SlideShare uma empresa Scribd logo
Desenvolver Um Olhar E Uma Escuta
Atenta Para As Crianças E Famílias É
Uma Atitude Essencial Dos
Professores Dessa Etapa
Para Além da Adaptação: O Que É
Acolhimento na Educação Infantil?
Importância da Escola Promover um
Ambiente Acolhedor
 A importância da escola na vida de uma criança
ou adolescente vai muito além do ensino, mesmo
que de forma não intencional. Muitas vezes, a
instituição pode estar intimamente envolvida no
crescimento e no desenvolvimento dos valores e
princípios que seguirão uma pessoa durante toda
a sua vida.
 Sendo assim, o que esperar de um adulto que se
formou em um ambiente de ensino totalmente
desmotivador? Ao promover um local saudável e
aberto, que acolhe e compreende o estudante
em sua aprendizagem, a escola acolhedora não
só garante ótimas condições de ensino e
engajamento como também cumpre seu papel
social.
 O acolhimento na educação infantil é a base para
que se construa uma relação saudável e
sólida entre a criança, os familiares e a escola,
além de representar um elemento essencial para
que a rotina pedagógica flua de maneira natural e
positiva.
 Mas, afinal, como fazer isso? Uma das maneiras
mais eficazes é garantir que os direitos e as
singularidades de cada criança sejam acolhidas
com um olhar afetuoso, partindo do princípio de
que todos devem ser respeitados,
independentemente das diferenças.

Recomendado para você

Apresentação cuidadores - SME Marília - SP 2014
Apresentação cuidadores - SME Marília - SP 2014Apresentação cuidadores - SME Marília - SP 2014
Apresentação cuidadores - SME Marília - SP 2014

Este documento descreve o projeto Cuidadores 2014 da Prefeitura Municipal de Marília. O projeto tem como objetivo principal oferecer suporte aos alunos com deficiência nas escolas por meio de cuidadores capacitados. O documento detalha as atribuições dos cuidadores, unidades escolares atendidas e cronograma do projeto.

Formação para Cuidadores Educacional
Formação para Cuidadores EducacionalFormação para Cuidadores Educacional
Formação para Cuidadores Educacional

Esse material é para que não consegue entender quais as atribuições de um profissional que atua como cuidador de alunos com deficiência.

para profissionais da educação
Capacitação de educadores e cuidadores Educação Inclusiva
Capacitação de educadores e cuidadores Educação InclusivaCapacitação de educadores e cuidadores Educação Inclusiva
Capacitação de educadores e cuidadores Educação Inclusiva

O documento discute a inclusão educacional no município de Acari-RN, abordando: 1) A importância de uma escola inclusiva com projeto pedagógico flexível e valorização das diferenças; 2) O papel do professor de apoio, cuidadores e família no suporte aos alunos; 3) A avaliação processual dos alunos com deficiência considerando seus avanços individuais.

facebook marketingmagles13@homail.comlenaeproinfo@gmail.com
A importância do Acolhimento na
Educação Infantil
 No primeiro dia de aula, além de cadernos e lápis
de colorir, as crianças carregam com si muitas
histórias e muitos sentimentos, os quais precisam
e devem ser acolhidos no ambiente escolar,
sendo os professores os principais responsáveis
por essa tarefa.
 No Novo Dicionário Aurélio, a palavra
acolhimento tem seu significado estabelecido
com as seguintes palavras:
ACOLHIMENTO é o ato ou efeito de acolher, recepção.
Atenção, consideração. Refúgio, abrigo, agasalho. ACOLHER
significa dar agasalho ou acolhida a; hospedar. Atender; receber.
Dar Crédito a, dar ouvidos a. Admitir, aceitar.Tomar em
consideração.Agasalhar-se,hospedar-se.Abrigar-se,recolher-
se(FERREIRA, 2004,p.27).
A DIFERENÇA ENTRE ACOLHIMENTO
E ADAPTAÇÃO
 Por mais que seja preciso acolhimento na adaptação,
as palavras possuem diferenças entre si.
 A adaptação diz respeito ao momento em que criança
e família começam ou retomam a ida à escola. É o
momento em que o pequeno se depara com um
ambiente novo, com expectativas sobre o
comportamento dos adultos, das outras crianças e
até mesmo sobre a forma de se relacionar com os
objetos e brinquedos.
 A adaptação é um processo individual, pois cada
criança possui um tempo específico para sentir
confiança e segurança na escola, de ver as
semelhanças e diferenças desse lugar com a sua
casa e aprender as regras dispostas.
 A chamada “ansiedade de separação” é comum e natural,
e também é uma fase particular. Há meninos e meninas
que sofrem mais com esse momento e outros que passam
por ele de maneira mais distraída e tranquila.
 É em tudo isso que entra o acolhimento. Ele pode fazer
uma enorme diferença nessa fase da Educação Infantil e
em como a pessoa vai lembrar da sua entrada na vida
escolar.
 O acolhimento, então, se difere da adaptação porque faz
parte dela. Ele diz muito mais respeito ao papel do
educador e da escola com criança e família.
 Trata-se de como o estudante será tratado, fazendo-o se
sentir amado e protegido, enquanto a adaptação é um
processo construído entre os pares educativos (pais,
crianças, professores e escola) para se ajustar no local e
rotina novos.

Recomendado para você

A importância da parceria família e escola(chico mendes)
A importância da parceria família e escola(chico mendes)A importância da parceria família e escola(chico mendes)
A importância da parceria família e escola(chico mendes)

Slide apresentado na noite 30 de Setembro de 2011, durante a socialização do projeto Família e Escola, uma parceria que dá certo, na E.E.F. Francisco Mendes e Silva.

eeffms/imprt.fam.escl.2011
EDUCAÇÃO INFANTIL
EDUCAÇÃO INFANTILEDUCAÇÃO INFANTIL
EDUCAÇÃO INFANTIL

O documento descreve a história da educação infantil no Brasil, desde os povos indígenas até os dias atuais. Aborda como as crianças eram educadas pelos indígenas, jesuítas e durante a escravidão, e como a visão sobre a infância mudou ao longo dos séculos XVII-XIX com o surgimento dos jardins de infância e das leis que regulamentaram a educação infantil no país. Também destaca princípios e diretrizes curriculares nacionais para a educação infantil.

LUDICIDADE NA EDUCAÇÃO INFANTIL
LUDICIDADE NA EDUCAÇÃO INFANTILLUDICIDADE NA EDUCAÇÃO INFANTIL
LUDICIDADE NA EDUCAÇÃO INFANTIL

O documento discute a importância do lúdico no desenvolvimento infantil, definindo-o como essencial para a aprendizagem, socialização e expressão criativa das crianças. Também aborda como o brincar esteve presente em diferentes épocas históricas e como pode ser utilizado em sala de aula para tornar o ensino mais prazeroso e efetivo.

COMO DEVE SER FEITO O
ACOLHIMENTO NA EDUCAÇÃO
INFANTIL
 “Acolher as famílias em sua diversidade e acolher as
crianças em suas singularidades são atitudes
fundamentais para a efetivação do trabalho da escola”.
 Cada criança possui um comportamento. É difícil
padronizar esse processo. Sendo assim, o acolhimento
deve ter um olhar mais específico para cada estudante.
 Há os que possuem rituais para comer, dormir e executar
atividades, e todo esse comportamento deve ser
compreendido e levado em consideração, adaptando a
criança à nova rotina e respeitando seu tempo e seus
limites.
 Afinal a introdução na Educação Infantil pode ser
assustadora, visto que tudo é novo, incluindo para a
família, que também precisa se integrar na nova fase.
 Não se deve rotular o estudante por suas
características rotineiras, mas, sim, acolher essas
manifestações e entender as reações possíveis.
 Um exemplo clássico são crianças que possuem
dificuldade em se despedir dos pais: não forçar a
separação e dar uns minutinhos a mais pode ser
uma forma efetiva de acolhimento.
 Outro exemplo é conversar com os pequenos,
acolher seus sentimentos, explicar o motivo de
eles estarem ali, o quão benéfico aquela
experiência vai ser e quantas coisas legais farão
durante o dia. Esse diálogo é de extrema
importância e faz diferença.
A FAMÍLIA NO PROCESSO DE
ACOLHIMENTO
 Antes mesmo de passarem pelos portões da
escola, as crianças trazem consigo uma
bagagem vasta, carregada de diferentes trocas
de experiências com o mundo externo, dentre
elas, podemos destacar o contato familiar —
primeira forma de socialização que a criança
possui. Afinal, os familiares representam os
primeiros sujeitos que as crianças conhecem,
sendo também a primeira maneira de aprender a
se relacionar e, sobretudo, existir.
 É muito importante a participação da família
nesse momento de adaptação e, também, de
acolhimento.
 A escola precisa estar preparada para dar
suporte aos pais e responsáveis que também
passam por esse período, assegurando que será
algo tranquilo e que podem confiar plenamente
na estrutura pedagógica ali presente.

Recomendado para você

Slide lara relação família escola
Slide lara relação família escolaSlide lara relação família escola
Slide lara relação família escola

O documento analisa as práticas educativas utilizadas por pais e professores e a relação entre família e escola. Foi constatado que ambos os grupos utilizam práticas tanto indutivas quanto coercitivas, porém há lacunas na comunicação entre eles. É necessário definir melhor os papéis de cada sistema para uma cooperação mais efetiva, orientando também os pais sobre a educação de seus filhos.

CRECHE
CRECHECRECHE
CRECHE

O documento discute concepções sobre o brincar de bebês. Ele enfatiza que o brincar é uma forma de expressão e desenvolvimento de habilidades, não apenas para ocupar o tempo. Uma interação qualificada entre adultos e crianças é essencial para o desenvolvimento dos bebês. A mediação de adultos experientes e sensíveis às necessidades das crianças é fundamental para promover o brincar.

educaÇÃo infantil - creche - crianÇas 0 a 3 ano
Família x Escola
Família x EscolaFamília x Escola
Família x Escola

Este documento discute a relação entre família e escola na educação infantil. Ele argumenta que família e escola compartilham o objetivo comum de educar as crianças e que uma abordagem colaborativa baseada na confiança e no conhecimento mútuo pode garantir o crescimento harmônico das crianças. O papel do professor é compreender os determinantes da ação familiar sem julgá-la e estabelecer critérios educativos comuns entre a escola e a família.

 Uma dica de ouro é começar o acolhimento já no início do ano
letivo, promovendo reuniões nesse começo, mostrando a
proposta da escola, estipulando as principais regras, explicando
as atividades que os pequenos farão nos processos de
adaptação e acolhimento e o papel de escola e família em tudo
isso. As reuniões devem acontecer mais vezes durante o ano,
tornando um compromisso de importância e transparência.
 Quando falamos de retomada à escola após o ensino remoto, o
papel da família se torna ainda mais importante, visto que as
crianças conviviam ainda mais com os responsáveis durante o
período de aulas online. Como citamos anteriormente, é preciso
analisar caso a caso para manejar melhor cada situação.
Boas práticas de acolhimento
 A EQUIPE GESTORA DEVE ESTAR BEM
ESTRUTURADA
Deixar o filho sozinho na escola pela primeira vez com
pessoas estranhas pode ser uma tarefa árdua tanto para os pais
quanto para as crianças.
Por esse motivo, é fundamental que a equipe gestora da escola
esteja bem estruturada e preparada para atender às demandas
necessárias antes de acolher, de fato, os novos alunos.
O diálogo prévio com os
responsáveis é fundamental
 Assim como a equipe gestora deve se preparar
antecipadamente, o mesmo é válido quando se trata
da conversa entre a coordenação da escola e os pais
ou responsáveis dos alunos. É fundamental que o
primeiro diálogo aconteça antes do início das aulas
ou, em último caso, assim que o ano letivo começar.
 Quando essa primeira troca entre gestor e familiar
ocorrer, é importante que seja passada uma
segurança por parte do funcionário, deixando em
evidência que o time gestor da escola possui
profissionais capacitados para lidar com as crianças e
tratá-las de maneira respeitosa, responsável e
educativa.

Recomendado para você

A importância da Família no Processo de Educar
A importância da Família no Processo de EducarA importância da Família no Processo de Educar
A importância da Família no Processo de Educar

O documento discute a importância da família na educação das crianças, criticando pais que permitem tudo sem limites e delegam toda responsabilidade para a escola. Também destaca que quando os pais se envolvem, as crianças aprendem mais e a família deve garantir a proteção e desenvolvimento dos filhos.

escolaeducaopalestra
Primeira Infância - Olhares e Desafios
Primeira Infância - Olhares e DesafiosPrimeira Infância - Olhares e Desafios
Primeira Infância - Olhares e Desafios

O documento discute a importância da primeira infância, desde a concepção até os 6 anos, como período fundamental para o desenvolvimento da criança. Ele destaca que um bom estímulo e alimentação nessa fase geram benefícios como aumento da aptidão intelectual e formação de adultos preparados. No entanto, muitas crianças, especialmente em famílias pobres, carecem de condições adequadas, o que pode comprometer seu desenvolvimento.

Tcc - O lúdico na aprendizagem escolar
Tcc - O lúdico na aprendizagem escolar Tcc - O lúdico na aprendizagem escolar
Tcc - O lúdico na aprendizagem escolar

O documento discute a importância do lúdico na aprendizagem escolar. Ele apresenta a concepção de ludicidade da professora e dos alunos em uma sala de aula, identifica poucas atividades lúdicas no cotidiano da sala, e conclui que infelizmente o lúdico não é incorporado de forma planejada no processo de ensino e aprendizagem.

aprendizagemlúdicosala de aula
A preparação prévia das crianças
é essencial
 Durante as primeiras conversas entre
coordenação da escola e responsáveis,
informações e orientações relacionadas à
preparação prévia com as crianças em casa
devem ser passadas.
 É fundamental que os pais expliquem para os
filhos um pouco sobre como é o ambiente
escolar. Por exemplo, como funciona uma
escola, para que ela serve, a possibilidade de
fazer novos amigos, etc. Essa preparação prévia
tem um impacto positivo na motivação e passa
segurança para a criança.
É válido apresentar a escola para
as crianças
 Para começar o acolhimento, é interessante
apresentar às crianças o local que irão frequentar
dali em diante. Fazer uma espécie de “tour
guiado” pela escola é uma atividade lúdica que
fará os estudantes se sentirem acolhidos e
seguros de estarem ali.
 Essa experiência estimula a familiarização com o
espaço e um fortalecimento ou criação de vínculo
com o ambiente escolar. Após essa circulação, é
possível fazer uma conversa com os pequenos
pedindo para que eles contem ou desenhem o
que mais gostaram no passeio, após interagir
com o espaço e os objetos ali dispostos.
O desenvolvimento de atividades
planejadas estimula o potencial das
crianças
 Quanto mais os professores conseguirem pensar em
atividades planejadas, as quais levem em conta as
distinções sociais e culturais de cada aluno, mais as
crianças conseguirão ter seu potencial maximizado e
estimulado dentro do ambiente escolar.
 Por isso, é muito importante que os funcionários
estejam preparados para levar em consideração
e respeitar a diversidade estrutural, étnica, cultural,
religiosa e social de todas as famílias para, assim,
potencializar ao máximo o desenvolvimento de cada
criança.
 Além disso, o planejamento de atividades em
conjunto, com a participação dos pais, pode ser uma
aliado para integrar as crianças nessa nova
experiência.
CONVÍVIO SOCIAL
 Para muitos estudantes, o espaço de troca e convívio com os colegas,
principalmente fora do círculo familiar, pode ser uma novidade.
 Considerando que muitas passaram grande tempo dentro de casa
devido a pandemia, seja em ensino remoto ou não, suas habilidades
sociais não estão tão bem desenvolvidas. Por isso a importância de
estimular o convívio saudável entre a turma.
 Divida os estudantes em pares ou pequenos grupos. Dê a tarefa de
contarem uns para os outros o que mais chamou a atenção num tema
específico. Você pode passar um desenho educativo curto, por
exemplo, ou levar as crianças para conhecer toda a escola e pedir para
que dividam as percepções sobre o que mais gostaram.
 Outra sugestão é pedir para que desenhem sobre isso e compartilhem
com os colegas numa espécie de mural na sala de aula.
 O objetivo da atividade é incentivar o convívio social e dar espaço para
que cada estudante se sinta protagonista e importante naquele espaço.
Caso haja algum conflito, medie a situação de maneira calma e
acolhedora. Essa atitude fará com que a criança deposite mais
confiança no educador.

Recomendado para você

Slides rcnei 05052014
Slides rcnei 05052014Slides rcnei 05052014
Slides rcnei 05052014

O documento apresenta um Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil no Brasil. Ele define metas de qualidade para o desenvolvimento integral das crianças e objetivos socializadores para esta etapa educacional. O Referencial está organizado em dois volumes cobrindo Formação Pessoal e Social e Conhecimento do Mundo, incluindo seis eixos como Movimento, Música e Matemática.

Educação infantil
Educação infantilEducação infantil
Educação infantil

O documento discute a educação infantil no Brasil. Em três frases: 1) A educação infantil tem como objetivo o desenvolvimento integral da criança em seus aspectos físico, psicológico, intelectual e social. 2) O papel da educação infantil é cuidar e educar a criança, respeitando o caráter lúdico das atividades e estimulando sua curiosidade. 3) A ênfase da educação infantil é estimular as diferentes áreas de desenvolvimento da criança para que ela esteja feliz no ambiente escolar.

Como participar da vida escolar dos filhos
Como participar da vida escolar dos filhosComo participar da vida escolar dos filhos
Como participar da vida escolar dos filhos

O documento fornece dicas sobre como os pais podem participar e apoiar a educação escolar dos filhos, como visitar a escola, conversar com os professores, incentivar a leitura, acompanhar as tarefas de casa e o desempenho escolar. Também aborda a importância de cobrar qualidade da escola pública e dos professores.

Os objetos de apego da criança
devem ser considerados
 Não é raridade o fato de as crianças terem objetos de
apego, como brinquedos e panos, com os quais
criam uma relação de afeto. Então, visando tornar o
processo de adaptação e acolhimento na educação
infantil mais fácil, pode ser interessante que os pais
mandem para a escola algum desses objetos que
possuam valor afetivo para as crianças.
 Dessa forma, elas se sentirão mais seguras e mais
familiarizadas com o ambiente. Além disso, para
facilitar ainda mais esse processo de adaptação, a
escola pode oferecer um local acolhedor com a
orientação dos familiares e dos próprios alunos.
As famílias devem ser acolhidas
em sua diversidade
 A fim de garantir um laço mais estreito entre
familiares e escola, é fundamental que as instituições
organizem-se pedagogicamente para promover um
ambiente aberto à participação, à escuta acolhedora
e ao diálogo com as famílias, respeitando sempre
cada uma de acordo com sua própria diversidade.
 Tão importante quanto esse acolhimento familiar, é
acolher as crianças de acordo com suas
especificidades e características singulares. Assim, o
exercício da escola será muito mais efetivo.
Vantagens de desenvolver um
ambiente acolhedor na sua escola
 São muitos os benefícios que uma escola pode
vivenciar — a curto e longo prazo — ao viabilizar
uma cultura que proporciona experiências
agradáveis aos seus educandos.
 Mais do que uma doce lembrança da época de
estudos, uma escola acolhedora fortalece
relacionamentos, favorece o ensino e estimula
melhorias na estrutura da educação.
Cria vínculos afetivos
 Quando a escola acolhe seus alunos com
carinho, preocupando-se em manter um olhar
individualizado sobre cada um,
consequentemente ela conquista a confiança e a
afeição deles.
 Os vínculos afetivos surgem com os colegas,
funcionários, diretor/diretora, professores e com
quem mais estiver envolvido nesse ambiente.
Isso é fundamental para o desenvolvimento
social das crianças e para preservar a
tranquilidade no espaço de estudos.

Recomendado para você

O PAPEL DO CUIDADOR.MEDIADOR.pptx
O PAPEL DO CUIDADOR.MEDIADOR.pptxO PAPEL DO CUIDADOR.MEDIADOR.pptx
O PAPEL DO CUIDADOR.MEDIADOR.pptx

O documento discute o papel dos sujeitos envolvidos na educação especial, incluindo mediadores escolares, professores e escolas. Ele explica que mediadores devem ajudar crianças com necessidades adicionais no ambiente escolar regular, enquanto trabalham em parceria com professores e escolas. Além disso, destaca a importância da educação inclusiva e de mudanças estruturais para atender melhor as necessidades de todos os alunos.

Reflexões sobre a relação família escola
Reflexões sobre a relação família escolaReflexões sobre a relação família escola
Reflexões sobre a relação família escola

O documento discute a relação entre família e escola, definindo família como um grupo que convive e se cuida, e não um modelo ideal. Apresenta a base legal que exige a colaboração entre família e escola e as mudanças nos papéis de cada instituição. Sugere ações como apresentar a escola aos pais, envolvê-los no currículo, marcar reuniões em horários flexíveis e visitar as famílias para fortalecer a parceria.

Projeto acolhendo
Projeto acolhendoProjeto acolhendo
Projeto acolhendo

Este projeto será dividido em três etapas, descritas a seguir: 1ª Etapa -Acolhimento de professores , planejamento do período de acolhimento das crianças e famílias, Organização dos ambientes (salas e espaços). Na 2ª Etapa, já com o planejamento de acolhimento das crianças e das famílias, é feito um levantamento histórico das crianças , por meio de questionários que os pais ou responsáveis responderão, isso tendo em vista que o processo de adaptação e acolhimento inicia-se antes da entrada da criança na instituição. Portanto o objetivo é incluir as famílias no processo de adaptação, acolhendo-as. Na 3ª Etapa , são sistematizados os resultados das observações, relatos e acontecimentos do período de adaptação. Será levado em conta o tempo , as atividades e resultados, a avaliação por meio de relatos dos pais e sugestões deixadas, vou chamar esta etapa de avaliação.

Torna os alunos mais engajados
 Quando são acolhidos no ambiente escolar, os
alunos tendem a ser menos tímidos, demonstram
mais interesse pelo conteúdo e se sentem mais
confortáveis para falar abertamente sobre suas
impressões.
 O engajamento é percebido na atenção que os
estudantes passam a prestar nos ensinamentos
do professor, na preocupação de contribuírem
com as atividades escolares e estudantis, e,
consequentemente, no rendimento das aulas e
avaliações.
Facilita o aprendizado
 Uma coisa leva à outra: ao se sentirem acolhidos
pela escola, os educandos naturalmente se
engajam e isso facilita o aprendizado. Quando os
alunos estão mais suscetíveis a se relacionarem
com a escola e com os professores, também se
abrem para assimilar o conteúdo.
 Um ambiente acolhedor cria a sensação de
segurança, o que é imprescindível para detectar
possíveis transtornos ou dificuldades de
aprendizagem, além de contribuir com a
motivação e o alcance de bons resultados.
Incentiva o respeito aos
professores
 Muitos estudantes se tornam grandes amigos de
seus professores. Normalmente, isso acontece
porque a barreira entre eles é ultrapassada por
meio da construção de um relacionamento que
substitui a rigidez pela maleabilidade e alimenta o
respeito mútuo.
 Acredite: quando o aluno se sente amado,
compreendido e respeitado, ele retribui.
Acolhimento Escolar GABI.pptx

Recomendado para você

Respostas sociais e educativas para crianças e jovens- A criança e o jovem no...
Respostas sociais e educativas para crianças e jovens- A criança e o jovem no...Respostas sociais e educativas para crianças e jovens- A criança e o jovem no...
Respostas sociais e educativas para crianças e jovens- A criança e o jovem no...

O documento discute a importância das rotinas consistentes e adequadas para o desenvolvimento da criança, especialmente nos primeiros anos de vida. Estabelecer rotinas para alimentação, sono, brincadeiras e outras atividades diárias ajuda a criança a se sentir segura e confiante. À medida que a criança cresce, as rotinas devem ser ajustadas e a criança deve assumir novas responsabilidades de acordo com sua idade.

Adaptação escolar
Adaptação escolarAdaptação escolar
Adaptação escolar

O documento discute a importância da adaptação da criança à escola. A família e a escola devem trabalhar juntas para que a separação dos pais seja gradual e a criança se sinta segura no novo ambiente. Atividades que envolvam os responsáveis facilitam o processo de adaptação.

322 volta às aulas 1
322 volta às aulas 1322 volta às aulas 1
322 volta às aulas 1

Para garantir uma adaptação tranquila da criança com TEA à escola, é necessário que pais e educadores planejem cuidadosamente o período de transição, promovam atividades lúdicas de acolhimento e estabeleçam diálogo constante para entendimento mútuo.

autismo simone helen drumond
 https://blog.redballoon.com.br/acolhimento-na-
educacao-infantil
 https://poseducacao.unisinos.br/blog/acolhimento
-educacao-infantil#a-conceito
 https://blog.portabilis.com.br/escola-acolhedora/

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Rotina para quê
Rotina para quêRotina para quê
Rotina para quê
Anaí Peña
 
Educação Infantil
Educação InfantilEducação Infantil
Educação Infantil
Adriana Mércia
 
Ludicidade
LudicidadeLudicidade
Ludicidade
Heloiza Moura
 
Apresentação cuidadores - SME Marília - SP 2014
Apresentação cuidadores - SME Marília - SP 2014Apresentação cuidadores - SME Marília - SP 2014
Apresentação cuidadores - SME Marília - SP 2014
Rosemary Batista
 
Formação para Cuidadores Educacional
Formação para Cuidadores EducacionalFormação para Cuidadores Educacional
Formação para Cuidadores Educacional
Rosana Santos
 
Capacitação de educadores e cuidadores Educação Inclusiva
Capacitação de educadores e cuidadores Educação InclusivaCapacitação de educadores e cuidadores Educação Inclusiva
Capacitação de educadores e cuidadores Educação Inclusiva
Secretaria de Educação e Cultura - SEMEC aAcari
 
A importância da parceria família e escola(chico mendes)
A importância da parceria família e escola(chico mendes)A importância da parceria família e escola(chico mendes)
A importância da parceria família e escola(chico mendes)
Isabela Rodrigues
 
EDUCAÇÃO INFANTIL
EDUCAÇÃO INFANTILEDUCAÇÃO INFANTIL
EDUCAÇÃO INFANTIL
Roshelly Milanez
 
LUDICIDADE NA EDUCAÇÃO INFANTIL
LUDICIDADE NA EDUCAÇÃO INFANTILLUDICIDADE NA EDUCAÇÃO INFANTIL
LUDICIDADE NA EDUCAÇÃO INFANTIL
ritagatti
 
Slide lara relação família escola
Slide lara relação família escolaSlide lara relação família escola
Slide lara relação família escola
Rosana Leite
 
CRECHE
CRECHECRECHE
Família x Escola
Família x EscolaFamília x Escola
Família x Escola
estercotrim
 
A importância da Família no Processo de Educar
A importância da Família no Processo de EducarA importância da Família no Processo de Educar
A importância da Família no Processo de Educar
Claudia Dutra
 
Primeira Infância - Olhares e Desafios
Primeira Infância - Olhares e DesafiosPrimeira Infância - Olhares e Desafios
Primeira Infância - Olhares e Desafios
ACTEBA
 
Tcc - O lúdico na aprendizagem escolar
Tcc - O lúdico na aprendizagem escolar Tcc - O lúdico na aprendizagem escolar
Tcc - O lúdico na aprendizagem escolar
Joelson Honoratto
 
Slides rcnei 05052014
Slides rcnei 05052014Slides rcnei 05052014
Slides rcnei 05052014
João Alberto
 
Educação infantil
Educação infantilEducação infantil
Educação infantil
Clarice-Borges
 
Como participar da vida escolar dos filhos
Como participar da vida escolar dos filhosComo participar da vida escolar dos filhos
Como participar da vida escolar dos filhos
Fatinha Bretas
 
O PAPEL DO CUIDADOR.MEDIADOR.pptx
O PAPEL DO CUIDADOR.MEDIADOR.pptxO PAPEL DO CUIDADOR.MEDIADOR.pptx
O PAPEL DO CUIDADOR.MEDIADOR.pptx
AnaRocha812480
 
Reflexões sobre a relação família escola
Reflexões sobre a relação família escolaReflexões sobre a relação família escola
Reflexões sobre a relação família escola
Sonia Piaya
 

Mais procurados (20)

Rotina para quê
Rotina para quêRotina para quê
Rotina para quê
 
Educação Infantil
Educação InfantilEducação Infantil
Educação Infantil
 
Ludicidade
LudicidadeLudicidade
Ludicidade
 
Apresentação cuidadores - SME Marília - SP 2014
Apresentação cuidadores - SME Marília - SP 2014Apresentação cuidadores - SME Marília - SP 2014
Apresentação cuidadores - SME Marília - SP 2014
 
Formação para Cuidadores Educacional
Formação para Cuidadores EducacionalFormação para Cuidadores Educacional
Formação para Cuidadores Educacional
 
Capacitação de educadores e cuidadores Educação Inclusiva
Capacitação de educadores e cuidadores Educação InclusivaCapacitação de educadores e cuidadores Educação Inclusiva
Capacitação de educadores e cuidadores Educação Inclusiva
 
A importância da parceria família e escola(chico mendes)
A importância da parceria família e escola(chico mendes)A importância da parceria família e escola(chico mendes)
A importância da parceria família e escola(chico mendes)
 
EDUCAÇÃO INFANTIL
EDUCAÇÃO INFANTILEDUCAÇÃO INFANTIL
EDUCAÇÃO INFANTIL
 
LUDICIDADE NA EDUCAÇÃO INFANTIL
LUDICIDADE NA EDUCAÇÃO INFANTILLUDICIDADE NA EDUCAÇÃO INFANTIL
LUDICIDADE NA EDUCAÇÃO INFANTIL
 
Slide lara relação família escola
Slide lara relação família escolaSlide lara relação família escola
Slide lara relação família escola
 
CRECHE
CRECHECRECHE
CRECHE
 
Família x Escola
Família x EscolaFamília x Escola
Família x Escola
 
A importância da Família no Processo de Educar
A importância da Família no Processo de EducarA importância da Família no Processo de Educar
A importância da Família no Processo de Educar
 
Primeira Infância - Olhares e Desafios
Primeira Infância - Olhares e DesafiosPrimeira Infância - Olhares e Desafios
Primeira Infância - Olhares e Desafios
 
Tcc - O lúdico na aprendizagem escolar
Tcc - O lúdico na aprendizagem escolar Tcc - O lúdico na aprendizagem escolar
Tcc - O lúdico na aprendizagem escolar
 
Slides rcnei 05052014
Slides rcnei 05052014Slides rcnei 05052014
Slides rcnei 05052014
 
Educação infantil
Educação infantilEducação infantil
Educação infantil
 
Como participar da vida escolar dos filhos
Como participar da vida escolar dos filhosComo participar da vida escolar dos filhos
Como participar da vida escolar dos filhos
 
O PAPEL DO CUIDADOR.MEDIADOR.pptx
O PAPEL DO CUIDADOR.MEDIADOR.pptxO PAPEL DO CUIDADOR.MEDIADOR.pptx
O PAPEL DO CUIDADOR.MEDIADOR.pptx
 
Reflexões sobre a relação família escola
Reflexões sobre a relação família escolaReflexões sobre a relação família escola
Reflexões sobre a relação família escola
 

Semelhante a Acolhimento Escolar GABI.pptx

Projeto acolhendo
Projeto acolhendoProjeto acolhendo
Projeto acolhendo
Ivaneide B S
 
Respostas sociais e educativas para crianças e jovens- A criança e o jovem no...
Respostas sociais e educativas para crianças e jovens- A criança e o jovem no...Respostas sociais e educativas para crianças e jovens- A criança e o jovem no...
Respostas sociais e educativas para crianças e jovens- A criança e o jovem no...
Susana Costa
 
Adaptação escolar
Adaptação escolarAdaptação escolar
Adaptação escolar
Oriana Melo
 
322 volta às aulas 1
322 volta às aulas 1322 volta às aulas 1
322 volta às aulas 1
SimoneHelenDrumond
 
Volta às aulas
Volta às aulasVolta às aulas
Volta às aulas
SimoneHelenDrumond
 
Orientaçõs para período diagnóstico
Orientaçõs para período diagnósticoOrientaçõs para período diagnóstico
Orientaçõs para período diagnóstico
josivaldopassos
 
Orientaçõs para período de sondagem
Orientaçõs para período de sondagemOrientaçõs para período de sondagem
Orientaçõs para período de sondagem
josivaldopassos
 
O desenvolvimento sócio afetivo da criança
O desenvolvimento sócio afetivo da criançaO desenvolvimento sócio afetivo da criança
O desenvolvimento sócio afetivo da criança
Diana Sousa
 
Img033
Img033Img033
Img033
Vila Salete
 
1 ano expectativas aprendizagem
1 ano expectativas aprendizagem1 ano expectativas aprendizagem
1 ano expectativas aprendizagem
Vanessa Pereira
 
INP-Aula 12.pptx
INP-Aula 12.pptxINP-Aula 12.pptx
INP-Aula 12.pptx
EdgarFaustinoRodrigu
 
Avaliação na Educação Infantil
Avaliação na Educação InfantilAvaliação na Educação Infantil
Avaliação na Educação Infantil
Ana Pierangeli
 
A família e a Aprendizagem dos Filhos.pptx
A família e a Aprendizagem dos Filhos.pptxA família e a Aprendizagem dos Filhos.pptx
A família e a Aprendizagem dos Filhos.pptx
mickellesousa2
 
Relacionamento Família-Escola - Claudinéia da Silva Barbosa - Psicologia Esco...
Relacionamento Família-Escola - Claudinéia da Silva Barbosa - Psicologia Esco...Relacionamento Família-Escola - Claudinéia da Silva Barbosa - Psicologia Esco...
Relacionamento Família-Escola - Claudinéia da Silva Barbosa - Psicologia Esco...
Claudinéia Barbosa
 
Slide "As especificidades da ação pedagógica com bebês" Pós Graduação
Slide "As especificidades da ação pedagógica com bebês" Pós Graduação Slide "As especificidades da ação pedagógica com bebês" Pós Graduação
Slide "As especificidades da ação pedagógica com bebês" Pós Graduação
Educação Infantil
 
Tcc - Escola e Família - Parceria Necessária
Tcc - Escola e Família -  Parceria NecessáriaTcc - Escola e Família -  Parceria Necessária
Tcc - Escola e Família - Parceria Necessária
Cirlei Santos
 
Que alternativas poderiam promover a integração da família na escola?
Que alternativas poderiam promover a integração da família na escola?Que alternativas poderiam promover a integração da família na escola?
Que alternativas poderiam promover a integração da família na escola?
Elisandra Manfroi
 
1º ano Expectativas de Aprendizagem
1º ano Expectativas de Aprendizagem1º ano Expectativas de Aprendizagem
1º ano Expectativas de Aprendizagem
orientacoesdidaticas
 
AUTISMO NA ESCOLA
AUTISMO NA ESCOLAAUTISMO NA ESCOLA
Influência da família no ensino aprendizagem 3 2015
Influência da família no ensino aprendizagem 3  2015Influência da família no ensino aprendizagem 3  2015
Influência da família no ensino aprendizagem 3 2015
cefaprodematupa
 

Semelhante a Acolhimento Escolar GABI.pptx (20)

Projeto acolhendo
Projeto acolhendoProjeto acolhendo
Projeto acolhendo
 
Respostas sociais e educativas para crianças e jovens- A criança e o jovem no...
Respostas sociais e educativas para crianças e jovens- A criança e o jovem no...Respostas sociais e educativas para crianças e jovens- A criança e o jovem no...
Respostas sociais e educativas para crianças e jovens- A criança e o jovem no...
 
Adaptação escolar
Adaptação escolarAdaptação escolar
Adaptação escolar
 
322 volta às aulas 1
322 volta às aulas 1322 volta às aulas 1
322 volta às aulas 1
 
Volta às aulas
Volta às aulasVolta às aulas
Volta às aulas
 
Orientaçõs para período diagnóstico
Orientaçõs para período diagnósticoOrientaçõs para período diagnóstico
Orientaçõs para período diagnóstico
 
Orientaçõs para período de sondagem
Orientaçõs para período de sondagemOrientaçõs para período de sondagem
Orientaçõs para período de sondagem
 
O desenvolvimento sócio afetivo da criança
O desenvolvimento sócio afetivo da criançaO desenvolvimento sócio afetivo da criança
O desenvolvimento sócio afetivo da criança
 
Img033
Img033Img033
Img033
 
1 ano expectativas aprendizagem
1 ano expectativas aprendizagem1 ano expectativas aprendizagem
1 ano expectativas aprendizagem
 
INP-Aula 12.pptx
INP-Aula 12.pptxINP-Aula 12.pptx
INP-Aula 12.pptx
 
Avaliação na Educação Infantil
Avaliação na Educação InfantilAvaliação na Educação Infantil
Avaliação na Educação Infantil
 
A família e a Aprendizagem dos Filhos.pptx
A família e a Aprendizagem dos Filhos.pptxA família e a Aprendizagem dos Filhos.pptx
A família e a Aprendizagem dos Filhos.pptx
 
Relacionamento Família-Escola - Claudinéia da Silva Barbosa - Psicologia Esco...
Relacionamento Família-Escola - Claudinéia da Silva Barbosa - Psicologia Esco...Relacionamento Família-Escola - Claudinéia da Silva Barbosa - Psicologia Esco...
Relacionamento Família-Escola - Claudinéia da Silva Barbosa - Psicologia Esco...
 
Slide "As especificidades da ação pedagógica com bebês" Pós Graduação
Slide "As especificidades da ação pedagógica com bebês" Pós Graduação Slide "As especificidades da ação pedagógica com bebês" Pós Graduação
Slide "As especificidades da ação pedagógica com bebês" Pós Graduação
 
Tcc - Escola e Família - Parceria Necessária
Tcc - Escola e Família -  Parceria NecessáriaTcc - Escola e Família -  Parceria Necessária
Tcc - Escola e Família - Parceria Necessária
 
Que alternativas poderiam promover a integração da família na escola?
Que alternativas poderiam promover a integração da família na escola?Que alternativas poderiam promover a integração da família na escola?
Que alternativas poderiam promover a integração da família na escola?
 
1º ano Expectativas de Aprendizagem
1º ano Expectativas de Aprendizagem1º ano Expectativas de Aprendizagem
1º ano Expectativas de Aprendizagem
 
AUTISMO NA ESCOLA
AUTISMO NA ESCOLAAUTISMO NA ESCOLA
AUTISMO NA ESCOLA
 
Influência da família no ensino aprendizagem 3 2015
Influência da família no ensino aprendizagem 3  2015Influência da família no ensino aprendizagem 3  2015
Influência da família no ensino aprendizagem 3 2015
 

Último

escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
shirleisousa9166
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Centro Jacques Delors
 
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Mary Alvarenga
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mary Alvarenga
 
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
antonio carlos
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Mary Alvarenga
 
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdfIdeais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Anesio2
 
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
mozalgebrista
 
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Redação e Leitura - Entenda o texto expositivo na redação
Redação e Leitura - Entenda o texto expositivo na redaçãoRedação e Leitura - Entenda o texto expositivo na redação
Redação e Leitura - Entenda o texto expositivo na redação
GrazielaTorrezan
 
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptxA perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
marcos oliveira
 
Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!
Mary Alvarenga
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
Espanhol Online
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
DirceuSilva26
 
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsxSe A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Luzia Gabriele
 
STALINISMO apresentação slides para escolares
STALINISMO apresentação slides para escolaresSTALINISMO apresentação slides para escolares
STALINISMO apresentação slides para escolares
Daniel273024
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
marcos oliveira
 
A EDUCAÇÃO COM A INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL E AS DEFICIÊNCIAS DE SUA APLICAÇÃO N...
A EDUCAÇÃO COM A INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL E AS DEFICIÊNCIAS DE SUA APLICAÇÃO N...A EDUCAÇÃO COM A INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL E AS DEFICIÊNCIAS DE SUA APLICAÇÃO N...
A EDUCAÇÃO COM A INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL E AS DEFICIÊNCIAS DE SUA APLICAÇÃO N...
Faga1939
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Luzia Gabriele
 

Último (20)

escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
 
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
 
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
 
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
 
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdfIdeais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
 
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
 
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
 
Redação e Leitura - Entenda o texto expositivo na redação
Redação e Leitura - Entenda o texto expositivo na redaçãoRedação e Leitura - Entenda o texto expositivo na redação
Redação e Leitura - Entenda o texto expositivo na redação
 
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptxA perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
 
Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
 
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsxSe A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
 
STALINISMO apresentação slides para escolares
STALINISMO apresentação slides para escolaresSTALINISMO apresentação slides para escolares
STALINISMO apresentação slides para escolares
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
 
A EDUCAÇÃO COM A INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL E AS DEFICIÊNCIAS DE SUA APLICAÇÃO N...
A EDUCAÇÃO COM A INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL E AS DEFICIÊNCIAS DE SUA APLICAÇÃO N...A EDUCAÇÃO COM A INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL E AS DEFICIÊNCIAS DE SUA APLICAÇÃO N...
A EDUCAÇÃO COM A INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL E AS DEFICIÊNCIAS DE SUA APLICAÇÃO N...
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
 

Acolhimento Escolar GABI.pptx

  • 1. Desenvolver Um Olhar E Uma Escuta Atenta Para As Crianças E Famílias É Uma Atitude Essencial Dos Professores Dessa Etapa Para Além da Adaptação: O Que É Acolhimento na Educação Infantil?
  • 2. Importância da Escola Promover um Ambiente Acolhedor  A importância da escola na vida de uma criança ou adolescente vai muito além do ensino, mesmo que de forma não intencional. Muitas vezes, a instituição pode estar intimamente envolvida no crescimento e no desenvolvimento dos valores e princípios que seguirão uma pessoa durante toda a sua vida.
  • 3.  Sendo assim, o que esperar de um adulto que se formou em um ambiente de ensino totalmente desmotivador? Ao promover um local saudável e aberto, que acolhe e compreende o estudante em sua aprendizagem, a escola acolhedora não só garante ótimas condições de ensino e engajamento como também cumpre seu papel social.
  • 4.  O acolhimento na educação infantil é a base para que se construa uma relação saudável e sólida entre a criança, os familiares e a escola, além de representar um elemento essencial para que a rotina pedagógica flua de maneira natural e positiva.  Mas, afinal, como fazer isso? Uma das maneiras mais eficazes é garantir que os direitos e as singularidades de cada criança sejam acolhidas com um olhar afetuoso, partindo do princípio de que todos devem ser respeitados, independentemente das diferenças.
  • 5. A importância do Acolhimento na Educação Infantil  No primeiro dia de aula, além de cadernos e lápis de colorir, as crianças carregam com si muitas histórias e muitos sentimentos, os quais precisam e devem ser acolhidos no ambiente escolar, sendo os professores os principais responsáveis por essa tarefa.
  • 6.  No Novo Dicionário Aurélio, a palavra acolhimento tem seu significado estabelecido com as seguintes palavras: ACOLHIMENTO é o ato ou efeito de acolher, recepção. Atenção, consideração. Refúgio, abrigo, agasalho. ACOLHER significa dar agasalho ou acolhida a; hospedar. Atender; receber. Dar Crédito a, dar ouvidos a. Admitir, aceitar.Tomar em consideração.Agasalhar-se,hospedar-se.Abrigar-se,recolher- se(FERREIRA, 2004,p.27).
  • 7. A DIFERENÇA ENTRE ACOLHIMENTO E ADAPTAÇÃO  Por mais que seja preciso acolhimento na adaptação, as palavras possuem diferenças entre si.  A adaptação diz respeito ao momento em que criança e família começam ou retomam a ida à escola. É o momento em que o pequeno se depara com um ambiente novo, com expectativas sobre o comportamento dos adultos, das outras crianças e até mesmo sobre a forma de se relacionar com os objetos e brinquedos.  A adaptação é um processo individual, pois cada criança possui um tempo específico para sentir confiança e segurança na escola, de ver as semelhanças e diferenças desse lugar com a sua casa e aprender as regras dispostas.
  • 8.  A chamada “ansiedade de separação” é comum e natural, e também é uma fase particular. Há meninos e meninas que sofrem mais com esse momento e outros que passam por ele de maneira mais distraída e tranquila.  É em tudo isso que entra o acolhimento. Ele pode fazer uma enorme diferença nessa fase da Educação Infantil e em como a pessoa vai lembrar da sua entrada na vida escolar.  O acolhimento, então, se difere da adaptação porque faz parte dela. Ele diz muito mais respeito ao papel do educador e da escola com criança e família.  Trata-se de como o estudante será tratado, fazendo-o se sentir amado e protegido, enquanto a adaptação é um processo construído entre os pares educativos (pais, crianças, professores e escola) para se ajustar no local e rotina novos.
  • 9. COMO DEVE SER FEITO O ACOLHIMENTO NA EDUCAÇÃO INFANTIL  “Acolher as famílias em sua diversidade e acolher as crianças em suas singularidades são atitudes fundamentais para a efetivação do trabalho da escola”.  Cada criança possui um comportamento. É difícil padronizar esse processo. Sendo assim, o acolhimento deve ter um olhar mais específico para cada estudante.  Há os que possuem rituais para comer, dormir e executar atividades, e todo esse comportamento deve ser compreendido e levado em consideração, adaptando a criança à nova rotina e respeitando seu tempo e seus limites.  Afinal a introdução na Educação Infantil pode ser assustadora, visto que tudo é novo, incluindo para a família, que também precisa se integrar na nova fase.
  • 10.  Não se deve rotular o estudante por suas características rotineiras, mas, sim, acolher essas manifestações e entender as reações possíveis.  Um exemplo clássico são crianças que possuem dificuldade em se despedir dos pais: não forçar a separação e dar uns minutinhos a mais pode ser uma forma efetiva de acolhimento.  Outro exemplo é conversar com os pequenos, acolher seus sentimentos, explicar o motivo de eles estarem ali, o quão benéfico aquela experiência vai ser e quantas coisas legais farão durante o dia. Esse diálogo é de extrema importância e faz diferença.
  • 11. A FAMÍLIA NO PROCESSO DE ACOLHIMENTO  Antes mesmo de passarem pelos portões da escola, as crianças trazem consigo uma bagagem vasta, carregada de diferentes trocas de experiências com o mundo externo, dentre elas, podemos destacar o contato familiar — primeira forma de socialização que a criança possui. Afinal, os familiares representam os primeiros sujeitos que as crianças conhecem, sendo também a primeira maneira de aprender a se relacionar e, sobretudo, existir.  É muito importante a participação da família nesse momento de adaptação e, também, de acolhimento.
  • 12.  A escola precisa estar preparada para dar suporte aos pais e responsáveis que também passam por esse período, assegurando que será algo tranquilo e que podem confiar plenamente na estrutura pedagógica ali presente.
  • 13.  Uma dica de ouro é começar o acolhimento já no início do ano letivo, promovendo reuniões nesse começo, mostrando a proposta da escola, estipulando as principais regras, explicando as atividades que os pequenos farão nos processos de adaptação e acolhimento e o papel de escola e família em tudo isso. As reuniões devem acontecer mais vezes durante o ano, tornando um compromisso de importância e transparência.
  • 14.  Quando falamos de retomada à escola após o ensino remoto, o papel da família se torna ainda mais importante, visto que as crianças conviviam ainda mais com os responsáveis durante o período de aulas online. Como citamos anteriormente, é preciso analisar caso a caso para manejar melhor cada situação.
  • 15. Boas práticas de acolhimento  A EQUIPE GESTORA DEVE ESTAR BEM ESTRUTURADA Deixar o filho sozinho na escola pela primeira vez com pessoas estranhas pode ser uma tarefa árdua tanto para os pais quanto para as crianças. Por esse motivo, é fundamental que a equipe gestora da escola esteja bem estruturada e preparada para atender às demandas necessárias antes de acolher, de fato, os novos alunos.
  • 16. O diálogo prévio com os responsáveis é fundamental  Assim como a equipe gestora deve se preparar antecipadamente, o mesmo é válido quando se trata da conversa entre a coordenação da escola e os pais ou responsáveis dos alunos. É fundamental que o primeiro diálogo aconteça antes do início das aulas ou, em último caso, assim que o ano letivo começar.  Quando essa primeira troca entre gestor e familiar ocorrer, é importante que seja passada uma segurança por parte do funcionário, deixando em evidência que o time gestor da escola possui profissionais capacitados para lidar com as crianças e tratá-las de maneira respeitosa, responsável e educativa.
  • 17. A preparação prévia das crianças é essencial  Durante as primeiras conversas entre coordenação da escola e responsáveis, informações e orientações relacionadas à preparação prévia com as crianças em casa devem ser passadas.  É fundamental que os pais expliquem para os filhos um pouco sobre como é o ambiente escolar. Por exemplo, como funciona uma escola, para que ela serve, a possibilidade de fazer novos amigos, etc. Essa preparação prévia tem um impacto positivo na motivação e passa segurança para a criança.
  • 18. É válido apresentar a escola para as crianças  Para começar o acolhimento, é interessante apresentar às crianças o local que irão frequentar dali em diante. Fazer uma espécie de “tour guiado” pela escola é uma atividade lúdica que fará os estudantes se sentirem acolhidos e seguros de estarem ali.  Essa experiência estimula a familiarização com o espaço e um fortalecimento ou criação de vínculo com o ambiente escolar. Após essa circulação, é possível fazer uma conversa com os pequenos pedindo para que eles contem ou desenhem o que mais gostaram no passeio, após interagir com o espaço e os objetos ali dispostos.
  • 19. O desenvolvimento de atividades planejadas estimula o potencial das crianças  Quanto mais os professores conseguirem pensar em atividades planejadas, as quais levem em conta as distinções sociais e culturais de cada aluno, mais as crianças conseguirão ter seu potencial maximizado e estimulado dentro do ambiente escolar.  Por isso, é muito importante que os funcionários estejam preparados para levar em consideração e respeitar a diversidade estrutural, étnica, cultural, religiosa e social de todas as famílias para, assim, potencializar ao máximo o desenvolvimento de cada criança.  Além disso, o planejamento de atividades em conjunto, com a participação dos pais, pode ser uma aliado para integrar as crianças nessa nova experiência.
  • 20. CONVÍVIO SOCIAL  Para muitos estudantes, o espaço de troca e convívio com os colegas, principalmente fora do círculo familiar, pode ser uma novidade.  Considerando que muitas passaram grande tempo dentro de casa devido a pandemia, seja em ensino remoto ou não, suas habilidades sociais não estão tão bem desenvolvidas. Por isso a importância de estimular o convívio saudável entre a turma.  Divida os estudantes em pares ou pequenos grupos. Dê a tarefa de contarem uns para os outros o que mais chamou a atenção num tema específico. Você pode passar um desenho educativo curto, por exemplo, ou levar as crianças para conhecer toda a escola e pedir para que dividam as percepções sobre o que mais gostaram.  Outra sugestão é pedir para que desenhem sobre isso e compartilhem com os colegas numa espécie de mural na sala de aula.  O objetivo da atividade é incentivar o convívio social e dar espaço para que cada estudante se sinta protagonista e importante naquele espaço. Caso haja algum conflito, medie a situação de maneira calma e acolhedora. Essa atitude fará com que a criança deposite mais confiança no educador.
  • 21. Os objetos de apego da criança devem ser considerados  Não é raridade o fato de as crianças terem objetos de apego, como brinquedos e panos, com os quais criam uma relação de afeto. Então, visando tornar o processo de adaptação e acolhimento na educação infantil mais fácil, pode ser interessante que os pais mandem para a escola algum desses objetos que possuam valor afetivo para as crianças.  Dessa forma, elas se sentirão mais seguras e mais familiarizadas com o ambiente. Além disso, para facilitar ainda mais esse processo de adaptação, a escola pode oferecer um local acolhedor com a orientação dos familiares e dos próprios alunos.
  • 22. As famílias devem ser acolhidas em sua diversidade  A fim de garantir um laço mais estreito entre familiares e escola, é fundamental que as instituições organizem-se pedagogicamente para promover um ambiente aberto à participação, à escuta acolhedora e ao diálogo com as famílias, respeitando sempre cada uma de acordo com sua própria diversidade.  Tão importante quanto esse acolhimento familiar, é acolher as crianças de acordo com suas especificidades e características singulares. Assim, o exercício da escola será muito mais efetivo.
  • 23. Vantagens de desenvolver um ambiente acolhedor na sua escola  São muitos os benefícios que uma escola pode vivenciar — a curto e longo prazo — ao viabilizar uma cultura que proporciona experiências agradáveis aos seus educandos.  Mais do que uma doce lembrança da época de estudos, uma escola acolhedora fortalece relacionamentos, favorece o ensino e estimula melhorias na estrutura da educação.
  • 24. Cria vínculos afetivos  Quando a escola acolhe seus alunos com carinho, preocupando-se em manter um olhar individualizado sobre cada um, consequentemente ela conquista a confiança e a afeição deles.  Os vínculos afetivos surgem com os colegas, funcionários, diretor/diretora, professores e com quem mais estiver envolvido nesse ambiente. Isso é fundamental para o desenvolvimento social das crianças e para preservar a tranquilidade no espaço de estudos.
  • 25. Torna os alunos mais engajados  Quando são acolhidos no ambiente escolar, os alunos tendem a ser menos tímidos, demonstram mais interesse pelo conteúdo e se sentem mais confortáveis para falar abertamente sobre suas impressões.  O engajamento é percebido na atenção que os estudantes passam a prestar nos ensinamentos do professor, na preocupação de contribuírem com as atividades escolares e estudantis, e, consequentemente, no rendimento das aulas e avaliações.
  • 26. Facilita o aprendizado  Uma coisa leva à outra: ao se sentirem acolhidos pela escola, os educandos naturalmente se engajam e isso facilita o aprendizado. Quando os alunos estão mais suscetíveis a se relacionarem com a escola e com os professores, também se abrem para assimilar o conteúdo.  Um ambiente acolhedor cria a sensação de segurança, o que é imprescindível para detectar possíveis transtornos ou dificuldades de aprendizagem, além de contribuir com a motivação e o alcance de bons resultados.
  • 27. Incentiva o respeito aos professores  Muitos estudantes se tornam grandes amigos de seus professores. Normalmente, isso acontece porque a barreira entre eles é ultrapassada por meio da construção de um relacionamento que substitui a rigidez pela maleabilidade e alimenta o respeito mútuo.  Acredite: quando o aluno se sente amado, compreendido e respeitado, ele retribui.