Entendendo a Classificação Mediúnica

1.613 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.613
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
313
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
96
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Entendendo a Classificação Mediúnica

  1. 1. Facilitadoras: Scheila Fássio Lima de Paiva Tânia Mara Lima Dias Endereço: Rua Silviano Brandão, 419 – Centro Machado – MG Mocidade Espírita Chico Xavier Entendendo a Classificação Mediúnica 02/05/2014
  2. 2. MEDIUNIDADE - CLASSIFICAÇÃO SEGUNDO SEUS EFEITOS Podem ser de duas ordens os efeitos dos fenômenos mediúnicos: 1) Efeitos Físicos ou objetivos : São os que sensibilizam diretamente os orgãos dos sentidos dos observadores. 2) Efeitos Intelectuais ou subjetivos : São os que ocorrem na esfera subjetiva, não ferindo os cinco sentidos (visão, audição, tato, olfato, paladar), senão a racionalidade e o intelecto.
  3. 3. MEDIUNIDADE EFEITOS FÍSICOS 1. Materialização 2. Transfiguração 3. Levitação 4. Transporte 5. Bilocação 6. Voz direta 7. Escrita direta 8. Tiptologia 9. Sematologia EFEITOS INTELECTUAIS 1. Inspiração 2. Intuição 3. Vidência 4.Clarividência 5. Audiência 6. Psicometria 7. Desdobramento 8. Psicografia 9. Psicofonia 10. curadores
  4. 4. FENÔMENOS DE EFEITOS MATERIAIS, FÍSICOS OU OBJETIVOS São os que sensibilizam diretamente os orgãos dos sentidos dos observadores. Podem se apresentar sob variada forma, tais como: 1) Materialização: Tornar material, espíritos e objetos do ambiente espiritual. 2) Transfiguração: Modificação dos traços fisionômicos do próprio médium;
  5. 5. 3) Levitação: Quando um ser ou objeto é levantado no ar sem contato físico ou qualquer meio material; ou seja, erguimento de objetos e pessoas, contrariando a lei da gravidade. 4) Transporte: Quando sem contato físico ou qualquer meio material, um ser ou objeto é transportado de um local para outro; ou seja, a entrada e saída de objetos de recintos hermeticamente fechados.
  6. 6. 5) Bilocação ou bicorporeidade: Aparecimento do espírito do médium desdobrado sob forma materializada, em lugar diferente do corpo. 6) Vóz direta: Vozes dos espíritos que soam no ambiente, independente do médium, através de uma garganta ectoplasmática.
  7. 7. 7) Escrita direta: Palavras, frases, mensagens, escritas sem utilização da mão do médium. 8) Mesas falantes ou tiptologia: Sinais por pancadas (raps) formando palavras e frases Inteligentes. 9) Sematologia: Movimento de objetos sem contato físico, traduzindo uma vontade, um sentimento, etc.
  8. 8. FENÔMENOS DE EFEITOS INTELIGENTES OU SUBJETIVOS São os que ocorrem na esfera subjetiva, não ferindo os cinco sentidos (visão, audição, tato, olfato, paladar), senão a racionalidade e o intelecto. Podem se apresentar sob variada forma, tais como: 1)Inspiração: Inspiração é a transmissão dos pensamentos e mensagens de uma mente para outra, “um assopro” do desencarnado para que o encarnado possa livremente dispor de uma determinada figura, de uma idéia, de um quadro mental. 2) Intuição: Intuição é o conjunto de conhecimentos próprios, adquiridos ao largo das múltiplas experiências do Ser, que lhe aflora à mente espontaneamente, sem necessidade de ninguém lhe transmitir nada, pois que tais conhecimentos pertencem ao seu universo peculiar e subjetivo de conhecimentos. Fonte: (Seara dos Médiuns, “Faixas”, Emmanuel, F.C.Xavier, FEB-4a. edição, pg. 125, discorrendo sobre o capítulo “Evocações” do Livro dos Médiuns). (O Problema do Ser, do Destino e da Dor, FEB, 1993, cap. 21, pg. 334) “A Gênese”, Cap. XI, Doutrina dos Anjos Decaídos, item 43 (20a. ed. FEB, idem)
  9. 9. 3) Vidência: Refere-se a mediunidade que possibilita a visualização das coisas e ambientes do mundo espiritual. O méduim vidente vê os Espíritos, os ambientes e, às vezes, cenas de momentos futuros ou passados. A visão se dá através do Espírito e não com os olhos, daí a compreensão do fato que os videntes "enxergam" o mundo espiritual mesmo com os olhos fechados. 4) Clarividência: Capacidade Anímica(não é mediunidade) que permite enxergar coisas, cenas, pessoas e etc, do mundo material que estão distantes ou através de objetos opacos. Essa visão abrange cenas e objetos que os olhos físicos não podem alcançar. É uma faculdade do próprio Espírito encarnado (Anímica) que não depende de influência mediúnica. Ocorre pela emancipação da alma (desdobramento ou expansão do perispírito encarnado). É também denomindao de "segunda visão".
  10. 10. 5)Audiência: Faculdade de ouvir os espíritos. 6)Psicometria: Faculdade de perceber o lado oculto do ambiente e de ler impressões e lembranças, ao contato de objetos e documentos, nos domínios da sensação a distância, não é demais traçar sintéticas observações acerca do pensamento, que varia de criatura para criatura, tanto quanto a expressão fisionômica e as marcas digitais. 7) Desdobramento: É a capacidade que todo o ser humano possui de projetar a consciência para fora do corpo, utilizando-se dos corpos sutis de manifestação.
  11. 11. 8) Psicografia: Faculdade de receber a comunicação dos espíritos através da escrita; 9) Psicofonia: Quando o espírito fala através do médium. 10) Curadores: Os que têm o poder de curar ou de aliviar os males pela imposição das mãos ou pela prece. Freqüentemente não é mais do que a exaltação da potência magnética, fortalecida em caso de necessidade pelo concurso dos Espíritos bons.
  12. 12. INTUIÇÃO, VIDÊNCIA E AUDIÊNCIA Intuição, vidência e audiência: tais fenômenos ocorrem quando o espírito do próprio médium, em fase especial ou não de transe, fica num estado de lucidez espiritual, percebendo pelos sentidos espirituais. PSICOGRAFIA E PSICOFONIA Psicografia e psicofonia: tais fenômenos ocorrem por ação direta de uma entidade espiritual sobre o médium ocupando parcial ou totalmente a sua organização psico-física para se comunicar. NA INCORPORAÇÃO O ESPÍRITO NÃO ENTRA DENTRO DO CORPO À generalidade destes dois últimos tipos de fenômenos intelectuais (psicografia e psicofonia) tem-se denominado vulgarmente de incorporação mediúnica. Ressalte-se, todavia que não ocorre a “introdução” do espírito desencarnado no corpo do médium, senão uma associação de seus fluidos com os do médium, resultantes das faixas vibratórias em que se encontrem e que pela lei da sintonia e da assimilação se identificam formando um complexo: • emissor: Espírito desencarnado • transmissor :Fluidos combinados do espírito comunicante e do médium • receptor: Médium
  13. 13. TODOS PODEMOS SER MÉDIUNS DE DEUS Quem não psicografe, escreva cartas e bilhetes de consolo aos irmãos do caminho de lutas. Quem não psicofonize, fale o bem e o bom onde se encontre, elucidando e confortando os corações em torno. Quem não tem o dom da vidência aprenda a ver a sua volta aos sofredores que se agitam e se atormentam em todo lugar. Quem não é capaz de realizar a ectoplasmia mediúnica, materializa assistência libertadora, movimente recursos de equilíbrio e saúde moral, para que tudo se faça bênção em redor dos seus dias. Fim

×