SlideShare uma empresa Scribd logo
SeminárioSeminário
Sobre a Igreja...Sobre a Igreja...
Aula 6Aula 6
1
Eu quero dedicar esta aula às outras
Figuras Bíblicas da Igreja que
encontramos na Bíblia. Digo ‘outras’,
porque na semana passada já
refletimos sobre uma delas que foi a
figura da igreja como
“Corpo de Cristo.” Assim
aprendemos que a figura da Igreja
como
‘Corpo de Cristo’, representa: 2
Uma metáfora que indica:
Intimidade com Cristo;
Unidade com Cristo;
União, apesar da diversidade;
Interdependência dos membros;
Dependência do Cristo.
Tudo isso está corretíssimo,
mas não é somente isso.
3
Assim aprendemos que a frase de
Paulo: “A igreja é o corpo de
Cristo”; pode sim ser reescrita da
seguinte forma:
“A igreja é o Cristo”; a Igreja é o Cristo
em sua essência e missão.
4
Como bem disse E. Schweizer:
“O corpo de Cristo é precisamente
a Igreja na qual Cristo
penetra no mundo.”
Ou, ainda, Philip Yancey:
“...nós – você e eu – formamos a
principal representação da
presença de Deus no mundo.”
5
O professor Israel Belo, sobre a figura
da Igreja como Corpo de Cristo
descrita em Efésios 5, disse: “É a
igreja uma instituição? Se é, poderá
fracassar como todas as outras. Ao
longo dos séculos, ela aí está,
constituindo-se num mistério a sua
permanência, apesar dos inimigos,
internos (nós mesmos) e externos (os
que não crêem no Senhor da igreja).
6
Se é uma instituição, e é, sua
dimensão institucional não a esgota.
Ela persiste porque é o corpo de Cristo,
e Cristo nunca fracassará.
Ela persiste porque sua mensagem é
Cristo, e esta mensagem precisa ser
pregada enquanto o ser humano
existir. É por isto que dominicalmente
(por que não, diariamente?) entram
aqui pessoas.
7
Ela persiste porque Cristo capacita
esta igreja com diferentes dons para
que ela continue o seu trabalho, seja
para socorrer os famintos de pão, seja
para trazer esperança aos cansados da
alma. Ela persiste por causa da sua
natureza, em relação a Cristo, natureza
que o apóstolo Paulo descreve de
forma magistral, em Efésios 5.25b-27.
8
No entanto, a figura da igreja como
Corpo de Cristo não é a única
figura da Igreja na Bíblia. Existem
outras figuras e sobre essas figuras
vamos aprender na aula de hoje
e nas próximas.
9
1. A Igreja é a Noiva de Cristo.
2. A Igreja é o Edifício de Deus.
3. A Igreja é o Rebanho de Deus.
4. A Igreja é a Família de Deus.
5. A Igreja é a Lavoura de Deus.
10
1. A Igreja como Noiva de Cristo.
Ouçamos os textos:
“
assim como um jovem desposa uma
jovem, aquele que te tiver
construído te desposará; e como a
recém-casada faz a alegria de seu
marido, tu farás a alegria de teu
Deus.”
11
"Vá proclamar aos ouvidos de
Jerusalém: "Eu me lembro de sua
fidelidade quando você era jovem:
como noiva, você me amava e me
seguia pelo deserto, por uma terra
não semeada.
Isaías 62. 5 – Jeremias 2. 2
12
“A noiva pertence ao noivo. O
amigo que presta serviço ao noivo
e que o atende e o ouve, enche-se
de alegria quando ouve a voz do
noivo. Esta é a minha alegria, que
agora se completa.”
13
“Um dos sete anjos que tinham
as sete taças cheias das últimas
sete pragas aproximou-se e me
disse: "Venha, eu lhe mostrarei a
noiva, a esposa do Cordeiro".
João 3.29 e Apocalipse 21:9
14
Vejam que interessante... A palavra
usada no Antigo Testamento para
‘noiva’ significa ‘a mulher plena e
completa’, uma mulher que chega à
plena maturidade e beleza no dia do
seu casamento. Essa é a ideia ou a
expectativa de Deus ao falar de Israel
como sua noiva. Fato é que não
somente o termo ‘noiva’, mas também
suas implicações nos alcançaram
como Igreja. 15
Essas implicações foram
declaradamente descritas no Novo
Testamento. Para se ter uma ideia,
Paulo, escrevendo para a Igreja de
Corinto – um Igreja cheia de
dificuldades e problemas – afirma:
16
“O zelo que tenho por vocês é um zelo
que vem de Deus. Eu os prometi a um
único marido, Cristo, querendo
apresentá-los a ele como uma virgem
pura. O que receio, e quero evitar, é
que assim como a serpente enganou
Eva com astúcia, a mente de vocês
seja corrompida e se desvie da sua
sincera e pura devoção a Cristo.”
17
Eu preocupo-me convosco, mas com
um cuidado que vem de Deus. Quero
que as vossas vidas sejam
inteiramente para Cristo, tal como uma
moça, virgem e pura, reserva todo o
seu amor ao seu noivo. E todo o meu
receio é que de alguma forma o vosso
espírito seja enganado e se afaste da
devoção sincera a Cristo, tal como Eva
foi enganada por satanás.
2 Coríntios 11:2,3 18
“Quero que as vossas vidas sejam
inteiramente para Cristo, tal como
uma moça, virgem e pura, reserva
todo o seu amor ao seu noivo.”
Agora... é preciso saber que esta
preocupação de Paulo se dá em
resposta ao Amor do Noivo e ao
propósito do Noivo com relação à
noiva, sua Igreja. 19
...Cristo é o cabeça da igreja, que é o
seu corpo, do qual ele é o Salvador.
...Cristo amou a igreja e entregou-se a
si mesmo por ela para santificá-la,
tendo-a purificado pelo lavar da água
mediante a palavra, e apresentá-la a si
mesmo como igreja gloriosa, sem
mancha nem ruga ou coisa
semelhante, mas santa e inculpável.
Efésios 5: 25b, 27
20
“Cristo amou a Igreja e deu a sua vida
por ela. Ele fez isso para dedicar a
Igreja a Deus, lavando-a com água e
purificando-a com a sua palavra.
E fez isso para também poder trazer
para perto de si a Igreja em toda a sua
beleza, pura e perfeita, sem manchas,
ou rugas, ou qualquer outro defeito.”
I. B. Azevedo
21
Assim podemos entender que o
‘propósito’ de Cristo em relação a
Igreja ou do Noivo com relação
à noiva é:
A. Santificação – separação
completa para Ele; exclusividade.
22
B. Purificação – lavagem do
pecado através do Seu sangue.
23
Afinal de contas, Jesus
deseja trazê-la para junto de
si, sem uma mancha, sem
uma ruga, sem qualquer
defeito, mas irrepreensível,
santa, gloriosa.
24
Tudo isso é uma dádiva sobre a igreja.
Tudo isso é um privilégio da igreja.
Mas tudo isso é também uma
responsabilidade para a igreja.
Ser a Noiva de Cristo é uma
grande responsabilidade.
25
Que
responsabilidade
é esta?
26
A responsabilidade da
igreja é se apresentar
diante de Cristo como
Ele quer:
27
Afirma Israel Belo: Toda a ação de
Deus em Cristo teve e tem um objetivo:
estar perto da Igreja. Deus, em Jesus,
realizou o seu desejo: o desejo da
comunicação. Deus gosta de entrar na
roda com a gente. Ele gosta de ser
rodeado por nós. Ele gosta, porque
sabe que a igreja não pode estar só.
Ele sabe que nenhum de nós foi feito
para viver só.
28
Este verso resume toda a psicologia
humana: nascemos para estar juntos.
Eu nasci para estar junto de Deus.
Ao retratar a imagem da igreja ideal,
o ideal que devemos buscar, o
apóstolo diz que Deus espera dela três
substantivos que a marquem:
29
Beleza, Pureza e Perfeição.
Bela, Pura e Perfeita
30
No que também podemos
perceber uma intrínseca relação
com o Corpo de Cristo, afinal de
contas, como podemos imaginar
o Corpo de Cristo
feio, sujo e com defeitos?
31
Deste modo, neste caminho de
beleza, pureza e perfeição,
devemos fazer uso das exortações
bíblicas que nos dizem:
“Não percas o teu tempo com
fábulas e velhas histórias profanas;
empenha-te antes, com disciplina,
no caminho de Deus” 1ª Tim. 4. 7
32
“
Pois que temos tais promessas, meus
queridos amigos, purifiquemo-nos de
tudo o que é moralmente imundo e
errado, tanto no domínio do nosso
corpo como do nosso espírito, e
procuremos aperfeiçoarmo-nos e
santificarmo-nos, vivendo
no temor de Deus.”
1ª Coríntios 2.7
33
“...conformem a vossa vida com as
instruções que vos temos dado sobre a
forma de viver e de agradar a Deus, o
que aliás já estão a fazer; mas
continuem a progredir cada vez mais. E
vocês bem conhecem quais são esses
mandamentos que vos temos dado da
parte do Senhor Jesus. A vontade de
Deus é que levem uma vida santa;
1ª Tessalonicenses 4:1b a 3
34
Procurem viver em paz com toda a
gente, e levar uma vida santa;... Que a
ninguém falte a graça de Deus, e
também que nenhuma amargura crie
raízes em vocês, a qual, ao brotar,
venha a causar-vos perturbações, e
depois, por contaminação, também a
muitos outros mais. Que ninguém se
deixe arrastar pela imoralidade... ou
perca o respeito pelas coisas divinas
Hebreus 12:14-16a 35
Agora podem ter entre vocês um amor
fraterno, não fingido, porque as vossas
almas foram purificadas pela
obediência à verdade. Amem-se pois
uns aos outros de todo o coração.
Porque vocês nasceram de novo, não
de uma semente deteriorável, mas de
uma semente imortal, pela palavra de
Deus viva e que permanece
para sempre.
1ª Pedro 1:22,23 36
“Porque a graça de Deus se
manifestou trazendo a toda a gente
a salvação ensinando-nos a viver
com domínio de nós próprios, com
justiça e de acordo com a vontade
de Deus, e renunciando às paixões
da vida humana.
37
E dessa forma aguardamos, numa
esperança feliz, o momento em que
há de aparecer, revestido da sua
glória, o grande Deus e Salvador
Jesus Cristo. Ele deu-se a si
mesmo por nós, pagando o preço
que nos livra do poder do pecado, e
criando um povo libertado do mal,
38
que lhe pertence inteiramente, um
povo particularmente empenhado
em praticar a justiça.
É pois isto que deves ensinar,
encorajando por um lado, corrigindo
por outro, com toda a autoridade.
Não deixes que ninguém te tenha
em menos consideração.
Tito 2:11-15
39
Eis o caminho da beleza, da
pureza e a perfeição.
Que Deus nos ajude a trilhá-lo
até o grande dia do encontro
Com o Noivo, que é Cristo.
40

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula de Apresentação do Seminário: SOBRE A IGREJA...
Aula de Apresentação do Seminário: SOBRE A IGREJA...Aula de Apresentação do Seminário: SOBRE A IGREJA...
Aula de Apresentação do Seminário: SOBRE A IGREJA...
IBC de Jacarepaguá
 
Aula 09 - Seminário Sobre a Igreja
Aula 09 - Seminário Sobre a IgrejaAula 09 - Seminário Sobre a Igreja
Aula 09 - Seminário Sobre a Igreja
IBC de Jacarepaguá
 
Igreja
IgrejaIgreja
A igreja, corpo de cristo
A igreja, corpo de cristoA igreja, corpo de cristo
A igreja, corpo de cristo
Celio Celio
 
Igreja corpo de_cristo
Igreja corpo de_cristoIgreja corpo de_cristo
Igreja corpo de_cristo
Paulo Dias Nogueira
 
Lbj lição 13 a igreja louvará eternamente ao senhor
Lbj lição 13   a igreja louvará eternamente ao senhorLbj lição 13   a igreja louvará eternamente ao senhor
Lbj lição 13 a igreja louvará eternamente ao senhor
boasnovassena
 
O chamado para o discipulado
O chamado para o discipuladoO chamado para o discipulado
O chamado para o discipulado
Pastor Wanderley
 
Estudo Epístola 1 Coríntios – Lição 1 - A Importância da Unidade da Igreja
Estudo Epístola 1 Coríntios – Lição 1 - A Importância da Unidade da IgrejaEstudo Epístola 1 Coríntios – Lição 1 - A Importância da Unidade da Igreja
Estudo Epístola 1 Coríntios – Lição 1 - A Importância da Unidade da Igreja
Márcio Pereira
 
E.b.d jovens 1ºtrimestre 2017 lição 03
E.b.d   jovens 1ºtrimestre 2017 lição 03E.b.d   jovens 1ºtrimestre 2017 lição 03
E.b.d jovens 1ºtrimestre 2017 lição 03
Joel Silva
 
E.b.d jovens 1ºtrimestre 2017 lição 01
E.b.d   jovens 1ºtrimestre 2017 lição 01E.b.d   jovens 1ºtrimestre 2017 lição 01
E.b.d jovens 1ºtrimestre 2017 lição 01
Joel Silva
 
A unidade da Igreja
A unidade da IgrejaA unidade da Igreja
A unidade da Igreja
Antonio Fernandes
 
“Tratai aos empregados com equidade”
“Tratai aos empregados com equidade”“Tratai aos empregados com equidade”
“Tratai aos empregados com equidade”
JUERP
 
A natureza da igreja evangélica, por john gill
A natureza da igreja evangélica, por john gillA natureza da igreja evangélica, por john gill
A natureza da igreja evangélica, por john gill
soarescastrodf
 
E.b.d jovens 1ºtrimestre 2017 lição 02
E.b.d   jovens 1ºtrimestre 2017 lição 02E.b.d   jovens 1ºtrimestre 2017 lição 02
E.b.d jovens 1ºtrimestre 2017 lição 02
Joel Silva
 
Lição 11 - A organização de uma igreja local
Lição 11 - A organização de uma igreja local Lição 11 - A organização de uma igreja local
Lição 11 - A organização de uma igreja local
Regio Davis
 
A NATUREZA DA IGREJA DE JESUS
A NATUREZA DA IGREJA DE JESUSA NATUREZA DA IGREJA DE JESUS
A NATUREZA DA IGREJA DE JESUS
Sandra Dias
 
Ninguem é de Ninguén
Ninguem é de NinguénNinguem é de Ninguén
Ninguem é de Ninguén
Ricardo Gondim
 
“Perseveravam na oração”
“Perseveravam na oração”“Perseveravam na oração”
“Perseveravam na oração”
JUERP
 
VisãO TempláRia
VisãO TempláRiaVisãO TempláRia
VisãO TempláRia
melquisedeque Chagas
 
W. nee-restaurando-a-expressão-da-unidade-da-igreja-ii
W. nee-restaurando-a-expressão-da-unidade-da-igreja-iiW. nee-restaurando-a-expressão-da-unidade-da-igreja-ii
W. nee-restaurando-a-expressão-da-unidade-da-igreja-ii
Francisco Deuzilene
 

Mais procurados (20)

Aula de Apresentação do Seminário: SOBRE A IGREJA...
Aula de Apresentação do Seminário: SOBRE A IGREJA...Aula de Apresentação do Seminário: SOBRE A IGREJA...
Aula de Apresentação do Seminário: SOBRE A IGREJA...
 
Aula 09 - Seminário Sobre a Igreja
Aula 09 - Seminário Sobre a IgrejaAula 09 - Seminário Sobre a Igreja
Aula 09 - Seminário Sobre a Igreja
 
Igreja
IgrejaIgreja
Igreja
 
A igreja, corpo de cristo
A igreja, corpo de cristoA igreja, corpo de cristo
A igreja, corpo de cristo
 
Igreja corpo de_cristo
Igreja corpo de_cristoIgreja corpo de_cristo
Igreja corpo de_cristo
 
Lbj lição 13 a igreja louvará eternamente ao senhor
Lbj lição 13   a igreja louvará eternamente ao senhorLbj lição 13   a igreja louvará eternamente ao senhor
Lbj lição 13 a igreja louvará eternamente ao senhor
 
O chamado para o discipulado
O chamado para o discipuladoO chamado para o discipulado
O chamado para o discipulado
 
Estudo Epístola 1 Coríntios – Lição 1 - A Importância da Unidade da Igreja
Estudo Epístola 1 Coríntios – Lição 1 - A Importância da Unidade da IgrejaEstudo Epístola 1 Coríntios – Lição 1 - A Importância da Unidade da Igreja
Estudo Epístola 1 Coríntios – Lição 1 - A Importância da Unidade da Igreja
 
E.b.d jovens 1ºtrimestre 2017 lição 03
E.b.d   jovens 1ºtrimestre 2017 lição 03E.b.d   jovens 1ºtrimestre 2017 lição 03
E.b.d jovens 1ºtrimestre 2017 lição 03
 
E.b.d jovens 1ºtrimestre 2017 lição 01
E.b.d   jovens 1ºtrimestre 2017 lição 01E.b.d   jovens 1ºtrimestre 2017 lição 01
E.b.d jovens 1ºtrimestre 2017 lição 01
 
A unidade da Igreja
A unidade da IgrejaA unidade da Igreja
A unidade da Igreja
 
“Tratai aos empregados com equidade”
“Tratai aos empregados com equidade”“Tratai aos empregados com equidade”
“Tratai aos empregados com equidade”
 
A natureza da igreja evangélica, por john gill
A natureza da igreja evangélica, por john gillA natureza da igreja evangélica, por john gill
A natureza da igreja evangélica, por john gill
 
E.b.d jovens 1ºtrimestre 2017 lição 02
E.b.d   jovens 1ºtrimestre 2017 lição 02E.b.d   jovens 1ºtrimestre 2017 lição 02
E.b.d jovens 1ºtrimestre 2017 lição 02
 
Lição 11 - A organização de uma igreja local
Lição 11 - A organização de uma igreja local Lição 11 - A organização de uma igreja local
Lição 11 - A organização de uma igreja local
 
A NATUREZA DA IGREJA DE JESUS
A NATUREZA DA IGREJA DE JESUSA NATUREZA DA IGREJA DE JESUS
A NATUREZA DA IGREJA DE JESUS
 
Ninguem é de Ninguén
Ninguem é de NinguénNinguem é de Ninguén
Ninguem é de Ninguén
 
“Perseveravam na oração”
“Perseveravam na oração”“Perseveravam na oração”
“Perseveravam na oração”
 
VisãO TempláRia
VisãO TempláRiaVisãO TempláRia
VisãO TempláRia
 
W. nee-restaurando-a-expressão-da-unidade-da-igreja-ii
W. nee-restaurando-a-expressão-da-unidade-da-igreja-iiW. nee-restaurando-a-expressão-da-unidade-da-igreja-ii
W. nee-restaurando-a-expressão-da-unidade-da-igreja-ii
 

Destaque

XzavianCarter Unit 1 Final Project
XzavianCarter Unit 1 Final ProjectXzavianCarter Unit 1 Final Project
XzavianCarter Unit 1 Final Project
XzavianCarter
 
Fraire systems
Fraire systemsFraire systems
Fraire systems
Fraire Systems
 
Artificial neural networks and its application
Artificial neural networks and its applicationArtificial neural networks and its application
Artificial neural networks and its application
Hưng Đặng
 
Nonlinear image processing using artificial neural
Nonlinear image processing using artificial neuralNonlinear image processing using artificial neural
Nonlinear image processing using artificial neural
Hưng Đặng
 
School vocabulary
School vocabularySchool vocabulary
School vocabulary
SanelaNena
 
Describing someone
Describing someoneDescribing someone
Describing someone
Emil Jiménez
 
Semeton Jegeg Bagus Bali
Semeton Jegeg Bagus BaliSemeton Jegeg Bagus Bali
Semeton Jegeg Bagus Bali
tenobell
 
брест основные моменты проекта
брест основные моменты проектабрест основные моменты проекта
брест основные моменты проекта
stmorol231
 
Tai lieutonghop.com --mau-cv-curriculum-vitae-bang-tieng-viet
Tai lieutonghop.com --mau-cv-curriculum-vitae-bang-tieng-vietTai lieutonghop.com --mau-cv-curriculum-vitae-bang-tieng-viet
Tai lieutonghop.com --mau-cv-curriculum-vitae-bang-tieng-viet
Hưng Đặng
 
презентация 2
презентация 2 презентация 2
презентация 2
HeratOfUral
 
Muka depan content
Muka depan contentMuka depan content
Muka depan content
mohd admee
 
On the job
On the jobOn the job
On the job
Emil Jiménez
 
11ª Aula - Formação de Discipuladores
11ª Aula - Formação de Discipuladores11ª Aula - Formação de Discipuladores
11ª Aula - Formação de Discipuladores
IBC de Jacarepaguá
 
208-EEI-49
208-EEI-49208-EEI-49
208-EEI-49
Promit Mukherjee
 
Artificial neural networks and its application
Artificial neural networks and its applicationArtificial neural networks and its application
Artificial neural networks and its application
Hưng Đặng
 
La joya service center 2014
La joya service center 2014La joya service center 2014
La joya service center 2014
LuchitoF18
 
7ª Aula para Formação de Discipuladores
7ª Aula para Formação de Discipuladores7ª Aula para Formação de Discipuladores
7ª Aula para Formação de Discipuladores
IBC de Jacarepaguá
 
Aula 08 - Seminário Sobre a Igreja (Segunda Temporada)
Aula 08 - Seminário Sobre a Igreja (Segunda Temporada)Aula 08 - Seminário Sobre a Igreja (Segunda Temporada)
Aula 08 - Seminário Sobre a Igreja (Segunda Temporada)
IBC de Jacarepaguá
 
презентация
презентация презентация
презентация
HeratOfUral
 
Luh ade gina andriyani
Luh ade gina andriyaniLuh ade gina andriyani
Luh ade gina andriyani
tenobell
 

Destaque (20)

XzavianCarter Unit 1 Final Project
XzavianCarter Unit 1 Final ProjectXzavianCarter Unit 1 Final Project
XzavianCarter Unit 1 Final Project
 
Fraire systems
Fraire systemsFraire systems
Fraire systems
 
Artificial neural networks and its application
Artificial neural networks and its applicationArtificial neural networks and its application
Artificial neural networks and its application
 
Nonlinear image processing using artificial neural
Nonlinear image processing using artificial neuralNonlinear image processing using artificial neural
Nonlinear image processing using artificial neural
 
School vocabulary
School vocabularySchool vocabulary
School vocabulary
 
Describing someone
Describing someoneDescribing someone
Describing someone
 
Semeton Jegeg Bagus Bali
Semeton Jegeg Bagus BaliSemeton Jegeg Bagus Bali
Semeton Jegeg Bagus Bali
 
брест основные моменты проекта
брест основные моменты проектабрест основные моменты проекта
брест основные моменты проекта
 
Tai lieutonghop.com --mau-cv-curriculum-vitae-bang-tieng-viet
Tai lieutonghop.com --mau-cv-curriculum-vitae-bang-tieng-vietTai lieutonghop.com --mau-cv-curriculum-vitae-bang-tieng-viet
Tai lieutonghop.com --mau-cv-curriculum-vitae-bang-tieng-viet
 
презентация 2
презентация 2 презентация 2
презентация 2
 
Muka depan content
Muka depan contentMuka depan content
Muka depan content
 
On the job
On the jobOn the job
On the job
 
11ª Aula - Formação de Discipuladores
11ª Aula - Formação de Discipuladores11ª Aula - Formação de Discipuladores
11ª Aula - Formação de Discipuladores
 
208-EEI-49
208-EEI-49208-EEI-49
208-EEI-49
 
Artificial neural networks and its application
Artificial neural networks and its applicationArtificial neural networks and its application
Artificial neural networks and its application
 
La joya service center 2014
La joya service center 2014La joya service center 2014
La joya service center 2014
 
7ª Aula para Formação de Discipuladores
7ª Aula para Formação de Discipuladores7ª Aula para Formação de Discipuladores
7ª Aula para Formação de Discipuladores
 
Aula 08 - Seminário Sobre a Igreja (Segunda Temporada)
Aula 08 - Seminário Sobre a Igreja (Segunda Temporada)Aula 08 - Seminário Sobre a Igreja (Segunda Temporada)
Aula 08 - Seminário Sobre a Igreja (Segunda Temporada)
 
презентация
презентация презентация
презентация
 
Luh ade gina andriyani
Luh ade gina andriyaniLuh ade gina andriyani
Luh ade gina andriyani
 

Semelhante a Aula 6 - Seminário sobre a Igreja

A igreja que deus deseja pedro júnior
A igreja que deus deseja   pedro júniorA igreja que deus deseja   pedro júnior
A igreja que deus deseja pedro júnior
Pedro Júnior
 
Lição 03 - A Natureza da Igreja (1).pptx
Lição 03 - A Natureza da Igreja (1).pptxLição 03 - A Natureza da Igreja (1).pptx
Lição 03 - A Natureza da Igreja (1).pptx
EdinaldoVieiradeSous
 
A nossa Igreja - Igreja Católica Apostólica Romana
A nossa Igreja - Igreja Católica Apostólica RomanaA nossa Igreja - Igreja Católica Apostólica Romana
A nossa Igreja - Igreja Católica Apostólica Romana
SanturioTacararu
 
As 10 marcas de uma igreja poderosa
As 10 marcas de uma igreja poderosaAs 10 marcas de uma igreja poderosa
As 10 marcas de uma igreja poderosa
Instituto Teológico Gamaliel
 
O que e Igreja
O que e IgrejaO que e Igreja
O que e Igreja
Pastor Wanderley
 
“Andeis como sábios”
“Andeis como sábios”“Andeis como sábios”
“Andeis como sábios”
JUERP
 
IHOP-KC Apocalipse 19.7 "A noiva se preparando - Dwayne Roberts
IHOP-KC Apocalipse 19.7  "A noiva se preparando - Dwayne RobertsIHOP-KC Apocalipse 19.7  "A noiva se preparando - Dwayne Roberts
IHOP-KC Apocalipse 19.7 "A noiva se preparando - Dwayne Roberts
adson232
 
Solteiras
SolteirasSolteiras
Solteiras
Ilson Bia
 
Lição 2 - Imagens Bíblicas da Igreja.pptx
Lição 2 - Imagens Bíblicas da Igreja.pptxLição 2 - Imagens Bíblicas da Igreja.pptx
Lição 2 - Imagens Bíblicas da Igreja.pptx
Celso Napoleon
 
Introdução (vocação e ensino)
Introdução (vocação e ensino)Introdução (vocação e ensino)
Introdução (vocação e ensino)
Ricardo Gondim
 
Boletim IPC Limeira 151017
Boletim IPC Limeira 151017Boletim IPC Limeira 151017
Boletim IPC Limeira 151017
Adelson R. Dos Santos
 
Porque ser membro de uma igreja?
Porque ser membro de uma igreja?Porque ser membro de uma igreja?
Porque ser membro de uma igreja?
Noimix
 
Estudo 12 as cartas de paulo III - gl-ef-fp-cl
Estudo 12   as cartas de paulo III - gl-ef-fp-clEstudo 12   as cartas de paulo III - gl-ef-fp-cl
Estudo 12 as cartas de paulo III - gl-ef-fp-cl
JUERP
 
O Evangelho a Ser Vivido Pelo Cristão
O Evangelho a Ser Vivido Pelo CristãoO Evangelho a Ser Vivido Pelo Cristão
O Evangelho a Ser Vivido Pelo Cristão
JUERP
 
Carta de santo inácio de antioquia aos magnésios
Carta de santo inácio de antioquia aos magnésiosCarta de santo inácio de antioquia aos magnésios
Carta de santo inácio de antioquia aos magnésios
Diêgo De Lima Dantas
 
A origem da Igreja-01.pptx
A origem da Igreja-01.pptxA origem da Igreja-01.pptx
A origem da Igreja-01.pptx
AMGAMES
 
Aprendizes do Evangelho 2º Ano - 18ª aula - Parte B - Epístola aos Efésios FEESP
Aprendizes do Evangelho 2º Ano - 18ª aula - Parte B - Epístola aos Efésios FEESPAprendizes do Evangelho 2º Ano - 18ª aula - Parte B - Epístola aos Efésios FEESP
Aprendizes do Evangelho 2º Ano - 18ª aula - Parte B - Epístola aos Efésios FEESP
Jose Maria Magalhaes
 
Segredo 17 18 - Edifiquem e Ensinem uns dos outros
Segredo 17 18 - Edifiquem e Ensinem uns dos outrosSegredo 17 18 - Edifiquem e Ensinem uns dos outros
Segredo 17 18 - Edifiquem e Ensinem uns dos outros
Anderson Cássio Oliveira
 
Ecclesiam Suam
Ecclesiam SuamEcclesiam Suam
Ecclesiam Suam
Carlinhos Pregador
 
A CRISMA Catequese para pais e padrinhos
A CRISMA Catequese para pais e padrinhosA CRISMA Catequese para pais e padrinhos
A CRISMA Catequese para pais e padrinhos
Catequista Josivaldo
 

Semelhante a Aula 6 - Seminário sobre a Igreja (20)

A igreja que deus deseja pedro júnior
A igreja que deus deseja   pedro júniorA igreja que deus deseja   pedro júnior
A igreja que deus deseja pedro júnior
 
Lição 03 - A Natureza da Igreja (1).pptx
Lição 03 - A Natureza da Igreja (1).pptxLição 03 - A Natureza da Igreja (1).pptx
Lição 03 - A Natureza da Igreja (1).pptx
 
A nossa Igreja - Igreja Católica Apostólica Romana
A nossa Igreja - Igreja Católica Apostólica RomanaA nossa Igreja - Igreja Católica Apostólica Romana
A nossa Igreja - Igreja Católica Apostólica Romana
 
As 10 marcas de uma igreja poderosa
As 10 marcas de uma igreja poderosaAs 10 marcas de uma igreja poderosa
As 10 marcas de uma igreja poderosa
 
O que e Igreja
O que e IgrejaO que e Igreja
O que e Igreja
 
“Andeis como sábios”
“Andeis como sábios”“Andeis como sábios”
“Andeis como sábios”
 
IHOP-KC Apocalipse 19.7 "A noiva se preparando - Dwayne Roberts
IHOP-KC Apocalipse 19.7  "A noiva se preparando - Dwayne RobertsIHOP-KC Apocalipse 19.7  "A noiva se preparando - Dwayne Roberts
IHOP-KC Apocalipse 19.7 "A noiva se preparando - Dwayne Roberts
 
Solteiras
SolteirasSolteiras
Solteiras
 
Lição 2 - Imagens Bíblicas da Igreja.pptx
Lição 2 - Imagens Bíblicas da Igreja.pptxLição 2 - Imagens Bíblicas da Igreja.pptx
Lição 2 - Imagens Bíblicas da Igreja.pptx
 
Introdução (vocação e ensino)
Introdução (vocação e ensino)Introdução (vocação e ensino)
Introdução (vocação e ensino)
 
Boletim IPC Limeira 151017
Boletim IPC Limeira 151017Boletim IPC Limeira 151017
Boletim IPC Limeira 151017
 
Porque ser membro de uma igreja?
Porque ser membro de uma igreja?Porque ser membro de uma igreja?
Porque ser membro de uma igreja?
 
Estudo 12 as cartas de paulo III - gl-ef-fp-cl
Estudo 12   as cartas de paulo III - gl-ef-fp-clEstudo 12   as cartas de paulo III - gl-ef-fp-cl
Estudo 12 as cartas de paulo III - gl-ef-fp-cl
 
O Evangelho a Ser Vivido Pelo Cristão
O Evangelho a Ser Vivido Pelo CristãoO Evangelho a Ser Vivido Pelo Cristão
O Evangelho a Ser Vivido Pelo Cristão
 
Carta de santo inácio de antioquia aos magnésios
Carta de santo inácio de antioquia aos magnésiosCarta de santo inácio de antioquia aos magnésios
Carta de santo inácio de antioquia aos magnésios
 
A origem da Igreja-01.pptx
A origem da Igreja-01.pptxA origem da Igreja-01.pptx
A origem da Igreja-01.pptx
 
Aprendizes do Evangelho 2º Ano - 18ª aula - Parte B - Epístola aos Efésios FEESP
Aprendizes do Evangelho 2º Ano - 18ª aula - Parte B - Epístola aos Efésios FEESPAprendizes do Evangelho 2º Ano - 18ª aula - Parte B - Epístola aos Efésios FEESP
Aprendizes do Evangelho 2º Ano - 18ª aula - Parte B - Epístola aos Efésios FEESP
 
Segredo 17 18 - Edifiquem e Ensinem uns dos outros
Segredo 17 18 - Edifiquem e Ensinem uns dos outrosSegredo 17 18 - Edifiquem e Ensinem uns dos outros
Segredo 17 18 - Edifiquem e Ensinem uns dos outros
 
Ecclesiam Suam
Ecclesiam SuamEcclesiam Suam
Ecclesiam Suam
 
A CRISMA Catequese para pais e padrinhos
A CRISMA Catequese para pais e padrinhosA CRISMA Catequese para pais e padrinhos
A CRISMA Catequese para pais e padrinhos
 

Mais de IBC de Jacarepaguá

Aula 02 - Seminário: Sobre o Sermão do Monte
Aula 02 - Seminário: Sobre o Sermão do MonteAula 02 - Seminário: Sobre o Sermão do Monte
Aula 02 - Seminário: Sobre o Sermão do Monte
IBC de Jacarepaguá
 
Aula 01 - Seminário: Sobre o Sermão do Monte
Aula 01 - Seminário: Sobre o Sermão do MonteAula 01 - Seminário: Sobre o Sermão do Monte
Aula 01 - Seminário: Sobre o Sermão do Monte
IBC de Jacarepaguá
 
Aula 11 - Seminário Sobre a Igreja (Segunda Temporada)
Aula 11 - Seminário Sobre a Igreja (Segunda Temporada)Aula 11 - Seminário Sobre a Igreja (Segunda Temporada)
Aula 11 - Seminário Sobre a Igreja (Segunda Temporada)
IBC de Jacarepaguá
 
Aula 09 - Seminário Sobre a Igreja (Segunda Temporada)
Aula 09 - Seminário Sobre a Igreja (Segunda Temporada)Aula 09 - Seminário Sobre a Igreja (Segunda Temporada)
Aula 09 - Seminário Sobre a Igreja (Segunda Temporada)
IBC de Jacarepaguá
 
Aula 06 - Seminário Sobre a Igreja (Segunda Temporada)
Aula 06 - Seminário Sobre a Igreja (Segunda Temporada)Aula 06 - Seminário Sobre a Igreja (Segunda Temporada)
Aula 06 - Seminário Sobre a Igreja (Segunda Temporada)
IBC de Jacarepaguá
 
Aula 04 - Seminário Sobre a Igreja (Segunda Temporada)
Aula 04 - Seminário Sobre a Igreja (Segunda Temporada)Aula 04 - Seminário Sobre a Igreja (Segunda Temporada)
Aula 04 - Seminário Sobre a Igreja (Segunda Temporada)
IBC de Jacarepaguá
 
Aula 03 - Seminário Sobre a Igreja (Segunda Temporada)
Aula 03 - Seminário Sobre a Igreja (Segunda Temporada)Aula 03 - Seminário Sobre a Igreja (Segunda Temporada)
Aula 03 - Seminário Sobre a Igreja (Segunda Temporada)
IBC de Jacarepaguá
 
Aula 02 - Seminário Sobre a Igreja (Segunda Temporada)
Aula 02 - Seminário Sobre a Igreja (Segunda Temporada)Aula 02 - Seminário Sobre a Igreja (Segunda Temporada)
Aula 02 - Seminário Sobre a Igreja (Segunda Temporada)
IBC de Jacarepaguá
 
Aula 10 - Seminário Sobre a Igreja
Aula 10 - Seminário Sobre a IgrejaAula 10 - Seminário Sobre a Igreja
Aula 10 - Seminário Sobre a Igreja
IBC de Jacarepaguá
 
12ª Aula - Formação de Discipuladores
12ª Aula - Formação de Discipuladores12ª Aula - Formação de Discipuladores
12ª Aula - Formação de Discipuladores
IBC de Jacarepaguá
 
10º Aula para Formação de Discipuladores
10º Aula para Formação de Discipuladores10º Aula para Formação de Discipuladores
10º Aula para Formação de Discipuladores
IBC de Jacarepaguá
 
9ª Aula para Formação de Discipuladores
9ª Aula para Formação de Discipuladores9ª Aula para Formação de Discipuladores
9ª Aula para Formação de Discipuladores
IBC de Jacarepaguá
 
8ª Aula para Formação de Discipuladores
8ª Aula para Formação de Discipuladores8ª Aula para Formação de Discipuladores
8ª Aula para Formação de Discipuladores
IBC de Jacarepaguá
 
6ª Aula para Formação de Discipuladores
6ª Aula para Formação de Discipuladores6ª Aula para Formação de Discipuladores
6ª Aula para Formação de Discipuladores
IBC de Jacarepaguá
 
5ª Aula para Formação de Discipuladores
5ª Aula para Formação de Discipuladores5ª Aula para Formação de Discipuladores
5ª Aula para Formação de Discipuladores
IBC de Jacarepaguá
 
4ª Aula para Formação de Discipuladores
4ª Aula para Formação de Discipuladores4ª Aula para Formação de Discipuladores
4ª Aula para Formação de Discipuladores
IBC de Jacarepaguá
 
3ª Aula para Formação de Discipuladores
3ª Aula para Formação de Discipuladores3ª Aula para Formação de Discipuladores
3ª Aula para Formação de Discipuladores
IBC de Jacarepaguá
 

Mais de IBC de Jacarepaguá (17)

Aula 02 - Seminário: Sobre o Sermão do Monte
Aula 02 - Seminário: Sobre o Sermão do MonteAula 02 - Seminário: Sobre o Sermão do Monte
Aula 02 - Seminário: Sobre o Sermão do Monte
 
Aula 01 - Seminário: Sobre o Sermão do Monte
Aula 01 - Seminário: Sobre o Sermão do MonteAula 01 - Seminário: Sobre o Sermão do Monte
Aula 01 - Seminário: Sobre o Sermão do Monte
 
Aula 11 - Seminário Sobre a Igreja (Segunda Temporada)
Aula 11 - Seminário Sobre a Igreja (Segunda Temporada)Aula 11 - Seminário Sobre a Igreja (Segunda Temporada)
Aula 11 - Seminário Sobre a Igreja (Segunda Temporada)
 
Aula 09 - Seminário Sobre a Igreja (Segunda Temporada)
Aula 09 - Seminário Sobre a Igreja (Segunda Temporada)Aula 09 - Seminário Sobre a Igreja (Segunda Temporada)
Aula 09 - Seminário Sobre a Igreja (Segunda Temporada)
 
Aula 06 - Seminário Sobre a Igreja (Segunda Temporada)
Aula 06 - Seminário Sobre a Igreja (Segunda Temporada)Aula 06 - Seminário Sobre a Igreja (Segunda Temporada)
Aula 06 - Seminário Sobre a Igreja (Segunda Temporada)
 
Aula 04 - Seminário Sobre a Igreja (Segunda Temporada)
Aula 04 - Seminário Sobre a Igreja (Segunda Temporada)Aula 04 - Seminário Sobre a Igreja (Segunda Temporada)
Aula 04 - Seminário Sobre a Igreja (Segunda Temporada)
 
Aula 03 - Seminário Sobre a Igreja (Segunda Temporada)
Aula 03 - Seminário Sobre a Igreja (Segunda Temporada)Aula 03 - Seminário Sobre a Igreja (Segunda Temporada)
Aula 03 - Seminário Sobre a Igreja (Segunda Temporada)
 
Aula 02 - Seminário Sobre a Igreja (Segunda Temporada)
Aula 02 - Seminário Sobre a Igreja (Segunda Temporada)Aula 02 - Seminário Sobre a Igreja (Segunda Temporada)
Aula 02 - Seminário Sobre a Igreja (Segunda Temporada)
 
Aula 10 - Seminário Sobre a Igreja
Aula 10 - Seminário Sobre a IgrejaAula 10 - Seminário Sobre a Igreja
Aula 10 - Seminário Sobre a Igreja
 
12ª Aula - Formação de Discipuladores
12ª Aula - Formação de Discipuladores12ª Aula - Formação de Discipuladores
12ª Aula - Formação de Discipuladores
 
10º Aula para Formação de Discipuladores
10º Aula para Formação de Discipuladores10º Aula para Formação de Discipuladores
10º Aula para Formação de Discipuladores
 
9ª Aula para Formação de Discipuladores
9ª Aula para Formação de Discipuladores9ª Aula para Formação de Discipuladores
9ª Aula para Formação de Discipuladores
 
8ª Aula para Formação de Discipuladores
8ª Aula para Formação de Discipuladores8ª Aula para Formação de Discipuladores
8ª Aula para Formação de Discipuladores
 
6ª Aula para Formação de Discipuladores
6ª Aula para Formação de Discipuladores6ª Aula para Formação de Discipuladores
6ª Aula para Formação de Discipuladores
 
5ª Aula para Formação de Discipuladores
5ª Aula para Formação de Discipuladores5ª Aula para Formação de Discipuladores
5ª Aula para Formação de Discipuladores
 
4ª Aula para Formação de Discipuladores
4ª Aula para Formação de Discipuladores4ª Aula para Formação de Discipuladores
4ª Aula para Formação de Discipuladores
 
3ª Aula para Formação de Discipuladores
3ª Aula para Formação de Discipuladores3ª Aula para Formação de Discipuladores
3ª Aula para Formação de Discipuladores
 

Último

12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
PIB Penha
 
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
AlailzaSoares1
 
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
Rogério Augusto Ayres de Araujo
 
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
PIB Penha
 
Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1
CleideTeles3
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Celso Napoleon
 
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
PIB Penha
 
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
PIB Penha
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não TiranizesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Ricardo Azevedo
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Celso Napoleon
 
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
PIB Penha
 
Oração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A BondadeOração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A Bondade
Nilson Almeida
 
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdfA VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
marcusviniciussabino1
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
AndreyCamarini
 
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
PIB Penha
 

Último (15)

12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
 
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
 
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
 
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
 
Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
 
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
 
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não TiranizesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
 
Oração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A BondadeOração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A Bondade
 
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdfA VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
 
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
 

Aula 6 - Seminário sobre a Igreja

  • 1. SeminárioSeminário Sobre a Igreja...Sobre a Igreja... Aula 6Aula 6 1
  • 2. Eu quero dedicar esta aula às outras Figuras Bíblicas da Igreja que encontramos na Bíblia. Digo ‘outras’, porque na semana passada já refletimos sobre uma delas que foi a figura da igreja como “Corpo de Cristo.” Assim aprendemos que a figura da Igreja como ‘Corpo de Cristo’, representa: 2
  • 3. Uma metáfora que indica: Intimidade com Cristo; Unidade com Cristo; União, apesar da diversidade; Interdependência dos membros; Dependência do Cristo. Tudo isso está corretíssimo, mas não é somente isso. 3
  • 4. Assim aprendemos que a frase de Paulo: “A igreja é o corpo de Cristo”; pode sim ser reescrita da seguinte forma: “A igreja é o Cristo”; a Igreja é o Cristo em sua essência e missão. 4
  • 5. Como bem disse E. Schweizer: “O corpo de Cristo é precisamente a Igreja na qual Cristo penetra no mundo.” Ou, ainda, Philip Yancey: “...nós – você e eu – formamos a principal representação da presença de Deus no mundo.” 5
  • 6. O professor Israel Belo, sobre a figura da Igreja como Corpo de Cristo descrita em Efésios 5, disse: “É a igreja uma instituição? Se é, poderá fracassar como todas as outras. Ao longo dos séculos, ela aí está, constituindo-se num mistério a sua permanência, apesar dos inimigos, internos (nós mesmos) e externos (os que não crêem no Senhor da igreja). 6
  • 7. Se é uma instituição, e é, sua dimensão institucional não a esgota. Ela persiste porque é o corpo de Cristo, e Cristo nunca fracassará. Ela persiste porque sua mensagem é Cristo, e esta mensagem precisa ser pregada enquanto o ser humano existir. É por isto que dominicalmente (por que não, diariamente?) entram aqui pessoas. 7
  • 8. Ela persiste porque Cristo capacita esta igreja com diferentes dons para que ela continue o seu trabalho, seja para socorrer os famintos de pão, seja para trazer esperança aos cansados da alma. Ela persiste por causa da sua natureza, em relação a Cristo, natureza que o apóstolo Paulo descreve de forma magistral, em Efésios 5.25b-27. 8
  • 9. No entanto, a figura da igreja como Corpo de Cristo não é a única figura da Igreja na Bíblia. Existem outras figuras e sobre essas figuras vamos aprender na aula de hoje e nas próximas. 9
  • 10. 1. A Igreja é a Noiva de Cristo. 2. A Igreja é o Edifício de Deus. 3. A Igreja é o Rebanho de Deus. 4. A Igreja é a Família de Deus. 5. A Igreja é a Lavoura de Deus. 10
  • 11. 1. A Igreja como Noiva de Cristo. Ouçamos os textos: “ assim como um jovem desposa uma jovem, aquele que te tiver construído te desposará; e como a recém-casada faz a alegria de seu marido, tu farás a alegria de teu Deus.” 11
  • 12. "Vá proclamar aos ouvidos de Jerusalém: "Eu me lembro de sua fidelidade quando você era jovem: como noiva, você me amava e me seguia pelo deserto, por uma terra não semeada. Isaías 62. 5 – Jeremias 2. 2 12
  • 13. “A noiva pertence ao noivo. O amigo que presta serviço ao noivo e que o atende e o ouve, enche-se de alegria quando ouve a voz do noivo. Esta é a minha alegria, que agora se completa.” 13
  • 14. “Um dos sete anjos que tinham as sete taças cheias das últimas sete pragas aproximou-se e me disse: "Venha, eu lhe mostrarei a noiva, a esposa do Cordeiro". João 3.29 e Apocalipse 21:9 14
  • 15. Vejam que interessante... A palavra usada no Antigo Testamento para ‘noiva’ significa ‘a mulher plena e completa’, uma mulher que chega à plena maturidade e beleza no dia do seu casamento. Essa é a ideia ou a expectativa de Deus ao falar de Israel como sua noiva. Fato é que não somente o termo ‘noiva’, mas também suas implicações nos alcançaram como Igreja. 15
  • 16. Essas implicações foram declaradamente descritas no Novo Testamento. Para se ter uma ideia, Paulo, escrevendo para a Igreja de Corinto – um Igreja cheia de dificuldades e problemas – afirma: 16
  • 17. “O zelo que tenho por vocês é um zelo que vem de Deus. Eu os prometi a um único marido, Cristo, querendo apresentá-los a ele como uma virgem pura. O que receio, e quero evitar, é que assim como a serpente enganou Eva com astúcia, a mente de vocês seja corrompida e se desvie da sua sincera e pura devoção a Cristo.” 17
  • 18. Eu preocupo-me convosco, mas com um cuidado que vem de Deus. Quero que as vossas vidas sejam inteiramente para Cristo, tal como uma moça, virgem e pura, reserva todo o seu amor ao seu noivo. E todo o meu receio é que de alguma forma o vosso espírito seja enganado e se afaste da devoção sincera a Cristo, tal como Eva foi enganada por satanás. 2 Coríntios 11:2,3 18
  • 19. “Quero que as vossas vidas sejam inteiramente para Cristo, tal como uma moça, virgem e pura, reserva todo o seu amor ao seu noivo.” Agora... é preciso saber que esta preocupação de Paulo se dá em resposta ao Amor do Noivo e ao propósito do Noivo com relação à noiva, sua Igreja. 19
  • 20. ...Cristo é o cabeça da igreja, que é o seu corpo, do qual ele é o Salvador. ...Cristo amou a igreja e entregou-se a si mesmo por ela para santificá-la, tendo-a purificado pelo lavar da água mediante a palavra, e apresentá-la a si mesmo como igreja gloriosa, sem mancha nem ruga ou coisa semelhante, mas santa e inculpável. Efésios 5: 25b, 27 20
  • 21. “Cristo amou a Igreja e deu a sua vida por ela. Ele fez isso para dedicar a Igreja a Deus, lavando-a com água e purificando-a com a sua palavra. E fez isso para também poder trazer para perto de si a Igreja em toda a sua beleza, pura e perfeita, sem manchas, ou rugas, ou qualquer outro defeito.” I. B. Azevedo 21
  • 22. Assim podemos entender que o ‘propósito’ de Cristo em relação a Igreja ou do Noivo com relação à noiva é: A. Santificação – separação completa para Ele; exclusividade. 22
  • 23. B. Purificação – lavagem do pecado através do Seu sangue. 23
  • 24. Afinal de contas, Jesus deseja trazê-la para junto de si, sem uma mancha, sem uma ruga, sem qualquer defeito, mas irrepreensível, santa, gloriosa. 24
  • 25. Tudo isso é uma dádiva sobre a igreja. Tudo isso é um privilégio da igreja. Mas tudo isso é também uma responsabilidade para a igreja. Ser a Noiva de Cristo é uma grande responsabilidade. 25
  • 27. A responsabilidade da igreja é se apresentar diante de Cristo como Ele quer: 27
  • 28. Afirma Israel Belo: Toda a ação de Deus em Cristo teve e tem um objetivo: estar perto da Igreja. Deus, em Jesus, realizou o seu desejo: o desejo da comunicação. Deus gosta de entrar na roda com a gente. Ele gosta de ser rodeado por nós. Ele gosta, porque sabe que a igreja não pode estar só. Ele sabe que nenhum de nós foi feito para viver só. 28
  • 29. Este verso resume toda a psicologia humana: nascemos para estar juntos. Eu nasci para estar junto de Deus. Ao retratar a imagem da igreja ideal, o ideal que devemos buscar, o apóstolo diz que Deus espera dela três substantivos que a marquem: 29
  • 30. Beleza, Pureza e Perfeição. Bela, Pura e Perfeita 30
  • 31. No que também podemos perceber uma intrínseca relação com o Corpo de Cristo, afinal de contas, como podemos imaginar o Corpo de Cristo feio, sujo e com defeitos? 31
  • 32. Deste modo, neste caminho de beleza, pureza e perfeição, devemos fazer uso das exortações bíblicas que nos dizem: “Não percas o teu tempo com fábulas e velhas histórias profanas; empenha-te antes, com disciplina, no caminho de Deus” 1ª Tim. 4. 7 32
  • 33. “ Pois que temos tais promessas, meus queridos amigos, purifiquemo-nos de tudo o que é moralmente imundo e errado, tanto no domínio do nosso corpo como do nosso espírito, e procuremos aperfeiçoarmo-nos e santificarmo-nos, vivendo no temor de Deus.” 1ª Coríntios 2.7 33
  • 34. “...conformem a vossa vida com as instruções que vos temos dado sobre a forma de viver e de agradar a Deus, o que aliás já estão a fazer; mas continuem a progredir cada vez mais. E vocês bem conhecem quais são esses mandamentos que vos temos dado da parte do Senhor Jesus. A vontade de Deus é que levem uma vida santa; 1ª Tessalonicenses 4:1b a 3 34
  • 35. Procurem viver em paz com toda a gente, e levar uma vida santa;... Que a ninguém falte a graça de Deus, e também que nenhuma amargura crie raízes em vocês, a qual, ao brotar, venha a causar-vos perturbações, e depois, por contaminação, também a muitos outros mais. Que ninguém se deixe arrastar pela imoralidade... ou perca o respeito pelas coisas divinas Hebreus 12:14-16a 35
  • 36. Agora podem ter entre vocês um amor fraterno, não fingido, porque as vossas almas foram purificadas pela obediência à verdade. Amem-se pois uns aos outros de todo o coração. Porque vocês nasceram de novo, não de uma semente deteriorável, mas de uma semente imortal, pela palavra de Deus viva e que permanece para sempre. 1ª Pedro 1:22,23 36
  • 37. “Porque a graça de Deus se manifestou trazendo a toda a gente a salvação ensinando-nos a viver com domínio de nós próprios, com justiça e de acordo com a vontade de Deus, e renunciando às paixões da vida humana. 37
  • 38. E dessa forma aguardamos, numa esperança feliz, o momento em que há de aparecer, revestido da sua glória, o grande Deus e Salvador Jesus Cristo. Ele deu-se a si mesmo por nós, pagando o preço que nos livra do poder do pecado, e criando um povo libertado do mal, 38
  • 39. que lhe pertence inteiramente, um povo particularmente empenhado em praticar a justiça. É pois isto que deves ensinar, encorajando por um lado, corrigindo por outro, com toda a autoridade. Não deixes que ninguém te tenha em menos consideração. Tito 2:11-15 39
  • 40. Eis o caminho da beleza, da pureza e a perfeição. Que Deus nos ajude a trilhá-lo até o grande dia do encontro Com o Noivo, que é Cristo. 40