SlideShare uma empresa Scribd logo
Funções Inorgânicas: Ácidos
Conceitos Básicos
 Ionização: É o processo em que os íons positivos e negativos
individuais são produzidos a partir de um composto molecular, que é
dissolvido em solução.
 Ex.:
 Dissociação Iônica: É o processo em que os íons positivos e negativos
individuais são libertados a partir de um composto iónico que é
dissolvido em solução.
 Ex.:
Conceitos Básicos – ÁCIDOS de Arrhenius
 Um ácido é uma substância que contém hidrogênio e produz (sofre
ionização) H+
em aquosa solução.
 Ex.:
 Ex.:
 Ex.:
Classificação – ÁCIDOS de Arrhenius
 Quanto ao número de elementos:
 Binários – formados por dois elementos;
 EX.: HCl, HF, H2S
 Ternários – formados por três elementos;
 EX.: H2SO4, HNO3, HClO
Esta imagem (ou ficheiro) está no domínio público porque os respectivos direitos de
autor expiraram. Online: http://pt.wikipedia.org/wiki/Ficheiro:Arrhenius2.jpg
Licença: http://creativecommons.org/publicdomain/mark/1.0/deed.pt
 Quaternários – formados por quatro elementos;
 EX.: H4Fe(CN)6, HOCN
 Quanto ao H+
ionizáveis:
 Monoácidos (monopróticos) –1 H+
ionizável.
 EX.: HCl, HCN, HClO, H2PO3
 Diácidos (dipróticos) – 2 H+
ionizáveis.
 EX.: H2S, H2SO4, H3PO3
 Triácidos – 3 H+
ionizáveis.
 EX.: H3PO4, H3BO3
 Tetrácidos – 4 H+
ionizáveis.
 EX.: H4SiO4, H4P2O7
 Quanto a presença de oxigênio:
 Hidrácidos – Ácidos sem oxigênio em sua composição.
 EX.: HCl, HCN, H2S
 Oxiácidos – Ácidos com oxigênio em sua composição.
 EX.: H2SO4, HNO3, HClO
 Quanto ao grau de ionização (α) – força de um ácido:
 Ácidos fortes – α> 50%
 Ácidos moderados - 5% ≤ α≤ 50%
 Ácidos fracos - α< 5%
2 H ionizáveis
2 H ionizáveis
2 H não-ionizáveis
2 H não-ionizáveis
1 H ionizável
Ácido
sulfúrico
Ácido
fosforoso
Ácidohipofosforoso
Cálculo do grau de ionização
Questão.01- Classifique os ácidos em forte, fraco ou moderado.
HF α= 8%(moderado) HCN α= 0,0008%(fraco)
HCl α= 92%(forte) H3
PO4
α= 27%(moderado)
Questão.02 – Calcule o grau de ionização de um ácido cujo o número de moléculas
dissolvidos é 940 e o número de moléculas ionizadas é 376. Qual a força deste átomo?
0,4
0,4 x 100 = 40%
Moderado.
Os hidrogênios
ionizáveis são
aqueles ligados
diretamente aos
átomos de oxigênio.
 Força de um ácido (hidrácidos e oxiácidos);
 Hidrácidos fortes: HCl, HBr, HI
 Hidrácidos moderados: HF
 Hidrácidos fracos: H2S, HCN
 Se y-x ≥ 2 ácido forte (HClO4, HNO3 e H2SO4)
 Se y-x = 1 ácido moderado (H3PO4, HNO2, H2SO3)
 Se y-x = 0 ácido fraco (HClO, H3BO3 Exceção: H2CO3)
Nomenclatura – ÁCIDOS de Arrhenius
 Hidrácidos:
 Ácido + radical do ânion + ídrico
 EX.: HCl  Ácidoclorídrico
HI  Ácidoiodídrico
H2S  ÁcidoSulfídrico*
Hidrácidos – Fórmula genérica = Hx
Ay
ONDE:
H=hidrogênio;
x=n° de hidrogênios;
A=elemento químico;
y=n° de átomos;
Oxiácidos – Fórmula genérica = Hx
AOy
ONDE:
H=hidrogênio;
x=n° de hidrogênios;
A=elemento químico;
O=Oxigênio;
y=n° de oxigênio;
*o nome enxofre é original do latim sulphur.
 Oxiácidos
 Há mais de uma forma de se determinar os nomes dos
oxiácidos: método por ácido padrão e método por Nox.
MÉTODO POR ÁCIDO PADRÃO
É o método que considera 5 ácidos como padrão e que a partir
deles é possível nomear outros.
Ácidos Padrão
Fórmula Ácido + radical do elemento + ico
HClO3 Ácido Clórico
H2SO4 Ácido Sulfúrico
HNO3 Ácido Nítrico
H3PO4 Ácido Fosfórico
H2CO3 Ácido Carbônico
FORMAÇÃO - NOMENCLATURA OXIGÊNIOS EM RELAÇÃO AO ÁCIDO PADRÃO
Ácido + PER + radical do elemento + ICO 1 átomo de oxigênio a mais que o ácido padrão
Ácido padrão (sufixo ICO) 0
Ácido + radical do elemento + OSO 1 átomo de oxigênio a menos que o ácido padrão
Ácido + HIPO + radical do elemento + OSO 2 átomos de oxigênios a menos que o ácido padrão
 E
X.
:
FORMAÇÃO - NOMENCLATURA Ácido Nome do ácido
Ácido + PER + clor + ICO HClO4 Ácido perclórico
Ácido clórico (ácido padrão) HClO3 Ácido clórico
Ácido + clor + OSO HClO2 Ácido cloroso
Ácido + HIPO + clor + OSO HClO Ácido hipocloroso
FORMAÇÃO - NOMENCLATURA Ácido Nome do ácido
Com a variação do número de átomos
de oxigênio dos ácidos, obtém-se
novos ácidos.
 E
X
.
:
MÉTODO POR Nox
Através do número de oxidação é possível nomear os ácidos.
Ácidos Padrão
Nome do ácido Nox
Ácido + PER + radical do elemento + ICO +7
Ácido padrão (sufixo ICO) +5, +6
Ácido + radical do elemento + OSO +3, +4
Ácido + HIPO + radical do elemento + OSO +1
 EX.:
HClO3 H Cl O3
(+1) + x + (-2).3 = 0
(+1) + x + (-6) = 0
x = +5
Nox = +5  Ácido clórico
 EX.:
H3PO4 H3 P O2
(+1).3 + x + (-2).2 = 0
(+3) + x + (-4) = 0
X = +1
Nox = +1 Ácido hipofosforoso
Funções Inorgânicas: Bases
Conceitos Básicos – Bases de Arrhenius
- - -
Ácido fosfórico (ácido padrão) H3PO4 Ácido fosfórico
Ácido + fosfor + OSO H3PO3 Ácido fosforoso
Ácido + HIPO + fosfor + OSO H3PO2 Ácido hipofosforoso
 Uma base é uma substância que contém o OH-
e produz (sofre
dissociação iônica) H+
em aquosa solução.
Ex.:
Ex.:
Ex.:
*o NH4OH é uma bases que em só existe em
meio aquoso e que sofre ionização.
Classificação – ÁCIDOS de Arrhenius
 Quanto ao OH+
ionizáveis:
Monobases – OH+
ionizável.
 EX.: NaOH, LiOH, KOH
Dibases – 2 OH+
ionizáveis.
 EX.: Ca(OH)2, Mg(OH)2
 Triácidos – 3 OH+
ionizáveis.
 EX.: Al(OH)3, Fe(OH)3
Tetrabases– 4 OH+
ionizáveis.
 EX.: Sn(OH)4, Pb(OH)4

 Quanto ao grau de dissociação (α) – força de uma base;
Bases fortes – α> 50%
Bases fracos - 5% ≤ α ≤ 50%
Bases fracos - α< 5%
Ca
A
Esta imagem (ou ficheiro) está no domínio público porque os
respectivos direitos de autor expiraram. Online:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Ficheiro:Arrhenius2.jpg
Licença: http://creativecommons.org/publicdomain/mark/1.0/deed.pt
Cálculo do grau de dissociação
 Força de uma base
 Bases Fortes: Todas as bases de metais alcalinos.
 Ex.: NaOH, LiOH, KOH
 Bases Moderadas: Todas as bases de metais alcalinos-terrosos.
 Ex.: Ca(OH)2, Ba(OH)2, Sr(OH)2 Exceção: Mg (OH)2
– Base Fraca
 Hidrácidos fracos:
 Ex.: Al(OH)3, Fe(OH)3
 Solubilidade de uma base – Bases fortes são muito solúveis, bases
moderadas e o MgOH)2 são pouco solúveis, as demais bases são
insolúveis.
 Bases muito solúvel: Todas as bases de metais alcalinos.
 Ex.: NaOH, LiOH, KOH
 Bases pouco solúveis: Todas as bases de metais alcalinos-
terrosos.
 Ex.: Ca(OH)2, Ba(OH)2, Sr(OH)2
 Bases insolúveis: As demais bases são insolúveis;
 Ex.: Al(OH)3, Fe(OH)3
 Elementos que formam apenas uma base
 Elemento que forma duas bases diferentes: Hidróxido de +
nome do elemento ou
 Ex.: NaOH  Hidróxido de sódio;
 Ex.: Ca(OH)2 Hidróxido de cálcio;
 Ex.: Al(OH)3 Hidróxido de alumínio;
 Hidróxido de + nome do elemento seguido da quantidade de
hidroxilas em algarismo romano.
 Ex.: Fe(OH)2 Hidróxido de ferro II;
 Ex.: Fe(OH)3 Hidróxido de ferro III
 Ou hidróxido de + radical do elemento + ICO para a base que
contiver mais OH e hidróxido de + radical do elemento + OSO
para a base que contiver menos OH.
 Ex.: Fe(OH)2 Hidróxido de ferroso II;
 Ex.: Fe(OH)3 Hidróxido de férrico III
Funções Inorgânicas: Ácidos e Bases
 Características dos ácidos e das Bases
Ácidos Bases
Sabor azedo Sabor adstringente
Em água conduzem corrente elétrica Em água conduzem corrente elétrica
pH≥0 e pH<7 pH>7 e pH≤14
Incolor em fenolftaleína Rosa em fenolftaleína
 PH (potencial hidrogeniônico) – Indica acidez, neutralidade e
basicidade de uma solução aquosa.
 Indicadores ácido-base– São substâncias que ao entrar em
contato com uma solução aquosa podem ter sua cor modificada, de
forma que o contato com uma solução ácida lhe confere uma cor
diferente de uma solução aquosa. Observe o quadro abaixo e veja
alguns exemplos de indicadores e suas respectivas alterações de
cores em soluções de ácidos e bases.
Indicador pH ácido pH básico pH Neutro
Repolho-roxo Vermelha Verde Roxa
Hibisco rosa Vermelha-alaranjada Verde Rosa
Fenolftaleína Incolor Rosa Incolor
Azul de tornassol Vermelha Azul-arroxeada Arroxeada
Experiência (em casa ou na
escola)
Folhas de hibisco rosa
(figura ao lado), umas 20
pétalas ou um pedaço de
repolho roxo.
Liquidificador.
1 copo com água;
Vinagre (transparente);
Água sanitária;
Solução de água com sal;
Coloque as folhas
de hibisco ou o
pedaço de repolho
roxo no e o copo de
água no
liquidificador e triture.
Filtre a solução (use um pano) separando apenas a solução
rósea de hibisco ou a solução roxa de repolho, os resíduos
podem ser jogados fora.
Separe a solução em três copos diferentes.
Em cada copo coloque algumas gotas de cada substância
separada (vinagre, água sanitária e solução de água com sal) e
veja o que ocorre.
DADOS: O vinagre é ácido;
A água sanitária é básica;
Água com sal é neutra;
Outras substâncias podem ser testadas: suco de limão,
detergente e substância de limpeza. Dê preferência as
substâncias incolores, assim não haverá problemas com
corantes que podem alterar a cor visualizada.
Lestat (Jan Mehlich).
Via Wikipedia.
Licença: http://creativecommons.org/licenses/by-sa/3.0/deed.pt
Hibiscus rosa-sinensis L.
 Reação de Neutralização - Ácidos e bases reagem formando
sal e água. O cátion da base se liga ao ânion do ácido,
formando o sal, enquanto que o H+
reagem com OH-
formando
H2O.
 EX.:
 HCl + NaOH  NaCl + H2O
 H2SO4 + Mg(OH)2 MgSO4 + 2H2O
 H2CO3 + Ca(OH)2 CaCO3 + 2H2O

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Cicuito elétrico
Cicuito elétricoCicuito elétrico
Cicuito elétrico
O mundo da FÍSICA
 
Aula sobre tabela periódica
Aula sobre tabela periódicaAula sobre tabela periódica
Aula sobre tabela periódica
Augusto Sérgio Costa Souza
 
Termoquimica
TermoquimicaTermoquimica
Termoquimica
Estude Mais
 
Eletroquimica
EletroquimicaEletroquimica
Eletroquimica
Adrianne Mendonça
 
9 solubilidade
9 solubilidade9 solubilidade
9 solubilidade
daniela pinto
 
Equilibrio Químico - Conteúdo completo
Equilibrio Químico - Conteúdo completoEquilibrio Químico - Conteúdo completo
Equilibrio Químico - Conteúdo completo
Rosbergue Lúcio
 
Elementos de Transicao - química
Elementos de Transicao - química Elementos de Transicao - química
Elementos de Transicao - química
Renata Olegario
 
Sistema digestivo perguntas e respostas
Sistema digestivo   perguntas e respostasSistema digestivo   perguntas e respostas
Sistema digestivo perguntas e respostas
Afonso Sousa
 
Projeções de newman
Projeções de newmanProjeções de newman
Projeções de newman
Priscila Helmold
 
Aula Digital de Química - Óxidos
Aula Digital de Química - ÓxidosAula Digital de Química - Óxidos
Aula Digital de Química - Óxidos
Nelson Virgilio Carvalho Filho
 
Balanceamento de equações químicas
Balanceamento de equações químicasBalanceamento de equações químicas
Balanceamento de equações químicas
Rafael Nishikawa
 
Soluções Químicas
Soluções QuímicasSoluções Químicas
Soluções Químicas
José Nunes da Silva Jr.
 
Equilibrio oxidação e redução
Equilibrio oxidação e  reduçãoEquilibrio oxidação e  redução
Equilibrio oxidação e redução
Adrianne Mendonça
 
RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: EXTRAÇÃO LÍQUIDO - LÍQUIDO
 RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: EXTRAÇÃO LÍQUIDO - LÍQUIDO RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: EXTRAÇÃO LÍQUIDO - LÍQUIDO
RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: EXTRAÇÃO LÍQUIDO - LÍQUIDO
Ezequias Guimaraes
 
Hidrocarbonetos
HidrocarbonetosHidrocarbonetos
Hidrocarbonetos
Josenildo Vasconcelos
 
Termoquímica
TermoquímicaTermoquímica
Termoquímica
Isabele Félix
 
Texto nº 3 Volumetria de Neutralização
Texto nº 3   Volumetria de NeutralizaçãoTexto nº 3   Volumetria de Neutralização
Texto nº 3 Volumetria de Neutralização
Marta Pinheiro
 
Funções químicas inorgânicas
Funções químicas inorgânicas Funções químicas inorgânicas
Funções químicas inorgânicas
Daniela Dameto
 
Apostila volumetria de oxirredução
Apostila volumetria de oxirreduçãoApostila volumetria de oxirredução
Apostila volumetria de oxirredução
Graziela Leal
 
Propriedade química e reações químicas
Propriedade química e reações químicasPropriedade química e reações químicas
Propriedade química e reações químicas
Carlos Priante
 

Mais procurados (20)

Cicuito elétrico
Cicuito elétricoCicuito elétrico
Cicuito elétrico
 
Aula sobre tabela periódica
Aula sobre tabela periódicaAula sobre tabela periódica
Aula sobre tabela periódica
 
Termoquimica
TermoquimicaTermoquimica
Termoquimica
 
Eletroquimica
EletroquimicaEletroquimica
Eletroquimica
 
9 solubilidade
9 solubilidade9 solubilidade
9 solubilidade
 
Equilibrio Químico - Conteúdo completo
Equilibrio Químico - Conteúdo completoEquilibrio Químico - Conteúdo completo
Equilibrio Químico - Conteúdo completo
 
Elementos de Transicao - química
Elementos de Transicao - química Elementos de Transicao - química
Elementos de Transicao - química
 
Sistema digestivo perguntas e respostas
Sistema digestivo   perguntas e respostasSistema digestivo   perguntas e respostas
Sistema digestivo perguntas e respostas
 
Projeções de newman
Projeções de newmanProjeções de newman
Projeções de newman
 
Aula Digital de Química - Óxidos
Aula Digital de Química - ÓxidosAula Digital de Química - Óxidos
Aula Digital de Química - Óxidos
 
Balanceamento de equações químicas
Balanceamento de equações químicasBalanceamento de equações químicas
Balanceamento de equações químicas
 
Soluções Químicas
Soluções QuímicasSoluções Químicas
Soluções Químicas
 
Equilibrio oxidação e redução
Equilibrio oxidação e  reduçãoEquilibrio oxidação e  redução
Equilibrio oxidação e redução
 
RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: EXTRAÇÃO LÍQUIDO - LÍQUIDO
 RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: EXTRAÇÃO LÍQUIDO - LÍQUIDO RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: EXTRAÇÃO LÍQUIDO - LÍQUIDO
RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: EXTRAÇÃO LÍQUIDO - LÍQUIDO
 
Hidrocarbonetos
HidrocarbonetosHidrocarbonetos
Hidrocarbonetos
 
Termoquímica
TermoquímicaTermoquímica
Termoquímica
 
Texto nº 3 Volumetria de Neutralização
Texto nº 3   Volumetria de NeutralizaçãoTexto nº 3   Volumetria de Neutralização
Texto nº 3 Volumetria de Neutralização
 
Funções químicas inorgânicas
Funções químicas inorgânicas Funções químicas inorgânicas
Funções químicas inorgânicas
 
Apostila volumetria de oxirredução
Apostila volumetria de oxirreduçãoApostila volumetria de oxirredução
Apostila volumetria de oxirredução
 
Propriedade química e reações químicas
Propriedade química e reações químicasPropriedade química e reações químicas
Propriedade química e reações químicas
 

Destaque

Resumo Ácidos
Resumo ÁcidosResumo Ácidos
Resumo Ácidos
Telso M Ferreira Junior
 
Soluções ácidas, básicas e neutras
Soluções ácidas, básicas e neutrasSoluções ácidas, básicas e neutras
Soluções ácidas, básicas e neutras
elisabete1977
 
Nomenclatura de hidrocarbonetos- Não Ramificados
Nomenclatura de hidrocarbonetos- Não RamificadosNomenclatura de hidrocarbonetos- Não Ramificados
Nomenclatura de hidrocarbonetos- Não Ramificados
Bio Sem Limites
 
54302847 relatorio-acidos-bases-e-oxidos
54302847 relatorio-acidos-bases-e-oxidos54302847 relatorio-acidos-bases-e-oxidos
54302847 relatorio-acidos-bases-e-oxidos
Léo Morais
 
Aula 4 5 acidos e bases, efeitos eletrônicos
Aula 4   5 acidos e bases, efeitos eletrônicosAula 4   5 acidos e bases, efeitos eletrônicos
Aula 4 5 acidos e bases, efeitos eletrônicos
Gustavo Silveira
 
Cálculos químicos e estequiométricos
Cálculos  químicos e estequiométricosCálculos  químicos e estequiométricos
Cálculos químicos e estequiométricos
Adrianne Mendonça
 
O ph da água
O ph da águaO ph da água
Apostila de hematologia
Apostila de hematologiaApostila de hematologia
Apostila de hematologia
Aline Rodrigues
 
PH e pOH
  PH  e pOH  PH  e pOH
Hemograma
HemogramaHemograma
Hemograma
Fábio Falcão
 
Analise de agua
Analise de aguaAnalise de agua
Analise de agua
Douglas Alves
 
pH de soluções
pH de soluçõespH de soluções
pH de soluções
Antonio Almeida
 
Formulación y nomenclatura inorgánica IUPAC 2005
Formulación y nomenclatura inorgánica IUPAC 2005Formulación y nomenclatura inorgánica IUPAC 2005
Formulación y nomenclatura inorgánica IUPAC 2005
Carmen Venegas
 
Ácidos - Química
Ácidos - QuímicaÁcidos - Química
Ácidos - Química
Viviane Dilkin Endler
 
Ti inf2 out2012_fq_3_ceb
Ti inf2 out2012_fq_3_cebTi inf2 out2012_fq_3_ceb
Ti inf2 out2012_fq_3_ceb
Fisica-Quimica
 
Biologia celular
Biologia celularBiologia celular
Biologia celular
naiellyrodrigues
 
7 8-exercicios
7 8-exercicios7 8-exercicios
7 8-exercicios
Fisica-Quimica
 
Gasometria Arterial- Distúrbios do Equilíbrio Ácido-base
Gasometria Arterial- Distúrbios do Equilíbrio Ácido-baseGasometria Arterial- Distúrbios do Equilíbrio Ácido-base
Gasometria Arterial- Distúrbios do Equilíbrio Ácido-base
Flávia Salame
 
Exercício de Física e Química 8ºano - Reações de: Combustão/ácido base e reaç...
Exercício de Física e Química 8ºano - Reações de: Combustão/ácido base e reaç...Exercício de Física e Química 8ºano - Reações de: Combustão/ácido base e reaç...
Exercício de Física e Química 8ºano - Reações de: Combustão/ácido base e reaç...
ensinovirtual3ciclo
 
Proteínas - Biologia
Proteínas - BiologiaProteínas - Biologia
Proteínas - Biologia
Matheus César
 

Destaque (20)

Resumo Ácidos
Resumo ÁcidosResumo Ácidos
Resumo Ácidos
 
Soluções ácidas, básicas e neutras
Soluções ácidas, básicas e neutrasSoluções ácidas, básicas e neutras
Soluções ácidas, básicas e neutras
 
Nomenclatura de hidrocarbonetos- Não Ramificados
Nomenclatura de hidrocarbonetos- Não RamificadosNomenclatura de hidrocarbonetos- Não Ramificados
Nomenclatura de hidrocarbonetos- Não Ramificados
 
54302847 relatorio-acidos-bases-e-oxidos
54302847 relatorio-acidos-bases-e-oxidos54302847 relatorio-acidos-bases-e-oxidos
54302847 relatorio-acidos-bases-e-oxidos
 
Aula 4 5 acidos e bases, efeitos eletrônicos
Aula 4   5 acidos e bases, efeitos eletrônicosAula 4   5 acidos e bases, efeitos eletrônicos
Aula 4 5 acidos e bases, efeitos eletrônicos
 
Cálculos químicos e estequiométricos
Cálculos  químicos e estequiométricosCálculos  químicos e estequiométricos
Cálculos químicos e estequiométricos
 
O ph da água
O ph da águaO ph da água
O ph da água
 
Apostila de hematologia
Apostila de hematologiaApostila de hematologia
Apostila de hematologia
 
PH e pOH
  PH  e pOH  PH  e pOH
PH e pOH
 
Hemograma
HemogramaHemograma
Hemograma
 
Analise de agua
Analise de aguaAnalise de agua
Analise de agua
 
pH de soluções
pH de soluçõespH de soluções
pH de soluções
 
Formulación y nomenclatura inorgánica IUPAC 2005
Formulación y nomenclatura inorgánica IUPAC 2005Formulación y nomenclatura inorgánica IUPAC 2005
Formulación y nomenclatura inorgánica IUPAC 2005
 
Ácidos - Química
Ácidos - QuímicaÁcidos - Química
Ácidos - Química
 
Ti inf2 out2012_fq_3_ceb
Ti inf2 out2012_fq_3_cebTi inf2 out2012_fq_3_ceb
Ti inf2 out2012_fq_3_ceb
 
Biologia celular
Biologia celularBiologia celular
Biologia celular
 
7 8-exercicios
7 8-exercicios7 8-exercicios
7 8-exercicios
 
Gasometria Arterial- Distúrbios do Equilíbrio Ácido-base
Gasometria Arterial- Distúrbios do Equilíbrio Ácido-baseGasometria Arterial- Distúrbios do Equilíbrio Ácido-base
Gasometria Arterial- Distúrbios do Equilíbrio Ácido-base
 
Exercício de Física e Química 8ºano - Reações de: Combustão/ácido base e reaç...
Exercício de Física e Química 8ºano - Reações de: Combustão/ácido base e reaç...Exercício de Física e Química 8ºano - Reações de: Combustão/ácido base e reaç...
Exercício de Física e Química 8ºano - Reações de: Combustão/ácido base e reaç...
 
Proteínas - Biologia
Proteínas - BiologiaProteínas - Biologia
Proteínas - Biologia
 

Semelhante a Resumo: Ácidos e Bases

Ácidos
ÁcidosÁcidos
Funções inorgânicas
Funções inorgânicasFunções inorgânicas
Funções inorgânicas
ISJ
 
Funcoes inorganicas
Funcoes inorganicasFuncoes inorganicas
Funcoes inorganicas
estead2011
 
Funcoes inorganicas
Funcoes inorganicasFuncoes inorganicas
Funcoes inorganicas
estead2011
 
Acidos bases sais
Acidos bases saisAcidos bases sais
Acidos bases sais
sabinosilva
 
1- aula 1 - funções inorgânicas compl.pptx
1- aula 1 - funções inorgânicas compl.pptx1- aula 1 - funções inorgânicas compl.pptx
1- aula 1 - funções inorgânicas compl.pptx
edneigoncalves74
 
Funções inorgânicas ( ácidos e bases )
Funções inorgânicas ( ácidos e bases )Funções inorgânicas ( ácidos e bases )
Funções inorgânicas ( ácidos e bases )
Alberto Macêdo
 
Funções Inorgânicas - Prof. Fernando Abreu
Funções Inorgânicas - Prof. Fernando AbreuFunções Inorgânicas - Prof. Fernando Abreu
Funções Inorgânicas - Prof. Fernando Abreu
Fernando Abreu
 
A5 i funcoes_inorganicas
A5 i funcoes_inorganicasA5 i funcoes_inorganicas
A5 i funcoes_inorganicas
ProCLAUDIA/LUCIANE MEIJON/SOARES
 
Funções inorgânicas
Funções inorgânicasFunções inorgânicas
Funções inorgânicas
jorgehenriqueangelim
 
Funções inorgânicas
Funções inorgânicasFunções inorgânicas
Funções inorgânicas
Maria Naves Ribeiro Lopes
 
Àcidos e bases
Àcidos e basesÀcidos e bases
Àcidos e bases
Anabel Aguiar
 
Funções Inorgânicas
Funções InorgânicasFunções Inorgânicas
Funções Inorgânicas
Fabi Wentz
 
Ácidos e Bases
Ácidos e BasesÁcidos e Bases
Ácidos e Bases
Marcos Júnior
 
Aula Digital de Química - Ácidos e Bases
Aula Digital de Química - Ácidos e BasesAula Digital de Química - Ácidos e Bases
Aula Digital de Química - Ácidos e Bases
Nelson Virgilio Carvalho Filho
 
Funções inorgânicas (acidos bases)
Funções inorgânicas (acidos  bases)Funções inorgânicas (acidos  bases)
Funções inorgânicas (acidos bases)
Karol Maia
 
Aula Funções Inorgânicas
Aula Funções InorgânicasAula Funções Inorgânicas
Aula Funções Inorgânicas
Nai Mariano
 
Apresentação funções inorgânicas
Apresentação funções inorgânicasApresentação funções inorgânicas
Apresentação funções inorgânicas
RenanKiev
 
APOSTILA - COMPOSTOS INORGÂNICOS
APOSTILA - COMPOSTOS INORGÂNICOSAPOSTILA - COMPOSTOS INORGÂNICOS
APOSTILA - COMPOSTOS INORGÂNICOS
Helena Aragão De Sá Martins
 
A5 i funcoes_inorganicas
A5 i funcoes_inorganicasA5 i funcoes_inorganicas
A5 i funcoes_inorganicas
Marcos Júnior
 

Semelhante a Resumo: Ácidos e Bases (20)

Ácidos
ÁcidosÁcidos
Ácidos
 
Funções inorgânicas
Funções inorgânicasFunções inorgânicas
Funções inorgânicas
 
Funcoes inorganicas
Funcoes inorganicasFuncoes inorganicas
Funcoes inorganicas
 
Funcoes inorganicas
Funcoes inorganicasFuncoes inorganicas
Funcoes inorganicas
 
Acidos bases sais
Acidos bases saisAcidos bases sais
Acidos bases sais
 
1- aula 1 - funções inorgânicas compl.pptx
1- aula 1 - funções inorgânicas compl.pptx1- aula 1 - funções inorgânicas compl.pptx
1- aula 1 - funções inorgânicas compl.pptx
 
Funções inorgânicas ( ácidos e bases )
Funções inorgânicas ( ácidos e bases )Funções inorgânicas ( ácidos e bases )
Funções inorgânicas ( ácidos e bases )
 
Funções Inorgânicas - Prof. Fernando Abreu
Funções Inorgânicas - Prof. Fernando AbreuFunções Inorgânicas - Prof. Fernando Abreu
Funções Inorgânicas - Prof. Fernando Abreu
 
A5 i funcoes_inorganicas
A5 i funcoes_inorganicasA5 i funcoes_inorganicas
A5 i funcoes_inorganicas
 
Funções inorgânicas
Funções inorgânicasFunções inorgânicas
Funções inorgânicas
 
Funções inorgânicas
Funções inorgânicasFunções inorgânicas
Funções inorgânicas
 
Àcidos e bases
Àcidos e basesÀcidos e bases
Àcidos e bases
 
Funções Inorgânicas
Funções InorgânicasFunções Inorgânicas
Funções Inorgânicas
 
Ácidos e Bases
Ácidos e BasesÁcidos e Bases
Ácidos e Bases
 
Aula Digital de Química - Ácidos e Bases
Aula Digital de Química - Ácidos e BasesAula Digital de Química - Ácidos e Bases
Aula Digital de Química - Ácidos e Bases
 
Funções inorgânicas (acidos bases)
Funções inorgânicas (acidos  bases)Funções inorgânicas (acidos  bases)
Funções inorgânicas (acidos bases)
 
Aula Funções Inorgânicas
Aula Funções InorgânicasAula Funções Inorgânicas
Aula Funções Inorgânicas
 
Apresentação funções inorgânicas
Apresentação funções inorgânicasApresentação funções inorgânicas
Apresentação funções inorgânicas
 
APOSTILA - COMPOSTOS INORGÂNICOS
APOSTILA - COMPOSTOS INORGÂNICOSAPOSTILA - COMPOSTOS INORGÂNICOS
APOSTILA - COMPOSTOS INORGÂNICOS
 
A5 i funcoes_inorganicas
A5 i funcoes_inorganicasA5 i funcoes_inorganicas
A5 i funcoes_inorganicas
 

Mais de Bio Sem Limites

Ácidos Nucléicos
Ácidos NucléicosÁcidos Nucléicos
Ácidos Nucléicos
Bio Sem Limites
 
Lipídeos
LipídeosLipídeos
Lipídeos
Bio Sem Limites
 
Nutrientes: Carboidratos
Nutrientes: CarboidratosNutrientes: Carboidratos
Nutrientes: Carboidratos
Bio Sem Limites
 
Pteridófitas
PteridófitasPteridófitas
Pteridófitas
Bio Sem Limites
 
Cromossomos ( o que é um cromossomo)
Cromossomos ( o que é um cromossomo)Cromossomos ( o que é um cromossomo)
Cromossomos ( o que é um cromossomo)
Bio Sem Limites
 
Pteridófitas
PteridófitasPteridófitas
Pteridófitas
Bio Sem Limites
 
Briófitas
BriófitasBriófitas
Briófitas
Bio Sem Limites
 
Briófitas
BriófitasBriófitas
Briófitas
Bio Sem Limites
 
Matéria e suas propriedades
Matéria e suas propriedadesMatéria e suas propriedades
Matéria e suas propriedades
Bio Sem Limites
 
Questões de Vestibulares: Sistema Cardiovascular
Questões de Vestibulares: Sistema CardiovascularQuestões de Vestibulares: Sistema Cardiovascular
Questões de Vestibulares: Sistema Cardiovascular
Bio Sem Limites
 
Bases
BasesBases
Ácidos e Bases
Ácidos e BasesÁcidos e Bases
Ácidos e Bases
Bio Sem Limites
 
Ácidos e Bases Exercícios de Vestibulares
Ácidos e Bases Exercícios de VestibularesÁcidos e Bases Exercícios de Vestibulares
Ácidos e Bases Exercícios de Vestibulares
Bio Sem Limites
 
Filo porifera slideshare
Filo porifera slideshareFilo porifera slideshare
Filo porifera slideshare
Bio Sem Limites
 
Cadeias e Teias Alimentares
Cadeias e Teias AlimentaresCadeias e Teias Alimentares
Cadeias e Teias Alimentares
Bio Sem Limites
 
Resumo Ciclo celular e mitose
Resumo Ciclo celular e mitoseResumo Ciclo celular e mitose
Resumo Ciclo celular e mitose
Bio Sem Limites
 
Resumo Sistema Cardiovascular
Resumo Sistema CardiovascularResumo Sistema Cardiovascular
Resumo Sistema Cardiovascular
Bio Sem Limites
 
Separação de misturas
Separação de misturasSeparação de misturas
Separação de misturas
Bio Sem Limites
 
Roteiro de filme - A Marcha dos Pinguins.
Roteiro de filme - A Marcha dos Pinguins.Roteiro de filme - A Marcha dos Pinguins.
Roteiro de filme - A Marcha dos Pinguins.
Bio Sem Limites
 
Conceitos Básicos em Ecologia
Conceitos Básicos em EcologiaConceitos Básicos em Ecologia
Conceitos Básicos em Ecologia
Bio Sem Limites
 

Mais de Bio Sem Limites (20)

Ácidos Nucléicos
Ácidos NucléicosÁcidos Nucléicos
Ácidos Nucléicos
 
Lipídeos
LipídeosLipídeos
Lipídeos
 
Nutrientes: Carboidratos
Nutrientes: CarboidratosNutrientes: Carboidratos
Nutrientes: Carboidratos
 
Pteridófitas
PteridófitasPteridófitas
Pteridófitas
 
Cromossomos ( o que é um cromossomo)
Cromossomos ( o que é um cromossomo)Cromossomos ( o que é um cromossomo)
Cromossomos ( o que é um cromossomo)
 
Pteridófitas
PteridófitasPteridófitas
Pteridófitas
 
Briófitas
BriófitasBriófitas
Briófitas
 
Briófitas
BriófitasBriófitas
Briófitas
 
Matéria e suas propriedades
Matéria e suas propriedadesMatéria e suas propriedades
Matéria e suas propriedades
 
Questões de Vestibulares: Sistema Cardiovascular
Questões de Vestibulares: Sistema CardiovascularQuestões de Vestibulares: Sistema Cardiovascular
Questões de Vestibulares: Sistema Cardiovascular
 
Bases
BasesBases
Bases
 
Ácidos e Bases
Ácidos e BasesÁcidos e Bases
Ácidos e Bases
 
Ácidos e Bases Exercícios de Vestibulares
Ácidos e Bases Exercícios de VestibularesÁcidos e Bases Exercícios de Vestibulares
Ácidos e Bases Exercícios de Vestibulares
 
Filo porifera slideshare
Filo porifera slideshareFilo porifera slideshare
Filo porifera slideshare
 
Cadeias e Teias Alimentares
Cadeias e Teias AlimentaresCadeias e Teias Alimentares
Cadeias e Teias Alimentares
 
Resumo Ciclo celular e mitose
Resumo Ciclo celular e mitoseResumo Ciclo celular e mitose
Resumo Ciclo celular e mitose
 
Resumo Sistema Cardiovascular
Resumo Sistema CardiovascularResumo Sistema Cardiovascular
Resumo Sistema Cardiovascular
 
Separação de misturas
Separação de misturasSeparação de misturas
Separação de misturas
 
Roteiro de filme - A Marcha dos Pinguins.
Roteiro de filme - A Marcha dos Pinguins.Roteiro de filme - A Marcha dos Pinguins.
Roteiro de filme - A Marcha dos Pinguins.
 
Conceitos Básicos em Ecologia
Conceitos Básicos em EcologiaConceitos Básicos em Ecologia
Conceitos Básicos em Ecologia
 

Último

História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
LeideLauraCenturionL
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Centro Jacques Delors
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
Sandra Pratas
 
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.pptAnálise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Falcão Brasil
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Falcão Brasil
 
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
Falcão Brasil
 
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdfPortfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Falcão Brasil
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Falcão Brasil
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
Falcão Brasil
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONALEMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
JocelynNavarroBonta
 
A Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptx
A Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptxA Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptx
A Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptx
tamirissousa11
 
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdfPortfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Falcão Brasil
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
Falcão Brasil
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
Manuais Formação
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
principeandregalli
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Falcão Brasil
 
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdfEscola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Falcão Brasil
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 

Último (20)

História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
 
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.pptAnálise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
 
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
 
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdfPortfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
 
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONALEMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
 
A Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptx
A Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptxA Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptx
A Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptx
 
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdfPortfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
 
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdfEscola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 

Resumo: Ácidos e Bases

  • 1. Funções Inorgânicas: Ácidos Conceitos Básicos  Ionização: É o processo em que os íons positivos e negativos individuais são produzidos a partir de um composto molecular, que é dissolvido em solução.  Ex.:  Dissociação Iônica: É o processo em que os íons positivos e negativos individuais são libertados a partir de um composto iónico que é dissolvido em solução.  Ex.: Conceitos Básicos – ÁCIDOS de Arrhenius  Um ácido é uma substância que contém hidrogênio e produz (sofre ionização) H+ em aquosa solução.  Ex.:  Ex.:  Ex.: Classificação – ÁCIDOS de Arrhenius  Quanto ao número de elementos:  Binários – formados por dois elementos;  EX.: HCl, HF, H2S  Ternários – formados por três elementos;  EX.: H2SO4, HNO3, HClO Esta imagem (ou ficheiro) está no domínio público porque os respectivos direitos de autor expiraram. Online: http://pt.wikipedia.org/wiki/Ficheiro:Arrhenius2.jpg Licença: http://creativecommons.org/publicdomain/mark/1.0/deed.pt
  • 2.  Quaternários – formados por quatro elementos;  EX.: H4Fe(CN)6, HOCN  Quanto ao H+ ionizáveis:  Monoácidos (monopróticos) –1 H+ ionizável.  EX.: HCl, HCN, HClO, H2PO3  Diácidos (dipróticos) – 2 H+ ionizáveis.  EX.: H2S, H2SO4, H3PO3  Triácidos – 3 H+ ionizáveis.  EX.: H3PO4, H3BO3  Tetrácidos – 4 H+ ionizáveis.  EX.: H4SiO4, H4P2O7  Quanto a presença de oxigênio:  Hidrácidos – Ácidos sem oxigênio em sua composição.  EX.: HCl, HCN, H2S  Oxiácidos – Ácidos com oxigênio em sua composição.  EX.: H2SO4, HNO3, HClO  Quanto ao grau de ionização (α) – força de um ácido:  Ácidos fortes – α> 50%  Ácidos moderados - 5% ≤ α≤ 50%  Ácidos fracos - α< 5% 2 H ionizáveis 2 H ionizáveis 2 H não-ionizáveis 2 H não-ionizáveis 1 H ionizável Ácido sulfúrico Ácido fosforoso Ácidohipofosforoso Cálculo do grau de ionização Questão.01- Classifique os ácidos em forte, fraco ou moderado. HF α= 8%(moderado) HCN α= 0,0008%(fraco) HCl α= 92%(forte) H3 PO4 α= 27%(moderado) Questão.02 – Calcule o grau de ionização de um ácido cujo o número de moléculas dissolvidos é 940 e o número de moléculas ionizadas é 376. Qual a força deste átomo? 0,4 0,4 x 100 = 40% Moderado. Os hidrogênios ionizáveis são aqueles ligados diretamente aos átomos de oxigênio.
  • 3.  Força de um ácido (hidrácidos e oxiácidos);  Hidrácidos fortes: HCl, HBr, HI  Hidrácidos moderados: HF  Hidrácidos fracos: H2S, HCN  Se y-x ≥ 2 ácido forte (HClO4, HNO3 e H2SO4)  Se y-x = 1 ácido moderado (H3PO4, HNO2, H2SO3)  Se y-x = 0 ácido fraco (HClO, H3BO3 Exceção: H2CO3) Nomenclatura – ÁCIDOS de Arrhenius  Hidrácidos:  Ácido + radical do ânion + ídrico  EX.: HCl  Ácidoclorídrico HI  Ácidoiodídrico H2S  ÁcidoSulfídrico* Hidrácidos – Fórmula genérica = Hx Ay ONDE: H=hidrogênio; x=n° de hidrogênios; A=elemento químico; y=n° de átomos; Oxiácidos – Fórmula genérica = Hx AOy ONDE: H=hidrogênio; x=n° de hidrogênios; A=elemento químico; O=Oxigênio; y=n° de oxigênio;
  • 4. *o nome enxofre é original do latim sulphur.  Oxiácidos  Há mais de uma forma de se determinar os nomes dos oxiácidos: método por ácido padrão e método por Nox. MÉTODO POR ÁCIDO PADRÃO É o método que considera 5 ácidos como padrão e que a partir deles é possível nomear outros. Ácidos Padrão Fórmula Ácido + radical do elemento + ico HClO3 Ácido Clórico H2SO4 Ácido Sulfúrico HNO3 Ácido Nítrico H3PO4 Ácido Fosfórico H2CO3 Ácido Carbônico FORMAÇÃO - NOMENCLATURA OXIGÊNIOS EM RELAÇÃO AO ÁCIDO PADRÃO Ácido + PER + radical do elemento + ICO 1 átomo de oxigênio a mais que o ácido padrão Ácido padrão (sufixo ICO) 0 Ácido + radical do elemento + OSO 1 átomo de oxigênio a menos que o ácido padrão Ácido + HIPO + radical do elemento + OSO 2 átomos de oxigênios a menos que o ácido padrão  E X. : FORMAÇÃO - NOMENCLATURA Ácido Nome do ácido Ácido + PER + clor + ICO HClO4 Ácido perclórico Ácido clórico (ácido padrão) HClO3 Ácido clórico Ácido + clor + OSO HClO2 Ácido cloroso Ácido + HIPO + clor + OSO HClO Ácido hipocloroso FORMAÇÃO - NOMENCLATURA Ácido Nome do ácido Com a variação do número de átomos de oxigênio dos ácidos, obtém-se novos ácidos.
  • 5.  E X . : MÉTODO POR Nox Através do número de oxidação é possível nomear os ácidos. Ácidos Padrão Nome do ácido Nox Ácido + PER + radical do elemento + ICO +7 Ácido padrão (sufixo ICO) +5, +6 Ácido + radical do elemento + OSO +3, +4 Ácido + HIPO + radical do elemento + OSO +1  EX.: HClO3 H Cl O3 (+1) + x + (-2).3 = 0 (+1) + x + (-6) = 0 x = +5 Nox = +5  Ácido clórico  EX.: H3PO4 H3 P O2 (+1).3 + x + (-2).2 = 0 (+3) + x + (-4) = 0 X = +1 Nox = +1 Ácido hipofosforoso Funções Inorgânicas: Bases Conceitos Básicos – Bases de Arrhenius - - - Ácido fosfórico (ácido padrão) H3PO4 Ácido fosfórico Ácido + fosfor + OSO H3PO3 Ácido fosforoso Ácido + HIPO + fosfor + OSO H3PO2 Ácido hipofosforoso
  • 6.  Uma base é uma substância que contém o OH- e produz (sofre dissociação iônica) H+ em aquosa solução. Ex.: Ex.: Ex.: *o NH4OH é uma bases que em só existe em meio aquoso e que sofre ionização. Classificação – ÁCIDOS de Arrhenius  Quanto ao OH+ ionizáveis: Monobases – OH+ ionizável.  EX.: NaOH, LiOH, KOH Dibases – 2 OH+ ionizáveis.  EX.: Ca(OH)2, Mg(OH)2  Triácidos – 3 OH+ ionizáveis.  EX.: Al(OH)3, Fe(OH)3 Tetrabases– 4 OH+ ionizáveis.  EX.: Sn(OH)4, Pb(OH)4   Quanto ao grau de dissociação (α) – força de uma base; Bases fortes – α> 50% Bases fracos - 5% ≤ α ≤ 50% Bases fracos - α< 5% Ca A Esta imagem (ou ficheiro) está no domínio público porque os respectivos direitos de autor expiraram. Online: http://pt.wikipedia.org/wiki/Ficheiro:Arrhenius2.jpg Licença: http://creativecommons.org/publicdomain/mark/1.0/deed.pt Cálculo do grau de dissociação
  • 7.  Força de uma base  Bases Fortes: Todas as bases de metais alcalinos.  Ex.: NaOH, LiOH, KOH  Bases Moderadas: Todas as bases de metais alcalinos-terrosos.  Ex.: Ca(OH)2, Ba(OH)2, Sr(OH)2 Exceção: Mg (OH)2 – Base Fraca  Hidrácidos fracos:  Ex.: Al(OH)3, Fe(OH)3  Solubilidade de uma base – Bases fortes são muito solúveis, bases moderadas e o MgOH)2 são pouco solúveis, as demais bases são insolúveis.  Bases muito solúvel: Todas as bases de metais alcalinos.  Ex.: NaOH, LiOH, KOH  Bases pouco solúveis: Todas as bases de metais alcalinos- terrosos.  Ex.: Ca(OH)2, Ba(OH)2, Sr(OH)2  Bases insolúveis: As demais bases são insolúveis;  Ex.: Al(OH)3, Fe(OH)3  Elementos que formam apenas uma base  Elemento que forma duas bases diferentes: Hidróxido de + nome do elemento ou  Ex.: NaOH  Hidróxido de sódio;  Ex.: Ca(OH)2 Hidróxido de cálcio;  Ex.: Al(OH)3 Hidróxido de alumínio;  Hidróxido de + nome do elemento seguido da quantidade de hidroxilas em algarismo romano.  Ex.: Fe(OH)2 Hidróxido de ferro II;  Ex.: Fe(OH)3 Hidróxido de ferro III
  • 8.  Ou hidróxido de + radical do elemento + ICO para a base que contiver mais OH e hidróxido de + radical do elemento + OSO para a base que contiver menos OH.  Ex.: Fe(OH)2 Hidróxido de ferroso II;  Ex.: Fe(OH)3 Hidróxido de férrico III Funções Inorgânicas: Ácidos e Bases  Características dos ácidos e das Bases Ácidos Bases Sabor azedo Sabor adstringente Em água conduzem corrente elétrica Em água conduzem corrente elétrica pH≥0 e pH<7 pH>7 e pH≤14 Incolor em fenolftaleína Rosa em fenolftaleína  PH (potencial hidrogeniônico) – Indica acidez, neutralidade e basicidade de uma solução aquosa.  Indicadores ácido-base– São substâncias que ao entrar em contato com uma solução aquosa podem ter sua cor modificada, de forma que o contato com uma solução ácida lhe confere uma cor
  • 9. diferente de uma solução aquosa. Observe o quadro abaixo e veja alguns exemplos de indicadores e suas respectivas alterações de cores em soluções de ácidos e bases. Indicador pH ácido pH básico pH Neutro Repolho-roxo Vermelha Verde Roxa Hibisco rosa Vermelha-alaranjada Verde Rosa Fenolftaleína Incolor Rosa Incolor Azul de tornassol Vermelha Azul-arroxeada Arroxeada Experiência (em casa ou na escola) Folhas de hibisco rosa (figura ao lado), umas 20 pétalas ou um pedaço de repolho roxo. Liquidificador. 1 copo com água; Vinagre (transparente); Água sanitária; Solução de água com sal; Coloque as folhas de hibisco ou o pedaço de repolho roxo no e o copo de água no liquidificador e triture. Filtre a solução (use um pano) separando apenas a solução rósea de hibisco ou a solução roxa de repolho, os resíduos podem ser jogados fora. Separe a solução em três copos diferentes. Em cada copo coloque algumas gotas de cada substância separada (vinagre, água sanitária e solução de água com sal) e veja o que ocorre. DADOS: O vinagre é ácido; A água sanitária é básica; Água com sal é neutra; Outras substâncias podem ser testadas: suco de limão, detergente e substância de limpeza. Dê preferência as substâncias incolores, assim não haverá problemas com corantes que podem alterar a cor visualizada. Lestat (Jan Mehlich). Via Wikipedia. Licença: http://creativecommons.org/licenses/by-sa/3.0/deed.pt Hibiscus rosa-sinensis L.
  • 10.  Reação de Neutralização - Ácidos e bases reagem formando sal e água. O cátion da base se liga ao ânion do ácido, formando o sal, enquanto que o H+ reagem com OH- formando H2O.  EX.:  HCl + NaOH  NaCl + H2O  H2SO4 + Mg(OH)2 MgSO4 + 2H2O  H2CO3 + Ca(OH)2 CaCO3 + 2H2O