SlideShare uma empresa Scribd logo
TEXTO E HIPERTEXTO
Prof.: Marlon Vinicius da Silva
Disciplina: Hipermídia
CONCEPÇÃO DE TEXTO


Tecido linguístico dotado necessariamente de
coesão e coerência, apoiado pelos demais
fatores de textualidade
 Situacionalidade
 Intertextualidade
 Intencionalidade
 Informatividade
 Aceitabilidade

 entre

outros
CONCEPÇÃO DE TEXTO


Distribuição e a (re)interpretação dos textos em
outros contextos e condições enunciativas só
serão possíveis se seus acessos não forem
interditados
Restrições intelectuais (analfabetismo);
 Materiais (falta de recursos físicos e de acesso à
mídia impressa, eletrônica, digital);
 Políticas (imposição inegociável do sentido por
aqueles que controlam o poder);
 Sociais (desconhecimento dos direitos e deveres
legais dos sujeitos em interação).




Os textos, uma vez digitalizados, preparam o
caminho para a chegada do hipertexto.
HIPERTEXTO






A ideia de hipertexto não nasceu com a
internet, nem com a web.
São de Burke(2004) e Chartier(2002), as
primeiras manifestações hipertextuais
ocorreram nos séc. XVI e XVII através de
manuscritos e marginalia.
O termo hipertexto foi criado no início dos
anos 60 por Theodore Nelson, para exprimir a
ideia de escrita/leitura não linear, em um
sistema de informática.
HIPERTEXTO


Conceito


“ um hipertexto é um conjunto de nós ligados por
conexões. [...] Navegar em um hipertexto
significa portanto desenhar um percurso em uma
rede que pode ser tão complicada quanto
possivel. Porque cada nó pode, por sua vez,
conter uma rede inteira”. Lévy, 1993, p. 33
HIPERTEXTO – Elementos
Básicos


ÁRVORE
 „Estrutura

hierárquica (não necessariamente

simétrica)


SEQUÊNCIA
 Ordem
 Série
 Seguimento
 Sucessão
Hipertexto - Tipos De Percurso


CICLO






O leitor retorna a um nó
previamente visitado
Ciclos criam recorrência
A repetição cíclica também
modula a experiência do
hipertexto: enfatiza pontos chave
/ ao mesmo tempo em que relega
outros pontos a um segundo
plano
A navegação estrutural quebra o
ciclo




Home > Esportes > Tênis

Links condicionais também
quebram o ciclo


se... –> vá para...
Hipertexto - Tipos De Percurso


CICLO DE JOYCE
O leitor se reconecta a uma
parte já lida do hipertexto: ele
continua a sua jornada a partir
de um trecho já conhecido que
o leva a atravessar um ou
mais espaços diferentes antes
que o ciclo se quebre
 Revisitar um caminho
previamente conhecido pode
oferecer uma nova visão a
partir da releitura de um
mesmo trecho em um contexto
diferente.




MMORPGS -> FINAL FANTASY
Hipertexto - Tipos De Percurso



CICLO DE DOUGLAS
Sinaliza:
 Proximidade
 Final

de seção
 Exaustão do hipertexto.
Hipertexto - Tipos De Percurso


WEB RING
Conjunto de hipertextos
criados por diferentes
autores vinculados entre si
a partir de um elemento de
navegação em comum que
permite o retorno à página
inicial de cada um deles
 Normalmente, refere-se a
um tema específico tratado
por todos. Identifica um
segmento

Hipertexto - Tipos De Percurso


CONTORNO
É formado quando vários
ciclos se tocam, permitindo
livre movimento tanto nos
caminhos definidos por cada
ciclo em si como também
entre todos os ciclos
 Apesar do livre trânsito entre
os ciclos do contorno, links
internos pouco frequentes ao
conjunto como um todo
podem restringir os
movimentos entre os ciclos

Hipertexto - Tipos De Percurso


CONTRAPONTO






Duas ou mais vozes alternam-se em
um ponto de intersecção entre
temas diferentes ou unem-se a partir
de um tema em comum onde um
pauta, o outro responde e vice-versa
Proporciona uma noção clara da
estrutura, uma ressonância de
chamada e resposta a uma
reminiscência da liturgia e do
diálogo informal
O diálogo entre os hipertextos é
construído como contraponto entre
vários hipertextos independentes,
cada um representando um ponto
de vista reconhecível onde são
capazes de responder
individualmente às ligações e
trajetórias tanto dentro do seu
próprio site como também nos
Hipertexto - Tipos De Percurso


MUNDOS
ESPELHADOS
A

mesma temática ou a
mesma pauta tratados
por autores
hipertextuais reunidos
em campos opostos
“espelhados” onde um
grupo faz contraponto
ao outro
 Existe uma conexão
entre a imagem e o seu
Hipertexto - Tipos De Percurso


EMARANHADO






Confronta o interagente
com uma variedade de
links, sem dar indícios
suficientes para guiar a
sua escolha
Desorientação intencional
a fim de tornar os
interagentes mais
receptivos a um novo
argumento ou a uma
conclusão inesperada
Pode forçar os
interagentes a visitar
partes diferentes do site a
cada visita
Hipertexto - Tipos De Percurso


PENEIRA
Multiárvores
 Diferentes topologias com a
mesma função retórica
 Determinam opções,
escolhas ao interagente
 Servem como pontos de
entrada para um conteúdo
não explicitamente
hierarquizado
 Úteis em novelas seriadas
(divididas em capítulos).

Hipertexto - Tipos De Percurso


MONTAGEM
Vários espaços distintos da
escrita aparecem
simultaneamente,
reforçando um ao outro,
mantendo suas identidades
separadas
 Frequentemente aparece
sob a forma de janelas
sobrepostas, que
estabelecem ligações
através das fronteiras de
nós e links.




qualquer site c/banners em
CSS + Flash sobrepostos ao
conteúdo principal
Hipertexto - Tipos De Percurso


SPLIT/JOIN
 Indispensável

quando

é o próprio
interagente quem
deve alterar o rumo
da narrativa
HIPERTEXTO


Ted Nelson







Douglas Engelbart




Projeto Xanadu, fundado em 1960
Primeiro projeto de desenvolvimento do que seria conhecido
como hipertexto;
Facilitar a escrita não-sequencial, na qual o leitor pode escolher
seu próprio caminho através de um documento eletrônico, ou
seja, funciona da mesma forma que a mente humana, por
associações, em que um item puxa outro item, encadeando-se
ao próximo item, formando uma grande rede de conexão.
Inventou o mouse, as atuais janelas de interface e construiu o
NLS(oN Line System)

TimBarners-Lee(1990)


Desenvolveu a World Wide Web (www)
Vertente científica de estudo


Ciência da Web




Tem como objetivo entender e dar suporte ao
crescimento da web. (XAVIER, 2009 p.104)

Web Semântica
objetiva produzir mecanismos digitais que facilitem o
cruzamento de informações arquivadas de diferentes
maneiras na rede, independente do tipo de sistema
de programação em que os dados estejam
originalmente armazenados. (XAVIER, 2009 p.104)
 "As interações sociais que mantêm a web unida se
tornaram tão complexas que é preciso uma nova
ciência para estudá-las". (Tim Barners-Lee, o pai da
Web.)

Tipos de Hipertexto


Hipertextos exploratórios
 Levam

o usuário a controlar um conjunto de
informações, de acordo com suas necessidades
e interesses sem intervir nos conteúdos do
hipertexto em si. (XAVIER, 2009 p.108)



Hipertextos construtivos
 Exigem

do usuário capacidade e iniciativa para
agir sobre eles, questionar seus conteúdos,
navegando de modo crítico pelos links ali
disponíveis. (XAVIER, 2009 p.108)
Diferença entre Texto e
Hipertexto


FORMA DE LEITURA







ACESSO A INFORMAÇÃO
FACILIDADE DE LEITURA
POSSIBILIDADE DE ALTERAÇÃO:









Livro- notas na margem do texto
Hipertexto- inserção no texto sem alteração do contexto

MARCADORES:




Livro - sequência linear
Hipertexto- sequência lógica

Livro- dobra de folha para marcar a página que está lendo
Hipertexto- bookmarks

CUSTO DE DUPLICAÇÃO
CUSTO DE CRIAÇÃO
Exercícios












1) Que características tem um texto?
2) O que pode impedir a circulação de um texto
escrito?
3) Qual o Conceito de Hipertexto apresentado?
4) Qual foi o papel de Ted Nelson para a formação do
Hipertexto como o conhecemos?
5) Diferencie a formas de percurso “Contraponto” e
“Mundo Espelhado”
6) Porque utilizar um percurso do tipo “Emaranhado”?
7) O que estuda a “Web Sematica”?
8) Qual a diferença entre um Hipertexto exploratório e
um Construtivo

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Podcast
PodcastPodcast
LÍNGUA PORTUGUESA | 2ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP06)
LÍNGUA PORTUGUESA | 2ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP06)LÍNGUA PORTUGUESA | 2ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP06)
LÍNGUA PORTUGUESA | 2ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP06)
GernciadeProduodeMat
 
Resumo e resenha
Resumo e resenhaResumo e resenha
Resumo e resenha
Cynthia Funchal
 
Coerência e coesão textual
Coerência e coesão textualCoerência e coesão textual
Coerência e coesão textual
ISJ
 
Linguagem, língua, escrita e oralidade
Linguagem, língua, escrita e oralidadeLinguagem, língua, escrita e oralidade
Linguagem, língua, escrita e oralidade
Karen Olivan
 
Ambiguidade proposital.pdf
Ambiguidade proposital.pdfAmbiguidade proposital.pdf
Ambiguidade proposital.pdf
HelFlresBiscuitt
 
A crônica
A crônicaA crônica
A crônica
ma.no.el.ne.ves
 
AULA 01 - TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO - ESTRUTURA
AULA 01 - TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO - ESTRUTURAAULA 01 - TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO - ESTRUTURA
AULA 01 - TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO - ESTRUTURA
Marcelo Cordeiro Souza
 
Aula 04 variacao linguistica
Aula 04   variacao linguisticaAula 04   variacao linguistica
Aula 04 variacao linguistica
Marcia Simone
 
Passos para a redação do enem
Passos para a redação do enemPassos para a redação do enem
Passos para a redação do enem
Luciene Gomes
 
Dissertação argumentativa
Dissertação argumentativaDissertação argumentativa
Dissertação argumentativa
Maurício Francisco Dos Santos
 
O que é Literatura?
O que é Literatura?O que é Literatura?
O que é Literatura?
Faell Vasconcelos
 
Conheça haicais
Conheça haicaisConheça haicais
Conheça haicais
Luciane
 
Slide introdução à literatura
Slide introdução à literaturaSlide introdução à literatura
Slide introdução à literatura
fabrinnem
 
Estrutura do texto argumentativo
Estrutura do texto argumentativoEstrutura do texto argumentativo
Estrutura do texto argumentativo
7 de Setembro
 
Generos textuais
Generos textuaisGeneros textuais
Gêneros e tipos textuais
Gêneros e tipos textuaisGêneros e tipos textuais
Gêneros e tipos textuais
marlospg
 
Leitura e produção textual
Leitura e produção textualLeitura e produção textual
Leitura e produção textual
Jose Arnaldo Silva
 
Prova de Português com gabarito sobre Caramuru
Prova de Português com gabarito sobre CaramuruProva de Português com gabarito sobre Caramuru
Prova de Português com gabarito sobre Caramuru
Val Valença
 
Linha do tempo - Literatura
Linha do tempo - LiteraturaLinha do tempo - Literatura
Linha do tempo - Literatura
Marô de Paula
 

Mais procurados (20)

Podcast
PodcastPodcast
Podcast
 
LÍNGUA PORTUGUESA | 2ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP06)
LÍNGUA PORTUGUESA | 2ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP06)LÍNGUA PORTUGUESA | 2ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP06)
LÍNGUA PORTUGUESA | 2ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP06)
 
Resumo e resenha
Resumo e resenhaResumo e resenha
Resumo e resenha
 
Coerência e coesão textual
Coerência e coesão textualCoerência e coesão textual
Coerência e coesão textual
 
Linguagem, língua, escrita e oralidade
Linguagem, língua, escrita e oralidadeLinguagem, língua, escrita e oralidade
Linguagem, língua, escrita e oralidade
 
Ambiguidade proposital.pdf
Ambiguidade proposital.pdfAmbiguidade proposital.pdf
Ambiguidade proposital.pdf
 
A crônica
A crônicaA crônica
A crônica
 
AULA 01 - TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO - ESTRUTURA
AULA 01 - TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO - ESTRUTURAAULA 01 - TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO - ESTRUTURA
AULA 01 - TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO - ESTRUTURA
 
Aula 04 variacao linguistica
Aula 04   variacao linguisticaAula 04   variacao linguistica
Aula 04 variacao linguistica
 
Passos para a redação do enem
Passos para a redação do enemPassos para a redação do enem
Passos para a redação do enem
 
Dissertação argumentativa
Dissertação argumentativaDissertação argumentativa
Dissertação argumentativa
 
O que é Literatura?
O que é Literatura?O que é Literatura?
O que é Literatura?
 
Conheça haicais
Conheça haicaisConheça haicais
Conheça haicais
 
Slide introdução à literatura
Slide introdução à literaturaSlide introdução à literatura
Slide introdução à literatura
 
Estrutura do texto argumentativo
Estrutura do texto argumentativoEstrutura do texto argumentativo
Estrutura do texto argumentativo
 
Generos textuais
Generos textuaisGeneros textuais
Generos textuais
 
Gêneros e tipos textuais
Gêneros e tipos textuaisGêneros e tipos textuais
Gêneros e tipos textuais
 
Leitura e produção textual
Leitura e produção textualLeitura e produção textual
Leitura e produção textual
 
Prova de Português com gabarito sobre Caramuru
Prova de Português com gabarito sobre CaramuruProva de Português com gabarito sobre Caramuru
Prova de Português com gabarito sobre Caramuru
 
Linha do tempo - Literatura
Linha do tempo - LiteraturaLinha do tempo - Literatura
Linha do tempo - Literatura
 

Destaque

Hipertextos
HipertextosHipertextos
Hipertextos
Aparecida Atual
 
07 - Atividade III
07 - Atividade III07 - Atividade III
07 - Atividade III
Marlon Vinicius da Silva
 
07 animação
07   animação07   animação
08 video digital
08   video digital08   video digital
08 video digital
Marlon Vinicius da Silva
 
07 exercícios
07   exercícios07   exercícios
07 exercícios
Marlon Vinicius da Silva
 
03 bases numericas
03   bases numericas03   bases numericas
03 bases numericas
Marlon Vinicius da Silva
 
06 áudio
06   áudio06   áudio
05 - Aervidor DHCP
05 - Aervidor DHCP05 - Aervidor DHCP
05 - Aervidor DHCP
Marlon Vinicius da Silva
 
01 aula inicial apresentação
01   aula inicial  apresentação01   aula inicial  apresentação
01 aula inicial apresentação
Marlon Vinicius da Silva
 
05 circuitos logicos
05   circuitos logicos05   circuitos logicos
05 circuitos logicos
Marlon Vinicius da Silva
 
05 imagem digital
05   imagem digital05   imagem digital
05 imagem digital
Marlon Vinicius da Silva
 
06 - Servidor Apache
06 - Servidor Apache06 - Servidor Apache
06 - Servidor Apache
Marlon Vinicius da Silva
 
06 complexidade de problemas
06   complexidade de problemas06   complexidade de problemas
06 complexidade de problemas
Marlon Vinicius da Silva
 
02 historia da programação
02   historia da programação02   historia da programação
02 historia da programação
Marlon Vinicius da Silva
 
Modelo de plano de ensino computação e algoritmo i
Modelo de plano de ensino computação e algoritmo iModelo de plano de ensino computação e algoritmo i
Modelo de plano de ensino computação e algoritmo i
Marlon Vinicius da Silva
 
Texto, hipertexto e estrutura do parágrafo
Texto, hipertexto e estrutura do parágrafoTexto, hipertexto e estrutura do parágrafo
Texto, hipertexto e estrutura do parágrafo
Andréa Blessed
 

Destaque (16)

Hipertextos
HipertextosHipertextos
Hipertextos
 
07 - Atividade III
07 - Atividade III07 - Atividade III
07 - Atividade III
 
07 animação
07   animação07   animação
07 animação
 
08 video digital
08   video digital08   video digital
08 video digital
 
07 exercícios
07   exercícios07   exercícios
07 exercícios
 
03 bases numericas
03   bases numericas03   bases numericas
03 bases numericas
 
06 áudio
06   áudio06   áudio
06 áudio
 
05 - Aervidor DHCP
05 - Aervidor DHCP05 - Aervidor DHCP
05 - Aervidor DHCP
 
01 aula inicial apresentação
01   aula inicial  apresentação01   aula inicial  apresentação
01 aula inicial apresentação
 
05 circuitos logicos
05   circuitos logicos05   circuitos logicos
05 circuitos logicos
 
05 imagem digital
05   imagem digital05   imagem digital
05 imagem digital
 
06 - Servidor Apache
06 - Servidor Apache06 - Servidor Apache
06 - Servidor Apache
 
06 complexidade de problemas
06   complexidade de problemas06   complexidade de problemas
06 complexidade de problemas
 
02 historia da programação
02   historia da programação02   historia da programação
02 historia da programação
 
Modelo de plano de ensino computação e algoritmo i
Modelo de plano de ensino computação e algoritmo iModelo de plano de ensino computação e algoritmo i
Modelo de plano de ensino computação e algoritmo i
 
Texto, hipertexto e estrutura do parágrafo
Texto, hipertexto e estrutura do parágrafoTexto, hipertexto e estrutura do parágrafo
Texto, hipertexto e estrutura do parágrafo
 

Semelhante a 09 texto e hipertexto

Interação, Autoria Coletiva e Web 2.0
Interação, Autoria Coletiva e Web 2.0Interação, Autoria Coletiva e Web 2.0
Interação, Autoria Coletiva e Web 2.0
Colégio Pedro II
 
Interação, texto e hipertexto
Interação, texto e hipertextoInteração, texto e hipertexto
Interação, texto e hipertexto
elygallas
 
Hipertexto Cooperativo: uma análise da escrita coletiva a partir dos Blogs e ...
Hipertexto Cooperativo: uma análise da escrita coletiva a partir dos Blogs e ...Hipertexto Cooperativo: uma análise da escrita coletiva a partir dos Blogs e ...
Hipertexto Cooperativo: uma análise da escrita coletiva a partir dos Blogs e ...
Alex Primo
 
Spm 06 set
Spm 06 setSpm 06 set
Spm 06 set
lutimielniczuk
 
Internet, hipertexto e hipermídia uni 2
Internet, hipertexto e hipermídia uni 2Internet, hipertexto e hipermídia uni 2
Internet, hipertexto e hipermídia uni 2
alessandravezani
 
O que é hipertexto
O que é hipertextoO que é hipertexto
Hipertex o
Hipertex oHipertex o
Hipertex o
viviannyklaudia
 
Ativ2.ab unid2 navegandoemhipertexto_silvana_s_m
Ativ2.ab unid2 navegandoemhipertexto_silvana_s_mAtiv2.ab unid2 navegandoemhipertexto_silvana_s_m
Ativ2.ab unid2 navegandoemhipertexto_silvana_s_m
Silvana Menezes
 
Web writer
Web writerWeb writer
Web writer
saoni1
 
Mostra Cient(Ffica Talize Dia27oficialaiaia
Mostra Cient(Ffica  Talize Dia27oficialaiaiaMostra Cient(Ffica  Talize Dia27oficialaiaia
Mostra Cient(Ffica Talize Dia27oficialaiaia
semanact2007
 
Hipertexto e Multimodalidade
Hipertexto e MultimodalidadeHipertexto e Multimodalidade
Hipertexto e Multimodalidade
MARA DAISY ALVES RIBEIRO
 
Produção Colaborativa: Leitura e Escrita Coletiva
Produção Colaborativa: Leitura e Escrita ColetivaProdução Colaborativa: Leitura e Escrita Coletiva
Produção Colaborativa: Leitura e Escrita Coletiva
DenysSch
 
Unidade 2 percepcoes_ao_navegar-por_hipertxto_mariaaparecidaoc
Unidade 2 percepcoes_ao_navegar-por_hipertxto_mariaaparecidaocUnidade 2 percepcoes_ao_navegar-por_hipertxto_mariaaparecidaoc
Unidade 2 percepcoes_ao_navegar-por_hipertxto_mariaaparecidaoc
Maria Aparecida de Oliveira Costa
 
interatividade e podcast
interatividade e podcastinteratividade e podcast
interatividade e podcast
Midias Digitais Cinema UNA 2013
 
Aula 31 agosto 2011
Aula 31 agosto 2011Aula 31 agosto 2011
Aula 31 agosto 2011
lutimielniczuk
 
Hipertexto e multimodalidade
Hipertexto e multimodalidadeHipertexto e multimodalidade
Hipertexto e multimodalidade
Ariela Seixas
 
Aula Hipertexto
Aula HipertextoAula Hipertexto
Aula Hipertexto
lutimielniczuk
 
Cibergêneros ethos
Cibergêneros ethosCibergêneros ethos
Cibergêneros ethos
Fabiana Miranda
 
Livros e leitura no ambiente digital
Livros e leitura no ambiente digitalLivros e leitura no ambiente digital
Livros e leitura no ambiente digital
Emilia Pacheco
 
Livros, leitura e partilha no ambiente digital
Livros, leitura e partilha no ambiente digitalLivros, leitura e partilha no ambiente digital
Livros, leitura e partilha no ambiente digital
Emilia Pacheco
 

Semelhante a 09 texto e hipertexto (20)

Interação, Autoria Coletiva e Web 2.0
Interação, Autoria Coletiva e Web 2.0Interação, Autoria Coletiva e Web 2.0
Interação, Autoria Coletiva e Web 2.0
 
Interação, texto e hipertexto
Interação, texto e hipertextoInteração, texto e hipertexto
Interação, texto e hipertexto
 
Hipertexto Cooperativo: uma análise da escrita coletiva a partir dos Blogs e ...
Hipertexto Cooperativo: uma análise da escrita coletiva a partir dos Blogs e ...Hipertexto Cooperativo: uma análise da escrita coletiva a partir dos Blogs e ...
Hipertexto Cooperativo: uma análise da escrita coletiva a partir dos Blogs e ...
 
Spm 06 set
Spm 06 setSpm 06 set
Spm 06 set
 
Internet, hipertexto e hipermídia uni 2
Internet, hipertexto e hipermídia uni 2Internet, hipertexto e hipermídia uni 2
Internet, hipertexto e hipermídia uni 2
 
O que é hipertexto
O que é hipertextoO que é hipertexto
O que é hipertexto
 
Hipertex o
Hipertex oHipertex o
Hipertex o
 
Ativ2.ab unid2 navegandoemhipertexto_silvana_s_m
Ativ2.ab unid2 navegandoemhipertexto_silvana_s_mAtiv2.ab unid2 navegandoemhipertexto_silvana_s_m
Ativ2.ab unid2 navegandoemhipertexto_silvana_s_m
 
Web writer
Web writerWeb writer
Web writer
 
Mostra Cient(Ffica Talize Dia27oficialaiaia
Mostra Cient(Ffica  Talize Dia27oficialaiaiaMostra Cient(Ffica  Talize Dia27oficialaiaia
Mostra Cient(Ffica Talize Dia27oficialaiaia
 
Hipertexto e Multimodalidade
Hipertexto e MultimodalidadeHipertexto e Multimodalidade
Hipertexto e Multimodalidade
 
Produção Colaborativa: Leitura e Escrita Coletiva
Produção Colaborativa: Leitura e Escrita ColetivaProdução Colaborativa: Leitura e Escrita Coletiva
Produção Colaborativa: Leitura e Escrita Coletiva
 
Unidade 2 percepcoes_ao_navegar-por_hipertxto_mariaaparecidaoc
Unidade 2 percepcoes_ao_navegar-por_hipertxto_mariaaparecidaocUnidade 2 percepcoes_ao_navegar-por_hipertxto_mariaaparecidaoc
Unidade 2 percepcoes_ao_navegar-por_hipertxto_mariaaparecidaoc
 
interatividade e podcast
interatividade e podcastinteratividade e podcast
interatividade e podcast
 
Aula 31 agosto 2011
Aula 31 agosto 2011Aula 31 agosto 2011
Aula 31 agosto 2011
 
Hipertexto e multimodalidade
Hipertexto e multimodalidadeHipertexto e multimodalidade
Hipertexto e multimodalidade
 
Aula Hipertexto
Aula HipertextoAula Hipertexto
Aula Hipertexto
 
Cibergêneros ethos
Cibergêneros ethosCibergêneros ethos
Cibergêneros ethos
 
Livros e leitura no ambiente digital
Livros e leitura no ambiente digitalLivros e leitura no ambiente digital
Livros e leitura no ambiente digital
 
Livros, leitura e partilha no ambiente digital
Livros, leitura e partilha no ambiente digitalLivros, leitura e partilha no ambiente digital
Livros, leitura e partilha no ambiente digital
 

Mais de Marlon Vinicius da Silva

01 aula inicial apresentação
01   aula inicial  apresentação01   aula inicial  apresentação
01 aula inicial apresentação
Marlon Vinicius da Silva
 
01 aula inicial apresentação
01   aula inicial  apresentação01   aula inicial  apresentação
01 aula inicial apresentação
Marlon Vinicius da Silva
 
05 servidor dhcp
05   servidor dhcp05   servidor dhcp
05 servidor dhcp
Marlon Vinicius da Silva
 
03 testando a configuração de uma rede
03   testando a configuração de uma rede03   testando a configuração de uma rede
03 testando a configuração de uma rede
Marlon Vinicius da Silva
 
04 produto hipermidia
04   produto hipermidia04   produto hipermidia
04 produto hipermidia
Marlon Vinicius da Silva
 
02 conceitos iniciais
02   conceitos iniciais02   conceitos iniciais
02 conceitos iniciais
Marlon Vinicius da Silva
 
01 aula inicial apresentação
01   aula inicial  apresentação01   aula inicial  apresentação
01 aula inicial apresentação
Marlon Vinicius da Silva
 
03 ferramentas de autoria
03   ferramentas de autoria03   ferramentas de autoria
03 ferramentas de autoria
Marlon Vinicius da Silva
 
05 servidor dhcp
05   servidor dhcp05   servidor dhcp
05 servidor dhcp
Marlon Vinicius da Silva
 
04 atividade ii
04   atividade ii04   atividade ii
04 atividade ii
Marlon Vinicius da Silva
 
03 diagnostico de rede
03   diagnostico de rede03   diagnostico de rede
03 diagnostico de rede
Marlon Vinicius da Silva
 
02 configurando placa de rede
02   configurando placa de rede02   configurando placa de rede
02 configurando placa de rede
Marlon Vinicius da Silva
 
01 notações iniciais
01   notações iniciais01   notações iniciais
01 notações iniciais
Marlon Vinicius da Silva
 
Usabilidade
UsabilidadeUsabilidade
Interface homem maquina introdução
Interface homem maquina   introduçãoInterface homem maquina   introdução
Interface homem maquina introdução
Marlon Vinicius da Silva
 
Interface homem maquina introdução
Interface homem maquina   introduçãoInterface homem maquina   introdução
Interface homem maquina introdução
Marlon Vinicius da Silva
 

Mais de Marlon Vinicius da Silva (16)

01 aula inicial apresentação
01   aula inicial  apresentação01   aula inicial  apresentação
01 aula inicial apresentação
 
01 aula inicial apresentação
01   aula inicial  apresentação01   aula inicial  apresentação
01 aula inicial apresentação
 
05 servidor dhcp
05   servidor dhcp05   servidor dhcp
05 servidor dhcp
 
03 testando a configuração de uma rede
03   testando a configuração de uma rede03   testando a configuração de uma rede
03 testando a configuração de uma rede
 
04 produto hipermidia
04   produto hipermidia04   produto hipermidia
04 produto hipermidia
 
02 conceitos iniciais
02   conceitos iniciais02   conceitos iniciais
02 conceitos iniciais
 
01 aula inicial apresentação
01   aula inicial  apresentação01   aula inicial  apresentação
01 aula inicial apresentação
 
03 ferramentas de autoria
03   ferramentas de autoria03   ferramentas de autoria
03 ferramentas de autoria
 
05 servidor dhcp
05   servidor dhcp05   servidor dhcp
05 servidor dhcp
 
04 atividade ii
04   atividade ii04   atividade ii
04 atividade ii
 
03 diagnostico de rede
03   diagnostico de rede03   diagnostico de rede
03 diagnostico de rede
 
02 configurando placa de rede
02   configurando placa de rede02   configurando placa de rede
02 configurando placa de rede
 
01 notações iniciais
01   notações iniciais01   notações iniciais
01 notações iniciais
 
Usabilidade
UsabilidadeUsabilidade
Usabilidade
 
Interface homem maquina introdução
Interface homem maquina   introduçãoInterface homem maquina   introdução
Interface homem maquina introdução
 
Interface homem maquina introdução
Interface homem maquina   introduçãoInterface homem maquina   introdução
Interface homem maquina introdução
 

09 texto e hipertexto

  • 1. TEXTO E HIPERTEXTO Prof.: Marlon Vinicius da Silva Disciplina: Hipermídia
  • 2. CONCEPÇÃO DE TEXTO  Tecido linguístico dotado necessariamente de coesão e coerência, apoiado pelos demais fatores de textualidade  Situacionalidade  Intertextualidade  Intencionalidade  Informatividade  Aceitabilidade  entre outros
  • 3. CONCEPÇÃO DE TEXTO  Distribuição e a (re)interpretação dos textos em outros contextos e condições enunciativas só serão possíveis se seus acessos não forem interditados Restrições intelectuais (analfabetismo);  Materiais (falta de recursos físicos e de acesso à mídia impressa, eletrônica, digital);  Políticas (imposição inegociável do sentido por aqueles que controlam o poder);  Sociais (desconhecimento dos direitos e deveres legais dos sujeitos em interação).   Os textos, uma vez digitalizados, preparam o caminho para a chegada do hipertexto.
  • 4. HIPERTEXTO    A ideia de hipertexto não nasceu com a internet, nem com a web. São de Burke(2004) e Chartier(2002), as primeiras manifestações hipertextuais ocorreram nos séc. XVI e XVII através de manuscritos e marginalia. O termo hipertexto foi criado no início dos anos 60 por Theodore Nelson, para exprimir a ideia de escrita/leitura não linear, em um sistema de informática.
  • 5. HIPERTEXTO  Conceito  “ um hipertexto é um conjunto de nós ligados por conexões. [...] Navegar em um hipertexto significa portanto desenhar um percurso em uma rede que pode ser tão complicada quanto possivel. Porque cada nó pode, por sua vez, conter uma rede inteira”. Lévy, 1993, p. 33
  • 6. HIPERTEXTO – Elementos Básicos  ÁRVORE  „Estrutura hierárquica (não necessariamente simétrica)  SEQUÊNCIA  Ordem  Série  Seguimento  Sucessão
  • 7. Hipertexto - Tipos De Percurso  CICLO     O leitor retorna a um nó previamente visitado Ciclos criam recorrência A repetição cíclica também modula a experiência do hipertexto: enfatiza pontos chave / ao mesmo tempo em que relega outros pontos a um segundo plano A navegação estrutural quebra o ciclo   Home > Esportes > Tênis Links condicionais também quebram o ciclo  se... –> vá para...
  • 8. Hipertexto - Tipos De Percurso  CICLO DE JOYCE O leitor se reconecta a uma parte já lida do hipertexto: ele continua a sua jornada a partir de um trecho já conhecido que o leva a atravessar um ou mais espaços diferentes antes que o ciclo se quebre  Revisitar um caminho previamente conhecido pode oferecer uma nova visão a partir da releitura de um mesmo trecho em um contexto diferente.   MMORPGS -> FINAL FANTASY
  • 9. Hipertexto - Tipos De Percurso   CICLO DE DOUGLAS Sinaliza:  Proximidade  Final de seção  Exaustão do hipertexto.
  • 10. Hipertexto - Tipos De Percurso  WEB RING Conjunto de hipertextos criados por diferentes autores vinculados entre si a partir de um elemento de navegação em comum que permite o retorno à página inicial de cada um deles  Normalmente, refere-se a um tema específico tratado por todos. Identifica um segmento 
  • 11. Hipertexto - Tipos De Percurso  CONTORNO É formado quando vários ciclos se tocam, permitindo livre movimento tanto nos caminhos definidos por cada ciclo em si como também entre todos os ciclos  Apesar do livre trânsito entre os ciclos do contorno, links internos pouco frequentes ao conjunto como um todo podem restringir os movimentos entre os ciclos 
  • 12. Hipertexto - Tipos De Percurso  CONTRAPONTO    Duas ou mais vozes alternam-se em um ponto de intersecção entre temas diferentes ou unem-se a partir de um tema em comum onde um pauta, o outro responde e vice-versa Proporciona uma noção clara da estrutura, uma ressonância de chamada e resposta a uma reminiscência da liturgia e do diálogo informal O diálogo entre os hipertextos é construído como contraponto entre vários hipertextos independentes, cada um representando um ponto de vista reconhecível onde são capazes de responder individualmente às ligações e trajetórias tanto dentro do seu próprio site como também nos
  • 13. Hipertexto - Tipos De Percurso  MUNDOS ESPELHADOS A mesma temática ou a mesma pauta tratados por autores hipertextuais reunidos em campos opostos “espelhados” onde um grupo faz contraponto ao outro  Existe uma conexão entre a imagem e o seu
  • 14. Hipertexto - Tipos De Percurso  EMARANHADO    Confronta o interagente com uma variedade de links, sem dar indícios suficientes para guiar a sua escolha Desorientação intencional a fim de tornar os interagentes mais receptivos a um novo argumento ou a uma conclusão inesperada Pode forçar os interagentes a visitar partes diferentes do site a cada visita
  • 15. Hipertexto - Tipos De Percurso  PENEIRA Multiárvores  Diferentes topologias com a mesma função retórica  Determinam opções, escolhas ao interagente  Servem como pontos de entrada para um conteúdo não explicitamente hierarquizado  Úteis em novelas seriadas (divididas em capítulos). 
  • 16. Hipertexto - Tipos De Percurso  MONTAGEM Vários espaços distintos da escrita aparecem simultaneamente, reforçando um ao outro, mantendo suas identidades separadas  Frequentemente aparece sob a forma de janelas sobrepostas, que estabelecem ligações através das fronteiras de nós e links.   qualquer site c/banners em CSS + Flash sobrepostos ao conteúdo principal
  • 17. Hipertexto - Tipos De Percurso  SPLIT/JOIN  Indispensável quando é o próprio interagente quem deve alterar o rumo da narrativa
  • 18. HIPERTEXTO  Ted Nelson     Douglas Engelbart   Projeto Xanadu, fundado em 1960 Primeiro projeto de desenvolvimento do que seria conhecido como hipertexto; Facilitar a escrita não-sequencial, na qual o leitor pode escolher seu próprio caminho através de um documento eletrônico, ou seja, funciona da mesma forma que a mente humana, por associações, em que um item puxa outro item, encadeando-se ao próximo item, formando uma grande rede de conexão. Inventou o mouse, as atuais janelas de interface e construiu o NLS(oN Line System) TimBarners-Lee(1990)  Desenvolveu a World Wide Web (www)
  • 19. Vertente científica de estudo  Ciência da Web   Tem como objetivo entender e dar suporte ao crescimento da web. (XAVIER, 2009 p.104) Web Semântica objetiva produzir mecanismos digitais que facilitem o cruzamento de informações arquivadas de diferentes maneiras na rede, independente do tipo de sistema de programação em que os dados estejam originalmente armazenados. (XAVIER, 2009 p.104)  "As interações sociais que mantêm a web unida se tornaram tão complexas que é preciso uma nova ciência para estudá-las". (Tim Barners-Lee, o pai da Web.) 
  • 20. Tipos de Hipertexto  Hipertextos exploratórios  Levam o usuário a controlar um conjunto de informações, de acordo com suas necessidades e interesses sem intervir nos conteúdos do hipertexto em si. (XAVIER, 2009 p.108)  Hipertextos construtivos  Exigem do usuário capacidade e iniciativa para agir sobre eles, questionar seus conteúdos, navegando de modo crítico pelos links ali disponíveis. (XAVIER, 2009 p.108)
  • 21. Diferença entre Texto e Hipertexto  FORMA DE LEITURA      ACESSO A INFORMAÇÃO FACILIDADE DE LEITURA POSSIBILIDADE DE ALTERAÇÃO:      Livro- notas na margem do texto Hipertexto- inserção no texto sem alteração do contexto MARCADORES:   Livro - sequência linear Hipertexto- sequência lógica Livro- dobra de folha para marcar a página que está lendo Hipertexto- bookmarks CUSTO DE DUPLICAÇÃO CUSTO DE CRIAÇÃO
  • 22. Exercícios         1) Que características tem um texto? 2) O que pode impedir a circulação de um texto escrito? 3) Qual o Conceito de Hipertexto apresentado? 4) Qual foi o papel de Ted Nelson para a formação do Hipertexto como o conhecemos? 5) Diferencie a formas de percurso “Contraponto” e “Mundo Espelhado” 6) Porque utilizar um percurso do tipo “Emaranhado”? 7) O que estuda a “Web Sematica”? 8) Qual a diferença entre um Hipertexto exploratório e um Construtivo