O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.

Síndrome de Burnout em Professores

10.664 visualizações

Publicada em

Palestra do Professor Robson sobre Síndrome de Burnout em Professores, realizada na II SIPAT CEFET/RN - 10 e 11 de dezembro 2008

Publicada em: Educação

Síndrome de Burnout em Professores

  1. 1. Identificação, tratamento e prevenção II SIPAT DO CEFET – RN SEMANA INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES DO TRABALHO 10 e 11 de DEZEMBRO 2008
  2. 2. BURNOUT <ul><li>Trata-se de um problema, uma síndrome </li></ul><ul><li>que afeta principalmente os trabalhadores </li></ul><ul><li>encarregados de cuidar. Profissionais da área </li></ul><ul><li>de serviços quando em contato direto com </li></ul><ul><li>seus usuários. </li></ul><ul><li>Burnout = em português significa “combustão completa” </li></ul>
  3. 3. BURNOUT <ul><li>É uma síndrome através da qual o trabalhador perde o sentido da sua relação com o trabalho, de forma que as coisas já não importam mais e qualquer esforço lhe parece ser inútil. </li></ul><ul><li>CLIENTELA DE RISCO DA SÍNDROME: </li></ul><ul><li>Profissionais da Educação; </li></ul><ul><li>Profissionais da Saúde; </li></ul><ul><li>Policiais e agentes penitenciários (entre outros) </li></ul>
  4. 4. Estágios que caracterizam a evolução da Síndrome <ul><li>Primeiro Estágio </li></ul><ul><ul><li>Falta ânimo para ir ao trabalho; </li></ul></ul><ul><ul><li>Surgimento de dores genéricas e imprecisas nas costas e na região do pescoço e coluna; </li></ul></ul><ul><ul><li>Profissional sente-se mal, mas não conhece a exata razão disso </li></ul></ul>
  5. 5. Estágios que caracterizam a evolução da Burnout <ul><li>Segundo Estágio </li></ul><ul><ul><li>Relação com os companheiros de trabalho torna-se difícil; </li></ul></ul><ul><ul><li>Surgem pensamentos neuróticos de perseguição e trapaça com relação à equipe de trabalho, fazendo com que a pessoa pense em mudar de setor ou até de emprego; </li></ul></ul><ul><ul><li>Faltas e pedidos de licença médica cada vez mais freqüentes; e </li></ul></ul><ul><ul><li>A pessoa recusa-se a participar das decisões em equipe. </li></ul></ul>
  6. 6. Estágios que caracterizam a evolução da Burnout <ul><li>Terceiro Estágio </li></ul><ul><ul><li>Perda de habilidade e capacidade para realização das atividades cotidianas do trabalho; </li></ul></ul><ul><ul><li>Erros são mais freqüentes; </li></ul></ul><ul><ul><li>A pessoa fica desatenta e distante; </li></ul></ul><ul><ul><li>Doenças psicossomáticas, como alergias e picos de pressão arterial começam a surgir junto com a auto-medicação; </li></ul></ul><ul><ul><li>Inicia-se ou eleva-se o consumo de bebidas alcoólicas como fuga; </li></ul></ul><ul><ul><li>Despersonalização, ou seja, a pessoa fica indiferente em suas relações de trabalho </li></ul></ul>
  7. 7. Estágios que caracterizam a evolução da Burnout <ul><li>Quarto Estágio </li></ul><ul><ul><li>Alto grau de alcoolismo; </li></ul></ul><ul><ul><li>Uso freqüente de drogas lícitas e ilícitas; </li></ul></ul><ul><ul><li>Aumento dos pensamentos de auto-destruição e suicídio; </li></ul></ul><ul><ul><li>O exercício da profissão fica comprometido e o afastamento do trabalho é inevitável </li></ul></ul>
  8. 8. Diagnóstico <ul><li>ATENÇÃO: O diagnóstico da Síndrome de Burnout só pode ser realizado por médico ou psicoterapeuta. </li></ul><ul><li>Procedimento </li></ul><ul><ul><li>Entrevista com o paciente em que serão observados os seguintes pontos: </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Esgotamento emocional; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Despersonalização; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Envolvimento pessoal no trabalho </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>Instrumentos próprios de avaliação </li></ul></ul>
  9. 12. BURNOUT <ul><li>1.- ESGOTAMENTO EMOCIONAL – situação em que os trabalhadores sentem que não podem dar mais de si a nível afetivo. Percebem esgotada a energia e os recursos emocionais próprios. </li></ul><ul><li>2.- DESPERSONALIZAÇÃO – endurecimentos afetivo, “coisificação” da relação </li></ul><ul><li>desenvolvimento de sentimentos e atitudes negativas </li></ul><ul><li>e de cinismo às pessoas destinatárias do trabalho </li></ul><ul><li>(usuários/clientes) </li></ul><ul><li>3. - ENVONVIMENTO PESSOAL NO TRABALHO </li></ul>
  10. 13. Levantamento dos dados colhidos
  11. 14. Levantamento dos dados colhidos
  12. 18. Por que a grande incidência nos profissionais da educação? <ul><li>Grande carga horária; </li></ul><ul><li>Condições estruturais do local de trabalho; </li></ul><ul><li>Baixos salários; </li></ul><ul><li>Não reconhecimento da profissão; </li></ul><ul><li>Grande cobrança e pressão de pais e familiares; </li></ul><ul><li>Desgaste fora do ambiente de trabalho com a preparação de aulas, correções de trabalho... </li></ul>
  13. 20. Tratamento <ul><li>Terapêutico </li></ul><ul><ul><li>Acompanhamento de um psicoterapeuta ou psicanalista e, caso necessário, um médico </li></ul></ul><ul><li>Com medicamento </li></ul><ul><li>Mudança no estilo de vida </li></ul><ul><ul><li>Lazer, exercícios físicos regulares, alimentação balanceada, diminuição no consumo de álcool e outras drogas... </li></ul></ul>
  14. 21. OBRIGADO! Professor Francisco Robson da Costa Lima [email_address] www.professorrobsoncosta.blogspot.com

×