SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 13
Baixar para ler offline
Pedagogia da Ação Pastoral 
“como o Filho do homem, que não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida em resgate por muitos". 
Ricardo Gondim 
pastorgondim@hotmail.com
Profecia. 
A igreja nunca poderá deixar este aspecto, pois faz parte de sua natureza mesma, ser profética. Aqui se mostra ou se ressalta a igreja como a boca de Deus no sentido a denunciar o pecado e suas formas ou estruturas de pecado, tanto individual como organizado.
Mateus 3 
1 E, NAQUELES dias, apareceu João o Batista pregando no deserto da Judéia, 2 E dizendo: Arrependei-vos, porque é chegado o reino dos céus. 3 Porque este é o anunciado pelo profeta Isaías, que disse: Voz do que clama no deserto: Preparai o caminho do Senhor, Endireitai as suas veredas. 4 E este João tinha as suas vestes de pelos de camelo, e um cinto de couro em torno de seus lombos; e alimentava-se de gafanhotos e de mel silvestre. 5 Então ia ter com ele Jerusalém, e toda a Judéia, e toda a província adjacente ao Jordão; 6 E eram por ele batizados no rio Jordão, confessando os seus pecados..
Mateus 3 7 E, vendo ele muitos dos fariseus e dos saduceus, que vinham ao seu batismo, dizia-lhes: Raça de víboras, quem vos ensinou a fugir da ira futura? 8 Produzi, pois, frutos dignos de arrependimento; 9 E não presumais, de vós mesmos, dizendo: Temos por pai a Abraão; porque eu vos digo que, mesmo destas pedras, Deus pode suscitar filhos a Abraão. 10 E também agora está posto o machado à raiz das árvores; toda a árvore, pois, que não produz bom fruto, é cortada e lançada no fogo. 11 E eu, em verdade, vos batizo com água, para o arrependimento; mas aquele que vem após mim é mais poderoso do que eu; cujas alparcas não sou digno de levar; ele vos batizará com o Espírito Santo, e com fogo.
A importância do caráter Profético 11 E ele mesmo deu uns para apóstolos, e outros para profetas, e outros para evangelistas, e outros para pastores e doutores, 12 Querendo o aperfeiçoamento dos santos, para a obra do ministério, para edificação do corpo de Cristo; 13 Até que todos cheguemos à unidade da fé, e ao conhecimento do Filho de Deus, a homem perfeito, à medida da estatura completa de Cristo, Efésios 4
Analise este texto 19 E, aproximando-se dele um escriba, disse-lhe: Mestre, aonde quer que fores, eu te seguirei. 20 E disse Jesus: As raposas têm covis, e as aves do céu têm ninhos, mas o Filho do homem não tem onde reclinar a cabeça. Mateus 8 
•Jesus está no auge de sua popularidade 
•Seu ministério é reconhecido em toda a judéia 
•Ele encontra um Escriba (era um homem importante, um doutor da lei, encarregado de copiar os livros da lei de Moisés, um escritor, um secretário de estado antes do exílio) 
•Jesus exorta aquele homem a cerca das implicações de segui-lo
•Jesus do capítulo 8 em diante está indo para Jerusalem de onde nunca mais voltaria, ou seja, 
•Seguir Jesus é um projeto de morte e deve ser consciente 
•Jesus não quer que o sigamos por empolgação, ufanismo (orgulhoso, vaidoso, jactancioso, aquele que arroga para si todos os méritos) sem saber das implicações que se exigem ao segui-lo 
•Jesus destaca a importância do caráter verdadeiro da palavra profética que profere, ou seja, Jesus exorta o seguidor a compreensão da sua escolha 
•Seria mais ou menos Ele dizer: “Eu estou indo para um projeto de morte e se você quiser me seguir provavelmente irá perder a sua vida e tudo o que você tem pode ser pulverizado a nada.”
25 Quem ama a sua vida perdê-la-á, e quem neste mundo odeia a sua vida, guardá-la-á para a vida eterna. 26 Se alguém me serve, siga-me, e onde eu estiver, ali estará também o meu servo. E, se alguém me servir, meu Pai o honrará. João 12 
34 E chamando a si a multidão, com os seus discípulos, disse-lhes: Se alguém quiser vir após mim, negue-se a si mesmo, e tome a sua cruz, e siga-me. 35 Porque qualquer que quiser salvar a sua vida, perdê-la-á, mas, qualquer que perder a sua vida por amor de mim e do evangelho, esse a salvará. 36 Pois, que aproveitaria ao homem ganhar todo o mundo e perder a sua alma? Marcos 8 
24 Então disse Jesus aos seus discípulos: Se alguém quiser vir após mim, renuncie-se a si mesmo, tome sobre si a sua cruz, e siga-me; 
25 Porque aquele que quiser salvar a sua vida, perdê-la-á, e quem perder a sua vida por amor de mim, achá-la-á. 26 Pois que aproveita ao homem ganhar o mundo inteiro, se perder a sua alma? Mateus 16
Comunhão. 
Esta palavra deriva do grego koinonia, denota um pensamento homogêneo dos que se dizem cristãos e fazem parte de um mesmo corpo; é uma convivência e edificação. 
42 E perseveravam na doutrina dos apóstolos, e na comunhão, e no partir do pão, e nas orações. Atos
“Andarão dois juntos, se não houver entre eles acordo?” Amós 3:3. A expressão, “andar juntos”, é comumente usada nas Escrituras como uma representação de comunhão. “Enoque andou com Deus: e já não era; pois Deus o tomou para si.” 
• Comunhão, em seu sentido completo, implica em atividade. 
•Não é meramente contemplação, é ação, e, portanto, na medida em que andar é um exercício ativo, e andar com um homem é ter comunhão com Ele, comunhão ativa com Ele, vemos como andar vem a ser a imagem da verdadeira comunhão com Cristo.
•Há, também, outra ideia contida no termo “andar junto”. 
•Não é apenas atividade, mas continuidade. 
•Logo, a verdadeira comunhão com Cristo não é um mero êxtase, mas é o trabalho do Espírito Santo, e se é desfrutada pela alma saudável, será algo contínuo. Ora, assim como o corpo é uma unidade, embora tenha muitos membros, e todos os membros, mesmo sendo muitos, formam um só corpo, assim também com respeito a Cristo. 1 Coríntios 12:12
21 Para que todos sejam um, como tu, ó Pai, o és em mim, e eu em ti; que também eles sejam um em nós, para que o mundo creia que tu me enviaste. 22 E eu dei-lhes a glória que a mim me deste, para que sejam um, como nós somos um. 23 Eu neles, e tu em mim, para que eles sejam perfeitos em unidade, e para que o mundo conheça que tu me enviaste a mim, e que os tens amado a eles como me tens amado a mim. 24 Pai, aqueles que me deste quero que, onde eu estiver, também eles estejam comigo, para que vejam a minha glória que me deste; porque tu me amaste antes da fundação do mundo. 25 Pai justo, o mundo não te conheceu; mas eu te conheci, e estes conheceram que tu me enviaste a mim. 26 E eu lhes fiz conhecer o teu nome, e lho farei conhecer mais, para que o amor com que me tens amado esteja neles, e eu neles esteja. João 17
Introdução 2 (profecia e comunhão)

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Porque devemos ir à igreja do senhor
Porque devemos ir à igreja do senhorPorque devemos ir à igreja do senhor
Porque devemos ir à igreja do senhor
Vilmar Nascimento
 
O Tipo De Igreja Que Ajudarei A Estabelecer
O Tipo De Igreja Que Ajudarei A EstabelecerO Tipo De Igreja Que Ajudarei A Estabelecer
O Tipo De Igreja Que Ajudarei A Estabelecer
Pr. Eli Rocha Silva
 

Mais procurados (20)

O que e Igreja
O que e IgrejaO que e Igreja
O que e Igreja
 
Aula 2 - Seminário sobre a Igreja
Aula 2 - Seminário sobre a IgrejaAula 2 - Seminário sobre a Igreja
Aula 2 - Seminário sobre a Igreja
 
Aula de Apresentação do Seminário: SOBRE A IGREJA...
Aula de Apresentação do Seminário: SOBRE A IGREJA...Aula de Apresentação do Seminário: SOBRE A IGREJA...
Aula de Apresentação do Seminário: SOBRE A IGREJA...
 
E.b.d jovens 1ºtrimestre 2017 lição 01
E.b.d   jovens 1ºtrimestre 2017 lição 01E.b.d   jovens 1ºtrimestre 2017 lição 01
E.b.d jovens 1ºtrimestre 2017 lição 01
 
Aula 4 - Seminário sobre a Igreja
Aula 4 - Seminário sobre a IgrejaAula 4 - Seminário sobre a Igreja
Aula 4 - Seminário sobre a Igreja
 
Carta do Apostolo Paulo 1
Carta do Apostolo Paulo 1Carta do Apostolo Paulo 1
Carta do Apostolo Paulo 1
 
E.b.d jovens 1ºtrimestre 2017 lição 02
E.b.d   jovens 1ºtrimestre 2017 lição 02E.b.d   jovens 1ºtrimestre 2017 lição 02
E.b.d jovens 1ºtrimestre 2017 lição 02
 
O perfil de um missionário
O perfil de um missionárioO perfil de um missionário
O perfil de um missionário
 
Aula 3 - Seminário sobre a Igreja
Aula 3 - Seminário sobre a IgrejaAula 3 - Seminário sobre a Igreja
Aula 3 - Seminário sobre a Igreja
 
E.b.d jovens 1ºtrimestre 2017 lição 04
E.b.d   jovens 1ºtrimestre 2017 lição 04E.b.d   jovens 1ºtrimestre 2017 lição 04
E.b.d jovens 1ºtrimestre 2017 lição 04
 
Aula 07 - Seminário Sobre a Igreja
Aula 07 - Seminário Sobre a IgrejaAula 07 - Seminário Sobre a Igreja
Aula 07 - Seminário Sobre a Igreja
 
Aula 6 - Seminário sobre a Igreja
Aula 6 - Seminário sobre a IgrejaAula 6 - Seminário sobre a Igreja
Aula 6 - Seminário sobre a Igreja
 
Aula 09 - Seminário Sobre a Igreja
Aula 09 - Seminário Sobre a IgrejaAula 09 - Seminário Sobre a Igreja
Aula 09 - Seminário Sobre a Igreja
 
Aula 08 - Seminário Sobre a Igreja
Aula 08 - Seminário Sobre a IgrejaAula 08 - Seminário Sobre a Igreja
Aula 08 - Seminário Sobre a Igreja
 
Porque devemos ir à igreja do senhor
Porque devemos ir à igreja do senhorPorque devemos ir à igreja do senhor
Porque devemos ir à igreja do senhor
 
A doutrina da Expiação Limitada
A doutrina da Expiação LimitadaA doutrina da Expiação Limitada
A doutrina da Expiação Limitada
 
O Tipo De Igreja Que Ajudarei A Estabelecer
O Tipo De Igreja Que Ajudarei A EstabelecerO Tipo De Igreja Que Ajudarei A Estabelecer
O Tipo De Igreja Que Ajudarei A Estabelecer
 
Porta fidei 0612
Porta fidei 0612Porta fidei 0612
Porta fidei 0612
 
25 marcas da PIB de Palmas
25 marcas da PIB de Palmas25 marcas da PIB de Palmas
25 marcas da PIB de Palmas
 
Aula 5 - Seminário sobre a Igreja
Aula 5 - Seminário sobre a IgrejaAula 5 - Seminário sobre a Igreja
Aula 5 - Seminário sobre a Igreja
 

Destaque

Aula 01 Escatologia o estado intermediário o destino dos mortos
Aula 01 Escatologia o estado intermediário o destino dos mortosAula 01 Escatologia o estado intermediário o destino dos mortos
Aula 01 Escatologia o estado intermediário o destino dos mortos
bpclaudio11
 

Destaque (20)

Princípios de Orígenes
Princípios de OrígenesPrincípios de Orígenes
Princípios de Orígenes
 
Cristãos acolhedores
Cristãos acolhedoresCristãos acolhedores
Cristãos acolhedores
 
Campanha de evangelismo da shalom
Campanha de evangelismo da shalomCampanha de evangelismo da shalom
Campanha de evangelismo da shalom
 
Olhando abaixo da superfície
Olhando abaixo da superfícieOlhando abaixo da superfície
Olhando abaixo da superfície
 
O problema do Perdão
O problema do PerdãoO problema do Perdão
O problema do Perdão
 
Como nos tornamos uma igreja de programas
Como nos tornamos uma igreja de programasComo nos tornamos uma igreja de programas
Como nos tornamos uma igreja de programas
 
Ppt educación pilares
Ppt educación pilaresPpt educación pilares
Ppt educación pilares
 
Curso de teologia econômica 01
Curso de teologia econômica   01Curso de teologia econômica   01
Curso de teologia econômica 01
 
O mito de satanás
O mito de satanásO mito de satanás
O mito de satanás
 
Slides shalom 2016 06 28
Slides shalom 2016 06 28Slides shalom 2016 06 28
Slides shalom 2016 06 28
 
Calendário shalom 2016
Calendário shalom 2016Calendário shalom 2016
Calendário shalom 2016
 
Escatologia estudo 12 o juízo final
Escatologia  estudo 12   o juízo finalEscatologia  estudo 12   o juízo final
Escatologia estudo 12 o juízo final
 
Aula 01 Escatologia o estado intermediário o destino dos mortos
Aula 01 Escatologia o estado intermediário o destino dos mortosAula 01 Escatologia o estado intermediário o destino dos mortos
Aula 01 Escatologia o estado intermediário o destino dos mortos
 
O evangelho de Paulo
O evangelho de PauloO evangelho de Paulo
O evangelho de Paulo
 
Escatologia estudo 05 a volta de cristo e a tribualção
Escatologia  estudo 05   a volta de cristo e a tribualçãoEscatologia  estudo 05   a volta de cristo e a tribualção
Escatologia estudo 05 a volta de cristo e a tribualção
 
Estado intermediário
Estado intermediárioEstado intermediário
Estado intermediário
 
A autosubstituição de Deus
A autosubstituição de DeusA autosubstituição de Deus
A autosubstituição de Deus
 
Estacatologia estudo 04 a volta de cristo
Estacatologia estudo 04   a volta de cristoEstacatologia estudo 04   a volta de cristo
Estacatologia estudo 04 a volta de cristo
 
Salvação I
Salvação ISalvação I
Salvação I
 
Ministros e despenseiros
Ministros e despenseirosMinistros e despenseiros
Ministros e despenseiros
 

Semelhante a Introdução 2 (profecia e comunhão)

15-dia-26ago14-apostasia-da-igreja-atual1.pptx
15-dia-26ago14-apostasia-da-igreja-atual1.pptx15-dia-26ago14-apostasia-da-igreja-atual1.pptx
15-dia-26ago14-apostasia-da-igreja-atual1.pptx
Tiago Silva
 
Por54 0329 redemption by power vgr
Por54 0329 redemption by power vgrPor54 0329 redemption by power vgr
Por54 0329 redemption by power vgr
nara machado
 
Quando foi que jesus cristo nasceu
Quando foi que jesus cristo nasceuQuando foi que jesus cristo nasceu
Quando foi que jesus cristo nasceu
Joselito Machado
 
13. o chamado de um povo
13. o chamado de um povo13. o chamado de um povo
13. o chamado de um povo
pohlos
 

Semelhante a Introdução 2 (profecia e comunhão) (20)

O peru pregador
O peru pregadorO peru pregador
O peru pregador
 
15-dia-26ago14-apostasia-da-igreja-atual1.pptx
15-dia-26ago14-apostasia-da-igreja-atual1.pptx15-dia-26ago14-apostasia-da-igreja-atual1.pptx
15-dia-26ago14-apostasia-da-igreja-atual1.pptx
 
Leituras: 5° Domingo da Quaresma - Ano A
Leituras: 5° Domingo da Quaresma - Ano ALeituras: 5° Domingo da Quaresma - Ano A
Leituras: 5° Domingo da Quaresma - Ano A
 
Por54 0329 redemption by power vgr
Por54 0329 redemption by power vgrPor54 0329 redemption by power vgr
Por54 0329 redemption by power vgr
 
Por54 0329 redemption by power vgr
Por54 0329 redemption by power vgrPor54 0329 redemption by power vgr
Por54 0329 redemption by power vgr
 
Discipulado: uma necessidade urgente!
Discipulado: uma necessidade urgente!Discipulado: uma necessidade urgente!
Discipulado: uma necessidade urgente!
 
Leituras: Domingo da Páscoa - Anos A, B e C
Leituras: Domingo da Páscoa - Anos A, B e CLeituras: Domingo da Páscoa - Anos A, B e C
Leituras: Domingo da Páscoa - Anos A, B e C
 
Leituras: Domingo da Pascoa - Ano A, B e C
Leituras: Domingo da Pascoa - Ano A, B e CLeituras: Domingo da Pascoa - Ano A, B e C
Leituras: Domingo da Pascoa - Ano A, B e C
 
Leituras: Domingo de Pascoa
Leituras: Domingo de PascoaLeituras: Domingo de Pascoa
Leituras: Domingo de Pascoa
 
Quando foi que jesus cristo nasceu
Quando foi que jesus cristo nasceuQuando foi que jesus cristo nasceu
Quando foi que jesus cristo nasceu
 
áGuas que limpam e curam
áGuas que limpam e curamáGuas que limpam e curam
áGuas que limpam e curam
 
Respostas_1122016_eventos finais_GGR
Respostas_1122016_eventos finais_GGRRespostas_1122016_eventos finais_GGR
Respostas_1122016_eventos finais_GGR
 
Festa-da-Palavra
Festa-da-PalavraFesta-da-Palavra
Festa-da-Palavra
 
13. o chamado de um povo
13. o chamado de um povo13. o chamado de um povo
13. o chamado de um povo
 
Sunday Portuguese Mass
Sunday Portuguese MassSunday Portuguese Mass
Sunday Portuguese Mass
 
Pascoa e as vocacoes
Pascoa e as vocacoes Pascoa e as vocacoes
Pascoa e as vocacoes
 
5ª Aula para Formação de Discipuladores
5ª Aula para Formação de Discipuladores5ª Aula para Formação de Discipuladores
5ª Aula para Formação de Discipuladores
 
Leituras: 6° Domingo da Pascoa - Ano C
Leituras: 6° Domingo da Pascoa - Ano CLeituras: 6° Domingo da Pascoa - Ano C
Leituras: 6° Domingo da Pascoa - Ano C
 
A Igreja que queremos ser
A Igreja que queremos serA Igreja que queremos ser
A Igreja que queremos ser
 
Adoração Eucarisitica - Semeadores da boa nova
Adoração Eucarisitica - Semeadores da boa novaAdoração Eucarisitica - Semeadores da boa nova
Adoração Eucarisitica - Semeadores da boa nova
 

Mais de Ricardo Gondim

Mais de Ricardo Gondim (20)

Carnalidade, imaturidade e divisões
Carnalidade, imaturidade e divisõesCarnalidade, imaturidade e divisões
Carnalidade, imaturidade e divisões
 
Ninguem é de Ninguén
Ninguem é de NinguénNinguem é de Ninguén
Ninguem é de Ninguén
 
Seitas e Heresias
Seitas e HeresiasSeitas e Heresias
Seitas e Heresias
 
Poéticos II
Poéticos IIPoéticos II
Poéticos II
 
Históricos III
Históricos IIIHistóricos III
Históricos III
 
Poéticos I
Poéticos IPoéticos I
Poéticos I
 
Históricos II
Históricos IIHistóricos II
Históricos II
 
Históricos I
Históricos IHistóricos I
Históricos I
 
Aula 2 - Pentateuco
Aula 2 - PentateucoAula 2 - Pentateuco
Aula 2 - Pentateuco
 
Aula 1 apresentação site
Aula 1   apresentação siteAula 1   apresentação site
Aula 1 apresentação site
 
Aula 1 genesis
Aula 1   genesisAula 1   genesis
Aula 1 genesis
 
Aula 1 introdução
Aula 1   introduçãoAula 1   introdução
Aula 1 introdução
 
Meu teólogo favorito
Meu teólogo favoritoMeu teólogo favorito
Meu teólogo favorito
 
Aula 7 O homem diante da salvação
Aula 7   O homem diante da salvaçãoAula 7   O homem diante da salvação
Aula 7 O homem diante da salvação
 
Aula 6 - Cristo o Grande Sacerdote
Aula 6 - Cristo o Grande SacerdoteAula 6 - Cristo o Grande Sacerdote
Aula 6 - Cristo o Grande Sacerdote
 
Aula 5 - Revisando a Carta de Hebreus
Aula 5 - Revisando a Carta de HebreusAula 5 - Revisando a Carta de Hebreus
Aula 5 - Revisando a Carta de Hebreus
 
Aula 4 - Jesus, o grande Salvador
Aula 4  - Jesus, o grande SalvadorAula 4  - Jesus, o grande Salvador
Aula 4 - Jesus, o grande Salvador
 
Aula 3 A Superioridade do Evangelho
Aula 3   A Superioridade do EvangelhoAula 3   A Superioridade do Evangelho
Aula 3 A Superioridade do Evangelho
 
Aula 1 e 2 A mensagem de Hebreus
Aula 1 e 2   A mensagem de HebreusAula 1 e 2   A mensagem de Hebreus
Aula 1 e 2 A mensagem de Hebreus
 
O tabernáculo perfeito
O tabernáculo perfeitoO tabernáculo perfeito
O tabernáculo perfeito
 

Último

Último (7)

Coletânea De Orações Cristãs Parte 2
Coletânea De Orações Cristãs Parte 2Coletânea De Orações Cristãs Parte 2
Coletânea De Orações Cristãs Parte 2
 
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
 
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
 
Culto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docx
Culto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docxCulto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docx
Culto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docx
 
Oração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
Oração Para Os Estudos São Tomás De AquinoOração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
Oração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
 
pregacao romanos 12 9-21 honrar uns aos outros.pptx
pregacao romanos    12 9-21  honrar   uns aos outros.pptxpregacao romanos    12 9-21  honrar   uns aos outros.pptx
pregacao romanos 12 9-21 honrar uns aos outros.pptx
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 133 - Lógica da Providência
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 133 - Lógica da ProvidênciaSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 133 - Lógica da Providência
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 133 - Lógica da Providência
 

Introdução 2 (profecia e comunhão)

  • 1. Pedagogia da Ação Pastoral “como o Filho do homem, que não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida em resgate por muitos". Ricardo Gondim pastorgondim@hotmail.com
  • 2. Profecia. A igreja nunca poderá deixar este aspecto, pois faz parte de sua natureza mesma, ser profética. Aqui se mostra ou se ressalta a igreja como a boca de Deus no sentido a denunciar o pecado e suas formas ou estruturas de pecado, tanto individual como organizado.
  • 3. Mateus 3 1 E, NAQUELES dias, apareceu João o Batista pregando no deserto da Judéia, 2 E dizendo: Arrependei-vos, porque é chegado o reino dos céus. 3 Porque este é o anunciado pelo profeta Isaías, que disse: Voz do que clama no deserto: Preparai o caminho do Senhor, Endireitai as suas veredas. 4 E este João tinha as suas vestes de pelos de camelo, e um cinto de couro em torno de seus lombos; e alimentava-se de gafanhotos e de mel silvestre. 5 Então ia ter com ele Jerusalém, e toda a Judéia, e toda a província adjacente ao Jordão; 6 E eram por ele batizados no rio Jordão, confessando os seus pecados..
  • 4. Mateus 3 7 E, vendo ele muitos dos fariseus e dos saduceus, que vinham ao seu batismo, dizia-lhes: Raça de víboras, quem vos ensinou a fugir da ira futura? 8 Produzi, pois, frutos dignos de arrependimento; 9 E não presumais, de vós mesmos, dizendo: Temos por pai a Abraão; porque eu vos digo que, mesmo destas pedras, Deus pode suscitar filhos a Abraão. 10 E também agora está posto o machado à raiz das árvores; toda a árvore, pois, que não produz bom fruto, é cortada e lançada no fogo. 11 E eu, em verdade, vos batizo com água, para o arrependimento; mas aquele que vem após mim é mais poderoso do que eu; cujas alparcas não sou digno de levar; ele vos batizará com o Espírito Santo, e com fogo.
  • 5. A importância do caráter Profético 11 E ele mesmo deu uns para apóstolos, e outros para profetas, e outros para evangelistas, e outros para pastores e doutores, 12 Querendo o aperfeiçoamento dos santos, para a obra do ministério, para edificação do corpo de Cristo; 13 Até que todos cheguemos à unidade da fé, e ao conhecimento do Filho de Deus, a homem perfeito, à medida da estatura completa de Cristo, Efésios 4
  • 6. Analise este texto 19 E, aproximando-se dele um escriba, disse-lhe: Mestre, aonde quer que fores, eu te seguirei. 20 E disse Jesus: As raposas têm covis, e as aves do céu têm ninhos, mas o Filho do homem não tem onde reclinar a cabeça. Mateus 8 •Jesus está no auge de sua popularidade •Seu ministério é reconhecido em toda a judéia •Ele encontra um Escriba (era um homem importante, um doutor da lei, encarregado de copiar os livros da lei de Moisés, um escritor, um secretário de estado antes do exílio) •Jesus exorta aquele homem a cerca das implicações de segui-lo
  • 7. •Jesus do capítulo 8 em diante está indo para Jerusalem de onde nunca mais voltaria, ou seja, •Seguir Jesus é um projeto de morte e deve ser consciente •Jesus não quer que o sigamos por empolgação, ufanismo (orgulhoso, vaidoso, jactancioso, aquele que arroga para si todos os méritos) sem saber das implicações que se exigem ao segui-lo •Jesus destaca a importância do caráter verdadeiro da palavra profética que profere, ou seja, Jesus exorta o seguidor a compreensão da sua escolha •Seria mais ou menos Ele dizer: “Eu estou indo para um projeto de morte e se você quiser me seguir provavelmente irá perder a sua vida e tudo o que você tem pode ser pulverizado a nada.”
  • 8. 25 Quem ama a sua vida perdê-la-á, e quem neste mundo odeia a sua vida, guardá-la-á para a vida eterna. 26 Se alguém me serve, siga-me, e onde eu estiver, ali estará também o meu servo. E, se alguém me servir, meu Pai o honrará. João 12 34 E chamando a si a multidão, com os seus discípulos, disse-lhes: Se alguém quiser vir após mim, negue-se a si mesmo, e tome a sua cruz, e siga-me. 35 Porque qualquer que quiser salvar a sua vida, perdê-la-á, mas, qualquer que perder a sua vida por amor de mim e do evangelho, esse a salvará. 36 Pois, que aproveitaria ao homem ganhar todo o mundo e perder a sua alma? Marcos 8 24 Então disse Jesus aos seus discípulos: Se alguém quiser vir após mim, renuncie-se a si mesmo, tome sobre si a sua cruz, e siga-me; 25 Porque aquele que quiser salvar a sua vida, perdê-la-á, e quem perder a sua vida por amor de mim, achá-la-á. 26 Pois que aproveita ao homem ganhar o mundo inteiro, se perder a sua alma? Mateus 16
  • 9. Comunhão. Esta palavra deriva do grego koinonia, denota um pensamento homogêneo dos que se dizem cristãos e fazem parte de um mesmo corpo; é uma convivência e edificação. 42 E perseveravam na doutrina dos apóstolos, e na comunhão, e no partir do pão, e nas orações. Atos
  • 10. “Andarão dois juntos, se não houver entre eles acordo?” Amós 3:3. A expressão, “andar juntos”, é comumente usada nas Escrituras como uma representação de comunhão. “Enoque andou com Deus: e já não era; pois Deus o tomou para si.” • Comunhão, em seu sentido completo, implica em atividade. •Não é meramente contemplação, é ação, e, portanto, na medida em que andar é um exercício ativo, e andar com um homem é ter comunhão com Ele, comunhão ativa com Ele, vemos como andar vem a ser a imagem da verdadeira comunhão com Cristo.
  • 11. •Há, também, outra ideia contida no termo “andar junto”. •Não é apenas atividade, mas continuidade. •Logo, a verdadeira comunhão com Cristo não é um mero êxtase, mas é o trabalho do Espírito Santo, e se é desfrutada pela alma saudável, será algo contínuo. Ora, assim como o corpo é uma unidade, embora tenha muitos membros, e todos os membros, mesmo sendo muitos, formam um só corpo, assim também com respeito a Cristo. 1 Coríntios 12:12
  • 12. 21 Para que todos sejam um, como tu, ó Pai, o és em mim, e eu em ti; que também eles sejam um em nós, para que o mundo creia que tu me enviaste. 22 E eu dei-lhes a glória que a mim me deste, para que sejam um, como nós somos um. 23 Eu neles, e tu em mim, para que eles sejam perfeitos em unidade, e para que o mundo conheça que tu me enviaste a mim, e que os tens amado a eles como me tens amado a mim. 24 Pai, aqueles que me deste quero que, onde eu estiver, também eles estejam comigo, para que vejam a minha glória que me deste; porque tu me amaste antes da fundação do mundo. 25 Pai justo, o mundo não te conheceu; mas eu te conheci, e estes conheceram que tu me enviaste a mim. 26 E eu lhes fiz conhecer o teu nome, e lho farei conhecer mais, para que o amor com que me tens amado esteja neles, e eu neles esteja. João 17