Livro dos Espiritos Q. 301 e 302 ESE cap.25 item 9, 10 e 11

574 visualizações

Publicada em

Reunião Publica GECD - Dubai

Publicada em: Espiritual
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
574
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
31
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
12
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Livro dos Espiritos Q. 301 e 302 ESE cap.25 item 9, 10 e 11

  1. 1. Dubai, 04/01/2015 L.E. – Parte 2ª. Cap. VI - Relações de simpatia e de antipatia entre os Espíritos. Metades eternas - Questão 302 e 303 ESE Cap XXV item 9,10 e 11 Dubai, 12/04/2015
  2. 2. Cap. VI - Relações de simpatia e de antipatia entre os Espíritos. Metades eternas “Na igualdade dos graus da elevação.” 302. A identidade necessária à existência da simpatia perfeita apenas consiste na analogia dos pensamentos e sentimentos, ou também na uniformidade dos conhecimentos adquiridos? 303. Podem tornar-se de futuro simpáticos, Espíritos que presentemente não o são? “Todos o serão. Um Espírito, que hoje está numa esfera inferior, ascenderá, aperfeiçoando-se, à em que se acha tal outro Espírito. E ainda mais depressa se dará o encontro dos dois, se o mais elevado, por suportar mal as provas a que esteja submetido, permanecer estacionário.”
  3. 3. Cap. VI - Relações de simpatia e de antipatia entre os Espíritos. Metades eternas a) - Podem deixar de ser simpáticos um ao outro dois Espíritos que já o sejam? “Certamente, se um deles for preguiçoso.” A teoria das metades eternas encerra uma simples figura, representativa da união de dois Espíritos simpáticos. Trata-se de uma expressão usada até na linguagem vulgar e que se não deve tomar ao pé da letra. Não pertencem decerto a uma ordem elevada os Espíritos que a empregaram. Necessariamente, limitado sendo o campo de suas idéias, exprimiram seus pensamentos com os termos de que se teriam utilizado na vida corporal. Não se deve, pois, aceitar a idéia de que, criados um para o outro, dois Espíritos tenham, fatalmente, que se reunir um dia na eternidade, depois de haverem estado separados por tempo mais ou menos longo.
  4. 4. 5 “Quando ocorre a mudança de destinos, os laços de simpatia vão quebrando, passando a desinteressar aos dois amantes ideológicos. Conservando o fundamento pelo qual foram criados, o amor que sempre constrói, a verdade não se perde, somente esfria em alguns aspectos, sem prejuízo para a harmonia verdadeira e santa que é a vida”. Cap. VI - Relações de simpatia e de antipatia entre os Espíritos. Metades eternas A simpatia é fusão de ideais, harmonia que vibra entre duas almas, criando, de certa maneira, um clima onde as duas respiram com alegria.
  5. 5. 6 Cap. VI - Relações de simpatia e de antipatia entre os Espíritos. Metades eternas “A concordância perfeita entre duas almas se mede pela uniformidade de seus graus de elevação. A superioridade espiritual é, pois, a soma de tudo o que se desperta nos sentimentos. É nesse avanço, de uma passar à frente da outra, que a simpatia diminui, por lhes faltar analogia, por diferenciação vibratória, por não se acasalarem os graus de elevação espiritual.”
  6. 6. 7 São nuances da própria vida, ambiente onde a liberdade deve e pode agir, como sendo a felicidade das criaturas de DEUS. JESUS deixa que aconteça essas coisas para que os Espíritos não fiquem dependentes uns dos outros, mas, que tenham vivência com todos, para que o amor universal possa alimentar a todos na visão cósmica do Cristo. Nós só somos dependentes de Deus. (Miramez – Livro Filosofia Espírita)
  7. 7. Dubai, 04/01/2015 Evangelho Segundo o Espiritismo Cap. XXV item 9,10 e 11 Dubai, 12/04/2015 https://www.youtube.com/watch?v=6_dJJz-URdM
  8. 8. Cap. XXV- BUSCAI E ACHAREIS Não vos afadigueis pela posse do ouro 9. Não vos afadigueis por possuir ouro, ou prata, ou qualquer outra moeda em vossos bolsos. - Não prepareis saco para a viagem, nem dois fatos, nem calçados, nem cajados, porquanto aquele que trabalha merece sustentado. 10. Ao entrardes em qualquer cidade ou aldeia, procurai saber quem é digno de vos hospedar e ficai na sua casa até que partais de novo. - Entrando na casa, saudai-a assim: Que a paz seja nesta casa. Se a casa for digna disso, a vossa paz virá sobre ela; se não o for, a vossa paz voltará para vós. Quando alguém não vos queira receber, nem escutar, sacudi, ao sairdes dessa casa ou cidade, a poeira dos vossos pés. - Digo-vos, em verdade: no dia do juízo, Sodoma e Gomorra serão tratadas menos rigorosamente do que essa cidade. (S. MATEUS, cap. X, vv. 9 a 15.)
  9. 9. Cap. XXV- BUSCAI E ACHAREIS Proferindo-as, ensinava Jesus a seus discípulos que confiassem na Providência. Ao demais, eles, nada tendo, não despertariam a cobiça nos que os recebessem. Era um meio de distinguirem dos egoístas os caridosos. "Procurai saber quem é digno de vos hospedar" (…) quem é bastante humano para agasalhar o viajante que não tem com que pagar, porquanto esses são dignos de escutar as vossas palavras; pela caridade deles é que os reconhecereis.
  10. 10. Cap. XXV- BUSCAI E ACHAREIS Quanto aos que não os quisessem receber, nem ouvir, recomendou ele porventura aos apóstolos que os amaldiçoassem, que se lhes impusessem, que usassem de violência e de constrangimento para os converterem? Não; mandou, pura e simplesmente, que se fossem embora, à procura de pessoas de boa vontade. “não violenteis nenhuma consciência; a ninguém forceis para que deixe a sua crença, a fim de adotar a vossa; não anatematizeis os que não pensem como vós; acolhei os que venham ter convosco e deixai tranqüilos os que vos repelem”.
  11. 11. Sacudir o pó dos pés é não conservar qualquer mágoa ou detrito nas bases da vida, em face da ignorância e da perversidade que se manifestam no caminho de nossas experiências comuns. (...) encomenda-os a Jesus com a amor e prossegue, em linha reta, buscando os teus sagrados objetivos. Há muito por fazer na edificação espiritual do mundo e de ti mesmo. Sacode, pois, as más impressões e marcha alegremente. GECD - Grupo Espírita Cristão Despertar 12 (Emmanuel – Francisco Candido Xavier – Livro Pão Nosso
  12. 12. http://www.fraternidadesemfronteiras.org.br/index.php?pag=video&i d=8

×