SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 4
Baixar para ler offline
QUÍMICA PROF.: RIKARDO COIMBRA
CINÉTICA QUÍMICA Curso MotivAÇÃO 2009
Curso Motivação – O melhor Pré-Vestibular do Mundo www.curso-motivacao.blogspot.com
 A Cinética Química é parte da química que estuda a velocidade com que as reações acontecem.
 Considere a seguinte reação de decomposição da água oxigenada:
1) VELOCIDADE MÉDIA ( Vm )
Na física você aprende a calcular velocidade média como sendo ΔS sobre ΔT . Na química é semelhante, só que ao invés de
trabalharmos com a variação de espaço, vamos trabalhar com concetração. Portanto a velocidade média de consumo ou produção de
uma substânica será calculada da seguinte maneira:
Usamos o módulo ( | |),usado na matematica, para que o valor da velocidade não fique negativa quando queremos calcular a
velocidade de consumo do reagente.
10
) Vamos calcular a velocidade média de consumo da água oxigenada (H2O2) nos primeiros 10 minutos:
No Tempo 0 min = [H2O2] = 0,8 Vm(H2O2) = | Δ[H2O2] | = | 0,5 - 0,8 | = | -0,3 | = 0,03 mol/L.min
No Tempo 10min= [H2O2] = 0,5 ΔT 10 - 0 10
20
) Vamos calcular a velocidade média de consumo da água oxigenada (H2O2) nos primeiros 20 minutos:
No Tempo 0 min = [H2O2] = 0,8 Vm(H2O2) = | Δ[H2O2] | = | 0,3 -0,8 | = | -0,5 | = 0,025 mol/L.min
No Tempo 20min= [H2O2] = 0,3 ΔT 20 - 0 20
30
) Vamos calcular a velocidade média de produção de oxigênio (O2) nos primeiros entre o tempo 10 e 20 minutos:
No Tempo 10 min = [O2] = 0,15 Vm(H2O2) = | Δ[H2O2] | = | 0,25 -0,15 | = | -0,1 | = 0,01 mol/L.min
No Tempo 20min = [O2] = 0,25 ΔT 20 - 10 10
Pode-se pedir a velocidade de qualquer substância participante e em qualquer intervalo de tempo.Quando a substância é um reagente
falamos em velocidade de consumo,e quando for um produto falamos em velocidade de produção.Mas o jeito de calcular é o mesmo.
2) VELOCIDADE MÉDIA DA REAÇÃO ( Vm(REAÇÃO) )
Cuidado com o que é pedido....
Velocidade média de consumo ou produção é uma coisa.... e VELOCIDADE MÉDIA DA REAÇÃO é outra coisa.
Para calcular a velocidade média da reação devemos :
Dividir a velocidade média de consumo ou produção pelo respectivo coeficiente da substância na reação...
COMO ASSIM ????.....
Para uma reação genérica: a A + bB  c C a VELOCIDADE MÉDIA DA REAÇÃO é calculada da seguinte maneira
Vm(REAÇÃO) = Vm(A) = Vm(B) = Vm(C)
a b c
Repare que posso usar a velocidade média de qualquer uma das substâncias e dividir pelo seu RESPECTIVO COEFICIENTE.
Desse modo , a velocidade média da reação da decomposição da água oxigenada seria:
2 H2O2  2 H2O + 1 O2 Vm(REAÇÃO) = Vm(H2O2) = Vm(H2O) = Vm(O2)
2 2 1
Vm = | Δ[ ] | = | [ final ] – [ inicial ] |
ΔT tfinal - tinicial
QUÍMICA PROF.: RIKARDO COIMBRA
CINÉTICA QUÍMICA Curso MotivAÇÃO 2009
Curso Motivação – O melhor Pré-Vestibular do Mundo www.curso-motivacao.blogspot.com
3) LEI DE VELOCIDADE
Para assistir a essa aula de Química você veio de São Gonçalo para Niterói de ônibus e deve ter levado no mínimo umas 7 horas....
O motorista deve ter andado a uma velocidade média de 100Km/h para ter chegado rápido assim... Mas eu disse velocidade média,isso
quer dizer que ele andou a todo instante a 100Km/h ? Lógico que não...Em alguns trechos ele andou mais rápido e em outros mais lento.
Nas reações ocorre o mesmo.Calculamos uma velocidade média,mas a velocidade da reação vai variando com tempo...
Então se quisermos descobrir a velocidade da reação em um determinado instante usaremos a expressão da lei de velocidade.
A lei de velocidade é calculada multiplicando uma constante(k) pela concentração dos reagentes elevados a seus coeficientes.
V = K . [REAGENTES]COEFICIENTE
 É SÓ CHAMAR A VELOCIDADE!!!
Para uma reação genérica: a A + b B  c C ................. A expressão da lei de velocidade seria :
V = Velocidade da Reação
V = k.[A]x
. [B]y
k = constante de velocidade ( a uma dada temperatura)
(Chama para você) [A] e [B] = concentração em mol/L dos REAGENTES.
X e Y = expoentes determinados EXPERIMENTALMENTE que NÃO NECESSARIAMENTE
serão os próprios coeficientes na reação....(Cuidado com isso!!! )
OB1 X e Y serão exatamente os coeficientes da reação quando a reação for dita ELEMENTAR ( ocorre em apenas uma etapa)
OB2 Reação ELEMENTAR x Reação NÃO – ELEMENTAR
 Reação ELEMENTAR = é aquela que ocorre em uma ÚNICA etapa....É aquela reação e pronto!!!
 Reação NÃO – ELEMENTAR = ocorre em MAIS DE UMA etapa.
Exemplo: Seja a seguinte reação: 2 A + B A2B
Para termos essa reação como resultante ocorreu um processo em duas etapas:
etapa lenta  A + A A2
etapa rápida  A2 + B A2B
_________________________
Etapa Global 2 A + B A2B
A Lei de Velocidade de uma reação não – elementar é escrita usando os reagentes e coeficientes da etapa lenta.Assim a lei de
velocidade para essa reação ficaria...  v = k [ A ][ A ] ou v = k [ A ]2
*Repare que mesmo o B sendo um reagente ele não participa da lei de velocidade isso porque ele não está incluso na etapa lenta.
*Caso a reação 2A + B  A2B fosse uma reação elementar a lei de velocidade seria : V = K . [A]2
.[B]
Observação : ORDEM DA REAÇÃO
É a soma dos coeficientes da expressão da Lei de Velocidade.Por exemplo se a lei de velocidade for V = K . [A]2
.[B] .A ordem da
reação é a soma do expoente 2 do reagente A mais o expoente 1 do reagente B.Logo a ordem da reação é 2+1 = 3. (ordem 3).
Vamos ver se você entendeu:
Durante a realização de um experimento de decomposição
da amônia (NH3), um estudante montou uma tabela que
apresenta o número de mol dos participantes em função do
tempo:
Utilizando as informações, resolva:
a) Determine a velocidade média de consumo da amônia (NH3) e
de formação do N2 e do H2 em 20 min.
b) Determine a velocidade média da reação.
(Puccamp-SP) A combustão do butano corresponde à
equação:
C4H10 + 6,5 O2  4 CO2 + 5 H2O
Se a velocidade da reação for 0,05 mol
butano/minuto, qual a massa de CO2 produzida
em meia hora? (C = 12, H = 1, O = 16)
Resposta : V(reação) = V(butano) = V(co2)
1 4
0,05 = V(CO2)  V(CO2) = 0,2 mol/min
4
0,2mol ---- 1min 1mol CO2 ----- 44g
X ---- 30min  6molCO2 ----- y
X= 6 mol CO2 y = 264 g
QUÍMICA PROF.: RIKARDO COIMBRA
CINÉTICA QUÍMICA Curso MotivAÇÃO 2009
Curso Motivação – O melhor Pré-Vestibular do Mundo www.curso-motivacao.blogspot.com
4) FATORES QUE INFLUENCIAM A VELOCIDADE DE UMA REAÇÃO
Para você que chegou até aqui mas não conseguiu compreender muita coisa...Preste mais antenção agora então ,porque essa é a
parte mais importante e que mais cai em prova e felizmente é a parte mais fácil de entender...
Os Fatores que vão influenciar na velocidade da reação são :
1. Concentração dos Reagentes
2. Temperatura
3. Superfície de Contato
4. Pressão
5. Catalisador
“Essa parte cai mais que saci com cãibra”
Vamos falar de cada uma separadamente:
I) CONCENTRAÇÃO DOS REAGENTES:
AUMENTANDO A CONCENTRAÇÃO DOS REAGENTES  A VELOCIDADE DA REAÇÃO AUMENTA
Porque isso ocorre?... A explicação é a seguinte: Uma reação química ocorre quando um atómo ou molécula se choca em outro(a).
Desse modo se aumentarmos a quantidade de átomos ou moléculas ( que são os reagentes) a propabilidade de se chocarem entre si
aumentará e com isso a chance de ocorrer a reação aumenta e consequentemente a velocidade.
II) TEMPERATURA
AUMENTANDO A TEMPERATURA  A VELOCIDADE DA REAÇÃO AUMENTA
A explicação é semelhante: o aumento da temperatura faz com que as moléculas se movimentem mais rápido,e como estão se
movimentando mais rápidas a chance de uma molécula se chocar com outra aumenta,consequentemente aumenta a velocidade.
* Porque guardamos os alimentos na geladeira?.... A baixa temperatura da geladeira faz com que as reações químicas de
decomposição dos alimentos se processem mais lentamente e com isso os alimentos se conservam por mais tempo caso se tivessem fora
da geladeira.
* Febre é bom ou ruim? ... É bom!!!A febre é uma resposta do organismo a algum patógeno (ex. bactéria).A temperatura do corpo se
eleva para que as células de defesa atuem em maior velocidade para destruir o patógeno.Por isso se a febre for baixa e suportável vale
a pena ficar um pouco com ela.Mas é claro se tiver incomodando deve-se diminuí-la,pois sabemos que quando a temperatura é alta
demais as enzimas sofrem desnaturação e perdem a função.
Vamos ver se você entendeu:
1.Considere as reações elementares:
a) 2 HCl(g)  H2(g) + Cl2(g)
b) H2(g) + I2(g)  2 HI(g)
c) 2 CO(g) + O2(g)  2 CO2(g)
d) 2 NH3(g)  N2(g) + 3 H2(g)
e) N2(g) + 3 H2(g)  2 NH3(g)
Escreva as equações de velocidade dessas reações.
2. (UFRJ) A hidrazina (N2H4) é utilizada, junto com alguns dos seus
derivados, como combustível sólido nos ônibus espaciais. Sua formação
ocorre em várias etapas:
a) NH3(aq) + OCl
–
(aq)  NH2Cl(aq) + OH
–
(aq) (rápida)
b) NH2Cl(aq) + NH3(aq) N2H5
+
(aq) + Cl–
(aq) (lenta)
c) N2H5
+
(aq) + OH–
(aq)  N2H4(aq) + H2O(l)(rápida)
Escreva a expressão de Lei de velocidade para a reação de formação da
hidrazina.
RESPOSTAS:
1)Todas reações são elementares logo os expoentes serão
os próprios coeficientes da reação
a) V = k .[HCl]2
b) V = k .[H2].[I2]
c) V = k .[CO]2
.[O2]
d) V = k .[NH3]2
e) V = k .[N2]2
.[H2]3
2) A lei de velocidade de uma reação não-elementar é
escrita usando a ETAPA LENTA.
Portando a lei de velocidade será:
V = k .[NH2Cl].[NH3]
QUÍMICA PROF.: RIKARDO COIMBRA
CINÉTICA QUÍMICA Curso MotivAÇÃO 2009
Curso Motivação – O melhor Pré-Vestibular do Mundo www.curso-motivacao.blogspot.com
III) PRESSÃO
AUMENTANDO A PRESSÃO  A VELOCIDADE DA REAÇÃO AUMENTA (para reagentes gasosos)
Isso só vale se tiver reagente gasoso...O aumento da pressão nesse caso ocorre devido a diminuição do volume do recipiente em
que estão contidos os reagentes.Quando o volume do recipiente diminui, o espaço que as moléculas tinham pra se movimentar também
diminui, e com isso a chance das moléculas se chocarem entre si aumenta , e consequentemente a velocidade da reação aumenta.
*Para entender melhor faça a seguinte analogia: Imagine você de olhos vendados com o seu(ua) namorado(a) nas seguintes situações
1- Dentro de uma salão escuro do tamanho de um campo de futebol.
2- Dentro de um quartinho de motel.
Agora vocês começam a se movimentar aletoriamente.Eu vos lhes pergunto: Onde há a maior probabilidade de vocês dois se chocarem
entre si,e desse modo ocorrer uma reação (se é que você me intende)??? Logicamente dentro do motel, pois o espaço é menor...
IV) SUPERFÍCIE DE CONTATO
AUMENTANDO A SUPERFÍCIE DE CONTATO  A VELOCIDADE DA REAÇÃO AUMENTA
Quando um reagente está no estado sólido a reação ocorrerá na sua superfície.Assim quanto mais fragmentado for esse reagente,maior
será o número de choques, e maior será a velocidade da reação.Entenda melhor o que é essa tal de superfície de contato...
*Vamos comparar um prego com uma palha de aço(bombril – Metonímia-).Sabemos que ambos os dois são feito de ferro...
Após molhar os dois, Eu vos lhe pergunto: Qual dos dois irá “molhar” mais???........... O bombril molha mais.Isso porque a água
consegue entrar em contato com uma superfície maior,ou seja,ela consegue penetrar mais no interior da palha de aço.Já no caso do
prego, a água só é capaz de molhar a parte externa do prego, já o interior dele a água não penetra.Desse modo, o bombril terá uma
superfície de contato maior do que o prego,uma vez que o bombril sendo mais fragmentado possibilita a água penetrar mais..
*Outro exemplo: O que cozinha mais rápido: Uma batata inteira ou ela toda picadinha???
A batata picadinha (hum).Isso porque ao fragmentar a batata você estará aumentando a superfície de contato dela com a água quente.
Graficamente comparando uma reação entre um substância em pó e um pedaço da mesma substância.
Essa questão é classica!!!Vai aparecer um grafico igual ou parecido com este e vão lhe
perguntar qual é a curva equivalente ao pó e a curva equivalente ao pedaço.
Observe que a velocidade do pó aumenta mais rapidamente do que a velocidade do pedaço.
V) CATALISADOR
O CATALISADOR AUMENTA A VELOCIDADE DA REAÇÃO
Catalisadores são substâncias que aumentam a velocidade da reação sem serem consumidos.As enzimas são nossos catalisadores
biológicos.
Mas como um catalisador aumenta a velocidade da reação???... O catalisador diminui a energia de ativação necessária para
uma reação acontecer.Desse modo a reação se processa de maneira mais rápida.
Os gráficos clássicos são:
"A corrida não é sempre para o mais rápido ... mas para aquele que continua correndo."
1.Um catalisador acelera a reação,mas não aumenta seu rendimento, isto é, ele produz a mesma quantidade de produto,mas num período de
tempo menor.
2. O catalisador não altera o ΔH da reação.
3. Um catalisador acelera tanto a reação direta quanto a inversa,pois diminui a energia de ativação de ambas.
4. Comparando duas reações: A que tiver menor energia de ativação será a mais rápida.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Downloads 523 2013050718055273fe
Downloads 523 2013050718055273feDownloads 523 2013050718055273fe
Downloads 523 2013050718055273feMayra Souza
 
Slides da aula de Química (Manoel) sobre Cinética Química
Slides da aula de Química (Manoel) sobre Cinética QuímicaSlides da aula de Química (Manoel) sobre Cinética Química
Slides da aula de Química (Manoel) sobre Cinética QuímicaTurma Olímpica
 
Cinética química
Cinética químicaCinética química
Cinética químicaEduardo Lima
 
Aula 13 controle das reações químicas - parte i (cinética química) - 27.04.11
Aula 13   controle das reações químicas - parte i (cinética química) - 27.04.11Aula 13   controle das reações químicas - parte i (cinética química) - 27.04.11
Aula 13 controle das reações químicas - parte i (cinética química) - 27.04.11Nelson Virgilio Carvalho Filho
 
Aula 7 Testes De Estabilidade E Fundamentos De Cinetica Quimica
Aula 7   Testes De Estabilidade E Fundamentos De Cinetica QuimicaAula 7   Testes De Estabilidade E Fundamentos De Cinetica Quimica
Aula 7 Testes De Estabilidade E Fundamentos De Cinetica Quimicanewton.andreo
 
51187144 lista-de-exercicios-1-cinetica
51187144 lista-de-exercicios-1-cinetica51187144 lista-de-exercicios-1-cinetica
51187144 lista-de-exercicios-1-cineticaAlcoa
 
4 análise dos dados cinéticos
4 análise dos dados cinéticos4 análise dos dados cinéticos
4 análise dos dados cinéticosDenis Lima
 
Termoquímica: calorimetria e entalpia padrão de reação
Termoquímica: calorimetria e entalpia padrão de reaçãoTermoquímica: calorimetria e entalpia padrão de reação
Termoquímica: calorimetria e entalpia padrão de reaçãoCarlos Kramer
 
Cinética química professora estela
Cinética química professora estelaCinética química professora estela
Cinética química professora estelaEstela Oliveira
 
Exercicio reagente limitante
Exercicio reagente limitanteExercicio reagente limitante
Exercicio reagente limitanteRogerio Andrade
 
Lei de ação das massas - Lei da velocidade de uma reação química
Lei de ação das massas - Lei da velocidade de uma reação químicaLei de ação das massas - Lei da velocidade de uma reação química
Lei de ação das massas - Lei da velocidade de uma reação químicaCarlos Kramer
 
3 energia reacoes quimicas
3  energia reacoes quimicas3  energia reacoes quimicas
3 energia reacoes quimicasdaniela pinto
 

Mais procurados (20)

Cinética Química
Cinética QuímicaCinética Química
Cinética Química
 
Downloads 523 2013050718055273fe
Downloads 523 2013050718055273feDownloads 523 2013050718055273fe
Downloads 523 2013050718055273fe
 
Slides da aula de Química (Manoel) sobre Cinética Química
Slides da aula de Química (Manoel) sobre Cinética QuímicaSlides da aula de Química (Manoel) sobre Cinética Química
Slides da aula de Química (Manoel) sobre Cinética Química
 
Cinética química
Cinética químicaCinética química
Cinética química
 
Cinética química
Cinética químicaCinética química
Cinética química
 
Aula 13 controle das reações químicas - parte i (cinética química) - 27.04.11
Aula 13   controle das reações químicas - parte i (cinética química) - 27.04.11Aula 13   controle das reações químicas - parte i (cinética química) - 27.04.11
Aula 13 controle das reações químicas - parte i (cinética química) - 27.04.11
 
Aula 7 Testes De Estabilidade E Fundamentos De Cinetica Quimica
Aula 7   Testes De Estabilidade E Fundamentos De Cinetica QuimicaAula 7   Testes De Estabilidade E Fundamentos De Cinetica Quimica
Aula 7 Testes De Estabilidade E Fundamentos De Cinetica Quimica
 
51187144 lista-de-exercicios-1-cinetica
51187144 lista-de-exercicios-1-cinetica51187144 lista-de-exercicios-1-cinetica
51187144 lista-de-exercicios-1-cinetica
 
Cinetica
CineticaCinetica
Cinetica
 
Cinetica
CineticaCinetica
Cinetica
 
Cinetica
CineticaCinetica
Cinetica
 
443 cinética química (1)
443 cinética química (1)443 cinética química (1)
443 cinética química (1)
 
4 análise dos dados cinéticos
4 análise dos dados cinéticos4 análise dos dados cinéticos
4 análise dos dados cinéticos
 
Cinética Química
Cinética QuímicaCinética Química
Cinética Química
 
Termoquímica: calorimetria e entalpia padrão de reação
Termoquímica: calorimetria e entalpia padrão de reaçãoTermoquímica: calorimetria e entalpia padrão de reação
Termoquímica: calorimetria e entalpia padrão de reação
 
Cinética química professora estela
Cinética química professora estelaCinética química professora estela
Cinética química professora estela
 
Exercicio reagente limitante
Exercicio reagente limitanteExercicio reagente limitante
Exercicio reagente limitante
 
Lei de ação das massas - Lei da velocidade de uma reação química
Lei de ação das massas - Lei da velocidade de uma reação químicaLei de ação das massas - Lei da velocidade de uma reação química
Lei de ação das massas - Lei da velocidade de uma reação química
 
3 energia reacoes quimicas
3  energia reacoes quimicas3  energia reacoes quimicas
3 energia reacoes quimicas
 
Lei de hess
Lei de hessLei de hess
Lei de hess
 

Destaque

Folha 4 aula propriedades periodicas
Folha 4 aula propriedades periodicasFolha 4 aula propriedades periodicas
Folha 4 aula propriedades periodicasRikardo Coimbra
 
Folha 2 a estrutura do átomo
Folha 2  a estrutura do átomoFolha 2  a estrutura do átomo
Folha 2 a estrutura do átomoRikardo Coimbra
 
Folha 3 aula tabela periodica
Folha 3 aula tabela periodicaFolha 3 aula tabela periodica
Folha 3 aula tabela periodicaRikardo Coimbra
 
Folha 7 aula polaridade das moleculas
Folha 7 aula polaridade das moleculasFolha 7 aula polaridade das moleculas
Folha 7 aula polaridade das moleculasRikardo Coimbra
 
Folha 14 aula reções inorgânicas
Folha 14 aula reções inorgânicasFolha 14 aula reções inorgânicas
Folha 14 aula reções inorgânicasRikardo Coimbra
 
Folha 17 aula soluções
Folha 17 aula soluçõesFolha 17 aula soluções
Folha 17 aula soluçõesRikardo Coimbra
 
Folha 6 aula geometria molecular
Folha 6 aula geometria molecularFolha 6 aula geometria molecular
Folha 6 aula geometria molecularRikardo Coimbra
 
Folha 9 aula forças intermoleculares
Folha 9 aula forças intermolecularesFolha 9 aula forças intermoleculares
Folha 9 aula forças intermolecularesRikardo Coimbra
 
Folha 16 aula condutividade elétrica
Folha 16 aula condutividade elétricaFolha 16 aula condutividade elétrica
Folha 16 aula condutividade elétricaRikardo Coimbra
 

Destaque (15)

Folha 4 aula propriedades periodicas
Folha 4 aula propriedades periodicasFolha 4 aula propriedades periodicas
Folha 4 aula propriedades periodicas
 
Folha 18 aula p h e poh
Folha 18 aula p h e pohFolha 18 aula p h e poh
Folha 18 aula p h e poh
 
Folha 2 a estrutura do átomo
Folha 2  a estrutura do átomoFolha 2  a estrutura do átomo
Folha 2 a estrutura do átomo
 
Folha 19 aula hidrolise
Folha 19 aula hidroliseFolha 19 aula hidrolise
Folha 19 aula hidrolise
 
Folha 3 aula tabela periodica
Folha 3 aula tabela periodicaFolha 3 aula tabela periodica
Folha 3 aula tabela periodica
 
Folha 15 aula mol
Folha 15 aula molFolha 15 aula mol
Folha 15 aula mol
 
Folha 7 aula polaridade das moleculas
Folha 7 aula polaridade das moleculasFolha 7 aula polaridade das moleculas
Folha 7 aula polaridade das moleculas
 
Folha 14 aula reções inorgânicas
Folha 14 aula reções inorgânicasFolha 14 aula reções inorgânicas
Folha 14 aula reções inorgânicas
 
Folha 10 aula óxidos
Folha 10  aula óxidosFolha 10  aula óxidos
Folha 10 aula óxidos
 
Folha 17 aula soluções
Folha 17 aula soluçõesFolha 17 aula soluções
Folha 17 aula soluções
 
Folha 6 aula geometria molecular
Folha 6 aula geometria molecularFolha 6 aula geometria molecular
Folha 6 aula geometria molecular
 
Folha 13 aula sais
Folha 13 aula saisFolha 13 aula sais
Folha 13 aula sais
 
Folha 9 aula forças intermoleculares
Folha 9 aula forças intermolecularesFolha 9 aula forças intermoleculares
Folha 9 aula forças intermoleculares
 
Folha 16 aula condutividade elétrica
Folha 16 aula condutividade elétricaFolha 16 aula condutividade elétrica
Folha 16 aula condutividade elétrica
 
Folha 12 acidos
Folha 12 acidosFolha 12 acidos
Folha 12 acidos
 

Semelhante a Folha 21 aula cinetica

Cinética Química
Cinética QuímicaCinética Química
Cinética QuímicaVinny Silva
 
Resumo te rico cin-tica qu-mica.QUIMICA
Resumo te rico cin-tica qu-mica.QUIMICAResumo te rico cin-tica qu-mica.QUIMICA
Resumo te rico cin-tica qu-mica.QUIMICAcolegioexpansao
 
ACFrOgDUJEqAF2_I5uQo9RhDzfWyBNsyYlnnb526svRv16Q4pQA-fSsfEdJdXZ6XR6nbm4c0n5dlq...
ACFrOgDUJEqAF2_I5uQo9RhDzfWyBNsyYlnnb526svRv16Q4pQA-fSsfEdJdXZ6XR6nbm4c0n5dlq...ACFrOgDUJEqAF2_I5uQo9RhDzfWyBNsyYlnnb526svRv16Q4pQA-fSsfEdJdXZ6XR6nbm4c0n5dlq...
ACFrOgDUJEqAF2_I5uQo9RhDzfWyBNsyYlnnb526svRv16Q4pQA-fSsfEdJdXZ6XR6nbm4c0n5dlq...PesquisaCampoCampoPe
 
apostila segundo ano ensino médio coc cinética quimica
apostila segundo ano ensino médio coc cinética quimicaapostila segundo ano ensino médio coc cinética quimica
apostila segundo ano ensino médio coc cinética quimicaDeisemariadeOliveira1
 
cinticaqumica-141002231720-phpapp. 02.pdf
cinticaqumica-141002231720-phpapp. 02.pdfcinticaqumica-141002231720-phpapp. 02.pdf
cinticaqumica-141002231720-phpapp. 02.pdfMariaCeclia811680
 
apresentação de Cinetica Quimica turma do terceiro ano
apresentação de Cinetica Quimica turma do terceiro anoapresentação de Cinetica Quimica turma do terceiro ano
apresentação de Cinetica Quimica turma do terceiro anoIgorAngel1
 
3a. aula química geral.pptx
3a. aula química geral.pptx3a. aula química geral.pptx
3a. aula química geral.pptxArionZandonaFilho
 
Cinetica Quimica, ENSINO MÉDIO.ppt.pptx
Cinetica Quimica, ENSINO MÉDIO.ppt.pptxCinetica Quimica, ENSINO MÉDIO.ppt.pptx
Cinetica Quimica, ENSINO MÉDIO.ppt.pptxMistaelPantojaLeao
 
Cinetica quimica
Cinetica quimicaCinetica quimica
Cinetica quimicaLiana Maia
 
Exercicios de cinetica_quimica
Exercicios de cinetica_quimicaExercicios de cinetica_quimica
Exercicios de cinetica_quimicaAndre Costa
 

Semelhante a Folha 21 aula cinetica (20)

Cinética Química
Cinética QuímicaCinética Química
Cinética Química
 
Resumo te rico cin-tica qu-mica.QUIMICA
Resumo te rico cin-tica qu-mica.QUIMICAResumo te rico cin-tica qu-mica.QUIMICA
Resumo te rico cin-tica qu-mica.QUIMICA
 
ACFrOgDUJEqAF2_I5uQo9RhDzfWyBNsyYlnnb526svRv16Q4pQA-fSsfEdJdXZ6XR6nbm4c0n5dlq...
ACFrOgDUJEqAF2_I5uQo9RhDzfWyBNsyYlnnb526svRv16Q4pQA-fSsfEdJdXZ6XR6nbm4c0n5dlq...ACFrOgDUJEqAF2_I5uQo9RhDzfWyBNsyYlnnb526svRv16Q4pQA-fSsfEdJdXZ6XR6nbm4c0n5dlq...
ACFrOgDUJEqAF2_I5uQo9RhDzfWyBNsyYlnnb526svRv16Q4pQA-fSsfEdJdXZ6XR6nbm4c0n5dlq...
 
Cinetica
CineticaCinetica
Cinetica
 
apostila segundo ano ensino médio coc cinética quimica
apostila segundo ano ensino médio coc cinética quimicaapostila segundo ano ensino médio coc cinética quimica
apostila segundo ano ensino médio coc cinética quimica
 
cinticaqumica-141002231720-phpapp. 02.pdf
cinticaqumica-141002231720-phpapp. 02.pdfcinticaqumica-141002231720-phpapp. 02.pdf
cinticaqumica-141002231720-phpapp. 02.pdf
 
Cinética química
Cinética químicaCinética química
Cinética química
 
Ana nery cinética química
Ana nery   cinética químicaAna nery   cinética química
Ana nery cinética química
 
apresentação de Cinetica Quimica turma do terceiro ano
apresentação de Cinetica Quimica turma do terceiro anoapresentação de Cinetica Quimica turma do terceiro ano
apresentação de Cinetica Quimica turma do terceiro ano
 
Slides_-_Aula_7.pdf
Slides_-_Aula_7.pdfSlides_-_Aula_7.pdf
Slides_-_Aula_7.pdf
 
Quim04 livro-propostos
Quim04 livro-propostosQuim04 livro-propostos
Quim04 livro-propostos
 
Apostila de química 2013 3 col 1 bim.
Apostila de química 2013  3 col  1 bim.Apostila de química 2013  3 col  1 bim.
Apostila de química 2013 3 col 1 bim.
 
3a. aula química geral.pptx
3a. aula química geral.pptx3a. aula química geral.pptx
3a. aula química geral.pptx
 
Cinética química
Cinética químicaCinética química
Cinética química
 
Cinetica Quimica, ENSINO MÉDIO.ppt.pptx
Cinetica Quimica, ENSINO MÉDIO.ppt.pptxCinetica Quimica, ENSINO MÉDIO.ppt.pptx
Cinetica Quimica, ENSINO MÉDIO.ppt.pptx
 
Cinética química
Cinética químicaCinética química
Cinética química
 
Química
QuímicaQuímica
Química
 
Apostila 2c2ba-ano
Apostila 2c2ba-anoApostila 2c2ba-ano
Apostila 2c2ba-ano
 
Cinetica quimica
Cinetica quimicaCinetica quimica
Cinetica quimica
 
Exercicios de cinetica_quimica
Exercicios de cinetica_quimicaExercicios de cinetica_quimica
Exercicios de cinetica_quimica
 

Mais de Rikardo Coimbra

Folha 11 aula hidróxidos
Folha 11  aula hidróxidosFolha 11  aula hidróxidos
Folha 11 aula hidróxidosRikardo Coimbra
 
Folha 5 aula ligações químicas
Folha 5 aula ligações químicasFolha 5 aula ligações químicas
Folha 5 aula ligações químicasRikardo Coimbra
 
Folha 1 aula modelos atomicos
Folha 1 aula modelos atomicosFolha 1 aula modelos atomicos
Folha 1 aula modelos atomicosRikardo Coimbra
 
Capa da apostila quimica é bom
Capa da apostila   quimica é bomCapa da apostila   quimica é bom
Capa da apostila quimica é bomRikardo Coimbra
 
Aula Óxidos..EXCELENTE - Professor Rikardo Coimbra
Aula Óxidos..EXCELENTE - Professor Rikardo CoimbraAula Óxidos..EXCELENTE - Professor Rikardo Coimbra
Aula Óxidos..EXCELENTE - Professor Rikardo CoimbraRikardo Coimbra
 

Mais de Rikardo Coimbra (6)

Folha 11 aula hidróxidos
Folha 11  aula hidróxidosFolha 11  aula hidróxidos
Folha 11 aula hidróxidos
 
Folha 8 nox
Folha 8  noxFolha 8  nox
Folha 8 nox
 
Folha 5 aula ligações químicas
Folha 5 aula ligações químicasFolha 5 aula ligações químicas
Folha 5 aula ligações químicas
 
Folha 1 aula modelos atomicos
Folha 1 aula modelos atomicosFolha 1 aula modelos atomicos
Folha 1 aula modelos atomicos
 
Capa da apostila quimica é bom
Capa da apostila   quimica é bomCapa da apostila   quimica é bom
Capa da apostila quimica é bom
 
Aula Óxidos..EXCELENTE - Professor Rikardo Coimbra
Aula Óxidos..EXCELENTE - Professor Rikardo CoimbraAula Óxidos..EXCELENTE - Professor Rikardo Coimbra
Aula Óxidos..EXCELENTE - Professor Rikardo Coimbra
 

Último

Apresentação | Símbolos e Valores da União Europeia
Apresentação | Símbolos e Valores da União EuropeiaApresentação | Símbolos e Valores da União Europeia
Apresentação | Símbolos e Valores da União EuropeiaCentro Jacques Delors
 
Quiz | Dia da Europa 2024 (comemoração)
Quiz | Dia da Europa 2024  (comemoração)Quiz | Dia da Europa 2024  (comemoração)
Quiz | Dia da Europa 2024 (comemoração)Centro Jacques Delors
 
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)Centro Jacques Delors
 
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco LeiteReligiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leiteprofesfrancleite
 
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São PauloCurrículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Pauloririg29454
 
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfSQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfAndersonW5
 
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autoresModelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autoresAna Isabel Correia
 
São Damião, missionário entre os leprosos de Molokai, Havaí.pptx
São Damião, missionário entre os leprosos de Molokai, Havaí.pptxSão Damião, missionário entre os leprosos de Molokai, Havaí.pptx
São Damião, missionário entre os leprosos de Molokai, Havaí.pptxMartin M Flynn
 
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentesMaio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentesMary Alvarenga
 
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - materialFUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - materialDouglasVasconcelosMa
 
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...marioeugenio8
 
Quando a escola é de vidro, de Ruth Rocha
Quando a escola é de vidro, de Ruth RochaQuando a escola é de vidro, de Ruth Rocha
Quando a escola é de vidro, de Ruth RochaREGIANELAURALOUREIRO1
 
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptxnelsontobontrujillo
 
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptxQuímica-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptxKeslleyAFerreira
 
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdfCarinaSofiaDiasBoteq
 
Slides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptx
Slides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptxSlides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptx
Slides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na ÁfricaPeriodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na Áfricajuekfuek
 

Último (20)

Apresentação | Símbolos e Valores da União Europeia
Apresentação | Símbolos e Valores da União EuropeiaApresentação | Símbolos e Valores da União Europeia
Apresentação | Símbolos e Valores da União Europeia
 
Quiz | Dia da Europa 2024 (comemoração)
Quiz | Dia da Europa 2024  (comemoração)Quiz | Dia da Europa 2024  (comemoração)
Quiz | Dia da Europa 2024 (comemoração)
 
Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja
 
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)
 
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco LeiteReligiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
 
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São PauloCurrículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
 
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfSQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
 
Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.
 
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autoresModelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
 
São Damião, missionário entre os leprosos de Molokai, Havaí.pptx
São Damião, missionário entre os leprosos de Molokai, Havaí.pptxSão Damião, missionário entre os leprosos de Molokai, Havaí.pptx
São Damião, missionário entre os leprosos de Molokai, Havaí.pptx
 
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentesMaio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
 
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - materialFUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
 
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
 
Quando a escola é de vidro, de Ruth Rocha
Quando a escola é de vidro, de Ruth RochaQuando a escola é de vidro, de Ruth Rocha
Quando a escola é de vidro, de Ruth Rocha
 
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
 
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
 
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptxQuímica-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
 
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
 
Slides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptx
Slides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptxSlides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptx
Slides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptx
 
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na ÁfricaPeriodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
 

Folha 21 aula cinetica

  • 1. QUÍMICA PROF.: RIKARDO COIMBRA CINÉTICA QUÍMICA Curso MotivAÇÃO 2009 Curso Motivação – O melhor Pré-Vestibular do Mundo www.curso-motivacao.blogspot.com  A Cinética Química é parte da química que estuda a velocidade com que as reações acontecem.  Considere a seguinte reação de decomposição da água oxigenada: 1) VELOCIDADE MÉDIA ( Vm ) Na física você aprende a calcular velocidade média como sendo ΔS sobre ΔT . Na química é semelhante, só que ao invés de trabalharmos com a variação de espaço, vamos trabalhar com concetração. Portanto a velocidade média de consumo ou produção de uma substânica será calculada da seguinte maneira: Usamos o módulo ( | |),usado na matematica, para que o valor da velocidade não fique negativa quando queremos calcular a velocidade de consumo do reagente. 10 ) Vamos calcular a velocidade média de consumo da água oxigenada (H2O2) nos primeiros 10 minutos: No Tempo 0 min = [H2O2] = 0,8 Vm(H2O2) = | Δ[H2O2] | = | 0,5 - 0,8 | = | -0,3 | = 0,03 mol/L.min No Tempo 10min= [H2O2] = 0,5 ΔT 10 - 0 10 20 ) Vamos calcular a velocidade média de consumo da água oxigenada (H2O2) nos primeiros 20 minutos: No Tempo 0 min = [H2O2] = 0,8 Vm(H2O2) = | Δ[H2O2] | = | 0,3 -0,8 | = | -0,5 | = 0,025 mol/L.min No Tempo 20min= [H2O2] = 0,3 ΔT 20 - 0 20 30 ) Vamos calcular a velocidade média de produção de oxigênio (O2) nos primeiros entre o tempo 10 e 20 minutos: No Tempo 10 min = [O2] = 0,15 Vm(H2O2) = | Δ[H2O2] | = | 0,25 -0,15 | = | -0,1 | = 0,01 mol/L.min No Tempo 20min = [O2] = 0,25 ΔT 20 - 10 10 Pode-se pedir a velocidade de qualquer substância participante e em qualquer intervalo de tempo.Quando a substância é um reagente falamos em velocidade de consumo,e quando for um produto falamos em velocidade de produção.Mas o jeito de calcular é o mesmo. 2) VELOCIDADE MÉDIA DA REAÇÃO ( Vm(REAÇÃO) ) Cuidado com o que é pedido.... Velocidade média de consumo ou produção é uma coisa.... e VELOCIDADE MÉDIA DA REAÇÃO é outra coisa. Para calcular a velocidade média da reação devemos : Dividir a velocidade média de consumo ou produção pelo respectivo coeficiente da substância na reação... COMO ASSIM ????..... Para uma reação genérica: a A + bB  c C a VELOCIDADE MÉDIA DA REAÇÃO é calculada da seguinte maneira Vm(REAÇÃO) = Vm(A) = Vm(B) = Vm(C) a b c Repare que posso usar a velocidade média de qualquer uma das substâncias e dividir pelo seu RESPECTIVO COEFICIENTE. Desse modo , a velocidade média da reação da decomposição da água oxigenada seria: 2 H2O2  2 H2O + 1 O2 Vm(REAÇÃO) = Vm(H2O2) = Vm(H2O) = Vm(O2) 2 2 1 Vm = | Δ[ ] | = | [ final ] – [ inicial ] | ΔT tfinal - tinicial
  • 2. QUÍMICA PROF.: RIKARDO COIMBRA CINÉTICA QUÍMICA Curso MotivAÇÃO 2009 Curso Motivação – O melhor Pré-Vestibular do Mundo www.curso-motivacao.blogspot.com 3) LEI DE VELOCIDADE Para assistir a essa aula de Química você veio de São Gonçalo para Niterói de ônibus e deve ter levado no mínimo umas 7 horas.... O motorista deve ter andado a uma velocidade média de 100Km/h para ter chegado rápido assim... Mas eu disse velocidade média,isso quer dizer que ele andou a todo instante a 100Km/h ? Lógico que não...Em alguns trechos ele andou mais rápido e em outros mais lento. Nas reações ocorre o mesmo.Calculamos uma velocidade média,mas a velocidade da reação vai variando com tempo... Então se quisermos descobrir a velocidade da reação em um determinado instante usaremos a expressão da lei de velocidade. A lei de velocidade é calculada multiplicando uma constante(k) pela concentração dos reagentes elevados a seus coeficientes. V = K . [REAGENTES]COEFICIENTE  É SÓ CHAMAR A VELOCIDADE!!! Para uma reação genérica: a A + b B  c C ................. A expressão da lei de velocidade seria : V = Velocidade da Reação V = k.[A]x . [B]y k = constante de velocidade ( a uma dada temperatura) (Chama para você) [A] e [B] = concentração em mol/L dos REAGENTES. X e Y = expoentes determinados EXPERIMENTALMENTE que NÃO NECESSARIAMENTE serão os próprios coeficientes na reação....(Cuidado com isso!!! ) OB1 X e Y serão exatamente os coeficientes da reação quando a reação for dita ELEMENTAR ( ocorre em apenas uma etapa) OB2 Reação ELEMENTAR x Reação NÃO – ELEMENTAR  Reação ELEMENTAR = é aquela que ocorre em uma ÚNICA etapa....É aquela reação e pronto!!!  Reação NÃO – ELEMENTAR = ocorre em MAIS DE UMA etapa. Exemplo: Seja a seguinte reação: 2 A + B A2B Para termos essa reação como resultante ocorreu um processo em duas etapas: etapa lenta  A + A A2 etapa rápida  A2 + B A2B _________________________ Etapa Global 2 A + B A2B A Lei de Velocidade de uma reação não – elementar é escrita usando os reagentes e coeficientes da etapa lenta.Assim a lei de velocidade para essa reação ficaria...  v = k [ A ][ A ] ou v = k [ A ]2 *Repare que mesmo o B sendo um reagente ele não participa da lei de velocidade isso porque ele não está incluso na etapa lenta. *Caso a reação 2A + B  A2B fosse uma reação elementar a lei de velocidade seria : V = K . [A]2 .[B] Observação : ORDEM DA REAÇÃO É a soma dos coeficientes da expressão da Lei de Velocidade.Por exemplo se a lei de velocidade for V = K . [A]2 .[B] .A ordem da reação é a soma do expoente 2 do reagente A mais o expoente 1 do reagente B.Logo a ordem da reação é 2+1 = 3. (ordem 3). Vamos ver se você entendeu: Durante a realização de um experimento de decomposição da amônia (NH3), um estudante montou uma tabela que apresenta o número de mol dos participantes em função do tempo: Utilizando as informações, resolva: a) Determine a velocidade média de consumo da amônia (NH3) e de formação do N2 e do H2 em 20 min. b) Determine a velocidade média da reação. (Puccamp-SP) A combustão do butano corresponde à equação: C4H10 + 6,5 O2  4 CO2 + 5 H2O Se a velocidade da reação for 0,05 mol butano/minuto, qual a massa de CO2 produzida em meia hora? (C = 12, H = 1, O = 16) Resposta : V(reação) = V(butano) = V(co2) 1 4 0,05 = V(CO2)  V(CO2) = 0,2 mol/min 4 0,2mol ---- 1min 1mol CO2 ----- 44g X ---- 30min  6molCO2 ----- y X= 6 mol CO2 y = 264 g
  • 3. QUÍMICA PROF.: RIKARDO COIMBRA CINÉTICA QUÍMICA Curso MotivAÇÃO 2009 Curso Motivação – O melhor Pré-Vestibular do Mundo www.curso-motivacao.blogspot.com 4) FATORES QUE INFLUENCIAM A VELOCIDADE DE UMA REAÇÃO Para você que chegou até aqui mas não conseguiu compreender muita coisa...Preste mais antenção agora então ,porque essa é a parte mais importante e que mais cai em prova e felizmente é a parte mais fácil de entender... Os Fatores que vão influenciar na velocidade da reação são : 1. Concentração dos Reagentes 2. Temperatura 3. Superfície de Contato 4. Pressão 5. Catalisador “Essa parte cai mais que saci com cãibra” Vamos falar de cada uma separadamente: I) CONCENTRAÇÃO DOS REAGENTES: AUMENTANDO A CONCENTRAÇÃO DOS REAGENTES  A VELOCIDADE DA REAÇÃO AUMENTA Porque isso ocorre?... A explicação é a seguinte: Uma reação química ocorre quando um atómo ou molécula se choca em outro(a). Desse modo se aumentarmos a quantidade de átomos ou moléculas ( que são os reagentes) a propabilidade de se chocarem entre si aumentará e com isso a chance de ocorrer a reação aumenta e consequentemente a velocidade. II) TEMPERATURA AUMENTANDO A TEMPERATURA  A VELOCIDADE DA REAÇÃO AUMENTA A explicação é semelhante: o aumento da temperatura faz com que as moléculas se movimentem mais rápido,e como estão se movimentando mais rápidas a chance de uma molécula se chocar com outra aumenta,consequentemente aumenta a velocidade. * Porque guardamos os alimentos na geladeira?.... A baixa temperatura da geladeira faz com que as reações químicas de decomposição dos alimentos se processem mais lentamente e com isso os alimentos se conservam por mais tempo caso se tivessem fora da geladeira. * Febre é bom ou ruim? ... É bom!!!A febre é uma resposta do organismo a algum patógeno (ex. bactéria).A temperatura do corpo se eleva para que as células de defesa atuem em maior velocidade para destruir o patógeno.Por isso se a febre for baixa e suportável vale a pena ficar um pouco com ela.Mas é claro se tiver incomodando deve-se diminuí-la,pois sabemos que quando a temperatura é alta demais as enzimas sofrem desnaturação e perdem a função. Vamos ver se você entendeu: 1.Considere as reações elementares: a) 2 HCl(g)  H2(g) + Cl2(g) b) H2(g) + I2(g)  2 HI(g) c) 2 CO(g) + O2(g)  2 CO2(g) d) 2 NH3(g)  N2(g) + 3 H2(g) e) N2(g) + 3 H2(g)  2 NH3(g) Escreva as equações de velocidade dessas reações. 2. (UFRJ) A hidrazina (N2H4) é utilizada, junto com alguns dos seus derivados, como combustível sólido nos ônibus espaciais. Sua formação ocorre em várias etapas: a) NH3(aq) + OCl – (aq)  NH2Cl(aq) + OH – (aq) (rápida) b) NH2Cl(aq) + NH3(aq) N2H5 + (aq) + Cl– (aq) (lenta) c) N2H5 + (aq) + OH– (aq)  N2H4(aq) + H2O(l)(rápida) Escreva a expressão de Lei de velocidade para a reação de formação da hidrazina. RESPOSTAS: 1)Todas reações são elementares logo os expoentes serão os próprios coeficientes da reação a) V = k .[HCl]2 b) V = k .[H2].[I2] c) V = k .[CO]2 .[O2] d) V = k .[NH3]2 e) V = k .[N2]2 .[H2]3 2) A lei de velocidade de uma reação não-elementar é escrita usando a ETAPA LENTA. Portando a lei de velocidade será: V = k .[NH2Cl].[NH3]
  • 4. QUÍMICA PROF.: RIKARDO COIMBRA CINÉTICA QUÍMICA Curso MotivAÇÃO 2009 Curso Motivação – O melhor Pré-Vestibular do Mundo www.curso-motivacao.blogspot.com III) PRESSÃO AUMENTANDO A PRESSÃO  A VELOCIDADE DA REAÇÃO AUMENTA (para reagentes gasosos) Isso só vale se tiver reagente gasoso...O aumento da pressão nesse caso ocorre devido a diminuição do volume do recipiente em que estão contidos os reagentes.Quando o volume do recipiente diminui, o espaço que as moléculas tinham pra se movimentar também diminui, e com isso a chance das moléculas se chocarem entre si aumenta , e consequentemente a velocidade da reação aumenta. *Para entender melhor faça a seguinte analogia: Imagine você de olhos vendados com o seu(ua) namorado(a) nas seguintes situações 1- Dentro de uma salão escuro do tamanho de um campo de futebol. 2- Dentro de um quartinho de motel. Agora vocês começam a se movimentar aletoriamente.Eu vos lhes pergunto: Onde há a maior probabilidade de vocês dois se chocarem entre si,e desse modo ocorrer uma reação (se é que você me intende)??? Logicamente dentro do motel, pois o espaço é menor... IV) SUPERFÍCIE DE CONTATO AUMENTANDO A SUPERFÍCIE DE CONTATO  A VELOCIDADE DA REAÇÃO AUMENTA Quando um reagente está no estado sólido a reação ocorrerá na sua superfície.Assim quanto mais fragmentado for esse reagente,maior será o número de choques, e maior será a velocidade da reação.Entenda melhor o que é essa tal de superfície de contato... *Vamos comparar um prego com uma palha de aço(bombril – Metonímia-).Sabemos que ambos os dois são feito de ferro... Após molhar os dois, Eu vos lhe pergunto: Qual dos dois irá “molhar” mais???........... O bombril molha mais.Isso porque a água consegue entrar em contato com uma superfície maior,ou seja,ela consegue penetrar mais no interior da palha de aço.Já no caso do prego, a água só é capaz de molhar a parte externa do prego, já o interior dele a água não penetra.Desse modo, o bombril terá uma superfície de contato maior do que o prego,uma vez que o bombril sendo mais fragmentado possibilita a água penetrar mais.. *Outro exemplo: O que cozinha mais rápido: Uma batata inteira ou ela toda picadinha??? A batata picadinha (hum).Isso porque ao fragmentar a batata você estará aumentando a superfície de contato dela com a água quente. Graficamente comparando uma reação entre um substância em pó e um pedaço da mesma substância. Essa questão é classica!!!Vai aparecer um grafico igual ou parecido com este e vão lhe perguntar qual é a curva equivalente ao pó e a curva equivalente ao pedaço. Observe que a velocidade do pó aumenta mais rapidamente do que a velocidade do pedaço. V) CATALISADOR O CATALISADOR AUMENTA A VELOCIDADE DA REAÇÃO Catalisadores são substâncias que aumentam a velocidade da reação sem serem consumidos.As enzimas são nossos catalisadores biológicos. Mas como um catalisador aumenta a velocidade da reação???... O catalisador diminui a energia de ativação necessária para uma reação acontecer.Desse modo a reação se processa de maneira mais rápida. Os gráficos clássicos são: "A corrida não é sempre para o mais rápido ... mas para aquele que continua correndo." 1.Um catalisador acelera a reação,mas não aumenta seu rendimento, isto é, ele produz a mesma quantidade de produto,mas num período de tempo menor. 2. O catalisador não altera o ΔH da reação. 3. Um catalisador acelera tanto a reação direta quanto a inversa,pois diminui a energia de ativação de ambas. 4. Comparando duas reações: A que tiver menor energia de ativação será a mais rápida.