Resiliência e Burnout (teoria e superacao) parte 1

1.920 visualizações

Publicada em

Esta apresentação é uma síntese de minha dissertação de Mestrado, uso para ilustrar minhas palestras sobre o tema. Tendo por objetivo buscar alternativas para ajudar os professores na superação da síndrome de burnout, o resultado pode ajudar também outros profissionais e o ser humano em si, seja qual for sua atividade. Assista também a parte 2, onde falo da Resiliência e dos meios para superação.

Publicada em: Educação
1 comentário
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Muito interessante sua dissertação, penso em escrever relacionado a este mesmo assunto em torno de gestores. Pesquisar e criar um artigo para minha pós graduação.
       Responder 
    Tem certeza que deseja  Sim  Não
    Insira sua mensagem aqui
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.920
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
32
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
291
Comentários
1
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • PERDERÃO O CONTROLE DE SUAS EMOÇÕES
  • Resiliência e Burnout (teoria e superacao) parte 1

    1. 1. Organização:Fatima Araujo de CarvalhoOutubro - 2008
    2. 2. VANDERLEY CODO UnB BURNOUT: • SÍNDROME DA DESISTÊNCIA DOEDUCADOR QUE PODE LEVAR À FALÊNCIA A EDUCAÇÃO
    3. 3. 48% dos professores brasileiros darede pública de ensino manifestavam algum grau de burnout
    4. 4. nome para falarda desistência no trabalho.A desistência não tem só uma forma.Comparece comoum monstrode mil cabeças:
    5. 5. ... quando tem uma cortada,outra toma imediatamenteseu lugar,como a hidra de nove cabeçasque Hércules enfrentou e venceu.Wanderley Codo
    6. 6. Por que, uma vez submetidos às mesmas pressões e adversidades, existem professoresque não entram em burnout
    7. 7. Que atitudes adotaram para superaras adversidades
    8. 8. • causas que levam o professor a entrar em burnout;
    9. 9. novos caminhospara a abordagem do sofrimento mentalno trabalho docente;
    10. 10. NOVOS CAMINHOS:para a transformaçãodas situações laborais adoecedoras em outras capazes de fazer com que voltasse a existir prazer e significado no trabalho.
    11. 11. COMPARAÇÃO ESTUDOSSEMELHANTES
    12. 12. Nº ESTUDOS ANALISADOS ASSUNTO NACIONAIS INTERNACIONAIS SATISFAÇÃO/ INSATISFAÇÃO/ ESTRESSE E BURNOUT DOCENTE 65 259 RESILIÊNCIA e COPING 10 57 CORRELATOS 31 34 ESTUDOS COMPARADOS ENTRE NAÇÕES - 18 SUBTOTAL 106 368 TOTAL GERAL 474_____________________________________________________________________O MAL ESTAR DOCENTE: das chamas devastadoras: BURNOUTàs flamas da esperança-ação: RESILIÊNCIA DISSERTAÇÃO MESTRADO : Fatima Araujo de Carvalho
    13. 13. Sofrer por exaustão física ou emocional causada por longa exposição a uma situação estressante.
    14. 14. TO BURN OUT: exaurir-se, esgotar-se Burnout – EXAUSTÃO
    15. 15. EU ACHOQUE COFFIVOCÊ ESTÁ COFFICOM
    16. 16. Roberto Assagioli psiquiatra italiano (1888-1974) se uma pessoa tem um conflito dentro de si mesma (...) não pode criar um relacionamento harmônico com os outros (...) porque tendemos a projetar sobre os outros, tantos os nossos conflitos quanto nossas tendências agressivas e combativas.PSICOSSÍNTESE: fundada na premissa que a vida humana tem umpropósito e um significado, e que nós participamos de um universoordenado e estruturado para facilitar a evolução da consciência de si.
    17. 17. NEUROCIÊNCIAS
    18. 18. VIBRAÇÃO:ALTERA PENSAMENTOS,COMPORTAMENTOS E SENTIMENTOS
    19. 19. 1969
    20. 20. Por que, uma vez submetidos às mesmas pressões e adversidades, existem professoresque não entram em burnout
    21. 21. Que atitudes adotaram para superaras adversidades
    22. 22. BURNOUT XESTRESSE:DEFINIÇÃO
    23. 23. ................ ESTRESSE afeta quase sempresomente a pessoa envolvida BURNOUT afeta : • a própria pessoa• o resultado de seu trabalho• as pessoas no seu entorno
    24. 24. • Esgotamento• Decepção• Perda de interesse pelo trabalhoBURNOUTConceito inicial
    25. 25. • ESTRESSE Aspecto3. alarme tridimensional:4. resistência5. exaustão • BURNOUT 3. ESGOTAMENTO 5. CINISMO 7. EFICÁCIA PROFISSIONAL REDUZIDA
    26. 26. 3ª fase : exaustãoFalha dos mecanismos Esgotamento por de adaptação sobrecarga fisiológica
    27. 27. SINAIS DE VAZAMENTO:
    28. 28. SINAIS DE VAZAMENTO falta de energia para o trabalho traz emoções negativas como:
    29. 29. SINAIS DE VAZAMENTO: Emocionais
    30. 30. SINAIS DE VAZAMENTO: EmocionaisMau-humorDepressãoInsatisfação profissionalPessimismoEmissão exagerada de críticasProblemas de relacionamento com aspequenas diferenças do cotidiano
    31. 31. SINAIS DE VAZAMENTO:Físicos
    32. 32. SINAIS DE VAZAMENTO: FísicosCansaçoInsônia ousono excessivoTensão muscularProblemas gástricosPele ressecada
    33. 33. Do Risco à Vulnerabilidade:profissões que trabalhavam em contato direto com pessoas em prestação de serviço comoconseqüência desse contato diário no seu trabalho. GRUPO DE RISCO
    34. 34. Do Risco à Vulnerabilidade: COMPORTAMENTO DE RISCO
    35. 35. Do Risco à Vulnerabilidade:
    36. 36. Do Risco à Vulnerabilidade:Últimos 10 anos (2003) : VULNERABILIDADE DO SER HUMANO
    37. 37. Burnout:sofrer por exaustão física ouemocional causada por longaexposição a uma situaçãoestressante.Entrar em burnout significachegar ao limite da resistênciafísica ou emocional.
    38. 38. DESUMANIZAÇÃO DESPERSONALIZAÇÃO
    39. 39. Multiplicam-se asaflições da Alma.
    40. 40. Muda a forma de encararOS REVESES DA VIDAPARA SOFRER MENOS
    41. 41. Ensina como blindar-se de pressões eadversidades no ambiente de trabalho e na vida
    42. 42. ESFORÇADOSEMUITOCOMPROMETIDOSCOMO TRABALHO
    43. 43. SENTEM-SEPRISIONEIROSNO QUEEXECUTAM
    44. 44. DEIXAM-SE ABATER PELAS AÇÕES DOS OUTROS
    45. 45. SENTEM-SE ABANDONADAS EM SEUS PROBLEMAS
    46. 46. ACREDITAM SEREM AS ÚNICAS A ENFRENTAR PROBLEMAS
    47. 47. ISOLAM-SE EVITANDO CONTATO COM OUTRAS PESSOAS
    48. 48. REJEITAM QUALQUER TIPO DE AJUDA
    49. 49. ACHAM QUE AAJUDA VAI CAIR DO CÉU
    50. 50. AGEM COMOCRIANÇASDEMONSTRANDOCARÊNCIAAFETIVAE APEGO

    ×