SlideShare uma empresa Scribd logo
14:00 - 15:45 - "Meu SUS não é igual ao seu SUS"
Apresentação pesquisa: Rafael Kaliks, Instituto Oncoguia
Pascoal Marracini
Diretor Presidente da Associação Brasileira de Instituições Filantrópicas de Combate ao Câncer – ABIFCC
Rodrigo Eloy Arantes
Auditor Federal de Finanças e Controle
Chefe de Divisão da Coordenação-Geral de Auditoria da Área da Saúde
Maria Inez Pordeus Gadelha
Chefe de Gabinete
Secretaria de Atenção à Saúde – Secretarias - Ministério da Saúde – SAS/MS
16:15 - 18:00 - Avaliação e Incorporação de Tecnologias do SUS: precisamos redesenhar a estrutura e as regras para oncologia?
Maria José Delgado
Diretora da Interfarma
Vanessa Teich
Especialista em Economia da Saúde
Otávio Clarck
Oncologista e PhD em Medicina na Universidade de Campinas
Cláudio Cordovil Oliveira
PhD, Pesquisador em Saúde Pública, Fundação Oswaldo Cruz, Escola Nacional de Saúde Pública Sérgio Arouca
Maria Inez Pordeus Gadelha
Chefe de Gabinete
Secretaria de Atenção à Saúde – Secretarias - Ministério da Saúde – SAS/MS
Meu SUS é diferente do teu SUS
Tiago Farina Matos – Diretor Jurídico e de Advocacy do IO
Vanessa Araujo Silva – Enfa. do Hospital Albert Einstein
Luciana Holtz – Presidente do Instituto Oncoguia
Rafael Kaliks – Oncol. Clínico do HIAE e Diretor Científico do IO
“se trata de um sistema
ímpar no mundo, que
garante acesso integral,
universal e igualitário à
população brasileira”
Existe uma política que rege a atenção oncológica?
Infraestrutura em 2016
http://www2.inca.gov.br/wps/wcm/connect/cancer/site/tratamento/ondetratarsus
O tratamento oncológico
Cirurgia Radioterapia
Imunoterapia Terapias-alvo,
quimioterapia,
hormonioterapia
7º Fórum Oncoguia - 27/06/2017 - Rafael Kaliks
7º Fórum Oncoguia - 27/06/2017 - Rafael Kaliks
PREÇO
7º Fórum Oncoguia - 27/06/2017 - Rafael Kaliks
Será que os hospitais trabalham
com tratamentos equivalentes e
adequados?
A grande questão…
O tratamento oncológico
Cirurgia Radioterapia
Imunoterapia Terapias-alvo,
quimioterapia,
hormonioterapia
Existe um padrão ou diretriz de tratamento SUS?
Por que DDT e não PCDT em oncologia?
Protocolos Clínicos e Diretrizes Terapêuticas (PCDT)
• estabelecem critérios para o diagnóstico
• estabelecem o tratamento preconizado
• estabelecem os mecanismos de controle clínico e o acompanhamento
• a serem seguidos pelos gestores do SUS.
• devem ser baseados em evidência científica e considerar critérios de eficácia, segurança,
efetividade e custo-efetividade das tecnologias recomendadas.
Diretrizes Diagnósticas e Terapêuticas (DDT)
• documentos baseados em evidência científica que visam nortear as melhores condutas
na área da Oncologia.
• principal diferença em relação aos PCDT é que, por conta do sistema diferenciado de
financiamento dos procedimentos e tratamentos em oncologia, este documento não se
restringe às tecnologias incorporadas no SUS, mas sim, ao que pode ser oferecido a este
paciente, considerando o financiamento repassado aos centros de atenção e a
autonomia destes na escolha da melhor opção para cada situação clínica.
Com base na Lei de Acesso à Informação:
1- Seu centro tem diretrizes de tratamento para o câncer?
2- Suas diretrizes oferecem o que consta na DDT (“padrão SUS”)?
3- Há diferenças entre os centros de uma mesma cidade?
4- Há diferenças com o padrão da Saúde Suplementar?
(não abordado nesta apresentação)
7º Fórum Oncoguia - 27/06/2017 - Rafael Kaliks
Estado Cidade Pulmão Colorretal Mama Prostata Colo de Útero
Pará Belem apenas lista antineoplásicos em geral
sim sim sim sim sim
Alagoas não não não não não
Bahia sim sim sim sim sim
Ceará Fortaleza não não não não não
sim sim sim sim sim
apenas lista antineoplásicos em geral apenas lista antineoplásicos em geral
não não não não não
Maranhão São Luiz não não sim não não
Pernambuco sim sim sim sim sim
não não não não não
Recife não sim sim sim sim
sim sim sim sim sim
sim sim sim sim sim
Rio Grande do Norte apenas lista antineoplásicos em geral
Minas Gerais Belo Horizonte sim sim sim sim sim
sim sim sim sim sim
sim sim sim sim sim
sim sim sim sim sim
Rio de Janeiro Rio de Janeiro sim sim sim sim sim
sim sim sim sim sim
sim sim sim sim sim
sim sim sim sim sim
sim sim sim sim sim
sim sim sim sim sim
sim sim sim sim sim
apenas lista antineoplásicos em geral
apenas lista antineoplásicos em geral
sim sim sim sim sim
nãa sim sim sim não
sim sim sim sim sim
São Paulo sim sim não sim não
São Paulo sim não sim sim não
sim não sim sim não
não sim sim sim não
não não sim não sim
apenas lista antineoplásicos em geral
não não não não não
sim sim sim sim sim
apenas lista antineoplásicos em geral
sim sim sim sim sim
Paraná sim sim sim sim sim
sim sim sim sim sim
Rio grande do Sul apenas lista antineoplásicos em geral
não não não não não
sim sim sim sim sim
Santa Catarina sim sim sim sim sim
apenas lista antineoplásicos em geral
Distrito Federal não não não não não
apenas lista antineoplásicos em geral
Goiás sim sim sim sim sim
Mato Grosso do Sul sim sim sim sim sim
Região Estado Número de centros
Norte Pará 1
Nordeste Bahia 1
Ceará 1
Maranhão 1
Pernambuco 4
Sudeste Minas Gerais 4
Rio de Janeiro 9
São Paulo 7
Sul Paraná 2
Rio Grande do Sul 1
Santa Catarina 1
Cetro-Oeste Goiás 1
Mato Grosso do Sul 1
Cidades com 3 ou mais centros com diretrizes
Recife 4
Rio de Janeiro 8
São Paulo 5
Centros com ao menos UMA diretriz
“Padrão SUS” com base em DDTs
Fase do tratamento Medicações
Câncer de pulmão não pequenas células
Adjuvância platina associado a gemcitabina, vinorelbina, taxano ou pemetrexate
Doença metastática sem mutação específica platina, taxano, gemcitabina, vinorelbina, pemetrexate,
Doença metastática com mutação em EGFR* gefitinibe, erlotinibe,
Câncer de mama
Neoadjuvância doença Her2-negativa antraciclina, taxano, ciclofosfamida
Neoadjuvância doença Her2-positiva trastuzumabe, doxorrubicina, ciclofosfamida, taxano, carboplatina
Adjuvância quimioterápica doxorrubicina, taxano, ciclofosfamida
Adjuvância doença Her2-positiva trastuzumabe, doxorrubicina, ciclofosfamida, taxano, carboplatina
Adjuvância hormonioterápica tamoxifeno, letrozol, anastrazol, exemestano, análogo de LHRHϮ
Doença metastática - hormonioterapia tamoxifeno, letrozol, anastrazol, exemestano, lulvestranto, análogo de
LHRHϮ
Doença metastática - quimioterapia antraciclina, taxano, ciclofosfamida, cisplatina, carboplatina, capecitabina,
vinorelbina, gemcitabina
Doença metastática – doença Her2-positiva antraciclina, taxano, cisplatina, carboplatina, capecitabina, vinorelbina,
gemcitabina
Câncer colorretal
Adjuvância fluoropirimidina e oxaliplatina
Metastático sem mutação
específica de RAS***
fluoropirimidina, oxaliplatina, irinotecano,
bevacizumabe
Metastático com mutação de
RAS***
fluoropirimidina, oxaliplatina, irinotecano,
bevacizumabe, cetuximabe, panitumumabe
Câncer de próstata
Doença metastática sensível à
castração
Análogo de LHRHϮ, bicalutamida, flutamida, docetaxel
Doença metastática refratária à
castração
Análogo de LHRHϮ, bicalutamida, flutamida, docetaxel,
“Padrão SUS” com base em DDTs
Estado Número de
centros
Dispõe de
diretriz
Diferenças relevantes em relação ao DDT e
entre instituições do SUS
Diferenças entre centros de uma
mesma cidade
Pará 1 1 Acima do preconizado na DDT (dispõe de
afatinibe, crizotinibe, bevacizumabe)
Bahia 1 1 Abaixo do preconizado na DDT (não dispõe de
erlotinibe ou gefitinibe)
Ceará 2 1 Acima do preconizado na DDT ( dispõe de
bevacizumabe
Pernambuco 5 3 Acima do preconizado na DDT (Os 3 hospitais
dispõe de afatinibe, crizotinibe, bevacizumabe,
um oferece imunoterapia)
Em Recife os 3 centros têm
diretrizes muito homogêneas. Um
hospital disponibiliza até
imunoterapia, muito acima do
padrão do SUS
Minas Gerais 4 4 Abaixo do preconizado na DDT (três hospitais
listam disponibilidade apenas de cisplatina,
carboplatina, etoposide, vinorelbina, docetaxel,
gemcitabina)
Rio de Janeiro 10 9 Abaixo da DDT em 7 centros (não dispõe de
pemetrexede, erlotinibe, gefitinibe)
Adequado em 1 centro.
Acima da DDT em um centro (dispõe de TODAS
da lista da Saúde Suplementar exceto
imunoterapia
A cidade do Rio de Janeiro tem
centros que disponibilizam apenas
os quimioterápicos mais básicos
até centros com TODAS exceto
imunoterapia
Câncerdepulmão
São Paulo 8 5 Abaixo da DDT em 1 centro (disponibiliza
apenas platina, etoposide, taxano e
gemcitabina). Adequado com a DDT em 3
centros.
Acima da DDT em 1 centro (disponibiliza
TODAS da Saúde Suplementar, inclusive
imunoterapia)
A cidade de São Paulo tem
centros que disponibilidade
desde um padrão abaixo da DDT
até absolutamente TODAS as
medicações, incluindo
imunoterapia, bem acima da
DDT
Paraná 2 2 Adequado com DDT nos 2 centros
Rio Grande do Sul 2 1 Abaixo da DDT (não disponibiliza
pemetrexede, erlotinibe, gefitinibe)
Santa Catarina 1 1 Abaixo da DDT (não disponibiliza
pemetrexede, erlotinibe, gefitinibe)
Goiás 1 1 Abaixo da DDT (não dispnibiliza
Pemetrexede, Erlotinibe, Gefitinibe)
Mato Grosso do
Sul
1 1 Acima da DDT (inclui pemetrexede,
afatinibe, bevacizumabe)
Câncerdepulmão Estado Número de
centros
Dispõe de
diretriz
Diferenças relevantes em relação ao DDT e
entre instituições do SUS
Diferenças entre centros de uma
mesma cidade
Que impacto podem ter estas diferenças?
Oferecer ou não gefitinibe/erlotinibe em câncer
de pulmão metastático com mutação de EGFR:
• Impacto no controle da doença: maior em todos os estudos
• Tempo de vida: mais longo em alguns estudos, igual em outros
• Menor toxicidade: em todos os estudos
Referências: Ann Oncol 2015 Sep;26(9):1877-83 Cochrane Database Rev. 2016 May 25;(5)
Estado Número de
centros
Dispõe
de
diretriz
Diferenças relevantes em relação à DDT e entre
instituições do SUS
Diferenças entre
centros de uma
mesma cidade
Pará 2 1 Muito acima do DDT (inclui everolimus, pertuzumabe,
T-DM1, eribulina)
Bahia 1 1 Muito abaixo do DDT (não disponibiliza trastuzumabe,
hormonioterápicos, capecitabina, vinorelbina)
Ceará 4 1 Adquado
Maranhão 1 1 Acima da DDT (disponibiliza pertuzumabe,
trastuzumabe em CMM)
Pernambuco 5 4 1 abaixo do DDT (não disponibiliza vinorelbina,
capecitabina)
2 acima da DDT (disponibiliza pertuzumabe,
trastuzumabe
1 muito acima da DDT (inclui pertuzumabe, TDM1,
lapatinibe, everolimus)
Em Recife,
diferenças
variando de abaixo
da DDT até muito
acima da DDT
Minas Gerais 4 4 2 abaixo da DDT (não disponibilizam trastuzumabe
adjuvante, capecitabina em CMM)
1 muito abaixo (não lista diversos quimioterápicos e
HT)
1 acima da DDT (oferece trastuzumabe em CMM)
Câncerdemama
Câncerdemama Rio de Janeiro 11 9 2 abaixo da DDT (não disponibilizam
nenhuma terapia anti-Her2)
5 adequados
1 acima da DDT (disponibiliza lapatinibe,
trastuzumabe e everolimus em CMM)
1 muito acima da DDT (disponibiliza todas as
terapias anti-Her2 em CMM)
Na cidade do Rio de
Janeiro, uma paciente pode
receber desde um padrão
abaixo da DDT até um
padrão muito acima da DDT
São Paulo 11 6 1 abaixo da DDT (não disponibiliza
capecitabina, gemcitabina)
2 adequados
1 muito acima da DDT (disponibiliza todas as
terapias anti-Her2, everolimus, eribulina)
2 acima da DDT (disponibilizam
trastuzumabe em CMM)
Na cidade de São Paulo,
tratamento varia desde
abaixo do padrão da DDT
até muito acima deste
padrão
Paraná 2 2 2 acima da DDT (disponibilizam terapia anti-
Her2 em CMM)
Rio Grande do Sul 3 1 Adequado
Santa Catarina 2 1 Adequado
Goiás 1 1 Adequado
Mato Grosso do Sul 1 1 Adequado
Estado Número de
centros
Dispõe de
diretriz
Diferenças relevantes em relação à DDT e entre
instituições do SUS
Diferenças entre centros de uma
mesma cidade
Que impacto podem ter estas diferenças?
Oferecer ou não trastuzumabe no CMM Her2+:
• Aumenta o tempo de vida em mais de 18 meses
• Aumenta o tempo de controle da doença
• 600 mortes a menos em 2 anos
Referências: Debiase, J Glob Oncol 00., 2016 N Engl J Med 344:783–792,2001
Lancet Oncol 14:461–471,2013
Resultados para a análise SUS vs SUS
Tratamento inferior ao recomendado nas DTs
16/29 centros para o câncer de pulmão
8/33 centros para câncer de mama
Tratamento superior ao recomendado pelas DTs
8/29 centros para câncer de pulmão
13/33 para câncer de mama
10/31 para câncer colorretal
14/33 centros para câncer de próstata
Diferenças de tratamentos em uma mesma cidade para os quatro tipos de câncer
Resultados completos desta pesquisa e a
comparação com “Padrão Saúde Suplementar”
http://brazilianjournalofoncology.com.br/
Previsto para dia 30/6/2017
DISCUSSÃO
• Dispor de diretriz não garante aderência
• Não dispor de diretriz não necessariamente indica tratamento insuficiente
• Disparidade: acima do padrão (louvável)= seria injusto cortar
abaixo do padrão (inaceitável)
• Pelo prisma do paciente:
absurdo que haja variação em uma mesma cidade
inaceitável que haja subtratamento em relação à DDT
subtratamento é um convite à judicialização
a DDT não é o que a comunidade médica acha melhor!!
14:00 - 15:45 - "Meu SUS não é igual ao seu SUS"
Apresentação pesquisa: Rafael Kaliks, Instituto Oncoguia
Pascoal Marracini
Diretor Presidente da Associação Brasileira de Instituições Filantrópicas de Combate ao Câncer – ABIFCC
Rodrigo Eloy Arantes
Auditor Federal de Finanças e Controle
Chefe de Divisão da Coordenação-Geral de Auditoria da Área da Saúde
Maria Inez Pordeus Gadelha
Chefe de Gabinete
Secretaria de Atenção à Saúde – Secretarias - Ministério da Saúde – SAS/MS
16:15 - 18:00 - Avaliação e Incorporação de Tecnologias do SUS: precisamos redesenhar a estrutura e as regras para oncologia?
Maria José Delgado
Diretora da Interfarma
Vanessa Teich
Especialista em Economia da Saúde
Otávio Clarck
Oncologista e PhD em Medicina na Universidade de Campinas
Cláudio Cordovil Oliveira
PhD, Pesquisador em Saúde Pública, Fundação Oswaldo Cruz, Escola Nacional de Saúde Pública Sérgio Arouca
Maria Inez Pordeus Gadelha
Chefe de Gabinete
Secretaria de Atenção à Saúde – Secretarias - Ministério da Saúde – SAS/MS
7º Fórum Oncoguia - 27/06/2017 - Rafael Kaliks
16:15 - 18:00 - Avaliação e Incorporação de Tecnologias do SUS: precisamos
redesenhar a estrutura e as regras para oncologia?
Maria José Delgado
Diretora da Interfarma
Vanessa Teich
Especialista em Economia da Saúde
Otávio Clarck
Oncologista e PhD em Medicina na Universidade de Campinas
Cláudio Cordovil Oliveira
PhD, Pesquisador em Saúde Pública, Fundação Oswaldo Cruz, Escola Nacional de Saúde Pública
Maria Inez Pordeus Gadelha
Chefe de Gabinete
Secretaria de Atenção à Saúde – Secretarias - Ministério da Saúde – SAS/MS
Hepatite C – Estado da Arte
HIV – Estado da Arte
Artrite Reumatoide – Tratamento moderno
Oncologia – defasagem gritante e fatal
• Nenhuma padronização de avaliação patológica
• Quase nada relativo a testes genéticos (germinativos, somáticos)
• Quase nada relativo a identificação e/ou testagem de grupos de alto risco
• Nenhuma DDT para:
MELANOMA Sistema Nervoso Central
Bexiga Endométrio
Sarcoma de partes moles Medular de Tireóide
Osteossarcoma
· Evidência: Quais tipos de dados uma
associação de defesa de pacientes poderia
apresentar para contribuir na análise da
CONITEC?
· Avaliação econômica: Como
Associações de Pacientes poderiam saber a
disponibilidade de negociação do
fabricante?
· Impacto orçamentário: Qual o limite
aceitável para o impacto orçamentário?
· Consulta Pública: É possível
apresentar uma nova proposta de preço
durante o período de consulta pública?
· Informações gerais: O formulário
para submissão de propostas utilizado pelo
dono do produto é do mesmo modelo
Composição da CONITEC – é a ideal?
13 membros:
• um representante de cada Secretaria do Ministério da Saúde (o indicado pela Secretaria
de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos (SCTIE) é o presidente do Plenário)
• um representante de cada uma das seguintes instituições:
ANVISA
ANS
Conselho Nacional de Saúde – CNS
Conselho Nacional de Secretários de Saúde – CONASS
Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde - CONASEMS
Conselho Federal de Medicina - CFM
Quantos destes entendem de câncer?
Uma balança instável
Registro na ANVISA
(seguro e eficaz)
Fabricante demandante
Benefício só estatístico
• Registro na ANVISA
(seguro e eficaz)
• Fabricante demandante
• Benefício só estatístico
• Demandante: SBOC, MS, Grupos
de Pacientes
• CONITEC avalia custo efetividade,
impacto orçamentário, custo-
oportunidade
• Fabricante se adequa a
parâmetros preestabelecidos
• Registro na ANVISA
(seguro e eficaz)
• Fabricante demandante
• Benefício só estatístico
• Demandante: SBOC, MS, Grupos
de Pacientes
• CONITEC avalia custo efetividade,
impacto orçamentário, custo-
oportunidade
• Fabricante se adequa a
parâmetros preestabelecidos
• Precificação é centralizada, mas compra é
local
• Modelos de compartilhamento de risco
(variável para cada doença)
• Custo-oportunidade: testes genéticos,
prevenção primária e secundária
16:15 - 18:00 - Avaliação e Incorporação de Tecnologias do SUS: precisamos
redesenhar a estrutura e as regras para oncologia?
Maria José Delgado
Diretora da Interfarma
Vanessa Teich
Especialista em Economia da Saúde
Otávio Clarck
Oncologista e PhD em Medicina na Universidade de Campinas
Cláudio Cordovil Oliveira
PhD, Pesquisador em Saúde Pública, Fundação Oswaldo Cruz, Escola Nacional de Saúde Pública
Maria Inez Pordeus Gadelha
Chefe de Gabinete
Secretaria de Atenção à Saúde – Secretarias - Ministério da Saúde – SAS/MS

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

2º Fórum da Saúde Suplementar - Renato Couto
2º Fórum da Saúde Suplementar - Renato Couto2º Fórum da Saúde Suplementar - Renato Couto
2º Fórum da Saúde Suplementar - Renato Couto
CNseg
 
Estratégias para a Segurança do Paciente - Manual para Profissionais da Saúde
Estratégias para a Segurança do Paciente - Manual para Profissionais da SaúdeEstratégias para a Segurança do Paciente - Manual para Profissionais da Saúde
Estratégias para a Segurança do Paciente - Manual para Profissionais da Saúde
Robson Peixoto
 
Relatório da CONITEC: subsídio para tomada de decisão
Relatório da CONITEC: subsídio para tomada de decisãoRelatório da CONITEC: subsídio para tomada de decisão
Relatório da CONITEC: subsídio para tomada de decisão
CONITEC
 
Câncer avançado: O desafio da falta de dados - Nivaldo Vieira
Câncer avançado: O desafio da falta de dados - Nivaldo VieiraCâncer avançado: O desafio da falta de dados - Nivaldo Vieira
Câncer avançado: O desafio da falta de dados - Nivaldo Vieira
Oncoguia
 
Lei dos 60 dias, SISCAN e Portaria 140 - Sandro Martins
Lei dos 60 dias, SISCAN e Portaria 140 - Sandro Martins Lei dos 60 dias, SISCAN e Portaria 140 - Sandro Martins
Lei dos 60 dias, SISCAN e Portaria 140 - Sandro Martins
Oncoguia
 
Aula sobre Avaliação Nacional das Práticas de Segurança do Paciente - por Den...
Aula sobre Avaliação Nacional das Práticas de Segurança do Paciente - por Den...Aula sobre Avaliação Nacional das Práticas de Segurança do Paciente - por Den...
Aula sobre Avaliação Nacional das Práticas de Segurança do Paciente - por Den...
Proqualis
 
Aula 2: Limpeza e desinfecção de superficíes e equipamentos na pandemia de Co...
Aula 2: Limpeza e desinfecção de superficíes e equipamentos na pandemia de Co...Aula 2: Limpeza e desinfecção de superficíes e equipamentos na pandemia de Co...
Aula 2: Limpeza e desinfecção de superficíes e equipamentos na pandemia de Co...
Proqualis
 
Apresentacao anvisa
Apresentacao anvisaApresentacao anvisa
Apresentacao anvisa
07082001
 
2º Fórum da Saúde Suplementar - Antonio Lira
2º Fórum da Saúde Suplementar - Antonio Lira2º Fórum da Saúde Suplementar - Antonio Lira
2º Fórum da Saúde Suplementar - Antonio Lira
CNseg
 
Big data para avaliação de desempenho de tecnologias em saúde no Brasil
Big data para avaliação de desempenho de tecnologias em saúde no BrasilBig data para avaliação de desempenho de tecnologias em saúde no Brasil
Big data para avaliação de desempenho de tecnologias em saúde no Brasil
CONITEC
 
Por uma oncologia mais justa e menos desigual no SUS
Por uma oncologia mais justa e menos desigual no SUSPor uma oncologia mais justa e menos desigual no SUS
Por uma oncologia mais justa e menos desigual no SUS
Oncoguia
 
10566 diretriz oxigenioterapia domiciliar
10566 diretriz oxigenioterapia domiciliar10566 diretriz oxigenioterapia domiciliar
10566 diretriz oxigenioterapia domiciliar
Marcos Medina
 
Redes de Atenção à Saúde: Prioridades - Sandro Martins
Redes de Atenção à Saúde: Prioridades - Sandro MartinsRedes de Atenção à Saúde: Prioridades - Sandro Martins
Redes de Atenção à Saúde: Prioridades - Sandro Martins
Oncoguia
 
Infraestrutura Ideal em Oncologia - Patrícia Sampaio
Infraestrutura Ideal em Oncologia - Patrícia SampaioInfraestrutura Ideal em Oncologia - Patrícia Sampaio
Infraestrutura Ideal em Oncologia - Patrícia Sampaio
Oncoguia
 
Carta de Prioridades sobre Câncer de Rim
Carta de Prioridades sobre Câncer de RimCarta de Prioridades sobre Câncer de Rim
Carta de Prioridades sobre Câncer de Rim
Oncoguia
 
Big Data for Healthcare - INTELIGÊNCIA EM SAÚDE ORIZON
Big Data for Healthcare - INTELIGÊNCIA EM SAÚDE ORIZONBig Data for Healthcare - INTELIGÊNCIA EM SAÚDE ORIZON
Big Data for Healthcare - INTELIGÊNCIA EM SAÚDE ORIZON
Leopoldo Veras da Rocha
 
Aula sobre Avaliação Nacional das Práticas de Segurança do Paciente - por Mag...
Aula sobre Avaliação Nacional das Práticas de Segurança do Paciente - por Mag...Aula sobre Avaliação Nacional das Práticas de Segurança do Paciente - por Mag...
Aula sobre Avaliação Nacional das Práticas de Segurança do Paciente - por Mag...
Proqualis
 
2º Fórum da Saúde Suplementar - Edmond Barras
2º Fórum da Saúde Suplementar - Edmond Barras    2º Fórum da Saúde Suplementar - Edmond Barras
2º Fórum da Saúde Suplementar - Edmond Barras
CNseg
 
Revista Melhores Práticas sobre o Projeto Parto Adequado
Revista Melhores Práticas sobre o Projeto Parto AdequadoRevista Melhores Práticas sobre o Projeto Parto Adequado
Revista Melhores Práticas sobre o Projeto Parto Adequado
Sepaco Hospital e Autogestão
 
Atenção Primária à Saúde Abrangente: Uma enfermagem forte e resolutiva amplia...
Atenção Primária à Saúde Abrangente: Uma enfermagem forte e resolutiva amplia...Atenção Primária à Saúde Abrangente: Uma enfermagem forte e resolutiva amplia...
Atenção Primária à Saúde Abrangente: Uma enfermagem forte e resolutiva amplia...
Portal da Inovação em Saúde
 

Mais procurados (20)

2º Fórum da Saúde Suplementar - Renato Couto
2º Fórum da Saúde Suplementar - Renato Couto2º Fórum da Saúde Suplementar - Renato Couto
2º Fórum da Saúde Suplementar - Renato Couto
 
Estratégias para a Segurança do Paciente - Manual para Profissionais da Saúde
Estratégias para a Segurança do Paciente - Manual para Profissionais da SaúdeEstratégias para a Segurança do Paciente - Manual para Profissionais da Saúde
Estratégias para a Segurança do Paciente - Manual para Profissionais da Saúde
 
Relatório da CONITEC: subsídio para tomada de decisão
Relatório da CONITEC: subsídio para tomada de decisãoRelatório da CONITEC: subsídio para tomada de decisão
Relatório da CONITEC: subsídio para tomada de decisão
 
Câncer avançado: O desafio da falta de dados - Nivaldo Vieira
Câncer avançado: O desafio da falta de dados - Nivaldo VieiraCâncer avançado: O desafio da falta de dados - Nivaldo Vieira
Câncer avançado: O desafio da falta de dados - Nivaldo Vieira
 
Lei dos 60 dias, SISCAN e Portaria 140 - Sandro Martins
Lei dos 60 dias, SISCAN e Portaria 140 - Sandro Martins Lei dos 60 dias, SISCAN e Portaria 140 - Sandro Martins
Lei dos 60 dias, SISCAN e Portaria 140 - Sandro Martins
 
Aula sobre Avaliação Nacional das Práticas de Segurança do Paciente - por Den...
Aula sobre Avaliação Nacional das Práticas de Segurança do Paciente - por Den...Aula sobre Avaliação Nacional das Práticas de Segurança do Paciente - por Den...
Aula sobre Avaliação Nacional das Práticas de Segurança do Paciente - por Den...
 
Aula 2: Limpeza e desinfecção de superficíes e equipamentos na pandemia de Co...
Aula 2: Limpeza e desinfecção de superficíes e equipamentos na pandemia de Co...Aula 2: Limpeza e desinfecção de superficíes e equipamentos na pandemia de Co...
Aula 2: Limpeza e desinfecção de superficíes e equipamentos na pandemia de Co...
 
Apresentacao anvisa
Apresentacao anvisaApresentacao anvisa
Apresentacao anvisa
 
2º Fórum da Saúde Suplementar - Antonio Lira
2º Fórum da Saúde Suplementar - Antonio Lira2º Fórum da Saúde Suplementar - Antonio Lira
2º Fórum da Saúde Suplementar - Antonio Lira
 
Big data para avaliação de desempenho de tecnologias em saúde no Brasil
Big data para avaliação de desempenho de tecnologias em saúde no BrasilBig data para avaliação de desempenho de tecnologias em saúde no Brasil
Big data para avaliação de desempenho de tecnologias em saúde no Brasil
 
Por uma oncologia mais justa e menos desigual no SUS
Por uma oncologia mais justa e menos desigual no SUSPor uma oncologia mais justa e menos desigual no SUS
Por uma oncologia mais justa e menos desigual no SUS
 
10566 diretriz oxigenioterapia domiciliar
10566 diretriz oxigenioterapia domiciliar10566 diretriz oxigenioterapia domiciliar
10566 diretriz oxigenioterapia domiciliar
 
Redes de Atenção à Saúde: Prioridades - Sandro Martins
Redes de Atenção à Saúde: Prioridades - Sandro MartinsRedes de Atenção à Saúde: Prioridades - Sandro Martins
Redes de Atenção à Saúde: Prioridades - Sandro Martins
 
Infraestrutura Ideal em Oncologia - Patrícia Sampaio
Infraestrutura Ideal em Oncologia - Patrícia SampaioInfraestrutura Ideal em Oncologia - Patrícia Sampaio
Infraestrutura Ideal em Oncologia - Patrícia Sampaio
 
Carta de Prioridades sobre Câncer de Rim
Carta de Prioridades sobre Câncer de RimCarta de Prioridades sobre Câncer de Rim
Carta de Prioridades sobre Câncer de Rim
 
Big Data for Healthcare - INTELIGÊNCIA EM SAÚDE ORIZON
Big Data for Healthcare - INTELIGÊNCIA EM SAÚDE ORIZONBig Data for Healthcare - INTELIGÊNCIA EM SAÚDE ORIZON
Big Data for Healthcare - INTELIGÊNCIA EM SAÚDE ORIZON
 
Aula sobre Avaliação Nacional das Práticas de Segurança do Paciente - por Mag...
Aula sobre Avaliação Nacional das Práticas de Segurança do Paciente - por Mag...Aula sobre Avaliação Nacional das Práticas de Segurança do Paciente - por Mag...
Aula sobre Avaliação Nacional das Práticas de Segurança do Paciente - por Mag...
 
2º Fórum da Saúde Suplementar - Edmond Barras
2º Fórum da Saúde Suplementar - Edmond Barras    2º Fórum da Saúde Suplementar - Edmond Barras
2º Fórum da Saúde Suplementar - Edmond Barras
 
Revista Melhores Práticas sobre o Projeto Parto Adequado
Revista Melhores Práticas sobre o Projeto Parto AdequadoRevista Melhores Práticas sobre o Projeto Parto Adequado
Revista Melhores Práticas sobre o Projeto Parto Adequado
 
Atenção Primária à Saúde Abrangente: Uma enfermagem forte e resolutiva amplia...
Atenção Primária à Saúde Abrangente: Uma enfermagem forte e resolutiva amplia...Atenção Primária à Saúde Abrangente: Uma enfermagem forte e resolutiva amplia...
Atenção Primária à Saúde Abrangente: Uma enfermagem forte e resolutiva amplia...
 

Semelhante a 7º Fórum Oncoguia - 27/06/2017 - Rafael Kaliks

Vivendo Rio
Vivendo RioVivendo Rio
Vivendo Rio
Pela Vidda - RJ
 
Tarv hiv 2019 individualizar e indetectar - alexandre naime barbosa
Tarv hiv 2019   individualizar e indetectar - alexandre naime barbosaTarv hiv 2019   individualizar e indetectar - alexandre naime barbosa
Tarv hiv 2019 individualizar e indetectar - alexandre naime barbosa
Alexandre Naime Barbosa
 
Gestao clinica de medicamentos na atenção primária a saude cassyano correr ufpr
Gestao clinica de medicamentos na atenção primária a saude cassyano correr ufprGestao clinica de medicamentos na atenção primária a saude cassyano correr ufpr
Gestao clinica de medicamentos na atenção primária a saude cassyano correr ufpr
Nádia Elizabeth Barbosa Villas Bôas
 
Tarv hiv 2019 - otimizar individualizar indetectar - alexandre naime barbosa
Tarv hiv 2019 - otimizar individualizar indetectar - alexandre naime barbosaTarv hiv 2019 - otimizar individualizar indetectar - alexandre naime barbosa
Tarv hiv 2019 - otimizar individualizar indetectar - alexandre naime barbosa
Alexandre Naime Barbosa
 
Livro - Farmácia Clínica e Serviços Farmacêuticos
Livro - Farmácia Clínica e Serviços FarmacêuticosLivro - Farmácia Clínica e Serviços Farmacêuticos
Livro - Farmácia Clínica e Serviços Farmacêuticos
Cassyano Correr
 
Atuação clínica do farmacêutico - Congresso Riopharma 2015
Atuação clínica do farmacêutico - Congresso Riopharma 2015Atuação clínica do farmacêutico - Congresso Riopharma 2015
Atuação clínica do farmacêutico - Congresso Riopharma 2015
Cassyano Correr
 
CROI 2016 - Hotpoints e Novidades da Pesquisa em HIV/Aids
CROI 2016 - Hotpoints e Novidades  da Pesquisa em HIV/AidsCROI 2016 - Hotpoints e Novidades  da Pesquisa em HIV/Aids
CROI 2016 - Hotpoints e Novidades da Pesquisa em HIV/Aids
Alexandre Naime Barbosa
 
Farmacologia Clínica dos MIPS
Farmacologia Clínica dos MIPSFarmacologia Clínica dos MIPS
Farmacologia Clínica dos MIPS
Tiago Sampaio
 
Infraestrutura ideal para diagnosticar e tratar o cancer
Infraestrutura ideal para diagnosticar e tratar o cancerInfraestrutura ideal para diagnosticar e tratar o cancer
Infraestrutura ideal para diagnosticar e tratar o cancer
Oncoguia
 
Curso consultas pediatricas na farmacia.mod2
Curso consultas pediatricas na farmacia.mod2Curso consultas pediatricas na farmacia.mod2
Curso consultas pediatricas na farmacia.mod2
oncaponca12
 
Servicos farm arcabouco_cff_2016
Servicos farm arcabouco_cff_2016Servicos farm arcabouco_cff_2016
Servicos farm arcabouco_cff_2016
LAFARCLIN UFPB
 
Como usamos as evidências no TelessaúdeRS.
Como usamos as evidências no TelessaúdeRS.Como usamos as evidências no TelessaúdeRS.
Como usamos as evidências no TelessaúdeRS.
Eno Filho
 
Toxicidade De Agentes Alvo Moleculares 2006
Toxicidade De Agentes Alvo Moleculares 2006Toxicidade De Agentes Alvo Moleculares 2006
Toxicidade De Agentes Alvo Moleculares 2006
Carlos Frederico Pinto
 
Dimensões Clínicas, Técnicas e Gerenciais da Farmácia Hospitalar
Dimensões Clínicas, Técnicas e Gerenciais da Farmácia HospitalarDimensões Clínicas, Técnicas e Gerenciais da Farmácia Hospitalar
Dimensões Clínicas, Técnicas e Gerenciais da Farmácia Hospitalar
Conselho Regional de Administração de São Paulo
 
Guia teste HIV abrafarma 2017
Guia teste HIV abrafarma 2017Guia teste HIV abrafarma 2017
Guia teste HIV abrafarma 2017
José H B Ramos
 
Dengue manejo clinico
Dengue manejo clinicoDengue manejo clinico
Dengue manejo clinico
Rogerio Melo
 
Dengue manejo clínico
Dengue   manejo clínicoDengue   manejo clínico
Dengue manejo clínico
adrianomedico
 
Aula do módulo 04 do Curso de Serviços farmacêuticos direcionados ao paciente...
Aula do módulo 04 do Curso de Serviços farmacêuticos direcionados ao paciente...Aula do módulo 04 do Curso de Serviços farmacêuticos direcionados ao paciente...
Aula do módulo 04 do Curso de Serviços farmacêuticos direcionados ao paciente...
LAFARCLIN UFPB
 
Parasitologia clínica carli
Parasitologia clínica   carliParasitologia clínica   carli
Parasitologia clínica carli
Daniela Oliveira
 
Diretrizes Brasileiras para o Rastreamento do Câncer do Colo do Útero
Diretrizes Brasileiras para o Rastreamento do Câncer do Colo do ÚteroDiretrizes Brasileiras para o Rastreamento do Câncer do Colo do Útero
Diretrizes Brasileiras para o Rastreamento do Câncer do Colo do Útero
Portal de Boas Práticas em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente (IFF/Fiocruz)
 

Semelhante a 7º Fórum Oncoguia - 27/06/2017 - Rafael Kaliks (20)

Vivendo Rio
Vivendo RioVivendo Rio
Vivendo Rio
 
Tarv hiv 2019 individualizar e indetectar - alexandre naime barbosa
Tarv hiv 2019   individualizar e indetectar - alexandre naime barbosaTarv hiv 2019   individualizar e indetectar - alexandre naime barbosa
Tarv hiv 2019 individualizar e indetectar - alexandre naime barbosa
 
Gestao clinica de medicamentos na atenção primária a saude cassyano correr ufpr
Gestao clinica de medicamentos na atenção primária a saude cassyano correr ufprGestao clinica de medicamentos na atenção primária a saude cassyano correr ufpr
Gestao clinica de medicamentos na atenção primária a saude cassyano correr ufpr
 
Tarv hiv 2019 - otimizar individualizar indetectar - alexandre naime barbosa
Tarv hiv 2019 - otimizar individualizar indetectar - alexandre naime barbosaTarv hiv 2019 - otimizar individualizar indetectar - alexandre naime barbosa
Tarv hiv 2019 - otimizar individualizar indetectar - alexandre naime barbosa
 
Livro - Farmácia Clínica e Serviços Farmacêuticos
Livro - Farmácia Clínica e Serviços FarmacêuticosLivro - Farmácia Clínica e Serviços Farmacêuticos
Livro - Farmácia Clínica e Serviços Farmacêuticos
 
Atuação clínica do farmacêutico - Congresso Riopharma 2015
Atuação clínica do farmacêutico - Congresso Riopharma 2015Atuação clínica do farmacêutico - Congresso Riopharma 2015
Atuação clínica do farmacêutico - Congresso Riopharma 2015
 
CROI 2016 - Hotpoints e Novidades da Pesquisa em HIV/Aids
CROI 2016 - Hotpoints e Novidades  da Pesquisa em HIV/AidsCROI 2016 - Hotpoints e Novidades  da Pesquisa em HIV/Aids
CROI 2016 - Hotpoints e Novidades da Pesquisa em HIV/Aids
 
Farmacologia Clínica dos MIPS
Farmacologia Clínica dos MIPSFarmacologia Clínica dos MIPS
Farmacologia Clínica dos MIPS
 
Infraestrutura ideal para diagnosticar e tratar o cancer
Infraestrutura ideal para diagnosticar e tratar o cancerInfraestrutura ideal para diagnosticar e tratar o cancer
Infraestrutura ideal para diagnosticar e tratar o cancer
 
Curso consultas pediatricas na farmacia.mod2
Curso consultas pediatricas na farmacia.mod2Curso consultas pediatricas na farmacia.mod2
Curso consultas pediatricas na farmacia.mod2
 
Servicos farm arcabouco_cff_2016
Servicos farm arcabouco_cff_2016Servicos farm arcabouco_cff_2016
Servicos farm arcabouco_cff_2016
 
Como usamos as evidências no TelessaúdeRS.
Como usamos as evidências no TelessaúdeRS.Como usamos as evidências no TelessaúdeRS.
Como usamos as evidências no TelessaúdeRS.
 
Toxicidade De Agentes Alvo Moleculares 2006
Toxicidade De Agentes Alvo Moleculares 2006Toxicidade De Agentes Alvo Moleculares 2006
Toxicidade De Agentes Alvo Moleculares 2006
 
Dimensões Clínicas, Técnicas e Gerenciais da Farmácia Hospitalar
Dimensões Clínicas, Técnicas e Gerenciais da Farmácia HospitalarDimensões Clínicas, Técnicas e Gerenciais da Farmácia Hospitalar
Dimensões Clínicas, Técnicas e Gerenciais da Farmácia Hospitalar
 
Guia teste HIV abrafarma 2017
Guia teste HIV abrafarma 2017Guia teste HIV abrafarma 2017
Guia teste HIV abrafarma 2017
 
Dengue manejo clinico
Dengue manejo clinicoDengue manejo clinico
Dengue manejo clinico
 
Dengue manejo clínico
Dengue   manejo clínicoDengue   manejo clínico
Dengue manejo clínico
 
Aula do módulo 04 do Curso de Serviços farmacêuticos direcionados ao paciente...
Aula do módulo 04 do Curso de Serviços farmacêuticos direcionados ao paciente...Aula do módulo 04 do Curso de Serviços farmacêuticos direcionados ao paciente...
Aula do módulo 04 do Curso de Serviços farmacêuticos direcionados ao paciente...
 
Parasitologia clínica carli
Parasitologia clínica   carliParasitologia clínica   carli
Parasitologia clínica carli
 
Diretrizes Brasileiras para o Rastreamento do Câncer do Colo do Útero
Diretrizes Brasileiras para o Rastreamento do Câncer do Colo do ÚteroDiretrizes Brasileiras para o Rastreamento do Câncer do Colo do Útero
Diretrizes Brasileiras para o Rastreamento do Câncer do Colo do Útero
 

Mais de Oncoguia

Relatório de atividades do Instituto Oncoguia2022
Relatório de atividades do Instituto Oncoguia2022Relatório de atividades do Instituto Oncoguia2022
Relatório de atividades do Instituto Oncoguia2022
Oncoguia
 
Câncer de mama: pontos que merecem atenção!
Câncer de mama: pontos que merecem atenção!Câncer de mama: pontos que merecem atenção!
Câncer de mama: pontos que merecem atenção!
Oncoguia
 
Feelings about Radiotherapy: the Brazilian Cancer Patients' Perspective
Feelings about Radiotherapy: the Brazilian Cancer Patients' PerspectiveFeelings about Radiotherapy: the Brazilian Cancer Patients' Perspective
Feelings about Radiotherapy: the Brazilian Cancer Patients' Perspective
Oncoguia
 
Insights from a Brazilian Patient Group
Insights from a Brazilian Patient GroupInsights from a Brazilian Patient Group
Insights from a Brazilian Patient Group
Oncoguia
 
Return to work after breast cancer: disparities among patients treated in pub...
Return to work after breast cancer: disparities among patients treated in pub...Return to work after breast cancer: disparities among patients treated in pub...
Return to work after breast cancer: disparities among patients treated in pub...
Oncoguia
 
Obesidade e câncer nas políticas públicas
Obesidade e câncer nas políticas públicasObesidade e câncer nas políticas públicas
Obesidade e câncer nas políticas públicas
Oncoguia
 
Pesquisas do Oncoguia mostra visão sobre câncer por quem mora na favela
Pesquisas do Oncoguia mostra visão sobre câncer por quem mora na favelaPesquisas do Oncoguia mostra visão sobre câncer por quem mora na favela
Pesquisas do Oncoguia mostra visão sobre câncer por quem mora na favela
Oncoguia
 
Percepções e prioridades do câncer nas favelas brasileiras
Percepções e prioridades do câncer nas favelas brasileirasPercepções e prioridades do câncer nas favelas brasileiras
Percepções e prioridades do câncer nas favelas brasileiras
Oncoguia
 
Consultas Públicas do SUS / Paciente oncológico: informe-se e participe!
Consultas Públicas do SUS / Paciente oncológico: informe-se e participe!Consultas Públicas do SUS / Paciente oncológico: informe-se e participe!
Consultas Públicas do SUS / Paciente oncológico: informe-se e participe!
Oncoguia
 
Impactos do Câncer na vida dos familiares cuidadores
Impactos do Câncer na vida dos familiares cuidadoresImpactos do Câncer na vida dos familiares cuidadores
Impactos do Câncer na vida dos familiares cuidadores
Oncoguia
 
Cosaúde e o processo de incorporação de tecnologias oncológicas
Cosaúde e o processo de incorporação de tecnologias oncológicasCosaúde e o processo de incorporação de tecnologias oncológicas
Cosaúde e o processo de incorporação de tecnologias oncológicas
Oncoguia
 
Relatório de atividades do Instituto Oncoguia / 2021
Relatório de atividades do Instituto Oncoguia / 2021Relatório de atividades do Instituto Oncoguia / 2021
Relatório de atividades do Instituto Oncoguia / 2021
Oncoguia
 
Por uma oncologia mais atual e justa
 Por uma oncologia mais atual e justa Por uma oncologia mais atual e justa
Por uma oncologia mais atual e justa
Oncoguia
 
Percepções da população brasileira sobre o câncer
Percepções da população brasileira sobre o câncerPercepções da população brasileira sobre o câncer
Percepções da população brasileira sobre o câncer
Oncoguia
 
Datafolha_Oncoguia_PercepcoesSobreOCancer .pdf
Datafolha_Oncoguia_PercepcoesSobreOCancer .pdfDatafolha_Oncoguia_PercepcoesSobreOCancer .pdf
Datafolha_Oncoguia_PercepcoesSobreOCancer .pdf
Oncoguia
 
Como contribuir em Consulta Pública da Conitec
Como contribuir em Consulta Pública da ConitecComo contribuir em Consulta Pública da Conitec
Como contribuir em Consulta Pública da Conitec
Oncoguia
 
Contribuição Oncoguia com a ATS na SS - 03.2022
Contribuição Oncoguia com a ATS na SS - 03.2022Contribuição Oncoguia com a ATS na SS - 03.2022
Contribuição Oncoguia com a ATS na SS - 03.2022
Oncoguia
 
Study of cancer patient's communication of pain to the health team
Study of cancer patient's communication of pain to the health teamStudy of cancer patient's communication of pain to the health team
Study of cancer patient's communication of pain to the health team
Oncoguia
 
How can we help: The needs of those seeking breast cancer information and sup...
How can we help: The needs of those seeking breast cancer information and sup...How can we help: The needs of those seeking breast cancer information and sup...
How can we help: The needs of those seeking breast cancer information and sup...
Oncoguia
 
Caring for colorectal cancer patients: the perspective of informal caregivers...
Caring for colorectal cancer patients: the perspective of informal caregivers...Caring for colorectal cancer patients: the perspective of informal caregivers...
Caring for colorectal cancer patients: the perspective of informal caregivers...
Oncoguia
 

Mais de Oncoguia (20)

Relatório de atividades do Instituto Oncoguia2022
Relatório de atividades do Instituto Oncoguia2022Relatório de atividades do Instituto Oncoguia2022
Relatório de atividades do Instituto Oncoguia2022
 
Câncer de mama: pontos que merecem atenção!
Câncer de mama: pontos que merecem atenção!Câncer de mama: pontos que merecem atenção!
Câncer de mama: pontos que merecem atenção!
 
Feelings about Radiotherapy: the Brazilian Cancer Patients' Perspective
Feelings about Radiotherapy: the Brazilian Cancer Patients' PerspectiveFeelings about Radiotherapy: the Brazilian Cancer Patients' Perspective
Feelings about Radiotherapy: the Brazilian Cancer Patients' Perspective
 
Insights from a Brazilian Patient Group
Insights from a Brazilian Patient GroupInsights from a Brazilian Patient Group
Insights from a Brazilian Patient Group
 
Return to work after breast cancer: disparities among patients treated in pub...
Return to work after breast cancer: disparities among patients treated in pub...Return to work after breast cancer: disparities among patients treated in pub...
Return to work after breast cancer: disparities among patients treated in pub...
 
Obesidade e câncer nas políticas públicas
Obesidade e câncer nas políticas públicasObesidade e câncer nas políticas públicas
Obesidade e câncer nas políticas públicas
 
Pesquisas do Oncoguia mostra visão sobre câncer por quem mora na favela
Pesquisas do Oncoguia mostra visão sobre câncer por quem mora na favelaPesquisas do Oncoguia mostra visão sobre câncer por quem mora na favela
Pesquisas do Oncoguia mostra visão sobre câncer por quem mora na favela
 
Percepções e prioridades do câncer nas favelas brasileiras
Percepções e prioridades do câncer nas favelas brasileirasPercepções e prioridades do câncer nas favelas brasileiras
Percepções e prioridades do câncer nas favelas brasileiras
 
Consultas Públicas do SUS / Paciente oncológico: informe-se e participe!
Consultas Públicas do SUS / Paciente oncológico: informe-se e participe!Consultas Públicas do SUS / Paciente oncológico: informe-se e participe!
Consultas Públicas do SUS / Paciente oncológico: informe-se e participe!
 
Impactos do Câncer na vida dos familiares cuidadores
Impactos do Câncer na vida dos familiares cuidadoresImpactos do Câncer na vida dos familiares cuidadores
Impactos do Câncer na vida dos familiares cuidadores
 
Cosaúde e o processo de incorporação de tecnologias oncológicas
Cosaúde e o processo de incorporação de tecnologias oncológicasCosaúde e o processo de incorporação de tecnologias oncológicas
Cosaúde e o processo de incorporação de tecnologias oncológicas
 
Relatório de atividades do Instituto Oncoguia / 2021
Relatório de atividades do Instituto Oncoguia / 2021Relatório de atividades do Instituto Oncoguia / 2021
Relatório de atividades do Instituto Oncoguia / 2021
 
Por uma oncologia mais atual e justa
 Por uma oncologia mais atual e justa Por uma oncologia mais atual e justa
Por uma oncologia mais atual e justa
 
Percepções da população brasileira sobre o câncer
Percepções da população brasileira sobre o câncerPercepções da população brasileira sobre o câncer
Percepções da população brasileira sobre o câncer
 
Datafolha_Oncoguia_PercepcoesSobreOCancer .pdf
Datafolha_Oncoguia_PercepcoesSobreOCancer .pdfDatafolha_Oncoguia_PercepcoesSobreOCancer .pdf
Datafolha_Oncoguia_PercepcoesSobreOCancer .pdf
 
Como contribuir em Consulta Pública da Conitec
Como contribuir em Consulta Pública da ConitecComo contribuir em Consulta Pública da Conitec
Como contribuir em Consulta Pública da Conitec
 
Contribuição Oncoguia com a ATS na SS - 03.2022
Contribuição Oncoguia com a ATS na SS - 03.2022Contribuição Oncoguia com a ATS na SS - 03.2022
Contribuição Oncoguia com a ATS na SS - 03.2022
 
Study of cancer patient's communication of pain to the health team
Study of cancer patient's communication of pain to the health teamStudy of cancer patient's communication of pain to the health team
Study of cancer patient's communication of pain to the health team
 
How can we help: The needs of those seeking breast cancer information and sup...
How can we help: The needs of those seeking breast cancer information and sup...How can we help: The needs of those seeking breast cancer information and sup...
How can we help: The needs of those seeking breast cancer information and sup...
 
Caring for colorectal cancer patients: the perspective of informal caregivers...
Caring for colorectal cancer patients: the perspective of informal caregivers...Caring for colorectal cancer patients: the perspective of informal caregivers...
Caring for colorectal cancer patients: the perspective of informal caregivers...
 

7º Fórum Oncoguia - 27/06/2017 - Rafael Kaliks

  • 1. 14:00 - 15:45 - "Meu SUS não é igual ao seu SUS" Apresentação pesquisa: Rafael Kaliks, Instituto Oncoguia Pascoal Marracini Diretor Presidente da Associação Brasileira de Instituições Filantrópicas de Combate ao Câncer – ABIFCC Rodrigo Eloy Arantes Auditor Federal de Finanças e Controle Chefe de Divisão da Coordenação-Geral de Auditoria da Área da Saúde Maria Inez Pordeus Gadelha Chefe de Gabinete Secretaria de Atenção à Saúde – Secretarias - Ministério da Saúde – SAS/MS 16:15 - 18:00 - Avaliação e Incorporação de Tecnologias do SUS: precisamos redesenhar a estrutura e as regras para oncologia? Maria José Delgado Diretora da Interfarma Vanessa Teich Especialista em Economia da Saúde Otávio Clarck Oncologista e PhD em Medicina na Universidade de Campinas Cláudio Cordovil Oliveira PhD, Pesquisador em Saúde Pública, Fundação Oswaldo Cruz, Escola Nacional de Saúde Pública Sérgio Arouca Maria Inez Pordeus Gadelha Chefe de Gabinete Secretaria de Atenção à Saúde – Secretarias - Ministério da Saúde – SAS/MS
  • 2. Meu SUS é diferente do teu SUS Tiago Farina Matos – Diretor Jurídico e de Advocacy do IO Vanessa Araujo Silva – Enfa. do Hospital Albert Einstein Luciana Holtz – Presidente do Instituto Oncoguia Rafael Kaliks – Oncol. Clínico do HIAE e Diretor Científico do IO
  • 3. “se trata de um sistema ímpar no mundo, que garante acesso integral, universal e igualitário à população brasileira”
  • 4. Existe uma política que rege a atenção oncológica?
  • 6. O tratamento oncológico Cirurgia Radioterapia Imunoterapia Terapias-alvo, quimioterapia, hormonioterapia
  • 11. Será que os hospitais trabalham com tratamentos equivalentes e adequados? A grande questão…
  • 12. O tratamento oncológico Cirurgia Radioterapia Imunoterapia Terapias-alvo, quimioterapia, hormonioterapia
  • 13. Existe um padrão ou diretriz de tratamento SUS?
  • 14. Por que DDT e não PCDT em oncologia? Protocolos Clínicos e Diretrizes Terapêuticas (PCDT) • estabelecem critérios para o diagnóstico • estabelecem o tratamento preconizado • estabelecem os mecanismos de controle clínico e o acompanhamento • a serem seguidos pelos gestores do SUS. • devem ser baseados em evidência científica e considerar critérios de eficácia, segurança, efetividade e custo-efetividade das tecnologias recomendadas. Diretrizes Diagnósticas e Terapêuticas (DDT) • documentos baseados em evidência científica que visam nortear as melhores condutas na área da Oncologia. • principal diferença em relação aos PCDT é que, por conta do sistema diferenciado de financiamento dos procedimentos e tratamentos em oncologia, este documento não se restringe às tecnologias incorporadas no SUS, mas sim, ao que pode ser oferecido a este paciente, considerando o financiamento repassado aos centros de atenção e a autonomia destes na escolha da melhor opção para cada situação clínica.
  • 15. Com base na Lei de Acesso à Informação: 1- Seu centro tem diretrizes de tratamento para o câncer? 2- Suas diretrizes oferecem o que consta na DDT (“padrão SUS”)? 3- Há diferenças entre os centros de uma mesma cidade? 4- Há diferenças com o padrão da Saúde Suplementar? (não abordado nesta apresentação)
  • 17. Estado Cidade Pulmão Colorretal Mama Prostata Colo de Útero Pará Belem apenas lista antineoplásicos em geral sim sim sim sim sim Alagoas não não não não não Bahia sim sim sim sim sim Ceará Fortaleza não não não não não sim sim sim sim sim apenas lista antineoplásicos em geral apenas lista antineoplásicos em geral não não não não não Maranhão São Luiz não não sim não não Pernambuco sim sim sim sim sim não não não não não Recife não sim sim sim sim sim sim sim sim sim sim sim sim sim sim Rio Grande do Norte apenas lista antineoplásicos em geral Minas Gerais Belo Horizonte sim sim sim sim sim sim sim sim sim sim sim sim sim sim sim sim sim sim sim sim Rio de Janeiro Rio de Janeiro sim sim sim sim sim sim sim sim sim sim sim sim sim sim sim sim sim sim sim sim sim sim sim sim sim sim sim sim sim sim sim sim sim sim sim apenas lista antineoplásicos em geral apenas lista antineoplásicos em geral sim sim sim sim sim nãa sim sim sim não sim sim sim sim sim São Paulo sim sim não sim não São Paulo sim não sim sim não sim não sim sim não não sim sim sim não não não sim não sim apenas lista antineoplásicos em geral não não não não não sim sim sim sim sim apenas lista antineoplásicos em geral sim sim sim sim sim Paraná sim sim sim sim sim sim sim sim sim sim Rio grande do Sul apenas lista antineoplásicos em geral não não não não não sim sim sim sim sim Santa Catarina sim sim sim sim sim apenas lista antineoplásicos em geral Distrito Federal não não não não não apenas lista antineoplásicos em geral Goiás sim sim sim sim sim Mato Grosso do Sul sim sim sim sim sim
  • 18. Região Estado Número de centros Norte Pará 1 Nordeste Bahia 1 Ceará 1 Maranhão 1 Pernambuco 4 Sudeste Minas Gerais 4 Rio de Janeiro 9 São Paulo 7 Sul Paraná 2 Rio Grande do Sul 1 Santa Catarina 1 Cetro-Oeste Goiás 1 Mato Grosso do Sul 1 Cidades com 3 ou mais centros com diretrizes Recife 4 Rio de Janeiro 8 São Paulo 5 Centros com ao menos UMA diretriz
  • 19. “Padrão SUS” com base em DDTs Fase do tratamento Medicações Câncer de pulmão não pequenas células Adjuvância platina associado a gemcitabina, vinorelbina, taxano ou pemetrexate Doença metastática sem mutação específica platina, taxano, gemcitabina, vinorelbina, pemetrexate, Doença metastática com mutação em EGFR* gefitinibe, erlotinibe, Câncer de mama Neoadjuvância doença Her2-negativa antraciclina, taxano, ciclofosfamida Neoadjuvância doença Her2-positiva trastuzumabe, doxorrubicina, ciclofosfamida, taxano, carboplatina Adjuvância quimioterápica doxorrubicina, taxano, ciclofosfamida Adjuvância doença Her2-positiva trastuzumabe, doxorrubicina, ciclofosfamida, taxano, carboplatina Adjuvância hormonioterápica tamoxifeno, letrozol, anastrazol, exemestano, análogo de LHRHϮ Doença metastática - hormonioterapia tamoxifeno, letrozol, anastrazol, exemestano, lulvestranto, análogo de LHRHϮ Doença metastática - quimioterapia antraciclina, taxano, ciclofosfamida, cisplatina, carboplatina, capecitabina, vinorelbina, gemcitabina Doença metastática – doença Her2-positiva antraciclina, taxano, cisplatina, carboplatina, capecitabina, vinorelbina, gemcitabina
  • 20. Câncer colorretal Adjuvância fluoropirimidina e oxaliplatina Metastático sem mutação específica de RAS*** fluoropirimidina, oxaliplatina, irinotecano, bevacizumabe Metastático com mutação de RAS*** fluoropirimidina, oxaliplatina, irinotecano, bevacizumabe, cetuximabe, panitumumabe Câncer de próstata Doença metastática sensível à castração Análogo de LHRHϮ, bicalutamida, flutamida, docetaxel Doença metastática refratária à castração Análogo de LHRHϮ, bicalutamida, flutamida, docetaxel, “Padrão SUS” com base em DDTs
  • 21. Estado Número de centros Dispõe de diretriz Diferenças relevantes em relação ao DDT e entre instituições do SUS Diferenças entre centros de uma mesma cidade Pará 1 1 Acima do preconizado na DDT (dispõe de afatinibe, crizotinibe, bevacizumabe) Bahia 1 1 Abaixo do preconizado na DDT (não dispõe de erlotinibe ou gefitinibe) Ceará 2 1 Acima do preconizado na DDT ( dispõe de bevacizumabe Pernambuco 5 3 Acima do preconizado na DDT (Os 3 hospitais dispõe de afatinibe, crizotinibe, bevacizumabe, um oferece imunoterapia) Em Recife os 3 centros têm diretrizes muito homogêneas. Um hospital disponibiliza até imunoterapia, muito acima do padrão do SUS Minas Gerais 4 4 Abaixo do preconizado na DDT (três hospitais listam disponibilidade apenas de cisplatina, carboplatina, etoposide, vinorelbina, docetaxel, gemcitabina) Rio de Janeiro 10 9 Abaixo da DDT em 7 centros (não dispõe de pemetrexede, erlotinibe, gefitinibe) Adequado em 1 centro. Acima da DDT em um centro (dispõe de TODAS da lista da Saúde Suplementar exceto imunoterapia A cidade do Rio de Janeiro tem centros que disponibilizam apenas os quimioterápicos mais básicos até centros com TODAS exceto imunoterapia Câncerdepulmão
  • 22. São Paulo 8 5 Abaixo da DDT em 1 centro (disponibiliza apenas platina, etoposide, taxano e gemcitabina). Adequado com a DDT em 3 centros. Acima da DDT em 1 centro (disponibiliza TODAS da Saúde Suplementar, inclusive imunoterapia) A cidade de São Paulo tem centros que disponibilidade desde um padrão abaixo da DDT até absolutamente TODAS as medicações, incluindo imunoterapia, bem acima da DDT Paraná 2 2 Adequado com DDT nos 2 centros Rio Grande do Sul 2 1 Abaixo da DDT (não disponibiliza pemetrexede, erlotinibe, gefitinibe) Santa Catarina 1 1 Abaixo da DDT (não disponibiliza pemetrexede, erlotinibe, gefitinibe) Goiás 1 1 Abaixo da DDT (não dispnibiliza Pemetrexede, Erlotinibe, Gefitinibe) Mato Grosso do Sul 1 1 Acima da DDT (inclui pemetrexede, afatinibe, bevacizumabe) Câncerdepulmão Estado Número de centros Dispõe de diretriz Diferenças relevantes em relação ao DDT e entre instituições do SUS Diferenças entre centros de uma mesma cidade
  • 23. Que impacto podem ter estas diferenças? Oferecer ou não gefitinibe/erlotinibe em câncer de pulmão metastático com mutação de EGFR: • Impacto no controle da doença: maior em todos os estudos • Tempo de vida: mais longo em alguns estudos, igual em outros • Menor toxicidade: em todos os estudos Referências: Ann Oncol 2015 Sep;26(9):1877-83 Cochrane Database Rev. 2016 May 25;(5)
  • 24. Estado Número de centros Dispõe de diretriz Diferenças relevantes em relação à DDT e entre instituições do SUS Diferenças entre centros de uma mesma cidade Pará 2 1 Muito acima do DDT (inclui everolimus, pertuzumabe, T-DM1, eribulina) Bahia 1 1 Muito abaixo do DDT (não disponibiliza trastuzumabe, hormonioterápicos, capecitabina, vinorelbina) Ceará 4 1 Adquado Maranhão 1 1 Acima da DDT (disponibiliza pertuzumabe, trastuzumabe em CMM) Pernambuco 5 4 1 abaixo do DDT (não disponibiliza vinorelbina, capecitabina) 2 acima da DDT (disponibiliza pertuzumabe, trastuzumabe 1 muito acima da DDT (inclui pertuzumabe, TDM1, lapatinibe, everolimus) Em Recife, diferenças variando de abaixo da DDT até muito acima da DDT Minas Gerais 4 4 2 abaixo da DDT (não disponibilizam trastuzumabe adjuvante, capecitabina em CMM) 1 muito abaixo (não lista diversos quimioterápicos e HT) 1 acima da DDT (oferece trastuzumabe em CMM) Câncerdemama
  • 25. Câncerdemama Rio de Janeiro 11 9 2 abaixo da DDT (não disponibilizam nenhuma terapia anti-Her2) 5 adequados 1 acima da DDT (disponibiliza lapatinibe, trastuzumabe e everolimus em CMM) 1 muito acima da DDT (disponibiliza todas as terapias anti-Her2 em CMM) Na cidade do Rio de Janeiro, uma paciente pode receber desde um padrão abaixo da DDT até um padrão muito acima da DDT São Paulo 11 6 1 abaixo da DDT (não disponibiliza capecitabina, gemcitabina) 2 adequados 1 muito acima da DDT (disponibiliza todas as terapias anti-Her2, everolimus, eribulina) 2 acima da DDT (disponibilizam trastuzumabe em CMM) Na cidade de São Paulo, tratamento varia desde abaixo do padrão da DDT até muito acima deste padrão Paraná 2 2 2 acima da DDT (disponibilizam terapia anti- Her2 em CMM) Rio Grande do Sul 3 1 Adequado Santa Catarina 2 1 Adequado Goiás 1 1 Adequado Mato Grosso do Sul 1 1 Adequado Estado Número de centros Dispõe de diretriz Diferenças relevantes em relação à DDT e entre instituições do SUS Diferenças entre centros de uma mesma cidade
  • 26. Que impacto podem ter estas diferenças? Oferecer ou não trastuzumabe no CMM Her2+: • Aumenta o tempo de vida em mais de 18 meses • Aumenta o tempo de controle da doença • 600 mortes a menos em 2 anos Referências: Debiase, J Glob Oncol 00., 2016 N Engl J Med 344:783–792,2001 Lancet Oncol 14:461–471,2013
  • 27. Resultados para a análise SUS vs SUS Tratamento inferior ao recomendado nas DTs 16/29 centros para o câncer de pulmão 8/33 centros para câncer de mama Tratamento superior ao recomendado pelas DTs 8/29 centros para câncer de pulmão 13/33 para câncer de mama 10/31 para câncer colorretal 14/33 centros para câncer de próstata Diferenças de tratamentos em uma mesma cidade para os quatro tipos de câncer
  • 28. Resultados completos desta pesquisa e a comparação com “Padrão Saúde Suplementar” http://brazilianjournalofoncology.com.br/ Previsto para dia 30/6/2017
  • 29. DISCUSSÃO • Dispor de diretriz não garante aderência • Não dispor de diretriz não necessariamente indica tratamento insuficiente • Disparidade: acima do padrão (louvável)= seria injusto cortar abaixo do padrão (inaceitável) • Pelo prisma do paciente: absurdo que haja variação em uma mesma cidade inaceitável que haja subtratamento em relação à DDT subtratamento é um convite à judicialização a DDT não é o que a comunidade médica acha melhor!!
  • 30. 14:00 - 15:45 - "Meu SUS não é igual ao seu SUS" Apresentação pesquisa: Rafael Kaliks, Instituto Oncoguia Pascoal Marracini Diretor Presidente da Associação Brasileira de Instituições Filantrópicas de Combate ao Câncer – ABIFCC Rodrigo Eloy Arantes Auditor Federal de Finanças e Controle Chefe de Divisão da Coordenação-Geral de Auditoria da Área da Saúde Maria Inez Pordeus Gadelha Chefe de Gabinete Secretaria de Atenção à Saúde – Secretarias - Ministério da Saúde – SAS/MS 16:15 - 18:00 - Avaliação e Incorporação de Tecnologias do SUS: precisamos redesenhar a estrutura e as regras para oncologia? Maria José Delgado Diretora da Interfarma Vanessa Teich Especialista em Economia da Saúde Otávio Clarck Oncologista e PhD em Medicina na Universidade de Campinas Cláudio Cordovil Oliveira PhD, Pesquisador em Saúde Pública, Fundação Oswaldo Cruz, Escola Nacional de Saúde Pública Sérgio Arouca Maria Inez Pordeus Gadelha Chefe de Gabinete Secretaria de Atenção à Saúde – Secretarias - Ministério da Saúde – SAS/MS
  • 32. 16:15 - 18:00 - Avaliação e Incorporação de Tecnologias do SUS: precisamos redesenhar a estrutura e as regras para oncologia? Maria José Delgado Diretora da Interfarma Vanessa Teich Especialista em Economia da Saúde Otávio Clarck Oncologista e PhD em Medicina na Universidade de Campinas Cláudio Cordovil Oliveira PhD, Pesquisador em Saúde Pública, Fundação Oswaldo Cruz, Escola Nacional de Saúde Pública Maria Inez Pordeus Gadelha Chefe de Gabinete Secretaria de Atenção à Saúde – Secretarias - Ministério da Saúde – SAS/MS
  • 33. Hepatite C – Estado da Arte
  • 34. HIV – Estado da Arte
  • 35. Artrite Reumatoide – Tratamento moderno
  • 36. Oncologia – defasagem gritante e fatal • Nenhuma padronização de avaliação patológica • Quase nada relativo a testes genéticos (germinativos, somáticos) • Quase nada relativo a identificação e/ou testagem de grupos de alto risco • Nenhuma DDT para: MELANOMA Sistema Nervoso Central Bexiga Endométrio Sarcoma de partes moles Medular de Tireóide Osteossarcoma
  • 37. · Evidência: Quais tipos de dados uma associação de defesa de pacientes poderia apresentar para contribuir na análise da CONITEC? · Avaliação econômica: Como Associações de Pacientes poderiam saber a disponibilidade de negociação do fabricante? · Impacto orçamentário: Qual o limite aceitável para o impacto orçamentário? · Consulta Pública: É possível apresentar uma nova proposta de preço durante o período de consulta pública? · Informações gerais: O formulário para submissão de propostas utilizado pelo dono do produto é do mesmo modelo
  • 38. Composição da CONITEC – é a ideal? 13 membros: • um representante de cada Secretaria do Ministério da Saúde (o indicado pela Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos (SCTIE) é o presidente do Plenário) • um representante de cada uma das seguintes instituições: ANVISA ANS Conselho Nacional de Saúde – CNS Conselho Nacional de Secretários de Saúde – CONASS Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde - CONASEMS Conselho Federal de Medicina - CFM Quantos destes entendem de câncer?
  • 39. Uma balança instável Registro na ANVISA (seguro e eficaz) Fabricante demandante Benefício só estatístico
  • 40. • Registro na ANVISA (seguro e eficaz) • Fabricante demandante • Benefício só estatístico • Demandante: SBOC, MS, Grupos de Pacientes • CONITEC avalia custo efetividade, impacto orçamentário, custo- oportunidade • Fabricante se adequa a parâmetros preestabelecidos
  • 41. • Registro na ANVISA (seguro e eficaz) • Fabricante demandante • Benefício só estatístico • Demandante: SBOC, MS, Grupos de Pacientes • CONITEC avalia custo efetividade, impacto orçamentário, custo- oportunidade • Fabricante se adequa a parâmetros preestabelecidos • Precificação é centralizada, mas compra é local • Modelos de compartilhamento de risco (variável para cada doença) • Custo-oportunidade: testes genéticos, prevenção primária e secundária
  • 42. 16:15 - 18:00 - Avaliação e Incorporação de Tecnologias do SUS: precisamos redesenhar a estrutura e as regras para oncologia? Maria José Delgado Diretora da Interfarma Vanessa Teich Especialista em Economia da Saúde Otávio Clarck Oncologista e PhD em Medicina na Universidade de Campinas Cláudio Cordovil Oliveira PhD, Pesquisador em Saúde Pública, Fundação Oswaldo Cruz, Escola Nacional de Saúde Pública Maria Inez Pordeus Gadelha Chefe de Gabinete Secretaria de Atenção à Saúde – Secretarias - Ministério da Saúde – SAS/MS