Esses óvulos
estão na metade da sua formação.
Na puberdade, os hormônios
dizem aos ovários:
- é hora de começar a liberar
óvulos.
Normalmente, um ovo de cada vez
amadurece (desenvolve) e é
liberado de um ovário. Óvulo maduro
A Fecundação
A Fecundação
Ao mesmo tempo, no útero
começa a crescer um
revestimento espesso na
parede interna.
O revestimento, endométrio,
tem muitos vasos sanguíneos
minúsculos.
O endométrio está lá para
proteger e alimentar um óvulo
que tenha se combinado com
um espermatozóide. A união de
um óvulo e um espermatozóide
é denominada fecundação.
A Menstruação
Se um óvulo não encontrar um espermatozóide, o
revestimento do endométrio não é necessário. Então
ele se desfaz.
Misturado com um pouco de sangue que sai do útero,
na vagina e em seguida a abertura vaginal.
Se uma mulher não está grávida, em seguida, seu ovário
vai lançar outro ovo, o um novo revestimento irá se
reconstruir, se o óvulo não for fertilizado, ela tem um
outro período.
Isso é chamado de ciclo menstrual.
A Menstruação
B i l h e t i n h o s d a S o r t e
E na TPM (Tensão Pré-
Menstrual)...
Nervosa
Preocupada
Animada
Curiosa
Estranha
Deprimida
Todos os sentimentos são normais
Muitas garotas
sentem dores
abdominais, são as
cólicas também
chamada de
dismenorréia.
Quanto Tempo dura o
sangramento?
Cada mulher é diferente.
Pode variar de 3-8 dias.
Durante um período
menstrual que só perdem
algumas colheres de sopa ou
até cerca de metade de um
copo de sangue durante o
período.
Não muito.
Quando e quantas vezes
ocorre a menstruação?
Inicialmente pode não haver nenhum padrão para
quando virá a próxima menstruação.
Algumas mulheres não têm um padrão regular.
A maioria das mulheres, eventualmente, tem um ciclo
regular – que permite saber aproximadamente quando
ocorrerá a próxima menstruação.
Quando e quantas vezes
ocorre a menstruação?
A contagem de dias de um
ciclo é dada a partir do
primeiro dia de sangramento
até a próxima mentruação.
Cada pessoa é diferente,
algumas mulheres podem ter
um período de 23 dias,
algumas de 28 dias e outras
de 35 dias.
Muitas meninas possuem um
calendário para ajudá-las a
manter o controle de quando sua
menstruação virá e quanto tempo
ela dura.
O que fazer para não suja a
roupa?
A maioria das meninas
adolescentes preferem usar
absorventes na calcinha quando
começam a menstruar, algumas
meninas usam tampões,
especialmente se elas estão
envolvidos nos esportes.
Sentimentos sexuais
As meninas podem pensar ou sonhar com coisas como:
Beijar alguém
Ser tocadas
Flertando
Apaixonar-se
Pode ser alguém da idade delas, alguém mais velho,
alguém que elas conhecem ou alguém que elas
desconhecem, como uma celebridade.
Pode ser alguém do mesmo sexo ou de alguém do sexo
oposto ou ambos.
Sentimentos sexuais
Embora todo mundo faça isso de
forma diferente as meninas se
masturbam em particular,
tocando seus seios, vagina e
clitóris. É uma forma de atender
suas necessidades sexuais.
Através do estimulo as garotas
podem chegar ao orgasmo.
Isso é super normal.
Orgasmo: Quando atingimos um determinado
grau de excitação sexual, considerado máximo
para aquela ocasião, é como se nosso corpo
pedisse um "alívio" para aquela tensão gostosa
que veio crescendo na fase de excitação.
Slide baseado no material do site:
http://www.sexualityandu.ca/teachers/puberty/ppt/puberty-
girls.ppt
http://www.sexualityandu.ca/teachers/puberty/ppt/puberty-
boys.ppt
De forma que grande parte do texto apresentado aqui se deu
através da tradução e adaptação do slide original.
FIM

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Sexualidade
SexualidadeSexualidade
Sexualidade
António Morais
 
Puberdade
PuberdadePuberdade
Puberdade
pedropereiraeu
 
Sexualidade Humana - palestra
Sexualidade Humana - palestraSexualidade Humana - palestra
Sexualidade Humana - palestra
Josy Farias
 
Métodos Contraceptivos
Métodos ContraceptivosMétodos Contraceptivos
Métodos Contraceptivos
Carlos Priante
 
8 ano puberdade e adolescência
8 ano puberdade e adolescência8 ano puberdade e adolescência
8 ano puberdade e adolescência
Giselle Marques Goes
 
Educação Sexual
Educação SexualEducação Sexual
Educação Sexual
Jorge Barbosa
 
Slides infanto completo
Slides infanto completoSlides infanto completo
Slides infanto completo
Alinebrauna Brauna
 
Adolescência - Mudanças que ocorrem em nosso corpo
Adolescência - Mudanças que ocorrem em nosso corpoAdolescência - Mudanças que ocorrem em nosso corpo
Adolescência - Mudanças que ocorrem em nosso corpo
lucols
 
Como ensinar os conceitos de Sexo e de Sexualidade na escola?
Como ensinar os conceitos de Sexo e de Sexualidade na escola?Como ensinar os conceitos de Sexo e de Sexualidade na escola?
Como ensinar os conceitos de Sexo e de Sexualidade na escola?
Thiago de Almeida
 
Sexualidade
SexualidadeSexualidade
Sexualidade
guestbacc08
 
Gravidez na Adolescência
Gravidez na AdolescênciaGravidez na Adolescência
Gravidez na Adolescência
Michele Pó
 
A adolescência e a puberdade
A adolescência e a puberdadeA adolescência e a puberdade
A adolescência e a puberdade
Espaço Emrc
 
Puberdade
PuberdadePuberdade
Puberdade e Adolescência
Puberdade e AdolescênciaPuberdade e Adolescência
Puberdade e Adolescência
Juliana Gomes
 
A adolescência
A adolescênciaA adolescência
A adolescência
Roberto Nobre
 
Gravidez na adolescência
Gravidez na adolescênciaGravidez na adolescência
Gravidez na adolescência
Soraya Filipa
 
Adolescência e puberdade
Adolescência e puberdadeAdolescência e puberdade
Ciclo reprodutivo feminino
Ciclo reprodutivo femininoCiclo reprodutivo feminino
Ciclo reprodutivo feminino
Ana Claudia Cabral Chaves
 
Sexualidade
Sexualidade Sexualidade
Sexualidade
franciiscaam
 
Tudo sobre Sexualidade
Tudo sobre SexualidadeTudo sobre Sexualidade
Tudo sobre Sexualidade
Ana Luzia
 

Mais procurados (20)

Sexualidade
SexualidadeSexualidade
Sexualidade
 
Puberdade
PuberdadePuberdade
Puberdade
 
Sexualidade Humana - palestra
Sexualidade Humana - palestraSexualidade Humana - palestra
Sexualidade Humana - palestra
 
Métodos Contraceptivos
Métodos ContraceptivosMétodos Contraceptivos
Métodos Contraceptivos
 
8 ano puberdade e adolescência
8 ano puberdade e adolescência8 ano puberdade e adolescência
8 ano puberdade e adolescência
 
Educação Sexual
Educação SexualEducação Sexual
Educação Sexual
 
Slides infanto completo
Slides infanto completoSlides infanto completo
Slides infanto completo
 
Adolescência - Mudanças que ocorrem em nosso corpo
Adolescência - Mudanças que ocorrem em nosso corpoAdolescência - Mudanças que ocorrem em nosso corpo
Adolescência - Mudanças que ocorrem em nosso corpo
 
Como ensinar os conceitos de Sexo e de Sexualidade na escola?
Como ensinar os conceitos de Sexo e de Sexualidade na escola?Como ensinar os conceitos de Sexo e de Sexualidade na escola?
Como ensinar os conceitos de Sexo e de Sexualidade na escola?
 
Sexualidade
SexualidadeSexualidade
Sexualidade
 
Gravidez na Adolescência
Gravidez na AdolescênciaGravidez na Adolescência
Gravidez na Adolescência
 
A adolescência e a puberdade
A adolescência e a puberdadeA adolescência e a puberdade
A adolescência e a puberdade
 
Puberdade
PuberdadePuberdade
Puberdade
 
Puberdade e Adolescência
Puberdade e AdolescênciaPuberdade e Adolescência
Puberdade e Adolescência
 
A adolescência
A adolescênciaA adolescência
A adolescência
 
Gravidez na adolescência
Gravidez na adolescênciaGravidez na adolescência
Gravidez na adolescência
 
Adolescência e puberdade
Adolescência e puberdadeAdolescência e puberdade
Adolescência e puberdade
 
Ciclo reprodutivo feminino
Ciclo reprodutivo femininoCiclo reprodutivo feminino
Ciclo reprodutivo feminino
 
Sexualidade
Sexualidade Sexualidade
Sexualidade
 
Tudo sobre Sexualidade
Tudo sobre SexualidadeTudo sobre Sexualidade
Tudo sobre Sexualidade
 

Destaque

Afetividade apresentação cerp
Afetividade apresentação cerpAfetividade apresentação cerp
Afetividade apresentação cerp
Claudia Mara Barros
 
Adolescencia e sexualidade (1)
Adolescencia e sexualidade (1)Adolescencia e sexualidade (1)
Adolescencia e sexualidade (1)
Lulusinhah
 
Adolescencia
AdolescenciaAdolescencia
Folheto
FolhetoFolheto
Folheto
ESDPV
 
Sexualidade e afetividade 2
Sexualidade e afetividade   2Sexualidade e afetividade   2
Sexualidade e afetividade 2
familiaregsul4
 
Afetividade 2
Afetividade 2Afetividade 2
Afetividade 2
chaincoimbra
 
Sexualidade e Saúde reprodutiva.
Sexualidade e Saúde reprodutiva.Sexualidade e Saúde reprodutiva.
Sexualidade e Saúde reprodutiva.
MARISTA , UVA, FIC, FAINTER, GÊNESIS
 
Sexualidade na adolescência
Sexualidade na adolescênciaSexualidade na adolescência
Sexualidade na adolescência
blog9e
 
Slides gravidez adolescencia
Slides gravidez adolescenciaSlides gravidez adolescencia
Slides gravidez adolescencia
Antonio Junior Sousa Uchoa
 
Sexualidade para adolescentes
Sexualidade para adolescentes Sexualidade para adolescentes
Sexualidade para adolescentes
nosomos8A
 
Gravidez na adolescência
Gravidez na adolescênciaGravidez na adolescência
Gravidez na adolescência
Ana Paula Ribeiro de Oliveira
 
Sexualidade e adolescência
Sexualidade e adolescênciaSexualidade e adolescência
Sexualidade e adolescência
Dalila Melo
 
Sexualidade e afetividade 1
Sexualidade e afetividade 1Sexualidade e afetividade 1
Sexualidade e afetividade 1
Patrícia Alvarenga Sá
 
Sexualidade e afetividade
Sexualidade e afetividade Sexualidade e afetividade
Sexualidade e afetividade
Léia Adriane
 
Gravidez na adolescencia
Gravidez na adolescenciaGravidez na adolescencia
Gravidez na adolescencia
Alinebrauna Brauna
 
Slides sexualidade na adolescência (palestra infanto)
Slides sexualidade na adolescência (palestra infanto)Slides sexualidade na adolescência (palestra infanto)
Slides sexualidade na adolescência (palestra infanto)
Alinebrauna Brauna
 

Destaque (16)

Afetividade apresentação cerp
Afetividade apresentação cerpAfetividade apresentação cerp
Afetividade apresentação cerp
 
Adolescencia e sexualidade (1)
Adolescencia e sexualidade (1)Adolescencia e sexualidade (1)
Adolescencia e sexualidade (1)
 
Adolescencia
AdolescenciaAdolescencia
Adolescencia
 
Folheto
FolhetoFolheto
Folheto
 
Sexualidade e afetividade 2
Sexualidade e afetividade   2Sexualidade e afetividade   2
Sexualidade e afetividade 2
 
Afetividade 2
Afetividade 2Afetividade 2
Afetividade 2
 
Sexualidade e Saúde reprodutiva.
Sexualidade e Saúde reprodutiva.Sexualidade e Saúde reprodutiva.
Sexualidade e Saúde reprodutiva.
 
Sexualidade na adolescência
Sexualidade na adolescênciaSexualidade na adolescência
Sexualidade na adolescência
 
Slides gravidez adolescencia
Slides gravidez adolescenciaSlides gravidez adolescencia
Slides gravidez adolescencia
 
Sexualidade para adolescentes
Sexualidade para adolescentes Sexualidade para adolescentes
Sexualidade para adolescentes
 
Gravidez na adolescência
Gravidez na adolescênciaGravidez na adolescência
Gravidez na adolescência
 
Sexualidade e adolescência
Sexualidade e adolescênciaSexualidade e adolescência
Sexualidade e adolescência
 
Sexualidade e afetividade 1
Sexualidade e afetividade 1Sexualidade e afetividade 1
Sexualidade e afetividade 1
 
Sexualidade e afetividade
Sexualidade e afetividade Sexualidade e afetividade
Sexualidade e afetividade
 
Gravidez na adolescencia
Gravidez na adolescenciaGravidez na adolescencia
Gravidez na adolescencia
 
Slides sexualidade na adolescência (palestra infanto)
Slides sexualidade na adolescência (palestra infanto)Slides sexualidade na adolescência (palestra infanto)
Slides sexualidade na adolescência (palestra infanto)
 

Semelhante a Adolescência e sexualidade

Sexualidade
SexualidadeSexualidade
Sexualidade
veronicasilva
 
Sexualidade - puberdade - reprodução humana - métodos contraceptivos - dst
Sexualidade -  puberdade - reprodução humana - métodos contraceptivos - dstSexualidade -  puberdade - reprodução humana - métodos contraceptivos - dst
Sexualidade - puberdade - reprodução humana - métodos contraceptivos - dst
Ana Beatriz Cargnin
 
Gravides de ciencias lara
Gravides de ciencias laraGravides de ciencias lara
Gravides de ciencias lara
Carla Gomes
 
Sexualidade humana i_
Sexualidade humana i_Sexualidade humana i_
Sexualidade humana i_
Thamires Morais
 
A adolescência, fase de novas descobertas
A adolescência, fase de novas descobertas A adolescência, fase de novas descobertas
A adolescência, fase de novas descobertas
Elizangela Mendonça Martins
 
Desenvolvimento da sexualidade
Desenvolvimento da sexualidadeDesenvolvimento da sexualidade
Desenvolvimento da sexualidade
5feugeniocastro
 
Ciclo menstrual
Ciclo menstrualCiclo menstrual
Ciclo menstrual
tocha_turma9a
 
Sistema reprodutor
Sistema reprodutorSistema reprodutor
Sistema reprodutor
MariaJoão Agualuza
 
Sexualidade para jovens
Sexualidade para jovensSexualidade para jovens
Sexualidade para jovens
DarkWolf
 
Apres Abordagens Sexualidade
Apres Abordagens SexualidadeApres Abordagens Sexualidade
Apres Abordagens Sexualidade
Albano Novaes
 
A Sexualidade Na AdolescêNcia
A Sexualidade Na AdolescêNciaA Sexualidade Na AdolescêNcia
A Sexualidade Na AdolescêNcia
veronicasilva
 
Se és rapariga
Se és raparigaSe és rapariga
Se és rapariga
Sandra Freitas
 
Resumo sistema reprodutor
Resumo sistema reprodutor Resumo sistema reprodutor
Resumo sistema reprodutor
ladyacp
 
Esclarecendo Dúvidas Sobre Sexualidade
Esclarecendo Dúvidas Sobre SexualidadeEsclarecendo Dúvidas Sobre Sexualidade
Esclarecendo Dúvidas Sobre Sexualidade
Lord Phoenix
 
Esclarecendo Dúvidas Sobre Sexualidade
Esclarecendo Dúvidas Sobre SexualidadeEsclarecendo Dúvidas Sobre Sexualidade
Esclarecendo Dúvidas Sobre Sexualidade
guest9d8c5a
 
Sexualidade
SexualidadeSexualidade
Sexualidade
Luis
 
Esclarecendo Dúvidas Sobre Sexualidade
Esclarecendo Dúvidas Sobre SexualidadeEsclarecendo Dúvidas Sobre Sexualidade
Esclarecendo Dúvidas Sobre Sexualidade
Prof.Cristina
 
Mudanças sexuais nos adolescentes para adolescentes e jovens cristãos
Mudanças sexuais nos adolescentes para adolescentes e jovens cristãosMudanças sexuais nos adolescentes para adolescentes e jovens cristãos
Mudanças sexuais nos adolescentes para adolescentes e jovens cristãos
Glaucielen Cristina
 
Professor Gil Motta - 7a série - Sexo e reprodução humana
Professor Gil Motta - 7a série - Sexo e reprodução humanaProfessor Gil Motta - 7a série - Sexo e reprodução humana
Professor Gil Motta - 7a série - Sexo e reprodução humana
mestregil
 
Reprodução
ReproduçãoReprodução
Reprodução
Zé Luís
 

Semelhante a Adolescência e sexualidade (20)

Sexualidade
SexualidadeSexualidade
Sexualidade
 
Sexualidade - puberdade - reprodução humana - métodos contraceptivos - dst
Sexualidade -  puberdade - reprodução humana - métodos contraceptivos - dstSexualidade -  puberdade - reprodução humana - métodos contraceptivos - dst
Sexualidade - puberdade - reprodução humana - métodos contraceptivos - dst
 
Gravides de ciencias lara
Gravides de ciencias laraGravides de ciencias lara
Gravides de ciencias lara
 
Sexualidade humana i_
Sexualidade humana i_Sexualidade humana i_
Sexualidade humana i_
 
A adolescência, fase de novas descobertas
A adolescência, fase de novas descobertas A adolescência, fase de novas descobertas
A adolescência, fase de novas descobertas
 
Desenvolvimento da sexualidade
Desenvolvimento da sexualidadeDesenvolvimento da sexualidade
Desenvolvimento da sexualidade
 
Ciclo menstrual
Ciclo menstrualCiclo menstrual
Ciclo menstrual
 
Sistema reprodutor
Sistema reprodutorSistema reprodutor
Sistema reprodutor
 
Sexualidade para jovens
Sexualidade para jovensSexualidade para jovens
Sexualidade para jovens
 
Apres Abordagens Sexualidade
Apres Abordagens SexualidadeApres Abordagens Sexualidade
Apres Abordagens Sexualidade
 
A Sexualidade Na AdolescêNcia
A Sexualidade Na AdolescêNciaA Sexualidade Na AdolescêNcia
A Sexualidade Na AdolescêNcia
 
Se és rapariga
Se és raparigaSe és rapariga
Se és rapariga
 
Resumo sistema reprodutor
Resumo sistema reprodutor Resumo sistema reprodutor
Resumo sistema reprodutor
 
Esclarecendo Dúvidas Sobre Sexualidade
Esclarecendo Dúvidas Sobre SexualidadeEsclarecendo Dúvidas Sobre Sexualidade
Esclarecendo Dúvidas Sobre Sexualidade
 
Esclarecendo Dúvidas Sobre Sexualidade
Esclarecendo Dúvidas Sobre SexualidadeEsclarecendo Dúvidas Sobre Sexualidade
Esclarecendo Dúvidas Sobre Sexualidade
 
Sexualidade
SexualidadeSexualidade
Sexualidade
 
Esclarecendo Dúvidas Sobre Sexualidade
Esclarecendo Dúvidas Sobre SexualidadeEsclarecendo Dúvidas Sobre Sexualidade
Esclarecendo Dúvidas Sobre Sexualidade
 
Mudanças sexuais nos adolescentes para adolescentes e jovens cristãos
Mudanças sexuais nos adolescentes para adolescentes e jovens cristãosMudanças sexuais nos adolescentes para adolescentes e jovens cristãos
Mudanças sexuais nos adolescentes para adolescentes e jovens cristãos
 
Professor Gil Motta - 7a série - Sexo e reprodução humana
Professor Gil Motta - 7a série - Sexo e reprodução humanaProfessor Gil Motta - 7a série - Sexo e reprodução humana
Professor Gil Motta - 7a série - Sexo e reprodução humana
 
Reprodução
ReproduçãoReprodução
Reprodução
 

Mais de Bio Sem Limites

Ácidos Nucléicos
Ácidos NucléicosÁcidos Nucléicos
Ácidos Nucléicos
Bio Sem Limites
 
Lipídeos
LipídeosLipídeos
Lipídeos
Bio Sem Limites
 
Nutrientes: Carboidratos
Nutrientes: CarboidratosNutrientes: Carboidratos
Nutrientes: Carboidratos
Bio Sem Limites
 
Nomenclatura de hidrocarbonetos- Não Ramificados
Nomenclatura de hidrocarbonetos- Não RamificadosNomenclatura de hidrocarbonetos- Não Ramificados
Nomenclatura de hidrocarbonetos- Não Ramificados
Bio Sem Limites
 
Pteridófitas
PteridófitasPteridófitas
Pteridófitas
Bio Sem Limites
 
Cromossomos ( o que é um cromossomo)
Cromossomos ( o que é um cromossomo)Cromossomos ( o que é um cromossomo)
Cromossomos ( o que é um cromossomo)
Bio Sem Limites
 
Pteridófitas
PteridófitasPteridófitas
Pteridófitas
Bio Sem Limites
 
Briófitas
BriófitasBriófitas
Briófitas
Bio Sem Limites
 
Briófitas
BriófitasBriófitas
Briófitas
Bio Sem Limites
 
Matéria e suas propriedades
Matéria e suas propriedadesMatéria e suas propriedades
Matéria e suas propriedades
Bio Sem Limites
 
Questões de Vestibulares: Sistema Cardiovascular
Questões de Vestibulares: Sistema CardiovascularQuestões de Vestibulares: Sistema Cardiovascular
Questões de Vestibulares: Sistema Cardiovascular
Bio Sem Limites
 
Resumo: Ácidos e Bases
Resumo: Ácidos e BasesResumo: Ácidos e Bases
Resumo: Ácidos e Bases
Bio Sem Limites
 
Bases
BasesBases
Ácidos e Bases
Ácidos e BasesÁcidos e Bases
Ácidos e Bases
Bio Sem Limites
 
Ácidos
ÁcidosÁcidos
Ácidos e Bases Exercícios de Vestibulares
Ácidos e Bases Exercícios de VestibularesÁcidos e Bases Exercícios de Vestibulares
Ácidos e Bases Exercícios de Vestibulares
Bio Sem Limites
 
Filo porifera slideshare
Filo porifera slideshareFilo porifera slideshare
Filo porifera slideshare
Bio Sem Limites
 
Cadeias e Teias Alimentares
Cadeias e Teias AlimentaresCadeias e Teias Alimentares
Cadeias e Teias Alimentares
Bio Sem Limites
 
Resumo Ciclo celular e mitose
Resumo Ciclo celular e mitoseResumo Ciclo celular e mitose
Resumo Ciclo celular e mitose
Bio Sem Limites
 
Resumo Sistema Cardiovascular
Resumo Sistema CardiovascularResumo Sistema Cardiovascular
Resumo Sistema Cardiovascular
Bio Sem Limites
 

Mais de Bio Sem Limites (20)

Ácidos Nucléicos
Ácidos NucléicosÁcidos Nucléicos
Ácidos Nucléicos
 
Lipídeos
LipídeosLipídeos
Lipídeos
 
Nutrientes: Carboidratos
Nutrientes: CarboidratosNutrientes: Carboidratos
Nutrientes: Carboidratos
 
Nomenclatura de hidrocarbonetos- Não Ramificados
Nomenclatura de hidrocarbonetos- Não RamificadosNomenclatura de hidrocarbonetos- Não Ramificados
Nomenclatura de hidrocarbonetos- Não Ramificados
 
Pteridófitas
PteridófitasPteridófitas
Pteridófitas
 
Cromossomos ( o que é um cromossomo)
Cromossomos ( o que é um cromossomo)Cromossomos ( o que é um cromossomo)
Cromossomos ( o que é um cromossomo)
 
Pteridófitas
PteridófitasPteridófitas
Pteridófitas
 
Briófitas
BriófitasBriófitas
Briófitas
 
Briófitas
BriófitasBriófitas
Briófitas
 
Matéria e suas propriedades
Matéria e suas propriedadesMatéria e suas propriedades
Matéria e suas propriedades
 
Questões de Vestibulares: Sistema Cardiovascular
Questões de Vestibulares: Sistema CardiovascularQuestões de Vestibulares: Sistema Cardiovascular
Questões de Vestibulares: Sistema Cardiovascular
 
Resumo: Ácidos e Bases
Resumo: Ácidos e BasesResumo: Ácidos e Bases
Resumo: Ácidos e Bases
 
Bases
BasesBases
Bases
 
Ácidos e Bases
Ácidos e BasesÁcidos e Bases
Ácidos e Bases
 
Ácidos
ÁcidosÁcidos
Ácidos
 
Ácidos e Bases Exercícios de Vestibulares
Ácidos e Bases Exercícios de VestibularesÁcidos e Bases Exercícios de Vestibulares
Ácidos e Bases Exercícios de Vestibulares
 
Filo porifera slideshare
Filo porifera slideshareFilo porifera slideshare
Filo porifera slideshare
 
Cadeias e Teias Alimentares
Cadeias e Teias AlimentaresCadeias e Teias Alimentares
Cadeias e Teias Alimentares
 
Resumo Ciclo celular e mitose
Resumo Ciclo celular e mitoseResumo Ciclo celular e mitose
Resumo Ciclo celular e mitose
 
Resumo Sistema Cardiovascular
Resumo Sistema CardiovascularResumo Sistema Cardiovascular
Resumo Sistema Cardiovascular
 

Último

Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdfGuia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
FLAVIOROBERTOGOUVEA
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
marcos oliveira
 
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
antonio carlos
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsxSe A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Luzia Gabriele
 
Texto e atividade - Fontes alternativas de energia
Texto e atividade -  Fontes alternativas de energiaTexto e atividade -  Fontes alternativas de energia
Texto e atividade - Fontes alternativas de energia
Mary Alvarenga
 
(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS
(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS
(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS
Pr Davi Passos - Estudos Bíblicos
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Leonel Morgado
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
pattyhsilva271204
 
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
C4io99
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
DirceuSilva26
 
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptxA perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
marcos oliveira
 
Manejo de plantas daninhas
Manejo de plantas daninhasManejo de plantas daninhas
Manejo de plantas daninhas
Geagra UFG
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
Sandra Pratas
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
Espanhol Online
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Luzia Gabriele
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
marcos oliveira
 
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdfOficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
beathrizalves131
 

Último (20)

Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdfGuia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
 
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
 
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
 
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsxSe A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
 
Texto e atividade - Fontes alternativas de energia
Texto e atividade -  Fontes alternativas de energiaTexto e atividade -  Fontes alternativas de energia
Texto e atividade - Fontes alternativas de energia
 
(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS
(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS
(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
 
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
 
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptxA perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
 
Manejo de plantas daninhas
Manejo de plantas daninhasManejo de plantas daninhas
Manejo de plantas daninhas
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
 
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdfOficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
 

Adolescência e sexualidade

  • 2. O que está acontecendo?
  • 3. Puberdade Puberdade é o conjunto de modificações biológicas que prepara o indivíduo para a função reprodutiva. Estas mudanças são especialmente no aparelho reprodutor e levam a alterações no restante do corpo. São os chamados caracteres sexuais secundários.
  • 4. As modificações Crescimento das mamas Cintura mais marcada Alargamento dos quadris Pernas mais grossas e pele mais oleosa Surgimento de pêlos pubianos. Os ovários crescem e o primeiro óvulo amadurece . Crescem pêlos no rosto A laringe aumenta e a voz fica mais grossa Alargamento do tronco e ombros. Os músculos se desenvolvem Podem crescer pêlos no peito Os pêlos dos braços e pernas ficam mais visíveis Os testículos crescem e o pênis fica maior. Nesta fase pode ocorrer a primeira ejaculação Início da puberdade Meninas: A partir dos 9 anos Meninos: A partir dos 11 anos.
  • 6. O que causa essas mudanças? São os hormônios sexuais que fazem as mudanças nos corpos de crianças desenvolvendo-os em corpos adultos. Tanto os meninos e meninas produzem os mesmo hormônios sexuais. Os principais são a testosterona e o estrogênio. Os meninos apresentam muitam testosterona e pouco estrogênio. As meninas apresentam muito estrogênio, e pouca testosterona.
  • 8. Por dentro do corpo Nos Meninos Os hormônios da hipófise fazem os testículos crescerem, que começam produzir mais espermatozóides e mais testosterona. Após a puberdade produzem 200.000 - 400.000 espermatozóides por dia pelo resto de sua vida. Os espermatozóides são armazenados em tubos em torno dos testículos. Eles viajam ao longo de alguns tubos e misturam-se com os fluidos das glândulas (seminais, próstata e bulbouretrais).
  • 9. Por dentro do corpo Nos Meninos Espermatozóides + fluidos = Sêmen
  • 11. A Ereção O pênis se enche de sangue para ficar ereto, reação que tem início quando o homem recebe algum estímulo erótico.
  • 12. A Ereção Pensamentos eróticos, revistas com mulheres nuas ou a visualização de algo muito sensual pode excitar os rapazes, fazendo com que tenham ereção do pênis.
  • 13. A Ereção Se um menino acorda e encontra uma mancha molhada, pegajosa no pijama, é o sêmen, saiu quando ele estava dormindo. Isso é chamado de “polução noturna” Se um menino toca ou roça seu pênis e ele fica ereto e sai sêmen. Isto é chamado de masturbação. Alguns rapazes têm polução noturna, outros não. Alguns meninos se masturbam, outros não. No entanto, se uma dessas coisas acontecer não existe mal algum.
  • 14. Então, o que é normal para um garoto? Alguns pensam em garotas, beijando-as e tocando-as. Alguns pensam em garotos, beijando-os e tocando-os. Alguns caras não pensam sobre nenhuma dessas coisas Alguns namoram e se apaixonam outros não.
  • 15. Por dentro do corpo Nas Meninas As garotas começam a passar por ciclos reprodutivos mensais regulados pelo hipotálamo, hipófise e ovários. Através de hormônios liberados por estas glândulas, esses ciclos preparam o sistema reprodutor para a gravidez. Esses hormônios induzem o crescimento dos folículos e do endométrio. O endométrio, se prepara durante cada ciclo menstrual para receber o ovo (óvulo fecundado). Se a gravidez não ocorrer, esse tecido se desprende e é eliminado, através da menstruação.
  • 17. A fecundação As meninas nascem com centenas de milhares de ovos pequenos, chamados óvulos. Esses óvulos estão na metade da sua formação. Na puberdade, os hormônios dizem aos ovários: - é hora de começar a liberar óvulos. Normalmente, um ovo de cada vez amadurece (desenvolve) e é liberado de um ovário. Óvulo maduro
  • 19. A Fecundação Ao mesmo tempo, no útero começa a crescer um revestimento espesso na parede interna. O revestimento, endométrio, tem muitos vasos sanguíneos minúsculos. O endométrio está lá para proteger e alimentar um óvulo que tenha se combinado com um espermatozóide. A união de um óvulo e um espermatozóide é denominada fecundação.
  • 20. A Menstruação Se um óvulo não encontrar um espermatozóide, o revestimento do endométrio não é necessário. Então ele se desfaz. Misturado com um pouco de sangue que sai do útero, na vagina e em seguida a abertura vaginal. Se uma mulher não está grávida, em seguida, seu ovário vai lançar outro ovo, o um novo revestimento irá se reconstruir, se o óvulo não for fertilizado, ela tem um outro período. Isso é chamado de ciclo menstrual.
  • 21. A Menstruação B i l h e t i n h o s d a S o r t e
  • 22. E na TPM (Tensão Pré- Menstrual)... Nervosa Preocupada Animada Curiosa Estranha Deprimida Todos os sentimentos são normais Muitas garotas sentem dores abdominais, são as cólicas também chamada de dismenorréia.
  • 23. Quanto Tempo dura o sangramento? Cada mulher é diferente. Pode variar de 3-8 dias. Durante um período menstrual que só perdem algumas colheres de sopa ou até cerca de metade de um copo de sangue durante o período. Não muito.
  • 24. Quando e quantas vezes ocorre a menstruação? Inicialmente pode não haver nenhum padrão para quando virá a próxima menstruação. Algumas mulheres não têm um padrão regular. A maioria das mulheres, eventualmente, tem um ciclo regular – que permite saber aproximadamente quando ocorrerá a próxima menstruação.
  • 25. Quando e quantas vezes ocorre a menstruação? A contagem de dias de um ciclo é dada a partir do primeiro dia de sangramento até a próxima mentruação. Cada pessoa é diferente, algumas mulheres podem ter um período de 23 dias, algumas de 28 dias e outras de 35 dias. Muitas meninas possuem um calendário para ajudá-las a manter o controle de quando sua menstruação virá e quanto tempo ela dura.
  • 26. O que fazer para não suja a roupa? A maioria das meninas adolescentes preferem usar absorventes na calcinha quando começam a menstruar, algumas meninas usam tampões, especialmente se elas estão envolvidos nos esportes.
  • 27. Sentimentos sexuais As meninas podem pensar ou sonhar com coisas como: Beijar alguém Ser tocadas Flertando Apaixonar-se Pode ser alguém da idade delas, alguém mais velho, alguém que elas conhecem ou alguém que elas desconhecem, como uma celebridade. Pode ser alguém do mesmo sexo ou de alguém do sexo oposto ou ambos.
  • 28. Sentimentos sexuais Embora todo mundo faça isso de forma diferente as meninas se masturbam em particular, tocando seus seios, vagina e clitóris. É uma forma de atender suas necessidades sexuais. Através do estimulo as garotas podem chegar ao orgasmo. Isso é super normal. Orgasmo: Quando atingimos um determinado grau de excitação sexual, considerado máximo para aquela ocasião, é como se nosso corpo pedisse um "alívio" para aquela tensão gostosa que veio crescendo na fase de excitação.
  • 29. Slide baseado no material do site: http://www.sexualityandu.ca/teachers/puberty/ppt/puberty- girls.ppt http://www.sexualityandu.ca/teachers/puberty/ppt/puberty- boys.ppt De forma que grande parte do texto apresentado aqui se deu através da tradução e adaptação do slide original.
  • 30. FIM