Formas de conhecer o mundo

2.568 visualizações

Publicada em

Publicada em: Tecnologia, Espiritual
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.568
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
41
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Formas de conhecer o mundo

  1. 1. Senso Comum, Ciência e Filosofia Prof. Wagno Oliveira de Souza contato@professorwagno.com.br
  2. 2. Prof. Wagno O. de SouzaO Sol é menor do que a Terra. Quem duvidará?O Sol se move em torno da Terra, que permanece imóvel. Quem duvidarádisso, se diariamente vemos o Sol nascer, percorrer o céu e se pôr?Senso comum é aquilo que conhecemos pelos nossos sentidos de modoimediato e não-refletido. VISÃO AUDIÇÃO PALADAR TATO OLFATO
  3. 3. Prof. Wagno O. de Souza Certezas como essas formam nossa vida e o senso comum VISÃO de nossa sociedade,AUDIÇÃO transmitido dePALADAR geração em geração, e, TATO muitas vezes, transformandoOLFATO -se em crença religiosa, em doutrina inquestionável.
  4. 4. Prof. Wagno O. de SouzaSão subjetivos, isto é, exprimem sentimentos e opiniões individuais e degrupos, variando de uma pessoa para outra, ou de um grupo para outro. Gosto é igual nariz, cada um tem o seu...
  5. 5. Prof. Wagno O. de SouzaSão qualitativos, isto é, as coisas são julgadas por nós como grandes oupequenas, doces ou azedas, pesadas ou leves. O café tá doce para você, para mim está ótimo!
  6. 6. Prof. Wagno O. de SouzaSão heterogêneos, isto é, referem-se a fatos que julgamos diferentes,porque os percebemos como diversos entre si. 1kg de pena é mais leve do que 1kg de ferro, é óbvio!
  7. 7. Prof. Wagno O. de SouzaSão generalizadores, pois tendem a reunir numa só opinião ou numa sóidéia coisas e fatos julgados semelhantes. Tal pai, tal filho!
  8. 8. Prof. Wagno O. de SouzaTendem a estabelecer relações de causa e efeito entre as coisas ou entreos fatos: “onde há fumaça, há fogo”; “quem tudo quer, tudo perde”;“dize-me com quem andas e te direi quem és”; a posição dos astrosdetermina o destino das pessoas;
  9. 9. Prof. Wagno O. de SouzaPor não compreenderem o que seja investigação científica, tendem aidentificá-la com a magia, considerando que ambas lidam com omisterioso, o oculto, o incompreensível:Filmes mostram os laboratórios científicos repletos de objetosincompreensíveis, como são mostradas as cavernas ocultas dos magos. O Fantástico mostra aos telespectadores resultados científicos como se fossem espantosa obra de magia, assim como exibem magos ocultistas como se fossem cientistas;
  10. 10. Prof. Wagno O. de SouzaPor serem subjetivos, generalizadores, expressões de sentimentos demedo e angústia, e de incompreensão quanto ao trabalho científico,nossas certezas cotidianas e o senso comum de nossa sociedade ou denosso grupo social cristalizam-se em preconceitos com os quaispassamos a interpretar toda a realidade que nos cerca e todos osacontecimentos. Todo loira é burra! Todo político é corrupto! Pastor só gosta de dinheiro! É melhor ser pobre e feliz!
  11. 11. Prof. Wagno O. de Souza
  12. 12. Prof. Wagno O. de SouzaA ciência desconfia da veracidade de nossas certezas, de nossa adesãoimediata às coisas, da ausência de crítica e da falta de curiosidade. Porisso, ali onde vemos coisas, fatos e acontecimentos, a atitude científica vêproblemas e obstáculos, aparências que precisam ser explicadas e, emcertos casos, afastadas.
  13. 13. Prof. Wagno O. de SouzaÉ objetivo, isto é, procura as estruturas universais e necessárias dascoisas investigadas; 2+2=4 Isso não é como nariz, que 1Kg = 1Kg cada um tem o seu Tanto faz se é de 1kg de pena ou 1kg de ferro.
  14. 14. Prof. Wagno O. de SouzaÉ quantitativo, isto é, busca medidas, padrões, critérios de comparação eavaliação para coisas que parecem ser diferentes. 90% de H2O 15% Glicose 0,5% Cafeína 0,2% Corante
  15. 15. Prof. Wagno O. de SouzaÉ homogêneo, isto é, busca as leis gerais de funcionamento dosfenômenos, que são as mesmas para fatos que nos parecem diferentes.A queda de uma pena e de um ferro depende da força de gravidade, dovolume, da massa e da forma. A gravidade é a mesma para ambos.
  16. 16. Prof. Wagno O. de SouzaÉ generalizador, pois reúne individualidades, percebidas como diferentes,sob as mesmas leis, os mesmos padrões ou critérios de medida,mostrando que possuem a mesma estrutura.Uma fórmula é capaz de levar um químico a fazer milhares de litros derefrigerante com o mesmo sabor, sem variação.A água evapora a 100O
  17. 17. Prof. Wagno O. de SouzaSeparar os elementos subjetivos e objetivos de um fenômenoUma coisa é o que eu penso e vejo (subjetividade), outra é o que valepara todos (objetividade).

×