SlideShare uma empresa Scribd logo
ATIVIDADE DA TURMA 1º VA  COLÉGIO JESUS CRISTO REI
Atividade de Geografia Colégio  Jesus Cristo Rei. FRASE 01 A indústria corresponde à atividade de transformação, de algo encontrado na natureza em produto de consumo pessoal ou coletivo. Ao processo de incorporar ao ato de produção o uso de técnicas, gerando transformações nas relações sociais e econômicas entre os homens chamamos de Revolução Industrial. A indústria responde por aproximadamente 30% da riqueza gerada no mundo – algo em torno de 9,6 trilhões de dólares em 2001, segundo o Banco Mundial. Nos últimos anos, porém, o maior setor produtivo tem sido castigado pela retração da economia mundial. Com vendas mais fracas, muitas fábricas reduziram a produção e cortaram postos de trabalho. O cenário destoa da notável performance alcançada durante a década de 1990, quando a produção industrial cresceu a uma taxa de 2,8% ao ano, de acordo com a Organização das Nações Unidas para o Desenvolvimento Industrial (Unido).
 
A Indústria da Moda  encontra no ALGODÃO um grande aliado. O Brasil é riquíssimo em PETRÓLEO, e agora muito mais depois da novidade do Pré-Sal. Preocupado com o bem-estar do planeta, o Brasil investe no programa de reciclagem.
 
Explicação A frase dois fala sobre momentos distintos que aconteceu depois da revolução industrial do século XVII. .Esses momentos foram a 1ª,2ª revolução e a terceira que atualmente se fala.A primeira revolução industrial teve divisões de trabalho devido a substituição de métodos artesanais por mecanizados, ela ocorreu no século XVII na Inglaterra e depois passou para outros paises como França, Bélgica, Japão e os Estados Unidos. Já a segunda revolução que começou no meio do século XIX, foi usada muitas fontes de energia importantes para a época e ate hoje que foram Petróleos, Energia Elétrica, e as Máquinas usavam motores a combustão. Na metade do próximo século os paises agro-exportadores iniciarão sua industrialização, mas com características diferentes dos pioneiros. A terceira revolução industrial  que e falada ate nos dias de hoje permitiu o desenvolvimento de atividades na indústria que aplicam tecnologias de ponta em todas as etapas produtivas, o desenvolvimento de biotecnologia e também da cibernética. Para todo estes desenvolvimentos, precisam de fontes de energia que é diversificadas e máquinas e equipamentos são acoplados a computadores e robôs, em muitas linhas de montagem, esta revolução com grandes desenvolvimentos aconteceu no final da década de 70, início da de 80 .
 
FRASE 03 Essencialmente, indústria significa atividades humanas que realizam a transformação de matéria-prima em algum produto que pode ou não ser comercializado. Porém, a indústria moderna realiza a transformação de matéria-prima, com a utilização de mão-de-obra, máquinas e energia; em bens de consumo. Apesar dessa característica, as indústrias são classificadas de forma distinta. Indústria de bens de produção: Nesse tipo de indústria a atividade desenvolvida transforma a matéria-prima que foi retirada da natureza de forma bruta, além de fornecer máquinas, equipamentos e outros instrumentos a diferentes tipos de indústrias, como aquelas do ramo da siderúrgica, mineração, química entre outras. Enquadram ainda nessa classificação aquelas que têm como objetivo produzir materiais destinados à infra-estrutura, oferecendo suprimentos para o transporte, energia, saneamento e habitação. As indústrias de bens de produção são conhecidas também por indústria de base (fornece condições para a proliferação de outras indústrias) e indústria pesada (transforma grandes quantidades de matéria-prima). Temos nos dias atuais três tipos principais de indústrias as de transformação, as extrativistas e as da construção. De acordo com a tecnologia empregada nessas indústrias, elas podem ser classificadas em dois tipos: Indústrias tradicionais: que contam com muita mão-de-obra e poucas máquinas. Indústrias modernas: ou de capital intensivas que aplicam maior soma de recursos em máquinas e tecnologias.
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
As indústrias tradicionais optam por mais mão-de-obra e menos maquinários. Muitas trabalham assim, mais por exigência cultural de um povo que se preocupa com um produto limpo e confiável Nas indústrias modernas são menos comum a mão-de-obra, substituída  por máquinas e conhecimento especializado.
 
 
 
Frase Nº5 A industrialização nos países pobres (geral), aconteceu pós II Guerra Mundial, quando os EUA e Europa vendiam industrializados para os países subdesenvolvidos, e estes mandavam matéria prima. Comércio entre EUA e Europa enfraquece com os países subdesenvolvidos, e volta-se principalmente a indústria Bélica. Os países subdesenvolvidos têm que desenvolver a indústria que comprava das grandes potências, é a chamada Indústria de Substituição.(Tardia). Volta da venda de industrializados dos EUA e Europa para os países subdesenvolvidos, mas há algumas tarifas alfandegárias para garantir o Protecionismo. A Entrada de Multinacionais e transnacionais nos países subdesenvolvidos, evidencia a entrada de capital externo, os tornando mais dependentes.
[object Object]
 
FRASE 6: O processo de industrialização no Brasil está diretamente ligado à acumulação de capital vindo da lavoura do café. A introdução da mão-de-obra assalariada, e a conseqüente extinção da mão-de-obra escrava, na lavoura cafeeira foi o passo mais importante para a inserção do Brasil nos quadros do capitalismo mundial. A instalação de um sistema bancário, companhias ferroviárias e a mecanização de algumas fazendas de café em São Paulo eram o resultado da dinamização do mercado brasileiro. Os processos de industrialização promovem, sempre, a concentração espacial da riqueza e dos recursos financeiros e produtivos. Essa tendência de concentração espacial acompanhou a industrialização brasileira, desde o início do século XX. Em escala nacional, o seu resultado foi a configuração, no Sudeste, de uma região industrial central, dinâmica e integrada. O núcleo dessa região corresponde ao Estado de São Paulo.
O café foi um dos primeiros produtos comercial brasileiro. No início era produzido com mão de obra barata, os escravos. Com esse tipo de mão de obra os fazendeiros acumulavam riqueza. Com o fim da escravatura no país e com medo de perderem o poder econômico, começaram a investir em equipamentos para diminuir custos. Como o país não era industrializado, sentiram a necessidade de investir na industrialização dos seus produtos, tanto os produzidos, quanto os para produzirem. Na época os fazendeiros ficaram apavorados com o rumo em que o país estava indo, mas com o passar do tempo constatamos que isso foi um ponto importante para todo o país, e principalmente na região sudeste onde por sorte de clima e posição geográfica foi privilegiada com todo este processo de abertura de mercado e melhores condições de vida do seu povo. Enfim, o café e a necessidade de mudança na época foram essenciais para todo este processo de crescimento da região e do país.   EXPLICAÇÃO
 
Diversos países, como Argentina, México e Brasil, iniciaram o processo de industrialização efetiva a partir da segunda metade do século XX, no entanto, o embrião desse processo no Brasil ocorreu ainda nas primeiras décadas de 30, momentos depois da crise de 29. Crise essa que ocasionou a falência de muitos produtores de café, com isso, a produção cafeeira entrou em declínio. Quando se fala em industrialização do Brasil é bom ressaltar que tal processo não ocorreu em nível nacional, uma vez que a primeira região a se desenvolver industrialmente foi o sudeste.
Além da crise do café,um dos principais produtos do Brasil, outros fatores como a queda de bancos, industrias e comercio, levaram o país a buscar uma saída,que no caso era a industrialização.Ela que era a solução dos problemas, deveria ser distribuída para todas as regiões, mas não foi bem assim que aconteceu, formando então ilhas  econômicas,onde a concentração de poder é grande, e uma delas é o Sudeste. A partir desse ponto, além de uma crise, o brasileiro também sofria com a má distribuição na economia do país .
 
FRASE 8  O Brasil é considerado um país emergente ou em desenvolvimento, Apesar disso está quase um século atrasado industrialmente e Tecnologicamente em relação às nações que ingressaram no  Processo de industrialização no momento em que a primeira  Revolução industrial,entrou em vigor, como Inglaterra, Alemanha, França, Estados Unidos, Japão e outros. As indústrias no Brasil se  Desenvolveram a partir de mudanças estruturais de caráter Econômico, social e político, que ocorreram principalmente nos Últimos trinta anos do séculos XIX.
COMENTÁRIO Na verdade ocorre os dois pois tanto á um atraso na indústria quanto na parte tecnológica em relação aos outros países  por motivos sociais e políticos pois apesar do grande desenvolvimento dos países citados o Brasil nunca teve incentivo algum para obter algum desenvolvimento.
 
 
FRASE 11 No Brasil, a chegada delas se deu, principalmente a partir do governo de JK, que abriu a economia nacional ao capital internacional proporcionando grande internacionalização da economia, por outro lado também beneficiou multinacionais como por exemplo na opção pela via rodoviarista de transportes para o Brasil, que naquele momento atraiu várias multinacionais produtoras de automóveis, mas que condenou os brasileiros a pagarem os custos mais elevados desse tipo de transporte. Hoje a presença delas no Brasil é muito intensa e numerosa, elas sendo responsáveis por grande parte da drenagem de capitais que saem do país através das remessas de lucros.
[object Object]
 
 
Vários foram os fatores que contribuíram para a intensificação da indústria brasileira, dentre os principais: crescimento acelerado dos grandes centros urbanos derivado do fenômeno do êxodo rural, promovido pela queda do café. A partir dessa migração houve um grande aumento de consumidores, apresentando a necessidade de produzir bens de consumo para a população. Outro fator importante para a industrialização brasileira foi a utilização das ferrovias e dos portos, anteriormente usados para o transporte do café, que passaram a fazer parte do setor industrial. Além desse fator, outro motivo que favoreceu o crescimento industrial foi a abundante quantidade de mão-de-obra estrangeira, sobretudo, italianos, que antes trabalhavam na produção do café.
[object Object],[object Object]
[object Object]
Um dos fundamentais elementos para a industrialização brasileira foi a aplicação de capitais gerados na produção de café para a indústria, a contribuição dos estrangeiros nas fábricas, como alemães, italianos e espanhóis. O estado também exerceu grande relevância nesse sentido, pois realizou elevados investimentos nas indústrias de base e infra-estrutura, como ferrovias, rodovias, portos, energia elétrica entre outros. Mais tarde, após a Segunda Guerra Mundial, a Europa não tinha condições de exportar produtos industrializados, pois todo o continente se encontrava totalmente devastado pelo confronto armado, então o Brasil teve que incrementar o seu parque industrial e realizar a conhecida industrialização por substituição de exportação. Nessa mesma década aconteceu a inserção de várias empresas derivadas de países industrializados que atuavam especialmente no seguimento da indústria automobilística, química, farmacêutica, eletroeletrônicas, a partir de então, o Brasil ingressou efetivamente no processo de industrialização, deixando de ser um país essencialmente produtor primário para um estado industrial e urbano, no qual ambos estão ligados diretamente.
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
[object Object]
 
[object Object],[object Object]
 
 
[object Object]
[object Object],[object Object],[object Object]
 
FRASE 16 A Industrialização Tardia do Brasil, foi marcada por fases, a de 1808 a 1930, as Oligarquias no Brasil, diziam que o País “Não tinha vocação industrial, mas vocação agrícola”. Na segunda metade do século XVIII, o governo português chega a proibir formalmente em 1785 o funcionamento de fábricas na colônia, para não atrapalhar a venda de tecidos e roupas, adquiridos na Inglaterra e comercializados por portugueses no Brasil. Os primeiros esforços importantes para a industrialização ocorrem no Império. Durante o Segundo Reinado, empresários brasileiros, como Irineu Evangelista de Souza, o Visconde de Mauá, e grupos estrangeiros, principalmente ingleses, investem em estradas de ferro, estaleiros, empresas de transporte urbano e gás, bancos e seguradoras. A política econômica oficial, porém, continua a privilegiar a agricultura exportadora.
O Brasil foi fortemente dominado em um certo período pela República das Oligarquias,onde os cafeicultores exerciam  poder absoluto sobre a política,privilegiando a produção do café.Por isso que eles diziam que o Brasil “não tinha vocação industrial”,ficando por isso mesmo durante anos até o colapso da economia cafeeira.Na primeira metade do século xx  foi que o Brasil percebeu a necessidade de transformação de uma economia agrícola em industrial.As guerras foram importantes para a visão do Brasil que percebeu  a dificuldade de importação.Foi na Era Vargas que começou tal desenvolvimento industrial.Vargas e os governos seguintes investiram em infra-estrutura e em industrias de base,como:siderurgia e metalurgia,mas tudo isso obtido com capital estrangeiro.Todo esse processo pelo qual passou o Brasil,influenciou na diversificação das atividades industriais que o país tem.
 
 
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
 
A  Industrialização Tardia do Brasil, foi marcada por fases, a de 1808 a 1930, teve suas marcas, como as condições sociais e econômicas do Brasil da Década de 20, para o Surto Industrial: Êxodo Rural, de trabalhadores livres. Outros Imigrantes vindos do exterior tornam São Paulo, com presença de grande disponibilidade de mão-de-obra para contratação no setor industrial, com conhecimentos de inúmeras práticas artesanais. A massa de imigrantes também se tornou um mercado de consumo para a produção industrial, em grande parte influenciado pelos hábitos de consumo dos imigrantes. Imigrantes contribuíram para abertura de fábricas, e diversificação da produção da indústria local. Com a Produção de café concentrada em São Paulo, fato importante, está na concentração e acumulação de capitais, que sendo investida no setor industrial, torna a região muito propensa para o surto industrial. OBS: Este fato, até a crise de 1929.
[object Object]
 
 
[object Object]
 
 
 
 
 
 
FRASE 24 A Industrialização Tardia do Brasil, foi marcada por fases, sendo que no período de 1964 a 1985, com um governo militar, fortemente centralizador e estatal, as indústrias passam por uma nova fase. Após 1967, o crescimento industrial do Brasil supera 10% ao ano, ficando conhecido como "milagre brasileiro", encerrando esse ciclo em 1974. Devido a esse crescimento acelerado, os militares formularam o projeto "Brasil Potência", buscando transformá-lo em potência econômica. Data dessa fase o crescimento do Banco do Brasil, Banespa, Petrobrás, Cia Vale do Rio Doce etc, que além de estarem presente no Brasil, também o estavam nos países vizinhos. Servindo como sustentáculo do imperialismo brasileiro. Por isso, alguns países teriam que voltar a serem o que eram antes. (Projeto Globalização em andamento).
[object Object]
 
 
 
 
A Industrialização Tardia do Brasil, foi marcada por fases, sendo que no período de 1964 a 1985, sendo que temos que lembrar que em 1973, tivemos o Choque do Petróleo, que de US$2,70 foi para US$ 12,00, obrigando os países a se reestruturarem para essa nova realidade. A industrialização do Brasil, esteve envolvido com os dinheiros emprestados das grandes nações (petrodólares) que havia muito e era fácil de ser emprestado. A "Dívida Externa" que era de US$ 3,7 bilhões em 1964, também era 43ª economia, passou para aproximadamente US 95 bilhões em 1985 e o Brasil já era então a 8ª economia do mundo. Esses empréstimos financiaram obras como Itaipu, Angra dos Reis, Ponte Rio Niterói, a fracassada Transamazônica. Muitas mudanças estavam em curso , tanto política como econômica mundo, inclusive no Brasil. Na década de 80, o despertar dos sindicatos, o grande dívida externa, a inflação em alta, a busca do fim do governo militar, mudanças nos meio de produção com a 3ª Revolução Industrial, a dificuldade dos empresários de acompanhar essa nova fase, que acaba por sucatear o parque industrial, o diminuição do crescimento industrial, o aumento da população, o êxodo rural, cujas propagandas vendiam a cidade como o paraíso, esses fatores contribuíram no aumento do desemprego. Essa década é chamada de "Década Perdida".
[object Object],[object Object],[object Object]
 
A Industrialização Tardia do Brasil,  foi marcada por fases, sendo que no período de 1985 a 2009, com o fim do  governo militar, a nível internacional, a nova onda era o "Neoliberalismo" (iniciado em 1973) sendo que o Brasil  entrou nela até os dias de hoje, que por sinal já está mostrando sinais de esgotamento. Os governos interventores da década de 30, deveriam ser  destruídos e em seu lugar as empresas estatais deveriam serem privatizadas, ao governo, cabe  uma interferência mínima nos chamados serviços essenciais,como educação, saúde, segurança etc. Até fevereiro de 2002, 139 empresas foram vendidas, ao preço de US$ 103 bilhões. Frase 27
No período de Ditadura militar(1960-1970), a economia brasileira cresceu de forma de forma milagrosa, numa taxa de 12% ao ano, essa época ficou conhecida como o “Milagre brasileiro”. Mas o Brasil quando viu era tarde pois ele via sua dívida aumentar como uma onda, que o engolia. Depois desse enorme desenvolvimento vieram os anos conhecidos como a “Década perdida”(década de 80) que trouxe o problema da divida do Brasil. Com isso o FMI começou a emprestar dinheiro para o Brasil, porém. ele deveria cortar vários gastos, como cortes de investimento gastos sociais e outros. Como consequências houve uma grande retração no mercado interno, o numero de desemprego aumentou como nunca antes, uma grande parte da população começava a viver pior que as gerações anteriores e  o pais passou de pólo de imigrações para de emigrações, por isso Década perdida . No período da  Guerra Fria, o Brasil estava passando pela política Neoliberal cujo algumas características eram: diminuição do papel do estado, fim da proteção à industria nacional, privatização de grandes empresas estatais, abertura do mercado financeiro nacional, fim do planejamento estatal. Frase 27
 
[object Object]
[object Object]
 
Frase 29 Podemos identificar vários Impactos da Industrias no Brasil, sendo que o impacto positivo: - Desenvolve a economia, Gera empregos direta e indiretamente, Gera impostos, Desenvolve o comércio (local), Tecnologia, Desenvolve o setor primário (matéria prima), Desenvolve o Sistema de Transporte, enquanto o impacto negativo: Degradação do meio ambiente. Multinacionais (domínio econômico e político).Mudanças de consumo.Especialização da mão-de-obra.
COMENTÁRIO  A frase cita as vantagens e as desvantagens das industrias. Um dos pontos mais positivos foi a industrialização e a geração de economia para o país, porém uma desvantagem que atinge a todos é porque quanto mais indústrias maior é a degradação ao meio ambiente, conseqüência da alta poluição gerada principalmente pelas fábricas. O número de desempregados hoje é muito alto mas poderia ser maior se não tivesse sido criada tantas indústrias para gerar empregos, o avanço da tecnologia também ajudou muito, porque empresas de vários setores só foram criadas a partir desse avanço.  O país depende do crescimento das empresas devido ao aumento da população.
Desvantagem da implantação de industrias,  porém sendo vantagem para a economia do Brasil
[object Object],[object Object]
[object Object],[object Object]
 
Ao iniciar a industrialização de um país, ela inicialmente se concentra em um local, nas regiões fabris. Mas ao longo do tempo acontece a dispersão, com as fábricas mais modernas procurando outras áreas que atendam os seus interesses. A região fabril deve-se a presença de matéria prima, mercado consumidor e facilidade de transporte. Ocorre a dispersão pois as manchas de industrias torna seus terrenos caros, com altos impostos, sindicatos de trabalhadores... E para fugir disso as indústrias procuram locais afastados, com menos impostos, melhores terrenos, e a tecnologia ajuda a facilitar esse processo. Com o desenvolvimento de transportes e comunicações, as pequenas cidades próximas às áreas tradicionais de indústria, tornam-se atrativas, e algumas indústrias são implantadas nessas novas áreas. A dispersão industrial do sudeste começa pelo Rio de janeiro, pois a concentração econômica da lavoura cafeeira de São Paulo fez com que desenvolvesse o transporte ferroviário, então as indústrias foram dispersando-se ao longo das ferrovias. Nas últimas décadas a dispersão industrial tem acontecido pelo estado de São Paulo, já que as cidades periféricas oferecem condições favoráveis. A criação da Zona Franca, na década de 70, foi responsável pela dispersão para o Norte.
[object Object],[object Object]
 
FRASE 33 NO ESTADO DE SÃO PAULO, DESTAQUE PARA OS SEGUINTES EIXOS: A REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO, GRANDE SÃO PAULO, O ABCD. SISTEMA RODOVIÁRIO-ANCHIETA-IMIGRANTES, LIGANDO SÃO PAULO-CUBATÃO E AO PORTO DE SANTOS; ENTORNO RODOVIA DUTRA – LIGA SÃO PAULO AO RIO DE JANEIRO, FAVORECIDO PELO EIXO QUE INTERLIGA ÁS CIDADES DO VALE DO PARAÍBA PAULISTA: SÃO JOSÉ DOS CAMPOS E OUTRAS. SISTEMA RODOVIÁRIO ANHANGUERA/BANDEIRANTES – LIGA SÃO PAULO E RIBEIRÃO PRETO, PASSANDO POR CIDADES IMPORTANTES, COMO CAMPINAS, JUNDIAÍ, FRANCA, OUTRAS. NO RIO DE JANEIRO, PRINCIPAIS CENTROS SÃO: GRANDE RIO E BAIXADA FLUMINENSE. REGIÃO SERRANA (PETRÓPOLIS E TERESÓPOLIS). EM MINAS GERAIS, INDUSTRIAS SE CONCENTRAM: EM TORNO DA GRANDE BELO HORIZONTE, COM DISTRITOS INDUSTRIAIS EM CONTAGEM E BETIM.
 
PERCEBEMOS... QUE SÃO PAULO É UMA POSSUI O MELHOR SISTEMA RODOVIÁRIO DO BRASIL E COM ESSA GRANDE IMPORTANCIA DE SER A MELHOR, SÃO PAULO FA GRANDES INTERLIGAÇÕES QUE GERAM LUCROS, ECONOMIAS QUE FAVORECE À TODAS AS REGIÕES BRASILEIRAS, POIS INTERLIGAM SÃO PAULO AO RIO DE JANEIRO/MINAS GERAIS PROPORCIONANDO UMA TRANSLAÇÃO DE CAPITAL. O SISTEMA RODOVIARIO DO ESTADO É DIVIDIDA EM TRÊS NIVEÍS: MUNICIPAL, ESTADUAL E FEDERAL. SÃO PAULO, O PRINCIPAL SISTEMA RODOVIARIO RESPONSAVEL PELA MANIFESTAÇÃO DAS RODOVIAS MOSTRADO NAS IMAGENS É A LIGAÇÃO DOS PRINCIPAIS ESTADOS DO BRASIL PROPORCIONANDO MAIS GERAÇÕES DE LUCROS E TAMBEM CONTENDO AS MELHORES RODOVIAS, ASFALTAMENTO EM ALTA QUALIDADE, SINALIZAÇÃO, ENTRE OUTROS. CONCLUIMOS QUE AS RODOVIAS SÃO PAULO/RIO DE JANEIRO/MINAS GERAIS/ESPIRITO SANTO E OUTRAS REGIÕES, SÃO AS PRINCIPAIS FONTES DE ALMENTO DE CAPITAL E A MELHORIA DO NOSSO PAIS, POR FAZEREM LIGAÇÕES EXCELENTES PARA UM PAÍS SUBDESENVOLVIDO/DESENVOLVIDO
 
 
 
Das áreas Industriais Tradicionais, temos a região Sul, detentora de metade de toda a produção nacional de grãos, cultivam-se milho, arroz, feijão, trigo e tabaco. O Sul é a região que mais produz soja, mel, alho, maçã e cebola. A região perde 9,87% da safra de 2002 em relação a 2001. A exceção fica para a produção de trigo, que aumenta em Santa Catarina, Paraná e Rio Grande do Sul no mesmo período. A vegetação rasteira, típica da região, favorece a criação de rebanhos bovinos, em particular nos pampas gaúchos. Também é importante a criação de frango, porco e carneiro. A Região Sul possui ainda grande potencial hidrelétrico, destacando-se a Usina de Itaipu, localizada no rio Paraná, na fronteira do estado do Paraná com o Paraguai. No Rio Grande do Sul, as Indústrias se concentram na Grande Porto Alegre. No Nordeste do estado ( Caxias do Sul, Garibaldi e bento Gonçalves). São Leopoldo e Novo Hamburgo. Em Santa Catarina, as Indústrias se concentram: . Vale do Itajaí (Blumenau e Brusque). Cidade de Joinville e a Zona Carbonífera ( Criciúma e Siderópolis). No Paraná, as Indústrias se Concentram: Na Grande Curitiba.
COMENTÁRIO  O Sul é a segunda região mais rica do Brasil, depois do Sudeste, representando em do PIB brasileiro. Tem grande potencial industrial, e de agricultura com tecnologia. O Sul também é um grande exportador nacional, com destaque para produtos agrícolas e agroindustriais, como grãos e aves. A maior parte do espaço territorial sulista é ocupado pela pecuária na criação de porcos que esta também paralela a plantação de milho, porém a atividade econômica de maior rendimento e que emprega o maior número de trabalhadores é a agricultura. A atividade agrícola no Sul distribui-se em dois amplos e diversificados setores: policultura e monocultura. Na industria o Sul é a segunda região do Brasil em número de trabalhadores e em valor e volume da produção industrial. Esse avanço deve-se a uma boa rede de transportes rodoviários e ferroviários, grande potencial hidrelétrico fácil aproveitamento de energia térmica, grande volume e variedade de matérias primas e mercado consumidor com elevado poder aquisitivo. Em relação a energia, a região Sul é muito rica em xisto betuminoso e carvão mineral. O carvão mineral é utilizado para produzir energia elétrica nas usinas termoelétricas . Além desses minérios, a região possui também energia elétrica em abundância, graças às características de sua hidrografia os rios caudalosos e os rios de planalto, e onde se encontra também a hidrelétrica de Itaipu que e muito importante para nosso país.
Plantação de  Soja  e Usina de itaipú
Das áreas Industriais Tradicionais, temos a região Nordeste, que nos últimos anos, a economia tem apresentado pequeno crescimento, mas ainda assim se mostra mais dinâmica que a média do país. Com a chamada guerra fiscal (concessão de benefícios fiscais pelos governos estaduais), uma série de indústrias se instalou nos estados nordestinos, para fugir da carga tributária e fiscal mais pesada no Sul e no Sudeste. Foi assim com a Ford, que se estabeleceu na Bahia, e com empresas têxteis que foram para o Ceará. A Região Nordeste é a segunda produtora de petróleo do país. Nela funciona um dos principais pólos petroquímicos, o de Camaçari (BA). A agricultura e a pecuária sofrem com os longos períodos de seca. A cana-de-açúcar é o principal produto agrícola da região, mas as lavouras irrigadas de frutas tropicais vêm crescendo em importância na produção nacional. Segundo o governo de Pernambuco, de cada 3 dólares que entram no país em exportação de fruta, 1 foi gerado nessas áreas.
[object Object]
 
 
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
 
 
 
 
 
FRASE 40  De 1985 a 2001, as inovações tecnológicas e de gerenciamento, a abertura comercial, a criação do Mercado Comum do Sul (Mercosul), a estabilidade monetária, as privatizações, a redução do peso do Estado nos investimentos produtivos e a guerra de incentivos fiscais entre estados promovem importante reestruturação produtiva das indústrias. Como efeito global dessas mudanças, mantém-se a trajetória de desconcentração regional, com as indústrias. Instalando-se em outros lugares que não apenas as regiões mais tradicionais, mas a um ritmo menos intenso que o observado no período anterior. Paralelamente, observam-se alterações intra-regionais relevantes, com o crescimento da importância relativa das aglomerações industriais no interior dos estados, particularmente em cidades de porte médio do eixo Sul-Sudeste
 
 
[object Object]
[object Object],[object Object]
 
[object Object]
[object Object]
 
FRASE 43 O Brasil durante muito tempo ocupou destaque somente no setor primário, como a agropecuária e o extrativismo (vegetal, minera e animal). Após consecutivas crises econômicas, atualmente o Brasil é considerado um dos mais industrializados países do mundo, por isso ocupa o décimo quinto lugar nesse seguimento em escala global. A intensificação da indústria brasileira faz com que o país possua um enorme e variado parque industrial que produz desde bens de consumo à tecnologia de ponta. A configuração como país industrializado não reflete na realidade nacional, isso por que a industrialização não ocorre de forma homogênea no país, isso quer dizer que se encontra irregularmente distribuída no território, onde algumas áreas são densamente industrializadas e outras praticamente desprovidas dessa atividade econômica.
Industrialização do Brasil A frase relata a realidade da Industrialização brasileira, que recebe influencias por ser tardia, passou pela fase da proibição o que dificultou o processo de industrialização. Após esse processo aconteceram instalações, onde o Brasil recebe indústrias. No ano de 1930 a 1955, Juntamente com a Era Vargas acontece à primeira Revolução industrial brasileira que foi um grande avanço. Após a década de 50, Tendo com presidente Juscelino Kubitschek passamos pela fase de internacionalização, quando o Brasil passa a receber capital externo, indústrias e multinacionais. O Brasil cresceu, mas ficou endividado, passando por uma forte crise econômica, e a única solução foi à abertura econômica, o Neoliberalismo. Hoje o Brasil possui algumas áreas muito bem industrializadas com predominância na Região Sudeste, pode ser observado também que a divisão de industrialização não é homogênea. Existem algumas áreas mais adaptadas, com maior mão de abra, mais matérias primas e outros, por isso são as regiões de concentração de indústrias.
 
 
[object Object]
 
 
COMENTÁRIO  A frase fala sobre o desenvolvimento do Brasil  como ele vem conseguindo um lugar de destaque no cenário internacional apesar de passar por alguns tipos de problemas sociais. Tendo em destaque o sudeste que tem uma  base  industrial vinculada com produtos tradicionais tais como: A produção têxtil, a produção de açúcar e a produção de álcool.
[object Object]
Frase 47 A região do Brasil que apresenta a indústria mais forte é a Sudeste, principalmente no Estado de São Paulo. O principal pólo industrial do país encontra-se no triângulo Rio - São Paulo - Belo Horizonte. Mas, graças à isenção fiscal oferecida pelos governos estaduais e ao baixo custo da mão de obra, a indústria tem se desenvolvido no restante do país, promovendo uma desconcentração industrial. Um exemplo de descentralização industrial é o que ocorreu em São Paulo: o interior apresenta um crescimento industrial muito maior que o da metrópole, em conseqüência da expansão econômica que aconteceu nessa região. Isso reflete a tendência do deslocamento de novas empresas para fora das localizações metropolitanas, tendo em vista que as metrópoles cada vez mais assumem características de centros urbanos baseados em serviços e comércio (setor terceirizado).
[object Object],[object Object]
 
[object Object]
[object Object],[object Object]
 
FRASE 49 A distribuição espacial da produção industrial brasileira tem passado por intensas modificações. A característica mais marcante destas mudanças reside na perda relativa de participação da área metropolitana de São Paulo no produto industrial brasileiro. Este processo de desconcentração resulta da emergência de economias líquidas de desaglomeração na capital paulista e da criação de economias de aglomeração em outros centros urbanos do país.  A partir dos anos 70, impõe-se um movimento de desconcentração da produção industrial, uma das manifestações do desdobramento da divisão territorial do trabalho no Brasil. A produção industrial torna-se mais complexa, estendo-se, sobretudo para novas áreas do Sul e para alguns pontos do Centro-Oeste, do Nordeste e do Norte. Paralelamente, as áreas industriais já consolidadas ganham dinamismos diferentes dos que definiram a industrialização em períodos anteriores.
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
 
A desconcentração industrial deve ser analisada com especial  atenção no estado de São Paulo. Nos últimos anos, a participação  da  indústria paulista  na  produção  brasileira vem diminuindo. Um  dos  indicadores mais expressivos da desconcentração industrial está no  setor  automobilístico. Símbolo do notável progresso industrial de São  Paulo  na  segunda metade do século passado, a indústria automobilística  se  espalhou pelo País, e hoje menos da metade dos veículos novos  que  chegam ao mercado sai de linhas de montagem em operação no Estado. Em virtude da modernização dos equipamentos e da remodelação  dos arcabouços  normativos  (impostos,  isenções,  sindicatos  etc.),  dados técnicos e dados políticos articularam-se para determinar  a  instalação de fábricas no interior do estado de São Paulo, muitas delas vinculadas ao desenvolvimento de uma agricultura moderna. Todavia, embora tecnologicamente mais avançadas, as indústrias interioranas  acabam  por oferecer menos empregos. Dentro da Região Sudeste há  uma  tendência de saída do ABC Paulista, buscando menores  custos  de  produção do interior paulista, no Vale do  Paraíba  ao  longo  da  Rodovia  Fernão Dias, que liga São Paulo à Belo Horizonte. Estas áreas oferecem, além de incentivos fiscais, menores custos de mão-de-obra, transportes menos congestionados e por  tratarem-se  de  cidades- médias,  melhores qualidade de vida, o que é vital quando se trata de tecnopolos.
[object Object],[object Object]
Vale do Paraíba Modernização  na Agricultura

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Industrialização brasileira
Industrialização brasileiraIndustrialização brasileira
Industrialização brasileira
flornomandacaru
 
Industrialização do brasil
Industrialização do brasilIndustrialização do brasil
Industrialização do brasil
geozecarlos
 
Industrialização brasil
Industrialização brasilIndustrialização brasil
Industrialização brasil
edsonluz
 
Brasil industrialização
Brasil industrializaçãoBrasil industrialização
Brasil industrialização
Colégio Nova Geração COC
 
Industrialização brasileira
Industrialização brasileiraIndustrialização brasileira
Industrialização brasileira
Artur Lara
 
Industrialização geografia. o que é indústria setores da economia setor prim...
Industrialização geografia. o que é indústria  setores da economia setor prim...Industrialização geografia. o que é indústria  setores da economia setor prim...
Industrialização geografia. o que é indústria setores da economia setor prim...
UNESA - RJ
 
A indústria no brasil
A indústria no brasilA indústria no brasil
A indústria no brasil
Professor
 
7º anos (Geografia) A Indústria Brasileira
7º anos (Geografia) A Indústria Brasileira7º anos (Geografia) A Indústria Brasileira
7º anos (Geografia) A Indústria Brasileira
Claudio Henrique Ramos Sales
 
Industrializacao Brasileira
Industrializacao BrasileiraIndustrializacao Brasileira
Industrializacao Brasileira
hsjval
 
Industria brasileira 2011
Industria  brasileira 2011Industria  brasileira 2011
Industria brasileira 2011
alfredo1ssa
 
A industrialização brasileira
A industrialização brasileiraA industrialização brasileira
A industrialização brasileira
Uilson Pereira da Silva
 
Trabalho de geografia
Trabalho de geografiaTrabalho de geografia
Trabalho de geografia
Sarinha Silva
 
Industrialização do brasil
Industrialização do brasilIndustrialização do brasil
Industrialização do brasil
Carlos Eduardo Colares Joseph
 
A indústria no brasil ifpe
A indústria no brasil ifpeA indústria no brasil ifpe
A indústria no brasil ifpe
Rhafanny Vasconcelos
 
Industrialização brasileira
Industrialização brasileiraIndustrialização brasileira
Industrialização brasileira
Professora Verônica Santos
 
Industrialização brasileira
Industrialização brasileiraIndustrialização brasileira
Industrialização brasileira
joao paulo
 
O Processo de Industrialização do Brasil - 7º Ano (2017)
O Processo de Industrialização do Brasil - 7º Ano (2017)O Processo de Industrialização do Brasil - 7º Ano (2017)
O Processo de Industrialização do Brasil - 7º Ano (2017)
Nefer19
 
INDUSTRIALIZAÇÃO E URBANIZAÇÃO BRASILEIRA
INDUSTRIALIZAÇÃO E URBANIZAÇÃO BRASILEIRAINDUSTRIALIZAÇÃO E URBANIZAÇÃO BRASILEIRA
INDUSTRIALIZAÇÃO E URBANIZAÇÃO BRASILEIRA
Bruno Lima
 
A INDUSTRIALIZAÇÃO BRASILEIRA
A INDUSTRIALIZAÇÃO BRASILEIRAA INDUSTRIALIZAÇÃO BRASILEIRA
A INDUSTRIALIZAÇÃO BRASILEIRA
Ninho Cristo
 
A IndustrializaçãO Do Brasil Atividade 1º Ma
A IndustrializaçãO Do Brasil Atividade 1º MaA IndustrializaçãO Do Brasil Atividade 1º Ma
A IndustrializaçãO Do Brasil Atividade 1º Ma
ProfMario De Mori
 

Mais procurados (20)

Industrialização brasileira
Industrialização brasileiraIndustrialização brasileira
Industrialização brasileira
 
Industrialização do brasil
Industrialização do brasilIndustrialização do brasil
Industrialização do brasil
 
Industrialização brasil
Industrialização brasilIndustrialização brasil
Industrialização brasil
 
Brasil industrialização
Brasil industrializaçãoBrasil industrialização
Brasil industrialização
 
Industrialização brasileira
Industrialização brasileiraIndustrialização brasileira
Industrialização brasileira
 
Industrialização geografia. o que é indústria setores da economia setor prim...
Industrialização geografia. o que é indústria  setores da economia setor prim...Industrialização geografia. o que é indústria  setores da economia setor prim...
Industrialização geografia. o que é indústria setores da economia setor prim...
 
A indústria no brasil
A indústria no brasilA indústria no brasil
A indústria no brasil
 
7º anos (Geografia) A Indústria Brasileira
7º anos (Geografia) A Indústria Brasileira7º anos (Geografia) A Indústria Brasileira
7º anos (Geografia) A Indústria Brasileira
 
Industrializacao Brasileira
Industrializacao BrasileiraIndustrializacao Brasileira
Industrializacao Brasileira
 
Industria brasileira 2011
Industria  brasileira 2011Industria  brasileira 2011
Industria brasileira 2011
 
A industrialização brasileira
A industrialização brasileiraA industrialização brasileira
A industrialização brasileira
 
Trabalho de geografia
Trabalho de geografiaTrabalho de geografia
Trabalho de geografia
 
Industrialização do brasil
Industrialização do brasilIndustrialização do brasil
Industrialização do brasil
 
A indústria no brasil ifpe
A indústria no brasil ifpeA indústria no brasil ifpe
A indústria no brasil ifpe
 
Industrialização brasileira
Industrialização brasileiraIndustrialização brasileira
Industrialização brasileira
 
Industrialização brasileira
Industrialização brasileiraIndustrialização brasileira
Industrialização brasileira
 
O Processo de Industrialização do Brasil - 7º Ano (2017)
O Processo de Industrialização do Brasil - 7º Ano (2017)O Processo de Industrialização do Brasil - 7º Ano (2017)
O Processo de Industrialização do Brasil - 7º Ano (2017)
 
INDUSTRIALIZAÇÃO E URBANIZAÇÃO BRASILEIRA
INDUSTRIALIZAÇÃO E URBANIZAÇÃO BRASILEIRAINDUSTRIALIZAÇÃO E URBANIZAÇÃO BRASILEIRA
INDUSTRIALIZAÇÃO E URBANIZAÇÃO BRASILEIRA
 
A INDUSTRIALIZAÇÃO BRASILEIRA
A INDUSTRIALIZAÇÃO BRASILEIRAA INDUSTRIALIZAÇÃO BRASILEIRA
A INDUSTRIALIZAÇÃO BRASILEIRA
 
A IndustrializaçãO Do Brasil Atividade 1º Ma
A IndustrializaçãO Do Brasil Atividade 1º MaA IndustrializaçãO Do Brasil Atividade 1º Ma
A IndustrializaçãO Do Brasil Atividade 1º Ma
 

Destaque

A IndustrializaçãO Do Brasil Atividade 1º Mc
A IndustrializaçãO Do Brasil Atividade 1º McA IndustrializaçãO Do Brasil Atividade 1º Mc
A IndustrializaçãO Do Brasil Atividade 1º Mc
ProfMario De Mori
 
A atividade industrial
A atividade industrialA atividade industrial
A atividade industrial
rillaryalvesj
 
Industrialização e urbanização brasileira 7 ano
Industrialização e urbanização brasileira 7 anoIndustrialização e urbanização brasileira 7 ano
Industrialização e urbanização brasileira 7 ano
Eponina Alencar
 
A IndustrializaçãO Do Brasil Atividade 1º Mb
A IndustrializaçãO Do Brasil Atividade 1º MbA IndustrializaçãO Do Brasil Atividade 1º Mb
A IndustrializaçãO Do Brasil Atividade 1º Mb
ProfMario De Mori
 
Crescimento urbano - impactos e transformações na sociedade.
Crescimento urbano - impactos e transformações na sociedade.Crescimento urbano - impactos e transformações na sociedade.
Crescimento urbano - impactos e transformações na sociedade.
Kaze Scapelin
 
Desconcentração espacial da indústria
Desconcentração espacial da indústriaDesconcentração espacial da indústria
Desconcentração espacial da indústria
Antonio Carlos da Silva
 
Industrialização brasileira alterações no espaço
Industrialização brasileira   alterações no espaçoIndustrialização brasileira   alterações no espaço
Industrialização brasileira alterações no espaço
Luciano Pessanha
 
Países emergentes
Países emergentesPaíses emergentes
Países emergentes
Jorge Hermany Sobral
 
Indústria
IndústriaIndústria
Industrialização tardia
Industrialização tardiaIndustrialização tardia
Industrialização tardia
Paulo Ricardo
 
Geografia Urbana
Geografia UrbanaGeografia Urbana
Geografia Urbana
Kenedy dos Santos
 
UrbanizaçãO e Crescimento Urbano
UrbanizaçãO e Crescimento UrbanoUrbanizaçãO e Crescimento Urbano
UrbanizaçãO e Crescimento Urbano
vallmachado
 
Apresentação de slides pronto
Apresentação de slides prontoApresentação de slides pronto
Apresentação de slides pronto
candidacbertao
 

Destaque (13)

A IndustrializaçãO Do Brasil Atividade 1º Mc
A IndustrializaçãO Do Brasil Atividade 1º McA IndustrializaçãO Do Brasil Atividade 1º Mc
A IndustrializaçãO Do Brasil Atividade 1º Mc
 
A atividade industrial
A atividade industrialA atividade industrial
A atividade industrial
 
Industrialização e urbanização brasileira 7 ano
Industrialização e urbanização brasileira 7 anoIndustrialização e urbanização brasileira 7 ano
Industrialização e urbanização brasileira 7 ano
 
A IndustrializaçãO Do Brasil Atividade 1º Mb
A IndustrializaçãO Do Brasil Atividade 1º MbA IndustrializaçãO Do Brasil Atividade 1º Mb
A IndustrializaçãO Do Brasil Atividade 1º Mb
 
Crescimento urbano - impactos e transformações na sociedade.
Crescimento urbano - impactos e transformações na sociedade.Crescimento urbano - impactos e transformações na sociedade.
Crescimento urbano - impactos e transformações na sociedade.
 
Desconcentração espacial da indústria
Desconcentração espacial da indústriaDesconcentração espacial da indústria
Desconcentração espacial da indústria
 
Industrialização brasileira alterações no espaço
Industrialização brasileira   alterações no espaçoIndustrialização brasileira   alterações no espaço
Industrialização brasileira alterações no espaço
 
Países emergentes
Países emergentesPaíses emergentes
Países emergentes
 
Indústria
IndústriaIndústria
Indústria
 
Industrialização tardia
Industrialização tardiaIndustrialização tardia
Industrialização tardia
 
Geografia Urbana
Geografia UrbanaGeografia Urbana
Geografia Urbana
 
UrbanizaçãO e Crescimento Urbano
UrbanizaçãO e Crescimento UrbanoUrbanizaçãO e Crescimento Urbano
UrbanizaçãO e Crescimento Urbano
 
Apresentação de slides pronto
Apresentação de slides prontoApresentação de slides pronto
Apresentação de slides pronto
 

Semelhante a A IndustrializaçãO Do Brasil Atividade 1º Va

Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
Catia Prates
 
A INDÚSTRIA NO ESPAÇO GEOGRÁFICO MUNDIAL.doc
A INDÚSTRIA NO ESPAÇO  GEOGRÁFICO MUNDIAL.docA INDÚSTRIA NO ESPAÇO  GEOGRÁFICO MUNDIAL.doc
A INDÚSTRIA NO ESPAÇO GEOGRÁFICO MUNDIAL.doc
AlfredoFilho18
 
Induastrialização brasiledira 2
Induastrialização brasiledira 2Induastrialização brasiledira 2
Induastrialização brasiledira 2
Euna Machado
 
Atividades economicas do brasil
Atividades economicas do brasilAtividades economicas do brasil
Atividades economicas do brasil
Bruna Azevedo
 
INDUSTRIALIZAÇÃO BRASILEIRA.pptx
INDUSTRIALIZAÇÃO BRASILEIRA.pptxINDUSTRIALIZAÇÃO BRASILEIRA.pptx
INDUSTRIALIZAÇÃO BRASILEIRA.pptx
JulianaRibeiroChavie
 
Primeira Revolução Industrial - Prof.Altair Aguilar.
Primeira Revolução Industrial - Prof.Altair Aguilar.Primeira Revolução Industrial - Prof.Altair Aguilar.
Primeira Revolução Industrial - Prof.Altair Aguilar.
Altair Moisés Aguilar
 
7º ano aula 05 Industrialização Brasileira (2).pptx
7º ano aula 05 Industrialização Brasileira (2).pptx7º ano aula 05 Industrialização Brasileira (2).pptx
7º ano aula 05 Industrialização Brasileira (2).pptx
MoissProfGeo
 
39859_3c52df8f6e0242171c51a6c15a39db47 (1).pptx
39859_3c52df8f6e0242171c51a6c15a39db47 (1).pptx39859_3c52df8f6e0242171c51a6c15a39db47 (1).pptx
39859_3c52df8f6e0242171c51a6c15a39db47 (1).pptx
Janaina Diniz
 
Industria no Brasil 7 ano fundamental.pptx
Industria no  Brasil 7 ano fundamental.pptxIndustria no  Brasil 7 ano fundamental.pptx
Industria no Brasil 7 ano fundamental.pptx
anacardoso258774
 
RevoluçAo Industrial
RevoluçAo IndustrialRevoluçAo Industrial
RevoluçAo Industrial
Ana Batista
 
Industria 2° ano
Industria 2° anoIndustria 2° ano
Industria 2° ano
Débora Sales
 
Processo da industrialização no mundo
Processo da industrialização no mundoProcesso da industrialização no mundo
Processo da industrialização no mundo
Erika Renata
 
Definições de industrias
Definições de industriasDefinições de industrias
Definições de industrias
c20144
 
Brasil transportes, energias e telecomunicacoes
Brasil   transportes, energias e telecomunicacoesBrasil   transportes, energias e telecomunicacoes
Brasil transportes, energias e telecomunicacoes
profleofonseca
 
Aula 03 fontes de energia e industria prevupe
Aula 03 fontes de energia e industria   prevupeAula 03 fontes de energia e industria   prevupe
Aula 03 fontes de energia e industria prevupe
Italo Alan
 
Aula 03 fontes de energia e industria prevupe
Aula 03 fontes de energia e industria   prevupeAula 03 fontes de energia e industria   prevupe
Aula 03 fontes de energia e industria prevupe
Italo Alan
 
Industria
IndustriaIndustria
Industria
Débora Sales
 
Finalizando!
Finalizando!Finalizando!
Finalizando!
Vitor Ferreira
 
Industria
IndustriaIndustria
Industria
Débora Sales
 
Industria
IndustriaIndustria
Industria
Débora Sales
 

Semelhante a A IndustrializaçãO Do Brasil Atividade 1º Va (20)

Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
 
A INDÚSTRIA NO ESPAÇO GEOGRÁFICO MUNDIAL.doc
A INDÚSTRIA NO ESPAÇO  GEOGRÁFICO MUNDIAL.docA INDÚSTRIA NO ESPAÇO  GEOGRÁFICO MUNDIAL.doc
A INDÚSTRIA NO ESPAÇO GEOGRÁFICO MUNDIAL.doc
 
Induastrialização brasiledira 2
Induastrialização brasiledira 2Induastrialização brasiledira 2
Induastrialização brasiledira 2
 
Atividades economicas do brasil
Atividades economicas do brasilAtividades economicas do brasil
Atividades economicas do brasil
 
INDUSTRIALIZAÇÃO BRASILEIRA.pptx
INDUSTRIALIZAÇÃO BRASILEIRA.pptxINDUSTRIALIZAÇÃO BRASILEIRA.pptx
INDUSTRIALIZAÇÃO BRASILEIRA.pptx
 
Primeira Revolução Industrial - Prof.Altair Aguilar.
Primeira Revolução Industrial - Prof.Altair Aguilar.Primeira Revolução Industrial - Prof.Altair Aguilar.
Primeira Revolução Industrial - Prof.Altair Aguilar.
 
7º ano aula 05 Industrialização Brasileira (2).pptx
7º ano aula 05 Industrialização Brasileira (2).pptx7º ano aula 05 Industrialização Brasileira (2).pptx
7º ano aula 05 Industrialização Brasileira (2).pptx
 
39859_3c52df8f6e0242171c51a6c15a39db47 (1).pptx
39859_3c52df8f6e0242171c51a6c15a39db47 (1).pptx39859_3c52df8f6e0242171c51a6c15a39db47 (1).pptx
39859_3c52df8f6e0242171c51a6c15a39db47 (1).pptx
 
Industria no Brasil 7 ano fundamental.pptx
Industria no  Brasil 7 ano fundamental.pptxIndustria no  Brasil 7 ano fundamental.pptx
Industria no Brasil 7 ano fundamental.pptx
 
RevoluçAo Industrial
RevoluçAo IndustrialRevoluçAo Industrial
RevoluçAo Industrial
 
Industria 2° ano
Industria 2° anoIndustria 2° ano
Industria 2° ano
 
Processo da industrialização no mundo
Processo da industrialização no mundoProcesso da industrialização no mundo
Processo da industrialização no mundo
 
Definições de industrias
Definições de industriasDefinições de industrias
Definições de industrias
 
Brasil transportes, energias e telecomunicacoes
Brasil   transportes, energias e telecomunicacoesBrasil   transportes, energias e telecomunicacoes
Brasil transportes, energias e telecomunicacoes
 
Aula 03 fontes de energia e industria prevupe
Aula 03 fontes de energia e industria   prevupeAula 03 fontes de energia e industria   prevupe
Aula 03 fontes de energia e industria prevupe
 
Aula 03 fontes de energia e industria prevupe
Aula 03 fontes de energia e industria   prevupeAula 03 fontes de energia e industria   prevupe
Aula 03 fontes de energia e industria prevupe
 
Industria
IndustriaIndustria
Industria
 
Finalizando!
Finalizando!Finalizando!
Finalizando!
 
Industria
IndustriaIndustria
Industria
 
Industria
IndustriaIndustria
Industria
 

Mais de ProfMario De Mori

100 DICAS PARA ACERTAR NO ENEM
100 DICAS PARA ACERTAR NO ENEM100 DICAS PARA ACERTAR NO ENEM
100 DICAS PARA ACERTAR NO ENEM
ProfMario De Mori
 
ATIVIDADES DAS TIRAS E DO ATLAS 2º ANOS
ATIVIDADES DAS TIRAS E DO ATLAS 2º ANOS ATIVIDADES DAS TIRAS E DO ATLAS 2º ANOS
ATIVIDADES DAS TIRAS E DO ATLAS 2º ANOS
ProfMario De Mori
 
ATIVIDADES DAS TIRAS E DO ATLAS 1º ANOS
ATIVIDADES DAS TIRAS E DO ATLAS 1º ANOS ATIVIDADES DAS TIRAS E DO ATLAS 1º ANOS
ATIVIDADES DAS TIRAS E DO ATLAS 1º ANOS
ProfMario De Mori
 
ATIVIDADES DAS TIRAS E DO ATLAS 9º ANOS
ATIVIDADES DAS TIRAS E DO ATLAS 9º ANOS ATIVIDADES DAS TIRAS E DO ATLAS 9º ANOS
ATIVIDADES DAS TIRAS E DO ATLAS 9º ANOS
ProfMario De Mori
 
100 DICAS ENEM PARTE 11
100 DICAS ENEM PARTE 11100 DICAS ENEM PARTE 11
100 DICAS ENEM PARTE 11
ProfMario De Mori
 
100 DICAS ENEM PARTE 10
100 DICAS ENEM PARTE 10100 DICAS ENEM PARTE 10
100 DICAS ENEM PARTE 10
ProfMario De Mori
 
100 DICAS ENEM PARTE 09
100 DICAS ENEM PARTE 09100 DICAS ENEM PARTE 09
100 DICAS ENEM PARTE 09
ProfMario De Mori
 
100 DICAS ENEM PARTE 08
100 DICAS ENEM PARTE 08100 DICAS ENEM PARTE 08
100 DICAS ENEM PARTE 08
ProfMario De Mori
 
100 DICAS ENEM PARTE 07
100 DICAS ENEM PARTE 07100 DICAS ENEM PARTE 07
100 DICAS ENEM PARTE 07
ProfMario De Mori
 
100 DICAS ENEM PARTE 06
100 DICAS ENEM PARTE 06100 DICAS ENEM PARTE 06
100 DICAS ENEM PARTE 06
ProfMario De Mori
 
100 DICAS ENEM PARTE 05
100 DICAS ENEM PARTE 05100 DICAS ENEM PARTE 05
100 DICAS ENEM PARTE 05
ProfMario De Mori
 
100 DICAS ENEM PARTE 04
100 DICAS ENEM PARTE 04100 DICAS ENEM PARTE 04
100 DICAS ENEM PARTE 04
ProfMario De Mori
 
100 DICAS ENEM PARTE 03
100 DICAS ENEM PARTE 03100 DICAS ENEM PARTE 03
100 DICAS ENEM PARTE 03
ProfMario De Mori
 
100 DICAS ENEM PARTE 02
100 DICAS ENEM PARTE 02100 DICAS ENEM PARTE 02
100 DICAS ENEM PARTE 02
ProfMario De Mori
 
100 DICAS ENEM PARTE 01
100 DICAS ENEM PARTE 01100 DICAS ENEM PARTE 01
100 DICAS ENEM PARTE 01
ProfMario De Mori
 
Aula charges sociologia 2º anos
Aula charges sociologia 2º anosAula charges sociologia 2º anos
Aula charges sociologia 2º anos
ProfMario De Mori
 
Aula atlas 2º anos - 2º BIMESTRE
Aula atlas 2º anos - 2º BIMESTRE Aula atlas 2º anos - 2º BIMESTRE
Aula atlas 2º anos - 2º BIMESTRE
ProfMario De Mori
 
Aula charges sociologia 1º anos
Aula charges sociologia 1º anosAula charges sociologia 1º anos
Aula charges sociologia 1º anos
ProfMario De Mori
 
Aula charges sociologia 1º anos
Aula charges sociologia 1º anosAula charges sociologia 1º anos
Aula charges sociologia 1º anos
ProfMario De Mori
 
Aula atlas 1º anos - 2º BIMESTRE
Aula atlas 1º anos - 2º BIMESTRE Aula atlas 1º anos - 2º BIMESTRE
Aula atlas 1º anos - 2º BIMESTRE
ProfMario De Mori
 

Mais de ProfMario De Mori (20)

100 DICAS PARA ACERTAR NO ENEM
100 DICAS PARA ACERTAR NO ENEM100 DICAS PARA ACERTAR NO ENEM
100 DICAS PARA ACERTAR NO ENEM
 
ATIVIDADES DAS TIRAS E DO ATLAS 2º ANOS
ATIVIDADES DAS TIRAS E DO ATLAS 2º ANOS ATIVIDADES DAS TIRAS E DO ATLAS 2º ANOS
ATIVIDADES DAS TIRAS E DO ATLAS 2º ANOS
 
ATIVIDADES DAS TIRAS E DO ATLAS 1º ANOS
ATIVIDADES DAS TIRAS E DO ATLAS 1º ANOS ATIVIDADES DAS TIRAS E DO ATLAS 1º ANOS
ATIVIDADES DAS TIRAS E DO ATLAS 1º ANOS
 
ATIVIDADES DAS TIRAS E DO ATLAS 9º ANOS
ATIVIDADES DAS TIRAS E DO ATLAS 9º ANOS ATIVIDADES DAS TIRAS E DO ATLAS 9º ANOS
ATIVIDADES DAS TIRAS E DO ATLAS 9º ANOS
 
100 DICAS ENEM PARTE 11
100 DICAS ENEM PARTE 11100 DICAS ENEM PARTE 11
100 DICAS ENEM PARTE 11
 
100 DICAS ENEM PARTE 10
100 DICAS ENEM PARTE 10100 DICAS ENEM PARTE 10
100 DICAS ENEM PARTE 10
 
100 DICAS ENEM PARTE 09
100 DICAS ENEM PARTE 09100 DICAS ENEM PARTE 09
100 DICAS ENEM PARTE 09
 
100 DICAS ENEM PARTE 08
100 DICAS ENEM PARTE 08100 DICAS ENEM PARTE 08
100 DICAS ENEM PARTE 08
 
100 DICAS ENEM PARTE 07
100 DICAS ENEM PARTE 07100 DICAS ENEM PARTE 07
100 DICAS ENEM PARTE 07
 
100 DICAS ENEM PARTE 06
100 DICAS ENEM PARTE 06100 DICAS ENEM PARTE 06
100 DICAS ENEM PARTE 06
 
100 DICAS ENEM PARTE 05
100 DICAS ENEM PARTE 05100 DICAS ENEM PARTE 05
100 DICAS ENEM PARTE 05
 
100 DICAS ENEM PARTE 04
100 DICAS ENEM PARTE 04100 DICAS ENEM PARTE 04
100 DICAS ENEM PARTE 04
 
100 DICAS ENEM PARTE 03
100 DICAS ENEM PARTE 03100 DICAS ENEM PARTE 03
100 DICAS ENEM PARTE 03
 
100 DICAS ENEM PARTE 02
100 DICAS ENEM PARTE 02100 DICAS ENEM PARTE 02
100 DICAS ENEM PARTE 02
 
100 DICAS ENEM PARTE 01
100 DICAS ENEM PARTE 01100 DICAS ENEM PARTE 01
100 DICAS ENEM PARTE 01
 
Aula charges sociologia 2º anos
Aula charges sociologia 2º anosAula charges sociologia 2º anos
Aula charges sociologia 2º anos
 
Aula atlas 2º anos - 2º BIMESTRE
Aula atlas 2º anos - 2º BIMESTRE Aula atlas 2º anos - 2º BIMESTRE
Aula atlas 2º anos - 2º BIMESTRE
 
Aula charges sociologia 1º anos
Aula charges sociologia 1º anosAula charges sociologia 1º anos
Aula charges sociologia 1º anos
 
Aula charges sociologia 1º anos
Aula charges sociologia 1º anosAula charges sociologia 1º anos
Aula charges sociologia 1º anos
 
Aula atlas 1º anos - 2º BIMESTRE
Aula atlas 1º anos - 2º BIMESTRE Aula atlas 1º anos - 2º BIMESTRE
Aula atlas 1º anos - 2º BIMESTRE
 

Último

O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
Pastor Robson Colaço
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Biblioteca UCS
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
profesfrancleite
 
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptxApresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
JulianeMelo17
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdflivro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
cmeioctaciliabetesch
 
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdfEgito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
sthefanydesr
 
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdfCADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
NatySousa3
 
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdfiNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
andressacastro36
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
ValdineyRodriguesBez1
 
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptxSlides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Funções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prismaFunções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prisma
djincognito
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
LucianaCristina58
 
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e ZCaça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
Mary Alvarenga
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
TomasSousa7
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
Mary Alvarenga
 
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdfCaderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
carlaslr1
 
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdfEspecialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
DanielCastro80471
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
MateusTavares54
 
Sócrates e os sofistas - apresentação de slides
Sócrates e os sofistas - apresentação de slidesSócrates e os sofistas - apresentação de slides
Sócrates e os sofistas - apresentação de slides
jbellas2
 

Último (20)

O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
 
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptxApresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdflivro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
 
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdfEgito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
 
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdfCADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
 
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdfiNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
 
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptxSlides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
 
Funções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prismaFunções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prisma
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
 
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e ZCaça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
 
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdfCaderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
 
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdfEspecialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
 
Sócrates e os sofistas - apresentação de slides
Sócrates e os sofistas - apresentação de slidesSócrates e os sofistas - apresentação de slides
Sócrates e os sofistas - apresentação de slides
 

A IndustrializaçãO Do Brasil Atividade 1º Va

  • 1. ATIVIDADE DA TURMA 1º VA COLÉGIO JESUS CRISTO REI
  • 2. Atividade de Geografia Colégio Jesus Cristo Rei. FRASE 01 A indústria corresponde à atividade de transformação, de algo encontrado na natureza em produto de consumo pessoal ou coletivo. Ao processo de incorporar ao ato de produção o uso de técnicas, gerando transformações nas relações sociais e econômicas entre os homens chamamos de Revolução Industrial. A indústria responde por aproximadamente 30% da riqueza gerada no mundo – algo em torno de 9,6 trilhões de dólares em 2001, segundo o Banco Mundial. Nos últimos anos, porém, o maior setor produtivo tem sido castigado pela retração da economia mundial. Com vendas mais fracas, muitas fábricas reduziram a produção e cortaram postos de trabalho. O cenário destoa da notável performance alcançada durante a década de 1990, quando a produção industrial cresceu a uma taxa de 2,8% ao ano, de acordo com a Organização das Nações Unidas para o Desenvolvimento Industrial (Unido).
  • 3.  
  • 4. A Indústria da Moda encontra no ALGODÃO um grande aliado. O Brasil é riquíssimo em PETRÓLEO, e agora muito mais depois da novidade do Pré-Sal. Preocupado com o bem-estar do planeta, o Brasil investe no programa de reciclagem.
  • 5.  
  • 6. Explicação A frase dois fala sobre momentos distintos que aconteceu depois da revolução industrial do século XVII. .Esses momentos foram a 1ª,2ª revolução e a terceira que atualmente se fala.A primeira revolução industrial teve divisões de trabalho devido a substituição de métodos artesanais por mecanizados, ela ocorreu no século XVII na Inglaterra e depois passou para outros paises como França, Bélgica, Japão e os Estados Unidos. Já a segunda revolução que começou no meio do século XIX, foi usada muitas fontes de energia importantes para a época e ate hoje que foram Petróleos, Energia Elétrica, e as Máquinas usavam motores a combustão. Na metade do próximo século os paises agro-exportadores iniciarão sua industrialização, mas com características diferentes dos pioneiros. A terceira revolução industrial que e falada ate nos dias de hoje permitiu o desenvolvimento de atividades na indústria que aplicam tecnologias de ponta em todas as etapas produtivas, o desenvolvimento de biotecnologia e também da cibernética. Para todo estes desenvolvimentos, precisam de fontes de energia que é diversificadas e máquinas e equipamentos são acoplados a computadores e robôs, em muitas linhas de montagem, esta revolução com grandes desenvolvimentos aconteceu no final da década de 70, início da de 80 .
  • 7.  
  • 8. FRASE 03 Essencialmente, indústria significa atividades humanas que realizam a transformação de matéria-prima em algum produto que pode ou não ser comercializado. Porém, a indústria moderna realiza a transformação de matéria-prima, com a utilização de mão-de-obra, máquinas e energia; em bens de consumo. Apesar dessa característica, as indústrias são classificadas de forma distinta. Indústria de bens de produção: Nesse tipo de indústria a atividade desenvolvida transforma a matéria-prima que foi retirada da natureza de forma bruta, além de fornecer máquinas, equipamentos e outros instrumentos a diferentes tipos de indústrias, como aquelas do ramo da siderúrgica, mineração, química entre outras. Enquadram ainda nessa classificação aquelas que têm como objetivo produzir materiais destinados à infra-estrutura, oferecendo suprimentos para o transporte, energia, saneamento e habitação. As indústrias de bens de produção são conhecidas também por indústria de base (fornece condições para a proliferação de outras indústrias) e indústria pesada (transforma grandes quantidades de matéria-prima). Temos nos dias atuais três tipos principais de indústrias as de transformação, as extrativistas e as da construção. De acordo com a tecnologia empregada nessas indústrias, elas podem ser classificadas em dois tipos: Indústrias tradicionais: que contam com muita mão-de-obra e poucas máquinas. Indústrias modernas: ou de capital intensivas que aplicam maior soma de recursos em máquinas e tecnologias.
  • 9.
  • 10. As indústrias tradicionais optam por mais mão-de-obra e menos maquinários. Muitas trabalham assim, mais por exigência cultural de um povo que se preocupa com um produto limpo e confiável Nas indústrias modernas são menos comum a mão-de-obra, substituída por máquinas e conhecimento especializado.
  • 11.  
  • 12.  
  • 13.  
  • 14. Frase Nº5 A industrialização nos países pobres (geral), aconteceu pós II Guerra Mundial, quando os EUA e Europa vendiam industrializados para os países subdesenvolvidos, e estes mandavam matéria prima. Comércio entre EUA e Europa enfraquece com os países subdesenvolvidos, e volta-se principalmente a indústria Bélica. Os países subdesenvolvidos têm que desenvolver a indústria que comprava das grandes potências, é a chamada Indústria de Substituição.(Tardia). Volta da venda de industrializados dos EUA e Europa para os países subdesenvolvidos, mas há algumas tarifas alfandegárias para garantir o Protecionismo. A Entrada de Multinacionais e transnacionais nos países subdesenvolvidos, evidencia a entrada de capital externo, os tornando mais dependentes.
  • 15.
  • 16.  
  • 17. FRASE 6: O processo de industrialização no Brasil está diretamente ligado à acumulação de capital vindo da lavoura do café. A introdução da mão-de-obra assalariada, e a conseqüente extinção da mão-de-obra escrava, na lavoura cafeeira foi o passo mais importante para a inserção do Brasil nos quadros do capitalismo mundial. A instalação de um sistema bancário, companhias ferroviárias e a mecanização de algumas fazendas de café em São Paulo eram o resultado da dinamização do mercado brasileiro. Os processos de industrialização promovem, sempre, a concentração espacial da riqueza e dos recursos financeiros e produtivos. Essa tendência de concentração espacial acompanhou a industrialização brasileira, desde o início do século XX. Em escala nacional, o seu resultado foi a configuração, no Sudeste, de uma região industrial central, dinâmica e integrada. O núcleo dessa região corresponde ao Estado de São Paulo.
  • 18. O café foi um dos primeiros produtos comercial brasileiro. No início era produzido com mão de obra barata, os escravos. Com esse tipo de mão de obra os fazendeiros acumulavam riqueza. Com o fim da escravatura no país e com medo de perderem o poder econômico, começaram a investir em equipamentos para diminuir custos. Como o país não era industrializado, sentiram a necessidade de investir na industrialização dos seus produtos, tanto os produzidos, quanto os para produzirem. Na época os fazendeiros ficaram apavorados com o rumo em que o país estava indo, mas com o passar do tempo constatamos que isso foi um ponto importante para todo o país, e principalmente na região sudeste onde por sorte de clima e posição geográfica foi privilegiada com todo este processo de abertura de mercado e melhores condições de vida do seu povo. Enfim, o café e a necessidade de mudança na época foram essenciais para todo este processo de crescimento da região e do país. EXPLICAÇÃO
  • 19.  
  • 20. Diversos países, como Argentina, México e Brasil, iniciaram o processo de industrialização efetiva a partir da segunda metade do século XX, no entanto, o embrião desse processo no Brasil ocorreu ainda nas primeiras décadas de 30, momentos depois da crise de 29. Crise essa que ocasionou a falência de muitos produtores de café, com isso, a produção cafeeira entrou em declínio. Quando se fala em industrialização do Brasil é bom ressaltar que tal processo não ocorreu em nível nacional, uma vez que a primeira região a se desenvolver industrialmente foi o sudeste.
  • 21. Além da crise do café,um dos principais produtos do Brasil, outros fatores como a queda de bancos, industrias e comercio, levaram o país a buscar uma saída,que no caso era a industrialização.Ela que era a solução dos problemas, deveria ser distribuída para todas as regiões, mas não foi bem assim que aconteceu, formando então ilhas econômicas,onde a concentração de poder é grande, e uma delas é o Sudeste. A partir desse ponto, além de uma crise, o brasileiro também sofria com a má distribuição na economia do país .
  • 22.  
  • 23. FRASE 8 O Brasil é considerado um país emergente ou em desenvolvimento, Apesar disso está quase um século atrasado industrialmente e Tecnologicamente em relação às nações que ingressaram no Processo de industrialização no momento em que a primeira Revolução industrial,entrou em vigor, como Inglaterra, Alemanha, França, Estados Unidos, Japão e outros. As indústrias no Brasil se Desenvolveram a partir de mudanças estruturais de caráter Econômico, social e político, que ocorreram principalmente nos Últimos trinta anos do séculos XIX.
  • 24. COMENTÁRIO Na verdade ocorre os dois pois tanto á um atraso na indústria quanto na parte tecnológica em relação aos outros países por motivos sociais e políticos pois apesar do grande desenvolvimento dos países citados o Brasil nunca teve incentivo algum para obter algum desenvolvimento.
  • 25.  
  • 26.  
  • 27. FRASE 11 No Brasil, a chegada delas se deu, principalmente a partir do governo de JK, que abriu a economia nacional ao capital internacional proporcionando grande internacionalização da economia, por outro lado também beneficiou multinacionais como por exemplo na opção pela via rodoviarista de transportes para o Brasil, que naquele momento atraiu várias multinacionais produtoras de automóveis, mas que condenou os brasileiros a pagarem os custos mais elevados desse tipo de transporte. Hoje a presença delas no Brasil é muito intensa e numerosa, elas sendo responsáveis por grande parte da drenagem de capitais que saem do país através das remessas de lucros.
  • 28.
  • 29.  
  • 30.  
  • 31. Vários foram os fatores que contribuíram para a intensificação da indústria brasileira, dentre os principais: crescimento acelerado dos grandes centros urbanos derivado do fenômeno do êxodo rural, promovido pela queda do café. A partir dessa migração houve um grande aumento de consumidores, apresentando a necessidade de produzir bens de consumo para a população. Outro fator importante para a industrialização brasileira foi a utilização das ferrovias e dos portos, anteriormente usados para o transporte do café, que passaram a fazer parte do setor industrial. Além desse fator, outro motivo que favoreceu o crescimento industrial foi a abundante quantidade de mão-de-obra estrangeira, sobretudo, italianos, que antes trabalhavam na produção do café.
  • 32.
  • 33.
  • 34. Um dos fundamentais elementos para a industrialização brasileira foi a aplicação de capitais gerados na produção de café para a indústria, a contribuição dos estrangeiros nas fábricas, como alemães, italianos e espanhóis. O estado também exerceu grande relevância nesse sentido, pois realizou elevados investimentos nas indústrias de base e infra-estrutura, como ferrovias, rodovias, portos, energia elétrica entre outros. Mais tarde, após a Segunda Guerra Mundial, a Europa não tinha condições de exportar produtos industrializados, pois todo o continente se encontrava totalmente devastado pelo confronto armado, então o Brasil teve que incrementar o seu parque industrial e realizar a conhecida industrialização por substituição de exportação. Nessa mesma década aconteceu a inserção de várias empresas derivadas de países industrializados que atuavam especialmente no seguimento da indústria automobilística, química, farmacêutica, eletroeletrônicas, a partir de então, o Brasil ingressou efetivamente no processo de industrialização, deixando de ser um país essencialmente produtor primário para um estado industrial e urbano, no qual ambos estão ligados diretamente.
  • 35.
  • 36.
  • 37.  
  • 38.
  • 39.  
  • 40.  
  • 41.
  • 42.
  • 43.  
  • 44. FRASE 16 A Industrialização Tardia do Brasil, foi marcada por fases, a de 1808 a 1930, as Oligarquias no Brasil, diziam que o País “Não tinha vocação industrial, mas vocação agrícola”. Na segunda metade do século XVIII, o governo português chega a proibir formalmente em 1785 o funcionamento de fábricas na colônia, para não atrapalhar a venda de tecidos e roupas, adquiridos na Inglaterra e comercializados por portugueses no Brasil. Os primeiros esforços importantes para a industrialização ocorrem no Império. Durante o Segundo Reinado, empresários brasileiros, como Irineu Evangelista de Souza, o Visconde de Mauá, e grupos estrangeiros, principalmente ingleses, investem em estradas de ferro, estaleiros, empresas de transporte urbano e gás, bancos e seguradoras. A política econômica oficial, porém, continua a privilegiar a agricultura exportadora.
  • 45. O Brasil foi fortemente dominado em um certo período pela República das Oligarquias,onde os cafeicultores exerciam poder absoluto sobre a política,privilegiando a produção do café.Por isso que eles diziam que o Brasil “não tinha vocação industrial”,ficando por isso mesmo durante anos até o colapso da economia cafeeira.Na primeira metade do século xx foi que o Brasil percebeu a necessidade de transformação de uma economia agrícola em industrial.As guerras foram importantes para a visão do Brasil que percebeu a dificuldade de importação.Foi na Era Vargas que começou tal desenvolvimento industrial.Vargas e os governos seguintes investiram em infra-estrutura e em industrias de base,como:siderurgia e metalurgia,mas tudo isso obtido com capital estrangeiro.Todo esse processo pelo qual passou o Brasil,influenciou na diversificação das atividades industriais que o país tem.
  • 46.  
  • 47.  
  • 48.
  • 49.  
  • 50. A Industrialização Tardia do Brasil, foi marcada por fases, a de 1808 a 1930, teve suas marcas, como as condições sociais e econômicas do Brasil da Década de 20, para o Surto Industrial: Êxodo Rural, de trabalhadores livres. Outros Imigrantes vindos do exterior tornam São Paulo, com presença de grande disponibilidade de mão-de-obra para contratação no setor industrial, com conhecimentos de inúmeras práticas artesanais. A massa de imigrantes também se tornou um mercado de consumo para a produção industrial, em grande parte influenciado pelos hábitos de consumo dos imigrantes. Imigrantes contribuíram para abertura de fábricas, e diversificação da produção da indústria local. Com a Produção de café concentrada em São Paulo, fato importante, está na concentração e acumulação de capitais, que sendo investida no setor industrial, torna a região muito propensa para o surto industrial. OBS: Este fato, até a crise de 1929.
  • 51.
  • 52.  
  • 53.  
  • 54.
  • 55.  
  • 56.  
  • 57.  
  • 58.  
  • 59.  
  • 60.  
  • 61. FRASE 24 A Industrialização Tardia do Brasil, foi marcada por fases, sendo que no período de 1964 a 1985, com um governo militar, fortemente centralizador e estatal, as indústrias passam por uma nova fase. Após 1967, o crescimento industrial do Brasil supera 10% ao ano, ficando conhecido como "milagre brasileiro", encerrando esse ciclo em 1974. Devido a esse crescimento acelerado, os militares formularam o projeto "Brasil Potência", buscando transformá-lo em potência econômica. Data dessa fase o crescimento do Banco do Brasil, Banespa, Petrobrás, Cia Vale do Rio Doce etc, que além de estarem presente no Brasil, também o estavam nos países vizinhos. Servindo como sustentáculo do imperialismo brasileiro. Por isso, alguns países teriam que voltar a serem o que eram antes. (Projeto Globalização em andamento).
  • 62.
  • 63.  
  • 64.  
  • 65.  
  • 66.  
  • 67. A Industrialização Tardia do Brasil, foi marcada por fases, sendo que no período de 1964 a 1985, sendo que temos que lembrar que em 1973, tivemos o Choque do Petróleo, que de US$2,70 foi para US$ 12,00, obrigando os países a se reestruturarem para essa nova realidade. A industrialização do Brasil, esteve envolvido com os dinheiros emprestados das grandes nações (petrodólares) que havia muito e era fácil de ser emprestado. A "Dívida Externa" que era de US$ 3,7 bilhões em 1964, também era 43ª economia, passou para aproximadamente US 95 bilhões em 1985 e o Brasil já era então a 8ª economia do mundo. Esses empréstimos financiaram obras como Itaipu, Angra dos Reis, Ponte Rio Niterói, a fracassada Transamazônica. Muitas mudanças estavam em curso , tanto política como econômica mundo, inclusive no Brasil. Na década de 80, o despertar dos sindicatos, o grande dívida externa, a inflação em alta, a busca do fim do governo militar, mudanças nos meio de produção com a 3ª Revolução Industrial, a dificuldade dos empresários de acompanhar essa nova fase, que acaba por sucatear o parque industrial, o diminuição do crescimento industrial, o aumento da população, o êxodo rural, cujas propagandas vendiam a cidade como o paraíso, esses fatores contribuíram no aumento do desemprego. Essa década é chamada de "Década Perdida".
  • 68.
  • 69.  
  • 70. A Industrialização Tardia do Brasil, foi marcada por fases, sendo que no período de 1985 a 2009, com o fim do governo militar, a nível internacional, a nova onda era o "Neoliberalismo" (iniciado em 1973) sendo que o Brasil entrou nela até os dias de hoje, que por sinal já está mostrando sinais de esgotamento. Os governos interventores da década de 30, deveriam ser destruídos e em seu lugar as empresas estatais deveriam serem privatizadas, ao governo, cabe uma interferência mínima nos chamados serviços essenciais,como educação, saúde, segurança etc. Até fevereiro de 2002, 139 empresas foram vendidas, ao preço de US$ 103 bilhões. Frase 27
  • 71. No período de Ditadura militar(1960-1970), a economia brasileira cresceu de forma de forma milagrosa, numa taxa de 12% ao ano, essa época ficou conhecida como o “Milagre brasileiro”. Mas o Brasil quando viu era tarde pois ele via sua dívida aumentar como uma onda, que o engolia. Depois desse enorme desenvolvimento vieram os anos conhecidos como a “Década perdida”(década de 80) que trouxe o problema da divida do Brasil. Com isso o FMI começou a emprestar dinheiro para o Brasil, porém. ele deveria cortar vários gastos, como cortes de investimento gastos sociais e outros. Como consequências houve uma grande retração no mercado interno, o numero de desemprego aumentou como nunca antes, uma grande parte da população começava a viver pior que as gerações anteriores e o pais passou de pólo de imigrações para de emigrações, por isso Década perdida . No período da Guerra Fria, o Brasil estava passando pela política Neoliberal cujo algumas características eram: diminuição do papel do estado, fim da proteção à industria nacional, privatização de grandes empresas estatais, abertura do mercado financeiro nacional, fim do planejamento estatal. Frase 27
  • 72.  
  • 73.
  • 74.
  • 75.  
  • 76. Frase 29 Podemos identificar vários Impactos da Industrias no Brasil, sendo que o impacto positivo: - Desenvolve a economia, Gera empregos direta e indiretamente, Gera impostos, Desenvolve o comércio (local), Tecnologia, Desenvolve o setor primário (matéria prima), Desenvolve o Sistema de Transporte, enquanto o impacto negativo: Degradação do meio ambiente. Multinacionais (domínio econômico e político).Mudanças de consumo.Especialização da mão-de-obra.
  • 77. COMENTÁRIO A frase cita as vantagens e as desvantagens das industrias. Um dos pontos mais positivos foi a industrialização e a geração de economia para o país, porém uma desvantagem que atinge a todos é porque quanto mais indústrias maior é a degradação ao meio ambiente, conseqüência da alta poluição gerada principalmente pelas fábricas. O número de desempregados hoje é muito alto mas poderia ser maior se não tivesse sido criada tantas indústrias para gerar empregos, o avanço da tecnologia também ajudou muito, porque empresas de vários setores só foram criadas a partir desse avanço. O país depende do crescimento das empresas devido ao aumento da população.
  • 78. Desvantagem da implantação de industrias, porém sendo vantagem para a economia do Brasil
  • 79.
  • 80.
  • 81.  
  • 82. Ao iniciar a industrialização de um país, ela inicialmente se concentra em um local, nas regiões fabris. Mas ao longo do tempo acontece a dispersão, com as fábricas mais modernas procurando outras áreas que atendam os seus interesses. A região fabril deve-se a presença de matéria prima, mercado consumidor e facilidade de transporte. Ocorre a dispersão pois as manchas de industrias torna seus terrenos caros, com altos impostos, sindicatos de trabalhadores... E para fugir disso as indústrias procuram locais afastados, com menos impostos, melhores terrenos, e a tecnologia ajuda a facilitar esse processo. Com o desenvolvimento de transportes e comunicações, as pequenas cidades próximas às áreas tradicionais de indústria, tornam-se atrativas, e algumas indústrias são implantadas nessas novas áreas. A dispersão industrial do sudeste começa pelo Rio de janeiro, pois a concentração econômica da lavoura cafeeira de São Paulo fez com que desenvolvesse o transporte ferroviário, então as indústrias foram dispersando-se ao longo das ferrovias. Nas últimas décadas a dispersão industrial tem acontecido pelo estado de São Paulo, já que as cidades periféricas oferecem condições favoráveis. A criação da Zona Franca, na década de 70, foi responsável pela dispersão para o Norte.
  • 83.
  • 84.  
  • 85. FRASE 33 NO ESTADO DE SÃO PAULO, DESTAQUE PARA OS SEGUINTES EIXOS: A REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO, GRANDE SÃO PAULO, O ABCD. SISTEMA RODOVIÁRIO-ANCHIETA-IMIGRANTES, LIGANDO SÃO PAULO-CUBATÃO E AO PORTO DE SANTOS; ENTORNO RODOVIA DUTRA – LIGA SÃO PAULO AO RIO DE JANEIRO, FAVORECIDO PELO EIXO QUE INTERLIGA ÁS CIDADES DO VALE DO PARAÍBA PAULISTA: SÃO JOSÉ DOS CAMPOS E OUTRAS. SISTEMA RODOVIÁRIO ANHANGUERA/BANDEIRANTES – LIGA SÃO PAULO E RIBEIRÃO PRETO, PASSANDO POR CIDADES IMPORTANTES, COMO CAMPINAS, JUNDIAÍ, FRANCA, OUTRAS. NO RIO DE JANEIRO, PRINCIPAIS CENTROS SÃO: GRANDE RIO E BAIXADA FLUMINENSE. REGIÃO SERRANA (PETRÓPOLIS E TERESÓPOLIS). EM MINAS GERAIS, INDUSTRIAS SE CONCENTRAM: EM TORNO DA GRANDE BELO HORIZONTE, COM DISTRITOS INDUSTRIAIS EM CONTAGEM E BETIM.
  • 86.  
  • 87. PERCEBEMOS... QUE SÃO PAULO É UMA POSSUI O MELHOR SISTEMA RODOVIÁRIO DO BRASIL E COM ESSA GRANDE IMPORTANCIA DE SER A MELHOR, SÃO PAULO FA GRANDES INTERLIGAÇÕES QUE GERAM LUCROS, ECONOMIAS QUE FAVORECE À TODAS AS REGIÕES BRASILEIRAS, POIS INTERLIGAM SÃO PAULO AO RIO DE JANEIRO/MINAS GERAIS PROPORCIONANDO UMA TRANSLAÇÃO DE CAPITAL. O SISTEMA RODOVIARIO DO ESTADO É DIVIDIDA EM TRÊS NIVEÍS: MUNICIPAL, ESTADUAL E FEDERAL. SÃO PAULO, O PRINCIPAL SISTEMA RODOVIARIO RESPONSAVEL PELA MANIFESTAÇÃO DAS RODOVIAS MOSTRADO NAS IMAGENS É A LIGAÇÃO DOS PRINCIPAIS ESTADOS DO BRASIL PROPORCIONANDO MAIS GERAÇÕES DE LUCROS E TAMBEM CONTENDO AS MELHORES RODOVIAS, ASFALTAMENTO EM ALTA QUALIDADE, SINALIZAÇÃO, ENTRE OUTROS. CONCLUIMOS QUE AS RODOVIAS SÃO PAULO/RIO DE JANEIRO/MINAS GERAIS/ESPIRITO SANTO E OUTRAS REGIÕES, SÃO AS PRINCIPAIS FONTES DE ALMENTO DE CAPITAL E A MELHORIA DO NOSSO PAIS, POR FAZEREM LIGAÇÕES EXCELENTES PARA UM PAÍS SUBDESENVOLVIDO/DESENVOLVIDO
  • 88.  
  • 89.  
  • 90.  
  • 91. Das áreas Industriais Tradicionais, temos a região Sul, detentora de metade de toda a produção nacional de grãos, cultivam-se milho, arroz, feijão, trigo e tabaco. O Sul é a região que mais produz soja, mel, alho, maçã e cebola. A região perde 9,87% da safra de 2002 em relação a 2001. A exceção fica para a produção de trigo, que aumenta em Santa Catarina, Paraná e Rio Grande do Sul no mesmo período. A vegetação rasteira, típica da região, favorece a criação de rebanhos bovinos, em particular nos pampas gaúchos. Também é importante a criação de frango, porco e carneiro. A Região Sul possui ainda grande potencial hidrelétrico, destacando-se a Usina de Itaipu, localizada no rio Paraná, na fronteira do estado do Paraná com o Paraguai. No Rio Grande do Sul, as Indústrias se concentram na Grande Porto Alegre. No Nordeste do estado ( Caxias do Sul, Garibaldi e bento Gonçalves). São Leopoldo e Novo Hamburgo. Em Santa Catarina, as Indústrias se concentram: . Vale do Itajaí (Blumenau e Brusque). Cidade de Joinville e a Zona Carbonífera ( Criciúma e Siderópolis). No Paraná, as Indústrias se Concentram: Na Grande Curitiba.
  • 92. COMENTÁRIO O Sul é a segunda região mais rica do Brasil, depois do Sudeste, representando em do PIB brasileiro. Tem grande potencial industrial, e de agricultura com tecnologia. O Sul também é um grande exportador nacional, com destaque para produtos agrícolas e agroindustriais, como grãos e aves. A maior parte do espaço territorial sulista é ocupado pela pecuária na criação de porcos que esta também paralela a plantação de milho, porém a atividade econômica de maior rendimento e que emprega o maior número de trabalhadores é a agricultura. A atividade agrícola no Sul distribui-se em dois amplos e diversificados setores: policultura e monocultura. Na industria o Sul é a segunda região do Brasil em número de trabalhadores e em valor e volume da produção industrial. Esse avanço deve-se a uma boa rede de transportes rodoviários e ferroviários, grande potencial hidrelétrico fácil aproveitamento de energia térmica, grande volume e variedade de matérias primas e mercado consumidor com elevado poder aquisitivo. Em relação a energia, a região Sul é muito rica em xisto betuminoso e carvão mineral. O carvão mineral é utilizado para produzir energia elétrica nas usinas termoelétricas . Além desses minérios, a região possui também energia elétrica em abundância, graças às características de sua hidrografia os rios caudalosos e os rios de planalto, e onde se encontra também a hidrelétrica de Itaipu que e muito importante para nosso país.
  • 93. Plantação de Soja e Usina de itaipú
  • 94. Das áreas Industriais Tradicionais, temos a região Nordeste, que nos últimos anos, a economia tem apresentado pequeno crescimento, mas ainda assim se mostra mais dinâmica que a média do país. Com a chamada guerra fiscal (concessão de benefícios fiscais pelos governos estaduais), uma série de indústrias se instalou nos estados nordestinos, para fugir da carga tributária e fiscal mais pesada no Sul e no Sudeste. Foi assim com a Ford, que se estabeleceu na Bahia, e com empresas têxteis que foram para o Ceará. A Região Nordeste é a segunda produtora de petróleo do país. Nela funciona um dos principais pólos petroquímicos, o de Camaçari (BA). A agricultura e a pecuária sofrem com os longos períodos de seca. A cana-de-açúcar é o principal produto agrícola da região, mas as lavouras irrigadas de frutas tropicais vêm crescendo em importância na produção nacional. Segundo o governo de Pernambuco, de cada 3 dólares que entram no país em exportação de fruta, 1 foi gerado nessas áreas.
  • 95.
  • 96.  
  • 97.  
  • 98.
  • 99.  
  • 100.  
  • 101.  
  • 102.  
  • 103.  
  • 104. FRASE 40 De 1985 a 2001, as inovações tecnológicas e de gerenciamento, a abertura comercial, a criação do Mercado Comum do Sul (Mercosul), a estabilidade monetária, as privatizações, a redução do peso do Estado nos investimentos produtivos e a guerra de incentivos fiscais entre estados promovem importante reestruturação produtiva das indústrias. Como efeito global dessas mudanças, mantém-se a trajetória de desconcentração regional, com as indústrias. Instalando-se em outros lugares que não apenas as regiões mais tradicionais, mas a um ritmo menos intenso que o observado no período anterior. Paralelamente, observam-se alterações intra-regionais relevantes, com o crescimento da importância relativa das aglomerações industriais no interior dos estados, particularmente em cidades de porte médio do eixo Sul-Sudeste
  • 105.  
  • 106.  
  • 107.
  • 108.
  • 109.  
  • 110.
  • 111.
  • 112.  
  • 113. FRASE 43 O Brasil durante muito tempo ocupou destaque somente no setor primário, como a agropecuária e o extrativismo (vegetal, minera e animal). Após consecutivas crises econômicas, atualmente o Brasil é considerado um dos mais industrializados países do mundo, por isso ocupa o décimo quinto lugar nesse seguimento em escala global. A intensificação da indústria brasileira faz com que o país possua um enorme e variado parque industrial que produz desde bens de consumo à tecnologia de ponta. A configuração como país industrializado não reflete na realidade nacional, isso por que a industrialização não ocorre de forma homogênea no país, isso quer dizer que se encontra irregularmente distribuída no território, onde algumas áreas são densamente industrializadas e outras praticamente desprovidas dessa atividade econômica.
  • 114. Industrialização do Brasil A frase relata a realidade da Industrialização brasileira, que recebe influencias por ser tardia, passou pela fase da proibição o que dificultou o processo de industrialização. Após esse processo aconteceram instalações, onde o Brasil recebe indústrias. No ano de 1930 a 1955, Juntamente com a Era Vargas acontece à primeira Revolução industrial brasileira que foi um grande avanço. Após a década de 50, Tendo com presidente Juscelino Kubitschek passamos pela fase de internacionalização, quando o Brasil passa a receber capital externo, indústrias e multinacionais. O Brasil cresceu, mas ficou endividado, passando por uma forte crise econômica, e a única solução foi à abertura econômica, o Neoliberalismo. Hoje o Brasil possui algumas áreas muito bem industrializadas com predominância na Região Sudeste, pode ser observado também que a divisão de industrialização não é homogênea. Existem algumas áreas mais adaptadas, com maior mão de abra, mais matérias primas e outros, por isso são as regiões de concentração de indústrias.
  • 115.  
  • 116.  
  • 117.
  • 118.  
  • 119.  
  • 120. COMENTÁRIO A frase fala sobre o desenvolvimento do Brasil como ele vem conseguindo um lugar de destaque no cenário internacional apesar de passar por alguns tipos de problemas sociais. Tendo em destaque o sudeste que tem uma base industrial vinculada com produtos tradicionais tais como: A produção têxtil, a produção de açúcar e a produção de álcool.
  • 121.
  • 122. Frase 47 A região do Brasil que apresenta a indústria mais forte é a Sudeste, principalmente no Estado de São Paulo. O principal pólo industrial do país encontra-se no triângulo Rio - São Paulo - Belo Horizonte. Mas, graças à isenção fiscal oferecida pelos governos estaduais e ao baixo custo da mão de obra, a indústria tem se desenvolvido no restante do país, promovendo uma desconcentração industrial. Um exemplo de descentralização industrial é o que ocorreu em São Paulo: o interior apresenta um crescimento industrial muito maior que o da metrópole, em conseqüência da expansão econômica que aconteceu nessa região. Isso reflete a tendência do deslocamento de novas empresas para fora das localizações metropolitanas, tendo em vista que as metrópoles cada vez mais assumem características de centros urbanos baseados em serviços e comércio (setor terceirizado).
  • 123.
  • 124.  
  • 125.
  • 126.
  • 127.  
  • 128. FRASE 49 A distribuição espacial da produção industrial brasileira tem passado por intensas modificações. A característica mais marcante destas mudanças reside na perda relativa de participação da área metropolitana de São Paulo no produto industrial brasileiro. Este processo de desconcentração resulta da emergência de economias líquidas de desaglomeração na capital paulista e da criação de economias de aglomeração em outros centros urbanos do país. A partir dos anos 70, impõe-se um movimento de desconcentração da produção industrial, uma das manifestações do desdobramento da divisão territorial do trabalho no Brasil. A produção industrial torna-se mais complexa, estendo-se, sobretudo para novas áreas do Sul e para alguns pontos do Centro-Oeste, do Nordeste e do Norte. Paralelamente, as áreas industriais já consolidadas ganham dinamismos diferentes dos que definiram a industrialização em períodos anteriores.
  • 129.
  • 130.  
  • 131. A desconcentração industrial deve ser analisada com especial atenção no estado de São Paulo. Nos últimos anos, a participação da indústria paulista na produção brasileira vem diminuindo. Um dos indicadores mais expressivos da desconcentração industrial está no setor automobilístico. Símbolo do notável progresso industrial de São Paulo na segunda metade do século passado, a indústria automobilística se espalhou pelo País, e hoje menos da metade dos veículos novos que chegam ao mercado sai de linhas de montagem em operação no Estado. Em virtude da modernização dos equipamentos e da remodelação dos arcabouços normativos (impostos, isenções, sindicatos etc.), dados técnicos e dados políticos articularam-se para determinar a instalação de fábricas no interior do estado de São Paulo, muitas delas vinculadas ao desenvolvimento de uma agricultura moderna. Todavia, embora tecnologicamente mais avançadas, as indústrias interioranas acabam por oferecer menos empregos. Dentro da Região Sudeste há uma tendência de saída do ABC Paulista, buscando menores custos de produção do interior paulista, no Vale do Paraíba ao longo da Rodovia Fernão Dias, que liga São Paulo à Belo Horizonte. Estas áreas oferecem, além de incentivos fiscais, menores custos de mão-de-obra, transportes menos congestionados e por tratarem-se de cidades- médias, melhores qualidade de vida, o que é vital quando se trata de tecnopolos.
  • 132.
  • 133. Vale do Paraíba Modernização na Agricultura