SlideShare uma empresa Scribd logo
CONCEITOS BÁSICOS DECONCEITOS BÁSICOS DE
EPIDEMIOLOGIAEPIDEMIOLOGIA
O que é Epidemiologia
MSc. Marcio V. Angelo
Curiosidades etimológicas
• Do grego, Epedeméion (aquele que
visita)
• Epidemia – textos hipocráticos, 2000
AC:
– Epí (sobre)
– Demós (povo)
– Logos (palavra, discurso, estudo)
• Etimologicamente “epidemiologia”
significa: “Ciência do que ocorre com o
povo”
• Revolução Industrial:
– Crescimento das cidades
– Deterioração das condições de vida
– A maioria da população – ambientes
insalubres (pútridos);
• Os movimentos sociais e
revolucionários buscavam soluções
para a crise, e nesse contexto os
estudos sobre as condições de saúde
se intensificam.
Séc. XIX - Bases da Epidemiologia
Séc. XIX - Bases da Epidemiologia
• A “Teoria miasmática” (as doenças
provinham de emanações resultantes
do acúmulo de dejetos), era o
paradigma dominante entre os
estudiosos das condições de saúde, no
séc. XIX
• John Snow – estudos sobre cólera em
Londres (1848/49 a 1853) – foi um dos
poucos a defender a possibilidade de
agentes vivos microscópicos estarem
Séc. XIX - Bases da Epidemiologia
• Fim do século XIX: a Epidemiologia
era uma disciplina ainda embrionária
• Descoberta do micróbio – “agentes
etiológicos específicos eram a causa de
doenças específicas”, desvia a atenção
de todo o conhecimento epidemiológico
até então acumulado sobre a
determinação social da doença.
Séc. XX - O questionamento da unicausalidade
• Insuficiência explicativa do modelo
unicausal diante de inúmeras questões
surgidas com a produção de novos
conhecimentos científicos
• Desenvolvimento da Teoria
ecológica das doenças
infecciosas – a interação entre
agente e hospedeiro ocorre em um
ambiente composto de elementos de
diversas ordens (físicos, biológicos e
sociais)
Séc. XX - O questionamento da unicausalidade
• Era da unicausalidade é suplantada
pelas redes multicausais
• A identificação de vetores de uma série
de doenças parasitárias, como Febre
amarela, Doença de Chagas e
Esquistossomose, adiciona ao agente
causal as variáveis relacionadas à
transmissão do agente.
EPIDEMIOLOGIA MODERNA (a partir da década de 70)
• Nos países em desenvolvimento,
principalmente na América Latina
(momento de profunda crise econômica
e social) renasce o interesse pela
determinação social das doenças
– Epidemiologia social –, que
busca explicação científica para as
condições de saúde da maioria de sua
população, compatível ou piores que as
dos países europeus no século XIX.
Epidemiologia moderna
• A demonstração de que vários fatores
contribuem para a determinação da
doença expandiu o interesse da
Epidemiologia para as doenças crônicas.
• A Epidemiologia das doenças
transmissíveis ainda é da maior
importância nos países em desenvolvimento,
que ainda convivem com doenças tais como
Sarampo, Rubéola, Malária, Dengue e
Toxinfecções alimentares, entre outras.
• Nos países desenvolvidos tornou-se
novamente importante devido à emergência
EpidemiologiaEpidemiologia
• “O estudo dos fatores que determinam
a freqüência e a distribuição das
doenças na coletividades humanas”
(Associação Internacional de Epidemiologia – 1973)
Áreas de atuação da Epidemiologia
• Estudos de causalidade
• Definição da história natural das
doenças
• Descrição do estado de saúde de
populações
• Avaliação de intervenções
História Natural da Doença
Hospedeiro Ambiente
Agente
Vetor
Período epidemiológico Período patológico ( Leavell &
Clark,
1976)
Grau do individuo para
adaptar-se às agressões
produzidas pelo o agente.
A resistência do hospedeiro
é influenciada pelo
comportamento social da
pessoa, genótipo, sistema
imunológico e estado
nutricional.
Influencia a
probabilidade e as
circunstancias do
contato entre o
hospedeiro e o
agente. Inclui os
fatores sociais,
políticos,
econômicos,
serviços de saúde
Biológicos,
químicos e físicos.
Influencias sociais
e psicológicas.
Estrutura epidemiológica da produção
doença
DoençaDoença
Fatores
Imunológicos
Fatores
Nutricionais
Fatores Biológicos
e
Comportamentais
Fatores
Genéticos
Fatores de
serviços
Fatores
sociais
Fatores
espirituais
AmbienteHospedeiro
Agent
e
Epidemiologia
• é o estudo da freqüência, da distribuição e
dos determinantes dos estados ou
eventos relacionados à saúde das
populações e a aplicação destes estudos
no controle dos problemas de saúde
Epidemiologia é o estudo da freqüência, da distribuição e dos determinantes
dos estados ou eventos relacionados à saúde das populações e a aplicação
destes estudos no controle dos problemas de saúde
Estudo: como disciplina básica tem
seus fundamentos no método
científico.
Freqüência e distribuição: preocupa-
se com a freqüência (em números
absolutos e relativos) e com o padrão
de ocorrência dos eventos (em relação
ao tempo, lugar e características das
pessoas).
O
Epidemiologia é o estudo da freqüência, da distribuição e dos determinantes
dos estados ou eventos relacionados à saúde das populações e a aplicação
destes estudos no controle dos problemas de saúde.
Determinantes: questão central
para a Epidemiologia é a busca
das causas e fatores que
influenciam a ocorrência dos
eventos e que irão constituir-se
em evidências para a adoção de
medidas de prevenção e controle.
Epidemiologia é o estudo da freqüência, da distribuição e dos determinantes
dos estados ou eventos relacionados à saúde das populações e a aplicação
destes estudos no controle dos problemas de saúde.
Estados e eventos: no passado a
Epidemiologia ocupava-se das
doenças infecciosas, mas sua
abrangência ampliou-se. Estuda
qualquer agravo à saúde ou
também estados fisiológicos
como gravidez e crescimento.
Epidemiologia é o estudo da freqüência, da distribuição e dos determinantes
dos estados ou eventos relacionados à saúde das populações e a aplicação
destes estudos no controle dos problemas de saúde.
Populações: a Epidemiologia
preocupa-se com a saúde
coletiva, de grupos de indivíduos,
de determinadas comunidades ou
áreas, diferente da clínica que
ocupa-se da ocorrência de
eventos com cada indivíduo.
Epidemiologia é o estudo da freqüência, da distribuição e dos determinantes
dos estados ou eventos relacionados à saúde das populações e a aplicação
destes estudos no controle dos problemas de saúde.
Aplicação:
1. geração conhecimento que embasa a
intervenção através da descrição do
padrão, identificação de fatores de risco,
análise de tendência, de comportamento.
2. Propõe medidas de controle e prevenção.
Base para definição de políticas de saúde.
3. Dá suporte e subsídios para avaliação de
impacto das ações e serviços de saúde.
Classificação da epidemiologia
• Epidemiologia Clássica: estuda as origens
comunitárias dos problemas de saúde da
população.
• Epidemiologia Clínica: estudam doentes
para melhorar o diagnóstico e tratamento
de várias doenças, bem como prognóstico
dos pacientes já afetados pela doença.
PRINCIPIOS BÁSICOS DA
EPIDEMIOLOGIA
• Os agravos não ocorrem , ao acaso, na
população.
• A distribuição desigual dos agravos à saúde
é produto da ação de fatores que distribuem
desigualmente na população.
• O conhecimento dos fatores determinantes
das doenças permite a aplicação de medidas
preventivas e curativas.
CAMPOS DA EPIDEMIOLOGIA
• As doenças infecciosas e enfermidades
carenciais
• Doenças crônicas e degenerativas e os
outros danos à saúde
• Serviços de saúde
• Saúde ambiental
• Saúde ocupacional/trabalhador

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Saúde Pública - História Natural da Doença
Saúde Pública - História Natural da DoençaSaúde Pública - História Natural da Doença
Saúde Pública - História Natural da Doença
Welisson Porto
 
MORBIDADE E MORTALIDADE
MORBIDADE E MORTALIDADEMORBIDADE E MORTALIDADE
MORBIDADE E MORTALIDADE
Ana Carolina Costa
 
Indicadores de saúde, distribuição de doenças no tempo e no espaço, vigilânci...
Indicadores de saúde, distribuição de doenças no tempo e no espaço, vigilânci...Indicadores de saúde, distribuição de doenças no tempo e no espaço, vigilânci...
Indicadores de saúde, distribuição de doenças no tempo e no espaço, vigilânci...
Ricardo Alexandre
 
Indicadores de Saúde
Indicadores de SaúdeIndicadores de Saúde
Indicadores de Saúde
Wanderson Oliveira
 
Política Nacional de Atenção Básica (PNAB)
Política Nacional de Atenção Básica (PNAB)Política Nacional de Atenção Básica (PNAB)
Política Nacional de Atenção Básica (PNAB)
Luis Dantas
 
Slide Vigilância Epidemiológica
Slide Vigilância EpidemiológicaSlide Vigilância Epidemiológica
Slide Vigilância Epidemiológica
Ilca Rocha
 
Indicadores de Saúde - parte 1
Indicadores de Saúde  - parte 1Indicadores de Saúde  - parte 1
Indicadores de Saúde - parte 1
comunidadedepraticas
 
Epidemiologia básica 1
Epidemiologia básica 1Epidemiologia básica 1
Epidemiologia básica 1
Carolina Restini
 
Diagnósticos de Enfermagem: Uso das Taxonomias (NANDA, NIC, NOC e CIPE)
Diagnósticos de Enfermagem: Uso das Taxonomias (NANDA, NIC, NOC e CIPE)Diagnósticos de Enfermagem: Uso das Taxonomias (NANDA, NIC, NOC e CIPE)
Diagnósticos de Enfermagem: Uso das Taxonomias (NANDA, NIC, NOC e CIPE)
resenfe2013
 
Processo saúde doença
Processo saúde doençaProcesso saúde doença
Processo saúde doença
ilanaseixasladeia
 
Prevenção Quaternária - Sobrediagnóstico
Prevenção Quaternária - SobrediagnósticoPrevenção Quaternária - Sobrediagnóstico
Prevenção Quaternária - Sobrediagnóstico
Centro de Desenvolvimento, Ensino e Pesquisa em Saúde - CEDEPS
 
Aula 01 - O Processo Saúde e Doença
Aula 01 - O Processo Saúde e DoençaAula 01 - O Processo Saúde e Doença
Aula 01 - O Processo Saúde e Doença
Ghiordanno Bruno
 
Aula 6 Políticas Públicas de Saúde
Aula 6 Políticas Públicas de SaúdeAula 6 Políticas Públicas de Saúde
Aula 6 Políticas Públicas de Saúde
Jesiele Spindler
 
Saúde Coletica - 5. vigilância epidemiológica
Saúde Coletica - 5. vigilância epidemiológicaSaúde Coletica - 5. vigilância epidemiológica
Saúde Coletica - 5. vigilância epidemiológica
Mario Gandra
 
Epidemiologia ris
Epidemiologia risEpidemiologia ris
Aula 1 politicas de saude no brasil
Aula 1   politicas de saude no brasilAula 1   politicas de saude no brasil
Aula 1 politicas de saude no brasil
kellyschorro18
 
Sae aula .. (1)
Sae aula .. (1)Sae aula .. (1)
Sae aula .. (1)
Katia Pontes Remijo
 
Revisão epidemiologia
Revisão epidemiologiaRevisão epidemiologia
Revisão epidemiologia
danilo oliveira
 
Determinantes em saude
Determinantes em saudeDeterminantes em saude
Determinantes em saude
Rica Cane
 
Saúde do Adulto: enfermagem
Saúde do Adulto: enfermagemSaúde do Adulto: enfermagem
Saúde do Adulto: enfermagem
Centro Universitário Ages
 

Mais procurados (20)

Saúde Pública - História Natural da Doença
Saúde Pública - História Natural da DoençaSaúde Pública - História Natural da Doença
Saúde Pública - História Natural da Doença
 
MORBIDADE E MORTALIDADE
MORBIDADE E MORTALIDADEMORBIDADE E MORTALIDADE
MORBIDADE E MORTALIDADE
 
Indicadores de saúde, distribuição de doenças no tempo e no espaço, vigilânci...
Indicadores de saúde, distribuição de doenças no tempo e no espaço, vigilânci...Indicadores de saúde, distribuição de doenças no tempo e no espaço, vigilânci...
Indicadores de saúde, distribuição de doenças no tempo e no espaço, vigilânci...
 
Indicadores de Saúde
Indicadores de SaúdeIndicadores de Saúde
Indicadores de Saúde
 
Política Nacional de Atenção Básica (PNAB)
Política Nacional de Atenção Básica (PNAB)Política Nacional de Atenção Básica (PNAB)
Política Nacional de Atenção Básica (PNAB)
 
Slide Vigilância Epidemiológica
Slide Vigilância EpidemiológicaSlide Vigilância Epidemiológica
Slide Vigilância Epidemiológica
 
Indicadores de Saúde - parte 1
Indicadores de Saúde  - parte 1Indicadores de Saúde  - parte 1
Indicadores de Saúde - parte 1
 
Epidemiologia básica 1
Epidemiologia básica 1Epidemiologia básica 1
Epidemiologia básica 1
 
Diagnósticos de Enfermagem: Uso das Taxonomias (NANDA, NIC, NOC e CIPE)
Diagnósticos de Enfermagem: Uso das Taxonomias (NANDA, NIC, NOC e CIPE)Diagnósticos de Enfermagem: Uso das Taxonomias (NANDA, NIC, NOC e CIPE)
Diagnósticos de Enfermagem: Uso das Taxonomias (NANDA, NIC, NOC e CIPE)
 
Processo saúde doença
Processo saúde doençaProcesso saúde doença
Processo saúde doença
 
Prevenção Quaternária - Sobrediagnóstico
Prevenção Quaternária - SobrediagnósticoPrevenção Quaternária - Sobrediagnóstico
Prevenção Quaternária - Sobrediagnóstico
 
Aula 01 - O Processo Saúde e Doença
Aula 01 - O Processo Saúde e DoençaAula 01 - O Processo Saúde e Doença
Aula 01 - O Processo Saúde e Doença
 
Aula 6 Políticas Públicas de Saúde
Aula 6 Políticas Públicas de SaúdeAula 6 Políticas Públicas de Saúde
Aula 6 Políticas Públicas de Saúde
 
Saúde Coletica - 5. vigilância epidemiológica
Saúde Coletica - 5. vigilância epidemiológicaSaúde Coletica - 5. vigilância epidemiológica
Saúde Coletica - 5. vigilância epidemiológica
 
Epidemiologia ris
Epidemiologia risEpidemiologia ris
Epidemiologia ris
 
Aula 1 politicas de saude no brasil
Aula 1   politicas de saude no brasilAula 1   politicas de saude no brasil
Aula 1 politicas de saude no brasil
 
Sae aula .. (1)
Sae aula .. (1)Sae aula .. (1)
Sae aula .. (1)
 
Revisão epidemiologia
Revisão epidemiologiaRevisão epidemiologia
Revisão epidemiologia
 
Determinantes em saude
Determinantes em saudeDeterminantes em saude
Determinantes em saude
 
Saúde do Adulto: enfermagem
Saúde do Adulto: enfermagemSaúde do Adulto: enfermagem
Saúde do Adulto: enfermagem
 

Semelhante a 2 conceitos básicos de epidemiologia e indicadores de saúde

EPIDEMIOLOGIA GERAL Introducao.pptx
EPIDEMIOLOGIA GERAL Introducao.pptxEPIDEMIOLOGIA GERAL Introducao.pptx
EPIDEMIOLOGIA GERAL Introducao.pptx
RaquelDaCosta7
 
introduçao epidemio
 introduçao epidemio introduçao epidemio
introduçao epidemio
Paula Brustolin Xavier
 
Conceitos.historico.e.usos.da.Epidemiologia.Aula.1.pptx
Conceitos.historico.e.usos.da.Epidemiologia.Aula.1.pptxConceitos.historico.e.usos.da.Epidemiologia.Aula.1.pptx
Conceitos.historico.e.usos.da.Epidemiologia.Aula.1.pptx
adriana da silva barros
 
1193414125 trabalho de_saude
1193414125 trabalho de_saude1193414125 trabalho de_saude
1193414125 trabalho de_saude
Pelo Siro
 
aula-processo-saude-doenca.pdf
aula-processo-saude-doenca.pdfaula-processo-saude-doenca.pdf
aula-processo-saude-doenca.pdf
carlasuzane2
 
Texto história epidemiologia
Texto história epidemiologiaTexto história epidemiologia
Texto história epidemiologia
HERALDICA CORRETORA E ADM DE SEGUROS
 
Epidemiologia conceitos basicos
Epidemiologia   conceitos basicosEpidemiologia   conceitos basicos
Epidemiologia conceitos basicos
elisreis0601
 
Introdução à epidemiologia.pdf
Introdução à epidemiologia.pdfIntrodução à epidemiologia.pdf
Introdução à epidemiologia.pdf
ssusercb6cc2
 
Epidemiologia aula 2
Epidemiologia aula 2Epidemiologia aula 2
Epidemiologia aula 2
profsempre
 
aula-processo-saude-doencapronta-141106122406-conversion-gate02.docx
aula-processo-saude-doencapronta-141106122406-conversion-gate02.docxaula-processo-saude-doencapronta-141106122406-conversion-gate02.docx
aula-processo-saude-doencapronta-141106122406-conversion-gate02.docx
RaquelOlimpio1
 
Aula 1 Epidemiologia para o curso de Medicina Geral .pdf
Aula 1 Epidemiologia para o curso de Medicina Geral .pdfAula 1 Epidemiologia para o curso de Medicina Geral .pdf
Aula 1 Epidemiologia para o curso de Medicina Geral .pdf
jacksonsomar
 
Aula 01 - Intro à Epidemiologia.pptx
Aula 01 - Intro à Epidemiologia.pptxAula 01 - Intro à Epidemiologia.pptx
Aula 01 - Intro à Epidemiologia.pptx
NivaldoJnior16
 
Sebenta de epidemiologia
Sebenta de epidemiologiaSebenta de epidemiologia
Sebenta de epidemiologia
Dalila_Marcao
 
Aula processo-saude-doenca
Aula processo-saude-doencaAula processo-saude-doenca
Aula processo-saude-doenca
Paula Brustolin Xavier
 
Epidemiologia 4 periodo de medicina
Epidemiologia  4 periodo de medicinaEpidemiologia  4 periodo de medicina
Epidemiologia 4 periodo de medicina
Fernando Henrique
 
Vigilancia em saude
Vigilancia em saudeVigilancia em saude
Vigilancia em saude
Elizabeth- Ceut Monteiro
 
Epidemiologia
EpidemiologiaEpidemiologia
Epidemiologia
Leticia Princesiny
 
Fundamentos da Epidemiologia conceito e aplicação da epidemiologia na Estrat...
 Fundamentos da Epidemiologia conceito e aplicação da epidemiologia na Estrat... Fundamentos da Epidemiologia conceito e aplicação da epidemiologia na Estrat...
Fundamentos da Epidemiologia conceito e aplicação da epidemiologia na Estrat...
PaulaMelo127834
 
Resumo de saude publica
Resumo de saude publicaResumo de saude publica
Resumo de saude publica
AraujoAvelino
 
1. CONCEITO E USOS EPIDEMIOLOGIA.ppt
1. CONCEITO E USOS EPIDEMIOLOGIA.ppt1. CONCEITO E USOS EPIDEMIOLOGIA.ppt
1. CONCEITO E USOS EPIDEMIOLOGIA.ppt
Muniza Alfredo
 

Semelhante a 2 conceitos básicos de epidemiologia e indicadores de saúde (20)

EPIDEMIOLOGIA GERAL Introducao.pptx
EPIDEMIOLOGIA GERAL Introducao.pptxEPIDEMIOLOGIA GERAL Introducao.pptx
EPIDEMIOLOGIA GERAL Introducao.pptx
 
introduçao epidemio
 introduçao epidemio introduçao epidemio
introduçao epidemio
 
Conceitos.historico.e.usos.da.Epidemiologia.Aula.1.pptx
Conceitos.historico.e.usos.da.Epidemiologia.Aula.1.pptxConceitos.historico.e.usos.da.Epidemiologia.Aula.1.pptx
Conceitos.historico.e.usos.da.Epidemiologia.Aula.1.pptx
 
1193414125 trabalho de_saude
1193414125 trabalho de_saude1193414125 trabalho de_saude
1193414125 trabalho de_saude
 
aula-processo-saude-doenca.pdf
aula-processo-saude-doenca.pdfaula-processo-saude-doenca.pdf
aula-processo-saude-doenca.pdf
 
Texto história epidemiologia
Texto história epidemiologiaTexto história epidemiologia
Texto história epidemiologia
 
Epidemiologia conceitos basicos
Epidemiologia   conceitos basicosEpidemiologia   conceitos basicos
Epidemiologia conceitos basicos
 
Introdução à epidemiologia.pdf
Introdução à epidemiologia.pdfIntrodução à epidemiologia.pdf
Introdução à epidemiologia.pdf
 
Epidemiologia aula 2
Epidemiologia aula 2Epidemiologia aula 2
Epidemiologia aula 2
 
aula-processo-saude-doencapronta-141106122406-conversion-gate02.docx
aula-processo-saude-doencapronta-141106122406-conversion-gate02.docxaula-processo-saude-doencapronta-141106122406-conversion-gate02.docx
aula-processo-saude-doencapronta-141106122406-conversion-gate02.docx
 
Aula 1 Epidemiologia para o curso de Medicina Geral .pdf
Aula 1 Epidemiologia para o curso de Medicina Geral .pdfAula 1 Epidemiologia para o curso de Medicina Geral .pdf
Aula 1 Epidemiologia para o curso de Medicina Geral .pdf
 
Aula 01 - Intro à Epidemiologia.pptx
Aula 01 - Intro à Epidemiologia.pptxAula 01 - Intro à Epidemiologia.pptx
Aula 01 - Intro à Epidemiologia.pptx
 
Sebenta de epidemiologia
Sebenta de epidemiologiaSebenta de epidemiologia
Sebenta de epidemiologia
 
Aula processo-saude-doenca
Aula processo-saude-doencaAula processo-saude-doenca
Aula processo-saude-doenca
 
Epidemiologia 4 periodo de medicina
Epidemiologia  4 periodo de medicinaEpidemiologia  4 periodo de medicina
Epidemiologia 4 periodo de medicina
 
Vigilancia em saude
Vigilancia em saudeVigilancia em saude
Vigilancia em saude
 
Epidemiologia
EpidemiologiaEpidemiologia
Epidemiologia
 
Fundamentos da Epidemiologia conceito e aplicação da epidemiologia na Estrat...
 Fundamentos da Epidemiologia conceito e aplicação da epidemiologia na Estrat... Fundamentos da Epidemiologia conceito e aplicação da epidemiologia na Estrat...
Fundamentos da Epidemiologia conceito e aplicação da epidemiologia na Estrat...
 
Resumo de saude publica
Resumo de saude publicaResumo de saude publica
Resumo de saude publica
 
1. CONCEITO E USOS EPIDEMIOLOGIA.ppt
1. CONCEITO E USOS EPIDEMIOLOGIA.ppt1. CONCEITO E USOS EPIDEMIOLOGIA.ppt
1. CONCEITO E USOS EPIDEMIOLOGIA.ppt
 

Mais de Socorro Carneiro

Cenário Epidemiológico Tuberculose no Brasil 24.03.2022.pptx
Cenário Epidemiológico Tuberculose no Brasil 24.03.2022.pptxCenário Epidemiológico Tuberculose no Brasil 24.03.2022.pptx
Cenário Epidemiológico Tuberculose no Brasil 24.03.2022.pptx
Socorro Carneiro
 
CURSO DA TB 2023 - MÉTODOS DIAGNÓSTICOS.pdf
CURSO DA  TB 2023 - MÉTODOS DIAGNÓSTICOS.pdfCURSO DA  TB 2023 - MÉTODOS DIAGNÓSTICOS.pdf
CURSO DA TB 2023 - MÉTODOS DIAGNÓSTICOS.pdf
Socorro Carneiro
 
CURSO DE VIGILÂNCIA DA TB 2023 - AULA.pdf
CURSO DE VIGILÂNCIA DA TB 2023 - AULA.pdfCURSO DE VIGILÂNCIA DA TB 2023 - AULA.pdf
CURSO DE VIGILÂNCIA DA TB 2023 - AULA.pdf
Socorro Carneiro
 
O Programa de Qualificação das Ações de Vigilância em Saúde - Leonardo Piment...
O Programa de Qualificação das Ações de Vigilância em Saúde - Leonardo Piment...O Programa de Qualificação das Ações de Vigilância em Saúde - Leonardo Piment...
O Programa de Qualificação das Ações de Vigilância em Saúde - Leonardo Piment...
Socorro Carneiro
 
Caderno de Indicadores da TB_VERSÃO PRELIMINAR 2023.pdf
Caderno de Indicadores da TB_VERSÃO PRELIMINAR 2023.pdfCaderno de Indicadores da TB_VERSÃO PRELIMINAR 2023.pdf
Caderno de Indicadores da TB_VERSÃO PRELIMINAR 2023.pdf
Socorro Carneiro
 
Epidemiologia - exercícios indisciplinados.pdf
Epidemiologia - exercícios indisciplinados.pdfEpidemiologia - exercícios indisciplinados.pdf
Epidemiologia - exercícios indisciplinados.pdf
Socorro Carneiro
 
Conceitos e ferramentas da epidemiologia.pdf
Conceitos e ferramentas da epidemiologia.pdfConceitos e ferramentas da epidemiologia.pdf
Conceitos e ferramentas da epidemiologia.pdf
Socorro Carneiro
 
Bases de Estatística para Serviços Saúde
Bases de Estatística para Serviços SaúdeBases de Estatística para Serviços Saúde
Bases de Estatística para Serviços Saúde
Socorro Carneiro
 
3a. Aula Planejamento dos Resultados Esperados.pptx
3a. Aula Planejamento dos Resultados Esperados.pptx3a. Aula Planejamento dos Resultados Esperados.pptx
3a. Aula Planejamento dos Resultados Esperados.pptx
Socorro Carneiro
 
2a Aula Diagnóstico de Enfermagem - 04_12_19.pptx
2a Aula Diagnóstico de Enfermagem - 04_12_19.pptx2a Aula Diagnóstico de Enfermagem - 04_12_19.pptx
2a Aula Diagnóstico de Enfermagem - 04_12_19.pptx
Socorro Carneiro
 
1a Aula- A enfermagem como profissão,_Cnceitos SAE e PE.pptx
1a Aula- A enfermagem como profissão,_Cnceitos SAE e PE.pptx1a Aula- A enfermagem como profissão,_Cnceitos SAE e PE.pptx
1a Aula- A enfermagem como profissão,_Cnceitos SAE e PE.pptx
Socorro Carneiro
 
2a Aula Diagnóstico de Enfermagem - 04_12_19.pptx
2a Aula Diagnóstico de Enfermagem - 04_12_19.pptx2a Aula Diagnóstico de Enfermagem - 04_12_19.pptx
2a Aula Diagnóstico de Enfermagem - 04_12_19.pptx
Socorro Carneiro
 
Estudo da fraseologia portuguesa
Estudo da fraseologia portuguesaEstudo da fraseologia portuguesa
Estudo da fraseologia portuguesa
Socorro Carneiro
 
Educação em Tempos de Pandemia
Educação em Tempos de PandemiaEducação em Tempos de Pandemia
Educação em Tempos de Pandemia
Socorro Carneiro
 
Aula do prof aires
Aula do prof airesAula do prof aires
Aula do prof aires
Socorro Carneiro
 
Serie geo vol3-Capacitação e atualização em geoprocessamento em saúde
Serie geo vol3-Capacitação e atualização em geoprocessamento em saúdeSerie geo vol3-Capacitação e atualização em geoprocessamento em saúde
Serie geo vol3-Capacitação e atualização em geoprocessamento em saúde
Socorro Carneiro
 
Serie geo vol2_Capacitação e atualização em geoprocessamento
Serie geo vol2_Capacitação e atualização em geoprocessamentoSerie geo vol2_Capacitação e atualização em geoprocessamento
Serie geo vol2_Capacitação e atualização em geoprocessamento
Socorro Carneiro
 
Serie geo vol_1
Serie geo vol_1Serie geo vol_1
Serie geo vol_1
Socorro Carneiro
 
Carta de ottawa
Carta de ottawaCarta de ottawa
Carta de ottawa
Socorro Carneiro
 
Frases nathingale
Frases nathingaleFrases nathingale
Frases nathingale
Socorro Carneiro
 

Mais de Socorro Carneiro (20)

Cenário Epidemiológico Tuberculose no Brasil 24.03.2022.pptx
Cenário Epidemiológico Tuberculose no Brasil 24.03.2022.pptxCenário Epidemiológico Tuberculose no Brasil 24.03.2022.pptx
Cenário Epidemiológico Tuberculose no Brasil 24.03.2022.pptx
 
CURSO DA TB 2023 - MÉTODOS DIAGNÓSTICOS.pdf
CURSO DA  TB 2023 - MÉTODOS DIAGNÓSTICOS.pdfCURSO DA  TB 2023 - MÉTODOS DIAGNÓSTICOS.pdf
CURSO DA TB 2023 - MÉTODOS DIAGNÓSTICOS.pdf
 
CURSO DE VIGILÂNCIA DA TB 2023 - AULA.pdf
CURSO DE VIGILÂNCIA DA TB 2023 - AULA.pdfCURSO DE VIGILÂNCIA DA TB 2023 - AULA.pdf
CURSO DE VIGILÂNCIA DA TB 2023 - AULA.pdf
 
O Programa de Qualificação das Ações de Vigilância em Saúde - Leonardo Piment...
O Programa de Qualificação das Ações de Vigilância em Saúde - Leonardo Piment...O Programa de Qualificação das Ações de Vigilância em Saúde - Leonardo Piment...
O Programa de Qualificação das Ações de Vigilância em Saúde - Leonardo Piment...
 
Caderno de Indicadores da TB_VERSÃO PRELIMINAR 2023.pdf
Caderno de Indicadores da TB_VERSÃO PRELIMINAR 2023.pdfCaderno de Indicadores da TB_VERSÃO PRELIMINAR 2023.pdf
Caderno de Indicadores da TB_VERSÃO PRELIMINAR 2023.pdf
 
Epidemiologia - exercícios indisciplinados.pdf
Epidemiologia - exercícios indisciplinados.pdfEpidemiologia - exercícios indisciplinados.pdf
Epidemiologia - exercícios indisciplinados.pdf
 
Conceitos e ferramentas da epidemiologia.pdf
Conceitos e ferramentas da epidemiologia.pdfConceitos e ferramentas da epidemiologia.pdf
Conceitos e ferramentas da epidemiologia.pdf
 
Bases de Estatística para Serviços Saúde
Bases de Estatística para Serviços SaúdeBases de Estatística para Serviços Saúde
Bases de Estatística para Serviços Saúde
 
3a. Aula Planejamento dos Resultados Esperados.pptx
3a. Aula Planejamento dos Resultados Esperados.pptx3a. Aula Planejamento dos Resultados Esperados.pptx
3a. Aula Planejamento dos Resultados Esperados.pptx
 
2a Aula Diagnóstico de Enfermagem - 04_12_19.pptx
2a Aula Diagnóstico de Enfermagem - 04_12_19.pptx2a Aula Diagnóstico de Enfermagem - 04_12_19.pptx
2a Aula Diagnóstico de Enfermagem - 04_12_19.pptx
 
1a Aula- A enfermagem como profissão,_Cnceitos SAE e PE.pptx
1a Aula- A enfermagem como profissão,_Cnceitos SAE e PE.pptx1a Aula- A enfermagem como profissão,_Cnceitos SAE e PE.pptx
1a Aula- A enfermagem como profissão,_Cnceitos SAE e PE.pptx
 
2a Aula Diagnóstico de Enfermagem - 04_12_19.pptx
2a Aula Diagnóstico de Enfermagem - 04_12_19.pptx2a Aula Diagnóstico de Enfermagem - 04_12_19.pptx
2a Aula Diagnóstico de Enfermagem - 04_12_19.pptx
 
Estudo da fraseologia portuguesa
Estudo da fraseologia portuguesaEstudo da fraseologia portuguesa
Estudo da fraseologia portuguesa
 
Educação em Tempos de Pandemia
Educação em Tempos de PandemiaEducação em Tempos de Pandemia
Educação em Tempos de Pandemia
 
Aula do prof aires
Aula do prof airesAula do prof aires
Aula do prof aires
 
Serie geo vol3-Capacitação e atualização em geoprocessamento em saúde
Serie geo vol3-Capacitação e atualização em geoprocessamento em saúdeSerie geo vol3-Capacitação e atualização em geoprocessamento em saúde
Serie geo vol3-Capacitação e atualização em geoprocessamento em saúde
 
Serie geo vol2_Capacitação e atualização em geoprocessamento
Serie geo vol2_Capacitação e atualização em geoprocessamentoSerie geo vol2_Capacitação e atualização em geoprocessamento
Serie geo vol2_Capacitação e atualização em geoprocessamento
 
Serie geo vol_1
Serie geo vol_1Serie geo vol_1
Serie geo vol_1
 
Carta de ottawa
Carta de ottawaCarta de ottawa
Carta de ottawa
 
Frases nathingale
Frases nathingaleFrases nathingale
Frases nathingale
 

2 conceitos básicos de epidemiologia e indicadores de saúde

  • 1. CONCEITOS BÁSICOS DECONCEITOS BÁSICOS DE EPIDEMIOLOGIAEPIDEMIOLOGIA
  • 2. O que é Epidemiologia MSc. Marcio V. Angelo
  • 3. Curiosidades etimológicas • Do grego, Epedeméion (aquele que visita) • Epidemia – textos hipocráticos, 2000 AC: – Epí (sobre) – Demós (povo) – Logos (palavra, discurso, estudo) • Etimologicamente “epidemiologia” significa: “Ciência do que ocorre com o povo”
  • 4. • Revolução Industrial: – Crescimento das cidades – Deterioração das condições de vida – A maioria da população – ambientes insalubres (pútridos); • Os movimentos sociais e revolucionários buscavam soluções para a crise, e nesse contexto os estudos sobre as condições de saúde se intensificam. Séc. XIX - Bases da Epidemiologia
  • 5. Séc. XIX - Bases da Epidemiologia • A “Teoria miasmática” (as doenças provinham de emanações resultantes do acúmulo de dejetos), era o paradigma dominante entre os estudiosos das condições de saúde, no séc. XIX • John Snow – estudos sobre cólera em Londres (1848/49 a 1853) – foi um dos poucos a defender a possibilidade de agentes vivos microscópicos estarem
  • 6. Séc. XIX - Bases da Epidemiologia • Fim do século XIX: a Epidemiologia era uma disciplina ainda embrionária • Descoberta do micróbio – “agentes etiológicos específicos eram a causa de doenças específicas”, desvia a atenção de todo o conhecimento epidemiológico até então acumulado sobre a determinação social da doença.
  • 7. Séc. XX - O questionamento da unicausalidade • Insuficiência explicativa do modelo unicausal diante de inúmeras questões surgidas com a produção de novos conhecimentos científicos • Desenvolvimento da Teoria ecológica das doenças infecciosas – a interação entre agente e hospedeiro ocorre em um ambiente composto de elementos de diversas ordens (físicos, biológicos e sociais)
  • 8. Séc. XX - O questionamento da unicausalidade • Era da unicausalidade é suplantada pelas redes multicausais • A identificação de vetores de uma série de doenças parasitárias, como Febre amarela, Doença de Chagas e Esquistossomose, adiciona ao agente causal as variáveis relacionadas à transmissão do agente.
  • 9. EPIDEMIOLOGIA MODERNA (a partir da década de 70) • Nos países em desenvolvimento, principalmente na América Latina (momento de profunda crise econômica e social) renasce o interesse pela determinação social das doenças – Epidemiologia social –, que busca explicação científica para as condições de saúde da maioria de sua população, compatível ou piores que as dos países europeus no século XIX.
  • 10. Epidemiologia moderna • A demonstração de que vários fatores contribuem para a determinação da doença expandiu o interesse da Epidemiologia para as doenças crônicas. • A Epidemiologia das doenças transmissíveis ainda é da maior importância nos países em desenvolvimento, que ainda convivem com doenças tais como Sarampo, Rubéola, Malária, Dengue e Toxinfecções alimentares, entre outras. • Nos países desenvolvidos tornou-se novamente importante devido à emergência
  • 11. EpidemiologiaEpidemiologia • “O estudo dos fatores que determinam a freqüência e a distribuição das doenças na coletividades humanas” (Associação Internacional de Epidemiologia – 1973)
  • 12. Áreas de atuação da Epidemiologia • Estudos de causalidade • Definição da história natural das doenças • Descrição do estado de saúde de populações • Avaliação de intervenções
  • 13. História Natural da Doença Hospedeiro Ambiente Agente Vetor Período epidemiológico Período patológico ( Leavell & Clark, 1976) Grau do individuo para adaptar-se às agressões produzidas pelo o agente. A resistência do hospedeiro é influenciada pelo comportamento social da pessoa, genótipo, sistema imunológico e estado nutricional. Influencia a probabilidade e as circunstancias do contato entre o hospedeiro e o agente. Inclui os fatores sociais, políticos, econômicos, serviços de saúde Biológicos, químicos e físicos. Influencias sociais e psicológicas.
  • 14. Estrutura epidemiológica da produção doença DoençaDoença Fatores Imunológicos Fatores Nutricionais Fatores Biológicos e Comportamentais Fatores Genéticos Fatores de serviços Fatores sociais Fatores espirituais AmbienteHospedeiro Agent e
  • 15. Epidemiologia • é o estudo da freqüência, da distribuição e dos determinantes dos estados ou eventos relacionados à saúde das populações e a aplicação destes estudos no controle dos problemas de saúde
  • 16. Epidemiologia é o estudo da freqüência, da distribuição e dos determinantes dos estados ou eventos relacionados à saúde das populações e a aplicação destes estudos no controle dos problemas de saúde Estudo: como disciplina básica tem seus fundamentos no método científico. Freqüência e distribuição: preocupa- se com a freqüência (em números absolutos e relativos) e com o padrão de ocorrência dos eventos (em relação ao tempo, lugar e características das pessoas). O
  • 17. Epidemiologia é o estudo da freqüência, da distribuição e dos determinantes dos estados ou eventos relacionados à saúde das populações e a aplicação destes estudos no controle dos problemas de saúde. Determinantes: questão central para a Epidemiologia é a busca das causas e fatores que influenciam a ocorrência dos eventos e que irão constituir-se em evidências para a adoção de medidas de prevenção e controle.
  • 18. Epidemiologia é o estudo da freqüência, da distribuição e dos determinantes dos estados ou eventos relacionados à saúde das populações e a aplicação destes estudos no controle dos problemas de saúde. Estados e eventos: no passado a Epidemiologia ocupava-se das doenças infecciosas, mas sua abrangência ampliou-se. Estuda qualquer agravo à saúde ou também estados fisiológicos como gravidez e crescimento.
  • 19. Epidemiologia é o estudo da freqüência, da distribuição e dos determinantes dos estados ou eventos relacionados à saúde das populações e a aplicação destes estudos no controle dos problemas de saúde. Populações: a Epidemiologia preocupa-se com a saúde coletiva, de grupos de indivíduos, de determinadas comunidades ou áreas, diferente da clínica que ocupa-se da ocorrência de eventos com cada indivíduo.
  • 20. Epidemiologia é o estudo da freqüência, da distribuição e dos determinantes dos estados ou eventos relacionados à saúde das populações e a aplicação destes estudos no controle dos problemas de saúde. Aplicação: 1. geração conhecimento que embasa a intervenção através da descrição do padrão, identificação de fatores de risco, análise de tendência, de comportamento. 2. Propõe medidas de controle e prevenção. Base para definição de políticas de saúde. 3. Dá suporte e subsídios para avaliação de impacto das ações e serviços de saúde.
  • 21. Classificação da epidemiologia • Epidemiologia Clássica: estuda as origens comunitárias dos problemas de saúde da população. • Epidemiologia Clínica: estudam doentes para melhorar o diagnóstico e tratamento de várias doenças, bem como prognóstico dos pacientes já afetados pela doença.
  • 22. PRINCIPIOS BÁSICOS DA EPIDEMIOLOGIA • Os agravos não ocorrem , ao acaso, na população. • A distribuição desigual dos agravos à saúde é produto da ação de fatores que distribuem desigualmente na população. • O conhecimento dos fatores determinantes das doenças permite a aplicação de medidas preventivas e curativas.
  • 23. CAMPOS DA EPIDEMIOLOGIA • As doenças infecciosas e enfermidades carenciais • Doenças crônicas e degenerativas e os outros danos à saúde • Serviços de saúde • Saúde ambiental • Saúde ocupacional/trabalhador

Notas do Editor

  1. trabalho de Doll, Hill e colabs., desenvolvido durante a década de 50 e publicado em 1964, sobre a relação entre o hábito de fumar cigarros e o câncer de pulmão ilustra os mais recentes avanços da Epidemiologia. Valorizando as observações clínicas que vinham fazendo esta correlação, promoveram um estudo de coorte entre médicos britânicos por um período de 10 anos.
  2. A epidemiologia tem sido definida de várias maneiras. Com a evolução dos estudos sobre as doenças que afetam a população, o conceito de epidemiologia é amplo, assim como conceito ampliado de saúde.
  3. Geralmente a epidemiologia se debruça na história natural da doença, o nome dado ao conjunto de processos interativos de uma tríade de fatores: hospedeiro, o agente e ambiente. Para muitas doenças é importante adicionar um quarto fator. Os fatores do hospedeiro são responsáveis pelo grau em que o individuo pode-se adaptar às agressões produzidas pelo o agente. A resistência do hospedeiro é influenciada pelo comportamento social da pessoa, genótipo, sistema imunológico e estado nutricional. O meio ambiente influencia a probabilidade e as circunstancias do contato entre o hospedeiro e o agente. O ambiente inclui os fatores sociais, políticos, econômicos.Os fatores de serviços também estão incluídos no ambiente. Os agentes são biológicos, químicos e físicos . Os agente biológicos não incluem somente os microorganismos infecciosos, mas também os alérgicos e até mesmo, algumas circunstancias, vacinas, antibióticos, alimentos(dieta rica em lipídios). Os agentes químicos são as substancia tóxicas e poeiras que podem causar doença aguda ou crônica. Os agentes físicos incluem a energia cinética: ferimento por arma de fogo, acidentes de veículos, calor, frio, baralho. Os epidemiologistas estão estudando agora a extensão das influencias sociais e psicológicas como agentes na produção das doenças. A história natural da doença, tem desenvolvimento em dois períodos: epidemiológico e patológico. O primeiro o interesse é dirigido para as relações suscetível – ambiente (interação de fatores) ; no segundo, interessam as modificações que se passam no organismo vivo (primeiras alterações, sintomas , avanço da doença, convalescença).
  4. Estrutura epidemiológica da produção doença: As pré-condições que condicionam a produção de doença, seja em indivíduos seja em coletividades humanas , estão de tal forma interligadas, e na sua organização, são tão interdependentes, que seu conjunto forma estrutura reconhecida pela denominação epidemiológica. A estrutura epidemiológica que tem funcionamento sistêmico, é formada pelos fatores vinculados ao hospedeiro ou suscetível e ao ambiente, e incluindo aí o agente etiológico. Conjunto este dotado de uma organização interna que define as suas interações e também é responsável pela produção da doença.
  5. Assim uma definição mais precisa do termo epidemiologia não é fácil: sua temática é dinâmica e seu objeto é complexo: Pode-se de uma maneira simplificada conceituá-la:é o estudo da freqüência, da distribuição e dos determinantes dos estados ou eventos relacionados à saúde das populações e a aplicação destes estudos no controle dos problemas de saúde
  6. A EPIDEMIOLOGIA TEM COMO OBJETIVO PRINCIPAL CONCORRER PARA CONTROLE DOS PROBLEMAS DE SAÚDE DA POPULAÇAO ATRAVÉS DO MELHOR CONHECIMENTO DA SITUAÇAO DE SAÚDE , DE SEUS FATORES DETERMINANTES E DAS MELHORES OPORTUNIDADES DE PREVENÇAO, DA CURA E REABILITAÇAO. Estas três forma DE USO DA EPIDEMIOLOGIA FORNECEM VALIOSOS SUBSIDIOS PARA AUXILIAR AS DECISÕES , SEJA NO NÓVEL COLETIVO SEJA EM NÍVEL INDIVIDUAL.
  7. Classificação da epidemiologia Alguns autores fazem uma distinção entre a epidemiologia clássica e epidemiologia clinica. A epidemiologia clássica está voltada para população e estuda as origens comunitárias dos problemas de saúde, particularmente aqueles relacionadas à nutrição , ao meio ambiente, comportamento humano e ao estado psicológico, social e espiritual da população. Estão interessado em descobrir fatores de riscos que podem ser alterados para prevenir ou retardar a morte. A epidemiologia clinica , embora use a o delineamento de pesquisa e estatísticas semelhantes , estudam pacientes em locais de cuidado saúde para melhorar o diagnóstico e tratamento de várias doenças, bem como prognóstico para pacientes já afetados pela doença.
  8. Os princípios básicos da epidemiologia: Os agravos não ocorrem , ao acaso, na população. A distribuição desigual dos agravos à saúde é produto da ação de fatores que distribuem desigualmente na população. A elucidação destes fatores responsáveis pela distribuição das doenças é uma preocupação da epidemiologia. Ë o seu principal objetivo. O conhecimento dos fatores determinantes das doenças permite a aplicação de medidas preventivas e curativas, Direcionadas a alvos específicos, cientificamente identificados resulta o aumento de eficácia das intervenções.
  9. CAMPOS DA EPIDEMIOLOGIA A evolução da epidemiologia como disciplina , a área de conhecimento se tornou abrangente. As doenças infecciosas e enfermidades carenciais No passados , o alvo da epidemiologia era representado pelas doenças que se apresentavam sob forma de epidemias, bem como as de cólera, varíola, tifo e febre amarela- afecção agudas e que sempre alarmaram a população, e geralmente um agente etiológico bem específico. Para possibilitar a detecção precoce de epidemias , ficou logo evidente a conveniência de se estudar em seus períodos epidêmicos, pois a a epidemia é apenas uma fase na evolução do processo mórbido na coletividade. Por isso os estudiosos passaram a vigiar , de maneira contínua a ocorrência e a distribuição das doenças agudas. O sucesso alcançado com aplicação semelhante abordagem na investigação das doenças infecciosas de evolução aguda concorreu para estendê-la ao estudo das doenças infecciosas de evolução crônica. Outras doenças cujo comportamento assemelhava-se as doenças transmissíveis , como as nutricionais, em especial a pelagra e beberberi – passaram também a ser pesquisadas. Doenças crônicas e degenerativas e os outros danos à saúde . Com a diminuição da mortalidade por doenças infecciosas, envelhecimento da população e a mudança do perfil de morbidade, fatos que ocorreram primeiramente em paises desenvolvidos, fizeram levar o campo da epidemiologia se tornar mais abrangente, passando a compreender o estudos de doenças crônicas do tipo degenerativa, as anomamalias congênitas e muitos outro eventos como acidentes, envenenamentos. Daí, pode dizer hoje que o objeto da epidemiologia é reapresentado por qualquer dano ou agravo à saúde estudados em termos de população. Ao contrario das doenças infecciosas, estas doenças não tem um agente etiológico ou fatores específicos o que torna mais complexo a investigação etiológica para cada doença diagnosticada (São exemplo de investigação epidemiológica o hábito de fumar , peso ao nascer, fadiga profissional, consumo de drogas). Serviços de Saúde: A assistência aos doentes e as práticas preventivas representam fatores que intervêm na distribuição e na ocorrência das doenças na população. Conseqüentemente os serviços de saúde também passaram a ser abordados no quadro referencial da epidemiologia. Os estudos epidemiológicos de serviços de saúde ao realizados com objetivos diversos, por exemplo, conhecer a situação de cobertura populacional ou a qualidade do atendimento, com intuito de identificar problemas e a assim investigar suas causas e propor soluções compatíveis e avaliá-las com métodos utilizados em epidemiologia.