SlideShare uma empresa Scribd logo
100 DICAS PARA ACERTAR NO
       ENEM 2012/2013
          PARTE 6
         E AÍ, GOSTARAM?
ACABARAM-SE AS DICAS, E AGORA É
 TORCER PARA QUE ALGUMA DELAS
   CAIA NO SEU ENEM... SUCESSO
 SERÁ TODO SEU..SE VOCE LEVOU A
                SÉRIO
          VOCE VAI VER...
           Prof. MARIO FERNANDO DE MORI
DICA 61:DÉFICIT HABITACIONAL : O
BRASIL PRECISA DE 8 MILHÕES DE
          MORADIAS
QUESTÃO SIMULADA SOBRE O
         TEMA 61
Observe e analise o gráfico abaixo:
Desde o final da década de 1970, no Brasil, os movimentos sociais urbanos
     têm reivindicado o chamado Direito à Cidade, em que a moradia é elemento
     fundamental. Acerca desse tema, considere os gráficos, seus
     conhecimentos e as seguintes afirmações:
I. A Região Sudeste responde por mais da metade do PIB nacional, sendo,
     porém, a região com maior deficit habitacional. Consequentemente, forte
     concentração de capital não significa acesso à moradia.
II. A Região Nordeste tem o segundo maior deficit habitacional e a terceira
     maior participação no PIB nacional. Isso significa que a histórica
     desigualdade social nessa região foi superada.
III. A Região Norte tem o segundo menor deficit habitacional e a menor
     participação no PIB nacional. Isso significa que o déficit habitacional é um
     problema desvinculado da produção/distribuição de riqueza.
Está correto o que se afirma em
a) I, apenas.
b) I e III, apenas.
c) I, II e III.
d) I e II, apenas.
e) II e III, apenas.
DICA 62: CORRENTES FILOSÓFICAS
      CONTEMPORÂNEAS: O
  EXISTENCIALISMO DE SARTRE
EXISTENCIALISMO
    • Os existencialista não tem um
           pensamento unificado.
  • Esta corrente não se forma como
  conseqüência de um raciocínio como
outras ( leia-se racionalismo, empirismo ),
 mas como uma escolha antecipada. “É
    impossível luta com o que a alma
                 escolheu”.
• Os homens que vivem de um modo
       inconsciente não têm existência.
     • O pensamento marxista critica o
        existencialismo, acusando-o de
    obscurecer o lado luminoso da vida e
         destacar a sordidez humana.
• Uma vez admitida a repugnância humana,
  o ser humano estaria descompromissado
      da solidariedade e da ação social.
• O cristianismo acusa o existencialismo de
     deixar o homem em um estado de
  gratuidade, onde tudo é permitido, pois se
        não existe Deus não há como
         condenarmos uns aos outros.
• Sartre ( o representante oficial ) responde
                  às críticas.
• Pessimismo X otimismo. Ao nos
depararmos com algo injusto, segundo a
 concepção existencialista , pensaremos
  ‘isto é humano’. Mas isto não significa
uma concepção pessimista, ao contrário,
é visão otimista: se é humano, posso ou
não praticar este ato – não há nada além
 de mim mesmo que me compele a isto.
• Sartre destaca a matriz atéia e a matriz católica
             ( Assume a posição atéia).
   • Existência precede a essência. ( Comum a
         todos as escolas existencialistas ).
 • Kant defendia a essência antes da existência,
  por exemplo. Mas segundo os existencialistas, o
  homem existe no mundo, surge no mundo, para
                  depois se definir.
            • O homem é um projeto.
• Angústia. Ao perceber que sua escolha
   envolve não apenas a si mesmo, mas
         toda a humanidade e que a
     responsabilidade dessa escolha é
  inteiramente sua, se sentirá angustiado.
• Má fé. Ao atribuir sua responsabilidade a
 outrem, estamos escolhendo a mentira não só
 para a própria existência, como para todos os
homens. Mas segundo Sartre, isto não impede o
  homem de agir como disseram os marxistas,
   pelo contrário implica em ação. A má fé da
mentira, no sentido de que a má fé não trata de
 um comportamento que o sujeito adota contra
   outro sujeito, mas sim, contra ele próprio.
• Possibilidade de inventar – liberdade.
• O outro é condição para nossa existência. Não
    somos nada sem o reconhecimento do outro.
   • Sartre ( o representante oficial ) rebate as
  críticas que acusam o existencialismo de pregar
     uma escolha gratuita. Volta a dizer que uma
    escolha implica um compromisso com toda a
        humanidade, já que toda escolha é um
                    compromisso.
• Má fé. Ao atribuir sua responsabilidade a
 outrem, estamos escolhendo a mentira não só
 para a própria existência, como para todos os
homens. Mas segundo Sartre, isto não impede o
  homem de agir como disseram os marxistas,
   pelo contrário implica em ação. A má fé da
mentira, no sentido de que a má fé não trata de
 um comportamento que o sujeito adota contra
   outro sujeito, mas sim, contra ele próprio.
• Possibilidade de inventar – liberdade.
• O outro é condição para nossa existência. Não
    somos nada sem o reconhecimento do outro.
   • Sartre ( o representante oficial ) rebate as
  críticas que acusam o existencialismo de pregar
     uma escolha gratuita. Volta a dizer que uma
    escolha implica um compromisso com toda a
        humanidade, já que toda escolha é um
                    compromisso.
• Deus. Sartre pretende que o homem
   enxergue que, independente de Deus
     existir ou não, este não é o ponto
 fundamental, é necessário que o homem
compreenda que nada poderá livra-lo dele
   próprio, nem mesmo a concretude de
                   Deus.
• “O existencialismo não é tanto um ateísmo no
   sentido em que se esforçaria por demonstrar
      que Deus não existe. Ele declara, mais
   exatamente:mesmo que Deus existisse, nada
    mudaria, eis nosso ponto de vista. Não que
   acreditamos que Deus exista, mas pensamos
    que o problema não é de sua existência, é
     preciso que o homem se reencontre e se
    convença de que nada pode salvá-lo dele
    próprio, nem mesmo uma prova válida da
                    existência”.
• Para o existencialismo o homem é um ser
               livre para escolher.
  • Por ser livre para escolher, o homem é
   conseqüentemente responsável por suas
                     escolhas.
  • Livre e responsável o homem é aquele
      que tem a incumbência de criar a si
        próprio sem certezas e garantia.
CONCEITOS FUNDAMENTAIS
 • Existência - A existência vai designar o
   modo de ser desse existente humano no
                    mundo.
• Essência - No existencialismo a essência
  não determina o homem. O homem, como
    um eterno “vir a ser” , não possui uma
   essência, pelo contrário, ele é quem se
    constrói na medida em que existe de
                 forma livre.
• Liberdade - O homem é um ser livre.
• Escolha - A existência humana é uma
     seqüência infindável de escolhas.
• Risco - Toda e qualquer escolha que o
   homem se veja tendo que fazer é um
   risco. Ele não sabe ao empreender a
 empreitada se aquela escolha é a melhor
               ou se é a certa.
• Responsabilidade - Como vimos
 anteriormente, se o homem é livre para
     escolher o que quiser, é também
     responsável pela opção que fez.
  • Angústia Existencial - O homem
    vivencia a angústia quando se vê
confrontado com sua existência humana,
 principalmente com a possibilidade que
            temos de não-ser.
• Solidão - O homem nasce, morre e vive
                     só.
• Morte - A morte é a possibilidade do fim
      de todas as possibilidades. É a
  possibilidade absoluta onde o homem se
 depara com o inevitável, o incondicional e
              o intransponível.
• Sentido da vida - O homem passa uma
 parte enorme de sua existência em busca
        de um sentido para sua vida.
  • Autenticidade e Inautenticidade - A
    autenticidade é a própria busca por si
   mesmo, a busca por tudo aquilo que o
 aproxima mais e mais de sua condição de
 humano e diferente do outro, dos animais
                e das coisas.
• Culpa Existencial - O homem se sente
   culpado sempre que se afasta de suas
         possibilidades existenciais.
 • Subjetividade - A subjetividade é tudo
    aquilo que é pessoal, individual, que
   pertence ao indivíduo como ser único e
                apenas a ele.
QUESTÃO SIMULADA SOBRE O
         TEMA 62
1) “Subjetividade” e “intersubjetividade” são conceitos com os quais
   Sartre pontua o seu existencialismo. Nesse contexto, tais
   conceitos revelam que
a) o cogito cartesiano desabou sobre o existencialismo na mesma
   proporção com que a virtu socrática precipitou-se sobre o materialismo
   dialético do século XX.
b) “Penso, logo existo” deve ser o ponto de partida de qualquer filosofia.
   Tal subjetividade faz com que o Homem não seja visto como objeto, o
   que lhe confere verdadeira dignidade. A descoberta de si mesmo o
   leva, necessariamente, à descoberta do outro, implicando uma
   intersubjetividade.
c) o Homem é dado, é unidade, é união e é intersubjetividade; portanto, a
   sua existência é agregadora e desapegada da tão apregoada
   subjetividade clássica, por isso mesmo tão crucial para Sartre.
d) não há um só lampejo de subjetividade que não tenha se reinaugurado
   na intersubjetividade, isto é, na idealidade que instrui as prerrogativas
   para se instalarem as escolhas do sujeito, definindo-o.
2) “O que significa aqui o dizer-se que a existência precede a essência? Significa que
      o homem primeiramente existe, se descobre, surge no mundo; e que só depois se
      define. O homem, tal como o concebe o existencialista, se não é definível, é porque
      primeiramente não é nada. Só depois será alguma coisa e tal como a si próprio se
      fizer.
(...) O homem é, não apenas como ele se concebe, mas como ele quer que seja, como
      ele se concebe depois da existência, como ele se deseja após este impulso para a
      existência; o homem não é mais que o que ele faz.
(...) Assim, o primeiro esforço do existencialismo é o de por todo o homem no domínio
      do que ele é e de lhe atribuir a total responsabilidade de sua existência.
(...) Quando dizemos que o homem se escolhe a si, queremos dizer que cada um de nós
      se escolhe a si próprio; mas com isso queremos também dizer que, ao escolher-se a
      si próprio, ele escolhe todos os homens. Com efeito, não há de nossos atos um
      sequer que, ao criar o homem que desejamos ser, não crie ao mesmo tempo uma
      imagem do homem como julgamos que deve ser”. Sartre.
Considerando a concepção existencialista de Sartre e o texto acima, é incorreto afirmar que
a) o homem é um projeto que se vive subjetivamente.
b) o homem é um ser totalmente responsável por sua existência.
c) por haver uma natureza humana determinada, no homem a essência precede a existência.

d) o homem é o que se lança para o futuro e que é consciente deste projetar-se no futuro.
e) em suas escolhas, o homem é responsável por si próprio e por todos os homens, porque,
    em seus atos, cria uma imagem do homem como julgamos que deve ser.
DICA 63: CORRENTES FILOSÓFICAS
CONTEMPORÂNEAS: RACIONALIDADE
           COMUNICATIVA
QUESTÃO SIMULADA SOBRE O
          TEMA 63
 “Jürgen Habermas (1929) é um dos principais representantes da chamada segunda geração da
     Escola de Frankfurt”. Este filósofo elaborou “uma teoria social baseada no conceito de
     racionalidade comunicativa, que se contrapõe à razão instrumental”
(ARANHA, Maria Lúcia de Arruda; MARTINS, Maria Helena Pires. Filosofando: introdução à filosofia. 4ª. ed.
     revista. São Paulo: Ed. Moderna, 2009. p.200).
Segundo o pensamento de Jürgen Habermas, LEIA AS FRASES ABAIXO, e assinale o que for correto.
1 - Jürgen Habermas critica a filosofia de René Descartes, por considerá-la uma filosofia metafísica fundada
     em uma reflexão solitária, centrada no sujeito.
2 - O positivismo é, para Jürgen Habermas, a teoria e o método mais seguro para alcançar um conhecimento
     preciso da realidade social.
3 - O uso da razão instrumental é, para Jürgen Habermas, válido, quando se trata de agir sobre objetos ou
     sobre natureza, a fim de suprir as necessidades do homem.
4 - A razão discursiva, que fundamenta a teoria da ação comunicativa de Jürgen Habermas, tem como
     princípio que a verdade só pode ser alcançada na relação intersubjetiva entre indivíduos que se dispõem
     a chegar a um consenso.
5 - Para Jürgen Habermas, o princípio da situação ideal de fala, mesmo sendo contrafactual, é necessário
     para evitar que relações de poder possam desviar a linguagem de seu objetivo, isto é, alcançar o
     entendimento.
ESTÃO CORRETAS SOBRE O TEMA:
a)Todas estão corretas
b) Somente 1,3,5 estão corretas
c) Somente 1,2,3 estão corretas
d) Somente 2,4,5 estão corretas
e) Somente 3,4,5 estão corretas
DICA 64: CORRENTES FILOSÓFICAS
 CONTEMPORÂNEAS: MICHEL DE
           FOUCAULT
Michel Foucault

  Michel Foucault chamava a atenção
      para o controle sobre o eu,
   especialmente o controle sobre os
  corpos exercido pelas autoridades.

 Foucault — que primeiro foi filósofo e
      se tornou historiador, depois
  historiador das idéias que se tornou
 historiador social — fez sua reputação
    com uma série de livros sobre a
   história da loucura, da clínica, dos
  sistemas intelectuais, da vigilância e
             da sexualidade.

 No que se refere à NHC, três de suas
  idéias tiveram especial influência.
          Vejamos a seguir...
Michel Foucault

1ª Idéia

        Foucault chamou atenção para as
 descontinuidades culturais, ou "rupturas", por
     exemplo a mudança na relação entre as
palavras e as coisas em meados do século XVII,
 a "invenção" da loucura também nesse século
    e da sexualidade no século XIX. Em todos
   esses casos, o que Kuhn chamaria de novo
"paradigma" substituiu com relativa rapidez um
       outro anterior. A ênfase das recentes
     contribuições à NHC sobre a construção
          cultural deve muito a Foucault.
Michel Foucault
 2ª Idéia

 Foucault achava as obras dos historiadores
 “superficiais”, sendo necessário cavar mais
     fundo para se chegar às estruturas
   intelectuais ou, como preferia chamar,
    “redes” (réseaux) e “grades” (grilles).

 A idéia de “grades” como “filtro” intelectual
    era sugerir que as estruturas admitiam
 algumas informações e excluíam as demais.
Michel Foucault
 3ª Idéia

 Escreveu uma história intelectual que incluía
  tanto práticas como teorias, tanto corpos
                como mentes.

 Seu conceito de práticas está ligado a uma
 ênfase no que ele chamava de “microfísica
 do poder”, ou seja, políticas no nível micro.

   As “práticas discursivas”, afirmava ele,
 constroem ou constituem os objetos de que
  se fala e, em última análise, a cultura ou a
   sociedade como um todo, enquanto “o
   olhar” (le regard) era uma explessão da
      “sociedade disciplinar” moderna.
Michel Foucault – A Ordem do Discurso (1970)
Michel Foucault – A Ordem do Discurso (1970)
A dialética denega o espaço em prol do tempo (da História)
                     supervalorizado:

   “Dever-se-ia fazer uma crítica dessa desqualificação do
          espaço que reina há numerosas gerações.
  O espaço é o que estava morto, congelado, não dialético,
                           imóvel.
 Em contrapartida, o tempo era rico, fecundo, vivo, dialético
                            (...)
 Quando se falava em termos do espaço era porque se era
contra o tempo, se “negava a história” como diziam os tolos
  (...) [Na verdade] a descrição espacializante abre para a
             análise dos efeitos do poder.”
                              (Michel FOUCAULT)
QUESTÃO SIMULADA SOBRE O
          TEMA 64
LEIA OS TEXTOS ABAIXO:
                                          TEXTO I:
Elimine até 3 kg por mês comendo bolo!
É isso mesmo! Um estudo israelense comprovou que comer bolo no café da manhã acelera o
    metabolismo e ajuda a perder os quilinhos a mais. Revista Ana Maria. nº 820. 29/06/2012,
    p. 20.

                                            TEXTO II:
“Se fizéssemos uma história do controle social do corpo, poderíamos mostrar que, até o
    século XVIII inclusive, o corpo dos indivíduos é essencialmente a superfície de inscrição
    de suplícios e de penas; o corpo era feito para ser supliciado e castigado. Já nas
    instâncias de controle que surgem a partir do século XIX, o corpo adquire uma
    significação totalmente diferente; ele não é mais o que deve ser supliciado, mas o que
    deve ser formado, reformado, corrigido, o que deve adquirir aptidões, receber um certo
    número de qualidades, qualificar-se como corpo capaz de trabalhar.”
FOUCAULT, M. Conferência V. In: A verdade e as formas jurídicas. Rio de Janeiro: Nau, 2002,
    p. 119.
Vivemos em um tempo em que o corpo se tornou extremamente valorizado, devendo estar de
    acordo com certos padrões de beleza e de bem estar.
Segundo Michel Foucault, filósofo que analisou esse tipo de
   transformação, essa valorização do corpo significa:
a) a realocação do poder, que se torna um poder polimorfo e polivalente,
   capaz de tornar os corpos individuais úteis e hábeis à sociedade. A isso
   está relacionado o surgimento de uma série de saberes e de ciências
   sobre o homem.
b) a valorização hedonista do corpo, como uma forma de alienação das
   mentes. Cada vez mais a sociedade perde seu potencial transformador
   da ordem vigente.
c) a valorização positiva da ética do bem-estar. As novas preocupações
   com os corpos têm como objetivo melhorar a vida dos cidadãos e isso
   traz consigo uma série de benefícios à sociedade, como, por exemplo,
   o aumento da expectativa de vida da população.
d) a perda dos ideais iluministas racionalistas. Com a valorização do
   corpo, há também uma desvalorização do conhecimento intelectual,
   que é cada vez mais prejudicado. Não por acaso, há um pragmatismo
   perigoso nas tomadas de decisões privadas.
e) um problema de ordem moral. A valorização do homem capaz de
   trabalhar coloca em questão a ética cristã da caridade. Nesse
   processo, há uma transformação que torna a sociedade mais secular e
   descrente da religião.
DICA 65: A SOCIOLOGIA
CONTEMPORÂNEA : A SOCIEDADE
          URBANA
História: ”a história universal é história das cidades” disse
                              Spengler;

Geografia: “a natureza prepara o local e o homem organiza-o de
   maneira a satisfazer as suas necessidades e desejos”, afirma
                        Vidal de la Blache;

   Economia: “em nenhuma civilização a vida das cidades se
   desenvolveu independentemente do comércio e da indústria”
                          (Pirenne);

 Política: a cidade, segundo Aristóteles, é um certo número de
                             cidadãos;

  Sociologia: “ a cidade é a forma e o símbolo de uma relação
                    social integrada” (Mumford);

Arte e arquitetura: “a grandeza da arquitetura está ligada à da
 cidade, e a solidez das instituições costuma avaliar-se pela dos
                muros que as protegem” (Alberti)”.

                                                                   48
Figura 1 – Fluxograma da estrutura da pesquisa. Elaboração e organização: LIMA, V., 2010
Figura – Variáveis das classes de análises das categorias “sociedade e natureza" na paisagem urbana. Elaboração: LIMA, V., 2010.
SOCIOLOGÍA
  CIENCIA SOCIAL QUE ESTUDA SISTEMÁTICAMENTE:



SOCIEDADE       CRIADAS              COMPORTAMENTO
AÇÃO SOCIAL     MANTIDAS             INDIVIDUAL E GRUPAL
GRUPOS          TROCADAS              NA INTERAÇÃO
                                     SOCIAL

                INTITUIÇÕES E
                ORGANIZAÇÕES QUE
                FORMAM A
                ESTRUTURA SOCIAL
HISTORIA: POR QUE NASCE?
   Augusto Comte na França, século XIX
 Crise social depois da Revolução Francesa
           “VER PARA PREVER”
                POSITIVISMO
        Lorenzo Stein na Alemanha
 “A ciencia social é a ciencia das realidades
 coletivas com as quais tem que trabalhar o
                 legislador”
ONDE SE UTILIZA?
 A Sociologia NÃO É UMA CIENCIA NORMATIVA.
            A base da análise é social
   “Andamos sobre um laboratório onde são
   manejados os explosivos mais violentos, por
   homens que não tem a menor idéia de seus
                 ingredientes”
FIGURAS IMPORTANTES:
           AUGUSTO COMTE

             Século XIX, França.
 Concebeu a sociologia dentro de uma “Física
Social” com aplicações práticas para a solução de
                  problemas.
    Análoga à Ciencia e suas aplicações na
                  Tecnologia.
FIGURAS IMPORTANTES:
           EMILE DURKHEIM:

           Principios do século XX.
   Busca delimitar a Sociologia e, para isso,
estabelece uma metodologia científica para a ela.
 Estuda os fatos sociais como se fossem coisas
        (Influência Positivista de Comte)
FIGURAS IMPORTANTES:
                 KARL MARX:

      Século XIX na Alemanha. (ordem social
                   desequilibrada).
 “A formas e processos sociais, a história, a cultura,
       etc. estão determinados pela a forma de
                       produção”
                 LUTA DE CLASSES
                     IDEOLOGIA
FIGURAS IMPORTANTES:
            HERBERT SPENCER

               Século XIX, Inglaterra.
             Filósofo do Evolucionismo.
 A sociedade é resultado de seu processo particular
                      de evolução.
           A sociedade é um Organismo.
            Classificação de Sociedades.
FIGURAS IMPORTANTES:
               MAX WEBER

              Século XX, Alemanha.
    Integração da CULTURA no estudo Social.
 Novo Método Sociológico: Diferente das Ciencias
                 Naturais.
        COMPREENÇÃO ANTES DE LEIS
MÉTODOS SOCIOLÓGICOS:

 QUANTITATIVO                    QUALITATIVO


   Se MEDEM                        Se DESCREVEM
    características, variáveis       situações, eventos,
    com valor numérico.              pessoas,
   Análise estatística              comportamentos.
   Indutivo                        Dedutiv0.
   Busca a generalização           Busca a compreenção
                                     de uma situação
                                     particular.
QUESTÃO SIMULADA SOBRE O
          TEMA 65
Leia.
O sentimento de pertença é algo raro em São Paulo, a cidade da megalomania. A facilidade
     de locomoção e de comunicação da nossa época é a janela aberta para que fiquemos
     parados e calados sem culpa – viveríamos em coletividade, se quiséssemos. Mas não
     queremos. A miríade de gente que circula na Praça da Sé contrasta com os homens,
     mulheres e crianças que conversam sós. Sujeitos que falam ao nada, pensam alto,
     gesticulam, esbravejam, xingam. Dialogam sabe-se lá com quem. Quiçá consigo
     mesmos, fazendo as vezes de ambos os interlocutores, já que ninguém lhes dirige a
     palavra.
VIANA, Rodolfo. Free hugs (ou “por que abraçar gente desconhecida, exceto mendigos”)
     Adaptado. Disponível em: <http://papodehomem.com.br/free-hugs...mendigos/>. Acesso
     em 27 ago. 2012.
O texto acima corresponde a uma reflexão sobre São Paulo e explicita algumas
     características da sociedade urbana contemporânea. Que características são essas?
a) Progresso e evolução.
b) Solidão e tradição.
c) Harmonia e solidariedade.
d) Insanidade e futilidade.
e) Impessoalidade e individualismo.
DICA 66: CORRENTES SOCIOLÓGICAS
CONTEMPORÂNEAS: O TEMPO NA VIDA
              SOCIAL
QUESTÃO SIMULADA SOBRE O
         TEMA 66
Mas há uma sensação generalizada de que não conseguimos fazer tudo
   que queremos. Falta tempo. Pagamos fortunas por engenhocas
   tecnológicas que deveriam facilitar nossa vida e continuamos com
   uma pressa insaciável. Você já deve ter sentido os efeitos desse
   fenômeno. Lembra quando a internet surgiu? Da maravilha que era
   saber que trocaríamos mensagens instantâneas e teríamos a
   biblioteca de Harvard ao alcance, bastando um clique no mouse.
   Agora pense na última vez que você recebeu um arquivo eletrônico
   pesado. E dos segundos que esperou para abri-lo, amaldiçoando a
   velocidade do computador, do provedor, da placa multimídia e do
   modem. Esses incompetentes que nos obrigam a esperar
   insuportáveis segundos para baixar... um livro inteiro!
GWERCMAN, Sérgio. Tempo: cada vez mais acelerado. Superinteressante, nº
   211,          mar/2005.            Cotidiano.       Disponível      em:
   <http://super.abril.com.br/cotidiano/tempo-cada-vez-mais-acelerado-
   445560.shtml>. Acesso em 24 jul. 2012.
Sobre a percepção do tempo, Leia as frases abaixo
1 - O tempo é percebido e construído socialmente.
2 - As inovações tecnológicas acabam por influenciar a forma
   como as pessoas percebem o tempo.
3 - Em uma sociedade industrial, a administração do tempo está
   relacionada ao tempo de produção.
4 - A forma como as pessoas percebem e vivem o tempo
   interfere, inclusive, nos distúrbios e doenças presentes em
   uma sociedade.
5 - Há sociedades que pensam o tempo de forma cíclica, e não
   linear.
ESTÃO CORRETAS SOBRE O TEMA:
a) Todas estão corretas
b) Somente 1,3,5 estão corretas
c) Somente 1,2,3 estão corretas
d) Somente 2,4,5 estão corretas
e) Somente 3,4,5 estão corretas
DICA 67: A SOCIOLOGIA
CONTEMPORÂNEA: O CONTROLE
          SOCIAL
QUESTÃO SIMULADA SOBRE O
          TEMA 67
Leia os textos abaixo:
                                       Texto 1
No ano de 1990, o filósofo francês Gilles Deleuze criou o conceito de “sociedade do
   controle” para explicar a configuração totalitária das sociedades atuais. Na
   sociedade de controle as pessoas têm a ilusão de desfrutarem de maior
   autonomia, pois podem, por exemplo, acessar contas correntes e fazer
   compras pela Internet. Mas, por outro lado, seus comportamentos e hábitos de
   consumo podem ser conhecidos pelo governo, pelos bancos e grandes
   empresas. Sem suspeitarem disso, os indivíduos podem ser controlados à
   distância, como se cada um fosse dotado de uma “coleira eletrônica”.
                                       Texto 2
Um quarto dos alemães aceitam implantar chip no corpo Pesquisa feita pela
   Associação Alemã das Empresas de Informação, Telecomunicação e Novas
   Mídias (Bitkom) revela que 23% dos moradores do país topam ter um microchip
   inserido no próprio corpo, contanto que isso traga benefícios concretos a eles.
   O levantamento, realizado com cerca de mil pessoas de várias cidades, foi
   divulgado na feira de tecnologia Cebit, que vai até o próximo sábado (7), em
   Hannover.
(Folha Online, 03.03.2010.)
Com base no conceito de sociedade do controle e na notícia
   reproduzida, assinale a alternativa correta.
a) Não há correspondência entre os resultados da pesquisa
   relatada na notícia e o conceito de sociedade do controle,
   uma vez que a implantação do chip contaria com a permissão
   das próprias pessoas.
b) Os resultados da pesquisa atestam a inadequação do
   conceito proposto pelo filósofo francês para reflexões sobre
   as sociedades atuais, pois o conceito está defasado vinte
   anos em relação à notícia sobre a pesquisa.
c) Os resultados da pesquisa atestam o grau em que os
   parâmetros da sociedade de controle foram internalizados
   pelos indivíduos.
d) De acordo com o filósofo francês, os acessos informatizados
   garantem o aumento da autonomia dos indivíduos.
e) O conceito de sociedade de controle tem sua aplicação
   restrita a sociedades governadas por ditaduras, não podendo
   ser aplicado a reflexões sobre sociedades democráticas.
DICA 68: A SOCIOLOGIA
CONTEMPORÂNEA: O CONTROLE
          SOCIAL
QUESTÃO SIMULADA SOBRE O
          TEMA 68
Toda sociedade desenvolve mecanismos de controle social com o objetivo de fazer com
    que cada indivíduo adote comportamentos esperados. Sobre esse assunto, assinale
    a(s) alternativa(s) correta(s).
1 - A família, como esfera privada da vida regida por sentimentos e laços de sangue, não
    participa dos processos de controle social.
2 - A polícia e o judiciário são instituições que exercem controle social de tipo formal e são
    próprias de sociedades complexas.
3 - A religião é uma importante instituição de controle social, devido a sua alta eficiência na
    definição de comportamentos socialmente aceitos.
4 - O controle social para ser eficiente deve combinar a transmissão de valores com
    estratégias de coerção.
5 - Nas sociedades complexas, ocorre uma tendência de substituição de estratégias difusas
    de controle pela sua institucionalização formal, o que pode ser observado pelo incremento
    do aparato jurídico e policial.
ESTÃO CORRETAS SOBRE O TEMA:
a) Todas estão corretas
b) Somente 1,2,3,5 estão corretas
c) Somente 1,2,3 e 5 estão corretas
d) Somente 1,2,4,5 estão corretas
e) Somente 2,3,4,5 estão corretas
TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO:
                              LEIA O TEXTO ABAIXO:
“[...] Ao acordá-lo, o rádio relógio digital dispara informações sobre o tempo e o
     trânsito. Ligando a FM, lá está o U-2. O vibra massageador amacia-lhe a
     nuca, enquanto o forno micro-ondas descongela um sanduíche natural. No
     seu micro Apple II, sua agenda indica:
REUNIÃO AGÊNCIA 10H/ TÊNIS CLUBE 12H/ ALMOÇO/ TROCAR CARTÃO
     MAGNÉTICO BANCO/ TRABALHAR 15H/ PSICOTERAPIA 18H/
     SHOPPING/          OPÇÕES:        INDIANA         JONES-BLADE        RUNNER
     VIDEOCASSETE ROSE, SE LIGAR/ SE NÃO LIGAR, OPÇÕES: LER O
     NOME DA ROSA (ECO) – DALLAS NA TV – DORMIR COM SONÍFEROS
     VITAMINADOS.
Seu programa rolou fácil. Na rua divertiu-se pacas com a manifestação
     feminista pró-aborto que contava com um bloco só de freiras e, a metros
     dali, com a escultura que refazia a Pietá (aquela do Miguelangelo) com
     baconzitos e cartões perfurados. Rose ligou. Você embarcou no filme
     Indiana Jones sentado numa poltrona estilo Menphis – uma pirâmide
     laranja em vinil – desfiando piadas sobre a tese dela de filosofia: Em Cena,
     a Decadência. A câmera adaptada ao vídeo filmou vocês enquanto faziam
     amor. Será o pornô que animará a próxima vez.
Ao trazê-lo de carro para casa, Rose, que esticaria até uma festa, veio tipo impacto:
     maquiagem teatral, brincos enormes e uma gravata prateada sobre camisão lilás. Na
     cama, um sentimento de vazio e irrealidade se instala em você. Sua vida se fragmenta
     desordenadamente em imagens, dígitos, signos – tudo leve e sem substância como um
     fantasma. Nenhuma revolta. Entre a apatia e a satisfação, você dorme.”
(SANTOS, Jair Ferreira. O que é Pós-Moderno. São Paulo. Editora Brasiliense, 1988. p.8).
Utilizando seus conhecimentos sobre o tema “gostos e estilos de vida”, assinale a(s)
     alternativa(s) correta(s) sobre o texto.
1 - Trata do cotidiano de um indivíduo urbano que convive com a tecnologia eletrônica de
     massa e individual.
2 - Aborda a valorização do estilo de vida hedonista, no qual predomina a busca pelo prazer
     individual e imediato.
3 - Exemplifica a lógica de uma sociedade que não é pautada pelo consumo generalizado de
     bens e serviços.
4 - Retrata uma situação peculiar aos indivíduos que vivem em sociedades altamente
     industrializadas que oferecem acesso diferenciado às novas tecnologias.
5 - Mostra o processo de fragmentação dos indivíduos em uma sociedade baseada na
     tecnociência.
ESTÃO CORRETAS SOBRE O TEMA:
a) Todas estão corretas
b) Somente 1,3,5 estão corretas
c) Somente 1,2,3 estão corretas
d) Somente 1,2,4,5 estão corretas
e) Somente 2,3,4,5 estão corretas
DICA 69: A SOCIOLOGIA
 CONTEMPORÂNEA : A VIDA
SOCIAL NO MUNDO GLOBAL
O MUNDO LIGADO NA
    INTERNET
QUESTÃO SIMULADA SOBRE O
          TEMA 69
                         TEXTO PARA AS PRÓXIMAS 2 QUESTÕES:
                                           Texto 01
“A insegurança ambiente concentra-se no medo pela segurança pessoal; que por sua vez
    aguça ainda mais a figura ambígua e imprevisível do estranho. Estranho na rua, gatuno
    perto de casa... Alarmes contra assalto, bairros vigiados e patrulhados, condomínios
    fechados, tudo isso serve ao mesmo propósito: manter os estranhos afastados. A prisão é
    apenas a mais radical dentre muitas medidas — diferente do resto pelo suposto grau de
    eficiência, não por sua natureza. As pessoas que cresceram numa cultura de alarmes
    contra ladrões tendem a ser entusiastas naturais das sentenças de prisão e de
    condenações cada vez mais longas. Tudo combina muito bem e restaura a lógica ao caos
    da existência.”
(Zygmunt Bauman. Globalização: as consequências humanas. Rio de Janeiro: Jorge Zahar,
    1999)
                                           Texto 02
“Depois de vinte anos sem prestar atenção nas consequências sociais e humanas de um
    capitalismo global incontido, o presidente do Banco Mundial chegou à conclusão de que,
    para a maior parte da população mundial, a palavra ‘globalização’ sugere ‘medo e
    insegurança’ em vez de ‘oportunidade e inclusão’.”
(Eric Hobsbawn, Globalização, democracia e terrorismo. São Paulo: Companhia das Letras,
    2007)
Texto 03
“Entre os jovens, cada vez mais prevalece o ‘cada um por si’. Mais do que a amizade,
     são redes de cumplicidade que orientam a busca da sobrevivência, a abstenção da
     balbúrdia política. A sociedade pretensamente sem classes resulta num egoísmo
     cheio de cautela. Tal como o capitalismo. Isso significa que as ‘derivações’, para falar
     como Pareto, têm pouca influência e o homem continua a ser o que é (mais
     hobbesiano e menos rousseauísta), sejam quais forem o sistema político e a
     ideologia que o legitimam.”
(Gerard Vincent, Uma história do segredo? São Paulo: Companhia das Letras, 2009)
1) Leia as afirmativas abaixo.
I. A misogenia acaba por impor um modelo de estado baseado na vigilância e no
     controle, produzindo sociedades cada vez mais inóspitas.
II. A globalização é encarada de forma otimista pelas civilizações, e tem propiciado uma
     integração cada vez maior entre os povos.
III. O processo de transformação, que culminou na contemporaneidade, redundou na
     precarização e na desintegração dos “laços humanos”, a solidão demudou as
     relações sociais em relações autônomas. O egoísmo atingiu proporções
     assustadoras, o enigma identitário do ser humano coloca-o em um paradoxo, qual
     seja o de destruir o outro ou mantê-lo longe de si.
Sobre as afirmativas:
a) Apenas I e II são corretas.
b) Apenas II e III são corretas.
c) Apenas I e III são corretas.
d) Todas são corretas.
e) Todas são falsas.
2) A cultura contemporânea é marcada pelo medo do outro, pelo egoísmo e pela
    intolerância; é possível identificar, ainda, uma ideologia que é caracterizada
    pela ausência de fraternidade, pela desintegração dos laços humanos e pela
    solidão. Entre as principais críticas relacionadas a essa problemática (guerra
    civil, democracia e exclusão) estão as queixas ao sistema representativo, as
    queixas de direito e justiça, as queixas econômicas.
Sobre o tema assinale a alternativa incorreta.
a) O ceticismo quanto à política – sobretudo a democracia – acompanha esta mesma
    linha de raciocínio. As relações autônomas minoram a criação de uma identidade e
    os direitos já reconhecidos, poucas vezes são efetivados. A solidão cresce na
    mesma proporção da atitude cética.
b) Embora haja medo do outro, as culturas de um modo geral estão se abrindo para
    acolher o diferente, e isso pode ser percebido tanto na Europa, com relação ao
    mulçumano, quanto no Brasil, com relação aos negros e indígenas, por exemplo.
c) As queixas de representatividade se dirigem tanto às distorções de representação
    internas de cada Estado, quanto externas, voltadas a atacar as distorções de
    representatividade existentes na Organização das Nações Unidas, por exemplo.
d) As queixas de direito e justiça ocorrem porque, a despeito de serem frequentemente
    reconhecidos nas constituições nacionais, não são efetivados especialmente no
    tocante aos grupos minoritários, isso tanto no mundo desenvolvido quanto no mundo
    subdesenvolvido, o que tem colaborado para o aumento do número de movimentos
    que têm por escopo a reivindicação de direitos, ou da efetivação dos já
    reconhecidos.
e) Quanto às queixas econômicas, diga-se que estão relacionadas ao alcance da
    pobreza no mundo de hoje. Embora presente no mundo todo, ela é distribuída de
    forma desigual, de acordo com critérios de raça, etnia e gênero. Por exemplo,
    encontram-se no sul da Ásia e na África subsaariana aproximadamente 70% da
    população mundial que vivem com menos de um dólar por dia.
DICA 70: : A SOCIEDADE
HUMANA E O MEIO AMBIENTE
• O uso intensivo dos recursos da natureza
  causa a devastação do patrimônio ambiental
     e ocorre atualmente em escala global.
   • Mas, as conseqüências da devastação
  afetam a todos, porém de maneira diferente.
• Os países ricos são os maiores responsáveis
  pelos problemas ambientais que afetam toda
    a humanidade : abrigam apenas 20% da
    população mundial mas consomem 80%
     dos recursos naturais e energéticos do
                    planeta.
• As sociedades industriais modernas
        criaram um complexo sistema
           econômico que perturba
      profundamente o meio ambiente :
• - Para que a produção industrial ocorra
  é necessário retirar do meio ambiente a
     energia e as matérias primas – o
      ambiente é duplamente afetado :
        primeiro pela retirada desses
      recursos , em grande parte não
    renováveis ; segundo, pela poluição
      originada durante sua produção.
• - Os processos de produção industrial
    são atividades altamente poluidoras ,
  afetando os solos, o ar e as águas , por
      meio de emissões de poluentes.
• - O mercado consumidor polui o meio
   ambiente quando descarta, na forma
    de lixo, as embalagens ou os restos
   das mercadorias de origem industrial.
POLUIÇÃO DO AR

  • Ocorre por causa da atividade
    industrial e do lançamento , na
atmosfera, de gases são produzidos
pela queima de combustíveis fósseis
   ( petróleo e carvão) expelidos dos
      veículos automotores e pelo
            desmatamento.
•
Estátua do Castelo de Herten - Alemanha
•
• Contaminação da água por dejetos domésticos   :
•   contaminação da água por dejetos industriais :
• Contaminação da água por descarte de lixo :
•   Contaminação do lençol freático pelo acúmulo de
    lixo a céu aberto:
•   Contaminação do lençol freático pelos cemitérios:
•   Contaminação do lençol freático pelo chorume   :
•
• contaminação do lençol freático pelo lixo hospitalar
  depositado a céu aberto :
PRESERVACIONISMO x
         CONSERVACIONISMO

  • Preservacionistas : acreditam que os
    ambientes devem ficar intactos, sem
   nenhuma tipo de intervenção humana.
• Conservacionistas : propõem a utilização
  dos recursos naturais , porém de maneira
    menos impactante, de modo que não
      coloque em risco a vida humana.
QUESTÃO SIMULADA SOBRE O
         TEMA 70
1) Veja a figura abaixo:
A partir dela, assinale a alternativa INCORRETA.
a) A percepção das gerações está relacionada à idade
   social dos indivíduos.
b) A charge demonstra como as formas de
   socialização mudam com o passar das gerações.
c) Devido às transformações tecnológicas, as formas
   mais novas de comunicação podem se tornar
   obsoletas com o passar das décadas.
d) As modernas formas de comunicação deixarão de
   existir por causa das alterações climáticas naturais
   do planeta.
e) Uma das formas de definir o presente é através da
   noção de “modernidade líquida”.
2) Os problemas ambientais mobilizam
 muitos cientistas e ativistas ao redor do
mundo. Atuando em áreas distintas, eles
buscam soluções a curto e médio prazos
para evitar um colapso completo do meio
                ambiente.
     Fazendo uma análise no sentido
 sociológico da charge abaixo, podemos
        concluir como verdadeiro:
a) sociedades com alto padrão de qualidade e acesso
   irrestrito a tecnologia estão a salvo das consequências
   advindas dos problemas ambientais.
b) a resolução dos problemas ambientais requer não
   somente políticas públicas e ações globais, mas uma
   mudança de comportamento dos indivíduos.
c) os problemas ambientais não forçarão a mudança de
   comportamento dos indivíduos ou a forma de
   organização das sociedades ao redor do mundo.
d) as práticas capitalistas não ameaçam tanto o meio
   ambiente e as relações sociais.
e) a industrialização e urbanização intensas não são
   causas dos problemas ambientais.
3) Mas o significado de tal experiência para o desenvolvimento
    pessoal de Mozart – e portanto para seu desenvolvimento como
    músico ou, colocando de maneira diferente, para o
    desenvolvimento de sua música – não pode ser percebido de
    maneira realista e convincente caso se descreva apenas o destino
    da pessoa individual, sem apresentar também um modelo das
    estruturas sociais da época, especialmente quando levam a
    diferenças de poder. [...] Só então, em suma, é possível entender
    as coerções inevitáveis que agiam sobre Mozart e como ele se
    comportou em relação a elas.
ELIAS, Norbert. Mozart, sociologia de um gênio. Rio de Janeiro: Jorge
    Zahar Ed., 2005, p.19.
O texto acima faz uma introdução a uma análise sociológica de Wolfgang
    Amadeus Mozart, importante compositor austríaco do século XVIII. A
    partir do trecho em questão e dos seus conhecimentos sociológicos,
    julgue as afirmativas a seguir.
1 - A sociologia nos permite analisar o percurso de uma pessoa.
    Entretanto, tal análise deve ter relação com as estruturas sociais da
    época.
2 - Os anseios de uma pessoa estão relacionados com a sociedade de seu
    tempo. É por isso que se pode fazer sociologia a partir de um “estudo
    de caso”.
3 - As análises sociológicas são próximas à psicologia, dado que
   acabam por valorizar os aspectos individuais, em detrimento
   dos aspectos sociais.
4 - A ideia de que há uma coerção social sobre o indivíduo é
   bastante comum à sociologia durkheimiana.
5 - A sociologia é uma ciência que procura analisar as relações
   do homem com o espaço. Todas as transformações sociais
   são analisadas a partir da relação entre o homem, a natureza
   e o território.
ESTÃO CORRETAS SOBRE O TEMA:
a) Todas estão corretas
b) Somente 1,3,5 estão corretas
c) Somente 1,2,3 estão corretas
d) Somente 1,2,4,5 estão corretas
e) Somente 2,3,4,5 estão corretas

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Filosofia contemporânea - Jean Paul Sartre
Filosofia contemporânea - Jean Paul SartreFilosofia contemporânea - Jean Paul Sartre
Filosofia contemporânea - Jean Paul Sartre
Juliana Corvino de Araújo
 
Existencialismo de Jean paul sarte
Existencialismo de Jean paul sarteExistencialismo de Jean paul sarte
Existencialismo de Jean paul sarte
Jarimbaa
 
Existencialismo e Psicologia - minicurso slides
Existencialismo e Psicologia - minicurso slidesExistencialismo e Psicologia - minicurso slides
Existencialismo e Psicologia - minicurso slides
Bruno Carrasco
 
Jean paul sartre
Jean paul sartreJean paul sartre
Jean paul sartre
gguerreiro89
 
Existenc
ExistencExistenc
Jean-Paul Sartre e o Existencialismo
Jean-Paul Sartre e o ExistencialismoJean-Paul Sartre e o Existencialismo
Jean-Paul Sartre e o Existencialismo
ex-isto
 
Existencialismo
ExistencialismoExistencialismo
Existencialismo
Portal do Vestibulando
 
Existencialismo: Kierkegaard, Nietzsche, Sartre
Existencialismo: Kierkegaard, Nietzsche, SartreExistencialismo: Kierkegaard, Nietzsche, Sartre
Existencialismo: Kierkegaard, Nietzsche, Sartre
Bruno Carrasco
 
Liberdade e Religião no Existencialismo de Sartre (Frederico Pires)
Liberdade e Religião no Existencialismo de Sartre (Frederico Pires)Liberdade e Religião no Existencialismo de Sartre (Frederico Pires)
Liberdade e Religião no Existencialismo de Sartre (Frederico Pires)
Jerbialdo
 
Sociologia - Jean Paul Sartre - Vida e Obra
Sociologia - Jean Paul Sartre - Vida e ObraSociologia - Jean Paul Sartre - Vida e Obra
Sociologia - Jean Paul Sartre - Vida e Obra
Carson Souza
 
Existencialismo - Terceiro Ano
Existencialismo - Terceiro AnoExistencialismo - Terceiro Ano
Existencialismo - Terceiro Ano
Victor França
 
Kierkegaard e o existencialismo
Kierkegaard e o existencialismoKierkegaard e o existencialismo
Kierkegaard e o existencialismo
Bruno Carrasco
 
O que não é Existencialismo
O que não é ExistencialismoO que não é Existencialismo
O que não é Existencialismo
Bruno Carrasco
 
Introdução ao Existencialismo
Introdução ao ExistencialismoIntrodução ao Existencialismo
Introdução ao Existencialismo
Bruno Carrasco
 
Kierkegaard / Heidegger / Sartre
Kierkegaard / Heidegger / SartreKierkegaard / Heidegger / Sartre
Kierkegaard / Heidegger / Sartre
Victor França
 
CDM Filosofia e História
CDM Filosofia e HistóriaCDM Filosofia e História
CDM Filosofia e História
williamferreira12
 
A filosofia da existência (2)
A filosofia da existência (2)A filosofia da existência (2)
A filosofia da existência (2)
TMSouza123
 
Existencialismo schopenhauer kierkegaard nietsche husserl heidegger pdf
Existencialismo schopenhauer kierkegaard nietsche husserl heidegger   pdfExistencialismo schopenhauer kierkegaard nietsche husserl heidegger   pdf
Existencialismo schopenhauer kierkegaard nietsche husserl heidegger pdf
firminomaissociologiafilosofia2019
 
O que tem relação com o Existencialismo
O que tem relação com o ExistencialismoO que tem relação com o Existencialismo
O que tem relação com o Existencialismo
Bruno Carrasco
 
Existencialismo CRISE (econômica, social, política, moral, religiosa...)
Existencialismo CRISE (econômica, social, política, moral, religiosa...)Existencialismo CRISE (econômica, social, política, moral, religiosa...)
Existencialismo CRISE (econômica, social, política, moral, religiosa...)
Sergio Grunbaum
 

Mais procurados (20)

Filosofia contemporânea - Jean Paul Sartre
Filosofia contemporânea - Jean Paul SartreFilosofia contemporânea - Jean Paul Sartre
Filosofia contemporânea - Jean Paul Sartre
 
Existencialismo de Jean paul sarte
Existencialismo de Jean paul sarteExistencialismo de Jean paul sarte
Existencialismo de Jean paul sarte
 
Existencialismo e Psicologia - minicurso slides
Existencialismo e Psicologia - minicurso slidesExistencialismo e Psicologia - minicurso slides
Existencialismo e Psicologia - minicurso slides
 
Jean paul sartre
Jean paul sartreJean paul sartre
Jean paul sartre
 
Existenc
ExistencExistenc
Existenc
 
Jean-Paul Sartre e o Existencialismo
Jean-Paul Sartre e o ExistencialismoJean-Paul Sartre e o Existencialismo
Jean-Paul Sartre e o Existencialismo
 
Existencialismo
ExistencialismoExistencialismo
Existencialismo
 
Existencialismo: Kierkegaard, Nietzsche, Sartre
Existencialismo: Kierkegaard, Nietzsche, SartreExistencialismo: Kierkegaard, Nietzsche, Sartre
Existencialismo: Kierkegaard, Nietzsche, Sartre
 
Liberdade e Religião no Existencialismo de Sartre (Frederico Pires)
Liberdade e Religião no Existencialismo de Sartre (Frederico Pires)Liberdade e Religião no Existencialismo de Sartre (Frederico Pires)
Liberdade e Religião no Existencialismo de Sartre (Frederico Pires)
 
Sociologia - Jean Paul Sartre - Vida e Obra
Sociologia - Jean Paul Sartre - Vida e ObraSociologia - Jean Paul Sartre - Vida e Obra
Sociologia - Jean Paul Sartre - Vida e Obra
 
Existencialismo - Terceiro Ano
Existencialismo - Terceiro AnoExistencialismo - Terceiro Ano
Existencialismo - Terceiro Ano
 
Kierkegaard e o existencialismo
Kierkegaard e o existencialismoKierkegaard e o existencialismo
Kierkegaard e o existencialismo
 
O que não é Existencialismo
O que não é ExistencialismoO que não é Existencialismo
O que não é Existencialismo
 
Introdução ao Existencialismo
Introdução ao ExistencialismoIntrodução ao Existencialismo
Introdução ao Existencialismo
 
Kierkegaard / Heidegger / Sartre
Kierkegaard / Heidegger / SartreKierkegaard / Heidegger / Sartre
Kierkegaard / Heidegger / Sartre
 
CDM Filosofia e História
CDM Filosofia e HistóriaCDM Filosofia e História
CDM Filosofia e História
 
A filosofia da existência (2)
A filosofia da existência (2)A filosofia da existência (2)
A filosofia da existência (2)
 
Existencialismo schopenhauer kierkegaard nietsche husserl heidegger pdf
Existencialismo schopenhauer kierkegaard nietsche husserl heidegger   pdfExistencialismo schopenhauer kierkegaard nietsche husserl heidegger   pdf
Existencialismo schopenhauer kierkegaard nietsche husserl heidegger pdf
 
O que tem relação com o Existencialismo
O que tem relação com o ExistencialismoO que tem relação com o Existencialismo
O que tem relação com o Existencialismo
 
Existencialismo CRISE (econômica, social, política, moral, religiosa...)
Existencialismo CRISE (econômica, social, política, moral, religiosa...)Existencialismo CRISE (econômica, social, política, moral, religiosa...)
Existencialismo CRISE (econômica, social, política, moral, religiosa...)
 

Destaque

100 DICAS ENEM PARTE 04
100 DICAS ENEM PARTE 04100 DICAS ENEM PARTE 04
100 DICAS ENEM PARTE 04
ProfMario De Mori
 
100 DICAS ENEM PARTE 06
100 DICAS ENEM PARTE 06100 DICAS ENEM PARTE 06
100 DICAS ENEM PARTE 06
ProfMario De Mori
 
100 DICAS ENEM PARTE 05
100 DICAS ENEM PARTE 05100 DICAS ENEM PARTE 05
100 DICAS ENEM PARTE 05
ProfMario De Mori
 
Grupo 01
Grupo 01Grupo 01
100 DICAS ENEM PARTE 09
100 DICAS ENEM PARTE 09100 DICAS ENEM PARTE 09
100 DICAS ENEM PARTE 09
ProfMario De Mori
 
.
..
Aula De Sociologia Do Professor Mario
Aula De Sociologia Do Professor MarioAula De Sociologia Do Professor Mario
Aula De Sociologia Do Professor Mario
ProfMario De Mori
 
Grupo 02
Grupo 02Grupo 02
A formação do império feudal 7º anos
A formação do império feudal   7º anosA formação do império feudal   7º anos
A formação do império feudal 7º anos
Íris Ferreira
 
100 DICAS ENEM PARTE 03
100 DICAS ENEM PARTE 03100 DICAS ENEM PARTE 03
100 DICAS ENEM PARTE 03
ProfMario De Mori
 
Feed back =8ºanos (ilumismo, indp. eua, revolução francesa)
Feed back =8ºanos (ilumismo, indp. eua, revolução francesa)Feed back =8ºanos (ilumismo, indp. eua, revolução francesa)
Feed back =8ºanos (ilumismo, indp. eua, revolução francesa)
Íris Ferreira
 
Ditadura militar
Ditadura militarDitadura militar
Ditadura militar
Íris Ferreira
 
100 DICAS ENEM PARTE 08
100 DICAS ENEM PARTE 08100 DICAS ENEM PARTE 08
100 DICAS ENEM PARTE 08
ProfMario De Mori
 
.
..
.
..
O Mundo No Breve SéCulo Xx 2º Ma
O Mundo No Breve SéCulo Xx   2º MaO Mundo No Breve SéCulo Xx   2º Ma
O Mundo No Breve SéCulo Xx 2º Ma
ProfMario De Mori
 
100 DICAS ENEM PARTE 10
100 DICAS ENEM PARTE 10100 DICAS ENEM PARTE 10
100 DICAS ENEM PARTE 10
ProfMario De Mori
 
2º Va Grupo 03
2º Va   Grupo 032º Va   Grupo 03
2º Va Grupo 03
ProfMario De Mori
 
2º Va Grupo 02
2º Va   Grupo 022º Va   Grupo 02
2º Va Grupo 02
ProfMario De Mori
 
Grupo 4
Grupo 4Grupo 4

Destaque (20)

100 DICAS ENEM PARTE 04
100 DICAS ENEM PARTE 04100 DICAS ENEM PARTE 04
100 DICAS ENEM PARTE 04
 
100 DICAS ENEM PARTE 06
100 DICAS ENEM PARTE 06100 DICAS ENEM PARTE 06
100 DICAS ENEM PARTE 06
 
100 DICAS ENEM PARTE 05
100 DICAS ENEM PARTE 05100 DICAS ENEM PARTE 05
100 DICAS ENEM PARTE 05
 
Grupo 01
Grupo 01Grupo 01
Grupo 01
 
100 DICAS ENEM PARTE 09
100 DICAS ENEM PARTE 09100 DICAS ENEM PARTE 09
100 DICAS ENEM PARTE 09
 
.
..
.
 
Aula De Sociologia Do Professor Mario
Aula De Sociologia Do Professor MarioAula De Sociologia Do Professor Mario
Aula De Sociologia Do Professor Mario
 
Grupo 02
Grupo 02Grupo 02
Grupo 02
 
A formação do império feudal 7º anos
A formação do império feudal   7º anosA formação do império feudal   7º anos
A formação do império feudal 7º anos
 
100 DICAS ENEM PARTE 03
100 DICAS ENEM PARTE 03100 DICAS ENEM PARTE 03
100 DICAS ENEM PARTE 03
 
Feed back =8ºanos (ilumismo, indp. eua, revolução francesa)
Feed back =8ºanos (ilumismo, indp. eua, revolução francesa)Feed back =8ºanos (ilumismo, indp. eua, revolução francesa)
Feed back =8ºanos (ilumismo, indp. eua, revolução francesa)
 
Ditadura militar
Ditadura militarDitadura militar
Ditadura militar
 
100 DICAS ENEM PARTE 08
100 DICAS ENEM PARTE 08100 DICAS ENEM PARTE 08
100 DICAS ENEM PARTE 08
 
.
..
.
 
.
..
.
 
O Mundo No Breve SéCulo Xx 2º Ma
O Mundo No Breve SéCulo Xx   2º MaO Mundo No Breve SéCulo Xx   2º Ma
O Mundo No Breve SéCulo Xx 2º Ma
 
100 DICAS ENEM PARTE 10
100 DICAS ENEM PARTE 10100 DICAS ENEM PARTE 10
100 DICAS ENEM PARTE 10
 
2º Va Grupo 03
2º Va   Grupo 032º Va   Grupo 03
2º Va Grupo 03
 
2º Va Grupo 02
2º Va   Grupo 022º Va   Grupo 02
2º Va Grupo 02
 
Grupo 4
Grupo 4Grupo 4
Grupo 4
 

Semelhante a 100 DICAS ENEM PARTE 07

Aula 15 - Liberdade e Responsabilidade - Fenomenologia e Existencialismo
Aula 15 - Liberdade e Responsabilidade - Fenomenologia e ExistencialismoAula 15 - Liberdade e Responsabilidade - Fenomenologia e Existencialismo
Aula 15 - Liberdade e Responsabilidade - Fenomenologia e Existencialismo
Claudio Henrique Ramos Sales
 
Libertarismo e determinismo
Libertarismo e determinismoLibertarismo e determinismo
Libertarismo e determinismo
Claudio Gomes
 
Slides da aula de Filosofia (João Luís) sobre A Liberdade Filosófica
Slides da aula de Filosofia (João Luís) sobre A Liberdade FilosóficaSlides da aula de Filosofia (João Luís) sobre A Liberdade Filosófica
Slides da aula de Filosofia (João Luís) sobre A Liberdade Filosófica
Turma Olímpica
 
Existencialismo e humanismo
Existencialismo e humanismoExistencialismo e humanismo
Existencialismo e humanismo
João Marcelo
 
Liberdade
LiberdadeLiberdade
Liberdade
Edirlene Fraga
 
Slides etica nil
Slides etica nilSlides etica nil
Slides etica nil
Ilmaralina
 
o homem e suas angustia exitencial em sartre....pdf
o homem e suas angustia exitencial em sartre....pdfo homem e suas angustia exitencial em sartre....pdf
o homem e suas angustia exitencial em sartre....pdf
Marcelo Filosofia
 
Existencialismo Pronto
Existencialismo ProntoExistencialismo Pronto
Existencialismo de Sartre - 3º ano
Existencialismo de Sartre - 3º anoExistencialismo de Sartre - 3º ano
Existencialismo de Sartre - 3º ano
Karoline Rodrigues de Melo
 
Biblioterapia_Módulo 2
Biblioterapia_Módulo 2Biblioterapia_Módulo 2
Biblioterapia_Módulo 2
marinanogueiraf
 
AD1 - 1 BIMESTRE - 3 ANO
AD1 - 1 BIMESTRE - 3 ANOAD1 - 1 BIMESTRE - 3 ANO
AD1 - 1 BIMESTRE - 3 ANO
Victor França
 
Aula 03 e 04 comportamento humano
Aula 03 e 04   comportamento humanoAula 03 e 04   comportamento humano
Aula 03 e 04 comportamento humano
Denise A.
 
Aula 03 e 04 comportamento humano
Aula 03 e 04   comportamento humanoAula 03 e 04   comportamento humano
Aula 03 e 04 comportamento humano
Denise A.
 
Aula 03 e 04 comportamento humano
Aula 03 e 04   comportamento humanoAula 03 e 04   comportamento humano
Aula 03 e 04 comportamento humano
Denise A.
 
Que e o_existencialismo_sartre
Que e o_existencialismo_sartreQue e o_existencialismo_sartre
Que e o_existencialismo_sartre
Lidiane Collares
 
Resumodefilo5
Resumodefilo5Resumodefilo5
Resumodefilo5
Natan Camacho
 
Revisão de ética
Revisão de éticaRevisão de ética
Revisão de ética
Edirlene Fraga
 
Revisão de ética
Revisão de éticaRevisão de ética
Revisão de ética
Edirlene Fraga
 
Existencialismo - Sartre - Albanir.pdf
Existencialismo - Sartre - Albanir.pdfExistencialismo - Sartre - Albanir.pdf
Existencialismo - Sartre - Albanir.pdf
AlbanirFaleiros1
 
Liberdade
LiberdadeLiberdade
Liberdade
alruschel
 

Semelhante a 100 DICAS ENEM PARTE 07 (20)

Aula 15 - Liberdade e Responsabilidade - Fenomenologia e Existencialismo
Aula 15 - Liberdade e Responsabilidade - Fenomenologia e ExistencialismoAula 15 - Liberdade e Responsabilidade - Fenomenologia e Existencialismo
Aula 15 - Liberdade e Responsabilidade - Fenomenologia e Existencialismo
 
Libertarismo e determinismo
Libertarismo e determinismoLibertarismo e determinismo
Libertarismo e determinismo
 
Slides da aula de Filosofia (João Luís) sobre A Liberdade Filosófica
Slides da aula de Filosofia (João Luís) sobre A Liberdade FilosóficaSlides da aula de Filosofia (João Luís) sobre A Liberdade Filosófica
Slides da aula de Filosofia (João Luís) sobre A Liberdade Filosófica
 
Existencialismo e humanismo
Existencialismo e humanismoExistencialismo e humanismo
Existencialismo e humanismo
 
Liberdade
LiberdadeLiberdade
Liberdade
 
Slides etica nil
Slides etica nilSlides etica nil
Slides etica nil
 
o homem e suas angustia exitencial em sartre....pdf
o homem e suas angustia exitencial em sartre....pdfo homem e suas angustia exitencial em sartre....pdf
o homem e suas angustia exitencial em sartre....pdf
 
Existencialismo Pronto
Existencialismo ProntoExistencialismo Pronto
Existencialismo Pronto
 
Existencialismo de Sartre - 3º ano
Existencialismo de Sartre - 3º anoExistencialismo de Sartre - 3º ano
Existencialismo de Sartre - 3º ano
 
Biblioterapia_Módulo 2
Biblioterapia_Módulo 2Biblioterapia_Módulo 2
Biblioterapia_Módulo 2
 
AD1 - 1 BIMESTRE - 3 ANO
AD1 - 1 BIMESTRE - 3 ANOAD1 - 1 BIMESTRE - 3 ANO
AD1 - 1 BIMESTRE - 3 ANO
 
Aula 03 e 04 comportamento humano
Aula 03 e 04   comportamento humanoAula 03 e 04   comportamento humano
Aula 03 e 04 comportamento humano
 
Aula 03 e 04 comportamento humano
Aula 03 e 04   comportamento humanoAula 03 e 04   comportamento humano
Aula 03 e 04 comportamento humano
 
Aula 03 e 04 comportamento humano
Aula 03 e 04   comportamento humanoAula 03 e 04   comportamento humano
Aula 03 e 04 comportamento humano
 
Que e o_existencialismo_sartre
Que e o_existencialismo_sartreQue e o_existencialismo_sartre
Que e o_existencialismo_sartre
 
Resumodefilo5
Resumodefilo5Resumodefilo5
Resumodefilo5
 
Revisão de ética
Revisão de éticaRevisão de ética
Revisão de ética
 
Revisão de ética
Revisão de éticaRevisão de ética
Revisão de ética
 
Existencialismo - Sartre - Albanir.pdf
Existencialismo - Sartre - Albanir.pdfExistencialismo - Sartre - Albanir.pdf
Existencialismo - Sartre - Albanir.pdf
 
Liberdade
LiberdadeLiberdade
Liberdade
 

Mais de ProfMario De Mori

100 DICAS PARA ACERTAR NO ENEM
100 DICAS PARA ACERTAR NO ENEM100 DICAS PARA ACERTAR NO ENEM
100 DICAS PARA ACERTAR NO ENEM
ProfMario De Mori
 
ATIVIDADES DAS TIRAS E DO ATLAS 2º ANOS
ATIVIDADES DAS TIRAS E DO ATLAS 2º ANOS ATIVIDADES DAS TIRAS E DO ATLAS 2º ANOS
ATIVIDADES DAS TIRAS E DO ATLAS 2º ANOS
ProfMario De Mori
 
ATIVIDADES DAS TIRAS E DO ATLAS 1º ANOS
ATIVIDADES DAS TIRAS E DO ATLAS 1º ANOS ATIVIDADES DAS TIRAS E DO ATLAS 1º ANOS
ATIVIDADES DAS TIRAS E DO ATLAS 1º ANOS
ProfMario De Mori
 
ATIVIDADES DAS TIRAS E DO ATLAS 9º ANOS
ATIVIDADES DAS TIRAS E DO ATLAS 9º ANOS ATIVIDADES DAS TIRAS E DO ATLAS 9º ANOS
ATIVIDADES DAS TIRAS E DO ATLAS 9º ANOS
ProfMario De Mori
 
100 DICAS ENEM PARTE 11
100 DICAS ENEM PARTE 11100 DICAS ENEM PARTE 11
100 DICAS ENEM PARTE 11
ProfMario De Mori
 
100 DICAS ENEM PARTE 02
100 DICAS ENEM PARTE 02100 DICAS ENEM PARTE 02
100 DICAS ENEM PARTE 02
ProfMario De Mori
 
100 DICAS ENEM PARTE 01
100 DICAS ENEM PARTE 01100 DICAS ENEM PARTE 01
100 DICAS ENEM PARTE 01
ProfMario De Mori
 
Aula charges sociologia 2º anos
Aula charges sociologia 2º anosAula charges sociologia 2º anos
Aula charges sociologia 2º anos
ProfMario De Mori
 
Aula atlas 2º anos - 2º BIMESTRE
Aula atlas 2º anos - 2º BIMESTRE Aula atlas 2º anos - 2º BIMESTRE
Aula atlas 2º anos - 2º BIMESTRE
ProfMario De Mori
 
Aula charges sociologia 1º anos
Aula charges sociologia 1º anosAula charges sociologia 1º anos
Aula charges sociologia 1º anos
ProfMario De Mori
 
Aula charges sociologia 1º anos
Aula charges sociologia 1º anosAula charges sociologia 1º anos
Aula charges sociologia 1º anos
ProfMario De Mori
 
Aula atlas 1º anos - 2º BIMESTRE
Aula atlas 1º anos - 2º BIMESTRE Aula atlas 1º anos - 2º BIMESTRE
Aula atlas 1º anos - 2º BIMESTRE
ProfMario De Mori
 
Aula atlas 2º anos
Aula atlas 2º anosAula atlas 2º anos
Aula atlas 2º anos
ProfMario De Mori
 
Aula ATLAS GEOGRÁFICO 9º anos
Aula ATLAS GEOGRÁFICO 9º anosAula ATLAS GEOGRÁFICO 9º anos
Aula ATLAS GEOGRÁFICO 9º anos
ProfMario De Mori
 
Aula ATLAS GEOGRÁFICO 1º anos
Aula ATLAS GEOGRÁFICO 1º anosAula ATLAS GEOGRÁFICO 1º anos
Aula ATLAS GEOGRÁFICO 1º anos
ProfMario De Mori
 
GEOLOGIA E RELEVO DO BRASIL
GEOLOGIA E RELEVO DO BRASIL GEOLOGIA E RELEVO DO BRASIL
GEOLOGIA E RELEVO DO BRASIL
ProfMario De Mori
 
FUSOS HORÁRIOS NO MUNDO E BRASIL - CREI
FUSOS HORÁRIOS NO MUNDO E BRASIL - CREI FUSOS HORÁRIOS NO MUNDO E BRASIL - CREI
FUSOS HORÁRIOS NO MUNDO E BRASIL - CREI
ProfMario De Mori
 
SOLOS E OCUPAÇÃO RURAL NO MUNDO
SOLOS E OCUPAÇÃO RURAL NO MUNDOSOLOS E OCUPAÇÃO RURAL NO MUNDO
SOLOS E OCUPAÇÃO RURAL NO MUNDO
ProfMario De Mori
 
CARTOGRAFIA - 1º ANOS
CARTOGRAFIA - 1º ANOS CARTOGRAFIA - 1º ANOS
CARTOGRAFIA - 1º ANOS
ProfMario De Mori
 
Imagem NãO é Tudo, VisãO MetafíSica
Imagem NãO é Tudo, VisãO MetafíSicaImagem NãO é Tudo, VisãO MetafíSica
Imagem NãO é Tudo, VisãO MetafíSica
ProfMario De Mori
 

Mais de ProfMario De Mori (20)

100 DICAS PARA ACERTAR NO ENEM
100 DICAS PARA ACERTAR NO ENEM100 DICAS PARA ACERTAR NO ENEM
100 DICAS PARA ACERTAR NO ENEM
 
ATIVIDADES DAS TIRAS E DO ATLAS 2º ANOS
ATIVIDADES DAS TIRAS E DO ATLAS 2º ANOS ATIVIDADES DAS TIRAS E DO ATLAS 2º ANOS
ATIVIDADES DAS TIRAS E DO ATLAS 2º ANOS
 
ATIVIDADES DAS TIRAS E DO ATLAS 1º ANOS
ATIVIDADES DAS TIRAS E DO ATLAS 1º ANOS ATIVIDADES DAS TIRAS E DO ATLAS 1º ANOS
ATIVIDADES DAS TIRAS E DO ATLAS 1º ANOS
 
ATIVIDADES DAS TIRAS E DO ATLAS 9º ANOS
ATIVIDADES DAS TIRAS E DO ATLAS 9º ANOS ATIVIDADES DAS TIRAS E DO ATLAS 9º ANOS
ATIVIDADES DAS TIRAS E DO ATLAS 9º ANOS
 
100 DICAS ENEM PARTE 11
100 DICAS ENEM PARTE 11100 DICAS ENEM PARTE 11
100 DICAS ENEM PARTE 11
 
100 DICAS ENEM PARTE 02
100 DICAS ENEM PARTE 02100 DICAS ENEM PARTE 02
100 DICAS ENEM PARTE 02
 
100 DICAS ENEM PARTE 01
100 DICAS ENEM PARTE 01100 DICAS ENEM PARTE 01
100 DICAS ENEM PARTE 01
 
Aula charges sociologia 2º anos
Aula charges sociologia 2º anosAula charges sociologia 2º anos
Aula charges sociologia 2º anos
 
Aula atlas 2º anos - 2º BIMESTRE
Aula atlas 2º anos - 2º BIMESTRE Aula atlas 2º anos - 2º BIMESTRE
Aula atlas 2º anos - 2º BIMESTRE
 
Aula charges sociologia 1º anos
Aula charges sociologia 1º anosAula charges sociologia 1º anos
Aula charges sociologia 1º anos
 
Aula charges sociologia 1º anos
Aula charges sociologia 1º anosAula charges sociologia 1º anos
Aula charges sociologia 1º anos
 
Aula atlas 1º anos - 2º BIMESTRE
Aula atlas 1º anos - 2º BIMESTRE Aula atlas 1º anos - 2º BIMESTRE
Aula atlas 1º anos - 2º BIMESTRE
 
Aula atlas 2º anos
Aula atlas 2º anosAula atlas 2º anos
Aula atlas 2º anos
 
Aula ATLAS GEOGRÁFICO 9º anos
Aula ATLAS GEOGRÁFICO 9º anosAula ATLAS GEOGRÁFICO 9º anos
Aula ATLAS GEOGRÁFICO 9º anos
 
Aula ATLAS GEOGRÁFICO 1º anos
Aula ATLAS GEOGRÁFICO 1º anosAula ATLAS GEOGRÁFICO 1º anos
Aula ATLAS GEOGRÁFICO 1º anos
 
GEOLOGIA E RELEVO DO BRASIL
GEOLOGIA E RELEVO DO BRASIL GEOLOGIA E RELEVO DO BRASIL
GEOLOGIA E RELEVO DO BRASIL
 
FUSOS HORÁRIOS NO MUNDO E BRASIL - CREI
FUSOS HORÁRIOS NO MUNDO E BRASIL - CREI FUSOS HORÁRIOS NO MUNDO E BRASIL - CREI
FUSOS HORÁRIOS NO MUNDO E BRASIL - CREI
 
SOLOS E OCUPAÇÃO RURAL NO MUNDO
SOLOS E OCUPAÇÃO RURAL NO MUNDOSOLOS E OCUPAÇÃO RURAL NO MUNDO
SOLOS E OCUPAÇÃO RURAL NO MUNDO
 
CARTOGRAFIA - 1º ANOS
CARTOGRAFIA - 1º ANOS CARTOGRAFIA - 1º ANOS
CARTOGRAFIA - 1º ANOS
 
Imagem NãO é Tudo, VisãO MetafíSica
Imagem NãO é Tudo, VisãO MetafíSicaImagem NãO é Tudo, VisãO MetafíSica
Imagem NãO é Tudo, VisãO MetafíSica
 

Último

A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
HisrelBlog
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
MarceloMonteiro213738
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
ProfessoraTatianaT
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Zenir Carmen Bez Trombeta
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Simone399395
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
TomasSousa7
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
Manuais Formação
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
fernandacosta37763
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
LILIANPRESTESSCUDELE
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
joseanesouza36
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
Manuais Formação
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
AmiltonAparecido1
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
beatrizsilva525654
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
eaiprofpolly
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
Eró Cunha
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
mamaeieby
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
fran0410
 

Último (20)

A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
 

100 DICAS ENEM PARTE 07

  • 1. 100 DICAS PARA ACERTAR NO ENEM 2012/2013 PARTE 6 E AÍ, GOSTARAM? ACABARAM-SE AS DICAS, E AGORA É TORCER PARA QUE ALGUMA DELAS CAIA NO SEU ENEM... SUCESSO SERÁ TODO SEU..SE VOCE LEVOU A SÉRIO VOCE VAI VER... Prof. MARIO FERNANDO DE MORI
  • 2. DICA 61:DÉFICIT HABITACIONAL : O BRASIL PRECISA DE 8 MILHÕES DE MORADIAS
  • 3.
  • 4. QUESTÃO SIMULADA SOBRE O TEMA 61 Observe e analise o gráfico abaixo:
  • 5. Desde o final da década de 1970, no Brasil, os movimentos sociais urbanos têm reivindicado o chamado Direito à Cidade, em que a moradia é elemento fundamental. Acerca desse tema, considere os gráficos, seus conhecimentos e as seguintes afirmações: I. A Região Sudeste responde por mais da metade do PIB nacional, sendo, porém, a região com maior deficit habitacional. Consequentemente, forte concentração de capital não significa acesso à moradia. II. A Região Nordeste tem o segundo maior deficit habitacional e a terceira maior participação no PIB nacional. Isso significa que a histórica desigualdade social nessa região foi superada. III. A Região Norte tem o segundo menor deficit habitacional e a menor participação no PIB nacional. Isso significa que o déficit habitacional é um problema desvinculado da produção/distribuição de riqueza. Está correto o que se afirma em a) I, apenas. b) I e III, apenas. c) I, II e III. d) I e II, apenas. e) II e III, apenas.
  • 6. DICA 62: CORRENTES FILOSÓFICAS CONTEMPORÂNEAS: O EXISTENCIALISMO DE SARTRE
  • 7. EXISTENCIALISMO • Os existencialista não tem um pensamento unificado. • Esta corrente não se forma como conseqüência de um raciocínio como outras ( leia-se racionalismo, empirismo ), mas como uma escolha antecipada. “É impossível luta com o que a alma escolheu”.
  • 8. • Os homens que vivem de um modo inconsciente não têm existência. • O pensamento marxista critica o existencialismo, acusando-o de obscurecer o lado luminoso da vida e destacar a sordidez humana. • Uma vez admitida a repugnância humana, o ser humano estaria descompromissado da solidariedade e da ação social.
  • 9. • O cristianismo acusa o existencialismo de deixar o homem em um estado de gratuidade, onde tudo é permitido, pois se não existe Deus não há como condenarmos uns aos outros. • Sartre ( o representante oficial ) responde às críticas.
  • 10. • Pessimismo X otimismo. Ao nos depararmos com algo injusto, segundo a concepção existencialista , pensaremos ‘isto é humano’. Mas isto não significa uma concepção pessimista, ao contrário, é visão otimista: se é humano, posso ou não praticar este ato – não há nada além de mim mesmo que me compele a isto.
  • 11. • Sartre destaca a matriz atéia e a matriz católica ( Assume a posição atéia). • Existência precede a essência. ( Comum a todos as escolas existencialistas ). • Kant defendia a essência antes da existência, por exemplo. Mas segundo os existencialistas, o homem existe no mundo, surge no mundo, para depois se definir. • O homem é um projeto.
  • 12. • Angústia. Ao perceber que sua escolha envolve não apenas a si mesmo, mas toda a humanidade e que a responsabilidade dessa escolha é inteiramente sua, se sentirá angustiado.
  • 13. • Má fé. Ao atribuir sua responsabilidade a outrem, estamos escolhendo a mentira não só para a própria existência, como para todos os homens. Mas segundo Sartre, isto não impede o homem de agir como disseram os marxistas, pelo contrário implica em ação. A má fé da mentira, no sentido de que a má fé não trata de um comportamento que o sujeito adota contra outro sujeito, mas sim, contra ele próprio.
  • 14. • Possibilidade de inventar – liberdade. • O outro é condição para nossa existência. Não somos nada sem o reconhecimento do outro. • Sartre ( o representante oficial ) rebate as críticas que acusam o existencialismo de pregar uma escolha gratuita. Volta a dizer que uma escolha implica um compromisso com toda a humanidade, já que toda escolha é um compromisso.
  • 15. • Má fé. Ao atribuir sua responsabilidade a outrem, estamos escolhendo a mentira não só para a própria existência, como para todos os homens. Mas segundo Sartre, isto não impede o homem de agir como disseram os marxistas, pelo contrário implica em ação. A má fé da mentira, no sentido de que a má fé não trata de um comportamento que o sujeito adota contra outro sujeito, mas sim, contra ele próprio.
  • 16. • Possibilidade de inventar – liberdade. • O outro é condição para nossa existência. Não somos nada sem o reconhecimento do outro. • Sartre ( o representante oficial ) rebate as críticas que acusam o existencialismo de pregar uma escolha gratuita. Volta a dizer que uma escolha implica um compromisso com toda a humanidade, já que toda escolha é um compromisso.
  • 17. • Deus. Sartre pretende que o homem enxergue que, independente de Deus existir ou não, este não é o ponto fundamental, é necessário que o homem compreenda que nada poderá livra-lo dele próprio, nem mesmo a concretude de Deus.
  • 18. • “O existencialismo não é tanto um ateísmo no sentido em que se esforçaria por demonstrar que Deus não existe. Ele declara, mais exatamente:mesmo que Deus existisse, nada mudaria, eis nosso ponto de vista. Não que acreditamos que Deus exista, mas pensamos que o problema não é de sua existência, é preciso que o homem se reencontre e se convença de que nada pode salvá-lo dele próprio, nem mesmo uma prova válida da existência”.
  • 19. • Para o existencialismo o homem é um ser livre para escolher. • Por ser livre para escolher, o homem é conseqüentemente responsável por suas escolhas. • Livre e responsável o homem é aquele que tem a incumbência de criar a si próprio sem certezas e garantia.
  • 20. CONCEITOS FUNDAMENTAIS • Existência - A existência vai designar o modo de ser desse existente humano no mundo. • Essência - No existencialismo a essência não determina o homem. O homem, como um eterno “vir a ser” , não possui uma essência, pelo contrário, ele é quem se constrói na medida em que existe de forma livre.
  • 21. • Liberdade - O homem é um ser livre. • Escolha - A existência humana é uma seqüência infindável de escolhas. • Risco - Toda e qualquer escolha que o homem se veja tendo que fazer é um risco. Ele não sabe ao empreender a empreitada se aquela escolha é a melhor ou se é a certa.
  • 22. • Responsabilidade - Como vimos anteriormente, se o homem é livre para escolher o que quiser, é também responsável pela opção que fez. • Angústia Existencial - O homem vivencia a angústia quando se vê confrontado com sua existência humana, principalmente com a possibilidade que temos de não-ser.
  • 23. • Solidão - O homem nasce, morre e vive só. • Morte - A morte é a possibilidade do fim de todas as possibilidades. É a possibilidade absoluta onde o homem se depara com o inevitável, o incondicional e o intransponível.
  • 24. • Sentido da vida - O homem passa uma parte enorme de sua existência em busca de um sentido para sua vida. • Autenticidade e Inautenticidade - A autenticidade é a própria busca por si mesmo, a busca por tudo aquilo que o aproxima mais e mais de sua condição de humano e diferente do outro, dos animais e das coisas.
  • 25. • Culpa Existencial - O homem se sente culpado sempre que se afasta de suas possibilidades existenciais. • Subjetividade - A subjetividade é tudo aquilo que é pessoal, individual, que pertence ao indivíduo como ser único e apenas a ele.
  • 26.
  • 27.
  • 28.
  • 29.
  • 30. QUESTÃO SIMULADA SOBRE O TEMA 62 1) “Subjetividade” e “intersubjetividade” são conceitos com os quais Sartre pontua o seu existencialismo. Nesse contexto, tais conceitos revelam que a) o cogito cartesiano desabou sobre o existencialismo na mesma proporção com que a virtu socrática precipitou-se sobre o materialismo dialético do século XX. b) “Penso, logo existo” deve ser o ponto de partida de qualquer filosofia. Tal subjetividade faz com que o Homem não seja visto como objeto, o que lhe confere verdadeira dignidade. A descoberta de si mesmo o leva, necessariamente, à descoberta do outro, implicando uma intersubjetividade. c) o Homem é dado, é unidade, é união e é intersubjetividade; portanto, a sua existência é agregadora e desapegada da tão apregoada subjetividade clássica, por isso mesmo tão crucial para Sartre. d) não há um só lampejo de subjetividade que não tenha se reinaugurado na intersubjetividade, isto é, na idealidade que instrui as prerrogativas para se instalarem as escolhas do sujeito, definindo-o.
  • 31. 2) “O que significa aqui o dizer-se que a existência precede a essência? Significa que o homem primeiramente existe, se descobre, surge no mundo; e que só depois se define. O homem, tal como o concebe o existencialista, se não é definível, é porque primeiramente não é nada. Só depois será alguma coisa e tal como a si próprio se fizer. (...) O homem é, não apenas como ele se concebe, mas como ele quer que seja, como ele se concebe depois da existência, como ele se deseja após este impulso para a existência; o homem não é mais que o que ele faz. (...) Assim, o primeiro esforço do existencialismo é o de por todo o homem no domínio do que ele é e de lhe atribuir a total responsabilidade de sua existência. (...) Quando dizemos que o homem se escolhe a si, queremos dizer que cada um de nós se escolhe a si próprio; mas com isso queremos também dizer que, ao escolher-se a si próprio, ele escolhe todos os homens. Com efeito, não há de nossos atos um sequer que, ao criar o homem que desejamos ser, não crie ao mesmo tempo uma imagem do homem como julgamos que deve ser”. Sartre. Considerando a concepção existencialista de Sartre e o texto acima, é incorreto afirmar que a) o homem é um projeto que se vive subjetivamente. b) o homem é um ser totalmente responsável por sua existência. c) por haver uma natureza humana determinada, no homem a essência precede a existência. d) o homem é o que se lança para o futuro e que é consciente deste projetar-se no futuro. e) em suas escolhas, o homem é responsável por si próprio e por todos os homens, porque, em seus atos, cria uma imagem do homem como julgamos que deve ser.
  • 32. DICA 63: CORRENTES FILOSÓFICAS CONTEMPORÂNEAS: RACIONALIDADE COMUNICATIVA
  • 33.
  • 34. QUESTÃO SIMULADA SOBRE O TEMA 63 “Jürgen Habermas (1929) é um dos principais representantes da chamada segunda geração da Escola de Frankfurt”. Este filósofo elaborou “uma teoria social baseada no conceito de racionalidade comunicativa, que se contrapõe à razão instrumental” (ARANHA, Maria Lúcia de Arruda; MARTINS, Maria Helena Pires. Filosofando: introdução à filosofia. 4ª. ed. revista. São Paulo: Ed. Moderna, 2009. p.200). Segundo o pensamento de Jürgen Habermas, LEIA AS FRASES ABAIXO, e assinale o que for correto. 1 - Jürgen Habermas critica a filosofia de René Descartes, por considerá-la uma filosofia metafísica fundada em uma reflexão solitária, centrada no sujeito. 2 - O positivismo é, para Jürgen Habermas, a teoria e o método mais seguro para alcançar um conhecimento preciso da realidade social. 3 - O uso da razão instrumental é, para Jürgen Habermas, válido, quando se trata de agir sobre objetos ou sobre natureza, a fim de suprir as necessidades do homem. 4 - A razão discursiva, que fundamenta a teoria da ação comunicativa de Jürgen Habermas, tem como princípio que a verdade só pode ser alcançada na relação intersubjetiva entre indivíduos que se dispõem a chegar a um consenso. 5 - Para Jürgen Habermas, o princípio da situação ideal de fala, mesmo sendo contrafactual, é necessário para evitar que relações de poder possam desviar a linguagem de seu objetivo, isto é, alcançar o entendimento. ESTÃO CORRETAS SOBRE O TEMA: a)Todas estão corretas b) Somente 1,3,5 estão corretas c) Somente 1,2,3 estão corretas d) Somente 2,4,5 estão corretas e) Somente 3,4,5 estão corretas
  • 35. DICA 64: CORRENTES FILOSÓFICAS CONTEMPORÂNEAS: MICHEL DE FOUCAULT
  • 36.
  • 37.
  • 38. Michel Foucault Michel Foucault chamava a atenção para o controle sobre o eu, especialmente o controle sobre os corpos exercido pelas autoridades. Foucault — que primeiro foi filósofo e se tornou historiador, depois historiador das idéias que se tornou historiador social — fez sua reputação com uma série de livros sobre a história da loucura, da clínica, dos sistemas intelectuais, da vigilância e da sexualidade. No que se refere à NHC, três de suas idéias tiveram especial influência. Vejamos a seguir...
  • 39. Michel Foucault 1ª Idéia Foucault chamou atenção para as descontinuidades culturais, ou "rupturas", por exemplo a mudança na relação entre as palavras e as coisas em meados do século XVII, a "invenção" da loucura também nesse século e da sexualidade no século XIX. Em todos esses casos, o que Kuhn chamaria de novo "paradigma" substituiu com relativa rapidez um outro anterior. A ênfase das recentes contribuições à NHC sobre a construção cultural deve muito a Foucault.
  • 40. Michel Foucault 2ª Idéia Foucault achava as obras dos historiadores “superficiais”, sendo necessário cavar mais fundo para se chegar às estruturas intelectuais ou, como preferia chamar, “redes” (réseaux) e “grades” (grilles). A idéia de “grades” como “filtro” intelectual era sugerir que as estruturas admitiam algumas informações e excluíam as demais.
  • 41. Michel Foucault 3ª Idéia Escreveu uma história intelectual que incluía tanto práticas como teorias, tanto corpos como mentes. Seu conceito de práticas está ligado a uma ênfase no que ele chamava de “microfísica do poder”, ou seja, políticas no nível micro. As “práticas discursivas”, afirmava ele, constroem ou constituem os objetos de que se fala e, em última análise, a cultura ou a sociedade como um todo, enquanto “o olhar” (le regard) era uma explessão da “sociedade disciplinar” moderna.
  • 42. Michel Foucault – A Ordem do Discurso (1970)
  • 43. Michel Foucault – A Ordem do Discurso (1970)
  • 44. A dialética denega o espaço em prol do tempo (da História) supervalorizado: “Dever-se-ia fazer uma crítica dessa desqualificação do espaço que reina há numerosas gerações. O espaço é o que estava morto, congelado, não dialético, imóvel. Em contrapartida, o tempo era rico, fecundo, vivo, dialético (...) Quando se falava em termos do espaço era porque se era contra o tempo, se “negava a história” como diziam os tolos (...) [Na verdade] a descrição espacializante abre para a análise dos efeitos do poder.” (Michel FOUCAULT)
  • 45. QUESTÃO SIMULADA SOBRE O TEMA 64 LEIA OS TEXTOS ABAIXO: TEXTO I: Elimine até 3 kg por mês comendo bolo! É isso mesmo! Um estudo israelense comprovou que comer bolo no café da manhã acelera o metabolismo e ajuda a perder os quilinhos a mais. Revista Ana Maria. nº 820. 29/06/2012, p. 20. TEXTO II: “Se fizéssemos uma história do controle social do corpo, poderíamos mostrar que, até o século XVIII inclusive, o corpo dos indivíduos é essencialmente a superfície de inscrição de suplícios e de penas; o corpo era feito para ser supliciado e castigado. Já nas instâncias de controle que surgem a partir do século XIX, o corpo adquire uma significação totalmente diferente; ele não é mais o que deve ser supliciado, mas o que deve ser formado, reformado, corrigido, o que deve adquirir aptidões, receber um certo número de qualidades, qualificar-se como corpo capaz de trabalhar.” FOUCAULT, M. Conferência V. In: A verdade e as formas jurídicas. Rio de Janeiro: Nau, 2002, p. 119. Vivemos em um tempo em que o corpo se tornou extremamente valorizado, devendo estar de acordo com certos padrões de beleza e de bem estar.
  • 46. Segundo Michel Foucault, filósofo que analisou esse tipo de transformação, essa valorização do corpo significa: a) a realocação do poder, que se torna um poder polimorfo e polivalente, capaz de tornar os corpos individuais úteis e hábeis à sociedade. A isso está relacionado o surgimento de uma série de saberes e de ciências sobre o homem. b) a valorização hedonista do corpo, como uma forma de alienação das mentes. Cada vez mais a sociedade perde seu potencial transformador da ordem vigente. c) a valorização positiva da ética do bem-estar. As novas preocupações com os corpos têm como objetivo melhorar a vida dos cidadãos e isso traz consigo uma série de benefícios à sociedade, como, por exemplo, o aumento da expectativa de vida da população. d) a perda dos ideais iluministas racionalistas. Com a valorização do corpo, há também uma desvalorização do conhecimento intelectual, que é cada vez mais prejudicado. Não por acaso, há um pragmatismo perigoso nas tomadas de decisões privadas. e) um problema de ordem moral. A valorização do homem capaz de trabalhar coloca em questão a ética cristã da caridade. Nesse processo, há uma transformação que torna a sociedade mais secular e descrente da religião.
  • 47. DICA 65: A SOCIOLOGIA CONTEMPORÂNEA : A SOCIEDADE URBANA
  • 48. História: ”a história universal é história das cidades” disse Spengler; Geografia: “a natureza prepara o local e o homem organiza-o de maneira a satisfazer as suas necessidades e desejos”, afirma Vidal de la Blache; Economia: “em nenhuma civilização a vida das cidades se desenvolveu independentemente do comércio e da indústria” (Pirenne); Política: a cidade, segundo Aristóteles, é um certo número de cidadãos; Sociologia: “ a cidade é a forma e o símbolo de uma relação social integrada” (Mumford); Arte e arquitetura: “a grandeza da arquitetura está ligada à da cidade, e a solidez das instituições costuma avaliar-se pela dos muros que as protegem” (Alberti)”. 48
  • 49. Figura 1 – Fluxograma da estrutura da pesquisa. Elaboração e organização: LIMA, V., 2010
  • 50. Figura – Variáveis das classes de análises das categorias “sociedade e natureza" na paisagem urbana. Elaboração: LIMA, V., 2010.
  • 51. SOCIOLOGÍA CIENCIA SOCIAL QUE ESTUDA SISTEMÁTICAMENTE: SOCIEDADE CRIADAS COMPORTAMENTO AÇÃO SOCIAL MANTIDAS INDIVIDUAL E GRUPAL GRUPOS TROCADAS NA INTERAÇÃO SOCIAL INTITUIÇÕES E ORGANIZAÇÕES QUE FORMAM A ESTRUTURA SOCIAL
  • 52. HISTORIA: POR QUE NASCE?  Augusto Comte na França, século XIX  Crise social depois da Revolução Francesa  “VER PARA PREVER”  POSITIVISMO  Lorenzo Stein na Alemanha  “A ciencia social é a ciencia das realidades coletivas com as quais tem que trabalhar o legislador”
  • 53. ONDE SE UTILIZA?  A Sociologia NÃO É UMA CIENCIA NORMATIVA.  A base da análise é social  “Andamos sobre um laboratório onde são manejados os explosivos mais violentos, por homens que não tem a menor idéia de seus ingredientes”
  • 54. FIGURAS IMPORTANTES:  AUGUSTO COMTE  Século XIX, França.  Concebeu a sociologia dentro de uma “Física Social” com aplicações práticas para a solução de problemas.  Análoga à Ciencia e suas aplicações na Tecnologia.
  • 55. FIGURAS IMPORTANTES:  EMILE DURKHEIM:  Principios do século XX.  Busca delimitar a Sociologia e, para isso, estabelece uma metodologia científica para a ela.  Estuda os fatos sociais como se fossem coisas (Influência Positivista de Comte)
  • 56. FIGURAS IMPORTANTES:  KARL MARX:  Século XIX na Alemanha. (ordem social desequilibrada).  “A formas e processos sociais, a história, a cultura, etc. estão determinados pela a forma de produção”  LUTA DE CLASSES  IDEOLOGIA
  • 57. FIGURAS IMPORTANTES:  HERBERT SPENCER  Século XIX, Inglaterra.  Filósofo do Evolucionismo.  A sociedade é resultado de seu processo particular de evolução.  A sociedade é um Organismo.  Classificação de Sociedades.
  • 58. FIGURAS IMPORTANTES:  MAX WEBER  Século XX, Alemanha.  Integração da CULTURA no estudo Social.  Novo Método Sociológico: Diferente das Ciencias Naturais.  COMPREENÇÃO ANTES DE LEIS
  • 59. MÉTODOS SOCIOLÓGICOS:  QUANTITATIVO  QUALITATIVO  Se MEDEM  Se DESCREVEM características, variáveis situações, eventos, com valor numérico. pessoas,  Análise estatística comportamentos.  Indutivo  Dedutiv0.  Busca a generalização  Busca a compreenção de uma situação particular.
  • 60. QUESTÃO SIMULADA SOBRE O TEMA 65 Leia. O sentimento de pertença é algo raro em São Paulo, a cidade da megalomania. A facilidade de locomoção e de comunicação da nossa época é a janela aberta para que fiquemos parados e calados sem culpa – viveríamos em coletividade, se quiséssemos. Mas não queremos. A miríade de gente que circula na Praça da Sé contrasta com os homens, mulheres e crianças que conversam sós. Sujeitos que falam ao nada, pensam alto, gesticulam, esbravejam, xingam. Dialogam sabe-se lá com quem. Quiçá consigo mesmos, fazendo as vezes de ambos os interlocutores, já que ninguém lhes dirige a palavra. VIANA, Rodolfo. Free hugs (ou “por que abraçar gente desconhecida, exceto mendigos”) Adaptado. Disponível em: <http://papodehomem.com.br/free-hugs...mendigos/>. Acesso em 27 ago. 2012. O texto acima corresponde a uma reflexão sobre São Paulo e explicita algumas características da sociedade urbana contemporânea. Que características são essas? a) Progresso e evolução. b) Solidão e tradição. c) Harmonia e solidariedade. d) Insanidade e futilidade. e) Impessoalidade e individualismo.
  • 61. DICA 66: CORRENTES SOCIOLÓGICAS CONTEMPORÂNEAS: O TEMPO NA VIDA SOCIAL
  • 62. QUESTÃO SIMULADA SOBRE O TEMA 66 Mas há uma sensação generalizada de que não conseguimos fazer tudo que queremos. Falta tempo. Pagamos fortunas por engenhocas tecnológicas que deveriam facilitar nossa vida e continuamos com uma pressa insaciável. Você já deve ter sentido os efeitos desse fenômeno. Lembra quando a internet surgiu? Da maravilha que era saber que trocaríamos mensagens instantâneas e teríamos a biblioteca de Harvard ao alcance, bastando um clique no mouse. Agora pense na última vez que você recebeu um arquivo eletrônico pesado. E dos segundos que esperou para abri-lo, amaldiçoando a velocidade do computador, do provedor, da placa multimídia e do modem. Esses incompetentes que nos obrigam a esperar insuportáveis segundos para baixar... um livro inteiro! GWERCMAN, Sérgio. Tempo: cada vez mais acelerado. Superinteressante, nº 211, mar/2005. Cotidiano. Disponível em: <http://super.abril.com.br/cotidiano/tempo-cada-vez-mais-acelerado- 445560.shtml>. Acesso em 24 jul. 2012. Sobre a percepção do tempo, Leia as frases abaixo
  • 63. 1 - O tempo é percebido e construído socialmente. 2 - As inovações tecnológicas acabam por influenciar a forma como as pessoas percebem o tempo. 3 - Em uma sociedade industrial, a administração do tempo está relacionada ao tempo de produção. 4 - A forma como as pessoas percebem e vivem o tempo interfere, inclusive, nos distúrbios e doenças presentes em uma sociedade. 5 - Há sociedades que pensam o tempo de forma cíclica, e não linear. ESTÃO CORRETAS SOBRE O TEMA: a) Todas estão corretas b) Somente 1,3,5 estão corretas c) Somente 1,2,3 estão corretas d) Somente 2,4,5 estão corretas e) Somente 3,4,5 estão corretas
  • 64. DICA 67: A SOCIOLOGIA CONTEMPORÂNEA: O CONTROLE SOCIAL
  • 65. QUESTÃO SIMULADA SOBRE O TEMA 67 Leia os textos abaixo: Texto 1 No ano de 1990, o filósofo francês Gilles Deleuze criou o conceito de “sociedade do controle” para explicar a configuração totalitária das sociedades atuais. Na sociedade de controle as pessoas têm a ilusão de desfrutarem de maior autonomia, pois podem, por exemplo, acessar contas correntes e fazer compras pela Internet. Mas, por outro lado, seus comportamentos e hábitos de consumo podem ser conhecidos pelo governo, pelos bancos e grandes empresas. Sem suspeitarem disso, os indivíduos podem ser controlados à distância, como se cada um fosse dotado de uma “coleira eletrônica”. Texto 2 Um quarto dos alemães aceitam implantar chip no corpo Pesquisa feita pela Associação Alemã das Empresas de Informação, Telecomunicação e Novas Mídias (Bitkom) revela que 23% dos moradores do país topam ter um microchip inserido no próprio corpo, contanto que isso traga benefícios concretos a eles. O levantamento, realizado com cerca de mil pessoas de várias cidades, foi divulgado na feira de tecnologia Cebit, que vai até o próximo sábado (7), em Hannover. (Folha Online, 03.03.2010.)
  • 66. Com base no conceito de sociedade do controle e na notícia reproduzida, assinale a alternativa correta. a) Não há correspondência entre os resultados da pesquisa relatada na notícia e o conceito de sociedade do controle, uma vez que a implantação do chip contaria com a permissão das próprias pessoas. b) Os resultados da pesquisa atestam a inadequação do conceito proposto pelo filósofo francês para reflexões sobre as sociedades atuais, pois o conceito está defasado vinte anos em relação à notícia sobre a pesquisa. c) Os resultados da pesquisa atestam o grau em que os parâmetros da sociedade de controle foram internalizados pelos indivíduos. d) De acordo com o filósofo francês, os acessos informatizados garantem o aumento da autonomia dos indivíduos. e) O conceito de sociedade de controle tem sua aplicação restrita a sociedades governadas por ditaduras, não podendo ser aplicado a reflexões sobre sociedades democráticas.
  • 67. DICA 68: A SOCIOLOGIA CONTEMPORÂNEA: O CONTROLE SOCIAL
  • 68. QUESTÃO SIMULADA SOBRE O TEMA 68 Toda sociedade desenvolve mecanismos de controle social com o objetivo de fazer com que cada indivíduo adote comportamentos esperados. Sobre esse assunto, assinale a(s) alternativa(s) correta(s). 1 - A família, como esfera privada da vida regida por sentimentos e laços de sangue, não participa dos processos de controle social. 2 - A polícia e o judiciário são instituições que exercem controle social de tipo formal e são próprias de sociedades complexas. 3 - A religião é uma importante instituição de controle social, devido a sua alta eficiência na definição de comportamentos socialmente aceitos. 4 - O controle social para ser eficiente deve combinar a transmissão de valores com estratégias de coerção. 5 - Nas sociedades complexas, ocorre uma tendência de substituição de estratégias difusas de controle pela sua institucionalização formal, o que pode ser observado pelo incremento do aparato jurídico e policial. ESTÃO CORRETAS SOBRE O TEMA: a) Todas estão corretas b) Somente 1,2,3,5 estão corretas c) Somente 1,2,3 e 5 estão corretas d) Somente 1,2,4,5 estão corretas e) Somente 2,3,4,5 estão corretas
  • 69. TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO: LEIA O TEXTO ABAIXO: “[...] Ao acordá-lo, o rádio relógio digital dispara informações sobre o tempo e o trânsito. Ligando a FM, lá está o U-2. O vibra massageador amacia-lhe a nuca, enquanto o forno micro-ondas descongela um sanduíche natural. No seu micro Apple II, sua agenda indica: REUNIÃO AGÊNCIA 10H/ TÊNIS CLUBE 12H/ ALMOÇO/ TROCAR CARTÃO MAGNÉTICO BANCO/ TRABALHAR 15H/ PSICOTERAPIA 18H/ SHOPPING/ OPÇÕES: INDIANA JONES-BLADE RUNNER VIDEOCASSETE ROSE, SE LIGAR/ SE NÃO LIGAR, OPÇÕES: LER O NOME DA ROSA (ECO) – DALLAS NA TV – DORMIR COM SONÍFEROS VITAMINADOS. Seu programa rolou fácil. Na rua divertiu-se pacas com a manifestação feminista pró-aborto que contava com um bloco só de freiras e, a metros dali, com a escultura que refazia a Pietá (aquela do Miguelangelo) com baconzitos e cartões perfurados. Rose ligou. Você embarcou no filme Indiana Jones sentado numa poltrona estilo Menphis – uma pirâmide laranja em vinil – desfiando piadas sobre a tese dela de filosofia: Em Cena, a Decadência. A câmera adaptada ao vídeo filmou vocês enquanto faziam amor. Será o pornô que animará a próxima vez.
  • 70. Ao trazê-lo de carro para casa, Rose, que esticaria até uma festa, veio tipo impacto: maquiagem teatral, brincos enormes e uma gravata prateada sobre camisão lilás. Na cama, um sentimento de vazio e irrealidade se instala em você. Sua vida se fragmenta desordenadamente em imagens, dígitos, signos – tudo leve e sem substância como um fantasma. Nenhuma revolta. Entre a apatia e a satisfação, você dorme.” (SANTOS, Jair Ferreira. O que é Pós-Moderno. São Paulo. Editora Brasiliense, 1988. p.8). Utilizando seus conhecimentos sobre o tema “gostos e estilos de vida”, assinale a(s) alternativa(s) correta(s) sobre o texto. 1 - Trata do cotidiano de um indivíduo urbano que convive com a tecnologia eletrônica de massa e individual. 2 - Aborda a valorização do estilo de vida hedonista, no qual predomina a busca pelo prazer individual e imediato. 3 - Exemplifica a lógica de uma sociedade que não é pautada pelo consumo generalizado de bens e serviços. 4 - Retrata uma situação peculiar aos indivíduos que vivem em sociedades altamente industrializadas que oferecem acesso diferenciado às novas tecnologias. 5 - Mostra o processo de fragmentação dos indivíduos em uma sociedade baseada na tecnociência. ESTÃO CORRETAS SOBRE O TEMA: a) Todas estão corretas b) Somente 1,3,5 estão corretas c) Somente 1,2,3 estão corretas d) Somente 1,2,4,5 estão corretas e) Somente 2,3,4,5 estão corretas
  • 71. DICA 69: A SOCIOLOGIA CONTEMPORÂNEA : A VIDA SOCIAL NO MUNDO GLOBAL
  • 72.
  • 73. O MUNDO LIGADO NA INTERNET
  • 74. QUESTÃO SIMULADA SOBRE O TEMA 69 TEXTO PARA AS PRÓXIMAS 2 QUESTÕES: Texto 01 “A insegurança ambiente concentra-se no medo pela segurança pessoal; que por sua vez aguça ainda mais a figura ambígua e imprevisível do estranho. Estranho na rua, gatuno perto de casa... Alarmes contra assalto, bairros vigiados e patrulhados, condomínios fechados, tudo isso serve ao mesmo propósito: manter os estranhos afastados. A prisão é apenas a mais radical dentre muitas medidas — diferente do resto pelo suposto grau de eficiência, não por sua natureza. As pessoas que cresceram numa cultura de alarmes contra ladrões tendem a ser entusiastas naturais das sentenças de prisão e de condenações cada vez mais longas. Tudo combina muito bem e restaura a lógica ao caos da existência.” (Zygmunt Bauman. Globalização: as consequências humanas. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1999) Texto 02 “Depois de vinte anos sem prestar atenção nas consequências sociais e humanas de um capitalismo global incontido, o presidente do Banco Mundial chegou à conclusão de que, para a maior parte da população mundial, a palavra ‘globalização’ sugere ‘medo e insegurança’ em vez de ‘oportunidade e inclusão’.” (Eric Hobsbawn, Globalização, democracia e terrorismo. São Paulo: Companhia das Letras, 2007)
  • 75. Texto 03 “Entre os jovens, cada vez mais prevalece o ‘cada um por si’. Mais do que a amizade, são redes de cumplicidade que orientam a busca da sobrevivência, a abstenção da balbúrdia política. A sociedade pretensamente sem classes resulta num egoísmo cheio de cautela. Tal como o capitalismo. Isso significa que as ‘derivações’, para falar como Pareto, têm pouca influência e o homem continua a ser o que é (mais hobbesiano e menos rousseauísta), sejam quais forem o sistema político e a ideologia que o legitimam.” (Gerard Vincent, Uma história do segredo? São Paulo: Companhia das Letras, 2009) 1) Leia as afirmativas abaixo. I. A misogenia acaba por impor um modelo de estado baseado na vigilância e no controle, produzindo sociedades cada vez mais inóspitas. II. A globalização é encarada de forma otimista pelas civilizações, e tem propiciado uma integração cada vez maior entre os povos. III. O processo de transformação, que culminou na contemporaneidade, redundou na precarização e na desintegração dos “laços humanos”, a solidão demudou as relações sociais em relações autônomas. O egoísmo atingiu proporções assustadoras, o enigma identitário do ser humano coloca-o em um paradoxo, qual seja o de destruir o outro ou mantê-lo longe de si. Sobre as afirmativas: a) Apenas I e II são corretas. b) Apenas II e III são corretas. c) Apenas I e III são corretas. d) Todas são corretas. e) Todas são falsas.
  • 76. 2) A cultura contemporânea é marcada pelo medo do outro, pelo egoísmo e pela intolerância; é possível identificar, ainda, uma ideologia que é caracterizada pela ausência de fraternidade, pela desintegração dos laços humanos e pela solidão. Entre as principais críticas relacionadas a essa problemática (guerra civil, democracia e exclusão) estão as queixas ao sistema representativo, as queixas de direito e justiça, as queixas econômicas. Sobre o tema assinale a alternativa incorreta. a) O ceticismo quanto à política – sobretudo a democracia – acompanha esta mesma linha de raciocínio. As relações autônomas minoram a criação de uma identidade e os direitos já reconhecidos, poucas vezes são efetivados. A solidão cresce na mesma proporção da atitude cética. b) Embora haja medo do outro, as culturas de um modo geral estão se abrindo para acolher o diferente, e isso pode ser percebido tanto na Europa, com relação ao mulçumano, quanto no Brasil, com relação aos negros e indígenas, por exemplo. c) As queixas de representatividade se dirigem tanto às distorções de representação internas de cada Estado, quanto externas, voltadas a atacar as distorções de representatividade existentes na Organização das Nações Unidas, por exemplo. d) As queixas de direito e justiça ocorrem porque, a despeito de serem frequentemente reconhecidos nas constituições nacionais, não são efetivados especialmente no tocante aos grupos minoritários, isso tanto no mundo desenvolvido quanto no mundo subdesenvolvido, o que tem colaborado para o aumento do número de movimentos que têm por escopo a reivindicação de direitos, ou da efetivação dos já reconhecidos. e) Quanto às queixas econômicas, diga-se que estão relacionadas ao alcance da pobreza no mundo de hoje. Embora presente no mundo todo, ela é distribuída de forma desigual, de acordo com critérios de raça, etnia e gênero. Por exemplo, encontram-se no sul da Ásia e na África subsaariana aproximadamente 70% da população mundial que vivem com menos de um dólar por dia.
  • 77. DICA 70: : A SOCIEDADE HUMANA E O MEIO AMBIENTE
  • 78. • O uso intensivo dos recursos da natureza causa a devastação do patrimônio ambiental e ocorre atualmente em escala global. • Mas, as conseqüências da devastação afetam a todos, porém de maneira diferente. • Os países ricos são os maiores responsáveis pelos problemas ambientais que afetam toda a humanidade : abrigam apenas 20% da população mundial mas consomem 80% dos recursos naturais e energéticos do planeta.
  • 79. • As sociedades industriais modernas criaram um complexo sistema econômico que perturba profundamente o meio ambiente : • - Para que a produção industrial ocorra é necessário retirar do meio ambiente a energia e as matérias primas – o ambiente é duplamente afetado : primeiro pela retirada desses recursos , em grande parte não renováveis ; segundo, pela poluição originada durante sua produção.
  • 80. • - Os processos de produção industrial são atividades altamente poluidoras , afetando os solos, o ar e as águas , por meio de emissões de poluentes. • - O mercado consumidor polui o meio ambiente quando descarta, na forma de lixo, as embalagens ou os restos das mercadorias de origem industrial.
  • 81. POLUIÇÃO DO AR • Ocorre por causa da atividade industrial e do lançamento , na atmosfera, de gases são produzidos pela queima de combustíveis fósseis ( petróleo e carvão) expelidos dos veículos automotores e pelo desmatamento.
  • 82.
  • 83.
  • 84.
  • 85.
  • 86. Estátua do Castelo de Herten - Alemanha
  • 87.
  • 88.
  • 89. • Contaminação da água por dejetos domésticos :
  • 90. contaminação da água por dejetos industriais :
  • 91. • Contaminação da água por descarte de lixo :
  • 92. Contaminação do lençol freático pelo acúmulo de lixo a céu aberto:
  • 93. Contaminação do lençol freático pelos cemitérios:
  • 94. Contaminação do lençol freático pelo chorume : •
  • 95. • contaminação do lençol freático pelo lixo hospitalar depositado a céu aberto :
  • 96. PRESERVACIONISMO x CONSERVACIONISMO • Preservacionistas : acreditam que os ambientes devem ficar intactos, sem nenhuma tipo de intervenção humana. • Conservacionistas : propõem a utilização dos recursos naturais , porém de maneira menos impactante, de modo que não coloque em risco a vida humana.
  • 97. QUESTÃO SIMULADA SOBRE O TEMA 70 1) Veja a figura abaixo:
  • 98. A partir dela, assinale a alternativa INCORRETA. a) A percepção das gerações está relacionada à idade social dos indivíduos. b) A charge demonstra como as formas de socialização mudam com o passar das gerações. c) Devido às transformações tecnológicas, as formas mais novas de comunicação podem se tornar obsoletas com o passar das décadas. d) As modernas formas de comunicação deixarão de existir por causa das alterações climáticas naturais do planeta. e) Uma das formas de definir o presente é através da noção de “modernidade líquida”.
  • 99. 2) Os problemas ambientais mobilizam muitos cientistas e ativistas ao redor do mundo. Atuando em áreas distintas, eles buscam soluções a curto e médio prazos para evitar um colapso completo do meio ambiente. Fazendo uma análise no sentido sociológico da charge abaixo, podemos concluir como verdadeiro:
  • 100.
  • 101. a) sociedades com alto padrão de qualidade e acesso irrestrito a tecnologia estão a salvo das consequências advindas dos problemas ambientais. b) a resolução dos problemas ambientais requer não somente políticas públicas e ações globais, mas uma mudança de comportamento dos indivíduos. c) os problemas ambientais não forçarão a mudança de comportamento dos indivíduos ou a forma de organização das sociedades ao redor do mundo. d) as práticas capitalistas não ameaçam tanto o meio ambiente e as relações sociais. e) a industrialização e urbanização intensas não são causas dos problemas ambientais.
  • 102. 3) Mas o significado de tal experiência para o desenvolvimento pessoal de Mozart – e portanto para seu desenvolvimento como músico ou, colocando de maneira diferente, para o desenvolvimento de sua música – não pode ser percebido de maneira realista e convincente caso se descreva apenas o destino da pessoa individual, sem apresentar também um modelo das estruturas sociais da época, especialmente quando levam a diferenças de poder. [...] Só então, em suma, é possível entender as coerções inevitáveis que agiam sobre Mozart e como ele se comportou em relação a elas. ELIAS, Norbert. Mozart, sociologia de um gênio. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2005, p.19. O texto acima faz uma introdução a uma análise sociológica de Wolfgang Amadeus Mozart, importante compositor austríaco do século XVIII. A partir do trecho em questão e dos seus conhecimentos sociológicos, julgue as afirmativas a seguir. 1 - A sociologia nos permite analisar o percurso de uma pessoa. Entretanto, tal análise deve ter relação com as estruturas sociais da época. 2 - Os anseios de uma pessoa estão relacionados com a sociedade de seu tempo. É por isso que se pode fazer sociologia a partir de um “estudo de caso”.
  • 103. 3 - As análises sociológicas são próximas à psicologia, dado que acabam por valorizar os aspectos individuais, em detrimento dos aspectos sociais. 4 - A ideia de que há uma coerção social sobre o indivíduo é bastante comum à sociologia durkheimiana. 5 - A sociologia é uma ciência que procura analisar as relações do homem com o espaço. Todas as transformações sociais são analisadas a partir da relação entre o homem, a natureza e o território. ESTÃO CORRETAS SOBRE O TEMA: a) Todas estão corretas b) Somente 1,3,5 estão corretas c) Somente 1,2,3 estão corretas d) Somente 1,2,4,5 estão corretas e) Somente 2,3,4,5 estão corretas