Relatório da Bahia ! Trabalho de Feira de História e Geografia

1.904 visualizações

Publicada em

Relatório de feira
Adicione os dados que estão faltando e imprima
o trabalho pronto

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.904
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
8
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Relatório da Bahia ! Trabalho de Feira de História e Geografia

  1. 1. [Nome da sua Escola] FEGEHIARTE BAHIA Nome , Alunos [sua cidade] 2014
  2. 2. 2 Nome , alunos BAHIA Relatório apresentado a disciplina de Geografia ministrada pelo Prof. [nome professor] como requisito parcial para apresentação do trabalho na VII de Geografia e História. [Sua Cidade] 2014
  3. 3. 3 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO 4 1.1 História da Bahia 4 1.2 Características Geográficas 5 1.3 Governo 5 2. SÍMBOLOS OFICIAIS 6 2.1 Bandeira 6 2.2 Brasão de Armas 6 3. ECONOMIA 7 4. ETNIAS 8 5. PONTOS TURÍSTICOS DA BAHIA 9 5.1 O Mercado Modelo 9 5.2 Elevador Lacerda 9 5.3 Abaeté 9 5.4 Dique do tororó 9 5.5 Farol da Barra 10 5.6 Itapoã 10 5.7 Ponta de Humaitá 10 5.8 Pelourinho 10 5.9 Igreja do Bom Fim 11 6. PERSONALIDADES 12 6.1 Festas 13 7. MATERIAIS UTILIZADOS 13 8. CONSIDERAÇÕES FINAIS 13 9. REFERENCIAS BIBLIOGRÁFICAS 13
  4. 4. 4 1. INTRODUÇÃO A Bahia é uma das 27 unidades federativas do Brasil. Está situada a sul da Região Nordeste e é o maior estado da região, fazendo limites com oito outros estados brasileiros, sendo eles: Minas Gerais a sul, sudoeste e sudeste, Goiás a oeste e sudoeste, Tocantins a oeste e noroeste, Piauí a norte e noroeste, Pernambuco a norte, Alagoas a nordeste, Sergipe a nordeste e Espírito Santo a sudeste. A leste, é banhada pelo Oceano Atlântico e tem, com novecentos km, a mais extensa costa de todos os estados do Brasil com acesso ao Oceano Atlântico. Ocupa uma área de 564 733,177 km², sendo pouco maior que a França. Dentre os estados nordestinos, a Bahia representa amaior extensão territorial, a maior população, o maior produto interno bruto, o maior número de municípios. 1.1HISTÓRIA DA BAHIA A história da Bahia se confunde com a história do Brasil, pois foi nessa região que, em 22 de abril de 1500, o português Pedro Álvares Cabral avistou as terras, onde hoje se encontra a cidade de Porto Seguro, dando inicio a colonização 4uropeia na América do Sul. Em 1534 a região começou a ser povoada. A presença dos jesuítas foi marcante na história da região. A cidade de Salvador foi fundada em 1549, pelo governador geral Tomé de Souza. Salvador foi a primeira capital do Brasil. A partir de 1573, dividiu esse título com a cidade de Rio de Janeiro, pois a coroa portuguesa resolveu estabelecer dois governos no país: o do Norte, cuja capital era Salvador, e o do Sul, cuja capital era o Rio de Janeiro. Essa divisão permaneceu até 1763, quando o Rio de Janeiro passou a ser a única capital do país. Em 1587 a cidade de Salvador foi atacada por piratas ingleses, sem sucesso. Em 1612 foi a vez dos corsários franceses tentarem a invasão, também sem sucesso. Nos últimos dias de 1599 foi a vez dos holandeses atentarem contra a região. As defesas conseguiram impedir o desembarque dos holandeses, enquanto foram levantados Fortes para aumentar a segurança. Porém, em 14 de abril de 1624, as defesas sucumbiram, e a esquadra holandesa, formada por aproximadamente 3600 homens, saqueou a cidade de Salvador. Em 22 de março de 1625 chegou a região uma esquadra portuguesa, composta por 52 navios de guerra, entre outras embarcações, trazendo um exército de mais de 12 mil homens. Em 30 de abril do mesmo ano os holandeses concordam em desocupar a região. Os holandeses voltaram a ameaçar a região por diversas vezes: em 1640, 1647 e 1654. A Bahia também foi cenário de outras disputas, como a Conjuração Baiana, ou Revolta dos Alfaiates (que propôs a formação da Republica Bahiense, em 1798), a Revolta dos Malês (uma revolta de escravos africanos islâmicos, em 1834), a Guerra de Canudos (confronto entre o exército republicano e os sertanejos comandados por Antonio Conselheiro, em 1897-1897). Atualmente, a Bahia é o sexto estado mais rico do Brasil. Sua cultura (música, ritmos, culinária, etc.) carrega muito de sua história.
  5. 5. 5 1.2 Características Geográficas Área Total – 564 733,177 km² POPULAÇÃO Estimativa – 15 044 127 hab. Densidade – 26,64 hab./km² ECONOMIA PIB – R$159 869 000 Pib per capita – R$11,340 18 INDICADORES Esper. De vida – 72,3 anos Mort. Infantil – 32,4‰ nasc. Analfabetismo – 15,3% IDH – 0,660 – médio 7 Fuso horário – UTC−03:00 Clima – Equatorial, tropical com estação seca e semiárido Cód. ISSO 3166-2 – BR-BA 1.3 Governo Governador(a) – Jaques Wagner (PT) Vice-governador(a) – Otto Alencar (PSD)
  6. 6. 6 2. SÍMBOLOS OFICIAIS 2.1 Bandeira Nenhuma lei existe criando ou disciplinando a bandeira do estado. Foi criada pelo médico baiano Dr. Diocleciano Ramos que, numa reunião do Partido Republicano da Bahia, propôs este símbolo como representativo da agremiação política, em 25 de maio de 1889. Com forte inspiração na bandeira dos Estados Unidos, é composta por quatro listras horizontais alternadas entre vermelhas e brancas e tem, na parte superior interna, um quadrado azul com um triângulo branco no seu interior. O triângulo referencia ao símbolo maçônico, já adotado nas conjurações mineira e baiana – muito embora as cores azul, vermelho e branco já tivessem figurado como símbolos da revolta de 1798 conhecida como Revolta dos Alfaiates. 2.2 Brasão de armas Constitui-se o brasão de armas do estado da Bahia dos seguintes elementos: Timbre com uma estrela, que simboliza o estado. Escudo com uma embarcação com a vela içada, onde um marinheiro acena com um lenço branco. Ao fundo, vê-se o Monte Pascoal, local do primeiro registro visual de terra pela esquadra de Cabral. Insígnia com dois tenentes sobre listel com o lema: PER ARDVA SVRGO – que significa, numa tradução literal: “Pela dificuldade, venço”. Tenentes: à esquerda, um homem seminu, com uma marreta, uma bigorna e uma roda, representando a indústria local; à direita, uma mulher com barrete frígio (símbolo da república), carregando a bandeira da Bahia, que jaz atrás do triângulo maçônico. Encimando o brasão, o nome do estado e, abaixo deste, o nome do Brasil.
  7. 7. 7 3. ECONOMIA A Bahia responde por mais de trinta por cento do produto interno bruto do Nordeste brasileiro e por mais da metade das exportações da região. É o sexto estado brasileiro que mais produz riqueza. A economia do estado baseia-se na indústria (química, petroquímica, informática, automobilística e suas peças), agropecuária (mandioca, feijão, cacau e coco), mineração, turismo e nos serviços. Na Pecuária Importante elemento da economia baiana, a pecuária bovina ocupa hoje o sexto lugar nacional, enquanto a caprina registra atualmente os maiores números do setor em todo o Brasil, mas também se destacando os rebanhos de ovinos. Extrativismo As atividades extrativas vegetais têm pequena participação na economia baiana. Entretanto tem reservas consideráveis de minérios e de petróleo. A mineração baseia-se essencialmente na produção de ouro, cobre, magnesita, cromita, sal- gema, barita, manganês, chumbo, urânio, ferro, talco, columbita, prata, cristal de rocha e zinco. Agricultura A agricultura está dividida em grande lavoura comercial, a pequena lavoura comercial e a agricultura de subsistência. A grande lavoura está baseada na cultura da cana-de-açúcar e integrada com modernas usinas e na do cacau. Entre as pequenas culturas comerciais, a mandioca, o coco-da-baía, o fumo, o café, o agave, o algodão, a cebola,dendê (e consequente azeite-de-dendê) são as produções em destaque. As culturas de subsistência estão em todo o território, sendo que a cultura da mandioca é a mais importante, seguida pelo feijão, o milho, o café e a banana. O estado é conhecido por ter uma baixa qualidade nas condições de trabalho e de explorar excessivamente a mão de obra. Indústria A indústria na Bahia é relativamente modesta, apesar do crescimento dos últimos 20 anos, não representa uma grande força econômica no estado, volta-se para os setores da química,petroquímica, agroindústria, informática, automobilística e suas peças, produtos alimentares, têxtile fumo. Comercio A Chapada é um dos polos turísticos mais completos do Brasil. Dispõe de aeroportos, boa malha rodoviária, hotéis de alto padrão com selos de reconhecimento como o do grupo “Roteiro de Charme”. Por causa do turismo, a Chapada Diamantina passou a ser uma das áreas mais desenvolvidas da Bahia
  8. 8. 8 4. ETNIAS A Bahia é o centro da cultura afro-brasileira e boa parte da sua população é de origem africana, com uma maior porcentagem de pardos, seguidos por brancos, pretos e ameríndios. Um estudo genético realizado no Recôncavo Baiano confirmou o alto grau de ancestralidade africana na região. Foram analisadas pessoas da área urbana dos municípios de Cachoeira e Maragojipe, além de quilombolas da área rural de Cachoeira. A ancestralidade africana foi de 80,4%, a europeia 10,8% e a indígena 8,88.. Salvador é a cidade com maior número de negros do mundo (fora daÁfrica), com cerca de 80% da população formada por afrodescendentes. Um estudo genético realizado na população de Salvador confirmou que a maior contribuição genética da cidade é a africana (49,2%), seguida pela europeia (36,3%) e indígena (14,5%). Outro estudo, ainda revela que em relação aos ciganos, a Bahia é o estado brasileiro onde há a maior quantidade de grupos vivendo, segundo pesquisa inédita do IBGE. DEMOGRAFIA Segundo o censo demográfico de 2010 realizado pelo IBGE, a Bahia é o quarto estado brasileiro mais populoso e o 15º mais povoado, com uma população de 14 016 906 habitantes distribuída em 564 733,1 km² resultando em 24,82 hab./km² nos seus 417 municípios. Segundo o mesmo censo, 6 880 368 habitantes eram homens e 7 141 064 habitantes eram mulheres.29 Ainda segundo o mesmo censo, 10 105 218 habitantes viviam na zona urbana e 3 916 214 viviam na zona rural.29 Se fosse um país, a Bahia seria o 65º em população, entre o Camboja(64º: 14 132 398 hab.) e o Equador (65º: 13 752 593 hab.), 149º em densidade demográfica, entre a República Democrática do Congo (148º: 25 hab./km²) e o Moçambique (149º: 24 hab./km²) e à frente do Brasil (150º: 21 hab./km²) e 7º mais rico da América Latina.
  9. 9. 9 5. PONTOS TURÍSTICOS DA BAHIA 5.1 O Mercado modelo De frente para o Elevador Lacerda e ao lado da Baia de todos os santos, o Mercado Modelo é ponto obrigatório de parada dos turistas em Salvador. Inaugurado em 1912, funcionava inicialmente como centro de abastecimento alimentício da cidade de Salvador. Somente na década de 70 passou a vender artesanato e produtos típicos da Bahia. Hoje são 263 lojas que vendem instrumentos musicais, redes, entalhes de madeira, rendas, bordados e trançados, bijuterias e adereços,peças de decoração e utilitários, figas, patuás, balangandãs e as famosas fitinhas do Senhor do Bonfim. 5.2 Elevador Lacerda Um dos principais pontos turísticos e cartão postal da cidade, é o elevador Lacerda,que fica na Praça Cayru no bairro do Comércio próximo ao Mercado Modelo, e liga a Cidade Baixa à Cidade Alta. Foi construído pelo engenheiro Augusto Frederico de Lacerda.O elevador Lacerda era conhecido como Elevador do Parafuso, após sua reforma seria renomeado como Elevador Lacerda . Atualmente funciona com quatro modernas cabines eletrificadas que comporta vinte passageiros cada. Ao longo de sua história passou por quatro grandes reformas e revisões Do alto de suas torres, descortina-se a vista da Baía de Todos os Santos e do famoso Mercado Modelo. 5.3 Abaeté A lagoa de água escura cercada de dunas de areia branca, imortalizada pelas canções de Dorival Caymmi, é a grande atração de Itapoã. Um dos mais conhecidos cartões-postais da cidade, a Lagoa do Abaeté resulta do represamento de antigos rios que corriam na região e do acúmulo de água de chuva. Uma curiosidade é que a água tem temperatura diferente em vários trechos, resultante de correntes que não se misturam.. A área de Proteção Ambiental desde 1987, é um dos maiores centros de lazer ecológico do Nordeste. que ocupa uma área de 400 hectares. 5.4 Dique do Tororó É uma lagoa artificial limitada atualmente pelo bairro do Tororó é margeado pelas avenidas Presidente Costa e Silva e Vasco da Gama - que ao Sul convergem para a avenida Centenário e o Vale dos Barris. Esse é o único manancial natural de Salvador, tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, que possui uma lagoa de 110 mil metros quadrados. O espaço preferido para os amantes do esporte contendo pista de cooper, raias para a prática do remo, decks para a pesca, piers para pequenas embarcações, equipamentos de esportes e ginástica, playgrounds, além do Centro de Atividades e da Praça de Eventos. No meio da lagoa, esculturas de diversos Orixás complementam a beleza da região e marcam o sincretismo religioso da cidade.
  10. 10. 10 5.5 Farol da Barra A imagem do Farol da Barra talvez seja, ao lado do Elevador Lacerda, uma das mais conhecidas em Salvador. No século XVII, o porto de Salvador era um dos mais movimentados e importantes do continente, e era preciso auxiliar as embarcações que chegavam à Baía de Todos os Santos em busca de pau-brasil e outras madeiras-de-lei, açúcar, algodão, tabaco e outros itens, para abastecer o mercado consumidor europeu. No fim desse século, após o trágico naufrágio do Galeão Santíssimo Sacramento, a Barra recebeu um torreão quadrangular encimado por uma lanterna de bronze envidraçada, alimentada a óleo de baleia -, de acordo com o Instituto Geográfico e Histórico da Bahia, o primeiro do Brasil e o mais antigo do Continente quando passou a ser chamado de Vigia da Barra ou de Farol da Barra. 5.6 Itapoã Em Tupi Guarani, Itapoã quer dizer "pedra que ronca". Conta a história que uma pedra roncava, na praia de Itapoá, sempre que a maré estava vazante e isso acabou dando origem ao nome ao bairro, um dos mais famosos de Salvador. No início da década de 50, Itapoã era apenas uma colônia de pescadores em uma região afastada do centro de Salvador. A praia passou a ser ponto de veraneio predileto dos soteropolitanos e hoje é um dos bairros mais populosos e populares da capital baiana. Localizada numa espécie de enseada de águas claras, Itapoã tem o mar calmo e areias enfeitadas por coqueiros. E tem coisas que só acontecem lá. Segunda- feira, por exemplo, é dia de reunir os times de futebol da vizinhança para aquele show de bola. O tradicional Baba da Ressaca reúne, logo na manhã seguinte ao agitado domingo, jogadores selecionados entre os moradores do bairro, sendo mais um ponto de encontro da comunidade do bairro. Os times se enfrentam na Associação dos ex-combatentes para curar a ressaca de domingo. 5.7 Ponta de Humaitá Mais um paraíso da Baía de Todos os Santos, a Ponta de Humaitá fica num dos locais mais bonitos da Cidade Baixa. Com cenários naturais e históricos, De lá você tem uma vista privilegiada de Salvador, da Ilha de Itaparica, além de poder curtir no finalzinho da tarde aquele pôr-do-Sol No pátio que invade o mar, tem uma igrejinha, um convento e um farol, de onde temos uma das mais poéticas paisagens marinhas da Baía de Todos os Santos. 5.8 Pelourinho A história do Pelourinho se confunde, em muito, com a história da própria cidade de Salvador, no melhor ponto para a construção da "cidade fortaleza", o hoje chamado Pelourinho, local ideal de suas pretensões. As razões que levaram a escolha do Pelourinho são bastante claras. É a parte mais alta da cidade, em frente ao porto, perto do comércio e naturalmente fortificada pela grande depressão existente que forma uma muralha, de quase noventa metros de altura, por quinze quilômetros de extensão, o que facilitaria a defesa de qualquer ameaça vinda do mar. Em poucos anos, Tomé de Souza construiu uma série de casarões e sobrados, na parte
  11. 11. 11 superior dessa muralha, todas inspiradas, evidentemente, na arquitetura barroca portuguesa e erguidos com mão de obra escrava negra e indígena. Para dar maior proteção à cidade, o Governador Geral limitou o acesso a apenas quatro portões, estes totalmente destruídos durante as tentativas sem sucesso, de dominação da cidade no séc. XVII. Na verdade, o termo "pelourinho" é o nome dado ao local onde os escravos eram castigados pelos senhores de engenho. O "pelourinho" era construído nos engenhos, afastado da cidade. A fim de demostrar à população sua força e poder, os senhores de engenho resolveram construir um "pelourinho" no centro da cidade, instalando-o no largo central, hoje área localizada em frente acasa de Jorge Amado. A partir daí os escravos eram castigados em praça pública para que todos pudessem assistir tal demonstração de poder. Devido a esse fato o "pelourinho" virou ponto de referência da cidade, dando nome ao antigo centro da cidade, e hoje Centro Histórico de Salvador. Com o passar dos tempos, o nome Pelourinho se popularizou, tanto na Bahia quanto no Exterior, passando a referir-se a toda a área do conjunto arquitetônico barroco-português compreendida entre o Terreiro de Jesus e a Igreja do Passo. Durante o séc. XVI e até o início do séc. XX, o Pelourinho foi o bairro da aristocracia soteropolitana, composta de senhores de engenho, políticos, grandes comerciantes e o clero, por isso a forte influência européia na sua arquitetura e o grande número de igrejas num espaço geográfico tão pequeno e, certamente, o mais antigo da cidade. Foi justamente nessa época que o poder político da cidade concentrava-se nesse local que ainda tem monumentos como a Câmara Municipal, sede da Prefeitura, a Assembléia Legislativa e a sede do Governo do Estado. Porém, hoje em dia, apenas a Câmara e a Prefeitura continuam com suas sedes no Centro Histórico. 5.9 Igreja do Bomfim A construção deste santuário de peregrinação teve início em 1740 por Teodório Rodrigues de Faria, capitão da Marinha Portuguesa. Situada na única colina da península de Itapagipe, a Igreja do Bonfim, está praticamente concluída em 1754, sendo do ano seguinte a fundação da Irmandade. A praça em sua frente é delimitada em dois lados por conjuntos de casa de romeiros, construídas pela Irmandade, no século XIX. A planta da igreja é do tipo comum no início dos setecentos, com nave e coro ladeada por corredores e tribunas superpostas, apresentando capela-mor flanqueada pela sacristia e sala de ex-votos. Em alvenaria de pedra e tijolo, o edifício possui pórticos em arcada ao longo da nave, uma transição entre os avarandados do século XVII e os corredores laterais do XVIII. Sua fachada, praticamente revestida de azulejos brancos portugueses de 1873, possui duas torres em bulbo do final do século passado, quando se dão modificações no frontispício. Seu interior possui decoração neoclássica, onde se destaca a pintura do teto da nave de autoria de Franco Velasco, de 1818/1802. É sede de uma das mais tradicionais devoções da Bahia.
  12. 12. 12 6. PERSONALIDADES A Bahia é o berço de personalidades nacionais e internacionais, tais como:  O diplomata e advogado Ruy Barbosa, importante jurista brasileiro;  O jurista Augusto Teixeira de Freitas, responsável por um dos esboços do código civil brasileiro que influenciou os códigos civis da Argentina, do Paraguai e do Uruguai.  O escritor Jorge Amado, que é um dos escritores com mais livros traduzidos no mundo.  O poeta abolicionista Castro Alves, autor do poema O Navio Negreiro.  O educador Anísio Teixeira, difusor dos pressupostos do movimento da Escola Nova.  O cantor e compositor Dorival Caymmi.  O cantor, ator e compositor Xisto Bahia, responsável pela 1ª música gravada do Brasil, "Isto é bom" Pintura Na pintura, destaca-se o famoso Mário Cravo com obras espalhadas pelo Brasil, além de Carybé, Sante Scaldaferri, Lucília Fraga, Prisciliano Silva e Mendonça Filho. Musical Na música, os exemplos mais conhecidos são João Gilberto (criador da Bossa Nova) , Gilberto Gil, Caetano Veloso, Maria Bethânia, Gal Costa, Tom Zé, Assis Valente, Simone, na MPB; Margareth Menezes, Daniela Mercury, Ivete Sangalo no axé; Raul Seixas, Pitty, Pepeu Gomes, Marcelo Nova e Dinho, do Mamonas Assassinas, no rock; no brega, Anísio Silva e Waldick Soriano; era baiano Xisto Bahia, o primeiro cantor a ter sua obra gravada em disco no país, como também é da Bahia um dos maiores estudiosos de nossa música popular,Ricardo Cravo Albin. Literatura Na literatura, é grande a contribuição cultural baiana, desde os inícios das letras no país, com Gregório de Matos e Frei Vicente do Salvador; Castro Alves, Jorge Amado,Afrânio Peixoto, Dias Gomes, Luís Gama, Adonias Filho, João Ubaldo Ribeiro, Emídio Brasileiro e muitos outros. Geografia Na geografia, Teodoro Sampaio e Milton Santos são expoentes do estado.
  13. 13. 13 6.1 Festas Na Bahia, ocorrem várias festas durante o ano todo. As principais são a Lavagem do Senhor de Bonfim, o Carnaval da Bahia e as diversas micaretas que ocorrem no ano todo sendo este evento momesco fora de época uma criação baiana. Há também a Festa junina São João com destaque para a cidade de Cruz das Almas (onde acontece a tradicional guerra de espadas) e Irecê que todos os anos trazem grandes atrações da música brasileira. Ainda tem a tradicional Vaquejada de Serrinha, que acontece sempre junto ao feriado de 7 de setembro. Em Salvador, acontece sempre, no começo do ano, o Festival de Verão de Salvador. Em Vitória da Conquista, durante o inverno, acontece o Festival de Inverno. 7. MATERIAIS UTILIZADOS Cartazes Computador Isopor Tinta Cola Quente Canetão 8. CONSIDERAÇÕES FINAIS Nosso principal objetivo é mostrar um dos principais Pontos Turísticos da Bahia e falar sobre ele. 9. REFERENCIAS BIBLIOGRÁFICAS HISTÓRIA E FOTOS http://pt.wikipedia.org/wiki/Bahia http://www.infoescola.com/historia/historia-da-bahia/

×