O slideshow foi denunciado.

Uma Abordagem Baseada em Agentes para Planejamento e Monitoramento de Serviços de Saúde

572 visualizações

Publicada em

Apresentação utilizada no WESSAC 2014 para apresentação do artigo intitulado de "Uma Abordagem Baseada em Agentes para Planejamento e Monitoramento de Serviços de Saúde".

Publicada em: Saúde
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Uma Abordagem Baseada em Agentes para Planejamento e Monitoramento de Serviços de Saúde

  1. 1. Uma Abordagem Baseada em Agentes para Planejamento e Monitoramento de Serviços de Saúde Nécio Veras Mariela Cortés Gustavo Campos 29 de Maio, 2014 Instituto Federal do Ceará e Universidade Estadual do Ceará 1 / 28 Otimização orientada por metas
  2. 2. Agenda 1 Introdução 2 Trabalhos relacionados 3 Abordagem proposta 4 Especificação dos agentes O Agente de Agendamento O Agente de Indicadores 5 Execução e simulação da abordagem Metodologia Resultados 6 Considerações finais 2 / 28 Otimização orientada por metas
  3. 3. Introdução Problema O Programa [Brasil (2012)]: 3 / 28 Otimização orientada por metas
  4. 4. Introdução Problema O Programa [Brasil (2012)]: Objetiva criar um ciclo contínuo de crescimento do acesso e da qualidade; 3 / 28 Otimização orientada por metas
  5. 5. Introdução Problema O Programa [Brasil (2012)]: Objetiva criar um ciclo contínuo de crescimento do acesso e da qualidade; Propõe estabelecer uma cultura de aperfeiçoamento contínuo; 3 / 28 Otimização orientada por metas
  6. 6. Introdução Problema O Programa [Brasil (2012)]: Objetiva criar um ciclo contínuo de crescimento do acesso e da qualidade; Propõe estabelecer uma cultura de aperfeiçoamento contínuo; Está estruturado em 47 indicadores agrupados em 7 áreas; 3 / 28 Otimização orientada por metas
  7. 7. Introdução Justificativa Complexidade para um planejamento manual
  8. 8. Introdução Justificativa Complexidade para um planejamento manual Condições inadequadas de trabalho
  9. 9. Introdução Justificativa Complexidade para um planejamento manual Condições inadequadas de trabalho Financiamento insuficiente da AB
  10. 10. Introdução Justificativa Complexidade para um planejamento manual Condições inadequadas de trabalho Financiamento insuficiente da ABSobrecarga das equipes
  11. 11. Introdução Justificativa Complexidade para um planejamento manual Condições inadequadas de trabalho Financiamento insuficiente da ABSobrecarga das equipes Qualificação dos processos de trabalho
  12. 12. Introdução Justificativa Complexidade para um planejamento manual Condições inadequadas de trabalho Financiamento insuficiente da ABSobrecarga das equipes Qualificação dos processos de trabalho Desafios 4 / 28 Otimização orientada por metas
  13. 13. Introdução Relevância Auxiliar na melhoria da saúde pública
  14. 14. Introdução Relevância Auxiliar na melhoria da saúde pública Planejamento
  15. 15. Introdução Relevância Auxiliar na melhoria da saúde pública Planejamento Implantação
  16. 16. Introdução Relevância Auxiliar na melhoria da saúde pública Planejamento Implantação Manutenção
  17. 17. Introdução Relevância Auxiliar na melhoria da saúde pública Planejamento Implantação Manutenção Avaliação
  18. 18. Introdução Relevância Auxiliar na melhoria da saúde pública Planejamento Implantação Manutenção Avaliação Acompanhamento 5 / 28 Otimização orientada por metas
  19. 19. Introdução Objetivos 1 Propor uma arquitetura abstrata de um Sistema Inteligente para: Atuar no planejamento orientado por metas; Monitorar a prestação de serviços planejados; 6 / 28 Otimização orientada por metas
  20. 20. Introdução Objetivos 1 Propor uma arquitetura abstrata de um Sistema Inteligente para: Atuar no planejamento orientado por metas; Monitorar a prestação de serviços planejados; 2 Definir dois agentes (planejamento e monitoramento); 6 / 28 Otimização orientada por metas
  21. 21. Trabalhos relacionados Trabalhos relacionados Silva et al. (2012) Cálculo de indicadores 7 / 28 Otimização orientada por metas
  22. 22. Trabalhos relacionados Trabalhos relacionados Silva et al. (2012) Cálculo de indicadores Braun et al. (2005) Abordagem multiagente em ambientes dinâmicos de planejamentos em saúde 7 / 28 Otimização orientada por metas
  23. 23. Trabalhos relacionados Trabalhos relacionados Silva et al. (2012) Cálculo de indicadores Braun et al. (2005) Abordagem multiagente em ambientes dinâmicos de planejamentos em saúde Vermeulen et al. (2009) Uma abordagem adaptativa para otimização automática de agendamento de recursos 7 / 28 Otimização orientada por metas
  24. 24. Abordagem proposta Um sistema multiagente Incorpora dois problemas: Planejamento orientado por metas; e Monitoramento dos serviços ofertados para cálculo de indicadores. 8 / 28 Otimização orientada por metas
  25. 25. Abordagem proposta Um sistema multiagente Incorpora dois problemas: Planejamento orientado por metas; e Monitoramento dos serviços ofertados para cálculo de indicadores. Figure: Arquitetura do sistema inteligente 8 / 28 Otimização orientada por metas
  26. 26. Abordagem proposta Formalização da agenda dinâmica Dado um serviço Sx pertence ao conjunto dos serviços S; e uma agenda semanal Gs associada a um profissional P como a matriz: GP s = (Slc )l×c =      S11 S12 . . . S1c S21 S22 . . . S2c ... ... ... ... Sl1 Sl2 . . . Slc      , tal que c ≤ 7 e l ≤ 8 (1) 9 / 28 Otimização orientada por metas
  27. 27. Abordagem proposta Formalização da agenda dinâmica Dado um serviço Sx pertence ao conjunto dos serviços S; e uma agenda semanal Gs associada a um profissional P como a matriz: GP s = (Slc )l×c =      S11 S12 . . . S1c S21 S22 . . . S2c ... ... ... ... Sl1 Sl2 . . . Slc      , tal que c ≤ 7 e l ≤ 8 (1) A agenda mensal Gm de um profissional P pode ser o conjunto: GP m = {GP s1 , GP s2 , GP s3 , GP s4 , GP s5 } (2) 9 / 28 Otimização orientada por metas
  28. 28. Abordagem proposta Relação entre os serviços e os indicadores Considerando o planejamento da agenda, temos que: 1 Certos indicadores são influenciados pela realização dos serviços; 10 / 28 Otimização orientada por metas
  29. 29. Abordagem proposta Relação entre os serviços e os indicadores Considerando o planejamento da agenda, temos que: 1 Certos indicadores são influenciados pela realização dos serviços; 2 Outros não sofrem nenhuma influência; 10 / 28 Otimização orientada por metas
  30. 30. Abordagem proposta Relação entre os serviços e os indicadores Considerando o planejamento da agenda, temos que: 1 Certos indicadores são influenciados pela realização dos serviços; 2 Outros não sofrem nenhuma influência; 3 Existem indicadores que influenciam a valoração das quantidades dos serviços a serem alocados na agenda; 10 / 28 Otimização orientada por metas
  31. 31. Abordagem proposta Relação entre os serviços e os indicadores Table: Mapeamento entre serviços ofertados e indicadores do PMAQ/2012 Serviço Ofertado Indicador(es) Atendimento de Pré-natal 1.2 Prevenção do câncer ginecológico 1.6 Visitas domiciliares Pessoas acompanhadas no domicílio Consulta de puericultura 2.1 Consulta médica 2.1, 2.5,2.6, 5.1 Consulta de Hipertensos e Diabéticos 3.3, 3.4 Ação coletiva de escovação dental supervisionada 4.1 Consulta Odontológica 4.2 Consulta Odontológica à Gestante 4.3 Consulta de enfermagem 5.10 Vigilância (tuberculose e hanseníase) 6.1, 6.2 11 / 28 Otimização orientada por metas
  32. 32. Abordagem proposta Planejamento da oferta dos serviços No modelo proposto consideramos: Que existem metas individualizadas conforme o serviço; 12 / 28 Otimização orientada por metas
  33. 33. Abordagem proposta Planejamento da oferta dos serviços No modelo proposto consideramos: Que existem metas individualizadas conforme o serviço; Que um cálculo de demandas pode estimar a oferta de um serviço por profissional; 12 / 28 Otimização orientada por metas
  34. 34. Abordagem proposta Planejamento da oferta dos serviços No modelo proposto consideramos: Que existem metas individualizadas conforme o serviço; Que um cálculo de demandas pode estimar a oferta de um serviço por profissional; A ideia é maximizar o cumprimento dos serviços em relação às suas demandas; 12 / 28 Otimização orientada por metas
  35. 35. Abordagem proposta Cálculos para determinar a qualidade Dado que o volume de trabalho (em horas) seja: V Sx P = count(GP m, Sx ) (3) onde: count : GP m × Sx → |Sx |, tal que : Sx ∈ GP m (4) 13 / 28 Otimização orientada por metas
  36. 36. Abordagem proposta Cálculos para determinar a qualidade Dado que o volume de trabalho (em horas) seja: V Sx P = count(GP m, Sx ) (3) onde: count : GP m × Sx → |Sx |, tal que : Sx ∈ GP m (4) Então a qualidade de GP m pode ser calculada da seguinte forma: QGP m = Servs i=1 V Si P DSi P − P1 − P2 − P3 : (5) 13 / 28 Otimização orientada por metas
  37. 37. Abordagem proposta Penalidades no cálculo da qualidade P1 =   DServs+ j=1 V Sj P D Sj P   × 2, P2 =   DServs− l=1 DSl P V Sl P   × 6 e P3 =   DServsn q=1 D Sq P 100   × 10. Serve para balancear o cumprimento das demandas 14 / 28 Otimização orientada por metas
  38. 38. Especificação dos agentes O Agente de Agendamento 1 Um agente BDI que objetiva planejar atendimentos em saúde orientado por metas; Figure: Estruturas internas do Agente de Agendamento 15 / 28 Otimização orientada por metas
  39. 39. Especificação dos agentes O Agente de Agendamento Algoritmo 1 Otimização por HillClimbing e Simulated Annealing 1: Inicializa Equipe E com N Profissionais 2: Atribui demandas D para Equipe E 3: for each Profissional P ∈ E.profissionais do 4: criaAgenda(A) 5: alocaServicosAleatoriamente(A) 6: adicionaAgendaNaEquipe(A,E) 7: end for 8: Equipe HC ← geraOtimizacaoPorHillClibing(E) 9: Equipe AS ← geraOtimizacaoPorSimulatedAnnealing(E) 10: retorne filtraMelhorAgenda (HC, AS) 16 / 28 Otimização orientada por metas
  40. 40. Especificação dos agentes O Agente de Indicadores 1 É um agente de monitoramento responsável por calcular os indicadores PMAQ; Figure: Estruturas internas do Agente de Indicadores 17 / 28 Otimização orientada por metas
  41. 41. Especificação dos agentes O Agente de Indicadores Algoritmo 2 Descrição informal 1: agendasDaEquipe(null). 2: !encontraEMonitoraArtefatos. 3: +percebeNovasAgendas(Agendas). 4: for each Agenda A ∈ Agendas do 5: !calculaIndicadores(A). 6: end for 7: !registraIndicadores. 8: !apresentaIndicadores. 18 / 28 Otimização orientada por metas
  42. 42. Execução e simulação da abordagem Metodologia Objetivo: executar e avaliar a formulação do problema orientado por metas; 19 / 28 Otimização orientada por metas
  43. 43. Execução e simulação da abordagem Metodologia Objetivo: executar e avaliar a formulação do problema orientado por metas; Foi criado o Agente de Simulação para: Criar os artefatos de ambiente (loads); Gerenciar a simulação; 19 / 28 Otimização orientada por metas
  44. 44. Execução e simulação da abordagem Metodologia Objetivo: executar e avaliar a formulação do problema orientado por metas; Foi criado o Agente de Simulação para: Criar os artefatos de ambiente (loads); Gerenciar a simulação; Os testes foram realizados com três instâncias: Table: Sumário das instâncias de testes Instância No de Enfermeiros No de Médicos No de odontólogos (1) 1 1 1 (2) 2 1 2 (3) 2 2 3 19 / 28 Otimização orientada por metas
  45. 45. Execução e simulação da abordagem Metodologia Table: Valoração das variáveis PMAQ da Equipe para o modelo de instância Tipo Descritor da variável PMAQ ou meta Valor PMAQ numeroGestantesCadastradasEquipe 40 populacaoFemininaCadastradaCom15AnosOuMais 321 numeroMenoresDeDoisAnos 15 numeroDeMenoresDeUmAnoAcompanhadas 09 numeroDePessoasAcompanhadasNoDomicilio 32 numeroDeMenoresDeCincoAnosCadastradas 28 numeroDiabeticosCadastrados 34 numeroHipertensosCadastrados 40 populacaoCadastrada 3200 numeroPessoasComTuberculoseCadastradas 10 numeroPessoasComHanseniaseCadastradas 22 20 / 28 Otimização orientada por metas
  46. 46. Execução e simulação da abordagem Metodologia Table: Valoração das metas da Equipe para o modelo de instância Tipo Descritor da variável PMAQ ou meta Valor Meta Média atendimentos durante o pré-natal 12 Cobertura para prevenção do câncer ginecológico 30 Cobertura para demanda de visitas domiciliares 70 Média de consultas de puericultura 3 Cobertura para demanda de consultas médica 18 Média de consultas de Hipertensos e Diabéticos 2 Cobertura para demanda de ação coletiva de escovação dental 18 Cobertura para demanda de consultas odontológicas 25 Cobertura para demanda de consultas odontológicas às gestantes 100 Cobertura para demanda de consultas de enfermagem 6 Média de consultas para vigilância (tuberculose e hanseníase) 2 21 / 28 Otimização orientada por metas
  47. 47. Execução e simulação da abordagem Resultados Figure: Execução com a instância 1 22 / 28 Otimização orientada por metas
  48. 48. Execução e simulação da abordagem Resultados Figure: Execução com a instância 2 23 / 28 Otimização orientada por metas
  49. 49. Execução e simulação da abordagem Resultados Figure: Execução com a instância 3 24 / 28 Otimização orientada por metas
  50. 50. Considerações finais Considerações finais 1 Modelo inteligente atuando na AB; 2 Planejamento orientado por metas (priorização no cumprimento das demandas); 25 / 28 Otimização orientada por metas
  51. 51. Considerações finais Considerações finais 1 Modelo inteligente atuando na AB; 2 Planejamento orientado por metas (priorização no cumprimento das demandas); 3 Limitações: Restante dos indicadores PMAQ (dados específicos); Instâncias a partir de dados reais e abertos; 25 / 28 Otimização orientada por metas
  52. 52. Considerações finais Considerações finais 1 Modelo inteligente atuando na AB; 2 Planejamento orientado por metas (priorização no cumprimento das demandas); 3 Limitações: Restante dos indicadores PMAQ (dados específicos); Instâncias a partir de dados reais e abertos; 4 Trabalhos futuros: Simulação de atendimentos com base nas agendas planejadas; Criar modelo evolucionário de ambiente para simular situações do cotidiano; Especificar os outros agentes não detalhados neste trabalho; 25 / 28 Otimização orientada por metas
  53. 53. Considerações finais Agradecimentos 26 / 28 Otimização orientada por metas
  54. 54. Considerações finais Perguntas? 27 / 28 Otimização orientada por metas
  55. 55. Considerações finais Referências Brasil, M. d. S. (2002). Portaria n. 1101, de 12 de junho de 2002: Estabelece parâmetros assistenciais do sus. Diá rio Oficial da União, Brasília, 139(112). Silva, R. C., Forster, A. C., Alves, D., Ferreira, J. B., and Sant’Anna, S. C. (2012). Ferramenta computacional para programa de melhoria da atenção básica (pmaq-ab). In Atas do XIII Congresso Brasileiro de Informática em Saúde. Braun, L., Wiesman, F., Herik, v. d. J., and Hasman, A. (2005). Agent support in medical information retrieval. In Working notes of the IJCAI-05. Workshop on agents applied in health care, pages 16–25. Vermeulen, I. B., Bohte, S. M., Elkhuizen, S. G., Lameris, H., Bakker, P. J., and Poutré , H. L. (2009). Adaptive resource allocation for efficient patient scheduling. Artificial intelligence in medicine, 46(1):67–80. 28 / 28 Otimização orientada por metas

×