SlideShare uma empresa Scribd logo
FILOSOFIA 11.º ano 
FFIILLOOSSOOFFIIAA 1111..º aannoo 
Luís Rodrigues 
Falácia da derrapagem ou da 
bola de neve
Falácia da 
derrapagem 
FILOSOFIA 11.º ano 
A conclusão resulta de um suposto e improvável 
encadeamento de situações. 
Ex.: Se és um apreciador de bons vinhos, então depois 
de um bom copo, beberás outro e outro e mais tarde 
ou mais cedo tornar-te-ás um alcoólico. 
Falácia da derrapagem
A falácia da derrapagem ocorre quando a conclusão resulta de um 
suposto e improvável encadeamento de passos ou situações. Temos 
razão para pensar que o suposto encadeamento não se vai verificar, e 
basta que um dos seus passos seja falso ou duvidoso para que o 
argumento seja falacioso. 
FILOSOFIA 11.ºano 
FORMA LÓGICA DA FALÁCIA DA DERRAPAGEM 
Se A, então B. 
Se B, então C. 
Se C, então D. 
Logo, se A, então D. 
Falácia da derrapagem
Exemplos de falácia da derrapagem 
Falácia da derrapagem 
1. Um padre não queria dar a absolvição a um paroquiano que abusava 
do vinho. Dizia este ao padre: «O bom vinho faz bom sangue, bom 
sangue dá bom humor, bom humor faz nascer bons pensamentos, bons 
pensamentos produzem boas obras e boas obras levam o homem para 
o céu; assim sendo, o bom vinho vai conduzir-me ao céu!». Ementa do 
Restaurante «O Brasileiro», em Mértola 
2. Se aprovarmos leis contra as armas automáticas, não demorará 
muito até aprovarmos leis contra todas as armas. E, se fizermos isso, 
começaremos a restringir os nossos direitos. E, se começarmos a 
restringir os nossos direitos, acabaremos por viver num Estado 
totalitário. Portanto, não devemos banir as armas automáticas. 
FILOSOFIA 11.ºano

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Argumentos por analogia
Argumentos por analogiaArgumentos por analogia
Argumentos por analogia
Luis De Sousa Rodrigues
 
falácias informais
falácias informaisfalácias informais
falácias informais
Isabel Moura
 
Sermão aos peixes cap. i
Sermão aos peixes   cap. iSermão aos peixes   cap. i
Sermão aos peixes cap. i
ameliapadrao
 
Ad hominem falacioso ou ataque indevido à pessoa
Ad hominem falacioso ou ataque indevido à pessoaAd hominem falacioso ou ataque indevido à pessoa
Ad hominem falacioso ou ataque indevido à pessoa
Luis De Sousa Rodrigues
 
Capítulo II Sermão de Santo António aos Peixes Padre António Vieira
Capítulo II Sermão de Santo António aos Peixes Padre António VieiraCapítulo II Sermão de Santo António aos Peixes Padre António Vieira
Capítulo II Sermão de Santo António aos Peixes Padre António Vieira
Alexandra Madail
 
Falácias
FaláciasFalácias
Falácias
Isabel Moura
 
Popper – o problema da demarcação
Popper – o problema da demarcaçãoPopper – o problema da demarcação
Popper – o problema da demarcação
Luis De Sousa Rodrigues
 
DESCARTES 11ANO
DESCARTES 11ANODESCARTES 11ANO
DESCARTES 11ANO
Beatriz Cruz
 
Determinismo Radical
Determinismo RadicalDeterminismo Radical
Determinismo Radical
pauloricardom
 
Sermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixesSermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixes
AnaGomes40
 
Atos de fala
Atos de falaAtos de fala
Atos de fala
António Fernandes
 
Sermão de santo antónio aos peixes - Capítulo V
Sermão de santo antónio aos peixes - Capítulo VSermão de santo antónio aos peixes - Capítulo V
Sermão de santo antónio aos peixes - Capítulo V
EuniceCarmo
 
Diversas respostas ao problema da natureza dos juízos morais
Diversas respostas ao problema da natureza dos juízos moraisDiversas respostas ao problema da natureza dos juízos morais
Diversas respostas ao problema da natureza dos juízos morais
Luis De Sousa Rodrigues
 
Iniciação à atividade filosófica
Iniciação à atividade filosóficaIniciação à atividade filosófica
Iniciação à atividade filosófica
Filazambuja
 
Cap iv repreensões geral
Cap iv repreensões geralCap iv repreensões geral
Cap iv repreensões geral
Helena Coutinho
 
Amor de perdição
Amor de perdiçãoAmor de perdição
Amor de perdição
Aparecida Mallagoli
 
Kant e Stuart Mill
Kant e Stuart MillKant e Stuart Mill
Kant e Stuart Mill
Joana Filipa Rodrigues
 
Sermão aos peixes resumo-esquema por capítulos
Sermão aos peixes   resumo-esquema por capítulosSermão aos peixes   resumo-esquema por capítulos
Sermão aos peixes resumo-esquema por capítulos
ClaudiaSacres
 
Actos Ilocutórios
Actos IlocutóriosActos Ilocutórios
Actos Ilocutórios
Isabel Martins
 
Formas de inferência válidas
Formas de inferência válidasFormas de inferência válidas
Formas de inferência válidas
Helena Serrão
 

Mais procurados (20)

Argumentos por analogia
Argumentos por analogiaArgumentos por analogia
Argumentos por analogia
 
falácias informais
falácias informaisfalácias informais
falácias informais
 
Sermão aos peixes cap. i
Sermão aos peixes   cap. iSermão aos peixes   cap. i
Sermão aos peixes cap. i
 
Ad hominem falacioso ou ataque indevido à pessoa
Ad hominem falacioso ou ataque indevido à pessoaAd hominem falacioso ou ataque indevido à pessoa
Ad hominem falacioso ou ataque indevido à pessoa
 
Capítulo II Sermão de Santo António aos Peixes Padre António Vieira
Capítulo II Sermão de Santo António aos Peixes Padre António VieiraCapítulo II Sermão de Santo António aos Peixes Padre António Vieira
Capítulo II Sermão de Santo António aos Peixes Padre António Vieira
 
Falácias
FaláciasFalácias
Falácias
 
Popper – o problema da demarcação
Popper – o problema da demarcaçãoPopper – o problema da demarcação
Popper – o problema da demarcação
 
DESCARTES 11ANO
DESCARTES 11ANODESCARTES 11ANO
DESCARTES 11ANO
 
Determinismo Radical
Determinismo RadicalDeterminismo Radical
Determinismo Radical
 
Sermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixesSermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixes
 
Atos de fala
Atos de falaAtos de fala
Atos de fala
 
Sermão de santo antónio aos peixes - Capítulo V
Sermão de santo antónio aos peixes - Capítulo VSermão de santo antónio aos peixes - Capítulo V
Sermão de santo antónio aos peixes - Capítulo V
 
Diversas respostas ao problema da natureza dos juízos morais
Diversas respostas ao problema da natureza dos juízos moraisDiversas respostas ao problema da natureza dos juízos morais
Diversas respostas ao problema da natureza dos juízos morais
 
Iniciação à atividade filosófica
Iniciação à atividade filosóficaIniciação à atividade filosófica
Iniciação à atividade filosófica
 
Cap iv repreensões geral
Cap iv repreensões geralCap iv repreensões geral
Cap iv repreensões geral
 
Amor de perdição
Amor de perdiçãoAmor de perdição
Amor de perdição
 
Kant e Stuart Mill
Kant e Stuart MillKant e Stuart Mill
Kant e Stuart Mill
 
Sermão aos peixes resumo-esquema por capítulos
Sermão aos peixes   resumo-esquema por capítulosSermão aos peixes   resumo-esquema por capítulos
Sermão aos peixes resumo-esquema por capítulos
 
Actos Ilocutórios
Actos IlocutóriosActos Ilocutórios
Actos Ilocutórios
 
Formas de inferência válidas
Formas de inferência válidasFormas de inferência válidas
Formas de inferência válidas
 

Destaque

Apelo falacioso à ignorância
Apelo falacioso à ignorânciaApelo falacioso à ignorância
Apelo falacioso à ignorância
Luis De Sousa Rodrigues
 
Falácias Informais - Filosofia e retórica
Falácias Informais - Filosofia e retóricaFalácias Informais - Filosofia e retórica
Falácias Informais - Filosofia e retórica
Isaque Tomé
 
Argumentos e Falácias
Argumentos e FaláciasArgumentos e Falácias
Argumentos e Falácias
Isaque Tomé
 
Medição em Química
Medição em Química Medição em Química
Medição em Química
Rui Barqueiro
 
Argumentos de autoridade
Argumentos de autoridadeArgumentos de autoridade
Argumentos de autoridade
Luis De Sousa Rodrigues
 
Argumentação, Retórica e Filosofia - 1
Argumentação, Retórica e Filosofia - 1Argumentação, Retórica e Filosofia - 1
Argumentação, Retórica e Filosofia - 1
Jorge Barbosa
 

Destaque (6)

Apelo falacioso à ignorância
Apelo falacioso à ignorânciaApelo falacioso à ignorância
Apelo falacioso à ignorância
 
Falácias Informais - Filosofia e retórica
Falácias Informais - Filosofia e retóricaFalácias Informais - Filosofia e retórica
Falácias Informais - Filosofia e retórica
 
Argumentos e Falácias
Argumentos e FaláciasArgumentos e Falácias
Argumentos e Falácias
 
Medição em Química
Medição em Química Medição em Química
Medição em Química
 
Argumentos de autoridade
Argumentos de autoridadeArgumentos de autoridade
Argumentos de autoridade
 
Argumentação, Retórica e Filosofia - 1
Argumentação, Retórica e Filosofia - 1Argumentação, Retórica e Filosofia - 1
Argumentação, Retórica e Filosofia - 1
 

Mais de Luis De Sousa Rodrigues

O essencial para os exames de filosofia
O essencial para os exames de filosofiaO essencial para os exames de filosofia
O essencial para os exames de filosofia
Luis De Sousa Rodrigues
 
Unidade funcional do cérebro
Unidade funcional do cérebroUnidade funcional do cérebro
Unidade funcional do cérebro
Luis De Sousa Rodrigues
 
Tipos de vinculação
Tipos de vinculaçãoTipos de vinculação
Tipos de vinculação
Luis De Sousa Rodrigues
 
Tipos de aprendizagem
Tipos de aprendizagemTipos de aprendizagem
Tipos de aprendizagem
Luis De Sousa Rodrigues
 
Teorias sobre as emoções
Teorias sobre as emoçõesTeorias sobre as emoções
Teorias sobre as emoções
Luis De Sousa Rodrigues
 
Relações precoces
Relações precocesRelações precoces
Relações precoces
Luis De Sousa Rodrigues
 
Raízes da vinculação
Raízes da vinculaçãoRaízes da vinculação
Raízes da vinculação
Luis De Sousa Rodrigues
 
Processos conativos
Processos conativosProcessos conativos
Processos conativos
Luis De Sousa Rodrigues
 
Perturbações da vinculação
Perturbações da vinculaçãoPerturbações da vinculação
Perturbações da vinculação
Luis De Sousa Rodrigues
 
Perceção e gestalt
Perceção e gestaltPerceção e gestalt
Perceção e gestalt
Luis De Sousa Rodrigues
 
Os processos emocionais
Os processos emocionaisOs processos emocionais
Os processos emocionais
Luis De Sousa Rodrigues
 
Os grupos
Os gruposOs grupos
O sistema nervoso
O sistema nervosoO sistema nervoso
O sistema nervoso
Luis De Sousa Rodrigues
 
O que nos torna humanos
O que nos torna humanosO que nos torna humanos
O que nos torna humanos
Luis De Sousa Rodrigues
 
Maslow e a motivação
Maslow e a motivaçãoMaslow e a motivação
Maslow e a motivação
Luis De Sousa Rodrigues
 
Lateralidade cerebral
Lateralidade cerebralLateralidade cerebral
Lateralidade cerebral
Luis De Sousa Rodrigues
 
Freud 9
Freud 9Freud 9
Freud 8
Freud 8Freud 8
Freud 7
Freud 7Freud 7
Freud 6
Freud 6Freud 6

Mais de Luis De Sousa Rodrigues (20)

O essencial para os exames de filosofia
O essencial para os exames de filosofiaO essencial para os exames de filosofia
O essencial para os exames de filosofia
 
Unidade funcional do cérebro
Unidade funcional do cérebroUnidade funcional do cérebro
Unidade funcional do cérebro
 
Tipos de vinculação
Tipos de vinculaçãoTipos de vinculação
Tipos de vinculação
 
Tipos de aprendizagem
Tipos de aprendizagemTipos de aprendizagem
Tipos de aprendizagem
 
Teorias sobre as emoções
Teorias sobre as emoçõesTeorias sobre as emoções
Teorias sobre as emoções
 
Relações precoces
Relações precocesRelações precoces
Relações precoces
 
Raízes da vinculação
Raízes da vinculaçãoRaízes da vinculação
Raízes da vinculação
 
Processos conativos
Processos conativosProcessos conativos
Processos conativos
 
Perturbações da vinculação
Perturbações da vinculaçãoPerturbações da vinculação
Perturbações da vinculação
 
Perceção e gestalt
Perceção e gestaltPerceção e gestalt
Perceção e gestalt
 
Os processos emocionais
Os processos emocionaisOs processos emocionais
Os processos emocionais
 
Os grupos
Os gruposOs grupos
Os grupos
 
O sistema nervoso
O sistema nervosoO sistema nervoso
O sistema nervoso
 
O que nos torna humanos
O que nos torna humanosO que nos torna humanos
O que nos torna humanos
 
Maslow e a motivação
Maslow e a motivaçãoMaslow e a motivação
Maslow e a motivação
 
Lateralidade cerebral
Lateralidade cerebralLateralidade cerebral
Lateralidade cerebral
 
Freud 9
Freud 9Freud 9
Freud 9
 
Freud 8
Freud 8Freud 8
Freud 8
 
Freud 7
Freud 7Freud 7
Freud 7
 
Freud 6
Freud 6Freud 6
Freud 6
 

A falácia da derrapagem

  • 1. FILOSOFIA 11.º ano FFIILLOOSSOOFFIIAA 1111..º aannoo Luís Rodrigues Falácia da derrapagem ou da bola de neve
  • 2. Falácia da derrapagem FILOSOFIA 11.º ano A conclusão resulta de um suposto e improvável encadeamento de situações. Ex.: Se és um apreciador de bons vinhos, então depois de um bom copo, beberás outro e outro e mais tarde ou mais cedo tornar-te-ás um alcoólico. Falácia da derrapagem
  • 3. A falácia da derrapagem ocorre quando a conclusão resulta de um suposto e improvável encadeamento de passos ou situações. Temos razão para pensar que o suposto encadeamento não se vai verificar, e basta que um dos seus passos seja falso ou duvidoso para que o argumento seja falacioso. FILOSOFIA 11.ºano FORMA LÓGICA DA FALÁCIA DA DERRAPAGEM Se A, então B. Se B, então C. Se C, então D. Logo, se A, então D. Falácia da derrapagem
  • 4. Exemplos de falácia da derrapagem Falácia da derrapagem 1. Um padre não queria dar a absolvição a um paroquiano que abusava do vinho. Dizia este ao padre: «O bom vinho faz bom sangue, bom sangue dá bom humor, bom humor faz nascer bons pensamentos, bons pensamentos produzem boas obras e boas obras levam o homem para o céu; assim sendo, o bom vinho vai conduzir-me ao céu!». Ementa do Restaurante «O Brasileiro», em Mértola 2. Se aprovarmos leis contra as armas automáticas, não demorará muito até aprovarmos leis contra todas as armas. E, se fizermos isso, começaremos a restringir os nossos direitos. E, se começarmos a restringir os nossos direitos, acabaremos por viver num Estado totalitário. Portanto, não devemos banir as armas automáticas. FILOSOFIA 11.ºano