SlideShare uma empresa Scribd logo
FILOSOFIA 11.º ano 
FFIILLOOSSOOFFIIAA 1111..º aannoo 
Luís Rodrigues 
Ad hominem falacioso ou 
ataque indevido à pessoa
Falácia do ataque 
indevido à pessoa (ad 
hominem falacioso) 
FILOSOFIA 11.º ano 
Ataca-se indevidamente a pessoa que 
defende certas ideias julgando-se 
erradamente que isso é atacar as suas 
ideias. 
Ex.: É impossível acreditar no que dizes. 
Como é que podes ter uma opinião 
inteligente sobre o aborto? Não és mulher, 
pelo que esta é uma decisão que nunca terás 
de tomar. 
Ad hominem falacioso ou ataque indevido à pessoa
Ad hominem falacioso ou ataque indevido à pessoa 
A falácia do ataque à pessoa ou falácia ad hominem ocorre quando, 
em vez de atacar o ponto de vista que a pessoa defende, se ataca 
indevidamente a própria pessoa. Tenta-se desacreditar essa pessoa, 
salientando aspetos considerados desfavoráveis (a sua condição social, 
o seu comportamento, as suas atitudes, profissão, nacionalidade, etnia, 
ideias políticas e religiosas, deslizes do passado e motivações), mas não 
se faz o que devia ser feito: refutar o que ela defende. 
FILOSOFIA 11.º ano
FORMA LÓGICA DO ATAQUE FALACIOSO À PESSOA 
X afirma A. 
X não merece crédito. 
Logo, A é falso. 
FILOSOFIA 11.º ano 
Estratégias: 
1. Põem-se em causa de forma abusiva a credibilidade 
e a boa-fé de alguém. 
2. Sublinha-se a contradição entre as ideias e o seu 
comportamento. 
3. Lançam-se dúvidas sobre o que motiva alguém 
afirmar ou negar algo. 
4. Desacredita-se a família, o grupo social, étnico e 
religioso a que alguém pertence. 
Ad hominem falacioso ou ataque indevido à pessoa
Ad hominem falacioso ou ataque indevido à pessoa 
Exemplos de ad hominem falacioso 
1. Os meus pais dizem que mentir é errado porque ninguém confia em e 
ninguém gosta de pessoas mentirosas. Mas, por várias vezes, já os 
apanhei a mentir: o meu pai à minha mãe e a minha mãe ao meu pai, o 
meu pai ao vizinho para não ter de falar com ele, a minha mãe à tia para 
não ter de lhe emprestar o carro e ambos aos empregados da sua 
empresa para recusarem aumentos de ordenados. Já percebi que 
mentir não é errado. Querem é que eu faça o que mandam. 
2. «Não devemos dar importância ao que Karl Marx escreveu sobre o 
capitalismo. Todos sabemos que falou muito de capital, mas viveu 
quase sempre à custa do seu amigo Engels para sustentar a família, e 
mesmo assim passaram muita fome.» 
FILOSOFIA 11.º ano
Ad hominem falacioso ou ataque indevido à pessoa 
Exemplos de ad hominem falacioso 
1. Os meus pais dizem que mentir é errado porque ninguém confia em e 
ninguém gosta de pessoas mentirosas. Mas, por várias vezes, já os 
apanhei a mentir: o meu pai à minha mãe e a minha mãe ao meu pai, o 
meu pai ao vizinho para não ter de falar com ele, a minha mãe à tia para 
não ter de lhe emprestar o carro e ambos aos empregados da sua 
empresa para recusarem aumentos de ordenados. Já percebi que 
mentir não é errado. Querem é que eu faça o que mandam. 
2. «Não devemos dar importância ao que Karl Marx escreveu sobre o 
capitalismo. Todos sabemos que falou muito de capital, mas viveu 
quase sempre à custa do seu amigo Engels para sustentar a família, e 
mesmo assim passaram muita fome.» 
FILOSOFIA 11.º ano

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Argumentos de autoridade
Argumentos de autoridadeArgumentos de autoridade
Argumentos de autoridade
Luis De Sousa Rodrigues
 
Falácias informais
Falácias informaisFalácias informais
Falácias informais
Adriana Cahongo
 
11º b final
11º b   final11º b   final
11º b final
j_sdias
 
Da dúvida ao cogito
Da dúvida ao cogitoDa dúvida ao cogito
Da dúvida ao cogito
Luis De Sousa Rodrigues
 
Rm vs objetivismo moral
Rm vs objetivismo moralRm vs objetivismo moral
Rm vs objetivismo moral
Isabel Moura
 
Sermão aos peixes cap. i
Sermão aos peixes   cap. iSermão aos peixes   cap. i
Sermão aos peixes cap. i
ameliapadrao
 
Popper – o problema da demarcação
Popper – o problema da demarcaçãoPopper – o problema da demarcação
Popper – o problema da demarcação
Luis De Sousa Rodrigues
 
Comparação entre popper e kuhn
Comparação entre popper e kuhnComparação entre popper e kuhn
Comparação entre popper e kuhn
Luis De Sousa Rodrigues
 
Sermão de Santo António aos peixes - Rémora
Sermão de Santo António aos peixes - Rémora Sermão de Santo António aos peixes - Rémora
Sermão de Santo António aos peixes - Rémora
kikaveiga1
 
Quadro_hume vs descartes
Quadro_hume vs descartesQuadro_hume vs descartes
Quadro_hume vs descartes
Isabel Moura
 
Subjectivismo Moral
Subjectivismo MoralSubjectivismo Moral
Subjectivismo Moral
Bruno Pedro
 
Teorias Explicativas do Conhecimento - Descartes
Teorias Explicativas do Conhecimento - DescartesTeorias Explicativas do Conhecimento - Descartes
Teorias Explicativas do Conhecimento - Descartes
Jorge Barbosa
 
Listas das falácias informais
Listas das falácias informaisListas das falácias informais
Listas das falácias informais
Isabel Moura
 
Provas da existência de Deus segundo Descartes
Provas da existência de Deus segundo DescartesProvas da existência de Deus segundo Descartes
Provas da existência de Deus segundo Descartes
Joana Filipa Rodrigues
 
A definição tradicional de conhecimento
A definição tradicional de conhecimentoA definição tradicional de conhecimento
A definição tradicional de conhecimentoLuis De Sousa Rodrigues
 
Lista_falácias_informais
Lista_falácias_informaisLista_falácias_informais
Lista_falácias_informais
Isabel Moura
 
Tipos de argumentos indutivos
Tipos de argumentos indutivosTipos de argumentos indutivos
Tipos de argumentos indutivos
Luis De Sousa Rodrigues
 

Mais procurados (20)

Argumentos de autoridade
Argumentos de autoridadeArgumentos de autoridade
Argumentos de autoridade
 
Falácias informais
Falácias informaisFalácias informais
Falácias informais
 
11º b final
11º b   final11º b   final
11º b final
 
Da dúvida ao cogito
Da dúvida ao cogitoDa dúvida ao cogito
Da dúvida ao cogito
 
As críticas a kuhn
As críticas a kuhnAs críticas a kuhn
As críticas a kuhn
 
Rm vs objetivismo moral
Rm vs objetivismo moralRm vs objetivismo moral
Rm vs objetivismo moral
 
Sermão aos peixes cap. i
Sermão aos peixes   cap. iSermão aos peixes   cap. i
Sermão aos peixes cap. i
 
Tipos de conhecimento
Tipos de conhecimentoTipos de conhecimento
Tipos de conhecimento
 
Popper – o problema da demarcação
Popper – o problema da demarcaçãoPopper – o problema da demarcação
Popper – o problema da demarcação
 
Comparação entre popper e kuhn
Comparação entre popper e kuhnComparação entre popper e kuhn
Comparação entre popper e kuhn
 
Sermão de Santo António aos peixes - Rémora
Sermão de Santo António aos peixes - Rémora Sermão de Santo António aos peixes - Rémora
Sermão de Santo António aos peixes - Rémora
 
Quadro_hume vs descartes
Quadro_hume vs descartesQuadro_hume vs descartes
Quadro_hume vs descartes
 
Subjectivismo Moral
Subjectivismo MoralSubjectivismo Moral
Subjectivismo Moral
 
Teorias Explicativas do Conhecimento - Descartes
Teorias Explicativas do Conhecimento - DescartesTeorias Explicativas do Conhecimento - Descartes
Teorias Explicativas do Conhecimento - Descartes
 
Listas das falácias informais
Listas das falácias informaisListas das falácias informais
Listas das falácias informais
 
Popper contra o indutivismo
Popper contra o indutivismoPopper contra o indutivismo
Popper contra o indutivismo
 
Provas da existência de Deus segundo Descartes
Provas da existência de Deus segundo DescartesProvas da existência de Deus segundo Descartes
Provas da existência de Deus segundo Descartes
 
A definição tradicional de conhecimento
A definição tradicional de conhecimentoA definição tradicional de conhecimento
A definição tradicional de conhecimento
 
Lista_falácias_informais
Lista_falácias_informaisLista_falácias_informais
Lista_falácias_informais
 
Tipos de argumentos indutivos
Tipos de argumentos indutivosTipos de argumentos indutivos
Tipos de argumentos indutivos
 

Semelhante a Ad hominem falacioso ou ataque indevido à pessoa

Falácias Informais - Filosofia
Falácias Informais - FilosofiaFalácias Informais - Filosofia
Falácias Informais - Filosofia
Fernanda Clara
 
Assimetria entre o verdadeiro e o falso
Assimetria entre o verdadeiro e o falsoAssimetria entre o verdadeiro e o falso
Assimetria entre o verdadeiro e o falso
J. Alfredo Bião
 
Falácias2
Falácias2Falácias2
Falácias2
Helena Serrão
 
Falácias e erros de raciocínio
Falácias e erros de raciocínioFalácias e erros de raciocínio
Falácias e erros de raciocínio
Hélio Consolaro
 
Falácias e erros de raciocínio
Falácias e erros de raciocínioFalácias e erros de raciocínio
Falácias e erros de raciocínio
Hélio Consolaro
 
FACIG NEWS
FACIG NEWSFACIG NEWS
A Intolerância e fanatismo no Brasil.pptx
A Intolerância e fanatismo no Brasil.pptxA Intolerância e fanatismo no Brasil.pptx
A Intolerância e fanatismo no Brasil.pptx
AbdalaRIMECA
 
Mentira e suas artimanhas
Mentira e suas artimanhasMentira e suas artimanhas
Mentira e suas artimanhas
Almy Alves
 
Falcias 121204140007-phpapp01
Falcias 121204140007-phpapp01Falcias 121204140007-phpapp01
Falcias 121204140007-phpapp01
Helena Serrão
 
Leaders fools and_impostors
Leaders fools and_impostorsLeaders fools and_impostors
Leaders fools and_impostors
Mateus Cozer
 
O nao de_eloa
O nao de_eloaO nao de_eloa
O nao de_eloa
Rogerio Oliveira
 
O nao de_eloa-jagarcia-amigaohinos
O nao de_eloa-jagarcia-amigaohinosO nao de_eloa-jagarcia-amigaohinos
O nao de_eloa-jagarcia-amigaohinos
amigaohinos
 
O nao de_eloa
O nao de_eloaO nao de_eloa
O nao de_eloa
Luciano Soares
 
F.biz_Cartilha contra o assédio
F.biz_Cartilha contra o assédioF.biz_Cartilha contra o assédio
F.biz_Cartilha contra o assédio
Enrico Fernandes
 
O nao de_eloa
O nao de_eloaO nao de_eloa
O nao de_eloa
Antenor Antenor
 
O nao de_eloa
O nao de_eloaO nao de_eloa
O nao de_eloa
selmaprado
 
O nao de Eloá
O nao de EloáO nao de Eloá
O nao de Eloá
Eduardo Gomes
 
O não de Eloá!
O não de Eloá!O não de Eloá!
O não de Eloá!
Aristides Monteiro
 
O nao de_eloa
O nao de_eloaO nao de_eloa
O nao de_eloa
selmaprado
 
O nao de_eloa
O nao de_eloaO nao de_eloa
O nao de_eloa
alessandramagnaqueiroz
 

Semelhante a Ad hominem falacioso ou ataque indevido à pessoa (20)

Falácias Informais - Filosofia
Falácias Informais - FilosofiaFalácias Informais - Filosofia
Falácias Informais - Filosofia
 
Assimetria entre o verdadeiro e o falso
Assimetria entre o verdadeiro e o falsoAssimetria entre o verdadeiro e o falso
Assimetria entre o verdadeiro e o falso
 
Falácias2
Falácias2Falácias2
Falácias2
 
Falácias e erros de raciocínio
Falácias e erros de raciocínioFalácias e erros de raciocínio
Falácias e erros de raciocínio
 
Falácias e erros de raciocínio
Falácias e erros de raciocínioFalácias e erros de raciocínio
Falácias e erros de raciocínio
 
FACIG NEWS
FACIG NEWSFACIG NEWS
FACIG NEWS
 
A Intolerância e fanatismo no Brasil.pptx
A Intolerância e fanatismo no Brasil.pptxA Intolerância e fanatismo no Brasil.pptx
A Intolerância e fanatismo no Brasil.pptx
 
Mentira e suas artimanhas
Mentira e suas artimanhasMentira e suas artimanhas
Mentira e suas artimanhas
 
Falcias 121204140007-phpapp01
Falcias 121204140007-phpapp01Falcias 121204140007-phpapp01
Falcias 121204140007-phpapp01
 
Leaders fools and_impostors
Leaders fools and_impostorsLeaders fools and_impostors
Leaders fools and_impostors
 
O nao de_eloa
O nao de_eloaO nao de_eloa
O nao de_eloa
 
O nao de_eloa-jagarcia-amigaohinos
O nao de_eloa-jagarcia-amigaohinosO nao de_eloa-jagarcia-amigaohinos
O nao de_eloa-jagarcia-amigaohinos
 
O nao de_eloa
O nao de_eloaO nao de_eloa
O nao de_eloa
 
F.biz_Cartilha contra o assédio
F.biz_Cartilha contra o assédioF.biz_Cartilha contra o assédio
F.biz_Cartilha contra o assédio
 
O nao de_eloa
O nao de_eloaO nao de_eloa
O nao de_eloa
 
O nao de_eloa
O nao de_eloaO nao de_eloa
O nao de_eloa
 
O nao de Eloá
O nao de EloáO nao de Eloá
O nao de Eloá
 
O não de Eloá!
O não de Eloá!O não de Eloá!
O não de Eloá!
 
O nao de_eloa
O nao de_eloaO nao de_eloa
O nao de_eloa
 
O nao de_eloa
O nao de_eloaO nao de_eloa
O nao de_eloa
 

Mais de Luis De Sousa Rodrigues

O essencial para os exames de filosofia
O essencial para os exames de filosofiaO essencial para os exames de filosofia
O essencial para os exames de filosofia
Luis De Sousa Rodrigues
 
Unidade funcional do cérebro
Unidade funcional do cérebroUnidade funcional do cérebro
Unidade funcional do cérebro
Luis De Sousa Rodrigues
 
Tipos de vinculação
Tipos de vinculaçãoTipos de vinculação
Tipos de vinculação
Luis De Sousa Rodrigues
 
Tipos de aprendizagem
Tipos de aprendizagemTipos de aprendizagem
Tipos de aprendizagem
Luis De Sousa Rodrigues
 
Teorias sobre as emoções
Teorias sobre as emoçõesTeorias sobre as emoções
Teorias sobre as emoções
Luis De Sousa Rodrigues
 
Relações precoces
Relações precocesRelações precoces
Relações precoces
Luis De Sousa Rodrigues
 
Raízes da vinculação
Raízes da vinculaçãoRaízes da vinculação
Raízes da vinculação
Luis De Sousa Rodrigues
 
Processos conativos
Processos conativosProcessos conativos
Processos conativos
Luis De Sousa Rodrigues
 
Perturbações da vinculação
Perturbações da vinculaçãoPerturbações da vinculação
Perturbações da vinculação
Luis De Sousa Rodrigues
 
Perceção e gestalt
Perceção e gestaltPerceção e gestalt
Perceção e gestalt
Luis De Sousa Rodrigues
 
Os processos emocionais
Os processos emocionaisOs processos emocionais
Os processos emocionais
Luis De Sousa Rodrigues
 
Os grupos
Os gruposOs grupos
O sistema nervoso
O sistema nervosoO sistema nervoso
O sistema nervoso
Luis De Sousa Rodrigues
 
O que nos torna humanos
O que nos torna humanosO que nos torna humanos
O que nos torna humanos
Luis De Sousa Rodrigues
 
Maslow e a motivação
Maslow e a motivaçãoMaslow e a motivação
Maslow e a motivação
Luis De Sousa Rodrigues
 
Lateralidade cerebral
Lateralidade cerebralLateralidade cerebral
Lateralidade cerebral
Luis De Sousa Rodrigues
 
Freud 9
Freud 9Freud 9
Freud 8
Freud 8Freud 8
Freud 7
Freud 7Freud 7
Freud 6
Freud 6Freud 6

Mais de Luis De Sousa Rodrigues (20)

O essencial para os exames de filosofia
O essencial para os exames de filosofiaO essencial para os exames de filosofia
O essencial para os exames de filosofia
 
Unidade funcional do cérebro
Unidade funcional do cérebroUnidade funcional do cérebro
Unidade funcional do cérebro
 
Tipos de vinculação
Tipos de vinculaçãoTipos de vinculação
Tipos de vinculação
 
Tipos de aprendizagem
Tipos de aprendizagemTipos de aprendizagem
Tipos de aprendizagem
 
Teorias sobre as emoções
Teorias sobre as emoçõesTeorias sobre as emoções
Teorias sobre as emoções
 
Relações precoces
Relações precocesRelações precoces
Relações precoces
 
Raízes da vinculação
Raízes da vinculaçãoRaízes da vinculação
Raízes da vinculação
 
Processos conativos
Processos conativosProcessos conativos
Processos conativos
 
Perturbações da vinculação
Perturbações da vinculaçãoPerturbações da vinculação
Perturbações da vinculação
 
Perceção e gestalt
Perceção e gestaltPerceção e gestalt
Perceção e gestalt
 
Os processos emocionais
Os processos emocionaisOs processos emocionais
Os processos emocionais
 
Os grupos
Os gruposOs grupos
Os grupos
 
O sistema nervoso
O sistema nervosoO sistema nervoso
O sistema nervoso
 
O que nos torna humanos
O que nos torna humanosO que nos torna humanos
O que nos torna humanos
 
Maslow e a motivação
Maslow e a motivaçãoMaslow e a motivação
Maslow e a motivação
 
Lateralidade cerebral
Lateralidade cerebralLateralidade cerebral
Lateralidade cerebral
 
Freud 9
Freud 9Freud 9
Freud 9
 
Freud 8
Freud 8Freud 8
Freud 8
 
Freud 7
Freud 7Freud 7
Freud 7
 
Freud 6
Freud 6Freud 6
Freud 6
 

Ad hominem falacioso ou ataque indevido à pessoa

  • 1. FILOSOFIA 11.º ano FFIILLOOSSOOFFIIAA 1111..º aannoo Luís Rodrigues Ad hominem falacioso ou ataque indevido à pessoa
  • 2. Falácia do ataque indevido à pessoa (ad hominem falacioso) FILOSOFIA 11.º ano Ataca-se indevidamente a pessoa que defende certas ideias julgando-se erradamente que isso é atacar as suas ideias. Ex.: É impossível acreditar no que dizes. Como é que podes ter uma opinião inteligente sobre o aborto? Não és mulher, pelo que esta é uma decisão que nunca terás de tomar. Ad hominem falacioso ou ataque indevido à pessoa
  • 3. Ad hominem falacioso ou ataque indevido à pessoa A falácia do ataque à pessoa ou falácia ad hominem ocorre quando, em vez de atacar o ponto de vista que a pessoa defende, se ataca indevidamente a própria pessoa. Tenta-se desacreditar essa pessoa, salientando aspetos considerados desfavoráveis (a sua condição social, o seu comportamento, as suas atitudes, profissão, nacionalidade, etnia, ideias políticas e religiosas, deslizes do passado e motivações), mas não se faz o que devia ser feito: refutar o que ela defende. FILOSOFIA 11.º ano
  • 4. FORMA LÓGICA DO ATAQUE FALACIOSO À PESSOA X afirma A. X não merece crédito. Logo, A é falso. FILOSOFIA 11.º ano Estratégias: 1. Põem-se em causa de forma abusiva a credibilidade e a boa-fé de alguém. 2. Sublinha-se a contradição entre as ideias e o seu comportamento. 3. Lançam-se dúvidas sobre o que motiva alguém afirmar ou negar algo. 4. Desacredita-se a família, o grupo social, étnico e religioso a que alguém pertence. Ad hominem falacioso ou ataque indevido à pessoa
  • 5. Ad hominem falacioso ou ataque indevido à pessoa Exemplos de ad hominem falacioso 1. Os meus pais dizem que mentir é errado porque ninguém confia em e ninguém gosta de pessoas mentirosas. Mas, por várias vezes, já os apanhei a mentir: o meu pai à minha mãe e a minha mãe ao meu pai, o meu pai ao vizinho para não ter de falar com ele, a minha mãe à tia para não ter de lhe emprestar o carro e ambos aos empregados da sua empresa para recusarem aumentos de ordenados. Já percebi que mentir não é errado. Querem é que eu faça o que mandam. 2. «Não devemos dar importância ao que Karl Marx escreveu sobre o capitalismo. Todos sabemos que falou muito de capital, mas viveu quase sempre à custa do seu amigo Engels para sustentar a família, e mesmo assim passaram muita fome.» FILOSOFIA 11.º ano
  • 6. Ad hominem falacioso ou ataque indevido à pessoa Exemplos de ad hominem falacioso 1. Os meus pais dizem que mentir é errado porque ninguém confia em e ninguém gosta de pessoas mentirosas. Mas, por várias vezes, já os apanhei a mentir: o meu pai à minha mãe e a minha mãe ao meu pai, o meu pai ao vizinho para não ter de falar com ele, a minha mãe à tia para não ter de lhe emprestar o carro e ambos aos empregados da sua empresa para recusarem aumentos de ordenados. Já percebi que mentir não é errado. Querem é que eu faça o que mandam. 2. «Não devemos dar importância ao que Karl Marx escreveu sobre o capitalismo. Todos sabemos que falou muito de capital, mas viveu quase sempre à custa do seu amigo Engels para sustentar a família, e mesmo assim passaram muita fome.» FILOSOFIA 11.º ano