SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 1
Baixar para ler offline
PLÁTANO EDITORA
A teoria da Gestalt
Organizamos a nossa perceção
de acordo com o princípio de que
o todo não é igual à simples
soma das suas partes.
Percecionamos um dado
conjunto de estímulos
como um todo.
A mente organiza e unifica os
vários elementos de um rosto –
curvas, linhas, saliências – e por
isso é que vemos um rosto e não
um aglomerado de estímulos.
As leis da perceção
Lei da figura-fundo
Separar ou destacar a figura
do fundo é a primeira coisa
que fazemos quando
percecionamos.
Quando a figura
se destaca, o
fundo fica em
segundo plano.
Não vemos figura
e fundo ao
mesmo tempo,
pelo que
excluímos
temporariamente
alguns objetos do
nosso campo
visual.
Leis do agrupamento percetivo
Leis configurativas que definem
a forma de agrupar os estímulos
percetivos, possibilitando a
perceção de uma mesma figura.
® Proximidade
® Continuidade
® Semelhança
® Fechamento
® Simetria
A Teoria da Gestalt e as leis da perceção
A falta de experiência com objetos
distantes explica a incapacidade de
os pigmeus terem a perceção da
permanência do tamanho dos
objetos.
Pessoas que habitualmente vivem
em espaços abertos e com muitas
curvas são pouco suscetíveis de
serem ludibriadas pela ilusão de
Müller-Lyer, ao contrário das que
vivem em cidades com espaços
circunscritos, ruas e edifícios com
muitos ângulos.
A cultura influencia o que vemos e o modo como interpretamos o que vemos.
Processos cognitivos
U1 - Síntese esquematica:Psicologia 12.º ano 8/4/09 12:22 PM Page 36

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula 02 - Princípios da Gestalt
Aula 02 - Princípios da GestaltAula 02 - Princípios da Gestalt
Aula 02 - Princípios da Gestalt
Danilo Aroeira
 
Processos superiores de organização perceptual
Processos superiores de organização perceptualProcessos superiores de organização perceptual
Processos superiores de organização perceptual
vaccilla
 

Mais procurados (20)

Teoria de Gestalt
Teoria de GestaltTeoria de Gestalt
Teoria de Gestalt
 
Gestalt do objeto
Gestalt do objetoGestalt do objeto
Gestalt do objeto
 
Ihm Aula 06 Gestalt 25.03.08 E
Ihm   Aula 06   Gestalt  25.03.08 EIhm   Aula 06   Gestalt  25.03.08 E
Ihm Aula 06 Gestalt 25.03.08 E
 
Leis da Gestalt
Leis da GestaltLeis da Gestalt
Leis da Gestalt
 
7 ges-teoria-palestra-outubro-06 ok
7 ges-teoria-palestra-outubro-06 ok7 ges-teoria-palestra-outubro-06 ok
7 ges-teoria-palestra-outubro-06 ok
 
Introdução a Gestalt
Introdução a GestaltIntrodução a Gestalt
Introdução a Gestalt
 
Interface Homem Computador - Aula04 - Principios da Gestalt
Interface Homem Computador - Aula04 - Principios da GestaltInterface Homem Computador - Aula04 - Principios da Gestalt
Interface Homem Computador - Aula04 - Principios da Gestalt
 
Gestalt
GestaltGestalt
Gestalt
 
Gestalt new(fix)
Gestalt new(fix)Gestalt new(fix)
Gestalt new(fix)
 
Psicologia da Gestalt
Psicologia da GestaltPsicologia da Gestalt
Psicologia da Gestalt
 
Gestalt para apresentar
Gestalt para apresentarGestalt para apresentar
Gestalt para apresentar
 
Aula 02 - Princípios da Gestalt
Aula 02 - Princípios da GestaltAula 02 - Princípios da Gestalt
Aula 02 - Princípios da Gestalt
 
Teoria da forma
Teoria da formaTeoria da forma
Teoria da forma
 
Gestalt
GestaltGestalt
Gestalt
 
Psicologia gestalt
Psicologia gestaltPsicologia gestalt
Psicologia gestalt
 
Gestalt - Teoria do Design
Gestalt - Teoria do DesignGestalt - Teoria do Design
Gestalt - Teoria do Design
 
Aula gestalt 01
Aula gestalt 01Aula gestalt 01
Aula gestalt 01
 
Processos superiores de organização perceptual
Processos superiores de organização perceptualProcessos superiores de organização perceptual
Processos superiores de organização perceptual
 
A teoria da gestalt
A teoria da gestaltA teoria da gestalt
A teoria da gestalt
 
Psicologia da forma GESTALT
Psicologia da forma GESTALTPsicologia da forma GESTALT
Psicologia da forma GESTALT
 

Destaque (20)

Freud 6
Freud 6Freud 6
Freud 6
 
Os grupos
Os gruposOs grupos
Os grupos
 
Freud 7
Freud 7Freud 7
Freud 7
 
Relações precoces
Relações precocesRelações precoces
Relações precoces
 
A identidade e a sua construção
A identidade e a sua construção A identidade e a sua construção
A identidade e a sua construção
 
Perturbações da vinculação
Perturbações da vinculaçãoPerturbações da vinculação
Perturbações da vinculação
 
Kuhn e a noção de paradigma
Kuhn e a noção de paradigmaKuhn e a noção de paradigma
Kuhn e a noção de paradigma
 
As atitudes
As atitudesAs atitudes
As atitudes
 
O estádio sensório motor
O estádio sensório   motorO estádio sensório   motor
O estádio sensório motor
 
Raízes da vinculação
Raízes da vinculaçãoRaízes da vinculação
Raízes da vinculação
 
Maslow e a motivação
Maslow e a motivaçãoMaslow e a motivação
Maslow e a motivação
 
Freud 9
Freud 9Freud 9
Freud 9
 
Teorias sobre as emoções
Teorias sobre as emoçõesTeorias sobre as emoções
Teorias sobre as emoções
 
O hábito e a ideia de conexão necessária
O hábito e a ideia de conexão necessáriaO hábito e a ideia de conexão necessária
O hábito e a ideia de conexão necessária
 
A teoria ética utilitarista de mill
A teoria ética utilitarista de millA teoria ética utilitarista de mill
A teoria ética utilitarista de mill
 
Stuart – mill – ideias básicas
Stuart – mill  – ideias básicasStuart – mill  – ideias básicas
Stuart – mill – ideias básicas
 
As críticas a kuhn
As críticas a kuhnAs críticas a kuhn
As críticas a kuhn
 
Os processos emocionais
Os processos emocionaisOs processos emocionais
Os processos emocionais
 
As críticas de sandel
As críticas de sandelAs críticas de sandel
As críticas de sandel
 
Unidade funcional do cérebro
Unidade funcional do cérebroUnidade funcional do cérebro
Unidade funcional do cérebro
 

Semelhante a Perceção e gestalt

Design configuração
Design   configuraçãoDesign   configuração
Design configuração
sergioborgato
 
Psicologia Gestalt.pptx
Psicologia Gestalt.pptxPsicologia Gestalt.pptx
Psicologia Gestalt.pptx
LetciaSchneider
 

Semelhante a Perceção e gestalt (20)

Gestalt
GestaltGestalt
Gestalt
 
PERCEPÇÃO VISUAL
PERCEPÇÃO VISUALPERCEPÇÃO VISUAL
PERCEPÇÃO VISUAL
 
introdução gestalt
introdução gestaltintrodução gestalt
introdução gestalt
 
Design configuração
Design   configuraçãoDesign   configuração
Design configuração
 
Perceção visual
Perceção visualPerceção visual
Perceção visual
 
Módulo 2 -Perceção visual
Módulo 2 -Perceção visualMódulo 2 -Perceção visual
Módulo 2 -Perceção visual
 
Aula gestalt
Aula gestaltAula gestalt
Aula gestalt
 
Gestalt poligrafo
Gestalt poligrafoGestalt poligrafo
Gestalt poligrafo
 
PERCEPÇÃO. Processos Psicológicos Básicos Thaís Vectore Pavanin.pdf
PERCEPÇÃO. Processos Psicológicos Básicos Thaís Vectore Pavanin.pdfPERCEPÇÃO. Processos Psicológicos Básicos Thaís Vectore Pavanin.pdf
PERCEPÇÃO. Processos Psicológicos Básicos Thaís Vectore Pavanin.pdf
 
Gestalt do objeto
Gestalt do objetoGestalt do objeto
Gestalt do objeto
 
A teoria de gestalt
A teoria de gestaltA teoria de gestalt
A teoria de gestalt
 
Percepção e gestalt
Percepção e gestaltPercepção e gestalt
Percepção e gestalt
 
Teoria da Gestalt
Teoria da GestaltTeoria da Gestalt
Teoria da Gestalt
 
GESTALT.pptx
GESTALT.pptxGESTALT.pptx
GESTALT.pptx
 
Percepção visual
Percepção visualPercepção visual
Percepção visual
 
Introdução à psicologia
Introdução à psicologiaIntrodução à psicologia
Introdução à psicologia
 
Psicologia Gestalt.pptx
Psicologia Gestalt.pptxPsicologia Gestalt.pptx
Psicologia Gestalt.pptx
 
Teoria de gestalt informacao
Teoria de gestalt informacaoTeoria de gestalt informacao
Teoria de gestalt informacao
 
Aula 03 linguagem visual
Aula 03   linguagem visualAula 03   linguagem visual
Aula 03 linguagem visual
 
Aula3 designgrafico
Aula3 designgraficoAula3 designgrafico
Aula3 designgrafico
 

Mais de Luis De Sousa Rodrigues (19)

O essencial para os exames de filosofia
O essencial para os exames de filosofiaO essencial para os exames de filosofia
O essencial para os exames de filosofia
 
Tipos de vinculação
Tipos de vinculaçãoTipos de vinculação
Tipos de vinculação
 
Tipos de aprendizagem
Tipos de aprendizagemTipos de aprendizagem
Tipos de aprendizagem
 
Processos conativos
Processos conativosProcessos conativos
Processos conativos
 
O sistema nervoso
O sistema nervosoO sistema nervoso
O sistema nervoso
 
O que nos torna humanos
O que nos torna humanosO que nos torna humanos
O que nos torna humanos
 
Lateralidade cerebral
Lateralidade cerebralLateralidade cerebral
Lateralidade cerebral
 
Freud 8
Freud 8Freud 8
Freud 8
 
Freud 5
Freud 5Freud 5
Freud 5
 
Freud 4
Freud 4Freud 4
Freud 4
 
Freud 3
Freud 3Freud 3
Freud 3
 
Freud 2
Freud 2Freud 2
Freud 2
 
Freud 1
Freud 1Freud 1
Freud 1
 
Filogénese
FilogéneseFilogénese
Filogénese
 
Fatores do conformismo e da obediência
Fatores do conformismo e da obediênciaFatores do conformismo e da obediência
Fatores do conformismo e da obediência
 
Estereótipos e preconceitos
Estereótipos e preconceitosEstereótipos e preconceitos
Estereótipos e preconceitos
 
Estruturas subcorticais
Estruturas subcorticaisEstruturas subcorticais
Estruturas subcorticais
 
Esquecimento
EsquecimentoEsquecimento
Esquecimento
 
Cultura e identidade pessoal
Cultura e identidade pessoalCultura e identidade pessoal
Cultura e identidade pessoal
 

Perceção e gestalt

  • 1. PLÁTANO EDITORA A teoria da Gestalt Organizamos a nossa perceção de acordo com o princípio de que o todo não é igual à simples soma das suas partes. Percecionamos um dado conjunto de estímulos como um todo. A mente organiza e unifica os vários elementos de um rosto – curvas, linhas, saliências – e por isso é que vemos um rosto e não um aglomerado de estímulos. As leis da perceção Lei da figura-fundo Separar ou destacar a figura do fundo é a primeira coisa que fazemos quando percecionamos. Quando a figura se destaca, o fundo fica em segundo plano. Não vemos figura e fundo ao mesmo tempo, pelo que excluímos temporariamente alguns objetos do nosso campo visual. Leis do agrupamento percetivo Leis configurativas que definem a forma de agrupar os estímulos percetivos, possibilitando a perceção de uma mesma figura. ® Proximidade ® Continuidade ® Semelhança ® Fechamento ® Simetria A Teoria da Gestalt e as leis da perceção A falta de experiência com objetos distantes explica a incapacidade de os pigmeus terem a perceção da permanência do tamanho dos objetos. Pessoas que habitualmente vivem em espaços abertos e com muitas curvas são pouco suscetíveis de serem ludibriadas pela ilusão de Müller-Lyer, ao contrário das que vivem em cidades com espaços circunscritos, ruas e edifícios com muitos ângulos. A cultura influencia o que vemos e o modo como interpretamos o que vemos. Processos cognitivos U1 - Síntese esquematica:Psicologia 12.º ano 8/4/09 12:22 PM Page 36