O slideshow foi denunciado.
John Dewey – 1859-1952 “ Só a inteligência dá ao homem o poder de alterar sua existência”.
John Dewey nasceu em 1859 em Burlington, no estado norte-americano de Vermont.  Graduou-se pela Universidade do Vermont em...
Seu interesse por pedagogia nasceu da observação de que a escola de seu tempo continuava, em grande parte, orientada por v...
Na escola, teve uma educação desinteressante e desestimulante, o que foi compensado pela formação que recebeu em casa.  Ai...
Dewey exerceu a função de professor de Filosofia na Universidade de Michigan, onde ensinou a partir de Setembro de 1884. T...
Em 1889 tornou-se chefe do Departamento de Filosofia. Em 1894, no entanto, saiu de Michigan para a recém-criada  Universid...
Continuou, no entanto, a ensinar como Professor Emérito até 1939, e continuou a escrever e a intervir socialmente até às v...
John Dewey defendia que a escola tinha a missão de preparar para a vida. E nessa concepção a criança teria que ser capaz d...
O pensador que pôs a prática em foco.   Defendia a democracia e a liberdade de pensamento como instrumentos para a maturaç...
Dewey é o no me mais célebre da corrente filosófica que ficou conhecida c omo pragmatismo, embora ele preferisse o nome in...
Estímulo à cooperação. “ O aprendizado se dá quando compartilhamos experiências, e isso só é possível num ambiente democrá...
Educar, portanto, é mais do que reproduzir conhecimentos. É incentivar o desejo de desenvolvimento contínuo, preparar pess...
Liberdade intelectual para os alunos.   Filosofia deweyana-  baseada na liberdade do aluno para elaborar as próprias certe...
“ Idealizar e racionalizar o universo em geral é uma  confissão de incapacidade de  dominar os cursos das coisas que espec...
Uma das principais lições deixadas por  John Dewey  é a de que, não havendo separação entre vida e educação, esta deve pre...
Referências bibliográficas
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

John Dewey – 1859 - 1952

34.108 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação, Tecnologia
  • Seja o primeiro a comentar

John Dewey – 1859 - 1952

  1. 1. John Dewey – 1859-1952 “ Só a inteligência dá ao homem o poder de alterar sua existência”.
  2. 2. John Dewey nasceu em 1859 em Burlington, no estado norte-americano de Vermont. Graduou-se pela Universidade do Vermont em 1879 e exerceu as funções de professor do secundário durante dois anos, tempo em que desenvolveu um profundo interesse por Filosofia. Em Setembro de 1882 deixou o ensino e retornou à universidade para estudar Filosofia, na Universidade Johns Hopkins, onde obteve o doutoramento.
  3. 3. Seu interesse por pedagogia nasceu da observação de que a escola de seu tempo continuava, em grande parte, orientada por valores tradicionais, e não havia incorporado as descobertas da psicologia, nem acompanhara os avanços políticos e sociais. Criou uma universidade-exílio para acolher estudantes perseguidos em países de regime totalitário. Morreu em 1952, aos 93 anos.
  4. 4. Na escola, teve uma educação desinteressante e desestimulante, o que foi compensado pela formação que recebeu em casa. Ainda criança, via sua mãe confiar aos filhos pequenas tarefas para despertar o senso de responsabilidade.
  5. 5. Dewey exerceu a função de professor de Filosofia na Universidade de Michigan, onde ensinou a partir de Setembro de 1884. Três anos mais tarde, publicava o seu primeiro livro, Psychology. Esse livro foi importante para o passo seguinte da carreira de Dewey: o cargo de professor de Filosofia Mental e Moral na Universidade de Minnesota, que assumiu em 1888.
  6. 6. Em 1889 tornou-se chefe do Departamento de Filosofia. Em 1894, no entanto, saiu de Michigan para a recém-criada Universidade de Chicago onde em breve passava a liderar o departamento de Filosofia e o departamento de Pedagogia, criado por sua sugestão. Depois de problemas graves na política interna do Departamento de Educação da Universidade de Chicago, Dewey abandonou a instituição para se ligar à Universidade de Columbia, em Nova Iorque, onde permaneceu até ao fim da sua carreira no ensino, em 1930
  7. 7. Continuou, no entanto, a ensinar como Professor Emérito até 1939, e continuou a escrever e a intervir socialmente até às vésperas da morte. Entre suas obras se destacam The School and Society (1899; "A Escola e a Sociedade") e Experience and Education (1938; "Experiência e Educação"). John Dewey, traçou os fundamentos do trabalho com projetos a partir de sua Teoria da Experiência.
  8. 8. John Dewey defendia que a escola tinha a missão de preparar para a vida. E nessa concepção a criança teria que ser capaz de projetar, procurar meios de realização para seus próprios empreendimentos e de realizá-los, verificando pela sua própria experiência.  “ Este, ao colocar em prática suas experiências, introduziu o compromisso livre e a democracia, em que, propôs que a criança ao vir para a escola, vêm para resolver os problemas presentes e não pensar em uma escola para o futuro”.
  9. 9. O pensador que pôs a prática em foco.   Defendia a democracia e a liberdade de pensamento como instrumentos para a maturação emocional e intelectual das crianças. No Brasil inspirou o movimento da Escola Nova, liderado por Anísio Teixeira, ao colocar a atividade prática e a democracia como importantes ingredientes da educação.
  10. 10. Dewey é o no me mais célebre da corrente filosófica que ficou conhecida c omo pragmatismo, embora ele preferisse o nome instrumentalismo – uma vez que, para essa escola de pensamento, as ideias só têm importância desde que sirvam de instrumento para a resolução de problemas reais.
  11. 11. Estímulo à cooperação. “ O aprendizado se dá quando compartilhamos experiências, e isso só é possível num ambiente democrático, onde não haja barreiras ao intercâmbio de pensamento”. A escola deve proporcionar práticas conjuntas e promover situações de cooperação, em vez de lidar com as crianças de forma isolada. A educação, na visão deweyana, é “uma constante reconstrução da experiência, de forma a dar-lhe cada vez mais sentido e a habilitar as novas gerações a responder aos desafios da sociedade”.
  12. 12. Educar, portanto, é mais do que reproduzir conhecimentos. É incentivar o desejo de desenvolvimento contínuo, preparar pessoas para transformar algo. O papel da escola, segundo ele, é reproduzir a comunidade em miniatura, apresentar o mundo de um modo simplificado e organizado e, aos poucos, conduzir as crianças ao sentido e à compreensão das coisas mais complexas. Em outras palavras, o objetivo da escola deveria ser ensinar a criança a viver no mundo.
  13. 13. Liberdade intelectual para os alunos.   Filosofia deweyana- baseada na liberdade do aluno para elaborar as próprias certezas, os próprios conhecimentos, as próprias regras morais. Para Dewey, o professor deve apresentar os conteúdos escolares na forma de questões ou problemas e jamais dar de antemão respostas ou soluções prontas. Pode-se afirmar que as teorias mais modernas da didática, como o construtivismo e as bases teóricas dos Parâmetros Curriculares Nacionais, têm inspiração nas ideias do educador.
  14. 14. “ Idealizar e racionalizar o universo em geral é uma confissão de incapacidade de dominar os cursos das coisas que especificamente nos dizem respeito”, escreveu. Essa perspectiva levou Dewey a rejeitar a ideia de leis morais fixas e imutáveis. Defendia a utilização, diante dos problemas sociais, dos métodos e atitudes experimentais que foram bem-sucedidos nas ciências naturais. Ele próprio procurou aplicar essa abordagem em relação à investigação filosófica e à didática. A defesa irrestrita do experimentalismo.
  15. 15. Uma das principais lições deixadas por John Dewey é a de que, não havendo separação entre vida e educação, esta deve preparar para a vida, promovendo seu constante desenvolvimento. Como ele dizia, “as crianças não estão, num dado momento, sendo preparadas para a vida e, em outro, vivendo”. Então, qual é a diferença entre preparar para a vida e para passar de ano? Como educar alunos que têm realidades tão diferentes entre si e que, provavelmente, terão também futuros tão distintos?
  16. 16. Referências bibliográficas

×