SlideShare uma empresa Scribd logo

Resumo te rico cin-tica qu-mica.QUIMICA

Aula de Química para os alunos do 2º Ano do Ensino Médio - Colégio Expansão.

1 de 45
Baixar para ler offline
Prof. MSc. Helieder Cortes Freitas
Colégio Expansão
É a parte da química que
estuda a velocidade das
reações químicas e os fatores
que nela influem.
1) DEFINIÇÃO.
 Rápidas: neutralizações em meio
aquoso, combustões,...
2) CLASSIFICAÇÃO
DAS REAÇÕES.
a - Quanto à velocidade.
 Lentas: fermentações, formação
de ferrugem,...
2a etapa (lenta) : N2O2(g) + O2(g)  2 NO2(g)
 Complexas : ocorrem em duas ou mais etapas.
b – Quanto ao mecanismo da reação.
 Elementares : ocorrem numa só etapa.
Ex: 2 NO(g) + O2(g)  2 NO2(g)
Ex: H2(g) + I2(g)  2 HI
1a etapa (rápida) : 2 NO(g)  N2O2(g)
reação global : 2 NO(g) + O2(g)  2 NO2(g)
a - Velocidade média (Vm)
Representa a variação na quantidade
de um reagente ou produto num
intervalo de tempo.
t
C
ou
t
V
ou
t
n
ou
t
m
vm









m = massa, n = no mols, V = volume, C = concentração molar
3) VELOCIDADE DAS
REAÇÕES.
Vm = │∆quantidade│
∆tempo
OBS:
• para os reagentes podemos calcular a
velocidade em módulo.
 Para produtos: Vm = ∆[ produtos]
∆ t
• A Vm dos reagentes também é chamada de
velocidade de desaparecimento e a Vm dos
produtos de velocidade de formação.
 Para reagentes: Vm = – ∆[ reagentes]
∆ t

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

Cinetica quimica trabalho
Cinetica quimica trabalhoCinetica quimica trabalho
Cinetica quimica trabalho
 
Aula de equilíbrio quimico
Aula de equilíbrio quimicoAula de equilíbrio quimico
Aula de equilíbrio quimico
 
Equilíbrio Químico
Equilíbrio QuímicoEquilíbrio Químico
Equilíbrio Químico
 
Aula de cinética quimica
Aula de cinética quimicaAula de cinética quimica
Aula de cinética quimica
 
Equilibrio Químico
Equilibrio QuímicoEquilibrio Químico
Equilibrio Químico
 
Aula 25 reações radicalares
Aula 25  reações radicalaresAula 25  reações radicalares
Aula 25 reações radicalares
 
Cinética Química
Cinética QuímicaCinética Química
Cinética Química
 
Massa atômica, massa molecular, mol
Massa atômica, massa molecular, molMassa atômica, massa molecular, mol
Massa atômica, massa molecular, mol
 
Química introdução
Química   introduçãoQuímica   introdução
Química introdução
 
Reações orgânicas em power point
Reações orgânicas em power pointReações orgânicas em power point
Reações orgânicas em power point
 
Eletroquímica
EletroquímicaEletroquímica
Eletroquímica
 
Reações químicas ppt
Reações químicas pptReações químicas ppt
Reações químicas ppt
 
Reações Químicas
Reações QuímicasReações Químicas
Reações Químicas
 
Termoquímica
TermoquímicaTermoquímica
Termoquímica
 
Cinética química
Cinética químicaCinética química
Cinética química
 
Reações químicas
Reações químicasReações químicas
Reações químicas
 
Leis ponderais
Leis ponderais Leis ponderais
Leis ponderais
 
MATÉRIA E SUAS TRANSFORMAÇÕES- 1 ANO.pptx
MATÉRIA E SUAS TRANSFORMAÇÕES- 1 ANO.pptxMATÉRIA E SUAS TRANSFORMAÇÕES- 1 ANO.pptx
MATÉRIA E SUAS TRANSFORMAÇÕES- 1 ANO.pptx
 
Cinética química
Cinética químicaCinética química
Cinética química
 
Lei de hess
Lei de hessLei de hess
Lei de hess
 

Semelhante a Resumo te rico cin-tica qu-mica.QUIMICA

Cinética Química - Fisico-química
Cinética Química - Fisico-químicaCinética Química - Fisico-química
Cinética Química - Fisico-químicaDanilo Alves
 
Cinética Química
Cinética QuímicaCinética Química
Cinética QuímicaVinny Silva
 
cinticaqumica-141002231720-phpapp. 02.pdf
cinticaqumica-141002231720-phpapp. 02.pdfcinticaqumica-141002231720-phpapp. 02.pdf
cinticaqumica-141002231720-phpapp. 02.pdfMariaCeclia811680
 
Slides da aula de Química (Manoel) sobre Cinética Química
Slides da aula de Química (Manoel) sobre Cinética QuímicaSlides da aula de Química (Manoel) sobre Cinética Química
Slides da aula de Química (Manoel) sobre Cinética QuímicaTurma Olímpica
 
Downloads 523 2013050718055273fe
Downloads 523 2013050718055273feDownloads 523 2013050718055273fe
Downloads 523 2013050718055273feMayra Souza
 
Cinetica Quimica, ENSINO MÉDIO.ppt.pptx
Cinetica Quimica, ENSINO MÉDIO.ppt.pptxCinetica Quimica, ENSINO MÉDIO.ppt.pptx
Cinetica Quimica, ENSINO MÉDIO.ppt.pptxMistaelPantojaLeao
 
Cinética química professora estela
Cinética química professora estelaCinética química professora estela
Cinética química professora estelaEstela Oliveira
 
Reacções químicas
Reacções químicasReacções químicas
Reacções químicascatarina1982
 
3a. aula química geral.pptx
3a. aula química geral.pptx3a. aula química geral.pptx
3a. aula química geral.pptxArionZandonaFilho
 

Semelhante a Resumo te rico cin-tica qu-mica.QUIMICA (20)

Cinetica
CineticaCinetica
Cinetica
 
Cinetica
CineticaCinetica
Cinetica
 
Cinética Química
Cinética QuímicaCinética Química
Cinética Química
 
Cinética Química - Fisico-química
Cinética Química - Fisico-químicaCinética Química - Fisico-química
Cinética Química - Fisico-química
 
Cinética Química
Cinética QuímicaCinética Química
Cinética Química
 
Cinetica
CineticaCinetica
Cinetica
 
Ana nery cinética química
Ana nery   cinética químicaAna nery   cinética química
Ana nery cinética química
 
cinticaqumica-141002231720-phpapp. 02.pdf
cinticaqumica-141002231720-phpapp. 02.pdfcinticaqumica-141002231720-phpapp. 02.pdf
cinticaqumica-141002231720-phpapp. 02.pdf
 
Apostila de química 2013 3 col 1 bim.
Apostila de química 2013  3 col  1 bim.Apostila de química 2013  3 col  1 bim.
Apostila de química 2013 3 col 1 bim.
 
Slides da aula de Química (Manoel) sobre Cinética Química
Slides da aula de Química (Manoel) sobre Cinética QuímicaSlides da aula de Química (Manoel) sobre Cinética Química
Slides da aula de Química (Manoel) sobre Cinética Química
 
Cinetica
CineticaCinetica
Cinetica
 
Downloads 523 2013050718055273fe
Downloads 523 2013050718055273feDownloads 523 2013050718055273fe
Downloads 523 2013050718055273fe
 
Cinetica
CineticaCinetica
Cinetica
 
Cinetica
CineticaCinetica
Cinetica
 
Cinetica Quimica, ENSINO MÉDIO.ppt.pptx
Cinetica Quimica, ENSINO MÉDIO.ppt.pptxCinetica Quimica, ENSINO MÉDIO.ppt.pptx
Cinetica Quimica, ENSINO MÉDIO.ppt.pptx
 
Cinética química professora estela
Cinética química professora estelaCinética química professora estela
Cinética química professora estela
 
Cinética química
Cinética químicaCinética química
Cinética química
 
Reacções químicas
Reacções químicasReacções químicas
Reacções químicas
 
Folha 21 aula cinetica
Folha 21 aula cineticaFolha 21 aula cinetica
Folha 21 aula cinetica
 
3a. aula química geral.pptx
3a. aula química geral.pptx3a. aula química geral.pptx
3a. aula química geral.pptx
 

Último

Slides Lição 8, CPAD, A Disciplina na Igreja, 1Tr24, Pr Henrique, EBD NA TV.pptx
Slides Lição 8, CPAD, A Disciplina na Igreja, 1Tr24, Pr Henrique, EBD NA TV.pptxSlides Lição 8, CPAD, A Disciplina na Igreja, 1Tr24, Pr Henrique, EBD NA TV.pptx
Slides Lição 8, CPAD, A Disciplina na Igreja, 1Tr24, Pr Henrique, EBD NA TV.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...azulassessoriaacadem3
 
PROJETO INTERDISCIPLINAR 6º AO 9º ANOS - 2.docx
PROJETO INTERDISCIPLINAR 6º AO 9º ANOS - 2.docxPROJETO INTERDISCIPLINAR 6º AO 9º ANOS - 2.docx
PROJETO INTERDISCIPLINAR 6º AO 9º ANOS - 2.docxssuser86fd77
 
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...azulassessoriaacadem3
 
Slides Lição 8, Betel, Família, uma Obra em permanente construção, 1Tr24.pptx
Slides Lição 8, Betel, Família, uma Obra em permanente construção, 1Tr24.pptxSlides Lição 8, Betel, Família, uma Obra em permanente construção, 1Tr24.pptx
Slides Lição 8, Betel, Família, uma Obra em permanente construção, 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 8º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 8º ANO.pdfPLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 8º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 8º ANO.pdfkeiciany
 
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...azulassessoriaacadem3
 
004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd
004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd
004820000101011 (15).pdffdfdfddddddddddddddddddddddddddddddddddddRenandantas16
 
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...azulassessoriaacadem3
 
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...azulassessoriaacadem3
 
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...azulassessoriaacadem3
 
Ficha de trabalho | EURO - 25 anos do lançamento da moeda única
Ficha de trabalho | EURO - 25 anos do lançamento da moeda únicaFicha de trabalho | EURO - 25 anos do lançamento da moeda única
Ficha de trabalho | EURO - 25 anos do lançamento da moeda únicaCentro Jacques Delors
 
Acróstico - Maria da Penha Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006
Acróstico - Maria da Penha    Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006Acróstico - Maria da Penha    Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006
Acróstico - Maria da Penha Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006Mary Alvarenga
 
MAPA - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024
MAPA - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024MAPA - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024
MAPA - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024assedlsam
 
Cosmologia Modelo Matemático do Universo 5.pdf
Cosmologia Modelo Matemático do Universo 5.pdfCosmologia Modelo Matemático do Universo 5.pdf
Cosmologia Modelo Matemático do Universo 5.pdfalexandrerodriguespk
 
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 6º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 6º ANO.pdfPLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 6º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 6º ANO.pdfkeiciany
 
Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.
Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.
Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.Jean Carlos Nunes Paixão
 
LUSSOCARS TRABAJO PARA LA CLASE QUE TENGO
LUSSOCARS TRABAJO PARA LA CLASE QUE TENGOLUSSOCARS TRABAJO PARA LA CLASE QUE TENGO
LUSSOCARS TRABAJO PARA LA CLASE QUE TENGOxogilo3990
 
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...excellenceeducaciona
 

Último (20)

Slides Lição 8, Betel, Família, uma Obra em permanente construção, 1Tr24.pptx
Slides Lição 8, Betel, Família, uma Obra em permanente construção, 1Tr24.pptxSlides Lição 8, Betel, Família, uma Obra em permanente construção, 1Tr24.pptx
Slides Lição 8, Betel, Família, uma Obra em permanente construção, 1Tr24.pptx
 
Slides Lição 8, CPAD, A Disciplina na Igreja, 1Tr24, Pr Henrique, EBD NA TV.pptx
Slides Lição 8, CPAD, A Disciplina na Igreja, 1Tr24, Pr Henrique, EBD NA TV.pptxSlides Lição 8, CPAD, A Disciplina na Igreja, 1Tr24, Pr Henrique, EBD NA TV.pptx
Slides Lição 8, CPAD, A Disciplina na Igreja, 1Tr24, Pr Henrique, EBD NA TV.pptx
 
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
 
PROJETO INTERDISCIPLINAR 6º AO 9º ANOS - 2.docx
PROJETO INTERDISCIPLINAR 6º AO 9º ANOS - 2.docxPROJETO INTERDISCIPLINAR 6º AO 9º ANOS - 2.docx
PROJETO INTERDISCIPLINAR 6º AO 9º ANOS - 2.docx
 
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
 
Slides Lição 8, Betel, Família, uma Obra em permanente construção, 1Tr24.pptx
Slides Lição 8, Betel, Família, uma Obra em permanente construção, 1Tr24.pptxSlides Lição 8, Betel, Família, uma Obra em permanente construção, 1Tr24.pptx
Slides Lição 8, Betel, Família, uma Obra em permanente construção, 1Tr24.pptx
 
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 8º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 8º ANO.pdfPLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 8º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 8º ANO.pdf
 
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
 
004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd
004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd
004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd
 
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
 
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...
 
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...
 
Ficha de trabalho | EURO - 25 anos do lançamento da moeda única
Ficha de trabalho | EURO - 25 anos do lançamento da moeda únicaFicha de trabalho | EURO - 25 anos do lançamento da moeda única
Ficha de trabalho | EURO - 25 anos do lançamento da moeda única
 
Acróstico - Maria da Penha Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006
Acróstico - Maria da Penha    Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006Acróstico - Maria da Penha    Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006
Acróstico - Maria da Penha Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006
 
MAPA - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024
MAPA - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024MAPA - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024
MAPA - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024
 
Cosmologia Modelo Matemático do Universo 5.pdf
Cosmologia Modelo Matemático do Universo 5.pdfCosmologia Modelo Matemático do Universo 5.pdf
Cosmologia Modelo Matemático do Universo 5.pdf
 
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 6º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 6º ANO.pdfPLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 6º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 6º ANO.pdf
 
Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.
Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.
Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.
 
LUSSOCARS TRABAJO PARA LA CLASE QUE TENGO
LUSSOCARS TRABAJO PARA LA CLASE QUE TENGOLUSSOCARS TRABAJO PARA LA CLASE QUE TENGO
LUSSOCARS TRABAJO PARA LA CLASE QUE TENGO
 
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
 

Resumo te rico cin-tica qu-mica.QUIMICA

  • 1. Prof. MSc. Helieder Cortes Freitas Colégio Expansão
  • 2. É a parte da química que estuda a velocidade das reações químicas e os fatores que nela influem. 1) DEFINIÇÃO.
  • 3.  Rápidas: neutralizações em meio aquoso, combustões,... 2) CLASSIFICAÇÃO DAS REAÇÕES. a - Quanto à velocidade.  Lentas: fermentações, formação de ferrugem,...
  • 4. 2a etapa (lenta) : N2O2(g) + O2(g)  2 NO2(g)  Complexas : ocorrem em duas ou mais etapas. b – Quanto ao mecanismo da reação.  Elementares : ocorrem numa só etapa. Ex: 2 NO(g) + O2(g)  2 NO2(g) Ex: H2(g) + I2(g)  2 HI 1a etapa (rápida) : 2 NO(g)  N2O2(g) reação global : 2 NO(g) + O2(g)  2 NO2(g)
  • 5. a - Velocidade média (Vm) Representa a variação na quantidade de um reagente ou produto num intervalo de tempo. t C ou t V ou t n ou t m vm          m = massa, n = no mols, V = volume, C = concentração molar 3) VELOCIDADE DAS REAÇÕES.
  • 6. Vm = │∆quantidade│ ∆tempo OBS: • para os reagentes podemos calcular a velocidade em módulo.  Para produtos: Vm = ∆[ produtos] ∆ t • A Vm dos reagentes também é chamada de velocidade de desaparecimento e a Vm dos produtos de velocidade de formação.  Para reagentes: Vm = – ∆[ reagentes] ∆ t
  • 7. tempo p/ a reação: A → B + 2C Velocidade de desaparecimento Velocidade de formação
  • 8. A velocidade média da reação a A + b B  c C + d D pode ser definida pela expressão I, a seguir: Expressão I: t D dt C ct B bt A a Vm             ][1][1][1][1 Considere agora a reação de decomposição da água oxigenada. 2H2O2(aq)  2 H2O(líq) + O2(g) A tabela ao lado fornece as concentrações, em mol por litro, da água oxigenada, em função do tempo da reação. Com base nas informações acima, é correto afirmar: 01. A velocidade média da reação é constante em todos os intervalos de tempo considerados. 02.No intervalo de tempo entre 20 e 30 minutos, a velocidade média de formação do gás oxigênio é 5,0x103 mol L1 min1. 04.Em valores absolutos, a velocidade média de decomposição da água oxigenada é igual à velocidade média de formação da água, qualquer que seja o intervalo de tempo considerado. 08.Entre 0 e 10 minutos, a velocidade média da reação, definida pela expressão I acima, é de 1,5x102 mol L1 min1. 32.No intervalo de 10 a 20 minutos, a velocidade média de decomposição da água oxigenada é de 0,30 mol L1 min1. 64.A velocidade média, definida pela expressão I, é sempre um número positivo. Questão 01) T/min 0 10 20 30 [H O]/mol/L 0,80 0,50 0,30 0,202
  • 9.  AFINIDADE ENTRE AS SUBSTÂNCIAS REAGENTES. 4) CONDIÇÕES PARA QUE UMA REAÇÃO OCORRA.  CONTATO ENTRE ELAS.  OCORRÊNCIA DE COLISÕES EFETIVAS.
  • 10. COLISÃO EFETIVA OU EFICAZ: É TODA COLISÃO ENTRE MOLÉCULAS REAGENTES QUE OCORRE COM: • POSIÇÃO (ORIENTAÇÃO) ADEQUADA. • ENERGIA SUFICIENTE.
  • 11. 5) MECANISMO DE UMA REAÇÃO QUÍMICA
  • 12. Complexo Ativado: É o estado intermediário formado entre reagentes e produtos, como resultado da colisão, cuja estrutura existem ligações enfraquecidas (reagentes) e formação de novas ligações (produtos).
  • 14. 6) ENERGIA DE ATIVAÇÃO. É a mínima quantidade de energia para que a colisão entre as partículas dos reagentes resulte em reação, ou, é a energia necessária para levar os reagentes ao complexo ativado.
  • 15. COMPLEXO ATIVADO (CA) 7) GRÁFICOS. ∆H < 0 Reagentes Produtos ENERGIA DE ATIVAÇÃO (Ea) Hp Hr HCA R E A Ç Ã O E X O T É R M I C A
  • 16. R E A Ç Ã O E N D O T É R M I C A COMPLEXO ATIVADO (CA) ∆H > 0 Reagentes Produtos ENERGIA DE ATIVAÇÃO (Ea) Hp Hr HCA
  • 17. Questão 01) Observando o diagrama a seguir, que representa a reação direta (1) e a inversa (2), fazem-se as afirmações, analise-as e assinale V ou F. I. a energia de ativação da reação inversa é o dobro da energia de ativação da reação direta. II. a reação direta é endotérmica. III. a reação direta é mais rápida que a inversa, por ter menor energia de ativação. IV. a reação inversa é endotérmica.
  • 18. Questão 02) O gráfico abaixo refere-se à variação de energia de uma reação hipotética, ocorrendo no sentido direto, em duas etapas. a) Qual das duas etapas é determinante da velocidade da reação hipotética global? Justifique. b) Calcule o calor de reação correspondente à etapa mais endotérmica da reação hipotética global. c) Calcule o calor de reação correspondente à reação hipotética global inversa.
  • 19. Questão 03) A figura abaixo representa o diagrama de energia da reação de combustão do etanol. I. A representa a energia de ativação. II. B representa a variação de entalpia. III. C representa a formação do produto da reação. IV. A reação é exotérmica. V. A diminuição da temperatura aumenta a velocidade da reação.
  • 20. Questão 04) A redução das concentrações de gases responsáveis pelo efeito estufa constitui o desafio central do trabalho de muitos pesquisadores. Uma das possibilidades para o seqüestro do CO2 atmosférico é sua transformação em outras moléculas. O diagrama a seguir mostra a conversão do gás carbônico em metanol. Indique a etapa lenta do processo. Justifique sua resposta.
  • 21. Maior a superfície de contato → maior o nº de partículas em reação → maior o nº de choques efetivos → maior a velocidade da reação. Maior a temperatura → maior a agitação das partículas → maior o nº de choques efetivos → maior a velocidade da reação. 8) FATORES QUE INFLUEM NA VELOCIDADE. - Superfície de contato. - Temperatura.
  • 22. Maior pressão → menor o volume → maior o nº de choques efetivos → maior a velocidade da reação. - Pressão (gases). “Quanto menor a energia de ativação, maior a velocidade da reação e vice- versa”. - Catalisador.
  • 23.  inibidor é o oposto de catalisador, ele diminui a velocidade da reação aumentando sua energia de ativação. Os catalisadores são substâncias que aumentam a velocidade da reação diminuindo sua energia de ativação, criando um novo caminho para ela. OBS:  o catalisador não é consumido durante a reação, sendo recuperado ao final.
  • 26.  Na catálise homogênea, catalisador e reagentes se encontram na mesma fase. Na catálise heterogênea, catalisador e reagentes se encontram em fases diferentes. OBS:  Na autocatálise um dos produtos da reação atua como catalisador.
  • 27. Cu(s) + HNO3(aq) → Cu(NO3)2(aq) + NO(g) + H2O(l) Exemplo:
  • 29. SUBSTÂNCIAS: (ENTRADA) CO(MONÓXIDO DE CARBONO) HC(HIDROCARBONETOS) NOx(ÓXIDOS DE NITROGÊNIO) SUBSTÂNCIAS: (SAÍDA) CO2(DIÓXIDO DE CARBONO) H2O(ÁGUA) N2Ox(NITROGÊNIO) CARCAÇA METÁLICA MANTA EXPANSIVA FUNÇÕES: -VEDAÇÃO. -ISOLANTE TÉRMICO. -FIXAÇÃO/PROTEÇÃO MECÂNICA. REAÇÕES QUÍMICAS: 2CO + O2 → 2CO2. 2C4H12 + 7O2 → 4CO2 + 6H2O. 2NO2 + 2CO → N2 + 2CO2. SUPORTE CERÂMICO: -REVESTIDO EM ÓXIDO DE ALUMÍNIO. -CONTÉM METAIS ATIVOS: • PALÁDIO/RÓDIO(para motores a gasolina) • PALÁDIO/MOLIBDÊNIO (para motores a álcool) EMISSÕES PROVENIENTES DO MOTOR.
  • 30. Questão 01) A respeito dos fatores que influenciam a cinética de reações químicas, assinale o que for correto. 01. A energia de ativação de uma reação é independente da ação de um catalisador. 02. A velocidade da reação aumenta com o aumento da superfície de contato entre os reagentes. 04. A velocidade da reação aumenta com o aumento da temperatura, devido à maior freqüência de colisões efetivas entre as moléculas dos reagentes. 08. Toda colisão com orientação adequada produz uma reação química.
  • 31. Questão 02) Uma reação química de grande importância é a fotossíntese, com a qual, a partir de CO2 e H2O, obtém-se a glicose: Leia o enunciado acima e considere as afirmativas apresentadas a seguir, e assinale as corretas. I. A pressão não influi nesta reação. II. Na ausência de luz a velocidade da reação é quase nula. III. Com o aumento de temperatura maior será a velocidade da reação. IV. A velocidade da reação será maior quando a concentração, em quantidade de matéria de CO2 aumentar. 2(g)6(s)126 luz (g)22(g) O6OHCO6HCO6 
  • 32. Questão 03) Com relação à cinética química, assinale a alternativa correta. a) A elevação de temperatura aumenta a velocidade das reações químicas porque aumenta o número de colisões por segundo entre as moléculas. b) A freqüência de colisões efetivas entre reagentes diminui com o aumento de temperatura. c) Alumínio em raspas pode ser "queimado" mais facilmente do que alumínio em pó. d) Catalisadores não participam das etapas de uma reação química. e) A etapa determinante de uma reação química é a mais rápida.
  • 33. Questão 04) Laboratório, o hidrogênio pode ser preparado pela reação de zinco com solução de ácido clorídrico. Observe as condições especificadas nas experiências a baixo.A velocidade da reação é maior em: 1,0raspasem30V 0,5póem30IV 1,0póem30III 0,5granulado25II 1,0granulado25I mol/LC [Ácido]ZincoTEMPaExperiênci o
  • 34. Maior concentração dos reagentes → maior o número de partículas por unidade de volume → maior o nº de choques efetivos → maior a velocidade da reação. - Concentração dos reagentes.
  • 35. A velocidade instantânea de uma reação é obtida através de uma expressão matemática conhecida como LEI DA AÇÃO DAS MASSAS ou LEI CINÉTICA, proposta por Gulberg e Waage, em 1876. Cato Gulberg Peter Waage 9) LEI DA VELOCIDADE.
  • 36. Lei da Velocidade de Guldberg/ Waage Dada a reação abaixo:  ].[][ BAkv  dDcCbBaA  Estabele-se a seguinte lei, segundo os experimentos de Guldberg/ Waage:
  • 37. V = K .[A]a.[B]b . . . . K = constante cinética a = ordem do reagente A b = ordem do reagente B a + b = ordem global da reação [ ] = concentração molar dDcCbBaA  Para reações elementares:
  • 38. Para reações que ocorrem em mais de uma etapa (reações complexas), a aquação de velocidade será dada em função da etapa lenta. Exemplo: A reação NO2(g) + CO(g) → CO2(g) + NO(g) ocorre em duas etapas. Dê a velocidade da reação. 2 NO2(g) → NO3(g) + NO(g) (etapa lenta) NO3(g) + CO(g) → CO2(g) + NO2(g) (etapa rápida) V = K .[NO2]2 Para reações complexas:
  • 39. Reagente sólido não participa da expressão de velocidade, pois a velocidade de uma reação de um sólido depende exclusivamente da superfície de contato. OBS: Nas reações entre gases, a velocidade pode ser expressa em função das pressões parciais dos reagentes, no lugar das concentrações.
  • 40. Questão 01) O ozônio próximo à superfície é um poluente muito perigoso, pois causa sérios problemas respiratórios e também ataca as plantações através da redução do processo da fotossíntese. Um possível mecanismo que explica a formação de ozônio nos grandes centros urbanos é através dos produtos da poluição causada pelos carros, representada pela equação química a seguir: NO2 (g) + O2 (g)  NO (g) + O3 (g) Estudos experimentais mostram que essa reação ocorre em duas etapas: De acordo com as reações apresentadas, a lei da velocidade é dada por: a) v = k [O2] [O] b) v = k [NO2] c) v = k [NO2] + k [O2] [O] d) v = k [NO] [O3] e) v = k [O3] I. NO2(g)  NO (g) + O (lenta) II. O2(g) + O  O3 (g) (rápida)
  • 41. Questão 02) A amônia (NH3) é de grande importância na fabricação de fertilizantes. Ela pode ser obtida a partir de hidrogênio (H2) e nitrogênio (N2). A lei de velocidade para essa reação é V = k [ H2 ]3.[ N2 ]. Quando a concentração de hidrogênio é duplicada e a concentração de nitrogênio é triplicada, mantendo-se constante a temperatura, é correto afirmar que: a) a velocidade final não é alterada. b) a velocidade final é 24 vezes a velocidade inicial. c) a velocidade final é 6 vezes a velocidade inicial. d) a velocidade final é 18 vezes a velocidade inicial. e) a velocidade final é 54 vezes a velocidade inicial.
  • 42. Questão 03) Duas substâncias gasosas A e B reagem em um recipiente fechado, de acordo com a seguinte lei de velocidade V = k [A].[B]2 Com relação a esta reação são feitas as seguintes afirmações, assinale o que for correto. I.Mantida constante a temperatura, a velocidade aumentará oito vezes, se o volume inicial for à metade. II.Mantido constante o volume, uma diminuição de temperatura provoca uma diminuição na velocidade da reação. III.Mantidos constantes o volume, a temperatura e a concentração de A, e diminuindo pela metade a concentração de B, a velocidade aumenta quatro vezes.
  • 43. Questão 04) Uma certa reação química é representada pela equação: 2A(g) + 2B(g)  C(g) , onde “A”, “B” e “C” significam as espécies químicas que são colocadas para reagir. Verificou-se experimentalmente, numa certa temperatura, que a velocidade desta reação quadruplica com a duplicação da concentração da espécie “A”, mas não depende das concentrações das espécies “B” e “C”. Escreva a expressão CORRETA da velocidade e o valor CORRETO da ordem da reação.
  • 44. Questão 05) Os dados abaixo são relativos a uma série de experimentos envolvendo a reação entre óxido nítrico e bromo, a 273°C. 2NOBr(g)(g)Br2NO(g) 2  Em análise dos dados escreva a lei de velocidade da reação e o valor da constante de velocidade, K.
  • 45. Escreva a equação de velocidade da reação citada, calcule o valor de K e determine se areação é elementar ou não, justifique. Questão 06) A reação redox que ocorre entre os íons brometo (Br-) e bromato (BrO ) em meio ácido, formando o bromo (Br2) é representada pela equação. BrO (aq) + 5 Br-(aq) + 6 H+(aq) 3 Br2(aq) + 3 H2O(l) Um estudo cinético dessa reação em função das concentrações dos reagentes foi efetuado, e os dados obtidos estão listados na tabela a seguir.       3 3 3 3 1-1 1 inicial 1 inicial 1 inicial3 10x4,820,010,010,04 10x7,210,030,020,03 10x2,410,010,020,02 10x1,210,010,010,01 ).s(mol.L )(mol.L H )(mol.L Br )(mol.L BrOExp.            Velocidade